Page 1

EM DESTAQUE NESTE NÚMERO

Formação em Marketing, Comércio e Vendas - Pág. 2 Congresso reúne em Lisboa associações do sector da madeira - Pág. 3 Missões Empresariais para promover Capital do Móvel - Págs. 3 e 4

Jornal do Empresário é uma publicação mensal do gabinete de comunicação e imagem da Associação Empresarial de Paços de Ferreira. Sugestões e Críticas podem ser enviadas para:

Parque de Exposições Capital do Móvel Rua da Associação Empresarial, nº 167 - Carvalhosa | Apartado 132 4591-909 PAÇOS DE FERREIRA Tel: 255 862 114/ 6 - Fax: 255 862 115 www.aepf.pt | imprensa@capitaldomovel.pt

NÚMERO 92 / JULHO 2008

31ª Capital do Móvel - de 30 de Agosto a 7 de Setembro - Paços de Ferreira

A maior feira de mobiliário do país regressa A Coruña acolheu a maior feira de mobiliário português organizada na Galiza

A cidade de A Corunha acolheu a primeira feira de mobiliário da Capital do Móvel, num evento que contou com a participação de cerca de cinco dezenas de empresas e quase 400 marcas oriundas da região. Segundo os dados apurados nos primeiros dias do certame, os objectivos que presidiram à realização do evento estavam conseguidos. A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) esperava conseguir atrair, pelo menos, o mesmo número de visitantes alcançado na feira de Vilagarcia de Arousa, em 2007, que representariam um volume de negócios previsto de 1,5 milhões de euros. No acto inaugural estiveram presentes o presidente da AEPF, Pedro Vieira de Andrade, e o presidente da Câmara Municipal, Pedro Pinto, bem

como o tenente alcaide do município de A Corunha, Florencio Cardador e representantes da AICEP e de outras estruturas empresariais portuguesas. O processo de internacionalização das lojas de mobiliário de Paços de Ferreira iniciou-se em 2000, através da promoção das feiras Capital do Móvel em Espanha para, a partir de 2005, “dar o salto”, conforme referiu Pedro Vieira de Andrade, ao assegurar a presença na Vigoferia através de um pavilhão exclusivo. Desde 2007 que a AEPF organiza feiras exclusivas de mobiliário da Capital do Móvel em Vilagarcia de Arousa e, agora, na Corunha. “O mercado galego é um mercado de expansão natural do nosso próprio mercado”, disse o presidente, considerando estar a maioria da população a uma “distância razoável” para uma deslocação com o propósito (continua na página seguinte)


A Coruña acolheu a maior feira de mobiliário português organizada na Galiza (continuação da página anterior)

Desenvolvimento do Tâmega discutido Decorreu, no passado dia 5 de Junho, no auditório da AEPF uma sessão de trabalho parte integrante do Seminário sobre SubCertificação e Desenvolvimento na Região do Tâmega). A primeira sessão decorrera na Câmara Municipal de Paços de Ferreira, durante a manhã.

Formação para Técnicos Oficiais de Contas A AEPF, com parceria com a Duodifusão – Centro de Formação Profissional, empresa inscrita e aceite pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas para a realização de acções de formação profissional que conferem a atribuição de créditos, vai realizar três cursos destinados a Técnicos Oficiais de Contas. As acções, de curta duração (32 horas), debruçam-se sobre o estudo do IRC, do IVA e do IRS, podendo os TOC que frequentem a formação e a concluam com aproveitamento beneficiar de 1,5 créditos por cada hora. Cada um dos módulos tem o custo de 128 euros, para as quais a inscrição ser realizada na AEPF, junto do Departamento de Formação Profissional. Os três cursos, as datas de realização e o local da formação são: Estudo do IVA (32 horas), 8 de Julho a 1 de Agosto, Duodifusão (filial), Lordelo, Paredes Estudo do IRS (32 horas), 14 a 30 de Julho, Duodifusão (sede), Vizela Estudo do IRC (32 horas), 15 a 31 de Julho, AEPF, Paços de Ferreira

de compra de mobiliário. Por outro lado, Pedro Vieira de Andrade destaca o alto poder de compra da Galiza, no seu todo, e da Corunha, em particular, em relação a Portugal. Questionado sobre o volume de negócios esperado pelos empresários portugueses nesta feira na Corunha, o dirigente afirmou estar esse valor muito dependente de vários factores. Por um lado, o conceito de feira mudou muito, sendo actualmente mais um espaço de demonstração e promoção das marcas do que um local de compra e venda. Por outro lado, “o espanhol gosta do nosso mobiliário mas concretiza o negócio em Portugal”, o que dificulta o cálculo do volume de vendas. Recorde-se que o volume global de exportações do sector ronda os 800 milhões de euros, dos quais cerca de 35 por cento são para Espanha. Considerando que o mercado natural de expansão ronda os 600 quilómetros em redor de Paços de Ferreira, Pedro Vieira de Andrade não descarta a possibilidade de realizar outras feiras em outras localidades espanholas, desde que apoiada pelos associados. No entanto, não há interesse “saltar para outros mercados sem consolidar primeiro a presença na Galiza”, afirma.

A maior fatia do custo da realização desta feira prende-se com a promoção, afirmando o presidente que a primeira Capital do Móvel custará cerca de meio milhão de euros. A adesão dos empresários esteve dentro das expectativas da AEPF, segundo afirma Pedro Vieira de Andrade. “Quantas mais feiras realizarmos mais temos de ter a consciência mais diversificada será a participação dos empresários”, acrescenta, considerando que dificilmen-

te será possível para os mesmos empresários participarem em todas as feiras, pelo investimento que estas representam. O presidente da AEPF gostaria de poder contar com uma maior presença de empresas mas o mobiliário precisa de uma certa dimensão dos espaços expositivos para ser apresentado.

Capital do Móvel decora área VIP de festival O Festival Marés Vivas, que vai decorrer entre 17 e 19 de Julho em Vila Nova de Gaia, terá uma área VIP decorada por mobiliário made in Capital do Móvel. Através de um acordo de patrocínio assinado entre a Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) e a organização daquele evento, uma área destinada a cerca de 500 convidados terá sofás, mesas e outros elementos produzidos por empresas da Capital do Móvel. O cartaz musical aposta em bandas como os Sisters of Mercy, The Prodigy, Da Weasel e Ja-

mes, bem como Peter Murphy, Tricky e Macy Gray, para além de muitas bandas portuguesas. Depois do sucesso obtido pela presença da marca Capital do Móvel em festivais de música e eventos desportivos e culturais no ano passado, a AEPF volta a repetir o investimento em grandes iniciativas com o intuito de promover a qualidade e o design do mobiliário produzido e comercializado em Paços de Ferreira. A campanha de promoção deste evento já começou e o logótipo da Capital do Móvel já circula um pouco por todo o país.

Comércio Internacional em Contexto de Globalização A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), através do seu Departamento de Formação Profissional, vai desenvolver um curso de Comércio Internacional em Contexto de Globalização, sob a coordenação de Jorge Brito, conceituado especialista do sector do mobiliário e ex-presidente da APIMA. Este curso, destinado a empresários, gestores, directores comerciais e técnicos superiores relacionados com o comércio internacional, terá 40 horas de duração, em horário pós-laboral, visando reciclar, actualizar e aperfeiçoar conhecimentos. O principal objectivo desta formação é o desen-

volvimento de competências de incidência cognitivas, psicomotora e afectiva, conducentes a um adequado domínio da problemática relacionada com o comércio e com a participação em eventos internacionais. Negociação e técnicas de vendas Destinado a comerciais no activo ou a profissionais de outras áreas que pretendam enveredar por uma carreira neste segmento, a AEPF propõe um curso de Negociação e Técnicas de Vendas, com 40 horas de formação. Este curso visa desenvolver técnicas para maximizar o sucesso

das vendas, ao mesmo tempo que se satisfaz e fideliza o cliente. Comunicação e Imagem na Empresa A AEPF promove, ainda, um curso de Comunicação e Imagem na Empresa, de 30 horas, destinado a dotar os profissionais de Marketing, Comunicação e Relações Públicas com as principais técnicas e ferramentas de comunicação e imagem. Os interessados em qualquer destes cursos deverão contactar o Departamento de Formação Profissional da AEPF.


Congresso da indústria da madeira e do mobiliário reuniu associações As principais instituições do país empresarial do sector da madeira e do mobiliário reuniram-se, pela terceira vez, em congresso. Esta iniciativa, que segundo a organização “reflecte a vontade de transformar a fileira de madeira num pólo de competitividade”, decorreu no Centro Cultural de Belém nos dias 25 e 26 de Junho, procurando “unir, na organização, todas as associações do sector”. Entre os convidados e oradores, destaque-se a presença anunciada do primeiro-ministro, José Sócrates, e do ministro da Economia, Manuel

Pinho, bem como de Pedro Katendi, director nacional do Ministério da Indústria de Angola, Vítor Ramalho, deputado, Luís Filipe Girão, da Comissão Europeia, Mira Amaral, na qualidade de presidente do Conselho de Administração do BIC, Luís Borges Gouveia e Daniel Bessa, professores de conceituadas instituições de ensino, e Francisco Carvalho Guerra, presidente da Forestis. Estiveram, igualmente, presentes, representantes de instituições públicas e privadas, quer de Portugal – como o IAPMEI, a AICEP Portugal, a DGRF, a AEP e a AIP -, quer da Eu-

ropa – como a CEI-Bois (Confederação Europeia das Indústrias de Madeira), a EFIC (Confederação Europeia das Indústrias de Mobiliário) e a CONFEMADERA (Confederação Espanhola das Indústrias de Madeira). O 3.º Congresso das Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins é uma iniciativa bienal, cujas conclusões “ditarão o futuro do sector” que, recorde-se, “representa cerca de 5,6 por cento do PIB total da economia, 12 por cento do PIB industrial, 12 por cento das exportações e emprega mais de 73000 trabalhadores.

Mobiliário da Capital do Móvel impressiona Embaixadora da África do Sul Dar a conhecer as potencialidades do mercado da África do Sul, país que vai acolher o Campeonato Mundial de Futebol em 2010, aos empresários de Paços de Ferreira, foi o principal objectivo de um seminário sobre aquele país que decorreu no passado dia 17 de Junho, no Parque de Exposições Capital do Móvel, numa organização conjunta entre a Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) e a sociedade de advogados Soares Carneiro, Santos Silva & Associados. Na sessão de trabalho, o vice-presidente da AEPF, Hélder Moura, após dar as boas-vindas aos convidados e aos empresários presentes, recordou o processo de internacionalização encetado em 2000 por esta associação, que envolve missões empresariais e feiras de mobiliário no estrangeiro. O presidente da Câmara enalteceu a parceria entre a empresa de advogados e a AEPF, pela “reflexão”que introduz nos processos de internacionalização das empresas portuguesas. Pedro Pinto considera que a disponibilidade demonstrada pela Embaixadora e demais convidados é um sinal da importância de iniciativas desta natureza. A Embaixadora Thandiwe Profit-Mclean afirmou ter sido este evento um “tijolo” na construção de uma relação mais forte entre Portugal e África do Sul. “Fomos abençoados com todos os problemas”, disse a Embaixadora, que recordou também as benesses

com que foi igualmente brindado o país mais a Sul de África: das florestas aos diamantes. Disponibilizou-se para auxiliar os empresários portugueses no investimento na África do Sil, citando como exemplos positivos a presença de empresas portuguesas como a Sonae, a Amorim, a Caixa Geral de Depósitos, a Cimpor, o Banif, o grupo Pestana, entre outros e a presença de meio milhão de portugueses no país. A apresentação principal foi conduzida pelo primeiro-secretário da Embaixada, Rondee Scherman, que após uma breve explicação sobre a caracterização do território, que possui cerca de 48 milhões de habitantes, afirmou ter a África do Sul uma classe média que é a que mais cresce no mundo, logo após a da China. Para demonstrar a grandeza do país, afirmou serem necessárias duas horas de vôo para ligar as duas principais cidades do país, Joanesburgo e Cidade do Cabo. 356 milhões de euros é o valor das relações comerciais entre Portugal e África do Sul, embora ainda mantenha algum desconhecimento em relação aos produtos portugueses. A cortiça, o tabaco, a

maquinaria e o equipamento sanitário são as principais importações do país africano provenientes de Portugal. O impacto na economia que a organização do Mundial de Futebol vai introduzir leva Rondee Scherman a aconselhar as empresas portuguesas a investirem agora na África do Sul, já que “vai haver mais dinheiro” nas mãos dos habitantes e nos milhares de estrangeiros que vão visitar o país. A presença da delegação da África do Sul a Paços em Ferreira principiou por uma sessão de boas-vindas na Câmara Municipal, seguindo-se uma visita às fábricas da Swedwood, do grupo Ikea, da Animóvel e da Portéme, três exemplos variados do tipo de investimento existente no concelho.


Polónia, República Checa e Hungria são mercados atractivos para Capital do Móvel A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) promoveu, em parceria com a sociedade de advogados Soares Carneiro, Santos Silva e Associados, um seminário sobre oportunidades de investimento na Polónia, República Checa e Hungria, a propósito da missão empresarial que vai levar alguns empresários àqueles países em Setembro próximo. A abertura da sessão foi presidida por Mário Silva, vice-presidente da AEPF, e por Pedro Pinto, presidente da Câmara Municipal. Este último enalteceu esta iniciativa da associação empresarial, porque “Portugal é pequeno para a expansão do sector”. As exportações são responsáveis por aquilo que o sector do mobiliário é na actualidade, afirmou o autarca. A “Polónia está muito em voga”, mas há “um mundo de oportunidades” nesse e em outros países. Na qualidade de oradores, estiveram em Paços de Ferreira Krzysztof Gierańczyk, conselheiro comercial do Departamento de Promoção do Comércio e do Investimento da Embaixada da Polónia em Portugal, Josef Molata, conselheiro económico da Embaixada da República Checa em Portugal, e Ferenc Tölgyessy, conselheiro económico e comercial da Embaixada da Hungria em Portugal, bem como Inês Jácome, especialista em

AGENDA de EVENTOS Dia 16 de Julho – Gravação de um CD, do Agrupamento das Escolas de Paços de Ferreira (organização: Dr. Amândio) De 27 de Julho a 3 de Agosto - Missão Empresarial a Moçambique e África do Sul (Maputo e Joanesburgo) De 30 de Agosto a 7 de Setembro - 31ª Capital do Móvel, feira de mobiliário, iluminação e decoração de Paços de Ferreira (Parque de Exposições) De 11 a 21 de Setembro - Missão Empresarial à República Checa, Polónia e Hungria (Praga, Varsóvia e Budapeste) De 4 a 12 de Outubro - 3ª Capital do Móvel, feira de mobiliário, iluminação e decoração de Lisboa (Intercasa/FIL) De 8 a 16 de Novembro - 2ª Capital do Móvel, feira de mobiliário, iluminação e decoração de Vilagarcia de Arousa (Galiza) De 27 a 29 de Novembro - 1ª SIMEC - Exposição Ibérica Máquinas e Equipamentos para a Indústria de Calçado (Parque de Exposições) De 27 a 29 de Novembro - 1ª Expopele - Exposição de Peles, Moda, Produtos e Acessórios para Calçado, Marroquinaria e Afins (Parque de Exposições) De 30 de Novembro a 7 de Dezembro - Missão Empresarial à Arábia Saudita, Qatar e Emirados Árabes Unidos (Riad, Doha e Dubai) De 5 a 8 de Dezembro - 4ª Mobifree - Exposição Stock Market de Mobiliário, Iluminação e Decoração (Parque de Exposições) Nota: as datas poderão sofrer alterações. Confirme sempre previamente junto da AEPF.

projectos de incentivos da AICEP, que apresentou os diversos programas de apoio à internacionalização, nomeadamente as possibilidades

existentes no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), que as empresas poderão aproveitar através de candidaturas.

Candidaturas ao ModCom até 18 de Julho Encontram-se abertas as candidaturas à terceira fase do Sistema de Incentivos e Projectos de Modernização do Comércio (ModCom), programa destinado à modernização e a revitalização da actividade comercial, em especial, em centros de comércio com predomínio do comércio independente de proximidade, em zonas urbanas ou rurais, bem como a promoção de acções dirigidas ao comércio. A AEPF, certa do impacto que este programa possui para o desenvolvimento do pequeno comércio tradicional de Paços de Ferreira, levou a efeito uma sessão de esclarecimento para os empresários do sector. São destinatárias deste programa as micro e pequenas empresas do comércio, CAE 45, 46 e 47, para projectos autónomos de modernização comercial, devendo as tipologias dos projectos a apresentar envolver empresas comerciais adquiridas ou constituídas há menos de 3 anos por jovens empresários, empresas comerciais que visem aumentar a competitividade empresarial ou empresas comerciais em espaços rurais; micro e pequenas empresas do comércio, CAE 45, 46 e 47, cujos projectos de modernização comercial de empresas em espaço rural sejam promovidos por estruturas associativas para modernização comercial; para os projectos de integração comercial, as micro, pequenas e médias empresas cuja actividade se enquadre nas CAE 45, 46, 47 e 70220, visando o estabelecimento ou a consolidação

de um modelo de integração comum através da criação e promoção de novas redes empresariais ou o desenvolvimento de redes já existentes e a adesão a uma rede empresarial já existente ou a criar ou que se integrem numa estratégia global de modernização da rede em que se inserem; e, finalmente, para projectos de promoção comercial dos centros urbanos que visem através das suas acções a animação, dinamização e divulgação comercial dos centros urbanos, as estruturas associativas empresariais do sector do comércio inseridas na CAE 94110 (Rev. 3- 2007). A fase de candidaturas termina a 18 de Julho de 2008. Os associados da AEPF e outras empresas interessadas em apresentar um projecto, inserido numa das tipologias anteriormente mencionadas, deverão contactar o Departamento de Apoio às Empresas.

Julho 2008  

EM DESTAQUE NESTE NÚMERO Parque de Exposições Capital do Móvel Rua da Associação Empresarial, nº 167 - Carvalhosa | Apartado 132 4591-909 PA...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you