Issuu on Google+

10 de maio de 2011 Ano 41 - Edição 357

Campus Jornal-laboratório da

Foto por Bárbara Nascimento

Faculdade de Comunicação

Sem licença para funcionar Falta de alvará põe em risco as atividades do Campus Darcy Ribeiro

cimento

crianças em perigo

park way cultura

falta ônibus

verba parada


A culpa é de quem? Por Nathália Novais  A> H !  IK    oito instituições de ensino foram interditadas O VWXW &   Y#Z! [    \%& >  <!%]+ = #%&  !    > ^   ^_!H^`#$+ AI&

 !+ (  #VWXW ( !  j#  k % \   %&  & >;!#  p!!^ %  Y#Z+AI&<! \p !+ O Habite-se garante as condições necessárias

AI  ! ^    trabalharem e estudarem. Mas a falta do docu-

mento evidencia uma situação que se estende ;)!  { [  ^[  ^[ !><!  ^ {^{ p situação da rede elétrica da Universidade. A ^OVWW|Correio Braziliense O; >  #     p!+ ^  !  ICC e dos mezaninos são frequentes, e a situação ainda continua.  [ AI&&   <!    #  mais urgentes. E regularizar a situação seria o

   !%   +  

# p)[ >  #    # ~ p[ ! ;~

Ombudskivinna Por Carícia Temporal O Campus p    [    O #%!<!! semestre. Neste, mudanças foram visíveis no formato do jornal, que tomou ares de revista ^ !!  + ![  \    #  !   + Na estreia, o Campus comete um deslize fatal ao ignorar a enchente no Darcy Ribeiro, in! ! >+  ! !^ > ![  ;[ %&+! !! _! ^  [   H +  %& uma incógnita, ao invés de chamariz, dada a ausência de mais informações. Entretanto, a UnB não foi esquecida. Ponto

 %&p! ! trazer questionamentos que interessam aos       %&   Federal. O abandono do HUB, relatado na matĂŠria, denuncia o descaso com a saĂşde e a educação. Outros assuntos tambĂŠm foram bem-vindos, como a matĂŠria Sem cĂĄlcio e sem controle [      K!   %&   [     p # K   ACUMULUS ^>+ >\ [ NĂŁo sou concurseiros pontos estrutura calçada cultura licença obrigadop #  \+&  ! % K>   mambembe fĂĄbrica Ă´nibus biblioteca  ! Â&#x2030;# !&!^ circo minhocĂŁo carona GDF bronquite estrutura arte reitoria internacionais nĂŁo merecia tanto destaque. (  [ pK!  comparecer documento prefeitura malabarismo #O>Â&#x2030;  ;^O + universidade verba cimento

MemĂłria

Habite-se

Expediente

 %&   [ \  XÂ&#x20AC; |  Campus noticiou a criação da Prefeitura da UnB e suas atribui%]+  %&   A>O;  !    #  !  !_!! ^^ ( \#  += AI Ă&#x2030;rico Weidle (foto), disse: â&#x20AC;&#x153;Quando se criou a Prefeitu >  !>[  !   # \Â&#x2026;+p !Â&#x2020;@ jetos de obras, como os PavilhĂľes Multiuso, estavam + pÂ&#x2C6;p  [ ! !%&)[  !H  !   !     %& #;!Â&#x2026;+  <%& &      +

Campus Jornal-laboratório da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília Editora-chefe Nathália Novais Secretária de Redação Mariana Muniz Diretor de Arte Rafael Qinan Editores Daniel Eleone, Denise Britto e Raquel Castelo Diagramação Nathalia          Ilustração Coletivo Firula  Bárbara Nascimento, Carolina Magalhães e Renata Tobias Repórteres Danyele Soares, Denise Ribeiro, Denise Fenelon, Juliana Freitas e Pedro Gomes     Bastos, Carolina Magalhães, Júlia Libório, Julliana      Monitores Miguel Eduardo Reis e Thaís Cunha Professores Sérgio de Sá e Solano Nascimento Jornalista José Luiz Silva  !"# $!  !%&'  Contato: 61 3107 6498/6501 CEP 70.910-900 ( )! * #+# 2;<!= > !%&?@  

Campus

2

BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011


SaĂşde

Filhos da poluição Crianças da comunidade Queima Lençol, próxima à fåbrica de cimento Ciplan, sofrem com problemas respiratórios Texto por Danyele Soares Fotos por Renata Tobias

â&#x20AC;&#x153;O

p!   [     [    >      %[  <![  +++   <     [    &  !Â&#x2026;     p![   j+`<  XXXÂ&#x160;>    %    O; !%  \ crise de asma hĂĄ dois meses. Como os meninos nasceram com a doença, Â&#x2026; !+ `   \   ! ^>     p^!  & ^   !     dos moradores. Em uma manhĂŁ de sĂĄbado no Ăşnico mercado de Queima Lençol, uma remĂŠdios e um nebulizador. >$VWÂ&#x2039; !p;#!= - !)Â&#x2C6;'< [   Â&#x152; Â&#x17D;!  % ^&$! VÂ&#x2020;  ! # Â&#x2026;+ A   $!  [    &

>;= = + Â?!p  VÂ&#x2039;W+`Â&#x2030; VWWÂ&#x20AC;  ' IK  <!#![ pÂ&#x2C6;^ # Â&#x152;'#Â&#x17D;2$! <! [   ! !   Â&#x2026;+    <  > ! [ Â?Â? Â&#x2026;+( #Â?!&) %H tro dias de vida, ele entrou na fĂĄbrica e des !   H  ^=jÂ&#x152;=K! j ^ [  +Â&#x2C6; < >! bronquiolite   &Â&#x17D;+ (inflamação `   ^  Y   Concentração de nos bronquĂ­oUniversitĂĄrio de BrasĂ­lia (HUB) los) e tinha ! !)Â&#x2C6;`   PartĂ­culas Totais em SuspensĂŁo dificuldade Â? Â&#x2018; ^ !  ^_ em Îźg/mÂł 841,6

  +  ^  +    Durante a ma! #Â?!^ Valor mĂŠdio anual de 438,3 drugada eles &  [   ^  !PTS conforme o Conama soltavam tançãoâ&#x20AC;?. O mĂŠdico conhece a situação 240 Valor mĂŠdio anual ta fumaça que    %   !<)   aferido na fĂĄbrica da 80 Ciplan em 2009

! #   [ p +na. Eu vi meu gundo a enfermeira coordenadora Valor mĂŠdio diĂĄrio nĂŁo excedĂ­vel conforme o <  [  do Posto de SaĂşde da FamĂ­lia da Conama morrer e nĂŁo $! Â?^ $ ^ ! Maior valor jĂĄ registrado aguentei. Fui cinco atendimentos, um ĂŠ de criança em um dia na Ciplan lĂĄ, reclamei. ! #  H+ Como eles (  Â&#x2030;O< Dados: Ibram & <\ de Souza, tem bronquite asmĂĄtica. arte: Miguel Reis nada, invadi. HĂĄ cinco meses, durante uma crise, o  <! XX! # &^_ `^ %!  K! >  Y  #+ &  ![ >\ !Â&#x2026; #+ !  !     =Z!+ Â&#x2C6;Â&#x201C; >\  ;#! \ Lucros e prejuĂ­zos Â&#x2C6;    [   ^ p    !;+Â&#x2026;  <  ;#!  K  !%&  ;    %     O+ (  ^ [   ^  depois a fĂĄbrica      + Â&#x2C6; !!      !     W $! Â&#x2039;Â&#x160;+ ^& ^Â&#x161; %&^  #  +&p ^ Sobradinho II, nasceu no dia 12 de setembro de 1956. Nesse ano, mesmo assim ĂŠ o sustento das famĂ­lias.â&#x20AC;? foi inaugurada a FĂĄbrica de Fertilizantes e CalcĂĄrio (Fercal), o que Por danos ambientais, a ComissĂŁo de Meio   #   ! + #  Â? ^ >       #  >! Â&#x2020;   !   !!   '  I    #   ^&<[ ;#!O;>>;K  ;+ Recursos Naturais RenovĂĄveis (Ibama), em #!p!! $ \VWWÂ&#x2039;!;#!+  <! 

! [        ;#!    $! +  !!XÂ&#x2039; ^   Â&#x2C6;% ! #+(   ^  ^ multa de R$ 1,81 milhĂŁo.   + kÂ&#x2030;   & != >    !      +H&> !  Â&#x2026;! $+  j  O     Â&#x152;j    XÂ&#x20AC;|V+ nÂş 14/2005) junto ao MinistĂŠrio PĂşblico do

 $   jH+     !  #  ! %&# [    >K!    ^ !  ^Â&#x2022;=%& #  Planalto Central. ` j  Â&#x2013; X@Â&#x2014;VWWÂ&#x2039;  ^ ![ _!+ ` !  =       VÂ&#x2DC; =     #  do PatrimĂ´nio Cultural, no dia 1Âş de fevereiro VWXX!# '# <! \%& ^&+  %&# !!   [ !!%];;=j  K!  ;> p_>\>  ]# !    !    # Â&#x152;Â&#x17D;+  !!%]   #p & !  &  [  ^   ! p!!

^ # !Â&#x2122;!!#[  % H+ =!  >; >\    ^  Campus < [ > !>_!    Â&#x161; ^ +  p o fechamento desta edição nĂŁo houve retorno.

Primeiro o povo,

Campus BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011

3


Universidade

UnB não tem alvará de funcionamento             Administração Regional de Brasília promete averiguar o problema

& !   >;  !  Universidade de BrasĂ­lia.

Texto por Pedro Gomes Foto por BĂĄrbara Nascimento

D

e acordo com a Lei 4.457/2009, os estabe ! !! & funcionar no Distrito Federal com alvarĂĄ de  !+ A>IK &

 ! %&   interditada. Com versĂľes desencontradas sobre  # H^&AI<^  ^ %&#  Â&#x161;# rocracia do Governo do Distrito Federal (GDF)     !+  tração Regional de BrasĂ­lia, nĂŁo hĂĄ registro da tentativa de regularização.     A> ! 

#      = O `!"Â&#x152; Â&#x17D;+`H^& p!!AI[  # O<! \# <&  ;>   + tionada sobre o tema, a reitoria atribui aos  ! _!  %& # + `  #$!< [   p    !" # &

    Y#Z !  [ 

  ! %& ^   H>   [  p [  [ %& >;[ O se chama licença de funcionamento. â&#x20AC;&#x153;Todos os

O!Â&#x161; %& Regional, de acordo com as normas do CĂłdigo de Obras de BrasĂ­lia e o Plano Diretor do  VWWÂ&#x160;Â&#x2026;+$\[ p    %& ^  &   ! + ` AI= p[   > &!cimento da situação, direcionando a questĂŁo #p  +  H   ^ >&     !^H!) Â&#x2C6;&    !  >; !  Universidade de BrasĂ­liaâ&#x20AC;?.

= p[  ! 

A> ! %&= <  !  [  Â&#x2C6; ^  p   %&Â&#x2026;  K    Y#Z [    !^ \%& a cargo do GDF.  %& ^   IK   !!  Â&#x160;Â&#x2020;W !  [   AI <^  !   & ! [  [  ^ \%& %& & cionamento da Universidade. Um servidor da %&[ &[ <! [  !"# p& suir a Carta de Habite-se, sequer tem o alvarĂĄ de construção, documento que autoriza o inĂ­cio de qualquer obra no DF.   _! >    %&  gularidade da instituição junto ao GDF e im [ AI!^ >; !namento. â&#x20AC;&#x153;NĂŁo sei como a UnB ainda nĂŁo foi Â&#x2026;>+ p! %&A>_!-

!  !#>Â?! > %&    %&^ [ #;! p! ^;^ % Â&#x2030;# !# p^ % !!_ Â?!>>   I# $ Â&#x152;I$Â&#x17D;+ ` ^ IK  !# !   %&[ AI& >; !+ Â&#x2C6;j p   ! ^   IK  !   ! Â&#x2026; [  ^ <!%]^& >  !   ^ \   %& O  Â&#x161; %&+ Â&#x2C6; ! [   ! %]  AI     OH > Â&#x161;p!!+! %&& !%  !> ! !^ \%&Â&#x2026;%+ Interdição do campus  ^_!$! \%&$ Â&#x152; ^<Â&#x17D;pH^& ;>  ><! !% !<!%] $+`$! \%& >(!Â&#x2122;!H^& ; #p %&!!_! & >AI+\[ !_! !%p ^ ^> # H ' da Universidade CatĂłlica de BrasĂ­lia (UCB) e outras trĂŞs faculdades de

         !  Cristovam Buarque, diz que â&#x20AC;&#x153;os estabelecimentos comerciais, industriais e institucionais somente poderĂŁo funcionar no Distrito Federal com o alvarĂĄ de funcionamentoâ&#x20AC;?, cabendo â&#x20AC;&#x153;interdição sumĂĄria do estabelecimento se houver risco iminente para a comunidade ou por falta de

 "  #       $

  %%&'())*        #     como o documento que autoriza o exercĂ­cio de !   +    !    !  -    . Previa possibilidade de interdição sumĂĄria nos casos de â&#x20AC;&#x153;estabelecimento sem licença de funcionamento      !   $

Campus

4

BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011


Como conseguir um alvará de funcionamento? Conforme a legislação do Distrito Federal, qualquer órgão que vá construir         1º        2º       3º!"#$  % &'  construído em conformidade com o projeto de construção aprovado e per# %  () 4º*+  &- #%'   - que, além de critérios técnicos, levará em consideração a destinação do uso  &$ -  .-.  /)/

ICC estĂĄ entre os prĂŠdios do campus que nĂŁo possui "#

j^ ^Â&#x152;kÂ&#x203A;A =O%&Â&#x17D;[ VWXW

  ^<  # ! + #%&!  AI[  ^ <!%]  ^  &p>)Â&#x2C6;=[   %&%O Â&#x161; !% !p!;[   p    >;! %&Y#Z  \  2$Â&#x2026;+ (  ^  !>  < [  >   K! Â&#x161; %& ^   !      %&  !% !AI&#> +(! > >_!! O!<^ +Â&#x2C6;(  <%]O Â&#x161; %&& ^! > %&A>;<! [ ^ \  %&pÂ&#x2020;W+ &O& ! p%&  !"#Â&#x2026;+    ^#_! !%  !A>=  ![ 

# &^ AI  # ^ \ IK +Â&#x2C6;&;O <!>  %& %&  ^ Â&#x2026;+ ` #  ; Â&#x2C6;><!  !^   #> K> Â&#x2026;+

O   Y%Z('())   !   [ %%&  

!  atividades educacionais como de risco, possibilitando a interdição     "      !W  #     â&#x20AC;&#x201C; Arquitetos da UnB enviam carta Ă  Reitoria fazendo advertĂŞncias acerca da estrutura de   

"               !    1    3  4  5  #  !   16  - A Universidade CatĂłlica de BrasĂ­lia (UCB) e outras trĂŞs faculdades de Taguatinga (JK, <   =>? #      ! @ E       #     - Com a nova redação do Decreto, as entidades de ensino foram excluĂ­das do rol das â&#x20AC;&#x153;atividades de riscoâ&#x20AC;?, afastando a possibilidade de interdição sumĂĄria dessas, mas mantendo    6      #    

Forte chuva causa estragos ao Instituto Central  E  H5?  < 1 O    !W    

 ! X     ! As aulas da Universidade de BrasĂ­lia foram    ( 

Campus BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011

5


Cultura

Parados no ponto

NĂ&#x192;O OBRIGADO SOU

Retenção de cerca de R$ 1 milhão prejudica andamento de projeto do MinistÊrio da Cultura que apoia atividades culturais da sociedade civil

Texto e fotos por Juliana Freitas

Texto por Juliana Freitas Foto por BĂĄrbara Nascimento

Integrante do Complexo Cultural da RepĂşblica, a Biblioteca Nacional de BrasĂ­lia foi

    @     ())Z O alto investimento â&#x20AC;&#x201C; estimado em R$ 40 milhĂľes â&#x20AC;&#x201C; nĂŁo trouxe, no entanto, os bene#_      `  apresentar problemas estruturais, o espaço nĂŁo conta com sistema de emprĂŠstimo de livros e os usuĂĄrios nĂŁo podem, nem para consulta local, acessar os cerca de 100 mil NĂŁo Sou Obrigado w    ! O 4 3 O desta semana traz a opiniĂŁo de moradores  1_   #      141

J

;  >& \   H  p     Â&#x152;Â&#x17D;       _ !  [ >      Â&#x153; Â&#x2020;W  VX^ =O=   $ + !!   & !  #   ! %&+>^_! ! de Cultura (SeCult), que gerencia os contratos, sobre a forma correta de utilizar a quantia !!Â&#x153;X & + p disso, erros na redação dos documentos desig># ! > [   ! [  !   !%&> + !!   O[ p %& ;=^  > ^ !  !#Â&#x153;X W  ^_  ! \ %&  ! + > ! <!        %&  >\  !  Â&#x161;  %& ! H=  + No entanto, intimidados com o desacordo entre os ĂłrgĂŁos federal e distrital, as organizaçþes &!  # +  ;>         j^ ^ p![ p!!  ! & #  %]+ Â&#x2C6;j>      \  ^       ! <! ! ^  _!!  H H ! +Â&#x2026;  !  =      $     =&  Â&#x2039;W    Johanne Madsen, reforça a fala de Lima. Para    !Â?!      #!>!%&  ! [  & Â&#x2030;! ;>   &^  #O>+Â&#x2C6;  & _! em convĂŞnios com o governo federal e, alĂŠm   [     <!    ! > Â&#x161; !  !;    Â&#x2026; !+ O secretĂĄrio de Cultura do DF, Hamilton =!!^ +Â&#x2C6;&    #  Â?da redação do contrato] jĂĄ >  p         !  [ +Â&#x2026; = #p #   <!  Â&#x161;  _!^&=   ^[ [ &p ; ; %&p< +

â&#x20AC;&#x153;NĂŁo sou obrigada a concordar com o sistema de gastos do GDF { 

absurdo termos um espaço público tão grande, que mal pode ser 6$ Natália Guimarães, # Responsável pelo Ponto Tribo das Artes, Ruiter Lima aprova solução da CLDF

Proposta = [ >=  !% [ [ &&p >   ^ _! Â&#x2030;# ! \Â?^ > $ XÂ # [ 2$! %!

^ +  >^=O;[    ^ ^  !>#+  ;>   j# #pj^ ^   ! [   !!&  !   ;   \%& > ;^+`^   ]^ !    # !!! &!  O ! <!  &>! += ! !   ^     %  !!  >   > [ # H # +Â&#x2C6;  !^ !!! !#!K>> Â&#x2122; O ;!Â&#x2026;!+ =!   ;  #Â&#x152;==Â&#x17D;     +`  ! Â?! > [ & #+Â&#x2C6;&    [  ! >&>^ pO ;Z Â&#x2026; +

â&#x20AC;&#x153;NĂŁo sou obrigado a ver meu dinheiro investido em um espaço que sĂł serve para concurseiros estudarem e nĂŁo para a população se

educar$ Tagore Costa, !

â&#x20AC;&#x153;NĂŁo somos obrigados a tolerar R$ 40 milhĂľes em gastos com um prĂŠdio enorme sĂł pra turista ver Deveriam investir isso, todo ano, em educação$ Leonardo Santos, !  |.

Campus

6

BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011


Transporte

Ă&#x201D;nibus em bairro nobre ĂŠ luxo Descaso das autoridades rende longas caminhadas e reclamaçþes no Park Way Texto por Denise Ribeiro Foto por Carolina MagalhĂŁes



quinta regiĂŁo administrativa de maior renda per capita do Distrito Federal sofre !   Â&#x2030;# !+ ] =  Â&#x;" Â&#x152;=Â&#x;Â&#x17D;  Â&#x2030;  Â&#x2122;#      > ! \  [  X@   VW+      %& p ^ !   ! p  destino desejado.   >  _ [   ;   ^& [   VÂ&#x20AC; [ +(  V VÂ&#x20AC;  + >Â&#x153;VÂ&#x160;WÂ&#x153;Â&#x160;+Â&#x2C6;ÂĄ  # [  !#+ K^>Â&#x2026;>  ^ [  ^Â&#x153;V@W _ +=!\Â&#x153;XVW!Â&#x2039; + ^   Â&#x2030;   > ^    = O$ Â&#x152; Â&#x17D;VWW|X|¢VÂ&#x160; #= Â&#x;"&   H> + (Â&#x2039;X\  !^+ Moradora do bairro hĂĄ dez anos, a domĂŠstica

!Â&#x160;Â&#x2039;  p+`

  Â&#x2122;#   H <!  XÂ&#x2020;   !+  !Â&#x161;  [ |  [     os Ă´nibus jĂĄ nĂŁo circulam.  K  & ( ! Â&#x160; 

! O & p   ! !+ `  #;!    ! [  ! >   que nĂŁo anda devido a uma hĂŠrnia de disco, ao   +  ^   !&p Â&#x2122;# + !!j A# $  Â&#x152;$jÂ&#x17D;    ^ p  <!    !  regiĂŁo, considerada ĂĄrea rural, nĂŁo ĂŠ atrativa

 >%+= >&Â&#x2039;V= Â&#x;";XV anos, o argumento ĂŠ infundado. â&#x20AC;&#x153;O que eles dizem ĂŠ uma grande covardia. O ser humano aqui p !+Â&#x2026;A#Z !Â&#x160;WW ^   

$j  #VWWÂ&#x20AC;+` H^&&  Â&#x161; !%&+ ` >K!   \   >& p  bicicleta. Durante a semana vai ao NĂşcleo I ^ !  !   +  ;# [  #   ^            Â&#x161;  ^!  I    &   #  ^  # +Â&#x2C6;;

No percurso entre casa e escola, Edna Correia e os netos andam mais de 3 km

  ^Â&#x2122;#  >  

^#!! +&X@  todoâ&#x20AC;?, reclama. ( ^# #pp  #  #+Â&#x2C6;ÂĄ ! ^  [ >^  [       ^ p!+ pO;>! [    #    !  [ !#! !^# Â&#x2026;!$!!Â&#x2018;  morador da quadra 28. `   =  Â&#x;" kp I>  (  >   % deste ano, o aumento do nĂşmero de linhas nos ; !+   &     &; >& [   !!\+Â&#x2C6;' \ \& !   [ ^> O  Â&#x2026;\+ SugestĂľes Professor do Programa de PĂłs-graduação j AI=Â&#x; "2\ 

 ] ^& ! ;+ Â&#x2C6;ÂĄ >%  ^p   +& [ [  >+A ^  > #  +Â&#x2026;` K ^_! !%]+^   ^> Â&#x161;  que atuam em locais com alta demanda que tambĂŠm atendessem ĂĄreas onde a circulação  ^p+

>^#^ Â&#x2030;! (   =\   Y   AI Priscila Godoy defende que a mĂĄ qualidade        !&+ '  ! \ que o governo deve oferecer um bom serviço. Â&#x2C6;  [      Â&#x2030;# !  ! Â&#x2030; K! %&  vida. Direitos humanos ĂŠ ter dignidade e cidadania. Ă&#x2030; ter direito ao acessoâ&#x20AC;?, esclarece.

Carona como (a) alternativa

( ) (b) (c)

$  =VXO;   #  Â&#x2122;# = Â&#x;"+ !^Â&#x161;  HVV + \   >+> &   !!O>! !+Â&#x2C6;(pÂ?  Â&#x2018;pÂ&#x2030; Â&#x2026;!+  ^ ;_[ $  !% !  +K! !  ![ Â&#x2039;  p

 !^ p   !  [  XÂ&#x2020;+ ^  + Â&#x2C6; ^ 

>   > >+Â&#x2026; YO >;& \  +( O; ĂŠ conhecido. `   ! \> O; !  !  $  + = #!%]  Â&#x2030;# ! ! !p ;+ Usa o â&#x20AC;&#x153;instintoâ&#x20AC;? quando decide levar alguĂŠm, mesmo sabendo do

^[ pO  +

Campus BrasĂ­lia, 10 de maio de 2011

7


Por Denise Fenelon

!!O> !^) o tradicional circo de arena e o circo fora da lona,      <!   %]  rua. ` !     p      ;!  clĂĄssico desde a fundação, hĂĄ 37 anos. Pollyana = Â&#x160;W  !   !!+ (   ! [ !! %&!       Â&#x2030;# ! <  [ \![  #[  &;!+ O outro circo estĂĄ hoje em ginĂĄsios e salas de aca  \Z!>\!  + ÂĄ[  ! ! <    ; [    ^  !!_! !+ Ă&#x2030; o caso de Juarez Madeira Coelho, o Puma, for( !%&$K!!  que hoje dĂĄ aulas de circo no Setor Leste. â&#x20AC;&#x153;Tenho muito orgulho do meu trabalho aqui na escolaâ&#x20AC;?, \ + j#p     ;!   !p  # ;!  

a atenção dos motoristas. Palhaços e malabaristas  Z  ^ + ` ;!`([ > Â&#x160;W#  nas ruas hĂĄ sete. Peruano, jĂĄ levou sua arte a vĂĄrios

K p!!Â&#x2030;!! nhia uma bicicleta. Osmar conta que estĂĄ feliz com a rotina atual: â&#x20AC;&#x153;Como artista das ruas faço cerca de Â&#x153;VW + [  #=que da Cidadeâ&#x20AC;?. YO&p K> !!  circo, jĂĄ que tanto o MinistĂŠrio da Cultura quanto o 2$&  !!# + ! j   !  ;  $   !) Â&#x2C6;A       %&p  !! Â&#x2026;+


Campus nº 357