Page 1

Tenho o que preciso, preciso do que tenho

r e v i s t a

Ano IX - Nº 110 - Fevereiro de 2010 - Revista Mensal do Sócio Evangelizador

clube.cancaonova.com

ISSN 1806-1494

ação jovem

Economia e vida

Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro

Mt 6, 24


T IRAGEM : 519.000 unidades I MPRESSÃO : ESDEVA INDÚSTRIA GRÁFICA S.A. Distribuição gratuita aos sócios evangelizadores

VIVER DA PROVIDÊNCIA

5

palavra da Igreja

igreja pai das miser icórdias

4

O ENCONTRO DOS BISPOS COM O SUCESSOR DE PEDRO

6 O MUNDO PRECISA DE VOLUNTÁRIOS!

7 Palavra em destaque

Cachoeira Paulista- SP - Brasil Caixa Postal 57 CEP 12630-000 Tel: 55 (12) 3186 2600 www.cancaonova.com revista@cancaonova.com clube.cancaonova.com

CONSTRUA ESSE SONHO COM A GENTE!

palavra do fundador

FALE CONOSCO:

Indice

Expediente

PRESIDENTE: MONSENHOR JONAS ABIB DIRETOR EXECUTIVO: WELLINGTON SILVA JARDIM JORNALISTA RESPONSÁVEL: OSVALDO LUIZ/MTB 23094 COORDENAÇÃO: SIMONE LARANJEIRA PRODUÇÃO E ASSESSORIA: AUGUSTO LUIZ, MAURICIO MOURA E MARIANA L. G. REVISÃO ORTOGRÁFICA: PUBLICIDADE CANÇÃO NOVA DIREÇÃO DE ARTE: PUBLICIDADE CANÇÃO NOVA PROJETO GRÁFICO: NELI SESTARI DIAGRAMAÇÃO: NELI SESTARI, ANDRÉ DE PAULA, ANDRÉ PORTE, ISAAC ARLEY E WALDER GUIMARÃES FOTOS: PUBLICIDADE CANÇÃO NOVA CAPA: NELI SESTARI


editorial

“Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”

TENHO O QUE PRECISO, PRECISO DO QUE TENHO

15

16 A POBREZA E A HUMILDADE DE MARIA

17

clube da evangelização

santo do mês

educando

14

30 ANOS, JUNTOS PROMOVENDO O BEM!

18 ACAMPAMENTO DE CARNAVAL

19 agenda

É POSSÍVEL ALIMENTAR-SE MELHOR E GASTAR MENOS?

13

DIA 10, SANTA ESCOLÁSTICA

formação

10

A SIMPLICIDADE DA ORAÇÃO

ação jovem

ECONOMIA E VIDA

9

PATRÕES E FUNCIONÁRIOS, CONVERTEI-VOS!

+ vida

8

entrevista

A VIDA EM NOSSAS MÃOS

administração e vida

clube da evangelização

As igrejas cristãs no Brasil lançam neste dia 17 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, a Campanha da Fraternidade 2010, com o tema “Economia e Vida” e o lema baseado no evangelho de Mt 6,24: “vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”. Essa edição da Revista Canção Nova quer ser um grande eco da advertência de Nosso Senhor e lhe ajudar a colocar o dinheiro no seu devido lugar: a serviço do bem. Ou você o subjuga, ou será dominado pela “verdinha”, será seu escravo. Monsenhor Jonas Abib vai logo ao ponto: “Deus tem que ser o primeiro”. Normalmente invertemos as coisas e achamos que tudo depende só do nosso esforço. Nosso pai fundador lembra: “se o Senhor não construir a casa, em vão trabalham os construtores”. Nosso administrador, o Eto (Wellington Silva Jardim), lembra a história de um filósofo hindu na Europa, que constatou um cristianismo de “gaveta”: desassociado da vida, esquecendo-se da incompatibilidade entre servir a Deus e ao dinheiro. Luzia Santiago compartilha seu testemunho de vida. Ao perder seu esposo num trágico acidente, decide reconstruir “sua vida ajudando aos outros”; o princípio da solidariedade. Agora: quem se deixou envolver por muitas dívidas, precisa ler a coluna da Gisela Savioli que traz dicas muito pertinentes, como a proposta de voltarmos a comer como nossos avós. Há relatos de queda pela metade dos gastos só com essa mudança... É preciso romper com hábitos nada saudáveis. Desintoxicar-se dessa avalanche diária de apelos publicitários que nos envolve. O “Ação Jovem” propõe a conversão para o “tenho o que preciso, preciso do que tenho” e lembra: “o que você não usa não lhe pertence”... Já Gabriel Chalita traz a palavra de Bento 16 na encíclica “Caridade na verdade”: “é essencial cuidarmos da pessoa toda e todas as pessoas”. Que Maria, exemplo de pobreza e humildade (artigo do prof. Felipe Aquino), nos ensine a nos submeter à vontade de Deus, vencendo toda soberba, todo orgulho.


bro de 2009 te broche, 14 de novem isericórdias es o, pela M s da ai P Igreja do ouro que do Obra construção da lho e esta pulseira. Este Doo para a fi de ajudar essa tipo eu jo m se de de e do or za te usado no bati pouco diante do grande am seio de ter exatamente es é an z, eu ve m da do un g ro se veio ao encont magnífica que ão. anos. de evangelizaç ou menos 10 s ai m há a alto mar. ção Nov onizar a Can s pra voltar. Já estou em esus e em Maria nt si a ei ec J mai Com eu consolo em ada. Não dá Fui toda tom ibulações, mas encontro m ação. s tr evangeliz Tenho muita is pela minha ve sá on sp re no Gabriel Vocês são sso filho Bru mas e tem no u de s no s o e Deu os e trau ia por um filh e tirou os med Clamei a Mar muitas graças. Deus m ão por adoção. S rijo automóvel. di ue dois anos q todos vocês! Obrigada a ue - SC ogel - Brusq Rosângela V

Construa este sonho junto com a gente! Envie sua doação em ouro e seu testemunho de vida para uma de nossas Casas de Missão ou via SEDEX para o endereço: Fundação João Paulo II Caixa Postal 57 - CEP: 12630-000 - Cachoeira Paulista - SP

CN CHAMA. A PALAVRA NO SEU CELULAR, ACESSÍVEL A TODOS.

R$

is. át

1 mê

a

25,00*

CN CHAMA É A EVANGELIZAÇÃO NO SEU CELULAR POR MEIO DE DIVERSOS CONTEÚDOS DA CANÇÃO NOVA - MÚSICAS, PALESTRAS, VÍDEOS, SALMOS, MENSAGENS DO MONSENHOR JONAS, PADRE FÁBIO DE MELO, GABRIEL CHALITA E MUITO MAIS. NESTE INÍCIO DE ANO COLOQUE O CHIP DA CN CHAMA EM SEU CELULAR E LEVE A TODOS A MENSAGEM DO SENHOR E OS CONTEÚDOS DA CANÇÃO NOVA EM SEU BOLSO.

Faça seu pedido agor a.

Ligue para (11) 3556-5222 Ou acesse www.cnchama.com.br *PREÇO REFERENTE APENAS AO SIM CARD. PARA ACESSAR OS CONTEÚDOS, É NECESSÁRIO ASSINAR O PACOTE CNCHAMA, NO VALOR DE R$ 4,99 POR SEMANA. PARA MAIS INFORMAÇÕES, LIGUE PARA (11) 3556-5222 OU ACESSE NOSSO SITE: WWW.CNCHAMA.COM.BR. IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA.

04 Revista Canção Nova Fevereiro 2010 AF-AnCHCHAMA-SimCard-115x77_2.indd 1

11/24/09 7:40 PM


palavra do fundador

Viver da Providência “ Se o Senhor não construir a casa, seus construtores trabalham em vão. Se o Senhor não guardar a cidade, a sentinela vigia em vão” (Sl 127,1). Muitas vezes pensamos que tudo está dando certo em nossa vida por nossa causa, por nosso trabalho, nossa capacidade, quando, na verdade, Deus é o construtor de tudo. Se o Senhor não for o construtor da casa, seus construtores, seus pedreiros, seus mestres de obras, nós trabalharemos em vão. Se o Senhor não guarda a cidade, se Ele não é o centro e não está em primeiro lugar... nada acontece! Deus precisa ser o primeiro! Este é o sistema de Deus! O mundo nos enganou e entramos direitinho no sistema dele. Nossa própria inteligência fez que invertêssemos a verdade e colocássemos Deus a nosso serviço, de acordo com nossas vontades. O primeiro em seu trabalho precisa ser Deus. Você trabalha por causa dele e não por dinheiro, promoção. Trabalha porque assim Deus fala a respeito da lei do trabalho: “Ganharás o pão com o suor do teu rosto” (Gn 3,19). É preciso mudar! Aí está o segredo da transformação de nossa situação econômica. Até hoje estávamos ainda no outro sistema, ou pior, tentando misturar os dois sistemas, o que não é possível! Porque se o Senhor, e somente Ele não guardar a cidade, sua família, seu casamento, seu trabalho, sua empresa, em vão vigiam as sentinelas. Se ficarmos no sistema do mundo, temos que suportar todas as suas consequências. Infelizmente, temos seguido nessa enxurrada. É preciso, o mais depressa possível, pular para fora desse sistema; ele está matando nossas famílias, nossos filhos, nossos casamentos... Se você entrou pelo caminho errado, pule imediatamente para fora desse sistema. Porque

se Deus não for o primeiro de sua casa, de sua família, de seu casamento, nada vai sobreviver! É questão de se dobrar! Isto se chama conversão: entramos no caminho certo, no qual Deus seja o primeiro de nossa vida e de tudo que a envolve. A prática, Deus nos aponta no Evangelho de São Mateus: “Procurai primeiro o Reino de Deus e a justiça de Deus, e tudo mais vos será dado por acréscimo” (MT 6,33).

O primeiro em seu trabalho precisa ser Deus. Você trabalha por causa dele e não por dinheiro Se você busca Deus em primeiro lugar, se busca a implantação do seu reino como o primeiro investimento de sua vida, tudo o mais lhe será dado em acréscimo. Vida, saúde, comida, roupa, presente e futuro. É Deus quem providencia! É o Senhor quem constrói a casa, quem guarda a cidade. Nós estamos aqui somente para colaborar, fazendo a parte que nos cabe. Por isso, temos que trabalhar! O segredo é entender que o resultado não está no nosso trabalho. O resultado está em Deus que é nosso Pai. Nós fazemos nossa pequena parte; quem constrói, quem guarda e conduz é Ele. Monsenhor Jonas Abib Fundador da Comunidade Canção Nova www.padrejonas.com Revista Canção Nova Fevereiro 2010

05


palavra da Igreja

O encontro dos bispos com o sucessor de Pedro A cada cinco anos, os bispos reunidos em Conferências Episcopais fazem uma visita a Roma. Este evento é chamado “Visita Ad Limina”, isto é, dos bispos vindos de todas as extremidades da Terra. A visita tem como finalidade expressar a comunhão de todos os bispos com o sucessor de Pedro e, ao mesmo tempo, visitar os túmulos de São Pedro e São Paulo, que estão na origem da Igreja. Do dia 06 a 26 de novembro último, os bispos do Regional Sul1 (Estado de São Paulo) realizaram a mencionada visita. Ela iniciou-se com uma

A Igreja tem, de fato, um Papa santo e sábio, uma síntese de Pedro e Paulo, pastor e teólogo. missa solene nas catacumbas de São Calixto. Ali se encontram sinais concretos das origens da Igreja e do testemunho dos mártires. Conhecer um local como este fortalece a fé e impele ao testemunho. Faz parte da visita a celebração da Eucaristia nas quatro Basílicas maiores de Roma: São Pedro, São Paulo, Santa Maria Maior e São João de Latrão. Na Basílica de São Pedro, a Eucaristia foi celebrada no subsolo, diante do túmulo do Apostolo, escolhido por Cristo para ser o fundamento visível da Igreja. Após a missa, houve uma procissão com o canto da ladainha de todos os Santos. Alguns dos santos citados na ladainha estão sepultados neste local. Passamos, cantando a ladainha de todos os santos, diante do tumulo

06 Revista Canção Nova Fevereiro 2010

do Papa João Paulo II, que foi objeto do grito que soou na Praça de São Pedro no dia do seu sepultamento: “santo subito”, isto é, santo já. Muito interessante e proveitosa a visita às Congregações e Dicastérios, espécie de ministérios que cuidam dos diversos assuntos referentes à vida da Igreja no mundo inteiro. Os bispos puderam expor diversas questões referentes à vida da Igreja no Brasil e, ao mesmo tempo, receberam orientações e sugestões. O ponto alto da visita foi o encontro individual e em grupo com o Santo Padre. No encontro individual, com a duração de quinze minutos, o bispo apresenta ao Papa a situação da própria diocese, já analisada no Relatório escrito, enviado alguns meses antes. Todos ficaram impressionados com o acolhimento, a simplicidade, a humildade e sabedoria de Bento XVI. A Igreja tem, de fato, um Papa santo e sábio, uma síntese de Pedro e Paulo, pastor e teólogo. A visita valeu como uma espécie de retiro espiritual, que fortaleceu os bispos para que continuem a manter as suas Igrejas Particulares na fidelidade à doutrina e ao testemunho dos Apóstolos. A convivência fraterna durante os vinte dias aumentou a comunhão entre os bispos responsáveis pelas quarenta e duas dioceses do Estado de São Paulo.

Dom Benedito Beni

Bispo da Diocese de Lorena-SP


palavra em destaque

O mundo precisa de voluntários! Neste ano a Igreja no Brasil nos propõe para a campanha da Fraternidade a promoção do desenvolvimento humano e integral. É uma realidade que toca de cheio na missão evangelizadora dos cristãos. Todos nós somos responsáveis por um mundo mais humano, justo e solidário, menos desigual, e com mais oportunidade para todos. “A Igreja reconhece que sua atividade missionária também contribuiu, e contribui ainda para o desenvolvimento humano, social, econômico, político, cultural, de muitos povos. Com a mensagem evangélica, a Igreja oferece uma força libertadora e criadora de desenvolvimento, exatamente porque leva à conversão do coração e da mentalidade, faz reconhecer a dignidade de cada pessoa, predispõe à solidariedade, ao compromisso e ao serviço dos irmãos, insere o homem no projeto de Deus, que é a construção do Reino de paz e de justiça, já a partir desta vida... Eis o porquê, entre o anúncio evangélico e promoção do homem, existe uma estreita união.” Diz a Campanha da Fraternidade: “No Reino de Deus a lei é a solidariedade que faz da humanidade uma família onde todos se protegem mutuamente. Assim problemas que pareciam insolúveis podem ter soluções surpreendentes. Se realmente nos sentirmos irmãos, parte da mesma família humana, certamente viveremos de modo mais solidário, a partilha faz milagres” (CF nº 88 e 89). A força da solidariedade deve nos deixar mais atentos ao que acontece a nossa volta, deve nos levar a um agir por nossa própria vontade ao serviço voluntário, somente com o desejo espontâneo de fazer o bem. Nós somos chamados a criarmos espaços tornando-nos agentes de transformação mesmo enfrentando grandes desafios. Eu testemunho como esta realidade marcou

e marca profundamente a minha vida. Quando fiquei viúva do meu primeiro marido, eu tinha vinte e três anos; pelas circunstâncias da sua perda e do abalo que isto me causou, eu resolvi voltar a estudar, tentar fazer algo que preenchesse o meu vazio. Foi então que logo ingressei no curso de Serviço Social, para de alguma forma tornar-me útil às pessoas, ansiei preencher a minha vida com os que sofrem, ajudando-os, independente do retorno pessoal. Eu dizia comigo: “Vou construir

Todos nós somos responsáveis por um mundo mais humano, justo e solidário minha vida ajudando os outros”. Senti-me impulsionada a dar o meu tempo a quem precisasse. Então comecei como voluntária em um prontosocorro de minha cidade. Ali aprendi que no voluntariado contribuímos para que vidas venham à luz, que rostos voltem a sorrir, e que o desespero dá lugar à esperança. Ser voluntário é tornar-se agente de transformação, com a certeza de não dever nada a ninguém, a não ser a caridade. Nele não há qualquer interesse a não ser a oferta de si mesmo. Ser voluntário é ser livre para amar e servir; é se comprometer com um mundo novo. Luzia Santiago

Cofundadora da Comunidade Canção Nova www.luziasantiago.com Revista Canção Nova Fevereiro 2010

07


clube da evangelização

A vida em nossas mãos anos, ova, você está há 30 N ão nç Ca da or Sócio Evangelizad ímos essa grande nosco! Juntos constru co do an liz ge an ev fielmente muitas vidas, muitos lares, salvamos a s su Je os m va Le s. Obra de Deu o bem no juntos, promovemos e , os uit m os m So muitas almas... Brasil e no mundo!

Nossas contas Banco do brasil Ag.: 3358-8 C/C.: 3689-7 Banco real Ag.: 0617 C/C.: 0004315 Banese Ag.: 028 C/C.: 101368-6 Tipo: 03 bradesco Ag.: 3373-1 C/C.: 215-1 BRB - Banco de brasÍlia C/C.: 204007584-9 caixa Ag.: 2003 C/C.: 339-1 Tipo: 003 hsbc Ag.: 1378 C/C.: 0676370 nossa caixa Ag.: 0083-3 C/C.: 04-000330 itaú Ag.: 0247 C/C.: 31453-7 santander Ag.: 0164 C/C.: 13-000147-3 unibanco Ag.: 0057 C/C.: 111363-8

08 Revista Canção Nova Fevereiro 2010


administração e vida

Economia e Vida Quando ouvimos falar de economia pensamos logo em dinheiro, em banco, gastos, sobrevivência, ou lembramo-nos das pessoas que têm grandes negócios, ricos, repletas de bens. Não podemos negar que a economia faz parte da vida humana, pois ela é a ciência que trata dos fenômenos relativos à produção, à distribuição e ao consumo dos bens. Tanto os ricos como os pobres têm que viver claramente uma harmonia entre os bens e a vinculação com Deus que os criou, com o trabalho necessário a todos e com o próximo. Ao ler o livro: “Santificação da vida diária”, gravei o que um filósofo hindu em sua visita a Europa disse: “Encontrei aí um cristianismo domingueiro e um paganismo dos dias úteis, lá já não existe mais coerência entre religião e vida, para a maioria a religião é apenas uma moldura mais ou menos bela da vida. Respeitável, talvez, como móveis antigos e herdados, mas não com força central que penetra e sustenta toda a vida”, pessoas passíveis a contradição: “servir a Deus e ao Dinheiro”. Pensando diferente: há ricos que temem a Deus e que dão resultados imensos para o bem da sociedade. Eles dão emprego que sustentam nossas famílias, recolhem seus impostos; são cristãos administrando sua riqueza, gerando empregos, pois o trabalho é uma fonte de vida.   A ânsia de ser feliz está totalmente ligada à natureza humana; tudo o que nós fazemos vai em direção a ela. A pessoa vai em busca de dinheiro, de bens, prestígios, para querer ser feliz. Amamos a Deus e lhe pertencemos fiéis porque consciente ou inconscientemente queremos ser felizes. Quando nos faltam sonhos, vem de imediato à ociosidade que é a mãe de todos os vícios. O trabalho é uma parcela da felicidade do paraíso, mas pela sua ociosidade, o homem cometeu o pecado. No capítulo três do livro de Gênesis Deus disse

ao homem: “A terra será maldita por sua causa, produzirão espinhos e abrolhos e sua nutrição será as ervas do campo, comerás pão com o suor de sua fronte”. Isto é para nós entendermos que o trabalho que efetuamos sob as consequências do pecado original se não for no temor de Deus não é bênção, mas maldição. Dias atrás eu estava em São Paulo e tive que fazer alguns exames do coração, fui à missa na

O trabalho é uma parcela da felicidade do paraíso Igreja de São Francisco, e o frei que celebrava, na hora da oração do Pai Nosso, destacou que rezássemos pelo rei e a rainha de Dakar, pois eles sendo milionários, ao fazerem uma viagem pelo mundo, se sensibilizaram com a falta de instrução de muitos povos; isto os deixaram indignados. Então eles resolveram construir uma grande universidade em Dakar para acolher alunos do mundo inteiro para que estes possam receber estudo com dignidade. Os reis ainda promoveram uma conferência com ministros da educação de quarenta países, e entidades educativas. Conclusão: existe rico com espírito pobre que vê a pobreza do irmão; e há muitos pobres ociosos que têm espírito de rico olhando somente para o seu próprio umbigo. Que Deus nos leve a todos a um trabalho santificado. Deus abençoe a todos. Amo vocês.

Wellington Silva Jardim Cofundador da Comunidade Canção Nova e administrador blog.cancaonova.com/eto Revista Canção Nova Fevereiro 2010

09


entrevista

Patrões e funcionários, convertei-vos! Secretário-geral da CNBB diz que Campanha da Fraternidade convoca todos a serem cristãos no mundo da economia um empregador. Ou seja, viver sempre com honestidade, solidariedade, com a capacidade, inclusive, de ver no seu colega um irmão”, aponta.

Dom Dimas Lara Barbosa Secretário-geral da CNBB

10

Revista Canção Nova Fevereiro 2010

Ou Deus, ou o dinheiro. É a encruzilhada que a Campanha da Fraternidade (CF) apresenta neste ano. Com autorização da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) coordena campanha focada em economia com apelo de conversão a todos os cristãos na Quaresma. A sinalização sobre o melhor caminho a seguir vem da Doutrina Social da Igreja, segundo o secretário-geral da CNBB, Dom Dimas Lara Barbosa. Entre uma reunião e outra em Brasília, o bispo concedeu entrevista por telefone à Revista Canção Nova e pediu um agir cristão para ricos e pobres. “Vale para funcionário, o que vale para

Revista CN: A CF é voltada somente para os cristãos ou para a sociedade em geral? Dom Dimas: É claro que, como a CF pretende levar as pessoas a viverem bem o espírito da Quaresma em primeiríssimo lugar, levar a um processo de conversão, ela é pensada ao interno da Igreja. E especificamente da Igreja Católica. O que a gente tem percebido da CF em 46 anos é que ela toca assuntos que são fundamentais para a vida da sociedade como tal. Nesse sentido, ela tem muita repercussão. Tanto que nós temos sempre uma sessão solene na Câmara ou no Senado com o tema da CF. E as universidades, escolas, prefeituras, movimentos sociais e outras entidades costumam, conforme o tema, promoverem debates e reflexões e assumirem o texto-base da CF como um ponto de partida para uma reflexão naquele ano. Revista CN: Por que a campanha deste ano está focada em economia? Dom Dimas: O processo de escolha do tema da CF é muito participativo. Normalmente, com


dois anos de antecedência, pastorais, movimentos e os regionais da CNBB começam a se mobilizar. Para esse ano, o processo foi um pouco diferente. Há dois anos, a Assembleia Geral dos Bispos concedeu autorização ao Conic, que fez um pedido expresso de ter mais uma CF Ecumênica – já tivemos duas (em 2000 e 2005) e agora, em 2010, eles queriam essa nova oportunidade. Como a assembleia aceitou, ela confiou a uma comissão organizada pelas igrejas-membro do Conic, com a participação da CNBB evidentemente, mas não sob a coordenação da CNBB. E ali eles devem ter feito um processo parecido. Revista CN: Ao tratar de economia, a Igreja no Brasil manifesta preferência por algum sistema econômico e rejeita algum outro? Dom Dimas: Não. Na verdade, hoje praticamente não temos aquela opção que havia até pouco tempo atrás entre o socialismo ou o capitalismo. Com a queda do comunismo real, praticamente existe uma hegemonia do sistema capitalista. Pelo menos no nosso país isso é claro. Se durante muito tempo a Igreja condenou veementemente o aspecto materialista de luta de classe, busca do poder e, sobretudo, a visão imanentista [fechada a Deus] do próprio materialismo dialético e histórico que caracterizava o marxismo, hoje, a concentração da reflexão é a crítica a aspectos danosos do próprio sistema neoliberal que está em vigor no nosso país. Para a Igreja, a economia deve ser sim guiada pela ética. O critério deve ser o bem comum, a dignidade da pessoa, a construção da sociedade justa e solidária e não simplesmente a maximização do lucro ou a busca do mercado pelo mercado. Revista CN: Como esta abordagem econômica se encaixa com a Quaresma, que deve ser um tempo forte de espiritualidade? Dom Dimas: A CF de forma alguma atrapalha, muito pelo contrário, ajuda profundamente a viver o espírito da Quaresma. Porque, em primeiro lugar, a Liturgia da Quaresma é celebrada como em qualquer outro lugar do mundo. E na

Quaresma não existe apenas a celebração da Santa Missa. Você pode fazer vias-sacras, celebrações penitenciais, círculos bíblicos, grupos de famílias, de jovens e tantas outras iniciativas que ajudam as pessoas a refletirem sobre a vida. Revista CN: Em termos práticos, como esta campanha deve afetar um empresário que queira agir de modo cristão? Dom Dimas: Eu vejo que o ser empresário não é contraditório com o ser cristão. Absolutamente. Agora, ele vai ter uma responsabilidade muito maior na hora de aplicar a justiça social, de tratar com o mundo do mercado, com a ética. A última coisa que se poderia ver de um empresário cristão é ele oferecer ou receber propinas para conseguir vantagens ou usar de métodos espúrios para poder derrubar seu concorrente, humilhar as pessoas.

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2010

Revista CN: Qual é o chamado de conversão a um funcionário? Dom Dimas: Vale para funcionário, o que vale para um empregador. Ou seja, viver sempre com honestidade, solidariedade, com a capacidade, inclusive, de ver no seu colega um irmão, de estar sempre disposto a ser semeador da Palavra de Deus onde quer que ele esteja. Mas, além disso, a postura de vida, a honestidade, a opção pelos valores éticos, o engajamento profético na denúncia das injustiças, na construção de um mundo justo e solidário é missão de todo discípulo-missionário de Jesus Cristo. Maurício Rebouças

Comunidade Canção Nova e Jornalista twitter.com/reboucascn

Revista Canção Nova Fevereiro 2010

11


04 DE MAIO - Itália - Milagres Eucaristicos com Prof. Felipe Aquino 11 DE MAIO – Portugal e França - Santuários Marianos - com Dunga e Néia 25 DE MAIO - Medjugorje - Santuário Rainha da paz – com Pe. José Augusto e Vanusia 20 DE JULHO - Itália especial - Roteiro para família - com Pe. Bruno

EUROPA/AMÉRICA

Saídas

21 DE SETEMBRO - México - Nossa Senhora de Guadalupe - com Pe. Roger Luis 28 DE SETEMBRO - Polônia - Caminhos de João Paulo II - com Pe. Hamilton e Márcio Mendes

TERRA SANTA

Em 2010, venha peregrinar conosco acompanhado pelos diretores espirituais da Canção Nova!

Saídas 02 de março – Pe. Fabrício 09 de março – Dunga e Pe. Silvio (Pinda) 06 de abril – Pe. Arlon e Prof. Felipe Aquino 11 de abril – Pe. Luizinho 27 de abril – Ricardo Sá e Eliana Sá 20 de maio – Pe. Paulinho

Serão 09 dias em peregrinação pelos lugares onde Jesus viveu!

Informações: Tel: (12) 3186 2055 Site: blog.cancaonova.com/peregrinacoes


+ vida

É possível alimentar-se melhor e gastar menos? cima se gasta bem menos. Esse não é o primeiro caso. Tenho vários relatos de ouvintes do programa Mais Saúde, cujos maridos agradecem as sugestões, pois a conta do supermercado diminuiu muito! Qual o segredo? Voltar a comer como no tempo da vovó! Para que tantos enlatados, biscoitos e salgadinhos que contêm conservantes, aditivos e corantes necessários para aumentar o tempo de vida de prateleira? Outra grande mudança no hábito alimentar foi constatar que todas as classes sociais hoje fazem uso do famoso delivery (alimentos que você encomenda por telefone e que são entregues rapidamente em casa). Estes produtos são repletos de gorduras saturadas, além de pobres em vitaminas e sais minerais tão necessários para construir um corpo saudável (templo do Espírito Santo, lembra?). Estes alimentos têm sido associados à Obesidade e às Doenças Cardiovasculares. Quando escrevi o artigo anterior, não tinha ideia do tema da Campanha da Fraternidade deste ano cujo tema nos remete a uma valorização do que temos evitado: o desperdício. E aqui também entra a alimentação. Você vai ver (e sentir no bolso) a diferença de comer mais verduras cruas, saladas variadas e muitas frutas (pelo menos 5 diferentes por dia, uma de cada cor). E para não dizer que são somente folhas cruas que podemos comer, aqui está uma receita maravilhosa de uma Pasta de Grãos de Bico (crus!). Uma delícia! Veja ao lado.

Sim! Tenho ajudado várias comunidades a melhorar a alimentação de seus sacerdotes, missionários e os testemunhos que recebo vão além dos benefícios físicos, psíquicos e espirituais. Há poucos meses estive em Várzea Grande (MS) no Seminário Arquidiocesano de Cuiabá (Instituto Cristo Rei), cujo reitor é o nosso tão conhecido e querido Pe. Paulo Ricardo que acompanha de perto meu trabalho em busca de um equilíbrio nutricional que possa ajudar a melhorar também a vida de oração de quem a pratica. Qual não foi minha surpresa quando após uma palestra que realizei para os religiosos locais, o ecônomo do seminário pediu para dar um testemunho. Pe. Evandro, responsável pelas compras, disse que depois de implantarem uma alimentação mais saudável no seminário, a conta do supermercado foi reduzida pela metade! Hoje, segundo ele, come-se muito melhor, com muito mais variedade e ainda por

PASTA DE GRÃOS DE BICO (CRUS!) você vai precisar de... Suco de 1 limão, 1 inhame (cru) picado ou 1 mandioquinha (crua) picada, 1 cebola, azeite, 5 punhados de grãos de bico hidratados sem casca (Deixar de molho em água filtrada por 8 horas, depois escorrer), hortelã fresca, salsinha, cebolinha e sal.

faça assim... Bater tudo no liquidificador e servir com palitos de cenoura e pepino.

Dra. Gisela Savioli Nutricionista clínica foto ilustrativa

+ saúde

QUAL O SEGREDO? VOLTAR A COMER COMO NO TEMPO DA VOVÓ!

www.giselasavioli.com.br

*Higienize sempre o que for consumido cru. Revista Canção Nova Fevereiro 2010

13


educando

A simplicidade da oração

DEUS SABE MAIS DO QUE TODO MUNDO

14

Revista Canção Nova Fevereiro 2010

Um homem apareceu em um programa de televisão dizendo que nunca tinha ido ao hospital por falta de tempo. “Muito trabalho, dona”. Dizia para a jornalista. “Muito trabalho”. O diagnóstico não foi o esperado. Era câncer em estágio avançado. E a resposta veio no mesmo tom. “O doutor disse que vai fazer de tudo... ele foi muito atencioso comigo”. E os olhos semicerrados escondiam dor e esperança. A jornalista perguntou sobre o tratamento, e o homem respondeu: “Quem sabe é o doutor e Deus, que sabe mais do que todo mundo”, e concluiu: “Deus sabe que não posso demorar muito, a roça não espera... e só tem eu para cuidar de mulher, duas filhas e uma neta”. “Deus sabe mais do que todo mundo”...essa é a oração do Osvaldo. A mulher não o acompanhou até o médico porque ficou na roça cuidando da neta. E a neta ficou brincando com o cachorro. Uma filha mora na cidade. A outra “tem problemas na cabeça”, disse o pai. O cenário é comum. As personagens também. E o comum é extraordinário. As emoções humanas nascem desses encontros. O chapéu protege do sol para “não queimar os miolos”. A crença no doutor vem do fato de ele ter estudo e quem estuda tem de saber. Quando era criança gostava de balançar nas redes. Redes que fizeram balançar o corpo de tantos homens que deixavam a enxada para pensar na vida e dormir de cansaço. Mulheres cantarolando cantigas de ninar ou contando histórias. Crianças com vergonha de gente, escondendo-se na saia da mãe. Gente respeitosa com os padres. Trabalhadores com o chapéu na mão em dias de procissão. O respeito ao sagrado frequentando os corações e as mentes. Pequenos pecados. Confissão. Sino da capela às 6 horas. Pão com manteiga. Café. Prosa. E

a oração junto. Um pedido. Um agradecimento. Uma reclamação. E tudo sincero. Nos caminhos da vida, aprendemos o tempo todo. As lições de simplicidade nos ajudam a falar com Deus e a senti-LO. Nos nossos calvários ou nas celebrações de vitória, a oração nos eleva. Nos calvários, a dor nos aproxima de nossa essência humana, falível, imperfeita. Nas vitórias, a oportunidade de não nos distanciarmos de nós mesmos. Quantos são aqueles que, cheios de poder, sentem-se eternos e se vestem de arrogância. A vitória deveria ser comemorada com gratidão. Os cânticos de louvor brotam de uma alma simples que diz, sem muito ensaio: “Deus sabe mais que todo mundo...” A experiência é a da oração na simplicidade cotidiana. Evidentemente, há momentos especiais de oração, na comunidade ou no silêncio. Mas o dia fica mais poético quando a oração faz parte do ir, voltar e permanecer. Não sei o que aconteceu com o tratamento do Osvaldo. Rezei por ele logo depois que a imagem se foi. Ficou em mim até hoje. Sei que homens assim espalham beleza no mundo. É na simplicidade que experimentamos Deus. Obrigado, Senhor.

Gabriel Chalita

professor, escritor e apresentador do Sistema Canção Nova de Comunicação twitter.com/gabriel_chalita


ação jovem

Tenho o que preciso, preciso do que tenho

dicas

Pense comigo: você diante de sua TV, e o que aparece na telinha é um comercial com uma galera bonita, em um dia de sol, namorando, rindo e curtindo a vida. Ao término da propaganda, aparece algo como: “a vida é hoje!”, “aproveite” ou outro slogan qualquer que traz esta mesma ideia. Tipo: “seja feliz agora tendo isso, por isso, e só custa isso”. Ironia do destino? Não! O públicoalvo dos comerciais é justamente o jovem, já que, entre outros fatores, viaja mais, diverte-se mais e, por consequência, gasta mais. Sim, realmente somos o alvo deste mercado. Mas fazer o quê? A cada dia uma novidade, a cada dia uma evolução e vitrines com produtos da última hora. É possível sobreviver? Acredito que sim. Basta usar da mesma técnica. Já ouviu falar de custo-benefício?

FILME

CD

À PROCURA DA FELICIDADE

HORIZONTE DISTANTEROSA DE SARON (2009)

Chris Garner, um vendedor que vive no limite da linha da pobreza e tem que criar sozinho o filho de 5 anos. Desempregado, consegue um estágio sem remuneração em um programa ultra-competitivo de analista financeiro. Chris continua a honrar seu compromisso como um pai amoroso e afetuoso, usando a afeição e a confiança que seu filho depositou nele para superar os obstáculos que encontra.

CD composto por 13 músicas inéditas, e suas composições abordam não somente a espiritualidade, mas, também aspectos sociais. A banda Rosa de Saron em “Horizonte Distante” imprime um novo som e uma nova postura, que com certeza conquistará o público neste novo álbum.

Ou seja, aquilo que estou comprando realmente vale a pena? Vou mais além. Realmente vale a pena investir nisso? É essencial para mim? Ou quero apenas acompanhar uma moda ou ideologia? Galera, perguntas como estas trazem maturidade e coerência. Vontades todos temos, quem não gostaria de ter Ipod de última geração turbinado com não sei quantos GBs? Não existe mal na vontade. Agora o que faço com ela? Devo tomar cuidado. Não somos só vontade, somos razão! Somos análise também. Diante de suas vontades pense: em que isso me faz melhor? Tendo isso, contribuo mais para ser gente e ter um mundo melhor, ou me fecho em meu mundo egoísta e orgulhoso? O benefício é maior que o custo que tenho ao adquirir algo? Ser Cristão é saber administrar aquilo que tenho oferecendo o melhor para o outro... Somos gente que se relaciona e não que se isola. Não somos ilhas, não é? Diante de minhas vontades eu me questiono: por que quero isso? Quero porque realmente preciso ou por que todo mundo tem e eu tenho que ter? Este “todo mundo” é perigoso demais, podemos nos perder aí no que somos. E os excessos então? Nossas gavetas denunciam o que somos. É bom esvaziá-las de vez enquanto, ficando somente com o que é necessário. Você já observou quanta coisa sem necessidade acabamos consumindo? O QUE VOCÊ NÃO USA NÃO TE PERTENCE. Isso se chama retiro da boa morte! Viver com o necessário! Então vamos lá, mais que viver consumindo produtos de propagandas, que tal criar o seu slogan: Tenho o que preciso, preciso do que tenho!

Adriano Gonçalves Comunidade Canção Nova

blog.cancaonova.com/revolucaojesus/

Revista Canção Nova Fevereiro 2010

15


santo do mês

Santa Escolástica

10 fev

Santa Escolástica era irmã gêmea de São Bento, pai do monarquismo ocidental. Mesmo morando em mosteiros próximos, em Montecassino, sul da Itália, costumavam visitar-se apenas uma vez ao ano. Na última vez, ela suplicou-lhe: “Peço-te, meu irmão, que te detenhas esta noite aqui, para que possamos conversar mais sobre as coisas celestes”. Ele não queria de jeito nenhum. Escolástica fez uma fervorosa oração. Desabou uma tempestade e tanta chuva que Bento se obrigou a ficar. Diante do irmão decepcionado, ela disse: ‘eu te pedi e não quiseste atender-me; dirigi-me a Deus e fui ouvida’. Três dias após aquele longo colóquio afetuoso com seu irmão de sangue e de consagração, Santa Escolástica partiu para o Céu! O que isso pode nos ensinar, após tantos séculos? Entre tantas lições, certamente a primeira é de questionar-nos sobre o objeto das nossas conversas e perguntar-nos sobre o que falamos e nos ocupamos no dia-a-dia. Somos semelhantes à águia que sabe alçar seu olhar e seu voo? Ou nos assemelhamos mais à galinha que olha só as coisas da terra, do chão? Como pessoas de fé, deveríamos suspirar mais, muito mais pelas coisas do alto, as celestiais, como Santa Escolástica. E lembrar que tudo o que pedirmos com reto coração a Deus, Ele nos atenderá. O desafio é procurar cada vez mais ocupar nossa mente e nosso coração com ‘as coisas celestes’, para que isto contagie nossa prática, nosso modo de amar, de dar testemunho dos valores porque estes não passam e que realmente dão sabor à nossa vida. Para honra e glória do Senhor!

Peço-te, meu irmão, que te detenhas esta noite aqui, para que possamos conversar mais sobre as coisas celestes.

Frei Jorge E. Hartmann, ofm Frade Franciscano

jorhart@hotmail.com

fevereiro 2010

liturgia

Santa Escolástica

16

Dia 1 - Segunda • 2 Sm 15,13-14.30 • Sl 3 • Mc 5,1-20 Dia 2 - Terça • Ml 3,1-4 ou Hb 2,14-18 • Sl 23 • Lc 2,22-40 Dia 3 - Quarta • 2 Sm 24,2.9-17 • Sl 31 • Mc 6,1-6 Dia 4 - Quinta • 1 Rs 2,1-4.10-12 • Cânt.: 1 Ce 29,10-12 • Mc 6,7-13 Dia 5 - Sexta • Eclo 47,2-13 • Sl 17 • Mc 6,14-29 Dia 6 - Sábado • 1 Rs 3,4-13 • Sl 118 • Mc 6,30-34 Dia 7 - Domingo • Is 6,1-2a.3-8 • Sl 137 • 1 cor 15,1-11 • Lc 5,1-11 Revista Canção Nova Fevereiro 2010

Dia 8 - Segunda • 1 Rs 8,1-7.9-13 • Sl 131 • Mc 6,53-56 Dia 9 - Terça • 1 Rs 8,22-23.27-30 • Sl 83 • Mc 7,1-13 Dia 10 - Quarta • 1 Rs 10,1-10 • Sl 36 • Mc 7,14-23 Dia 11 - Quinta • 1 Rs11,4-13 • Sl 105 • Mc 7,24-30 Dia 12 - Sexta • 1 Rs 11,29-32 • Sl 80 • Mc 7,31-37 Dia 13 - Sábado • 1 Rs 12,26-32 • Sl 105 • Mc 8,1-10 Dia 14 - Domingo • Jr 17,5-8 • Sl 1 • 1 Cor 15,12.16-20 • Lc 6,17.20-26

Dia 15 - Segunda • Tg 1,1-11 • Sl 118 • Mc 8,11-13 Dia 16 - Terça • Tg 1,12-18 • Sl 93 • Mc 8,14-21 Dia 17 - Quarta • Jl 2,12-18 • Sl 50 • 2 Cor 5,20-6,2 • Mt 6,1-6.16-18 Dia 18 - Quinta • Dt 30,15-20 • Sl 1 • Lc 9,22-25 Dia 19 - Sexta • Is 58,1-9a • Sl 50 • Mt 9,14-15 Dia 20 - Sábado • Is 58,9b-14 • Sl 85 • Lc 5,27-32 Dia 21 - Domingo • Dt 26,4-10 • Sl 90 • Rm 10,8-13 • Lc 4,1-13

Dia 22 - Segunda • 1 Pd 5,1-4 • Sl 22 • Mt 16,13-19 Dia 23 - Terça • Is 55,10-11 • Sl 33 • Mt 6,7 – 15 Dia 24 - Quarta • Jn 3,1-10 • Sl 50 • Lc 11,29-32 Dia 25 - Quinta • Est 4,17 • Sl 137 • Mt 7,7-12 Dia 26 - Sexta • Ez 18,21-28 • Sl 129 • Mt 5,20-26 Dia 27 - Sábado • Dt 26,16-19 • Sl 118 • Mt 5,43-48 Dia 28 - Domingo • Gn 15,5-12.17-18 • Sl 26 • Fl 3,17-4,1 • Lc 9,28b-36

DATAS ESPECIAIS • 01- Dia do Publicitário • 02- Nossa Senhora das Candeias • 03- Dia de São Brás • 05- Dia de Santa Águeda • 09- Dia do zelador • 11- Nossa Senhora de Lourdes Dia Mundial do Enfermo • 14- Dia da amizade • 16- Dia do Repórter • 19- Dia do Esportista • 22- Cátedra de São Pedro


formação

Série Mariologia

A pobreza e a humildade de Maria A Igreja ensina que Nossa Senhora foi escolhida por Deus “desde toda a eternidade” (Cat. § 488), para ser a Mãe do Seu Filho. Por causa de sua Maternidade Divina, ela foi sempre ‘Cheia de Graça” (gratia plena), concebida sem o pecado original, permanecendo Sempre Virgem (cf. Cat. §499), e Assunta ao Céu de corpo e alma. Pela altíssima dignidade de escolhida para ser a Mãe do divino Redentor, Maria nunca experimentou o pecado, nem o Original e nem o pessoal. S. Luiz de Montfort, fazendo coro com os Santos Padres, dizia que: “assim como o mar é a reunião de todas as águas, Maria é a reunião de todas as graças. Mas entre todas as virtudes de Nossa Senhora, podemos destacar a humildade e a pobreza. Ela é a Mulher humilde, pobre de espírito – exatamente o oposto de Eva soberba. Santo Irineu de Lião, doutor da Igreja (†202), disse que “a obediência de Maria desatou o nó da desobediência de Eva” (Ad. Haer.). A humanidade foi lançada nas trevas do pecado e da morte, porque nossos primeiros pais foram soberbos e desobedientes a Deus. Pela humildade Jesus se tornou o “novo Adão” e salvou o mundo (Rom 5,12s). “Sendo Ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fil 2,6-8). Maria, a mãe do Senhor, tornou-se a “nova Eva”. Os santos ensinam que foi a perfeita humildade de Nossa Senhora que fez com que Deus a escolhesse para a mãe do seu Filho, eleita entre todas as mulheres.

Ela mesma canta no Magnificat: “Ele olhou para sua humilde serva” (Lc1,48). A soberba é o pior pecado. É o que levou também os anjos maus a se rebelarem contra Deus, e levou Adão e Eva à desobediência mortal para toda a humanidade. Alguém disse que o orgulho é tão enraizado em nós, por causa do pecado original, que “só morre meia hora depois do dono”. Ser humilde é ser santo, é descer do pedestal, é não se auto-adorar, é preferir fazer a vontade dos outros que a própria, é ser silencioso, discreto, escondido, é fugir das pompas e dos aplausos, como Maria. Sendo Mãe de Deus nunca se orgulhou; mas permaneceu pobre e humilde. São João Batista nos ensina a humildade de Maria: “Importa que Ele cresça e que eu diminua!” (Jo 3,30). Jesus exaltou os “pobres de espírito” (Mt 5, 1) como a Virgem Maria que precisou de muito pouco das coisas materiais para servir o Seu Filho e Senhor, e ser aquela que, como disse João Paulo II, “foi a que mais cooperou para a obra da Redenção da humanidade”. Olhemos e imitemos a Estrela pobre e humilde, que é nossa Mãe.

Prof. Felipe Aquino Escritor e apresentador na TV Canção Nova

blog.cancaonova.com/felipeaquino Revista Canção Nova Fevereiro 2010

17


clube da evangelização

30 anos, juntos promovendo o bem! A história da Canção Nova, é a história do Clube da Evangelização, e também a sua, Sócio Evangelizador, que nos ajudou, nesses 30 anos! Monsenhor Jonas, diz que: “Você é o Clube da Evangelização, que se iniciou como uma aventura de fé!” Você esteve ao nosso lado em todos os momentos, construindo essa grande Obra. Você acreditou, rezou e contribuiu conosco. Nossa festa de 30 anos, é sua!

LDADES

U NAS DIFIC

inha vida em a entrou em m “A Canção Nov uito difícil, quando passei m um momento tornei Sócio pessoais. Me os as m le por prob muitos produt o lgo e compr vu em di , qu or a ad ar liz ss ra pa Evange rei.” ão do Davi, pa de evangelizaç o um dia precisei, e encont m co m si as a, precis o Cruz - SP vald

rique Faza - Os

Fabrício Hen

ÃO UMA DECIS

do as pessoas, ir evangelizan a “Não posso sa me tornei sócia para que o, s tã vé en ra a, at um s, uma a tos lare chegue a mui a, evangelização municação da Canção Nov s Co oa de ss pe os s ei ta M dos e mui zendo com qu assim estou fa ntrem Jesus.” enco - SP asco Priore -

Laura Bergam

AMOR PEL

ta

Varzea Paulis

esposo e quando meu “Pude ser fort rrível enfermidade. a te passou por um ficava em adoração ao eu e ir rm do Ele ía ão Nova. Ela, nto com a Canç zante, uma ju o, m si ís nt Sa o, um tranquili rajou na fé. foi um bálsam co i quem me en fo , intercessora anaus - AM

A OBR A

minha esposa dor junto com “Sou arrecada bençãos derramadas e as , r as s dessa Obra e podemos ve nhor faz atravé Nova há 25 Se o e qu as maravilh u Canção visitamos. So ais!” nos lares que e, é bom dem nt ca ifi at gr to ui m é anos, e ta Ribeiro - Cr

Antonio Batis

18

Revista Canção Nova Fevereiro 2010

VIDA NOVA

uzeiro - SP

ré Teixeira da

Maria de Naza

Cunha - M


agenda

Presenças: Pe. Wagner Ferreira, Pe Pe. Donizete . Roger Luis Heleno, Pe. , Pe. José Au Fabrício de Márcio Men gusto, Andrade, D des, Eliana R ia c . N ib elsinho Cor eiro, Dunga Profº Felipe rêa, , Ricardo Sá Aquino, Eug , S a le ê tt nio Jorge, Er e F Banda Dom e r r eira, os Biondini, inus, Alto Lo Antônio Alv uvor, Exalta es, DDD, Cristo e Jak e.

Aprofundamento “Não te deixes vencer pelo mal” (Rm 12, 14) Data: 25 a 27 de fevereiro Presenças: Roberto Tannus (RCC) e Márcio Todeschini (Canção Nova) Kairós “Tudo posso Naquele que me fortalece” (Fl 4, 13) Data: 28 de fevereiro Encontro Latino Americano Aprofundamento “Cura dos Relacionamentos” Retiro de Cura Interior

Fone: (12) 3186-2600 - blog.cancaonova.com/eventos - wiki.cancaonova.com


ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS Virgem Santíssima das Candeias, vós que pelos merecimentos de vosso Filho Onipotente, tudo alcançais em benefício dos pecadores de quem sois igualmente Senhora e Mãe. Vós que não desprezais as súplicas humanas e nem a elas fechais o vosso coração compassivo e misericordioso. Iluminai-me, eu vos peço, na estrada da vida, encorajai-me e encaminhai os meus passos e as minhas orações para o verdadeiro bem. Livrai-me de todos os perigos a que está exposta à minha fraqueza. Defendeime de meus inimigos, como defendeste o vosso amado Filho das perseguições que sofreu sendo menino. Não consintais que eu seja atingido por ferro, fogo e nem por peste alguma, e depois de todos estes benefícios de vossa clemência nesta vida, conduzi a minha alma para a morada dos anjos, onde com Jesus Cristo, vosso Filho e Nosso Senhor, viveis e reinais, pelos séculos. Amém.

Profile for Revista Canção Nova

Revista Canção Nova de Fevereiro 2010  

A revista Canção Nova é, acima de tudo, um instrumento de evangelização. Ela é um canal eficaz de comunicação da Canção Nova com os seus sóc...

Revista Canção Nova de Fevereiro 2010  

A revista Canção Nova é, acima de tudo, um instrumento de evangelização. Ela é um canal eficaz de comunicação da Canção Nova com os seus sóc...