Page 1

O PATINHO QUE Nテグ COMIA LEGUMES

Era uma vez uma famテュlia de patinhos

que morava numa bonita casinha na floresta.


Por trรกs da casa, o senhor Pato fez uma pequena horta. Lรก, ele plantou cenouras, nabos, repolhos e muitos outros legumes. Todos os dias, logo de manhรฃ, mal o sol nascia, lรก ia o Sr. Pato para a horta. Cantava, semeava e falava com os seus legumes.


À hora do almoço, o Sr. Pato enchia a sua cesta de palha de legumes bem fresquinhos e levava-os para casa.

A Sra. Pata, que cozinhava muito bem, fazia sempre uns pratos muito apetitosos com os seus legumes. Vejam lá que até fazia bolo de

cenoura para a sobremesa!


A Sra. Pata e o Sr. Pato tinham um filho chamado Artur. O Artur inventava uma desculpa sempre que a mãe cozinhava legumes. Mãe, hoje não posso comer! Tenho muitos deveres para fazer! Mãe, hoje não posso comer! Estou doente, vou para a cama!


Ora, num belo dia de Ver達o, o Sr. Pato ficou muito

doente e teve que ir para a cama. Como estava muito calor, os legumes

da horta foram ficando cada vez com mais sede.


A Sra. Pata quando viu os seus belos legumes a morrerem, mandou o Artur regá-los.

Muito contrariado lá foi ele. Pegou no regador, foi buscar água bem fresquinha ao poço

e começou a regá-los. Mas como não gostava de

legumes, ao mesmo tempo que regava, dava-lhes pontapés!


De repente, o Artur parou de regar, porque parecia ouvir uns gemidos: - Ai, ai, ai…

Não, não é nada! Eu estou a ouvir de mais!


E lĂĄ continuou nos seus afazeres. Mas

tornou a parar e dessa vez com os ouvidos mais alerta. Parecia que os gemidos vinham de dentro dos legumes. Baixou-se junto de uma cenoura, de uma

alface e de um nabo e os gemidos foram mais fortes. EntĂŁo, ele desatou a correr para casa e foi buscar uma lupa.

Mas que estranho!


Aproximou a lupa junto de uma cenoura

e viu uns homenzinhos muito, muito pequeninos lá dentro.

Nós somos os duendes dos legumes!

Quem são vocês?


E eu chamo-me Caroteno e também ajudo a não terem problemas nos olhos (a não ficarem vermelhos e a arder ou mesmo a verem bem quando vão na rua à noite.

Ei, não se esqueçam de mim! Eu sou o Cálcio! Quando os meninos me comem, ficam com bons dentes e ossos!


O Artur levantou-se, apanhou cenouras e alface, correu para casa e pediu à mãe para fazer um bolo de cenoura e uma salada de alface para comer com o assado!

A partir daí, sempre que a mãe cozinhava legumes, o Artur pensava nos duendes e era o primeiro a chegar à mesa!


FIM

Duendes dos legumes  

A importância dos legumes