Issuu on Google+

LÍNGUA PORTUGUESA E CULTURA BRASILEIRA I E II DIPLOMATURA SUPERIOR EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM

CANÇÕES BRASILEIRAS

ISP “DR. JOAQUÍN V. GONZÁLEZ 2011


1


2


1. INTRODUÇÃO COMO VAI VOCÊ Roberto Carlos Composição : Antônio Marcos / Mario Marcos

Como vai você ? Eu preciso saber da sua vida Peça a alguém pra me contar sobre o seu dia Anoiteceu e eu preciso só saber Como vai você ? Que já modificou a minha vida Razão de minha paz já esquecida Nem sei se gosto mais de mim ou de você Vem, que a sede de te amar me faz melhor Eu quero amanhecer ao seu redor Preciso tanto me fazer feliz Vem, que o tempo pode afastar nós dois Não deixe tanta vida pra depois Eu só preciso saber Como vai você Como vai você ? Que já modificou a minha vida Razão da minha paz já esquecida Nem sei se gosto mais de mim ou de você Vem, que a sede de te amar me faz melhor Eu quero amanhecer ao seu redor Preciso tanto me fazer feliz Vem, que o tempo pode afastar nós dois Não deixe tanta vida pra depois

3


Eu só preciso saber Como vai você http://letras.terra.com.br/roberto-carlos/48571/

SINAL FECHADO Paulinho da Viola Composição : Paulinho da Viola

] Olá, como vai ? Eu vou indo e você, tudo bem ? Tudo bem eu vou indo correndo Pegar meu lugar no futuro, e você ? Tudo bem, eu vou indo em busca De um sono tranquilo, quem sabe ... Quanto tempo... pois é... Quanto tempo... Me perdoe a pressa É a alma dos nossos negócios Oh! Não tem de quê Eu também só ando a cem Quando é que você telefona ? Precisamos nos ver por aí Pra semana, prometo talvez nos vejamos Quem sabe ? Quanto tempo... pois é... (pois é... quanto tempo...) Tanta coisa que eu tinha a dizer Mas eu sumi na poeira das ruas Eu também tenho algo a dizer Mas me foge a lembrança Por favor, telefone, eu preciso Beber alguma coisa, rapidamente Pra semana O sinal ... Eu espero você Vai abrir...

4


Por favor, não esqueça, Adeus... http://letras.terra.com.br/paulinho-da-viola/48064/

2. APRESENTANDO O PAÍS PAÍS TROPICAL Jorge Ben Jor Composição : Jorge Ben Jor / Wilson Simonal

Moro num país tropical, abençoado por Deus E bonito por natureza, mas que beleza Em fevereiro (em fevereiro) Tem carnaval (tem carnaval) Tenho um fusca e um violão Sou Flamengo Tenho uma nêga Chamada Tereza Sambaby Sambaby Sou um menino de mentalidade mediana Pois é, mas assim mesmo sou feliz da vida Pois eu não devo nada a ninguém Pois é, pois eu sou feliz Muito feliz comigo mesmo Moro num país tropical, abençoado por Deus E bonito por natureza, mas que beleza Em fevereiro (em fevereiro) Tem carnaval (tem carnaval)

5


Tenho um fusca e um violão Sou Flamengo Tenho uma nêga Chamada Tereza Sambaby Sambaby Eu posso não ser um band leader Pois é, mas assim mesmo lá em casa Todos meus amigos, meus camaradinhas me respeitam Pois é, essa é a razão da simpatia Do poder, do algo mais e da alegria Sou Flamê Tê uma nê Chamá Terê Sou Flamê Tê uma nê Chamá Terê Do meu Brasil Sou Flamengo E tenho uma nêga Chamada Tereza Sou Flamengo E tenho uma nêga Chamada Tereza http://letras.terra.com.br/jorge-ben-jor/46647/

6


NOTÍCIAS DO BRASIL (Os Pássaros Trazem) Milton Nascimento Composição : Milton Nascimento/Fernando Brant

Uma notícia está chegando lá do Maranhão. Não deu no rádio, no jornal ou na televisão. Veio no vento que soprava lá no litoral de Fortaleza, de Recife e de Natal. A boa nova foi ouvida em Belém, Manaus, João Pessoa, Teresina e Aracaju e lá do norte foi descendo pro Brasil Central Chegou em Minas, já bateu bem lá no sul! Aqui vive um povo que merece mais respeito! Sabe, belo é o povo como é belo todo amor. Aqui vive um povo que é mar e que é rio, E seu destino é um dia se juntar. O canto mais belo será sempre mais sincero. Sabe, tudo quanto é belo será sempre de espantar. Aqui vive um povo que cultiva a qualidade, ser mais sábio que quem o quer governar! A novidade é que o Brasil não é só litoral! É muito mais, é muito mais que qualquer zona sul. Tem gente boa espalhada por esse Brasil, que vai fazer desse lugar um bom país! Uma notícia está chegando lá do interior. Não deu no rádio, no jornal ou na televisão. Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil, não vai fazer desse lugar um bom país! (Repete última Estrofe) http://letras.terra.com.br/milton-nascimento/867751/

7


3. O GERÚNDIO E FORMAS PROGESSIVAS CAMINHANDO Geraldo Vandré Composição : Geraldo Vandré

Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não Nas escolas, nas ruas Campos, construções Caminhando e cantando E seguindo a canção… Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer…(2x) Pelos campos há fome Em grandes plantações Pelas ruas marchando Indecisos cordões Ainda fazem da flor Seu mais forte refrão E acreditam nas flores Vencendo o canhão… Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer…(2x) Há soldados armados

8


Amados ou não Quase todos perdidos De armas na mão Nos quartéis lhes ensinam Uma antiga lição: De morrer pela pátria E viver sem razão… Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer…(2x) Nas escolas, nas ruas Campos, construções Somos todos soldados Armados ou não Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não… Os amores na mente As flores no chão A certeza na frente A história na mão Caminhando e cantando E seguindo a canção Aprendendo e ensinando Uma nova lição… Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer…(4x) http://www.youtube.com/watch?v=gVmmgvgB8Ms

9


PEDRO PEDREIRO Chico Buarque Composição : Chico Buarque

Pedro pedreiro penseiro esperando o trem Manhã parece, carece de esperar também Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém Pedro pedreiro fica assim pensando Assim pensando o tempo passa e a gente vai ficando prá trás Esperando, esperando, esperando, esperando o sol esperando o trem, esperando aumento desde o ano passado para o mês que vem Pedro pedreiro penseiro esperando o trem Manhã parece, carece de esperar também Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém Pedro pedreiro espera o carnaval E a sorte grande do bilhete pela federal todo mês Esperando, esperando, esperando, esperando o sol Esperando o trem, esperando aumento para o mês que vem Esperando a festa, esperando a sorte E a mulher de Pedro, esperando um filho prá esperar também Pedro pedreiro penseiro esperando o trem Manhã parece, carece de esperar também Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém Pedro pedreiro tá esperando a morte Ou esperando o dia de voltar pro Norte Pedro não sabe mas talvez no fundo espere alguma coisa mais linda que o mundo Maior do que o mar, mas prá que sonhar se dá o desespero de esperar demais Pedro pedreiro quer voltar atrás, quer ser pedreiro pobre e nada mais, sem ficar

10


Esperando, esperando, esperando, esperando o sol Esperando o trem, esperando aumento para o mês que vem Esperando um filho prá esperar também Esperando a festa, esperando a sorte, esperando a morte, esperando o Norte Esperando o dia de esperar ninguém, esperando enfim, nada mais além Da esperança aflita, bendita, infinita do apito de um trem Pedro pedreiro pedreiro esperando Pedro pedreiro pedreiro esperando Pedro pedreiro pedreiro esperando o trem Que já vem... Que já vem Que já vem Que já vem Que já vem Que já vem http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45160/

___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________ ___________________________________________________

11


4. IR + INFINITIVO A MONTANHA (“OBRIGADO, SENHOR”) Roberto Carlos Composição : Roberto Carlos / Erasmo Carlos

Eu vou seguir uma luz lá no alto eu vou ouvir Uma voz que me chama eu vou subir A montanha e ficar bem mais perto de Deus e rezar Eu vou gritar para o mundo me ouvir e acompanhar Toda minha escalada e ajudar A mostrar como é o meu grito de amor e de fé Eu vou pedir que as estrelas não parem de brilhar E as crianças não deixem de sorrir E que os homens jamais se esqueçam de agradecer Por isso eu digo: Obrigado Senhor por mais um dia Obrigado senhor que eu posso ver Que seria de mim sem a fé que eu tenho em Você Por mais que eu sofra, Obrigado Senhor mesmo que eu chore Obrigado Senhor por eu saber Que tudo isso me mostra o caminho que leva a Você Mais uma vez Obrigado Senhor por outro dia Obrigado Senhor que o sol nasceu Obrigado Senhor agradeço Obrigado Senhor Por isso eu digo: Obrigado Senhor pelas estrelas Obrigado Senhor pelo sorriso Obrigado Senhor agradeço Obrigado Senhor Mais uma vez Obrigado Senhor por um novo dia Obrigado Senhor pela esperança Obrigado Senhor agradeço Obrigado Senhor Por isso eu digo: Obrigado Senhor pelo sorriso Obrigado Senhor pelo perdão http://letras.terra.com.br/roberto-carlos/48543/

12


5. PRESENTE DO INDICATIVO DOS VERBOS IRREGULARES COTIDIANO Chico Buarque Composição : Chico Buarque

Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã. Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar E essas coisas que diz toda mulher. Diz que está me esperando pr'o jantar E me beija com a boca de café. Todo dia eu só penso em poder parar; Meio-dia eu só penso em dizer não, Depois penso na vida pra levar E me calo com a boca de feijão. Seis da tarde, como era de se esperar, Ela pega e me espera no portão Diz que está muito louca pra beijar E me beija com a boca de paixão. Toda noite ela diz pr'eu não me afastar; Meia-noite ela jura eterno amor E me aperta pr'eu quase sufocar E me morde com a boca de pavor. Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual

13


E me beija com a boca de hortelã. Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar E essas coisas que diz toda mulher. Diz que está me esperando pr'o jantar E me beija com a boca de café. Todo dia eu só penso em poder parar; Meio-dia eu só penso em dizer não, Depois penso na vida pra levar E me calo com a boca de feijão. Seis da tarde, como era de se esperar, Ela pega e me espera no portão Diz que está muito louca pra beijar E me beija com a boca de paixão. Toda noite ela diz pr'eu não me afastar; Meia-noite ela jura eterno amor E me aperta pr'eu quase sufocar E me morde com a boca de pavor. Todo dia ela faz tudo sempre igual: Me sacode às seis horas da manhã, Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã. http://letras.terra.com.br/chico-buarque/82001/

O QUE É QUE A BAHIANA TEM? Dorival Caymmi Composição : Dorival Caymmi

O que é que a baiana tem? Que é que a baiana tem? Tem torço de seda, tem! Tem brincos de ouro, tem!

14


Corrente de ouro, tem! Tem pano-da-Costa, tem! Tem bata rendada, tem! Pulseira de ouro, tem! Tem saia engomada, tem! Sandália enfeitada, tem! Tem graça como ninguém Como ela requebra bem! Quando você se requebrar Caia por cima de mim Caia por cima de mim Caia por cima de mim O que é que a baiana tem? Que é que a baiana tem? Tem torço de seda, tem! Tem brincos de ouro, tem! Corrente de ouro, tem! Tem pano-da-Costa, tem! Tem bata rendada, tem! Pulseira de ouro, tem! Tem saia engomada, tem! Sandália enfeitada, tem! Só vai no Bonfim quem tem O que é que a baiana tem? Só vai no Bonfim quem tem Um rosário de ouro, uma bolota assim Quem não tem balangandãs não vai no Bonfim Um rosário de ouro, uma bolota assim Quem não tem balangandãs não vai no Bonfim Oi, não vai no Bonfim Oi, não vai no Bonfim Um rosário de ouro, uma bolota assim Quem não tem balangandãs não vai no Bonfim Oi, não vai no Bonfim Oi, não vai no Bonfim http://letras.terra.com.br/dorival-caymmi/356574/

____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________

15


6. COMPARATIVOS SAMBA DA BÊNÇÃO Vinicius de Moraes Composição : Vinicius de Moraes / Baden Powell

Cantado É melhor ser alegre que ser triste Alegria é a melhor coisa que existe É assim como a luz no coração Mas pra fazer um samba com beleza É preciso um bocado de tristeza É preciso um bocado de tristeza Senão, não se faz um samba não Falado Senão é como amar uma mulher só linda E daí? Uma mulher tem que ter Qualquer coisa além de beleza Qualquer coisa de triste Qualquer coisa que chora Qualquer coisa que sente saudade Um molejo de amor machucado Uma beleza que vem da tristeza De se saber mulher Feita apenas para amar Para sofrer pelo seu amor E pra ser só perdão Cantado Fazer samba não é contar piada

16


E quem faz samba assim não é de nada O bom samba é uma forma de oração Porque o samba é a tristeza que balança E a tristeza tem sempre uma esperança A tristeza tem sempre uma esperança De um dia não ser mais triste não Falado Feito essa gente que anda por aí Brincando com a vida Cuidado, companheiro! A vida é pra valer E não se engane não, tem uma só Duas mesmo que é bom Ninguém vai me dizer que tem Sem provar muito bem provado Com certidão passada em cartório do céu E assinado embaixo: Deus E com firma reconhecida! A vida não é brincadeira, amigo A vida é arte do encontro Embora haja tanto desencontro pela vida Há sempre uma mulher à sua espera Com os olhos cheios de carinho E as mãos cheias de perdão Ponha um pouco de amor na sua vida Como no seu samba Cantado Ponha um pouco de amor numa cadência E vai ver que ninguém no mundo vence A beleza que tem um samba, não

17


Porque o samba nasceu lá na Bahia E se hoje ele é branco na poesia Se hoje ele é branco na poesia Ele é negro demais no coração Falado Eu, por exemplo, o capitão do mato Vinicius de Moraes Poeta e diplomata O branco mais preto do Brasil Na linha direta de Xangô, saravá! A bênção, Senhora A maior ialorixá da Bahia Terra de Caymmi e João Gilberto A bênção, Pixinguinha Tu que choraste na flauta Todas as minhas mágoas de amor A bênção, Sinhô, a benção, Cartola A bênção, Ismael Silva Sua bênção, Heitor dos Prazeres A bênção, Nelson Cavaquinho A bênção, Geraldo Pereira A bênção, meu bom Cyro Monteiro Você, sobrinho de Nonô A bênção, Noel, sua bênção, Ary A bênção, todos os grandes Sambistas do Brasil Branco, preto, mulato Lindo como a pele macia de Oxum A bênção, maestro Antonio Carlos Jobim Parceiro e amigo querido Que já viajaste tantas canções comigo E ainda há tantas por viajar A bênção, Carlinhos Lyra Parceiro cem por cento

18


Você que une a ação ao sentimento E ao pensamento A bênção, a bênção, Baden Powell Amigo novo, parceiro novo Que fizeste este samba comigo A bênção, amigo A bênção, maestro Moacir Santos Não és um só, és tantos como O meu Brasil de todos os santos Inclusive meu São Sebastião Saravá! A bênção, que eu vou partir Eu vou ter que dizer adeus Cantado Ponha um pouco de amor numa cadência E vai ver que ninguém no mundo vence A beleza que tem um samba, não Porque o samba nasceu lá na Bahia E se hoje ele é branco na poesia Se hoje ele é branco na poesia Ele é negro demais no coração http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/86496/

TEM MAIS SAMBA Tem Mais Samba Chico Buarque Composição : Chico Buarque Tem mais samba no encontro que na espera Tem mais samba a maldade que a ferida Tem mais samba no porto que na vela Tem mais samba o perdão que a despedida Tem mais samba nas mãos do que nos olhos

19


Tem mais samba no chão do que na lua Tem mais samba no homem que trabalha Tem mais samba no som que vem da rua Tem mais samba no peito de quem chora Tem mais samba no pranto de quem vê Que o bom samba não tem lugar nem hora O coração de fora Samba sem querer Vem que passa Teu sofrer Se todo mundo sambasse Seria tão fácil viver http://letras.terra.com.br/chico-buarque/86063/

7. PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO A RITA Chico Buarque Composição : Chico Buarque

A Rita levou meu sorriso No sorriso dela Meu assunto Levou junto com ela O que me é de direito E Arrancou-me do peito E tem mais Levou seu retrato, seu trapo, seu prato Que papel! Uma imagem de são Francisco E um bom disco de Noel A Rita matou nosso amor

20


De vingança Nem herança deixou Não levou um tostão Porque não tinha não Mas causou perdas e danos Levou os meus planos Meus pobres enganos Os meus vinte anos O meu coração E além de tudo Me deixou mudo Um violão http://letras.terra.com.br/chico-buarque/85827/

VALSINHA Chico Buarque Composição: Chico Buarque / Vinícius de Morais

Um dia, ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar Olhou-a de um jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar E nem deixou-a só num canto, pra seu grande espanto, convidou-a pra rodar E então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar E cheios de ternura e graça, foram para a praça e começaram a se abraçar E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou E foi tanta felicidade que toda cidade se iluminou E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos como não se ouvia mais

21


Que o mundo compreendeu E o dia amanheceu Em paz http://letras.terra.com/chico-buarque/45186/

8. PRETÉRITO PERFEITO VS. IMPERFEITO DO INDICATIVO A BANDA Chico Buarque Composição : Chico Buarque

Estava à toa na vida O meu amor me chamou Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor A minha gente sofrida Despediu-se da dor Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor O homem sério que contava dinheiro parou O faroleiro que contava vantagem parou A namorada que contava as estrelas parou Para ver, ouvir e dar passagem A moça triste que vivia calada sorriu A rosa triste que vivia fechada se abriu E a meninada toda se assanhou Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor Estava à toa na vida

22


O meu amor me chamou Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor A minha gente sofrida Despediu-se da dor Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou Que ainda era moço pra sair no terraço e dançou A moça feia debruçou na janela Pensando que a banda tocava pra ela A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu A lua cheia que vivia escondida surgiu Minha cidade toda se enfeitou Pra ver a banda passar cantando coisas de amor Mas para meu desencanto O que era doce acabou Tudo tomou seu lugar Depois que a banda passou E cada qual no seu canto Em cada canto uma dor Depois da banda passar Cantando coisas de amor Depois da banda passar Cantando coisas de amor... http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45099/

23


EU SONHEI QUE TU ESTAVAS TÃO LINDA Lamartine Babo Composição : Francisco Mattoso e Lamartine Babo Eu sonhei que tu estavas tão linda Numa festa de raro esplendor Teu vestido de baile lembro ainda Era branco, todo branco, meu amor A orquestra tocou uma valsa dolente Tomei-te aos braços Fomos dançando Ambos silentes E os pares que rodeavam entre nós Diziam coisas Trocavam juras A meia voz Violinos enchiam o ar de emoções De mil desejos uma centena de corações Pra despertar teu ciúme Tentei flertar alguém Mas tu não flertaste ninguém Olhavas só para mim Vitória de amor cantei Mas foi tudo um sonho... acordei! http://www.youtube.com/watch?v=QQgi3dVyQLk

9. FUTURO DO INDICATIVO O QUE SERÁ Chico Buarque Composição : Chico Buarque

O que será, que será? Que andam suspirando pelas alcovas

24


Que andam sussurrando em versos e trovas Que andam combinando no breu das tocas Que anda nas cabeças anda nas bocas Que andam acendendo velas nos becos Que estão falando alto pelos botecos E gritam nos mercados que com certeza Está na natureza Será, que será? O que não tem certeza nem nunca terá O que não tem conserto nem nunca terá O que não tem tamanho... O que será, que será? Que vive nas idéias desses amantes Que cantam os poetas mais delirantes Que juram os profetas embriagados Que está na romaria dos mutilados Que está na fantasia dos infelizes Que está no dia a dia das meretrizes No plano dos bandidos dos desvalidos Em todos os sentidos... Será, que será? O que não tem decência nem nunca terá O que não tem censura nem nunca terá O que não faz sentido... O que será, que será? Que todos os avisos não vão evitar Por que todos os risos vão desafiar Por que todos os sinos irão repicar Por que todos os hinos irão consagrar E todos os meninos vão desembestar E todos os destinos irão se encontrar E mesmo o Padre Eterno que nunca foi lá Olhando aquele inferno vai abençoar

25


O que não tem governo nem nunca terá O que não tem vergonha nem nunca terá O que não tem juízo...(2x) Lá lá lá lá lá…….. http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45156/

10. PRESENTE DO SUBJUNTIVO COM ORAÇÕES SUBSTANTIVAS VOCÊ NÃO ENTENDE NADA Caetano Veloso Composição : Caetano Veloso

Quando eu chego em casa nada me consola Você está sempre aflita Lágrimas nos olhos, de cortar cebola Você é tão bonita Você traz a coca-cola eu tomo Você bota a mesa, eu como, eu como Eu como, eu como, eu como Você não está entendendo Quase nada do que eu digo Eu quero ir-me embora Eu quero é dar o fora E quero que você venha comigo E quero que você venha comigo Eu me sento, eu fumo, eu como, eu não aguento Você está tão curtida Eu quero tocar fogo neste apartamento Você não acredita Traz meu café com suita eu tomo Bota a sobremesa eu como, eu como

26


Eu como, eu como, eu como Você tem que saber que eu quero correr mundo Correr perigo Eu quero é ir-me embora Eu quero dar o fora E quero que você venha comigo E quero que você venha comigo E quero que você venha comigo E quero que você venha comigo E quero que você venha comigo http://letras.terra.com.br/caetano-veloso/44792/

11. PRESENTE DO SUBJUNTIVO COM ORAÇÕES ADJETIVAS EMÍLIA Wilson Batista Composição : Wilson Batista - Haroldo Lobo

Quero uma mulher que saiba lavar e cozinhar Que de manhã cedo me acorde na hora de trabalhar Só existe uma E sem ela eu não vivo em paz Emília, Emília, Emília Não posso mais Eu quero uma mulher que saiba lavar e cozinhar... Ninguém sabe igual a ela preparar o meu café Não desdazendo das outras, Emília é mulher Papai do Céu é quem sabe a falta que ela me fez Emília, Emília, Emília Não posso mais http://letras.terra.com.br/wilson-batista/265221/

27


12. PRETÉRITO DO SUBJUNTIVO CONSTRUÇÃO Chico Buarque Composição: Chico Buarque

Amou daquela vez como se fosse a última Beijou sua mulher como se fosse a última E cada filho seu como se fosse o único E atravessou a rua com seu passo tímido Subiu a construção como se fosse máquina Ergueu no patamar quatro paredes sólidas Tijolo com tijolo num desenho mágico Seus olhos embotados de cimento e lágrima Sentou pra descansar como se fosse sábado Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago Dançou e gargalhou como se ouvisse música E tropeçou no céu como se fosse um bêbado E flutuou no ar como se fosse um pássaro E se acabou no chão feito um pacote flácido Agonizou no meio do passeio público Morreu na contramão atrapalhando o tráfego Amou daquela vez como se fosse o último Beijou sua mulher como se fosse a única E cada filho seu como se fosse o pródigo E atravessou a rua com seu passo bêbado Subiu a construção como se fosse sólido Ergueu no patamar quatro paredes mágicas Tijolo com tijolo num desenho lógico Seus olhos embotados de cimento e tráfego Sentou pra descansar como se fosse um príncipe Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo Bebeu e soluçou como se fosse máquina

28


Dançou e gargalhou como se fosse o próximo E tropeçou no céu como se ouvisse música E flutuou no ar como se fosse sábado E se acabou no chão feito um pacote tímido Agonizou no meio do passeio náufrago Morreu na contramão atrapalhando o público Amou daquela vez como se fosse máquina Beijou sua mulher como se fosse lógico Ergueu no patamar quatro paredes flácidas Sentou pra descansar como se fosse um pássaro E flutuou no ar como se fosse um príncipe E se acabou no chão feito um pacote bêbado Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado Por esse pão pra comer, por esse chão prá dormir A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir Por me deixar respirar, por me deixar existir, Deus lhe pague Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir Pela fumaça e a desgraça, que a gente tem que tossir Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair, Deus lhe pague Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir, Deus lhe pague http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45124/

____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________

29


13. SEQUÊNCIA DOS TEMPOS COM SE SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ Vinicius de Moraes Composição : Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Vai tua vida, Teu caminho é de paz e amor Vai tua vida é uma linda canção de amor Abre os teus braços E canta a última esperança A esperança divina de amar em paz Se todos fossem iguais a você Que maravilha viver Uma canção pelo ar, Uma mulher a cantar Uma cidade a cantar, A sorrir, a cantar, a pedir A beleza de amar Como o sol, Como a flor, Como a luz Amar sem mentir, Nem sofrer Existiria verdade, Verdade que ninguém vê Se todos fossem no mundo iguais a você http://letras.terra.com.br/vinicius-de-moraes/49284/

30


SE EU FOSSE TEU PATRÃO Chico Buarque

Eu te adivinhava E te cobiçava E, te arrematava em leilão Te ferrava a boca, morena Se eu fosse o teu patrão Aí, eu tratava Como uma escrava Aí, eu não te dava perdão Te rasgava a roupa, morena Se eu fosse o teu patrão Eu te encarcerava Te acorrentava Te atava ao pé do fogão Não te dava sopa, morena Se eu fosse o teu patrão Eu encurralava Te dominava Te violava no chão Te deixava rota, morena Se eu fosse o teu patrão Quando tu quebrava E tu desmontava E tu não prestava mais não Eu comprava outra, morena Se eu fosse o teu patrão Pois eu te pagava direito Soldo de cidadão Punha uma medalha em teu peito Se eu fosse o teu patrão O tempo passava sereno E sem reclamação Tu nem reparava, moreno Na tua maldição E tu só pegava veneno

31


Beijando a minha mão Ódio te abrandava, moreno Ódio do teu irmão Teu filho pegava gangrena Raiva, peste e sezão Cólera na tua morena E tu não chiava não Eu te dava café pequeno E manteiga no pão Depois te afagava, moreno Como se afaga um cão Eu sempre te dava esperança D'um futuro bão Tu me idolatrava, criança Seu eu fosse o teu patrão Mas se tu cuspisse no prato Onde comeu feijão Eu fechava o teu sindicato Se eu fosse o teu patrão http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45171/

14. FUTURO DO SUBJUNTIVO DETALHES Roberto Carlos Composição : Erasmo Carlos / Roberto Carlos

Não adianta nem tentar Me esquecer Durante muito tempo Em sua vida Eu vou viver...

32


Detalhes tão pequenos De nós dois São coisas muito grandes Prá esquecer E a toda hora vão Estar presentes Você vai ver... Se um outro cabeludo Aparecer na sua rua E isto lhe trouxer Saudades minhas A culpa é sua... O ronco barulhento Do seu carro A velha calça desbotada Ou coisa assim Imediatamente você vai Lembrar de mim... Eu sei que um outro Deve estar falando Ao seu ouvido Palavras de amor Como eu falei Mas eu duvido! Duvido que ele tenha Tanto amor E até os erros Do meu português ruim E nessa hora você vai Lembrar de mim... A noite envolvida No silêncio do seu quarto

33


Antes de dormir você procura O meu retrato Mas da moldura não sou eu Quem lhe sorri Mas você vê o meu sorriso Mesmo assim E tudo isso vai fazer você Lembrar de mim... Se alguém tocar Seu corpo como eu Não diga nada Não vá dizer Meu nome sem querer À pessoa errada... Pensando ter amor Nesse momento Desesperada você Tenta até o fim E até nesse momento você vai Lembrar de mim... Eu sei que esses detalhes Vão sumir na longa estrada Do tempo que transforma Todo amor em quase nada Mas "quase" Também é mais um detalhe Um grande amor Não vai morrer assim Por isso De vez em quando você vai Vai lembrar de mim... Não adianta nem tentar

34


Me esquecer Durante muito Muito tempo em sua vida Eu vou viver Não, não adianta nem tentar Me esquecer...

*** BIBLIOGRAFIA CONSULTADA Albuquerque, Severino João. “Um repertório básico de canções brasileiras no ensino do português para estrangeiros”. Hispania 68 (1985): p. 428-9.

APÊNDICE MARIA, MARIA Milton Nascimento Composição : Milton Nascimento e Fernando Brant

Maria, Maria É um dom, uma certa magia Uma força que nos alerta Uma mulher que merece Viver e amar Como outra qualquer Do planeta

35


Maria, Maria É o som, é a cor, é o suor É a dose mais forte e lenta De uma gente que rí Quando deve chorar E não vive, apenas aguenta Mas é preciso ter força É preciso ter raça É preciso ter gana sempre Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria Mas é preciso ter manha É preciso ter graça É preciso ter sonho sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida.... Mas é preciso ter força É preciso ter raça É preciso ter gana sempre Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria... Mas é preciso ter manha É preciso ter graça É preciso ter sonho sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida....

36


Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê Lá Lá Lá Lerererê Lerererê Hei! Hei! Hei! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!... Mas é preciso ter força É preciso ter raça É preciso ter gana sempre Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria... Mas é preciso ter manha É preciso ter graça É preciso ter sonho, sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê Lá Lá Lá Lerererê Lerererê Hei! Hei! Hei! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê! Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!... http://letras.terra.com.br/milton-nascimento/47431/

37


EU NÃO TENHO ONDE MORAR Dorival Caymmi Composição: Dorival Caymmi

Eu Não Tenho Onde Morar Dorival Caymmi Composição : Dorival Caymmi Eu não tenho onde morar É por isso que eu moro na areia (4x) Eu nasci pequenininho Como todo mundo nasceu Todo mundo mora direito Quem mora torto sou eu Eu não tenho onde morar É por isso que eu moro na areia (4x) Vivo na beira da praia Com a sorte que Deus me deu Maria mora com as outras Quem paga o quarto sou eu Eu não tenho onde morar É por isso que eu moro na areia (4x) http://www.youtube.com/watch?v=4mXUN2FDlQE

FEIJOADA COMPLETA Chico Buarque

Mulher, você vai gostar: Tô levando uns amigos pra conversar. Eles vão com uma fome Que nem me contem; Eles vão com uma sede de anteontem. Salta a cerveja estupidamente Gelada pr'um batalhão E vamos botar água no feijão.

38


Mulher, não vá se afobar; Não tem que pôr a mesa, nem dá lugar. Ponha os pratos no chão e o chão tá posto E prepare as lingüiças pro tiragosto. Uca, açúcar, cumbuca de gelo, limão E vamos botar água no feijão. Mulher, você vai fritar Um montão de torresmo pra acompanhar: Arroz branco, farofa e a malagueta; A laranja-bahia ou da seleta. Joga o paio, carne seca, Toucinho no caldeirão E vamos botar água no feijão. Mulher, depois de salgar Faça um bom refogado, Que é pra engrossar. Aproveite a gordura da frigideira Pra melhor temperar a couve mineira. Diz que tá dura, pendura A fatura no nosso irmão E vamos botar água no feijão. http://letras.terra.com.br/chico-buarque/85966/

COMO NOSSOS PAIS Elis Regina Composição : Belchior

Não quero lhe falar, Meu grande amor, Das coisas que aprendi Nos discos... Quero lhe contar como eu vivi

39


E tudo o que aconteceu comigo Viver é melhor que sonhar Eu sei que o amor É uma coisa boa Mas também sei Que qualquer canto É menor do que a vida De qualquer pessoa... Por isso cuidado meu bem Há perigo na esquina Eles venceram e o sinal Está fechado prá nós Que somos jovens... Para abraçar seu irmão E beijar sua menina na rua É que se fez o seu braço, O seu lábio e a sua voz... Você me pergunta Pela minha paixão Digo que estou encantada Como uma nova invenção Eu vou ficar nesta cidade Não vou voltar pro sertão Pois vejo vir vindo no vento Cheiro de nova estação Eu sei de tudo na ferida viva Do meu coração... Já faz tempo Eu vi você na rua Cabelo ao vento Gente jovem reunida Na parede da memória

40


Essa lembrança É o quadro que dói mais... Minha dor é perceber Que apesar de termos Feito tudo o que fizemos Ainda somos os mesmos E vivemos Ainda somos os mesmos E vivemos Como os nossos pais... Nossos ídolos Ainda são os mesmos E as aparências Não enganam não Você diz que depois deles Não apareceu mais ninguém Você pode até dizer Que eu tô por fora Ou então Que eu tô inventando... Mas é você Que ama o passado E que não vê É você Que ama o passado E que não vê Que o novo sempre vem... Hoje eu sei Que quem me deu a idéia De uma nova consciência E juventude Tá em casa

41


Guardado por Deus Contando vil metal... Minha dor é perceber Que apesar de termos Feito tudo, tudo, Tudo o que fizemos Nós ainda somos Os mesmos e vivemos Ainda somos Os mesmos e vivemos Ainda somos Os mesmos e vivemos Como os nossos pais... http://letras.terra.com.br/elis-regina/45670/

CHEGA DE SAUDADE João Gilberto – Tom Jobim Composição : Vinícius de Moraes

Vai minha tristeza E diz à ela que sem ela não pode ser Diz lhe numa prece que ela regresse Porque eu não posso mais sofrer Chega de saudade A realidade é que sem ela não há paz, não há beleza É só tristeza e melancolia Que não sai de mim, não sai de mim, não sai Mas se ela voltar Se ela voltar que coisa linda Que coisa louca Pois há menos peixinhos a nadar no mar Do que os beijinhos que eu darei na sua boca Dentro dos meus braços, os abraços Hão de ser milhões de abraços apertados assim,

42


Com algo assim, calado assim Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim Que é pra acaba com esse negocio de você viver sem mim Não quero mais esse negocio de você longe de mim Vamos deixar com esse negocio de você viver sem mim http://letras.terra.com.br/elis-regina/883469/

CÁLICE Chico Buarque Composição : Chico Buarque e Gilberto Gil

Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice De vinho tinto de sangue...(2x) Como beber Dessa bebida amarga Tragar a dor Engolir a labuta Mesmo calada a boca Resta o peito Silêncio na cidade Não se escuta De que me vale Ser filho da santa Melhor seria Ser filho da outra Outra realidade Menos morta Tanta mentira Tanta força bruta... Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice

43


De vinho tinto de sangue... Como é difícil Acordar calado Se na calada da noite Eu me dano Quero lançar Um grito desumano Que é uma maneira De ser escutado Esse silêncio todo Me atordoa Atordoado Eu permaneço atento Na arquibancada Prá a qualquer momento Ver emergir O monstro da lagoa... Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice De vinho tinto de sangue... De muito gorda A porca já não anda (Cálice!) De muito usada A faca já não corta Como é difícil Pai, abrir a porta (Cálice!) Essa palavra Presa na garganta Esse pileque Homérico no mundo De que adianta

44


Ter boa vontade Mesmo calado o peito Resta a cuca Dos bêbados Do centro da cidade... Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice Pai! Afasta de mim esse cálice De vinho tinto de sangue... Talvez o mundo Não seja pequeno (Cale-se!) Nem seja a vida Um fato consumado (Cale-se!) Quero inventar O meu próprio pecado (Cale-se!) Quero morrer Do meu próprio veneno (Pai! Cale-se!) Quero perder de vez Tua cabeça (Cale-se!) Minha cabeça Perder teu juízo (Cale-se!) Quero cheirar fumaça De óleo diesel (Cale-se!) Me embriagar Até que alguém me esqueça (Cale-se!) http://letras.terra.com.br/chico-buarque/45121/

45


O TEMPO NÃO PARA Cazuza Composição : Cazuza / Arnaldo Brandão

Disparo contra o sol Sou forte, sou por acaso Minha metralhadora cheia de mágoas Eu sou um cara Cansado de correr Na direção contrária Sem pódio de chegada ou beijo de namorada Eu sou mais um cara Mas se você achar Que eu tô derrotado Saiba que ainda estão rolando os dados Porque o tempo, o tempo não pára Dias sim, dias não Eu vou sobrevivendo sem um arranhão Da caridade de quem me detesta A tua piscina tá cheia de ratos Tuas idéias não correspondem aos fatos O tempo não pára Eu vejo o futuro repetir o passado Eu vejo um museu de grandes novidades O tempo não pára Não pára, não, não pára Eu não tenho data pra comemorar Às vezes os meus dias são de par em par Procurando uma agulha num palheiro

46


Nas noites de frio é melhor nem nascer Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer E assim nos tornamos brasileiros Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro Transformam o país inteiro num puteiro Pois assim se ganha mais dinheiro A tua piscina tá cheia de ratos Tuas idéias não correspondem aos fatos O tempo não pára Eu vejo o futuro repetir o passado Eu vejo um museu de grandes novidades O tempo não pára Não pára, não, não pára Dias sim, dias não Eu vou sobrevivendo sem um arranhão Da caridade de quem me detesta A tua piscina tá cheia de ratos Tuas idéias não correspondem aos fatos O tempo não pára Eu vejo o futuro repetir o passado Eu vejo um museu de grandes novidades O tempo não pára Não pára, não, não pára http://letras.terra.com.br/cazuza/45005/

________________________________________ ________________________________________ ________________________________________

47


INFINITO PARTICULAR Marisa Monte Composição : Arnaldo Antunes, Marisa Monte, Carlinhos Brown

Eis o melhor e o pior de mim O meu termômetro, o meu quilate Vem, cara, me retrate Não é impossível Eu não sou difícil de ler Faça sua parte Eu sou daqui, eu não sou de Marte Vem, cara, me repara Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim Só não se perca ao entrar No meu infinito particular Em alguns instantes Sou pequenina e também gigante Vem, cara, se declara O mundo é portátil Pra quem não tem nada a esconder Olha minha cara É só mistério, não tem segredo Vem cá, não tenha medo A água é potável Daqui você pode beber Só não se perca ao entrar No meu infinito particular http://letras.terra.com.br/marisa-monte/515189/

CONSOLAÇÃO Paula Morelenbaum Composição : Vinicius de Moraes e Baden Powell

Se não tivesse o amor Se não tivesse essa dor

48


E se não tivesse o sofrer E se não tivesse o chorar Melhor era tudo se acabar Melhor era tudo se acabar Eu amei, amei demais O que eu sofri por causa do amor Ninguém sofreu Eu chorei, perdi a paz Mas o que eu sei É que ninguém nunca teve mais Mais do que eu http://letras.terra.com.br/paula-morelenbaum/885430/

FICO ASSIM SEM VOCÊ Adriana Calcanhotto Composição : Abdullah / Cacá Moraes

Avião sem asa, fogueira sem brasa Sou eu assim sem você Futebol sem bola, Piu-Piu sem Frajola Sou eu assim sem você Por que é que tem que ser assim Se o meu desejo não tem fim Eu te quero a todo instante Nem mil alto-falantes vão poder falar por mim Amor sem beijinho Buchecha sem Claudinho Sou eu assim sem você Circo sem palhaço Namoro sem amasso

49


Sou eu assim sem você Tô louca pra te ver chegar Tô louca pra te ter nas mãos Deitar no teu abraço Retomar o pedaço Que falta no meu coração Eu não existo longe de você E a solidão é o meu pior castigo Eu conto as horas Pra poder te ver Mas o relógio tá de mal comigo Por quê? Por quê? Neném sem chupeta Romeu sem Julieta Sou eu assim sem você Carro sem estrada Queijo sem goiabada Sou eu assim sem você Por que é que tem que ser assim Se o meu desejo não tem fim Eu te quero a todo instante Nem mil alto-falantes vão poder falar por mim Eu não existo longe de você E a solidão é o meu pior castigo Eu conto as horas pra poder te ver Mas o relógio tá de mal comigo http://letras.terra.com.br/adriana-calcanhotto/84687/

50


PAIS E FILHOS Legião Urbana Composição : Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

Estátuas e cofres e paredes pintadas Ninguém sabe o que aconteceu. Ela se jogou da janela do quinto andar Nada é fácil de entender. Dorme agora, é só o vento lLá fora. Quero colo! Vou fugir de casa! Posso dormir aqui com vocês? Estou com medo, tive um pesadelo Só vou voltar depois das três. Meu filho vai ter nome de santo Quero o nome mais bonito. É preciso amar as pessoas Como se não houvesse amanhã Por que se você parar pra pensar Na verdade não há. Me diz, por que que o céu é azul? Explica a grande fúria do mundo São meus filhos Que tomam conta de mim. Eu moro com a minha mãe Mas meu pai vem me visitar Eu moro na rua, não tenho ninguém Eu moro em qualquer lugar. Já morei em tanta casa Que nem me lembro mais

51


Eu moro com os meus pais. É preciso amar as pessoas Como se não houvesse amanhã Por que se você parar pra pensar Na verdade não há. Sou uma gota d'água, sou um grão de areia Você me diz que seus pais não te entendem, Mas você não entende seus pais. Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo São crianças como você O que você vai ser Quando você crescer? http://letras.terra.com.br/legiao-urbana/22488/

GARGANTA Ana Carolina Composição : Totonho Villeroy Minha garganta estranha Quando não te vejo Me vem um desejo Doido de gritar Minha garganta arranha A tinta e os azulejos Do teu quarto, da cozinha Da sala de estar (2x) Venho madrugada Perturbar teu sono Como um cão sem dono

52


Me ponho a ladrar Atravesso o travesseiro Te reviro pelo avesso Tua cabeça enlouqueço Faço ela rodar (2x) Sei que não sou santa Às vezes vou na cara dura Às vezes ajo com candura Pra te conquistar Mas não sou beata Me criei na rua E não mudo minha postura Só pra te agradar (2x) Vim parar nessa cidade Por força da circunstância Sou assim desde criança Me criei meio sem lar Aprendi a me virar sozinha E se eu tô te dando linha É pra depois te... Han! Aprendi a me virar sozinha E se eu tô te dando linha É pra depois te abandonar...(4x) Minha garganta estranha... (Diz aí!) Aprendi a me virar sozinha E se eu tô te dando linha É pra depois te abandonar

53


Eh! Eh! Aprendi a me virar sozinha E se eu tô te dando linha É pra depois te abandonar... http://letras.terra.com.br/ana-carolina/44123/

***

54


Canções Brasileiras