Page 1

AGRADECEMOS A SUA PREFERÊNCIA. QUEREMOS CONTINUAR A MERECER A SUA CONFIANÇA SHP¿ODVGHHVSHUD

32962

HorĂĄrio de funcionamento: Dias Ăşteis das 9 Ă s 13 e das 14.30 Ă s 19 horas | SĂĄbado das 9 Ă s 13 horas | Telf. 236 911 733/4 | Fax: 236 911 725 - Redinha - Pombal

33080

Somos um centro de Inspecçþes Acreditado pelo Imtt para fazer todo o tipo de Inspecçþes, Acidentados, peliculas, licenciamento de transportes de crianças, GPL, reposição matriculas, atribuição de novas matriculas, etc.

PREÇO 0,75\ | 2ÂŞ SÉRIE | ANO 14 | NÂş 689 | 12 SETEMBRO DE 2013 SEMANĂ RIO Ă€ QUINTA-FEIRA | EDIĂ‡ĂƒO COIMBRA DIRECTORA LINA VINHAL | www.campeaoprovincias.pt | telef. 239 497 750 | fax 239 497 759

ZZZWUDQVSDVFRDOFRP

Sindicalismo com IndependĂŞncia 32552

Est. Nac. 1 (IC 2) SANTA LUZIA 3050-078 BARCOUÇO Telef.: 239 910 240 Fax: 239 910 248

YLYFXOWLÀRU#VDSRSWZZZYLYHLURVFXOWLÀRUSW Telef.Fax.: 233 959 785 - Telem.: 916 255 387 / 963 284 156 E.N. 109 Vieirinhos - 3105-069 Carriço

Investimento privado de 47 milhĂľes de euros

33548

Rua Vales da Pedrulha - ArmazĂŠm 9 - 3025-027 Coimbra Telef./Fax: 239 644 033 - Telem.: 960 109 685 (PDLOJHUDO#RPQLIDEHUFRP 33578

O projecto Esquio Mountain Reserve, ontem apresentado, pretende criar um empreendimento turístico, inserido na natureza, entre a sede da freguesia do Espinhal e São João do Deserto, no concelho de Penela. Trata-se de um investimento privado, do empresårio Manuel Ferreira dos Santos, que prevê a recuperação das aldeias do Pessegueiro e do Esquio. Numa primeira fase, vão ser investidos 24 milhþes de euros, valor que pode ascender aos 46,70 milhþes, quando estiverem concretizadas todas as valências Vidas (d)escritas do complexo Esquio Montain Reserve. Pågina 03

32299

Projecto turĂ­stico pretende dar nova vida a aldeias do Espinhal Artur CĂ´rte-Real

ArqueĂłlogo desvenda um sonho possĂ­vel Natural de Coimbra, nascido e criado, arqueyORJRFRPSURIXQGRFRQKHFLPHQWRVREUHWXGR GDUHJLmR&HQWUR$UWXU&{UWH5HDOpXPKRPHP GHSDL[}HV'HSRLVGHXPDGpFDGDGHWUDEDOKR GHFDPSRHP,GDQKDD9HOKDDFHLWRXRGHVDĂ€R de devolver a vida ao mosteiro de Santa Clara-a9HOKDTXHWUDQVIRUPRXQXPPXVHXSUHPLDGR DQtYHOLQWHUQDFLRQDO&RQLPEULFHQVHRUJXOKRVR lembra que “nĂŁo se pode perder a oportunidade FULDGDSHODFODVVLĂ€FDomRGH3DWULPyQLRGD+XPDQLGDGHSHOD81(6&2Âľ PĂĄgina 05

Serra do Caramulo carbonizada

Povo receia que queiram “acabar com as aldeias�

Av. 5 de O Outubro, t br 14 r/ch - 3360 3360-191 191 Pe Penacova 7HOHI)D[DEVBVHJXURV#JPDLOFRP

As gentes da serra do Caramulo, recentemente dizimada pelo fogo, sentem que quase só pudeUDPFRQWDUFRPHODVPHVPDVSDUDID]HUIUHQWHDRà DJHORGRVLQFrQGLRVà RUHVWDLV$UHSRUWDJHPGR ´&DPSHmR¾PRVWUDVRIULPHQWRHUHYROWD+iSRSXODUHVUHFHRVRVGHSRGHUKDYHUDOJXpPDTXHUHUTXH DVDOGHLDVDFDEHP´4XHUHPRVVDEHUTXHLQWHUHVVHVKiSHORPHLRGLVWRWHPGHKDYHUUHVSRQViYHLV¾ 'HVHVSHURpRTXHVREUHVVDLSRURUDHQWUHDDEXQGkQFLDGHFLQ]D Pågina 08

33549

FUNERĂ RIA BORRALHO Atendimento Permanente 239 820 560

Recolha e Reciclagem de Óleos Alimentares Manutenção de Filtros de Exaustão

Venda de Biofuel

Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ de Almeida, 185 3000-044 Coimbra

32820

Telefone 239 995 049 - Telem.: 918 579 092 / 964 979 766

33579

32297

PUBLICIDADE

Zona Industrial dos Matinhos - 3200-100 LousĂŁ 32517


12

POLÍTICA

2

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

Autárquicas/Coimbra

Seis candidatos do PSD legitimados pelo TC O Tribunal Constitucional (TC) viabilizou, a três semanas das eleições autárquicas, as candidaturas de seis cabeças de listas do PSD para freguesias de Coimbra. Trata-se de José Simão (Santa Clara e Castelo Viegas), Antonino Moura Antunes (S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades), José Maria Barroca (Taveiro, Ameal e Arzila), José Filipe (Antanhol e Assafarge), Hélder Abreu (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e S. Bartolomeu) e Peixoto Ferreira (S. Martinho de Árvore e Lamarosa). Embora ela não tenha sido impugnada, a candidatura do presidente cessante da Junta de Ribeira de Frades, Jorge Veloso (PS), à liderança da União de Freguesias de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades encontrava-se na mesma situação daquela meia dúzia de autarcas social-democratas. As candidaturas de José Simão e José Carlos Clemente (PS) à liderança da União de Freguesias de Santa Clara

e Castelo Viegas tinham sido impugnadas, alegando o Movimento Juventude Independente que o primeiro se encontra prestes a concluir terceiro mandato consecutivo como líder da Junta de Santa Clara enquanto o segundo preside desde 1998 à Junta de S. Bartolomeu. Perante a hipótese de Carlos Clemente ser declarado inelegível, o PS pugnara pela aplicação da eventual medida àquela meia dúzia de autarcas do PSD. O cenário de inelegibilidade de Clemente tinha sido posto de parte, a 05 de Setembro, à luz do acórdão então proferido pelo TC. Dúvidas não há de que uma freguesia criada na sequência da agregação de outras consiste numa nova autarquia local, constituindo “uma realidade jurídica e materialmente distinta das freguesias extintas”, considerou o Tribunal. Votaram a favor desta decisão cinco juízes e houve votos desfavoráveis de Ma-

ria João Antunes (docente da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra) e Fátima Mata-Mouros. Constitucionalista dá razão ao PS

Uma reclamação do PS para o Tribunal Constitucional, a que o “Campeão” teve acesso, sugeria o “chumbo” dos seis autarcas do PSD e alegava que as candidaturas de José Carlos Clemente (socialista) e de José Simão (social-democrata) à liderança da União de Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas assentam em “realidades bem diferentes”. “O que está em causa são as garantias de independência dos candidatos relativamente aos cidadãos e interesses da área territorial por onde vêm exercendo consecutivamente as funções administrativas e políticas de presidente de Junta de Freguesia”, assinala a reclamação do Partido Socialista.

Para o Partido Socialista, tratar-se-ia de autarcas inelegíveis na medida em que aspiram a liderar uniões de freguesias que abrangem a área territorial por que eles foram presidentes durante 12 anos. Trata-se de circunscrições geográficas que não são totalmente diferentes daquelas onde se situavam as juntas de freguesias (agregadas, entretanto, a outras), acentua a reclamação. O constitucionalista Jorge Miranda opina que aspirantes à liderança das uniões de freguesias deviam ser impedidos de se voltarem a candidatar se tiverem cumprido, pelo menos, três mandatos consecutivos. O ponto de vista do professor universitário, divulgado pela Agência Lusa, assenta no pressuposto de que “uma coisa são os municípios”, em que não houve fusões, e “outra coisa é a freguesia resultante de agregação” de territórios.

Candidatura defende Expotave e saúde de Fernão de Magalhães, em Coimbra, no local ocupado actualmente pelo parque de estacionamento dos Serviços da Segurança Social, demonstra, mais uma vez, que alguém tem de assumir a defesa das populações da margem esquerda, já que o Governo esquece, de novo, a situação indigna do actual Centro de Saúde de Taveiro”, refere o candidato. “Converter a União

de Freguesias de Taveiro, Ameal e Arzila no pólo de uma nova dinâmica para a margem esquerda do Mondego” é um dos objectivos da candidatura independente “Cândido 2013 - Unidos Somos Mais Fortes!”, que se apresenta a sufrágio nas eleições autárquicas marcadas para 29 de Setembro. Para alcançar aquele objectivo, Cândido Malva defende no programa

eleitoral a reedição da Expotave, certame que “dará um novo impulso a uma zona de Coimbra tantas vezes esquecida, assumindo-se como uma demonstração da capacidade de três freguesias que, além da muita mão de obra que fornecem às empresas do tecido urbano, são referências obrigatórias na actividade empresarial e agrícola da região”.

Autárquicas

PAN preconiza uma Coimbra sustentável Francisco Guerreiro é o cabeça de lista do Partido Pelos Animais e pela Natureza (PAN) à Câmara Municipal de Coimbra. O programa eleitoral, um documento ainda em aberto, integra contributos que foram sendo apresentados por cidadãos de Coimbra, aspecto sublinhado por Francisco Guerreiro que pretende envolver a população em debates, acções de ruas e outras iniciativas que

farão parte da campanha eleitoral. Sob o mote “Coimbra Sustentável”, o PAN defende um novo paradigma “que integre a causa humana, animal e social”. A expectativa é a de conseguir eleger um vereador, nas eleições autárquicas de 29 de Setembro. Francisco Guerreiro reconhece que não é tarefa fácil aquilo a que se propõe, mas acentua que “é possível

a um pequeno partido fazer uma política de proximidade e centrada nas pessoas”. Analista de estudos de mercado, 29 anos de idade, o candidato do PAN espera “despertar a consciência das pessoas para uma realidade que terá de passar pela sustentabilidade do planeta”. O PAN propõe um modelo capaz de preparar Coimbra para as mudanças inevitáveis do futuro próximo. O objectivo é colocar

Eventual abuso de poder

Luís Providência é alvo de participação criminal Luís Providência, candidato do CDS/PP à liderança do Município de Coimbra e vereador cessante, é alvo de uma participação criminal por que poderá ser acusado de abuso de poder, soube o “Campeão”. O autor da queixa-crime é um militante do PSD, Francisco Costa, funcionário da antiga empresa municipal Turismo de Coimbra (TC), cujo Conselho de Administração teve Providência como presidente. Cabe ao Ministério Público, através do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra, constituir arguido Luís Providência e deduzir-lhe acusação ou arquivar o processo. A participação também visa dois outros antigos gestores da TC, Francisco Veiga e João Matos Abreu. Sob a alçada de procedimento disciplinar desencadeado pela empresa municipal, Francisco Costa foi objecto de proposta de punição mediante despedimento, mas a sua advogada entende ter

ocorrido a caducidade do direito de aplicação da pena. Embora a alegação da mandatária de Costa tenha sido feita há sete meses, ele QXQFDIRLQRWLÀFDGRGDHYHQtual decisão de arquivamento do processo disciplinar. A jurista também considera que o contrato de trabalho a termo certo outorgado pela sociedade municipal e pelo funcionário se converteu em contrato sem termo. Neste contexto, o traEDOKDGRU GD 7& ÀFRX VHP ser integrado na Câmara de &RLPEUDDRDEULJRGDÀJXUD de “cedência de interesse público” (pela qual foram abrangidos colegas de Francisco Costa). No horizonte de dois mandatos, o vereador do CDS/PP foi protagonista de rupturas com o respectivo motorista, com Maria Reina (correlegionária dele e que o secretariou), com o técnico superior Fernando Ventura e com António Júlio Veiga Simão (anterior director do Departamento de Ambiente e Qualidade de Vida).

Montemor-o-Velho

Taveiro, Ameal e Arzila

O candidato independente à União das Freguesias de Taveiro, Ameal e Arzila (concelho de Coimbra), Cândido Malva, defende a reedição da Expotave como “símbolo de uma nova estratégia para a margem esquerda” e criticou o facto de o novo Centro de Saúde continuar esquecido. “O anúncio da possível construção de um novo Centro de Saúde na avenida

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

a cidade na vanguarda do desenvolvimento sustentável e equilibrado. Numa perspectiva de maior proximidade dos cidadãos às decisões políticas e estratégicas, candidatura liderada por Francisco Guerreiro centra-se na revitalização urbana e no apoio social, no enriquecimento cultural, na abertura a um novo paradigma civilizacional e na protecção e bem-estar animal.

PS abandona reunião camarária Os vereadores do PS na Câmara de Montemor-o-Velho abandonaram a reunião desta semana, alegando que o Município incorre em violação da Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso (LCPA), aplicável em articulação com o Decreto-Lei nº. 127/2012, soube o “Campeão”. Luís Leal (PSD), líder da edilidade e candidato a presidente da Assembleia Municipal, minimiza o incidente. “A sessão estava prestes a terminar e são frequentes as saídas dos vereadores socialistas”, acentua o autarca. Os vereadores Abel Girão (social-democrata) e Emílio Torrão (socialista) aspiram a suceder, este mês, a Luís Leal, impedido de se recandidatar por estar a cumprir terceiro mandato consecutivo. O executivo camarário é constituído por sete edis (cinco da maioria e dois da oposição). Advogado,Torrão disse ao nosso Jornal que ele e a

sua colega Paula Rama têm alertado Leal para eventual violação da LCPA, que impede a Câmara Municipal de Montemor-o-Velho de contrair despesas cuja liquidação seja impraticável num horizonte de três meses. De acordo com o autarca do PS, a reacção do presidente tem consistido em alegar que Emílio Torrão e Paula Rama se limitam a tentar impedir a realização de obras. “Há mês e meio que não falo nas sessões camarárias e também não tenciono ir à próxima” (e última), disse o vereador socialista, instado pelo “Campeão”, vincando que “nunca havia sido injuriado desta forma”. Segundo o edil, “os insultos” de que foi vítima, segunda-feira (09), ocorreram depois de os vereadores do PS terem feito saber que iam sair da sessão camarária, de cuja agenda, alegadamente, fazia parte um projecto de deliberação violador da LCPA.


12

QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

3

www.campeaoprovincias.pt

AutĂĄrquicas/ GĂłis

Penela

Investimento no valor de 47 milhþes recupera aldeias serranas Um projecto inovador no valor total de 47 milhþes vai transformar a Serra do Espinhal, em Penela, num dos principais pólos turísticos da região. O empreendimento turístico Ê promovido pelo empresårio Manuel Ferreira dos Santos (mais conhecido por sr. Coimbra e que foi promotor, entre outras obras, da urbanização S. Luiz, em Pereira), de Pombal, e vai permitir criar cerca de uma centena de postos de trabalho. Apresentado ontem, o empreendimento Esquio Mountain Reserve vai ser construído em duas fases. A primeira prevê a recuperação da aldeia do Pessegueiro – freguesia do Espinhal –, assim como a construção de diversos equipamentos de animação turística, entre os quais se destaca um telefÊrico de montanha e diversas piscinas (uma delas natural). O investimento inicial estimado Ê de 24 milhþes e deverå criar 61 postos de tra-

Diamantino Garcia lidera lista independente

experiĂŞncia nova, porque conseguimos trazer pessoas Centro como pĂłlo turĂ­stico Diamantino Garcia, ex- “impensĂĄveisâ€? [para a cande excelĂŞncia. É um ponto de -socialista e actual vereador didatura], mas do ponto de partida para uma nova identi- independente eleito pelo YLVWDĂ€QDQFHLURpXPDGRUGH dade turĂ­stica, que aproveita e PSD na Câmara Municipal cabeçaâ€?, frisou o candidato capacita da melhor forma um de GĂłis, lidera o movimento Ă presidĂŞncia do MunicĂ­pio conjunto de recursos locais, independente de cidadĂŁos aos de GĂłis. designadamente patrimĂłnio ĂłrgĂŁos autĂĄrquicos de GĂłis. Apresentada no dominnatural e cultural, para fins A lista independente tem go, a candidatura elege o tuturĂ­sticos, permitindo desta como mote “Juntos pela nossa ULVPRDĂ RUHVWDHDVSHVVRDV forma a dinamização da base terraâ€? e como opositor prin- como eixos de acção. ´2WXULVPRHDĂ RUHVWD Empreendimento turĂ­stico vai revitalizar as aldeias econĂłmica local, a fixação cipal o Partido Socialista, que de pessoas no territĂłrio e a queremos que seja sempre recandidata Lurdes Castanheide Pessegueiro e Esquio, serra do Espinhal criação de postos de traba- ra Ă  presidĂŞncia do MunicĂ­pio com o adjectivo sustentĂĄvel. lhosâ€?, notou LuĂ­s Matias, de GĂłis. O PSD prescindiu de NĂŁo queremos empreendibalho directos, 34 dos quais diversas modalidades. Este projecto de quali- vice-presidente da Câmara avançar com uma candidatura mentos megalĂłmanos, mas TXDOLĂ€FDGRV A aldeia do Pessegueiro ficação e valorização desta Municipal de Penela. prĂłpria e apoia, informal- privilegiar o turismo rural, O Esquio Mountain Re- mente, o grupo de cidadĂŁos valorizando o patrimĂłnio situa-se entre a sede de fre- zona rural pretende restituir rural e que estĂĄ ligado Ă s guesia e a ermida S. JoĂŁo do a paisagem tĂ­pica da regiĂŁo serve ĂŠ co-financiado pelo independentes. mediante arborização dis- SI-INOVAĂ‡ĂƒO (Sistema Deserto. Juntamente com Dia- minas, de volfrâmio e ouro A segunda fase prevĂŞ a persa de ĂĄrvores autĂłctones, de Incentivos QREN), na mantino Garcia candidatam- nomeadamenteâ€?, adiantou recuperação da aldeia de Es- como sobreiros, pinheiros e tipologia Inovação Produtiva. -se Ă  Câmara Helena Moniz, Diamantino Garcia. Este projecto tem a singu- InĂŞs Antunes, AntĂłnio BaeAgrĂłnomo de formação, quio, cuja localização ĂŠ mais castanheiros, e a retirada dos laridade de se localizar numa ta e Magda Vidal. JĂĄ o cabe- o candidato quer combater os prĂłxima da ermida S. JoĂŁo do eucaliptos existentes. No total, o empreendi- zona de baixa densidade de- ça de lista Ă  Assembleia Mu- LQFrQGLRV Ă RUHVWDLV DWUDYpV Deserto. A par do patrimĂłnio ar- mento turĂ­stico vai ter 140 PRJUiĂ€FDFRQWULEXLQGRSDUD nicipal ĂŠ Miguel Fortunato. GRRUGHQDPHQWRGDĂ RUHVWDH quitectĂłnico e ambiental, o camas e ocupar dezenas de uma efectiva descentralização Ă€s Assembleias de Fregue- apoiando os madeireiros, que do investimento e para o de- sia candidatam-se VĂ­tor Du- representam “muitos postos projecto vai valorizar a prĂĄtica hectares. A primeira fase deverĂĄ senvolvimento integrado do arte (Alvares), JosĂŠ Nunes de trabalhoâ€?. desportiva, estando prevista No que respeita Ă s pesa criação de pistas de BTT, estar concluĂ­da no inĂ­cio de territĂłrio nacional. Almeida (UniĂŁo de FregueAs aldeias em questĂŁo jĂĄ sias do Cadafaz e Colmeal), soas, a candidatura preocircuitos de manutenção e 2015. “O projecto ĂŠ fundamen- VHHQFRQWUDYDPGHVHUWLĂ€FDGDV JoĂŁo SimĂľes (GĂłis) e Joa- cupa-se sobretudo com os aventura, percursos pedestres e campos vocacionados para WDOSDUDDDĂ€UPDomRGDUHJLmR hĂĄ aproximadamente 15 anos. quim Paiva (Vila Nova do jovens e a terceira idade. No Ceira). A candidatura tem primeiro caso pela falta de como mandatĂĄria Maria do emprego e no segundo pelo AcadĂŠmica - Futebol SDUQ isolamento. CĂŠu Alves. “Se as viaturas oficiais “Esta ĂŠ uma lista completamente independente de forem sĂł para deslocaçþes ou (atravĂŠs de carta) para JosĂŠ Eduardo SimĂľes, ge- rotas infligidas Ă  Direcção partidos. O PSD decidiu nĂŁo RĂ€FLDLVFRQVHJXLPRVFRORFDU AcadĂŠmica/OAF, SugestĂľes rente da AcadĂŠmica - Futebol da AcadĂŠmica/OAF, pelos apresentar lista, mas esta foi duas carrinhas a circular pelas SDUQ, rua de Infanta D. SDUQ e presidente do Orga- sĂłcios do clube, aquando do uma decisĂŁo exclusiva do par- aldeias, uma vocacionada para Maria, 23, 3030-330 Coimbra. nismo AutĂłnomo de Futebol UHIHUHQGRSDUDHVFROKDGRĂ€- tidoâ€?, comentou Diamantino pequenas reparaçþes, como As achegas devem incluir da AAC, encolheu os ombros, gurino societĂĄrio para disputa Garcia, admitindo, porĂŠm, troca de lâmpadas, e outra o(s) nĂşmero(s) do(s) artigo(s) segunda-feira (09), perante do campeonato da I Liga e que este facto ĂŠ “favorĂĄvelâ€? destinada a prestar alguns a alterar, sugerido uma re- uma pergunta do “CampeĂŁoâ€? por ocasiĂŁo da Ăşltima sessĂŁo ao grupo de cidadĂŁos. “As cuidados de saĂşde, como dacção, e dar conta do(s) destinada a apurar se poderĂĄ vir ordinĂĄria da Assembleia Geral. nossas hipĂłteses aumentam, troca de pensos ou levantar O documento subjacente naturalmenteâ€?, observou. A medicação na farmĂĄciaâ€?, nome(s) e nĂşmero(s) dos a inclinar-se pela convocação sĂłcio(s) proponente(s). de eleiçþes antecipadas para os Ă  convocação de uma reuniĂŁo lista liderada por Diamantino exemplificou Diamantino extraordinĂĄria do plenĂĄrio de Garcia tem a particularidade Garcia, realçando que qualPara presidir Ă  comissĂŁo de ĂłrgĂŁos sociais do clube. anĂĄlise, Fernando JosĂŠ Oliveira O prĂłximo acto eleitoral associados da AcadĂŠmica/ de ser composta por militan- quer contacto ĂŠ fundamental convidou o ex-reitor da Univer- estĂĄ previsto para meados de OAF preconiza que sejam eles tes do PSD, PS e indepen- para combater o isolamento dos idosos. a aprovar e/ou alterar (rever) dentes. sidade de Coimbra Rui AlarcĂŁo 2014. “SĂŁo propostas simples, “Esta ĂŠ uma candidatura (catedrĂĄtico de Direito jubilado). A questĂŁo posta pelo nosso o pacto social da SDUQ, no A 25 de Julho, o reitor Jornal visava antecipar a reacção pressuposto de que Ă  Direcção independente, sem nenhum mas as pessoas tĂŞm gostado honorĂĄrio da UC fez reparos de JosĂŠ Eduardo a um cenĂĄrio compete tĂŁo-sĂł promover e partido por trĂĄs. Recolhe- bastante delasâ€?, rematou o Ă  maneira como JosĂŠ Eduardo de apresentação de propostas propor Ă  AG a constituição de mos assinaturas e tivemos de lĂ­der do grupo de cidadĂŁos QRV TXRWL]DU SDUD Ă€QDQFLDU independentes, que tem canSimĂľes conduziu o processo de alteração do pacto social da sociedades desportivas. Nos considerandos do a campanha. Esta ĂŠ uma didatos dos 23 aos 92 anos. de constituição da SDUQ. SDUQ capaz de, do ponto de vista dele, ser “irremediavelmen- abaixo-assinado, pode ler-se que o pacto social da SDUQ Eleiçþes antecipadas? te descaracterizadorâ€?. “Vamos verâ€? [aquilo que possui clĂĄusulas tidas como A ver vamos... dirĂĄ a comissĂŁo a constituir “susceptĂ­veis de lesar os inteSem embargo de felicitar para se pronunciar sobre as resses materiais e imateriais da JosĂŠ Eduardo pelo “empe- achegas dos sĂłcios], respon- Briosaâ€?, alĂŠm de afastarem os sĂłcios do conhecimento real nhamento e dedicaçãoâ€? Ă  deu SimĂľes. O lĂ­der da Briosa inscreve da vida associativa e societĂĄria %ULRVDRMXULVWDDĂ€UPRXQmR ter gostado da maneira como a a prĂłxima reuniĂŁo extraordi- e do poder deliberativo. Fomentado pelo NĂşcleo Direcção da AcadĂŠmica/OAF nĂĄria da AG da AcadĂŠmica/ preconizou uma Sociedade OAF numa “tentativa de de Veteranos da Briosa, o doAnĂłnima Desportiva (SAD). busca de pontos de diĂĄlogoâ€? cumento foi apresentado pelo Ao aludir a um “gran- e insurge-se contra “grupos advogado Alfredo Castanheira de imbrĂłglioâ€?, Rui AlarcĂŁo de pressĂŁo (mais ou menos Neves e mereceu o apoio de outros juristas (JosĂŠ Manuel GHPDUFRXVHGRĂ€JXULQRGD organizados)â€?. A hipĂłtese de antecipação Ferreira da Silva, JosĂŠ Belo, SDUQ e prometeu envolver-se na alteração do respectivo do acto eleitoral prende-se, LuĂ­s Filipe Pereira e Nuno nomeadamente, com as der- TeodĂłsio Oliveira). pacto social. B.O.

AG da AcadĂŠmica/OAF reĂşne-se dentro de dois meses e meio

PUBLICIDADE

32080

A Assembleia Geral da AcadÊmica/OAF reunir-se-å, extraordinariamente, na segunda quinzena de Novembro, para debater propostas de alteração ao pacto social da AcadÊmica de Coimbra Futebol SDUQ. O anúncio da medida foi feito por Fernando JosÊ Oliveira, presidente da Mesa da AG, em conferência de Imprensa onde tambÊm interveio JosÊ Eduardo Simþes, líder do clube, que acaba de criar uma Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas para competir no principal escalão do futebol português. A convocação do plenårio de associados ocorre ao abrigo de um requerimento subscrito por uma centena de pessoas, sendo que, hå mês e meio, em sessão ordinåria da AG, abundaram os reparos ao processo de constituição da SDUQ e aos respectivos estatutos. AtÊ 18 de Outubro decorrerå um período para apresentação de propostas de alteração, cabendo a uma comissão pronunciar-se, nas três semanas subsequentes, sobre o teor das achegas. Os contributos hão-de ser enviados para sugestoes.sduq@academica-oaf.pt


4

ACTUALIDADE

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

Deixa o Mosteiro de S. Jorge de MilrĂŠu

EUVG muda-se para Lordemão A Escola Universitåria Vasco da Gama (EUVG) vai deixar o Mosteiro de S. Jorge de MilrÊu, na margem esquerda de Coimbra, e mudar as suas instalaçþes para o Campus Universitårio da ARCA, em Lordemão, segundo anunciou Luís Vilar. O presidente da Direcção da entidade instituidora da EUVG, que falava na sessão de abertura do ano lectivo 2013-2014, referiu que a escola irå ter mais espaço nas instalaçþes junto à Escola Universitåria das Artes de Coimbra, com a transferência a poder ocorrer ainda durante este mês Setembro. A EUVG, que tem a única licenciatura em Ciências Veterinårias na região Centro, um mestrado integrado em Medicina Veterinåria e pós-graduaçþes, vai apostar na årea da Medicina não convencional e espera, ainda este ano, abrir um curso de gestão em segurança e protecção civil e outro na årea das ciências biomÊdicas. Em marcha estå, tambÊm, o primeiro hospital ve-

12

terinĂĄrio, em Coimbra, num protocolo entre a EUGV e a OneVet, o maior investidor nacional na ĂĄrea, com unidades em Ă gueda, Aveiro, Porto e Viseu. Na sessĂŁo de abertura do ano lectivo da (EUVG), esteve em destaque a alocução da tenente-coronel mĂŠdica veterinĂĄria Cristina Mimoso FalcĂŁo, do ExĂŠrcito portuguĂŞs, que participou numa missĂŁo na BĂłsnia-Herzegovina em 1996, a qual demonstrou a importância Medicina VeterinĂĄria em ĂĄreas como a saĂşde pĂşblica e a qualidade alimentar, entre outras. O programa encerrou com um seminĂĄrio sobre “Biossegurança em Medicina VeterinĂĄriaâ€?, que teve como orador o mestre Pedro JuliĂŁo. Com 40 docentes e um curso de veterinĂĄria com 92 por cento de empregabilidade, a EUVG tem Humberto Rocha como presidente do Conselho Directivo, AnĂĄlia do Carmo como presidenWH GR &RQVHOKR &LHQWtĂ€FR e Anabela Ferreira como presidente do Conselho &LHQWtĂ€FR

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Crime de Montes Claros

Arguida pede apresentaçþes mensais em vez de diĂĄrias Ana SaltĂŁo, sob suspeita de ter assassinado uma octogenĂĄria que residia em Montes Claros (Coimbra), pediu para voltar a comparecer mensalmente no MinistĂŠrio PĂşblico (MP), em vez das apresentaçþes diĂĄrias a que estĂĄ obrigada desde Junho, soube o “CampeĂŁoâ€?. A arguida, que esteve preventivamente presa durante perto de meio ano, estĂĄ abrangida por outra medida de coacção, a suspensĂŁo do exercĂ­cio de funçþes enquanto inspectora da PolĂ­cia JudiciĂĄria. Para Ana SaltĂŁo permaQHFHUGHWLGDGHSRLVGRĂ€QDO de Maio havia necessidade de o MP lhe deduzir acusação por presumĂ­vel autoria de um crime de homicĂ­dio. Na sequĂŞncia da sua restituição Ă liberdade, hĂĄ perto de quatro meses, Ana SaltĂŁo viu o Departamento de Investigação e Acção Penal de Coimbra propor apresentaçþes dela de mĂŞs a mĂŞs, mas, em Junho, Ă 

PUBLICIDADE

revelia do DIAP, a juíza titular do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) entendeu converter em diåria a obrigatoriedade de comparência perante o MP na comarca da Maia. A periodicidade inicial foi decretada por uma juíza que cancelou a detenção, estando de turno ao TIC de Coimbra, e o agravamento da medida de coacção Ê de iniciativa de outra magistrada judicial, a que ordenou, em Novembro, a prisão preventiva. A procuradora que era titular do inquÊrito considerou dÊbil a prova recolhida pela PJ em ordem à imputação à inspectora, atÊ 26 de Maio, da autoria do assassinato da ex-empresåria Filomena Gonçalves (avó materna do marido da arguida). Em recurso para o Tribunal da Relação de Coimbra, a advogada Mónica Quintela considera que a juíza titular do TIC agiu à margem das regras de aplicação da lei processual penal no tempo. Em síntese, a causídica entende que a magistrada judicial estå impedida de decretar medida de coacção mais severa do que a requerida pelo DIAP de Coimbra. A magistrada judicial invocou uma norma do Código de Processo Penal (CPP)

recentemente alterada, cujo teor lhe confere a prerrogativa de, durante o inquÊrito, poder aplicar medida de coacção diversa da requerida pelo MinistÊrio Público. PorÊm, a anterior redacção da sobredita norma, a vigorar em Novembro de 2012, estipulava a impossibilidade de, na fase de inquÊrito (cuja direcção cabe ao MP), o juiz de instrução optar por medida de coacção mais grave do que a requerida pela entidade titular da acção penal. Segundo o CPP, a aplicação de qualquer medida de coacção da competência de juiz (mais severa do que termo de identidade e residência) tem de ser fundamentada com fuga ou perigo de fuga, risco de perturbação do inquÊrito ou perigo de grave perturbação da ordem e da tranquilidade públicas. A magistrada judicial titular do TIC assinala que a arguida não foi libertada devido a diminuição das necessidades cautelares nem ao abrigo de enfraquecimento dos indícios de cometimento do crime. Sem remuneração da PJ

Noutro contexto, Ana SaltĂŁo enviou ao MP uma

queixa-crime contra a titular do Tribunal de Instrução Criminal de Coimbra por suposta prevaricação e denegação de Justiça. A PolĂ­cia JudiciĂĄria vai deixar de pagar salĂĄrio Ă inspectora Ana SaltĂŁo, porquanto ela se encontra suspensa de funçþes ao abrigo de uma decisĂŁo judicial. A medida apanhou de surpresa a arguida, sob SULVmR SUHYHQWLYD GR Ă€QDO de Novembro [de 2012] a meados de Maio e que se encontra obrigada a comparecer diariamente no MinistĂŠrio PĂşblico da comarca da Maia. Fonte policial disse ao “CampeĂŁoâ€? que os efeitos das faltas ao serviço, ainda que elas correspondam a cumprimento de medidas de coacção, encontram-se estabelecidos por lei. 0HVPRTXHMXVWLĂ€FDGDV as faltas, se se prolongarem por mais de um mĂŞs, implicam suspensĂŁo da relação de trabalho, a qual, no caso da inspectora, assenta na Ă€JXUDGDQRPHDomRLQGLFRX a mesma fonte. Por outro lado, fonte prĂłxima da arguida opina que a medida colide com a presunção de inocĂŞncia de que ela desfruta.

No primeiro semestre

ABC

Centro com o desemprego mais baixo do país O Centro foi a região do país com a menor taxa de desemprego no segundo trimestre deste ano. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, a região Centro teve uma taxa de desemprego de 11,5 por cento, valor que se situa claramente abaixo da mÊdia nacional (16,4 por cento) e inferior ao valor mÊdio dos 17 países da zona Euro (12,1 por cento). A zona Centro foi a região que apresentou a taxa de desemprego mais baixa, com uma diferença de quase cinco pontos percentuais em relação às demais regiþes do país. As restantes seis regiþes de Portugal registaram taxas de desemprego superiores a 16 por cento. A Região Autónoma da Madeira foi a que atingiu a maior taxa de desemprego, atingindo os 18,8 por cento. De sublinhar que a taxa de desemprego regional registada no segundo trimestre representa uma melhoria de

quase dois pontos percentuais relativamente ao trimestre anterior, ao diminuir de 13,3 por cento – sendo tambÊm nesse período, a região com a taxa de desemprego mais baixa a nível nacional – para 11,5 por cento. Esta situação reforça uma tendência constante de melhor desempenho relativo da região Centro face à mÊdia nacional, que se tem vindo a consolidar desde 2001. Para esta variação foi importante a redução do desemprego entre as camadas mais jovens da população que, apesar de continuar muito elevada (a taxa de desemprego dos indivíduos com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos foi de 29 por cento) se reduziu quer face ao trimestre anterior (quando se À[RXHPSRUFHQWR TXHU face a igual período do ano anterior (altura em que atingiu 34,5 por cento). Foi tambÊm relevante a redução dos desempregados

de longa duração, cuja taxa de desemprego (6,4 por cento) diminuiu face ao trimestre anterior, algo que jĂĄ nĂŁo acontecia desde o inĂ­cio de 2012. De realçar ainda que, no segundo trimestre de 2013, a taxa de desemprego regional feminina (10,9 por cento) apresentou-se, pela primeira vez desde hĂĄ mais de trĂŞs anos, inferior Ă taxa de desemprego masculina (12,2 por cento). O presidente da CCDRC, Pedro Saraiva, considera os resultados como positivos. Ainda que estes “tenham de ser lidos com prudĂŞncia e nĂŁo possam nem devam deixar de continuar a preocupar-nos a todos, no sentido de prosVHJXLURFRPEDWHDRĂ DJHOR do desemprego, nĂŁo podem deixar de merecer uma forte palavra de estĂ­mulo e reconhecimento junto de todos os empresĂĄrios e trabalhadores que diariamente contribuem para a força e resiliĂŞncia da economia regionalâ€?.


12

QUINTA-FEIRA

VIDAS (D)ESCRITAS

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

Artur Côrte-Real

Memórias contadas GERALDO BARROS

“Nascido em Coimbra, espero morrer em Coimbra. Apesar disso, não me idenWLÀFRPXLWRFRPRFRQFHLWR de «coimbrinha». A minha SURÀVVmRHQTXDQWRDUTXHyORJRSHUPLWLXPHDQGDUHP YiULDVPLVV}HVDUTXHROyJLFDV VREUHWXGRQDUHJLmR&HQWUR 4XDQGRPHGHVORFRj*XDUGD RXD&DVWHOR%UDQFRVLQWRPH exactamente como se estivesse HP&RLPEUDeXPDTXHVWmR VHQVLWLYD+iPXLWRVSUHFRQFHLWRVHPUHODomRjFLGDGHGH Coimbra, a chamada «cidade GRVGRXWRUHVª1mRPHUHYHMR PXLWRQLVVR6RXRULXQGRGH XPDIDPtOLDGHPXLWRVLUPmRV seis rapazes e seis raparigas, XPDHTXLSDGHIXWHEROPDLV XP2PHXSDLHUDPpGLFR em Coimbra. Recordo-o com PXLWD VDWLVIDomR SRUTXH HOH tinha a vocação dos velhos PpGLFRV$LQGDVRXGRWHPSR HPTXHRVOLYURVHVFRODUHVH RVVDSDWRVSDVVDYDPGHXQV LUPmRVSDUDRVRXWURVHHP TXHREDUEHLURLDOiFDVDSDUD cortar o cabelo a todos, por UD]}HVGHHÀFiFLDHHYHQWXDLV IXJDVDHVVHLQGHVHMDGRPRPHQWR 5HFRUGR R PHX SDL FRPPXLWDVDXGDGH(UDXP KRPHPGHGLFDGRjVXDSURÀVVmRHjVSHVVRDVFRPPDLRUHV GLÀFXOGDGHV$SUHQGLPXLWR FRP HOH QHVVD VXD UHODomR de grande proximidade com TXHPPDLVSUHFLVDYD'XUDQWH RSHUtRGRGHIpULDVRPHXSDL DEULDXPFRQVXOWyULRJUDWXLWR HP(VPRUL]SDUDDWHQGHURV SHVFDGRUHV(VVDHRXWUDVKLVWyULDVPDUFDUDPQRV1DVFHU HFUHVFHUQXPDIDPtOLDJUDQGH WUD]DOJXPDVYDQWDJHQV'HVGH logo, a capacidade para ser VROLGiULRHGHOXWDUPRVWRGRV para sobreviver em condições QHPVHPSUHIiFHLV2VHQWLGR material das coisas era comSOHWDPHQWH GLIHUHQWH (VVD JUDQGH IDPtOLD RQGH WRGRV pUDPRV VROLGiULRV p D EDVH HVWUXWXUDQWHGDTXLORTXHVRX HQTXDQWRFLGDGmRSDUWLFLSDQWH e activo na sociedade. Talvez tenha herdado do

5

www.campeaoprovincias.pt

RXWURVORFDLV7XGRLVVRIH] SDUWHGRPHXSHUFXUVRHQTXDQWRLQYHVWLJDGRU&RQWXGR R SURMHFWR TXH PH PDUFRX PDLVIRLHP,GDQKDD9HOKD RQGHHVWLYHGXUDQWHDQRV RQGHHVWLYHGXUDQWHDQRV ,GDQKDD9HOKDpXP ,GDQKDD9HOKDpXP Q~FOHR SHTXHQR Q~FOHR XUEDQRTXHHVWi XUEDQRTXHHVWi HPFLPDGHXPD HPFLPDGHXPD cidade romana – D (JLWkQHD (JLWkQHD 4XDOT X H UU

PHXSDLRJRVWRSHODDUTXHRORJLD+DYLDDQWLTXiULRVHORMDV de velharias aonde ele adorava LUHQyVFULDQoDVFRPROKDUGH IUHWHOiRDFRPSDQKiYDPRV QHVVHVDPELHQWHVGHSyHPDQHVVHVDPELHQWHVGHSyHPD JLD(UDPYLDJHQVORXFDVWRGRVQXPDFDUULQKD9RONVZDJHQQXPDH[FXUVmRIDPLOLDU GH JUDQGH ORJtVWLFD 7HQKR XPDPmHIDQWiVWLFDO~cida e combativa, com DQRVGHPHPyULDV DQRVGHPHPyULDV WHYH LQWHQVDV TXH WHYH a capacidade de

A vida é um desafio, assume o arqueólogo

HVFDYDomRTXHVHÀ]HVVHVXUJLDPYHVWtJLRVURPDQRV)RL SDUDPLPXPDH[SHULrQFLD PXLWRLQWHUHVVDQWHYLYHUQR ,QWHULRU SURIXQGR $TXHODV SHVVRDVYLYLDPFRPPXLWDV GLÀFXOGDGHVPDVWLQKDPDOL XPGLDPDQWHSRUEXULODU2 WUDEDOKRTXHDOLGHVHQYROYHPRVWLQKDXPFODURREMHFWLYR de proximidade aos cidadãos. 4XHUtDPRVSHUFHEHUDTXHOD DOGHLD DR QtYHO GD VXD RFXSDomRSRURXWURVSRYRVDR ORQJR GRV VpFXORV PDV DR mesmo tempo, potenciar o GHVHQYROYLPHQWRHFRQyPLFR HVRFLDODSDUWLUGDTXHOHOHJDGR DUTXHROyJLFR2OLYURLQWLWXODGR´,GDQKDD9HOKD0HPyULDVHP,PDJHQVµPDUFDHVVD UHODomRVHQVRULDOFRPRVtWLR +RMHGHVIUXWRGHXPDFDVD UHFXSHUDGDQRFHQWURGDDOdeia – mantendo essa relação XPELOLFDO H GH SUR[LPLGDGH FRPDTXHODVJHQWHV 2 SURMHFWR GH 6DQWD &ODUDD9HOKD VXUJLX FRPR XPQRYRGHVDÀR&RPRDUTXHyORJR GHSDUHLPH FRP DOJRFRPSOHWDPHQWHGLIHUHQWH2HOHPHQWRiJXDPXLWR

FULDUÀOKRV3DVVDPRVXPD LQIkQFLDIHOL]TXHGHL[RXJUDQdes lembranças e exemplos. &XULRVDPHQWHHVVDVYLVLWDVD DQWLTXiULRVTXHHXHRVPHXV LUPmRV HQWHQGtDPRV FRPR XPDVHFDH[SHGLomRGRORURVD interminável, acabaram por JHUPLQDUYLQGRHXDVHUDUTXHyORJR H SURÀVVLRQDO GR SDWULPyQLR(VWDOLJDomRDR XQLYHUVRGRVEHQVSDWULPRQLDLVOHJXHLRVDRVPHXVÀOKRV $UWXUH5LWD Na Universidade, marFRXPH D ÀJXUD GR PHVWUH -RUJHGH$ODUFmRSRUTXHP WHQKRKRMHXPDDPL]DGHSURIXQGD(OHWHYHDJUDQGHYLUWXGHGHFRQFHEHUDDUTXHRORJLD FRPRXPWUDEDOKRGHFDPSR TXHPHOHYRXPXLWDVYH]HV DDEGLFDUGDVIpULDVGHSUDLD para participar em escavações DUTXHROyJLFDVWtQKDPRVDV nossas «praias secas», com sol TXDQWREDVWH$DUTXHRORJLD tem de ser vivida com grande SDL[mReXPWUDEDOKRGLItFLO H[SRVWRjVFRQGLo}HVDWPRVIpULFDV(VWLYHHPHVFDYDo}HV QD*XDUGD&DVWHOR%UDQFR 3HQDPDFRU H /HLULD HQWUH

SUHVHQWHIRLRPDLRUGHVDÀR 2 SHUFXUVR QmR IRL IiFLO H KRXYHDPSODGLVFXVVmRSDUD VHHQFRQWUDUXPDVROXomRTXH IRVVHDGHTXDGD$SURSRVWD TXHVDLXYHQFHGRUDFRQVLVWLX QXPDVROXomRGHDUTXLWHFWXUD PXLWRSXUD)RLXPSURMHFWR TXH VH GHVHQYROYHX FRP D dedicação, a paixão e o empeQKRGHXPDSHTXHQDHTXLSD TXH WUDEDOKRX VHPSUH FRP XP VHQWLGR GH GHVFREHUWD SHUPDQHQWH 2 VHJUHGR GR VXFHVVR p WDPEpP WHUPRV encontrado mecanismos de DWUDFomRGHS~EOLFRDOJRTXH pIXQGDPHQWDOSDUDWRGRVRV PXVHXV6DQWD&ODUDD9HOKD pXPSDOFRH[FHSFLRQDOSDUD a cidade de Coimbra, pela H[FHOrQFLD GR FHQiULR TXH SURSRUFLRQDHSHODVXDDUTXLWHFWXUDeWDPEpPXPORFDO FRPJUDQGHOLJDomRjVSHVVRDV FRPRTXDOTXHUPXVHXRXHVSDoRGHVWHJpQHURGHYHVHU2V PXVHXVQmRVmRPDXVROpXV são espaços vivos, de actividade e de partilha. A perspectiva GHSDWULPyQLRGDFLGDGHGH Coimbra tem de ser vista de XPDIRUPDPDLVDEUDQJHQWH (VWDPRVDYLYHUXPPRPHQWR ~QLFR1mRSRGHPRVSHUGHU D RSRUWXQLGDGH FULDGD SHOD FODVVLILFDomR GH 3DWULPyQLR GD+XPDQLGDGHSHOD81(6&29HMDVHRFDVRGH6DQWD &ODUDD9HOKD2IDFWRGHWHU UHFHELGRRJDODUGmR©(XURSD 1RVWUDª IH] FRP TXH UDSLGDPHQWH VH WRUQDVVH QXPD UHIHUrQFLDWXUtVWLFDGHVtWLRD YLVLWDU1XPDHVFDODDODUJDGD HVWDPRVDIDODUGDFLGDGHGH &RLPEUDFRPDFODVVLÀFDomR SHOD 81(6&2 D SRWHQFLDU DYLQGDGHPDLVYLVLWDQWHV2 JUDQGHGHVDÀRSDVVDSRUWHU a capacidade de responder a HVWDUHVSRQVDELOLGDGH(VWRX FRQYLFWRGHTXHYDPRVWULOKDU XPSHUFXUVRTXHVHWRUQDUi LUUHYHUVtYHO &DVR FRQWUiULR SHUGHUHPRVRUXPRGHXPD FLGDGHLPSRUWDQWHIRUWHPHQWHDFDGpPLFDPDVWDPEpP GRVFLGDGmRVeIXQGDPHQWDO FRQFLOLDUHVWDVGXDVUHDOLGDGHV TXH GXUDQWH PXLWRV DQRV HVWLYHUDPGHFRVWDVYROWDGDVµ

BI

Um arqueólogo com memória da sua história $UWXU0DQXHOGH&DVWUR&{UWH5HDOQDVFHXHP&RLPEUDHP 1RVHLRGHXPDIDPtOLDGHLUPmRVYLYHXXPDLQIkQFLD IHOL]FRPPHPyULDVGHIpULDVGH9HUmRSDVVDGDVHP60DUWLQKR GR3RUWRHQD/RXVmHPFDVDGHSULPRVSDWHUQRVHSDVVHLRV HPIDPtOLDQXPD©SmRGHIRUPDªTXHOHYDYDWRGDDIDPtOLDSDUD HQFRQWURVGHJHUDo}HV´$QRVVDLQIkQFLDPROGDRTXHVRPRV HPDGXOWRVµGL]$UWXU&{UWH5HDO/LFHQFLDGRHP+LVWyULD YDULDQWHGH$UTXHRORJLDHPHVWUHHP$UTXHRORJLD&OiVVLFDSHOD 8QLYHUVLGDGHGH&RLPEUDFRPHoRXSRUSDUWLFLSDUHFRRUGHQDU XPYDVWRFRQMXQWRGHHVFDYDo}HVDUTXHROyJLFDVQRkPELWRGR

HQWmR6HUYLoR5HJLRQDOGH$UTXHRORJLDGD=RQD&HQWUR&RP YDVWDDFWLYLGDGHOLJDGDDYiULRVRUJDQLVPRVGRSDWULPyQLRFRP SURGXomRFLHQWtÀFDFRQVXEVWDQFLDGDHPDUWLJRVSXEOLFDGRVHP UHYLVWDVQDFLRQDLVHLQWHUQDFLRQDLVIRLUHVSRQViYHOSHORSURMHFWR GHYDORUL]DomRGRQ~FOHRURPDQRGH,GDQKDD9HOKDHHP LQLFLDXPWUDEDOKRGHDUTXHRORJLDQR0RVWHLURGH6DQWD&ODUDD9HOKDTXHFXOPLQDFRPDTXHOHPXVHXDVHUFRQVLGHUDGRXPD UHIHUrQFLDQDFLRQDOHLQWHUQDFLRQDO$UWXU&{UWH5HDOpGHVGH RWLWXODUGD'LUHFomRGH6HUYLoRVGRV%HQV&XOWXUDLVQD 'LUHFomR5HJLRQDOGH&XOWXUDGR&HQWUR

E AINDA

´$PLQKDH[LVWrQFLDIRLVHPSUHPDUFDGDSRUDOJXPDLQGHSHQGrQFLDGRSRQWRGHYLVWDSROtWLFRPDVPDQWHQGRVHPSUH XPDFDSDFLGDGHGHSHQVDUGHRSLQDUHLQWHUYLUQDVRFLHGDGH HQTXDQWRFLGDGmRHSDWULPRQLDOLVWD(QWHQGRTXHpDEVROXWDPHQWH IXQGDPHQWDODQRVVDLQGHSHQGrQFLDQDFDSDFLGDGHHOLEHUGDGH GHSHQVDUµ ´(QTXDQWRFLGDGmRHGRSRQWRGHYLVWDVLPEyOLFRHQWHQGR TXHDH[LVWrQFLDGHXP0LQLVWpULRGD&XOWXUDSRGHVHUHQWHQGLGD FRPRXPDPDUFDSROtWLFDHGRWDGDGHXPVLJQLÀFDGRGLIHUHQWH GHXPD6HFUHWDULDGH(VWDGR&RQWXGRDHÀFiFLDGHSHQGHDSHQDV GDHVWUXWXUDTXHIRURUJDQL]DGDHGDFRPSHWrQFLDGDVSHVVRDV &RQIHVVRTXHQDSUiWLFDQmRVHQWLJUDQGHGLIHUHQoDHQWUHKDYHU XPDVHFUHWDULDHPYH]GHXPPLQLVWpULRµ ´1mRSRGHPRVFRQWLQXDUDSHQVDUWXGRFRPRJUDWXLWR2V PXVHXVVmRGLVVRXPERPH[HPSOReSUHFLVRJDUDQWLUTXHWRGDV DVSHVVRDVWrPLJXDODFHVVRjFXOWXUDPDVWDPEpPSHQVDUHP IRUPDVGHJDUDQWLUDVXVWHQWDELOLGDGHGRVHVSDoRVPXVHROyJLFRVµ ´$SHVDUGHVHUPRVXPSDtVSHTXHQRWHPRVXPDJUDQGHGLYHUVLGDGH3RUWXJDOYDLWHUGHYLYHUFDGDYH]PDLVGRVHXSDWULPyQLRµ ´$DUTXLWHFWXUDpLQGLVVRFLiYHOGHXPDLQYHVWLJDomRDUTXHROyJLFD7RGDDLQWHUYHQomRXUEDQDGHYHVHUPROGDGDHSUHSDUDGD VXVWHQWDQGRVHQDTXLORTXHVmRDVPHPyULDV(ODVpTXHGHÀQHPD TXDOLGDGHGRSURMHFWR(LVVRDFRQWHFHXHP6DQWD&ODUDD9HOKDµ ´$KLVWyULDTXHHVWiFRQWDGDHP6DQWD&ODUDD9HOKDpFRPSOHWDPHQWHQRYDHPIXQomRGRDFWRGHHVFDYDomRDUTXHROyJLFD DOLUHDOL]DGReXPDKLVWyULDVHPSUHHPDEHUWR7LYHPRVDSUHRFXSDomRGHSUHVHUYDUIXWXUDVLQWHUYHQo}HVTXHSRGHPVHUIHLWDVµ ´2SURMHFWRGHLQWHUYHQomROHYDGRDFDERQRPRVWHLURGH 6DQWD&ODUDD9HOKDFRUUHVSRQGHXDXPDYRQWDGHS~EOLFDHDVVXPLGDGHUHFRQKHFLPHQWRHGHUHFXSHUDomRGDTXHOHPRQXPHQWR $RORQJRGRVWUDEDOKRVKRXYHDYLVLWDGHSUHVLGHQWHVGD5HS~EOLFD SULPHLURVPLQLVWURVHPLQLVWURVGD&XOWXUDWUDGX]LQGRDJUDQGH LPSRUWkQFLDGRTXHDOLHVWDYDDDFRQWHFHUµ ´2VSURMHFWRVWrPPXLWRDYHUFRPRVGHVDÀRVTXHHQIUHQWDPRV$RORQJRGDPLQKDYLGDSURÀVVLRQDOVHPSUHSUHIHUL HQYROYHUPHHPSRXFDVFRLVDVPDVTXHUHSUHVHQWDVVHPJUDQGHV GHVDÀRV1RFDVRGH,GDQKDD9HOKDDFDEHLRVWUDEDOKRVFRP XPVHQWLPHQWRGHPLVVmRFXPSULGDSRUTXHWtQKDPRVGHL[DGR XPFRQWULEXWRTXHSHUPLWLXRGHVHQYROYLPHQWRGDTXHODWHUUDH GDVVXDVJHQWHVµ ´2PHXJRVWRSHODIRWRJUDÀDUHVXOWDGRSDUWLOKDURPHXROKDU HPUHODomRjUHDOLGDGHTXHPHURGHLDeXPDFDUDFWHUtVWLFDGRV DUTXHyORJRVTXHHQFRQWUDPVHPSUHXPDSDUWLFXODULGDGHSRU H[HPSORQXPGHWHUPLQDGRDVSHFWRRXIUDJPHQWRGHFHUkPLFD DSDUWLUGRTXDOVXUJHXPDKLVWyULDRXXPDWHVHeXPDTXHVWmR GHVHQVLELOLGDGHGRROKDUµ ´7UDEDOKRQDiUHDKiPDLVGHDQRV3DUDDOpPGRSDWULPyQLRKLVWyULFRWHQKRRXWURVTXHPHLQWHUHVVDP$IRWRJUDÀDpXP SDWULPyQLRSHORTXDOWHQKRJUDQGHDGPLUDomRHTXHQmRWHPVLGR SULYLOHJLDGR3HQVRTXH3RUWXJDOWHPXPDJUDQGHULTXH]DFRQVWLWXtGDSRUYiULRVWLSRVGHSDWULPyQLR2TXHVHULDGH&RLPEUD eYRUDRX/LVERDVHQmRIRVVHRVHXSDWULPyQLR"$SDLVDJHPD JDVWURQRPLDRVPRQXPHQWRVVmRYHUWHQWHVGHXPSDWULPyQLR H[FHSFLRQDOTXHGHYHPRVUHVSHLWDUHSURPRYHUµ ´eSUHFLVRDOWHUDURSDUDGLJPDGDUHDELOLWDomRXUEDQDGH&RLPEUDHQTXDGUDQGRDVTXHVW}HVGDVXVWHQWDELOLGDGHQXPDOLJDomRj FXOWXUDeSUHFLVRUHYHUPXLWRVDVSHFWRVHXPGHOHVSDVVDQGRSRU WRPDUFRPRH[HPSORFLGDGHVTXHÀ]HUDPXPERPWUDEDOKRQD UHFXSHUDomRGRVHXSDWULPyQLR$VTXHVW}HVGD©%DL[DªHGD©$OWDª WrPGHVHUUHSHQVDGDVVRERSRQWRGHYLVWDGHXPDLQWHUYHQomR HVWUXWXUDGD7HPRVGHWHUHVSHUDQoDTXHHVWHpRPRPHQWRFHUWR SDUDDJLUHLQWHUYLUHP&RLPEUD$FXOWXUDHRWXULVPRWrPGHHVWDU GHPmRVGDGDVHLVVRQmRWHPDFRQWHFLGRµ ´1DYLGDDFDSDFLGDGHGHQRVVLWXDUPRVDSHQDVFRPRSDVVDJHLURVGHXPSHTXHQLQRSHUFXUVRSRGHGDUQRVDOJXPDVHUHQLGDGH TXDQGRWLYHUPRVTXHRDEDQGRQDU8PGLDTXDQGRWLYHUGHSDUWLU QDTXHOHVLQVWDQWHVHPTXHWHPRVXPDEUHYHLPDJHPGRTXHIRLD QRVVDYLGDHVSHURYLUDVHQWLUTXHYDOHXDSHQDµ


FIGURAS DA SEMANA

6

www.campeaoprovincias.pt

Ascensor A

S U B I R

LuĂ­s Antunes – A Câmara Municipal da LousĂŁ acaba de ser premiada com o galardĂŁo “Eco XXIâ€?, pelas boas prĂĄticas de sustentabilidade ambiental desenvolvidas. A autarquia, liderada pelo socialista LuĂ­s Antunes, irĂĄ receber a GLVWLQomRDGH6HWHPEURQXPDFHULPyQLDTXHYDLUHDOL]DU-se em Torres Vedras. InstituĂ­do pela associação Bandeira Azul da Europa, o prĂŠmio “Eco XXIâ€? visa reconhecer o empenho dos municĂ­pios no desenvolvimento de acçþes conducentes a um desenvolvimento sustentĂĄvel, alicerçado na educação para a sustentabilidade e na defesa e protecção da qualidade ambiental. Esta anĂĄlise incide sobre diversos sectores, designadamente, atravĂŠs de indicadores ao nĂ­vel da educação ambiental, instituiçþes, conservação da natureza, ĂĄgua, resĂ­duos, energia, transportes, ruĂ­do, qualidade do ar, ordenamento do territĂłrio, agricultura e turismo. Segundo a associação Bandeira Azul, o MunicĂ­pio da LousĂŁ “evidenciou o exercĂ­cio das boas prĂĄticas, relativamente a polĂ­ticas municipais de sustentabilidadeâ€?. Rui Carvalho Homem – Professor catedrĂĄtico no Departamento de Estudos Anglo-Americanos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Rui Carvalho Homem acaba de ser anunciado como presidente da Associação Europeia de Investigação sobre Shakespeare. Trata-se da maior associação da Europa dedicada ao estudo do dramaturgo inglĂŞs que, durante quatro anos, vai ser liderada SRUXPSRUWXJXrV+iDQRVTXH5XL&DUYDOKR+RPHP estĂĄ ligado a esta associação, tendo começado a aprofundar o seu interesse por Shakespeare quando ingressou na licenciatura em LĂ­nguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Ingleses e AlemĂŁes. Carvalho Homem irĂĄ liderar uma equipa de investigadores especializados em aprofundar a investigação sobre a obra de Shakespeare.

12

QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Cristina Pereira Uma equipa de investigadores das universidades de Coimbra e do Funchal desenvolveu um modelo que permite caracterizar e aprofundar o conhecimento sobre o processo de envelhecimento do Vinho Madeira, com o objectivo de salvaguardar as caracterĂ­sticas que o tornam Ăşnico e garantir a mĂĄxima qualidade em cada colheita, revelou, a UC. Os criadores do apetrecho propĂľem algo capaz de permitir saber, por exemplo, quais os compostos mais importantes para explicar o comportamento dinâmico do envelhecimento do produto, explica a investigadora Cristina Pereira. O desenvolvimento do “enĂłlogo digitalâ€? ocorreu em parceria com a empresa Madeira Wine Company. Com o conhecimento detalhado das caracterĂ­sticas, ĂŠ, atĂŠ, possĂ­vel detectar eventuais prĂĄticas abusivas de comercialização, protegendo a identidade Ăşnica deste produto de excelĂŞncia, assinala a investigadora. ConcluĂ­dos os estudos de caracterização dos compostos do Vinho da Madeira e o desenvolvimento de modelos explicativos e preditivos, os investigadores vĂŁo agora focar-se na possibilidade de desenvolver mĂŠtodos correctivos a eventuais desvios detectados. MĂĄrio Martins – O jornalista MĂĄrio Martins presta provas, hoje, de dissertação de mestrado em Comunicação e Jornalismo, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Em “Sintomasâ€? de Urbano Duarte, o mestrando analisa as crĂłnicas do falecido cĂłnego e director do Correio de Coimbra, no âmbito de uma tese orientada por Ana Teresa Peixinho. Ex-professor do ensino primĂĄrio e outrora ĂĄrbitro de futebol, MĂĄrio Martins ĂŠ licenciado em HistĂłria e trabalhou no DiĂĄrio de Coimbra, As Beiras, Jornal de NotĂ­cias, AgĂŞncia Lusa, Jornal de Coimbra, NotĂ­cias da Tarde, O Jogo e Correio de Coimbra.

licenciados pela FCDEF-UC. Doutorou-se em Ciências do Desporto e Educação Física na especialidade de Ciências do Desporto, em 2008, pela FCDEF-UC, tendo centrado D VXD DFWLYLGDGH GH  LQYHVWLJDomR FLHQWtÀFD QR HVWXGR GR jovem atleta, tanto na perspetiva auxológica, bem como na compreensão e integração do jovem no treino desportivo. O docente jå exerceu o cargo de vice-presidente da AAC-OAF e foi membro da direcção da Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra.

Albano Paes de Sousa, Jorge Carino e RogĂŠrio Marques – A Assembleia Municipal de Cantanhede distinguiu, Artur Bessa – O novo director pedagĂłgico do ColĂŠgio na Ăşltima sessĂŁo do mandato, o economista Jorge Carino, Rainha Santa Isabel, em Coimbra, ĂŠ Artur AntĂłnio Ferreira o advogado Albano Paes de Sousa, falecido este ano, e os Bessa, que substitui Maria de FĂĄtima Cardoso, a qual termina Bombeiros VoluntĂĄrios de Cantanhede, liderados por RoRPDQGDWRGHTXDWURDQRV'RFHQWHGH)LORVRĂ€D$UWXU%HVVD gĂŠrio Marques. O voto de reconhecimento a Jorge Catarino, Miguel Barbosa – O piloto da Mitsubishi sagrou-se ĂŠ tambĂŠm mĂşsico e director de orquestra. A irmĂŁ Maria da aprovado por 24 votos e quatro em branco, sublinha a campeĂŁo nacional de todo-o-terreno, pela sexta vez, ao ven- GlĂłria Cordeiro continua como directora-geral do ColĂŠgio “extremosa dedicação, empenho e sentido de responsabilicer a Baja TT Proença-Oleiros, prova disputada no Ăşltimo Rainha Santa Isabel, com a irmĂŁ Maria EugĂŠnia Sousa como dade com que desempenhou as mais destacadas funçþes no Ă€PGHVHPDQD0LJXHO%DUERVDEHQHĂ€FLRXGDGHVLVWrQFLD superiora e representante legal da entidade titular. A saĂ­da da municĂ­pio de Cantanhedeâ€?, que se despede agora tambĂŠm de HĂŠlder Oliveira, seu principal adversĂĄrio e, tendo como irmĂŁ OtĂ­lia Maria Gonçalves, que foi nomeada superiora da deste ĂłrgĂŁo autĂĄrquico. Os Bombeiros VoluntĂĄrios de Cantanavegador Miguel Ramalho, liderou por completo a quarta Congregação S. JosĂŠ de Cluny, no Porto, e directora do Lar nhede, em especial, e de todo o paĂ­s, em geral, tambĂŠm foram etapa do campeonato nacional de todo-o-terreno. UniversitĂĄrio da Rua do Breyner, implicou tambĂŠm algumas reconhecidos por aquela Assembleia Municipal pela forma alteraçþes nas coordenaçþes, uma vez que a docente, alĂŠm “abnegada como tĂŞm cumprido a sua missĂŁo na salvaguarda Rodrigo LeĂŁo – O nome do compositor portuguĂŞs ĂŠ, da actividade lectiva, tinha a seu cargo a coordenação geral e protecção de pessoas e bensâ€?. A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou, tambĂŠm por unanimidade, um voto por estes dias, muito falado em Hollywood. Rodrigo LeĂŁo da Pastoral e da Disciplina. de profundo pesar pelo falecimento do causĂ­dico de 87 pRDXWRUGDEDQGDVRQRUDGRĂ€OPH´20RUGRPRÂľGR realizador Lee Daniels, que acaba de estrear em Portugal. AntĂłnio Miguel Silva – Natural de Coimbra, o guitar- anos, enaltecendo a “incontestĂĄvel competĂŞncia, integridade, PelĂ­cula inspirada na histĂłria verĂ­dica de Eugene Allen, que rista AntĂłnio Miguel Silva dĂĄ o seu concerto de estreia, este isenção, propĂłsito de justiça e dedicação Ă causa pĂşblicaâ€? de WUDEDOKRXGXUDQWHDQRVQD&DVD%UDQFD´20RUGRPRÂľ sĂĄbado, em Serpa, no MusibĂŠria – Centro de Internacional de Albano Paes de Sousa. ĂŠ apontado como um forte candidato aos Ă“scares, sendo MĂşsicas e Danças no Mundo IbĂŠrico, com o projecto Ararur. Maria Fernanda Carmo – Maria Fernanda Carmo aso tema de Rodrigo LeĂŁo um trunfo de relevo. NĂŁo se trata Depois de frequentar o curso de economia, na cidade natal, de um estreia absoluta do compositor ao nĂ­vel do cinema AntĂłnio Miguel Silva optou por tirar o curso de mĂşsica, na sumiu a direcção da CH Projects, uma unidade de negĂłcios LQWHUQDFLRQDOSRLVHPRP~VLFRSRUWXJXrVIRLRP~- Escola Superior de MĂşsica de Lisboa, e e enveredar pela autĂłnoma, da CH Business Consulting, de Coimbra. A nova sico o responsĂĄvel pela banda sonora de “Lisbon Storyâ€?, carreira artĂ­stica. No primeiro semestre deste ano fez uma gestora tem como missĂŁo o desenvolvimento de projectos de do alemĂŁo Wim Wenders. Contudo, desta vez, Rodrigo residĂŞncia artĂ­stica no MusibĂŠria, que lhe permitiu ter o tempo investimento, oferecendo Ă s empresas uma solução altamente destaca-se com uma entrada â€œĂ  leĂŁoâ€? no circuito comercial e as condiçþes necessĂĄrias para criar o seu primeiro trabalho especializada na maximização dos incentivos pĂşblicos e no do cinema produzido em Hollywood. GLVFRJUiĂ€FR3DUDJUDYDURMRYHPJXLWDUULVWDHFRPSRVLWRU aproveitamento dos diferentes instrumentos de apoio existentes. chamou depois os amigos e ex-colegas de curso Ă‚ngela Maria A D E S C E R Carlos Jorge Torres – A Torres Rally Team, de AveiSantos (voz e letras), JoĂŁo Capinha (saxofone alto e tenor), AnĂ­bal Cavaco Silva –(OHLWRQRLQtFLRGHSRX- Francisco Brito (contrabaixo) e JoĂŁo Rijo (bateria). Assim URĂ€FRXHPWHUFHLUDSRVLomRQDFDWHJRULDQD5DPSDGR co tempo depois de ter sido aprovada pelo Parlamento a QDVFHXRSURMHFWR$UDUXUPDUFDGRSHODLQĂ XrQFLDGRMD]]H &DUDPXORSURYDTXHVHUHDOL]RXQRSDVVDGRĂ€PGHVHPDQD lei de limitação de mandatos autĂĄrquicos, o Presidente da GD´ZRUOGPXVLFÂľ2GLVFRIRLĂ€QDQFLDGRSHOD8QLmR(XUR- na Serra do Caramulo. O piloto Carlos Jorge Torres, que RepĂşblica devia ter acautelado que o problema de interpre- peia e pela Câmara Municipal de Serpa. “Acho que devemos SDUWLFLSDYDFRPXP3RUVFKH*7Ă€FRXEDVWDQWHVDWLVtação do diploma nĂŁo chegaria, por resolver, atĂŠ Ă  vĂŠspera seguir aquilo que gostamos, porque nĂŁo hĂĄ certezas em ĂĄrea feito com o resultado, nĂŁo sĂł porque o objectivo inicial era Ă€FDUDWpDRTXLQWROXJDUPDVWDPEpPSRUTXHRSHUtRGRGH da realização de eleiçþes. Esperava-se que AnĂ­bal Cavaco nenhumaâ€?, comenta AntĂłnio Miguel Silva. adaptação ao carro foi simbĂłlico. Ă€ frente de Carlos Jorge Silva fosse claro na mensagem a enviar Ă  Assembleia da RepĂşblica, devolvendo a responsabilidade aos deputados AntĂłnio Barata Figueiredo – Tomou posse, esta 7RUUHVĂ€FRXSRUDSHQDVGRLVGpFLPRVGHVHJXQGR-RDTXLP para que fosse emendada a “trapalhadaâ€? que haviam criado. segunda-feira, como director da Faculdade de CiĂŞncias do Teixeira, com um Seat Leon, e AntĂłnio Nogueira, com um Em devido tempo o problema podia ter sido bem resolvido. Desporto e Educação FĂ­sica da Universidade de Coimbra 3RUVFKH*75TXHYHQFHXDSURYDHpFDQGLGDWR NĂŁo foi. E, agora, veio o Tribunal Constitucional remediar, (FCDEF-UC), dando inĂ­cio ao segundo mandato no cargo. ao tĂ­tulo de campeĂŁo deste ano no Campeonato Nacional de na medida do possĂ­vel, uma situação que podia – e devia AntĂłnio JosĂŠ Barata Figueiredo realizou todo o seu percurso Montanha. O evento integrou o Caramulo Motor Festival, – ter sido evitada. acadĂŠmico na UC, tendo pertencido ao grupo dos primeiros que contou com a adesĂŁo de imenso pĂşblico. PUBLICIDADE

32501


QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

ISCAC apoia a BĂĄrbara A presidĂŞncia do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) - Business School anunciou, ontem, que se associa Ă causa “Todos pela BĂĄrbaraâ€?, uma menina de trĂŞs anos, natural da Pocariça (Cantanhede), que nasceu com lesĂľes cerebrais estĂĄticas e a famĂ­lia necessita de apoio econĂłmico para prosseguir os dispendiosos tratamentos em vĂĄrias clĂ­nicas. A prĂłxima iniciativa de solidariedade, a que se associa o ISCAC, a Assessoria de Solidariedade do Lions de Portugal, o MunicĂ­pio de Cantanhede e o iSURF, entre outras entidades, irĂĄ realizar-se amanhĂŁ, dia 13, a partir das 18h00, no MagnĂłlia Jardim, em Cantanhede. Nesta acção solidĂĄria participam Paulino Coelho, da RĂĄdio Renascença, TheOtherface, Hugo Tavares e Carlos Costa. HaverĂĄ porco no espeto, malabaristas e sorteios de trĂŞs baptismos de voo, cinco aulas de surf e de uma bicicleta. A recuperação de BĂĄrbara Silva CamasĂŁo SDVVDSRUWUDWDPHQWRVGHĂ€VLRWHUDSLDLQWHQVLYDHUHDELOLWDomR neurolĂłgica, que tem efectuado em clĂ­nicas de GuimarĂŁes e Espinho, com custos mensais entre os 3 000 e os 6 000 euros. CNM iniciou actividades JĂĄ arrancou a nova ĂŠpoca no Centro Norton de Matos (CNM), em Coimbra, que no total conta com um milhar de inscritos. O ginĂĄsio do CNM recebeu os primeiros passos de dança, com o escalĂŁo mais avançado de danças afro-latinas, iniciando as turmas de iniciação e do escalĂŁo intermĂŠdio. TamEpPREDOOHWFXMRHQVLQRpFHUWLĂ€FDGRSHOD5R\DO$FDGHP\RI  Dance - regressou e deu as boas-vindas a todos os bailarinos, a partir dos trĂŞs anos. Entrou em campo o futsal, que este ano tem em funcionamento trĂŞs escalĂľes de escolinhas (petizes, traquinas e benjamins) e um escalĂŁo de competição (infantis), e arrancaram as diversas ginĂĄsticas: sĂŠnior, destinada a maiores de 60 anos, e a ginĂĄstica localizada/step, com praticantes a partir dos 16 anos. A ginĂĄstica rĂ­tmica, que recebe praticantes a partir dos cinco anos, tambĂŠm se iniciou, regressando tambĂŠm Ă  acWLYLGDGHR\RJDDVVLPFRPRRMXGRHRNDUDWp GLD DPERV destinados a crianças a partir dos quatro anos, assim como a Academia de MĂşsica CNM começarĂĄ as actividades no dia 16. Os primeiros mergulhos destinados a bebĂŠs (a partir dos trĂŞs meses) tĂŞm inĂ­cio a 22 de Setembro, na piscina da CĂĄritas, e as crianças a partir dos quatro anos regressam tambĂŠm Ă  SLVFLQDHPGDWDDGHĂ€QLUGHSHQGHQGRGDDEHUWXUDGR&RPplexo OlĂ­mpico de Piscinas (Solum). No dia 02 de Outubro regressarĂĄ a dança jazz, sendo esperados, como habitual, mais de uma centena e meia de praticantes. Fundação ADFP recebeu lĂ­der da UGT Carlos Silva, secretĂĄrio-geral da UGT, esteve, ontem, na Fundação ADFP de Miranda do Corvo, numa visita que se enquadra na importância da economia social no desenvolvimento do paĂ­s, e participou numa conferĂŞncia subordinada ao tema “Que rumo para Portugalâ€?. Acompanhado por Ricardo Pocinho, presidente da UGT-Coimbra, com quem a Fundação ADFP assinou recentemente um protocolo de cooperação, Carlos Silva visitou a sede da instituição e deslocou-se ao Mercado Municipal para observar as futuras instalaçþes do Centro de Estudos da UGT-Coimbra/ADFP. O protocolo assinado entre a Fundação ADFP, UGT-Coimbra e CLDS (Contrato Local de Desenvolvimento Social de Miranda do Corvo) destina-se a potenciar a cooperação entre as duas instituiçþes, atravĂŠs das actividades desenvolvidas pelo Gabinete Emprego, 4XDOLĂ€FDomRH(PSUHHQGHGRULVPRH&HQWURGH5HFXUVRVGRV “Trilhos do Futuroâ€?, e pelo Centro de Estudos da UGT. CM de GĂłis qualifica trabalhadores 20XQLFtSLRGH*yLVDWULEXLXFHUWLĂ€FDGRVDGRV VHXVWUDEDOKDGRUHVFRUUHVSRQGHQGRDDFo}HVGHIRUPDomR nas ĂĄreas de Higiene e Segurança Alimentar, Suporte BĂĄsico de Vida, Manutenção e Sistemas de Abastecimento de Ă gua, CĂłdigo do Procedimento Administrativo e Formação ContĂ­nua de Motoristas CAM (renovação). As formaçþes ministradas WLYHUDPRDSRLRGRSURMHFWRGH4XDOLĂ€FDomRGRV3URĂ€VVLRQDLV da Administração PĂşblica Local, que abrange as 14 câmaras que compĂľem a Comunidade Intermunicipal do Pinhal Interior Norte (CIMPIN). Judo da AAC compete na Europa Vai realizar-se entre os dias 20 e 22 de Setembro em Sarajevo, BĂłsnia, o Campeonato da Europa de Juniores, com a AcadĂŠmica a estar representada por intermĂŠdio de Eduardo 6LOYD NJ /XtV0HQGHV NJ H(XQLFH6DQWRV NJ  sendo o clube nacional com mais atletas presentes neste grande

FACTOS DA SEMANA www.campeaoprovincias.pt

7

Universidade de Coimbra ainda tem 353 vagas Após as colocações da primeira fase de ingresso no Ensino Superior, DLQGDKiHP&RLPEUDYDJDVSRUSUHHQFKHUQD8QLYHUVLGDGHH QR,QVWLWXWR3ROLWpFQLFR4XDQWRj8&RUHDOFHYDLSDUDRHOHYDGRQ~mero de vagas ainda existente na Faculdade de Ciências e Tecnologia, onde a Engenharia surge em destaque, num curso da Faculdade de Farmácia e em YiULRVGD)DFXOGDGHGH/HWUDV'DVYDJDVLQLFLDLVIRUDPRFXSDGDV 836 na Universidade de Coimbra. A nível nacional, os indicadores revelam TXHFHUFDGHSRUFHQWRGRVDOXQRVFRQVHJXLUDPXPOXJDUQR(QVLQR Superior e 60 por cento foram colocados no curso que queriam. Existem, ainda, cerca de 14 000 vagas por ocupar no Ensino Superior público, que estarão disponíveis para a 2.ª fase de candidaturas, que agora decorre, e apenas 3 000 alunos por colocar. A Universidade do Porto continua a ser a instituição de ensino superior público mais procurada pelos candidatos a caloiros, com as candidaturas em 1.ª opção a superarem em 66 por cento a oferta. Para além desta, são as universidades do Minho, Nova de Lisboa, o ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, as escolas superiores de Enfermagem de Lisboa e do Porto e a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril que apresentam uma procura em 1.ª opção superior ao número de vagas disponíveis.

prova e convocados pela Federação Portuguesa de Judo. Eduardo Silva fez uma boa Êpoca sagrando-se Campeão Nacional GH-XQLRUHVHPNJHPDLVWDUGHDOFDQoDQGRDPHGDOKDGH bronze na Taça da Europa de Juniores de Coimbra. Eunice Santos fez uma Êpoca regular, onde alcançou três quintos OXJDUHVQD7DoDGD(XURSDGH-XQLRUHVGH&RLPEUDGH/\RQ e de Lignano. Luís Mendes começou por se sagrar Campeão 1DFLRQDOGH-XQLRUHVHPNJVHJXLQGRVHTXLQWRVOXJDUHV

Inscriçþes abertas Inglês - Alemão Espanhol para apoio curricular do 5.º ao 9.º ano de escolaridade

sĂĄbados das 10h00 Ă s 20h00. AlĂŠm do regime livre, manter-se-ĂŁo em funcionamento os programas dinamizados pela Câmara de Penacova, de hidroginĂĄstica sĂŠnior, adaptação ao meio aquĂĄtico, aulas para bebĂŠs e gerontomotricidade, entre outros. Os utilizadores das piscinas tĂŞm Ă  disposição a modalidade de CartĂľes FamĂ­lia e CartĂľes RecarregĂĄveis, com benefĂ­cios ao nĂ­vel da utilização em regime livre. Abertas candidaturas ao prĂŠmio de jornalismo Adriano Lucas A Câmara Municipal, em parceria com a Universidade e o jornal “DiĂĄrio de Coimbraâ€?, instituiu, em 2011, o “PrĂŠmio de Jornalismo Adriano Lucasâ€?, que este ano tem a terceira edição HXPYDORUSHFXQLiULDGHHXURVHVWDQGRDVFDQGLGDWXras abertas atĂŠ 30 de Setembro. Trata-se de um prĂŠmio que pretende agraciar um trabalho jornalĂ­stico, na forma escrita, privilegiando o gĂŠnero reportagem, que promova, preferencialmente, temas relacionados com Coimbra e a RegiĂŁo das Beiras. Pretende-se, em simultâneo, estimular os jovens talentos que estudem jornalismo, que se encontrem em inĂ­cio de carreira, ou jornalistas que estejam plenamente integrados na SURĂ€VVmR2SUpPLRVHUiHQWUHJXHHPVHVVmRVROHQHQRGLD de Dezembro, data que assinala o aniversĂĄrio de nascimento do homenageado, que foi proprietĂĄrio e director do “DiĂĄrio GH&RLPEUDÂľHQWUHH2UHJXODPHQWRGRSUpPLR estĂĄ na pĂĄgina da Internet do MunicĂ­pio de Coimbra (http:// www.cm-coimbra.pt).

Obras na A1 entre Coimbra Sul e Norte A Brisa ConcessĂŁo RodoviĂĄria tem em curso obras de EHQHĂ€FLDomRGRVXEODQoR&RLPEUD6XO&RLPEUD1RUWH da Auto-estrada do Norte (A1), que se realizam no perĂ­odo International House Rua Antero de Quental 135 - 3000-032 Coimbra QRFWXUQRHQWUHDVKHDVK 'HKRMH GLD SDUD Telem.: 937 902 886 - Tel: 239 822 971 E-mail: info@ihcoimbra.com amanhĂŁ (dia 13), o trânsito serĂĄ desviado do sentido sul/ Coimbra QRUWH SDUD QRUWHVXO HQWUH RV TXLOyPHWURV  H  www.ihcoimbra.com enquanto que, de sexta-feira para sĂĄbado, o desvio serĂĄ do sentido sul/norte para norte/sul, entre os quilĂłmetros QDV7DoDVGD(XURSDGH-XQLRUHVGH&RLPEUD/\RQH/LJQDQR H e a medalha de ouro na Taça da Europa da Corunha. PJ detĂŠm incendiĂĄrio em Tondela Em Miranda corre-se Ă noite A PolĂ­cia JudiciĂĄria (PJ) de Coimbra deteve um agricultor, EstĂŁo abertas as inscriçþes para a corrida/caminhada SUHVXPtYHODXWRUGHXPFULPHGHLQFrQGLRĂ RUHVWDORFRUULGR nocturna “Run 4 Funâ€?, a realizar-se no prĂłximo sĂĄbado DGH$JRVWRQRFRQFHOKRGH7RQGHODVHJXQGRUHYHORX GLD FRPLQtFLRjVKMXQWRGD&kPDUD0XQLFLSDO terça-feira, a Directoria do Centro. O suspeito terĂĄ agido por de Miranda do Corvo. A “Run 4 Funâ€?, pelas ruas da vila, ĂŠ motivos de “revolta e vingançaâ€?, refere a PJ. O foco de incĂŞnuma forma de divulgar os vĂĄrios produtos, serviços locais e GLRHP]RQDDJUtFRODHĂ RUHVWDOFRQVWLWXtGDSRUPDWRHROLYHLUDV pontos de turismo de maior interesse. Ao longo da corrida IRLGHEHODGRLPHGLDWDPHQWHSRUSRSXODUHV2GHWLGRDQRV existirĂŁo vĂĄrios pontos de “abastecimentoâ€? com gastrono- de idade, foi presente Ă s autoridades judiciĂĄrias competentes mia local, produtos vinĂ­colas e tradiçþes da terra. O mais para primeiro interrogatĂłrio e aplicação das medidas de coação importante nĂŁo serĂĄ a velocidade, mas sim o convĂ­vio e a tidas por adequadas. causa social para a qual o evento estĂĄ associado, a Casa do Gaiato de Miranda do Corvo. A iniciativa ĂŠ da empresa PSP “limpaâ€? rua Direita de droga 50%'7RXULVP6HUYLFHV WHOHPyYHO VHGLDGD A PSP de Coimbra anunciou mais uma detenção de um no Mercado Municipal de Miranda do Corvo, com o preço WUDĂ€FDQWHGHGURJDQDUXD'LUHLWDQD´%DL[DÂľGDFLGDGHORFDO GHHXURVSRUSHVVRDRXGHHXURVSDUDXPJUXSR onde nas duas Ăşltimas semanas foram tambĂŠm detidos outros de mais de duas pessoas, sendo a participação gratuita para suspeitos. A detenção mais recente ocorreu quando a PolĂ­cia crianças atĂŠ aos 12 anos de idade. ApĂłs a caminhada haverĂĄ VXUSUHHQGHXXPKRPHPGHDQRVGHLGDGHUHVLGHQWHHP mĂşsica ao vivo e Dj's. Coimbra, a vender droga directamente ao consumidor. Ao detido foram apreendidas oito doses de cocaĂ­na e 12 doses de heroĂ­na, com a PSP a referir que estas acçþes na rua Direita Piscinas de Penacova reabriram $SyVGLDVHQFHUUDGDVSDUDREUDVGHUHSDUDomRHPD- decorrem “na sequĂŞncia de investigaçþes sobre alegado trĂĄnutenção, reabriram, segunda-feira, as Piscinas Municipais de Ă€FRGHHVWXSHIDFLHQWHVDSyVWHUUHFHELGRGLYHUVDVGHQ~QFLDV 3HQDFRYDFRPRKRUiULRVHPDQDOGDVKjVKHDRV anĂłnimasâ€?. 32513

12


ACTUALIDADE

8

12

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

SĂŁo JoĂŁo do Monte, na serra do Caramulo, consumida pelos incĂŞndios

Uma triste viagem pelas veredas do fogo dezenas de anos, o que mais agrava o terror que ali se viveu. Procurando descrever o Na manhĂŁ de 03 Setembro, acompanhados por MĂĄrio que aconteceu, meio Ă distânMartins, um activo dirigente cia, mas sem o conseguirmos, associativo da freguesia de S. que as fumarolas, os cheiros JoĂŁo do Monte (Caramulo), intensos tal nos impediam, o que serviu de guia, partimos que motivava emoçþes fortes, para uma negra viagem pelas OiIRPRVSRUDTXHOHVDFULĂ€matas, caminhos e aldeias que cado mundo das freguesias sofreram a violĂŞncia de um de SĂŁo JoĂŁo do Monte e do incĂŞndio sem precedentes por Mosteirinho, do concelho de Tondela, mas o mesmo aquelas paragens. O que vimos, os con- se poderĂĄ dizer de AgadĂŁo e tactos que tivemos, nĂŁo sĂŁo Castanheira, de Macieira de prĂłprios para cardĂ­acos, se nos Alcoba, de Ă gueda, de Arca e pusermos na pele de quem foi Varzielas, de Oliveira de Fraprotagonista desta verdadeira des, do GuardĂŁo, de Santiago catĂĄstrofe. Tratando-se de de Besteiros, de Tondela, hauma tragĂŠdia, ĂŠ disso mesmo vendo quem nos dissesse que as chamas chegaram mesmo a que vamos falar. Ă€ hora aprazada lĂĄ chegĂĄ- Anadia e MortĂĄgua. Por tudo mos. Infelizmente, o primeiro isto, nĂŁo hĂĄ jornal que seja quadro com que nos deparĂĄ- capaz de mostrar a gravidade mos foi o da presença de uma dolorosa daqueles dias de ampla força de bombeiros terror e de um desfazer de alentejanos que ainda por ali sonhos de vida que fazem andavam, rendendo outros chorar as pedras. Num espaço que nos seus colegas que jĂĄ tinham partido, com muita obra feita e toca de perto, por ter sido com enormes sacrifĂ­cios pelo sede de um concelho a que meio. Carros e gente de Ode- pertenceram os nossos antemira, Beja, Ourique, Moura, passados atĂŠ aos meados do Cuba, Alandroal, entre outros, sĂŠculo XIX, este pĂŠriplo por e ainda Campo de Besteiros, SĂŁo JoĂŁo do Monte teve ainda ali da regiĂŁo, foram as forças essa razĂŁo subjectiva. Ir ali de combate com que nos foi, tambĂŠm, a prova de uma cruzĂĄmos. Era mau sinal. O solidariedade que a histĂłria Ă DJHORDĂ€QDODLQGDQmRHVWDYD ajudou a cimentar. Começåmos pelo lugar debelado e era terça-feira, dia 03, muito tempo depois de se de AbĂłboda. Tudo ardido. As chamas, pavorosas, destruĂ­ram ter iniciado. Ao nosso lado, enquanto iUYRUHVFXOWXUDVDJUtFRODVĂ€RV preparĂĄvamos o itinerĂĄrio a se- e postes de telefone e electriguir, sempre por meio de terra cidade, rondaram o espaço queimada, alguĂŠm desabafava, exterior da capela. Mais alĂŠm, “jĂĄ vi muito lume, mas tanto, Aires, e o mesmo quadro assim junto, nunca na minha com os terrenos e as casas a vida‌â€?. Quem assim falava mostrarem e ferocidade deste aparentava ter umas boas incĂŞndio. CARLOS RODRIGUES

O solo e os campos queimados são o registo de uma memória recente que tardarå a ser esquecida pelas populaçþes

Continuando esta jornada, entrĂĄmos no Souto, onde tomĂĄmos contacto com uma terrĂ­vel verdade, a de uma aldeia rodeada de lume por todo o lado, com a capela da 6DJUDGD)DPtOLDDĂ€FDUFRPD porta de entrada toda derretida, com o quando elĂŠctrico desfeito, salvando-se o resto, acrescenta o MĂĄrio Martins, por milagre. A velha escola, essa, desapareceu de todo. As casas, ao lado, tambĂŠm. Sem bombeiros, por volta das trĂŞs da madrugada, foram as gentes locais que, empunhando tudo o que tinham ao seu alcance, tentaram salvar suas vidas, o que, felizmente, vieram a conseguir. O CastĂŞlo, na outra margem do Rio Dornas, onde hĂĄ uma mini-hĂ­drica que viu as condutas serem tambĂŠm atingidas, nĂŁo destoava do tom negro e triste das outras cerca

A antiga escola do Souto foi completamente consumida pelas chamas FICHA TÉCNICA EDIĂ‡ĂƒO COIMBRA www.campeaoprovincias.pt

Telefone 239 497 750 | Fax 239 497 759 | E-mail jornalcp@mail.telepac.pt Editor/Propriedade REGIVOZ, Empresa de Comunicação, Lda. Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra | NIPC: 504 753 711 Director-Adjunto Rui Avelar (responsåvel executivo por esta edição) | Gerente da Redacção JosÊ Fidalgo 239 497 750 (ext. 38) | Redacção Luís Santos (C.P. 722), Rui Avelar (C.P. 613), Benedita Oliveira (C.P. 6622), Geraldo Barros (C.P. 6555) e Luís Carlos Melo (C.P. 2555), Telefone 239 497 750 (ext. 55, 56 e 57), Fax 239 497 759 | Sede/

de duas dezenas de povoaçþes desta freguesia mårtir. Dando corda à coragem – que dela bem precisåmos para sermos capazes de levar a bom porto este nosso projecto de saber o que ali se viveu – passåmos à freguesia do Mosteirinho, ainda no concelho de Tondela. Aflição e revolta

De madrugada, eis que o fogo assassino abre alas pelas Cortes e por Freimoninho, na freguesia do Mosteirinho. E faz o seu caminho, levando tudo pela frente. Cerca das quatro horas da manhã, foi o inferno, como acentua Casimiro Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia. Munido de um carro desta Instituição, com algum equipamento, lå foi andando de um lado para outro a tentar evitar o pior. Com uma população absolutamente colaboradora, foi com estes seus conterrâneos que contou nas horas de inFRQWLGDDà LomR Para salvar as pessoas mais vulneråveis, são estas evacuadas para locais mais seguros, no interior da aldeia. Os bombeiros de Agadão e de à gueda, vizinhos, entre outros, só chegaram jå o sol ia alto e o mal estava feito. Contundente, Casimiro Rodrigues, declarou que, apesar de ali terem estado as citadas associaçþes e ainda as de Maceira, de Pataias, das Cal-

das da Rainha e do Bombarral, nĂŁo viu ali nada de Protecção Civil, nem que fosse com uma palavrinha de consolação. Sabendo o que diz, que a floresta ĂŠ sua companhia diĂĄria, acrescenta que quem coordena os bombeiros, se ouvisse os populares, tudo isto poderia ter sido evitado. “Ao vermos o avanço das chamas, propusemos que se Ă€]HVVHXPFRQWUDIRJRVHJXro, mo momento em que nĂŁo havia ponta de vento. Essa era a melhor solução. NĂŁo a aceitaram e ainda nos ameaçaram com sançþes. E foi o que se viu, este terrorâ€?, dizem. Assim aconteceu, de facto. Uma capela e o cemitĂŠrio, lĂĄ no alto, os campos de milho e de pasto, as videiras e as ĂĄrvores nĂŁo resistiram. Salvaram-se os edifĂ­cios, mas, em redor, estĂĄ tudo negro. Descemos Ă FrĂĄgua e nada mais hĂĄ a dizer, a nĂŁo ser que, nesta localidade, entraram em cena, jĂĄ numa espĂŠcie de fase de rescaldo, os helicĂłpteros da Portucel que por ali tem extensas ĂĄreas de eucaliptos. Se pensĂĄvamos que jĂĄ tĂ­nhamos visto todos os horrores, desenganem-se. O que assistimos no pequeno lugar do Mosteirinho, lĂĄ bem no fundo, sendo sede de freguesia, deixou-nos com o coração nas mĂŁos. Aqui, nem antes nem no meio da refrega, nem depois, nĂŁo foram vistos nem achados quaisquer bombeiros ou agentes da Protecção Civil,

lamentam dois populares e uma senhora. NinguĂŠm. “Querem que estas aldeias acabemâ€?, atira cĂĄ para fora, alto e bom som, um dos nossos contactos no terreno. E, dedo no ar, acrescentam: “Tivemos de defender o que ĂŠ nosso. NinguĂŠm nos socorreu. Queremos saber que interesses hĂĄ pelo meio disto. Tem de haver responsĂĄveis. Se nĂŁo cuidarem de nĂłs, de futuro, sabemos o que fazer, arranjando meios para sobreviverâ€?, dizem, em tom crĂ­tico e de revolta. Sem papas na lĂ­ngua, acrescentam que toda esta catĂĄstrofe podia ter sido travada na Bezerreira, a seu ver. Era aĂ­ o ponto certo para que tudo fosse controlado, concluindo que alguĂŠm falhou. Esta foi a VXDYR]HDTXLĂ€FD Em termos de quadro, numa terra, sede de freguesia, com sete habitantes, sĂł o ÂŤmilagreÂť pode ter salvo estes seus habitantes. Em redor, tudo se queimou. BarracĂľes, FDVDVFDQRVGHiJXDĂ RUHVWD imensa, campos de milho... ardeu tudo. Nada ou pouco Ă€FRX7XGRQHJUR Num constante cheiro a fumo, Teixo e Braçal, de onde as populaçþes tiveram de ser evacuadas, nada escapou. Nem a ĂĄrea junto Ă igreja paroquial, junto aos bombeiros de SĂŁo JoĂŁo do Monte, onde o prĂłprio presidente da Câmara Municipal de Tondela, Carlos Marta, assistiu a horas de autĂŞntico pavor. Numa reportagem com um ar viciado, com um solo empobrecido, com tanta riqueza destruĂ­da, com tanta famĂ­lia destroçada nos seus KDYHUHVHQDVXDFRQĂ€DQoDGHvemos dizer que, agora, talvez com algumas mĂŁos a terem de bater no coração, ĂŠ chegada a hora da reparação possĂ­vel de tudo aquilo que abalou as freguesias de SĂŁo JoĂŁo do Monte e de Mosteirinho, mais outras e outras. ConvĂŠm que a culpa nĂŁo morra solteira, nem os bolsos continuem, por muito tempo, absolutamente vazios. O futuro destas terras tem de ser recomeçado jĂĄ amanhĂŁ. Sem falta. Com justiça, com solidariedade.

Redacção: Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra Director Comercial Carlos Gaspar Directora de Marketing e Publicidade Adelaide Pinto 239 497 750 (ext. 27), adelaide.pinto@mail.telepac.pt Paginação e Maquetagem Nuno Miguel Peres | Impressão FIG - Indústrias Gråficas, S.A.; Rua Adriano Lucas, 3020-265 Coimbra | Distribuição VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda. R. da Tascoa, n.º 16 - 4.º Piso, 2745-003 Queluz, Telef. 214 398 500, Fax 214 302 499 Registo SRIP sob o n.º 222567; ISSN: 1645 - 2968; ICS: 122568 | Depósito Legal n.º 127443/98 Preço de cada número 0,75\ Assinatura anual 30,00\ | Tiragem mÊdia: 9.000 exemplares

Os pagamentos para o CampeĂŁo das ProvĂ­ncias em cheque devem ser emitidos em nome de “Regivoz, Empresa de Comunicação, Lda.â€?. TambĂŠm podem ser feitos por transferĂŞncia bancĂĄria atravĂŠs do NIB: 001000003179749000225


12

QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Miranda do Corvo

Parque Biológico distinguido com novo prÊmio A Fundação ADFP, recebeu no passado dia 4, mais um prÊmio. O PrÊmio Cooperação e Solidariedade António SÊrgio 2013, no valor de 3 000 euros, foi atribuído ao Parque Biológico da Serra da Lousã, numa cerimónia que decorreu em Lisboa. Jaime Ramos, presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, recebeu o prÊmio das mãos de Eduardo Graça, presidente da direcção da CASES (Cooperativa António SÊrgio para a Economia Social), numa cerimónia que decorreu no Agrupamento de Escolas das Olaias, em Lisboa. O PrÊmio Cooperação e Solidariedade António SÊrgio 2013 foi atribuído ao Parque Biológico da Serra da Lousã, na categoria de Boas Pråticas. A CASES Ê uma cooperativa de interesse público que assenta numa parceria efectiva entre o Estado e as organizaçþes representativas do sector da economia social. Na cerimónia de entrega dos diplomas estiveram presentes os secretårios de Estado do Ensino e Administração Escolar, João Casanova de Almeida, e da Segurança Social, Agostinho Branquinho, cujas

O prÊmio foi entregue a Jaime Ramos (à direita), presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, entidade promotora do projecto

intervençþes encerraram o evento. Jaime Ramos, que se fazia acompanhar por Nancy Rodrigues, do Gabinete de Imagem e Projectos, e dois funcionårios do Parque Biológico da Serra da Lousã, o artesão Juventino França e a lojista Carmina Tomås, agradeceu a atribuição do prÊmio. Antes da entrega dos diplomas ainda falou João Salazar Leite sobre António SÊrgio pelos 130 anos do seu nascimento. António SÊrgio, foi es-

critor, pensador e pedagogo, dos mais ilustres do sÊculo XX, com vasta obra publicada – da teoria do coQKHFLPHQWRjÀORVRÀDSROttica e educação – percursor da reforma do ensino a seguir à Proclamação da República e viveu exilado em Paris. A Fundação ADFP tem sido ao longo de quase três dÊcadas um dos principais actores do sector da economia social na região, apostando na coesão social e na integração dos mais desfavorecidos, sendo disso

exemplo paradigmåtico o Parque Biológico da Serra da Lousã. O Parque Biológico da Serra da Lousã Ê um projecto de turismo social e ambiental, economicamente sustentåvel, que cria emprego e då ocupação a pessoas com deficiência, doença mental ou desempregados de longa duração. Este Ê o sexto prÊmio a ser-lhe atribuído desde a sua abertura em 2009. O parque temåtico jå foi visitado por mais de 100 000 pessoas.

Coimbra

Maria Luísa Carvalho eleita vice-líder da Casa dos Pobres Maria Luísa Carvalho foi eleita, anteontem, para a vice-presidência da Direcção da Casa dos Pobres de Coimbra, cujo timoneiro continua a ser Aníbal Duarte de Almeida. O líder da instituição e Valídio Rodrigues são as únicas pessoas reconduzidas na Direcção para o triÊnio 2014-16, sendo que Maria Luísa sucedeu a Armando Braga da Cruz e JosÊ Maria Henriques (secretårio) rendeu Mårio Nunes (recentemente falecido). Manuel Madeira Teixeira Ê o novo tesoureiro (em substituição de Flåvio Ferreira).

9

www.campeaoprovincias.pt

LuĂ­sa Carvalho e AnĂ­bal Duarte de Almeida

Do elenco de vogais, a par de ValĂ­dio Rrigues, fazem parte Maria Leonor PĂ´ncio e Maria do RosĂĄrio Correia (viĂşva do outrora presidente Augusto Correia, falecido em 2005).

Hugo Lopes (juiz conselheiro jubilado) foi reconduzido na presidĂŞncia da Mesa da Assembleia Geral, sendo coadjuvado por Jorge Pessoa Amaral, e Carlos SĂĄ Furtado (professor

universitårio) permanece à frente do Conselho Fiscal. Ar mando Braga da Cruz declinou ser eleito para segundo secretårio da Mesa. Armindo Andrade e AurÊlio Lopes completam o Conselho Fiscal, órgão de que são suplentes AmÊrico Santos, Cândido Carvalho e Maria Clara. O elenco de suplentes da Direcção Ê composto por Ana Maria Correia de Matos, Jaime Correia Fernandes, Flåvio Ferreira, Maria Luísa Rodrigues, Maximino Morais, Pedro Mendes de Abreu e Tiago Simþes.

5HFRQKHFLPHQWRGH,QGLFDomR*HRJUiÀFD3URWHJLGD

Pastel de TentĂşgal conquista protecção europeia O Pastel de TentĂşgal estĂĄ de parabĂŠns. A ComissĂŁo Europeia atribuiu RĂ€FLDOPHQWH R UHFRQKHFLmento de Indicação GeoJUiĂ€FD 3URWHJLGD ,*3  D esta emblemĂĄtica iguaria do concelho de Montemor-o-Velho e da regiĂŁo Centro. “Hoje ĂŠ um dia feliz, porque sentimos que o pastel, que tem uma histĂłria de muitos sĂŠculos, ĂŠ um doce reconhecido como singular e tradicional nĂŁo sĂł em Portugal como no amplo HVSDoRHXURSHXÂľDĂ€UPRX com visĂ­vel satisfacção, Olga Cavaleiro, presidente da Confraria de Doçaria Conventual de TentĂşgal. Este reconhecimento, “dĂĄ-nos confiança para continuarmos a trilhar o caminho da certificação e abre-nos novas oportunidades para o pastel e para a economia localâ€?, acrescentou a dirigente e empresĂĄria. A ComissĂŁo Europeia publicou, no passado dia 4, QR-RUQDO2Ă€FLDOGD8QLmR Europeia, o reconhecimento de IGP ao Pastel de TentĂşgal na sequĂŞncia de um pedido que lhe tinha sido apresentado no inĂ­cio de 2012 pela Associação dos Pasteleiros de TentĂşgal. “Saudamos esta notĂ­cia com entusiasmo, porque ĂŠ uma importante vitĂłria para TentĂşgal e atĂŠ para Portugal, porque GLJQLĂ€FDRSURGXWRHID] com que a economia local tenha valor acrescido no panorama nacionalâ€?, continuou. “Todos nĂłs estamos muito felizes e eu, partiFXODU H SURĂ€VVLRQDOPHQWH porque estive muito envolvida neste processoâ€?, rematou, adiantando que

com este reconhecimento “devemos ser ainda mais exigentes connosco prĂłprios, com os pasteleiros e com o pastel propriamente ditoâ€?. A IGP designa os produtos que estĂŁo ligados de uma forma estreita a uma zona geogrĂĄfica na qual decorre, pelo menos, uma das fases da produção, transformação ou elaboração do produto. A ComissĂŁo Europeia circunscreveu a ĂĄrea geoJUiĂ€FD GR 3DVWHO GH 7HQtĂşgal Ă vila de TentĂşgal, encontrando-se esta, para este efeito, delimitada a este pela localidade da Lamarosa, a Norte pela aldeia da Portela a Oeste por PĂłvoa de Santa Catarina e MeĂŁs e a Sul pela canal Vala Real. A instituição sublinhou os factores histĂłricos, nomeadamente o facto de desde o sĂŠculo XVI a produção do pastel ter sempre decorrido na localidade de TentĂşgal, e destacou tambĂŠm a importância dos factores climĂĄticos da zona (temperatura amena e humidade relativa elevada) para a concepção do produto. De acordo com as reJUDVGD8(DVHPEDODJHQV dos pasteis deverĂŁo ter obrigatoriamente a indicação de “Pastel de TentĂşgal – Indicação GeogrĂĄfica Protegidaâ€? ou “Pastel de TentĂşgal IGPâ€? e o sĂ­mbolo FRUUHVSRQGHQWH GD 8QLmR Europeia. SĂŁo cerca de 1200 os SURGXWRV GD 8QLmR (Xropeia protegidos pela legislação no âmbito das LQGLFDo}HVJHRJUiĂ€FDVSURtegidas, denominação de origem e especialidades tradicionais.

Iguaria ĂŠ uma importante fonte de receitas da freguesia de Montemor-o-Velho


12

SAĂšDE

10

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

/LFHQFLDGRVGDUHJLmR&HQWURUHFHEHPFpGXODVSURĂ€VVLRQDLV

Novos enfermeiros com receio do desemprego

que dificilmente consegui rĂŁo exercer no nosso paĂ­s a “A chegada dos novos profissĂŁo que abraçaramâ€?, HQIHUPHLURVjSURĂ€VVmRpHQ VXEOLQKD,VDEHO2OLYHLUDSUH VRPEUDGDSHODVGLĂ€FXOGDGHV sidente do Conselho Direc em que Portugal se encontra tivo da Secção Regional do e pelas escassas possibilidades Centro (SRC). No entender da enfer de estes jovens conseguirem emprego no seu paĂ­sâ€?, revela meira, “ficam goradas ou a Secção Regional do Centro, adiadas as expectativas de GD2UGHPGRV(QIHUPHLURV famĂ­lias e jovens que investi ram uma parte das suas vidas 2(  Perto de 450 jovens li para cumprir o sonho de ter cenciados em enfermagem, uma formação superior e de na regiĂŁo Centro, recebem, adquirir instrumentos que DPDQKm DV FpGXODV SURĂ€V lhes permitissem entrar no sionais, numa cerimĂłnia de mundo do trabalhoâ€?. A situação ĂŠ ainda mais YLQFXODomRjSURĂ€VVmRRUJD preocupante quando, segun QL]DGDSHOD2( ´2PRPHQWRGHYLQFX do avaliaçþes levadas a cabo ODomRjSURĂ€VVmRHPTXHGH SHOD2(HPYLVLWDVGHDFRP forma solene, se reconhe panhamento do exercĂ­cio ce a entrada destes novos SURĂ€VVLRQDOFRQVWDWDVHTXH membros, deveria ser um hĂĄ falta de novos enfermeiros momento de alegria, mas nĂŁo em Portugal. ´(IHFWLYDPHQWH D SR posso deixar de sentir algum pesar por existir uma sombra pulação precisa de mais cui nesses jovens, porque sabem dados de enfermagem do G. B.

PUBLICIDADE

que aqueles a que tem acesso neste momentoâ€?, acrescenta a presidente do Conselho Directivo da SRC, lamentan do que as condiçþes que o paĂ­s oferece aos enfermeiros OHYHPFDGDYH]PDLVSURĂ€V sionais a ponderar emigrar. “Isto implica alguma re Ă H[mRGHTXHPHVWijIUHQWH dos destinos do paĂ­s, se temos as pessoas no auge da sua força de trabalho a emigrar massivamenteâ€?, observa. Durante a cerimĂłnia de UHFRQKHFLPHQWRSURĂ€VVLRQDO HGHYLQFXODomRjSURĂ€VVmR TXH LUi UHDOL]DUVH DPDQKm em Coimbra, a SRC vai pres tar uma homenagem pĂşblica a 120 enfermeiros que se aposentaram. “Chegou o momento de tambĂŠm reconhecer aqueles TXHPXLWRGHUDPjSURĂ€VVmR Se neste momento temos a SURĂ€VVmRFRPRDWHPRVHP termos de conhecimento

FLHQWtĂ€FR H GH JUDX DFDGp mico, se temos uma ordem SURĂ€VVLRQDOKiDQRVLVVR o devemos ao contributo destes enfermeirosâ€?, realça a presidente do Conselho Directivo da SRC. 1DRSLQLmRGH,VDEHO2OL veira, esta homenagem tem um duplo simbolismo, “uma

vez que os que entram na SURÀVVmRWrPDRSRUWXQLGDGH de contactar com colegas que jå construíram o percurso da SURÀVVmRHRVTXHHVWmRDVDLU conhecem aqueles que vão dar continuidade aos passos que eles deram�. A cerimónia estå agen dada para as 15h00, no

auditĂłrio do Instituto Su perior de Bissaya Barreto (Campus do Conhecimento e da Cidadania), em Ben canta, sendo presidida pelo EDVWRQiULR GD 2UGHP GRV (QIHUPHLURV HQIHUPHLUR Germano Couto.

NĂşcleo Regional do Centro em cinco distritos

Liga Portuguesa Contra o Cancro abre delegação na cidade de Viseu A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), atravĂŠs do NĂşcleo Regional do Centro, inaugurou, na Ăşltima semana, uma nova delegação na cidade GH9LVHXDĂ€UPDQGRVHDVVLP “cada vez mais prĂłxima dos doentes oncolĂłgicos, dos seus familiares e amigosâ€?. As instalaçþes, cedidas pelo MunicĂ­pio, vĂŁo acolher o grupo de voluntariado comu nitĂĄrio local e uma extensĂŁo da 8QLGDGHGH3VLFR2QFRORJLD da LPCC. Actualmente, a ĂĄrea de intervenção do NĂşcleo Regio QDOGR&HQWURHVWHQGHVHDRV distritos de Leiria, Coimbra, Aveiro, Guarda e Viseu. “A presença nesta vasta regiĂŁo ĂŠ garantida atravĂŠs dos muitos grupos de volunta riado comunitĂĄrio, com uma impressionante cobertura territorialâ€?, explica a LPCC, em nota de imprensa. Para alĂŠm da sede, que funciona em Coimbra, a ins

tituição inaugurou, em 2012, uma delegação na cidade de Aveiro e irå abrir idêntico espaço, em Castelo Branco, a 20 de Setembro. Com as novas instalaçþes, em Viseu, o grupo de volun tariado comunitårio passa a dispor de um pólo, a partir do qual continuarå a promover a mensagem da LPCC e a desenvolver diversas activi dades de sensibilização para a prevenção do cancro. A abertura de uma nova delegação na região Centro permite prestar um apoio psicológico de maior proximi dade, especializado e gratuito, aos doentes oncológicos e aos seus familiares, atravÊs da extensão da Unidade de Psico 2QFRORJLD Lançadas pelo Núcleo Regional do Centro, em 2009, as consultas desta especialida de contribuem para promover a qualidade de vida dos do entes oncológicos e dos seus

familiares, em todas as fases da doença. Ajudar os doentes e agre gados familiares a desenvol ver competências para lidar com a doença e os tratamen tos, prevenir perturbaçþes psicológicas e dificuldades no funcionamento fami liar, reduzir sentimentos de isolamento, desamparo e abandono, alargando as redes de apoio social, facilitar a comunicação entre o doente HRVSURÀVVLRQDLVGHVD~GHH ao mesmo tempo, promover a adesão terapêutica e auxiliar aos familiares em luto são ou tras componentes do apoio SVLFRRQFROyJLFR A delegação da LPCC, em Viseu, estå localizada no Solar dos Peixotos, rua de Cimo de Vila. A marcação de consultas pode ser feita atra vÊs do telefone 239 487 490 ou, por correio electrónico, SDUD SVLFRRQFRORJLDQUF# ligacontracancro.pt.

Iniciativa da Idealmed

Crianças convidadas a ser mÊdicos por um dia A Idealmed lançou, na última semana, um convite a crianças e jovens, para que pudessem ver e aprender FRPRpRGLDDGLDGDTXHOHV que trabalham na Unidade Hospitalar de Coimbra. A iniciativa, designada de

“MĂŠdicos por um diaâ€?, per mitiu aos petizes acompanhar RVSURĂ€VVLRQDLVGHVD~GHGD Idealmed nas suas actividades, perceber como reage o corpo humano a diferentes doenças e, simultaneamente, “praticarâ€? em evoluĂ­dos equipamentos

de simulação mÊdica. De participação gratuita, esta acção decorreu durante dois dias, permitindo a crian ças e jovens perceber como Ê a realidade de mÊdicos, enfer PHLURVHRXWURVSURÀVVLRQDLV numa unidade de saúde.

CLĂ?NICA OFTALMOLĂ“GICA, LDA Dr. JosĂŠ Emilio Campos Coroa Dr.ÂŞ M.ÂŞ Helena Campos Coroa

ONDINA JARDIM MÉDICA ESPECIALISTA

GINECOLOGIA OBSTETRĂ?CIA 32459

CAMPOS COROA

ConsultĂłrios:COIMBRA - Largo da Portagem, 27 - 2.Âş - Telef.: 239 821 403 FIGUEIRA DA FOZ - Praceta D. Maria Madalena Azevedo PerdigĂŁo, n.Âş 30 Telef.: 233 423 541 | ARGANIL - Rua Dr. Veiga SimĂľes, Telem.: 935 106 927 TĂ BUA - Av. da Ribeira, Edf. Ă“mega 1, 1.Âş C - Telem.: 934 224 930 COJA - Rua Dr. Albino Figueiredo, Telem.: 935 106 928 GĂ“IS - Rua Comendador Augusto LuĂ­s Rodrigues Telem.: 934 225 140 PAMPILHOSA DA SERRA - Rua Rangel Lima Telem.: 935 106 935

33199

32690

PUBLICIDADE

R. FERREIRA BORGES, 185, 1.Âş - TELEF.: 239 823 739 - COIMBRA


12

QUINTA-FEIRA

SÃO JOÃO DO CAMPO

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

11

www.campeaoprovincias.pt

Programa de animação prolonga-se até domingo

Freguesia revive tradicional festa das colheitas O grupo é constituído por João Coutinho (vocalista), Miguel Neto (baixo), Marco Cunha (baterista) e JP (guitarrista). Segundo João Coutinho, que também integra a comissão de festas, o Bugigang nasceu do entusiasmo de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pela música e gostam de tocar juntos. “Não actuamos para ganhar dinheiro, mas por prazer”, conta o músico, notando que o grupo teve “bom acolhimento por parte da população”. O grupo actua sobretudo nesta zona da cidade de Coimbra, sendo que os espectáculos dependem da disponibilidade dos seus membros. A noite termina ao som

A vila está em festa durante três dias

da DJ Sara Sousa. No último dia da festa das colheitas de S. João do Campo, domingo, o destaque vai para o baile com o Duo Aliança, que actua com Tó Miau e amigos, a

partir das 22h00. Segue-se a actuação da Banda Red, a partir das 11h30. De acordo com João Coutinho, estão reunidas todas as condições para que a edição deste ano volte a

ser um sucesso, atraindo centenas de pessoas de S. João do Campo e freguesias limítrofes. “Acho que a adesão vai ser bastante boa”, comentou o responsável, sublinhando que o cartaz conta com alguns dos melhores grupos de baile da região de Coimbra. “Apostámos na qualidade nestes três dias e, por isso, vamos ter uma das melhores festas de sempre”, adiantou. Esta festividade, que tem tasquinhas de comes e bebes, recheada de vinhos e petiscos regionais, presta homenagem às actividades agrícolas características desta altura. As vindimas, as colheitas de fruta e o descamisar do milho

eram um acontecimento VRFLDO PXLWR VLJQLÀFDWLYR nas populações r urais. Mais do que um trabalho, estas tarefas eram encaradas como um momento de confraternização e de diversão. A festa das colheitas realiza-se, desde há alguns anos a esta parte, sempre QDVHJXQGRÀPGHVHPDQD de Setembro. Contudo, na sua fundação, esta festividade realizava-se no mês de Outubro. Por motivo das intempéries típicas desta época, a festa das colheitas foi antecipada para Setembro. À semelhança das edições anteriores, a festa das colheitas de S. João do Campo decorre no polidesportivo da freguesia.

PUBLICIDADE

JUNTA DE FREGUESIA S. JOÃO DO CAMPO

MÓVEIS S. JOÃO MÓVEIS E ESTOFOS COZINHAS POR MEDIDA MADEIRAS MACIÇAS

Rua Jaime Cortesão, n.º 8 - S. João do Campo Telef.: 239 964 418

33517

Fabrico próprio de Pastelaria Diversa

S. João do Campo - Telef.: 239 962 563 Telem.: 919 377 680 - 3025 Coimbra

33508

O executivo da Junta de Freguesia convida a visitar a Freguesia por altura das Festas das Colheitas 33516

A freguesia de S. João do Campo reedita a tradicional festa das colheitas, durante três dias. A vila acolhe, de amanhã a domingo, a actuação de diversos grupos musicais, que prometem tornar as noites mais quentes e animadas nesta freguesia de Coimbra. Amanhã, a festividade começa com a habitual arruada, às 09h00, pelo grupo de gaiteiros Os Galegos. A noite é animada pela banda Wave, a partir das 23h00. Segue-se a actuação do DJ Baztez. No sábado, porventura a noite mais forte das festas das colheitas de S. João do Campo, a animação QRFWXUQDÀFDSRUFRQWDGR famoso grupo IRA (a partir das 23h00) e do Bugigang, grupo de rock criado por jovens da freguesia. Um ano depois da sua estreia, o grupo Bugigang promete recordar alguns dos temas mais emblemáticos do rock nacional e internacional, sendo, seguramente, uma das principais atracções da festa.

ANOBRA Iniciativas decorrem amanhã e sábado

União Sport assinala 35 anos com vestidos de noiva e sopas O União Sport Anobra vai assinalar o 35.º aniversário, amanhã (sexta-feira) e no sábado (dia 14), com um programa comemorativo em que se destaca um desÀOH GH YHVWLGRV GH QRLYD H um festival de sopas, o qual já vai para a terceira edição. A esta festa do clube associam-se a Junta de Freguesia de Anobra e a Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova, assim como toda a população, que é convidada a participar, até porque as receitas angariadas têm em vista constituir um fundo para a futura criação de um Centro Social, conforme dá conta Carla Ferreira, presidente da Direcção do União Sport Anobra (USA).

O programa de aniversário começa amanhã (dia 13), pelas 21h30, com XP GHVÀOH GH YHVWLGRV GH noiva, a que se seguirá, pelas 23h00, um baile com o conjunto “Os dois Vikings”. No sábado (dia 14), a partir das 19h00, decorrerá o III Festival de Sopas, uma boa opção para o jantar, que conta com a participação de particulares e de restaurantes do concelho de Condeixa. A animação musical começará pelas 21h30, com os bombos “Toca a Trotar”, de Vila Pouca de Cernache, com o baile a iniciar-se pelas 23h00, com o conjunto “Mente Pura”. Carla Ferreira, presidente da Direcção do União Sport Anobra desde há

três anos, destaca entre as actividades as que se desenvolvem no campo de futsal, onde os jovens jogam livremente durante as férias e, no ano escolar, sob a orientação de um treinador, com o clube a organizar o Torneio de Futsal Inter-Ruas. O USA possui uma turma de ginástica, onde todos podem praticar actividade física, e até dançar, e tem em vista abrir proximamente um núcleo de karaté. Como próxima actividade destaca-se a realização de um passeio BTT, a 13 de Outubro, com o União Sport Anobra a promover durante o ano passeios de bicicleta e a participar nos jogos concelhios, nos jogos tradicionais, de mesa e futsal.

O União Sport Anobra promove actividades desportivas, recreativas e sociais

A sede do USA está sempre disponível para os sócios, com o bar aberto durante todos os dias, possibilitando um convívio entre todos. Anobra é uma freguesia do concelho de Condeixa-a-Nova, com uma área de 1

282 hectares, estendendo-se pela encosta de um monte a cerca de seis quilómetros da sede do concelho e tem como fronteiras as freguesias de Sebal, Arzila, Pereira e Ameal. A freguesia de Anobra é composta pelos lugares

de Anobra, Lameira de Cima, Lameira de Baixo, Casal da Amieira, Casal das Figueiras, Casal da Légua, Venda da Luisa, Caneira, Casal do Carrito, Casal de São João, Perdigueira, Inculca, Alvogadas e Casal Seco.

O Executivo da Freguesia felicita o União Sport Anobra pelo seu aniversário Beco da Junta - 3150-012 Anobra - Condeixa-a-Nova - Telef./Fax: 239 943 911 - www.freguesiadeanobra.pt - email: jfanobra@gmail.com

33448

PUBLICIDADE


ACTUALIDADE

12

12

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

Melhor associação portuguesa e no top europeu

Um dos primeiros centros comerciais

APPACDM de Coimbra atingiu a excelĂŞncia

Gira-Solum comemora 30 anos com moda, mĂşsica e desporto

L.S.

A APPACDM (Associação Portuguesa de Pais H$PLJRVGR&LGDGmR'HĂ€ciente Mental) de Coimbra foi reconhecida com o grau de excelĂŞncia pelo sistema de gestĂŁo de qualidade, com uma pontuação que a torna a melhor instituição social portuguesa e no top a nĂ­vel europeu. Helena Albuquerque, presidente da Direcção, anunciou, em conferĂŞncia de Imprensa, a obtenção do nĂ­vel mĂĄximo no modelo de qualidade europeu (EQUASS), apĂłs concluĂ­do o processo de auditoria e FHUWLĂ€FDomRFRPD$33$CDM de Coimbra a ser cotada com uma nota de 72 pontos, a mais alta das 18 instituiçþes portuguesas consideradas excelentes, acima da mĂŠdia nacional de 67,1 e de 67,3 a nĂ­vel europeu. “Queremos partilhar

Alexandre Rebelo, Helena Albuquerque e Isabel Cruz mostram o certificado de excelente

com a comunidade os sucessos na årea social e agradecer a todos os que contribuíram para chegar a este patamar de excelência, colaboradores, voluntårios, famílias e entidades SDUFHLUDV H ÀQDQFLDGRUDV como a Segurança Social, o Instituto de Emprego e )RUPDomR3URÀVVLRQDOHR MinistÊrio da Educação�, referiu a dirigente.

A A P PA C D M d e Coimbra tem cerca de 900 utentes e 13 centros, com DFODVVLÀFDomRGHH[FHOHQte a ser obtida nos de S. Silvestre (Coimbra), Arganil, Montemor-o-Velho e Tocha (Cantanhede), nas respostas de intervenção precoce, creche, prÊ-escolar, centro de recursos para a inclusão, centro de actividades ocupacionais,

No sĂĄbado

for mação profissional, lares residenciais e centro de medicina fĂ­sica e reabilitação. Alexandre Rebelo, responsĂĄvel da gestĂŁo do sistema de qualidade da APPACDM de Coimbra, realçou que o modelo euroSHXGHFHUWLĂ€FDomRDSOLFDGR avaliou 10 princĂ­pios, associados a 50 critĂŠrios auditados, avaliando a abordagem da instituição, a implementação e os resultados quantitativos e qualitativos obtidos. “Este grau de excelĂŞnFLDUHĂ HFWHRWUDEDOKRTXH a APPACDM de Coimbra faz, assim como a qualidade tĂŠcnica, com os resultados a serem aferidos e onde D SHVVRD FRP GHĂ€FLrQFLD estĂĄ no centro do processo, existindo um plano especĂ­Ă€FRLQGLYLGXDORQGHSRU cento dos objectivos tĂŞm de ser atingidosâ€?, sublinhou Ana Isabel Cruz, directora tĂŠcnica da instituição.

“todo o seu empenho em ĂĄreas cruciais para a cida(PSOHQDUHFWDĂ€QDOGH de, nomeadamente na ĂĄrea mandato, o presidente da desportiva e cultural, onde Junta de Freguesia de Santo teve e tem uma intervenção AntĂłnio dos Olivais vai ser PXLWRVLJQLĂ€FDWLYDÂľQRWRX homenageado, este sĂĄbado, Afonso LĂĄzaro Pires. Segundo o presidenpelas 21h00, na escadaria te da direcção, a ACRC da Igreja dos Olivais. A manifestação pĂşblica “beneficiou extraordinade apreço pelo empenho riamente com ele na Junta que Francisco Andrade de Freguesiaâ€?, tendo-se “sempre manifestou na tornado na “maior associapromoção e apoioâ€? Ă s ac- ção juvenil do concelho de tividades de natureza so- Coimbraâ€?. A colectividade tem cial, desportiva, cultural e recreativa, entre outras, ĂŠ sido parceira privilegiada, organizada pela Associa- a par de outras, do execução Cultural e Recreativa tivo liderado por Francisde Coimbra (ACRC), do co Andrade. “Ao dar-nos trabalho e a chamar-nos Areeiro. A iniciativa inclui um para colaborar nos eventos espectĂĄculo de mĂşsica, apoiava-nos indirectamencanto e dança, que estĂĄ a te. Mas isto aconteceu nĂŁo cargo do grupo Tribo da sĂł connosco, mas ao nĂ­vel 'DQoD*UXSR(WQRJUiĂ€FR da freguesia. Desenvolveu Cova Douro e Serra da Ro- um trabalho de apoio Ă s cha, The Season Flowers, associaçþes ao longo destes do mĂĄgico Telmo Melo, anos que ĂŠ de realçar e louda cantora InĂŞs Mendes, varâ€?, comentou o dirigente, grupo de fados “Guitarras DĂ€UPDQGRVH HVSHUDQoDGR de Coimbraâ€?, entre outros. na adesĂŁo maciça da popuA ideia visa retribuir lação Ă  singela homenagem.

“As pessoas tĂŞm aderido muito bem Ă iniciativa e manifestam vontade de marcar presença no evento que pretende mostrar respeito e admiração pelo trabalho desenvolvido por Francisco Andradeâ€?, acrescentou, refutando qualquer aproveitamento polĂ­tico, atĂŠ porque Afonso LĂĄzaro Pires ĂŠ militante do PS. Com quase 34 anos, a ACRC tem por objectivo de desenvolver actividades culturais na ĂĄrea da mĂşsica, teatro e dança moderna e promover espectĂĄculos em toda a zona Centro do paĂ­s. 0DQWHQGRDÂżGHOLGDGH DRVSULQFtSLRVSURJUDPiWLFRV GD VXD IXQGDomR HQWHQGHXGHVGHKiDOJXQV DQRVWRUQDUVHQXPDFROHFWLYLGDGH MXYHQLO SRU VHQWLUTXHHUDQHVVDIUDQMD GD SRSXODomR TXH D VXD DFomR HUD PDLV LPSRUWDQWH WHQGR HP FRQWD DV FDUrQFLDV UHVXOWDQWHV GH XP SURJUHVVR DFHOHUDGR QHPVHPSUHDFRPSDQKDGR GDV HVWUXWXUDV VRFLDLV

L.S.

Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra (21h30). Destaca-se, pelas 17h00, uma passagem de modelos, apresentada por SansĂŁo Coelho, contendo as vertentes de lingerie, roupa exterior e vestidos de toilette, das tendĂŞncias de Outono/Inverno 2013/14. Alina Aragonez, proprietĂĄria da Aragon Lingerie, assinala que o Gira-Solum, um centro comercial que faz 30 anos e ĂŠ da primeira geração, “sempre soube, atravĂŠs dos seus logistas, reinventar-se, reorganizar-se e constantemente readaptar-se a novas realidadesâ€?. “A maior parte das colecçþes que serĂŁo apresentadas em desfile sĂł poderĂŁo ser encontradas num espaço como este, onde predominam ofertas diferenciadas, exclusivas, atendimento personalizado e experiĂŞncia acumulada ao longo de muitos anosâ€?, referiu. O dia 22 (domingo) inicia-se com radiomodelismo e tem, pelas 10h00, a prova de atletismo “Corrida Gira-Solumâ€?, com inscriçþes a cinco euros e que revertem para a Associação Adventista para o Desenvolvimento, Recursos e AssistĂŞncia (ADRA). SĂŠrgio Maldonado, da ADRA, destacou a actividade desta associação, tambĂŠm em Coimbra, onde ajuda famĂ­lias carenciadas e possui uma loja social em Eiras. O programa do ĂşltiPRGLDFRPHPRUDWLYRĂ€FD completo com um roteiro das plantas, animação musical com a Tuna Mouronhense, de TĂĄbua, e gastronomia regional.

O Centro comercial Gira-Solum, em Coimbra, inicia no sĂĄbado (dia 14) as comemoraçþes dos 30 anos de abertura, que se prolongam atĂŠ dia 22, com iniciativas culturais, desportivas, animação musical e uma passagem de modelos, entre outras actividades. Foi em Setembro de 1983 que abriram as primeiras lojas do Gira-Solum, com as instalaçþes do cinema, actualmente encerradas, a exibir, em Outubro desse ano, os SULPHLURVĂ€OPHV Sob a forma de condomĂ­nio, em propriedade horizontal, o centro comercial tem JosĂŠ AntĂłnio Lopes como administrador, existindo actualmente 115 lojas. O Gira-Solum possui uma taxa de ocupação de 80 por cento, com o comĂŠrcio a ocupar os pisos zero e um, enquanto os pisos dois e trĂŞs estĂŁo dedicado ao sector dos serviços. A primeira iniciativa que assinala o 30.Âş aniversĂĄrio serĂĄ no prĂłximo sĂĄbado, pelas 10h00, com um passeio de carros antigos, que farĂĄ a rota da Bairrada, e gastronomia regional junto ao centro comercial. GHDSRLRQa]RQDKDELWDNo dia 20 de Setembro FLRQDO GR$UHHLUR H$OWR (sexta-feira) o programa começarĂĄ, pelas 15h00, GH6-RmR A Associação desenvol- com a inauguração de uma ve hoje intenso trabalho de exposição de pintura, terĂĄ formação na ĂĄrea da mĂşsica um espumante de honra e da dança, de onde resul- (20h00) e um espectĂĄculo ta o grupo de variedades de danças, cantares e magia “SomĂšsicaâ€?, que, por sua (21h00). No dia 21 (sĂĄbado) vez, ĂŠ constituĂ­do pelo grupo de dança “The Sea- haverĂĄ radiomodelismo, son Flowersâ€?, Tuna Juvenil demonstração de rugby, do Areeeiro, e “Vozes de um torneio regional de Coimbraâ€?, para alĂŠm de xadrez, actuação da banda actividades a solo como a Atlantis e do Coro dos magia e outras. Cerca de quarenta jovens, acompanhados por trĂŞs professores de mĂşsica, uma professora de dança, uma monitora e uma presença permanente da direcção, dĂŁo corpo a este trabalho, que tornou a associação numa das mais representativas da cidade, atravĂŠs das suas inĂşmeras participaçþes em espectĂĄculos e festivais de dança em que participa ao longo SĂŠrgio Maldonado, JosĂŠ AntĂłnio Lopes do ano, e uma das maiores e Alina Aragonez convidam todos colectividades juvenis do a juntarem-se Ă festa do Gira-Solum distrito de Coimbra.

Colectividades rendem homenagem a Francisco Andrade B.O.

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS


12

QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

FIGUEIRĂ“ DOS VINHOS

13

www.campeaoprovincias.pt

Inaugurado a 24 de Junho

0XVHXH&HQWURGH$UWHVDÀUPDVH FRPR´PDUFRFXOWXUDO¾GDUHJLmR O Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos, espaço museológico aberto ao público, recentemente, tem por missão e vocação a aquisição, investigação, conservação, divulgação e valorização dos testemunhos materiais do homem naquele concelho. Este equipamento, inaugurado a 24 de Junho, pretende reforçar a memória e identidade locais e contribuir para um desenvolvimento integrado e sustentado. A criação deste espaço corresponde a uma clara aposta no turismo cultural, pelo Município de Figueiró dos Vinhos, liderado por Rui Silva. A sua construção e abertura reveste-se de grande importância, tendo em conta as perspectivas que o mesmo abre, em termos de desenvolvimento associado ao turismo cultural. Trata-se de um investimento que ronda um milhão de euros, tendo sido comparticipado, em 85 por cento, por verbas do Quadro de Referência EstratÊgico Nacional (QREN).

“Com este edifĂ­cio, FigueirĂł dos Vinhos poderĂĄ enfrentar, sem receio, o futuro numa vertente turĂ­stica cada vez mais exigente mas, tambĂŠm, cada vez mais numerosaâ€?, sublinhou o presidente da Câmara, aquando da inauguração do museu. Implantado junto a dois espaços culturais de referĂŞncia, o Clube Figueiroense – Casa da Cultura e o “Casulo de Malhoaâ€?, forte imagem e referĂŞncia cultural de FigueirĂł dos Vinhos, o Museu e Centro de Artes tem em exposição permanente um acervo composto pelas colecçþes municipais, de que se destacam algumas das mais valiosas obras executadas por SimĂľes de Almeida (tio), SimĂľes de Almeida (sobrinho), Manuel Henrique Pinto e JosĂŠ Malhoa. A marcar a abertura do museu, destaca-se a exposição “FigueirĂł dos Vinhos: Os Nossos Artistasâ€?, que irĂĄ estar patente ao pĂşblico atĂŠ 17 de Novembro, dedicada a estes autores. A mostra, comissariada por Matilde Tomaz de

Equipamento cultural representa um investimento de quase um milhĂŁo de euros

Couto, ĂŠ coordenada pelo pelouro da Cultura e dirigida por Fernando Pires. Vereador da Cultura do MunicĂ­pio de FigueirĂł dos Vinhos, JosĂŠ Fidalgo reconhece que foi longo e difĂ­cil o caminho para chegar ao dia de abertura do Museu e Centro de Artes, espaço que o autarca espera que seja “um novo marco no roteiro cultural da regiĂŁo, nĂŁo sĂł do ponto de vista do concelho, mas para o circuito regional de arteâ€?. Apesar da honra que

constitui a inauguração do Museu e Centro de Artes com obras de SimĂľes de Almeida (tio) e SimĂľes de Almeida (sobrinho), JosĂŠ Malhoa e Manuel Henrique Pinto, JosĂŠ Fidalgo sublinha que “a função deste espaço nĂŁo se extingue nestes artistasâ€?. Centro de documentação apoia investigadores

“O Museu e Centro de Artes permitirĂĄ muito mais, nomeadamente, conhecer outros autores e outras obras em diĂĄlogo de tempos e

espaços diferentesâ€?, refere o vereador, que defende “um museu participativo e de todosâ€?. O Museu e Centro de Artes estĂĄ dotado de um centro de documentação, que tem como função principal permitir e auxiliar o estudo sobre JosĂŠ Malhoa, Henrique Pinto, SimĂľes de Almeida (tio) e SimĂľes de Almeida (sobrinho), artistas e patronos do espaço museolĂłgico de FigueirĂł dos Vinhos. Os serviços sĂŁo disponibilizados ao pĂşblico em geral, Ă comunidade escolar e a investigadores, mediante marcação prĂŠvia. O fundo

geral deste centro de documentação Ê constituído por fotografias, cartazes, GRFXPHQWDomRGLYHUVLÀFDGD HUHJLVWRVYLGHRJUiÀFRV Aberto diariamente, excepto à segunda-feira, o Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos pode ser visitado das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00. Para alÊm das colecçþes jå existentes, no futuro, este espaço museológico pode vir a incorporar outras obras, designadamente, atravÊs de aquisição ou que sejam consideradas propriedade do Município e, ainda, legados ou doaçþes.

PUBLICIDADE

Zona Industrial da Pereira Lt 17 ArmazĂŠm B - 3220-119 Miranda do Corvo Tel. 239 538 183 - Fax: 239 538 504 - Telm. 912 521 792 E-mail: allclima@allclima.biz - Web: www.allclima.biz

Desafie-nos a realizar o seu projeto! Parque Empresarial PEPA - Lote P4, Vale Serrão 6150-508 Proença -a-Nova - Telefone: +351 274 673 167 www.adinterni.com

A Ambienti D’Interni coloca à sua disposição produtos e serviços diversos, tais como: 3URMHWRV'SDUD+DELWDomR(VFULWyULRV(VSDoRV&RPHUFLDLV³7XUQ.H\´3URMHFWV'HVLJQGH(TXLSDPHQWRVSDUDYiULRV¿QV - Conceção e Produção de Mobiliårio Interior e Exterior; - Pavimentos, Paredes e Tetos nos diversos materiais existentes no mercado; - Estores Interiores e Exteriores; - Conceção e Produção de Fachadas Personalizadas; - SinalÊtica Urbana( Toponímia, sinalÊtica direcional, totens informativos); - SinalÊtica de marcação de percursos pedestres; - SinalÊtica de marcação de percursos BTT - SinalÊtica Institucional; - SinalÊtica interior - Conceção e Produção de Mobiliårio Urbano; - Estaçþes de lavagem de BTT; - Storage System for Pick-UP (sistemas de arrumação para veículos de trabalho) - Conceção, Produção e Instalação da CASA+.

33339

PUBLICIDADE

33341

Serviços prestados: - ar condicionado - aquecimento central - sistema solar termicos - ventilação - frio industrial


COMÉRCIO E SERVIÇOS

14

www.campeaoprovincias.pt

12

QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

caixilharia e construção metålica, lda.

ATÉ 30 SETEMBRO

70%

REMODELA ÇÕES GERA APARTA IS

DOMICĂ?LIO 239 716 340

969 887 700 | 912 840 200

UMA UNIĂƒO PARA TOTAL SATISFAĂ‡ĂƒO DO CIDADĂƒO

Avenida Fernando Namora, 33 - GA 3030-185 Coimbra claudionevesreparacoes@gmail.com

Mercedes Benz CLK 200 Kompressor

Tlf. 239 431 875 | Fax: 239 436 126 | Tlms. 966 828 900 / 966 828 901 Rua da Pontinha, n.Âş 18 | Alcarraques | 3025-013 Coimbra jcgomes.alu@gmail.com

Seat Ibiza 2005

FUNERĂ RIA BORRALHO

MENTOS - MO RADIAS

REPARAÇÕES AO

Telef./Fax: 239 629 021 Telem.: 916 656 266 rui.castelo@sapo.pt EN 111 - TentĂşgal

PLADUR PINTURAS CILINDROS CANALIZAÇÕES ESQUENTADORES PARQUET FLUTUANTE ESTORES - CALAFETAĂ‡ĂƒO ELECTRODOMÉSTICOS

33117

R. 25 de Abril, n.Âş 8 A R/C - 3150-147 Condeixa-a-Nova Telem.: 911 100 551 - www.facebook.com/pingodegente.moda

33356

COM DESCONTO

33066

SISTEMAS EM ALUMĂ?NIO 6(59,d26(0,12;_6(55$/+$5,$&,9,/ ESTRUTURAS E COBERTURAS

Saldos

Representante das Marcas

Atendimento Permanente 239 820 560

TABACO VENDA DE JORNAIS E REVISTAS BRINDES - EUROMILHĂ•ES E JOGOS SANTA CASA 33015

Centro Comercial FĂłrum Coimbra - Loja 048A Telef.: 239 810 600 - Email: santosdetalhes@sapo.pt

CARLOS ALBERTO LOBO DOS SANTOS

Catarina Carvalho T. 964 821 944

SERVIÇO DE ESTUQUES E PINTURA

Telef.: 239 10 49 49 - Urb. do Lagar, Lt. 4, Lj. 1 Santa Clara - 3040-002 COIMBRA tecniartecabeleireiro@gmail.com

Mediação 3UR¿VVLRQDO de Seguros

33189

Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ Almeida, 329 - Loja 10 3000-045 Santo AntĂłnio dos Olivais - Telef.: 239 482 571 - Fax: 239 484 722 Telem.: 917 364 834 - sergio@sergiomaldonado-seguros.pt

33406

EN 1 - Malaposta - 3780-294 Malaposta - Telef.: 231 510 390

Jorge Manuel Ribeiro Marques

www.plighting.pt 3/,*+7,1*/'$,/80,1$d­2

33266

33268

Agora com novo horĂĄrio mais alargado: de 2.ÂŞ a 6.ÂŞ das 8:30h Ă s 13h e das 14h Ă s 18:30h - SĂĄbados: 8:30h Ă s 13h

2OLYHLUDGR+RVSLWDO)D[ Telem.: 912 622 586 - o.h.info@plighting.pt

Electricista / Canalizador / Paineis Solares / Instalação de TDT Aquecimento e Aspiração Central 33268

Estrada de Eiras - Lote 5 - ArmazĂŠm 7 - Apartado 8058 3020-265 Coimbra - Telef.: 239 496 845 - Fax: 239 496 846 Telem.: 916 135 999 - info@plighting.pt Flial: Rua JosĂŠ Cardoso Pires, 2 - Quinta da Lameira

Rua da Inculca, n.Âş 1 - 3150-020 Anobra - Telem.: 918 283 636 www.jorgemarques.pt

33253

33148

33405

Revendedor de Combustíveis Oficina multimarcas Venda e Serviço de Pneus de todas as Marcas Lavagens Automåticas e Manuais

FABRICAMOS TODO O TIPO DE MÓVEIS POR MEDIDA 5283(,526‡&2=,1+$6‡0�9(,6:& MÓVEIS DE QUARTO, SALA DE ESTAR/JANTAR (67$17(6‡(6&$'$6‡3257$6‡-$1(/$6‡3257$'$6‡52'$3e(7&

Zona Industrial S. Miguel | 3350-214 V.N. Poiares | Telef. 239 423 028 Fax: 239 422 943 | E-mail: geral@cipabe.pt | www. cipabe.pt

Largo da Cruz de Celas nº 9 - 2º andar, salas 16 e 18 Coimbra Tf: 239 482 428 – Tms 967 002 047 ; 914 678 123

Manuel dos Santos Campolargo e C.ÂŞ Lda.

RESTAURAMOS MÓVEIS ANTIGOS E TAMBÉM EFECTUAMOS MUDANÇAS

Telef.: 239 912 972 - Telem.: 910 575 208 - 910 575 209 carpintarianunoenuno@gmail.com - Travessa de S. TomÊ, 31 - 3050-079 Barcouço

Medicina Interna Medicina Cardiovascular e Metabólica (Obesidade; Diabetes; Hipertensão; Colesterol) Medicina do Trabalho Avaliação de Incapacidades para o Trabalho 33127

Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ de Almeida, 185 3000-044 Coimbra

33138

J. BERNARDES CORREIA MÉDICO ESPECIALISTA

Mediação Seguros, Lda.

Carpintaria Nuno & Nuno, Lda.

33128

Coloraçþes e Madeixas - Alisamento tÊrmico sem formol Madeixas Californianas Texturizaçþes e Cargas de Queratina

OP

TELEM.: 912 540 354 - VALE DE VAĂ?DE 3350-109 VILA NOVA DE POIARES

33207

A TABACARIA


12

QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

EMPRESAS & NEGĂ“CIOS

15

www.campeaoprovincias.pt

Zoosaúde completa cinco anos ao serviço dos animais

B R E V E S

Makenotes inicia expansĂŁo por Coimbra

Depois de abrir hĂĄ apenas trĂŞs meses no Mercado do Bom Sucesso, no Porto, serviço mais acessĂ­vel, nĂŁo sĂł ABERTURA 1 de Junho de 2008 a loja Makenotes inicia a exa nĂ­vel de distância, como de DIRECTOR CLĂ?NICO Paulo Sousa pansĂŁo por Coimbra, instancustos, mas com a mesma MORADA Rua 3-r/c-A, 3230 Penela do-se no projecto Coimbra qualidade, sĂŁo os principais TELEMĂ“VEL 963 063 039 Concept Store, localizado na avenida SĂĄ da Bandeira, objectivos da ZoosaĂşde, que junto Ă AAC. A Makenotes ĂŠ parceira privilegiada de oudiagnostico, fazendo com BENEDITA OLIVEIRA comercializa artigos de paque as pessoas tivessem de WURVSURĂ€VVLRQDLVTXHDHOD pelaria e escritĂłrio, gifts e O Centro ClĂ­nico e se deslocar atĂŠ aos grandes recorrem devido aos excepeças de vestuĂĄrio, com um CirĂşrgico VeterinĂĄrio da centros (Lisboa ou Porto em lentes meios de diagnĂłstico. design criativo, Ăştil e diverOs serviços prestados ZoosaĂşde completou, no muitos casos). tido. A Makenotes aposta A clĂ­nica, que abrange pela clĂ­nica na sede, em Pepassado mĂŞs de Junho, cinco no design como estratĂŠgia quase toda a regiĂŁo do Pinhal nela, englobam praticamente anos de actividade. para o desenvolvimento da Segundo o director clĂ­ni- Interior, estĂĄ sediada na prin- todas as especialidades e os competitividade. A marca co, Paulo Sousa, o projecto cipal via de acesso a Penela meios de diagnĂłstico mais A clĂ­nica presta todo o tipo de serviços na foi idealizada por Manuel empresarial surgiu depois (junto ao posto da Galp), que recentes, passando pelas Barbosa e Maria JoĂŁo BarĂĄrea veterinĂĄria e estĂĄ dotada dos meios de de vĂĄrias conversas entre serve as principais ligaçþes consultas e serviços mais bosa (a doutorada em Design diagnostico mais recentes pessoas ligadas e proprietĂĄ- entre Coimbra, Tomar e normais, como vacinaçþes, pela Universidade de Vigo e professora na Universidade rias de animais, em que se Castelo Branco, e tem con- identificação electrĂłnica, como um membro da famĂ­- LusĂ­ada coordena a equipa constatou que a zona do sultĂłrios em AnsiĂŁo, Cabaços desparasitaçþes, banhos e lação nesta regiĂŁo. O especialista reconhece OLDHHPERUDDVGLĂ€FXOGDGHV de criativos da Makenotes). Pinhal Interior – embora ti- (AlvaiĂĄzere), Castanheira de tosquias, atĂŠ pela pequena e YHVVHEDVWDQWHVSURĂ€VVLRQDLV PĂŞra e FigueirĂł dos Vinhos. grande cirurgia, com tĂŠcnica que a crise que, grassa no sejam maiores, actualmente De acordo com Maria JoĂŁo Dar resposta Ă s popu- normal, Laser de CO2 ou SDtVUHĂ HFWHVHLQIHOL]PHQ- hĂĄ uma muito maior vonta- Barbosa, “todo o conceito capazes na ĂĄrea veterinĂĄria – tinha uma lacuna grande laçþes desta zona essencial- com recurso a ortopedia, ar- te, em todos os sectores, sem de de tratar e cuidar do que da Makenotes e dos seus produtos aposta na diferena nĂ­vel de infraestruturas e mente rural, “que na maior troscopia, radiologia, exames excepção, mas tambĂŠm nota havia no passado. Estando ciação e na inovação atravĂŠs de capacidade de resposta, parte das vezes nĂŁo tĂŞm laboratoriais, endoscopia que os portugueses tendem as pessoas dispostas a fazer da reinterpretação do tradiquando as situaçþes exigiam capacidade de se deslocar ou H EURQFRVFRSLD HFRJUDĂ€D a preocupar-se mais com o algum esforço, nĂłs, como cional e na interpretação das bem-estar dos seus animais SURĂ€VVLRQDLV FXMD SULQFLSDO novas tendĂŞncias do design e WUDWDPHQWRV PDLV HVSHFtĂ€- de suportar os custosâ€? que entre outros. motivação ĂŠ tentar ajudar o da moda, explorando as suas Actualmente, a clĂ­nica de estimação. cos, quer a nĂ­vel de clĂ­nica, as deslocaçþes para locais “Estando localizados maior nĂşmero de animais qualidades visuais e tĂĄcteis. internamento ou grandes mais distantes pressupĂľem, e conta com sete colaboracirurgias, como de meios de simultaneamente prestar um dores (quatro veterinĂĄrios e numa zona de interior, onde possĂ­vel, tentamos que todas Oferecemos produtos mais trĂŞs assistentes/enfermeiros) os custos de implantação as pessoas que nos visi- emocionais e menos desĂ€[RVDVVLPFRPRXPQ~PH- e de manutenção sĂŁo infe- tam possam ajudar os seus cartĂĄveis. Pretendemos criar riores, comparados aos dos animais. Salvaguardo claro, laços afectivos e relaçþes de ro variĂĄvel de estagiĂĄrio. A sede, que centraliza os grandes centros urbanos, como qualquer empresa, a cumplicidade com os nossos principais meios de diagnĂłs- podemos proporcionar um nossa prĂłpria viabilidade, clientes.â€? De destacar a sectico, estĂĄ vocacionada para as serviço de qualidade prova- de modo a que possamos ção de “regresso Ă s aulasâ€?, que conta as colecçþes BanLQWHUYHQo}HV´PDLVHVSHFtĂ€- velmente mais acessĂ­vel do prestar e melhorar os servidanas, Jardinagem, Zoo, Urcasâ€?, sendo que os consul- que acontece nesses centros ços que jĂĄ prestamos. Mas ĂŠ sinhos, Caveiras, Sardinhas e tĂłrios realizam consultas e urbanos. O que se pode com grande satisfação que muitas outras. intervençþes mais simples, constatar, comparando com se vĂŞ que, cada vez mais, de modo a minimizar o “in- uma dĂŠcada atrĂĄs, por exem- as pessoas se dedicam aos Adega de Nelas vira cĂłmodo da deslocação dos plo, ĂŠ que as pessoas, em seus animais e que, cada vez A ZoosaĂşde estĂĄ sediada em Penela e tem clientes, principalmente os geral, estĂŁo muito mais sen- mais, nĂłs podemos ajudar Centro Interpretativo consultĂłrios em AnsiĂŁo, FigueirĂł dos Vinhos, mais idososâ€?, que sĂŁo uma sibilizadas para considerar nessa dedicaçãoâ€?, sublinha do DĂŁo Castanheira de PĂŞra e Cabaços (AlvaiĂĄzere) SDUWHVLJQLĂ€FDWLYDGDSRSX- o seu animal de estimação o director clĂ­nico. A Adega de Nelas, comSUDGD QR Ă€QDO GR DQR SDVsado pela Lusovini, vai dar Para criar segundo maior banco de cĂŠlulas estaminais na Europa lugar ao “Nelas Wine & Culture – Lusovini by Pedra Cancelaâ€?, tornando-se no Centro Interpretativo da O laboratĂłrio ĂŠ o maior Biocant Park em sete crianças. de actividade para uma nova internacionalização. Contudo, Vinha e do Vinho do DĂŁo. A Crioestaminal, empreUma nasceu com um ĂĄrea de negĂłcio, a das terapias hĂĄ uma limitação logĂ­stica: o Orçado em 1,5 milhĂľes, o sa sediada em Cantanhede, banco de cĂŠlulas portuguĂŞs transporte e as condiçþes de empreendimento terĂĄ como vai investir mais 1,6 milhĂľes e o quarto maior a nĂ­vel defeito genĂŠtico, e continua celulares. função divulgar a regiĂŁo e De referir que a Crioes- temperaturas das cĂŠlulas es- o seu vinho, assumindo-se viva, graças a um transplante na expansĂŁo do laboratĂłrio. europeu. A empresa liderada por de cĂŠlulas do irmĂŁo; as outras taminal jĂĄ tem duas patentes taminais ideais condicionam como referĂŞncia do enotuO objectivo ĂŠ tornar a Crioestaminal no segundo AndrĂŠ Gomes vai agora – entre as quais uma italiana internacionais na ĂĄrea das as exportaçþes para outros rismo do DĂŁo. A primeira maior banco de cĂŠlulas esta- apostar na expansĂŁo da ac- – nasceram com paralisia terapias: uma para o trata- paĂ­ses. pedra foi lançada na passada A internacionalização sexta-feira, no âmbito das minais da Europa, preparar tividade, aumentando a ca- cerebral, que submetidas a mento do pĂŠ diabĂŠtico e outra o laboratĂłrio para a criopre- pacidade de armazenamento transplante, apresentam sig- que pode tambĂŠm ter essa deverĂĄ ser para o centro e Festas do Vinho do DĂŁo. servação de outras fontes de e tratamento para as 300 000 QLĂ€FDWLYDVPHOKRUDVPRWRUDV aplicação ou tratar doenças leste da Europa e AmĂŠrica A Lusovini ĂŠ a principal cardiovasculares. Trata-se de Latina. No primeiro caso, a distribuidora de vinhos porcĂŠlulas estaminais e permitir amostras. O investimento e cognitivas. Com a expansĂŁo da capa- uma ĂĄrea com um grande po- estratĂŠgia passa pela compra tugueses para os mercados o desenvolvimento de novas vai tornar a Crioestaminal no segundo maior banco de cidade instalada, a empresa de tencial de desenvolvimento. de empresas locais, tal qual lusĂłfonos, sobretudo Angola terapias celulares. Empresa lĂ­der em Por- cĂŠlulas estaminais da Europa. Cantanhede poderĂĄ passar a AlĂŠm de guardar a matĂŠria- sucedeu em Espanha, e no e Brasil, tendo tambĂŠm uma O investimento conta preservar outro tipo de cĂŠlu- -prima, a empresa pretende mercado latino americano presença relevante nos mertugal, a Crioestaminal dedicada-se Ă  criopreservação de com o apoio do Quadro de las estaminais, nomeadamen- ser referĂŞncia na aplicação a opção deve passar pela cados do Norte da Europa, Estados Unidos da AmĂŠrica cĂŠlulas estaminais do sangue ReferĂŞncia EstratĂŠgica Na- te da medula Ăłssea e do tecido terapĂŞutica, sendo que jĂĄ tem instalação de novos labo- e asiĂĄtico. Os vinhos da emadiposo de adultos, para uso planeado criar um LaboratĂł- ratĂłrios e bancos de cĂŠlulas presa resultam de parcerias do cordĂŁo umbilical e ao fo- cional (QREN). rio de Terapias Celulares, que estaminais. As cĂŠlulas estaminais po- na medicina regenerativa. mento do desenvolvimento com prestigiados produtores A empresa sediada em e enĂłlogos do paĂ­s, entre os Trata-se de um impor- serĂĄ inovador em Portugal. dem ser usadas no tratamento desta ĂĄrea da medicina. A Crioestaminal jĂĄ gera Cantanhede ĂŠ um dos trĂŞs quais avultam no DĂŁo os A empresa criada hĂĄ dez de mais de 80 doenças, sendo tante passo na histĂłria da anos tem actualmente 50 000 que jĂĄ foram feitos 12 trans- Crioestaminal, porque per- 20 por cento do volume de bancos europeus com acre- vinhos Pedra Cancela, do clientes, em toda a PenĂ­nsula plantes de cĂŠlulas armazena- mite que o laboratĂłrio espe- negĂłcios em Espanha, mas a ditação na Associação Ame- produtor e enĂłlogo JoĂŁo das na empresa instalada no cializado aumente a sua ĂĄrea ideia ĂŠ continuar a apostar na ricana de Bancos de Sangue. Paulo Gouveia. IbĂŠrica.

Crioestaminal investe mais 1,6 milhĂľes em Cantanhede


12

CLASSIFICADOS / OPINIĂƒO

16

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

ImobiliĂĄrias ABC

CHUC ou a exterminação do CHC

Compra, venda e troca de prÊdios, moradias, andares, escritórios, lojas e terrenos. - MORADIA NOVA, pronta a habitar tipologia T4 com cozinha equipada, acabamentos contemporâneos, ar condicionado, recuperador de calor, terraço, no Bairro da Liberdade. Para agendar uma visita contactar 239854730/917225640/964311517. - ARRENDA ESPAÇO COMERCIAL com Wc - 18m2 Rua Infanta D. Maria, em frente ao Atrium Solum - ARRENDA LOJA com 2 pisos com årea total de 450 m2 na Rua Correia Teles (junto à Av. D. Afonso Henriques). Para mais informaçþes contactar 239854730/917225640/964311517. - Terreno para construção sito na Lousã. à rea de Construção 765 m2 Marque a sua visita todos os dias da semana Telef.: 239 854 730 - Telem.: 917 225 640

Rua da Sofia, 175 C

Telef. 239 854 730 - COIMBRA

AUTOMÓVEIS NOVOS E USADOS CrÊdito atÊ 120 meses ADÉMIA - COIMBRA

Limpa ChaminĂŠs Desentupimentos de Esgotos

32386

966 161 080 - 917 593 072

917 179 115 - JosĂŠ Lopes Tempo RĂĄdio do Clube da Comunicação Social de Coimbra Esta semana no nosso tempo/rĂĄdio do CLUBE DA COMUNICAĂ‡ĂƒO SOCIAL DE COIMBRA, “A COR DO SOMâ€?, ĂŠ nosso convidado o PROF. FERNANDO REBELO. HistĂłrias de uma histĂłria de vida.

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Quando por decreto-lei se criou o CHUC sem prĂŠvio estudo, projecto, plano ou ideia do que se estava a criar, foi evidente que o resultado seria a destruição do CHC e o “entupimentoâ€? dos HUC, jĂĄ na altura considerado um “monstro inadministrĂĄvelâ€?. Ao ÂżPGHVWHVPHVHVGHSURFHVVR de “fusĂŁoâ€? pudemos constatar a progressiva destruição dos Serviços do CHC- Hospital dos CovĂľes, com o “atafulhamentoâ€? dos serviços dos HUC e o daĂ­ inevitĂĄvel prejuĂ­zo na qualidade de tratamento dos doentes e nas condiçþes de WUDEDOKRGRVSURÂżVVLRQDLVTXH LQHYLWDYHOPHQWHVHUHĂ€HFWLUiQD atĂŠ recentemente apelidada “Capital da SaĂşdeâ€? - Coimbra. O apregoado “sucessoâ€? da fusĂŁo, sĂł o poderĂĄ ser, eventualmente, na diminuição de gastos (serĂĄ que a houve?) porque em tudo o resto nĂŁo ĂŠ mais possĂ­vel continuar a disfarçar o indisfarçåvel, senĂŁo vejamos: O encerramento de Serviços no Hospital dos CovĂľes e a transferĂŞncia de doentes e SURÂżVVLRQDLVSDUDRV+8&IH] aumentar o nĂşmero de doentes que a este acorrem, sem contudo aumentar o espaço para os tratar. É exemplo disto, o Serviço de uma especialidade cirĂşrgica (cujas instalaçþes no Hospital dos CovĂľes actualmente se encontram vazias) e que hĂĄ pouco tempo tinha nos HUC internados cerca de 30 doentes, fora do prĂłprio Serviço. No Bloco OperatĂłrio dos CovĂľes, com poucos

anos de funcionamento e com melhores condiçþes que o dos HUC, tĂŞm-se encerrado salas de operaçþes e das 7 salas existentes dias hĂĄ em que funcionam apenas 2. A retirada de tempos operatĂłrios aos Serviços que ainda estĂŁo no Hospital dos CovĂľes, associada Ă diminuição drĂĄstica dos tempos operatĂłrios atribuĂ­dos aos Serviços que foram mudados para os HUC (comparativamente com os que tinham nos CovĂľes), estĂĄ a conduzir a um aumento constante do nĂşmero de doentes em lista de espera. E nem sequer a estatĂ­stica operatĂłria feita na Unidade de Cirurgia de AmbulatĂłrio consegue “disfarçarâ€? este aumento, visto que aquela unidade, que se encontra sediada nos CovĂľes, foi projectada para aquele Hospital e por isso teria, em princĂ­pio, o mesmo nĂşmero de doentes operados que actualmente apresenta, sĂł que seriam referentes a doentes apenas do CHC. NĂŁo houve assim qualquer aumento de doentes operados por ter havido a criação do CHUC. Quanto ao Serviço de UrgĂŞncia, nĂŁo serĂĄ necessĂĄrio dizer nada a todos quantos procuram o dos HUC, que jĂĄ antes da fusĂŁo nĂŁo funcionava nas melhores condiçþes e que agora estĂĄ “entupidoâ€? com um nĂşmero muito maior de doentes, que sĂŁo por vezes acomodados em macas, macas que chegam a HVWDUÂłHVWDFLRQDGDV´HPÂżODV paralelas. Os nĂşmeros existem e se os solicitarem Ă  direcção do S.U. dos HUC constatarĂŁo a

LUĂ?S CARVALHO*

evolução negativa dos Ă­ndices de qualidade em relação aos do tempo em que a urgĂŞncia do Hospital dos CovĂľes funcionava em pleno. A acrescentar a esta situação sĂŁo ainda de referir os resultados que se podem inferir dos nĂşmeros oficiais de mortalidade por traumatismo, actualmente superiores aos registados quando existiam duas urgĂŞncias polivalentes (CovĂľes e HUC), apesar da criação nos HUC de um Centro de Trauma de nĂ­vel 1(?). Anteriormente o Ă­ndice de mortalidade em Coimbra era inferior ao da mĂŠdia nacional e agora que o Ă­ndice nacional baixou, o de Coimbra aumentou e ĂŠ duas vezes superior ao da mĂŠdia nacional‌ (SRUÂżPIDODQGRHPÂłFXVtosâ€?, palavra em voga nos actuais tempos de crise, convĂŠm dizer que ao mesmo tempo que se encerram Serviços no Hospital dos CovĂľes - alguns construĂ­dos hĂĄ apenas cinco ou seis anos e com ajudas comunitĂĄrias do FEDER, cujas instalaçþes continuam a existir, sĂł que actualmente desertas GHGRHQWHVHGHSURÂżVVLRQDLV os quais, uns e outros, foram entretanto “amontoadosâ€? nos HUC - projectam-se novas obras (algumas jĂĄ em curso), com novos custos, para que se possam fazer fusĂľes de Serviços num Ăşnico Hospital. Ou seja, fazem-se obras, gastam-se recursos dentro dos HUC

e deixam-se Serviços desertos no Hospital dos CovĂľes‌ E qualquer dia ainda acabarĂŁo por concluir que os HUC QmRWrPLQVWDODo}HVVXÂżFLHQWHV para a população que servem e que ĂŠ necessĂĄrio construir outro hospital‌ Provavelmente ao lado dos HUC, que ĂŠ onde com certeza mais falta faz... Na margem esquerda ĂŠ que nĂŁo! Todos os factos aqui relatados sĂŁo de fĂĄcil comprovação e quem leu as razĂľes invocadas pela Senhora Doutora JuĂ­za que impediu o encerramento da Maternidade Alfredo da Costa nĂŁo pode deixar de concluir que se processo idĂŞntico tivesse ocorrido em Coimbra, levaria ao impedimento da extinção do CHC. Evitando, obviamente, para mais, a forte repercussĂŁo negativa que ela vai ter na Coimbra do “outro lado da ponteâ€?. Para finalizar, pode-se dizer que lamentavelmente para os doentes de Coimbra e para aqueles que aos hospitais desta cidade recorrem, a qualidade dos cuidados de saĂşde degrada-se progressivamente e que o Ăşnico resultado desta “fusĂŁoâ€? hospitalar serĂĄ a “exterminaçãoâ€? do CHC e conjuntamente da obra de Bissaya Barreto nesta cidade. Salvar-se-ĂĄ o Portugal dos Pequenitos, porque por sorte nĂŁo estĂĄ sob a alçada da administração do CHUC! (*) MĂŠdico

Dia Internacional da Caridade O representante da LBV na ONU, Danilo Parmegiani, informa-nos que as Naçþes Unidas celebraram, pela primeira vez, o Dia Internacional da Caridade. RecĂŠm-aprovada resolução situou a data em 5 de setembro. $218DÂżUPDTXHDFDULdade pode contribuir na promoção do diĂĄlogo entre pessoas de diferentes civilizaçþes, culturas e religiĂľes, assim como a solidariedade e a compreensĂŁo mĂştua. E reconhece os esforços das organizaçþes caritativas e de particulares nesse propĂłsito. A caridade sustenta a vida humana É um tema muito presente em meus artigos, pois considero ser imprescindĂ­vel Ă nossa sobrevivĂŞncia. Aproveito o ensejo para lhes adiantar pequeno trecho de “O Capital de Deusâ€?, livro que estou preparando, com muito cuidado, no qual apresento algumas das palestras que proferi, a partir da dĂŠcada de 1960: Meditemos sobre esta passagem do ApĂłstolo JoĂŁo, na sua Primeira EpĂ­stola, 4:20:

“Se alguĂŠm disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmĂŁo, ĂŠ mentiroso; pois aquele que nĂŁo ama a seu irmĂŁo, a quem vĂŞ, nĂŁo pode amar a Deus, a quem nĂŁo vĂŞâ€?. Caridade, criação de Deus, ĂŠ o sentimento que mantĂŠm o ser vivo nas horas de tormenta de sua existĂŞncia. Se vocĂŞ me disser que nĂŁo precisa de amor, estĂĄ equivocado, ou equivocada, enfermo, ou enferma... Em resumo, trata-se simplesmente disto: amor, sinĂłnimo de caridade, de que tanto carece a sociedade mĂ­ope, obumbrada pela cultura insidiosa, mantida por aqueles que provocaram, para os povos, as desgraças todas que ensanguentam a HistĂłria e que nos pĂľem em perigo constante. AtĂŠ quando? A caridade sustenta a vida humana. O jornalista Francisco de Assis Periotto, ao ouvir essas minhas palavras, completou-as assim: “no pĂŁo e na decĂŞnciaâ€?. Elevado espĂ­rito social O avanço tecnolĂłgico tem derrubado muitas fronteiras e

JOSÉ DE PAIVA NETTO*

feito algumas desabar sobre outras. Entre elas, económicas e sociais. Contudo, a globalização não vai impedir a diversidade. Porquanto, se mundializa, då tambÊm expressão ao regionalismo. De vårias IRUPDV WRGR PXQGR LQÀXHQcia todo mundo. No entanto, barreiras, em diversas partes do planeta, ainda tornam cada vez mais distantes ricos de pobres. Isso pode resultar em consequências profundas, em amplitude internacional, a H[HPSORGR¿PGR,PSpULR5Rmano. Entretanto, desta vez, tais transformaçþes poderão provocar providências inusitadas atÊ em coraçþes de pedra, antes contrårios ao pragmåtico espírito de caridade, que serão levados a pensar que existem algumas coisas vitais, atÊ mesmo para eles, como... a compaixão. (...) Caridade não pSt¿RVHQWLPHQWDOLVPRDTXH

alguns gostariam de reduzi-la. Acertou, pois, quando escreveu o grande Joaquim Nabuco (1849-1910): â€œĂ€ luta pela vida, que ĂŠ a lei da natureza, a religiĂŁo opĂľe a caridade, que ĂŠ a luta pela vida alheiaâ€?. NĂŁo seria essa a função de um verdadeiro polĂ­tico? O que seria mais importante para o fortalecimento das comunidades do que esse elevado espĂ­rito social? É possĂ­vel igualmente HVSHUDUPRVGRDOWRVLJQLÂżFDGR da caridade, na atitude diĂĄria, o completo caminho da verdadeira independĂŞncia de nossa pĂĄtria. Caridade ĂŠ assunto sĂŠrio. (*) Jornalista, radialista e escritor | paivanetto@lbv.org.br www.boavontade.com | www. lbv.pt [A pedido do autor, este texto ĂŠ publicado segundo as regras do QRYRDFRUGRRUWRJUiÂżFR@


12

QUINTA-FEIRA

PASSATEMPOS

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

PALAVRAS CRUZADAS – Problema n.º 345 Tema de hoje – CIRURGIA CARD�ACA 1

17

www.campeaoprovincias.pt

PROBLEMA N.Âş 345/A

CINCO PALAVRAS RELACIONADAS COM CIRURGIA CARD�ACA 8WLOL]DQGRWRGDVDVVtODEDVFRQVWDQWHVGR³TXDGUR´IRUPDUFLQFR SDODYUDVUHODFLRQDGDVFRPFLUXUJLDFDUGtDFD

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

1

ĂƒO

A

BY

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10 11

1 2

CI

3

2 3

DRE

GI

LA

NES

RUR

SIS

4 5

4

6

5

NO

6

PASS

7 8

7

TE

TA

8

VĂ L

9

VU

10

9

11 PRÉMIOS – Obra literåria, oferta da PORTO EDITORA; PrÊmio surpresa, oferta de à GUIA, HQR¿QDOGRPrVPDLVXPSUpPLRHVSHFLDOXP H[HPSODUGR~WLOHYDOLRVR'LFLRQiULRGH6LQyQLPRV H$QWyQLPRV GD /tQJXD 3RUWXJXHVD ¹ &ROHFomR 'LFLRQiULRV 0RGHUQRV TXH LQFOXL XP &'520 HGLomRHRIHUWDGD32572(',725$ 35$=2 3$5$ 5(0(66$ '( 62/8dŽ(6 ¹ $WpDRGLDGRSUy[LPRPrV (19,2'(62/8dŽ(6¹(UQHVWR/RSHV1X QHV%HFRGRV8QLGRVQž(VSDGDQHLUD – 162 Coimbra. PREMIADOS Passatempos n.º 337:&OiXGLD0DUJDULGD&RV WDGH&RLPEUDFRPOLYURGD32572(',725$ -RVp+RUiFLR%DUDWD/RXUHQoRGH&RLPEUDFRP prÊmio surpresa, oferta de à GUIA.

HORIZONTAIS Âą&LUXUJLDFDUGtDFD SO &LUXUJLD&DUGtDFDÂą/HmR &LUXUJLD&DUGtDFD/rÂą0HORGLD&LUXUJLD&DUGtDFD1RPH SUySULRPDVFXOLQRÂą(VFRSR5HTXHEURÂą(QWUH&LUXUJLD &DUGtDFD6LVWHPDGHLQIRUPDomRLQWHJUDGR VLJOD 9HQWR Âą&LUXUJLD&DUGtDFD SO &LUXUJLD&DUGtDFDÂą([WUDRUGL QiULDV(OHPHQWRTXtPLFRVHPHOKDQWHDRFKXPERÂą)LOLDO 1RPHSUySULRIHPLQLQR/tQJXDSULPLWLYDGRVLUODQGHVHVTXH SDVVRXSDUDD(VFyFLD VERTICAIS Âą&LUXUJLD&DUGtDFD SO Âą(OHPHQWRGHIRUPDomRGH SDODYUDVTXHH[SULPHDLGHLDGHYHQWR3DUHGHÂą0RUWH ,VVR  Âą (QWmR 1RWtFLD HP SULPHLUD PmR  Âą 6tPEROR GH OLEUD 5REDOR  Âą 6DOVDGRPRQWH 2iVLV  Âą 6tPEROR GH VXVXGRHVWHÂą'XDVGRWLQR,QWHUMHLomRXVDGDSDUDID]HU SDUDU DQLPDLV GH FDUJD  Âą &~WLV VHP ÂżP  Âą$UJRODV 1DVFHQWHÂą7LR&LUXUJLD&DUGtDFDÂą4XDUHQWDHQRYH URPDQRV&LUXUJLD&DUGtDFDÂą&RQFOXVmRGHXPWHRUHPD SO 6RUULVRÂą8QLU,GDGHÂą&LUXUJLD&DUGtDFD

HORIZONTAIS ¹¹/HYDUÂą8QLGDGHPRQHWiULDGD 7DLOkQGLD-XQWDPÂą'HYRomR(OHPHQWRTXtPLFRTXHÂżJXUD QDFRPSRVLomRGDVFKDPDGDVWHUUDVUDUDVÂą0DUFDU8PD GDV OtQJXDV GR QRUWH GD (WLySLD 8QLYHUVLGDGH GH &RLPEUD DEU ÂąĂˆFLGRULERQXFOHLFR DEU 6DtGDÂą$OHJULDVÂą 5HYpVÂą0RYLPHQWRUiSLGRGRROKR VLJOD 7HPSRUDGD Âą$OL)DOKDV6LPSOHVÂą2V*XLD%RDVÂą9DOLGDVVH VERTICAIS ¹¹1RPHSUySULRPDVFXOLQR1RPHSUySULR IHPLQLQRÂą'LVSDUDWD7LQRÂą6RX7URFDGLOKR6tPERORGH VLHYHUWÂą%HELGDPXLWRDOFRyOLFDTXHJHUDOPHQWHVHEHEH QXPVyJROH8WLOL]HÂą(OHPHQWRGHIRUPDomRGHSDODYUDV TXHH[SULPHDLGHLDGHVDFR2UD7DSHoDULDDQWLJDTXHRUQDYD DVSDUHGHVÂą%DEDUpXÂą'HVJDVWDU6tPERORGHUXWpQLR Ă?VÂą*UDWLÂżTXH1RPHSUySULRIHPLQLQRÂą3DJRV6XÂż[R UHSHWLWLYR6HPSUHTXHÂą)UHTXHQWHPHQWH,QVLJQLÂżFDQWH Âą2FLGHQWH(PSUHJR

SOLUÇÕES

ENIGMA FIGURADO

,QWHUSUHWDQGRFRUUHFWDPHQWHWRGRVRVVtPERORVHRSHUDo}HVDSUHVHQWDGDVHQFRQWUDUVHjXPDFRQKHFLGD H[SUHVVmRSRSXODU

Palavras Cruzadas – Problema n.Âş 337: Horizontais – 1 – palpar, WDWHDUÂąDOLSLVWRSFLRÂąOVXUMRDFDVRoÂąPLRORDOVWDÂąD]Q DSVUSDRUÂąGLYm$UGDÂąPDFLRVJiVSHUDÂąDJDVGGRUVRDGDV ÂąURVDVPmREURPDVerticais –ÂąSDOPDPDUÂąDOLQGDJRÂąOLVR LFDVÂąSXDYLVDÂąDSDOSmRVÂąULMRVVGÂąVyRPÂąJUmÂąWD VRÂąWRFDUDRÂąDSDOSDVEÂąWVDUSDUÂąHFRVGHGRÂąSL WRDUDPÂąURoDUDVD Problema n.Âş 337/A - Horizontais –ÂąSXQJLPHQWRVÂąRUDUHXRGD ÂąOLGHQRORUÂąHQDXWDRUDÂą[D~QLFDHUÂąUHWLUDGDVÂąFOrUD PRVWÂąDWHLDDULPRÂąODLVPDORPÂąDLWSXDRQDÂąLVRODOHVDU Verticais –ÂąSyOH[FDODLÂąXULQDUWDLVÂąQDGDHOHLWRÂąJH~WHLVO ÂąLUXQLUDSiÂąPHQWLUDPXÂąHXDFDPDDOÂąQRDGRUDHÂąWROR DVLORVÂąRGRUHVPRQDÂąVDUDU7RPDU Seis palavras relacionadas com tato:$SDOSDQoRWRTXHVXDYHWDWXUD mole, duro. (QLJPDÂżJXUDGR2FHJRYrEHPSHORWDWR

PALPITANDO

Jogo da AcadĂŠmica homenageia os bombeiros

PALPITES

Sporting. O campeonato esteve interrompido para o jogo da Selecção Nacional (Irlanda, 2 - Portugal, 4) de TXDOLÀFDomRSDUDR0XQGLDO e outro de preparação (terça-feira, em Boston, EUA, com o Brasil), com Coimbra a receber, a 15 de Outubro, a

JOSÉ ALBERTO COELHO

Ă LVARO AMARO

partida Portugal-Luxemburgo, após o Portugal-Israel de 11 de Outubro. No próximo domingo, à imagem do que tem sucedido com outros clubes, dos escalþes proÀVVLRQDLVHDPDGRUHVWDPbÊm a AcadÊmica SDUQ irå associar-se à onda de

FRANCISCO ANDRADE

MĂ RIO NOGUEIRA

JOĂƒO P. BARBOSA MELO

solidariedade com os bombeiros portugueses, que jĂĄ perderam oito operacionais nos incĂŞndios florestais deste VerĂŁo. A homenagem aos soldados da paz ĂŠ uma iniciativa que junta a “Briosaâ€? e os Bombeiros Sapadores e VoluntĂĄrios de

MĂ RIO CAMPOS

FĂ TIMA RAMOS

Coimbra e Brasfemes. O calendårio da 4.ª jornada do escalão principal da Liga de futebol Ê o seguinte: såbado (dia 14) – Rio Ave-Guimarães, às 16h15 6SRUW7Y %HQÀFD3DoRVGH )HUUHLUDjVK %HQÀFD Tv), Porto-Gil Vicente, às

JOSÉ M. PUREZA

JOSÉ M. CANAVARRO

MIGUEL CORREIA

ACADÉMICA X BELENENSES

1-0

2-1

2-0

2-0

1-0

1-0

2-0

2-0

1-1

2-0

FC PORTO X GIL VICENTE

2-0

2-0

3-0

2-0

2-0

2-0

3-0

2-0

2-0

OLHANENSE X SPORTING

1-2

1-2

1-3

0-2

1-1

0-1

1-2

0-1

0

0

0

0

0

0

0

0

PONTOS

FUTEBOL

20h15 (SportTv); domingo (dia 15) – AcadÊmica-Belenenses, às 15h45 (Sport7Y  6HW~EDO0DUtWLPR H Nacional-Arouca, ambos às 16h00, Olhanense-Sporting, às 17h45 (SportTv), Braga-Estoril, às 19h45 (SportTv).

MARTA BRINCA

HELENA FREITAS

1-0

1-0

2-0

1-0

1-1

1-1

1-2

0-2

1-1

0

0

0

0

Jogada a jogada, golo a golo, a Briosa joga nesta rĂĄdio...

ACADÉMICA X BELENENSES DOMINGO, DIA 15, ÀS 15H45 Ouça na Internet em www.radioregionalcentro.com

ABC

Com apenas um empate, em trĂŞs jogos, a AcadĂŠmica SDUQ recebe o Belenenses, domingo Ă tarde, no EstĂĄdio Cidade de Coimbra, SDUDRVHJXQGRGHVDĂ€RHP casa desta ĂŠpoca, depois de aqui ter averbado a pesada GHUURWDGHLQĂ LJLGDSHOR


CULTURA

18

www.campeaoprovincias.pt

Ă“pera de Pequim traz mitos e lendas ao TAGV Composta por um elenco de 24 actores, a Companhia de Ă“pera de Pequim apresenta-se, em Coimbra, a 17 de Setembro (21h30), no Teatro AcadĂŠmico de Gil Vicente (TAGV), para um espectĂĄculo inspirado nos mitos e lendas da China. Fundada em 1962 e galardoada com vĂĄrios prĂŠmios nacionais e internacionais SHODVXDHOHYDGDTXDOLGDGHHSURĂ€VVLRQDOLVPRHVWDFRPSDQKLDIRLVHOHFFLRQDGDSHOR MinistĂŠrio da Cultura da RepĂşblica Popular da China para, a convite do ObservatĂłrio da China, representar a Ă“pera de Pequim, em Portugal. Do alinhamento do espectĂĄculo fazem parte quatro peças tradicionais, designadamente, “O DragĂŁo Voador e a FĂŠnix Dançanteâ€?, “Adeus Meu Amorâ€?, “As Donzelas Celestiais Espalhando Floresâ€? e “A Luta de Mu Guiying na Cidade de Hong Zhouâ€?. Esta apresentação em Coimbra insere-se numa digressĂŁo a vĂĄrias cidades de Portugal, promovida pelo ObservatĂłrio da China, durante o mĂŞs de Setembro. Os bilhetes custam entre 15 e 18 euros.

CafĂŠ de Santa Cruz convida a descobrir novas obras

ciliar o ambiente erudito com a vivĂŞncia popular.

“Corpo Sem ChĂŁoâ€?, livro da autoria de Aida Borges, com a chancela da Chiado Editora, ĂŠ lançado no prĂłximo sĂĄbado, no cafĂŠ de Santa Cruz, em Coimbra. A sessĂŁo, agendada para as 18h30, terĂĄ como oradores convidados Francisco JosĂŠ Lopes e AntĂłnio Miguel Ferreira, e terĂĄ um momento musical de bandolim, por Soraia Marques. Da mesma editora e, tambĂŠm, neste reputado cafĂŠ da “Baixaâ€? conimbricense, ĂŠ apresentada, a 16 de Setembro, pelas 19h00, a obra “O Ă?ndio, o Pirata e o Almiranteâ€?, de Pascale Malinowski, com intervenção de Valdir Oliveira, como orador convidado. Estes sĂŁo dois de vĂĄrios livros que, ao longo do mĂŞs, vĂŁo ser apresentadas no cafĂŠ de Santa Cruz.

Mostra revela viagem exploratória Moçambique

Brasileiro Gabriel Gavioli expĂľe na Figueira da Foz

O artista brasileiro Gabriel Gavioli traz Ă Figueira da Foz, atĂŠ ao dia 28 de Setembro, uma exposição de pintura e desenho intitulada “Contornos do Homem, Cores do Universoâ€?. A mostra ĂŠ inaugurada no sĂĄbado, pelas 16h00, na galeria Aguarela. Esta ĂŠ uma iniciativa promovida pela Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa, que convidou o artista brasileiro a expor 25 obras que retratam o cosmos, o quotidiano humano e a cultura do Homem, caracterizadas atravĂŠs de diferentes tĂŠcnicas e tratamento de imagens. Natural de Minas Gerais (Brasil), Gabriel Gavioli ĂŠ um artista multifacetado, ligado Ă  mĂşsica, ao meio acadĂŠmico e pintura, sendo capaz de con-

A viagem de um grupo de professores a Moçambique foi documentada em centenas de IRWRJUDĂ€DVDSDUWLUGDVTXDLV foi feita uma selecção que integra a mostra patente na Biblioteca Municipal de Cantanhede, atĂŠ 30 de Setembro. A exposição dĂĄ a conhecer os resultados cientĂ­ficos da expedição que o grupo de docentes realizou, visando o estudo da biodiversidade dos ecossistemas costeiros do Miombo e das savanas do litoral da Ă frica Oriental. Esta acção foi organizada pelo Centro de Formação “A Terra e a Vidaâ€? da Associação Portuguesa de Professores de Biologia e Geologia, com a coordenação de Jorge Paiva, do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra. Da mostra fazem parte inĂşmeros mapas e regisWRVIRWRJUiĂ€FRVTXHUHYHODP aspectos dos ecossistemas costeiros e da forma de vida de algumas populaçþes das regiĂľes visitadas. Miranda do Corvo acolhe mostra de pintura de D. Cadima

Inaugurada na última semana, pode ser visitada na Biblioteca Municipal de Miguel Torga, em Miranda do Corvo, uma exposição de pintura da autoria de D. Cadima, intitula-

da “Paisagens da nossa terraâ€?. A mostra vai estar patente neste espaço atĂŠ ao dia 28 de Setembro, dando a conhecer a obra deste pintor autodidacta, natural da vila de Montemor-o-Velho. Amador, paisagista e retratista, Deolindo Pessoa Cadima fez da pintura a sua principal ocupação, dedicando-se, tambĂŠm, Ă poesia. A sua obra estĂĄ representada em vĂĄrias colecçþes tanto em Portugal como no estrangeiro. “Baixaâ€? de Coimbra com mĂşsica, teatro e vĂ­deo O projecto “Linhas Cruzadasâ€? vai concretizar a iniciativa “TerritĂłrio Dentro de NĂłsâ€?, amanhĂŁ e sĂĄbado, na “Baixaâ€? de Coimbraâ€? com uma programação que inclui mĂşsica, teatro e vĂ­deo. Trata-se de uma parceria entre O TeatrĂŁo, Jazz ao Centro Clube, CĂ­rculo de Artes PlĂĄsticas e Casa da Esquina, com o apoio da Câmara Municipal e da Direcção-Geral das Artes. No sĂĄbado, o programa abre com a instalação sonora Ă udio-Crise, na esplanada do cafĂŠ Santa Cruz. No largo do Romal decorrerĂĄ uma proposta teatral do Bando Ă  Parte - projecto de formação de jovens adolescentes do TeatrĂŁo, enquanto que o largo do Poço receberĂĄ a instalação “Paisagens Sonoras do Centro HistĂłrico de Coimbraâ€?. Para domingo, pelas ruas da “Baixaâ€?, em locais nĂŁo revelados e de surpresa, haverĂĄ pequenas performances de “Guerrilha Urbanaâ€?, a cargo da Casa da Escrita. A praça do ComĂŠrcio receberĂĄ, nas noites de sĂĄbado e domingo, a projecção denominada Urbanscapes, de uma colecção de quatro vĂ­deos promovida pelo CĂ­rculo de Artes PlĂĄsticas, enquanto que no SalĂŁo Brazil, sede do Jazz ao Centro Clube, actuarĂĄ o trio TiĂŁo DuĂĄ, de Minas Gerais, Brasil (sĂĄbado), e, no domingo, Laura Lopes, de Belo Horizonte (Brasil).

12

QUINTA-FEIRA

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

F _____ R _____ A

(En)canto – O Coro dos Antigos Orfeonistas do Orfeon AcadÊmico conimbricense abrilhantou, domingo (08), uma iniciativa da Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais destinada a evocar um falecido intÊrprete da Canção de Coimbra. Sob a batuta de Virgílio Caseiro (em primeiro plano, na foto) e do maestro-adjunto Rui Paulo, que tocou piano, o Coro ajudou a honrar a memória de Luiz Goes.

Solidariedade pratica-se – A CĂĄritas Diocesana de Coimbra angariou 1 800 produtos, no valor de 1 473 euros, na campanha de recolha de bens realizada no hiper mercado Jumbo, no centro comercial Dolce Vita. Segundo a CĂĄritas, “esta foi uma enor me demonstração de apoio e preocupação social, particularmente num perĂ­odo em que as famĂ­lias tĂŞm despesas acrescidas com o inĂ­cio do ano lectivo, constituindo mais um sinal muito positivo do espĂ­rito solidĂĄrio que caracteriza o povo portuguĂŞsâ€?. A campanha foi dinamizada pelo CAS - Centro de Apoio Social da CĂĄritas de Coimbra, que visa apoiar famĂ­lias que se encontram numa situação inesperada de carĂŞncia econĂłmica e que nĂŁo dispĂľem de recursos financeiros suficientes para fazer face Ă s suas necessidades bĂĄsicas. A CĂĄritas dispĂľe de gabinetes de apoio social no Areeiro, Bairro da Rosa e na “Baixaâ€? de Coimbra, para alĂŠm de respostas a problemĂĄticas especĂ­ficas no âmbito da toxicodependĂŞncia, VIH e sem-abrigo nestas e noutras zonas geogrĂĄficas. Com o aumento exponencial dos pedidos de apoio, que se tĂŞm multiplicado no Ăşltimo ano, o CAS precisa de reforçar a sua capacidade de resposta, nomeadamente ao nĂ­vel das necessidades bĂĄsicas, com vĂĄrias dezenas de agregados em lista de espera.

Rijo como aço! – Aos 87 anos de idade, Aníbal Duarte de Almeida votou a ser eleito, anteontem, para presidir à Casa dos Pobres de Coimbra. Perito de contabilidade, com intensa participação em organismos vocacionados para a solidariedade social, sucedeu na liderança da instituição, hå oito anos e meio, a Augusto Correia. Foi na vigência de um dos mandatos de Aníbal Duarte de Almeida que a Casa dos Pobres mudou da Baixa de Coimbra para modelares instalaçþes em S. Martinho do Bispo.


12

QUINTA-FEIRA

VINAGRETAS

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

19

www.campeaoprovincias.pt

V I N A G R E T A S

Renovação polĂ­tica – Eduardo Cabrita, deputado do PS Ă Assembleia da RepĂşblica, regozija-se com “a renovaçãoâ€? de rostos do Poder Local proporcionada pela lei de limitação do nĂşmero de mandatos, apesar de haver a possibilidade de autarcas migrarem para outros concelhos. Dos 161 presidentes de municĂ­pios com trĂŞs mandatos ou mais, “apenas 10 tentam a transumância para novo destinoâ€?, assinala o parlamentar em artigo de opiniĂŁo, divulgado ontem. Ao acentuar que as eleiçþes autĂĄrquicas sĂŁo “um caso Ăşnico de cidadaniaâ€?, Cabrita opina que leis como a de limitação de mandatos e acerca das candidaturas independentes contribuem para a renovação polĂ­tica. A limitação do nĂşmero de mandatos, conclui o deputado, vai “provocar a maior renovação de sempre nas presidĂŞncias de câmaras municipaisâ€?. A coisa sĂł nĂŁo ĂŠ mais cristalina, assinala o redactor das Vinagretas, porque houve polĂ­ticos a apostar nos equĂ­vocos da Lei nÂş. 46/2005. E o Presidente da RepĂşblica, AnĂ­bal Cavaco Silva, acomodou-se ao nĂŁo enviar uma mensagem ao Parlamento a recomendar a FODULĂ€FDomRGDTXHOHGLSORPD Pior do que o cego... – Ao ter criticado a possibilidade de autarcas com trĂŞs mandatos cumpridos se candidatarem a RXWURVyUJmRVRMRUQDOLVWD+HQULTXH0RQWHLURGL]WHUYHULĂ€cado que muitos comentadores nĂŁo percebem por que razĂŁo os mandatos devem ser limitados. Ele explica: Se a coisa fosse tĂŁo simples, nĂŁo se entendia a limitação a dois mandatos da eleição do Presidente da RepĂşblica. A democracia ĂŠ, tambĂŠm, o regime da igualdade de oportunidades, acrescenta o articulista, vincando que quem parte do poder para uma eleição tem inegĂĄveis vantagens. Dir-se-ĂĄ que pior do que o cego ĂŠ aquele que nĂŁo quer ver.

“Eu acho que isto [consequĂŞncias do ÂŤchumboÂť da requalificação da Função PĂşblica] ĂŠ um bluff de todo o tamanho. Mesmo que nĂŁo tivesse sido considerado inconstitucional, nunca teria qualquer efeito orçamental neste ano nem no prĂłximo. NĂŁo tem nada a ver nem com a despesa do prĂłximo ano, nem com o orçamento do prĂłximo ano, nem com a oitava avaliação daÂŤtroikaÂťâ€?. Manuela Ferreira Leite, antiga ministra das Finanças e ex-lĂ­der do PSD, em declaraçþes no programa “PolĂ­tica Mesmoâ€?, na TVI 24 , a 05/09/2013

(SĂŁ) convivĂŞncia polĂ­tica? – Por estes dias, o repĂłrter das Vinagretas apanhou os socialistas EmĂ­lio TorrĂŁo e MĂĄrio Ruivo Ă conversa com o social-democrata Abel GirĂŁo (Ă  direita). Tratou-se de um perĂ­odo informal que se seguiu Ă  apresentação das festas de Montemor-o-Velho, concelho onde GirĂŁo e TorrĂŁo sĂŁo vereadores, aspirando, cada um deles, a suceder a LuĂ­s Leal (PSD), na presidĂŞncia da edilidade. O aparente ambiente de sĂŁ convivĂŞncia polĂ­tica parece ter-se HVJRWDGRQRĂ€PGHVHPDQDHPTXHGHFRUUHUDPDVIHVWLYLGDdes, porquanto, imediatamente na segunda-feira que se seguiu ao feriado municipal, houve discussĂŁo brava na reuniĂŁo do executivo camarĂĄrio. Os vereadores do PS na Câmara de Montemor-o-Velho, incluindo EmĂ­lio TorrĂŁo, abandonaram a sessĂŁo alegando que o MunicĂ­pio incorre em violação da Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso. Contudo, LuĂ­s Leal, lĂ­der da edilidade e candidato a presidente da Assembleia Municipal, diz que nĂŁo foi nada de mais. O edil diz que “a sessĂŁo estava prestes a terminar e sĂŁo frequentes as saĂ­das dos vereadores socialistasâ€?. JĂĄ EmĂ­lio TorrĂŁo, considera ter sido injuriado e, disse ao nosso Jornal, nĂŁo tenciona comparecer na prĂłxima reuniĂŁo do executivo camarĂĄrio.

“Se era inconstitucional fez muito bem em ter chumbado. Porque nĂłs estamos ou nĂŁo estamos num Estado de direito? Cada vez que hĂĄ medidas muito violentas de corte de despesa isso sĂł nos prejudica. E eu continuo a achar que o chumbo do Tribunal Constitucional, nalgumas situaçþes, sĂł nos ajudou a nĂŁo nos afundarmos tantoâ€?. Idem, Ibidem

Ângulo inverso Estado de alarme À semelhança de Direito, Engenharia civil era um daqueles cursos apetecíveis, quanto mais não fosse por facultar uma formação abrangente e capaz de apetrechar os jovens para RGHVHPSHQKRSUR¿VVLRQDO Hå dias, as vagas do Instituto PolitÊcnico de Coimbra ,6(& SDUDRHIHLWR¿FDUDPWRGDVHPDEHUWRHGDVGD)DFXOdade de Ciências e Tecnologia da Universidade conimbricense VySRUFHQWRIRUDPSUHHQFKLGDV QXPXQLYHUVRGH  Octåvio Alexandrino, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Engenheiros, acha que o episódio Ê um sinal dos tempos: a empregabilidade proporcionada pela OLFHQFLDWXUDHP(QJHQKDULDFLYLOpFKmRTXHMiGHXXYDV 0DV Ki PDLV DVSHFWRV D OHYDU HP FRQWD 2 LQJUHVVR passou a exigir nota mínima de 10 valores a Matemåtica

A L H E I A

riais para fazer uma selecção informativa. Ora, não colocando em causa a boa intenção da CNE em fazer respeitar a lei e garantir igualdade no tratamento da informação, hå que atender ao razoåvel. Decisþes que têm por base a rÊgua e o esquadro e critÊrios meramente quantitativos não têm cabimento, sobretudo, quando se trata de assunto desta natureza e importância. Neste desfecho, sem acompanhamento televisivo da campanha eleitoral, saem penalizados os eleitores e a democracia. Não seria preferível haver algum bom senso? Uns e outros parecem entender que não. Como tal, quem pode manda. Quem não pode, recusa-se a fazer.

Lei de rÊgua e esquadro – A interpretação que a Comissão Nacional de Eleiçþes (CNE) fez da lei levou os três canais de televisão a decidir não fazer a cobertura das eleiçþes autårquicas. A CNE entende que, independentemente da sua GLPHQVmRRXLQà XrQFLDWRGDVDVFDQGLGDWXUDVWrPGHWHULJXDO tratamento por parte dos órgãos de comunicação social. Os RSHUDGRUHVWHOHYLVLYRVDOHJDP²HFRPMXVWLÀFDGDUD]mR²QmR ter meios para tal e sublinham que devem existir critÊrios edito-

RUI AVELAR

S E A R A

“O que passarĂĄ pela cabeça de um juiz que deixa em liberdade o suspeito de dezenas de fogos postos na zona de Arganil? (...) HaverĂĄ melhor justificação para a prisĂŁo preventiva do que o perigo da continuação do crime – ou o alarme social causado por um pirĂłmano Ă solta? HĂĄ juĂ­zes que nĂŁo sĂŁo deste mundoâ€?. Manuel Catarino, no Correio da ManhĂŁ de 05/09/2013 “[LuĂ­s Filipe Menezes] nĂŁo conhece limites para o despudor, a mentira e a falta de vergonha. (...) HĂĄ milhares de militantes que se sentem vilipendiados por tanta falta de carĂĄcter e dignidade pessoal. (...) Os cidadĂŁos do Porto hĂŁo-de reconhecer que nĂŁo sĂŁo quaisquer vendedores de promessas que os enganam ou manipulam as suas consciĂŞncias, como por vĂĄrias vezes deram provas na histĂłrica da cidade e do paĂ­sâ€?. Vladimiro Feliz (PSD), vice-presidente da Câmara do Porto, no PĂşblico de 04/09/2013 “Bruma? Foi mais um que saiu, entre muitos. O Sporting teve um comportamento exemplar, apesar de ter havido muitos sportinguistas que duvidaram do que estava a ser feito. Os assuntos devem ser tratado com o mĂĄximo de calma e sigiloâ€?. Bruno de Carvalho, presidente do SCP, em declaraçþes Ă  RĂĄdio Renascença, a 04/09/2013

“Praticamente nenhum concelho escapa ao delĂ­rio que se apoderou do MinistĂŠrio da Justiça. (...) Em tudo isto sobressai o silĂŞncio cĂşmplice de muitos autarcas H)tVLFDQRžDQRGHHVFRODULGDGHDOHJDQGRRUHLWRUGD que, anestesiados pelo Governo e pelos partidos da Universidade de Coimbra, JoĂŁo Gabriel Silva, que o ensino coligação, estĂŁo a enganar as respectivas populaçþes EiVLFRHRVHFXQGiULRHVWmRDIDOKDU com tagarelices inconsequentes. Enfim, na nave de E hĂĄ mais nĂşmeros que tĂŞm de ser enxergados com olhos loucos em que se transformou este Governo, o Mide ver, pois nĂŁo ĂŠ mais possĂ­vel a sociedade portuguesa nistĂŠrio da Justiça sobressai como um manicĂłmio em FRQWLQXDULQGLIHUHQWHDRTXHHVWiDRFRUUHU autogestĂŁoâ€?. Houve, este ano, 51 000 vagas para ingresso no ensino AntĂłnio Marinho e Pinto, bastonĂĄrio da Ordem dos superior para 40 000 candidatos, mas houve perto de 160 Advogados, no Jornal de NotĂ­cias de 02/09/2013 DOXQRVLQVFULWRVQRVH[DPHVGRVHFXQGiULR6HJXQGR o presidente do Instituto PolitĂŠcnico de Coimbra, Rui Antunes, houve mais de 100 000 estudantes a concluir o ensino VHFXQGiULR Posto isto, a conclusĂŁo a extrair ĂŠ a de que os jovens GHL[DUDP GH DFUHGLWDU QR SRWHQFLDO GD IRUPDomR VXSHULRU Soa a estado de alarme e a resposta que ele exige nĂŁo se FRPSDGHFHFRPDŠSROtWLFDGHDYHVWUX]ÂŞ

“Temos dos melhores mĂŠdicos, enfermeiros e profissionais de saĂşde do mundo. O Governo maltrata-os e escorraça-os dos lugares em que deviam estar, do SNS e atĂŠ do paĂ­s, porque as suas competĂŞncias e qualidade sĂŁo obstĂĄculo ao retrocessoâ€?. Carvalho da Silva, no Jornal de NotĂ­cias de 02/09/2013

Serviços Centrais: Baixa - Avenida Fernão Magalhães nº.92, 3000-607 Coimbra tel: 239855855 fax: 239855851 | Celas - 239854080 | Vale das Flores - 239793930 Solum - 239792079 | Quinta da Vårzea - 239440666 | Lousã - 239994033 Fig. da Foz - 233403060 | Aveiro - 234425999 | Condeixa - 239944666 | Portela - 239793939

29077

PUBLICIDADE


ÚLTIMA

20

12

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

DE SETEMBRO DE 2013 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

A propósito da docência do presidente do QREN/Centro

Reitor e Pedro Saraiva não esclarecem contratação R.A.

O reitor da Universidade de Coimbra (UC), João Gabriel Silva, e o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Pedro Saraiva, têm-se escusado a responder a pedidos de esclarecimento do “Campeão” sobre eventual falta de rectidão na contratação do segundo para leccionar no último ano lectivo. Dois vice-reitores disseram ao nosso Jornal, sob anonimato, que à contratação do líder da CCDRC não é alheia a circunstância de ser ele, por inerência, o presidente da Autoridade de Gestão do QREN/Centro (Quadro de ReferênPUBLICIDADE

cia Estratégico Nacional). A UC candidatou-se à obtenção de fundos do outrora denominado Quadro Comunitário de Apoio. O nosso Jornal invocou “infor mação fidedigna” para questionar João Gabriel Silva sobre a contratação de Pedro Saraiva, indag ando se este “terá feito depender a aprovação de candidaturas da UC ao QREN do exercício da docência [por parte dele] no ano lectivo de 2012-13”. O reitor não respondeu e o presidente da CCDRC nunca deu resposta positiva a um pedido de encontro para troca de impressões. Eleito deputado à Assembleia da República, pelo PSD, em 2011,

Pedro Saraiva reg ressou, no Verão do ano seguinte, à presidência da CCDRC e foi contratado para leccionar na Faculdade de Ciências e Tecnologia (a meio tempo) através de um contrato de trabalho em funções públicas a termo resolutivo certo. Catedrático convidado, Pedro Saraiva esteve abrangido pela contratação de 16 de Julho de 2012 a 31 de Ag osto, mas o despacho do reitor para o efeito só foi exarado a 24 de Novembro. A 29 de Julho [de 2013], o director-adjunto do “Campeão” interpelou João Gabriel, aludindo a hipotética “pressão inadmissível” em ordem à contratação, e fez-lhe notar que o caso é do

conhecimento de, pelo menos, quatro (dos oito) vice-reitores. Sem obter resposta, o jornalista insistiu, a 13 de Agosto, e, volvida uma semana, a Reitoria indicou não fazer qualquer comentário. Quanto a Pedro Sar a iva , f o i i n s t a d o n o sentido de, a 26 ou 27, receber o redactor do Jornal, tendo respondido, a 25, que qualquer pedido de esclarecimento devia ser efectuado através da Universidade de Coimbra. “No contexto da minha pretensão de falar consigo, a sua dimensão de docente universitário é subsidiária em relação à de presidente da C C D RC ” , r e p l i c o u o jornalista, que reiterou

a solicitação para ser recebido. Feito outro pedido para ocor rer, a 03 de Setembro, uma troca de impressões, não houve, entretanto, resposta de Pedro Saraiva. H á m ê s e m e i o, o director-adjunto do “Campeão” consultou a acta de uma reunião do Conselho Científico da

Faculdade de Ciências e Tecnologia, efectuada em Outubro de 2012, tendo apurado que a contratação do docente foi aprovada (por maioria) com um voto desfavorável. Lacónico, o documento também não foi objecto de esclarecimentos por parte do director da FCTUC.

O nosso comentário Custará acreditar que o Prof. Pedro Saraiva tenha pressionado o Prof. João Gabriel Silva para obter tempo lectivo na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), como custará acreditar TXHRUHLWRUVHGHL[DVVHLQÀXHQFLDUQHVVHVHQWLGR0DV que raio custará deslindar as coisas, em vez de deixar no ar a dúvida que o tempo nunca esclarece?

Campeão das Províncias (12/09/2013)  

Edição em PDF do semanário Campeão das Províncias n.º 689, publicado a 12/09/2013