Page 1

31649

Convida a visitar a Freguesia e a visitar a Poutena por altura do Campeonato Nacional Supercross Noturno a 4 de Agosto pelas 19h. NĂŁo perca!

31670

Pacocal

G R U P O POSTO ABASTECEDOR DE COMBUSTĂ?VEIS DA CATRAIA, LDA

Do passado, a caminho do futuro. Sempre a pensar no bem-estar dos Clientes. 31761

Catraia de S. Paio - Apartado 9 3400-909 Oliveira do Hospital Telef.: 238 600 490 - Fax: 238 600 499

PREÇO 0,75\ | 2ª SÉRIE | ANO 13 | Nº 635 | 02 AGOSTO DE 2012 DIREC DIRECTOR LINA VINHAL | www.campeaoprovincias.com | telef. 239 497 750 | fax 239 497 759

Sindicalismo com IndependĂŞncia

Campanha de VerĂŁo 239 825 702 - 938 498 007 Surge em Coimbra movimento cĂ­vico e polĂ­tico

Continua na pĂĄgina 22

Mudar o regime

O nosso Jornal interrompe a sua publicação por duas semanas, durante o mês de Agosto. Regressamos com a edição do dia 23 e renovada energia. Aos nossos leitores, assinantes, anunciantes, colaboradores e amigos em geral, desejamos boas fÊrias!

O local onde tudo acontece...

9LVLWHDSUDLDĂ€XYLDOGD 6UDGD*UDoDHR3DUTXH GH &DPSLVPR DPERV FRP VHQVtYHLV PHOKRUDPHQWRVSDUDXVXIUXLU GHPRPHQWRVGHOD]HU

O movimento cĂ­vico que estĂĄ a nascer em Coimbra, por iniciativa $SURYHLWHWDPEpPSDUD e liderança de Jaime Ramos, o inconformado ex-governador civil YLVLWDUD)UHJXHVLDSRURFDVLmRGRVIHVWHMRV em tempos demitido por Dias Loureiro (entĂŁo ministro da AdmiGD3DGURHLUD nistração Interna nos Governos de Cavaco Silva) propĂľe-se mudar Âł1266$65$'262&2552´ o regime por considerar que o modelo polĂ­tico vigente atingiu GHDGH$JRVWR os seus limites do tolerĂĄvel. Tem igualmente outros propĂłsitos HD0RVWUDGH$UWHVDQDWR assumidos e descritos no Manifesto que publicamos nas pĂĄginas www.junta-serpins.pt | junta.serpins@sapo.pt 20 e 21. Nas reuniĂľes pĂşblicas jĂĄ havidas esses mesmos ideais foram reafirmados mas aquĂŠm e alĂŠm surgiram alguns laivos de intervenção a fazerem lembrar os tempos do PRD que tambĂŠm surgiu sob o manto da inocĂŞncia e cedo se deixou deslumbrar pelo poder, morrendo pouco depois. A expectativa maior reside precisamente aqui: serĂĄ o “Ideais do Centroâ€?mais do mesmo ou terĂĄ garra e bom senso para se nĂŁo deixar instrumentalizar em mais uma tentativa de acesso ao poder? PĂĄgina 3

Vidas (d)escritas

CampeĂŁo regressa a 23 de Agosto

AGOSTO SĂ B. 04 Red Green and Blues DOM. 05 Actores Intrusos + Dito e Feito SĂ B. 11 Feira do PĂŁo e do Mel DOM. 12 Fonte da Pipa SĂ B. 18 UC Band DOM. 19 DixcartĂĄvel

31768

Queria começar por agradecer a Ricardo Lopes o artigo denominado “Coimbra possidĂłniaâ€? que publicou no CampeĂŁo das ProvĂ­ncias. Esse texto vai permitir-me esclarecer o que eu disse na entrevista que refere e lhe serve de leit motiv, pois se ele – especialmente preparado para perceber – nĂŁo me entendeu, seguramente que muitos outros tambĂŠm nĂŁo, porque me nĂŁo consegui exprimir bem. Para poupar o precioso espaço do MRUQDOGLUHLGHIRUPDVLPSOLÂżFDGD Para mim Coimbra ĂŠ o contrĂĄrio de uma cidade “possidĂłniaâ€?. É uma cidade com as virtudes e os defeitos de uma velha cidade “aristocrĂĄticaâ€?. E nĂŁo gosto de cidades possidĂłnias. Mas gosto muito de Coimbra. Usei esse paradigma provocatĂłrio para concluir que Coimbra nĂŁo dĂĄ Ă promoção a prioridade que no mundo PRGHUQRpHVVHQFLDO(DFKRTXHXPD

O PROGRAMA QUE VAI AGITAR O VERĂƒO

31643

JOSÉ MIGUEL JÚDICE

VILA TERMAL DE LUSO

Certame dura atĂŠ domingo

Manuel AntĂłnio

Ultrapassar limites pode “matarâ€? o SNS O mĂŠdico Manuel AntĂłnio, presidente do IPO de Coimbra, recomenda atitude disciplinada e rigor de trabalho, para reabilitar o Serviço Nacional de SaĂşde (SNS). PĂĄgina 5

Público adere em força à Expofacic Påginas 9 a 16

30936

Coimbra (nĂŁo ĂŠ) possidĂłnia

31693

Na compra de lentes progressivas brancas,, oferta das lentes graduadas para Ăłculos de sol

PUBLICIDADE

31316

31317

30965

MERCEDES BENZ SLK 200 KOMPRES KOMPRESSOR

111sport@sapo.pt | www.111sport.pt Quimbres - Coimbra Telem.: 910 240 856 | 967 125 501

31203


SAĂšDE

2

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Quota de mercado acima dos 60 por cento

Aumentou a venda de medicamentos genÊricos A quota de mercados dos medicamentos genÊricos ultrapassou, em Junho, os 60 por cento. Este número Ê revelado pela Associação Nacional de Farmåcias (ANF), que sublinha a diminuição da despesa do Serviço Nacional de Saúde com medicamentos no último mês, em 12,90 por cento. Segundo a ANF, o Estado gastou cerca de 94,80 milhþes de euros para pagar os medicamentos dispensados nas farmåcias. Nos primeiros seis meses de 2012, o mercado de medicamentos caiu cerca de 16,30 por cen-

to, passando a representar 216,80 milhĂľes de euros. “A despesa do Estado e dos doentes com medicamentos genĂŠricos reduziu, em Junho, de 50 para 38 milhĂľes de euros. Foi a maior queda YHULĂ€FDGDQRVSULPHLURVVHLV meses do anoâ€?, afirma a ANF. A fechar o semestre, pela primeira vez, a quota de mercado dos genĂŠricos em grupos homogĂŠneos, respeitante a unidades vendidas, ultrapassou os 5,20 milhĂľes de embalagens, para um total de 8,60 milhĂľes em grupos homogĂŠneos.

A ANF lembra que “nĂŁo hĂĄ, sobre esta matĂŠria, nenhuma guerra de nĂşmerosâ€?, pois os dados apurados sĂŁo claros e evidentes. Contudo, a associação critica aqueles que discordam da recente legislação que aprovou a prescrição por Denominação Comum Internacional [substância activa] e estĂŁo contra o direito dos doentes optarem por medicamentos genĂŠricos mais baratos, uma posição que pode levar partes interessadas a “inventar critĂŠrios ou comparar perĂ­odos diferentes conforme as conveniĂŞncias ou a requerer providĂŞncias cautelaresâ€?.

PUBLICIDADE

Ao recusar-se a participar neste diferendo, a ANF prefere sublinhar que “o mercado de genĂŠricos ĂŠ uma realidade europeia, que chegou a Portugal com muitos anos de atraso, porque alguns se opuseram a esse mercadoâ€?. “O crescimento do mercado de genĂŠricos ĂŠ uma necessidade dos paĂ­ses, dos estados e dos doentes. Esse crescimento estĂĄ ainda fortemente condicionado por patentes, que protegem os medicamentos de marca durante 20 anos, limitando a possibilidade desse crescimento aos grupos homogĂŠneos, onde existem genĂŠricosâ€?, sustenta a associação que representa as farmĂĄcias.

Prescrição dos medicamentos por substância activa permitiu ao Estado poupar cerca de 12 milhþes de euros

ResidĂŞncia de Cristo Redentor

Fundação ADFP reforça cuidados de enfermagem A Fundação de Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP) de Miranda do Corvo decidiu reforçar os cuidados de enfermagem na Residência de Cristo Redentor, equipamento de apoio à comunidade de que faz parte, tambÊm, um centro social e uma creche. Em permanência durante 24 horas, desde ontem TXH XPD HTXLSD GH SURÀVsionais assegura a prestação

de cuidados de enfermagem aos 42 utentes da instituição, dois deles com 101 anos de idade. Alojamento, alimentação, cuidados de higiene e conforto, tratamento de roupa, vigilância permanente, serviços mÊdicos com consulta de clínica geral, apoio de serviço social, reabilitação funcional H ÀVLRWHUDSLD FRQVXOWD GH psicologia clínica e animação sócio-cultural são outras

vertentes de apoio prestado pela Residência de Cristo Redentor, tutelada pela Fundação ADFP e inaugurada em Outubro de 2011. O lar de idosos tem vindo a dar resposta a vårias famílias da região. Constituído por 30 quartos duplos com casa de banho privativa, sala de actividades e convívio, biblioteca, refeitório e gabinetes tÊcnicos, dispþe, ainda, de vaga para 18 utentes.

Iniciativa promovida pela MiniSom

31858

Rastreio auditivos em Coimbra e Figueira da Foz Especialista em audição e aparelhos auditivos, a MiniSom estå a promover a realização de rastreios auditivos gratuitos, nas suas instalaçþes de Coimbra e Figueira da Foz. Esta acção decorre a partir de hoje e atÊ ao dia 07 de Agosto, entre as 09h30 e as 18h30, nos centros MiniSom. Para alÊm da possi-

bilidade de avaliarem o estado da sua audição, os participantes neste rastreio recebem um CD de Marco Paulo, habilitandose a almoçar e a conviver com o cantor, na próxima semana. Com especial incidên-

cia a partir dos 50 anos de idade, a perda auditiva ĂŠ um problema que afecta uma em cada 10 pessoas. Em Portugal, estima-se que 50 por cento dos indivĂ­duos com mais de 60 anos sofra de perda auditiva, sem estar diagnosticada ou tratada.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Dr. JosĂŠ Emilio Campos Coroa Dr.ÂŞ M.ÂŞ Helena Campos Coroa

Doenças dos Olhos | Operaçþes aos Olhos Lentes de Contacto

Acordos: CGD - ADSE - SNS (Sistema Nacional de SaĂşde)

z SAÚDE z SHST - Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho z HACCP - Higiene e Segurança Alimentar SEDE: Amieiro | 3140-021 Arazede | Telef. 239 607 393 | Fax: 239 607 470 | Tlm. 969 816 150 | e-mail: geral@peroneo.pt FILIAL: Vilarinho do Bairro | 3780-599 Anadia | Telef. 231 950 847 | Fax: 231 950 539 | Tlm. 961 444 679 | e-mail: vilarinho@peroneo.pt

5XDGD6R¿D¾'WR&RLPEUD7HOHI

z FORMAĂ‡ĂƒO z PRODUTOS

30936

CLĂ?NICA OFTALMOLĂ“GICA, LDA

ClĂ­nica OftalmolĂłgica

31036

CAMPOS COROA

ConsultĂłrios:COIMBRA - Largo da Portagem, 27 - 2.Âş - Telef.: 239 821 403 FIGUEIRA DA FOZ - Praceta D. Maria Madalena Azevedo PerdigĂŁo, n.Âş 30 Telef.: 233 423 541 | ARGANIL - Rua Dr. Veiga SimĂľes, Telem.: 935 106 927 TĂ BUA - Av. da Ribeira, Edf. Ă“mega 1, 1.Âş C - Telem.: 934 224 930 COJA - Rua Dr. Albino Figueiredo, Telem.: 935 106 928 GĂ“IS - Rua Comendador Augusto LuĂ­s Rodrigues Telem.: 934 225 140 PAMPILHOSA DA SERRA - Rua Rangel Lima Telem.: 935 106 935


02

QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

3

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

,GHDLVGR&HQWURWHPDVXDJpQHVHHP&RLPEUD

MetroMondego

-DLPH5DPRVLPSXOVLRQDPRYLPHQWR FRPDVSLUDo}HVGHPXGDURUHJLPH

Eleição de órgãos sociais ´DWLUDGDµSDUDRÀPGH$JRVWR

2 PRYLPHQWR GH FLGDGmRV,GHDLVGR&HQWURGRTXDO pSULPHLURVLJQDWiULRHLPSXOVLRQDGRURPpGLFR-DLPH5Dmos, começa a ganhar forma HPDLRUVXEVWkQFLDDÀUPDQGR D LPSHULRVD QHFHVVLGDGH GH discutir ideais, afrontar poderes, mudar o regime e salvar a Democracia ´2UHJLPHGHYHVHUXP PRGHOR XP H[HPSOR ,VVR QmRDFRQWHFH2TXHWHPRV DWLQJLXROLPLWHGDTXLORTXHp WROHUiYHOSDUDDVRFLHGDGHSRUWXJXHVD7HPGHPXGDUSDUD TXHÀTXHPHOKRURSDtVHRV SRUWXJXHVHVµDUJXPHQWDH[ JRYHUQDGRUFLYLOGH&RLPEUD DQWLJRSUHVLGHQWHGD&kPDUD 0XQLFLSDO GH 0LUDQGD GR &RUYRHH[GHSXWDGR 2 TXH p SRU RUD XP JUXSRDODUJDGRGHGLVFXVVmRH LQWHUYHQomRFtYLFDGHYHUiVHU GRWDGRGHOHJLWLPDomRMXUtGLFD HP2XWXEURPHGLDQWHDFULDomRGHXPDDVVRFLDomRSROtWLFD -DLPH5DPRVQmRGHVFDUWD DKLSyWHVHGHDSDUWLUGHVWH PRYLPHQWR FtYLFR YLU D VHU FULDGR XP SDUWLGR RX GH R PHVPRVHUYLUGHEDVHGHDSRLR DXPDFDQGLGDWXUDSUHVLGHQFLDOFRQWXGRJDUDQWHTXHHVVH QmRpRREMHFWLYR ´+iGHQWURGRPRYLPHQWRTXHPGHIHQGDTXHVHGHYH JHUDUXPSDUWLGRHKiTXHP SHQVH QD SRVVLELOLGDGH GH LQWHUYHQomRSROtWLFDQDHOHLomR GR3UHVLGHQWHGD5HS~EOLFDµ DGPLWLXRH[DXWDUFD $IDVWDGRHVWiSRUpPR HYHQWXDO DSRLR RX HQYROYLPHQWRGRPRYLPHQWRQXPD FDQGLGDWXUDjVHOHLo}HVDXWiUTXLFDV1mRYHQGRTXDOTXHU YDQWDJHPQHVVHFHQiULR-DLPH 5DPRV FRQVLGHUD TXH LVVR VHULDHQYROYHUVHQRVLVWHPD TXDQGRSHORFRQWUiULRRTXH RPRYLPHQWR,GHDLVGR&HQ-

“O regime deve ser um modelo, um exemplo. Isso não acontece.” WURSUHWHQGHpPXGDURDFWXDO SDUDGLJPDSROtWLFR ,QWHQFLRQDOPHQWH D LQFOXVmR GD SDODYUD ´&HQWURµ QDGHVLJQDomRGRPRYLPHQWR pXPDIRUPDGHRDVVRFLDUj UHJLmR RQGH R PHVPR WHP D VXD JpQHVH PDV WDPEpP EDOL]DQGRR SROLWLFDPHQWH FRPRVHQGRFDSD]GHDFROKHU RV FRQWULEXWRV TXH SRVVDP VXUJLUj'LUHLWDHj(VTXHUGD ´&RLPEUD GHYH XVDU R VHXSUHVWtJLRHPDVVDFUtWLFD SDUD JHUDU XP PRYLPHQWR FtYLFRGHPXGDQoDGRUHJLPHµ SRUTXHVXVWHQWD-DLPH5DPRV ´RIXWXURGH3RUWXJDOH[LJHR UHVSHLWRSRUYDORUHVHSULQFtSLRVTXHVHDVVXPDPDFLPDGH WiFWLFDVHHVWUDWpJLDVGHJUXSRV HFRQyPLFRVRXSDUWLGiULRVµ 2 GLDJQyVWLFR WUDoDGR SHOR PRYLPHQWR ,GHDLV GR &HQWUR p SRXFR DQLPDGRU ´3RUWXJDODOLHQRXDVREHUDQLD SDUDWHUDFHVVRDHPSUpVWLPRV LQWHUQDFLRQDLV DV GHVLJXDOGDGHV VRFLDLV DJUDYDPVH R FDSLWDO DVVHJXUD OXFURV H RV WUDEDOKDGRUHVSHUGHPSRGHU

GHFRPSUDDVHOLWHVUHYHODP VHPRUDOPHQWHLQGLJHQWHVD -XVWLoDDVVHPHOKDVHDXPMRJR GHUROHWDRQGHRVGRQRVGR FDVLQRJDQKDPVHPSUHRWHUULWyULRQDFLRQDOGHVHUWLÀFDVH FUHVFHDLQVHJXUDQoDHRPHGR D'HPRFUDFLDHVWiFDSWXUDGD SRUDSDUHOKRVSDUWLGiULRVGR SRGHUHGDRSRVLomRIHLWRUHV GRV LQWHUHVVHV ILQDQFHLURVµ SRGHOHUVHQRPDQLIHVWRGLVWULEXtGR HP GXDV UHXQL}HV UHDOL]DGDVHP&RLPEUD>SXEOLFDGR LQWHJUDOPHQWH QDV SiJLQDVH@ ´0DLV/LEHUGDGHPHOKRU 'HPRFUDFLD PHQRU GHVLJXDOGDGH H GLJQLILFDomR GD -XVWLoDµVmRTXDWURLGHDLVTXH RPRYLPHQWRDGYRJDHTXH QDRSLQLmRGRVHXSURPRWRU SRGHP´JDUDQWLUXPDOyJLFD GHHYROXomRGRSDtVµ 3DUDFRPEDWHUDFULVHDFWXDOpIXQGDPHQWDO´DXPHQWDU DQDWDOLGDGHDSRLDUDVIDPtOLDV H HYLWDU R HQYHOKHFLPHQWR SRSXODFLRQDOµVXVWHQWD-DLPH 5DPRV 'H LJXDO IRUPD D HVWD

FDXVD MXQWDVH D LPSHULRVD QHFHVVLGDGHGH´HYLWDURGHVSRYRDPHQWRGRWHUULWyULRHDV DVVLPHWULDVHQWUHR/LWRUDOHR ,QWHULRUFULDUULTXH]DPHOKRUDUDGtYLGDH[WHUQDUHVJDWDU D LQGHSHQGrQFLD QDFLRQDO H JDUDQWLU XP (VWDGR IRUWH SURPRWRUGHULTXH]DHFRP YLVmRGHORQJRSUD]Rµ 2 SRUWDYR] GR PRYLPHQWR,GHDLVGR&HQWURDXWRU GROLYUR´1mR%DVWD0XGDU DV0RVFDVµFXMRDQWHWtWXORp ´/LVERDDPDQWHFDUDGHXP SDtVSREUHµDWULEXLSDUWHGDV FXOSDVGRHVWDGRGD1DomRDR FHQWUDOLVPRTXHVHYHULÀFRX HP3RUWXJDOQD~OWLPDGpFDGD ´$FDSLWDOSROtWLFDWHPGH VDLUGH/LVERDHRVyUJmRVGR 3RGHUGHYHPVHUGHVFRQFHQWUDGRVSRUYiULDVFLGDGHV2 TXHWHPRVpXPPRGHORXOWUDSDVVDGRTXHHPQDGDIRPHQWD RV (VWDGRV GHVHQYROYLGRVµ DGYHUWH-DLPH5DPRV 3RU RUD R PRYLPHQWR GHFLGDGmRVHVWiDSUHSDUDUD UHDOL]DomRGHGHEDWHVVREUHD QDWDOLGDGHHRDGHVHUWLÀFDomR GXDVFDXVDVTXHDVVXPHFRPR IXOFUDLV QR SODQR GH DFomR SDUDLQYHUWHURFDPLQKRGH UHWURFHVVRFLYLOL]DFLRQDOTXH 3RUWXJDOWHPYLQGRDWULOKDU $WpDRÀQDOGH6HWHPEUR GHYHUiDFRQWHFHUHP/HLULD RHQFRQWURWHQGHQWHjSUHSDUDomRGDFRQVWLWXLomRS~EOLFD GR ,GHLDV GR &HQWUR FRPR DVVRFLDomRSROtWLFD 'HSRLVGHXPDSULPHLUDUHXQLmRTXHMXQWRXFHUFD GHSHVVRDVQRKRWHOGH '/XtVDVHJXQGDDSUHVHQWDomR DRV MRUQDOLVWDV HP FRQIHUrQFLD GH LPSUHQVD FRQWRXFRPDSUHVHQoDGR SURIHVVRU H LQYHVWLJDGRU FRQLPEULFHQVH $QWyQLR 4XHLUyVHDPERVGH/HLULD GRDGYRJDGR$UQDOGR5HEHORHGRPpGLFR&kQGLGR )HUUHLUD

Lousã

Construção de nova escola GHL[DGDDPHLRSRUWUrVYH]HV G. B.

A construtora Alberto 9DVFRDTXHPHVWDYDFRQÀDGD DREUDGD(VFROD%iVLFD,QWHJUDGD (%, GD/RXVmSHGLX LQVROYrQFLD H GHVSHGLX  WUDEDOKDGRUHVTXHODERUDYDP HPYiULDVHPSUHLWDGDV$HPSUHVDDLQGDOLTXLGRXRVVDOiULRV UHIHUHQWHVDRPrVGH-XQKR PDVDEDQGRQRXRVWUDEDOKRV DOHJDQGRGLÀFXOGDGHVÀQDQFHLUDVDSXURXR´&DPSHmRµ +i FHUFD GH XP DQR D

HPSUHVD VHGLDGD QD /RXVm IRLFRQWUDWDGDSDUDFRQFOXLU D REUD GHSRLV GH D 3DVROLV ²(PSUHLWDGDVH2EUDV3~EOLFDVGR/LVWHULJXDOPHQWH DYDQoDGRFRPXPSURFHVVR GHLQVROYrQFLD $REUDIRLLQLFLDGDSHOD FRQVWUXWRUD-RVp)UDQoDHPSUHVDTXHJDQKRXRFRQFXUVR S~EOLFR &RQWXGR GHYLGR D SUREOHPDV ILQDQFHLURV HVWD LQWHUURPSHX D HPSUHLWDGD QRLQtFLRGHWHQGRVLGR VXEVWLWXtGDSHOD3DVROLV

$$OEHUWR9DVFR6$IRL DWHUFHLUDVRFLHGDGHDSHJDU QRV WUDEDOKRV $TXDQGR GD FRQWUDWDomRGRVHJXQGRHPSUHLWHLURD&kPDUDGD/RXVm SDVVRXDVHUDGRQDGDREUD LQLFLDOPHQWHGHWLGDSHOD'LUHFomR5HJLRQDOGH(GXFDomR GR&HQWUR $FRQVWUXomRGD(%,GD /RXVmUHSUHVHQWDXPLQYHVWLPHQWR GH TXDWUR PLOK}HV GH HXURV DVVXPLGRV SHOR 0XQLFtSLRHSHORPLQLVWpULR GD(GXFDomR

$ DJXDUGDU R GHVIHFKR GRSURFHVVRGHLQVROYrQFLD /XtV$QWXQHVSUHVLGHQWHGD HGLOLGDGHDÀUPRXDRQRVVR -RUQDOTXHHVWmRDVHUIHLWDV DV GLOLJrQFLDV SRVVtYHLV SDUD TXH RV WUDEDOKRV SRVVDP VHU UHWRPDGRV H QmR VHMDP FRPSURPHWLGRV RV SUD]RV GH H[HFXomR GR SURMHFWR &RQWXGRRDXWDUFDDGPLWLX TXHSURYDYHOPHQWHRQRYR HTXLSDPHQWRVyGHYHUiYLUD VHUXWLOL]DGRQRDQROHFWLYRGH 

G. B.

$HOHLomRGRVyUJmRVVRFLDLVHDDOWHUDomRGHXPGRV DUWLJRVGRVHVWDWXWRVWHQGHQWHjUHGXomRGRQ~PHURGH PHPEURVGRFRQVHOKRGHDGPLQLVWUDomR &$ SRQWRVTXH FRQVWDYDPQDRUGHPGHWUDEDOKRVGDUHXQLmRGHDFFLRQLVWDV GDVRFLHGDGH0HWUR0RQGHJR 00 DJHQGDGDSDUDD~OWLPD VHPDQDVyGHYHPVHUWUDWDGRV QD DVVHPEOHLDJHUDO TXH VH UHDOL]DUiDGH$JRVWR $SHGLGRGR(VWDGRDWUDYpVGRVHXUHSUHVHQWDQWHR HQFRQWURWHUPLQRXVHPTXH IRVVH WUDWDGR TXDOTXHU GRV DVVXQWRVSUHYLVWRV &RQYRFDGD SHOR ILVFDO ~QLFRGD00QDVHTXrQFLDGD UHQ~QFLDDRVFDUJRVGHWRGRV RVDGPLQLVWUDGRUHVH[HFXWLYRV HQmRH[HFXWLYRVDDVVHPEOHLD JHUDO H[WUDRUGLQiULD TXH VH UHDOL]RXQRGLDGH-XQKR WLQKDSRUREMHFWLYRSURFHGHU DDOWHUDomRDRDUWLJRžGRV HVWDWXWRVYLVDQGRDUHGXomR GRQ~PHURGHHOHPHQWRVGR &$ ² GH VHWH SDUD WUrV ² H DWULEXLQGRDSHQDVDXPGHOHV RVSRGHUHVH[HFXWLYRVQRPHDGDPHQWHDJHVWmRFRUUHQWHGD VRFLHGDGHHRXWURVSRGHUHVH FRPSHWrQFLDVTXHYHQKDPD VHUDSURYDGDV $HOHLomRGRVyUJmRVVRFLDLVHVVHQFLDOSDUDTXHKDMD DYDQoRV QR SURFHVVR HUD R VHJXQGRSRQWRGDRUGHPGH WUDEDOKRVTXHDFDERXSRUQmR VHFXPSULU 3DUDRSUHVLGHQWHGD&kPDUDGH&RLPEUD-RmR3DXOR %DUERVDGH0HORWUDWRXVHGH ´XPDUHXQLmRVHPGHVIHFKRµ SRUTXDQWRR(VWDGRDFFLRQLVWD PDLRULWiULRGDHPSUHVDGHFDSLWDLVH[FOXVLYDPHQWHS~EOLFRV SHGLXDPDUFDomRGHXPDQRYD $*SDUDGDUFRQWLQXLGDGHDRV WUDEDOKRVHSURFHGHUjHOHLomR GRVyUJmRVVRFLDLVFXMDFRPSRVLomRHVWDUiDVHUXOWLPDGDH WHPGHVHUYDOLGDGD´SRUXPD FRPLVVmRGHViELRVTXHWHP GHGDURVHXSDUHFHUVREUHRV QRPHVµ &RPPRGHUDGRRSWLPLVPR R DXWDUFD GH &RLPEUD

HVSHUD´SDVVDUGHXPDVLWXDomRHPTXHQmRFLUFXODFRLVD QHQKXPDHRQGHMiVHJDVWRX  PLOK}HV GH HXURV SDUD DOJRRQGHFLUFXOHÀQDOPHQWH WUDQVSRUWHS~EOLFRµ ´)LFDWXGRHPVXVSHQVR FRPRWHPHVWDGRRSURMHFWR LQIHOL]PHQWHµGLVVHDRQRVVR -RUQDORSUHVLGHQWHGD&kPDUD 0XQLFLSDOGD/RXVmjVDtGDGR HQFRQWUR /XtV $QWXQHV ILFRX GHVDJUDGDGRTXHR(VWDGRQmR WHQKD FXPSULGR DTXLOR TXH DVVXPLXSHUDQWHRVDXWDUFDV QRPHDGDPHQWH R LQGLFDU H UHJXODUL]DUGDFRPSRVLomRGRV yUJmRVVRFLDLVGD00 1DRSLQLmRGRDXWDUFDGD /RXVmHVWHDGLDPHQWR´pODPHQWiYHOGDGRRKLVWyULFRGH WRGRRSURFHVVRHDUHODomR FRPRVSUySULRVFLGDGmRVH FRPRVXWHQWHVGHVWHVHUYLoRµ $UD]mRGRDGLDPHQWRVROLFLWDGRSHOR(VWDGRSUHQGHVH FRPRIDFWRGHRVQRPHVSURSRVWRVSDUDLQWHJUDUDIXWXUDDGPLQLVWUDomRGDHPSUHVDDLQGD QmRWHUHPVLGRDSUHFLDGRVSHOD &RPLVVmRGH5HFUXWDPHQWRH 6HOHFomRSDUDD$GPLQLVWUDomR 3~EOLFDTXHWHPGHYDOLGDUDV HVFROKDVIHLWDV $(VWDGRTXHUJDUDQWLUTXH RVQRPHVLQGLFDGRVDOpPGH FRQVHQVXDLVHQWUHRVYiULRVDFFLRQLVWDVSDVVDPQRHVFUXWtQLR GD&RPLVVmRSUHVLGLGDSRU-RmR %LOKLP HYLWDQGR REMHFo}HV semelhantes às que ocorreram, recentemente, com a nomeDomRGDHTXLSDGD0HWURGR 3RUWR 2FDSLWDOVRFLDOGD00p PDLRULWDULDPHQWHGHWLGRSHOR (VWDGR SRUFHQWR FDEHQGR SRUFHQWRjVFkPDUDVPXQLFLSDLVGH&RLPEUD/RXVmH0LUDQGDGR&RUYR SRUFHQWRD FDGDXPD SRUFHQWRj&3 HSRUFHQWRj5HIHU -RmR5HEHORDQWLJRYLFH SUHVLGHQWHGD&kPDUD0XQLFLSDOGH&RLPEUDHH[DGPLQLVWUDGRUH[HFXWLYRGDVRFLHGDGH 00pRQRPHPDLVIDODGR SDUDYLUDDVVXPLUDSUHVLGrQFLD GR&$HRFDUJRGHDGPLQLVWUDGRU H[HFXWLYR DSXURX R ´&DPSHmRµ

PUBLICIDADE

30701

G. B.


ACTUALIDADE

4

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Serpins

Vilarinho do Bairro, Anadia

MĂşsica e artesanato animam localidade durante quatro dias

Festa do supercross em Poutena este sĂĄbado

As festas populares em honra de Nossa Senhora do Socorro animam, a partir de amanhã e atÊ segunda-feira, a localidade de Serpins, Lousã. As festividades que celebram a padroeira de Serpins decorrem no Cabeço da Igreja. Este ano, mais uma vez, realiza-se em simultâneo a feira de artesanato. As festas arrancam amanhã, dia 3, às 18h00 com a abertura da quermesse, seguindo-se uma hora depois a abertura da feira de artesanato. Às 20h30 Ê servida uma arrozada, gratuita, a todas as pessoas, sendo

necessårio levar apenas os talheres. Às 22h00, actua o conjunto típico Cheiros do Sul. No såbado, dia 4, o destaque vai para os Gaiteiros de Penacova que vão percorrer as ruas da localidade e para a eucaristia, às 20h00, na Igreja de Serpins. Às 22h30 sobe ao palco o grupo NGK e a partir das 01h30 o DJ Tuk’s. No domingo, dia 5, a Filarmónica de Serpins vai animar as ruas de Serpins logo pela manhã. A abertura da feira Ê às 15h30, sendo que meia hora depois realiza-se uma eucaristia na

A prĂłxima prova do Campeonato Nacional de Supercross vai decorrer, a Igreja. A partir das 16h30 a uma remodelação ocorri- partir das 19h00, no prĂłximo actua o Rancho FolclĂłrico da na segunda metade do sĂĄbado, dia 4 de Agosto, na de Serpins no recinto das sĂŠculo XVIII. EstĂĄ situada localidade da Poutena, freIHVWDV­QRLWHREDLOHĂ€FD na margem esquerda do rio guesia de Vilarinho do Bairro, por conta do trio Alta Vol- Ceira, como que isolada da Anadia. Segundo o presidente tagem. população, que se encontra, No Ăşltimo dia das fes- na sua grande maioria, na da Junta de Freguesia de tas, dia 6, o destaque vai, Ă margem direita. A fachada Vilarinho do Bairro, MĂĄrio tarde, para o espectĂĄculo do ĂŠ simples, de terminação Heleno, a modalidade tem Rancho Infantil de Serpins triangular, com um janelĂŁo muita tradição na regiĂŁo e e, ao jantar, para o porco no superior sobrepujado por costuma atrair milhares de espeto e sardinhada, gratui- um pequeno nicho, e com pessoas. “Esta ĂŠ a Ăşnica tos. As festas encerram ao XPSRUWDORQGHHVWiDĂ€JXUD prova de supercross nocsom do grupo RouxinĂłis de Cristo majestoso, sentado turna da regiĂŁo que conta do Ceira. num trono. Destaque tam- para o campeonato nacioA Igreja Paroquial de bĂŠm para as duas pontes, a nalâ€?, comentou o autarca, Serpins ĂŠ dedicada a Nossa Ponte velha, do sĂŠculo XIV, adiantando que a exibição Senhora do Socorro, patro- e a Ponte Nova, do sĂŠculo deverĂĄ durar atĂŠ perto da na da freguesia, e apresenta XVII, como sĂŁo conhecidas meia-noite. A primeira parte da prova ĂŠ composta um agradĂĄvel aspecto graças na regiĂŁo.

por treinos, seguindo-se a competição propriamente dita. A prova vai decorrer na pista do Areeiro. Os bilhetes custam dez euros, sendo que as crianças pagam metade deste valor. Menores de 12 anos têm acesso gratuito. A prova Ê organizada pelo Centro Cultural e Recreativo da Poutena. O Supercross da Poutena WHPSHUJDPLQKRVGHVGHÀQDLV dos anos oitenta. Ganhar na pista bairradina constitui marco simbólico no palmarÊs de qualquer piloto. Poutena estå localizada a apenas dez quilómetros de Anadia e tem uma das mais antigas pistas nacionais de Supercross.

RIBEIRA DE FRADES De 14 a 18 de Agosto

Festas com 600 anos a N.ÂŞ S.ÂŞ da NazarĂŠ As festas em honra de Nossa Senhora de NazarĂŠ, em Ribeira de Frades, no concelho

de Coimbra, nasceram da visita anual dos frades CrĂşzios Ă s suas terras e terĂĄ mais de 600 anos.

53

31818

PUBLICIDADE

$GLJQLĂ€FDU&RLPEUD QRSDtVHQRHVWUDQJHLUR

NIQUELAGEM - CROMAGEM - COBREAGEM SERRALHARIA CIVIL - SOLDADURAS - TORNEARIA MECĂ‚NICA DESEMPENO DE JANTES DE FERRO E ALUMĂ?NIO Rua Alto da Relvinha, 6 - 3025-028 COIMBRA - Tlf. e Fax: 239 825 294 cromagemavenida@gmail.com

Terão sido estas visitas dos frades àquelas terras da margem esquerda a gerar a tradição do cortejo entre a Igreja de Santa Cruz - de onde saíam os frades e onde estå, durante todo o ano, o Círio de Nossa Senhora da NazarÊ - e Ribeira de Frades Este ano os festejos realizam-se de 14 a 18 de Agosto, com o programa do primeiro dia a iniciar-se, pelas 09h00, com a missa e uma arruada pelo grupo de gaiteiros Boinas

Pretas. Às 21h00 decorrerå a celebração da palavra, na capela de N.ª S.ª da NazarÊ, seguindose a procissão para a Igreja Matriz, com a noite a terminar com a actuação de Rui Saraiva, a partir das 22h00. No feriado, dia 15, o Círio de N.ª S.ª da NazarÊ sairå, pelas 08h30, da Igreja de Santa Cruz, em Coimbra, com destino a Ribeira de Frades, onde chegarå pelas 13h00 à Igreja Matriz. A missa sole-

ne serĂĄ celebrada Ă s 16h00, seguindo-se a procissĂŁo, pelas 17h00, e o regresso do CĂ­rio Ă  Igreja de Santa Cruz, pelas 19h00. O programa deste dia inclui, a partir das 09h00, uma arruada pela FilarmĂłnica UniĂŁo Taveirense, baile com o conjunto Kremlin (22h00) e a actuação do “Rouxinol Fadunchoâ€? (00h00). O programa do dia 16 tem a arruada pelos gaiteiros Boinas Pretas (09h00), eucaristia

(21h00) e procissĂŁo nocturna de regresso da imagem de N.ÂŞ S.ÂŞ da NazarĂŠ Ă capela, assim como, a partir das 22h00, karaoke e festa da espuma com um disc-jokey. No dia 17 haverĂĄ baile, pelas 22h00, com o grupo MinistĂŠrio, enquanto o Ăşltimo dia da festa, 18 de Agosto, o baile serĂĄ animado pelo grupo MariSamba e, Ă  meia-noite, actuarĂĄ o artista Marcus e as suas bailarinas.

GĂ“IS FACIG realiza-se de 09 a 13 de Agosto

Certame pretende mostrar dinâmica das gentes do concelho A XX Feira Agrícola, Comercial e Industrial de Góis (FACIG) decorre entre os dias 09 e 13 de Agosto, no Parque de Lazer do Baião. O certame insere-se nas festas do MuQLFtSLRHSUHWHQGHDÀUPDUVH como um evento de referência, contribuindo para promover os produtos, serviços e projectos das instituiçþes, empresas e comerciantes do concelho.

Organizado pela edilidade e por uma comissão criada para o efeito, a FACIG integra um programa cultural diversificado, que pretende dar ainda maior valor a um evento que completa, este ano, a sua vigÊsima edição. Para alÊm da promoção do concelho junto daqueles que o visitam por estes dias, o certame visa congregar o esforço de todos numa tentativa de

contrariar o clima de desconWHQWDPHQWRHGHGLĂ€FXOGDGHV que tem vindo a fazer-se sentir. “O ditado diz que a uniĂŁo faz a força, este poderĂĄ ser o mote para fazer desta FACIG a maior representação empresarial de sempreâ€?, sustenta o MunicĂ­pio, no convite endereçado aos potenciais expositores. Liderado pela autarca socialista Lurdes Castanheira, o

MunicĂ­pio considera que “a participação de todos ĂŠ determinante nĂŁo sĂł para o sucesso do evento, como tambĂŠm para o progresso da regiĂŁo da Beira Serra, para que todo o pĂşblico conheça o que de melhor se faz local e regionalmenteâ€?. A edição 2012 da FACIG, bem como o programa cultural inerente, sĂŁo apresentados ao pĂşblico amanhĂŁ, sexta-feira, no

AgĂŞncia FunerĂĄria Goiense, Lda.

Fabrico de Abat-jours

‡6HUYLoR3HUPDQHQWH‡7UDWDGHWRGDD'RFXPHQWDomR

Zona Industrial, PĂłlo 2 - Apartado 10 - 3330 GĂłis - Telef.: 235 778 702 Fax: 235 778 612 - Telem.: 966 026 823 - Email: geral@vicentevicente.com

31616

www.vicentevicente.com

GerĂŞncia: Tiago Barata

Rua Sto. AntĂłnio, n.Âş 7 - 3330-324 GĂłis Telem.: 917 012 739 - goiensefuneraria@hotmail.com

31628

PUBLICIDADE

bar/esplanada de PÊ Escuro (11h00). São cabeças-de-cartazos Morango Tango e Manuel Melo (dia 10), The Gift (dia 11) e Leandro (dia 13). Dando lugar de relevo ao artesanato, à gastronomia, ao comÊrcio e indústria do concelho e da região, a FACIG integra, para alÊm dos expositores e taquinhas, um espaço de parque aventura e um conjunto de iniciativas de cariz cultural. Seminårios, tertúlias, colóquios, animação de rua, concertos, XPDPRVWUDHWQRJUiÀFDSURvas de degustação e actividades desportivas diversas fazem parte do programa preparado pela organização. No parque do Baião, onde este evento decorre, hå um palco para grandes concertos, ou-

tro para a actuação dos grupos de mÊdia dimensão e ranchos HWQRJUiÀFRVHXPWHUFHLURSDUD pequenas animaçþes, que serå instalado na proximidade da zona reservada aos expositores, assegurando, desta forma, uma animação permanente daquele espaço. Na realização da FACIG 2012, o Município de Góis conta com o apoio e parceria de vårias instituiçþes do concelho, nomeadamente, os ranchos e juntas de freguesia do concelho, a Associação de Juventude de Góis, a Associação Educativa e Recreativa de Góis, a Associação de Desenvolvimento Integrado da Beira Serra (ADIBER), o Góis Moto Clube e a Lousitânea – Liga dos Amigos da Serra da Lousã.


02

QUINTA-FEIRA

VIDAS (D)ESCRITAS

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

5

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Manuel AntĂłnio

“Gastar nĂŁo pode ser sinĂłnimo de desperdiçarâ€? GERALDO BARROS

“Nunca quis contrariar o destino. As portas abriram-se, naturalmente. Tive sempre em conta o passo que ia dar a seJXLUHĂ€]SRUQXQFDPH]DQJDU com a vida. É verdade que vou tendo algumas mazelas mas isso ĂŠ positivo. Procuro nĂŁo ter nem rancores nem mĂĄgoas e trabalhar, com calma. E assim vĂŁo-se conseguindo alguns bons resultados. O meu percurso futebolĂ­stico começou nos juniores do Tirsense e, depois, na equipa sĂŠnior. Por essa altura, surgiu o convite da AcadĂŠmica, por quem assinei contrato, em 1964. Fiz uns golos e a ĂŠpoca atĂŠ nem deve ter corrido mal porque acabei por ser convidado pelos trĂŞs grandes. Embora em minha FDVDIRVVHPWRGRVEHQĂ€TXLVWDV dada a proximidade com Santo Tirso e convidado pelo Pedroto, optei pelo Futebol Clube do Porto, onde estive trĂŞs anos. Entretanto, resolvi vir para Coimbra porque queria tirar o curso de Medicina. Assim foi, tal como tinha planeado e sem sobressaltos. A verdade ĂŠ que poderia ter sido tudo muito diferente. Se o presidente do Porto, Pinto MagalhĂŁes, me tivesse contrariado, certamente, nĂŁo teria vindo para a AcadĂŠmica nem tirado o curso de MediciQD3URYDYHOPHQWHĂ€FDULDSHOR 1RUWHDMRJDUIXWHEROSURĂ€Vsional ou, quem sabe, teria ido jogar para Espanha, de onde surgiram convites. A minha melhor ĂŠpoca, na AcadĂŠmica, foi em 1968/69. Ganhei a %RODGH3UDWDHHVWLYHQDĂ€QDO da Taça de Portugal, no Jamor. AlĂŠm disso, fui internacional e Ă€]TXDWURMRJRVSHODVHOHFomR portuguesa. Foram momentos marcantes e hĂĄ um episĂłdio – entre muitos – de que me recordo muito bem. A selecção portuguesa foi jogar contra a Inglaterra, em Wembley, onde perdemos por 1-0. Ao chegar-

ndres, apareceu mos a Londres, e de fazer. Todos cumtem p m, todos colaboram pre prem, ente a rodear muita gente e a maioria ĂŠ excelente. oneta. Uma a camioneta. Eu limito-me a dar o enorme de d confusĂŁo as orientaçþes e topessoas,, gente que dos compreendem. queria verr o EusĂŠbio, a Apesar de n estrela e o craque inuma ou l.... mas discutĂ­vel.... outra ele nĂŁo tinha excepim ido. Assim ção, hĂĄ eque souberigor, ram quee eficio EusĂŠ-ĂŞn ĂŞnbio nĂŁo e s t ava foramse todos embora e nĂŁo nos ligaram nenhum. IPO de Coimbra â€œĂŠ uma casa equilibradaâ€? Enfim, foi uma situação caricata, que deu cia e excelĂŞncia. Toda a gente contribui para o mesmo obpara nos rirmos bastante. Voltando aos tempos da jectivo e ĂŠ por isso que o IPO faculdade, quando terminĂĄva- de Coimbra ĂŠ reconhecido PRVRFXUVRKDYLDGLĂ€FXOGDGH pela Organização Europeia em entrar numa especialidade. de Institutos de Cancro e pelo TĂ­nhamos o serviço mĂŠdi- Caspe Healthcare Knowledge co Ă periferia, para onde nos Systems, entre outros. Sou mandavam. Eram zonas mais suspeito para falar sobre a GHĂ€FLWiULDVHPWHUPRVGHPp- qualidade do serviço, mas ĂŠ dicos e nĂłs estĂĄvamos lĂĄ, mas reconhecida e, indiscutivelmennĂŁo sabĂ­amos qual era o futuro te, muito boa. NĂŁo fazemos o da nossa carreira. TĂ­nhamos discurso de coitadinhos porque de ir Ă  procura da nossa sorte. a crise existe, efectivamente. Os Eu e a minha mulher ĂŠramos cortes sĂŁo feitos mas de forma mĂŠdicos. Cheguei a ir Ă  embai- consciente e sabendo atĂŠ onde xada da Suíça – jĂĄ nesse altura podemos ir. É fundamental se recorria Ă  emigração, nĂŁo ĂŠ manter sempre o princĂ­pio de sĂł de agora – para ver se havia que o nosso objectivo ĂŠ tratar alguma possibilidade de ir para o doente com cancro. HĂĄ medicamentos que sĂŁo lĂĄ. Entretanto, em 1974, soube que havia vagas para mĂŠdicos muitos caros mas temos de os no Instituto PortuguĂŞs de On- utilizar. Outros que nĂŁo se juscologia (IPO). Descobri que WLĂ€FDDVXDXWLOL]DomRTXDQGRKi tinha aqui um grande amigo outras alternativas. Gastar nĂŁo meu, que foi director da Aca- pode ser sinĂłnimo de desperdĂŠmica, o doutor CortĂŞs Vaz. diçar. O IPO tem conseguido Fui falar com ele. Dessa forma, obter resultados financeiros entrei aqui como mĂŠdico e positivos devido Ă  gestĂŁo que ĂŠ assim continuei. A Oncologia feita. NĂŁo estou a dizer que em caiu-me nas mĂŁos. NĂŁo foi uma algumas instituição hĂĄ mĂĄ liderança, mas nĂłs somos a prova opção premeditada. O IPO de Coimbra ĂŠ uma de que ĂŠ possĂ­vel implementar ÂŤcasaÂť com 935 funcionĂĄrios as medidas de rigor necessĂĄrias. e toda a gente sabe o que Esta ĂŠ uma casa equilibrada na

sua produtividade e sem excessos. Temos de ter a noção daquilo que Ê possível gerir e do que Ê ingovernåvel. Este IPO – e não falo de mais nenhum, só deste – tem o tamanho, as condiçþes e o número de funcionårios ideal. Estå no ponto exacto para ser uma casa governåvel. Hoje, fala-se em juntar diferentes instituiçþes e entidades numa central de compras. Nós, juntamente com os outros IPO’s, hå mais de uma dÊcada que fazemos isso, procurando uma economia de escala. Hå uma troca importante de conhecimentos entre RVWUrVLQVWLWXWRVTXHVHUHà HFWH na aquisição conjunta de produtos e serviços, na utilização de medicamentos de preços elevados e na uniformidade de actuação perante o doente oncológico. Hå dinâmicas e complementaridades criadas hå muitos anos. Não hå qualquer segredo para o facto de ter conseguido manter-me na direcção do IPO de Coimbra, atravessando diferentes governos ou responsåveis da tutela. Não hå nenhum segredo, apenas uma questão de atitude e postura. O que Ê que eu faço? Trabalho, apresento resultados e comunico com toda a gente. Não me interessa se são do PS ou do PSD. Trabalhei com ambos e dou-me bem com todos. Contudo, nunca abdiquei das minhas opçþes e daquilo que considero ser a crítica frontal, dentro dos princípios de lealdade. Nunca deixei de ser uma voz crítica. Trabalho Ê trabalho, conhaque Ê conhaque. Eu estou aqui para trabalhar. Hoje, hå uma noção generalizada de que Ê necessårio combater o desperdício e gastar melhor. Tirando uma ou outra medida que me foi imposta, superiormente, mantenho a gestão corrente com o rigor que ela sempre teve. Hå quem só agora comece a trabalhar

BI

De bem com a vida Manuel António Leitão da Silva nasceu em Santo Tirso, em 29 de Janeiro de 1946. Instituto Nun’à lvares, Liceu de D. Manuel II e Liceu Nacional de Guimarães foram alguns dos estabelecimentos de ensino onde, ainda jovem, fez a sua formação acadÊmica atÊ vir para Coimbra, em 1964. Especialista em Ginecologia, Ê presidente do Instituto Português de Oncologia de Coimbra, desde 1991. No início da dÊcada de 90 [sÊc. XX] presidiu à Administração Regional de Saúde do Centro, a convite do Dr. Paulo Mendo, competências que exerceu por curto período de tempo. Por nomeação da ministra da Saúde, Ana Jorge, foi coordenador nacional para as Doenças Oncológicas, entre Julho de 2010 e Dezembro de 2011. Actualmente, preside à Comissão Coordenadora do

Instituto Português de Oncologia e Ê o responsåvel, desde 1991, pelo Registo Oncológico da Região Centro. Membro do Grupo Português do Programa Europeu Contra o Cancro e do Conselho Nacional de Oncologia, Manuel António participou na elaboração dos planos oncológicos nacionais, publicados atÊ agora. Em Coimbra, cidade do Mondego, onde se fez mÊdico, glória da AcadÊmica e pessoa admirada, UHVLGHFRPDHVSRVDRVGRLVÀOKRVHWUrVQHWRV4XDQGRRVGLDV de trabalho são exigentes – como quase todos são – Manuel $QWyQLRDSURYHLWDRÀPGHVHPDQDSDUDVHHVFDSDUSDUDR Norte do país. Passando por Santo Tirso, ruma atÊ Viana do Castelo, onde o golfe e a calma da natureza o ajudam a encontrar o necessårio equilíbrio.

assim mas nĂłs continuamos no mesmo caminho e no mesmo trilho. Sempre fomos exigen-

tes, rigorosos e responsåveis, portanto, nada disto Ê novidade para nós�.

E AINDA

“SerĂĄ que corremos o risco de perder o Serviço Nacional de SaĂşde (SNS) como o conhecemos? É possĂ­vel. É uma pergunta difĂ­cil cuja resposta depende do actual ministro da SaĂşde, Paulo Macedo. NĂŁo tenho qualquer dĂşvida da sua eficiĂŞncia mas depende dele a capacidade para chegar ao limite de contenção financeira sem o ultrapassar. HĂĄ um alcance mĂĄximo atĂŠ onde o ministro da SaĂşde pode ir para cumprir as obrigaçþes de tesouraria. UltrapassĂĄ-lo, seria ferir de morte o SNS. Ele ĂŠ que terĂĄ de fazer a melhor avaliação do limite de contenção a atingir sem comprometer a desejada eficiĂŞncia. Estamos a falar da saĂşde e da vida das pessoas. É um tema que tem de ser tratado com bastante sensibilidadeâ€?. “Temos de ter rigor naquilo que fazemos. NĂŁo gosto dos alemĂŁes, mas admiro o rigor que tĂŞm. Quando se diz que ĂŠ preciso trabalhar das oito horas da manhĂŁ atĂŠ Ă s oito horas da noite fazem-no. E nĂŁo ĂŠ preciso livro de ponto para ninguĂŠm. O rigor foi sempre uma coisa que defendi. Na minha vida houve sempre XPDGLVFLSOLQDSHVVRDOTXHPHSRVVLELOLWRXID]HURTXHĂ€]Âľ “Corto nas gorduras desde que estou no IPO de Coimbra. NĂŁo implementei qualquer tipo de corte nem alterei os princĂ­pios gerais de funcionamento desta casa porque aqui sempre se combateu o desperdĂ­cio e se fez uma gestĂŁo responsĂĄvelâ€?. “A SaĂşde e a Oncologia mereciam ser vistas com outra atenção. Estamos a falar de ĂĄreas estruturais que deviam ser pensadas, estrategicamente, a 10 anos ou 20 anos. Pensar e planear, estrategicamente, a longo prazo, ia trazer melhorias e mais-valias. Infelizmente, sempre que muda o governo e o ministro ou porque DVFRQGLo}HVHFRQyPLFDVVHDOWHUDPDFDEDWXGRSRUĂ€FDUDPHLR caminho. NinguĂŠm pĂĄra para pensar sobre o que jĂĄ foi feito pelos seus antecessoresâ€?. “Nunca me inscrevi em nenhum partido, tambĂŠm por isso, mantive sempre a minha independĂŞncia. Depois do 25 de Abril, apercebi-me que a condição de militante partidĂĄrio podia violentar a minha liberdade. E essa foi uma opção que logo recusei. Tenho as minhas convicçþes, dou o mĂŠrito a quem o tem mas nĂŁo deixo de fazer as minhas crĂ­ticasâ€?. “Vivemos tempos diferentes. NĂŁo ĂŠ possĂ­vel comparar o Governo de Pedro Passos Coelho com o de JosĂŠ SĂłcrates. Um e outro foram apanhados por um problema que vem de hĂĄ muitos anos, das dĂŠcadas de 70 e 80 [sĂŠc. XX], uma factura que sucessivos governos, do PS e do PSD, nĂŁo quiseram pagarâ€?. “Neste paĂ­s, chegamos a uma altura em que toda a gente tinha de ser mĂŠdico, engenheiro ou advogado. Foi um erro. Essa forma de pensar estĂĄ errada. Na dĂŠcada de 60 [sĂŠc. XX] houve um ministro que acabou com as escolas comerciais e industriais. O resultado estĂĄ Ă  vista. Nem toda a gente tem de ser doutor, nem LVVRLQWHUHVVDDRSDtV2LPSRUWDQWHpKDYHUERQVSURĂ€VVLRQDLV nas diversas ĂĄreasâ€?. “Acredito que ĂŠ possĂ­vel dar a volta por cima e ultrapassar as GLĂ€FXOGDGHVDFWXDLV$TXHVWmRpVDEHUVHRFRQVHJXLPRVID]HUVHP que haja uma crise social. Essa ĂŠ a minha dĂşvida. O povo costuma dizer que nenhum paĂ­s saiu de uma crise em democracia mas eu gostava que isso acontecesse, em Portugal. O caminho que nos espera ĂŠ difĂ­cil e trabalhosoâ€?. “Os portugueses, tal como os gregos ou os espanhĂłis, tĂŞm motivos para estar apreensivos. PassĂĄmos por uma fase em que tudo era fĂĄcil e barato. As pessoas foram estimuladas e incentivadas pelos bancos a comprar tudo e mais alguma coisa. NĂŁo houve ninguĂŠm que dissesse que isto nĂŁo podia ser assim para toda a vidaâ€?. “Fui educado na perspectiva de nunca gastar tudo aquilo que tinha. Para pagar 500 ĂŠ preciso receber 1 000. Fazer contas Ă  vida com saldo positivo ĂŠ ter a haver mais do que se deve. Os problemas surgem quando este raciocĂ­nio se inverteâ€?.


FIGURAS DA SEMANA

6

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

02

QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Ascensor

Gabriel FalcĂŁo A

S U B I R

PatrocĂ­nio Alves – É isso mesmo. Quem visita a Expofacic a decorrer em Cantanhede atĂŠ o prĂłximo domingo, quem a tem acompanhado ao longo dos anos, quem vĂŞ convergir para o seu espaço milhares e milhares de pessoas, nĂŁo pode deixar de sentir um certo e grande orgulho pela capacidade GHUHDOL]DomRGDHTXLSDTXHDQRDSyVDQRDYHPHGLĂ€FDQGR encontrando sempre algo de novo para que a Exposição se renove de edição para edição. Numa altura em que, em nome da crise, o centralismo se acentua e a provĂ­ncia se vĂŞ reduzida Ă sua dimensĂŁo de destinatĂĄria de mais e mais impostos, QmRSRGHPRVGHL[DUGHHQDOWHFHUDHĂ€FiFLDHFDSDFLGDGHGH realização de muitos portugueses. Curiosamente, quase todos da provĂ­ncia. Por sinal. E se ĂŠ certo que por detrĂĄs de tanto WUDEDOKRHVWiXPDPRWLYDGDHHĂ€FD]HTXLSDjIUHQWHGHWRGD ela estĂĄ hĂĄ muitos anos o engÂş PatrocĂ­nio Alves, presidente da ComissĂŁo Executiva da Expofacic e um lĂ­der notĂĄvel que merece o nosso mais profundo respeito. Jaime Ramos – Se hĂĄ cidadĂŁos inconformados neste paĂ­s, Jaime Ramos ĂŠ seguramente um deles e dos mais activos. Com uma obra notĂĄvel de solidariedade humana em Miranda do Corvo, com um passado polĂ­tico nada carreirista e sempre reivindicativo para a sua regiĂŁo, quer como deputado, como autarca, como governador civil, ele aĂ­ estĂĄ de novo a exercer a sua cidadania de inconformismo. NĂŁo, nĂŁo ĂŠ apenas no Metro Mondego onde lidera a Ăşnica resistĂŞncia cĂ­vica Ă  extinção da linha da LousĂŁ. Jaime Ramos acaba de lançar um outro movimento cĂ­vico que irradia do livro que recentemente editou e que ĂŠ um verdadeiro tratado de civilidade: “Ideais do Centroâ€?. O Movimento, que jĂĄ teve a sua primeira reuniĂŁo GHUHĂ H[mRHMXQWRXYiULDVGH]HQDVGHSHVVRDVRXPXLWRQRV enganamos, ou vai mexer com o conformismo nacional. (ler manifesto nas pĂĄginas 20 e 21). Jaime Soares – Inconformado tambĂŠm, mas num estilo completamente diferente, ĂŠ o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares, hĂĄ poucos meses chegado a presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. Bombeiro desde jovem, quase garoto, conhece a causa como poucos e tem a legitimidade de uma vida de entrega total a essa mesma causa. Na sua condição de presidente da Liga tem sido bastante cordato, mais moderado que o habitual, mais institucional do que o seu estilo reclama, mas nem por isso tem calado as escusadas agressĂľes que tĂŞm vindo a ser feitas Ă  sobrevivĂŞncia dos bombeiros, mormente no que respeita ao transporte de doentes. Avizinham-se reacçþes mais duras dos bombeiros portugueses, jĂĄ neste mĂŞs de Agosto e com tendĂŞncia a agravarem-se em Setembro. SerĂĄ que este paĂ­s nĂŁo sabe viver sem quezĂ­lias aqui e acolĂĄ? Pois olhem que Jaime Soares, o genuĂ­no, nĂŁo ĂŠ homem para bater em retirada, seja qual for a causa que assumir como sua. E tĂŞ-lo do outro lado da barricada e com razĂŁo, pode representar algumas noites sem dormir. A

D E S C E R

Mårio Santos – Não tem razþes para estar satisfeito o chefe da missão olímpica portuguesa, em Londres. No início da semana, jå depois do afastamento dos judocas Telma Monteiro e João Pina, em quem estavam depositadas grandes esperanças de obtenção de medalhas, Mårio Santos veio a público dizer que a participação lusa estava a correr dentro das suas expectativas. A ser verdade, diga-se que a generalidade dos portugueses estaria inclinada a pensar que uma comitiva com mais de 70 atletas podia sonhar com um lugar no pódio. Não obstante a surpreendente participação de Telma Santos, que alcançou a primeira vitória de Portugal em badminton, eis que, terça-feira, desaparece a velejadora Carolina Borges-Mendelblatt, que alegou razþes pessoais e mÊdicas para se retirar da prova. A continuar esta senda, arrisca-se a entrar para a história esta participação de Portugal nas Olimpíadas... pelos piores motivos.

Uma nova metodologia para programação de aplicaçþes de processamento de sinal em plataformas multicore (computadores com vĂĄrias unidades de computação), baseada em OpenCL, e desenvolvida por uma equipa liderada por Gabriel FalcĂŁo, da Faculdade de CiĂŞncias e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), assinala um QRYRSDUDGLJPDQDXQLĂ€FDomRGHGHVHQYROYLPHQWRGHVRIWZDUHSDUD aplicaçþes de processamento de sinal nas mais diversas arquitecturas de computador do tipo multicore. Isto porque permite substituir as soluçþes dedicadas por um Ăşnico cĂłdigo aplicĂĄvel aos vĂĄrios sistemas. O resultado da pesquisa, iniciada em 2008 com a colaboração do investigador Leonel Sousa, do Instituto Superior TĂŠcnico (IST), acaba de ser publicado na prestigiada revista Signal Processing Magazine do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) que possui o IDFWRUGHLPSDFWR TXHUHĂ HFWHDTXDQWLGDGHGHFLWDo}HV PDLVHOHYDGRGHWRGRRXQLYHUVR,(((3DUDVHSHUFHEHU melhor a importância do novo modelo proposto, Gabriel FalcĂŁo explica: “Em vez de assistirmos ao contĂ­nuo aumento da frequĂŞncia de operação do processador (quem nĂŁo se recorda de ter na dĂŠcada de 90 um computador a 100MHz, quando hoje em dia temos processadores que funcionam a 3GHz?), actualmente os fabricantes optam por colocar mĂşltiplos cores dentro do mesmo processador. Dominar todas essas arquitecturas e modelos de proJUDPDomRUHSUHVHQWDXPDWDUHIDFRPSOH[DRTXHFRORFDGLĂ€FXOGDGHVHGHVDĂ€RVFRQVWDQWHVDRVSURJUDPDGRUHVÂľ Ana Rita Reis, Carolina Gonçalves e Ana Catarina Ferreira – As trĂŞs atletas da Secção de Patinagem da AcadĂŠmica de Coimbra foram convocadas para o estĂĄgio da Selecção Nacional A rumo ao Mundial do Brasil, que se realizarĂĄ entre 10 e 17 de Novembro. NĂŁo sendo a primeira vez que acontece, jĂĄ que todas estas atletas sĂŁo repetentes neste tipo de convocatĂłria, tal representa, no entanto, o corolĂĄrio de um bom trabalho que se vem fazendo no hĂłquei em patins em Coimbra, fruto do esforço e dedicação, principalmente, das atletas, mas que envolve, tambĂŠm, treinadores, preparador fĂ­sico, Direcção, apoiantes e as famĂ­lias, que sĂŁo hoje, e cada vez mais, o suporte desta modalidade na academia de Coimbra. SĂŠrgio Seco – O presidente da Associação HumanitĂĄria dos Bombeiros VoluntĂĄrios de Miranda do Corvo foi nomeado pela Câmara como comandante operacional municipal da protecção civil, por um perĂ­odo de trĂŞs anos. Licenciado em Geologia, SĂŠrgio Seco, de 38 anos de idade, ĂŠ vereador da maioria PSD, sendo responsĂĄvel pelo pelouro da protecção civil desde 2002. Concluiu, recentemente, o curso de comandante operacional municipal, ministrado pela Escola Nacional de Bombeiros em conjunto com a Fundação para os Estudos e Formação AutĂĄrquica. Josephine Filipe – A atleta, que na presente ĂŠpoca jogou pela equipa do Olivais Coimbra – MRGroup, estĂĄ a

participar no Campeonato da Europa Sub 18, de basquetebol feminino. Josephine Filipe alinha pela equipa portuguesa, tendo contribuído para a obtenção de duas vitórias consecutivas e, garantindo dessa forma, o apuramento SDUD RV RLWDYRV GH ÀQDO GD prova, que decorre atÊ ao dia 05 de Agosto, em Strumica (Macedónia). No jogo contra a Hungria, Josephine deu nas vistas como a melhor ressaltadora da equipa, tendo merecido elogios do vice-presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), JosÊ Tolentino. JosÊ Matias – O professor do Centro de Instrumentação do Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Ê responsåvel pela coordenação de uma equipa de cientistas envolvidos no projecto Xenon, uma experiência que conta com a participação de 15 instituiçþes de nove países. A equipa acaba de anunciar um novo e histórico resultado na pesquisa da matÊria escura, obtido a partir da anålise de dados obtidos ao longo de 13 meses de funcionamento do detector XenonN100, localizado no Laboratório Nacional de Gran Sasso, em Itålia. As conclusþes, agora tornadas públicas e submetidas à apreciação da Physical 5HYLHZ/HWWHUVVmRRUHVXOtado da anålise de 225 dias de medidas com o detector a perscrutar a existência de partículas de matÊria escura. Paulo Júlio – O secretårio de Estado do Poder Local

nota que “sĂŁo sobretudo as autarquias do PCP que se estĂŁo a recusar a fazer a fusĂŁo de freguesiasâ€?, enquanto que “o PS tem um bocadinho de tudoâ€?, posição a que nĂŁo serĂĄ alheia a posição adoptada pelo partido de votar contra a lei, por se recusar Ă regra da obrigatoriedade das fusĂľes por critĂŠrios fechados. Em declaração ao semanĂĄrio “Solâ€?, Paulo JĂşlio considera “contraproducente a atitude daqueles ĂłrgĂŁos que nĂŁo se pronunciam, sobretudo tendo em conta o discurso que estes agentes autĂĄrquicos fazem de apelo Ă  descentralização das decisĂľesâ€?. A posição do PS e do PSD na UHIRUPDDXWiUTXLFDĂ€FDPDLV clara considerando o nĂşmero de municĂ­pios, 78, que aceitaram e jĂĄ iniciaram o processo de deliberação: 42 tĂŞm maioria do PSD; 18 maioria do PS; e 10 com coligaçþes PSD/CDS. Do conjunto de municĂ­pios (60) que estĂŁo em fase de discussĂŁo, mas cujo desfecho final se mantĂŠm uma incĂłgnita, 26 tem maioria socialista; 21 tem maioria social-democrata e 10 maioria de coligação PSD/CDS. Pedro Coimbra – O presidente da Federação de Coimbra do PS defendeu a recandidatura dos presidentes de Câmara eleitos em listas socialistas e actualmente em funçþes, sem esclarecer se devem antes ser sujeitos a ‘directas’ no partido. “Nos concelhos onde governamos, temos hoje presidentes de Câmara em exercĂ­cio que tĂŞm obra feita, que sĂŁo reconhecidos, que tĂŞm o apoio das comunidades e que do

ponto de vista teĂłrico e do ponto de vista lĂłgico sĂŁo os recandidatos naturais do Partido Socialistaâ€?, disse Pedro Coimbra Ă agĂŞncia Lusa, em Oliveira do Hospital, Ă  margem das comemoraçþes do dia da federação distrital. Entre militantes socialistas e independentes eleitos pelo partido, o PS lidera actualmente nove dos 17 municĂ­pios de Coimbra, mas dois autarcas - JoĂŁo Gouveia (Soure) e Jorge Bento (Condeixaa-Nova) - nĂŁo se poderĂŁo recandidatar Ă s autĂĄrquicas de 2013 nos seus concelhos devido Ă  limitação de mandatos. “Em Soure e Condeixa, o PS serĂĄ capaz, em conjunto com os autarcas que cessam funçþes, os militantes, os dirigentes e o respeito pelos estatutos encontrar soluçþes para substituir o JoĂŁo Gouveia e o Jorge Bentoâ€?, frisou Pedro Coimbra. Sobre os sete restantes, lembrou que desde 1976 que a “lĂłgicaâ€? do PS â€œĂŠ recandidatar os autarcas que o queiram fazerâ€?. Guilherme d’Oliveira Martins – O presidente do Tribunal de Contas serĂĄ um dos oradores, dia 14 de Setembro, em Coimbra, da conferĂŞncia “Educação, cidadania e defesa nacionalâ€?, onde intervirĂĄ, tambĂŠm, Joaquim Azevedo, ex-secretĂĄrio de Estado do Ensino BĂĄsico, cabendo a moderação ao constitucionalista Gomes Canotilho. Esta iniciativa enquadra-se num ciclo promovido pelo MinistĂŠrio da Defesa, durante o mĂŞs de Setembro, por todo o paĂ­s, no âmbito da revisĂŁo do conceito estratĂŠgico de Defesa Nacional.

PUBLICIDADE

30962


02

QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

FACTOS DA SEMANA

7

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Auto-Usados atenta ao mercado A Auto Usados realizou recentemente nas instalaçþes da Auto-Industrial, em Coimbra, a reuniĂŁo semestral da empresa, cuja ĂĄrea de negĂłcio estĂĄ exclusivamente vocacionada para a comercialização de automĂłveis usados. O director-geral, ArmanGR/HLWH6DQWRVUHIHULXTXHDSHVDUGDVGLĂ€FXOGDGHVGRVHFWRU automĂłvel, a empresa vai continuar a apostar apenas em usados de qualidade e na selecção rigorosa das viaturas a comercializar na vasta rede existente em todo o paĂ­s – e que estiveram repreVHQWDGRVQHVWDUHXQLmRSHORVVHXVUHVSRQViYHLV)RUDPGHĂ€QLGRV os grandes objectivos para o segundo semestre deste ano, bem como as prĂłximas iniciativas a desenvolver. O dinamismo e a capacidade de gestĂŁo, aliados Ă s novas estratĂŠgias, irĂŁo permitir a continuidade do sucesso da Autos Usados, marca de excelĂŞncia do Grupo Auto-Industrial. Plano para a “Baixaâ€? nĂŁo colide com o Metro O vereador com o pelouro da gestĂŁo urbanĂ­stica da Câmara Municipal de Coimbra reiterou que o programa estratĂŠgico de reabilitação urbana da “Baixaâ€? da cidade “nĂŁo pĂľe em causaâ€? o projecto do Metro Mondego, “mantendo QDtQWHJUDRWUDoDGRDSURYDGRÂľ3DXOR/HLWmRTXLVHPFRQIHUrQFLDGH,PSUHQVDDĂ€UPDUTXHRVSURMHFWRVGHH[HFXomR do Metro sĂŁo “vinculativos para o MunicĂ­pio, por força de deliberaçþes camarĂĄriasâ€?, pretendendo, assim, desfazer as dĂşvidas de “incompatibilidadeâ€? levantadas pelo vereador VRFLDOLVWDÉOYDUR0DLD6HFR6HJXQGR3DXOR/HLWmRDGHOLPLtação das ĂĄreas de reabilitação urbana de Coimbra/â€?Baixaâ€? e Coimbra/Rio â€œĂŠ um imperativo para que possam continuar a vigorar um conjunto de apoios e incentivosâ€?, sendo sujeita Ă  consulta do IHRU e a debate pĂşblico. Conforme refere 3DXOR/HLWmRRVGRFXPHQWRV´QmRVmRSODQRVGHSRUPHQRU QHPSURMHFWRVGHH[HFXomRTXHGHĂ€QDPRXYLQFXOHPTXDOquer solução urbanaâ€?, acrescentando que “apenas existem DOJXPDVSHoDVJUiĂ€FDVHVTXHPiWLFDVHODERUDGDVSHODHTXLSD GD3DUTXH([SRTXHPRVWUDPXPDSRVVtYHOYLVmRDOWHUQDWLYD no que concerne Ă  integração urbana, mantendo na Ă­ntegra o traçado aprovado para o Metroâ€?. Ouvido pelo “CampeĂŁo RQOLQHÂľÉOYDUR0DLD6HFRYHUHDGRUGR36HH[SUHVLGHQWH da sociedade Metro Mondego, considera que “a existĂŞncia de um desenho que colide com o projecto de execução do 0HWURTXHVHQmRpSDUDYDOHUVyVLJQLĂ€FDJDVWRGHWHPSRH GLQKHLURVyYHPGLĂ€FXOWDUDLQWHUSUHWDomRÂľ EDP faz obras na freguesia de Santa Cruz O beco da Anarda e a rua de JoĂŁo Jacinto, na freguesia de Santa Cruz, em Coimbra, vĂŁo ter um corte de electricidade no domingo (dia 05), entre as 08h00 e as 12h00, devido a trabalhos de UHPRGHODomRHFRQVHUYDomRGDVUHGHVVHJXQGRD('3'LVWULEXLção. A empresa refere que ĂŠ necessĂĄrio proceder Ă  interrupção da alimentação da energia elĂŠctrica, avisando que, devido a situaçþes imprevistas, os trabalhos poder-se-ĂŁo prolongar atĂŠ Ă s 15h00, pelo que, por motivos de segurança e dado poder haver necessidade de proceder a ensaios ou ser feito o restabelecimento antecipado, as instalaçþes deverĂŁo ser consideradas permanentemente em tensĂŁo. FAVA anima Coja A vila de Coja serĂĄ animada, de amanhĂŁ a 05 de Agosto, com a 9.ÂŞ edição da Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades (FAVA), a qual contarĂĄ com mais de meia centena de participantes. 3DUDDOpPGDGLYXOJDomRGRVSURGXWRVHQGyJHQRVHDUWHVDQDWR produzidos na freguesia e no concelho de Arganil, a FAVA recebe, tambĂŠm, vĂĄrios elementos de outras regiĂľes do paĂ­s, nĂŁo apenas ao nĂ­vel de artefactos, mas tambĂŠm dos tradicionais e apreciados produtos gastronĂłmicos. A FAVA, que abrirĂĄ amanhĂŁ, pelas 19h00, pode ser visitada atĂŠ Ă  meia-noite, com a feira a iniciar-se nos dias 04 e 05 (sĂĄbado e domingo), pelas 10h00. O programa de animação tem uma noite de fados de Coimbra, na sexta-feira, assim como, no sĂĄbado, a actuação da Tuna de Cantares de AvĂ´, da Tuna Cantares de Coja e baile com a banda “The Offshoreâ€?. No domingo poderĂĄ ser apreciada a exibição do Rancho FolclĂłrico das Rosas de Coja e o baile voltarĂĄ a ser animado pela banda “The Offshoreâ€?.

Loja Social de Eiras ĂŠ “casaâ€? de muitas famĂ­lias A disponibilidade de gente boa conjugada com a vontade de fazer mais pela comunidade e eis que um projecto se torna realidade. Inaugurada na Ăşltima semana, no dia de SĂŁo Tiago, patrono da freguesia, a Loja Social de Eiras vai prestar apoio a dezenas de famĂ­lias carenciadas. O projecto, acarinhado pela Junta de Freguesia, vai ser desenvolvido pela Associação Juvenil Soltar os Sentidos e pela Associação Adventista para o Desenvolvimento, Recursos e AssistĂŞncia. Do antigo Centro de SaĂşde de Eiras, cujas instalaçþes foram deixadas em pĂŠssimo estado, surgiu uma casa acolhedora, graças ao trabalho levado a cabo por inĂşmeros voluntĂĄrios, ao longo de um ano. O imĂłvel onde funcionarĂĄ a Loja Social foi cedido pela famĂ­lia de Augusto Barros, honrando assim a sua memĂłria. O conhecido farmacĂŞutico de Coimbra, jĂĄ falecido, tinha um lema de vida: “NĂŁo vou levar nada para a terra quando morrer. Vou levar o que me vestirem, se me vestirem. A Ăşnica coisa que levo sĂŁo as acçþes e o bem que faça aos RXWURVÂľUHFRUGRXRVHXĂ€OKR3UHVHQWHVQDFHULPyQLDWDPEpPDQHWDHDYL~YDFRQVLGHUDUDPTXHHVWDpDPHOKRUIRUPDGH lembrar e homenagear o seu ente querido. A Loja Social de Eiras permitirĂĄ distribuir alimentos, roupas, mobĂ­lias ou electrodoPpVWLFRVDSHVVRDVFDUHQFLDGDVSUHYLDPHQWHLGHQWLĂ€FDGDVTXHUSHODVDVVLVWHQWHVVRFLDLVGDVDVVRFLDo}HVTXHUSHORVSURĂ€VVLRQDLV da Segurança Social. Filomena Santos, presidente da Junta de Freguesia, empenhou-se pessoalmente neste projecto e sĂł descansou quando o mesmo se concretizou. â€œĂ‰ um espaço de acolhimento, onde as pessoas podem vir e onde queremos que se sintam bemâ€?, sublinhou a autarca. Maria JoĂŁo Castelo Branco, vereadora do MunicĂ­pio de Coimbra, responsĂĄvel pelo pelouro da Acção Social, elogiou “a conjugação de esforços e de sinergiasâ€? que permitiu concretizar esta obra.

bĂŠm, um grande momento para oportunidades de negĂłcio. O programa de animação conta, hoje, com a actuação do grupo AF, pelas 22h30, a mesma hora em Mickael Carreira subirĂĄ amanhĂŁ ao palco. No sĂĄbado actuarĂĄ o grupo Expensive Soul, no domingo serĂĄ transmitido, em directo pela TVI, a partir das 14h00, o proJUDPD´6RPRV3RUWXJDOÂľHjQRLWHGHFRUUHUiDĂ€QDOGRFRQFXUVR ´6ROWHP7DOHQWRVÂľFRPDSUHVHQoDGH6DQGUD3HUHLUD YHQFHGRUD “Ă?dolosâ€? 2010). Casa-Museu Miguel Torga abriu hĂĄ cinco anos No prĂłximo dia 12 de Agosto passam cinco anos sobre

Telef.: 239 822 971 info@ihcoimbra.com

a inauguração da Casa-Museu Miguel Torga, aberta ao pĂşblico no dia em que o MunicĂ­pio de Coimbra assinalava, em 2007, o centenĂĄrio do nascimento do escritor, pseudĂłnimo de Adolfo Correia da Rocha, natural de S. Martinho de Anta - Sabrosa (Vila Real), que viveu em Coimbra mais de quatro dĂŠcadas, tendo vindo a falecer nesta cidade em 17 de Janeiro de 1995. A efemĂŠride serĂĄ comemorada com a realização de um roteiro Miguel Torga (versĂŁo sem autocarro), com inĂ­cio Ă s 09h30 do prĂłximo dia 12 (domingo), no intuito de que seja revivida a obra e a vida do mĂŠdico e escritor, culminando com uma visita guiada Ă  Casa-Museu Miguel Torga. O percurso pedonal serĂĄ complementado com a leitura de extractos da obra “A Criação do Mundoâ€?, onde o escritor faz alusĂŁo aos locais visitados. A iniciativa ĂŠ aberta Ă  comunidade em geral (com um nĂşmero mĂ­nimo de 10 participantes e mĂĄximo de 35), para o que serĂĄ necessĂĄrio proceder-se a uma inscrição, atravĂŠs do telefone 239 702 630 (Casa Municipal da Cultura).

do dia 18, terĂĄ um espectĂĄculo sob o tema “O povo e as suas WUDGLo}HVÂľSHORJUXSRIROFOyULFRDQĂ€WULmRHDLQGDXPDDFWXDomR do Grupo FolclĂłrico da Associação FolclĂłrica Cantarinhas da Triana. Diariamente, aos ceboleiros que estarĂŁo a vender os seus produtos juntam-se outro tipo de acçþes paralelas, que visam a promoção da gastronomia (caldo verde, a sardinha de pasta, os bolos e pataniscas de bacalhau, o arroz doce, escarpiadas e arrufadas de Coimbra), dos jogos tradicionais e, sobretudo, do IROFORUHHHWQRJUDĂ€DGDUHJLmRGR0RQGHJRDWUDYpVGDVVXFHVVLYDV DQLPDo}HVQRFWXUQDV1RSDOFRPRQWDGRQD3UDoDGR&RPpUFLR actuarĂŁo, pelas 22h15, os seguintes grupos: dia 19 - Rancho FolclĂłrico de S. RomĂŁo do Coronado; dia 20 - Grupo FolclĂłrico Ceifeiros da Corujeira; dia 21 - Grupo FolclĂłrico Casal da Misarela; dia 22 - Grupo TĂ­pico de Cadima; dia 23 Rancho FolclĂłrico Regional de Quiaios; dia 24 - Rancho (WQRJUiĂ€FR´2V)HUUHLURVÂľGH&DUYDOKDLVGLD5DQFKR das Cantarinhas de Buarcos e Rancho FolclĂłrico da Casa GR3RYRGH$OSLDUoD Matobra lança “De coraçãoâ€? n.Âş 27 $~OWLPDJUDQGHHQWUHYLVWDGH1RUEHUWR3LUHVHQquanto presidente da CCDRC pode ser lida na edição n.Âş 27 da revista da Matobra, onde o ex-responsĂĄvel por aquele organismo regional analisa o estado do Centro e aponta caminhos para um acrĂŠscimo de competitividade, nomeadamente com maior capacidade de atracção de investimento. A necessidade de estĂ­mulo da economia serve tambĂŠm de mote ao editorial assinado por JosĂŠ Carlos Martins, com o presidente do Conselho de Administração da Matobra a descrever o presente portuguĂŞs como um futuro “case study, um exemplo SDUDRVWHyULFRVGDHFRQRPLDGHXPHUURĂ DJUDQWHTXH nĂŁo se pode repetirâ€?, remetendo para uma estratĂŠgia GHPDVLDGRIRFDOL]DGDQDVĂ€QDQoDVHGHVWUXLGRUDGD economia real. Igualmente em entrevista, Manuel Barroso Tavares, da M.B. Tavares, Lda, analisa a actual situação e perspectiva as melhores soluçþes para o futuro da FRQVWUXomRFLYLOQRSDtV-i&DUORV3HUHLUDGLUHFWRUJHUDOGD &OLSHUGiDFRQKHFHUXPSURMHFWRLQRYDGRUH~QLFRHP3RUtugal - uma indĂşstria de cerâmica detida por um quadro de accionistas que reĂşne um grupo de empresas distribuidoras de materiais de construção concorrentes entre si. Como habitual, nesta edição o leitor encontra vĂĄrios projectos com assinatura Matobra, de decoraçþes pensadas para espaços com diferentes FRQĂ€JXUDo}HVHQHFHVVLGDGHVIXQFLRQDLVHPTXHVHSRGHUi inspirar para a criação de ambientes em sua casa.

Domingo com artesanato na Sereia No prĂłximo domingo (dia 05), das 11h00 Ă s 19h00, o Jardim da Sereia acolhe uma mostra de artesanato sob a temĂĄtica “Com as mĂŁos no barro e outros materiaisâ€?, iniciativa integrada no projecto Domingos de Festa em Coimbra, programação cultural que o Departamento de Cultura da Câmara promove, ExpOH atĂŠ domingo em Oliveira do Hospital Feira das Cebolas de 18 a 25 de Agosto atĂŠ Outubro, no intuito de dinamizar o espaço pĂşblico urbano, A ExpOH - Feira Regional de Oliveira do Hospital decorre A Feira das Cebolas, uma reposição da antiga Feira de S. Bar- atravĂŠs da realização de acçþes que abarcam ĂĄreas que vĂŁo desde atĂŠ domingo (dia 05), uma mostra do melhor que se faz no municĂ­pio de Oliveira do Hospital e que tem, na vertente de tolomeu que tem contribuĂ­do para a preservação e divulgação dos o artesanato (tradicional e urbano), Ă  mĂşsica, Ă s artes plĂĄsticas ou espectĂĄculo, como cabeça de cartaz o jovem Mickael Carreira, usos e costumes das gentes coimbrĂŁs, irĂĄ decorrer entre os dias 18 Ă  divulgação do patrimĂłnio histĂłrico. A iniciativa do prĂłximo amanhĂŁ (sexta-feira) Ă  noite. Com a presença de 130 expositores HGH$JRVWRQD3UDoDGR&RPpUFLRQXPDFRRUJDQL]DomRGR domingo integra, alĂŠm da mostra/venda de artesanato, que HXPLQYHVWLPHQWRGHHXURVD([S2+QR3DUTXHGR Grupo FolclĂłrico “Os Camponesesâ€? de Vila Novaâ€?, Cernache, estarĂĄ patente ao longo do dia, uma actuação da FilarmĂłnica Mandanelho, tem uma intensa actividade cultural, mas ĂŠ, tam- e da Câmara Municipal de Coimbra. O arranque, pelas 22h00 de Ceira, a partir das 17h30.


MEĂƒS DO CAMPO

8

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Corrida do Agricultor do Baixo Mondego no dia 19

Agosto com tourada e Festa das Colheitas Uma tourada, no dia 19 (domingo), pelas 17h00, denominada Corrida do Agricultor do Baixo Mondego, Ê uma das iniciativas que se realiza neste mês de Agosto em Meãs do Campo, freguesia do concelho de Montemor-o-Velho. A corrida de touros, que terå como palco uma praça instalada no Campo de Futebol das Meãs, tem como cavaleiros Manuel Jorge Oliveira, que comemora 35 anos de alternativa, Rui Salvador e Ana Rita, e os grupos de

forcados do Montijo e de Coimbra. O destaque vai tambÊm para os seis touros que vão ser lidados, os quais pertencem à Ganadaria Santos Silva, de Isidro Ricardo, localizada em Valcanosa, Meãs do Campo. Os bilhetes para este espectåculo taurino podem ser adquiridos antecipadamente, ao preço de 15 euros, na sede da Junta de Freguesia, ou na ACDR de Meãs. A localidade voltarå a HVWDU DQLPDGD QR ÀPGH

semana de 24, 25 e 26 de Agosto, com a realização da Festa das Colheitas, que ĂŠ, tambĂŠm, um tributo a Santo Isidro, o protector dos agricultores. Na sextafeira (dia 24), pelas 22h00, haverĂĄ um espectĂĄculo de variedades com a “prata da casaâ€?, proporcionado por pessoas de cada lugar da freguesia das MeĂŁs, com a noite a terminar com um baile. No sĂĄbado (dia 25) realizar-se-Ă uma garraiada, pelas 16h00, e Ă  noite o grupo Estaka Zero animarĂĄ

o baile, a partir das 22h00. O domingo (dia 26) começarå, pelas 09h00, com o GHVÀOHjPRGDDQWLJDMXQWR à Igreja Matriz das Meãs, seguindo-se a festa em pleno campo do Mondego, com a celebração de uma missa, pelas 10h30, e a procissão da benção do campo. Após o almoço partilhado decorrerå a matança do porco e uma tarde animada pela actuação do Grupo Folclórico da Associação Cultural Desportiva e Recreativa (ACDR) de Meãs e da Banda S. Sebastião.

O desfile Ă moda antiga serĂĄ no dia 26

PUBLICIDADE

Saber Fazer Unipessoal, Lda.

31775

SEDE: RUA CASAL NOVO, n.Âş 509 - 3140-162 MEĂƒS DO CAMPO ESCRITĂ“RIO MEĂƒS: PRAÇA S. SEBASTIĂƒO - 3140-165 MEĂƒS DO CAMPO ESCRITĂ“RIO CARAPINHEIRA: RUA DA IGREJA, N.Âş 8 - 3140-077 CARAPINHEIRA TELEFONE/FAX: MEĂƒS: 239 621 319 - CARAPINHEIRA: 239 623 763 TELEMĂ“VEL: 969 518 856 | 962 404 711 EMAIL: famedia.lda@mail.telepac.pt

Telef./Fax: 239 621 069 - Tlm: 919 007 880 - Val do Forno - Valcanosa - 3140-169 MeĂŁs do Campo

O Executivo convida a população em geral a vir à corrida de touros no dia 19 de Agosto e a visitar a freguesia por altura das Festas das Colheitas!

GANADARIA SANTOS SILVA de: Isidro Ricardo

31854

www.saberfazer.net

31776

Fazer qualquer um faz. Mas, a “Saber Fazer Unip. Ldaâ€?, sabe o que faz. Juntos vamos salvar o nosso patrimĂłnio arquitectĂłnico e devolver a beleza de outrora Ă s nossas casas antigas.

www.quintadaformosa.com Venha Ă corrida de touros e veja a bravura e nobreza dos nossos animais

Valcanosa | MeĂŁs do Campo

31855

Telef.: 239 629 255 | Telem.: 917 595 294

LOURIÇAL Festas decorrem de 11 a 15 de Agosto

Senhora da Boa Morte tem culto secular As grandes e seculares festividades no Louriçal, que este ano decorrem entre 11 e 15 de Agosto, são especialmente marcadas pela procissão nocturna com uma escultura da Virgem no seu leito de morte, que foi oferecida por D. JosÊ I (que foi rei de 1750 a 1777), acompanhada de uma

impressionante procissão de velas, a que se segue, no feriado, a procissão diurna. Segundo reza a lenda, foi DTXHOHPRQDUFDÀOKRGH' -RmR9TXHVHÀFRXDGHYHUD oferta da preciosa imagem da Nossa Senhora da Boa Morte, em tamanho natural, ao Convento do Louriçal e que desde

PUBLICIDADE

J JOCADISEGUROS Seguros em todos os ramos

Sempre ao seu dispor 31821

jocadiseguros11@gmail.com Rua D. João V, n.º 40 - 3105-165 LOURIÇAL Telef.: 236 961 551 - Fax: 236 961 608

logo passou a ser venerada pelas gentes da região. Programa Dia 11 (såbado) 09h30 – 5.º Passeio Cicloturismo. 19h00 – Sessão solene de inauguração das festas no salão nobre da Junta de Freguesia. 19h30 – Visita ao recinto das festas. 20h00 – Inauguração das tasquinhas e jantar com entidades convidadas. 21h00 – Concerto da Sociedade Filarmónica Louriçalense. 22h00 – Espectåculo de variedades com Denis Filipe (vencedor do concurso da RTP

“A Voz de Portugalâ€?). 23h30 – Actuação da banda Hora H. Dia 12 (domingo) K²$XODSUiWLFDGHĂ€tness pelo GinĂĄsio do Louriçal. 12h00 – Reabertura das tasquinhas. 21h00 – Grupo “AcordeĂľes em Sintoniaâ€?. 22h00 – Actuação da banda Funkoff. 00h30 – Baile com o teclista Nelson Marto. Dia 13 (segunda) 22h00 – Noite 7 Vidas. 00h30 – Baile com o teclista Sincopa. Dia 14 (Terça) 18h00 – Reabertura das tasquinhas.

20h30 – Eucaristia na Igreja do Convento. 21h30 – ProcissĂŁo de velas e sermĂŁo Ă porta do Convento, acompanhada pela Sociedade FilarmĂłnica Louriçalense. 23h00 – David Antunes & Midnight Band (banda do programa da RTP1 “5 para a Meia-Noiteâ€?). 00h30 – Baile com Thema 1. Dia 15 (quarta) 09h30 – Feira de Antiguidades Nacional. 12h00 – Reabertura das tasquinhas. 15h00 – Eucaristia no Convento. 16h00 – ProcissĂŁo de N.ÂŞ Sr.ÂŞ da Boa Morte pelas ruas

do Louriçal, abrilhantada pela Sociedade FilarmĂłnica Louriçalense. 18h00 – Festival de Folclore do Louriçal com a actuação de: Rancho FolclĂłrico e EtnoJUiĂ€FRGR/RXULoDO5DQFKR FolclĂłrico das Terras de Geraz GR /LPD 0LQKR  5DQFKR FolclĂłrico da Casa do Povo de Santo AntĂłnio das Areias (Alto $OHQWHMR *UXSR)ROFOyULFR de Danças Regionais de Santa Iria da Ribeira de SantarĂŠm 5LEDWHMR 5DQFKR)ROFOyULFR “Os Unidos de MortĂĄguaâ€? (Beira Alta). 22h00 – Baile com Big Jovem. 03h00 – Encerramento das festividades.


02

QUINTA-FEIRA

EXPOFACIC

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

9

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Certame prolonga-se até dia 5 de Agosto

Desenvolvimento de Cantanhede enaltecido por Passos Coelho BENEDITA OLIVEIRA

Os ajustamentos económico-sociais são um mal necessário para que o país volte a ter condições para crescer, gerar riqueza e criar emprego. Esta foi a principal mensagem que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, deixou, no passado dia 25, na cerimónia do Dia do Município de Cantanhede. Usando o vernáculo popular, como já é seu t i m b r e, Pe d r o Pa s s o s Coelho destacou que para que a “economia cresça e possa competir

no mundo global” há que seguir o exemplo de Cantanhede. “Mudar o paradigma, apostar na ciência e captar empresas do exterior” foi o que Cantanhede fez e “hoje o resultado está à vista. Esta é uma aposta que está a ser ganha e devia ser feita mais por outros municípios”, frisou o chefe de Governo, aludindo ao Biocant Park. O parque de biotecnologia de Cantanhede, acrescentou Passos Coelho, não valorizou só a região, mas também o país.

Pedro Passos Coelho referiu que o exemplo de Cantanhede é muito importante no contexto em que o país está a viver

“Se queremos aumentar a riqueza do país e

criar emprego duradouro, o nosso investimen-

que tragam retorno. E isto só é feito quando conseguimos combinar o desenvolvimento com investigação, inovação, tecnologia e conhecimento”, referiu o governante, g arantindo que esta é uma das “maiores transfor mações que o país tem de fazer”. “Não interessa só poupar e investir. Interessa investir bem, como é o caso do Biocant”, advertiu Passos Coelho, que posteriormente presidiu ainda à inauguração da Expofacic, um dos

to tem de ser um bom investimento e em áreas

CONTINUA

COMPRAMOS OURO USADO

31677

31650

PUBLICIDADE

CANTANHEDE | MIRA

Telef.: 231 098 739 - 919 727 399 / 917 644 914

31614

Ouro | Prata | Moedas | Relógios | Jóias | Libras | Cautelas de Penhor


EXPOFACIC

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m CONTINUAÇÃO

maiores certames do género do país. Aos críticos, que apelam à moderação do ajustamento e à renegociação das condições com a “troika”, o primeiroministro lembrou que não há outra alternativa, senão o caminho da austeridade. Há que dar “confiança daqueles que nos emprestam dinheiro”, justificou, sob pena de todo o esforço ser feito em vão. “Temos de valorizar o caminho percorrido, porque cada vez ficamos mais perto dos nossos objectivos e de sair desta situação de emergência nacional”, defendeu, recordando quando “o país estava à beira da bancarrota e precisávamos de apoio externo, sabíamos que tínhamos condições e obrigações e que o caminho que íamos percorrer era complexo e difícil”. “Precisamos de ser pacientes”, porque, acrescentou, “ninguém consegue superar estas dificuldades de um dia para o outro”. Ao longo da sua história, o povo português já passou por momentos de g r andes dificuldades e ultrapassou “desafios extraordinários”, lembrou o governante, dando como exemplo o acolhimento em 1974/75

de mais de um milhão de portugueses provenientes das ex-colónias ultramarinas e às ajudas do FMI em 1979 e 1983. Empresa de biotecnologia investe 20 milhões de euros

“Esta é a terceira vez que pedimos ajuda externa, em todas elas o país soube unir-se e ultrapassar as dificuldades, o nosso povo sabe bem que vamos vencer”, reforçou Pedro Passos Coelho, salientando que não se pode fugir aos compromissos assumidos. É preciso romper com o passado, vaticinou o chefe de Governo, a d ve r t i n d o q u e a n t e s “vivíamos de empréstimos”. “Alguém consegue gerar confiança e manter um estilo de vida incompatível?”, inter rog ou, deixando claro que o Governo não vai vacilar nem hesitar no que respeita aos compromissos assumidos. Estratégico para o país foi também como o presidente da Câmara Municipal de Cantanhede caracterizou o projecto do Biocant Park, tendo realçado mesmo, no seu discurso, que é o projecto “que melhor tem dado resposta ao grande objectivo do Governo de Portugal”, no que respeita a criar condições para

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

os jovens se afirmarem profissionalmente. Segundo João Pais de Moura, este é “um projecto de investimento em actividades estruturantes e estratégicas”, adiantando que a curto prazo, e após a transferência do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra, o inovador parque vai acolher mais de 300 investigadores. O autarca anunciou que, por causa deste projecto-âncora, uma empresa de biotecnologia vai investir 20 milhões de euros na criação de uma unidade para produzir um fungicida biológico. A empresa, cuja produção se destina exclusivamente à exportação, vai “criar um número de postos de trabalhadores que poderá chegar rapidamente aos 80 funcionários”, garantiu João Pais de Moura. A Expofacic, que este ano se prolonga pela primeira vez por 12 dias (e que decorre até 5 de Agosto), tem um cartaz de espectáculos reforçado, onde se destacam o britânico Mika (que actua a 4 de Agosto). Agradar a todos os gostos e públicos e assim garantir uma elevada afluência de pessoas é o desafio da organização que considera que esta edição tem todas as condições para bater o recorde de visitantes.

31640

PUBLICIDADE

MAGRIL

Visite-nos na Expofacic!

MÁQUINAS AGRÍCOLAS, LDA $JRUDFRP¿OLDOHP4XLPEUHV 66LOYHVWUH (VWUDGD1DFLRQDO Peças: 966 943 751 - Telef.: 232 424 182 - Fax: 232 451 863 geral@magril.mail.pt - Lugar do Barbeiro - Estrada do Aeródromo - Campo - 3515-342 VISEU

31610

Zona Industrial 9001, Lt 101 - www.mpd.com.pt 3850 184 Albergaria-a-Velha | Tel. 234 645 346 | Fax 234 647 307

31621

facic xpo to E a sn gos e-no de A Visit lho a 5 Ju 5 de de 2

31648

10


02

QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

EXPOFACIC

11

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

4XDUWRV(UyWLFR‡6WULS‡5RPkQWLFR‡&ROFKmRG¶ÈJXD

Atendimento VIP para datas especiais | Ambiente requintado Serviço de bar e restaurante 24hs | Venha visitar-nos e surpreender-se

* DECORAÇÃO COM PÉTALAS DE ROSA * DECORAÇÃO COM VELAS * OFERTAS ESPECIAIS PARA DATAS ESPECIAIS Variante 109, n.º 100 Angeja - Albergaria-a-Velha, 3850-417 Telef.: 234 917 942 - Fax: 234 917 943 - E-mail: geral@moteleclipse.pt - www.moteleclipse.pt

31863

Total PRIVACIDADE e Conforto


12

EXPOFACIC

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Qualidade ĂŠ imagem de marca do certame

Visitantes estĂŁo a corresponder Ă s expectativas A abertura a meio da semana passada nĂŁo afectou a adesĂŁo Ă  22.ÂŞ edição da Expofacic – Feira AgrĂ­cola, Comercial e Industrial de Cantanhede. Segundo AntĂłnio PatrocĂ­nio Alves, presidente do Conselho de Administração da INOVA – EM, “estĂĄ tudo a correr bemâ€?. “A abertura a uma quarta-feira, que teve a ver com o feriado municipal, que tinha de ser integrado na feira, foi positivaâ€? e de lĂĄ para cĂĄ estĂĄ tudo a decorrer “dentro das expectativasâ€?, garantiu o responsĂĄvel da comissĂŁo organizadora. Escusando-se a avançar com o nĂşmero de visitantes que a feira jĂĄ teve, AntĂłnio PatrocĂ­nio Alves referiu apenas que o dia que contou com mais gente foi o de sĂĄbado (que correspondeu Ă  actuação de Tony Carreira). A frequĂŞncia da Expofacic deste ano estĂĄ dentro do previsto e “em linhaâ€? com as ediçþes anteriores, reiterou AntĂłnio PatrocĂ­nio Alves, que se regozijou por a cerimĂłnia de inauguração contar com a presença da

SULPHLUDĂ€JXUDGR*RYHUQR Pedro Passos Coelho. “Tal qual aconteceu em 2003, este DQRFRQVHJXLPRVĂ€QDOPHQWH ter cĂĄ o primeiro-ministro, o que ĂŠ tambĂŠm uma forma de reconhecer a importância deste certameâ€?, considerou. O domingo passado foi outro dos dias em que o recinto contou com uma moldura humana considerĂĄvel, tambĂŠm por conta da emissĂŁo em directo do programa “Somos Portugalâ€? da TVI. “O programa televisivo foi um sucesso porque chamou as pessoas mais cedo. Tivemos o recinto cheio de gente durante todo o dia, com as bilheteiras sempre a trabalhar, o que ĂŠ sempre um bom siQDOÂľDĂ€UPRXRSUHVLGHQWHGR Conselho de Administração da INOVA – EM, destacando que os visitantes e os prĂłprios H[SRVLWRUHVĂ€FDUDPEDVWDQWH agradados com a iniciativa. Depois do primeiro-ministro, a Expofacic vai ter ainda a visita do secretĂĄrio-geral do Partido Socialista. AntĂłnio JosĂŠ Seguro desloca-se ao certame amanhĂŁ, a partir das 19h00, a convite da Comis-

sĂŁo PolĂ­tica Concelhia do PS Cantanhede. O lĂ­der socialista janta depois com militantes e simpatizantes na zona das tasquinhas. JĂĄ em entrevista Ă RĂĄdio Regional do Centro, que todos os dias emite em directo do recinto, Pedro Cardoso, vice-presidente da comissĂŁo organizadora, arriscou mesmo dizer que esta vai ser a maior edição de sempre da Expofacic. “Julgo que os GDGRVFRPHoDPDFRQĂ€UPDU que esta vai ser, com certeza, a maior edição de sempreâ€?, referiu, comentando que “a feira estĂĄ numa fase de cresFHQGRDWpjDSRWHRVHĂ€QDOÂľ Mas mais importante do que os nĂşmeros, atirou o vereador da Câmara Municipal de Cantanhede com o pelouro da Educação, ĂŠ a qualidade. “Acho que a qualidade ĂŠ a grande imagem de marca da Expofacic. A qualidade de atendimento, da programação, a diversidade de oportunidade para conjugar diferentes interesses (de pessoas mais novas e de mais idade, pessoas com interesse lĂşdico ou sĂł com interesse em

espectåculos...) e a multiplicidade de espectåculos� são tambÊm factores importantes no certame de Cantanhede, garantiu Pedro Cardoso. O profissionalismo, know how e capacidade de

trabalho e de realização da comissão organizadora, que integra um conjunto de pessoas da Câmara Municipal de Cantanhede e INOVA, foram igualmente elogiados por 3HGUR&DUGRVR´&RPPXLWR

rigor, trabalho e criatividade, [a comissão organizadora] tem conseguido atingir os objectivos que vai traçando ano após ano, feira após feira. Esse Ê tambÊm um dos segredos deste êxito�.

“DĂĄ-nos 5 minutos e nĂłs damos-te 1 vidaâ€?

Rastreio cardiovascular gratuito no pavilhĂŁo da cultura Depois de passar por vĂĄrias cidades, a campanha “DĂĄ-nos 5 minutos e nĂłs damos-te 1 Vidaâ€? “instalou-seâ€? agora na Expofacic, no PavilhĂŁo da Cultura, junto Ă entrada do mercado municipal. AtĂŠ domingo, ĂŠ possĂ­vel fazer rastreios gratuitos aos factores de risco de morte sĂşbita, atravĂŠs de um electrocardiograma. Dirigida a jovens entre os 16 e os 39 anos, a campanha tem por objectivo GH LGHQWLĂ€FDU GRHQoDV FDUGtDFDV GH ULVco entre a população jovem da regiĂŁo Centro. T De acordo com Rui ProvidĂŞncia, mĂŠdico cardiologista do Centro Hospitalar e UniversitĂĄrio de Coimbra e assistente convidado da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e coordenador deste projecto, “esta iniciativa ĂŠ pioneira

em Portugal e uma das maiores alguma vez realizadas na Europa. AtĂŠ ao momento jĂĄ rastreamos cerca de 5 000 jovens, VyQD]RQDGH&RLPEUDHFRQĂ€UPiPRV 30 diagnĂłsticos de risco em jovens que jĂĄ estĂŁo a ser seguidos e adequadamente tratadosâ€?. O especialista acrescentou que “existem ainda muitos outros jovens em IDVHGHHVWXGRHFRQĂ€UPDomRGHGLDJQyVtico de riscoâ€?. Julga-se que numa população de 20 000 jovens, entre os 18 aos 35 anos, se enFRQWUHPPDLVGHFDVRVTXHMXVWLĂ€FDP acompanhamento mĂŠdico especializado em cardiologia. Uma vez que grande parte destas doenças tem base genĂŠtica, a descoberta de um caso num destes jovens, pode salvar quer a sua vida, quer a vida de outros familiares atingidos.

31626

PUBLICIDADE


02

QUINTA-FEIRA

EXPOFACIC

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

13

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Crescer na austeridade foi tema de palestra

(PSUHVDVWrPFDUJDĂ€VFDOH[DJHUDGD Cerca de uma centena de empresas participaram no seminĂĄrio do Dia do EmpresĂĄrio, que decorreu na passada quinta-feira, no auditĂłrio da Biblioteca Municipal de Cantanhede, no âmbito da 22.ÂŞ edição da Expofacic. A crise foi o tema central da palestra (intitulada “Crescer com austeridadeâ€?) e das intervençþes do presidente da direcção da Associação Empresarial de Cantanhede (AEC), entidade organizadora do seminĂĄrio. LuĂ­s Roque salientou que o Estado ĂŠ “mau pagadorâ€?, sustentando que os seus crĂŠditos atingem “fortemente as empresasâ€?. O dirigente alertou ainda para a carga Ă€VFDOH[DJHUDGDFRPTXHVH debate o tecido empresarial. “Se o Estado assumisse os seus compromissos e pagas-

na resposta Ă crise, crĂłnica a derrama municipal volta Ă  de uma Mudança anunciada, posição anterior, ou seja, Ă  metodologia de gestĂŁo da taxa zero. Mudança, um plano de acção No seu discurso, o presiinovador e resultados de uma dente da edilidade aproveitou mudança positiva. ainda a ocasiĂŁo para destacar 1R Ă€QDO GR VHPLQiULR o papel da AEC ao nĂ­vel da AntĂłnio Pego, da direcção formação dos recursos hudo Programa Formação PDQRVHGDTXDOLĂ€FDomRGD FPME, fez uma pequena gestĂŁo, regozijando-se com apresentação do Programa a atitude prĂł-activa desta PME e entregou os certiorganização empresarial, eviĂ€FDGRV GH SDUWLFLSDomR jV denciada na implementação 29 empresas participantes de actividades e iniciativas no ano lectivo 2011/2012 destinadas a apoiar os em(incluiu a entrega dos cerpresĂĄrios e as empresas em WLĂ€FDGRVGDVDFo}HVGH vĂĄrias vertentes. formação realizadas indiviA palestra ficou ainda dualmente em cada empresa marcada pela apresentação participante). dos mais recentes projectos A Associação Empresarial de Cantanhede Antes da visita Ă  Expoda AEC, como seja a ForPDomR 0RGXODU &HUWLĂ€FDGD entregou os certificados da Formação FPME a facic, LuĂ­s Roque apresentou 29 empresas ainda o novo projecto dos de 1.500 horas aprovada Bombeiros VoluntĂĄrios de para cerca de 700 formandos (e que ĂŠ gratuita e que 2012/2013) e o programa O orador apresentou um dos Cantanhede, que se denovai decorrer no ano lectivo Formação PME que garan- mais recentes projectos do mina “SĂłcio Empresaâ€?, e te consultoria e formação grupo de Coimbra: a “A Des- que ĂŠ destinado a todas as Ă  medida de cada pequena troika como resposta Ă  cri- empresas que pretendam Alunos da ETPC apresentam projecto e mĂŠdia empresa (e cujas seâ€?. Com uma apresentação contribuir, sendo, salientou, inscriçþes estĂŁo abertas para dinâmica, Rui Fiolhais abor- uma oportunidade para os nova edição 2012/2013). dou os seguintes assuntos: empresĂĄrios colocarem em A palestra, em si, foi pro- a mudança como disciplina prĂĄtica a polĂ­tica de responOs alunos da Escola promete continuar a fazer estudantes, atĂŠ ao 12.Âş ano ou TĂŠcnico-Profissional de evoluir o seu projecto. equivalente, a quem ĂŠ propos- ferida por Rui Fiolhais, gestor obrigatĂłria, os empresĂĄrios sabilidade social na comuCantanhede que constituĂ­Promovida pelo Centro WRRGHVDĂ€RWHFQROyJLFRGH do Grupo CH Consultores. e a mudança, a “Destroikaâ€? nidade. UDPD)DOFRQ7HDPĂ€]HUDP TecnolĂłgico da Cerâmica conceberem e fabricarem um uma apresentação do seu e do Vidro (CTCV), esta modelo de carro de FĂłrmula projecto no passado dia 25 competição insere-se num 1 movido a CO2. de Julho, num dos palcos da programa de estĂ­mulo ao Os estudantes da ETPC Expofacic. desenvolvimento desta re- conceberam o protĂłtipo A Falcon Team, a Ăşnica giĂŁo e tem por objectivo do Falcon Team, projecto equipa apurada em Coim- principal estimular o gosto que apresentaram na fase bra, disputou, em Junho, a pelas ĂĄreas da engenha- regional em Coimbra e Ă€QDOQDFLRQDOGD ria, ciĂŞncia e tecnologia, que foi seleccionado para competição “F1 in criando um ambiente de a competição que decorreu Schoolsâ€?, onde adquiriu a aprendizagem, divertido em Espinho, nos dias 5 e 6 experiĂŞncia e a motivação e empolgante, no qual os de Junho, antecedendo o necessĂĄrias para continuar jovens possam desenvolver campeonato mundial a diso projecto e vir a obter uma um projecto que consegue putar em Abu Dhabi, nos FODVVLĂ€FDomRDLQGDPHOKRU envolver, simultaneamente, Emirados Ă rabes Unidos. Para alĂŠm da concepA Falcon Team ĂŠ cons- o espĂ­rito da FĂłrmula 1, Zona Industrial de Febres, Lote 15/16 tituĂ­da por Daniel Ribeiro, ciĂŞncia, marketing e tec- ção do protĂłtipo do carro, os alunos tiveram que Carlos Ramos, Daniel Silva, nologia. 3060-318 Cantanhede Ricardo Pinto, Bruno Silva A “F1 in Schoolsâ€? ĂŠ um desenvolver um projecto e Emanuel Carvalho, que concurso internacional aber- de marketing de criação e no prĂłximo ano lectivo to Ă  participação de jovens promoção da marca. se o que deve Ă s empresas ajudava a resolver o nosso stressâ€?, advertiu LuĂ­s Roque. A taxa de derrama cobrada no concelho de Cantanhede foi tambĂŠm criticada por LuĂ­s Roque. Face Ă  referĂŞncia directa, o presidente da Câmara Municipal de Cantanhede viu-se obrigado, mais uma vez, a explicar as contingĂŞnFLDVTXHĂ€]HUDPFRPTXHD executivo municipal deitasse mĂŁo deste “instrumentoâ€? Ă€QDQFHLUR JoĂŁo Moura explicou que, face aos cortes de verba sofridos pelo municĂ­pio, as taxas “tĂŞm de continuar a existirâ€?. O autarca garantiu, no entanto, que logo que os DFWXDLVFRQVWUDQJLPHQWRVĂ€nanceiros estejam ultrapassaGRVRTXHVHUiDĂ€UPRX´QR mais breve tempo possĂ­velâ€?,

Falcon Team presente na feira

PUBLICIDADE

Telef.: 231 469 883 / Fax: 231 469 885

31617

PUBLICIDADE

www.saberfazer.net

ZZZÂżODUYLQDSW

Fazer qualquer um faz. Mas, a “Saber Fazer Unip. Ldaâ€?, sabe o que faz. Juntos vamos salvar o nosso patrimĂłnio arquitectĂłnico e devolver a beleza de outrora Ă s nossas casas antigas.

JHUDO#ÂżODUYLQDFRP

7HOHI)D[7OP9DOGR)RUQR9DOFDQRVD0HmVGRCDPSR

ĂˆUHDFRPHUFLDOPLJXHOVLOYD#ÂżODUYLQDSW 31619

0$,6'($*Ç1&,$6$26(86(59,d2

Telem.: 918 022 052 / 915 221 934

$/0(,'$9,$*(16 LuĂ­sa Pinto 72&+$ *HUHQWH

ĂˆUHD4XDOLGDGH3URGXomRLVDEHOMHVXV#ÂżODUYLQDSW ĂˆUHD$GPLQLVWUDWLYDFDUODORSHV#ÂżODUYLQDSW

ZZZWRFKDDOPHLGDZHEFRP WRFKD#DOPHLGDYLDJHQVFRP 5XD'U0DQXHO6DQWRV6LOYDQ¾5F OXLVDSLQWR#DOPHLGDYLDJHQVFRP 7RFKD7HOHI)D[ $/0(,'$9,$*(16/'$51$97 Telef.: 302 069 906 6('(58$'(6­2-2­2%26&232572

ĂˆHD&RQWDELOLGDGHHOLVDEHWHVDQWRV#ÂżODUYLQDSW

31641

Telem.: 931 960 838


EXPOFACIC

14

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Iniciativa da Fundação Champalimaud

Champimóvel com exposição interactiva do corpo humano Este ano Ê de destacar tambÊm na Expofacic a participação do Champimóvel, veículo móvel da Fundação de Champalimaud, junto à exposição dos meios de transporte usados pela população para ir à feira de Cantanhede.

O veículo, que tem percorrido o país, integra uma exposição interactiva sobre o corpo humano. O Champimóvel Ê um simulador semelhante a uma cåpsula gigante, transportado num camião. No seu interior as crianças

assistem a um filme tridimensional e interactivo sobre o corpo humano, guiados por uma figura animada, o “Champiâ€?, que os conduz a testemunhar os problemas mais relevantes e mais contemporâneos na ciĂŞncia mĂŠdica.

PUBLICIDADE

ASSOCIAĂ‡ĂƒO CENTRO CĂ?VICO POLIVALENTE “O EMIGRANTEâ€? (I.P.S.S.) No ChampimĂłvel as crianças podem assistir a um filme tridimensional e interactivo sobre o corpo humano

INSCRIÇÕES ABERTAS DURANTE TODO O ANO

INFANTĂ RIO, CRECHE e A.T.L.

se de uma apresentação dinâmica e divertida que pretende despertar a curiosidade dos jovens estudanWHV SHORV WHPDV FLHQWtÀFRV O Champimóvel Ê a primeira acção do Programa de Divulgação e Motivação, promovido pela Fundação Champalimaud, que consta de um conjunto de actividades centradas nas escolas, pretendendo, de forma contínua e integrada, despertar

e manter o interesse dos jovens na ciência. A årea da educação da Expofacic estå instalada no pavilhão coberto do mercado municipal, albergando os Agrupamentos Escolares do Concelho e WDPEpPLQVWLWXLo}HVOLJDGDV à educação infanto/juvenil. Este sector conta com a participação dos jovens destas LQVWLWXLo}HVDVVLPFRPRGDV respectivas famílias.

30945

PUBLICIDADE

31631

Rua das Escolas, n.Âş 1 - 3060-821 Camarneira policentro@sapo.pt | Telef.: 231 460 495

31633

- Actividades extra curriculares complementares - Actividades Psicomotoras - Piscina (Câmara Municipal) - Transporte às 7h da manhã e às 19h da tarde - UNIDADE DE CUIDADOS CONTINUADOS (ABRE BREVEMENTE)

A viagem começa com o mecanismo da visĂŁo, seguido da apresentação da cĂŠlula e o seu material genĂŠtico, da acção dos vĂ­rus, da terapia genĂŠtica e Ă€QDOPHQWHGDVLQYHVWLJDo}HV recentes em cĂŠlulas estaminais e em nanotecnologias. Durante a viagem pelo corpo humano, as crianças sĂŁo chamadas a participar num jogo tipo “quizâ€?, respondendo a perguntas solicitadas. Trata-


QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

EXPOFACIC

15

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

31851

02


EXPOFACIC

16

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

&HUWDPHHVWiQDUHFWDĂ€QDO

Grande expectativa no dia de actuação de Mika Com milhares de visitantes todos os dias, a Expofacic continua a ser um sucesso sem paralelo na região Centro, quiçå a nível nacional. Para esta situação muito contribui a aposta num cartaz de espectåculos reforçado, RQGHSRQWLÀFDPDOJXQVGRV maiores nomes da música nacional e internacional. Com oito dias decorridos, o certame de Cantanhede mantÊm toda a sua atractividade, sendo disso exemplo a tradicional zona das tasquinhas e a renovada iUHD DJUtFROD TXH HVWH DQR inclui ainda uma exposição GHDQLPDLVVHOYDJHQVHRXWUD de aves exóticas. Após a visita ao certame impþe-se, naturalmente, a deslocação para o recinto principal de espectåculos que, DWp DR SUy[LPR GRPLQJR SURPHWH JDOYDQL]DU DLQGD muito público. +RMH GLD  GH $JRVWR Ê a vez de subir ao palco, a partir das 22h00, mais dois artistas conceituados: Paulo Gonzo e os Amor Electro. -i FRP XPD ORQJD FDUUHLUD Paulo Gonzo tem uma sÊrie

de â&#x20AC;&#x153;hitsâ&#x20AC;?, como â&#x20AC;&#x153;Sei-te de Corâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Falamos Depoisâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Caprichos da Luaâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Pedras da Calçadaâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Jardins Proibidosâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Acordarâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Dei-te 4XDVH 7XGRÂľ ´/XJDUHVÂľ ´3DJDYDSÂ?UD9HUÂľ´6HU6XVpeitoâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;So do Iâ&#x20AC;?. que, com certeza, vĂŁo colocar ao rubro os fĂŁs. JĂĄ Amor Electro, EDQGD SRUWXJXHVD GD QRYD JHUDomRTXHWHPDUUHEDWDGR HORJLRVTXHUGRS~EOLFRTXHU GD FUtWLFD HVWUHRXVH UHFHQtemente com o ĂĄlbum â&#x20AC;&#x153;Cai o Carmo e a Trindadeâ&#x20AC;?. A jovem e irreverente banda ĂŠ liderada por Mariza Liz (ex Donna Maria). $PDQKm  GH $JRVWR a animação vai estar a carJRGH%RVV$&H3HWH7KD Zouk. Considerado um dos pioneiros do hip hop portuJXrV%RVV$&pXPUDSSHUH FDQWRUGHKLSKRSSRUWXJXrV Ă&#x20AC;OKRGHSDLVFDERYHUGLDQRV Candidato por duas conseFXWLYDVDRVSUpPLRVGD079 (XURSHQDFDWHJRULDGH%HVW 3RUWXJXHVH $FW ² SURH]D nunca alcançada por outro P~VLFRHP3RUWXJDO²%RVV AC tem como um dos momentos ĂĄureos a actuação no YLGHRFOLSGH$NRQQRr[LWR ´,:DQQD/RYH<RXÂľ²WHPD que acabou por ser ouvido

QRV(VWDGRV8QLGRVĂ&#x20AC;FDQGR em posiçþes notĂĄveis nas tabelas. JĂĄ Pete Tha Zouk, '-HSURGXWRUSRUWXJXrVp um dos DJ mais requisitados HP3RUWXJDOUD]mRSHODTXDO FULRXjVXDYROWDXPDDXWrQWLFD OHJLmR GH ImV $V VXDV actuaçþes sĂŁo verdadeiros espectĂĄculos de mĂşsica, aleJULD H SDL[mR SURPRYHQGR a fusĂŁo de ritmos de mĂşsica latino-americanos e africanos utilizando instrumentos electrĂłnicos cuja produção ĂŠ GHDOWDWHFQRORJLD$VXDLQWHUnacionalização tem sido feita GHXPDIRUPDSURJUHVVLYDH MiROHYRXDYiULRVSDtVHVGD Europa, Ă sia, AmĂŠrica do 1RUWH H %UDVLO SDtV RQGH D cada dois meses nĂŁo deixa de marcar presença com uma tour. Como produtor jĂĄ HGLWRXXPDVpULHGHRULJLQDLV e remixes para a Stereo, Low 3UHVVLQJV0DJQD$QRG\QH entre outras. Marca habitualmente presença na WMC de 0LDPL3URWDJRQLVWDGHXPD das mais promissoras carUHLUDVGH'-SRUWXJXHV3HWH Tha Zouk foi vencedor nos Dance Club Awards 2002, com o prĂŠmio â&#x20AC;&#x153;DJ RevelaomRÂľYHQFHQGRLJXDOPHQWH na edição de 2004, nas cateJRULDVGH´0HOKRU3URGXWRUÂľ

Os Xutos & PontapĂŠs vĂŁo encerrar a feira de Cantanhede com chave de ouro

H´6LQJOHGR$QRÂľFRP´6ROLG Textureâ&#x20AC;? em parceria com DJ 9LEH(PHOHYRX para casa o PrĂŠmio de DJ do DQR DWULEXtGR SHOD 3RUWXJDO 1LJKW 8PDGDVJUDQGHVQRYLGDdes da 22.ÂŞ edição ĂŠ a actuação de Mika, no prĂłximo sĂĄbado, GLDGH$JRVWR â&#x20AC;&#x153;Super Mikaâ&#x20AC;? promete uma das maiores enchentes

6mRJUDQGHVH[SHFWDWLYDV para este dia, atÊ porque o cabeça de cartaz jå foi anteriormente apelidado de ´6XSHU0LND¾GDGDDHQHUJLD e capacidade de animação que o cantor britânico transmite. O cantor de pop radicado em Londres jå actuou, em 3RUWXJDOQRVIHVWLYDLV6XSHU %RFN 6XSHU 5RFN   Sudoeste (2010) e MarÊs 9LYDV  HDMXOJDUSHODV dezenas de milhar de fãs que assistiram a esses concertos, a expectativa Ê que o recinto do Parque Expo-Desportivo GH 6 0DWHXV UHJLVWH QHVVH dia uma das suas maiores enchentes de sempre. De relevar que o cantor internacional participa no último ålbum de Madonna, MDN, onde 0LND FDQWD ´*DQJ %DQJ¾ com a diva da pop. O jovem FDQWRUTXHYHQFHXHP R%ULW$ZDUGVQDFDWHJRULD de Melhor Artista Revelação, tem um reportório repleto de r[LWRVVRQDQWHVHGDQoiYHLV entre os quais se conta o tema ´5HOD[7DNHLW(DV\¾2YLJRU e a excentricidade de Mika são outros dos factores que WrPFRQWULEXtGRSDUDRVHX enorme sucesso como artista. Após a actuação de Mika, a DQLPDomRFRQWLQXDDFDUJRGH 7LP5R\NR &RVPR.OHLQ

O cantor britânico actua no próximo såbado, dia 4 de Agosto

uma dupla que tem triunfado nas pistas de dança da Europa com vĂĄrios temas de sucesso, HQWUHRVTXDLVVHGHVWDFD´%HDXWLIXO /LHÂľ 7LP 5R\NR R PDLVLQĂ XHQWHSURGXWRUH'- alemĂŁo da actualidade cultiva XPHVWLORPXLWRVRĂ&#x20AC;VWLFDGRH excitante nas suas misturas, RTXHHPFRQMXJDomRFRPD YR]TXHQWHGH&RVPR.OHLQ promete incendiar o entusiasmo do pĂşblico que visitar a Expofacic. $PtWLFDEDQGDGHURFN SRUWXJXHVDOLGHUDGDSRU7LP marcou as Ăşltimas ediçþes GD([SRIDFLFHĂ&#x20AC;JXUDPDLV uma vez, no cartaz da feira de Cantanhede. Acarinhados SHOR S~EOLFR RV ;XWRV  PontapĂŠs vĂŁo encerrar, como jĂĄ ĂŠ habitual, os espectĂĄculos deste ano, passando em revista os temas mais clĂĄssicos e marcantes da carreira, que MiVHSURORQJDSRUDQRV Os â&#x20AC;&#x153;Comendadoresâ&#x20AC;? vĂŁo

ID]HUYLEUDUDDVVLVWrQFLDFRP cançþes como â&#x20AC;&#x153;Mariaâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;A minha casinhaâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;O homem do lemeâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;NĂŁo sou o ĂşniFRÂľ 2V ;XWRV  3RQWDSpV vĂŁo realizar, com certeza, um espectĂĄculo em cheio, pautado pela qualidade musical e, SULQFLSDOPHQWH SHOR UDVJR ou nĂŁo fosse esta uma das melhores bandas do rock SRUWXJXrV A Expofacic evidencia, mais uma vez, a vitalidade e a dinâmica que lhe conferem o relevante estatuto de que GHVIUXWDDQtYHOQDFLRQDO $WpGH$JRVWRWRGRV os caminhos vĂŁo dar ao Parque Expo-Desportivo de S. Mateus, em Cantanhede, onde a maior e melhor feira de actividades econĂłmicas do SDtV VHUYH GH SUHWH[WR SDUD muita animação, fazendo assim esquecer o tempo de austeridade e os problemas GRSDtV

Fernando FerrĂŁo, Lda

&DL[LOKDULDGH$OXPtQLR$QRGL]DGRH7HUPRODFDGR

Auto Cruz

&216758dÂŽ(6

de: Manuel RaĂşl Miranda da Cruz AlvarĂĄ N.Âş 245/2002

0$7(5,$,6'(&216758d­2 7HOHI Telem.: 962 334 938 962 334 288 963 808 874 966 527 975 7HOHI)D[$5$=('(

31630

5XDGR&DEHoRQÂ&#x17E;7DERHLUD 3060-114 CADIMA

7HOHI)D[ Telem.: 96 631 89 87

A sua solução...

FĂĄbrica de Manilhas e Derivados de Cimento de Vagos, Lda.

Â&#x2021;0RQWDJHQVHOpWULFDVÂ&#x2021;$XWRPDWLVPRV Â&#x2021;5HGHVGHWHOHFRPXQLFDo}HVÂ&#x2021;$TXHFLPHQWRFHQWUDO Â&#x2021;$VSLUDomRFHQWUDOÂ&#x2021;5HGHVGHiJXDVHHVJRWRV Â&#x2021;5HGHVGHJiVÂ&#x2021;$UFRQGLFLRQDGR Â&#x2021;3DLQHLVVRODUHVHIRWRYROWiLFRV Â&#x2021;7RGRRWLSRGHUHFRQVWUXo}HV 31629

MUROS PRĂ&#x2030;-FRABRICADOS

Telem.: 968 560 140 - 968 560 141 Rua Principal de Carvalhais, n.Âş 2 3840-322 Ponte de Vagos

manuelraulcruz@gmail.com

OFICINA DE REPARAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE AUTOMĂ&#x201C;VEIS SERVIĂ&#x2021;O DE PRONTO-SOCORRO PERMANENTE SERVIĂ&#x2021;O DE BANCA DE DESEMPENOS DE CARROĂ&#x2021;ARIAS

Travessa da Azinha Azinhaga - 3780-051 Anadia - 965 725 553 / 918 063 257 antoniomgj@gmail.com | www.antoniomg.com

31632

31644

Portas - Janelas - Marquises - Resguardos de Banho Sistemas de Corte TĂŠrmico - Decorados Tipo Madeira =RQD,QGXVWULDOGD3DOKDoD/RWH3$/+$d$ 7HOI7HOI)D[ IIHUUDRDOXPLQLRV#KRWPDLOFRP_ZZZIIHUUDRFRP

J. OLIVEIRA & COSTA, LDA.

OP

PUBLICIDADE


02

QUINTA-FEIRA

MEIRINHAS

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

17

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

De 18 a 20 de Agosto

Festa anual honra N.ª S.ª das Dores e Santo António As festas anuais de Meirinhas, no concelho de Pombal, vão realizar-se de 18 a 20 de Agosto, em honra de Nossa Senhora das Dores e de Santo António, ocasião onde se mostra o que a terra tem de melhor, na religiosidade e na animação, sempre com a actuação de grupos portugueses e, como não poderia deixar de ser, o serviço de bar e quermesse. O desenvolvimento sócio-económico de Meirinhas deve-se à força das suas gentes, e, actualmente, a freguesia inscreve-se como um importante e diversificado pólo industrial e como o maior centro de camionagem do país.

O aglomerado urbano inclui Meirinhas de Cima, Meirinhas de Baixo e Palão, com a freguesia a ter também os seguintes lugares: Achadas, Alto do Covão, Barreiras, Casal de Além, Chanheira, Char neca do Leiroso, Escoura, Presa, Ter rinha Longuinha, Vale da Areeira, Vale da Morte, Vale de S. Francisco, Vale Galegos, Vale Travasso. No sábado, dia 18, o arraial começará pelas 15h00, para às 18h00 se iniciar o tradicional convívio com sardinhada, enquanto a noite terá baile com a BJG Banda, a partir das 21h00 e até à meia-noite. No domingo, dia 19, a

Os tradicionais festejos incluem duas procissões solenes

alvorada será pelas 09h30, para o ar raial abrir às 14h00, seguindo-se, pelas 15h00, a missa solene

seguida de procissão em honra de N.ª S.ª das Dores e de Santo António, um concerto pela Filarmóni-

ca Torres Novas (17h00), a actuação do Rancho Folclórico das Meirinhas (18h30), o baile com o or-

ganista Henrique Miguel (21h00) e a actuação do grupo musical Cantigas da Eira (22h00), com o arraial a ter minar às 24h00. Na segunda-feira, dia 20, a alvorada será às 09h30, com o arraial a abrir às 14h00. Pelas 15h00 será celebrada nova missa solene seguida de procissão, também em honra de N.ª S.ª das Dores e de Santo António. A partir das 17h00 decorrerá um convívio, com jogos tradicionais, para às 21h00 se iniciar o baile com o conjunto BJG Jovem e às 22h00 actuar a banda Notas Soltas, até que, à meia-noite terminarão os festejos de 2012.

PUBLICIDADE

Saudamos todos os Marinhenses Alto da Serra | 3150-012 ANOBRA (Condeixa-a-Nova) | Telef.: 239 982 709

um parceiro com soluções

31774

Apartado 8 - 3105-253 Meirinhas (Pombal) Telef.: 236 949 060 - Fax: 236 942 954 - adm@adm.pt

ARAZEDE De 10 a 15 de Agosto

Tradição celebra N.ª S.ª do Pranto a partir das 22h00, com o grupo “Ganda Malucos”, interrompido pela actuação dos artistas “Irmãos Verdades”, às 23h30. No domingo (dia 12) a principal atracção será a corrida de touros, pelas 17h30, com os cavaleiros Marcos José, Francisco Cortes, Ribeiro Teles, os forcados amadores de Tomar, do Montijo e de Alter do Chão, que lidam seis touros da ganadaria de Higino Soveral, localizada em Arazede, no Baixo Mondego. O programa do dia festivo completa-se com a actua-

ção do Rancho Folclórico da Bunhosa (19h30) e o baile com o grupo “Bomba Latina” (23h00). Na segunda-feira (dia 13) realiza-se a tradicional procissão das velas, pelas 22h00, com a noite animada pelo baile com o gupo “Wave” (23h00). Na terça-feira (dia 14), véspera de feriado, decorrerá o concurso anual da raça Frísia (18h00), o baile com a “Banda Mistério” (22h00) e a actuação da conhecida artista Romana (23h30, acompanhada do seu grupo. No dia 15 de Agosto a

missa solene em honra da padroeira será celebrada pelas 16h00, seguindo-se, às 17h00, a tradicional procissão, acompanhada de guarda de honra da GNR a cavalo e da Filarmónica Arazedense, a qual dará um concerto no final da procissão, no recinto da festa. O programa das festividades de 2012 completa-se com a actuação do Rancho Folclórico Camélias da Gândara, de Arazede, pelas 19h30, o sorteio das rifas, às 22h50, e baile como o conjunto “Vinil”, a partir das 23h00. 31859

PUBLICIDADE

Malhão & Santos, Lda. CONSTRUÇÃO CIVIL SEDE: Rua Dr. Manuel Arriaga, n.º 320 - Buarcos 3080 Fig. da Foz - TELEF.: 233 413 819 FAX: 233 413 820 - TELEM.: 963 042 554 Armazém em: Pelicos - Arazede

31647

As capelanias de toda a freguesia incorporam a procissão, acompanhando a padroeira

A padroeira de Arazede é a Virgem Maria, sob invocação de Nossa Senhora do Pranto, representada, no altar-mor da Igreja Matriz, por uma bonita escultura de pedra, gótica, século XV-XVI, a qual tem a festa em sua honra de 10 a 15 de Agosto. A mais populosa freguesia do concelho de Montemor-o-Velho inicia as festas de N.ª S.ª do Pranto na sexta-feira (dia 10), com a abertura das tasquinhas, pelas 19h00, com a noite a ser animada pela actuação do Rancho Folclórico Amores Perfeitos, do Bebedouro, pelas 21h00, e o baile com o grupo Albatroz, a partir das 23h00. No sábado (dia 11) chegam os animais para a exposição e o concurso da raça Frísia (que se realizará no dia 14, pelas 18h00), com a noite a ter o baile,

MOITA VAQUEIRA - 3140 Arazede Telef.: 239 609 458 - Fax: 239 607 324


18

VIL DE MATOS

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

De 10 a 14 de Agosto

Festas de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana com ZĂŠ Cabra e Tino de RĂŁs Duas â&#x20AC;&#x153;vedetasâ&#x20AC;? populares (ZĂŠ Cabra e o Tino

de RĂŁs), que tĂŞm estado afastadas dos palcos, vĂŁo

PUBLICIDADE

guesia O Executivo da Fre convida a visitar tura Vil de Matos por al ra das festas em Hon de Santâ&#x20AC;&#x2122;ana

31748

Freguesia de Vil de Matos

Rua de Coimbra, 21 - Vendas de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana 3025-622 Vil de Matos - Telef./Fax: 239 913 196 geral@vildematos.com | www.vildematos.com

marcar presença nas festas em honra de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana, em Vil de Matos, sede de freguesia do concelho de Coimbra, que decorrerĂŁo de 10 a 14 de Agosto. A romaria de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana, com carĂĄcter anual, inclui a parte religiosa que se traduz, no domingo, dia 12, pelas 18h30, na imponente procissĂŁo da Igreja Matriz de Vil de Matos para a Capela de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana, acompanhada por banda de mĂşsica e gaiteiros, sendo a procissĂŁo de regresso na segunda-feira, dia 13, tambĂŠm pelas 18h30, com celebraçþes religiosas. Em tempos nĂŁo muito distantes, esta era a maior romaria da regiĂŁo e a parte profana onde se realizavam os arraiais era uma zona de olival, onde os forasteiros se instalavam enquanto duravam os festejos e pernoitavam. Esta ĂŠ, ainda, como realça Fernando Pardal, presidente da Junta de Vil de Matos, â&#x20AC;&#x153;por excelĂŞncia, a principal festa da

freguesiaâ&#x20AC;?, assumindo-se hĂĄ muitos anos como â&#x20AC;&#x153;o principal ponto de encontro e reuniĂŁo de familiares e amigosâ&#x20AC;?, decorrendo numa altura em que muitos emigrantes regressam de fĂŠrias Ă terra natal. O programa da festa, com a alvorada em todos os dias, pelas 08h00, com os gaiteiros, tem na sexta-feira, dia 10, pelas 22h30, baile com a banda â&#x20AC;&#x153;Ovniâ&#x20AC;? e animação com o dj TSI. No sĂĄbado, dia 11, o baile, a partir das 22h30, serĂĄ com a banda â&#x20AC;&#x153;Bossa Novaâ&#x20AC;?. No domingo, dia 12, haverĂĄ, pelas 15h00, a actuação do Rancho FolclĂłrico Rosas dos Anos 60, uma demonstração de artes marciais Kempo, pelas 16h30, e a procissĂŁo, Ă s 18h30. A noite serĂĄ animada pela banda â&#x20AC;&#x153;Edenâ&#x20AC;?, a partir das 22h30, e Ă  meia-noite pela actuação do famoso ZĂŠ Cabra, prosseguindo o baile atĂŠ que, pelas 03h00, serĂĄ a vez do karaoke â&#x20AC;&#x153;Ficha Triplaâ&#x20AC;?.

A primeira procissĂŁo, no domingo, segue da Igreja Matriz para a capela de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana

Na segunda-feira, dia 13, disputar-se-Ă o jogo de futsal entre solteiros e casados, pelas 11h00, com a tradicional sardinhada marcada para as 13h00. De tarde, pelas 15h00, haverĂĄ jogos tradicionais, atĂŠ que, pelas 18h30, realizar-se-Ă  a procissĂŁo de Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana, da capela para a Igreja Matriz.

Pelas 22h30 actuarĂĄ a banda â&#x20AC;&#x153;Matrizâ&#x20AC;? e Ă s 02h30 a banda â&#x20AC;&#x153;KlĂĄssicosâ&#x20AC;?. Na terça-feira, dia 14, D PDUFDU R Ă&#x20AC;P GRV IHVtejos, haverĂĄ jogos tradicionais, pelas 15h00, e a actuação, Ă s 22h30, dos â&#x20AC;&#x153;Ganda Malucosâ&#x20AC;?, tendo Tino de RĂŁs como convidado especial.

MAIORCA De 08 a 12 de Agosto

FINDAGRIM com muita e boa animação A Feira Comercial, Industrial, e AgrĂ­cola de Maiorca - FINDAGRIM realiza-se de 08 a 12 de Agosto, divulgando as potencialidades econĂłmicas e culturais desta freguesia do concelho da Figueira da Foz. Neste certame marcam presença vĂĄrias empresas da regiĂŁo que mostram as suas actividades e as suas potencialidades, a par de uma mostra de artesanato, com o Ăşltimo dia a ter o tradicional HEHPFRQFRUULGRGHVĂ&#x20AC;OHGH carroças tradicionais. O cartaz de espectĂĄculos ĂŠ constituĂ­do por um leque de artistas consagrados a nĂ­vel nacional, que serĂŁo antecedidos pelas actividades das colectividades da freguesia de Maiorca e de cinco freguesias convidadas do concelho da Figueira da Foz. No parque do Lago irĂŁo terminar as noites com

a prestação de DJâ&#x20AC;&#x2122;s e de bandas, nĂŁo faltando, durante toda a feira, tasquinhas e bares a cargo das colectividades da freguesia de Maiorca, a serviram a gastronomia local. Programa Dia 08 (quarta) +²'HVĂ&#x20AC;OHGH0Rtos (Maiorca-MontemorFig. Foz-Maiorca). 19h30 â&#x20AC;&#x201C; SessĂŁo solene no PalĂĄcio Conselheiro Lopes Branco. 20h00 â&#x20AC;&#x201C; Inauguração da FINDAGRIM. 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Orquestra Ligeira de Santo Amaro da Boiça. 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Tuna UniversitĂĄria da Figueira da Foz â&#x20AC;&#x153;Brunaâ&#x20AC;?. 23h00 â&#x20AC;&#x201C; EspectĂĄculo com o grupo â&#x20AC;&#x153;Nova DimensĂŁoâ&#x20AC;?. Animação de rua: Gru-

O tradicional desfile de carroças serå dia 12

po de mĂşsica folk â&#x20AC;&#x153;Gambuzinos de Coimbraâ&#x20AC;?. Dia 09 (quinta) 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de dança â&#x20AC;&#x153;Lightningâ&#x20AC;? da Casa do Povo de Maiorca. 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de dança â&#x20AC;&#x153;Mod Niceâ&#x20AC;? do CDR Arneiro de Fora. 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Rancho EtnoJUiĂ&#x20AC;FRGD%RUGDGR&DPSR 23h00 â&#x20AC;&#x201C; Baile com o conjunto â&#x20AC;&#x153;DiapasĂŁoâ&#x20AC;?.

Animação de rua: Escola de Samba â&#x20AC;&#x153;A Rainhaâ&#x20AC;?, de Buarcos. DJâ&#x20AC;&#x2122; no Lago: LuĂ­s Rock. Dia 10 (sexta) 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Banda FilarmĂłnica Maiorquense. 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de Cantares da Casa do Lavrador, dos Casais. 22h45 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de dança â&#x20AC;&#x153;Heroesâ&#x20AC;? da ACRDS Carvalhense.

23h30 â&#x20AC;&#x201C; EspectĂĄculo com â&#x20AC;&#x153;Geraçþesâ&#x20AC;? (Ana, MĂłnica Sintra e Nucha). Animação de rua: Pifaradas e gaitadas de Ă lvaro Pessoa, de Unhais da Serra. DJâ&#x20AC;&#x2122;s no Lago: Sistema, MC Mundo Secreto, Scchmitt. Dia 11 (sĂĄbado) 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Orquestra Ligeira da Associação Cultural Rec. e Desp. da Gândara. 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de mĂşsica regional popular â&#x20AC;&#x153;Encantosâ&#x20AC;?. 22h30 â&#x20AC;&#x201C; Concurso de aventais. 23h00 â&#x20AC;&#x201C; Concurso de potes. 23h30 â&#x20AC;&#x201C; EspectĂĄculo com Adelaide Ferreira e a sua banda. 01h00 â&#x20AC;&#x201C; EspetĂĄculo com o grupo â&#x20AC;&#x153;Miss Velvet Rockâ&#x20AC;?. Animação de rua: Pifaradas e gaitadas de Ă lvaro

Pessoa, de Unhais da Serra. Dia 12 (domingo) 11h00 â&#x20AC;&#x201C; Missa campal no parque do Lago. K²'HVĂ&#x20AC;OHGHFDUroças tradicionais. 18h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de bombos â&#x20AC;&#x153;Os Maravilhasâ&#x20AC;?, de Viseu. 18h30 â&#x20AC;&#x201C; Grupo feminino de gaitas de foles â&#x20AC;&#x153;Girafolesâ&#x20AC;?, de Viseu. 19h00 â&#x20AC;&#x201C; Grupo de concertinas â&#x20AC;&#x153;Sons e Suadelasâ&#x20AC;?, de Arganil, 19h30 â&#x20AC;&#x201C; Grupo Dance 4U / Groovy Teens / Escola de Dança - SI Tavaredense. 20h15 â&#x20AC;&#x201C; Grupo â&#x20AC;&#x153;Cantigas de Tavaredeâ&#x20AC;? - SI Tavaredense. 21h00 â&#x20AC;&#x201C; EspectĂĄculo com â&#x20AC;&#x153;Micaelaâ&#x20AC;?. 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Baile com o conjunto â&#x20AC;&#x153;Homepageâ&#x20AC;?. 00h00 â&#x20AC;&#x201C; Encerramento das festas.

PUBLICIDADE

ARNEIRO SĂ&#x192;O JOĂ&#x192;O - MAIORCA - FIGUEIRA DA FOZ Telems.: 965 772 838 / 914 580 430

31773

Produzido e embalado: Jorge Vieira


02

QUINTA-FEIRA

VILA NOVA DE POIARES

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

19

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

TrĂŞs dias de festas em honra da Senhora das Necessidades

Em tempos de provaçþes cresce o nĂşmero de devotos A festa em honra de Nossa Senhora das Necessidades, de cariz religioso mas sem renegar a vertente profana, ĂŠ uma das que tem maior tradição na regiĂŁo Centro. Levando gente a percorrer longo caminho, oriundos de terras mais ou menos distantes, a romaria que a todos junta no recinto da capela ĂŠ uma manifestação de apreço pelas graças concedidas e, tambĂŠm, o momento oportuno para as pessoas se reencontrarem. Sempre assim foi, sem que santos e feirantes se importunassem ou entre eles houvesse diferendo sem solução. Em Vila Nova de Poiares, entre os dias 11 e 13 de Agosto, cumpre-se a tradição. Deus quis, dirĂŁo uns. Os homens fazem, acrescentam outros. Estatutariamente, a Irmandade da Senhora das Necessidades â&#x20AC;&#x201C; MisericĂłrdia de Vila Nova de Poiares tem apenas a obrigação de realizar a celebração religiosa. Contudo, ĂŠ tradição que a festa vĂĄ alĂŠm das missas e procissĂľes, proporcionando momentos de convĂ­vio aos romeiros e forasteiros, no recinto da capela. Organizados nas diversas vertentes pela Irmandade, os festejos contam com o apoio do MunicĂ­pio de Vila Nova de Poiares, cujo contributo passa por assegurar a contratação de um artista musical para animar cada uma das noites. JosĂŠ Pedroso Carvalho, provedor da MisericĂłrdia, recorda que esta ĂŠ uma romaria com fortes tradiçþes, â&#x20AC;&#x153;pela sua grande dimensĂŁo, por se tratar de uma festa de arraial livre e pelo amplo convĂ­vio entre as pessoasâ&#x20AC;?, sublinha. Apesar de os tempos que correm Armazenista serem pouco de Frutas dados a folias, e Produtos quem organiHortĂ­colas za estĂĄ consciente de que Abraveia - Vila Nova de Poiares ĂŠ importante

destacam-se as actuaçþes de Nucha, Iran Costa, Micaela e das bandas ImpÊrio, Acesso e H2O. Ao serviço do próximo

Actualmente, a Irmandade de Nossa Senhora das Necessidades â&#x20AC;&#x201C; MisericĂłrdia de Vila Nova de Poiares dispĂľe de uma unidade de cuidados continuados, na Catraia das Necessidades. SĂŁo instalaçþes que foram inauguradas em 2005 e que servem 55 utentes. Para alĂŠm deste equipamento social, na Quinta das CamĂŠlias, onde estĂĄ instalada a sede da Irmandade, funcionam as valĂŞncias de lar, centro de dia, apoio domiciliĂĄrio e, desde 1994, um centro de UHDELOLWDomRPpGLFDHĂ&#x20AC;VLRWHrapia, abrangendo entre 70 a 80 utentes por dia. Nas vĂĄrias valĂŞncias e serviços, a instituição tem cerca de 130 colaboradores, sendo um dos maiores empregadores do concelho. â&#x20AC;&#x153;A capacidade da unidade de cuidados continuados ĂŠ LQVXĂ&#x20AC;FLHQWHSDUDDSURFXUDTXH temos e o mesmo acontece com o lar e outras valĂŞnciasâ&#x20AC;?, reconhece JosĂŠ Pedroso Carvalho, provedor da MisericĂłrdia. Actualmente, para nĂŁo colocar em risco a sustentabilidade, estĂŁo suspensos os projectos de crescimento ou

a criação de novas ofertas de apoio social. Ă&#x2030; o caso de uma unidade para acolher doentes com Alzheimer, cuja construção tem vindo a ser adiada. â&#x20AC;&#x153;As verbas estĂŁo a ser reduzidas e isso condiciona o nosso futuro e pode colocar em risco a estabilidade da instituiçãoâ&#x20AC;?, argumenta o responsĂĄvel. Na liderança da MisericĂłrdia de Vila Nova de Poiares desde 1974, JosĂŠ Pedroso Carvalho confessa â&#x20AC;&#x153;sentido de dever cumpridoâ&#x20AC;? e destaca o contributo de toda a equipa que o apoia, fundamental para que as coisas corram bem, por oposição Ă falta de sensibilidade de algumas entidades que, no seu entender, â&#x20AC;&#x153;deviam ser mais colaborantes e atentasâ&#x20AC;?.

Programa SĂĄbado (dia 11) 21h30 â&#x20AC;&#x201C; Missa vespertina na capela 22h00 â&#x20AC;&#x201C; InĂ­cio do arraial com a actuação da banda ImpĂŠrio 23h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação da cantora Nucha Domingo (dia 12) 10h00 â&#x20AC;&#x201C; Chegada da FilarmĂłnica Santanense 11h30 â&#x20AC;&#x201C; Missa na igreja matriz com celebração de baptismo 17h00 â&#x20AC;&#x201C; Missa solene com homilia, seguida de procissĂŁo com a imagem de Nossa Senhora das Necessidades 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Abertura do arraial e actuação da banda Acesso 23h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação de Iran Costa Segunda-feira (dia 13) 10h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação do grupo Gaiteiros da Alegria 19h00 â&#x20AC;&#x201C; Missa na capela da Irmandade 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação da banda H2O 23h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação da cantora Micaela

PUBLICIDADE

Irmandade de Nossa Senhora das Necessidades MISERICĂ&#x201C;RDIA DE POIARES Uma Instituição dedicada ao desenvolvimento social, ao apoio Ă 3.ÂŞ idade, lar de idosos, centro de dia e DSRLRGRPLFLOLiULR5HDELOLWDomRÂżVLRWHUDSLDHXQLGDGHGH cuidados continuados de saĂşde. Acordo com ARS e Centro Distrital de Segurança Social do Centro

31807

proporcionar aos poiarenses a oportunidade de realizarem a sua habitual festa. â&#x20AC;&#x153;A fĂŠ em Nossa Senhora das Necessidades foi sempre muito grande, contudo, pelas GLĂ&#x20AC;FXOGDGHVTXHDWUDYHVVDP nos dias que correm, hĂĄ cada vez mais gente a recorrer a elaâ&#x20AC;?, afirma JosĂŠ Pedroso Carvalho. Este ano, graças a uma oferta de Maria Odete Dias Grade Alves Lucas, da empresa Lugrade, a imagem da santa vai ser embelezada com um novo vestido e manto, sinal de respeito e fĂŠ, certamente. Em 2009, uma coroa foi feita com o ouro (cerca de 600 gramas) de fios, brincos, cordĂľes, anĂŠis e jĂłias, oferecidos pelos devotos ao longo de 35 anos num agradecimento a Nossa Senhora das Necessidades, foi abençoada pelo antigo bispo de Coimbra, D. Albino Cleto, recentemente falecido. A valiosa peça, elaborada pelo artesĂŁo AmĂ­lcar Castelo Branco, de Cantanhede, foi apresentada e colocada na imagem, por ocasiĂŁo das comemoraçþes do primeiro centenĂĄrio da capela da Santa Casa da MisericĂłrdia de Vila Nova de Poiares. O ponto alto da festa ocorre no domingo, dia 12, com a celebração de missa solene com homilia, seguida de procissĂŁo. Para alĂŠm da presença das representaçþes das igrejas e capelas do concelho, participam no cortejo religioso a FilarmĂłnica Fraternidade Poiarense e a FilarmĂłnica Santanense, com guarda de honra assegurada pelos Bombeiros VoluntĂĄrios de Vila Nova de Poiares. Do cartaz de espectĂĄculos, associado Ă festa popular,

G. B.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

917 219 283

31813

PUBLICIDADE

31803

Diamantino Tavares

Curiosidades da Serra Actividades de Restauração, Lda. LEITĂ&#x192;O ASSADO EM FORNO DE LENHA Rua Nossa Sra. das Preces - Serra do Carvalho - 3350-013 V.N. de Poiares Telef.: 239 422 059 - curiosidadesdaserra@gmail.com

31503

SĂŠrgio InĂĄcio: 912 975 585 / JoĂŁo InĂĄcio: 935 220 591


OPINIÃO

20

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

Discutir ideias, afrontar poderes, mudar o regime, salvar a democracia Portugal alienou soberania para ter acesso a empréstimos interna-

cionais. As desigualdades sociais agravam-se com crescente injustiça

e risco de pobreza. O capital assegura lucros e os trabalhadores per-

dem poder de compra. As elites revelam-se moralmente indigentes

30724

PUBLICIDADE

FICHA TÉCNICA EDIÇÃO COIMBRA www.campeaoprovincias.com

Telefone 239 497 750 | Fax 239 497 759 | E-mail jornalcp@mail.telepac.pt Editor/Propriedade REGIVOZ, Empresa de Comunicação, Lda. Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra | NIPC: 504 753 711 Director-Adjunto Rui Avelar (responsável executivo por esta edição) | Gerente da Redacção José Fidalgo 239 497 750 (ext. 38) | Redacção Luís Santos (C.P. 722), Rui Avelar (C.P. 613), Benedita Oliveira (C.P. 6622), Geraldo Barros (C.P. 6555) e Luís Carlos Melo (C.P. 2555), Telefone 239 497 750 (ext. 55, 56 e 57), Fax 239 497 759 | Sede/

JAIME RAMOS*

adquirindo, sem esforço, rápidas formações académicas ou traficando influencias para enriquecimento acelerado. O sistema de ensino garante a estratificação social, impedindo a mobilidade e a ascensão dos desfavorecidos. Somos, crescentemente, um país de velhos, incapaz de apoiar as famílias e gerar crianças. A Justiça assemelha-se a jogo de roleta onde os donos do casino ganham sempre. O território nacional desertifica-se, com a população concentrada numa pequena faixa de litoral circundante de algumas cidades. Cresce a insegurança e o medo perante uma criminalidade mais frequente e violenta. A comunicação social garante um pensamento único, assente em poderes económicos que controlam a liberdade de informação. A Democracia está capturada por aparelhos partidários, do poder e da oposição, feitores dos interesses financeiros. Coimbra, capital do Centro, berço da Lusofonia, deve usar o seu prestígio e massa crítica para gerar um movimento cívico de mudança do regime. Não serão os extremos, de Direita ou Esquerda, que poderão salvar e melhorar a Democracia. As ideologias coladas aos partidos estão gastas por promessas incumpridas e cedências desonrosas, que contrariam sucessivos compromissos eleitorais. O futuro de Portugal exige o respeito por valores e princípios que se assumam acima das tácticas e estratégias de grupos económicos ou partidários. É preciso discutir ideias, para que não se

fique pelo pensamento único, que recusa alternativas; afrontar poderes para que não seja meia dúzia a impor o nosso futuro; mudar o regime para que se restabeleça a dignidade nacional e se restitua a soberania ao povo; salvar a Democracia porque as crises económicas e morais podem fabricar ditaduras.

Ideias básicas do Movimento 1.º Para unir o grupo (e não dividir) é fundamental que as pessoas pensem no colectivo. Podemos não gostar de alguém... mas todos são necessários. Não estamos um jantar íntimo de amigos. Somos um movimento com pessoas muito diferentes. Não temos de gostar de todos os participantes. Temos de trabalhar em conjunto. Todos temos passado e não somos perfeitos; 2.º Temos de encontrar e reforçar o que nos une e não o que nos divide. Não devemos focar pormenores mas só grandes ideias. Não somos Governo. Propomos ideais, ideias, causas. Não projectos de lei. Não temos o poder. Sentimos o dever de mudar o regime; 3 . º Te m o s d e t e r causas, importantes, f u n d a m e n t a i s . Ve r d a deiras prioridades nacionais. Por elas lutaremos. Não somos um grupo de estudos. Somos um Movimento que, com noção das dificuldades, quer propor a mudança do regime, para melhor; 4.º Não somos oposição. Somos construção. A crítica não é o nosso objectivo. Não somos um grupo de má-língua ou de ressa-

Redacção: Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra Director Comercial Carlos Gaspar Directora de Marketing e Publicidade Adelaide Pinto 239 497 750 (ext. 27), adelaide.pinto@mail.telepac.pt Paginação e Maquetagem Nuno Miguel Peres | Impressão FIG - Indústrias Gráficas, S.A.; Rua Adriano Lucas, 3020-265 Coimbra | Distribuição VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda. R. da Tascoa, n.º 16 - 4.º Piso, 2745-003 Queluz, Telef. 214 398 500, Fax 214 302 499 Registo SRIP sob o n.º 222567; ISSN: 1645 - 2968; ICS: 122568 | Depósito Legal n.º 127443/98 Preço de cada número 0,75\ Assinatura anual 30,00\ | Tiragem média: 9.000 exemplares

Os pagamentos para o Campeão das Províncias em cheque devem ser emitidos em nome de “Regivoz, Empresa de Comunicação, Lda.”. Também podem ser feitos por transferência bancária através do NIB: 001000003179749000225


02

QUINTA-FEIRA

OPINIÃO

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

biados. Somos um Movimento para criação de uma sociedade melhor; 5.º Temos a noção da fragilidade e insuficiências dos partidos... mas não desejamos lutar contra eles. Queremos que melhorem, se democratizem e que trabalhem por Portugal. Que sirvam e não que se sirvam. Que não tenham como objectivo instalar clientelas no aparelho administrativo do Estado. O Estado não pode ser coutada dos partidos. Estamos fartos de alternância entre estados laranjas ou rosas; 6.º Sabemos que, se continuarmos quietos, os extremos irão tomar conta de Portugal. A história está cheia de maus exemplos a começar pelo nazismo e a terminar no comunismo.

Quatro Ideais 1.º Mais Liberdade. Queremos prevenir derivas totalitárias e garantir mais liberdade. O papel da comunicação social, o “Quarto Poder”, deve ser regulamentado impedindo que seja dominado por uma minoria. A propriedade e o controlo do “Quarto Poder” não pode cair na mão de meia dúzia de nacionais ou de grupos estrangeiros, como está a c o n t e c e r. A s o b e r a nia popular exige que a comunicação social garanta o pluralismo ideológico e esteja ao serviço do interesse nacional. Não pode estar toda concentrada em Lisboa, contribuindo para o apagão do território. Exige-se que a comunicação social instalada em Lisboa dê cobertura noticiosa a todo o país, não só quando há calamidades ou desastres. A privatização da RTP , a manter-se a actual legislação, é perigosa para o interesse publi-

21

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m co nacional. O Estado deve possuir órgãos de comunicação social, radio e televisão, que compensem a deriva populista e mercantilista do sector privado. As empresas publicas, na comunicação social e não só, devem ser administradas segundo regras de boa gestão, em principio com lucro, não sendo tolerável que administradores ou trabalhadores ganhem mais que o primeiroministro; 2.º Melhor Democracia. Queremos mais política, mais discussão, uma população mais interventiva, como maior capacidade de decisão. Queremos mais pessoas interessadas na política e muito menos políticos profissionais. O número de políticos remunerados deve ser reduzido em mais de 50 por cento. As autarquias devem ser espaço de liberdade politica, exemplos de transparência e escolas de serviço público onde os políticos remunerados devem ser uma minoria. Todos os votos , incluindo os votos brancos e nulos, devem contar tal como as abstenções. Todas as pessoas devem ser iguais em direitos, consagrando o princípio, esquecido e não cumprido, de uma pessoa, um voto. Entre a alternativa entre o poder legitimado pela nomeação e o emanado de eleições, somos claramente pela escolha popular; 3.º Menor desigualdade. Somos um país com desigualdade crescente. Cresce a pobreza e a concentração da riqueza numa minoria. A classe média está em risco. O Estado deve dar o exemplo reduzindo as desigualdades. Os ordenados – no âmbito do Estado – e as

pensões pagas pela Segurança Social têm de ter um tecto máximo, não sendo toleradas acumulações milionárias. A economia não pode apostar na competitividade pelos baixos ordenados. Os rendimentos mais baixos devem ser aumentados tal como o salário mínimo. O problema não é só a falta de produção mas também a inexistência de clientes, compradores, que sustenham a economia. A criação de emprego é prioridade, devendo Portugal assumir o ideal do pleno emprego. Um país pobre não pode prescindir do trabalho de centenas de milhares de pessoas. Não se pode apostar na desregulação das relações de trabalho, fragilizando os trabalhadores. O respeito pelas empresas empregadoras não obriga a trabalho escravo. Vivemos numa sociedade estratificada. A Educação deve garantir a mobilidade social apostando na descoberta dos talentos individuais. A Segurança Social não pode continuar a ser sustentada unicamente pelos trabalhadores, mas por todas as formas de criação de riqueza, incluindo os rendimentos de capital. Os rendimentos de capital terão de ajudar a subsidiar o Estado Social, tal como os salários; 4.º Dignificar a Justiça. Sucessivos escândalos, fugas de informação, decisões judicias questionáveis, e demoras injustificáveis nos processos criaram uma péssima imagem para a Justiça. A demora na aplicação da Justiça beneficia os criminosos e incentiva a ilegalidade. Queremos uma Justiça célere que não permita que se consolide a ideia que há quem esteja acima

da lei. A insegurança provocada pelo aumento da criminalidade é fonte de medo. Temos de garantir um sistema policial, prisional e judicial que garanta a segurança dos cidadãos e permita uma economia competitiva, onde os crimes económicos sejam punidos em tempo útil. O enriquecimento ilícito tem de ser, efectivamente, punido. A impunidade, por parte de políticos que fizeram (fazem?) fortunas graças à politica, não pode continuar. Não é legítimo pedir sacrifícios à classe média e permitir que a corrupção seja actividade de sucesso. A economia paralela e todo o submundo criminal, incluindo a corrupção e o trafico de influencias, têm de ser combatidos sem hesitações. Não se aceita que se continue a sobrecarregar a classe média sem um combate sem tréguas à economia que assenta no crime e na fuga fiscal.

Quatro Causas A – Aumentar a natalidade, apoiar as famílias, evitar o envelhecimento populacional. Portugal enfrenta a maior redução de natalidade de sempre. Somos um dos países mais envelhecidos do mundo. Esta demografia vai originar pobreza e a falência do Estado Social. Urge apoiar as famílias e incentivar a natalidade; B – Evitar o despovoamento do território e as assimetrias entre as cidades do Litoral e Interior. Na ultima década, Portugal enfrentou uma politica centralista que tem desertificado e empobrecido o Interior. A crise actual é, em larga medida, resultado deste centralismo. Urge desconcentrar e descentralizar a adminis-

tração pública, sempre que possível através de órgãos eleitos. A esta democratização do aparelho do Estado designamos como regionalização, acabando com os feitores nomeados pelo Terreiro do Paço. Esta democratização terá de ser feita com redução do pessoal político e com diminuição da despesa. A capital política terá de sair de Lisboa, desconcentrado os órgãos do poder do Estado por várias cidades; C – Criar riqueza, melhorar a dívida externa, resgatar a independência nacional. Precisamos de uma estratégia nacional de aumento da produção em todos os sectores: Turismo, Agricultura, Floresta, Indústria, Serviços, Comércio. Nas últimas décadas seguimos uma política económica prejudicial aos interesses nacionais; D – Temos de garantir um Estado forte, promotor de riqueza e com visão de longo prazo. Não podemos continuar a permitir que obriguem o Estado ao estatuto de inquilino, pelintra e caloteiro. Recusamos um Estado falido, dependente dos senhores do dinheiro. As privatizações em massa, a preço de saldo, num período de crise, transferindo o poder e os rendimentos para o estrangeiro, são um crime contra os interesses nacionais. Defendemos um Estado promotor, que defenda e desenvolva a economia nacional, bem diferente de vender os anéis e os dedos a potências estrangeiras.

Contexto internacional

foi nem é um exclusivo nacional. Basta pensar em Itália, Espanha ou França. Desde a queda do Muro de Berlim que a Europa – e a América do norte – entrou numa euforia insensata, com perda de valores e cedências perante o sistema financeiro. Deixou-se endeusar o dinheiro ao ponto de se sobrepor ao poder político e à soberania dos povos. Portugal não tem poder para resolver as causas da crise financeira, que atinge o Ocidente e alastra para as potências emergentes. Portugal tem o dever de contribuir para pôr os senhores do dinheiro na ordem. A ganância instalada é eticamente condenável. O descontrolo do sistema financeiro destrói valores civilizacionais. Os culpados pela crise arrogam-se no direito de impor aos países soluções antidemocráticas, ideologicamente radicais. A sentida impunidade dos culpados tem de ser contrariada. Não podem viver uma imunidade que lhes permite continuar a destruir os valores da cristandade. Urge acabar com esta imunidade e a política, legitimada pela soberania popular, não pode depender do poder imposto pela ditadura dos mercados. A política tem de ser responsável, defender estados fortes e não ceder as chantagens. Há a necessidade de que a União Europeia, tal como os Estados Unidos da América, o Japão e as Nações Unidas, apostem nas soberanias dos países, em detrimento da tirania imposta pelo absolutismo financeiro. (*) Médico, exautarca e antigo governador civil de Coimbra

Portugal não é um caso isolado. A irresponsabilidade por parte das elites políticas não

PUBLICIDADE

INCENTRO - Espaço de Debate Com: Norberto Pires e José Cunha

“A saúde e o investimento privado no Centro de Portugal”

Patrocínio:

(responsável pelo projecto IdealMed)

SNQTB

Ouça na FM 96.2 ou em www.radioregionalcentro.com

ABC

Esta semana:

SÁBADO, das 11 às 12 h.


OPINIĂ&#x192;O

22

02

QUINTA-FEIRA

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

ImobiliĂĄrias

Coimbra (nĂŁo ĂŠ) possidĂłnia ABC

Continuação da pågina 01

2^\_aPeT]SPTca^RPST_a|SX^b \^aPSXPbP]SPaTbTbRaXcÂ&#x2026;aX^b[^YPbTcTaaT]^b - T4 c/ garagem Rua Arlindo Vicente - - T1 na Rua Miguel Torga â&#x20AC;&#x201C; Solum - T2, EdifĂ­cio do Centro Comercial Atrium Solum, na Av Dr ElĂ­sio de Moura com estacionamento. Acabamentos de Luxo, cozinha italiana completamente equipada, aquecimento central, prĂŠ-instalação de ar condicionado. EdifĂ­cio com Parque Infantil. - Terreno para construção sito na LousĂŁ. Ă rea de Construção 765 m2 Marque a sua visita todos os dias da semana Telef.: 239 854 730 - Telem.: 917 225 640

AdPSPB^UXP &$2CT[TU!"('$#&"2>8<1A0

AUTOMĂ&#x201C;VEIS

0DC><Ă&#x2021;E48B=>E>B4DB03>B

2a|SXc^Pc|(%\TbTb

ABC

ADĂ&#x2030;MIA - COIMBRA Telef.: 239 432 173 - 3020 COIMBRA www.ademiauto.pt

CĂ&#x192;ES SERRA DA ESTRELA

PĂ&#x160;LO CURTO Puros

Vendem-se

Aceitam-se reservas Contacto: 919 902 028 Tempo RĂĄdio do Clube da Comunicação Social de Coimbra Esta semana no TEMPO/RĂ DIO do CLUBE DA COMUNICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O SOCIAL DE COIMBRA vamos ter o prazer de conversar com PAULO PEREIRA director do GOSPEL grupo interligado ao nosso bem conhecido AD LIBITUM.

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

A crĂ­tica (ou elogio) nĂŁo se dirigia Ă CMC. A CMC das razĂľes para isso ĂŠ que tem feito o que pode com no fundo a cidade considera os meios que tem. Dirigiade mau gosto fazĂŞ-lo. Um se a todos nĂłs que pouco exemplo: o admirado Cir- fazemos (ou podĂ­amos faculo de Artes PlĂĄsticas de zer mais) para promover a Coimbra nĂŁo tem Ă  entrada cidade. Exemplo: os HotĂŠis na R. Pedro Monteiro um podiam reunir-se e apresencartaz grande e visĂ­vel que tar Ă  CMC um programa de atraia os visitantes e diga o promoção da cidade que que podem, e a que horas, fosse ajudado pela edilidaver. E o trabalho do Carlos de. Creio que isso nunca Antunes e da sua equipa foi feito. â&#x20AC;&#x153;Coimbra possidĂłnia na bem o merecem. Nada do que disse tem sua promoção?â&#x20AC;?, pergunta a ver com os apoios que enfaticamente o articulista. a Câmara Municipal de Mas eu disse exatamente o Coimbra (CMC), o seu Pre- oposto! E nada do que disse sidente, Vice-Presidente tem a ver com a organização e vereadores (incluindo o dos pelouros da CMC, mas do Turismo e Desporto) com uma atitude cultural dĂŁo a atividades culturais e de toda a cidade. Exemplo: desportivas. O Festival das que tĂŞm feito as instituiçþes Artes sabe bem disso e nun- da cidade para a promover ca se esquece de o agra- de forma concertada a sua decer. Mas apoiar ĂŠ uma imagem? SerĂĄ que quando coisa e promover ĂŠ outra. um professor universitĂĄUm exemplo: seguramente rio vai falar ao estrangeiro que o concerto de Madonna num congresso leva umas trouxe a Coimbra muitos imagens de Coimbra no jornalistas. Com o apoio de power point, como o faz hotĂŠis e restaurantes talvez o Prof. Manuel Antunes? tivesse sido possĂ­vel que SerĂĄ que a AAC leva um eles fossem seduzidos a kit promocional da Cidade ÂżFDU PDLV XQV GLDV H TXH nas suas deslocaçþes? daĂ­ saĂ­ssem artigos sobre E quando uma empresa a Cidade. A Taça Europa envia alguĂŠm a uma feira? pode servir tambĂŠm para E nĂŁo seria possĂ­vel que isso. Como seria o caso as empresas e instituiçþes de se criar um programa colaborassem suportando sistemĂĄtico de convites a assim uma pequena parte jornalistas (o Turismo do dos custos desse kit? Coimbra ĂŠ uma cidade Centro e a Empresa Municipal de Turismo tĂŞm tentado magnĂ­fica. Sempre que e conseguido alguns suces- convido amigos estrangeisos) com apoio dos hotĂŠis ros para virem estar comigo para visitarem Coimbra em em Coimbra a reação ĂŠ de surpresa e de admiração. ocasiĂľes especiais.

JOSĂ&#x2030; MIGUEL JĂ&#x161;DICE

Surpresa, porque nĂŁo sabiam; admiração, porque ÂżFDPDVDEHUePXLWRIUHquente que pessoas com que me cruzo, mesmo em Portugal, me digam que hĂĄ muitos anos que nĂŁo vĂŞm a Coimbra, ou que sĂł vieram em pequenos ao Portugal dos Pequenitos, ou atĂŠ que nunca vieram. Mas os que vĂŞm depois dizem-me que passaram um maravilhoso ÂżPGHVHPDQDDTXL O Convento de S. Francisco pode mudar radicalmente este estado de coisas. As condiçþes para que seja o lugar de eventos nacionais e internacionais, de reuniĂľes de empresas e de congressos serĂŁo excecionais. Daqui a um ano, mais ou menos, estarĂĄ a funcionar. Ora, quando se quer lançar um Hotel a promoção em regra começa um ano antes, pois as agĂŞncias programam as suas ofertas com um ano e meio de antecedĂŞncia. Pergunta: que estĂĄ a fazer Coimbra, a começar por hoteleiros e restauradores, a continuar pela Universidade e pela CMC e acabar nas instituiçþes e nas empresas, para o promover? Onde estĂĄ um kit promocional que jĂĄ deveria estar nas mĂŁos de quem por esse mundo fora organiza este tipo de eventos? Nada tenho contra que haja um vereador e nĂŁo quatro â&#x20AC;&#x201C; segundo refere

Ricardo Lopes â&#x20AC;&#x201C; para tratar da promoção de Coimbra. Mas acho que todos os vereadores devem pensar em promover Coimbra, essa sendo uma atitude e nĂŁo um pelouro. Em todo o caso, pensar que colocar Coimbra no mapa ĂŠ trabalho da CMC e que todos os outros nada tĂŞm a ver com isso, ĂŠ um erro crasso. Claro que hĂĄ casos de sucesso, como se pode exemplificar pelo trabalho que a Universidade de Coimbra tem feito por exemplo no Brasil e que conheço bem. Mas hĂĄ muito a fazer e tem de ser feito por todos nĂłs. Pelo meu lado, com a transformação da Quinta das LĂĄgrimas num hotel que ĂŠ considerado um dos melhores de Portugal e com um restaurante que ĂŠ dos raros com uma estrela Michelin, com o Festival das Artes e, como advogado, com o Encontro Internacional de Arbitragem, que em Outubro se realizarĂĄ pela segunda vez, trazendo aqui alguns dos maiores especialistas mundiais de lĂ­ngua portuguesa e espanhola, vou fazendo o que posso. Mas, reconheço, a ideia de levar um kit promocional de Coimbra nas viagens ao estrangeiro sĂł me surgiu quando estava a escrever este texto. E, tambĂŠm por isso, de novo agradeço a Ricardo Lopes a oportunidade que me deu.

Londres e o exercĂ­cio da Paz Londres, a milenĂĄria capital da Inglaterra e do Reino Unido, sedia, desde 27 de julho, sua terceira OlimpĂ­ada. Estamos na 30.ÂŞ edição da era moderna desta que ĂŠ uma das mais fascinantes competiçþes GHVSRUWLYDVeH[FHOHQWH oportunidade para o melhor dos exercĂ­cios: o da Paz entre as naçþes. Dois fatos assinalaram a histĂłria dos Jogos na pĂĄtria de Isaac Newton (1643-1727). Em 1908, no fim da prova da maratona â&#x20AC;&#x201C; a primeira a ser disputada com a distância de 42 195 metros â&#x20AC;&#x201C;, o italiano Dorando Pietri (1885-1942), que se encontrava na liderança, ao adentrar o estĂĄdio White City, visivelmente esgotado, sĂł conseguiu

ultrapassar a linha de chegada com a ajuda de dois oficiais. Esse ato de solidariedade o desclassificou, ficando a medalha de ouro com o americano Johnny Haves (1886-1965). Entretanto, no dia seguinte, o esforço de Pietri e o gesto dos oficiais foram reconhecidos pela Rainha Alexandra (1884-1925). Um trofĂŠu foi concedido ao corredor italiano. E, em 1948, a holandesa Fanny Blankers-Koen (1918-2004) entrou para o hall dos supercampeĂľes ao conquistar quatro das cinco medalhas de ouro para seu paĂ­s. Com 30 anos e mĂŁe de duas crianças, ela, que competia no atletismo, ganhou a alcunha de â&#x20AC;&#x153;a dona de casa voadoraâ&#x20AC;?.

JOSĂ&#x2030; DE PAIVA NETTO*

De volta para o presente AtĂŠ o dia 12 de agosto, mais de 10 000 atletas de centenas de paĂ­ses protagonizarĂŁo as OlimpĂ­adas 2012. Como Londres ĂŠ a anfitriĂŁ deste ano, todos eles, herĂłis de carne e osso, buscarĂŁo triunfar tambĂŠm imantados pela magia vitoriosa do popular agente fictĂ­cio James Bond. Aos que porventura queiram estragar a festa â&#x20AC;&#x201C; por exemplo, com o lamentĂĄvel doping â&#x20AC;&#x201C;, ĂŠ bom que desistam

de praticar reprovĂĄveis atos. O ComitĂŠ OlĂ­mpico InglĂŞs promete rigidez e controle comparados Ă astĂşcia e habilidade de outro cĂŠlebre personagem londrino, Sherlock Holmes, para desvendar os mais intrincados mistĂŠrios. (*) Jornalista, radialista, escritor e presidente da LegiĂŁo da Boa Vontade â&#x20AC;&#x201C; www.lbv.pt [A pedido do autor, este texto ĂŠ publicado segundo as regras do novo acordo ortogrĂĄfico]


02 QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

EMPRESAS & NEGĂ&#x201C;CIOS

23

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Cabeleireiro Quartzo de Rosa com novas instalaçþes

B R E V E S

Novo CartĂŁo Cliente Opel garante vantagens

A Opel lançou um cartĂŁo de subscrição gratuita destinado exclusivamente a proprietĂĄrios de automĂłveis da marca. o salĂŁo de cabeleireiro procura O CartĂŁo Cliente Opel garante Abertura 2009 contrariar os efeitos da conjunpreços especiais nas operaçþes Gerente Rosa Neves tura adversa com uma aliciante de manutenção e de reparação Morada Rua Câmara Pestana, Lote 1, Loja 12, Coimbra realizadas na rede Reparadores campanha de descontos. Contactos 239 056 312 â&#x20AC;&#x201C; 913 581 841 Autorizados Opel. Uma das caĂ&#x20AC;s terças, quartas e quinracterĂ­sticas do cartĂŁo ĂŠ o facto ĂŞncia no sector, a cabeleireira tas-feiras, o corte e o brushing de estar associado Ă idade do BENEDITA OLIVEIRA Rosa Neves reconhece que ac- FRPFUHPHĂ&#x20AC;FDDSHQDVD veĂ­culo, proporcionando maioeuros, enquanto o â&#x20AC;&#x153;packâ&#x20AC;? tualmente se sente uma ligeira res descontos quanto maior for composto por corte, brushing O Cabeleireiro Quartzo quebra na actividade, mas que o nĂşmero de anos do automĂłe coloração custa 25 euros e de Rosa tem, desde o pas- DVSHVVRDVPDQWrPVHĂ&#x20AC;HLVDRV vel. As reduçþes atingem um DVPDGHL[DVĂ&#x20AC;FDPDHXURV sado dia 1 de Março, novas cuidados de beleza. mĂĄximo de 20 por cento no â&#x20AC;&#x153;Nestes trĂŞs dias da semainstalaçþes. Localizado no preço das peças e de dez por â&#x20AC;&#x153;As pessoas ainda mancento no valor da mĂŁo-delote 1, loja nĂşmero 12, na tĂŞm as suas rotinas, embora QDWUDWDUGDLPDJHPYLVXDOĂ&#x20AC;FD obra, no caso de automĂłveis rua Câmara Pestana, Vale das tendam a reduzir um pouco realmente bastante mais em com idade igual ou superior a Flores, mesmo ao lado do a vinda ao cabeleireiro. Por contaâ&#x20AC;?, reforçou Rosa Neves, restaurante chinĂŞs, o salĂŁo de exemplo, em vez de virem comentando que nesta altura A gerente Rosa Neves (Ă  direita), acompanhada dez anos. A emissĂŁo do cartĂŁo pode ser solicitada junto de um cabeleireiro beneficia agora cinco vezes por mĂŞs, vĂŞm trĂŞs, do ano o espaço ĂŠ tambĂŠm por Joana Ferreira Reparador Autorizado Opel de uma excelente visibilidade mas continuam a apostar na muito requisitado para fazer que tenha aderido Ă  iniciativa. exterior e tem novas valĂŞncias imagemâ&#x20AC;?, garantiu a gerente. penteados de gala. $WpDRĂ&#x20AC;QDOGH$JRVWRRVVXEVOs tratamentos de queĂĄrea ĂŠ de destacar a massagem tem parcerias com diversos na ĂĄrea da beleza e da estĂŠtica. Com uma clientela onde critores do CartĂŁo Cliente Opel ratina, para cabelos bastante de relaxamento corporal, que SURĂ&#x20AC;VVLRQDLV HVSHFLDOL]DGRV Com 36 anos de experi- se destaca a classe mĂŠdia/alta, EHQHĂ&#x20AC;FLDPGHXPDFDPSDQKD sensibilizados, sĂŁo igualmente tem a duração de uma hora tambĂŠm desta zona da cidade. especial que prevĂŞ a limpeza e outro dos serviços mais pro- e meia e que custa 18 euros. O cabeleireiro unissexo desinfecção do sistema de ar curados no cabeleireiro. Trata-se, frisou Joana Ferreira, trabalha com algumas das condicionado do automĂłvel O espaço Quartzo de de uma massagem bastante mais reputadas marcas, como por de 9,90 euros. Rosa disponibiliza ainda ser- completa, que nĂŁo descura seja a Revlon e Wella. Duranviços de beleza e estĂŠtica, com nenhuma parte do corpo. te este mĂŞs e atĂŠ meados de Grupo Catarino destaque para a aplicação de Tratamentos drenantes e anti- Setembro, o salĂŁo Quartzo de presente na Expofacic unhas de gel, extensĂľes e ver- celulĂ­ticos sĂŁo outros serviços Rosa encerra aos domingos de O Grupo Catarino volta a niz de brilho (cujos trabalhos com mais procura, sobretudo manhĂŁ. Nos restantes dias, o marcar presença na Expofacic, sĂŁo feitos mediante marcação). apĂłs o inĂ­cio do VerĂŁo. espaço pertencente a AntĂłnio uma das maiores feiras comerJĂĄ a cargo de Joana FerreiJĂĄ para outro tipo de tra- Carlos Trindade dos Reis estĂĄ ciais e industriais do paĂ­s que ra estĂĄ a depilação, massagens tamentos, como seja o reiki aberto das 09h00 Ă s 19h30, decorre atĂŠ 5 de Agosto, em e tratamentos de beleza/ema- â&#x20AC;&#x201C; que segundo Rosa Neves ininterruptamente. O espaço Cantanhede. Nesta 22.ÂŞ edição grecimento, que tambĂŠm tra- garante resultados imediatos â&#x20AC;&#x201C; tem ainda uma pĂĄgina no da Expofacic, o Grupo CataA cabeleireira Rosa Neves tem 36 anos de balha por marcação, atravĂŠs do RVFOLHQWHVWDPEpPQmRĂ&#x20AC;FDP Facebook, sendo a referĂŞncia rino participa com um stand onde estĂŁo representadas as nĂşmero 919 216 377. Nesta sem resposta, jĂĄ que o espaço Quartzo Rosa Cabeleireiro. experiĂŞncia suas 17 empresas, que intervĂŞm em dez sectores de actividade â&#x20AC;&#x201C; $PDLVGHXPDFHQWHQDGHSURĂ&#x20AC;VVLRQDLV construção, imobiliĂĄrio, home interior, contract, hotelaria, Ă&#x20AC;OHLUD Ă RUHVWDO H SDLVDJLVPR trading, alimentação biolĂłgica, A Macolis â&#x20AC;&#x201C; Materiais de produtos Baxiroca e respec- mite de forma perfeita um des e expectativas dos seus necessĂĄrios para que a pro- business angels (atravĂŠs da Construção e Climatização, tiva acumulação de pontos. rĂĄpido aquecimento, emite clientes. Ă&#x20AC;VVLRQDOL]DomRGRVHFWRUVHMD empresa Creative Wings), ouriSA., reuniu recentemente Foram apresentados os calor e frio, ocupa atĂŠ trĂŞs Em tempos difĂ­ceis para sempre uma constante e para vesaria e joalharia. A Expofacic PDLVXPDFHQWHQDGHSURĂ&#x20AC;V- mais diversos produtos com vezes menos espaço, ĂŠ fĂĄcil o sector da construção em que cada vez mais se cumpra ĂŠ, entre as mostras nacionais e sionais das zonas de Leiria e os quais a empresa pretende de montar e tem a melhor Portugal, a Macolis quis e se destaquem na ĂĄrea da internacionais, aquela em que SantarĂŠm, Coimbra e Aveiro, fazer uma aposta diferencia- estĂŠtica do mercado. PRVWUDUDRVSURĂ&#x20AC;VVLRQDLVTXH especialização, diferenciação as empresas do Grupo Catano âmbito da sua dinâmica da no mercado, ao nĂ­vel de O principal objectivo SRGHPFRQĂ&#x20AC;DUFRPDHPSUH- e competitividadeâ&#x20AC;?, referiu a rino participam regularmente, sendo considerada uma das comercial e aliada Ă  sua re- caldeiras de condensação, desta jornada foi ajudar sa e nas marcas que represen- Macolis. PDLVVLJQLĂ&#x20AC;FDWLYDVSHORIDFWR presentada marca Baxiroca. caldeiras murais, sistemas os instaladores a vender, ta. â&#x20AC;&#x153;Basta para isso que escoA empresa, com sede de decorrer no concelho de O objectivo foi dar a solares, sistemas termossifĂŁo dando-lhes as ferramentas lham marcas e distribuidores em Leiria e instalaçþes em Cantanhede, onde o Grupo conhecer a nova campanha, e bombas de calor. necessĂĄrias para trabalhar o GHFRQĂ&#x20AC;DQoDFDSD]HVGHGDU Coimbra, continua a per- teve a sua gĂŠnese. designada de â&#x20AC;&#x153;Sol das AmĂŠA apresentação culmi- mercado e conquistar clien- o melhor aconselhamento correr o trilho do sucesso ricasâ&#x20AC;?, no decurso da qual os nou com a apresentação do tes, com argumentos de tĂŠcnico, orientando os pro- ao lado dos seus parceiros, Formar Mais com instaladores podem ganhar mais recente emissor (radia- venda e soluçþes capazes de Ă&#x20AC;VVLRQDLV H PXQLQGRRV GH principalmente fornecedores programa intensivo viagens, com a compra de dor) da Baxiroca, que per- ir de encontro Ă s necessida- toda a informação e apoio e instaladores. A Formar Mais disponibiliza durante o mĂŞs de Na avenida de FernĂŁo de MagalhĂŁes Agosto um leque variado de 12 cursos intensivos de VerĂŁo. O programa de formação Ă&#x20AC;QDQFLDGR DEUDQJH OtQJXDV A McDonaldâ&#x20AC;&#x2122;s abriu, das, destinada a diferentes galhĂŁes e McDonaldâ&#x20AC;&#x2122;s do pados por novos colabo- namento para 85 veĂ­culos, o como InglĂŞs, Espanhol e Alesegunda-feira, o seu quinto ocasiĂľes de consumo e fora For um Coimbra, aber- radores, recrutados local- restaurante tem esplanada, mĂŁo, ĂĄreas de gestĂŁo orienrestaurante, em Coimbra. do horĂĄrio tradicional de tos pela prĂłpria empresa, mente. A gestĂŁo da equipa espaço de lazer para os mais tadas para a organização de pequenos negĂłcios e cursos Localizado na avenida de refeiçþes, ĂŠ uma das carac- acrescem os espaços de ĂŠ assumida por Sandra Mar- QRYRVHUHĂ HFWHDV~OWLPDV intensivos tĂŠcnicos como InFernĂŁo de MagalhĂŁes, este terĂ­sticas do novo espaço. restauração do Coimbra tins, que iniciou sua carreira tendĂŞncias da McDonaldâ&#x20AC;&#x2122;s, ternet/Redes Sociais, Excel, ĂŠ o primeiro espaço da Com este investimento, Shopping, Solum e praça na McDonaldâ&#x20AC;&#x2122;s Portugal quer no tipo de serviço e Word e Modelos PedagĂłgimarca na cidade a adoptar a marca de comida rĂĄpida da RepĂşblica, criados em hĂĄ 20 anos. Motivada, a oferta quer na decoração, FRV$VIRUPDo}HVVmRĂ&#x20AC;QDQo conceito â&#x20AC;&#x153;McCafĂŠâ&#x20AC;?. responsĂĄvel reconhece que contemporânea, marcada ciadas pelo POPH e todos passa estar representada regime de franquia. Para alĂŠm do serviço por cinco restaurantes em O novo restaurante HVWHpRPDLRUGHVDĂ&#x20AC;RTXH pela utilização de materiais os formandos tĂŞm direito McDrive, a oferta diferen- Coimbra. Ao McCafĂŠ da permitiu criar 60 postos de jĂĄ enfrentou. nobres, como a madeira e a subsĂ­dio de alimentação e FHUWLĂ&#x20AC;FDGRGHTXDOLĂ&#x20AC;FDo}HV ciada de pastelaria e bebi- avenida de FernĂŁo de Ma- trabalho, 50 dos quais ocuServido por um estacio- o couro.

Macolis deu a conhecer nova campanha

McDonaldâ&#x20AC;&#x2122;s abre quinto restaurante em Coimbra


24

COMĂ&#x2030;RCIO E SERVIĂ&#x2021;OS / ACTUALIDADE 02

QUINTA-FEIRA

31538

w w w . campea o p r o vin cia s.co m

MĂ&#x201C;VEIS RITO MĂ&#x201C;VEIS POR MEDIDA

SISTEMAS EM ALUMĂ?NIO SERVIĂ&#x2021;OS EM INOX | SERRALHARIA CIVIL ESTRUTURAS E COBERTURAS

5RXSHLURV¿[RVHRXWURV * Estantes, Estúdios * Mobiliårio de escritório * Colchoaria, estofos e outros * Recuperação de Móveis * Cozinha com aplicação e Orçamentos gråtis 31501

Serviços DomÊsticos Serviços de Saúde e Geriatria Serviços Socioculturais Serviços de Apoio TÊcnico Teleassistência 24H Uma mão que ajuda... um coração que apoia!

CidĂĄliaCCampas O. Cortez

31713

a partir de d 400\ AdĂŠmia AdĂŠ i de d Cima C - 3020-032 32 Coimbra Telef./Fax: 239 430 342 - Telem.: 967 435 867

31591

31585

Sede: Rua da GuinĂŠ, 55 - S. JuliĂŁo - 3080-034 Figueira da Foz Telef./Fax: 233 094 094 - www.consigo24.pt - geral@consigo.pt Estamos agora consigo tambĂŠm em Pombal!

TELEF.: 239 812 361 TELEM.: 962 974 682- COIMBRA

31771 771

Tlf. 239 431 875 | Fax: 239 436 126 | Tlms. 966 828 900 / 966 828 901 Rua da Pontinha, n.Âş 18 | Alcarraques | 3025-013 Coimbra jcgomes.alu@gmail.com

COMPUTADORES - PORTĂ TEIS IMPRESSORAS - CONSUMĂ?VEIS ASSISTĂ&#x160;NCIA TĂ&#x2030;CNICA

Feira Moçårabe anima Lourosa nos dias 18 e 19 A Feira Moçårabe, que vai decorrer na aldeia da Lourosa, Oliveira do Hospital, nos dias 18 e 19 de Agosto, vai ser um dos momentos altos das comemoraçþes dos 1 100 anos da Igreja de S. Pedro de Lourosa, que se estende atĂŠ 2 de Setembro. O evento inĂŠdito englobarĂĄ aspectos tĂŁo diversos como representaçþes de ĂŠpoca, duelos, feira e venda de produtos endĂłgenos, entre outros. A feira vai fazer um retrato da ĂŠpoca em que a LJUHMDIRLHGLĂ&#x20AC;FDGD A feira abre no dia 18, Ă s 18h00, sendo que pelas 21h00 começa a representação da â&#x20AC;&#x153;escaramuçaâ&#x20AC;? entre cristĂŁos e muçulmanos. Para as 22h30 estĂĄ previsto um espectĂĄculo de fogo sobre a lenda Moçårabe. No dia 19, o destaque vai para a missa dominical, Ă s 11h00, e para o torneio de armas a cavalo, Ă s 18h00.

A iniciativa ĂŠ uma organização partilhada entre a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, a Junta de Freguesia de Lourosa e a ComissĂŁo para as Comemoraçþes dos 1 100 Anos da Igreja Moçårabe de Lourosa, contando com a colaboração do Grupo Vivâ&#x20AC;&#x2122;Arte. Situada nesta povoação, tambĂŠm muito antiga, esta igreja foi erguida (ou reerguida) em 912, apresentando um estilo dito moçårabe (em que se conciliam elementos estruturais cristĂŁos com elementos da cultura ĂĄrabe), fruto da presença ĂĄrabe que dominou dos sĂŠculos VIII ao XI esta zona do territĂłrio hoje portuguĂŞs. O interesse por esta igreja, no entanto, sĂł despontou no inĂ­cio do sĂŠculo XX devido Ă â&#x20AC;&#x153;descobertaâ&#x20AC;? deste tipo de arquitectura que ĂŠ caso Ăşnico em Portugal.

31542

to

Traga o seu projec nĂłs eexecutamos

Oliveira do Hospital

31711

Telef./Fax: 239 531 546 - Rua JoĂŁo Paulo II, 317 Loja A - 3220-205 MIRANDA DO CORVO

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

Encerra Ă 3.ÂŞ Feira

FUNERĂ RIA BORRALHO

Telef.: 239 701 460 - Telem.: 966 942 659 Estrada da Beira, 389 r/c - 3030-426 COIMBRA

Ricardo Rosa 913 521 972

31646

Funerais

De: AgĂŞncia FunerĂĄria Agostinho, Lda. Cremaçþes Telem.: 917 601 413 Flores Telef./Fax: 239 991 469 Serviço Permanente Rua do Mercado, Lt. 7 - r/c 3200-235 LOUSĂ&#x192; AutofĂşnebres Modernos

assistĂŞncia tĂŠcnica de caldeiras

QUADRICICLOS LIGEIROS E PESADOS

ASSISTĂ&#x160;NCIA E MANUTENĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE: Caldeiras a GĂĄs Caldeiras a GasĂłleo Esquentadores

De: AgĂŞncia FunerĂĄria Agostinho, Lda.

Estrada Boavista, 4 - Lavos - 3090-454 54 Figueira da Foz Telef.: 233 946 354 - Fax: 233 946 892 joao@ass.mail.pt | www.assantiago.pt

Jorge Manuel Ribeiro Marques Electricista Canalizador Paineis Solares Instalação de TDT Aquecimento e Aspiração Central

31689

Telm.: 917 601 415 - Telef./Fax: 239 820 560 Telef.: 239 991 469 - Couraça dos Apóstolos, 54 3000-431 COIMBRA

Visite-nos na Expofacic

31537

FUNERĂ RIA AGOSTINHO

31706

Rua do CemitĂŠrio - 3040-568 ANTANHOL - Coimbra Telef.239.811.570 - Fax 239 444 445 - E-mail: brumaferro@hotmail.com

Rua da Inculca, n.Âş 1 - 3150-020 Anobra - Telem.: 918 283 636

Fax: 239 718 900 - geral@bonsaiviagens.com Rua General Humberto Delgado, nÂş 414 - 3030-327 Coimbra

6HJDGRPGDVÂ&#x2021;K Urb. Quinta de S. LuĂ­s, Lt 82, Rc Drt. 3140-348 Pereita - Montemor-o-Velho

Utilidades para 3URĂ&#x20AC;VVLRQDLV de Hotelaria Condeixa-a-Nova | Telef.: 914 548 605 palamenta.empresa@gmail.com

31463

RNAVT Âş 2887

www.bonsaiviagens.com - Tlf: 239 718 700/800

31482

Preços Low Cost com Atendimento de Primeira


02

QUINTA-FEIRA

CULTURA

DE JULHO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

25

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Jazz e animação de rua em destaque no Luso O programa cultural de VerĂŁo da vila termal do Luso continua no prĂłximo sĂĄbado, com um grupo de jazz e blues do Porto. A partir das 22h00, a banda â&#x20AC;&#x153;Red Green and Bluesâ&#x20AC;? interpreta temas de jazz e blues, recordando temas clĂĄssicos e imortais de outras dĂŠcadas. JĂĄ no domingo, dia 5, haverĂĄ animação de rua com a dupla de rua â&#x20AC;&#x153;Actores Intrusosâ&#x20AC;?, que circularĂĄ pelas ruas e estabelecimentos do Luso, â&#x20AC;&#x153;provocandoâ&#x20AC;? e animando quem visita esta localidade. A empresa DitoEFeito farĂĄ pinturas faciais e modelagem de balĂľes para miĂşdos e graĂşdos, pelo que cĂ´r nĂŁo faltarĂĄ na tarde de domingo. No passado sĂĄbado, no palco da Alameda do Casino, actuou a banda Dualidades. Esta banda, que integra elementos de Coimbra e Luso, interpretou inĂşmeros temas de rock dos anos 80 e 90, mantendo os espectadores entusiasmados atĂŠ cerca da meia noite, hora a que terminou o espectĂĄculo. Assistiram cerca de 150 pessoas que, apesar da noite algo fresca, nĂŁo quiseram deixar de ouvir temas, excelentemente interpretados, de bandas tĂŁo famosas como Pink Floyd, Queen ou Supertramp. JĂĄ no Ăşltimo domingo actuou o grupo Santâ&#x20AC;&#x2122;Ana, das ilhas canĂĄrias, Tenerife. O grupo de mĂşsica e cantares tradicionais era dominado pelos instrumentos de cordas. Com bastantes semelhanças aos ranchos folclĂłricos portugueses, o grupo apresentou temas tĂ­picos das tradiçþes das vĂĄrias ilhas que compĂľem aquele arquipĂŠlago espanhol. Ao espectĂĄculo assistiram cerca de 300 pessoas. Numa uniĂŁo de forças entre a Câmara municipal da Mealhada e a Junta de Freguesia do Luso, contando com o apoio de jovens empreendedores do municĂ­pio, este projecto pretende relançar a vila do Luso como destino turĂ­stico e cultural. O programa cultural de VerĂŁo prolonga-se atĂŠ 16 de Setembro.

Mundo do entretenimento inspira espectĂĄculo humorĂ­stico

â&#x20AC;&#x153;Eu Conheço-te!â&#x20AC;? ĂŠ uma encenação cĂłmica da autoria de Almeno Gonçalves. O espectĂĄculo, onde contracenam Maria JoĂŁo Abreu, SĂłnia BrazĂŁo, Mico da Câmara Pereira e Paulo VintĂŠm, ĂŠ apresentado no palco do Centro de artes e EspectĂĄculos (CAE) da Figueira da Foz, a 04 de Agosto, pelas 22h00. Os bilhetes custam entre cinco e 15 euros, podendo ser adquiridos no prĂłprio local ou atravĂŠs da Internent, em www.cae.pt. â&#x20AC;&#x153;Eu Conheço-te!â&#x20AC;? ĂŠ o enredo de uma produção internacional em que os principais artistas, Abba, Lizza Minnelli, Bruno Mars, Louis Armstrong, Deolinda e Carlos PaiĂŁo, entre outros, decidem cancelar a sua participação, em cima da hora. O que fazer? Avançar para o

palco, substituindo as vedetas por outros artistas e rezar para que o pĂşblico nĂŁo se aperceba da diferença. Ilustres retratos no SalĂŁo Brazil AtĂŠ ao dia 05 de Agosto, pode ser visitada no SalĂŁo Brasil, na â&#x20AC;&#x153;Baixaâ&#x20AC;? da cidade de Coimbra, uma mostra de obras que dĂĄ pelo tĂ­tulo de â&#x20AC;&#x153;Retratos Ilustresâ&#x20AC;?. Da autoria de MĂĄrio Fresco, esta exposição integra algumas interpretaçþes artĂ­sticas de personalidades conhecidas. Embora tendo nascido no CanadĂĄ, MĂĄrio Fresco veio para Portugal muito jovem, fazendo a sua vida na cidade e no distrito de Coimbra. Pintura e escultura, atravĂŠs de diversas tĂŠcnicas e materiais, sĂŁo vertentes da sua expressĂŁo criativa. As estrelas vistas por Linda McCartney

â&#x20AC;&#x153;Uma Vida em FotograĂ&#x20AC;DVÂľpRWHPDGHXPDH[SRVLção de imagens captadas por Linda McCartney, patente ao pĂşblico na galeria da Fnac Coimbra, atĂŠ ao dia 20 de Setembro. FotĂłgrafa norteamericana, editora da revista Rolling Stone, Linda foi casada com Paul McCartney, tendo falecido em 1998. Nesta expoVLomRIRWRJUiĂ&#x20AC;FDGLQDPL]DGD pela Fnac em conjunto com a editora Taschen, ĂŠ apresentado um conjunto de imagens excepcionais, captadas por Linda McCartney, que imortalizaram artistas como Janis Joplin, Mick Jagger, Jimi Hendrix, o actor Steve McQueen e, inevitavelmente, Paul McCartney, entre outros. Cunha Rocha e Isabel Mora expĂľem no CAE O Centro de Artes e EspectĂĄculos (CAE) da Figueira da Foz acolhe, atĂŠ ao dia 15 de Agosto, uma exposição de trabalhos da autoria de Cunha Rocha e Isabel Mora. A mostra, patente ao pĂşblico na sala de ZĂŠ Penicheiro, concilia a pintura

com novas formas criativas ligadas aos acessórios de moda. Evan Parker em concerto na Sertã Estrela internacional de música jazz, o saxofonista Evan Parker vai dirigir uma residência artística com 17 músicos, entre os dias 14 e 18 de Agosto, na Sertã. Ao longo desta iniciativa, as sessþes de trabalho serão apresentadas publicamente, em concertos que se vão realizar no Moinho das Freiras, no hotel da Montanha, em Casal de S. Simão e na Casa da Cultura da Sertão. O ciclo de jazz termina com um espectåculo, pelas 21h30, na aldeia de Pedrogão Pequeno. Mais informaçþes estão disponíveis em www. aldeiasdoxisto.pt.

PASSATEMPOS PALAVRAS CRUZADAS â&#x20AC;&#x201C; Problema n.Âş 287

LEIA O PROVĂ&#x2030;RBIO

PROBLEMA N.Âş 287/A

Tema de hoje â&#x20AC;&#x201C; CABO VERDE

Percorrendo todo o tabuleiro, sempre para o lado, para cima ou para baixo â&#x20AC;&#x201C; nunca em diagonal â&#x20AC;&#x201C; e começando na casa /1 para terminar na /2, encontrar-se-Ă um provĂŠrbio SRSXODUSRUWXJXrV HORIZONTAIS Âą&DER9HUGH&DER9HUGHÂą6XÂż[RDXPHQWDWLYRHGHSUHFLDtivo. Cabo Verde. Cabo Verde. 3 â&#x20AC;&#x201C; Fila. TambĂŠm. Tundas. 4 â&#x20AC;&#x201C; Nem. Inclusive. Norma Industrial AlemĂŁ (sigla). Desde que. 5 â&#x20AC;&#x201C; Nome prĂłprio feminino. Cabo Verde. 6 â&#x20AC;&#x201C; Cabo Verde. Local onde se fazem debates. 7 â&#x20AC;&#x201C; Assentar. Grande pressa (pl). Idiotas. 8 â&#x20AC;&#x201C; Adoração. Nome de letra grega. SĂ­mbolo de prata. SĂŠrie de coisas que estĂŁo na mesma linha. 9 â&#x20AC;&#x201C; Nome prĂłprio feminino. Arraial. Isolado, Jaez. VERTICAIS 1 â&#x20AC;&#x201C; Cabo Verde. Parelha. 2 â&#x20AC;&#x201C; Caminharei. Seio de mulher. 3 â&#x20AC;&#x201C; NĂşcleo Regional do Alentejo (abr). Enganos. 4 â&#x20AC;&#x201C; Punha a data em. SĂ­mbolo de rĂĄdio. 5 â&#x20AC;&#x201C; Ligais. 6 â&#x20AC;&#x201C; SĂ­mbolo de libra. Favor pĂşblico. 7 â&#x20AC;&#x201C; 3RUpP&RQĂ&#x20AC;XrQFLDÂą6tPERORGHRXURÂą&RPLVVmRGH9DORUHV MobiliĂĄrios (abr). Casa. 10 â&#x20AC;&#x201C; RegiĂŁo AutĂłnoma (abr). Cabo Verde. 11 â&#x20AC;&#x201C; Sobrados. 12 â&#x20AC;&#x201C; Detestar. Ele. 13 â&#x20AC;&#x201C; Umas. Cabo Verde. 14 â&#x20AC;&#x201C; /LJDV,QIXQGDÂą'HSyVLWRSHOiJLFRGHJUmRÂżQR SO 5HWXPED

PRĂ&#x2030;MIOS â&#x20AC;&#x201C; Obra literĂĄria, oferta da PORTO EDITORA; 3UpPLRVXUSUHVDRIHUWDGHĂ&#x2C6;*8,$HQRÂżQDOGRPrVPDLV um prĂŠmio especial, um exemplar do Ăştil e valioso DicionĂĄrio da LĂ­ngua Portuguesa â&#x20AC;&#x201C; Colecção DicionĂĄrios Modernos, que inclui um CD-ROM, oferta da PORTO EDITORA. PRAZO PARA REMESSA DE SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES â&#x20AC;&#x201C; AtĂŠ ao dia GRSUy[LPRPrV ENVIO DE SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES â&#x20AC;&#x201C; Ernesto Lopes Nunes, Beco dos Unidos, n.Âş 3, Espadaneira, 3045 â&#x20AC;&#x201C; 162 Coimbra. PREMIADOS Passatempos n.Âş 279: Carlos Alberto de Brito AntĂŁo, de Ranholas, Sintra, com livro da PORTO EDITORA; Maria Adriana Silva, do Funchal, com prĂŠmio surpresa, oferta de MED-VET.

ENIGMA FIGURADO

Interpretando correctamente todos os símbolos e operaçþes apresentadas, encontrar-se-à uma conhecida expressão.

HORIZONTAIS 1 â&#x20AC;&#x201C; Fosforescente. 2 â&#x20AC;&#x201C; ArĂŁo. Sarar. 3 â&#x20AC;&#x201C; Laguna. Tanto. PaĂ­ses em desenvolvimento (abr). 4 â&#x20AC;&#x201C; Aquelas. DĂĄs. Nota musical. 5 â&#x20AC;&#x201C; Perpetuas. 6 â&#x20AC;&#x201C; Ligar. Tosquia. 7 â&#x20AC;&#x201C; Enxergas de palha. 8 â&#x20AC;&#x201C; Porco. Rochas. Agrupamento de pessoas. 9 â&#x20AC;&#x201C; GĂŠrmen. Suavidade. Alma. 10 â&#x20AC;&#x201C; Pessoa maçadora. Estilo pessoal. 11 â&#x20AC;&#x201C; Reuniras. VERTICAIS 1 â&#x20AC;&#x201C; Aperaltada. 2 â&#x20AC;&#x201C; Paz. Vitoriem. 3 â&#x20AC;&#x201C; ComĂŠrcio. Junta. 3DWRÂą3UHÂż[RGHQHJDomR3URSDJDU6tPERORGHDOXPtQLR 5 â&#x20AC;&#x201C; Gerar. Judicioso. 6 â&#x20AC;&#x201C; Descorara. 7 â&#x20AC;&#x201C; Movimento Associativo Nacional (abr). Goteira. 8 â&#x20AC;&#x201C; Pronto Socorro (abr). Ditos sarcĂĄsticos. Nociva. 9 â&#x20AC;&#x201C; Instituto de Anatomia PatolĂłgica (abr). Ermos. SĂłror. 10 â&#x20AC;&#x201C; Cair. Moreia. 11 â&#x20AC;&#x201C; Que ordena.

SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES Palavras Cruzadas â&#x20AC;&#x201C; Problema n.Âş 279: Horizontais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; RF, apicultor, fu. 2 â&#x20AC;&#x201C; alvĂŠolo, ditosas. 3 â&#x20AC;&#x201C; poial, mel, irava. 4 â&#x20AC;&#x201C; aro, ec, at, ror. 5 â&#x20AC;&#x201C; z, lano, cera, a. 6 â&#x20AC;&#x201C; faz, l, u, ais. 7 â&#x20AC;&#x201C; tu, ecos, asai, um. 8 â&#x20AC;&#x201C; amos, noite, doce. 9 â&#x20AC;&#x201C; los, colmeia, FOL. Verticais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; rapaz, WDOÂąĂ&#x20AC;RUIXPRÂąYLRODRVÂą$($D]HVÂąSyOHQFFÂą,/ colono. 7 â&#x20AC;&#x201C; com, sol. 8 â&#x20AC;&#x201C; u, e, im. 9 â&#x20AC;&#x201C; LDL, atĂŠ. 10 â&#x20AC;&#x201C; ti, acusei. 11 â&#x20AC;&#x201C; otite, a, a. 12 â&#x20AC;&#x201C; ror, raid. 13 â&#x20AC;&#x201C; sarai, of. 14 â&#x20AC;&#x201C; favo, suco. 15 â&#x20AC;&#x201C; usara, mel. Problema n.Âş 279/A: Horizontais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; Lis, bom, paz. 2 â&#x20AC;&#x201C; uvas, t, marĂŠ. 3 â&#x20AC;&#x201C; vĂł, ĂĄcido, ar. 4 â&#x20AC;&#x201C; anos, t, rudo. 5 â&#x20AC;&#x201C; er, tes, ro. 6 â&#x20AC;&#x201C; a, alisava, b. 7 â&#x20AC;&#x201C; petar, vinte. 8 â&#x20AC;&#x201C; Ave, apa, oil. 9 â&#x20AC;&#x201C; nĂł, anona, me. 10 â&#x20AC;&#x201C; ara, ora, dez. 11 â&#x20AC;&#x201C; ralo, o, rosa. Verticais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; luva, apanar. 2 â&#x20AC;&#x201C; Ivone, Ă&#x2030;vora. 3 â&#x20AC;&#x201C; sa, orate, al. 4 â&#x20AC;&#x201C; sas, la, a, o. 5 â&#x20AC;&#x201C; b, c, tirano. 6 â&#x20AC;&#x201C; otites, pĂłro. 7 â&#x20AC;&#x201C; m, d, savana. 8 â&#x20AC;&#x201C; mor, vi, a, r. 9 â&#x20AC;&#x201C; pĂĄ, Urano, dĂł. 10 â&#x20AC;&#x201C; arado, times. 11 â&#x20AC;&#x201C; zero, beleza. Leia o provĂŠrbio:'DPHVPDĂ&#x20AC;RUDDEHOKDWLUDRPHODYHVSDIHO (QLJPDÂżJXUDGR A abelha mestra nĂŁo tem sesta.


26

VINAGRETAS

02

w w w . campea o p r o vin cia s.co m V I N A G R E T A S

Ex-defesa ao ataque â&#x20AC;&#x201C; No debate da Ăşltima reuniĂŁo da Câmara de Coimbra sobre o projecto de reabilitação urbana para a ÂŤBaixaÂť e para a beira-rio, o vereador Ă lvaro Maia Seco (PS) disse que todo este trabalho pode ser em vĂŁo na medida em que, daqui a 15 meses, hĂĄ eleiçþes e, se a autarquia mudar de mĂŁos, o que ele questiona ĂŠ â&#x20AC;&#x153;aquilo que, QRĂ&#x20AC;PVHYDLDSURYHLWDUÂľ-RVp Belo (PSD) replicou tratar-se de uma â&#x20AC;&#x153;forma pequena de ID]HUSROtWLFDÂľDOHJDQGRTXH LVVROHYDR36DSHUGHUDOJXPDV HOHLo}HV´2VSURMHFWRVRXVmR bons ou sĂŁo maus, independentemente do calendĂĄrio ou da cor do partido, e este HVWXGRHVWUDWpJLFRpGLIHUHQFLDGRU H Ă&#x20AC;QDOPHQWH FDVD D cidade com o rio e a ÂŤBaixaÂť com a ÂŤAltaÂť; ĂŠ um verdadeiro FDGHUQRGHHQFDUJRVPXLWR UHVSRQVDELOL]DQWHSDUDWRGRVÂľ GLVVHDRDWDTXHRDQWLJRGHIHVDGD%ULRVD

FLR8PGRVSDVWRUHVSUHQGHX RVHXFDUQHLUR2RXWURSDVWRU nĂŁo achou bem: â&#x20AC;&#x153;oh vizinho QmRIDoDLVVRDRDQLPDO2V bichos querem-se livres, como DV SHVVRDVÂľ (X FRQFRUGR vizinho, mas como ĂŠ que vocĂŞ YDLVHJXUDURVHX"´2OKDYRX FDSiORÂľ4XDOTXHUVHPHOKDQoD HQWUHHVWDVLWXDomRHRVUHJLPHV polĂ­ticos do Estado Novo e RDFWXDOpPHUDFRLQFLGrQFLD 2EYLDPHQWH

Um Estado mentiroso â&#x20AC;&#x201C; 2(VWDGRYROWRXDIDOWDUj DVVHPEOHLD JHUDO GR 0HWUR 0RQGHJRTXHSRULVVRPHVPRIRLQRYDPHQWHDGLDGD( IH]EHPHPIDOWDU&RPRQmR tem nada para dizer, senĂŁo empalear o pessoal, o melhor pPHVPRGHL[DUVHĂ&#x20AC;FDU8PDV vezes nĂŁo vem, outras vem, SURPHWHHQmRFXPSUH$LQGD um dia se hĂĄ-de fazer a histĂłria GHVWHUDPDOGD/RXVm&RP educação e diplomaticamente o presidente de Coimbra mostrou uma relativa compreensĂŁo Sexo dispendioso â&#x20AC;&#x201C; Ă l- SDUDFRPPDLVHVWHDGLDPHQWR varo Maia Seco, vereador do Gostamos que o nosso prePS na Câmara de Coimbra, VLGHQWHVHMDHOHJDQWHQRWUDWR FRQVHJXLXGHEUXoDUVHVREUH seja com quem for, mas nĂŁo as centenas e centenas de pĂĄ- JRVWDPRVTXHOHYHDVXDFRPJLQDVGRHVWXGRUHDOL]DGRSHOD preensĂŁo alĂŠm da relação de Parque Expo com propostas FRQĂ&#x20AC;DQoDTXHRVHOHLWRUHVQHOH para a reabilitação urbana da GHSRVLWDUDP ´%DL[DÂľGDFLGDGHHGD]RQD ISCAC com muita GRULR2DVVXQWRIRLGHEDWLGR durante mais de trĂŞs horas na segurança ² 2 ,QVWLWXWR passada reuniĂŁo da Edilidade, Superior de Contabilidade FRPRDORQJDUGRVWUDEDOKRVD e Administração de CoimVHUDWULEXtGRWDPEpPjDUJX- EUD ,6&$&  WHP VHJXLGR mentação produzida pelo que uma linha de aproximação Ă jĂĄ foi presidente da sociedade comunidade, sendo curioso 0HWUR 0RQGHJR $FXVDGR notar as entidades com que de estar a querer discutir â&#x20AC;&#x153;o foram assinados protocolos VH[RGRVDQMRVÂľ0DLD6HFR de colaboração, durante o respondeu que se tratava de PrV GH -XOKR $VVRFLDomR XP´VH[RPXLWRFDURÂľ,VWR 6LQGLFDO GRV 3URĂ&#x20AC;VVLRQDLV SRUTXHVHJXQGRHOHRHVWXGR da PolĂ­cia; Associação Sintem incompatibilidades com o dical dos FuncionĂĄrios da TXHVHHQFRQWUDGHĂ&#x20AC;QLGRSDUD ASAE; Associação dos o Metro e pode â&#x20AC;&#x153;deitar para o Profissionais da Guarda; lixo um projecto que custou Associação SĂłcio-ProfisXPPLOKmRGHHXURVÂľ sional da PolĂ­cia MarĂ­tima; Sindicato Nacional do CorLivres mas capados â&#x20AC;&#x201C; po da Guarda Prisional; Havia dois pastores, cada um Sindicato da Carreira de FRPRVHXUHEDQKR(HPFDGD ,QYHVWLJDomRH)LVFDOL]DomR rebanho havia um carneiro GR6HUYLoRGH(VWUDQJHLURV LUUHTXLHWRIRJRVRHFXOWLYDGRU H)URQWHLUDV6yIDOWDPHVdos maus costumes sempre PRXPDDVVRFLDomROLJDGD que lhe cheirava a ovelha com j3ROtFLD-XGLFLiULD

QUINTA-FEIRA

S E A R A

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

A L H E I A

´&DGDYLVLWDGHXPJRYHUQDQWHDRSDtVUHDODUULVFDD VHUSDOFRGHXPDPDQLIHVWDomR0DVpH[DJHUDGRFRQFOXLU TXH HVWH p XP 9HUmR TXHQWH GH SURWHVWRV e YHUGDGH TXHRVSRUWXJXHVHVWrPUD]}HVGHLQVDWLVIDomRPDVHVWH GHVFRQWHQWDPHQWRGLIXVRDLQGDQmRpYLVtYHOQDUXD$V manifestaçþes, como a de Cantanhede, tĂŞm uma marca SURĂ&#x20AC;VVLRQDOGR3&3HGD&*73$PDLRULDGRVSRUWXJXHVHVFRQWLQXDVLOHQFLRVDÂľ Armando Esteves Pereira, no Correio da ManhĂŁ de 26/07/2012 â&#x20AC;&#x153;Foi quase cĂłmico ver a Esquerda a fazer-se de desentendida com as palavras de Passos Coelho, quando GLVVHŠDVHOHLo}HVTXHVHOL[HPÂŞ)LFDUDPRIHQGLGtVVLPRV HWRPDUDPDVGRUHVGRVPDOWUDWDGRVHLQGHIHVRVHOHLWRUHV  0DVQmRSHUFHEHUDPTXDOSDUWH"6HULDULVtYHOVHQmR IRVVHWUiJLFRÂľ LuĂ­s Campos Ferreira, presidente da ComissĂŁo de EconoPassos vaiado I â&#x20AC;&#x201C; $QWHVGDFKHJDGDGRSULPHLURPLQLVWUR mia e Obras PĂşblicas, no Correio da ManhĂŁ de 26/07/2012 DRODUJRIURQWHLURj&kPDUD0XQLFLSDOGH&DQWDQKHGHQR passado dia 25, jĂĄ a Fanfarra dos Bombeiros VoluntĂĄrios da ´7RGRVVDEHPTXDOpDSURSDJDGDDOWHUQDWLYDTXHR ORFDOLGDGHSURFXUDYDDEDIDURVDVVRELRVDVYDLDVHRVJULWRVGH PS anda a vender para vencer eleiçþes: ĂŠ tudo fĂĄcil, ĂŠ tudo SDODYUDVGHRUGHP'HVDJUDGDGRVFRPRIUHQWHDIUHQWHFRP QRVVRpSDUDOL[DUWXGRRXWUDYH]1mRSRGHVHUÂľ DTXHOHJUXSRRVPDQLIHVWDQWHVIRUDPPHVPR´REULJDGRVÂľD Idem, Ibidem PXGDUGHSRVLomRFRPRĂ&#x20AC;WRGHRVVHXVSURWHVWRVVHUHPPDLV SHUFHSWtYHLVDRFKHIHGH*RYHUQR ´$ FULVH GRV HVSDQKyLV YDL GHVHPERFDU HP UHVJDWH Ă&#x20AC;QDQFHLUR PDV QmR p SRU Mi WHUPRV HVVD GHVJUDoD TXH PHUHJR]LMDYrODHVWHQGLGDDRXWURV0DLVDWpHVWRXPDLV SUHRFXSDGRFRPHOHVGRTXHFRQQRVFR  2PXQGRGRV QRVVRVYL]LQKRVHVWiSHULJRVR3URYDYHOPHQWHQmRKDYHUi JXHUUDPDVLVVRQmREDVWDSDUDQmRKDYHUWUDJpGLDÂľ Ferreira Fernandes, no DiĂĄrio de NotĂ­cias de 26/07/2012

F _____ R _____ A Passos vaiado II â&#x20AC;&#x201C; Ă&#x20AC; espera de Pedro Passos Coelho, junto Ă porta do edifĂ­cio camarĂĄrio de Cantanhede, estavam cerca de duas centenas de manifestantes que empunhavam cartazes, IDL[DVHEDQGHLUDVRQGHVHSRGLDPOHU´Ă?SiYDLWHHPERUDÂľH ´&ULVHTXHPDPRQWRXTXHDSDJXHÂľ%HPDĂ&#x20AC;QDGRVRVPDQLIHVWDQWHVGHUDP´VKRZÂľSDUDDVWHOHYLV}HV'XUDQWHPDLVGH XPDKRUDD´PDQLI ÂľFRPDQGDGDSRU0iULR1RJXHLUDH$QWyQLR Moreira animou a praça do municĂ­pio com as suas rimas, como ´'HVHPSUHJRHP3RUWXJDOpYHUJRQKDQDFLRQDOÂľ´2VGLUHLWRV FRQTXLVWDGRVQmRVmRSDUDVHUHPURXEDGRVÂľH´3DUDDEDQFDVy PLOK}HVSDUDRVVDOiULRVQHPWRVW}HVÂľ&RQWXGRQDPDLRULDGR WHPSRDSODWHLDHUDEDVLFDPHQWHFRPSRVWDSRU*15

Passos vaiado III â&#x20AC;&#x201C; Desta vez Pedro Passos Coelho QmRVHGLULJLXDRVPDQLIHVWDQWHVHPERUDWHQKDSDUDGREUHYHV instantes, de frente para eles a ouvir a Fanfarra dos Bombeiros 9ROXQWiULRVGH&DQWDQKHGH)D]HQGRRXYLGRVPRXFRVDRV SURWHVWRVRSULPHLURPLQLVWURIRLFXPSULPHQWDGRSRUDOJXQV populares e falou com duas crianças do rancho folclĂłrico da FLGDGHTXHUHDOoDUDPTXHDTXHOHHUDXPGLDGHIHVWD$IHVWD depois continuou no salĂŁo nobre da autarquia, jĂĄ num ambiente EHPPDLVFRUGLDO

Alma de Coimbra lembrou AmĂĄlia â&#x20AC;&#x201C; No passado GRPLQJRQR3DQWHmR1DFLRQDO ,JUHMDGH6DQWD(QJUiFLD  em Lisboa, o coro Alma de Coimbra deu um concerto de KRPHQDJHPjGLYDGRIDGR´/HPEUDU$PiOLDÂľWDPEpP com a participação de MĂ­sia, foi um espectĂĄculo fundamentalmente constituĂ­do por mĂşsicas que foram interSUHWDGDVSHODJUDQGHVHQKRUDGRIDGR6REDRULHQWDomR GRPDHVWUR$XJXVWR0HVTXLWDRFRUR$OPDGH&RLPEUD LQWHUSUHWRXRVWHPDV´5RPDJHPj/DSDÂľ´2)DGRGH &DGD 8PÂľ ´0HQLQD GRV 2OKRV 7ULVWHVÂľ H ´/iJULPDÂľ HQTXDQWR 0tVLD FDQWRX ´;DLOH GH 6LOrQFLRÂľ ´5DSVyGLD )DGR$QWLJRÂľ´20DQWRGD5DLQKDÂľH´/iJULPDÂľ$DUWLVWDHRFRURLQWHUSUHWDUDP´)DGR3RUWXJXrVÂľ´*DLYRWDÂľ ´6{GDGHÂľH´$PiOLDÂľSDUWLFLSDQGRQRHVSHFWiFXORFRPR LQVWUXPHQWLVWDV,QrV0HVTXLWD SLDQR 'DQLHO7DSDGLQKDV WURPSHWH 6DQGUR'DQLHO&RVWD JXLWDUUD -RmR%HQJDOD YLROD HFRPRFRQYLGDGR0DQXHO5RFKD YLROLQR 

Serviços Centrais: Baixa - Avenida Fernão Magalhães nº.92, 3000-607 Coimbra tel: 239855855 fax: 239855851 | Celas - 239854080 | Vale das Flores - 239793930 Solum - 239792079 | Quinta da Vårzea - 239440666 | Lousã - 239994033 Fig. da Foz - 233403060 | Aveiro - 234425999 | Condeixa - 239944666 | Portela - 239793939

29077

PUBLICIDADE


02

QUINTA-FEIRA

DE JULHO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

VOLTA A PORTUGAL EM BICICLETA

27

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

74.ª edição realiza-se de 15 a 26 de Agosto

Oliveira do Hospital recebe 1.ÂŞ etapa numa prova que se decide ao Centro A regiĂŁo Centro esta- mios de primeira e segunda rĂĄ em foco na 74.ÂŞ Volta categorias. a Portugal em Bicicleta, A prova terĂĄ o seu prĂłnĂŁo apenas com o arran- logo a 15 de Agosto, em que da prova, no dia 15 de Agosto 15 a 26 Agosto 2012 com o prĂłlogo em Castelo Branco, mas logo no dia seguinte com Oliveira do Hospital a receber a final da 1.ÂŞ etapa, que decorrerĂĄ desde as Termas de Monfortinho. Depois de a Volta rumar a Norte, de 16 a 20 de Agosto, regressarĂĄ Ă regiĂŁo Centro para o Ăşltimo terço da prova e com muita Serra da Estrela, a 23 e 24 de Agosto, e um contra-relĂłgio decisivo a 25 de Agosto. No ano em que se comemoram 85 anos de Volta, a edição de 2012 vai ter duas etapas de montanha seguidas, a sĂŠtima, que Castelo Branco, com um ligarĂĄ Gouveia ao Sabugal contra-relĂłgio individual (185,3 quilĂłmetros), com de dois quilĂłmetros de cirdois prĂŠmios de montanha cuito urbano, partindo para (dois de terceira categoria), a segunda etapa, â&#x20AC;&#x153;uma das e a oitava, entre a Guarda mais exigentesâ&#x20AC;? de acordo e a Torre, em Seia (154,9 com o director da prova, quilĂłmetros), com dois prĂŠ- Joaquim Gomes, que ligarĂĄ

Monfortinho a Oliveira do Hospital, em 200,8 quilĂłmetros. Um dos percursos mais

míticos da prova surge ao quinto dia, na quarta etapa, com a subida à Senhora da Graça, depois da ligação entre Viana de Castelo a Mondim de Basto, num total de 151,9 quilómetros, com três prÊmios de mon-

tanha, o Ăşltimo dos quais de primeira categoria, na chegada. A anteceder a jornada de descanso, a sexta etapa promete alguma tranquilidade. A partida serĂĄ dada em Aveiro e haverĂĄ passagens na Serra d o B u ç a c o, MortĂĄgua, Vouzela e SĂŁo Pedro do Sul antes de terminar no fantĂĄstico palco que representa a Avenida Europa, em Viseu. Depois da festa do ciclismo, Ă noite seguese a festa da mĂşsica com o grande â&#x20AC;&#x153;Concerto da Voltaâ&#x20AC;? com JoĂŁo Pedro Pais. A marcar nas agendas: dia 21 de Agosto pelas 22h00, na Feira de SĂŁo Mateus, um evento realizado em parceira com o MunicĂ­pio de Viseu e a Expovis. No dia seguinte, 22 de Agosto, quarta-feira, a caravana estarĂĄ de folga.

&RPRSHORWmRSURĂ&#x20AC;VVLRQDO a recuperar dos muitos quilĂłmetros jĂĄ pedalados desde Castelo Branco, serĂĄ o momento dos cicloturistas saĂ­rem Ă rua devidamente equipados para medirem forças na â&#x20AC;&#x153;Etapa da Volta RTPâ&#x20AC;? que tem partida e chegada a Viseu. Cumprida a jornada de repouso inicia-se a derradeira fase da 74.ÂŞ Volta a Portugal Liberty Seguros. Gouveia darĂĄ a partida para a sĂŠtima etapa, tendo o pelotĂŁo pela frente um percurso embelezado pela passagem na aldeia histĂłriFDGH6RUWHOKDHGLĂ&#x20AC;FXOWDGR por uma escalada atĂŠ Ă  Guarda antes da conclusĂŁo no Sabugal que se estreia FRPRĂ&#x20AC;QDOGHHWDSD Com o fim da prova Ă  vista estarĂĄ ainda tudo por decidir e sem tempo para recuperar fĂ´lego, o pelotĂŁo vai regressar Ă  alta montanha. A oitava etapa serĂĄ rainha, a 24 de Agosto, com um sobe e desce constante na Serra da Estrela. A caravana sairĂĄ da Guarda e

passando pela CovilhĂŁ subirĂĄ atĂŠ Ă s Penhas da SaĂşde. Depois de treparem os corredores vĂŁo fazer a descida sinuosa atĂŠ Manteigas para daĂ­ pedalarem novamente, serra acima, para as Penhas Douradas. Antes da subida por Seia haverĂĄ ainda uma passagem por Gouveia e deSRLVQRVTXLOyPHWURVĂ&#x20AC;QDLV o espectĂĄculo estarĂĄ ao rubro a caminho da Torre (Seia) com milhares de pessoas a assistir Ă  chegada dos herĂłis do asfalto. Com a classificação mais ordenada haverĂĄ ainda uma prova de esforço individual para a elite dos corredores que anseiam terminar de amarelo. Todos os que sobreviveram Ă  Torre terĂŁo pela frente, na nona etapa, um contrarelĂłgio, entre PedrĂłgĂŁo e Leiria, para mostrarem o que valem. No Ăşltimo dia, 26 de Agosto, serĂĄ Sintra a apadrinhar a saĂ­da da dĂŠcima e derradeira etapa que vai terminar em Lisboa.

PUBLICIDADE

919 296 098 Rua Dr. Francisco Martins - ChĂŁo de Lamas 3220-015 Miranda - do Corvo

Materiais de Construção Desaterros e Terraplanagens Sede: E.N.1 - Outeiro da Ranha - 3105-408 VERMOIL - Pombal Depósito de Materiais: Rua Carlos Ramos, Lote 6 - 3200-095 Lousã E-mail.: macoplus@gmail.com

op

Corrente â&#x20AC;&#x201C; 3020-165 Coimbra - Tlf. 239 496 613 - Fax: 239 496 614 - GSM: 965 000 423

31764

31827

GĂ S, REDES, MONTAGENS, APARELHOS, UNIP., LDA.

31762

EXIGENOTA

31817

PUBLICIDADE

31822

31770

Catraia S. Paio - 3400-002 Oliveira do Hospital Telef.: 238 604 438 - 238 603 638 - Fax: 238 603 236 E-mail: geral@olisei.pt | www.olisei.com

31777

Transportes de Mercadorias Rua Jaime CortesĂŁo, 38-1.Âş Esq. - Santa ApolĂłnia 3020-101 COIMBRA - Telem. 917 374 342


28

ÚLTIMA www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

02

QUINTA-FEIRA

DE AGOSTO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

jornal635_02_08_2012  

Edição em PDF do semanário Campeão das Províncias n.º 635 de 02/08/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you