Page 1

31041

PASTELARIA, PĂƒO QUENTE PA (todo o dia) ( (to

FONTE NOVA

29774

Av. Infante D. Pedro EdifĂ­cio Rossaio - Penela

PREÇO 0,75\ | 2ª SÉRIE | ANO 12 | Nº 607 | 19 JANEIRO DE 2012 DIRECTOR LINA VINHAL | www.campeaoprovincias.com | telef. 239 497 750 | fax 239 497 759

Sindicalismo com IndependĂŞncia

FRIO INDUSTRIAL E COMERCIAL | EQUIPAMENTOS HOTELEIROS

INFRIHOT COMERCIALIZAĂ‡ĂƒO DE EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAĂ‡ĂƒO, LDA

31060

Telem.: 966 462 284 www.prosweeper.com.pt info@prosweeper.net

31039

8PD(TXLSDGHSURÂżVVLRQDLVVpULRV competentes e com largos anos de experiĂŞncia que garantem XPVHUYLoROLPSRHHÂżFD]

AR CONDICIONADO | ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Estrada Principal de LordemĂŁo | Telef.: 239 491 100 - Fax: 239 491 101 | 3020-244 COIMBRA | infrihot@sapo.pt 31061

Empresa municipal ĂŠ pioneira a nĂ­vel nacional

à guas de Coimbra exporta serviços

Tlm. 938 422 057 | Luis Costa | luismjcosta@gmail.com

ASILCOL

AGRICULTURA E SILVICULTURA, LDA. Produção Própria

quanto a Ă guas de Coimbra serve 83 000 clientes, a AgBar presta serviço a 13 milhĂľes de habitantes, sĂł em Espanha. Para alĂŠm disso possibilita “a rentabilização de outro tipo de projectos de investigação e inovação,  

     se tornariam viåveis�. A empresa municipal à guas de Coimbra foi considerada, em 2010,

31040

/(1+$6‡%$7$7$6‡+257Ă‹&2/$6‡)587$6‡/(*80(6(287526 BATATAS DAS MELHORES QUALIDADES LENHAS SECAS PARA AQUECIMENTO 7HOPV‡ Estrada da Cidreira - Porto de Santiago - Coimbra

Sistemas de Regas Automåticas | Poda em todo o tipo de årvores Assentamento de pedra natural para jardins | Assentamento de piscinas e relva sintÊtica | ORÇAMENTOS GRà TIS Tlf. 236 968 177 - Fax: 236 962 351 - Tlm. 918 606 561 (PDLOSULYLOHJLR#VDSRSW0RLWDGR%RL/RXULoDO

31042

municipais em Portugal, a à guas de Coimbra apresenta-se como a primeira empresa municipal no país a sair do seu concelho e a procurar alargar a sua actividade, inclusivamente exportando os seus serviços e gerando riqueza com base na sua experiência�, refere a AC em comunicado. Segundo a AC, o acordo permite abrir portas para um mercado de muito maior dimensão, pois en-

INSTALAĂ‡ĂƒO

31064

A Ă guas de Coimbra (AC), que tem vindo a criar condiçþes de crescimento sustentado a mĂŠdio prazo, assina, hoje, pelas 12h00, com a espanhola AgBar, uma das maiores empresas de gestĂŁo de ĂĄgua do mundo, um acordo pioneiro que permitirĂĄ Ă  entidade municipal internacionalizar os seus serviços. “Numa altura em que tanto se fala dos prejuĂ­zos das empresas

Âť electricidade Âť FDQDOL]Do}HV Âť aquecimentocentral

(Continua na pĂĄgina 4)

           

Greve pode colocar em causa recolha de lixo          



       

        

     !" #     $ %

    &ministração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP). Entre 21 de Janeiro e 29 de Abril, estarå em causa a realização de trabalho extraordinårio pelos funcionårios afectos aos serviços de Higiene e Limpeza Urbana da Câmara Municipal de Coimbra. O vereador titular do pelouro do Ambiente, Luís Providência, reconheceu que a greve vai afectar o serviço de recolha de lixo mas disse que o Município de Coimbra não prevê adoptar qualquer medida tendente a minorar os seus efeitos. Pågina 4

Agência Condeixa-a-Nova: Av. Visconde de Alverca, 32 (junto à Segurança Social)

Tlf. 239 941 446 9LVLWHQRVWDPEpPHP Pombal - Tlf. 236 107 879 FĂĄtima - Tlf. 937 369 665

www.vantagem-portugal.com

Todas as semanas um “mimo� para si...

Refeiçþes råpidas Petiscos Charcutaria

30936

Aceitamos encomendas

Pastelaria Padaria

31063

Bolos para momentos festivos Sobremesas Sortidos Queijadas de Pereira Doces Conventuais

30878

29078

PUBLICIDADE

Castanheiro Um Cliente... ...um amigo! Agora aberto tambĂŠm aos domingos

Avenida Urbano Duarte 92, 96 Visite-nos Junto ao novo edifĂ­cio da EDP 3030-215 Coimbra Telm. 965 869 802 / 932 842 391 Mail: padaria.pastelaria.castanheiro@sapo.pt

(VWpWLFD Tratamentos de Corpo e Rosto Tattoos / Piercings Produtos e Acessórios Linha Corpo &HQWUR&RPHUFLDO)R]3OD]D/M_)LJXHLUDGD)R] Telef. 233 413 223 | Tlm. 963 035 111 | orq.cabeleireiros@hotmail.com ABERTO TODOS OS DIAS DAS 10H ÀS 23H 29098


POLĂ?TICA

2

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Debate promovido pelo Clube de Coimbra

Alegre alerta para os riscos de nos acenarem sĂł com o neoliberalismo e a democraciaâ€?, considerou o escritor. O ex-candidato presiNeste contexto, o antigo dencial Manuel Alegre alertou, vice-presidente da Assembleia esta semana, em Coimbra,  + *    para os riscos inerentes Ă  anterior primeiro-ministro, “convicção generalizadaâ€? de JosĂŠ SĂłcrates, devia ter reque o Ăşnico caminho da so- nunciado ao cargo quando, ciedade ĂŠ o do neoliberalismo hĂĄ 10 meses, Cavaco Silva foi e exortou ao ressurgimento da reempossado como Chefe do luta ideolĂłgica. Estado. Ao ser reeleito, a 23 â€œĂ‰ terrĂ­vel a convicção de Janeiro de 2011, Cavaco generalizada de que nĂŁo hĂĄ Silva proferiu um discurso que outro caminhoâ€? [se nĂŁo o do suscitou bastantes crĂ­ticas de neoliberalismo], advertiu o alguns sectores da sociedade poeta, vincando ser impossĂ­vel portuguesa. viver “sem esperança, sem hoSegundo Manuel Alegre, rizonte e sem uma perspectiva a Direita tem medo que o de futuroâ€?. Partido Socialista se demarque Candidato Ă  Chefia do do memorando subscrito Estado em 2006 e 2011, Ale- por Portugal e pela ÂŤtroikaÂť gre falou, segunda-feira, de (ComissĂŁo Europeia, Fundo “RepĂşblica e cidadania - Os MonetĂĄrio Internacional e    Banco Central Europeu). Direito democrĂĄticoâ€?, durante “O PS nĂŁo pode ter qualum debate promovido pelo quer compromisso com o Clube de Coimbra, associação projecto ultraliberal e ultraconcĂ­vica constituĂ­da por militan- servador do actual Governoâ€?, tes e simpatizantes do PS.

     “A globalização, como dente do Parlamento. estĂĄ, pĂľe em risco Portugal A primeira versĂŁo do reR.A.

ferido memorando, indispensĂĄvel para Portugal obter um emprĂŠstimo de 78 mil milhĂľes de euros, foi assinada pelo anterior Executivo, liderado por JosĂŠ SĂłcrates, que desfrutou para o efeito do apoio do PSD e do CDS/PP. Para o ex-candidato presidencial e antigo deputado, cabe ao PS “conglomerar os cidadĂŁos descontentesâ€? e cabe Ă  Esquerda defender o Estado social e o Estado de Direito democrĂĄtico, ambos em risco na opiniĂŁo de vĂĄrios intervenientes num jantar organizado pelo Clube de Coimbra. Ao alertar para a “importância estratĂŠgica do Estadoâ€?, o autor da “Trova do vento que passaâ€? disse ser indispensĂĄvel haver “coragem para enfrentar a ditadura dos mercadosâ€? e os        ! Segundo o orador, o colapso da UniĂŁo SoviĂŠtica nĂŁo abriu caminho Ă  social-democracia, abriu-o ao capitalismo global, sendo, por isso, necessĂĄria uma polĂ­tica alternativa.

A cartilha do Governo, segundo LuĂ­s ParreirĂŁo

Potencial candidato do PS à presidência da Câmara <  

=>?

    â&#x20AC;&#x153;Angela Merkel, Sarkozy, Governo faria aquilo que estĂĄ a fazer, em nome de a ComissĂŁo Europeia e outros uma agenda pautada pelo neoliberalismo, ainda que dirigentes nĂŁo estĂŁo preocunĂŁo houvesse crise econĂłmica e social. pados com as pessoas, estĂŁo Para agir como age, o Executivo de Pedro Passos preocupados com os banCoelho, â&#x20AC;&#x153;do ponto de vista ideolĂłgicoâ&#x20AC;?, nĂŁo precisacosâ&#x20AC;?, considerou Alegre, que ria da crise, opinou o gestor, acrescentando que ela ĂŠ elogiou o antigo Presidente   :   

@ 

   da França Charles de Gaulle. alguma coisaâ&#x20AC;?. Do ponto de vista do Jurista, ex-secretĂĄrio de Estado, antigo presidente ex-candidato presidencial, a da Associação AcadĂŠmica de Coimbra e outrora lĂ­der Esquerda encontra-se â&#x20AC;&#x153;ideodistrital do Partido Socialista, LuĂ­s ParreirĂŁo rotulou de logicamente desarmadaâ&#x20AC;? e a â&#x20AC;&#x153;dramaticamente preocupanteâ&#x20AC;? a actual conjuntura e democracia representativa, tal preconizou â&#x20AC;&#x153;propostas alternativas radicaisâ&#x20AC;? apesar de como existe, estĂĄ incapaz de se considerar um polĂ­tico de matriz moderada. se defender. â&#x20AC;&#x153;Pior do que a defesa de um Estado magro ĂŠ a Outro ex-deputado, o proposta de um Estado fracoâ&#x20AC;?, concluiu. psiquiatra Eurico Figueiredo, Antigo ministro dos Assuntos Sociais e co-funco-autor do livro â&#x20AC;&#x153;PĂĄtria utĂłdador do PS, AntĂłnio Arnaut disse que socialismo  4  :  ĂŠ, hoje em dia, a socialização dos direitos humanos zação, como estĂĄ, vai reduzir fundamentais. os europeus Ă  condição de JosĂŠ de Faria Costa, catedrĂĄtico de Direito, precotrabalhadores chinesesâ&#x20AC;?. V  W :     â&#x20AC;&#x153;A democracia estĂĄ conreceio de fazer travessiasâ&#x20AC;?. frontada com um grave proEx-reitor da Universidade de Coimbra, Rui AlarcĂŁo     ; 4 citou Miguel Torga para dizer que a esperança nunca opinou, acrescentando que ela desespera, mas alertou para a necessidade de ela ser sĂł pode ser restaurada com a fortalecida. abertura dos partidos polĂ­ticos Ă  sociedade civil. truturas partidĂĄriasâ&#x20AC;?, enfatizou Alegre afirmou que â&#x20AC;&#x153;sĂł Ă  â&#x20AC;&#x153;NĂŁo me peçam para o psiquiatra. força os partidos se abrem Ă  dizer aquilo que penso das esA este propĂłsito, Manuel sociedade civilâ&#x20AC;?.

Urbanismo

Fernando Carvalho foi homenageado na LousĂŁ

CMC contesta decisĂŁo judicial de nulidade dos Jardins do Mondego

Reconhecimento unânime de um notåvel percurso autårquico

A Câmara Municipal de Coimbra vai interpor recurso, junto do Tribunal Central Administrativo do Norte (TCAN), acerca de uma decisĂŁo judicial de primeira instância a declarar a â&#x20AC;&#x153;nulidade totalâ&#x20AC;? dos 18 lotes da urbanização Jardins do Mondego. Segundo o gabinete do vereador Paulo LeitĂŁo, â&#x20AC;&#x153;uma das questĂľes centraisâ&#x20AC;? a submeter ao escrutĂ­nio da segunda instância prende-se com o facto de o acĂłrdĂŁo do Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra (TAFC) ser dissonante da conclusĂŁo de um relatĂłrio pericial. A autarquia assinala o facto de a perĂ­cia concluir, â&#x20AC;&#x153;clara e inequivocamenteâ&#x20AC;?, pela coerĂŞncia urbanĂ­stica do empreendimento imobiliĂĄrio independentemente de o TCAN ter posto em xeque os lotes 01 e 18. Neste contexto, a CMC recorda ter sido aprovada, â&#x20AC;&#x153;sem contestação ou reparoâ&#x20AC;?, uma alteração ao loteamento a contemplar a supressĂŁo do primeiro lote e do 18Âş. e a cons     W 

  a zona verde de uso pĂşblico. Como noticiou o â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?, em primeira-mĂŁo, atravĂŠs da edição electrĂłnica, os juĂ­zes Tiago de Miranda, Joaquim

Cruzeiro e JosĂŠ Ferreira Gapo, do TAFC, invocaram violação de vĂĄrias normas contidas no artigo 39Âş. do Regulamento do Plano Director Municipal (PDM) conimbricense. Para o TAFC, â&#x20AC;&#x153;deixa de haver coerĂŞnca urbanĂ­stica do loteamento se se prescindir de tudo o projectado para os lotes 01 e 18â&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; claro (...) que sem alguns elementos dos que estavam projectados para a ĂĄrea do lote 18, designadamente os acessos rodoviĂĄrios Ă  urbanização e as condutas de abastecimento de ĂĄgua, gĂĄs, electricidade e telefone (...), a urbanização perde todo o sentidoâ&#x20AC;?, acentuam os juĂ­zes de primeira instância, cujo acĂłrdĂŁo arrasa a referida perĂ­cia efectuada. O TAFC declarou a â&#x20AC;&#x153;nulidade totalâ&#x20AC;? de quatro deliberaçþes camarĂĄrias â&#x20AC;&#x201C; trĂŞs delas do Ăşltimo mandato de Manuel Machado (1998 a 2001) â&#x20AC;&#x201C; e de um despacho do outrora director de urbanismo JosĂŠ Eduardo SimĂľes. A deliberação tomada no primeiro mandato de Carlos Encarnação, em 2004, deferiu uma alteração ao loteamento, pela qual, alĂŠm do mais, foi criado o 18Âş. lote (com a ĂĄrea

de 5 362 metros quadrados), concebido exclusivamente para estacionamento de acesso público (subterrâneo), sob ex 

;     a superfície vocacionada para arruamentos, passeios, estacionamento e espaços verdes. O despacho de Eduardo Simþes, emitido em 2005, autorizou a construção no lote 01 de um edifício para comÊrcio e habitação (com seis pisos acima do solo e dois abaixo). O lote 18º. foi destinado a estacionamento público com capacidade para 135 viaturas (sob o conceito de exploração comercial). Ao lote 01 correspondeu a construção de 43 fogos e de outros tantos lugares de estacionamento, bem como de quatro lojas.

Fernando Carvalho, que hĂĄ cerca de dois meses encerrou um longo percurso autĂĄrquico no concelho da LousĂŁ, foi homenageado no Ăşltimo   ! O ex-presidente da Câmara recebeu a Medalha de MĂŠrito Concelhio e palavras de gratidĂŁo de dezenas de autarcas e responsĂĄveis polĂ­ticos que, numa cerimĂłnia de reconhecimento onde esteve mais de um milhar de pessoas, enalteceram as qualidade do outrora edil e o testemunho que ele deixou, no exercĂ­cio de funçþes pĂşblicas. â&#x20AC;&#x153;Valeu a pena ter sido presidente da Câmara Municipal da LousĂŁâ&#x20AC;?, disse Fernando Carvalho, emocionado e grato a todos os que, ao longo de um percurso de 29 anos, com ele colaboraram e o apoiaram

nos mais diversos momentos da vida política. Vårias vezes eleito pelo PS, Fernando Carvalho, que no início de Novembro de 2011 renunciou ao mandato de presidente da Câmara, funçþes que exerceu durante 12 anos, declarou que nunca teve a ambição de exercer este cargo. Contudo, reconhece, esses objectivos alteraram-se a partir do momento em que os eleitores  

 ! Militantes e simpatizantes do PS, autarcas de vårias forças partidårias, presidentes de câmara de concelhos vizinhos, >  

  V

 

 sentes numa cerimĂłnia em que Fernando Carvalho foi recebido, sobretudo, entre amigos e pessoas que o admiram.

O social-democrata Jaime Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares, reconheceu no homenageado â&#x20AC;&#x153;um homem de grandes ideias, de grandes projectos, mas acima de tudo, de sentimentos elevadosâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Fernando Carvalho dig  

   para os seus opositores com respeitoâ&#x20AC;?, sublinhou o presidente da Federação Distrital de Coimbra do PS, MĂĄrio Ruivo. LuĂ­s Antunes, que herdou do antigo edil a presidĂŞncia do MunicĂ­pio da LousĂŁ, disse es 



  

  lembrou que â&#x20AC;&#x153;a determinação, a competĂŞncia, a seriedade e a ambiçãoâ&#x20AC;? demonstradas por Fernando Carvalho serĂŁo fonte de inspiração.

Encontro de Coimbra lança protesto para Maio

Activistas exigem mudança do sistema político Mobilizados para uma mudança global do sistema político, os activistas que participaram no Encontro Nacional de Assembleias Populares decidiram agendar uma acção de protesto a nível nacional, que deverå rea-

lizar-se no dia 12 de Maio. '*    reunidos na República dos Kågados e no Ateneu de Coimbra, os cerca de 50 participantes nesta iniciativa começaram a preparar a acção reivindicativa destinada a assinalar o primei-

ro aniversårio da contestação que começou em Madrid, a 15 de Maio de 2011, e que rapidamente se espalhou por diversas cidades de Espanha e de Portugal. O primeiro encontro nacional, em que estiveram

presentes grupos de Lisboa, Porto, Braga e SantarĂŠm, foi organizado pela Acampada de Coimbra, colectivo que durante vĂĄrios meses promoveu acçþes de protesto junto Ă  igreja de Santa Cruz, na â&#x20AC;&#x153;Baixaâ&#x20AC;? da cidade.


QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

3

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Alvo de seis inquĂŠritos

Ex-autarcas escrevem sobre o Metro Mondego

Evidente necessidade de aprender com os erros GERALDO BARROS

Os autores do livro â&#x20AC;&#x153;Como NĂŁo Decidir Uma Obra PĂşblica â&#x20AC;&#x201C; Um Metro da RazĂŁo ao Erroâ&#x20AC;?, apresentado esta semana em Coimbra, dizem que o escreveram por um â&#x20AC;&#x153;dever de cidadaniaâ&#x20AC;? e nĂŁo porque havia um sentimento de angĂşstia a pedir catarse. A obra, com chancela da editora Almedina, deixa para os leitores o tecer de consideraçþes opinativas sobre o projecto do Metro Mondego, iniciado hĂĄ mais de 15 anos e, ainda, sem concretização. Carlos Encarnação, outrora presidente da Câmara de Coimbra, em co-autoria com o engenheiro JoĂŁo Rebelo, vereador e membro do Conselho de Administração da Sociedade Metro Mondego, optaram por apresentar â&#x20AC;&#x153;da forma mais factual e objectiva possĂ­velâ&#x20AC;? o historial de todo o processo, JoĂŁo Paulo Barbosa de Melo, que hoje preside ao MunicĂ­pio de Coimbra, espera que

o testemunho do seu antecessor e do antigo vice-presidente da autarquia â&#x20AC;&#x153;possa ajudar a construir o futuro da cidadeâ&#x20AC;?. Se, por um lado, o livro tem o cuidado de ser muito factual e objectivo, o edil reconhece que esta ĂŠ, tambĂŠm, â&#x20AC;&#x153;uma obra pedagĂłgicaâ&#x20AC;?, pois permite que cada um forme o seu prĂłprio juĂ­zo de valor sobre um processo que demora hĂĄ tempo demais. â&#x20AC;&#x153;Faltou a conjugação de vontadesâ&#x20AC;?

JoĂŁo Paulo Barbosa de Melo diz que ĂŠ mais importante aprender com os erros cometidos e defende o avanço de um projecto que, na sua opiniĂŁo, sĂł tem sentido â&#x20AC;&#x201C; sobretudo do ponto de vista do equilĂ­brio    Z@

  nårio Ramal da Lousã à criação de linhas urbanas citadinas, com ligaçþes aos Hospitais da Universidade de Coimbra e aos pólos da Universidade, atravÊs de um sistema ligeiro

de elĂŠctrico de superfĂ­cie. Fernando Nunes da Silva integrou o primeiro Conselho de Administração da sociedade Metro Mondego. Conhecedor e interveniente no processo, em diferentes ocasiĂľes, o engenheiro constata que â&#x20AC;&#x153;os problemas surgiram quando chegou a hora de passar a obra do papel para o terrenoâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Faltou a conjugação de vontades e isso ĂŠ que fez descarrilar o projectoâ&#x20AC;?, sustenta. Sobre o livro â&#x20AC;&#x153;Como NĂŁo Decidir Uma Obra PĂşblicaâ&#x20AC;?, diz ter sido concebido com â&#x20AC;&#x153;uma objectividade quase obsessivaâ&#x20AC;? e que, mesmo sem ter patente a opiniĂŁo dos seus

       cientes elementos factuais para que este forme a sua própria opinião sobre uma obra que devia ter avançado em 2002, com um prazo de execução de três anos e que, passada uma dÊcada, estå ainda longe de concluída. &;\ quadramento legal do projecto

e da sua base de exploração, as sucessivas discussĂľes, avanços e recuos sobre a solução tĂŠcnica a adoptar e as mudanças no papel do Estado sĂŁo apenas alguns dos factores que, na opiniĂŁo de Nunes da Silva, podem ajudar a explicar porque ĂŠ que, volvidos tantos anos, o processo de implementação do Sistema de Mobilidade do Mondego ainda nĂŁo estĂĄ  V ! â&#x20AC;&#x153;NĂŁo conheço nenhum projecto desta envergadura que resista a tanta instabilidade. Ă&#x2030; impossĂ­vel, porque sĂŁo projectos que exigem uma base de estabilidade para que nĂŁo seja desvirtuado o seu rumoâ&#x20AC;?, conclui o professor do Instituto Superior TĂŠcnico. Nunes da Silva defende que o projecto deve ser colocado no topo da lista das candidaturas a fundos comunitĂĄrios, uma vez que nĂŁo ĂŠ possĂ­vel voltar atrĂĄs. E lembra que â&#x20AC;&#x153;o investimento que jĂĄ estĂĄ feito ĂŠ de uma dimensĂŁo tal que nĂŁo pode ser desperdiçadoâ&#x20AC;?.

Marques Mendes

sensibilidade social e ao desprezo polĂ­tico pelas populaçþes sĂŁo outros â&#x20AC;&#x153;vĂ­ciosâ&#x20AC;? que <

<   historial do projecto do Metro Mondego, patente no livro â&#x20AC;&#x153;Como NĂŁo Decidir Uma Obra PĂşblicaâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Deixaram as pessoas no meio da ponte, quando jĂĄ nĂŁo tĂŞm passado, mas ainda nĂŁo tĂŞm futuroâ&#x20AC;?, ironizou o outrora lĂ­der do PSD, referindo-se ao facto de terem sido retirados os carris e as populaçþes dos concelhos de Coimbra, LousĂŁ e Miranda do Corvo continuarem sem o prometido meio de transporte. Marques Mendes disse ter dĂşvidas que uma situação deste gĂŠnero pudesse vir a acontecer em Lisboa e admitiu que â&#x20AC;&#x153;hĂĄ obras que se decidem [fazer] apenas pelo seu valor polĂ­tico e eleitoralâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; uma questĂŁo histĂłrica e cultural, mas ĂŠ um vĂ­cio terrĂ­velâ&#x20AC;?, disse o ex-lĂ­der social-democrata.

Para evitar que o Estado portuguĂŞs continue a cometer os mesmos â&#x20AC;&#x153;erros e vicissitudesâ&#x20AC;? sempre que se trata de um projecto de grande envergadura ou que a aposta em determinadas obras seja reduzida â&#x20AC;&#x153;uma negociação do tipo mercado do BolhĂŁoâ&#x20AC;?, entre quem tem mais e menos peso polĂ­tico, o outrora ministro dos Assuntos Parlamentares defendeu a a criação de uma comissĂŁo tĂŠcnica e independente para dar um parecer prĂŠvio de apoio Ă  decisĂŁo. Marques Mendes garante que â&#x20AC;&#x153;o paĂ­s sĂł ganharia com issoâ&#x20AC;? e sublinha que o Governo apenas deveria avançar com os projectos que tivessem um parecer de garantia de um efeito reprodutor do investimento pĂşblico e do contributo para a economia, uma relação do custobenefĂ­cio favorĂĄvel e a viabilidade da  

;  

     sustentabilidade.

"&     $ '!    " 

Expofacic vai ter mais dois dias Este ano, o calendårio de realização da Expofacic foi revisto pelo Município de Cantanhede e vai ter mais dois dias do que em ediçþes anteriores. O certame realizarse-å entre os dias 25 de Julho e 05 de Agosto, conforme deliberação aprovada, terça-feira, pelo executivo camarårio. O facto de o feriado

municipal de 25 de Julho se verificar, em 2012, a uma quarta-feira, bem como a intenção de o evento integrar     ram por ser determinantes na definição das datas de início e encerramento da próxima da XXII Expofacic. A inclusão de mais dois dias no programa do certame

O presidente da AcadĂŠmica/OAF e ex-director municipal acaba de ser acusado, pelo MinistĂŠrio PĂşblico, de autoria de um crime de difamação agravada na pessoa do procurador responsĂĄvel pelo inquĂŠrito ao abrigo do qual JosĂŠ Eduardo SimĂľes foi condenado, soube o â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?. O despacho de acusação, sujeito a escrutĂ­nio do Tribunal de Instrução Criminal por iniciativa do arguido, foi proferido por uma procuradora-adjunta colocada na comarca de Condeixa-a-Nova. Durante a audiĂŞncia do julgamento em que foi punido por eventual prĂĄtica de corrupção passiva para acto ilĂ­cito, cujo desfecho estĂĄ Ă  mercĂŞ de um recurso interposto junto do Tribunal da Relação, o ex-director de urbanismo de Coimbra teceu consideraçþes sobre

violação do segredo de Justiça no âmbito do inquĂŠrito dirigido por JosĂŠ LuĂ­s Trindade, consideradas, pela referida magistrada, lesivas da auto-estima e da imagem pĂşblica daquele procurador. O advogado Eduardo SaltĂŁo Mendes, defensor de SimĂľes, entende que o arguido nem sequer insinuou ser JosĂŠ LuĂ­s Trindade o autor de tal violação. Com o presente processo, sĂŁos seis os inquĂŠritos em que JosĂŠ Eduardo foi constituĂ­do arguido num horizonte de pouco mais de cinco anos. AlĂŠm deste, de dois por que foi condenado e de outros tantos em que foi ilibado, SimĂľes ĂŠ arguido noutro em que se encontra sob suspeita de co-autoria       _ a edição do â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;? de 05 de Janeiro de 2012).

        

Desprezo pelas populaçþes ĂŠ apenas um dos â&#x20AC;&#x153;vĂ­ciosâ&#x20AC;? Em Coimbra, Marques Mendes disse que o livro que Carlos Encarnação e JoĂŁo Rebelo escreveram sobre o projecto do Metro do Mondego serve, sobretudo, â&#x20AC;&#x153;para chamar Ă  atenção sobre aquilo que nĂŁo deve acontecerâ&#x20AC;?. Na opiniĂŁo do antigo lĂ­der do PSD, o processo enferma de â&#x20AC;&#x153;vĂ­ciosâ&#x20AC;? que, nĂŁo sendo exclusivos desta obra, acabaram por ser marcantes e determinaram o seu destino. Para alĂŠm da morosidade em concretizar um projecto cujo prazo de execução era, inicialmente, de trĂŞs a quatro anos, Marques Mendes refere que a instabilidade polĂ­tica e governativa tambĂŠm contribuiu para a actual situação. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; lamentĂĄvel, mas nĂŁo hĂĄ o mĂ­nimo de preocupação com a continuidade da obra pĂşblica. Os partidos mudam, mas o Estado ĂŠ sempre o mesmoâ&#x20AC;?, sublinha o social-democrata. O desperdĂ­cio de recursos, aliado Ă  in-

Eduardo SimĂľes acusado    % (  

corresponde, tambÊm, às expectativas manifestadas por vårios expositores, particularmente das empresas, que pretendem dispor de mais tempo para promoverem os seus produtos e serviços e, assim, rentabilizarem o investimento na montagem dos espaços e todo o trabalho logístico inerente.

O prolongamento da realização do evento durante a primeira semana do mês de Agosto vai ao encontro do interesse de milhares de emigrantes do concelho e da região, que normalmente marcam fÊrias para essa altura do Verão e, desta forma, podem visitar o certame.

Candidatura de Coimbra ! " #   $% O secretĂĄrio de Estado da Cultura, Francisco JosĂŠ Viegas, assina em Coimbra, amanhĂŁ, dia 20, o dossiĂŞ â&#x20AC;&#x153;Universidade de Coimbra, & $ 4  gue na sede da UNESCO, em Paris, atĂŠ 01 de Fevereiro. A cerimĂłnia de assinatura pelo Estado portuguĂŞs da candidatura da Universidade 

& $  ? trimĂłnio Mundial da UNESCO irĂĄ decorrer na Biblioteca Joanina, pelas 11h30. Para o reitor da UC, JoĂŁo Gabriel Silva, â&#x20AC;&#x153;a conclusĂŁo de

mais uma etapa no processo de candidatura da Universida& $ #

 importante no reconhecimento do papel central que a Universidade de Coimbra tem vindo a desempenhar na histĂłria da humanidadeâ&#x20AC;?. Antes da cerimĂłnia de assinatura, o secretĂĄrio de Estado da Cultura visita os espaços emblemĂĄticos da zona candidata a PatrimĂłnio Mundial, nomeadamente o Paço das Escolas, a Capela de S. Miguel e a Biblioteca Joanina.

PUBLICIDADE

COIMBRA 239 98 13 13 CONDEIXA 239 94 15 15 915 910 040 915 910 016 funeraria.jbarroca@hotmail.com www.agenciafunerariajbarroca.com

30701

19


ACTUALIDADE

4

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

Pioneira a nĂ­vel nacional

De 21 de Janeiro e 29 de Abril

AC alia-se a gigante espanhol

Greve pode colocar em causa recolha de lixo

(Continuação da primeira pågina)

a melhor do sector, no �ndice Nacional de Satisfação de Clientes, de acordo com os parâmetros do European Customer Satisfaction Index (ECSI). No mesmo ano, recebeu o PrÊmio de Qualidade de Serviço de Abastecimento de à gua, atribuído

pela ERSAR e pelo jornal â&#x20AC;&#x153;Ă gua e Ambienteâ&#x20AC;?. Em 2011, a AC foi escolhida para formar tĂŠcnicos de S. TomĂŠ e PrĂ­ncipe e, assim, aplicar este modelo de gestĂŁo e conhecimentos naquele paĂ­s. A AC, com 83 000 clientes de ĂĄgua e 78 000 de saneamento, tem 1 191 quilĂłmetros de condutas de

rede de ĂĄgua, distribuindo e facturando por ano 10,73 milhĂľes de milhĂľes de metros cĂşbicos, abastecendo 95 por cento do concelho de Coimbra e tendo 290 colaboradores. A Agbar, Sociedade Geral de Ă guas de Barcelona, SA, ĂŠ uma das maiores empresas do mundo do sector,

com um historial de mais de 140 anos. Tem actualmente mais de 26 milhĂľes de clientes em vĂĄrios paĂ­ses, como Chile, Reino Unido, China, ColĂ´mbia, ArgĂŠlia, Cuba e MĂŠxico, reunindo vĂĄrias entidades, tais como a Ă guas de Barcelona e Sorea, Ă guas de Murcia, Bristol Water e Jiangsu Water, entre outras.

Coimbra

PolĂ­cia Municipal sob comando informal A PolĂ­cia Municipal (PM) de Coimbra irĂĄ funcionar sob comando informal durante o mĂŞs e meio de impedimento de Euclides Santos, soube o â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?. A função de coordenação ĂŠ assegurada por Jacinto Santos, enquanto o comandante cumpre 45 dias de suspensĂŁo, a tĂ­tulo cautelar, no âmbito do

processo disciplinar a que foi sujeito devido ao percalço de ter enviado ao pessoal da Câmara votos de â&#x20AC;&#x153;relaçþes sexuais incrĂ­veisâ&#x20AC;?. A atribuição do papel de coordenador informal foi comunicada aos agentes pelo presidente da Câmara Municipal de Coimbra, JoĂŁo Paulo Barbosa de Melo.

Praticamente sem se referir ao episĂłdio protagonizado por Euclides Santos, JoĂŁo Barbosa de Melo apelou Ă  uniĂŁo dos agentes e exortouos a honrarem a missĂŁo de serviço pĂşblico de que estĂŁo investidos. Fontes da PM disseram ao â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;? que teria sido mais recomendĂĄvel atribuir a Ă&#x201A;ngela

Cortez a função de comando informal do pessoal afecto às questþes do trânsito por se tratar da única agente graduada da corporação. Jacinto Santos desempenhara funçþes de coordenação     V ; 

 de o acto de nomeação para esse efeito suscitar dúvidas quanto à sua regularidade.

Maldição excomungada pela via da co-gestão RUI AVELAR

Ă&#x2030; mais do que evidente ter sido rogada uma praga Ă  PolĂ­cia Municipal (PM) de Coimbra, maldição potenciada em grande medida pela inclinação do anterior presidente da Câmara para assobiar para o ar. Num horizonte de sete anos, na vigĂŞncia dos mandatos de Carlos Encarnação, a corporação teve quatro comandantes e dois deles

só estiveram um ano em funçþes; o actual, Euclides Santos (investido em 2010 apesar de pairar sobre o procedimento concursal uma acção que hå-de ser analisada pelo Tribunal Administrativo) acaba de ser suspenso, a título cautelar. Face à suspensão de Santos, coincidente com gozo de fÊrias por parte da vereadora com a tutela da PM, Maria João CasteloBranco, a Câmara de Coim-

EUD HQYHUHGD SHOR ¿JXULQR da co-gestão: quem paga Ê a autarquia e quem manda são dirigentes sindicais. Jacinto Santos, coordenador informal da corporação e dirigente do Sindicato de Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP), terå no agente Pedro Oliveira, presidente do Sindicato Nacional das Polícias Municipais, um colaborador generoso; basta ver como têm andado de braço dado.

Apesar de o comandante estar suspenso e a vereadora de fÊrias, o presidente da Câmara conimbricense, João Paulo Barbosa de Melo, não deixarå de ter a tranquilidade que merece. A maldição não irå resistir a esta delegação de competências no poder sindical. A não ser que eu me engane, pois a medida jå tinha sido adoptada, por Carlos Encarnação, e não resultou. Tudo depende da praga.

Sugestionabilidade psicolĂłgica

Estudo avalia testemunhos às polícias ou nos tribunais Uma equipa de investigadores da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (UC), coordenada por SalomÊ Pinho, estå a desenvolver um conjunto de estudos parcelares com o objectivo de, no futuro, conceber uma ferramenta para uma avaliação mais fundamentada dos testemunhos em contextos forenses. Perante um interrogatório na esquadra de polícia ou no tribunal, atÊ que ponto um indivíduo Ê sugestionåvel? E em que medida a vulnerabilidade à pressão pode afectar o depoimento? Que relação existe entre a sugestionabilidade em contexto de inquÊrito judicial e a idade, memória, inteligência, ansiedade, assertividade e outras variåveis?

Ao contrĂĄrio do que se verifica jĂĄ em outros paĂ­ses da Europa, o sistema judicial portuguĂŞs nĂŁo dispĂľe de um instrumento capaz de medir o nĂ­vel de sugestionabilidade interrogativa, uma ferramenta importante para apoiar a polĂ­cia e os tribunais. Ă&#x2030; precisamente esta lacuna que os investigadores de Coimbra pretendem colmatar: â&#x20AC;&#x153;O objectivo ĂŠ evitar a ocorrĂŞncia de distorçþes do relato do acontecimento devido a perguntas sugestivas e pressĂŁo interrogativaâ&#x20AC;?, refere SalomĂŠ Pinho. â&#x20AC;&#x153;O conhecimento da vulnerabilidade Ă  sugestionabilidade interrogativa deve levar a que sejam tomadas precauçþes adicionais quando se procede Ă  recolha de depoimentos e Ă  obtenção de confissĂľesâ&#x20AC;?,

acrescenta a investigadora, explicando que â&#x20AC;&#x153;para este conhecimento ĂŠ importante dispor de instrumentos de avaliação adequados Ă  população portuguesa e saber o modo como este tipo de sugestionabilidade ĂŠ influenciado por diversos factoresâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Um instrumento validado de avaliação do nĂ­vel de sugestionabilidade em contexto forense da população portuguesaâ&#x20AC;? - prossegue a investigadora da UC - â&#x20AC;&#x153;ĂŠ muito pertinente para a tomada de decisĂŁoâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Se uma testemunha ĂŠ vulnerĂĄvel Ă  pressĂŁo interrogativa e nĂŁo foram acauteladas determinadas condiçþes, o seu depoimento poderĂĄ ser questionĂĄvelâ&#x20AC;?, acentua. Dos grupos jĂĄ estuda-

dos - crianças, adultos jovens, adultos idosos institucionalizados, adolescentes delinquentes, mulheres vítimas de violência conjugal - conclui-se que, de uma forma geral, os indivíduos (condenados por crimes) reincidentes revelaram ser menos sugestionåveis do que indivíduos de primeira condenação. No que respeita às mulheres vítimas de violência @    menos sugestionåveis do que as mulheres não vítimas. Nos adultos, não foram encontradas diferenças entre adultos idosos e adultos jovens e, no grupo in      as crianças mais velhas mostra

W  que as crianças mais novas. O próximo estudo vai centrar-se na comunidade reclusa.

  cativa, uma greve decretada Ă s horas extraordinĂĄrias pode vir a colocar em causa a recolha de lixo no concelho de Coimbra,

    ! O prÊ-aviso de greve, decretado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP), prevê a não realização de trabalho extraordinårio pelos funcionårios afectos aos serviços de Higiene e Limpeza Urbana da Câmara Municipal de Coimbra, entre os dias 21 de Janeiro e 29 de Abril. O protesto prende-se com o descontentamento face à redução do pagamento do trabalho extraordinårio e a abolição da compensação de tempo

de laboração. Os funcionĂĄrios defendem, tambĂŠm, a criação de mais postos de trabalhos neste sector. Contactado pelo â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?, o vereador titular do pelouro do Ambiente, LuĂ­s ProvidĂŞncia, reconheceu que a greve vai afectar o serviço de recolha de lixo mas que o MunicĂ­pio de Coimbra nĂŁo prevĂŞ adoptar qualquer medida tendente a minorar os seus efeitos. O edil disse ainda que o recurso Ă  greve ĂŠ um direito que assiste aos trabalhadores e que, embora esteja a ser preparada a concessĂŁo de recolha de lixo a empresas privadas, esse ĂŠ um processo autĂłnomo que nĂŁo ĂŠ susceptĂ­vel de ser apressado em virtude da paralisação.

Macrocefalia faz das dela

AgĂŞncia noticiosa fecha o seu escritĂłrio em Coimbra A Lusa, agĂŞncia noticiosa, cujo capital social ĂŠ maioritariamente detido pelo Estado, encerrarĂĄ a 01 de Junho a sua delegação na regiĂŁo Centro, bem com as do Alentejo e Algarve, soube o â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?. A decisĂŁo â&#x20AC;&#x201C; que coincide com o termo do mandato do presidente da empresa, Afonso CamĂľes (nomeado na vigĂŞncia do primeiro Governo de JosĂŠ SĂłcrates) â&#x20AC;&#x201C; foi comunicada aos trabalhadores atravĂŠs da uma mensagem lacĂłnica da autoria do director Fernando Paula Brito. O fecho do escritĂłrio de Coimbra, onde laboram cinco jornalistas e ao qual reportam vĂĄrios correspondentes, ĂŠ uma das consequĂŞncias da medida, atĂŠ agora insuficientemente explicada apesar de dela se falar desde 2009. Embora a Administração

e a Direcção de Informação acenem com as virtudes do teletrabalho, a decisĂŁo irĂĄ traduzirse em quebra de visibilidade de Coimbra e da regiĂŁo Centro no panorama nacional. AntĂłnio Marinho e Pinto (bastonĂĄrio da Ordem dos Advogados), Eduardo Dâmaso (subdirector do Correio da ManhĂŁ) e Rui Avelar (director-adjunto do â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?) contamse entre os antigos jornalistas da agĂŞncia em Coimbra. JĂĄ falecido, o ex-governante Fausto Correia, outrora deputado ao Parlamento Europeu e antigo presidente da AcadĂŠmica/OAF, foi chefe da delegação regional da ANOP, que se fundiu com a cooperativa NotĂ­cias de Portugal. A Lusa, de que Fausto Correia foi administrador, resultou dessa fusĂŁo.

SuicĂ­dio: Quando a vida oprime RUI AVELAR

A Maria de Jesus, professora de Biologia da Escola SecundĂĄria de D. Maria (Coimbra), rumou, na semana passada, Ă  Figueira da Foz, em busca do mar para se â&#x20AC;&#x153;libertarâ&#x20AC;? da vida. O poeta LuĂ­s de CamĂľes, hĂĄ perto de 500 anos, exaltava os que da â&#x20AC;&#x153;lei da morteâ&#x20AC;? se iam libertando graças a obras valorosas. Hoje em dia, somos confrontados, frequentemente, com gestos reveladores do quanto a vida oprime. A docente, que estivera de baixa mĂŠdica devido a um estado depressivo, tinha voltado, hĂĄ dias, a leccionar, mas acabou  

!

Nos rostos das dezenas de colegas que assistiram ao funeral da professora estava espelhado um misto de incredulidade e de impotĂŞncia. Nos dos pais (ele em cadeira de rodas) e dos irmĂŁos da defunta sobressaĂ­am dor e uma ponta de revolta. A Maria de Jesus, solteira, 49 anos de idade, era uma educadora, a quem as vicissitudes da vida impediram de deixar aos alunos o exemplo que ela, enquanto pĂ´de, se esforçou por dar. Ă&#x2030; nisto que temos de pensar, sob pena de nos restar escolher o Ăşltimos de nĂłs para apagar a luz e fechar a porta, numa sociedade sem futuro.


19

QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

5

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Campanha decorreu durante o Natal

*    

TrĂŞs crias de ursos pardos nascem   + .("    / % TĂŞm uma semana de vida e prometem fazer as delĂ­cias de miĂşdos e graĂşdos. As trĂŞs pequenas crias de ursos pardos sĂŁo a mais recente atracção do Parque BiolĂłgico da Serra da LousĂŁ, em Miranda do Corvo. A fĂŞmea â&#x20AC;&#x153;Bertaâ&#x20AC;?, do casal de ursos pardos oriundo de Espanha, deu Ă  luz no passado dia 12 trĂŞs crias, que pesam entre 300 e 400 gramas. Cegos e sem dentes, os pequenos ursos serĂŁo amamentados pela mĂŁe atĂŠ aos seis meses de idade, altura em que deverĂŁo começar a aprender a procurar alimento. A procriação bem suce-

dida do casal de ursos, referiu o parque em comunicado, â&#x20AC;&#x153;reforça as boas condiçþes de bem-estar em que estes vivem, a boa alimentação a que estĂŁo sujeitos e o bom ambiente que, mesmo em cativeiro, o Parque BiolĂłgico da Serra da LousĂŁ lhes proporcionaâ&#x20AC;?. A gestação dos ursos varia entre os 180 e os 240 dias e sĂł acontece em condiçþes forem favorĂĄveis. Apesar da gestação bem sucedida, ĂŠ expectĂĄvel que nem todas as criam sobrevivam, jĂĄ que esta espĂŠcie tem uma elevada taxa de mortalidade nos primeiros meses de vida.

O parque, que completa trĂŞs anos no prĂłximo mĂŞs de Junho, procura sensibilizar a comunidade em geral para

   ;   W

 autóctones e em especial das espÊcies animais em risco de extinção. Criado pela Fundação ADFP, o parque tem-se destacado na årea do turismo ambiental e social, jå que a larga maioria dos trabalhadores     }   ou doença mental e, por isso, vítimas de exclusão laboral. Julga-se que os ursos pardos terão sido extintos em Portugal entre os sÊculos XVII e XIX.

"  )   $ 

Atrium Solum entregou donativo Ă  Acreditar

A campanha Acreditar desenvolveram elas prĂłno Natal, promovido pelo prias actividades e vendas Atrium Solum durante a      >  Devido Ă  sua predilecção ĂŠpoca natalĂ­cia, angariou em que 50 por cento da por mel, os animais destruĂ­am cerca de 1.200 euros a favor receita reverteram para as colmeias e muretes de pedra da associação Acreditar. A esta causa. que as protegiam, levando os verba, entregue recenteA campanha contou apicultores a uma perseguição mente a Maria PatrocĂ­nio, com pequenos mealheiros implacĂĄvel. Apesar de serem omnĂ­voros e comerem uma membro da direcção da distribuĂ­dos pelas diversas grande variedade de alimentos, Acreditar, vai ajudar a mo- lojas deste centro comercial que vĂŁo da carne atĂŠ ao peixe bilar e tornar mais aprazĂ­vel e com o apoio da Rotae Ă s frutas, os ursos pardos, uma sala de recepção Ă s fa- rykids e dos dois diĂĄrios da que podem chegar aos 600 mĂ­lias da casa da Acreditar, cidade de Coimbra. Satisfeita com a adesĂŁo quilogramas de peso, tĂŞm um localizada junto ao Hospital PediĂĄtrico. a esta campanha, CecĂ­lia gosto especial por mel. A Acreditar ĂŠ uma ins- Tavares destacou que a Actualmente, os ursos pardos jĂĄ sĂł podem ser en- tituição particular de soli- administração do Atriumcontrados no seu habitat na- dariedade social que tem $      tural nas montanhas da Can- por objectivo prestar apoio culdades sociais e econĂłtĂĄbria (Norte de Espanha), Ă s crianças com cancro e micas por que passa o paĂ­s onde se calcula que vivam respectivas famĂ­lias. O seu e a regiĂŁo em particular. A pouco mais de 80 animais. lema ĂŠ tratar a criança com administradora pretende, cancro, e nĂŁo sĂł o cancro referiu em comunicado, na criança. que o Atrium Solum seja Esta campanha teve nĂŁo sĂł um espaço de como apoio de todas as lojas pras, lazer e convĂ­vio, mas  Â&#x20AC;V    

  do AtriumSolum e, em tambĂŠm um espaço com um mar convidativo e com particular, das lojas Hou- consciĂŞncia e a responsauma beleza natural de tirar o se & Gifts e da Lego que bilidade social. fĂ´legoâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Somos um concelho que,   & " % em termos de praias, possui tudo o que se pode querer: areia branca a perder de vista, mar de ĂĄguas verdes cristalinas e temperadas, em certos tituĂ­da oficialmente em 21 L.S. sĂ­tios ideal para a prĂĄtica do de Novembro de 2011, com surf, com tranquilidade, mas A Agenda de 2012 da Câ- Maria JosĂŠ Azevedo Santos a tambĂŠm animação, servidas por restaurantes com excelente mara de Coimbra ĂŠ dedicada destacar que reĂşne â&#x20AC;&#x153;doceiros gastronomia, e, por isso tudo, â&#x20AC;&#x153;ao mundo maravilhoso dos e doceiras com talento e frequentadas por vĂĄrias gera- manjares docesâ&#x20AC;? e visa contri- entusiasmo, que procuram çþes de famĂ­liasâ&#x20AC;?, acrescenta buir para â&#x20AC;&#x153;um maior e melhor salvaguardar um valioso paconhecimento da doçaria trimĂłnioâ&#x20AC;?. o autarca. conventualâ&#x20AC;? do concelho, nas A Associação, que assupalavras da vice-presidente do me a promoção de Coimbra MunicĂ­pio, Maria JosĂŠ Azeve- atravĂŠs dos doces, tem oito do Santos. sĂłcios-fundadores: Arnaldo A professora universi- Baptista, JoĂŁo Paulo Frade, retransmissores de sinal digital tĂĄria, que tem o pelouro da JosĂŠ Gaspar, Manuel Ferreira, em substituição dos actuais Cultura, fez, na passada sexta- LĂşcio Borges, Maria do RosĂĄde sinal analĂłgico. Lamenta, feira, a apresentação da pu- rio Guerra, AntĂłnio Ramalho contudo, nĂŁo ter sido possĂ­vel blicação que possibilita â&#x20AC;&#x153;uma e Orlanda Duarte. viagem sentimentalâ&#x20AC;? a â&#x20AC;&#x153;uma chegar a um entendimento. A lembrança da confeitaApesar de as entidades notĂĄvel riqueza de nomes, ria coimbrĂŁ este presente, no envolvidas neste processo das formas, das cores, dos lançamento da agenda, atragarantirem que toda a po- sabores, dos ingredientesâ&#x20AC;?, #~ "

 pulação do concelho vai ter mantendo â&#x20AC;&#x153;viva a lembran- casal que teve a â&#x20AC;&#x153;Mijadinhasâ&#x20AC;?, sinal de TDT, seja atravĂŠs da ça da confeitaria coimbrĂŁ e uma casa junto Ă  Igreja de S. via terrestre ou por satĂŠlite, o prestando-lhe a reconhecida Bartolomeu que funcionou presidente da Pampilhosa da homenagemâ&#x20AC;?. durante 203 anos (desde 1778 O lançamento da agen- atĂŠ 1981), conhecida pela $

    verdadeiro interesse em resol- da, na Casa da Escrita, foi lampreia de ovos, as amĂŞnver o problema, porquanto a tambĂŠm um pretexto para doas, os confeites de açúcar, a PT â&#x20AC;&#x153;prefere vender a televisĂŁo apresentar a Associação de marmelada, a trouxa de ovos Doceiros de Coimbra, cons- e os rebuçados. pagaâ&#x20AC;? no concelho.

Figueira da Foz apresenta cinco praias emblemĂĄticas A Câmara Municipal da Figueira da Foz vai candidatar cinco praias ao concurso â&#x20AC;&#x153;7 Maravilhasâ&#x20AC;?, consciente de que       sua privilegiada localização na faixa atlântica e de uma costa com cerca de 12 quilĂłmetros de extensĂŁo, representa uma das mais importantes estâncias de turismo balnear e nĂĄutico da regiĂŁo Centro e de Portugal. A Figueira da Foz apresenta as seguintes praias, no âmbito das sete categorias a concurso: Claridade (Praias Urbanas); Costa de Lavos (Praias de Dunas); Murtinheira (Praias

Selvagens); Cabedelo e Cabo Mondego-Buarcos (Praias de Uso Desportivo). Para a autarquia, â&#x20AC;&#x153;com todo o impacto mediĂĄtico que caracteriza este tipo de iniciativas de nĂ­vel nacional, as candidaturas ora submetidas tĂŞm como objectivo primordial o reconhecimento da excelĂŞncia das praias da Figueira da Foz, mas, simultaneamente, a promoção do prĂłprio concelho enquanto destino turĂ­stico de excepçãoâ&#x20AC;?. â&#x20AC;&#x153;Sendo um dos pĂłlos nacionais mais importantes no panorama das mĂşltiplas moda-

lidades dos desportos nĂĄuticos, fazendo parte da rota mundial dos melhores spots para a prĂĄtica de surf, mas sobretudo pelas caracterĂ­sticas Ăşnicas que possui em termos de beleza natural, o concelho concentra em si uma energia inigualĂĄvel, reunindo diversas praias e locais de eleição, jĂĄ internacionalmente reconhecidosâ&#x20AC;?, acrescenta o MunicĂ­pio. O presidente da Câmara, JoĂŁo AtaĂ­de mostra-se convicto que esta iniciativa das â&#x20AC;&#x153;7 Maravilhas - Praias de Portugalâ&#x20AC;? irĂĄ â&#x20AC;&#x153;reconhecer a excepcional qualidade das praias da Figueira

TDT na Pampilhosa da Serra

Agenda aguça o apetite para doçura de Coimbra

  "    (   (% ' }&  deverĂĄ ser desligado o sinal de televisĂŁo analĂłgica que serve o municĂ­pio de Pampilhosa da Serra. Preocupado com a     

%visĂŁo Digital Terrestre (TDT), o presidente da Câmara, JosĂŠ Brito, diz que o concelho vai ser atingido por â&#x20AC;&#x153;um apagĂŁo analĂłgico e um apagĂŁo digitalâ&#x20AC;?. O edil sustenta que apenas 20 por cento da população recebe o sinal de TDT por via terrestre e que os restantes terĂŁo de adquirir equipamentos para captação atravĂŠs de satĂŠli-

te. Trata-se de â&#x20AC;&#x153;um encargo adicional difĂ­cil de suportar, sobretudo, por uma população maioritariamente idosa, para quem a televisĂŁo ĂŠ, por vezes, a Ăşnica companhiaâ&#x20AC;?, assinala JosĂŠ Brito. A Autoridade Nacional de Comunicaçþes (ANACOM) refuta as declaraçþes do autarca da Pampilhosa da Serra, dizendo que a cobertura de TDT no concelho por via terrestre chega aos 31 por cento e que hĂĄ apoio para a aquisição do equipamento para captação do sinal por satĂŠlite, podendo este

pode custar entre 20 e 140 euros, conforme a situação social do agregado familiar e os seus rendimentos. Descontente com a forma como o processo tem sido conduzido desde o inĂ­cio, JosĂŠ Brito fala de â&#x20AC;&#x153;uma enorme falta de consideraçãoâ&#x20AC;? pelo concelho a que preside e pelo interior do paĂ­s. Brito diz que a edilidade mostrou-se disponĂ­vel para, em conjunto com a Portugal Telecom e a ANACOM, encontrar uma forma de resolver o problema, recorrendo, eventualmente, Ă  instalação de

SĂ BADO, Ă&#x20AC;S 11H

ENTREVISTA

INCENTRO PatrocĂ­nio:

SNQTB

Realização: Norberto Pires Coimbra IParque

Parceria:

Ouça na Internet em www.radioregionalcentro.com

ABC

PUBLICIDADE


FIGURAS DA SEMANA

6

w w w . campeao p r o vin cia s.co m

Ascensor A

S U B I R

Jaime Soares, o eterno combatente â&#x20AC;&#x201C; Retirar, de uma vida, 50 anos para os dedicar a uma corporação de bombeiros, 35 dos quais como comandante, ĂŠ obra. E grande. Ă&#x2030; assumir perante a sociedade um crĂŠdito que sĂł os maiores conseguem. Devemos isso a Jaime Soares, o bom homem de Poiares que Ă  causa pĂşblica tem dado tudo quanto tem e que arrisca a morrer bem mais pobre do que quando começou. E Jaime Soares nĂŁo foi um bombeiro qualquer nem um comandante vulgar. Foi sempre um homem do terreno, um operacional da primeira linha, entregando-se a     

*   !Â&#x2020; V apagando fogos, orientando colegas ou arriscando a sua vida, este Jaime Soares nunca quis ser mais do que um bombeiro na linha da frente como foi sempre um operacional ao serviço do seu concelho de Poiares e das causas em que acredita e pelas quais lutou sempre com denodo, coragem, perseverança. E muita lealdade. Na hora em que ĂŠ chamado a assumir novas responsabilidades, agora Ă  frente dos bombeiros portuguesas e em trincheira diferente, temos todos a obrigação de dizer a Jaime Soares o obrigado que lhe devemos. NĂŁo lhe pagamos a dĂ­vida, ĂŠ verdade, tĂŁo grande ela ĂŠ. Mas cumprimos um dever de consciĂŞncia.

D E S C E R

Manuel Frexes â&#x20AC;&#x201C; O presidente da Câmara do FundĂŁo, o municĂ­pio que tem a sexta maior dĂ­vida (oito milhĂľes de euros) Ă  Ă guas de Portugal (AdP), foi nomeado para o Conselho de Administração do grupo empresarial pĂşblico. & # >     

?$Â&#x2021;#

 interessada, e da mesma cor do Governo, como nota a oposição. Por outro lado tem sido uma das vozes mais críticas do sistema criado pela à guas de Portugal, nomeadamente a forma como foi criada a empresa à guas de Zêzere e Côa, subsidiåria da AdP, que gere o abastecimento a 16 municípios, entre os quais o Fundão. Agora vai passar-se para o outro   

         estar muito bem preparado para resolver os problemas.

QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

Joaquim Murta O professor especialista em oftalmologia foi eleito, no dia 12, director da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra ao vencer, por 10 votos contra cinco, a recandidatura de Manuel Santos Rosa. As duas candidaturas apresentaram-se à Assembleia da Faculdade de Medicina, de que Ê presidente Meliço Silvestre, tendo sido objecto de debate e votação. Joaquim Carlos Neto Murta Ê professor associado com agregação da Faculdade de Medicina, director do Serviço de Oftalmologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra e presidente da Assembleia Geral do Centro Cirúrgico de Coimbra, onde då consultas. Os subdirectores de Joaquim Murta vão ser Francisco Corte Real (gestão e organização), AmÊrico Figueiredo (medicina), JosÊ Pedro Figueiredo (medicina dentåria) e António Ambrósio (investigação).

LuĂ­s Antero â&#x20AC;&#x201C; Recolher, preservar e divulgar a riqueza do patrimĂłnio sonoro da regiĂŁo da Beira Serra,

  ;#@ 

  e artista LuĂ­s Antero, que acaba de lançar o trabalho â&#x20AC;&#x153;Agroal Soundscapeâ&#x20AC;?. Recorrendo a gravaçþes sonoras de campo realizadas na aldeia do Agroal (Arganil, distrito de Coimbra), o trabalho â&#x20AC;&#x153;espelha a identidade sonoraâ&#x20AC;?      W       V        !:    

V   gravaçþes de campo. Ă&#x2030; um trabalho curto, com menos de 15 minutos. Os sons sĂŁo maioritariamente de ĂĄgua na Humberto Oliveira â&#x20AC;&#x201C; O presidente da Câmara Municipal V     W   # de Penacova nĂŁo se tem poupado a esforços no sentido de evitar a da aldeia e a parte humana, com um senhor a tratar das construção de uma mini-hĂ­drica no rio Mondego, no seu concelho, azeitonasâ&#x20AC;?, explica LuĂ­s Antero. â&#x20AC;&#x153;Agroal Soundscapeâ&#x20AC;? faz por a considerar nefasta quer para a actividade econĂłmica, quer parte de um projecto mais alargado, â&#x20AC;&#x153;4 Aldeiasâ&#x20AC;?, dispopelo impacto negativo que tem no ambiente e para as populaçþes. nĂ­vel em www.luisanterobandcamp.com, onde o autor, Reconhecendo que, no passado, houve decisores polĂ­ticos em que vive em Ă lvoco das VĂĄrzeas, Oliveira do Hospital, Penacova e no paĂ­s que criaram obstĂĄculos ao curso natural do edita mensalmente trabalhos sonoros sobre vĂĄrias aldeias

<   V





   da Beira Serra. vigor na luta, assegurando que â&#x20AC;&#x153;ninguĂŠm calarĂĄ a voz da razĂŁoâ&#x20AC;? e que nĂŁo consentirĂĄ outras barreiras que prejudiquem o concelho. HorĂĄcio Pina Prata â&#x20AC;&#x201C; Ex-candidato Ă  liderança do Agora, surgiram notĂ­cias de que o Estado terĂĄ que devolver os trĂŞs MunicĂ­pio de Coimbra, acaba de ser eleito vice-presidente milhĂľes de euros, recebidos por contrapartida da mini-hĂ­drica, sen- da Associação dos Movimentos AutĂĄrquicos Indepen @  ;  ;  #     V

 dentes (AMAI). Antigo vereador (PSD) e outrora líder por impedimentos ambientais. Tudo leva a crer que a chamada à da Associação Comercial e Industrial de Coimbra, Prata razão por parte de Humberto Oliveira darå frutos. foi opositor, em 2009, à reeleição para a presidência do A

19

MunicĂ­pio conimbricense de Carlos Encarnação. Em 2001 e 2005, Pina Prata foi o segundo elemento das listas da coligação â&#x20AC;&#x153;Por Coimbraâ&#x20AC;? para o executivo camarĂĄrio local, encabeçadas por Carlos Encarnação em ambas as ocasiĂľes. JosĂŠ Torres Farinha, membro da Assembleia Municipal conimbricense desde 2009 (Movimento de Cidadania em Rede), foi eleito para presidir ao Conselho Fiscal da AMAI. Carolina Gonçalves â&#x20AC;&#x201C; A atleta Carolina Gonçalves foi convocada para os estĂĄgios da selecção nacional de hĂłquei em patins, seniores femininos. Com apenas 16 anos, a atleta da AcadĂŠmica foi galardoada, desde 2004-2005, com o prĂŠmio Assiduidade da Secção de Patinagem da AcadĂŠmica e, em 2011, com o PrĂŠmio Salgado Zenha (Atleta de Formação). Aluna do 11.Âş ano da Escola SecundĂĄria Avelar Brotero, Carolina Gonçalves concilia com sucesso os estudos e a actividade desportiva. A jovem ĂŠ federada desde 2001-2002, quando tinha apenas cinco anos. Iniciou a prĂĄtica da patinagem aos dois anos de idade e estreouse na equipa sĂŠnior feminina na ĂŠpoca 2008-2009. Faz parte da selecção sub-18 da Associação de Patinagem de Coimbra, desde a ĂŠpoca 2007-2008.

Maria de Lurdes Rodrigues â&#x20AC;&#x201C; A ex-ministra da Educação do Governo de JosĂŠ SĂłcrates foi pronunciada pelo Tribunal de Instrução Criminal por prevaricação, estando em causa a contratação de JoĂŁo Pedroso (irmĂŁo do ex-dirigente do PS Paulo Pedroso), para consultor jurĂ­dico, entre 2005 e 2007, que envolveu um valor global de mais de 300 000 euros atravĂŠs de contratos feitos por ajuste directo. No âmbito do processo foram tambĂŠm pronunciados o investigador universitĂĄrio JoĂŁo Pedroso, o ex-secretĂĄrio geral do MinistĂŠrio da Educação JoĂŁo da Silva Baptista e a chefe de gabinete da ministra na altura dos acontecimentos, Maria Matos Morgado. SĂŁo todos acusados, em co-autoria, do crime de prevaricação praticado por titular de cargo polĂ­tico, com Carlos Artur Mendes Fernandes â&#x20AC;&#x201C; Foram apresena acusação a salientar que os contratos foram feitos com violação das regras do regime da contratação pĂşblica para tadas as primeiras provas pĂşblicas do mestrado em GestĂŁo aquisição de bens e serviços. O crime ĂŠ punido com pena Empresarial, do qual ĂŠ coordenador o doutor JoĂŁo Paulo Coelho Marques, com o aluno Carlos Artur Mendes Ferde prisĂŁo entre dois e oito anos. nandes a ser o primeiro mestre em GestĂŁo Empresarial do

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC). O projecto que defendeu tinha como tĂ­tulo â&#x20AC;&#x153;Plano de NegĂłcios de um laboratĂłrio de prĂłteses dentĂĄrias e podologiaâ&#x20AC;?. O mestrado em GestĂŁo Empresarial pretende conferir uma formação profunda e rigorosa que        }    >   #   a todos aqueles que exerçam ou pretendam vir a exercer

        nadores de projectos, de direcção tĂŠcnica ou de controller. Daniel PinheiroZ"        >co â&#x20AC;&#x153;Mondegoâ&#x20AC;? David Pinheiro, natural de Anadia, vai ser distinguido com um â&#x20AC;&#x153;Seed of Scienceâ&#x20AC;? especial, prĂŠmio que serĂĄ entregue durante a V Gala da CiĂŞncia, que se realiza no dia 26 de Maio na Figueira da Foz. Os â&#x20AC;&#x153;Ăłscares da CiĂŞnciaâ&#x20AC;? sĂŁo uma iniciativa do jornal â&#x20AC;&#x153;CiĂŞncia Hojeâ&#x20AC;?. O @  V       rio desde a Serra da Estrela atĂŠ Ă  Figueira da Foz, no âmbito do mestrado Wildlife Documentary Production, da Universidade de Salford (Inglaterra) e durante o qual onde teve possibilidade de aprender com importantes nomes do  

  >   Â&#x201E;      â&#x20AC;&#x153;escola BBCâ&#x20AC;?. Para o jovem realizador de documentĂĄrios de vida selvagem, este prĂŠmio ĂŠ â&#x20AC;&#x153;um grande incentivo para continuar a produzir documentĂĄrios de natureza em Portugalâ&#x20AC;?. Apaixonado pelo cinema e biologia, David Pinheiro tirou o curso de Comunicação e MultimĂŠdia, no Instituto PolitĂŠcnico de Coimbraâ&#x20AC;?, optando por fazer o mestrado em Inglaterra onde pĂ´de desenvolver o seu gosto pela natureza. O trabalho exigiu quatro meses de    >      sĂł para a edição de imagens. Rui Pedro Caramez â&#x20AC;&#x201C; Licenciado em Desporto e especialista em redes sociais, Rui Pedro Caramez ĂŠ o convidado de uma sessĂŁo que decorre hoje Ă  noite, pelas 21h00, na livraria Almedina (EstĂĄdio), em Coimbra. O tema â&#x20AC;&#x153;Marketing Desportivo 2.0â&#x20AC;? ĂŠ o primeiro a ser discutido no âmbito dos encontros designados de â&#x20AC;&#x153;CafĂŠ com Marketingâ&#x20AC;?. Caramez, licenciado pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, com formação superior em GestĂŁo no âmbito das organizaçþes desportivas, desenvolve funçþes docentes no Instituto Superior da Maia e ĂŠ formador em vĂĄrias organizaçþes de formação  !





   prĂĄticos de como as redes sociais podem ser utilizadas, de forma geral e no caso concreto do desporto. Esta sessĂŁo ĂŠ de entrada livre e decorre em ambiente de tertĂşlia. Ricardo Leal dos Santos â&#x20AC;&#x201C; O piloto, que tem ligaçþes a Coimbra, terminou o Dakar Argentina Chile Peru  

 

      

 de uma subida de lugar caso Robby Gordon venha a ser    !+

= $  

    va pela equipa Delta Q â&#x20AC;&#x201C; Monster Energy X-raid, tendo contribuĂ­do para o desfecho vitorioso que esta obteve. No Dakar, o piloto tinha aspiraçþes de terminar entre os seis primeiros. NĂŁo conseguiu atingir esse objectivo          na derradeira etapa da prova.

PUBLICIDADE

30962


19

QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

FACTOS DA SEMANA

7

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

IP3 com taludes estabilizados UC ĂŠ a melhor da Europa em desporto universitĂĄrio &

 ?  _?Â&#x2C6;   #    A Universidade de Coimbra/ AAC foi eleita, pelo se- masculino. JĂĄ passada semana estavam concluĂ­dos os trabalhos de estabilização do talude de aterro localizado no quilĂłmetro 55,5 do IP3, entre gundo ano consecutivo, a Melhor Universidade do Ano pela a nĂ­vel indiviCoimbra e Penacova, obra que foi executada cumprindo integral- Associação Europeia de Desporto UniversitĂĄrio (EUSA). O dual alcançou mente o prazo estabelecido de 60 dias. Para meados de Fevereiro + Â&#x152; Â?$&#   *  a medalha de estĂĄ tambĂŠm prevista a conclusĂŁo dos trabalhos de estabilização participaçþes e os resultados obtidos. A Associação AcadĂŠ- bronze no e reforço do talude ao quilĂłmetro 62, em Penacova, empreitada mica de Coimbra representou a UC em oito campeonatos judo e nove que alĂŠm do reforço do talude, com recurso ao revestimento de europeus universitĂĄrios e competiu em nove provas em no taekwonbetĂŁo projectado, inclui a execução no local de um muro de betĂŁo 2011, tendo sido campeĂŁ europeia universitĂĄria de â&#x20AC;&#x153;sevensâ&#x20AC;? do (duas de armado. â&#x20AC;&#x153;Recorde-se que esta empreitada foi a concurso com em râguebi feminino. No futsal feminino a AAC alcançou o ouro, duas de prata e cinco de bronze). A revista anual da um preço base de 2,65 milhĂľes de euros, mas o elevado interesse terceiro lugar, no judo conquistou trĂŞs medalhas de bronze EUSA revela ainda os vencedores da categoria Fair Play que suscitou junto das empresas concorrentes permitiu Ă  EP e no remo venceu uma medalha de prata e uma de bronze. Enno Harms (as atletas alemĂŁs de Remo Barbara Karches adjudicar a obra por um valor perto dos dois milhĂľes de euros, '    ;    &  ; & #    e Charlotte Arand), do prĂŠmio para Federação Nacional @  >   ;         Universidade do Minho que subiu um lugar em relação a Mais Activa (conquistado pela Federação Russa) e ainda do inicialmente previstoâ&#x20AC;?, refere a Estradas de Portugal. De acordo 2010. A instituição minhota foi campeĂŁ europeia de andebol    

     _  com a empresa, os trabalhos decorrem a bom ritmo, tiveram masculino, terceira no futsal masculino e terceira no futsal por Danilo Kesic, da EslovĂŠnia). inĂ­cio a 22 de Agosto de 2010 e serĂŁo executados cumprindo o horĂĄrioâ&#x20AC;?. De Abril a Setembro o Jardim Botânico abrirĂĄ das 14h30, sobre os impactos da mini-hĂ­drica prevista para o prazo contratualmente acordado de 180 dias. 

   > *     rio Mondego, na Foz do Caneiro. Na iniciativa vão intervir os presidentes das câmaras de Coimbra, Penacova e Vila Nova de e feriados das 14h00 às 20h00. Torres do Mondego aposta na praia fluvial Poiares, um elemento da empresa Mota Engil e um conjunto O executivo da Junta de Freguesia de Torres do Mondego, Judocas de Coimbra 28 vezes no pódio de personalidades que abordarão aspectos do ponto de vista   

  

 

 W  Depois de os judocas de clubes inscritos na Associação ambiental, econĂłmico, social, cultural e energĂŠtico. de Palheiros e Zorro ao concurso â&#x20AC;&#x153;7 Maravilhas â&#x20AC;&#x201C; Praias de Portugalâ&#x20AC;?, que decorre durante 2012, equacionando tambĂŠm Distrital de Judo de Coimbra (ADJC) terem conquistado 35 Coimbra: Tribunal assaltado a inscrição na Bandeira Azul e no projecto Praia AcessĂ­vel. O medalhas nos Opens de juniores e juvenis, em GĂłis, o pavilhĂŁo As instalaçþes do Tribunal Administrativo e Fiscal prĂłximo concurso â&#x20AC;&#x153;7 Maravilhasâ&#x20AC;? pretende promover a de Coimbra, na avenida de FernĂŁo de MagalhĂŁes, foram qualidade ambiental, nomeadamente dos recursos hĂ­dricos, assaltadas, sexta-feira, tendo sido furtados dinheiro e bens como factor decisivo na escolha de Portugal enquanto de uma mĂĄquina de venda de lanches, cafĂŠ e refrigerantes. destino turĂ­stico, enfatizando a dimensĂŁo e a beleza das Aparentemente, os gatunos nĂŁo entraram nos gabinetes praias e dos rios. â&#x20AC;&#x153;Localizada numa paisagem dominada dos magistrados e dos funcionĂĄrios judiciais. Devido Ă  pelo maciço marginal de Coimbra e enquadrada por um prĂĄtica do furto, os autores deixaram vestĂ­gios de sangue na rendilhado de aldeias preservadas da voracidade suburbana, referida mĂĄquina, indiciadores de que sofreram ferimentos



 W ?  Â&#x2030;

#     ao cometerem o delito.  

  



W          <4     ~  Acesso Ă  praia fluvial de Freguesia, Firmino Victor. ĂŠ prioridade para a freguesia do BotĂŁo "    ;  

 

 W  Lions promove concerto solidĂĄrio ĂŠ uma das preocupaçþes do presidente da Junta de Freguesia A Orquestra de Tangos de Coimbra, o acordeonista do BotĂŁo, JĂşlio Retroz. O autarca aproveitou a visita do JoĂŁo Gentil e LuĂ­s Formiga participam no concerto solipresidente da Câmara Municipal de Coimbra, JoĂŁo Paulo dĂĄrio, a favor de estudantes carenciados, que ĂŠ promovido Barbosa de Melo, para transmitir ao edil algumas das prinpelo Lions Clube de Coimbra e realiza-se na prĂłxima cipais preocupaçþes. Para alĂŠm da vontade de melhorar as segunda-feira, dia 23, pelas 21h00, no auditĂłrio do Instituto condiçþes daquele espaço de lazer, Retroz pediu a Barbosa de Contabilidade e Administração, em Bencanta, sendo de Melo que seja sensĂ­vel Ă  necessĂĄria adaptação da escola do de 10 euros o preço da entrada. Entretanto, amanhĂŁ, dia Consulte-nos 1.Âş ciclo do ensino bĂĄsico a centro escolar e Ă  manutenção 20, a partir das 20h00, decorrerĂĄ a assembleia geral de para mais informaçþes do campo de futebol do Clube AcadĂŠmico do Paço como Janeiro do Lions Clube de Coimbra, no Hotel Dona InĂŞs, Telef.: 239 822 971 espaço desportivo, na sequĂŞncia de um processo de falĂŞncia com a presença do presidente da Câmara Municipal de info@ihcoimbra.com da colectividade que se arrasta hĂĄ vĂĄrios anos. Coimbra, JoĂŁo Paulo Barbosa de Melo, e da vice-reitora Maria Clara de Almeida Santos. Idosos da â&#x20AC;&#x153;Altaâ&#x20AC;? apoiados pela Atlas municipal desta vila voltou a receber, no passado domingo, mais A Atlas â&#x20AC;&#x201C; Associação de Cooperação para o Desenduas competiçþes organizadas pela ADJC - os Opens de cadetes Empresa de segurança fixa-se em Penacova Uma empresa que opera no sector dos sistemas de se- e de sub-23 -, sendo desta vez conquistadas 28 medalhas. No    Â&#x160;Â&#x2039; >  :& 4  gurança vai instalar-se no Parque Empresarial da Alagoa. A escalĂŁo de cadetes, em -73 kg, Miguel Rodrigues, da Associação semana e feriados, assinou um protocolo de colaboração Câmara Municipal de Penacova escriturou na semana passada CristĂŁ da Mocidade (ACM) obteve o 1.Âş lugar, enquanto que, no com a Câmara Municipal de Coimbra, no qual a autarquia um lote, com 1.280 metros quadrados, a favor daquela entidade sector feminino, Joana Fernandes (Ă  direita, na foto), do Judo se compromete a â&#x20AC;&#x153;proceder ao estudo sĂłcio-econĂłmico empresarial. Este ĂŠ â&#x20AC;&#x153;o primeiro espaço [comercializado] com Clube de Coimbra (JCC), ganhou os -52 kg, e, na categoria de da população idosa do concelhoâ&#x20AC;? em situação de especial alguma amplitude e que farĂĄ despontar no concelho a criação -48 kg, foi LuĂ­sa Silva (ACM) que triunfou. Nos sub-23, Edu- vulnerabilidade, garantindo a â&#x20AC;&#x153;igualdade de tratamento na de postos de trabalho, contribuindo para melhorar a econo- ardo Silva (AAC) venceu a categoria de -66 kg, enquanto Jorge  ;>  4  

!"   

 mia localâ&#x20AC;?, referiu o presidente da autarquia, em comunicado, Fernandes (JCC) triunfou em -73 kg. Na prova feminina, Joana os idosos com mais de 65 anos, a viverem sĂłs, sem resublinhando que o Parque Empresarial tem tido uma procura Â&#x2021;_~Â&#x2C6;   #       taguarda familiar e institucional, mobilidade reduzida e fraca condição econĂłmica. Ă&#x20AC; Atlas cabe assegurar o formuito satisfatĂłria. Humberto Oliveira adiantou ainda que ao -48 kg no 1.Âş lugar. necimento de pelo menos duas refeiçþes completas aos executivo municipal jĂĄ chegaram outras intençþes de compra, SeminĂĄrio sobre produtividade            que em breve deverĂŁo ser formalizadas. Atendendo ao interesse sem stress no Hotel D. LuĂ­s dos idosos, a prestação de pequenos serviços no domicĂ­lio, demonstrado pelo tecido empresarial, o Parque Empresarial da O Hotel D. LuĂ­s acolhe no prĂłximo dia 21 de Janeiro o o acompanhamento psicolĂłgico e outros apoios pontuais. &   

    ;    de um ano depois de terem sido concluĂ­das as obras de infraes- workshop â&#x20AC;&#x153;A arte da produtividade sem stressâ&#x20AC;?. A iniciativa A associação nĂŁo exclui alargar a ajuda a outras partes do pretende apresentar soluçþes para a complexidade e exigĂŞncia da municĂ­pio ou a sua replicação a outras cidades. truturas deste equipamento. vida actual, disponibilizando novas ferramentas capazes de lidar Piscinas Rui Abreu reabrem hoje com o volume de informação crescente que chega diariamente Ă s Jardim Botânico fecha Ă s 17h30 O Complexo de Piscinas Rui Abreu, entre a Pedrulha e EiA Direcção do Jardim Botânico de Coimbra anunciou pessoas. Em causa estarĂĄ a metodologia Getting Things DoneÂŽ que, por motivos de restrição orçamental, o horĂĄrio de (GTD) que, apesar de ser inĂŠdita em Portugal, jĂĄ ĂŠ reconhecida ras, reabrem hoje apĂłs um mĂŞs de encerramento devido Ă  queda abertura do espaço, atĂŠ Março, ĂŠ das 09h00 Ă s 17h30, nos internacionalmente por paĂ­ses como Alemanha, CanadĂĄ, Esta- de uma conduta de ar condicionado. A abertura das piscinas dias Ăşteis, e das 11h00 Ă s 17h30 aos sĂĄbados, domingos dos Unidos e Noruega e que estĂĄ agora a ser promovida em estava inicialmente prevista para a passada segunda-feira, mas e feriados. â&#x20AC;&#x153;O patrocĂ­nio do Dolce Vita Coimbra tem Portugal pela Wise Action. Os interessados podem inscrever-se apesar dos trabalhos de reparação estarem terminados foi necessĂĄrio proceder ao enchimento dos tanques e ao aquecimento. permitido a abertura do Jardim Botânico da Universidade no endereço electrĂłnico www.wiseaction.pt. Durante um mĂŞs decorreram obras de reparação das condutas 

       Penacova debate mini-hĂ­drica de ar condicionado, procurando ultrapassar o problema surgido prolongamento do horĂĄrio de fecho no VerĂŁoâ&#x20AC;?, destacam A Plataforma Mondego Vivo e a Câmara Municipal de   ;    > os responsĂĄveis, para registarem e agradecerem este apoio, referindo, contudo, que, â&#x20AC;&#x153;infelizmente, por motivos de Penacova organizam, no auditĂłrio da Biblioteca Municipal de corrosĂŁo dos apoios se soltou anteriormente e caiu de forma restrição orçamental, no Inverno ocorre uma alteração do desta vila, um colĂłquio no prĂłximo sĂĄbado, dia 21, a partir aparatosa sobre uma das piscinas. 30968

Assegura o teu futuro! Junta-te a nĂłs num curso de InglĂŞs na International House de Coimbra


CLASSIFICADOS

19

w w w . campeao p r o vin cia s.co m

ImobiliĂĄrias

QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

DIVERSOS ABC

AUTOMĂ&#x201C;VEIS

+,-./-.+0

"' %%'1 (( ADĂ&#x2030;MIA - COIMBRA

Telef.: 239 432 173 - 3020 COIMBRA www.ademiauto.pt

DESENTUPIMENTOS em canalizaçþes e reparaçþes sem deteriorar as instalaçþes jĂĄ existentes LIGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O das ĂĄguas domĂŠsticas FAZEMOS TRABALHOS EM TODO O PAĂ?S Contacto: 915 550 056 Email: sonarkanal@gmail.com

- T3 c/ sotĂŁo e garagem, em Sta. Clara

CĂ&#x192;ES S. BERNARDO 30909

 !" #$%"&!"' ( " ( $"( (&" %)" ( *(%""$(

ABC

8

Puros

Procura um relacionamento sĂŠrio e nĂŁo encontra?

- T4 c/ garagem Rua Arlindo Vicente

Tem problemas no seu casamento e nĂŁo consegue resolver?

- - T1 na Rua Miguel Torga â&#x20AC;&#x201C; Solum

cozinha italiana completamente equipada, aquecimento central, prÊ-instalação de ar condicionado. Edifício com Parque Infantil.

Contacte-nos, somos uma equipa  

CONSULTAS POR MARCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O jovens pronta a ajudĂĄ-lo.

Telem.: 960 228 369 Av FernĂŁo Magalhaes 136 3Âş sala AD (EDIFĂ?CIO AZUL- em frente Ă  loja do cidadĂŁo)

HorĂĄrio: 2f a SĂĄbado 9h-20h

30743

Solum, na Av Dr ElĂ­sio de Moura com estacionamento. Acabamentos de Luxo,

Vendem-se 1LQKDGDDQDVFHUÂżQDLVGH-DQHLUR

Nós temos a solução!!

AgĂŞncia Matrimonial e Terapia de Casal

- T2, EdifĂ­cio do Centro Comercial Atrium

Aceitam-se reservas

Contacto: 919 902 028

ACTUALIDADE

- Terreno para construção sito na Lousã. à rea de Construção 765 m2

Iniciativa dinamizou quadra natalĂ­cia

Marque a sua visita todos os dias da semana Telef.: 239 854 730 - Telem.: 917 225 640

ABC

     

Penela PresÊpio recebeu mais de 40 mil visitantes O Penela PresÊpio, que encerrou no passado dia 8, recebeu nesta edição mais de 40 mil visitantes. A ligeira quebra no número de visitantes, em relação aos anos anteriores, Ê atribuída à crise     

 paĂ­s atravessa. O presĂŠpio animado â&#x20AC;&#x153;cumpriu os objectivos estratĂŠgicos, ao nĂ­vel da valorização do patrimĂłnio, do comĂŠrcio tradicional e da restauração local, para alĂŠm    

 ?   um concelho de pessoas com enorme capacidade de trabalho, que ousam realizar e sĂŁo capazes de fazerâ&#x20AC;?, referiu em comunicado a autarquia. â&#x20AC;&#x153;NĂŁo podemos esquecer que, mais do que festejar o Natal, este evento constitui um raro e agradĂĄvel espaço de divulgação da  

 Â? teâ&#x20AC;&#x2122; reproduzida nas centenas  

      compĂľem representando

As receitas da bilheteira do Penela PresÊpio destinam-se, na sua íntegra, à requalificação de habitaçþes das famílias mais carenciadas

um vasto leque de artes e ofĂ­cios que os mais velhos recordam com saudade e de que os mais novos apenas ouviram falar aos seus pais e avĂłsâ&#x20AC;?. De salientar que as receitas da bilheteira do Penela PresĂŠpio destinam-se, na  > 

   ; de habitaçþes das famílias

mais carenciadas. Simultaneamente ao Penela PresÊpio, e à semelhança de anos anteriores, decorreu um concurso de #  @ 

tiveram em exposição pelas diversas igrejas da vila durante o mês de Dezembro. Nesta edição, o primeiro lugar foi arrecado pela

loja Latita Catita. O estabelecimento comercial vai ser contemplado com uma miniatura de uma casa de xisto, um cabaz de produtos endógenos, publicações e duas entradas no Penela Presépio. &      cou em segundo lugar, e a Sala das Joaninhas da Casa da Criança da Santa Casa da Misericórdia, terceira clas       bem um cabaz de produtos endógenos, publicações e duas entradas no Penela Presépio. Em quarto lugar,  : 4 

  Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia, a Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia, a Sala de ATL da Santa Casa da Misericórdia e Helena Rodrigues, sendo todos presenteados com publicaçþes, uma peça de faiança, t-shirt do município de Penela e duas entradas no Penela PresÊpio.

Tempo RĂĄdio do Clube da Comunicação Social de Coimbra Esta semana sĂŁo nossos convidados no TEMPO-RĂ DIO do CLUBE DA COMUNICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O SOCIAL DE COIMBRA o DR. CARLOS DA ENCARNAĂ&#x2021;Ă&#x192;O e o ENGÂş JOĂ&#x192;O REBELO para nos falarem dos pormenores do livro que acabam de publicar e em que dĂŁo conta dos pormenores que levaram a que o METRO MONDEGO nĂŁo esteja ainda em movimento...


19 QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

EMPRESAS & NEGĂ&#x201C;CIOS

9

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

MIM ElĂŠctrica celebra duas dĂŠcadas de actividade

B R E V E S

ACIFF reedita projecto Dinamizar

Fundação Fevereiro de 1992 Sócios-gerentes António Augusto e Rui Costa Morada Parque Industrial de Taveiro, lote 13, 3046801 Coimbra Telefone 239 980 00 Endereço electrónico mim.electrica@mail.telepac.pt Sítio www.mimelectrica.pt

A Associação Comercial Industrial da Figueira da Foz (ACIFF) arrancou, no passado dia 4, a mais uma edição do Projecto Dinamizar. Este programa   

Â&#x2019;Â&#x201C;   sectores comĂŠrcio, serviços e restauração com este programa que, zação ferroviĂĄria, que tem BENEDITA OLIVEIRA mediante um conjunto integrado vindo a representar cerca de acçþes de consultoria e forA MIM ElĂŠctrica, Elec- Â&#x201C;Â&#x201D;       mação pretende, a curto, mĂŠdio tricidade e Automação Lda de global da empresa. e longo prazo, proporcionar um melhor desempenho das emprecomemora duas dĂŠcadas de Actualmente, a MIM sas elevando a sua capacidade actividade no prĂłximo mĂŞs ElĂŠctrica estĂĄ a executar os competitiva. Destinado a micro de Fevereiro. trabalhos de actualização e pequenas e mĂŠdias empresas, Instalada no Parque da sinalização da linha de este projecto decorrerĂĄ ao lonIndustrial de Taveiro, a caminho de ferro entre  Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x2019;!& empresa ĂŠ especialista em Alfarelos e Coimbra, mas de arranque deste projecto foi sinalização ferroviĂĄria, ma- as obras no sector sĂŁo cada antecedida pela entrega de prĂŠnutenção industrial, infra- vez mais pontuais. mios do concurso de montras de estruturas elĂŠctricas em Conforme destacou Natal que a ACIFF promoveu A MIM ElĂŠctrica estĂĄ instalada em Taveiro loteamentos, instalação e AntĂłnio Augusto, o deÂ&#x160;Â&#x2019; Â&#x2019;Â&#x201C;Â&#x2021;V  pacto com a conquista de de passageiros servidos,

<Â&#x153;<#      manutenção de postos de sinvestimento nas obras contou com o apoio do Casino outras franjas de mercado. os empresĂĄrios vĂŞem com como uma empresa verda Figueira, do Centro de Artes transformação, iluminação pĂşblicas e, em concreto, â&#x20AC;&#x153;Esta situação afecta- pesar a desactivação da sĂĄtil e com capacidade de e EspectĂĄculos e da Figueira pĂşblica, telecomunicaçþes, no sector ferroviĂĄrio, reredes estruturadas e cons- percute-se negativamente nos relevantemente dado linha do Oeste, jĂĄ que, resposta para fazer face Ă s Parques â&#x20AC;&#x201C; Empresa Municipal trução civil (infraestrutu- no desempenho da MIM que uma boa parte do ren- sublinham, o transporte mais diversas solicitaçþes como patrocinadores dos prĂŠmios Ă s montras vencedoras. ras). ElĂŠctrica, Electricidade e dimento da empresa tem rodoviĂĄrio â&#x20AC;&#x153;nĂŁo ĂŠ uma do mercado no seu sector A principal ĂĄrea de ac- Automação, que tem pro- origem neste sector, em solução de futuro devido de actividade. No seu portfĂłlio de Maior estendal tuação ĂŠ, porĂŠm, a sinali- curado minorar este im- que levĂĄmos anos a espe- ao aumento dos combuscializarmo-nosâ&#x20AC;?, referiu o tĂ­veisâ&#x20AC;?, recursos limitados, clientes, a MIM ElĂŠctrica do mundo no Guiness sĂłcio-gerente. custos acrescidos de utili- conta com empresas como O maior estendal do munA construção e a in- zação das vias rodoviĂĄrias a Refer, Thales (francesa do, iniciativa lançada pela Multi do sector ferroviĂĄrio), Di- Management, empresa gestora dĂşstria sĂŁo actualmente e poluição gerada. dois dos sectores em que a Outro projecto, que metronic (multinacional es- do Forum Coimbra e do Parque empresa mais tem aposta- infelizmente estĂĄ parado, panhola do mesmo sector), Mondego, entrou para o Guiness, do, de forma a compensar mas que poderia contribuir EDP, Bombardier, Cimpor,      Â&#x160;Â&#x201D;Â&#x160;!Â&#x2019;Â&#x2039;Â&#x201D; ;  doadas, no espaço de seis semanas. a redução de actividade no para o desenvolvimento Celbi e Acuinova. A MIM ElĂŠctrica, Elec- Anna Orford, da Records Manasector ferroviĂĄrio. da economia local ĂŠ o do tricidade e Automação estĂĄ ger & Adjudicator for Guinness â&#x20AC;&#x153;O nosso ramo nĂŁo Metro Mondego. estĂĄ direccionado para a Com 39 funcionĂĄrios,      - World Records, entregou a certificação da campanha que envolveu habitação. A indĂşstria e a a MIM ElĂŠctrica trabalha  Â&#x153;$"'?'Â&#x2014;Â&#x201D;Â&#x201D;Â&#x160;   milhares de portugueses e que distribuição sĂŁo as ĂĄreas em todo o paĂ­s e assegura SGS. agora vĂŁo ser distribuĂ­das por mais onde se insere a nossa um ser viço Â&#x160;Â&#x201D;Â&#x201D;  ;\

  actividade e as que exigem de qualidade    Â&#x2019;Â&#x201D;   mais conhecimentos tĂŠc- e eficaz nas Transportes RodoviĂĄrios carenciadas. Nacionais, Internacionais, nicos, e onde somos mais ĂĄreas da sua Expressos, Mudanças e Distribuição concorrenciaisâ&#x20AC;?, explicou, actividade. Catarino hotel.interior por sua vez, o sĂłcio-gerente A acomdecora unidade Desejamos Ă  MIM os parabĂŠns Rui Costa. panhar a evopelos seus 20 anos e votos de sucessos futuros! em Vidago Embora realcem que lução do merRui Costa e AntĂłnio Augusto sĂŁo Catarino hotel.interior, emAlvarĂĄ 1871 / 1995 - Email: coimtave@sapo.pt desconhecem os custos de cado nos Ăşltios sĂłcios-gerentes da empresa Telef.: 239 981 627 - Fax: 239 985 328 - Telem.: 966 788 050 presa do Grupo Catarino espemanutenção e o nĂşmero Â&#x2019;Â&#x201D;  Prazados - Taveiro - Apartado 35 / 3046-801 COIMBRA cializada no fornecimento de equipamento para a hotelaria, No âmbito da maior feira mundial do sector terminou recentemente o projecto de decoração de interiores do Primavera Perfume Hotel, em Vidago. Trata-se de uma unidade hoteleira de trĂŞs estrelas Â&#x2022;Â&#x2019;

  

  bar, piscina exterior e interior aquecida, SPA, estacionamento, O grupo Portucel So- redução de gramagem. relativamente ao período em relação ao ano anterior, global de vendas de papel.

  @

!+

 porcel vai marcar nova- Este Ê, segundo o grupo, homólogo do ano anterior. suportado por um alargaNos primeiros onze se que a empresa concluiu remente presença na Pa- um produto destinado ~ 

Â&#x2021;   Â&#x2DC; mento da sua distribuição a Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160; centemente diversos outros perworl, a maior feira ao segmento Premium que tem uma nova imagem paĂ­ses do centro da Europa. vendas das marcas prĂłprias projectos, entre os quais se salienmundial do sector. O e a â&#x20AC;&#x153;consumidores com e que estĂĄ no mercado O grupo, que ĂŠ o maior cresceram, no seu conjunto, tam a concretização integral da grupo vai apresentar no uma nova atitude face aos europeu, registou um cres- produtor europeu de pa- Â&#x160;Â&#x2022;      -  

;Â&#x2019;Â&#x201D;

  certame, que decorre na recursosâ&#x20AC;? ambientais.       Â&#x160;Â&#x2014; #      tando jĂĄ 59 por cento das e do Club House do Praia dâ&#x20AC;&#x2122;El cidade alemĂŁ de Frankfurt, A marca com melhores por cento nos primeiros de escrita nĂŁo revestidos, vendas de produtos trans- Rey â&#x20AC;&#x201C; Golf & Beach Resort e o fornecimento de mobiliĂĄrio de  Â&#x2019;Â&#x2013;  Â&#x2022;Â&#x160;  ~    resultados ĂŠ a Navigator, VÂ&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160;   estĂĄ presente num total formados em folhas. mais recentes novidades lĂ­der mundial no seu seg- igualmente alcançado pela  Â&#x160;Â&#x160;Â&#x2039; >    Â&#x2021;    ~ - exterior para o Marriott Hotel das suas marcas prĂłprias       Â&#x2019;Â&#x201D; marca Inacopia, que come- mundo.  $  Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160; Praia dâ&#x20AC;&#x2122;El Rey â&#x20AC;&#x201C; Golf & Beach Resort (Ă&#x201C;bidos); a execução (Pioneer, Navigator, Dis- anos de existĂŞncia. A Na- 

Â&#x2022;Â&#x201D;Â&#x2122;   ! Apesar da conjuntura, e      :Â&#x2019;Â&#x2014;     

Â&#x2039;Â&#x201D; covery, Inacopia, Explorer vigator estĂĄ presente em A Explorer tambĂŠm de acordo com um comuni- cento do total das exporta- quartos e quatro suites do Hotel  <  Â&#x2C6;      Â&#x2014;Â&#x201D; >  se destacou positivamente, cado, o grupo continuou a çþes nacionais de bens com de GuimarĂŁes; a remodelação destacar o novo Pioneer atingido um crescimento tendo registado um au- colocar toda a sua produção incorporação de um ele- da Quinta de Santo EstĂŞvĂŁo Fresh Inspiration 75 g/ de cinco por cento nos pri- mento de vendas de mais no mercado, o que permi-       Â&#x203A;   (Aguiar da Beira) e da Quinta de Vilarinho (Anadia). m², que se distingue pela  VÂ&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160; Â&#x161;Â&#x2022;    Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160; tiu um aumento no valor Acrescentado Nacionalâ&#x20AC;?. 31011

PUBLICIDADE

Grupo Portucel Soporcel apresenta novos produtos em Frankfurt


SAĂ&#x161;DE

10

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

Implantes mamĂĄrios

Cardiologia e cirurgia cardĂ­aca

Liga Contra o Cancro dĂĄ apoio psicolĂłgico

Especialistas do coração reúnem-se em Coimbra

O NĂşcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRCLPCC), na sequĂŞncia das notĂ­cias recentes sobre os riscos de ruptura dos implantes mamĂĄrios de silicone prĂŠ-cheios da marca Poly Implant Prothese (PIP), manifestou a sua disponibilidade para prestar apoio psicolĂłgico Ă s mulheres que possuem essas prĂłteses por motivo de reconstrução mamĂĄria pĂłs-mastectomia. O auxĂ­lio serĂĄ prestado no âmbito das consultas gratuitas de Psico-Oncologia, dirigidas a todos os doentes oncolĂłgicos e familiares, que o NĂşcleo, com sede em Coimbra, mantĂŠm desde 2009. â&#x20AC;&#x153;Do ponto de vista mĂŠdi      V-

ram reconstrução mamĂĄria por cancro da mama com implantes da marca PIP, ou que desconheçam a marca do mesmo, devem seguir as recomendaçþes da Direcção-Geral da SaĂşde (DGS): consultar o cirurgiĂŁo ou mĂŠdico assistente da Unidade onde lhes foi colocado o implante assim como manter vigilância mĂŠdica regular junto do seu mĂŠdico assistenteâ&#x20AC;? refere Carlos de Oliveira, presidente do NĂşcleo Regional do Centro da LPCC. Apesar do risco estimado de ruptura ser de cerca de 05 por cento, segundo o comunicado da DirecçãoGeral da SaĂşde e do Infarmed, divulgado a 09 de Janeiro, â&#x20AC;&#x153;esta situação pode causar junto das mulheres

Uma centena de espe- tĂŠcnica, os seus desafios, cialistas nacionais na ĂĄrea da as linhas orientadoras e os cardiologia de intervenção benefĂ­cios para os doentesâ&#x20AC;?, que passaram por um pro- sentimentos de isolamento, e da cirurgia cardĂ­aca vĂŁo explica Rui Campante Teles, cesso de cancro de mama desamparo e abandono, reunir-se em Coimbra, du- cardiologista de intervenção nĂ­veis de ansiedade e medo alargando as redes de apoio rante o dia de amanhĂŁ.    $   V bastante elevados com evi- social; facilitar a comuEste encontro decorre (Carnaxide) e presidente dentes repercussĂľes emo- nicação entre o doente e no hotel Vila GalĂŠ e ĂŠ pro-      V 

 cionais, daí a importância      *� movido pela Associação composta tambÊm pelos de um acompanhamento promover a adesão terapêu- Portuguesa de Intervenção mÊdicos Vasco Gama Ri     tica e auxiliar os familiares Cardiovascular da Sociedade beiro e Lino Patrício. o NRC-LPCC disponi- em luto; são os objectivos Portuguesa de Cardiologia, A estenose aórtica Ê V  

    - das consultas de Psico- atravĂŠs do Grupo de VĂĄl- uma doença que se caractedas as mulheresâ&#x20AC;? - refere Oncologia do NRC da vulas AĂłrticas Percutâneas. V       SĂłnia Silva, psicĂłloga e LPCC, Ă s quais desde 2009 Para alĂŠm de uma anĂĄli- aĂłrtica, cuja função ĂŠ evitar responsĂĄvel da Unida- jĂĄ recorreram 270 pessoas. se ao trabalho desenvolvido que o sangue bombeado de de Psico-Oncologia. As consultas funcionam em Portugal, desde 2007, pelo coração volte para trĂĄs. Promover a qualidade de na sede do NĂşcleo (rua no que toca ao tratamento Cansaço, dor no peito e vida dos doentes oncolĂł- do Dr. AntĂłnio JosĂŠ de da estenose aĂłrtica atravĂŠs desmaios sĂŁo alguns dos singicos e familiares em todas Almeida, 329, 2.Âş - Sala 56, do implante percutâneo da tomas desta patologia, cuja as fases da doença; ajudar Coimbra) em dias Ăşteis, das vĂĄlvula aĂłrtica, esta reuniĂŁo Ăşnica solução de tratamento os doentes e a famĂ­lia a 09h00 Ă s 17h00, com mais de especialistas permitirĂĄ passa pela substituição da desenvolver competĂŞncias informaçþes (ou marcação â&#x20AC;&#x153;debater o futuro desta vĂĄlvula degenerada. para lidar com a doença e de consultas) a poderem ser os tratamentos; prevenir obtidas atravĂŠs do telefone Livraria Almedina (EstĂĄdio) perturbaçþes psicolĂłgicas 239 487 490 ou pelo e-mail       - psico-oncologia.nrc@liga    

Â? V  contracancro.pt.

Medicina preventiva abre ciclo de debates

Direcção Geral de Saúde lança concurso

A medicina preventiva, sessĂŁo estĂĄ agendada para entendida como funda- o dia 26 de Janeiro, pelas mental para os cuidados de 21h00, tendo como objecsaĂşde primĂĄrios, ĂŠ o tema tivo explicar o que ĂŠ a meda primeira sessĂŁo de um dicina preventiva e informar conjunto de debates que vai sobre acçþes de prevenção decorrer na livraria Almedi- e rastreio, debatendo casos A Direcção Geral de estĂĄ dividido em duas cate- na (EstĂĄdio), entre os meses concretos. SaĂşde (DGS) acaba de langorias e prevĂŞ a atribuição de Janeiro e Março. â&#x20AC;&#x153;CafĂŠ do Direitoâ&#x20AC;?, çar um concurso, destinado de vales de compras na A palestra, inserida no â&#x20AC;&#x153;CafĂŠ e Letrasâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;CafĂŠ aos alunos do 2.Âş e 3.Âş ciclo FNAC, no valor de 250 eu- ciclo â&#x20AC;&#x153;CafĂŠ SaĂşdeâ&#x20AC;?, ĂŠ mode- com Marketingâ&#x20AC;? sĂŁo outros do ensino bĂĄsico, com o ros, aos melhores trabalho

  # =>V<- dos espaços de discussĂŁo objectivo de alertar para o do 2.Âş e 3.Âş ciclo. guel Santiago e contarĂĄ com e debate que a Almedina grave problema de saĂşde As inscriçþes podem a participação dos clĂ­nicos propĂľe para os primeiros pĂşblica inerente ao uso ina   V   #   Paula Miranda, LuĂ­s Mon- meses de 2012, no âmbito dequado dos antibiĂłticos. 25 de Janeiro, na Internet, teiro e Ana Marta Garcia. da programação cultural da Ao promover a pesem www.gis.pt. Cada escoDe entrada livre, esta livraria. quisa e a recolha de inla pode apresentar atĂŠ 10 formação sobre o tema candidaturas por nĂ­vel de Iniciativa de estudantes do ISMT â&#x20AC;&#x153;Preserve os AntibiĂłticosâ&#x20AC;?, escolaridade, compostas esta iniciativa, desenvolvida por alunos e um professor em colaboração com o responsĂĄvel. Grupo de Infecção e SĂŠpsis Adequação do trabaIncentivar os idosos a e apoiada pelo MinistĂŠrio Para alĂŠm da dança e da lho ao tema, tratamento da Educação e da CiĂŞncia,    ; V ; praticar exercĂ­cio fĂ­sico e a ginĂĄstica, serĂĄ servido um pretende contribuir para de fontes, originalidade e envolverem-se em activi- lanche que visa proporciouma precoce alteração dos criatividade e a qualidade da dades lĂşdicas ĂŠ o objectivo nar uma tarde de convĂ­vio Ă  comportamentos, estimular apresentação sĂŁo os critĂŠrio principal de uma acção que população sĂŠnior e, simultaa criatividade e fomentar o Utilização sem real necessidade faz com que o que o jĂşri terĂĄ em conta na um grupo e estudantes do neamente, a interacção com debate deste assunto nas avaliação dos trabalhos, que Instituto Superior de Miguel os alunos. medicamento perca a sua capacidade curativa escolas. Sob coordenação dos devem ser entregues atĂŠ ao Torga (ISMT) promove amanhĂŁ, em Coimbra. â&#x20AC;&#x153;O uso inadequado importante promover uma importante vector de difu- dia 10 de Fevereiro. professores Pedro Filipe e Os alunos da turma do Bruno Cordeiro, esta iniciatidos antibiĂłticos ĂŠ um dos       V ; sĂŁo de informação a toda O anĂşncio dos vencemaiores problemas de saĂş- atravĂŠs de campanhas diri- a famĂ­liaâ&#x20AC;?, sustenta JosĂŠ dores e a entrega de prĂŠ-     V ;  - va permite aos sete estudan * !&  V ; gidas, nĂŁo sĂł aos mĂŠdicos Artur Paiva, coordenador mios acontecerĂĄ durante nolĂłgica em Gerontologia tes do ISMT a oportunidade        V prescritores e aos utentes, nacional da DGS para o o SimpĂłsio de Infecção e prepararam um dia de ocu- de obter experiĂŞncia e colocar com que o medicamento mas tambĂŠm aos jovens Programa Nacional de Re- SĂŠpsis, que decorrerĂĄ no pação para os mais idosos. em prĂĄtica os conhecimentos A iniciativa, intitulada adquiridos durante o curso. perca a sua capacidade que constituem um grupo sistĂŞncia Antimicrobiana. ?   ÂĄâ&#x20AC;&#x153;Viva a melhor idade!â&#x20AC;?, vai 

 ! ?   

V # aberto Ă  pedagogia e um â&#x20AC;&#x153;Viva a melhor idade!â&#x20AC;? ĂŠ O concurso pedagĂłgico mo mĂŞs. decorrer no pavilhĂŁo de um projecto acadĂŠmico que ConsultĂłrios:COIMBRA - Largo da Portagem, 27 - 2.Âş - Telef.: 239 821 403 Nossa Senhora de Lurdes, visa o combate ao declĂ­nio FIGUEIRA DA FOZ - Praceta D. Maria Madalena Azevedo PerdigĂŁo, n.Âş 30 em Celas, entre as 14h00 mental, fĂ­sico e emocional, Telef.: 233 423 541 | ARGANIL - Rua Dr. Veiga SimĂľes, Telem.: 935 106 927 e as 18h00, integrada num   V     TĂ BUA Av. da Ribeira, Edf. Ă&#x201C;mega 1, 1.Âş C Telem.: 934 224 930 CLĂ?NICA OFTALMOLĂ&#x201C;GICA, LDA projecto acadĂŠmico relacio- situaçþes de discriminação, COJA - Rua Dr. Albino Figueiredo, Telem.: 935 106 928       V ;  exclusĂŁo social e inactividaDr. JosĂŠ Emilio Campos Coroa GĂ&#x201C;IS - Rua Comendador Augusto LuĂ­s Rodrigues Telem.: 934 225 140 gestĂŁo de actividades fĂ­sicas de, vividas pela população Dr.ÂŞ M.ÂŞ Helena Campos Coroa PAMPILHOSA DA SERRA - Rua Rangel Lima Telem.: 935 106 935 na velhice. sĂŠnior.

Uso inadequado de antibiĂłticos ĂŠ problema de saĂşde pĂşblica

Actividade fĂ­sica e convĂ­vio em dia dedicado aos idosos

30316

CAMPOS COROA


19

QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

11

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Montemor-o-Velho

A 05 de Fevereiro

Prova de Enduro de GĂłis abre campeonato nacional A primeira prova do Campeonato Nacional de Enduro de 2012 irĂĄ ser disputada a 04 e 05 de Fevereiro, aliando as belezas naturais Ă  dureza de percursos da regiĂŁo, numa organização do Moto Clube de GĂłis. O 9.Âş Enduro de GĂłis terĂĄ uma â&#x20AC;&#x153;Enduro Testeâ&#x20AC;? na Quinta da Capela, uma â&#x20AC;&#x153;Cross Testâ&#x20AC;? no Parque do BaiĂŁo e uma â&#x20AC;&#x153;Extreme Testâ&#x20AC;? no Cerro da Senhora da Candosa, na freguesia de Vila Nova do Ceira, com o parque fechado e a zona de assistĂŞncia a localizar-se, como habitualmente, no Parque do Cerejal. No sĂĄbado, 04 de Fevereiro, apenas decorrerĂĄ o reconhecimento das especiais por parte dos pilotos e as   ;\ 

  e tĂŠcnicas no secretariado implantado no PavilhĂŁo Gimnodesportivo de GĂłis, junto ao Posto da GNR.

No domingo, 05 de Fevereiro, a partir das 11h00, os pilotos vão ter de enfrentar 48 quilómetros de percurso, com quatro voltas para as classes Elite e Open, três voltas para as classes Verdes e Veteranos e duas voltas para a nova classe Hobby, num trajecto desenhado na zona sul e oeste do concelho de Góis. O público aficionado deste desporto motorizado poderå acompanhar a evolução dos pilotos, durante a prova, no percurso em algumas trialeiras nas seguintes zonas: Serra do Carvalhal (antiga pista de Downhill) e nos lugares dos Caselhos, da Portela de Góis, dos Conhais, na Monteira e no Casalinho. O 9.º Enduro de Góis conta com a colaboração da Câmara Municipal de Góis, dos Bombeiros Voluntårios de Góis e da Federação

Os pilotos enfrentam 48 km de um percurso duro, mas com belezas naturais

de Motociclismo de Portugal, e com o patrocĂ­nio da Masac, Drenaline, Alves Bandeira, Sagres Zero, Kenda, Quinta do OrtigĂŁo, Motojornal, PsicolĂłgico, Caixa de CrĂŠdito AgrĂ­cola,

Wurth, Gasgas e Bomcar. Para mais informaçþes poderå ser consultado o sítio na Internet do Góis Moto Clube em www.goismotoclube.pt, ou no facebook. PUBLICIDADE

Câmara de Cantanhede assinou protocolo

EDP avança com parque eĂłlico na Tocha A Câmara Municipal de Cantanhede e a EDP RenovĂĄveis Portugal, SA formalizaram o protocolo relativo Ă  instalação do Parque EĂłlico da Tocha, com uma potĂŞncia total instalada de 09 MW, nos termos da licença emitida pela Direcção-Geral de Energia e Geologia. O acordo foi formalizado por JoĂŁo Moura, presidente da autarquia, e AntĂłnio Manuel Lobo Gonçalves, administrador da empresa, num encontro realizado nos Paços do Concelho, e em que estiveram tambĂŠm presentes a vice-presidente da edilidade, Helena TeodĂłsio, e o presidente da Junta de Freguesia da Tocha, JĂşlio de Oliveira. Segundo o que consta do documento, â&#x20AC;&#x153;a EDP RenovĂĄveis compromete-se a instalar o referido parque eĂłlico, com os respectivos dispositivos e equipamentos, nas formas e condiçþes que para o efeito   @  vo submetido a licenciamento junto da Câmara Municipal de Cantanhede, bem como as infra-estruturas de ligação Ă  rede elĂŠctrica nacionalâ&#x20AC;?. A autarquia cantanhedense â&#x20AC;&#x153;assume o compromisso de apoiar, em termos gerais, a construção e exploração do parque eĂłlicoâ&#x20AC;?, considerando o seu â&#x20AC;&#x153;interesse em

promover no seu concelho o desenvolvimento das energias renovĂĄveis, nomeadamente as resultantes do aproveitamento dos recursos eĂłlicos existentes na regiĂŁoâ&#x20AC;?.  V ;da para terrenos baldios da freguesia de Tocha, junto ao vĂŠrtice geodĂŠsico denominado â&#x20AC;&#x153;Palheiros da Tochaâ&#x20AC;? e do cruzamento da estrada EN335-1 com a estrada Mira-Quiaios, o projecto teve DecisĂŁo de IncidĂŞncias Ambientais (DIncA) favorĂĄvel por parte do secretĂĄrio de Estado do Ambiente, em 11 de Novembro de 2010. O designado parque eĂłlico da Tocha foi jĂĄ licenciado pela autarquia cantanhedense, decisĂŁo que teve na base o reconhecimento e declaração de Interesse Municipal do projecto em deliberação aprovada, quer pelo executivo camarĂĄrio, em 15 de Dezembro de 2011, quer pela Assembleia Municipal, em 19 de Dezembro de 2011. Na descrição tĂŠcnica apresentada pela empresa promotora ĂŠ referido que o projecto â&#x20AC;&#x153;serĂĄ constituĂ­do por cinco aerogeradores de 1 800 kW de potĂŞncia unitĂĄria, o que perfaz uma potĂŞncia total instalada de 9 000 kW, estando tambĂŠm inserido na instalação um edifĂ­cio destinado a alber-

gar vĂĄrios equipamentos elĂŠctricos de MT, nomeadamente posto de corte de 15 kV que inclui o respectivo disjuntor de interligação, protecçþes da interligação, sistema de medição e contagem de energia, sistema de supervisĂŁo e controlo, transformador dos serviços auxiliares e outro equipamento elĂŠctrico inerente a este tipo de instalaçþesâ&#x20AC;?. Fazem ainda parte do conjunto a rede interna de cabos de MT, a qual serĂĄ subterrânea, rede de terras e acessos aos aerogeradores, implantados nos prĂłprios

 W  @  ! Por fim, no enquadramento do parque eĂłlico pode ler-se tambĂŠm que â&#x20AC;&#x153;para escoamento da energia elĂŠctrica produzida serĂĄ remodelada, numa extensĂŁo de cerca de cinco quilĂłmetros, uma linha aĂŠrea a 15 kV jĂĄ existente, a qual cruza a ĂĄrea destinada Ă  implantação do parque. Essa linha faz parte integrante da Rede Nacional de Distribuição (RND), a qual integra a Rede ElĂŠctrica de Serviço PĂşblico. Embora a referida remodelação seja uma obra da responsabilidade da EDP Distribuição - Energia, SA, concessionĂĄria da RND, ela serĂĄ integralmente custeada pelo promotor.

Ascensor conquista o Castelo Voltar a conquistar o Castelo de Montemor-oVelho, proporcionando a revitalização da sua encosta e favorecer uma maior ligação ao centro histĂłrico da vila sĂŁo os motivos que levaram a Câmara Municipal a desenvolver o projecto de construção de um ascensor mecânico, possibilitando Ă s pessoas fazer um percurso pedonal assistido. O projecto, que deverĂĄ estar concluĂ­do em Setembro de 2012, foi submetido a candidatura ao Programa Operacional Regional do Centro, com 1,30 milhĂľes de euros de investimento elegĂ­vel, sendo comparticipado a 80 por cento. â&#x20AC;&#x153;Se tivermos em atenção que, desde Janeiro de 2001, jĂĄ foram feitos investimentos prĂłximo dos 90 milhĂľes de euros no concelho, os valores que a autarquia vai ter que suportar na execução do ascensor mecânico â&#x20AC;&#x201C; cerca de 300 000 euros â&#x20AC;&#x201C; podem ser considerados residuais (menos de um por cento do orçamento municipal para 2012) e os

benefĂ­cios vĂŁo, sem dĂşvida, ultrapassar em larga medida o valor da obraâ&#x20AC;?, refere o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. â&#x20AC;&#x153;Esta era uma oportunidade Ăşnica para devolver o centro histĂłrico e dar ao Castelo um novo pulsar, e que vai beneficiar nĂŁo sĂł os actuais moradores como ĂŠ espectĂĄvel que quando a obra estiver concluĂ­da possa atrair mais residentes, bem como possa ser criada uma nova dinâmica ao nĂ­vel turĂ­sticoâ&#x20AC;?, destaca LuĂ­s Leal. Depois da conquista do prĂŠmio Alexandre Herculano, atribuĂ­do pela Associação Portuguesa de MunicĂ­pios com Centro HistĂłrico, em 2003, o autarca Leal sublinha que â&#x20AC;&#x153;Montemor-o-Velho estĂĄ diferente e, em breve, a consubstanciação da recuperação urbana vai conhecer novos desenvolvimentos com o projecto da envolvente do Casteloâ&#x20AC;?. A articulação com a rede pedonal e viĂĄria existente vai potenciar, tambĂŠm, a ligação ao projecto â&#x20AC;&#x153;Ruas de Culturaâ&#x20AC;?.


ALMALAGUĂ&#x160;S

12

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

Em honra do mĂĄrtir SĂŁo SebastiĂŁo

Programa

Freguesia em festa durante sete dias solver problemas terrenos â&#x20AC;&#x201C; a população de AlmalaguĂŞs e muitos forasteiros, tambĂŠm, aproveitam os sete dias de festa para esquecer as agruras dos tempos actuais. Â&#x2021;

    semana, os costumes das gentes da terra mantĂŞm-se fortes.

31005

Rua Vale NabĂ´a NÂş 9 AnaguĂŠis - AlmalaguĂŞs - Coimbra Tel./Fax 239932415 - Tlm. 917645494/5

Telem.: 919 631 597 / 91 963 15 76 - Email: zemanel@zmseguros.com Rua Sto. Cristo, 8 - 3040-453 ALMALAGUĂ&#x160;S

Instituto de AlmalaguĂŞs Telef.: 239 931 699 / Fax: 239 931 979 - geral@ialmalagues.pt

PUBLICIDADE

- 2.Âş e 3.Âş Ciclos Ensino BĂĄsico/Ensino SecundĂĄrio     

31012

30927

O executivo da Junta convida a festejar connosco as festas em honra do MĂĄrtir S. SebastiĂŁo

30926

PUBLICIDADE

SEXTA-FEIRA (DIA 20) 20h00 â&#x20AC;&#x201C; Abertura do bar e quermesse 21h00 â&#x20AC;&#x201C; Torneio de sueca SĂ BADO (DIA 21) 09h00 â&#x20AC;&#x201C; Alvorada 10h00 â&#x20AC;&#x201C; Passeio de cicloturismo 15h00 â&#x20AC;&#x201C; Eucaristia na capela de SĂŁo SebastiĂŁo Para alĂŠm das habi- taz musical, as festas de 16h30 â&#x20AC;&#x201C; Jogos tradicionais e touro mecânico tuais quermesses e jogos AlmalaguĂŞs, em honra 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Baile com a banda â&#x20AC;&#x153;RĂŠplikaâ&#x20AC;? tradicionais, sem esquecer do mĂĄrtir SĂŁo SebastiĂŁo, DOMINGO (DIA 22) os momentos dedicados realizam-se nos dias 201, 09h00 â&#x20AC;&#x201C; Alvorada a celebraçþes de carĂĄcter 21, 22, 23, 27, 28 e 29 de 09h30 â&#x20AC;&#x201C; PeditĂłrio nas ruas com os â&#x20AC;&#x153;Alegresâ&#x20AC;? religioso, que tĂŞm o seu Janeiro e contam, este 14h00 â&#x20AC;&#x201C; Chegada da â&#x20AC;&#x153;Banda FilarmĂłnica do Espinhalâ&#x20AC;? ponto alto na tarde do ano, com a presença das 15h00 â&#x20AC;&#x201C; Eucaristia prĂłximo domingo (euca- bandas â&#x20AC;&#x153;RĂŠplikaâ&#x20AC;?,â&#x20AC;?Belito 16h00 â&#x20AC;&#x201C; ProcissĂŁo ristia seguida de procis- Camposâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Dexysâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Tia- 18h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação do artista â&#x20AC;&#x153;Belito Camposâ&#x20AC;? sĂŁo), o programa da festa go Silvaâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;Mente Puraâ&#x20AC;?, 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação da banda â&#x20AC;&#x153;Dexysâ&#x20AC;? que decorre a partir de â&#x20AC;&#x153;Duo Aliançaâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;Duo SEGUNDA-FEIRA (DIA 23) 09h00 â&#x20AC;&#x201C; Alvorada amanhĂŁ e atĂŠ ao dia 29 de Vikingsâ&#x20AC;?. Janeiro integra noites de A animar os vĂĄrios 09h30 â&#x20AC;&#x201C; Chegada da banda â&#x20AC;&#x153;Tradição Activaâ&#x20AC;? bailarico, um torneio de dias desta impor tante 10h00 â&#x20AC;&#x201C; Torneio de malha 15h00 â&#x20AC;&#x201C; Eucaristia na capela de SĂŁo SebastiĂŁo malha, um leilĂŁo de foga- romaria, destaca-se, ain- 16h00 â&#x20AC;&#x201C; Reabertura da quermesse ças, a actuação de vĂĄrios da, as actuaçþes do ran- 17h00 â&#x20AC;&#x201C; Jogos tradicionais e touro mecânico grupos e artistas e, atĂŠ, cho folclĂłrico â&#x20AC;&#x153;As Tece- 18h00 â&#x20AC;&#x201C; LeilĂŁo de fogaças e baile com o conjunto musical de Tiago Silva uma prova de vinhos, jero- deiras de AlmalaguĂŞsâ&#x20AC;?, SEXTA-FEIRA (DIA 27) piga e negalhos, momento da escola de mĂşsica e 20h00 â&#x20AC;&#x201C; Abertura do bar e da quemesse privilegiado para provar do grupo de teatro do 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Baile com a banda â&#x20AC;&#x153;Mente Puraâ&#x20AC;? alguns dos sabores locais. Instituto de AlmalaguĂŞs, SĂ BADO (DIA 28) 09h00 â&#x20AC;&#x201C; Alvorada Como cabeças do car- entre outros. 09h30 â&#x20AC;&#x201C; PeditĂłrio nas ruas com os â&#x20AC;&#x153;Alegresâ&#x20AC;? PUBLICIDADE 10h30 â&#x20AC;&#x201C; Jogo de futebol entre solteiros e casados 15h00 â&#x20AC;&#x201C; Eucaristia na capela de SĂŁo SebastiĂŁo 16h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação do rancho folclĂłrico â&#x20AC;&#x153;As Tecedeiras de AlmalaguĂŞsâ&#x20AC;? 17h00 â&#x20AC;&#x201C; Prova de vinhos, jeropiga e negalhos 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Actuação dos â&#x20AC;&#x153;Piano Playâ&#x20AC;? 23h00 - â&#x20AC;&#x153;Noite da Juventudeâ&#x20AC;?, com a actuação do DJ Gonzo, IrmĂŁos Guedes e outras surpresas DOMINGO (DIA 29)       09h00 â&#x20AC;&#x201C; Alvorada !  "  #$ 09h30 â&#x20AC;&#x201C; PeditĂłrio na rua com os â&#x20AC;&#x153;Alegresâ&#x20AC;? Telef.: 239 931 004 - Telem.: 917 755 541 - Email: conjuntoveloz@gmail.com 15h00 â&#x20AC;&#x201C; Eucaristia Bairro de Santa Luzia, n.Âş 4 | 3040-452 ALMALAGUĂ&#x160;S PUBLICIDADE 16h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação da escola de mĂşsica 17h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação do grupo de teatro do Instituto de AlmalaguĂŞs 18h30 â&#x20AC;&#x201C; Actuação dos grupos de mĂşsica â&#x20AC;&#x153;Duo Aliançaâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;Duo AQUECIMENTO CENTRAL (Caldeiras JUNKERS) Vikingsâ&#x20AC;? ENERGIA SOLAR 22h00 â&#x20AC;&#x201C; Sorteio de rifas A NOSSA EXPERIĂ&#x160;NCIA AO SERVIĂ&#x2021;O DOS CLIENTES (PainĂŠis solares JUNKERS) 23h00 â&#x20AC;&#x201C; Fogo de luzes Telef.: 239 931 308/932 240 - Fax: 239 932 241 31009

Por terras de AlmalaguĂŞs, freguesia de Coimbra e berço de reputadas tecedeiras, o mĂŞs de Janeiro ĂŠ marcado por uma tradicional romaria, em honra de SĂŁo SebastiĂŁo. A par da fĂŠ e devoção religiosa â&#x20AC;&#x201C; e sĂŁo muitos os que pedem a intervenção do mĂĄrtir para ajudar a re-

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

ANĂ&#x2021;Ă&#x192; Vila celebra S. SebastiĂŁo a partir de amanhĂŁ Com raĂ­zes que se perdem no tempo, as festas

em honra de S. SebastiĂŁo sĂŁo sempre um evento importante na vida das gentes da vila de Henrique Duarte Nogueira da Cunha Ançã. Este Caleiras de AlumĂ­nio Lacado fabricadas no local da obra Remodelaçþes interiores e exteriores ano, os fesDivisĂłrias e tectos falsos pladur tejos come3DUTXHWĂ&#x20AC;XWXDQWH çam amanhĂŁ e deBairro de SĂŁo Bento, 3060-022 Ançã correm atĂŠ Telef. 910 976 504 | Fax: 239 001 619 | henriquecunha@netcabo.pt domingo. PUBLICIDADE

30070

Caleiras SĂŁo Bento

A festa arranca amanhã à noite, a partir das 23h00, com animação musical a cargo do grupo Ira. A partir das 03h00, a festa continua ao som dos djs El Batista e Cat. No såbado, dia 21, o destaque vai para o concerto com a banda Kapital, a partir das 23h00. Seguese depois a actuação de Funky Dealrz (Dj Set) e

Peter Glam, el Batista e Miguel Kj. No domingo, dia 22, último e principal dia dos festejos, o programa das festas inclui alvorada, às 08h00, e arruada pela Phylåmónica Ançanense, a partir das 10h00. A tradicional celebração religiosa em honra do Mårtir começa às 12h00, com uma procissão em

direcção Ă  igreja matriz, onde serĂĄ celebrada missa. Para as 15h30 estĂĄ prevista a procissĂŁo de regresso Ă  capelinha de S. SebastiĂŁo. Ă&#x20AC; noite, sobe ao palco os grupos Rockland (da Academia de Musica de Ançã) e Matrix. A festa continua madrugada dentro ao som do dj Protaz.

Com entradas livres, a festa tem ainda com uma recheada quermesse e um serviço de bar, que conta com bons petiscos, vinho e com a tradicional chanfana, entre outras iguarias gastronĂłmicas, o que paralelamente ao â&#x20AC;&#x153;cardĂĄpio musicalâ&#x20AC;? vai, com certeza, atrair muita gente de Ançã e das povoaçþes vizinhas.


19

QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

ASSOCIAĂ&#x2021;Ă&#x192;O RECREATIVA CASAENSE

13

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Campos de relva sintĂŠtica deram novo impulso

Clube assinala 55 anos com mais pujança L.S.

O nĂşmero de crianças e jovens que praticam futebol na Associação Recreativa Casaense duplicou desde a inauguração dos relvados sintĂŠticos, o que atesta a boa aposta deste clube de Casais do Campo, freguesia de S. Martinho do Bispo, Coimbra, que amanhĂŁ assinala 55 anos. Fundado em 20 de Janeiro de 1957, o Casaense destaca-se na actualidade por ter uma escola de futebol com 150 praticantes, desde os petizes (dos quatro aos sete anos), passando pelos benjamins (dos oito aos 10 anos), infantis (11 e 12 anos), iniciados (12 aos 14 anos), juvenis (15 e 16 anos), atĂŠ aos juniores (17 e 18 anos). â&#x20AC;&#x153;Esta ĂŠ uma escola de futebol aberta, sem critĂŠrio de selecção, que a todos acolheâ&#x20AC;?, refere o presidente

da Direcção do Casaense, LuĂ­s Gaspar, sublinhando que â&#x20AC;&#x153;o essencial nĂŁo sĂŁo os resultados desportivos, mas proporcionar uma boa formação das crianças e jovens, em colaboração com os paisâ&#x20AC;?. Esta fora de estar, segundo o dirigente, tem trazido reconhecimento e uma boa impressĂŁo, atraindo mais praticantes para este clube que conta com 200 sĂłcios activos, e viu inaugurado, a 01 de Outubro de 2011 os relvados sintĂŠticos. Nos campos do Casaense treina-se e joga-se futebol de 11, futebol de 7 e futebol de 5, com o LQYHVWLPHQWR D VLJQLÂżFDU um grande esforço, mas a revelar a coragem e a vontade em ter as melhores condiçþes para oferecer. Para a concretização deste sonho a Câmara Municipal de Coimbra, atravĂŠs do pelouro do Desporto,

contribuiu com 120 000 euros, a que se junta o apoio da Junta de Freguesia de S. Martinho do Bispo e um emprÊstimo bancårio (Caixa de CrÊdito Agrícola) contraído pelo clube no valor de 90 000 euros. O presidente do Casaense, Luís Gaspar, empresårio de recursos humanos, diz que a Direcção consegue gerir todas as despesas mensais, no valor total de 3 000 euros, com as contas em ordem, o que atesta a boa gestão que estå a ser posta em pråtica. Cada criança ou jovem que frequenta as escolas de futebol paga 25 euros

mensais, com dois treinos VHPDQDLVHMRJRDR¿PGH semana, com o clube a ter, tambÊm, aeróbica, com 25 pessoas divididas em duas classes, ficando esta actividade física em 15 euros mensais, com duas sessþes por semana. Para assinalar este 55.º aniversårio irå realizar-se um jantar-convívio, neste ¿PGHVHPDQD FRP /XtV Gaspar a agradecer a colaboração de Antonino Moura Antunes, presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho do Bispo e um dos fundadores do Casaense, da Câmara Municipal de Coimbra atravÊs do

vereador Luís Providência, de Fernando Ferreira, da Associação de Futebol de Coimbra, e de empresas, pais e amigos que têm ajudado o clube. A Direcção do Casaense Ê constituída por Luís Gaspar (presidente), Pedro Mano (secretårio), Francisco Abreu (tesoureiro), António Diogo, Rui do Vale, Vítor Gomes, Mårio Santos, Carlos Batista, Hugo Ferreira e Mårio Moita (vogais). O Conselho Executivo Ê formado por Nuno Renato, Miguel Almeida, Rosa Mineiro, Ana Lúcio e Maria Alves.

A Associação Recreativa Casaense foi fundada em 20 de Janeiro de 1957

A Assembleia Geral ĂŠ presidida por Eduardo Couceiro, tendo JosĂŠ Arzileiro e AmĂ­lcar Nascimento como secretĂĄrios. O Conselho Fiscal ĂŠ formado por Henrique Bento (presidente), Carlos Pereira (secretĂĄrio) e Joaquim Silva (relator).

As escolas de futebol do clube, com campo de relva sintÊtica, têm 150 crianças e jovens PUBLICIDADE

GABINETE DE CONSULTADORIA ADMINISTRATIVA DE PESSOAL

Telef.: 239 701 460 - Telem.: 966 942 659 Estrada da Beira, 389 r/c - 3030-426 COIMBRA

31059

LuĂ­s Gaspar, presidente do Casaense

Rua da RepĂşblica, 88 - 2.Âş Dto. - Fala - 3045-116 Coimbra Telef.: 239 445 055/6 - Fax: 239 445 057 Telem.: 917 543 780 / 917 764 851 geral@gabluisgaspar.com | gabinete@gabluisgaspar.com

31055

Felicitamos a Escola de Futebol A.R. Casaense

Encerra Ă  3.ÂŞ Feira

MIRANDA DO CORVO Festas em honra do mĂĄrtir atĂŠ dia 24 novena e meia hora depois uma missa em honra de S. SebastiĂŁo. No sĂĄbado, o dia começa novamente com uma alvorada, Ă s 09h00, e arruada, a partir das 09h30. Ă&#x20AC;s 18h30 realizase nova novena, seguida de missa vespertina. Ă&#x20AC;s 20h00 realiza-se a tradicional procissĂŁo solene, finda a qual, haverĂĄ um

espectĂĄculo pirotĂŠcnico. Ă&#x20AC; noite estĂĄ previsto um baile, a partir das 22h30 no pavilhĂŁo da Casa do Povo, com os grupos Tekos e Kremlin. JĂĄ no domingo, dia 22, o destaque vai para a par   ; 

ÂĄ  Mirandese e Lousanense na arruada (09h30), missa solene (que decorre na igreja matriz Ă s 10h30) e

para a procissĂŁo solene (15h00). Ă&#x20AC;s 17h00 realizase o leilĂŁo de fogaças, apĂłs o qual actuam as 

¥ !¢   entrada livre, realiza-se um baile com o grupo Ritual Dueça. No dia 23, a animação resume-se à alvorada e à arruada de gaiteiros pelas ruas da vila. No último dia dos

festejos, terça-feira, o des- e para o sorteio das rifas taque vai para a tradicional de S. SebastiĂŁo (Ă s 20h00). sardinhada e porco no espeto na feira da sardinha (17h00), que conta PEĂ&#x2021;AS P/AUTOMĂ&#x201C;VEIS com aniZona Industrial (frente ao campo novo) mação do Recta da Pereira - 3220-119 MIRANDA DO CORVO g r upo RiTelef.: 239 533 022 - Fax: 239 531 234 E-mail: mirandadocorvo@centrauto.com.pt tual Dueça, PUBLICIDADE

31019

A vila de Miranda do Corvo celebra o mĂĄrtir S. SebastiĂŁo atĂŠ Ă  prĂłxima terça-feira, dia 24. A festa, que arrancou jĂĄ na sexta-feira, dia 13, com uma novena em honra de S. SebastiĂŁo, continua amanhĂŁ com a tradicional alvorada, Ă s 09h00, seguida de uma arruada com gaiteiros. Ă&#x20AC;s 18h30 realiza-se novamente uma


SANJOANENSE ATLÉTICO CLUBE

14

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

19

QUINTA-FEIRA

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

Colectividade assinalou 40 anos

Clube de S. João do Campo precisa de relvado sintético L. S.

Em cima: João Sequeira (treinador), Manuel Ferrão (patrocinador), Francisco Pimenta, Diana, André Sequeira, Bruno Venâncio, André Gandarez, Tomás Branco, Rodrigo Pimenta, Paulo Coutinho (direcção). Em baixo: Ana Malva, Zé Pedro Ferrão, João Virgílio, Zé Bogalho, Pedro Moura (cap), Patrício Os dirigentes do clube: José Domingos Coutinho (tesoureiro), César Moura (seccionista), Antónia Serém (vogal), Sérgio Rodrigues (1.º secretário), Adelina Varela (secretária AG), João Sequeira ( vice-presidente Direcção), José Coutinho (seccionista) Paulo Coutinho (presidente Direcção), Deolinda Serém (vogal), Miguel Coelho (vogal), Teresa Venâncio (vogal), Manuel Bogalho (relator Conselho Fiscal), Fausto Umbelino (2.º secretário), José Alberto Cunha (secretário AG), Ilídio Ferrão (vogal), João Gandarez (presidente Conselho Fiscal). A estes há a acrescentar Nuno Cavaco (secretário Conselho Fiscal) e António Marques Delgado (presidente Assembleia Geral)

equipas, desejando, igualmente, conseguir voltar a ter equipas de juvenis e juniores. Paulo Coutinho, um jovem de 31 anos, que já foi vice-presidente do clube, quer que este seu mandato à frente da Direcção se caracterize por “três esses (S)”: concretizar o sintético, fazer dos sócios uma base sólida e voltar a ter uma equipa sénior. O clube tem cerca de 500 sócios, mas são poucos os que pagam as quotas, tendo para além das escolas de futebol aulas de ginástica, na sede, duas vezes por semana e que são frequentadas por 40 a 50 senhoras. Uma das fontes de receita do Sanjoanense é o bar que funciona nas suas instalações, aberto todos os dias das 12h30 à meia-noite, que

Em cima: Luís Gandarez (treinador), Henrique, David, João Vilela, Dani, Paulo Coutinho (direcção), Seiça (cap), Samuel, João Coutinho (treinador). Em baixo: José Fernandes, Diogo Fernandes, Bruno Emanuel, João “Baneno” Pancas, Biatriz, Ana Coutinho, Carolina

Em cima: Ana Malva, João Sequeira (treinador), Francisco Pimenta, Mário Batista (treinador), André Gandarez, André Sequeira, Duarte (treinador), Zé Pedro Ferrão, Bruno Coelho, Rodrigo Pimenta. Em baixo: Guilherme, Diana, Tomás Branco, Zé Bogalho, Pedro Moura (cap)

PUBLICIDADE

Grão de Arroz

ÓPTICA CORTESÃO

z MINI MERCADO z TALHO

em São João do Campo

Rua Dr. Jaime Cortesão S. João do Campo - 3025-441 COIMBRA Telef.: 239 962 829

António Leite 30950

Em tecidos não há igual... Um bom sortido para o seu enxoval!!! Telem.: 967 378 392

marcação de consultas através do Telef.: 239 108 431 Rua Coronel António Eliseu, n.º 4 3025-465 S. João do Campo

JUNTA DE FREGUESIA S. JOÃO DO CAMPO O executivo da Junta de Freguesia felicita o Sanjoanense Clube pelo seu 40.º Aniversário!

30949

S. João do Campo

31001

Apoia a Juventude e o desporto!

31016

Brevemente:

- Móveis por medida - Carpintarias - Roupeiros - Restauros - Cozinhas

R. Dr. Jaime Cortesão, n.º 142 3025-641 S. João do Campo Telem.: 969 042 788 Telef./Fax: 239 961 454

onde aos domingos se realiza a feira semanal de S. João do Campo, com o bar a abrir pelas 08h30, graças ao esforço de directores do clube.

As entidades presentes no almoço de aniversário: Sérgio Rodrigues (secretário e membro da Junta de Freguesia); Luís Providência (vereador do Desporto), Albertino Baptista (Centro de Dia), José Luís Pimenta (presidente da Junta de Freguesia de S. João do Campo), João Paulo Barbosa de Melo (presidente da Câmara de Coimbra), Paulo Coutinho (presidente Direcção), João Sequeira (vice-presidente Direcção)

30948

PUBLICIDADE

para além de ser um espaço de convívio e onde se pode ver a transmissão televisiva de futebol, tem, igualmente, uma sala de jogos. A sede situa-se no Largo da Cruz,

31029

O Sanjoanense Atlético Clube assinalou, no passado domingo, o 40.º aniversário, com o clube de S. João do Campo, freguesia do concelho de Coimbra, a desejar como prenda a concretização de um relvado sintético no campo da Caparota. Fundado a 01 de Janeiro de 1972, o Sanjoanense continua com um recinto de futebol “pelado”, onde cerca de 60 crianças aprendem a modalidade desportiva nos vários escalões, orientados por técnicos que colaboram gratuitamente. No almoço, realizado na Quinta da Tendinha, onde participaram 260 pessoas, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra e o vereador do Desporto deixaram uma réstia de esperança quanto à possibilidade de poderem avançar, num tempo próximo, a construção do relvado sintético. Conforme assinala o presidente da Direcção do Sanjoanense, Paulo Coutinho, as escolas de futebol do clube já tiveram 120 crianças e jovens, estando hoje reduzidas a metade. Isto por falta do campo de relva sintética, que fez deslocar os miúdos para outros clubes, inclusivamente para fora do concelho de Coimbra. Há seis anos que o Sanjoanense não tem equipa de seniores, que chegou a disputar o campeonato da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra, nem possui juniores nem juvenis. Actualmente, o clube tem os escalões de petizes e traquinas (dos cinco aos oito anos), de benjamins (dos nove aos 10 anos) e de infantis (dos 11 aos 13 anos). Caso haja um campo relvado sintético, a Direcção do Sanjoanense compromete-se a formar uma equipa feminina de futebol, pois existem muitas raparigas distribuídas pelas várias


19

QUINTA-FEIRA

PASSATEMPOS

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

15

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

PALAVRAS CRUZADAS â&#x20AC;&#x201C; Problema n.Âş 259

PROBLEMA N.Âş 259/A

LEIA O PROVĂ&#x2030;RBIO

Tema de hoje â&#x20AC;&#x201C; BELO

HORIZONTAIS 1 â&#x20AC;&#x201C; Belo. Belo (pl). 2 â&#x20AC;&#x201C; Escavar. Belo. Estrago. 3 â&#x20AC;&#x201C; Belo. AcolĂĄ. LĂŠmure. 4 â&#x20AC;&#x201C; Embarcação de recreio. Belo. 5 â&#x20AC;&#x201C; Idem (abr). ItinerĂĄrio &RPSOHPHQWDU DEU  3UHÂż[R GH QHJDomR 6tPEROR GH URHQWJpQLR Âą)LOHLUD&RP3UHÂż[RGHPRYLPHQWR2UJDQL]DomRGH8QLGDGH Africana (abr). 7 â&#x20AC;&#x201C; Belo. Ti. Empreender. 8 â&#x20AC;&#x201C; Aqueles. Belo. Polvilho. 9 â&#x20AC;&#x201C; Endureceram. Belo (pl). VERTICAIS Âą%HOR SO &RQMXQWXUDVÂą9D]LR(QJDQDGRÂą1DEtGHRV 4 â&#x20AC;&#x201C; Apre! Rio de Portugal. 5 â&#x20AC;&#x201C; Moral. 6 â&#x20AC;&#x201C; Interjeição que indica que QmRVHRXYLXEHPRTXHIRLGLWR&RQVHTXrQFLD&DSDÂą(PSUHJD Reputar. 8 â&#x20AC;&#x201C; Belo. Acontecer. 9 â&#x20AC;&#x201C; Nesse caso. Trifosfato de Adenosina VLJOD   Âą 6tPEROR GH DOXPtQLR *UDFHMH 6HMD  Âą %HOR  Âą Esquema de Desenvolvimento do Espaço ComunitĂĄrio (abr). UniĂŁo *HUDOGRV&RQVXPLGRUHV DEU Âą&RQTXLVWDVÂą2UJDQL]DomR das Naçþes Unidas (abr). Belo. 15 â&#x20AC;&#x201C; Senhora. SubĂşrbios.

Percorrendo todo o tabuleiro, sempre para o lado, para cima ou para baixo â&#x20AC;&#x201C; nunca na diagonal â&#x20AC;&#x201C; e começando na casa /1 para WHUPLQDUQDHQFRQWUDUVHjXPSURYpUELRSRSXODUSRUWXJXrV PRĂ&#x2030;MIOS â&#x20AC;&#x201C; Obra literĂĄria, oferta da PORTO EDITORA; 3UpPLRVXUSUHVDRIHUWDGH0('9(7HQRÂżQDOGRPrVPDLV um prĂŠmio especial â&#x20AC;&#x201C; DiciopĂŠdia 2010, valiosa e Ăştil oferta, edição da PORTO EDITORA MULTIMĂ&#x2030;DIA. PRAZO PARA REMESSA DE SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES â&#x20AC;&#x201C; AtĂŠ ao dia 15 GRSUy[LPRPrV ENVIO DE SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES â&#x20AC;&#x201C; Ernesto Lopes Nunes, Beco dos Unidos, n.Âş 3, Espadaneira, 3045 â&#x20AC;&#x201C; 162 Coimbra. PREMIADOS Passatempos n.Âş 251: Augusto Severino da Silva, de Viseu, com livro da PORTO EDITORA; AntĂłnio Manuel Morgado Guedes da Conceição, de Moçarria, com prĂŠmio surpresa, oferta de MED-VET.

ENIGMA FIGURADO

,QWHUSUHWDQGRFRUUHFWDPHQWHWRGRVRVVtPERORVHRSHUDo}HVDSUHVHQWDGDVHQFRQWUDUVHjXPDFRQKHFLGDH[SUHVVmRSRSXODU

HORIZONTAIS  Âą &LQWLODQWHV  Âą 4XDOTXHU 9HUGDGH (QJXLD  Âą 6tPEROR de gĂĄlio. Estendal. Outra pessoa. 4 â&#x20AC;&#x201C; Combinaram. 5 â&#x20AC;&#x201C; Estragado. Profeta. 6 â&#x20AC;&#x201C; Pessoa muito simpĂĄtica. Futebol. 7 â&#x20AC;&#x201C; Acolhera (fugitivos SROtWLFRV Âą6tPERORGHUiGLR5LRGH3RUWXJDO6tPERORGHOXWpFLR Âą$PRQWRDULDPÂą5DSD]LDGDVÂą2QGDV0XOKHU VERTICAIS 1 â&#x20AC;&#x201C; Emprego. Dor. 2 â&#x20AC;&#x201C; Patroa. Uma. Antes de Cristo (abr). 3 â&#x20AC;&#x201C; Funesta. A parte mais alta. Nome de letra. 4 â&#x20AC;&#x201C; Avançamos. Sucedas. 5 â&#x20AC;&#x201C; Namoradas. Concorrente. 6 â&#x20AC;&#x201C; Promessas. Apalermadas. 7 â&#x20AC;&#x201C; Falta de sorte. Centro comercial. 8 â&#x20AC;&#x201C; Ornamento em relevo. ArrĂĄs. 9 â&#x20AC;&#x201C; Tia. Carteira de mĂŁo. Nome prĂłprio feminino. 10 â&#x20AC;&#x201C; Tempo. Basta! Nota PXVLFDOÂą6HSDUD&DQomRFDUDFWHUtVWLFDGH&XED

SOLUĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES Palavras Cruzadas â&#x20AC;&#x201C; Problema n.Âş 251: Horizontais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; careca, o, estoca. 2 â&#x20AC;&#x201C; Ăştil, rolas, oval. 3 â&#x20AC;&#x201C; res, desempa, api. 4 â&#x20AC;&#x201C; ra, CEN, ara, os. 5 â&#x20AC;&#x201C; odiada, Donato. 6 â&#x20AC;&#x201C; aspas, anele. 7 â&#x20AC;&#x201C; o, cai, olĂŠ, s. 8 â&#x20AC;&#x201C; pua, serenos, olĂŠ. 9 â&#x20AC;&#x201C; vara, lides, ases. Verticais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; curro, OPV. 2 â&#x20AC;&#x201C; ateada, ua. 3 â&#x20AC;&#x201C; ris, iscar. 4 â&#x20AC;&#x201C; el, capa, a. 5 â&#x20AC;&#x201C; c, dedais. 6 â&#x20AC;&#x201C; arenas, al. 7 â&#x20AC;&#x201C; os, ori. 8 â&#x20AC;&#x201C; olĂŠ, LED. 9 â&#x20AC;&#x201C; am, ene. 10 â&#x20AC;&#x201C; espada, os. 11 â&#x20AC;&#x201C; s, ĂĄtonos. 12 â&#x20AC;&#x201C; to, anel, a. 13 â&#x20AC;&#x201C; ova, aleos. 14 â&#x20AC;&#x201C; capote, le. 15 â&#x20AC;&#x201C; aliso, sĂŠs. Problema n.Âş 251/A: Horizontais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; porta-lĂĄpis. 2 â&#x20AC;&#x201C; ilibe, aguda. 3 â&#x20AC;&#x201C; ler, dio, sob. 4 â&#x20AC;&#x201C; hĂĄ, torso, sĂŠ. 5 â&#x20AC;&#x201C; arco, /, usar. 6 - /, DFXVDYDÂąULDGHULXIÂąDWRUDFURPDÂąWHUVXDGL]Âą oram, m, rode. 11 â&#x20AC;&#x201C; salto, furar. Verticais â&#x20AC;&#x201C; 1 â&#x20AC;&#x201C; pilha-ratos. 2 â&#x20AC;&#x201C; olear, itera. 3 â&#x20AC;&#x201C; rir, cĂĄ, oral. 4 â&#x20AC;&#x201C; tb, tocar, mt. 5 â&#x20AC;&#x201C; aedo, udas, o. 6 - /, ir-se, um. 7 â&#x20AC;&#x201C; Laos, arca, f. 8 â&#x20AC;&#x201C; ag, ouvir, ru. 9 â&#x20AC;&#x201C; pus, sa, odor. 10 â&#x20AC;&#x201C; idosa, K~PLGDÂąVDEHUID]HU Seis palavras relacionadas com tauromaquia: Sorte, corrida, pampilho, praça, campino, garrocha. (QLJPDÂżJXUDGR Touros de morte.

PALPITANDO AcadÊmica precisa de novo fôlego A AcadÊmica/OAF terminou a primeira volta do campeonato da Liga de futebol com uma derrota caseira por 2-0 infligida pelo Guimarães, que nenhum dos elementos deste painel de prognósticos conseguiu prever. Jå em relação à vitória do Braga na recepção ao Sporting (2-1) foi a

PALPITES ACADĂ&#x2030;MICA X U. LEIRIA

vice-reitora Helena Freitas a Ăşnica a adivinhar o desaire dos â&#x20AC;&#x153;leĂľesâ&#x20AC;?, enquanto que todos acertaram num triunfo portista sobre o Rio Ave. Ao iniciar a segunda volta, o treinador da equipa de Coimbra, Pedro Emanuel, reconhece que o plantel estĂĄ â&#x20AC;&#x153;limitado e desgastadoâ&#x20AC;?, nĂŁo escondendo a

JOSĂ&#x2030; M. CANAVARRO

FRANCISCO ANDRADE

1-0

1-1

 V      acrescidas em gerir apenas 22 jogadores, dos quais trĂŞs sĂŁo guarda-redes, na sequĂŞncias das saĂ­das de Berger (Odessa) e Sissoko (Wolfsburgo), das dispensas de JĂşlio CĂŠsar e Jerry, assim como da lesĂŁo do capitĂŁo Orlando no regresso, apĂłs uma paragem de 13 meses.

JOSĂ&#x2030; ALBERTO COELHO

2-1

MĂ RIO CAMPOS

1-0

PORTO X GUIMARĂ&#x192;ES

1-0

3-0

2-0

2-1

BENFICA X GIL VICENTE

2-1 81

2-1 93

2-0 93

2-0 93

PONTOS

JOSĂ&#x2030; M. PUREZA

Quanto ao â&#x20AC;&#x153;Palpitandoâ&#x20AC;?, o destaque vai o deputado social-democrata JosĂŠ Manuel Canavarro, que termina a primeira volta como lĂ­der isolado, enquanto na segunda posição do pĂłdio assiste-se a um empate pontual entre trĂŞs â&#x20AC;&#x153;craquesâ&#x20AC;?: o ex-treinador Francisco Andrade, o presidente dos

Ă LVARO AMARO

JOĂ&#x192;O P. BARBOSA MELO

TSD JosĂŠ Alberto Coelho e o antigo jogador da Briosa MĂĄrio Campos. O calendĂĄrio da 16.ÂŞ jornada do escalĂŁo principal da Liga de futebol ĂŠ o seguinte: sexta-feira, dia 20 â&#x20AC;&#x201C; AcadĂŠmica-Leiria, Ă s 20h15 (SportTv); sĂĄbado, dia 21 â&#x20AC;&#x201C; BeiraMar-MarĂ­timo, Ă s 20h30

FĂ TIMA RAMOS

HELENA FREITAS

MĂ RIO NOGUEIRA

(SportTv); domingo, dia 22 â&#x20AC;&#x201C; Nacional-Feirense e Paços de Ferreira-SetĂşbal, ambos Ă s 16h00, BragaRio Ave, Ă s 16h15 (SportTv), Porto-GuimarĂŁes, Ă s Â&#x160;Â&#x2013;Â&#x160;Â&#x161; _%Â&#x203A;Â&#x153;Â&#x2C6; ÂŁ ¤ Vicente, Ă s 20h15 (SportTv); segunda-feira, dia 23 â&#x20AC;&#x201C; Olhanense-Sporting, Ă s 20h15 (SportTv).

MIGUEL CORREIA

MARTA BRINCA

1-1

1-0

2-1

1-0

1-0

1-0

1-0

1-1

1-0

2-0

2-0

0-0

3-1

2-0

1-0

3-0 94

2-0 98

2-0 102

3-0 104

2-0 108

2-0 108

3-0 113

2-1 125

1-0

PUBLICIDADE

FUTEBOL

Jogada a jogada, golo a golo, a Briosa joga nesta rĂĄdio...

ACADĂ&#x2030;MICA X U. LEIRIA Ouça na Internet em www.radioregionalcentro.com

Relato: LuĂ­s Carlos Melo ComentĂĄrios: Francisco Andrade

ABC

SEXTA-FEIRA, DIA 20, Ă&#x20AC;S 20:15H


OPINIĂ&#x192;O

16

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campe a o p r o vin cia s.co m

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

A BĂ­blia como o â&#x20AC;&#x153;grande cĂłdigoâ&#x20AC;? do Ocidente A escritora Marilynne Robinson, que recebeu o Premio Pulitzer 2006 pelo seu livro â&#x20AC;&#x153;Gileadâ&#x20AC;?, escreveu no â&#x20AC;&#x153;New York Timesâ&#x20AC;? de 22 de Dezembro passado um interessante artigo sobre o papel que a BĂ­blia, consideUDGRŠROLYURPDLVLQĂ&#x20AC;XHQWH na literaturaÂť, teve ao longo da histĂłria. Foi ela o precursor de grandes obras da literatura moderna, desde â&#x20AC;&#x153;O ParaĂ­so perdidoâ&#x20AC;? de John Milton (1667) atĂŠ ao â&#x20AC;&#x153;O Som e a FĂşria de William Faulknerâ&#x20AC;? (1929), escritor que foi prĂŠmio Nobel da literatura em 1949. Afirmou ainda Robinson: â&#x20AC;&#x153;A BĂ­blia ĂŠ o modelo e o objecto da melhor arte e do pensamento mais sublime daqueles de nĂłs que vivemos sob a sua influĂŞncia, consciente ou inconscientemente, jamais FRQKHFLGR´$LQĂ&#x20AC;XrQFLDGD BĂ­blia perdura, pois transcende o tempo e o espaço, e a sua anĂĄlise da condição humana ĂŠ tĂŁo relevante hoje como o foi hĂĄ sĂŠculos. â&#x20AC;&#x153;Muitas das grandes obras da literatura ocidental dirigem-se directamente Ă s perguntas que surgem dentro do cristianismoâ&#x20AC;?, escreveu. â&#x20AC;&#x153;Respondem ao mesmo impulso de colocar na Escritura a carne e a doutrina, para pĂ´r Ă  prova por meio da imaginação dramĂĄtica, que ĂŠ visĂ­vel nas

representaçþes antigas da Anunciação ou do caminho de Damascoâ&#x20AC;?. O que importa ĂŠ que os leitores estejam familiarizados com a BĂ­blia, na sua vertente de literatura, que ĂŠ eternamente uma referĂŞncia a uma verdade, independentemente das ÂżOLDo}HVUHOLJLRVDV Kant estava convencido que ÂŤo Evangelho era a fonte donde emana a nossa culturaÂť e Goethe considerava a BĂ­blia como ÂŤa lĂ­ngua materna da EuropaÂť. E um linguista importante como Gian Luigi Beccaria dizia que ÂŤa BĂ­blia ĂŠ o livro que deu palavra Ă  Europa cristĂŁ: termos e sobretudo locuçþes idiomĂĄticasÂť como ÂŤhomem de pouca fĂŠÂť, ÂŤa paciĂŞncia de JobÂť, ÂŤandar de Herodes para PilatosÂť, ÂŤceder por um prato de lentilhasÂť, ÂŤninguĂŠm ĂŠ profeta na sua terraÂťetc. Sem falarmos da dimensĂŁo religiosa e ĂŠtico-moral. A palavra divina ĂŠ a raiz da criação por excelĂŞncia que elimina o silĂŞncio do nada. No inĂ­cio da BĂ­blia lĂŞse: ÂŤNo princĂ­pio Deus disse: haja luz! E fez-se luzÂť. E S. JoĂŁo abre o seu Evangelho com estas palavras: ÂŤNo princĂ­pio era a Palavra (â&#x20AC;&#x153;LĂłgosâ&#x20AC;?)Âť. As criaturas nĂŁo aparecem a partir de uma luta teogĂłnica como sucedia na mitologia babilĂłnica (caso do poema â&#x20AC;&#x153;Enuma

Elishâ&#x20AC;?), mas dum aconteFLPHQWR VRQRUR HÂżFD] GH uma Palavra que vence o nada e cria o ser. Ao longo dos Salmos e de outros textos bĂ­blicos encontramos alusĂľes Ă  mesma ideia da força da Palavra divina que fala a linguagem do Criador. Essa Palavra cristaliza-se no Livro por excelĂŞncia TXHpD%tEOLDRXVHMDÂżFD FRQÂżQDGDDXPDOLQJXDJHP e a uma gramĂĄtica com as suas regras prĂłprias. Goethe dizia no â&#x20AC;&#x153;Faustoâ&#x20AC;? que ŠD SDODYUD ÂżFD DPDUUDGD na pena com que escreveÂť. No fundo a escrita ĂŠ o sĂ­tio onde se mantĂŠm e resguarda a palavra, Ăşnico meio de a transmitir de geração em geração. 0DV LVVR QmR VLJQLÂżFD que a Palavra perca a sua força e deixe de manter a sua vitalidade. Como se lĂŞ em IsaĂ­as 40, 8: ÂŤdepois da HUYD VHFD DSDUHFH D Ă&#x20AC;RU mas a Palavra do nosso Deus dura para sempreÂť. E a poetisa americana Emily Dickinson escreveu: ÂŤUma palavra morre, mas ĂŠ precisamente entĂŁo que começa a viverÂť. Da prisĂŁo da palavra inefĂĄvel resulta o seu carĂĄcter eloquente. Como dizia Teillard de Chardin, torna-se â&#x20AC;&#x153;diafânicaâ&#x20AC;?; e Goethe associava Ă  palavra a conotação de poder. Esta HÂżFiFLD WUDGX]VH VLPEROLcamente em Cristo que ĂŠ

o grande sĂ­mbolo porque o â&#x20AC;&#x153;LĂłgosâ&#x20AC;? e a â&#x20AC;&#x153;sarxâ&#x20AC;?, a Palavra e a Carne, a divindade e a humanidade, a plenitude e a fraqueza se interligam. RenĂŠ Char (19071988), poeta surrealista e simbolista francĂŞs expressou-se assim: ÂŤos deuses habitam o sĂ­mbolo;/ arrebatada do duro salto,/ a poesia cresce/ com um outro Ă­mpeto sem protecçãoÂť. A teologia e a poesia encontram-se e movem-se do mesmo modo, ambas radicadas no presente e no real para subir a um Outro e a uma Outra coisa que sĂŁo transcendentes. A BĂ­blia ĂŠ um alfabeto colorido de arte como dizia &KDJDOO TXH DÂżUPDYD TXH as pĂĄginas bĂ­blicas sĂŁo ÂŤo alfabeto colorido em que os pintores meteram o seu pincelÂť. ÂŤAs Sagradas Escrituras sĂŁo o universo dentro do qual a literatura e a arte ocidental actuaram atĂŠ ao sĂŠc. XVIII e estĂŁo ainda a actuarÂť. TambĂŠm Northrop Frye (1981) no seu livro â&#x20AC;&#x153;O grande cĂłdigoâ&#x20AC;? falava do mesmo modo. A cultura ocidental nĂŁo se compreende sem a BĂ­blia como salienta Erich Auerbach na sua famosa â&#x20AC;&#x153;Mimesisâ&#x20AC;? (1946) em que reconhece que a BĂ­blia e a Odisseia sĂŁo dois modelos cruciais da nossa cultura; e Nietzsche na sua â&#x20AC;&#x153;Auroraâ&#x20AC;? (1881) confessava

MANUEL AUGUSTO RODRIGUES

que ÂŤpara nĂłs AbraĂŁo ĂŠ mais que uma outra pessoa qualquer da histĂłria grega ou alemĂŁÂť. Ă&#x2030; igual o que lemos nos Salmos e em PĂ­ndaro ou Petrarca acerca da diferença de pĂĄtria e terra estrangeira. *UDQGHV ÂżJXUDV EtEOLcas como Job mereceram a diversos escritores como Kierkegaard uma atenção especial. Escrevia este: ÂŤEu nĂŁo leio Job com os olhos como se lĂŞ um outro livro, mas meto-o no meu coração (â&#x20AC;Ś). Cada palavra ĂŠ alimento, veste e bĂĄlsamo para a minha pobre alma. A propĂłsito da â&#x20AC;&#x153;Shoahâ&#x20AC;? vĂĄrios pensadores foram a certos livros bĂ­blicos em busca de consolação para a tragĂŠdia que se abateu sobre o povo judaico. Eliot falava dos Salmos como dum jardim de sĂ­mbolos, expressĂŁo que se pode aplicar a Job, ao Cântico dos Cânticos e ao Apocalipse. A cultura popular igualmente se serviu abundantemente dos sĂ­mbolos bĂ­blicos nos quais descobria o mistĂŠrio de Deus. A arte com Giotto, Cranach, Rubens, Rembrant, Redon, van Gogh e outros soube explorar temas bĂ­blicos com grande genialida-

de. A música com Carissimi, Monteverdi, Schßtz, Haydn, Pachelbel, Bach, Vivaldi, Buxtehude, Telemann, Couperin, Cahrpentier, Haendel, Haydn, Mozart, Bruckner, Carlos Seixas e tantos outros beberam dos textos bíblicos luz e inspiração para as suas composiçþes, muitas delas aproveitadas para a liturgia. A arte e a fÊ juntam-se num movimento de elevação para a transcendência. João Damasceno, no sÊc. VIII, escrevia: Se um pagão vem ter contigo e te diz: Mostra-me a tua fʝ, leva-o à igreja e mostra-lhe a decoração e explica-lhe os seus quadros sagrados. A arte Ê assim FDWHTXHVHSDUDRV¿pLV6 Gregório Magno convidava os que não sabiam ler que lessem contemplando as paredes. A arte Ê, pois, a Palavra tornada imagem, Ê o código na parece. Nós os artistas manifestamos aos homens que não sabem ler as coisas miraculosas realizadas pela virtude da fʝ, diziam os pintores do sÊc. XIV. Quantas liçþes não se podem extrair da arte conservada em igrejas e museus que transmitem preciosos ensinamentos ao visitante atento.

Compartilhar o pĂŁo Vivemos um clima de renovação tecnolĂłgica jamais vista, mas tambĂŠm de ganância exacerbada. Todavia, os seres de Boa Vontade aguardam conÂżDQWHV FRPR SULPtFLDV GR Senhor, tempos melhores. DaĂ­ ser muito saudĂĄvel o reacender da esperança a cada ano que começa. Diante da imensidĂŁo do Universo de Deus, os ideais de vaidade e de domĂ­nio humanos nĂŁo possuem futuro. Ao serem atravessadas as ĂĄguas do â&#x20AC;&#x153;rio da morteâ&#x20AC;?, desfazem-se as quimeras de uma CiĂŞncia quando sem entranhas, os terrores de crenças quando carregadas de preconceitos e intolerâncias, alĂŠm de todo espĂ­rito de concorrĂŞncia desalmada e o conceito bĂŠlico, que separam as pĂĄtrias. Isso atĂŠ que o Sol da Caridade, que ĂŠ Jesus, espante as trevas da ignorância insolente e, abrindo-lhes a vi-

são espiritual, faça os seres humanos inferir que apenas o exercício das divinas leis da Fraternidade EcumÊnica e da Solidariedade Social trarão Paz à Terra. Nesta Êpoca, o ensino sublime do Evangelho-Apocalipse WHUi¿QDOPHQWHDFDOPDGR os coraçþes, que encontrarão no Regaço de Deus o descanso para os seus Espíritos infrenes. Nessa Êpoca, esperada por tantos missionårios do Bem, a Humanidade terå entendido que de nada adianta ilustrar a mente se o coração for esquecido e que Ê delírio completo desejar o progresso da sociedade se os SULQFtSLRV GD FRQ¿DQoD H do respeito forem avis rara nas relaçþes interpessoais.

Sede de simplicidade Ernesto Renan (18231892), filĂłsofo, historiador e livre-pensador francĂŞs, citado por Humberto de

Campos (1886-1934) em carta a GastĂŁo Penalva (1887-1944), seu colega da Academia Brasileira de Letras, preconizava que â&#x20AC;&#x153;o cĂŠrebro queimado pelo raciocĂ­nio tem sede de simplicidade, como o deserto tem de ĂĄgua puraâ&#x20AC;?. Assim ocorre com a Verdade Divina, da qual o EspĂ­rito humano nĂŁo pode abrir mĂŁo. Tanto que, quando ele estiver exausto de inutilmente lutar contra a prĂłpria libertação, ela, a Verdade Divina, virĂĄ iluminĂĄ-lo com a sua luz, delicada e serenamente. Jesus viveu entre nĂłs 33 anos. Contudo, consoante o prosador grego Luciano de SamĂłsata (125-192) anotou, â&#x20AC;&#x153;a vida humana vale mais por sua intensidade de aprendizado do que por sua extensĂŁoâ&#x20AC;?. Desde que ela cesse unicamente na hora marcada por Deus, pois â&#x20AC;&#x153;o

suicĂ­dio nĂŁo resolve as angĂşstias de ninguĂŠmâ&#x20AC;?, ensinava Alziro Zarur.

JOSĂ&#x2030; DE PAIVA NETTO*

CidadĂŁo celeste Ora, meus amigos e minhas irmĂŁs, façamos, entĂŁo, o Bem, porque o tempo continuarĂĄ passando. Estamos corpo, mas somos EspĂ­rito. Isso nos leva a concluir que ProtĂĄgoras, filĂłsofo grego da escola sofista, nĂŁo alcançou a amplitude universal da criatura quando afirmou que â&#x20AC;&#x153;o homem ĂŠ a medida de todas as coisasâ&#x20AC;?. Com o pensamento elevado ao nosso Divino Mestre, caminhemos mais adiante e digamos que o EspĂ­rito Eterno, que habita o corpo humano, ele sim, ĂŠ a medida de todas as coisas, porquanto ĂŠ CidadĂŁo Celeste. Mulheres e Homens

de Boa Vontade, o nosso esforço ĂŠ levar ao povo as fĂłrmulas divinas do Amor e da Verdade, da Humildade e da Esperança, da Justiça e da Paz, que emanam dos ensinamentos do Educador Sublime: Jesus. Ă&#x2030; o PĂŁo Espiritual que fazemos questĂŁo de dividir com todos. Quando tivermos conscientemente aceitado isso, nĂŁo na superfĂ­cie, mas no imo de nossa Alma, estaremos prontos para proclamar a PolĂ­tica de Deus ao ser humano e ao seu EspĂ­rito Imortal. O segredo ĂŠ confiar em Jesus! O Grande Amigo que nĂŁo abandona amigo no meio do caminho. Eis o inĂ­cio de tudo. Conforme dizia o velho Goethe (1749-1832), â&#x20AC;&#x153;no

princĂ­pio, a açãoâ&#x20AC;?. O valor se prova com o trabalho. EntĂŁo, as lamentaçþes de Jeremias sobre JerusalĂŠm encontrarĂŁo seu tĂŠrmino, e â&#x20AC;&#x153;haverĂĄ um sĂł Rebanho para um sĂł Pastorâ&#x20AC;?, que ĂŠ o Cristo. Que a Paz e a decisĂŁo de Deus estejam, agora e sempre, em todos os coraçþes, porque grandes vitĂłrias se aproximam, se fizermos por merecĂŞ-las. E tornemos o ano novo uma essencial Ressurreição. (*) Jornalista, radialista, escritor e presidente da LegiĂŁo da Boa Vontade â&#x20AC;&#x201C; www.lbv.pt [A pedido do autor, este texto ĂŠ publicado segundo as regras do novo acordo RUWRJUiÂżFR@


19

QUINTA-FEIRA

OPINIĂ&#x192;O

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

17

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

Muita poeira no ar! O ano de 2011 foi de loucos para um Governo que tem apenas seis meses de idade! Corresponderam ao exercício decisivo de um esforço de recuperação de credibilidade do nosso país perante os credores, a partir de uma situação de prÊbancarrota. Trata-se, por isso, de um Governo, que nasceu condenado a só poder governar bem, apesar de ter o tempo e a conjuntura internacional contra e não ter espaço para erros. Neste sentido, estão nele focados, como nunca antes, os olhos da crítica e da esperança, prontos a pesar o mais e o menos das suas opçþes, com alguns, sem nenhuma complacência, à espera de que ele possa ofender a verdade e o rigor. Nessa medida, e só nela, os últimos dias deste ano, foram frenÊticos. Notícias e comentårios em catadupa. Uns contra, outros a favor, a propósito de vårios temas, nomeadamente as nomeaçþes para a EDP, a Maçonaria, o Banco de Portugal e o assalto a Ricardo Quaresma. De facto, procurar, nesses factos, algo de novo, que desperte a atenção dos leitores Ê

como procurar uma agulha no SDOKHLURSRUTXHQmRÂżFRXQDGD por radiografar. Assim, irei deixar apenas algumas despretensiosas notas. Quanto Ă  EDP, ficĂĄmos agora a saber que o presidente do Conselho de Fiscalização tem direito a uma remuneração, bem gorda, de mais ou menos 45 000 euros por mĂŞs! E que este vencimento â&#x20AC;&#x153;obscenoâ&#x20AC;? vem do tempo do antigamente, quando o Estado tinha um pĂŠ bem lĂĄ dentro e nas mĂŁos a faca e o queijo para cortar estas gorduras imorais. Curiosamente, ninguĂŠm com responsabilidades polĂ­ticas dos governos de entĂŁo se escandalizou e nĂŁo deixa de ser curioso ver algumas caras a â&#x20AC;&#x153;debitarâ&#x20AC;? fel, agora que estĂŁo na oposição e a EDP deixou de ser coutada pĂşblica. Nessa altura, a procissĂŁo seguia sempre em frente, porque aos costumes se dizia nada, embora o Governo pudesse remediar e atalhar essa enormidade, que ofendia a normal consciĂŞncia do cidadĂŁo contribuinte. Quanto Ă  Maçonaria, alinho ao lado daqueles que defendem

que este tipo de opçþes pertence ao foro Ă­ntimo de cada um, estando-lhe, porĂŠm, vedado o uso da força da solidariedade que emana desta organização, para fins diversos dos seus fundamentos. Como declaração de interesses, digo que nĂŁo pertenço Ă  Maçonaria, mas respeito-a, porque a projecto em â&#x20AC;&#x153;gente boaâ&#x20AC;?, como o dr. Arnaut, por exemplo. E agora o Banco de Portugal. Nesta altura de grande austeridade hĂĄ o direito de reclamar, sem rodeios, nem cerimĂłnias, e dizer, alto e bom som, que o Banco de Portugal ainda nĂŁo tomou consciĂŞncia de uma mĂŁo cheia de elementaridades, que evidenciam a necessidade de os responsĂĄveis darem bons exemplos. O paĂ­s precisa, como de pĂŁo para a boca, de gente que pense e aja para lĂĄ das estritas e literais baias normativas, feitas no perĂ­odo de vacas gordas; gente capaz de alinhar as soluçþes das organizaçþes a que preside, no respeito pela sofrida consciĂŞncia social da maioria dos portugueses. Ao determinar que os funFLRQiULRVGR %DQFR ÂżFDYDP j

margem do sacrifĂ­cio que foi pedido aos restantes funcionĂĄrios, no que diz respeito Ă  nĂŁo atribuição dos subsĂ­dios de FĂŠrias e de Natal, refugiando-se nas vestes â&#x20AC;&#x153;para-nacionaisâ&#x20AC;? da instituição, ĂŠ, no mĂ­nimo, grotesco esse arJXPHQWRTXHSUHWHQGHMXVWLÂżFDU RLQMXVWLÂżFiYHO A decisĂŁo respira, outrossim, uma falta de dimensĂŁo social e de solidariedade do actual governador, que ĂŠ pena nĂŁo depender de S. Bento para poder sentir na pele, eventualmente, o resultado do seu enfĂĄtico e interesseiro apego a Bruxelas, nesta fase onde todos estamos a ser chamados Ă  mesa dos sacrifĂ­cios. Por Ăşltimo, o caso do roubo de que foi vĂ­tima Quaresma, esse conhecido jogador de Futebol, que militou em clubes sonantes, como o Sporting, F. C. Porto, Inter de MilĂŁo, Chelsea, etc... Auto estima democrĂĄtica A partir deste incidente permito-me partir para outro patamar de responsabilidade e clamar para que o Governo sai-

JOSĂ&#x2030; BELO*

ba colocar o social em todas as suas decisĂľes polĂ­ticas, porque ele estĂĄ no centro de tudo: no coração e no quotidiano das pessoas, na vida das empresas, na rua, nas paragens dos autocarros, nos tĂĄxis e na tranquilidade das nossas casas. Compreender o social ĂŠ uma necessidade incontornĂĄvel, se se quer perceber bem o mundo onde estamos, onde vivemos e onde existem grupos desfavorecidos capazes de desconformidades sociais se nĂŁo sentirem que hĂĄ genuĂ­nas preocupaçþes com o seu futuro e dos seus. Todos sabemos que este caso nĂŁo serĂĄ isolado. A montanha da crise, que estamos a subir, vai parir mais â&#x20AC;&#x153;Quaresmasâ&#x20AC;?. Ă&#x2030; o resultado de uma sociedade que vive tempos difĂ­ceis. AliĂĄs, dar resposta a este complexo FRQMXQWRGHGHVDÂżRVTXHHVWmR por trĂĄs destes casos, tanto em termos polĂ­ticos como de

intervenção, envolve respostas complexas e transversais. A verdadeira tarefa ĂŠ a de construir, tĂŁo rĂĄpido quanto possĂ­vel, as soluçþes internas capazes de suscitar a esperança e de criar a percepção de que a austeridade serĂĄ apenas um instrumento para o crescimento e o emprego, reforçando a autoestima democrĂĄtica. Chegados aqui, tenho fĂŠ nas reformas que jĂĄ andam por aĂ­ nas mĂŁos deste Governo e em discussĂŁo alargada junto dos seus destinatĂĄrios. Acredito que elas serĂŁo aceitĂĄveis e legĂ­timas, capazes de driblar alguns interesses instalados e que saberĂŁo respeitar a desejĂĄvel coesĂŁo social atravĂŠs da evidenciação de traços comuns de interesse pĂşblico na sua implementação. Ă&#x2030; preciso alinhar ao lado da esperança. Sempre! (*) Jurista e graduado em Estudos Avançados

P a n o r a m a

Românticos, seiva de vida!... A Casa dos Pobres de Coimbra, desde a sua fundação que data de 8 de Maio de 1935, teve a graça de sentir o pulsar da cidade e da regiĂŁo, em cruzada bonita de fraternal ajuda. Todo este potencial de altruĂ­smo revelou-se na imprensa da ĂŠpoca, como nos dĂĄ conta o jornal â&#x20AC;&#x153;NotĂ­cias de Coimbraâ&#x20AC;?, na sua edição de 12 de Maio de 1935: Âł ÂŤ 2HOHYDGRVLJQLÂżFDGRGD Casa dos Pobres e a lacuna que ela vem preencher na assistĂŞncia na cidade estĂĄ agora bem patente ao povo de Coimbra. Com toda a razĂŁo, este SRYRÂżODQWUySLFRTXHDVSLUDSHOR bem estar da sua sociedade, deve sentir-se extremamente orgulhoso por possuir uma tĂŁo esplĂŞndida obra de assistĂŞncia, uma casa onde os seus pobres sĂŁo recolhidos, alimentados e tratados com todo o carinhoâ&#x20AC;?. Setenta e sete anos sĂŁo quase vencidos, agora com a Instituição a usufruir das suas novas e belas instalaçþes na Quinta do Cedro, em, S. Martinho do Bispo, poderemos

FICHA TĂ&#x2030;CNICA EDIĂ&#x2021;Ă&#x192;O COIMBRA www.campeaoprovincias.com

considerar actuais e actualizadĂ­ssimas, as palavras proferidas pelo dr. Fernandes Martins, entĂŁo presidente da Direcção naquela data longĂ­nqua, no acto inaugural das velhas instalaçþes do PĂĄtio da Inquisição: â&#x20AC;&#x153;A Casa dos Pobres, tĂŁo cheia de esplendoroso encanto espiritual, foi possĂ­vel realizar-se, em toda a sua grande beleza, porque a generosa cidade de Coimbra, sempre tĂŁo afectiva para a dor alheia, lhe dispensou a sua enternecida protecção. Filha dilecta do esforço de todos os conimbricenses, ela pertence a todos por igualâ&#x20AC;?. Na verdade, o tempo nĂŁo DSDJRXRVGRWHVGHÂżODQWURpia que esmaltam os coraçþes generosos desta excelente comunidade, que salvo rarĂ­ssimas excepçþes, tem dado provas de simpatia, de dedicação e de amor Ă  sua e nossa Casa dos Pobres. Ă&#x2030; certo que a caminhada nĂŁo tem sido fĂĄcil durante estas mais de sete dĂŠcadas, escalando sendas tortuosas e Ă­ngremes, para tentar manter

bem alto o luzeiro da vida, para dezenas e dezenas de seres humanos que talvez tivessem por tecto o cÊu e por cama o desaconchegado e friíssimo vão da escada, em sucessivas noites que a indiferença humana consentia, difundindo fraternidade, ainda que escudada no ambiente contrito e quase silencioso de uma oração, ou na demagógica ardência de um comício, onde a verdade e a razão são atraiçoadas a todo o momento, pela política inútil, SRUPHQWLURVDTXHWXGRDWUR¿D No Påtio da Inquisição, onde a Casa dos Pobres se instalou e funcionou atÊ ao ¿PGRDQRDiJXDFDtD ao longo das duas camaratas, do refeitório, da cozinha, como quem a mandava a potes, dando a convicção de que se tratava da maldição de um demónio qualquer, para acerto de contas não de um rosårio daqueles que exprimem os quinze mistÊrios da Vida, mas de qualquer complicação ligada à ciência dos números

Telefone 239 497 750 | Fax 239 497 759 | E-mail jornalcp@mail.telepac.pt Editor/Propriedade REGIVOZ, Empresa de Comunicação, Lda. Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra | NIPC: 504 753 711 Director-Adjunto Rui Avelar (responsåvel executivo por esta edição) | Gerente da Redacção JosÊ Fidalgo 239 497 750 (ext. 38) | Redacção Luís Santos (C.P. 722), Rui Avelar (C.P. 613), Benedita Oliveira (C.P. 6622), Geraldo Barros (C.P. 6555) e Luís Carlos Melo (C.P. 2555), Telefone 239 497 750 (ext. 55, 56 e 57), Fax 239 497 759 | Sede/

polĂ­ticos ou outros, que por vezes intoxicam a consciĂŞncia dos homensâ&#x20AC;Ś Numa azĂĄfama difĂ­cil de descrever, o pessoal da instituição procurava diminuir os efeitos da inundação, com baldes e alguidares, numa toada GHDUUHSLDQWHDĂ&#x20AC;LomRSRUTXHR trabalho, duro e esfalfante, parecia inglĂłrio! A alimentação era paupĂŠrrima, porque os recursos minguavam, e o conserto do telhado estava fora de questĂŁo â&#x20AC;&#x201C; â&#x20AC;&#x153;nem mais um pregoâ&#x20AC;?, era a voz do comando â&#x20AC;&#x153;regimentalâ&#x20AC;? â&#x20AC;&#x201C; pois o projecto era a instituição sair, numa debandada, para um bairro, ainda que com o baptismo de Rosa, pelo seu aspecto de construção, lĂşgubre e desajustado pela ausĂŞncia de sol nascente, dissipava a fragrância TXHFDUDFWHUL]DDĂ&#x20AC;RUÂŤ Graças Ă s muitas ajudas de empresas, organizaçþes vĂĄrias, instituiçþes bancĂĄrias e outras, Juntas de Freguesia, rotĂĄrios e lions, Ordens dos Advogados, dos Engenheiros e dos MĂŠdicos, pessoas de todos os quadrantes sociais e acadĂŠmicos, a Institui-

ANĂ?BAL DUARTE DE ALMEIDA

ção tem vindo a melhorar substancialmente a sua actividade. Alunos de vĂĄrias instituiçþes de ensino relacionadas com a saĂşde e com os idosos, desde hĂĄ muitos anos fazem ali os seus estĂĄgios, numa cooperação bastante proveitosa para ambas as partes, o mesmo acontecendo com o Instituto de Reinserção Social, ao qual tem sido dada excelente colaboração. O grupo â&#x20AC;&#x153;Os Românticosâ&#x20AC;? iniciou os seus convĂ­vios na Casa dos Pobres no ano de 2001, com um nĂşmero de participantes bastante reduzido. Do elenco inicial jĂĄ nĂŁo fazem parte do nĂşmero dos vivos, o engenheiro Augusto Domingues Correia (ex-presidente da Casa dos Pobres), professor doutor Pereira de Oliveira, docente da Universidade de Coimbra e o neurocirurgiĂŁo dr. Fernando

Amaral Gomes, que numa carta que me dirigiu, datada de 8 de Novembro de 2001, diz: â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; agradĂĄvel receber uma missiva de amizade da Casa dos Pobres, em nome dos â&#x20AC;&#x153;Românticosâ&#x20AC;?, que constituem uma tertĂşlia de amizade, com os jovens a aprender a suportar a velhice e os mais idosos a acreditar no trabalho e na esperançaâ&#x20AC;?. Esta simpĂĄtica tertĂşlia continua a realizar o seu convĂ­vio (na segunda terça-feira de cada mĂŞs), chegando a ter almoços com 80 pessoas, num relacioQDPHQWRVDXGiYHOHYLYLÂżFDQWH como ĂŠ apanĂĄgio do grupo, sintetizado neste poema: Românticos, seiva de vida, Que brota destas verdades: Alegria repartida E uniĂŁo entre os confrades.

Redacção: Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra Director Comercial Carlos Gaspar Directora de Marketing e Publicidade Adelaide Pinto 239 497 750 (ext. 27), adelaide.pinto@mail.telepac.pt Paginação e Maquetagem Nuno Miguel Peres | Impressão FIG - Indústrias Gråficas, S.A.; Rua Adriano Lucas, 3020-265 Coimbra | Distribuição VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda. R. da Tascoa, n.º 16 - 4.º Piso, 2745-003 Queluz, Telef. 214 398 500, Fax 214 302 499 Registo SRIP sob o n.º 222567; ISSN: 0874 - 3622; ICS: 122568 | Depósito Legal n.º 127443/98 Preço de cada número 0,75\ Assinatura anual 29,93\ | Tiragem mÊdia: 9.000 exemplares

Os pagamentos para o CampeĂŁo das ProvĂ­ncias em cheque devem ser emitidos em nome de â&#x20AC;&#x153;Regivoz, Empresa de Comunicação, Lda.â&#x20AC;?. TambĂŠm podem ser feitos por transferĂŞncia bancĂĄria atravĂŠs do NIB: 001000003179749000225


CULTURA / VINAGRETAS

18

19

QUINTA-FEIRA

w w w . campeao p r o vin cia s.co m

Museu da CiĂŞncia dedica palestras a objectos com histĂłria

V I N A G R E T A S

â&#x20AC;&#x153;Objectos com HistĂłriaâ&#x20AC;? ĂŠ o tĂ­tulo de um ciclo de palestras iniciado, ontem, no Museu da CiĂŞncia da Univer 

!&  ;\   %  foram o tema da primeira sessĂŁo desta iniciativa, destinada



       ÂĄ  >    ;ÂĄ !&  ;\   %  integram o acervo de Antropologia e foram trazidas para 

     # ÂĽÂ&#x153;ÂĽ  >  ÂĄ        ;      ?  !$  Â&#x160;Â&#x161;Â&#x201D;@   sua maioria, peças tĂŞxteis, cestaria, utensĂ­lios domĂŠsticos e agrĂ­colas, armas e apetrechos e instrumentos musicais. Agendada para o dia 08 de Fevereiro, a segunda palestra do ciclo â&#x20AC;&#x153;Objectos com HistĂłriaâ&#x20AC;? serĂĄ subordinada ao tema â&#x20AC;&#x153;O ObservatĂłrio AstronĂłmico da Universidade 

ÂŚ

  ;  > 4!&

    início pelas 17h00. Elefantes são base para criação artística apaixonante

dias 27 de Janeiro e 05 de Fevereiro. Arte de PatrĂ­cia Roque â&#x20AC;&#x153;Ă  mesaâ&#x20AC;? no restaurante Nacional

gua portuguesa e competĂŞncias de escrita. Para alĂŠm da presença de escritores de literatura infantil e juvenil, hĂĄ vĂĄrias actividades para os mais novos e uma exposição, intitulada â&#x20AC;&#x153;A Floresta ainda ĂŠ verde?â&#x20AC;?.

Mazelas â&#x20AC;&#x201C; Parte do talude adjacente ao heliporto com que foram dotadas as novas instalaçþes do Hospital PediĂĄtrico de Coimbra acaba de ceder. Nada de mais. HĂĄ por lĂĄ, encobertas, outras mazelas, bastante mais graves. O reparo que o episĂłdio requer ĂŠ este: Para que foi construĂ­do em heliporto, que custou muitos milhares de euros, se jĂĄ havia outro (nos antigos HUC) a escassas centenas de metros?

Relvas, tambÊm foi a Penela, para rever um amigo de longa data; JosÊ Manuel Portugal, subdirector da RTP, foi-se mostrar ao ministro que tutela a estação pública de televisão, tal como fazia na vigência dos governos do PS. Em Poiares, houve falta de comparência de Coelho e de Portugal, apesar de o primeiro ser membro da Confraria da Chanfana. Eis a dúvida, serå Relvas um federador de interesses?

Relvas, o federador? â&#x20AC;&#x201C; Miguel Relvas, ministro dos Assuntos Parlamentares, rumou a Penela, a 07 de Janeiro [de 2012]; Miguel Macedo, â&#x20AC;&#x153;Inverno a Coresâ&#x20AC;? ĂŠ com a tutela da AdministratĂ­tulo de uma exposição ção Interna, esteve, a 13, em que pode ser visitada atĂŠ Vila Nova de Poiares. Em

}~   comum tĂŞm parte do nome e na sala Arte Ă  Parte (rua de o estatuto de ministro. Paulo Fernandes TomĂĄs, ao Arco Pereira Coelho, que ĂŠ uma de Almedina), em Coimbra. espĂŠcie de ÂŤmeio irmĂŁoÂť de Trata-se de uma mostra de ilustraçþes e banda desenhada da autoria do artista conimbricense Pedro Ramos. Para alĂŠm da apresentação de duas dezenas de trabalhos, resultantes da combinação de variadas tĂŠcnicas, esta exposição dĂĄ a conhecer a histĂłria, ainda por terRodeado de amigos minar, de â&#x20AC;&#x153;Holy Glotyâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;Joiâ&#x20AC;?, duas personagens â&#x20AC;&#x201C; AntĂłnio MalĂł de Abreu, que os estados de espĂ­- lĂ­der da bancada da colirito do artista criador, gação â&#x20AC;&#x153;Por Coimbraâ&#x20AC;? na ora sombrio e escuro ora Assembleia Municipal, assialegre e colorido. Pedro nalou, sĂĄbado, o seu 55Âş.anRamos nasceu em 1988. versĂĄrio, no Cantinho dos Estudou Design Cerâmi- Reis, rodeado de dezenas de co na Escola de Artes de amigos. Poucos como ele Coimbra (ARCA-EAC) e congregariam, em simulprosseguiu formação na tâneo, por exemplo, Carlos Escola Superior ArtĂ­stica Encarnação e HorĂĄcio Pina do Porto â&#x20AC;&#x201C; GuimarĂŁes Prata. Ex-presidente da (ESAP-G). Ilustração, se- AAC, o mĂŠdico dentista



      recebeu o justo tributo da pintura mural e mĂşsica amizade de que ĂŠ credor, electrĂłnica sĂŁo algumas  > V  das suas ĂĄreas de interesse. sonho um guia da vida.

IdeĂłlogos â&#x20AC;&#x201C; JosĂŠ Reis, director da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e ex-secretĂĄrio de Estado do Ensino Superior, disse, esta semana, que o ministro das Finanças, VĂ­tor Gaspar, e o congĂŠnere da Educação, Nuno Crato, sĂŁo â&#x20AC;&#x153;os ideĂłlogosâ&#x20AC;? do Executivo de Pedro Passos Coelho. Tratando-se de um

Pedro Barros mostra ilustraçþes e banda desenhada

â&#x20AC;&#x153;Passionâ&#x20AC;? ĂŠ o tema de uma exposição que pode ser apreciada atĂŠ ao dia 29 de Janeiro, no FĂłrum Coimbra. Da autoria de Karl Heinz Stock, um empresĂĄrio que trocou a RĂşssia por Portugal e o sol do Algarve, esta mostra conta com trabalhos do escultor â&#x20AC;&#x201C; cujas paixĂľes sĂŁo a arte e o vinho â&#x20AC;&#x201C; e de 17 outros artistas. Representaçþes de elefantes, em tamanho considerĂĄvel, transformaramse nos suportes artĂ­sticos para as interpretaçþes de Bento Ventura, Brigitte von Humboldt, Elke Heiner, Elly Maessen, Franco Charais, Henryka Woerle, Ivan Ulmann, Jessica Dunn, Jill Stott, Kasia Wrona, Mariola Landowska, Meinke Flesse  $  ÂŁ

  $   Barreto, Sylvain Bongard e Toin Adams, artistas que deram o seu contributo para esta exposição. HistĂłria de população nĂłmada encenada pelâ&#x20AC;&#x2122;O TeatrĂŁo Com encenação de AntĂłnio Mercado e a participação dos alunos do terceiro ano do curso de Teatro e Educação da Escola Superior de Educação de Coimbra, a peça â&#x20AC;&#x153;Os Ikâ&#x20AC;?, que conta a histĂłria de uma população nĂłmada do Uganda cujo territĂłrio foi transformado em parque nacional, estĂĄ em cena na   

 "  <nicipal do Teatro, entre os

Uma exposição de pintura e desenhos, da autoria de PatrĂ­cia Roque, pode ser visitada no restaurante Nacional, em Coimbra, atĂŠ ao dia 04 de Fevereiro. A mostra da artista plĂĄstica, natural de Casais do Campo, licenciada em Comunicação, Design e MultimĂŠdia pela Escola Superior de Educação de Coimbra e aluna do mestrado de Ilustração ArtĂ­stica no Instituto Superior de Educação e CiĂŞncias de Lisboa, integra-se na iniciativa de cariz cultural â&#x20AC;&#x153;Arte Ă  Mesaâ&#x20AC;?, no âmbito da qual inĂşmeros artistas tĂŞm vindo a divulgar os seus trabalhos neste reputado restaurante da cidade do Mondego. ColĂŠgio de Bissaya Barreto promove feira do livro AtĂŠ ao dia 20 de Janeiro, estĂĄ a decorrer no colĂŠgio de Bissaya Barreto, em Coimbra, uma feira do livro organizada pela biblioteca da escola em parceria com a editora â&#x20AC;&#x153;7 Dias, 6 Noitesâ&#x20AC;?. O certame, aberto ao pĂşblico entre as 10h00 e as 19h00, visa contribuir para

 

  tal da leitura no processo contínuo de aprendizagem e promover aquisição de competências nos domínios da interpretação, da criatividade, facilidade de expressão, domínio da lín-

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

ex-governante, ĂŠ suposto o economista, que interveio num jantar-debate organizado pelo Clube de Coimbra, saber do que fala. A avaliar pelas palavras de Reis, Paulo Portas tem andado longe de     

 ÂĽÂ&#x153;ÂĽ Governo e as frequentes declaraçþes de Miguel Relvas nĂŁo o catapultam ao estatuto de ideĂłlogo. Tendo presente que Gaspar debita muito menos palavras por minuto do que Relvas, ĂŠ expectĂĄvel que Miguel comece a pensar duas vezes antes de abrir a boca. Lusa: Fracos reis... â&#x20AC;&#x201C; As delegaçþes da regiĂŁo Centro, Alentejo e Algarve da agĂŞncia noticiosa Lusa irĂŁo fechar a 01 de Junho. Nada melhor do que associar o â&#x20AC;&#x153;Dia Mundial da Criançaâ&#x20AC;? a uma decisĂŁo infantil da Administração, com o respaldo do Governo (pois o capital da empresa pertence maioritariamente ao Estado). A macrocefalia lisboeta tem destas coisas, usa e abusa da tomada de medidas penalizadoras do equilĂ­brio territorial do paĂ­s, assentando em gente para quem Portugal se estende de SacavĂŠm a Almada. Acresce haver governantes e gestores acolitados por uma espĂŠcie de magos que lançam hossanas ao teletra !&  ;   ao ponto de proclamarem

F _____ R _____ A


19

QUINTA-FEIRA

VINAGRETAS

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

19

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m V I N A G R E T A S

S E A R A

A L H E I A

â&#x20AC;&#x153;A corrupção que se instalou nos nossos tribunais ĂŠ sobretudo uma corrupção moral resultante do facto de a justiça ter sido apropriada pelos magistrados e ser usada ao sabor dos seus interesses corporativos ou mesmo dos seus caprichos pessoaisâ&#x20AC;?. AntĂłnio Marinho e Pinto, no Jornal de NotĂ­cias de 16/01/2012 ser indiferente onde laboram os redactores da agĂŞncia: em escritĂłrios da empresa ou na casa de cada um deles. Ă&#x2030; mentira! Que os fracos reis fazem fraca a forte gente ĂŠ uma premissa de todos conhecida, por maioria de razĂŁo em Portugal. Santa paciĂŞncia: LĂĄ por que ĂŠ Relvas o ministro da tutela da Lusa nĂŁo tem o direito de pĂ´r

 § 

¨  @      provĂ­ncia (como gostam de dizer alguns lisboetas). A ingenuidade em polĂ­tica paga-se cara â&#x20AC;&#x201C; Passos Coelho devia agarrar com as duas mĂŁos o capital de esperança, expectativa e credibilidade com que iniciou as funçþes de primeiro-ministro. Se deixar desbaratar esse patrimĂłnio, corre o risco de nĂŁo merecer mais do que uma nota de rodapĂŠ na histĂłria de Portugal. Ele sabia, atĂŠ porque tinha de saber, que os ventos das prometidas solidariedades polĂ­ticas tĂŞm a força dos interesses de cada um. Aos ingĂŠnuos a histĂłria apenas os regista na dimensĂŁo dos erros cometidos. NĂŁo fora AlcĂĄcer Quibir e de D. SebastiĂŁo ninguĂŠm ouviria falar.

Portugueses de primeira e de segunda â&#x20AC;&#x201C; O Banco de Portugal julga-se dispensado dos sacrifĂ­cios que sĂŁo exigidos aos demais portugueses e vai daĂ­ e abotoa-se com os subsĂ­dios que a outros, bem mais necessitados e merecedores, foram retirados. Ă&#x2030; prĂĄtica da casa. Veja-se o outro presidente que, de tĂŁo mal ter exercido as suas funçþes, foi premiado com um lugar junto dos burocratas europeus. Podem estes dirigentes estarem a exercer todos os seus direitos e mais algum. O que lhes garanto ĂŠ que nĂŁo ĂŠ gente a quem as pessoas da minha aldeia tirassem o chapĂŠu. A pouca vergonha do costume â&#x20AC;&#x201C; Anda todo o mundo a queixar-se de que

 #    sa. Saem uns boys, entram outros boys. Mas não têm razão. Agora atÊ jå entram umas girls. E descansem que ainda vão entrar muitos e muitas mais. Os políticos chamam a isto alternância democråtica. O povo chama-lhe a pouca vergonha do costume.

â&#x20AC;&#x153;Nem sĂł o dinheiro corrompe. O poder tambĂŠm corrompe, por vezes, muito mais do que o dinheiro. E â&#x20AC;&#x201C; como ĂŠ, desde hĂĄ muito, consabido â&#x20AC;&#x201C; o poder absoluto corrompe absolutamente.O que se passa nos nossos tribunais ĂŠ, precisamente, isso â&#x20AC;&#x201C; a corrupção das consciĂŞncias de muitos magistrados devido ao poder ilimitado que detĂŞm e que exercem sem qualquer escrutĂ­nio democrĂĄtico ou cĂ­vicoâ&#x20AC;?. Idem, Ibidem â&#x20AC;&#x153;Algumas criaturas ainda nĂŁo perceberam a importância da cultura do exemplo. ConvĂŠm explicar-lhes que cada vez se liga menos ao que dizem. Importantes sĂŁo os exemplos que dĂŁo. E quando o exemplo ĂŠ mau, a malta irrita-se. Nada disto ĂŠ demagogia ou apelo ao Mudam-se os tem- miserabilismo. Ă&#x2030; apenas bom senso. SerĂĄ assim tĂŁo difĂ­cil perceber?â&#x20AC;?. pos... â&#x20AC;&#x201C; As duas fotos tĂŞm LuĂ­s Marques Mendes, no Correio da ManhĂŁ de 16/01/2012 um denominador comum: o da mudança dos tempos. â&#x20AC;&#x153;Alberto JoĂŁo Jardim bem pode ameaçar Lisboa que se a Numa vĂŞ-se Jacinto Santos, Madeira for muito apertada com medidas de austeridade voltarĂĄ a empunhar um arran- ao velho e gasto sonho da independĂŞncia. Pode vociferar contra jo floral, na companhia    @   

@

   §do comandante da PolĂ­cia xequĂ­velÂť. A verdade ĂŠ sĂł uma: o lĂ­der regional estĂĄ com a corda Municipal de Coimbra, na garganta e nĂŁo tem alternativaâ&#x20AC;?. Euclides Santos (agora Editorial do DiĂĄrio de NotĂ­cias de 16/01/2012 suspenso). Na outra, o agente e sindicalista Pedro â&#x20AC;&#x153;Os madeirenses deviam ter ido Ă s urnas, em Outubro Oliveira associava-se ao jĂş- passado, conscientes de que o cĂŠu lhes ia cair na cabeça. E talvez bilo de Euclides Santos, por tivessem pensado duas vezes antes de escolher novamente quem alguĂŠm comparado ao pugilista Cassius Clay. Ambas as os colocou nesta situação. Com a corda na gargantaâ&#x20AC;?. imagens soam a chĂŁo que jĂĄ deu uvas. Oliveira, presidente Idem, Ibidem do Sindicato Nacional das PolĂ­cias Municipais, jĂĄ sĂł anda de braço dado com Jacinto, comandante interino na fase â&#x20AC;&#x153;Eu convidava Eduardo Catroga a fazer um estĂĄgio nos Cartude impedimento de Euclides. chos, que era ser uma ordem silenciosa durante uns tempos. De cada vez que ele fala enfraquece a sua credibilidade e enfraquece a crediZaug bilidade do presidente do conselho geral e de supervisĂŁo da EDPâ&#x20AC;?. CARTOON Marcelo Rebelo de Sousa, na TVI a 15/01/2012

â&#x20AC;&#x153;ConclusĂŁoâ&#x20AC;?: Ontem Ouro, agora Prata, amanhĂŁ Lata

â&#x20AC;&#x153;Os ricos nĂŁo sĂŁo o problema do PaĂ­s. O que deve preocupar Portugal sĂŁo os pobres e como alterar o seu destino. Tem de se combater a dependĂŞncia dos subsĂ­dios que estĂŁo sempre em risco de acabar e despertar a ambição em ganhar vida e garantir o futuroâ&#x20AC;?. JoĂŁo Vaz, no Correio da ManhĂŁ de 15/01/2012 â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; preciso meter as agĂŞncias de rating na ordem. (...) SĂŁo os Estados que tĂŞm que impor respeito aos mercados e nĂŁo o contrĂĄrio. (...) Enquanto isso nĂŁo acontecer nĂłs nĂŁo podemos sair da situação em que estamosâ&#x20AC;?. MĂĄrio Soares, no Jornal de NotĂ­cias de 14/01/2012

Em pose de comando â&#x20AC;&#x201C; A foto ĂŠ de arquivo, mas nem por isso deixa de ter o mĂŠrito de mostrar aos conimbricenses o rosto do comandante interino da PolĂ­cia Municipal, Jacinto Santos (de Ăłculos, Ă  direita). Trata-se de uma foto consentânea com o comando por ele exercido, informal, enquanto dura a suspensĂŁo, a tĂ­tulo cautelar, aplicada a Euclides Santos no âmbito do processo disciplinar a que foi sujeito (vide a nossa anterior edição). A imagem dĂĄ conta de Santos a supervisionar uma das raras patuscadas confeccionadas na corporação.

â&#x20AC;&#x153;A sucessĂŁo de criticĂĄveis nomeaçþes (umas mais do que as outras, ĂŠ verdade) para cargos pĂşblicos tem vindo a roubar ao Governo um quinhĂŁo bastante grande da argamassa necessĂĄria para manter a coesĂŁo social e polĂ­tica, condição fundamental para atravessar a tormenta que temos pela frenteâ&#x20AC;?. Paulo Ferreira, no Jornal de NotĂ­cias de 13/01/2012 :& #  #W ÂŚ?       cabelo ao contribuinte e, depois, deixar no ar este intenso cheiro a cumplicidades espĂşrias pagas com a entrega de cargos no Estado. Ă&#x2030; mau. Ă&#x2030; perigoso. E sai caro. Apesar disso, Passos Coelho V§  ¨§  ¨   ;\!$  â&#x20AC;&#x201C; e os gostos nĂŁo se discutemâ&#x20AC;?. Idem, Ibidem

Serviços Centrais: Baixa - Avenida Fernão Magalhães nº.92, 3000-607 Coimbra tel: 239855855 fax: 239855851 | Celas - 239854080 | Vale das Flores - 239793930 Solum - 239792079 | Quinta da Vårzea - 239440666 | Lousã - 239994033 Fig. da Foz - 233403060 | Aveiro - 234425999 | Condeixa - 239944666 | Portela - 239793939

29077

PUBLICIDADE


Ă&#x161;LTIMA

20

19

QUINTA-FEIRA

www.ca m p e a o p r o vin cia s.co m

DE JANEIRO DE 2012 CAMPEĂ&#x192;O DAS PROVĂ?NCIAS

Alteraçþes ao mapa de pessoal

Nomeaçþes geram expectativa na Câmara de Coimbra R.A.

A eventual ascensĂŁo da mulher do vereador LuĂ­s ProvidĂŞncia (CDS/ ??Â&#x2C6;       nete da Câmara Munici   

 _<Â&#x2C6; 

 # cenĂĄrio que a autarquia con  

   â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;?. "        

V

#  edição electrĂłnica do nosso ~    Â&#x201D;Â&#x2014;  ~    Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x2019;    *  de alteração ao mapa de pessoal camarĂĄrio para este ano. => ? }     V

 _ Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x160;Â&#x2C6;  aprovação de uma versĂŁo       

   @  ;  >   

 niĂŁo da edilidade efectuada Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x2019;! & Â&#x160;Â&#x2019;  ~   

         ~    

quia contornou a questĂŁo. Ao satisfazer parcialmente o pedido de esclarecimentos apresentado pelo     @ :  4 <  :    ;4           @   

;! $ 



 

 

 :     \ detectadasâ&#x20AC;?. O nosso Jornal noti   

 _Â&#x201D;Â&#x2014;Â&#x2C6;        que a preconizada alteração

    *    ;\ :    >4    :     

  foraâ&#x20AC;?. ":  4         com que visa apurar se estĂĄ iminente a nomeação  @  ?  Â&#x20AC;  

      



    ¤    Defesa do Consumidor (GDC). O presidente João Pau£

 <_?$Â&#x2021;Â&#x2C6; limita-se a assinalar que irĂĄ     ;\

  ; se deixar condicionar por : \   4! O esclarecimento fa   

       

      

    

   :   }     ;4    

    ;! Encontram-se preen  Â&#x2039;Š  Â&#x201C;Â&#x201D; 

   ! :$      

V 

  mentos concursais tendentes ao provimento de mais

    ser imprescindĂ­vel para a

Câmara poder cumprir as    ;\ ; * _ÂŹÂ&#x2C6;4   ~ ÂŁ

 <! '     < dĂĄ sinais de estar prestes a proceder a cinco nomea;\ÂŚ  ?   Â&#x20AC;   _¤Â&#x2021;Â&#x2C6;& ÂĄ~*Â&#x203A;  $ _

    liderança do Departamento  &   Â&#x2020;    Â&#x203A; 

  ¤   de Inovação e Desenvolvi  ÂĄ Â&#x2C6;' Pimenta (recondução na Â&#x2021;  Â&#x153;   Â&#x2C6; <     Â&#x203A; _Â&#x2021;visĂŁo de GestĂŁo de Recursos Humanos) e Paula & _¤   &  ­ $ ;<  Â&#x2C6;!? # 

  =" ;     

 Â&#x2019;Â&#x201D;Â&#x160;Â&#x2019; a autarquia deverĂĄ ter de         #!

Providencial coligação? Administrativo prevĂŞ a possibilidade de um tĂŠcnico supeO â&#x20AC;&#x153;CampeĂŁoâ&#x20AC;? questio- rior mais categorizado assunou, por duas vezes, o pre- mir a gestĂŁo corrente de um sidente da CMC, JoĂŁo Paulo serviço atĂŠ o procedimento Barbosa de Melo (PSD), concursal para escolha do(a) atravĂŠs do seu chefe de chefe estar concluĂ­do. Bem gabinete, acerca da eventual sei que neste caso ĂŠ imposnomeação de uma jurista, sĂ­vel, porquanto o GDC nĂŁo mulher do vereador LuĂ­s Pro- estĂĄ dotado de funcionĂĄrios. O presidente da CMC vidĂŞncia (CDS/PP), para um FDUJRHTXLSDUDGRDFKHÂżDGH agirĂĄ como entender, estarei cĂĄ para ver se ele vai divisĂŁo. Nada tenho para ensinar nomear a jurista e, depois, ao prefeito, mas saiba, JoĂŁo por coincidĂŞncia, ela ganha o Paulo, que se me afigura procedimento concursal para de discutĂ­vel legalidade pĂ´r provimento do cargo. De nepotismo nĂŁo serĂĄ a funcionar no âmbito da Câmara um Gabinete de ele acusado, mas, se for Defesa do Consumidor. Por avante, o cenĂĄrio descrito outro lado, nada o obriga a remete para uma dimenHQYHUHGDU SHOR ÂżJXULQR GD sĂŁo providencial da colinomeação de tal jurista em gação. E nĂŁo me venham regime de substituição, pois dizer, depois, que ela ĂŠ â&#x20AC;&#x153;por o CĂłdigo de Procedimento Coimbraâ&#x20AC;?. RUI AVELAR

30724

PUBLICIDADE


jornal607_19_01_2012  

Edição em PDF do semanário Campeão das Províncias n.º 607, de 19/01/2012

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you