Issuu on Google+

r e v i s t a

Ano XIII - Nº 160 - Abril de 2014 - Revista Mensal do Sócio Evangelizador

clube.cancaonova.com

ISSN 1806-1494

Deus vê além. palavra Enxerga-se melhor a partir do coração A Bíbliado foi fundador: escrita para você:

SANTIDADE DOS PAPAS João Paulo II e João XXIII


Carta ao leitor A PÁSCOA DE JOÃO XXIII E JOÃO PAULO II

FUNDADOR DA COMUNIDADE CANÇÃO NOVA: MONSENHOR JONAS ABIB PRESIDENTE DA FJPII: WELLINGTON SILVA JARDIM DIRETOR EXECUTIVO DA FJPII: FILIPE JARDIM JORNALISTA RESPONSÁVEL: OSVALDO LUIZ/MTB 23094 COORDENAÇÃO: THAÍS BRANT DA SILVA RAMOS ASSISTENTE DE COORDENAÇÃO: JOEL PRADO PRODUÇÃO E ASSESSORIA: NATHÁLIA THOMÉ, MARIANA NEPOMUCENO, MAURICÉIA SILVA E LUCIANA OLIVEIRA. REVISÃO ORTOGRÁFICA: DYRCE ARAÚJO DIREÇÃO DE ARTE: SETOR DESIGN PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: MARIANA BUENO DESIGNERS: MARIANA BUENO,MARIA ALICE CAMPOS, BIANCA MONTENEGRO E LEONARDO AUGUSTO CAPA: MARIA ALICE FIGUEIRA FOTO: ARQUIVO CANÇÃO NOVA

FALE CONOSCO: Cachoeira Paulista- SP - Brasil Caixa Postal 57 CEP 12630-900 Tel: 55 (12) 3186 2600 www.cancaonova.com revista@cancaonova.com clube.cancaonova.com

I MPRESSÃO : ESDEVA INDÚSTRIA GRÁFICA S.A.

Nossas Contas

Expediente

A edição que apresentamos traz o relato da vida de Angelo Giuseppe Roncalli e Karol Józef WojtyLa. Histórias que retratam a força do Cristo ressuscitado e a Misericórdia Divina, infinita! Há uma frase popular: “não há santo para sua secretária”… Pois nossa correspondente em Roma, Danusa Rego, entrevistou os secretários particulares de João Paulo II e João XXIII, testemunhas vivas de que é possível, ainda hoje, ser santo, mesmo na simplicidade de um sorriso e de um olhar. Duas propostas especiais para você. De Luzia Santiago: “Vivendo com esmero a liturgia da Quaresma até a Páscoa, experimentamos a alegria do encontro com Cristo ressuscitado, e assim acontece: a passagem da vida velha à nova, da sexta- feira da paixão à ressurreição”. E de Monsenhor Jonas Abib: “O céu convida cada um de nós a entrar no coração aberto de Jesus, que rasgou o véu. O coração de Jesus está aberto, pois o Pai, o Deus Eterno, Único e Verdadeiro enviou Seu Filho a este mundo para Ele ser a religação entre o Céu e a Terra”.

Destaque também para a primeira parte do artigo de Dom Benedito Beni dos Santos, “Homem e mulher: seres recíprocos”; ao professor Felipe Aquino escrevendo que “a meia verdade é pior do que uma mentira, pois a metade da verdade é quase sempre uma grande mentira”; à reflexão da Palavra de Deus com padre Fabrício: “Enxerga-se melhor a partir do coração”; ao Ação Jovem com a abordagem de que “a juventude tem sede da verdade”; e ao + Vida com Gisela Savioli com o artigo “Alimente bem suas emoções”. Você, querido sócio, é muito importante na Canção Nova. Expressa, manifesta concretamente a Divina Providência nesta obra de evangelização. Como diz Wellington Silva Jardim, no “Amor Generoso e puro”, “você contribui para que o milagre aconteça”. Obrigado por tudo e que o Cristo ressuscitado abençoe muito sua família. Feliz Páscoa! OSVALDO LUIZ Jornalista Responsável www.twitter.com/osvaldoluiz_

“FAÇA A SUA DOAÇÃO E AJUDE A CANÇÃO NOVA”

BANCO DO BRASIL

CAIXA

BANESE

HSBC

BRADESCO

ITAÚ

AG.: 3358-8 C/C.: 3689-7

AG.: 028 C/C.: 101368-6 TIPO: 03 AG.: 3373-1 C/C.: 215-1 Palavra do Fundador: Seja fiel ao

que Deus lhe pede BRB BANCO DE BRASÍLIA

C/C.: 204007584-9

AG.: 2003 C/C.: 339-1 TIPO: 003 AG.: 1378 C/C.: 0676370 AG.: 0247 C/C.: 31453-7 SANTANDER

AG.: 0164 C/C.: 13-000147-3

“Para realizar um depósito identificado utilize esta conta: BANCO DO BRASIL AG 3358-8 C/C 2000-1 Informe seu código de sócio com dígito”


DD OOA A ÇÇ ÃÃ OOE E MMOO UU RR OO

Enviesua suadoação doaçãocom com o seu testemunho para nossas frentes Envie o seu testemunho para nossas frentes de de missãoou ouvia viaSEDEX SEDEXpara paraoo endereço: endereço: Comunidade Comunidade Canção Canção Nova missão CXPostal Postal57 57- -CEP:12630-900 CEP:12630-900- -Cachoeira CachoeiraPaulista-SP. Paulista-SP. CX DD OOA A ÇÇ ÃÃ OOCC OO NN T TA A BBAANNCCÁÁRRI AI A

CaixaEconômica EconômicaFederal FederalAg. Ag.2003 2003– -Tipo Tipo 03 03 -–C/C C/C1068-1 03-1068-1 Caixa emnome nomedadaFundação FundaçãoJoão JoãoPaulo PauloIIII em


Foto: Arquivo Canção Nova

Palavra do fundador

Entre no coração aberto de O nosso Senhor Jesus Cristo revelou a Santa Faustina a mensagem da Sua misericórdia e do Seu amor redentor. No começo do século XX, Jesus pede a ela que haja a festa da Sua Misericórdia celebrada no primeiro domingo depois da Páscoa. O céu convida cada um de nós a entrar no coração aberto de Jesus, que rasgou o véu. O coração de Jesus está aberto, pois o Pai, o Deus Eterno, Único e Verdadeiro enviou Seu Filho a este mundo para Ele ser a religação entre o Céu e a Terra. Dessa forma, Seu Filho veio para nos perdoar e tirar a ruptura que havia entre Deus e os homens, e abrir de novo o caminho para a eternidade, para o céu. Jesus veio para perdoar todo o pecado. Jesus é a encarnação da Divina Misericórdia, que podemos tocar constantemente. Ele é a própria misericórdia do Pai. E este é o tempo da Sua Misericórdia, e Jesus quer que mergulhemos nela, para que assim Ele possa nos curar. Vivemos o tempo da graça, do perdão, por isso, precisamos aproveitar esse tempo antes que chegue o tempo da justiça. O tempo que o Senhor abre as comportas da Sua Misericórdia para conosco é agora.

Jesus

O pecado traz em nós uma escuridão interior. Podemos até pensar que a escuridão esteja somente fora, no mundo, mas, na verdade ela está, antes de tudo, dentro de nós. Mas, quando Jesus se faz luz em você, tudo começa a clarear. Todas as nossas misérias são atraídas para a misericórdia de Deus, como polos de um imã. O homem pecador é constantemente atraído pela misericórdia, porque você foi criado para o céu, você é de Deus. Justamente, no momento em que nos decidimos por Jesus, sem medo, Ele destrói o pecado. Ele é a luz que entra e ilumina toda escuridão. Os raios de Misericórdia saem do Coração de Nosso Senhor Jesus, atingem o pecado e acabam com ele.

MONSENHOR JONAS ABIB Fundador da Comunidade Canção Nova www.twitter.com/padrejonasabib www.padrejonas.com

Revista Canção Nova Abril 2014

05


Palavra da igreja

Homem e Mulher:

SERES RECÍPROCOS

Foto: Andréia Britta

Parte 1

A dualidade sexual corresponde ao plano geral do Criador. Ela se encontra em todo o mundo vivo. Delineando-se no vegetal, aparece claramente no reino animal e atinge a sua plenitude na espécie humana. Reduzida a uma dimensão fisiológica e instintiva nos animais, atinge, no ser humano, toda a dimensão de sua personalidade. Portanto, a distinção do ser humano em masculino e feminino não é algo acidental. O sexo é constitutivo daquilo que somos. Cada um é homem ou mulher na totalidade do seu ser. Como homem ou mulher, cada um pensa, sente, age e dialoga com Deus. O indivíduo é impensável fora do seu sexo. Por isso, antigos textos da Sagrada Escritura afirmam: “Deus criou o homem à sua imagem, criou-o à imagem de Deus, e criou-os homem e mulher” (Gn 1,27). “Por isso o homem deixa o pai e a mãe e se une à sua mulher e formam uma só carne” (Gn 2,24). Descobrimos, nestes textos, a seguinte verdade de ordem antropológica e reciprocidade, fundamentada na diferença sexual, possibilita a formação de uma união que é, em certo sentido, imagem e semelhança da comunidade divina. Esta reciprocidade está orientada não só para a união matrimonial e para a fecundidade, mas também para o campo da cultura, da política, da religião e de outras atividades humanas. De fato, homem e mulher, como seres recíprocos, recebem também a missão de dominar a terra (cf. Gn 1, 15) e de dar nome às coisas (cf. Gn 1,19), isto é, de serem colaboradores de Deus Criador e sujeitos da história. A diferença sexual, pois, existe em função da reciprocidade e não da subordinação de um sexo ao outro, nem da assimilação de um sexo pelo outro. DOM BENEDITO BENI DOS SANTOS Administrador Apostólico

06

Revista Canção Nova Abril 2014


Foto: Andréia Britta

Palavra em destaque

O encontro com o Ressuscitado A Quaresma é um caminho a trilhar, especial e oportuno para uma reflexão da própria vida. Desde a minha infância, nunca vivi uma igual a outra: herdei dos meus pais o respeito e o desejo de me deixar renovar neste tempo singular da vida cristã. Vivendo com esmero a liturgia da Quaresma até a Páscoa, experimentamos a alegria do encontro com Cristo ressuscitado, e assim acontece: a passagem da vida velha à nova, da sexta feira da paixão à ressurreição. Quando o coração se abre para o Senhor, como os primeiros discípulos, exalamos a alegria do Evangelho em meio aos desafios cotidianos. Bento XVI escreveu no seu livro Jesus de Nazaré: “Só assim se compreendem as primeiras testemunhas da ressurreição de Cristo. Jesus, ao ressuscitar, não voltou a uma vida humana normal deste mundo como sucedera com Lázaro e os outros mortos ressuscitados por Ele. Ele saiu do sepulcro para uma vida diversa, nova: saiu para a vastidão de Deus, e a partir dela que se manifesta aos seus”. No Novo Testamento, toca-me muito o diálogo dos dois discípulos de Emaús que, aflitos e desanimados, conversavam pelo caminho sobre os últimos acontecimentos que culminaram com a morte de Jesus na cruz. O Ressuscitado aproximou-se deles como um forasteiro, mas eles não o reconheceram, como narra São Lucas: “Eles tinham os olhos incapacitados para reconhecê-lo” (Lc 24,16). Jesus estava ali em sua inteira realidade humana, porém nova, e eles não estavam

acostumados com aquele modo de presença. Na Bíblia do Peregrino diz: “Tem que abrir rasgões para mostrarse à evidência dos sentidos”. Quando estiverem convencidos do fato, e tiverem aprendido a reconhecer seu novo modo de presença, Jesus partirá: “Abriram-se os olhos e o reconheceram. Mas Ele desapareceu de sua vista. Eles comentavam: “Não se abrasava nosso coração enquanto nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?”(Lc 24,31-32). Jesus mostrou-se aos seus de muitas formas: Maria Madalena, a primeira evangelista da ressurreição, inicialmente o confunde com um jardineiro. Como um desconhecido na praia aos seus apóstolos, pois a cegueira espiritual não os permitia ver... Diante do panorama que assistimos: quantos estão abatidos, deprimidos, com medo, chorando no túmulo da sua existência? Nesse tempo escutemos Àquele que nos revela as Escrituras, nos chama pelo nome e nos envia a anunciar: “Eu Vi o Senhor!”. Não tenhamos medo de testemunhar a nossa fé viva e vivida: Ele ressuscitou, verdadeiramente, Aleluia! Jesus está vivo! Feliz Páscoa!

LUZIA SANTIAGO Cofundadora da Comunidade Canção Nova www.twitter.com/luziasantiago www.luziasantiago.com

Revista Canção Nova Abril 2014

07


Administração e vida

Foto: Andréia Britta

Amor generoso e puro

O ano de 2013 foi visivelmente o milagre de cada dia na Canção Nova, em todas as áreas, mas especialmente constato na função que exerço. Toquei sensivelmente em Jesus e na sua generosidade. Isto é preciso demonstrar: o amor significa desejar o bem daqueles que se ama. É a família Canção Nova: núcleo, aliança, amigos, sócios evangelizadores, porta a porta, todos nós arregaçamos as mangas e nos entregamos a Deus; fizemos a nossa parte e Deus nos abençoou. Deus ama esta sua obra e seu povo.

Tudo nos destes na tua onipotência, para nos libertar, curar as nossas misérias e nos salvar. Deus nos ama. A você que contribuiu para que o milagre acontecesse, obrigado por tudo. Deus lhe pague. Seu irmão. WELLINGTON SILVA JARDIM Cofundador da Comunidade Canção Nova e administrador www.twitter.com/etocn blog.cancaonova.com/eto

Prestação de Contas 2013 CAMPANHA 2013

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

Valor da Campanha

18.622.602,03

16.996.735,39

15.701.995,12

16.586.329,47

16.236.501,27

18.455.732,48

21.470.764,28

20.424.842,99

21.345.726,37

21.982.604,15

22.572.027,20

25.408.720,20

Valor Alcançado

18.642.561,21

15.581.728,67

15.899.248,95

18.856.027,37

16.464.459,45

17.453.797,10

21.761.009,63

18.900.246,29

20.062.991,42

21.938.647,03

21.300.020,16

24.839.836,57

Valor Faltou/Excedeu

19.959,18

-1.415.006,72

197.253,83

2.269.697,90

227.958,18

-1.001.935,38

290.245,35

-1.524.596,70

-1.282.734,95

-43.957,12

-1.272.007,04

-568.883,63

Boleto

3.922.838,51

4.345.103,43

4.198.393,54

4.893.092,45

3.639.398,92

3.599.221,27

4.836.073,83

3.616.447,65

3.409.842,45

3.303.246,23

3.231.224,10

3.682.208,26

Débito Automático

5.362.089,29

4.950.055,96

5.076.040,68

5.270.456,90

5.258.411,52

5.055.439,75

5.501.371,81

5.044.520,70

5.159.122,27

5.235.046,39

4.968.501,99

5.445.773,35

Depósito

937.788,18

926.521,53

1.012.776,42

1.246.299,31

875.675,75

864.330,68

921.526,45

1.049.820,25

848.291,30

1.240.136,49

1.022.477,95

1.369.460,22

Total do Clube da Evangelização

10.222.715,98

10.221.680,92

10.287.210,64

11.409.848,66

9.773.486,19

9.518.991,70

11.258.972,09

9.710.788,60

9.417.256,02

9.778.429,11

9.222.204,04

10.497.441,83

-

-

-

-

-

59.763,06

1.138.322,92

1.378.221,24

1.209.450,21

1.456.778,18

DAVI

6.397.138,46

4.201.198,65

4.415.335,27

5.078.675,20

5.344.024,05

5.854.968,39

5.740.621,19

6.946.877,63

OUTROS

2.022.706,76

1.158.849,10

1.196.703,04

2.457.932,94

2.179.354,26

3.138.901,91

5.220.856,09

4.088.106,13

4.163.458,43

4.927.028,29

5.129.434,72

5.604.272,66

Percentual Alcançado

100%

92%

101%

114%

101%

95%

101%

93%

94%

100%

94%

98%

Percentual que Faltou

0%

-8%

1%

14%

1%

-5%

1%

-7%

-6%

0%

-6%

-2%

Total de Entrada em Bancos

17.951.978,13

15.655.325,84

16.665.453,46

17.086.908,05

22.053.352,92

15.901.975,41

44.292.079,18

20.413.183,69

16.627.250,77

20.096.292,23

19.763.407,61

20.640.981,28

Diferença Campanha/Banco

(690.583,08)

73.597,17

766.204,51

(1.769.119,32)

5.588.893,47

(1.551.821,69)

22.531.069,55

1.512.937,40

(3.435.740,65)

(1.842.354,80)

(1.536.612,55)

(4.198.855,29)

Tarifa Débito Automático e Cobrança

(486.733,45)

(509.497,08)

(654.356,50)

(682.009,65)

(693.347,85)

(695.204,54)

(671.324,10)

(592.789,52)

(476.492,54)

(576.084,07)

(545.034,50)

(545.034,50)

Foto: Maria Andrea

Boleto - Casa

4.988.245,77

4.511.619,00

4.795.903,49

5.281.181,44

Valores Digitados

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

DAVI (antecipação)

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Boletos da Casas

-

-

-

-

-

-

-

(59.763,06)

(1.138.322,92)

(1.209.450,21)

(1.456.778,18)

Empréstimo / Leasing Back

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Devolução de Fornecedores

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

08 Revista Canção Nova Abril 2014

(1.378.221,24)


Foto: Arquivo Canção Nova

Matéria especial

A Igreja está em festa! Em 27 de abril, serão elevados aos altares dois grandes papas: João XXIII e João Paulo II. Em épocas, contextos e culturas diversas, em meio a alegrias e sofrimentos, no cotidiano e em gestos heroicos, testemunharam ao mundo uma vida santa. Para conhecê-las com profundidade, convido-o a embarcar comigo em uma viagem às terras destes santos! Rumo à Polônia de João Paulo II Vamos, primeiramente, à Polônia. Lá encontramos as raízes de João Paulo II, ou melhor, Karol Józef Wojtyla. Lolek, como era carinhosamente chamado por amigos e familiares, nasceu em 18 de maio de 1920, em Wadowice, onde ainda é possível ver a casa onde nasceu, as escolas onde estudou e a paróquia onde recebeu os sacramentos da iniciação cristã. Próxima à Wadowice, está Kalwaria, outro lugar que revela curiosidades sobre ele. Karol, que perdera a mãe aos 9 anos, foi levado por seu pai ao Santuário dedicado à Nossa Senhora que se encontra ali. Seu pai foi com ele à capela onde está a imagem de Maria de Kalwaria e disse: “Agora esta é a sua mãe”. “Ele resolvia tudo de joelhos”, revela o secretário pessoal de João Paulo II, em entrevista exclusiva à Canção Nova Nesta viagem, encontramos pessoas especiais. Uma delas é o Cardeal Stanislaw Dziwisz, que por quase 40 anos foi 10

Revista Canção Nova Abril 2014

SANTIDADE

João Paulo II

secretário de João Paulo II. Em entrevista exclusiva à Canção Nova, falou sobre a vida de oração do papa polonês. “Ele resolvia tudo de joelhos. Sim, de joelhos! E, quando era mais jovem, também prostrado por terra, diante do Senhor, não se cansava de rezar. (…) nós o víamos rezar de modo muito diferente do nosso, era como que ‘pego’ pelo Senhor e mergulhava n’Ele como se não existisse mais nada fora. Somente ele e Deus!” Prossigamos nossa viagem! A quase 50 quilômetros de Wadowice, está Cracóvia, onde Karol foi morar aos 18 anos. Ali viu de perto a Segunda Guerra Mundial, precisou estudar num seminário clandestino, trabalhou em uma pedreira e perdeu inesperadamente seu pai. Viu, ainda, muitos de seus amigos perderem a vida por causa da guerra. Karol lutou contra o marxismo e contra o comunismo. Foi, certamente, um dos grandes responsáveis pela queda do Muro de Berlim. Assim nos explica cardeal Dziwisz: “Karol, desde muito cedo, entendeu que este não era o caminho para a humanidade”. Pisamos na terra onde caminhou o homem que em 1978 foi eleito Papa! Um pontificado que marcou a história do mundo e da Igreja. Quase 27 anos permeados por momentos difíceis, mas também por muita alegria e esperança. Ao cardeal Dziwisz, outra pergunta: quais foram os momentos mais fortes que viveram juntos?” “Ele não se repetia. Cada dia era diferente. Vivemos juntos momentos difíceis como o atentado de 13 de maio de 1981. Ele era convicto de que Nossa Senhora de Fátima o salvou da morte. Estava com ele no papamó-


DOS PAPAS

I e João XXIII

vel, na Praça de São Pedro. Já na ambulância, ele perdoou o autor deste crime quando ainda nem sabia quem era; ofereceu tudo pela Igreja e pela humanidade”. Uma visita às terras de Angelo Giuseppe Roncalli, o Papa João XXIII Nossa viagem não acabou! Permanecemos no continente europeu e partimos, agora, para o norte da Itália, onde está a cidade de Sotto Il Monte (província de Bérgamo). Terra de Angelo Giuseppe Roncalli. Uma cidade que até parece familiar! Foi, aliás, em uma casa bem humilde que “Angelino”, como era chamado, nasceu em 25 de novembro de 1881. Quarto de uma família de 13 filhos. No mesmo dia, foi batizado! Subindo às montanhas de Sotto Il Monte, encontramos uma pequena Igreja chamada “Santuário delle Caneve”. Ali, Angelino, nos braços de sua mãe terrena, conheceu Nossa Senhora! Ainda criança, ajudou os seus pais, trabalhando na lavoura de uva. Com 12 anos, entrou no seminário: “Nunca duvidei que a vida me reservaria outra sorte que a de ser sacerdote”, chegou a afirmar Angelo Roncalli. O secretário de João XXIII, Dom Loris Capovilla, 98 anos, nos concedeu uma entrevista. Ele assinala que Roncalli, por toda a vida, se confessou semanalmente. Assim deixou escrito: “Esta fidelidade à confissão me fez humilde, me fez entender que sem a ajuda de Deus não há verdadeira salvação e verdadeira paz”. Dom Loris destaca o que João XXIII deixou escrito a respeito da forma como vivia a obediência, a caridade e a

castidade: “Sobre cada uma destas virtudes fundamentais escreveu: ‘Sempre obedeci, sempre fiz com diligência minhas práticas de piedade, sempre amei e perdoei. No que diz respeito à castidade, Deus, na sua bondade, me quis e permitiu que minha veste batismal permanecesse impecável’. Quando um homem com 80 anos escreve isso, podemos dizer: ou este é um mentiroso, ou é um santo!”, brinca Dom Loris. Sobre a experiência de João XXIII com a Cruz, Dom Loris nos conta que, quando foi eleito Papa, João XXIII foi levado ao Balcão da Basílica Vaticana, para dar a primeira benção. As lâmpadas da televisão, no entanto, embaçaram sua vista e ele não via mais nada. Ficou meio que mortificado e deu a benção. Entendeu que, naquele momento, Jesus, no Crucifixo que o cerimoniário tinha em mãos, lhe pedia que permanecesse manso e humilde de coração. Santidade de dois papas O Papa da misericórdia, da juventude e das famílias! O Papa Bom, que convocou o Concílio Vaticano II. Dois homens que cultivaram até o fim sua espiritualidade, serão proclamados santos por Papa Francisco!

DANUSA REGO Missionária da Canção Nova Correspondente da TV Canção Nova na Itália

Revista Canção Nova Abril 2014

11


Este é o título do meu mais recente livro onde procurei mostrar que sua alimentação pode fazer a diferença entre olhar um copo de água pela metade e vê-lo meio cheio ou meio vazio! Por incrível que pareça, é isso mesmo e hoje não faltam os artigos científicos comprovando. Como sempre digo no programa Mais Saúde (tanto no programa da Radio CN que é diariamente das 12h às 13h – ao vivo – horário de Brasília, como no programa da TVCN que é apresentado as sextas, às 13h), mudamos drasticamente a forma e a qualidade da nossa alimentação nos últimos 50 anos e estamos pagando um preço absurdo com a nossa saúde, através de uma população cansada, deprimida, sem ânimo, acima do peso e cheia de doenças. Precisamos rever seriamente nossa alimentação. Evitar produtos alimentícios cheios de aditivos alimentares (corantes, conservantes, edulcorantes, etc.) aos quais dei “nome e sobrenome” no livro que dediquei um capítulo exclusivo, cheio de comprovações científicas, mostrando os problemas que causam inclusive nas nossas crianças. Hoje temos algumas rotuladas com déficit de atenção e hiperatividade, quando a simples retirada de alguns corantes da alimentação industrializada resolveriam o problema. Anote os nomes que vêm sempre seguidos de uma sigla (ou às vezes somente ela) e leve na sua carteira. Quando for ao supermercado, leia os ingredientes e, localizando algum deles, não compre! Outro vilão do nosso século é o estresse, que também pode ser diminuído por meio de uma alimentação equilibrada. O suco abaixo é uma forma de melhorar o aporte de uma substância que ajuda a combater o estresse. Coloquei canela na receita para diminuir a velocidade com a qual a melancia pode se transformar em açúcar. Você sabia que um grama de canela por dia pode reduzir até 30% da glicemia? Quanto é um grama? É o que cabe na tampinha azul daquela caneta famosa. Essa medida vale também para 1g de sal. Suco de melancia com canela (a gosto): bater com as sementes e coar. Beber imediatamente.

Foto: Andréia Britta

Alimente bem suas emoções

+ Vida

DRA GISELA SAVIOLI Nutricionista clínica, escritora blog.cancaonova.com/maissaude twitter.com/giselasavioli www.giselasavioli.com.br

Revista Canção Nova Abril 2014

13


Enxerga-se melhor a partir do coração A leitura atenta da Palavra de Deus, seguida de uma meditação, pode recuperar nossa visão distorcida da vida e das pessoas. Assim como um colírio que lubrifica os olhos e ajuda na qualidade da visão, a Palavra de Deus recupera a saúde da alma e do coração, fazendo com que enxerguemos nossa própria vida com mais esperança. O evangelho de Mc 6,45-52 vai ser para nós nesse mês o remédio para as enfermidades de nossa visão distorcida da vida. Pare um momento, pegue a Bíblia, leia atentamente e deixe Deus falar com você, faça a sua parte e Deus fará certamente a Dele! Vamos nos deter sobre as ações de Jesus e sobre as reações dos discípulos. Jesus estava na montanha rezando, mas atento às necessidades dos discípulos, “Ele viu os discípulos cansados de remar, pois o vento era contrário”, assim percebemos que Jesus não está indiferente às necessidades dos seus discípulos, Ele vê e não se contenta em ficar como mero espectador, Jesus vai até eles para lhes prestar socorro! Saiba que Jesus também está vendo as suas lutas pessoais, e, como você também tem remado contra a correnteza, o seu cansaço é visto por Deus. E Jesus se aproxima do “jeito” que só Ele sabe fazer, não como os discípulos fariam, mas de uma forma diferente. Entretanto, as reações dos discípulos não correspondem ao cuidado de Jesus, eles são pegos de surpresa. Logo que viram Jesus que se aproximava, antes de identificarem quem se aproximava, buscaram resolver o problema do jeito deles, usaram o pensamento humano que é pequeno para entender tudo que Deus é. Eles ainda tinham outra dificuldade, estavam cheios de medo e isso sempre gera a distorção da realidade, assim, ao verem Jesus, enxergaram um fantasma. Mesmo que eles já tivessem uma proximidade com Jesus, não foram capazes de reconhecê-Lo, pois o medo, aliado ao cansaço e aos gritos, distorceu a verdade e começaram a ver uma mentira (Jesus como fantasma), mas o pior de tudo foi terem acreditado nessa mentira. Quando somos levados somente pelo medo, cansaço e gritos sempre acabamos pensando errado e deformando uma realidade, seja para menos ou para mais. 14

Revista Canção Nova Abril 2014

Fotos: Andréia Britta

A Bíblia foi escrita para você

Muitas vezes pessoas e situações que se aproximaram de nós, nos fizeram medo porque não enxergamos a verdade, mas nos deixamos levar pelos fantasmas da nossa imaginação. Acabamos lutando ou fugindo daqueles e daquelas situações que estariam a nosso favor e não contra nós. Jesus dá uma ordem: “Coragem, sou eu! Não tenhais medo!”; essa coragem não é sinônimo de superpoderes, mas uma coragem de avançar sem medo, simplesmente porque reconhece e confia que Jesus está conosco. O texto ainda deixa muito claro que a falta de coragem dos discípulos tinha origem num coração que havia se endurecido. Quando temos um coração endurecido, todos que se aproximam são enxergados como adversários a serem vencidos ou exploradores a serem temidos. Um coração endurecido deforma a nossa visão de mundo e da vida. Assim, muito cuidado com seu coração, ele pode deformar sua visão da vida. Saber disso pode salvar muitos que já estão cansadas da vida e das pessoas. A mudança mais importante é transformar os corações endurecidos e deixar que uma visão curada possa enxergar as inúmeras vezes que Deus usou de acontecimentos e pessoas para chegar até você, e nem sempre isso foi reconhecido. Que essa palavra possa alcançar seu coração e lhe dar uma visão nova de vida e das pessoas. Uma vida de coragem e sem medo só é possível se nós estivermos com Jesus. No meio daquele cansaço todo, Jesus foi até aos discípulos; agora Ele está indo até você e como você vai recebê-lo? Como vai reagir? Não permaneça com um coração endurecido. Isso será necessário para que você tenha uma visão mais justa da vida e das pessoas com que você convive. A conversão do coração põe fim aos fantasmas criados por nós!

PE. FABRÍCIO ANDRADE Comunidade Canção Nova Twitter: pefabriciocn Facebook: Fabricio Andrade blog.cancaonova.com/padrefabricio


Ação jovem

Foto: Arquivo Canção Nova

JMJ

O que nos atrai?

A Jornada Mundial da Juventude vem marcando gerações há décadas. Milhares de jovens assumem a postura de peregrino e com muita coragem enfrentam dias fora do conforto de casa e a comodidade da vida para colocar o pé na estrada rumo a um encontro pessoal com Jesus Cristo. Na JMJ de Madri, em 2011, eu olhava para a multidão de jovens dos 5 continentes e me perguntava: “O que atrai esses milhões de jovens a estarem todos reunidos aqui em Madri?” Essa pergunta ficava martelando em meu coração mediante os vários obstáculos que enfrentávamos. O clima era de verão, caminhávamos por horas a pé debaixo do sol de 40 graus; quando chegávamos aos colégios onde dormíamos, tomávamos um banho gelado que não podia passar de 3 minutos. Eu particularmente não sabia que tinha tanta resistência para enfrentar o que enfrentei, foi uma bela surpresa. O interessante é que, apesar de tudo que narrei, era nítida a alegria estampada nos rostos de todos que aceitaram o desafio de viver uma Jornada Mundial da Juventude. Na JMJ no Rio de Janeiro, no ano de 2013, enfrentamos outros obstáculos. Ali não era o calor, mas o frio. A cidade maravilhosa, que é conhecida pelo seu calor tropical, ficou com um clima atípico. O frio e a chuva que milhões de jovens enfrentaram durante os dias da jornada mais uma vez me fizeram perguntar: “o que nos atrai?” Foi quando comecei a refletir que toda pessoa quer encontrar-se consigo mesmo e com Deus. Só Deus poderia reunir milhões de jovens dispostos a enfrentar tantos desafios para se encontrar com o Papa e dele ouvir orientações para a vida inteira. A juventude tem sede da verdade, tem sede de Deus.

É importante para o jovem participar de uma experiência de JMJ porque são vários os conhecimentos bons que se pode aprender. Primeiro, o espírito de equipe. Aprende-se o valor das pessoas que, quando caminham ao nosso lado com o mesmo objetivo, na mesma direção, nos ajudam a perseverar até o fim. Segundo, o despojamento necessário para alcançar o céu. Jesus nos ensina: “Não leveis sacolas de viagem, nem uma túnica a mais, segundo par de sandálias ou um cajado; pois digno é o trabalhador do seu sustento.” (Mt 10,10) Precisa-se carregar poucas coisas, pois, à medida que as horas passam, a mochila vai pesando e fica mais difícil caminhar. Terceiro, a importância da fé. Papa Francisco, no discurso feito aos voluntários, disse: “Deus chama para escolhas definitivas, Ele tem um projeto para cada um: descobri-lo, responder à própria vocação significa caminhar na direção da realização jubilosa de si mesmo. A todos Deus nos chama à santidade, a viver a Sua vida, mas tem um caminho para cada um”. Os jovens buscam, nas Jornadas Mundiais da Juventude, direcionamento para as suas vidas, através do Pastor, participando das catequeses, vivendo a caminhada da Vigília, fazendo-se presente nos shows e palestras. A palavrachave é romper as barreiras e os preconceitos das diferentes culturas para encontrar em cada irmão a linguagem do amor. Vale a pena! Se você ainda não foi, não perca a oportunidade de ir à próxima que será na Polônia. João Paulo II intercede por você! Deus abençoe,

FERNANDA SOARES Missionária da Canção Nova Apresentadora do Revolução Jesus e Vitrine Mix. twitter: @FerCN

/produtoscn - Informações: (12) 3186-2600

24h

loja.cancaonova.com

Revista Canção Nova Abril 2014

15


Formação

A verdade nos liberta Se você viver fora da verdade, viverá sem saber o que é a verdadeira liberdade e realidade, pois a liberdade enlouquece fora da verdade, torna-se libertinagem e loucura. Muitos mentem loucamente e são ainda mais loucos na defesa de sua mentira. Quem mente precisa de outras mentiras para encobrir as mentiras anteriores; por outro lado, as verdades podem ser nuas, não precisam ser vestidas com roupas falsas. Se você fala a verdade, não precisa mais se lembrar do que falou; já o mentiroso estará sempre preocupado com o que disse. O mentiroso, de certa forma, é um fraco que tem medo de confessar a verdade. O silêncio muitas vezes está mais perto da verdade do que as palavras. E quem escuta a verdade tem o mesmo mérito que aquele que a anuncia. Não podemos nos submeter a nada e a ninguém que não esteja em sintonia com a verdade. Ghandi dizia que o único tirano que ele aceitava nesse mundo era a “voz baixinha” que falava dentro dele, a voz da consciência. Jesus disse a Pilatos que veio a este mundo “para dar testemunho da Verdade”. Ele disse aos apóstolos na Santa Ceia “Eu Sou a Verdade”, “A Verdade vos libertará”. O mundo está dividido em duas partes, os homens que seguem o “Espírito da Verdade” (João 16,1213) e os que seguem o “espírito da mentira” que “quando mente, fala daquilo que lhe é próprio”, como disse Jesus (Jo 8,44). Portanto, viva na Verdade, fale só a verdade, rejeite toda a mentira e não se deixe enganar pelos que querem negar a Verdade Divina.

Foto: Mariana Nepomuceno

O homem é aquele que procura a verdade. A verdade religiosa, a verdade científica e também a verdade moral. Existe sempre a verdade. Mas é preciso muito cuidado com uma coisa: a meia verdade é pior do que uma mentira, pois a metade da verdade é quase sempre uma grande mentira. Os tiranos e os imorais usam muito este método para enganar as pessoas e as massas. Se você disser a alguém: “é proibido comer comida estragada”, está correto; mas se você disser apenas “é proibido comer comida”, a pessoa morre de fome. Entendeu o perigo da meia verdade? Outro exemplo: A Bíblia diz que “não podemos fazer imagens de ídolos”, e não que “não podemos fazer imagens”. O Papa Bento XVI denunciou com todas as letras a “ditadura do relativismo”, que nega a verdade objetiva e ensina que cada um faz a “sua” verdade, a sua moral, etc. E quer impor isso a todos, não pela violência das armas, mas, pior ainda, pela “violência” da cultura. A ciência e a tecnologia só avançam porque são lastreadas religiosamente na verdade estabelecida por Deus na natureza. Fora disso é falsidade.

PROF. FELIPE AQUINO Escritor e apresentador na TV Canção Nova blog.cancaonova.com/felipeaquino

Revista Canção Nova Abril 2014

17


Testemunho

Uma evangelização para todos nós Lucimara da Cruz mora em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo, onde está localizada a sede da Comunidade Canção Nova, a Chácara de Santa Cruz. Casada há 29 anos, ela é mãe de três filhos. Uma mulher de fé, que teve sua vida marcada por momentos de grande provação, com o vício das drogas de um de seus filhos. “Ele estava com 14 anos de idade quando se envolveu com pessoas que eram usuárias de drogas e se diziam seus amigos. Infelizmente, meu filho também optou por entrar neste caminho, o que trouxe muitos problemas para ele e para a nossa família, porque o vício da droga traz consigo muito sofrimento tanto para o usuário como para aqueles que estão em volta dele”, conta. E foi através das pregações de Monsenhor Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova, que Lucimara foi aprendendo cada vez mais a se aproximar de Deus e a buscar forças para superar os desafios. “As palavras dele, na TV Canção Nova, me deram forças

para superar a dor e a tristeza, porque meu filho saiu de casa por causa das drogas e já faz muitos anos que não o vejo, não sei onde e como ele está e isso é muito difícil para uma mãe. Mas as palavras do Padre Jonas sobre o Evangelho de Cristo e o seu amor por nós me faz sentir que não estou sozinha, mas que Deus está comigo e com meu filho, onde quer que ele esteja, pois eu rezo por ele todos os dias”. A Canção Nova leva a Palavra de Deus para o Brasil e o mundo, através de pregações, palestras, missas, eventos de oração, shows e produtos que têm a única missão de evangelizar. “As pregações, a missa, os programas na TV e na Rádio, os produtos, tudo que esta Obra de Deus oferece, impulsiona todos nós a sermos pessoas melhores, a estarmos bem para os outros também, porque o nosso problema não pode nos impedir de sermos bons com o nosso irmão e isso eu aprendi com a Canção Nova”, destaca Lucimara.

Testemunho editado pela jornalista da Tv Canção Nova Samantha Natielli (MTB 62.583/SP)

LITURGIA

Ez 47,1-9.12

Dia 01 –Terça-feira Sl 45(46)

Jo 5,1-16

Abril 2014

At 4,1-12

Dia 25 – Sexta-feira Sl 117(118)

Jo 21,1-14

Dia 26 – Sábado Sl117(118)

Mc 16,9-15

Is 49,8-15

Dia 02 – Quarta-feira Sl 144(145) Jo 5,17-30

Is 42,1-7

Dia 14 – Segunda-feira Sl 26(27) Jo 12,1-11

At 4,13-21

Ex 32,7-14

Dia 03 – Quinta-feira Sl 105(106) Jo 5,31-47

Is 49,1-6

Dia 15 – Terça-feira Sl 70(71) Jo13,21-33.36-38

At 2,42-47

Is 50,4-9a

Dia 16 – Quarta-feira Sl 68(69) Mt 26,14-25

Ex 12,1-8.11-14

Dia 17– Quinta-feira Sl 115(116B)

Jo 13,1-15

Dia 18 – Sexta-feira Sl 30(31)

Jo 18,1-19,42

Sb 2,1a.12-22 Jr 11,18-20

Ez 37,12-14

Dia 04 – Sexta-feira Sl 33(34) Jo 7,1-2.10.25-30

Dia 05 –Sábado Sl 7,2-3.9bc-10.11-12 (R. 2a)

Jo 7,40-53

Dia 06 – Domingo Sl 129(130) Rm 8,8-11

Jo 11,1-45

Dia 07 – Segunda-feira Dn 13,1-9.15-17.19-30.33-62 Sl 22(23)

Nm 21,4-9

Dia 08 – Terça-feira Sl 101(102)

Jo 8,1-11

Jo 8,21-30

Dia 09 – Quarta-feira Dn 3,14-20.24.49a.91-92.95 Cânt.: Dn 3,52.53-54.55.56 (R. 52b) Jo 8,31-42 Gn 17,3-9

Dia 10 – Quinta-feira Sl 104(105)

Jr 20,10-13

Dia 11 – Sexta-feira Sl 17(18)

Dia 12 – Sábado Ez 37,21-28 Cânt.: Jr31,10.11-12ab.13 (R. cf. 10d)

18

Dia 13 – Domingo – Bênção dos Ramos: Mt21,1-11 Is 50,4-7 Sl 21(22) Fl 2,6-11 Mt 26,14-27,66

Revista Canção Nova Abril 2014

Jo 8,51-59 Jo 10,31-42

Jo11,45-56

Is 52,13-53,12

Dia 19 – Sábado * Ver quadro abaixo Rm6,3-11 Sl 117,1-2.16ab-17.22-23 Mt 28,1-10 At 10,34a.37-43

Dia 20 – Domingo Sl 117(118) Cl 3,1-4

Jo 20,1-9

Dia 21 – Segunda-feira At 2,14.22-32 Sl 15(16) Mt 28,8-15

At 2,36-41

Dia 22 – Terça-feira Sl 32(33)

Jo 20,11-18

At 3,1-10

Dia 23 – Quarta-feira Sl 104(105)

Lc 24,13-35

At 3,11-26

Dia 24– Quinta-feira Sl 8,2a.5.6-7.8-9 (R. 2ab)

Lc 24,35-48

At 4,23-31

At 4,32-37 At 5,17-26

Dia 27 – Domingo Sl 117(118) 1Pd 1,3-9 Dia 28 – Segunda-feira Sl 2,1-3.4-6.7-9 (R. cf. 12d) Dia 29 – Terça-feira Sl 92(93) Dia 30 – Quarta-feira Sl 33(34)

Jo 20,19-31

Jo 3,1-8

Jo 3,7b-15 Jo 3,16-21

DATAS ESPECIAIS 13 – Domingo de Ramos 17 – Ceia do Senhor 18 – Paixão do Senhor 19 – Vigília Pascal 20 – Páscoa - Ressurreição do Senhor 25 – São Marcos 27 - Domingo da Misericórdia

* DIA 19 - Sábado (Vigília Pascal) - 1. Gn1,1-2,2; Sl 103,1-2a.5-6.10.12.13-14.24.35c; 2. Gn 22,1-18; Sl 15,5. 8.9-10.11; 3. Ex 14,15-15,1; Sl (Ex 15,1-2.3-4.5-6.17-18); 4. Is 54,5-14; Sl 29,2.4.5-6.11.12a.13b; 5. Is 55,1,11; Sl (Is 12,2-3.4bcd.5-6); 6. Br 3,9-15.32-4,4; Sl 18,8.9.10.11; 7. Ez 36,16-17a.18-28; Sl 41,3.5bcd; 42,3.4;

1ª leitura

2ª leitura

Salmo

Evangelho


Acompanhe-nos:

Mais informações: (12) 3186 - 2055

Cachoeira Paulista/SP Informações: (12) 3186 2600


Foto: AndrĂŠia Britta


Revista Canção Nova de Abril de 2014