Page 1

EM DESTAQUE NESTE NÚMERO

Missões empresariais para 2011: ESCOLHA JÁ os seus próximos mercados [Pág. 3]

Presença colectiva em FEIRA NA CORUNHA deslumbrou visitantes galegos [Pág. 3]

Jornal do Empresário é uma publicação mensal do gabinete de comunicação e imagem da Associação Empresarial de Paços de Ferreira. Sugestões e Críticas podem ser enviadas para:

Parque de Exposições Capital do Móvel Rua da Associação Empresarial, nº 167 - Carvalhosa | Apartado 132 4591-909 PAÇOS DE FERREIRA Tel: 255 862 114/ 6 - Fax: 255 862 115 www.aepf.pt | imprensa@capitaldomovel.pt

NÚMERO 121 / JANEIRO 2011

Mais áreas de formação Sabia que o seu projecto de investimento ainda pode beneficiar de incentivos do QREN? O Departamento de Formação Profissional aposta em novas áreas para 2011. O sector do comércio, a área comportamental, a protecção de pessoas e bens, a segurança rodoviária e acções destinadas a técnicos oficiais de contas são as vertentes de formação que a AEPF preparou para 2011 em cursos não financiados. Destaque-se a realização de cursos de vitrinismo (50 horas), IRC/Dossier Fiscal e Informação Empresarial Simplificada (20 horas), Sistema de Normalização Contabilística (32 horas), TCC – Certificação de Motorista de Transporte Colectivo de Crianças (35 horas), Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida (35 horas) ou, ainda, de Regulamentação Social – Tacógrafos (7 horas), entre vários outros. Consulte a oferta completa em www.aepf.pt. Sistema de Incentivos

A recente crise financeira tem contribuído para algum receio e quebra de confiança nos investimentos empresariais. Contudo, é precisamente em alturas difíceis que surgem as grandes oportunidades. Assim e através dos apoios e incentivos do QREN, podem as empresas partilhar o custo e risco dos investimentos, apostando em factores dinâmicos de competitividade relacionados com a internacionalização, o marketing, a inovação, o I&D, a diversificação energética, etc. Sendo certo que nas condições actuais da economia nacional, a orientação das empresas portuguesas para os mercados externos constitui uma prioridade política evidente, os

Objectivos

concursos ainda abertos durante Janeiro/2011 destinam-se a apoiar projectos que reforcem a capacidade competitiva das empresas exportadoras no acesso aos mercados externos. Não perca esta excelente oportunidade e reforce a capacidade competitiva da sua empresa com o apoio dos fundos estruturais, para tal, contacte o Departamento de Apoio às Empresas (DAE) da sua associação que conta com uma equipa técnica altamente qualificada e preparada para o apoiar na elaboração da candidatura (inclusivamente realizar sem quaisquer custos nem compromissos o préestudo de enquadramento do seu projecto) em condições especialmente vantajosas para todos os nossos associados.

Abertura de Candidaturas

Fim de Candidaturas

Incentivo

Qualificação e Internacionalização de PME

Investimento de empresas já existentes que reforcem a sua capacidade no sentido de assegurar uma maior orientação do produto interno para a procura externa.

15 de Novembro de 2010

14 de Janeiro de 2011

Não Reembolsável de 40 a 50%

Investigação e Desenvolvimento

Intensificar o esforço empresarial nacional de I&DT; Criar novos conhecimentos com vista ao aumento da competitividade das empresas; Promover a inserção das empresas em redes internacionais de conhecimento, estimulando a criação e endogeneização de novos conhecimentos indutores de novas oportunidades económicas; Promover a cooperação e o desenvolvimento de projectos de I&DT entre as empresas e as entidades do SCT; Estimular a demonstração, experimentação tecnológica, a disseminação e a transferência de tecnologia para o sector empresarial.

15 de Novembro de 2010

31 de Janeiro de 2011

Não Reembolsável de 25 a 50%

Inovação

Promover a inovação no tecido empresarial, pela via da produção de novos bens, serviços e processos que suportem a sua progressão na cadeia de valor; Reforçar a orientação das empresas para os mercados internacionais; Estimular o empreendedorismo qualificado e o investimento estruturante em novas áreas com potencial crescimento.

15 de Novembro de 2010

10 de Janeiro de 2011

Reembolsável de 35 a 55%


Tecval adere à rede de parques de ciência e tecnologia do Norte

A Tecval – Centro de Incubação de Empresas de Novas Tecnologias do Vale do Sousa aderiu à rede Portus Park, a qual integra parques de ciência e tecnologia e incubadoras do Norte de Portugal, nomeadamente em Bragança, Maia, São João da Madeira, Santa Maria da Feira, Taipas, Santo Tirso, Porto e Vila Real. A parceria já envolve um projecto de empreendedorismo tecnológico entre a Portus Park e a Tecval, com o objectivo de apoiar financeiramente e incentivar a criação de empresas ligadas às novas tecnologias. No âmbito deste projecto, a Tecval vai criar o Gabinete do Empreendedor para responder a todas as dúvidas e prestar apoio à gestão para quem pretende criar uma empresa inovadora e, posteriormente, instalar-se no espaço físico da incubadora de Paços de Ferreira. As principais vantagens para os empreendedores ao aderir a esta rede passam, entre outras, pela disponibilização de espaços físicos ou virtuais para a implantação de novas actividades empresariais; aproveitar as sinergias entre todas as entidades instaladas nos diferentes parques de ciência e tecnologia; beneficiar de um ambiente inovador com modernas infraestruturas de energia e comunicações, áreas de serviços comuns e de lazer de elevada qualidade; aproveitar a ligação aos centros de conhecimento mais avançados da região Norte; ou ter acesso aos centro de I-D-i para transferência de tecnologia.

Novas empresas incubam na Tecval Duas novas empresas encontram-se a incubar na Tecval, Tridivisions e Logicpulse. A primeira tem como objectivo desenvolver e distribuir soluções inovadoras para os sectores e mercados relacionados com o ambiente de casa (Home Environments) e imobiliário em geral. Os produtos e soluções desta empresa destinam-se ao consumidor final e aos profissionais e empresas das áreas de eficiência energética, construção e decoração, mediação imobiliária, fiscalização e avaliação de imóveis, mobiliário e promoção de eventos, marcas e produtos. Para os responsáveis da Tridivisions, a aposta no sector imobiliário e a instalação da sua sede na futura Cidade Tecnológica de Paços de Ferreira são estratégicos, pela criação e exploração de sinergias locais viradas para a inovação e os mercados globais. A Logicpulse é uma nova empresa que aposta no desenvolvimento de soluções e equipamentos de vigilância e segurança para as empresas.

Festa de Natal para crianças com apoio dos empresários da região Milhares de crianças assistiram ao espectáculo “Cinderela em Patins” que a Juventude Pacense promoveu em colaboração com a Câmara Municipal e a Associação Empresarial de Paços de Ferreira. Este evento, que ocorre todos os anos por iniciativa da AEPF, reúne todos os alunos das escolas do concelho em torno de uma festa de Natal realizada com o apoio do

empresariado local. De facto, sem o contributo de várias empresas desta região esta festa de Natal não teria sido possível. Pela parte da AEPF cumpre agradecer o contributo das empresas Transbase, Euronics, ERA Imobiliária, JCA e Pão Quente Calvário, sem o apoio das quais não teria sido possível montar este espectáculo nos moldes em que o mesmo foi organizado.

6ª edição do Stock-off Mobifree em ano de crise

Realizou-se de 27 de Novembro a 8 de Dezembro mais uma feira Stock Off de mobiliário e decoração no Parque de Exposições de Paços de Ferreira. Este certame contou com a presença de 35 expositores onde se inclui o comércio tradicional de Paços de Ferreira, representado por algumas das empresas que mais se têm destacado na Região. Este ano a feira estendeu-se por mais três dias, coincidindo com os feriados de 1 e 8 de Dezem-

bro. Em termos de visitação, ultrapassamos em muito os valores registados na edição anterior, mesmo sem o acréscimo dos últimos três dias. Embora o cenário da economia não seja o mais favorável e se tenha registado um decréscimo da procura em termos gerais, a opinião geral dos nossos empresários é que a feira foi positiva e que esta feira lhes tem permitido esvaziar os armazéns e desocupar alguns espaços de exposição.

DFP promove intercâmbio geracional “Entrelaçar Gerações, Construir o Futuro” é o título de uma iniciativa promovida pelo Departamento de Formação Profissional da AEPF para o final de 2010. Trata-se de juntar jovens e idosos numa partilha de experiências que se pretende integradora e promotora de uma salutar convivência. Participam nesta iniciativa os jovens e adultos que frequentam os cursos do Programa Novas Oportunidades no concelho de Paços de Ferreira, bem como os idosos das instituições de apoio à terceira idade do município. Este projecto arrancou no passado dia 20 de Dezembro, com uma representação teatral –

peça intitulada “Uma Mensagem Para Vós” e que alertou os mais velhos para os perigos associados à sua faixa de idade, como os assaltos e as burlas – e um baile, prolongando-se até 7 de Janeiro de 2011. Estão previstas, ainda, acções como “Moda e Beleza depois dos 60”, animação por karaoke, ateliês “Profissões Tradicionais do Concelho”, o sorteio de uma ida ao programa Praça da Alegria, da RTP, uma peça de teatro subordinada ao tema “Dança de Gerações”, jogos de mesa e actividades desportivas. A iniciativa conta com o apoio logístico da Câmara Municipal e da empresa Transbase.


Capital do Móvel arrasou em feira na Corunha

Mais uma vez a capital do móvel abalou o mercado da Galiza. Ocupando cerca de mil metros quadrados de exposição, o espaço Capital do Móvel foi o centro de todas as atenções nesta feira onde estavam expostos produtos de mobiliário e decoração do que melhor se faz nesta região. Para “nuestros hermanos” o nome Capital do Móvel é, cada vez mais, símbolo de qualidade, design, inovação, preço e conforto, associando cada vez mais Paços de Ferreira ao principal centro de produção de mobiliário da Península Ibérica. Tem-se vindo a notar que, tal como acontece em Portugal onde as pessoas associam Paços de Ferreira à Capital do Móvel, o mesmo está a acontecer com as pessoas da região da Galiza

que já falam em Capital do Móvel de Portugal e realçam o gosto pelo nosso produto. Os vice-presidentes Joaquim Carneiro e Rui Carneiro representaram a Direcção da AEPF na visita aos empresários da Capital do Móvel presentes na Feira dos Autónomos, que se realizou no início do mês de Dezembro, na Corunha, em Espanha. Acompanhou a visita o autarca de Paços de Ferreira, Pedro Pinto, presença habitual nestas iniciativas de internacionalização da marca Capital do Móvel. O espaço Capital do Móvel era composto por uma dúzia de empresas da região, maioritariamente de mobiliário e estofos: Móveis Ponte Nova; Estofos Mendes; AFC – Almerindo Ferreira Coelho; M & K – Mobiliário & Kompanhia; InterEnfeites - Mobiliário; Móveis São Brás;

Projecto de internacionalização para 2011 O ano de 2011 promete ser de afirmação internacional para muitas das empresas da Capital do Móvel. As dificuldades do mercado interno vão agudizar-se e a aposta no estrangeiro e nas exportações parece ser o caminho mais seguro. Neste sentido, o Departamento de Apoio às Empresas (DAE) decidiu avançar com um arrojado plano de missões empresariais, tendo pré-seleccionado nove destinos e procurando agora ouvir a reacção das empresas da região. A sua opinião será fundamental para a opção de um mercado em vez de outro. Os empresários estão convidados a pronunciarse sobre a pertinência destas missões empresariais, através da hierarquização das mesmas por ordem de prioridade, bem como se agradecem indicações de datas mais indicadas para a realização das mesmas. Poderão, ainda, indicar outros mercados sobre os quais tenham interesse.

O DAE vai procurar que as missões a efectuar coincidam com grandes feiras ou outros eventos que potenciem a viagem e o investimento realizado pelos empresários. As propostas, de acordo com estudos e análises realizados, recaem nos seguintes mercados: - Estados Unidos da América (Nova Iorque e Filadélfia) e Canáda (Toronto e Monreal); - Angola (Luanda, Lobito e Benguela); - Rússia (Moscovo e São Petersburgo); - Estados Unidos da América (Los Angeles e Las Vegas) e México (Cidade do México); - Líbia (Tripoli) e Argélia (Argel); - Arábia Saudita (Riyadh) e Egipto (Cairo). Contacte hoje mesmo o DAE e informe os técnicos da(s) sua(s) preferência(s). As missões empresariais, à semelhança do que é habitual, serão alvo de financiamento que poderá representar uma comparticipação das despesas relevantes entre 40 a 50 por cento, conforme análise caso a caso.

Multicasa; Hilarmóveis; Loureiro Lara e Stela. Para estas empresas, bem como todas as outras que se têm associado a eventos semelhantes promovidos pela AEPF, este tipo de participação tem sido uma mais-valia pois assegura um maior retorno aos seus investimentos, com as vendas para o mercado galego já ascender a mais de 50 por cento do total. Esta estratégia de promoção tem, assim, permitido a algumas empresas o acesso a um mercado considerado de proximidade, onde os seus produtos se destacam e o gosto pelos móveis da Capital do Móvel tem vindo a aumentar. Tendo por base este sucesso comercial, a AEPF prevê, para este ano de 2011, não só continuar com este tipo de acções, como alargar a área de intervenção a outras regiões de Espanha.

Iniciativas EFA

Os formandos do curso EFA – Electricista de Instalações promoveram uma palestra (foto) sobre Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida ministrado pelos Bombeiros Voluntários de Paços de Ferreira, a qual decorreu no passado dia 22 de Novembro, no auditório do Parque de Exposições Capital do Móvel. Estes mesmos formandos organizaram, no dia 24 de Novembro, uma sessão de informação sobre Criação do Próprio Emprego, tendo convidado para orador o director do Centro de Emprego de Penafiel, António de Sousa Pinto.


PERSPECTIVAS PARA 2011 DAE: Maior apoio e proximidade aos associados As previsões divulgadas em Novembro último pela OCDE, estimam uma economia portuguesa “muito fraca” em 2011 e a contrair-se em 0,2 por cento, recuperando para os 1,8 por cento em 2012 já depois de Portugal superar os efeitos recessivos trazidos pela aprovação e implementação das medidas de austeridade. Neste cenário pouco optimista para o contexto empresarial, assume especial importância a capacidade quer de detecção de novas oportunidades de negócio, quer ainda de transformação de potenciais ameaças em oportunidades estratégicas de crescimento. Por isso e atendendo ao papel atribuído à AEPF no desenvolvimento socioeconómico do tecido empresarial da região (e dos seus associados em especial), importa que, através do seu Departamento de Apoio a Empresas (DAE), reforce ainda mais as suas valências de dinamização do desenvolvimento e crescimento económico de todos os sectores de actividades representados.

Assim sendo, o DAE traçou um conjunto de linhas de acção visando a excelência no serviço prestado e o total comprometimento de toda a equipa nos principais eixos de actividade de departamento. Por outras palavras pretendese em 2011 reforçar o Apoio ao Investidor e aos Sectores do Comércio e Serviços, o Apoio à Exportação e Internacionalização, o Apoio na Consultoria de Gestão, o Apoio na Aquisição e Reforços de Competências Empresariais e de Gestão, o Apoio Jurídico-Legal e o Apoio ao Recrutamento e Contratação. Nestes seis eixos de intervenção enquadram-se serviços como a elaboração de candidaturas a sistemas de incentivos (QREN, MODCOM, POPH, etc.), a divulgação de oportunidades de negócio nacionais e internacionais, a realização de missões empresariais, a modernização do comércio, a certificação e implementação de sistemas de gestão pela qualidade, o licenciamento industrial e comercial, as acções de formação-acção

(consultoria personalizada e formação em sala sem custos para os empresários), a realização de workshops e sessões de esclarecimento, etc. Mais ainda, atendendo à actual realidade conjuntural será oportunamente apresentado e divulgado no âmbito do DAE um leque de novos serviços integrados e com elevada maisvalia para os beneficiários. Como nota final das perspectivas para este novo ano, espera-se uma maior presença do DAE na actividade dos associados (através de uma maior colaboração na prestação de serviços e de esclarecimentos), uma maior dinâmica comunicacional (aproveitando com maior intensidade as novas tecnologias como o site da AEPF e o envio de e-mailings, que além de uma actualização constante não têm impactos negativos no meio-ambiente), bem como a continuidade da aposta na excelência através de uma equipa técnica motivada, multidisciplinar e altamente competente. CA

DFE: ano de mudanças

2012: Texmaq regressa

Já para o início de 2011 esperamos ter um Parque de Exposições amplamente remodelado e, assim, criar melhores condições para os nossos expositores e visitantes, tornando as feiras mais atractivas para ambos. Aliado a este investimento, o DFE prevê o incremento de duas novas feiras, uma dedicada ao sector automóvel e outra destinada às regiões, estando também em aberto o lançamento de outras feiras, actualmente em fase de estudo. Claro está que o mercado espanhol não será descurado nesta estratégia de expansão, pelo que se prevê, não só continuar com as normais investidas na Galiza, mas alargar a área de actuação para outras regiões de Espanha. MC

A 3ª edição da TEXMAQ, feira de equipamentos e tecnologia para as indústrias têxtil e de confecção, está prevista para o primeiro trimestre de 2012, no Parque de Exposições Capital do Móvel, em Paços de Ferreira, numa organização da AEPF. Trata-se de um certame destinado exclusivamente ao sector profissional, sendo o mais importante certame ibérico desta área de actividade. O objectivo desta feira passa por aumentar a produtividade das empresas deste sector, através da introdução de novas tecnologias e da inovação, contando para isso com os principais fabricantes de equipamentos reunidos num único espaço. Trata-se “da maior feira ibérica de máquinas e equipamentos para as indústrias têxtil, de confecção, vestuário e bordados”.

DFP: Os desafios para 2011 No que diz respeito às actividades a desenvolver durante o próximo ano de 2011, perspectiva-se dar continuidade ao trabalho desenvolvido, seguindo-se a mesma lógica de rigor e melhoria constante, através das seguintes acções/ linhas de intervenção: A. Consolidar as equipas de trabalho em torno das seguintes áreas de intervenção: a. Qualificação Inicial de Jovens; b. Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida; c. Prestação de Serviços. B. Conferir uma posição de relevo no contexto regional à AEPF no que respeita às ofertas qualificantes para jovens tendo em vista a sua inserção no mercado de trabalho; C. Estimular todos os mecanismos e processos com vista à criação e gestão do conhecimento pelas equipas internas do DFP; D. Aperfeiçoar as práticas de acordo com a

Qualidade melhorando e implementando novos instrumentos de suporte à gestão de acordo com o Sistema de Garantia da Qualidade em vigor; E. Promover uma efectiva e comprometida prática de colaboração interdepartamental no sentido de alcançar vantagens sinérgicas para o projecto de intervenção da AEPF; F. Estimular a prática desportiva nas instalações da AEPF como suporte à actividade pedagógica dos cursos em funcionamento quer no eixo jovens e quer no dos adultos; G. do reforço de uma estratégia de intervenção integrada e em rede, com o objectivo de garantir uma resposta adequada às necessidades do público-alvo, através, por exemplo, do encaminhamento dos adultos para ofertas educativas e formativas alternativas (cursos relacionados com as Novas Tecnologias da Informação e Comunicação;

cursos de formação contínua; cursos de formação profissional; cursos de Educação e Formação de Adultos; etc.). A actuação da AEPF estará neste período ancorada nas possibilidades de financiamento da formação, com a amplitude e as determinantes previstas na respectiva legislação enquadradora. Em correspondência com os objectivos consignados para este período de programação comunitária, serão privilegiadas as ofertas conferentes de dupla certificação, escolar e profissional, particularmente aquelas que respeitam a adultos pouco escolarizados. A actuação será concretizada tendo por referência a oferta formativa devidamente catalogada (CNQ) e na base de uma colaboração mais intensa com os Centros Novas Oportunidades da região, particularmente do concelho de Paços de Ferreira, promovido pela Profisousa. PD

jornaldoempresario_JANEIRO_2011  

jornaldoempresario_JANEIRO_2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you