Page 1

www.clinicajoaquimmira.com

CORRECĂ‡ĂƒO POR LASER (LASIK) ou LENTE CLĂ?NICAS MIRA ClĂ­nica OftalmolĂłgica J. Mira MIOPIA, ASTIGMATISMO E HIPERMETROPIA A ACORDOS: ADSE - ADM - SAD-GNR - SAD-PSP - SAMS CENTRO - SAMS QUADROS - SAMS SIB - ADVANCECARE - MÉDIS - MULTICARE - EDP-SĂƒVIDA - CGD

OURÉM Telef.: 249 543 665 . Fax 249 545 760 Telm: 932 296 628 Email: ourem@clinicajoaquimmira.com

 ÂŽ  

39262

Rua Cândido dos Reis, 385 | 3840-412 Vagos Tlf. 234 793 070 - Fax: 234 793 072 E-mail: info@gremiorb.com - www.gremiorb.com www.facebook.com/gremiorb

 3 –   Ž    62  3 3  –

2 22 2$*&)

DIRECTOR LINO VINHAL | www.campeaoprovincias.pt PREÇO 0,75\ | 2ª SÉRIE | ANO 18 | Nº 898 | 02 NOVEMBRO DE 2017 telef. 239 497 750 | fax 239 497 759 | e-mail: campeaojornal@gmail.com

SEMANà RIO À QUINTA-FEIRA

TAXA PAGA

PORTUGAL CCE TAVEIRO

PUBLICAÇÕES PERIĂ“DICAS AUTORIZADO A CIRCULAR EM INVĂ“LUCRO FECHADO DE PLĂ STICO OU PAPEL PODE ABRIR-SE PARA VERIFICAĂ‡ĂƒO POSTAL DE09042014RL/RCMC

ANEL

Empresa Recomendada SĂłcio n.Âş 154

‡&5(0$dÂŽ(6‡)/25(6 ‡&$03$6(00Ăˆ5025((*5$1,72 ‡75$7$026'(72'$ $'2&80(17$d­25(/$7,9$ $2668%6Ă‹',26 *5Ăˆ7,6

‡6(59,d23(50$1(17( 3$5$72'223$Ë6((675$1*(,52 ‡$872)81(%5(602'(5126

Paulo Monteiro: 917 601 415 Fernando Agostinho: 917 601 413 VĂ­tor Marques: 916 631 333 Paulo Loreto: 916 631 371

Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ de Almeida, 185 (junto Ă Igreja N.ÂŞ Sr.ÂŞ de Lurdes) 3000-044 COIMBRA | Tel./Fax: 239 820 560 | 239 991 469 | Fax: 239 923 790 E-mail: funeraria-borralho@sapo.pt

38090

ACEITAM-SE RESERVAS PARA JANTARES DE NATAL COM EMENTA ESPECIAL

38050

BATALHA Telef.: 244 766 444 . Fax 244 766 464 Telm: 939 980 426 Email: batalha@clinicajoaquimmira.com

COIMBRA Telef.: 239 488 020 . Fax 239 488 020 Telm: 937 463 036 Email: geral@clinicajoaquimmira.com

39261

SEMANĂ RIO NO PAPEL (QUINTAS-FEIRAS)... DIĂ RIO ONLINE (WWW.CAMPEAOPROVINCIAS.PT) | AUDIĂŠNCIA QUALIFICADA Desabafo de JoĂŁo Gabriel Silva perante AntĂłnio Costa

O reitor da Universidade de Coimbra confessou, na semana passada, perante o primeiro-ministro, que, frequentemente, sente receio de sofrer boicotes com origem em Lisboa. “Colocar no terreno projectos arrojados jĂĄ ĂŠ difĂ­cil que chegue, nĂŁo precisamos de contravaporâ€?, opinou o reitor da UC. PĂĄgina 03 Poder Local Explicação Promoção da auto-estima devida

218 288 203 / 966 840 191

0DLVGXDVKRUDVHDRVĂ€QVGHVHPDQD

varandapadrao@hotmail.com

CovĂľes socorre os HUC ĂŠ prioritĂĄria para Machado para aliviar as urgĂŞncias Manuel Machado promete que “a promoção da auto-estimaâ€? dos conimbricenses farĂĄ parte do “principal desĂ­gnio para a gestĂŁo municipalâ€?. Tal desĂ­gnio contempla a dinamização do investimento e o apoio Ă actividade das empresas. PĂĄgina 05

Alvenarias, rebocos, assentamento de cantarias; estuques, pinturas e outros revestimentos, carpintarias, trabalhos em perfis não estruturais, canalizaçþes e condutas em edifícios, instalaçþes sem qualificação específica, calcetamentos, ajardinamentos, instalaçþes elÊtricas de utilização de baixa tensão, armaduras para betão armado, cofragens e impermeabilizaçþes e isolamentos. Bairro da Funcheira R. da Vinha Lt 63 - 2670-502 Loures

36775

Devido ao feriado do Dia de Todos-os-Santos, o fecho da presente edição do “CampeĂŁoâ€?, datada de 02 de Novembro, ocorreu a 31 de Outubro.

Rua Cândido dos Reis, 348 (EN 109) - 3840-412 S. João de Vagos - Tlf. 234 792 013 - Fax: 234 792 028 Tlm. 967 949 750 / 963 511 699 - E-mail: geral@autopneusvagos.com - www.autopneusvagos.com 39058

Reitor da UC confessa receio de sofrer boicotes com origem em Lisboa

‡31(8612926‡31(8686$'26&((‡31(865(&216758Ë'26‡-$17(6(63(&,$,6 ‡0217$*(0((48,/,%5$*(0'(31(86‡$/,1+$0(1726 6,67(0$&2038725,=$'2

As urgências dos antigos HUC atendem diariamente, em mÊdia, 500 pessoas, enquanto as do Hospital Geral apenas uma centena. Para descongestionar, o serviço de urgências dos Covþes estende o funcionamento das 20h00 para as 22h00, incluindo DRÀPGHVHPDQDMiQRSUy[LPRViEDGR Pågina 20

LOJAS

Coimbra Av. FernĂŁo de MagalhĂŁes, 87 3000-175 Coimbra Telef.: 239 823 805 Fax: 239 824 012 coopagricoimbra@sapo.pt

Taveiro  Figueira da Foz  S. Silvestre  Maiorca  S. JoĂŁo do Campo  Tondela 

38884

PUBLICIDADE

RUA JOĂƒO DE RUĂƒO - EDIFĂ?CIO SOFIA - LOJA 49 R/C - 3000-229 COIMBRA T ELF .: 239 836 818 - F AX : 239 841 844 - WWW . GEOSEGURO . PT

MS CARIANO SERVIÇOS E ALUGUER DE EQUIPAMENTOS

Indústria de Construção Civil e Obras Públicas e Particulares

Estabilidade para chegar mais alto e mais longe. T +351 244 872 270 Alto do Vieiro Leiria www.mscariano.pt

39140

Sede: &EIRA.OVAs!NGEJA %SC!,"%2'!2)! ! 6%,(! 2UA3OJADO6ISOs3ARRAZOLAs#!#)!s!6%)2/ 4ELEF&AX 4ELEM

39136

Fernando Pimenta & Filho, Lda.


02

O NATAL ESTÁ A CHEGAR

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

39025

1/0+(#$'4, Unipessoal, Lda.

J. M. Girão Consultoria, Lda.

GABINETE DE CONTABILIDADE E AUDITORIA FISCAL

Automação e Controlo de Processos Industriais

Quinta da Cavada - Cegonheira 3040-585 Antanhol Telef./Fax: 302 008 388 Telem.: 91 820 70 86 jmgirao@gmail.com

39029

Toda a variedade de citrinos

39121

CONSTRUÇÃO CIVIL

Hortas $QDJXpLV&RLPEUD 3040-462 Almalaguês Telef.: 239 932 154 Telem.: 919 077 018

GESSO PROJECTADO E PLADUR 4XLQWDGD&RUWLoD 3360-151 PARADELA Telem.: 936 971 736

LOJA FIDELIDADE DO VALE DAS FLORES - COIMBRA

Verde Constante Comércio de Madeiras, Lda

Tel. 239 403 563 Telems. 962 818 116 afonsopires.seg@netcabo.pt Vale das Flores Rua Dr. Paulo Quintela, 196-B 3030-393 Coimbra

Compra e Venda de Madeiras a pronto pagamento

Ilda Peres

39151

38979

‡7DoDV‡7URIpXV ‡0HGDOKDV'HVSRUWLYDV ‡*UDYDo}HVDFRPSXWDGRU

‡ Lotes para venda urbanizados na Ribeira de Frades ‡ Lojas para arrrendamento entre os 340/500 m2 - Urbanização Panorama ‡ Terreno com 5.000 m2 para construção no Monte Formoso

Rua Ferreira Borges Coimbra

www.laburcol.pt 239 820 881 933 412 913

Eletricista - Canalizador Água e Gás Sistemas Solares

TURISMO RURAL E RESTAURANTE Rua Buda (ao fundo da aldeia) GONDRAMAZ - Miranda do Corvo Telms. 919 759 877 WWW.PATIODOXISTO.PT info@patiodoxisto.pt

ASSITÊNCIA TÉCNICA

39152

José Veiga da Costa CAP SOLAR Alvará N.º 32802 INCI

Telem.: 91 424 47 04 Lousã - Foz de Arouce Marmeleira

Casa de Vinhos e Petiscos

Rua Nova, 8 Coimbra

38972

MIJACÃO

391 55

Transportes Cravoliveira TRANSPORTS ET DÉMÉNAGEMENTS ENTRE LA FRANCE ET LE PORTUGAL Telef. (fr.) 06 21 66 80 35 Telef. (pt) (00351) 962 685 556 cravoliveira@gmail.com

COMÉRCIO DE LENHA SERVIÇO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS SERVIÇO DE MINI GIRATÓRIA

TESES - IMPRESSÃO DIGITALIZAÇÃO ENCADERNAÇÃO

20% DE DESCONTO NA APRESENTAÇÃO DESTE EXEMPLAR DO JORNAL, EM COMPRAS SUPERIORES A 15\

copiarcos.com.pt | geral@copiarcos.com.pt encomendas@copiarcos.com.pt B.º Sousa Pinto, 41 - Arcos Jardim Tlf. 239 836 184

Telef.: 239 912 117 Telem.: 917 522 031 Rua dos Correios, N.º 14-16, 3020, Souselas

António Luis Sequeira Dias

Telef.: 239 108 592 | Telem.: 919 484 321 ildamariaperes@gmail.com Rua Martins de Carvalho, 58 3000-274 Coimbra

Boas Festas

40Aº NIVERSÁRIO a sua casa agradece... 39 16 5

81 anos em 2017

Travessa das Vinhas, n.º 3 Vilarinho Lousã Telem.: 916 768 537

39162

Costa

38985

OURIVESARIA

39214

Sempre para o servir bem!

Coimbra, Cernache (Coimbra) Leiria e Tomar

39163

AFONSO LÁZARO PIRES

38984

INDOCHINA

António da Costa Marques Unipessoal, Lda. 38971

5XD9DOHVGD3HGUXOKD$UPD]pP 3025-027 Coimbra - geral@omnifaber.com Telef./Fax: 239 644 033 Telem.: 960 109 685

RESERVAS: www.lugaresdesonho.pt Vietname clássico Av. Fernão Magalhães, 619 Lj.22 e Cambodja 3000-178 COIMBRA Datas: 3 a 14 de Março 2018 Nº de participantes: 24 Telef. 239 823 039 | Fax. 239 842 348 Email: info@lugaresdesonho.pt

38991

38973

www.campeaoprovincias.pt

391 24

2


02 QUINTA-FEIRA

ACTUALIDADE

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Desabafo de JoĂŁo Gabriel Silva perante AntĂłnio Costa

Programa “Praça da RepĂşblicaâ€?

Reitor da UC confessa receio de sofrer boicotes lisboetas R.A.

O reitor da Universidade de Coimbra confessou, na semana passada, perante o primeiro-ministro, que, frequentemente, sente receio de sofrer boicotes com origem em Lisboa. “Chegamos a nĂŁo ir procurar financiamentos aos fundos estruturais, porTXHVHRĂ€]HUPRVQDFDSLWDO vĂŁo saber [dos pedidos] (‌) e vĂŁo encontrar forma de levar esses projectos para outro lugar ou de impedir que se concretizemâ€?, afirmou

JoĂŁo Gabriel Silva ao usar da palavra na inauguração da Casa da JurisprudĂŞncia (vide a anterior edição). “Relaçþes de vassalagemâ€?

Segundo JoĂŁo Gabriel, em Portugal, os lugares pequenos sĂŁo impedidos de competir com os grandes, quando, num formato ou outro, o argumento ĂŠ o do tamanho. “Colocar no terreno projectos arrojados jĂĄ ĂŠ difĂ­cil que chegue, nĂŁo pre-

cisamos de contravaporâ€?, opinou o reitor da UC. Ao fazer a apologia de “uma polĂ­tica deliberada de distribuição pelo territĂłrio de estruturas centrais do Estadoâ€?, o reitor da Universidade de Coimbra (UC) opinou que, “desde tempos imemoriaisâ€?, os lugares intermĂŠdios de exercĂ­cio do poder tĂŞm sido preenchidos Ă luz de “obediĂŞncias partidĂĄrias e de grupo, relaçþes familiares e de vassalagemâ€?. Neste contexto, JoĂŁo Gabriel preconizou a instalação em Coimbra do

Tribunal Constitucional e do Instituto de CamĂľes. O primeiro-ministro preconizou uma “nova visĂŁoâ€? para o territĂłrio nacional e defendeu que este tem de ser “aproveitado na sua integralidadeâ€?. “Temos de olhar, agora, para aquela zona do territĂłrio que durante anos nos habituĂĄmos, erradamente, a tratar por interior e que, durante sĂŠculosâ€?, funcionou “como que uma muralha defensiva para assegurar a nossa independĂŞncia nacionalâ€?, advertiu AntĂłnio Costa.

Entretenimento absorve a cultura

JoĂŁo Pinho, Leite da Costa e o moderador Lino Vinhal

“nĂŁo vai para o segundo, mas para o quinto mandaAproveitando a presen- toâ€?, e destaca as tarefas que ça de duas pessoas ligadas os autarcas de Oliveira do Ă cultura - Leite da Costa e Hospital, Pampilhosa da JoĂŁo Pinho -, este foi um Serra, TĂĄbua, Arganil, Penatema em foco no programa cova, Tondela, entre outros, Coimbra “Praça da RepĂşblicaâ€? da RĂĄ- vĂŁo ter na reconstrução dos dio Regional do Centro (96.2 respectivos concelhos, pois FM), transmitido sĂĄbado e entende que “se nĂŁo forem realizado semanalmente no eles o paĂ­s afunda-se, pois Lisboa nada fazâ€?. Hotel D. LuĂ­s. A tragĂŠdia dos grandes “A Câmara Municipal de Coimbra nĂŁo percebeu a di- incĂŞndios que se verificaferença entre entretenimento ram a 15 de Outubro esteve e cultura e aquele absorveu as em foco, com JoĂŁo Pinho a possuindo a prerrogativa de dade de “Somos Coimbraâ€? -Direita obteve 30,81 por actividades culturaisâ€?, referiu sugerir que as pessoas realipropor os vogais que hĂŁo- em aceitar dois lugares na cento dos votos, o PS 26,83, Leite da Costa, anterior direc- zassem preferencialmente as -de coadjuvĂĄ-lo. A coligação Junta de Olivais (um a tempo “Somos Coimbraâ€? 19,29, tor do departamento cultural compras de Natal nos concecarecia do apoio de “Somos inteiro e outro sem tempo, CpC 8,82 e CDU 8,80. da autarquia, dando conta de lhos afectados, como forma Coimbraâ€? para aprovação de ambos com pelouros atribuque desapareceu a iniciativa de ajudar as populaçþes e a quatro autarcas com assento tGRV DGHĂ€QLUHPGLiORJR de editar vĂĄrias publicaçþes, economia local. SĂł alvarĂĄs e Para este estudioso da na Junta da UFC. bem como os lugares de pricomo o Arquivo CoimbrĂŁo, atestados... histĂłria regional e local, os A nova Assembleia ĂŠ meiro e segundo secretĂĄrios RXDVPRQRJUDĂ€DV formada por cinco autarcas da Mesa da Assembleia de JoĂŁo Pinho, historiador, incĂŞndios serem foram um Quanto a Santa Clara / de “Mais Coimbraâ€?, qua- Freguesia. Castelo Vigas, o presidente investigador e autor de vĂĄ- problema secular, sĂł que, retro do PS, dois de “Somos Interpelado pelo “Cam- da Junta, JosĂŠ SimĂŁo (PSD), rias monografias, conside- FHQWHPHQWH´DĂ RUHVWDGHL[RX Coimbraâ€?, uma de CidadĂŁos peĂŁoâ€?, Andrade aludiu a uma MXVWLĂ€FRX D LQH[LVWrQFLD GH rou “uma pena que nĂŁo se de arder pontualmente para por Coimbra (CpC) e outro alegada pretensĂŁo de “Somos entendimento entre a coli- potencie o ADN editorial ser de forma regularâ€?. Lemda CDU. Coimbraâ€? no sentido de gação e “Somos Coimbraâ€? histĂłricoâ€?, declarando-se brando o abandono das anpossuir trĂŞs assentos na Junta dizendo que as exigĂŞncias do triste ao ver que a Biblioteca WLJDVSUiWLFDVDJURĂ RUHVWDLV (composta por sete autarcas), movimento sĂł lhe deixavam Municipal de Coimbra tem -RmR3LQKRYHULĂ€FDTXHQHV“Mais Coimbraâ€? indicando o movimento um “competĂŞncias para passar vazias as prateleiras desti- tes recentes incĂŞndio houve aliada ao PS vogal para exercer funçþes a atestados e alvarĂĄsâ€?. QDGDVjVPRQRJUDĂ€DV´QmR “um colapso das estruturas O ĂłrgĂŁo executivo da se dando a conhecer o que polĂ­ticas e operacionaisâ€? e Em Santo AntĂłnio dos tempo inteiro. “impotĂŞncia para defender O acordo alcançado por UFSCCV ĂŠ constituĂ­do por se temâ€?. Olivais e no âmbito da UniĂŁo Sobre a sua participação os perĂ­metros urbanos e inde Freguesias de Santa Clara “Mais Coimbraâ€? e pelo Par- JosĂŠ SimĂŁo, BertĂ­lia SimĂŁo / Castelo Viegas (UFSCCV), tido Socialista proporciona e LĂ­dia Joana FalcĂŁo (“Mais nas eleiçþes autĂĄrquicas, dustriais, o que nos deve a coligação “Mais Coimbraâ€? ao PS dois vogais no ĂłrgĂŁo Coimbraâ€?), Ramiro Santos como mandatĂĄrio de uma preocupar ainda maisâ€?. Segundo Leite da Costa, (PSD - CDS/PP - PPM - executivo de Olivais e a con- e Filipa Nobre (socialistas), lista candidata Ă  UniĂŁo de 037 HR36Ă€UPDUDPHQ- quista da presidĂŞncia da As- cabendo a presidĂŞncia da Freguesias de Souselas e nesta questĂŁo dos incĂŞndios Mesa da Assembleia a JosĂŠ BotĂŁo, JoĂŁo Pinho sublinha as atençþes tĂŞm-se centramWHQGLPHQWRV SDUD GHĂ€QLomR sembleia de Freguesia. AntĂłnio Monteiro as- Carlos Clemente (PS). a existĂŞncia de “gente boa, -se “nas consequĂŞncias e nĂŁo da composição das juntas. Os resultados eleitorais abnegada, que deseja o me- nas causas, pecando-se por Como noticiou o nosso cendeu a presidente da Mesa Jornal, a 12 de Outubro, da Assembleia e os autarcas para a Assembleia da UniĂŁo lhorâ€?, mas notou, tambĂŠm, nĂŁo ir ao fundo da questĂŁo: atravĂŠs da edição impressa, do PS com assento como vo- de Freguesias de Santa Clara que “entre meia centena os incendiĂĄriosâ€?. â€œĂ‰ fogo o PSD admitiu recorrer ao gais da Junta, JosĂŠ de Moura e Castelo Viegas atribuĂ­ram de pessoas trabalham meia posto, sĂŁo os incendiĂĄrios movimento “Somos Coim- e TĂĄvora e MĂĄrcio Olivei- cinco mandatos Ă  coligação dĂşzia“ e hĂĄ os que “procu- que estĂŁo na origem dos braâ€? para formar quatro ra, jĂĄ exerceram funçþes “Mais Coimbraâ€?, quatro ao ram na polĂ­tica apenas um fogos e torna-se necessĂĄjuntas, entre elas a de Olivais (em Coimbra e em Oliveira PS, dois ao movimento “So- espaço de protagonismo rio alterar a moldura penal, considerando o incendiĂĄrio e as das uniĂľes de freguesias do Bairro, respectivamente) mos Coimbraâ€?, um Ă  CDU pessoalâ€?. Leite da Costa sublinha a como um terrorista, pois e outro ao movimento Cide Coimbra e de Santa Clara como eleitos pelo PSD. AlĂŠm do social-demo- dadĂŁos por Coimbra (CpC). “longevidadeâ€? do presidente morrem pessoas e hĂĄ muita / Castelo Viegas. Em Assafarge / Anta- da Câmara de Coimbra, que destruiçãoâ€?, defendeu. “Em função da retoma crata Francisco Andrade, sĂŁo do diĂĄlogo, para facilitar um membros da Junta de Olivais nhol, cuja UniĂŁo de Fregueentendimento com ‘Mais os seguintes elementos de sias tem como timoneiro JosĂŠ Praça da RepĂşblica tem o patrocĂ­nio Coimbra’â€?, capaz de ir “ao “Mais Coimbraâ€?: LuĂ­s Pais, Filipe (PSD), para a presidĂŞnencontro da vontade popular Cristina Agreira, Graça Oli- cia da Mesa da Assembleia foi eleito JosĂŠ Freitas SimĂľes expressaâ€?, JosĂŠ Manuel Silva veira e JoĂŁo Madeira. A coligação de Centro- (CDU). pĂ´s por escrito a disponibili-

UniĂŁo de Freguesias dotada de Junta bastante abrangente Da Junta da UniĂŁo de Freguesias de Coimbra, presidida por JoĂŁo Francisco Campos (PSD), vĂŁo fazer parte um militante do CDS/ PP, um antigo do PS e um membro do movimento “Somos Coimbraâ€?, apurou o “CampeĂŁo. O ĂłrgĂŁo executivo da UFC possui ainda a particularidade de ter como vogal o anterior presidente, Helder Abreu (PSD). Carlos Pinto (que foi do PS) ĂŠ o secretĂĄrio e AmĂŠrico Petim (CDS/PP) tesoureiro. Manuel LobĂŁo (“Somos Coimbraâ€?), ex-comandante da PolĂ­cia Municipal, ĂŠ o outro vogal, cabendo ainda ao movimento cĂ­vico, atravĂŠs de Afonso Madeira, a presidĂŞncia da Mesa da Assembleia da UFC (SĂŠ Nova, Santa Cruz, Almedina e S. Bartolomeu). Carlos Pinto, antigo tesoureiro da outrora Junta de Almedina, integrou a lista da coligação “Mais Coimbraâ€? (PSD - CDS/PP - PPM MPT). Vice-presidente cessante da ComissĂŁo Concelhia conimbricense do PSD, JoĂŁo Francisco Campos, empresĂĄrio, foi eleito para liderar a UniĂŁo de Freguesias de Coimbra ao superiorizar-se Ă lista do PS com 165 votos de vantagem. Cabe ao cabeça da lista mais votada para a Assembleia a presidĂŞncia de Junta,

3

www.campeaoprovincias.pt

L.S.


ACTUALIDADE

4

02

www.campeaoprovincias.pt

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Direcção da Briosa teve respaldo dos sócios

Eduardo SimĂľes e AcadĂŠmica/OAF admitem desistir de acçþes judiciais Foi suspensa, na semana passada, a audiĂŞncia inerente a um processo cĂ­vel com que Eduardo SimĂľes aspira a receber da AAC/OAF dois milhĂľes de euros e a um pedido reconvencional com que a instituição reclama mais. As partes desfrutam de um prazo para trabalharem QRVHQWLGRGHĂ€UPDUHPXP acordo, apurou o “CampeĂŁoâ€?. Noventa por cento de sĂłcios da AcadĂŠmica/OAF presentes, a 24 de Outubro, numa sessĂŁo da Assembleia Geral em que tomaram parWH  UDWLĂ€FDUDP R SHGLGR reconvencional apresentado pela Direcção contra o antigo presidente JosĂŠ Eduardo SimĂľes, que reclama em Tribunal o pagamento de uma alegada dĂ­vida de dois milhĂľes de euros.

“Emprestei, de forma pessoal e atravĂŠs de recurso a terceiros, verbas Ă AAC/ OAF, (‌) necessĂĄrias para [ela] sobreviverâ€?, insistiu o engenheiro civil, em mensagem enviada ao presidente da Mesa da Assembleia Geral e a membros do Conselho AcadĂŠmico. Na perspectiva de JosĂŠ Eduardo, o Organismo AutĂłnomo de Futebol da AAC, proprietĂĄrio da AcadĂŠmica SDUQ, “poupou entre 2,80 e trĂŞs milhĂľes de euros sĂł em jurosâ€?. Segundo o advogado Alexandre Mota Pinto, as verbas peticionadas (dois milhĂľes de euros) por Eduardo SimĂľes foram “uma vantagem patrimonial ilĂ­citaâ€? conferida pelo empresĂĄrio EmĂ­dio Mendes, FRPR ´ÀFRX SURYDGRÂľ QR

O advogado Alexandre Mota Pinto foi Ă mais recente sessĂŁo da AG da AAC/OAF

processo-crime com que o outrora timoneiro do clube foi condenado por corrupção passiva (enquanto antigo director municipal). A AcadĂŠmica/OAF reclama de JosĂŠ Eduardo um montante de 3,04 milhĂľes de euros, apurou o “CampeĂŁoâ€?.

Homenagem ao arquitecto Vasco da Cunha

O exemplo de uma vida O arquitecto Vasco da Cunha, que tambĂŠm serviu como autarca, foi homenageado, sĂĄbado (28), por iniciativa do NĂşcleo de Arquitectos da RegiĂŁo de Coimbra, organismo a que se associou a Câmara conimbricense. O presidente da principal autarquia de Coimbra, Manuel Machado, que abriu a cerimĂłnia, no salĂŁo nobre dos Paços do 0XQLFtSLR DĂ€UPRX WUDWDU-se de “uma honraâ€? receber o homenageado. O edil lembrou que Vasco da Cunha (PSD) foi presidente da outrora Junta de Freguesia de S. Martinho de Ă rvore e vereador da CMC, tendo enaltecido o contributo do arquitecto para Coimbra ser dotada da ponte da Rainha Santa (anteriormente designada ponte da Europa). “Para que perdure na memĂłria futuraâ€?, Manuel Machado entregou ao homenageado uma medalha de bronze. Florindo Belo Marques, JoĂŁo Rebelo e FĂĄtima Lourenço foram outros dos intervenientes na cerimĂłnia, pautada pelo louvor Ă vida e obra do arquitecto e pelo elogio ao seu exemplo cĂ­vico

Vasco da Cunha recebeu uma medalha, entregue por Manuel Machado

e de cidadania. A sessĂŁo compreendeu o lançamento da publicação intitulada “Vasco Cunha: o arquitecto e a sua cidadeâ€? (edição do NĂşcleo de Arquitectos da RegiĂŁo de Coimbra). Nascido em Angola, em 1933,Vasco Jorge AnWXQHV GD &XQKD Ă€[RX Ki muitos anos, residĂŞncia em Coimbra. SĂŁo da sua autoria dele projectos como o da Urbanização Quinta da Estrela (Arregaça) e o da Casa dos Pobres de Coimbra (implantada em S. Martinho do Bispo). FĂĄtima Lourenço, timoneira do referido NĂşcleo de Arquitectos, recordou ter sido Vasco da Cunha o

impulsionador da criação em Coimbra do primeiro organismo vocacionado para o debate das questĂľes da classe, pouco tempo antes de a Universidade local passar a ministrar licenciatura em Arquitectura. A postura de Vasco da Cunha transcendeu a actividade profissional a que ele se dedicou em benefĂ­cio do “bem pĂşblicoâ€?, opinou Florindo Belo Marques. Por ocasiĂŁo da apresentação da sua recente candidatura Ă presidĂŞncia da Junta de Freguesia de Santo AntĂłnio dos Olivais, o arquitecto AntĂłnio Monteiro, que fez a apologia “da honestidade, do rigor e da transparĂŞnciaâ€?, invocou o exemplo de Vasco da Cunha.

A quantia Ê reclamada na contestação a uma acção judicial, entregue ao Tribunal Cível, com que o ex-director de urbanismo de Coimbra alega ser credor. Milhão e meio de euros reclamados pela AAC/OAF correspondem a reembolsos que ela entende ter feito

indevidamente em prol do engenheiro civil. Segundo a contestação, se o Tribunal nĂŁo condenar JosĂŠ Eduardo a entregar 1,54 milhĂľes de euros Ă instituição, deve obrigĂĄ-lo, ao abriJRGDĂ€JXUDGDUHFRQYHQomR a indemnizĂĄ-la no montante de dois milhĂľes de euros, “correspondente a danosâ€? alegadamente infligidos Ă  Briosa. O outro milhĂŁo e meio de euros reclamados resultam de trĂŞs parcelas: uma de 1,20 milhĂľes de euros por danos patrimoniais, inerentes Ă  perda de donativos na sequĂŞncia da condenação de Eduardo SimĂľes por corrupção passiva na qualidade de antigo director municipal, 100 000 euros a tĂ­tulo de danos morais e 200 000 euros para ressarcir a AAC/OAF pela

quantia que ela foi obrigada a entregar ao Estado. Na petição inicial da acção em que JosĂŠ Eduardo alega ser credor, o anterior timoneiro da AcadĂŠmica/OAF alude a “mĂşltiplos emprĂŠstimosâ€? alegadamente concedidos por ele entre 2002 e 2006. Vice-presidente no biĂŠnio (2003 - 04), Eduardo SimĂľes foi timoneiro do Organismo AutĂłnomo de Futebol da AAC entre 2005 e meados de 2016. “EstĂĄ provado que os fundos cuja entrega ĂŠ pedida pelo autor constituĂ­ram um subornoâ€? a um outrora director de urbanismo de Coimbra, JosĂŠ Eduardo SimĂľes, que, no triĂŠnio 2003 05, exerceu o cargo em acumulação com o de dirigente da AAC/OAF, pode ler-se na referida contestação.

Comunidade de S. Francisco de Assis

Teresa Granado reuniu-se com o bispo de Coimbra Teresa Granado reuniu-se, na semana passada, com o bispo de Coimbra por causa de problemas que tĂŞm posto em rota de colisĂŁo a madre e a Direcção da Comunidade Juvenil de S. Francisco de Assis. Segundo ela, D. VirgĂ­lio Antunes mostrou-se “compreensivo com a situaçãoâ€?, a ponto de a madre achar que o prelado estarĂĄ “contra um regulamento internoâ€?, que tem sido fonte de polĂŠmica. Teresa Granado garantiu ao bispo que tenciona “rasgar o regulamentoâ€?. “A drÂŞ. Ana Faria ĂŠ presidente da instituição, nĂŁo ĂŠ minha presidenteâ€?, declarou ao nosso Jornal Teresa Granado. A madre quer, ainda, ter a certeza de que todos seus direitos irĂŁo ser assegurados, adiantando que o rapaz a residir com ela irĂĄ ali permanecer. Quanto a um portĂŁo ao qual foi mudada a fechadura, ela garante que continuarĂĄ a ser a sua principal porta de entrada e saĂ­da de casa. “Sinto que estĂŁo a fazer bullying comigoâ€?. Foi desta forma que Teresa Granado, 88 anos de idade, fundadora da Comunidade

Teresa Granado sente-se vĂ­tima de bullying

Juvenil de S. Francisco de Assis, classificou, a 20 de Outubro, o recente tratamento por parte da Direcção. Os problemas começaram quando Maria Teresa, que pertenceu a uma congregação religiosa, foi residir “na respectiva casaâ€?, dentro das instalaçþes da Comunidade, em Eiras (Coimbra), de onde tinha saĂ­do, hĂĄ alguns anos, para fazer do espaço salas de estudo para crianças e jovens da instituição. Agora, com a pretensĂŁo de instalação de uma biblioteca na casa onde morava antes, madre Teresa Granado voltou para a sua residĂŞncia original, pela qual paga o respectivo IMI Ă Câmara conimbricense (que ĂŠ proprietĂĄria dos

terrenos onde se encontra implantada a instituição). Foi, precisamente, essa mudança de residĂŞncia que originou uma situação peculiar entre a fundadora e a actual presidente da Direcção, Ana Faria. Em 2002, Teresa Granado foi distinguida pela ComissĂŁo de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados. A Direcção da Comunidade veio, em comunicado publicado na sua pĂĄgina de Internet, desmentir “de forma veemente todas as acusaçþes que lhe sĂŁo imputadasâ€?, esclarecendo algumas das acusaçþes e reconhecendo “o indubitĂĄvel mĂŠrito da obra realizada pela drÂŞ. Maria Teresa Serra Granadoâ€?. Quanto Ă mudança da fechadura do portĂŁo, a instituição garante tratar-se de uma medida para “assegurar a segurança e bem-estar das crianças, jovens e mĂŁes acolhidas na instituição e atendendo aos recente episĂłdios de violĂŞncia, quase todos perpetrados por pessoas estranhas Ă  Comunidade – nomeadamente o senhor referido na publicaçãoâ€? (o rapaz que vive com Teresa Granado).


02 QUINTA-FEIRA

POLĂ?TICA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

5

www.campeaoprovincias.pt

3UDoDGHGH0DLR

6RFLDOGHPRFUDWDVGH&RLPEUDYRWDPDGH1RYHPEUR

0DFKDGRYROWDDDFHQDU FRPDHURSRUWRHSURPHWH ´SURPRomRGDDXWRHVWLPD¾

)UHLWDVDVSLUD a mudar o PSD ´GHIRUDSDUDGHQWUR¾

Manuel Machado, que acaba de prometer “a promoção da auto-estimaâ€? dos conimbricenses, por ocasiĂŁo da sua investidura para quinto mandato na liderança do MunicĂ­pio de Coimbra, voltou a acenar com um aeroporto internacional. O edil indicou que “a promoção da auto-estimaâ€? dos conimbricenses farĂĄ parte do “principal desĂ­gnio para a gestĂŁo municipalâ€?. Neste contexto, o reeleito presidente da Câmara de Coimbra exortou os munĂ­cipes no sentido de todos puxarem “para o mesmo ladoâ€?. “Vamos parar de dizer mal de Coimbraâ€?, apelou o autarca e economista, em cujo ponto de vista “nĂŁo faz qualquer sentido (‌) dizer que a cidade estĂĄ a regredirâ€?, na medida em que “todos os indicadores disponĂ­veisâ€? sugerem o contrĂĄrio. Ao voltar a acenar com um aeroporto internacional, o edil disse tratar-se de “um projecto a iniciar de imediato, partindo de estudos que a Câmara encomendou e pagou, noutros perĂ­odosâ€?, sem que lhes haja sido dada sequĂŞncia. O “principal desĂ­gnio para a gestĂŁo municipalâ€? contempla a dinamização do investimento e o apoio Ă actividade das empresas. “O ambiente em Coim-

É “de fora para dentroâ€? que Nuno Freitas aspira a transformar o PSD/Coimbra, esperando ser eleito, a 11 de Novembro, para a liderança concelhia do partido. Ex-vereador, outrora deputado Ă Assembleia da 5HS~EOLFDHDQWLJRSUHVLGHQte do Instituto da Droga e ToxicodependĂŞncia, o mĂŠdico vai ter como opositor MoisĂŠs Rocha, empresĂĄrio, tĂŠcnico de prĂłtese dentĂĄria e docente convidado da Universidade de Coimbra. ´236'QmRSRGHĂ€FDU apenas pela Torre da Universidade [de Coimbra], Manuel Machado e LuĂ­s Marinho presidem, respectivamente, nĂŁo tem de ser um partido Ă  Câmara e Ă  Assembleia Municipal de Coimbra GH HOLWHVÂľ DĂ€UPRX R DVSLrante a sucessor de Paulo bra para fazer negĂłcios e 08 de Maio, e a criação de MunicĂ­pio conimbricense LeitĂŁo apesar de ter como investimentos ĂŠ percepcio- parques de estacionamen- foi parcialmente renovado, mandatĂĄrio o professor nado, pelos empresĂĄrios, no to perifĂŠricos sĂŁo outras sendo formado, agora, por universitĂĄrio Pedro Saraiva. paĂ­s e no estrangeiro, como das promessas do autarca Jaime Ramos (cujo manUm programa de condato deverĂĄ ser suspenso), ferĂŞncias e debates, mobisendo um dos melhores de reeleito. Na perspectiva de Ma- Madalena Abreu e Paulo lizando a sociedade civil e Portugalâ€?, opina o econonuel Machado, “o povo de LeitĂŁo (reconduzido). mista. peritos, visa dar suporte Ă  A CDU per manece elaboração de uma proposta Acresce, segundo o Coimbra nĂŁo votou nem lĂ­der do MunicĂ­pio, que por acaso nem por inĂŠrciaâ€?, representada por Francisco de plano estratĂŠgico para a principal autarquia de tendo enveredado, segundo QueirĂłs. Coimbra no horizonte de Da composição da 2020 -30. Coimbra estĂĄ dotada de ele, por “decisĂľes polĂ­ticas principal autarquia conim´FDSDFLGDGHĂ€QDQFHLUDÂľHP sĂŠriasâ€?. Outra das promessas, ´1mR Ki YRWRV LQ~WHLV bricense faz parte, pela independentemente da inordem a “contribuir para a nem votos mais valiosos do primeira vez, o movimento constância por que Nuno activação econĂłmicaâ€?. Para Manuel Machado, que outros; em democracia, “Somos Coimbraâ€?, que fez Freitas tem pautado a sua as tecnologias de informa- somos todos iguaisâ€?, con- eleger dois vereadores (JosĂŠ PLOLWkQFLD QRV ~OWLPRV  omRHDĂ€OHLUDGDVD~GHVmR cluiu o lĂ­der do MunicĂ­pio Manuel Silva e Ana Bastos). anos, acena com a criação A CMC reuniu-se, an- de um Gabinete de Apoio iUHDV D EHQHĂ€FLDU FRP ´D de Coimbra. Entre os edis do PS, teontem (terça-feira), jĂĄ ao MunĂ­cipe. atracçãoâ€? para o Parque de Inovação em CiĂŞncia, Tec- hĂĄ a registar a recondução depois do fecho da pre(PERUDWHQKDPĂ€FDGR QRORJLDH6D~GH GDVRFLH- de Manuel Machado, Car- sente edição, avultando de ÂŤcandeias Ă s avessasÂť dade iParque) de “grandes los Cidade, Jorge Alves e na agenda da sessĂŁo a de- quando eram ambos meminvestimentos industriaisâ€?. Carina Gomes, enquanto legação de competĂŞncias bros da Câmara conimbriO relançamento da Regina Bento sucede a QR SUHVLGHQWH H D Ă€[DomR cense (2002 -05), Freitas de dedicação exclusiva ou desfruta, agora, do apoio Ecovia, serviço adoptado Rosa Reis Marques. O segmento social- de tempo parcial para ve- de Carlos Encarnação, sem no anterior consulado do economista na praça de -democrata da vereação do readores. embargo de o antigo pre-

feito ter apoiado a recente candidatura de JosĂŠ Manuel Silva (“movimento “Somos Coimbraâ€?) Ă liderança do MunicĂ­pio. Na sequĂŞncia do mais recente Congresso do PSD, Nuno Freitas acenou com silĂŞncio, gracejando acatar um pedido do ex-ministro JosĂŠ Pedro Aguiar-Branco, feito no “coreano conclaveâ€? partidĂĄrio. O “afastamento silente da actual linha polĂ­tica do partido ĂŠ total, abissal e cultural; curiosamente, sei que nĂŁo mudei essencialmente de valores nem de atitude – sei que continuo social-democrata, com o rosto humano do personalismo e o corpo do trabalho e mĂŠrito na frĂĄgil economia social de mercadoâ€?, assinalou, na Primavera de 2016. “NĂŁo alinho neste equĂ­voco propositado de tempos e modos polĂ­ticos, para salvar a pele dos que nĂŁo foram social-democratas no tempo emergente em que, precisamente, era isso que se lhes pedia; nĂŁo alinho em bicadas laterais, de desgaste e corrosĂŁo, mas favores centrais atĂŠ melhor oportunidade; nĂŁo alinho em ÂŤnihilÂť programĂĄtico, que QmRSXUJDSROtWLFDVS~EOLFDV erradas, mas recomenda o novel esquerdismo de vanguarda sem tĂ­tulos de doutor ou engenheiroâ€?, indicou o mĂŠdico. Apesar destas consideraçþes, Nuno Freitas aceitou recandidatar-se a presidente da Mesa da Assembleia Distrital do PSD/Coimbra.

CĂŠu Alves sucede a Jaime Garcia em GĂłis

36VHPSUHVLGLUDRyUJmRGHÀVFDOL]DomRGD&kPDUD O PS perdeu a presidência da Assembleia Municipal (AM) de Góis, depois de, a 01 de Outubro, ter reconquistado a liderança da Câmara, em cuja vereação se encontra em minoria. Maria do CÊu Alves (da coligação PSD - CDS/ PP) foi eleita para presidir à 0HVDGRyUJmRGHÀVFDOL]Dção da Câmara Municipal, com o apoio de um movimento independente, tendo suplantado por um voto a recandidatura de Jaime Garcia (PS).

O movimento Independentes por Góis, cuja lista para a Câmara foi encabeçada por JosÊ Rodrigues, desfruta de seis dos 19 assentos da AM, cabendo quatro à coligação de Centro-Direita e nove ao PS. O Partido Socialista obteve seis mandatos para aquele órgão autårquico por eleição directa e da respectiva bancada tambÊm fazem parte os presidentes das juntas de Góis e de Vila Nova do Ceira e o timoneiro da União de Freguesias

Ex-vice-presidente, JosĂŠ Rodrigues ĂŠ, agora, vereador independente

de Cadafaz e Colmeal. AlĂŠm de cinco man-

datos alcançados por eleição directa, a bancada de

Independentes por Góis desfruta de outro assento, que cabe a Vítor Duarte (presidente da Junta de Freguesia de Alvares). Olinda Simþes e António JosÊ Gil (autarcas do movimento) completam a Mesa da Assembleia Municipal. Vencedor de 11 dos 12 actos eleitorais para a Câmara, o PS sempre usufruíra de maioria absoluta no executivo municipal. O recuo ocorreu, este ano, na sequência da candidatura do ex-vereador socialista

JosÊ Rodrigues à liderança da autarquia, encabeçando uma lista independente. Lurdes Castanheira (PS), reeleita para timoneira da CM, e JosÊ Rodrigues protagonizaram pontos de vista inconciliåveis, durante o anterior mandato, apesar de ele ter sido vice-presidente da principal autarquia de Góis no quadriÊnio 2009 -13. Devido à limitação do Q~PHURGHPDQGDWRVFRQsecutivos (três), Lurdes Castanheira estå impedida de se recandidatar em 2021.


FIGURAS DA SEMANA

6

www.campeaoprovincias.pt

Ascensor

A

S U B I R

A

D E S C E R

Nuno Freitas – A inconstância tem sido, nos últimos12 anos, a imagem de marca da militância do mÊdico QRVHLRGR36'$LQGDDVVLPHOHSHUÀODVHSDUDDOLGHUDQoD FRQFHOKLDGR36'&RLPEUD YLGHDSiJ 

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Jean-Claude Juncker O presidente da ComissĂŁo Europeia foi distinguido, na terça-feira (31), com o grau de doutor ‘honoris causa’ pela Universidade de Coimbra (UC). O luxemburguĂŞs foi apresentado pelo Presidente da RepĂşblica, Marcelo Rebelo de Sousa, numa cerimĂłnia que decorreu na Sala dos Actos Grandes (Sala dos Capelos) da UC. O elogio, quer a -XQFNHUTXHUD0DUFHOR5HEHORGH6RXVDIRLIHLWRSRU)HUQDQGR$OYHV&RUUHLDH-RUJH Coutinho de Abreu. “A Universidade de Coimbra ĂŠ uma universidade global, que trabalha pelo entendimento entre todos os povos da Terra, na sua diversidade; distinguir RSUHVLGHQWHGD&RPLVVmR(XURSHLDSHUPLWHUHDĂ€UPDURQRVVRDSRLRj8QLmR(XURSHLD como espaço de cooperação que trouxe Ă Europa um perĂ­odo de paz e prosperidade VHPSUHFHGHQWHVQD+LVWyULDTXHpHVVHQFLDOTXHFRQWLQXHDSHVDUGHXPSUHRFXSDQWH UHQDVFLPHQWRGHQDFLRQDOLVPRVSRSXOLVWDVTXHLPSRUWDFRPEDWHUÂľDĂ€UPRXRUHLWRUGD 8&-RmR*DEULHO6LOYD$YLVLWDGH-HDQ&ODXGH-XQFNHUD&RLPEUDWHUPLQRXFRPXPGHEDWHQR7HDWUR$FDGpPLFR de Gil Vicente (TAGV), entre o presidente da ComissĂŁo Europeia e o primeiro-ministro, AntĂłnio Costa, cabendo a ambos abordar o tema “Futuro da Europa – Que Europa queremos?â€?. Antes do debate, o luxemburguĂŞs visitou a Associação AcadĂŠmica de Coimbra, onde descerrou uma placa comemorativa dos 130 anos da AAC.

AntĂłnio Arnaut – Aos 81 anos de idade, AntĂłnio $UQDXWPDQWpPVHĂ€HOjSURGXomROLWHUiULD2DGYRJDGR e escritor lançou, sĂĄbado (28), a sua mais recente obra de poesia, intitulada “Um homem que partiu do seu regresso (e outros poemas)â€?. A apresentação esteve a cargo de $QWyQLR 3HGUR 3LWD Ă€OyVRIR H SURIHVVRU XQLYHUVLWiULR ex-titular da Direcção Regional do Centro da Cultura. -XULVWD$QWyQLR$UQDXWFULRXR6HUYLoR1DFLRQDOGH6D~GH (enquanto ministro dos Assuntos Sociais), foi grĂŁo-mestre Nuno de Figueiredo – O conimbricense venceu, GR*UDQGH2ULHQWH/XVLWDQR 0DoRQDULD HPHPEURGR recentemente, o prĂŠmio literĂĄrio “AntĂłnio Cabralâ€? 2017, Conselho Superior de Magistratura e ĂŠ co-fundador do PS. atribuĂ­do pelo MunicĂ­pio de Vila Real, com a obra “Sublimação da MatĂŠriaâ€?. Segundo o jĂşri, “o livro selecionado Jaime Soares –2SUHVLGHQWHGD/LJDGH%RPEHLURV ĂŠ um espaço de intimidade que escolhe dar conta da Portugueses foi reeleito, sĂĄbado (28), mediante a preferĂŞn- SUHFDULHGDGH GD YLGD GR Ă XLU GDV HVWDo}HV GD SUHVHQoD cia de quase trĂŞs em cada quatro votantes no âmbito do da morte, da busca da palavra poĂŠticaâ€? e “a simplicidade ž&RQJUHVVRGD/%32DQWLJRSUHVLGHQWHGD&kPDUD do estilo encontra-se aqui ao serviço do fulgor imagĂŠtico 0XQLFLSDOGH9LOD1RYDGH3RLDUHVFXMRRSRVLWRUHUD-RVp TXHGHĂ€QHFDGDXPGRVSRHPDVÂľ/LFHQFLDGRSHOR,QVWLBarreira Abrantes, obteve 438 dos 603 votos escrutinados. tuto Superior TĂŠcnico, Nuno de Figueiredo lançou o seu -DLPH0DUWD6RDUHVDOFDQoRXXPDSHUFHQWDJHPVXSHULRUj primeiro livro de poemas “O Desencanto em Cantoâ€?, em da sua primeira eleição, no congresso de Peso da RĂŠgua, e 1985, seguindo-se mais de trĂŞs dezenas de obras publicadas Ă da primeira recondução, ocorrida em 2014, ambas dispu- pelo autor e em vĂĄrios gĂŠneros. O prĂŠmio, no valor de 5 WDGDVFRP-RDTXLP5HEHOR0DULQKR8PDGDVEDQGHLUDV 000 euros, foi entregue na passada semana, pelo GrĂŠmio para o novo mandato consiste na criação de uma direcção /LWHUiULR9LOD5HDOHQVH nacional de bombeiros, “autĂłnoma, independente e com orçamento prĂłprioâ€?. Nuno Peixinho ²2LQYHVWLJDGRUGR&HQWURGH,QYHVtigação da Terra e do Espaço da Universidade de Coimbra JoĂŁo Gabriel Silva – É louvĂĄvel o rasgo do reitor da foi nomeado representante de Portugal no ComitĂŠ de 8QLYHUVLGDGHGH&RLPEUD-RmR*DEULHODRFRQIHVVDUQD Utilizadores do ObservatĂłrio Europeu do Sul (ESO). O semana passada, perante o primeiro-ministro, que, fre- astrĂłnomo passa, assim, a integrar um conselho consultivo quentemente, sente receio de sofrer boicotes com origem do director-geral do ESO, em representação da comunidade HP/LVERD3RURFDVLmRGDLQDXJXUDomRHP&RLPEUDGD portuguesa de utilizadores da “impressionante e sempre re&DVDGD-XULVSUXGrQFLD YLGHDDQWHULRUHGLomR RUHLWRU volucionĂĄria rede de telescĂłpios construĂ­dos no Chile pelo da UC preconizou a instalação na cidade do Tribunal consĂłrcio do European Southern Observatoryâ€?, sublinha &RQVWLWXFLRQDOHGR,QVWLWXWRGH&DP}HV a UC. A nomeação decorreu de “um exigente processo de selecção nacional e internacionalâ€?. Para Nuno Peixinho JosĂŠ Viterbo –2WpFQLFRFRQLPEULFHQVHIRLFRQĂ€U- estar neste ComitĂŠ representa um prĂŠmio e “uma enorme mado, segunda-feira (30), como treinador da equipa de responsabilidade, pois a astronomia europeia em geral e a IXWHERO GR 8QLmR GD 0DGHLUD -RVp 9LWHUER VXEVWLWXtUD portuguesa, em particular, dependem muito fortemente interinamente, Paulo Alves. AlĂŠm da função de coman- dos ObservatĂłrios do ESO no Chileâ€?. “Sabe sempre bem do tĂŠcnico da equipa principal, o treinador continuarĂĄ a sentirmo-nos reconhecidos, quer nacional quer internaexercer o cargo de coordenador da formação do clube FLRQDOPHQWHSHODFRPXQLGDGHFLHQWtĂ€FDGDQRVVDiUHDGH PDGHLUHQVH-RVp9LWHUQRHVWHYHDROHPHGD%ULRVDHP trabalho, no caso, a astronomia, e mais concretamente a 2014 -15 e 2015 -16, e treinou ainda o FĂĄtima, Pampilhosa, astronomia observacionalâ€?. Sourense, AD Valonguense, Sanjoanense, Tocha e Eirense. Martins da Costa – O livro “Martins da Costa – ConLuĂ­s Lagos – (PSUHViULRGH2OLYHLUDGR+RVSLWDO tos Vividosâ€?, que conta a vida e obra do artista conimbri/XtV /DJRV DFDED GH UHQXQFLDU j OLGHUDQoD GLVWULWDO GR cense, lançado pelo MunicĂ­pio de Penacova, foi distinguido &'6&RLPEUDSDUDSRGHUGHGLFDUVHjLQWHUYHQomRFtYLFD FRPSUDWDQRFRQFXUVR&UHDWLYLW\,QWHUQDWLRQDO$ZDUGV QD$VVRFLDomRGH9tWLPDVGR0DLRU,QFrQGLRGH6HPSUH Print & Packaging, nos Estados Unidos da AmĂŠrica (EUA). em Portugal. “Aquilo que se passouâ€? na sub-regiĂŁo, “uma A obra, que foi concebida pelo ateliĂŞ OM Design e tem sido catĂĄstrofe totalâ€?, levou o empresĂĄrio e autarca a assumir uma aposta cultural do MunicĂ­pio, pretende dar a conhecer DVIXQo}HVGHSRUWDYR]GD$90,63/XtV/DJRVSHUGHX ´RVWUDEDOKRVGRDUWLVWDH[SRVWRVHPPXVHXVHFROHFo}HV uma empresa da famĂ­lia e teve de combater as chamas que particulares em vĂĄrias partes do mundo, sendo composta ameaçaram a sua habitação, o que o impeliu a juntar-se a por textos escritos pelo pintor nas dĂŠcadas de 80 e 90 do outros empresĂĄrios e cidadĂŁos diversos para intervirem de VpFXORDQWHULRUSDUWHGRHVSyOLRIRWRJUiĂ€FRHUHSURGXo}HV “forma completamente apartidĂĄriaâ€? atravĂŠs da Associação de alguns dos seus quadrosâ€?. O livro tem ganhado vĂĄrios GH9tWLPDVGR0DLRU,QFrQGLRGH6HPSUHHP3RUWXJDO prĂŠmios desde que foi publicado. Nuno AtaĂ­de das Neves – Natural de Coimbra, o juiz desembargador acaba de ascender a presidente do Tribunal da Relação do Porto.

02

Carlos Carranca – O autor apresentou o seu mais recente livro de poesia “Para alĂŠm do Mar Vermelhoâ€?, na VH[WDIHLUD  QD/RXVm$REUDWHPXPFDUL]VROLGiULR jĂĄ que as suas vendas revertem para apoiar as crianças do ,QVWLWXWR3RUWXJXrVGH2QFRORJLD ,32 $REUDpDSRLDGD SHOD &kPDUD 0XQLFLSDO GD /RXVm ()$3(/ 75(9,0 &HQWUR GH (VWXGRV GD /XVRIRQLD $JRVWLQKR GD 6LOYD  8/+7H-XQWDGH)UHJXHVLDGH6HUSLQV Frederico Lourenço ² 2 HQVDtVWD WUDGXWRU Ă€FFLRnista e poeta, acaba de lançar o terceiro volume da nova edição da BĂ­blia, com a sua tradução a partir do grego. O vencedor do PrĂŠmio Pessoa 2016 e professor associado FRPDJUHJDomRGD)DFXOGDGHGH/HWUDVGD8QLYHUVLGDGH

GH &RLPEUD )/8&  DSUHVHQWD DJRUD R ´9ROXPH ,,, ² $QWLJR 7HVWDPHQWR 2V /LYURV 3URIpWLFRVÂľ TXH RIHUHFH um indispensĂĄvel enquadramento histĂłrico para entrar no ODELULQWRGR´/LYURGRV/LYURVÂľ(VWDpDFRQWLQXDomRGRVHX trabalho, que constitui a mais completa tradução da BĂ­blia alguma vez publicada em portuguĂŞs, contendo 80 livros (27 do Novo Testamento e 53 do Antigo Testamento), ou seja, PDLVOLYURVGRTXHDVYHUV}HVGRFkQRQHSURWHVWDQWHH mais sete do que a tradução do actual cânone catĂłlico. AtĂŠ 2019, serĂŁo publicados os restantes volumes. JosĂŠ Augusto Cardoso Bernardes – O professor e investigador da Universidade de Coimbra, reconhecido como um dos mais destacados especialistas na vida e obra do primeiro dramaturgo portuguĂŞs, profere, hoje, pelas 18h30, a conferĂŞncia “Gil Vicente no seu tempo e no nosso tempoâ€?, no Centro de Artes e EspectĂĄculos da Figueira da Foz. Esta iniciativa abre a temporada do SURMHFWR´(PEDUFDomRGR,QIHUQRÂľGD(VFRODGD1RLWH HGR&HQGUHYFRPXPDRĂ€FLQDGHRLWRKRUDVGHVWLQDGDD professores do ensino bĂĄsico e secundĂĄrio (amanhĂŁ e sĂĄbaGRHPKRUiULRSyVODERUDO HWUrVVHVV}HVGRHVSHFWiFXOR - amanhĂŁ, Ă s 10h30 e Ă s 14h30 (para o pĂşblico escolar) e no sĂĄbado, Ă s 21h30. Cândido Pereira – O MunicĂ­pio de Condeixa homenageou Cândido Pereira pela sua dedicação ao teatro, enquanto actor amador, ensaiador, encenador e autor de algumas peças de teatro levadas aos palcos. A homenagem surpresa decorreu no Cine-Teatro de Condeixa, apĂłs a exibição da SHoD´$+LVWyULDGD&DURFKLQKDÂľXPDDGDSWDomRRULJLQDO de Cândido Pereira, interpretada pela Secção de Teatro do Grupo Coral de Queluz. Em 1963, Cândido Pereira fundou um Grupo de Teatro Amador na FĂĄbrica de Cervejas de &RLPEUDRQGHH[HUFLDIXQo}HVSURĂ€VVLRQDLVTXHVHDSUHsentou pela primeira vez ao pĂşblico no Natal desse ano com duas peças: ‘A Pastorinha Pretendida’ e ‘Os Burgueses’ de *HUYiVLR/REDWRQXPDLQWHUSUHWDomRGHVXFHVVRTXHRV levou ao SalĂŁo da FNAT em Coimbra. Nos anos 60 e 70, do sĂŠculo XX, foram vĂĄrias as peças ensaiadas e exibidas pelo Grupo de Teatro dos FuncionĂĄrios da FĂĄbrica de Cerveja de Coimbra em diferentes palcos do paĂ­s, nomeadamente HP/LVERDQRV7HDWURV9DVFR6DQWDQD&DSLWyOLR7ULQGDGH 7LYROLH0RQXPHQWDO+RPHPGDVOHWUDV&kQGLGR3HUHLUD publicou em 1999 o livro ‘Era assim ‌ Condeixa, CrĂłnicas GHXPWHPSRSDVVDGR¡VHJXLQGRVHHP-XOKRGHD edição de ‘A Estrada de Pedra’. LuĂ­s Marinho – (Quase) houve unanimidade na eleição, efectuada sexta-feira, da Mesa da Assembleia Municipal de Coimbra, onde, de resto, continuam a ter DVVHQWRGRLVGRVWUrVPHPEURVTXHGHODĂ€]HUDPSDUWHQR quadriĂŠnio 2013 -17. Mediante proposta subscrita pelos cinco grupos municipais (dois deles correspondentes a PRYLPHQWRVFtYLFRV /XtV0DULQKR 36 IRLUHFRQGX]LGRQD presidĂŞncia. Victor Carvalho (CDU) volta a ser secretĂĄrio, cabendo a Francisco Andrade (PSD), novo timoneiro da -XQWDGH)UHJXHVLDGH6DQWR$QWyQLRGRV2OLYDLVVXFHGHU jDQWHULRUVHFUHWiULD+HOHQD0RXUD5DPRV$~QLFDSURSRVWDGHFRQVWLWXLomRGD0HVDGRyUJmRGHĂ€VFDOL]DomRGD Câmara de Coimbra, foi aprovada com 48 votos a favor e um contra. “Uma proposta com estas caracterĂ­sticas ĂŠ uma honra, mas tambĂŠm uma enorme responsabilidadeâ€?, RSLQRX/XtV0DULQKR


02 QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

FACTOS DA SEMANA www.campeaoprovincias.pt

7

Coimbra Trail espera centenas de atletas

(VWHGRPLQJR  DViUHDVÁRUHVWDLVGH&RLPEUDVHUmR “invadidas” por centenas de atletas que, a caminhar ou a FRUUHUYmRSHUFRUUHURVWULOKRVWUDoDGRVSHODRUJDQL]DomR GR´&RLPEUD7UDLOµ$SULPHLUDHGLomRQRDQRSDVVDGR UHYHORXVHXPVXFHVVRHFRPRWDOR&OXEHGH3UDWLFDQWHV &RLPEUD7UDLO5XQQLQJDYDQoRXFRPHVWDQRYDUHDOL]DomR destacando que a prova “foi pensada para todos os tipos de DWOHWDVµ$VVLPRHYHQWRVHUiFRPSRVWRSRUFRPSHWLo}HV diversas: a maratona, com 42 quilómetros de distância e que LQWHJUDD7DoDGH3RUWXJDOGH7UDLODPHLDPDUDWRQDFRP TXLOyPHWURVR7UDLO&XUWRFRPDSUR[LPDGDPHQWH TXLOyPHWURVHDFDPLQKDGD´ÉJXDVGH&RLPEUDµWDPEpP FRPPHWURV$SDUWLGD K HDFKHJDGDGHWRGDV DVFRPSHWLo}HVVHUiQRODUJRGH6DQWR$QWyQLRGRV2OLYDLV 'XUDQWHRSHUFXUVRRVDWOHWDVSHUFRUUHUmRDVÁRUHVWDVH ERVTXHVGDVIUHJXHVLDVGRV2OLYDLVGDV7RUUHVGR0RQGHJR GH%UDVIHPHVHGD8QLmRGDV)UHJXHVLDVGH(LUDVH6mR3DXOR GH)UDGHV6LPXOWDQHDPHQWHDRUJDQL]DomRSUHSDURXXPD DFomRGHFDUL]VRFLDODIDYRUGRV%RPEHLURV9ROXQWiULRV de Brasfemes, que consiste na compra de um íman, a ser adquirido no dia dia de levantamento dos dorsais e no dia GDSURYD Congresso Conversas de Psicologia realiza-se em Coimbra 2DXGLWyULRGDUHLWRULDGD8QLYHUVLGDGHGH&RLPEUD 8& YDLUHFHEHUXPDYH]PDLVRž&RQJUHVVR1DFLRQDO &RQYHUVDVGH3VLFRORJLDQDSUy[LPDVHJXQGD  HWHUoDIHLUD  $LQLFLDWLYDTXHpMiR´VHJXQGRPDLRUHYHQWR GHSVLFRORJLDDQtYHOQDFLRQDOµHVSHUDWUD]HUD&RLPEUD PDLV GH  SDUWLFLSDQWHV QDFLRQDLV H LQWHUQDFLRQDLV 2 &RQJUHVVRLQWHJUDDLQGDD&RQIHUrQFLD,QWHUQDFLRQDO GR(QYHOKHFLPHQWR$FWLYRQXPDSDUFHULDFRPLQVWLWXLo}HV portuguesas e estrangeiras, e será constituído por palestras, DSUHVHQWDo}HVGHWUDEDOKRVHFRPXQLFDo}HVOLYUHVTXHYmR WUD]HUD&RLPEUDHVSHFLDOLVWDVGHUHQRPHQDFLRQDOHLQWHUQDFLRQDOSDUDGHEDWHUDVLWXDomRHDLQWHUYHQomRGD3VLFRORJLD HGRHQYHOKHFLPHQWRDFWLYRHPGLIHUHQWHViUHDVGHDFWXDomR 7DPEpPD)HLUDGH3VLFRORJLDYDLYROWDUDUHDOL]DUVHQRV FRUUHGRUHVMXQWRDRDXGLWyULRFRQWDQGRFRPVWDQGV QRVTXDLVVHUmRGLYXOJDGRVSURGXWRVGDiUHDGDSVLFRORJLD FLrQFLDVVRFLDLVHPpGLFDVHQWUHRXWUDV(VWHDQRR3UpPLR &DUUHLUDYDLVHUHQWUHJXHDRPpGLFRSVLTXLDWUDHH[GLUHFWRU GR6HUYLoRGH3VLTXLDWULDGR&HQWUR+RVSLWDODUH8QLYHUVLWiULRGH&RLPEUD &+8& $QWyQLR5HLV0DUTXHV'XUDQWHRV GRLVGLDVGR&RQJUHVVRD$VVRFLDomRLUiDLQGDDSUHVHQWDU GRLVHVWXGRVSLRQHLURVHP3RUWXJDOXPTXHLQFLGHQDiUHD GDSVLFRORJLDHRXWURGDVFLrQFLDVVRFLDLV Orquestra Clássica do Centro homenageou vítimas dos fogos $2UTXHVWUD&OiVVLFDGR&HQWUR 2&& DFDEDGHKRPHQDJHDU1iGLD3LD]]DSUHVLGHQWHGD$VVRFLDomRGDV9tWLPDV GR,QFrQGLRGH3HGUyJmR*UDQGHHDWUDYpVGHOD´WRGRV RVTXHVRIUHUDPHDLQGDVRIUHPFRPDWUDJpGLDµGRVIRJRV GHVWHDQR$KRPHQDJHPRFRUUHXQRkPELWRGRV(QFRQWURV FRPD,QWHUQDFLRQDOLGDGHGD0~VLFDRVTXDLVGHFRUUHP GHGH2XWXEURDGH'H]HPEURHP&RLPEUDVRER WHPD´$P~VLFDpDQRVVDFD X VDµ1iGLD3LD]]DSURPRWRUDHSUHVLGHQWHGD$VVRFLDomRGDV9tWLPDVGR,QFrQGLR GH3HGUyJmR*UDQGHFRQVWLWXtGDIRUPDOPHQWHHP$JRVWR HVWHYHSUHVHQWHQRFRQFHUWRGHDEHUWXUDGRV(QFRQWURVQR TXDO0DULQD3DFKHFRH2OJD$PDURLQWHUSUHWDUDP´0~VLFDV GRPXQGRµ2GXR0DULQD3DFKHFR 2OJD$PDURFXMR SURMHFWRFRPHoRXHPHTXHWHPDFWXDGRHPGLIHUHQWHV VDODVGRSDtVHGRHVWUDQJHLURODQoRXRVHXSULPHLURGLVFR HP$VHVVmRFRQWRXWDPEpPFRPXP´PRPHQWR GHGLFDGRjYLGDHREUDµGH&DPLOR3HVVDQKDGXUDQWHR TXDO,VDEHO6DQWRV/RSHVDOXGLXjUHODomRGRSRHWDFRPR PRYLPHQWRSRpWLFRGRVLPEROLVPRGDQGRHVSHFLDOrQIDVH jWHPiWLFDGDGRULQGLYLGXDOQHVWHDXWRU1RV(QFRQWURV FRPD,QWHUQDFLRQDOLGDGHGD0~VLFDTXHVHUHDOL]DPSHOD SULPHLUDYH]pHYRFDGDDYLGDHREUDGH&DPLOR3HVVDQKD QDVFLGRKiDQRVFXMDREUDIRL´UHVJDWDGDJUDoDVDR HVIRUoRGHXPDPXOKHU>$QDGH&DVWUR2VyULR@QRLQtFLR GRVpFXOR;;µDVVLQDODD2&&

“É preciso acreditar” apoia as vítimas dos incêndios 2JUDQGHDXGLWyULRGR&RQYHQWR6mR)UDQFLVFR HP&RLPEUDIRLRSDOFRHVFROKLGRSDUDUHFHEHUQD SDVVDGDWHUoDIHLUD  RHVSHFWiFXORGHVROLGDULHGDGH´eSUHFLVRDFUHGLWDUµFXMDUHFHLWDUHYHUWHDIDYRU GDVYtWLPDVGRVLQFrQGLRVGH2XWXEUR2FRQFHUWR FRPORWDomRHVJRWDGDPXLWRVGLDVDQWHVLQFOXLQRPHVLQFRQWRUQiYHLVGDP~VLFDSRUWXJXHVDFRPR5XL 9HORVR $QWyQLR =DPEXMR 'HQJD] $QGUp 6DUGHW -RmR 3HGUR 3DLV -RmR 6y $QWLJRV 2UIHRQLVWDV GD 8QLYHUVLGDGHGH&RLPEUD QDIRWR $PRU(OHFWUR -RmR*LO-RVp&LG*RQoDOR7DYDUHV)DGRj&DSHOOD H7DWDQND6HJXQGRD&iULWDV'LRFHVDQDGH&RLPEUDHQWLGDGHRUJDQL]DGRUDDLQLFLDWLYDSDUWLX´GHXPFRQMXQWR GHP~VLFRVTXHVHQWLXQHFHVVLGDGHGHVHPRELOL]DUSDUDGHDOJXPDIRUPDH[SUHVVDUDVXDVROLGDULHGDGHHVLPEROLFDPHQWHDFRPSDQKDUWRGRVDTXHOHVTXHVRIUHPRVHIHLWRVGHVWDFDWiVWURIHµ$IRUPDHQFRQWUDGDIRLDWUDYpVGH XPFRQFHUWRGHVROLGDULHGDGHFXMDV´YHUEDVDQJDULDGDVVHUYLUmRSULRULWDULDPHQWHSDUDDMXGDUGHIRUPDGLUHFWDH LPHGLDWDSHVVRDVTXHGHSHQGHPGHPLFURHFRQRPLDHHFRQRPLDGHVXEVLVWrQFLDTXHÀFDUDPSULYDGDVGHH[HUFHUD VXDDFWLYLGDGHSHODGHVWUXLomRGHTXHIRUDPYLWLPDVµ2HVSHFWiFXORWHYHDSUHVHQoDGR3UHVLGHQWHGD5HS~EOLFDH IRLWUDQVPLWLGRHPGLUHFWRSHOD5732SUHoRGRVELOKHWHVYDULRXHQWUHRVHRVHXURVHDUHFHLWDDQJDULDGDIRL HQWUHJXHj&iULWDV'LRFHVDQDGH&RLPEUDFXMDVPRYLPHQWDo}HVVmRDXGLWDGDVSHOR0LQLVWpULRGD$GPLQLVWUDomR ,QWHUQD3RURXWURODGRVDOLHQWDDRUJDQL]DomRDWUDYpVGD,QWHUQHW HPZZZFDULWDVFRLPEUDSW TXDOTXHUSHVVRD SRGHFRQVXOWDURGHVWLQRGDVYHUEDVHQWUHJXHV2HVSHFWiFXORWHYHDLQGDDVVRFLDGDXPDOLQKDGHYDORUDFUHVFHQWDGR

UHXQLmRGH$VVHPEOHLDGH5HSUHVHQWDQWHVQDVHJXQGDIHLUD-RmR-RVp-RDTXLPGLVSXWRXDSUHVLGrQFLDGD(67H6&FRP*UDFLDQR3DXORGRFHQWHGRGHSDUWDPHQWRGH ,PDJHP0pGLFDH5DGLRWHUDSLDHDFWXDOYLFHSUHVLGHQWH GD HVFROD WHQGR REWLGR RLWR YRWRV FRQWUD VHWH 2 SUHVLGHQWHHOHLWRpGRFHQWHQRGHSDUWDPHQWRGH)DUPiFLD GD (67H6& GHVGH  H IRL SUHVLGHQWH GR FRQVHOKR 7pFQLFR&LHQWtÀFRGDLQVWLWXLomRHQWUH0DLRGHH 2XWXEURGH/LFHQFLDGRHPIDUPiFLDHPHVWUHHPWR[LFRORJLDIUHTXHQWDRGRXWRUDPHQWRHPIDUPiFLDHVD~GH QD8QLYHUVLGDGHGH6DODPDQFDUHDOL]DQGRLQYHVWLJDomRQDV iUHDVGDVHJXUDQoDGRPHGLFDPHQWRIDUPDFRHSLGHPLRORJLDIDUPDFRYLJLOkQFLDHWR[LFRORJLD-RmR-RVp-RDTXLP LQWHJUDR(XURSHDQ([SHUW*URXSRQ+D]DUGRXV'UXJV HIRLSUHVLGHQWHGD(XURSHDQ$VVRFLDWLRQRI 3KDUPDF\ 7HFKQLFLDQVHQWUHH$WRPDGDGHSRVVHGR SUHVLGHQWH GD (67H& YDL WHU OXJDU HP 'H]HPEUR HP GDWDDDQXQFLDU Carros de bombeiros em exposição 1D &DVD GR 7HPSR HP &DVWDQKHLUD GH 3HUD HVWi SDWHQWHDWpGH1RYHPEURDH[SRVLomR´0LQLDWXUDVGH &DUURVGH%RPEHLURVµXPDFROHFomRFRPGLYHUVDVUpSOLFDV GRVYHtFXORVRSHUDFLRQDLVXWLOL]DGRVSRUDTXHOHVTXHWrP SRUDFWLYLGDGHDSURWHFomRGHYLGDVKXPDQDVHEHQVHP SHULJRQRPHDGDPHQWHDWUDYpVGDSUHYHQomRHH[WLQomRGH LQFrQGLRVGRVRFRUURGHIHULGRVGRHQWHVRXQiXIUDJRVHGD SUHVWDomRGHRXWURVVHUYLoRV(VWDFROHFomRSHUWHQFHD/XtV &DOGHLUDXPÀJXHLUHQVHTXHGHVGHVHPSUHIRLIDVFLQDGR SRUYHtFXORVDXWRPyYHLVHTXHGXUDQWHDQRVVHUYLXD FRPXQLGDGHFRPRERPEHLUR/XtV&DOGHLUDSRVVXLXPD FROHFomRFRPPDLVGH´FDUULQKRVµ DOJXQVGRVTXDLV FRQVWUXtGRV SHOR SUySULR  PDV QHVWD H[SRVLomR DSHQDV FRORFDHPGHVWDTXHDVYLDWXUDVHREMHFWRVUHODFLRQDGDVFRP DDFWLYLGDGHGRV¶VROGDGRVGDSD]·YLVWRTXHRVHXLQWXLWR p SUHVWDU WDPEpP XPD MXVWD H VLQFHUD KRPHQDJHP DRV ERPEHLURV$H[SRVLomRSRGHVHUYLVLWDGDGHWHUoDIHLUDD GRPLQJRGDVKjVKHGDVKjVK

INOVA não vai cobrar a água usada no combate aos incêndios $,129$QmRYDLFREUDUDRVFOLHQWHVRFXVWRGDiJXD DQRUPDOPHQWHFRQVXPLGDSDUDID]HUIDFHDRVLQFrQGLRV TXH DVVRODUDP R FRQFHOKR GH &DQWDQKHGH QRV GLDV  HGH$JRVWRHHGH2XWXEUREHPFRPRRV YDORUHV GH iJXDV UHVLGXDLV XUEDQDV VDQHDPHQWR  H GH UHVtGXRV XUEDQRV LQGH[DGRV DRV FRQVXPRV HIHFWXDGRV SDUDHVVHÀP$GHFLVmRIRLWRPDGDSHORQRYR&RQVHOKR GH$GPLQLVWUDomRGDHPSUHVDPXQLFLSDOQDVXDSULPHLUD UHXQLmRGHSRLVGDWRPDGDGHSRVVHSDUWLQGRGRUHFRQKHFLPHQWRGHTXH´WHQGRRVPHLRVGHSURWHFomRFLYLOVLGR PDQLIHVWDPHQWHLQVXÀFLHQWHVSDUDUHVSRQGHUDWRGDVDV VLWXDo}HVµHGHTXH´DVSRSXODo}HVVHYLUDPREULJDGDVD UHFRUUHUSHORVVHXVSUySULRVPHLRVjXWLOL]DomRGDiJXD Novo presidente da ESTeSC -RmR-RVp-RDTXLPIRLHOHLWRSUHVLGHQWHGD(VFROD6X- GHDEDVWHFLPHQWRDRVSUpGLRVSDUDH[WLQJXLURVIRJRVµ SHULRUGH7HFQRORJLDGH6D~GHGH&RLPEUD (67H6& SDUD 1HVVHVHQWLGRHVWmRMiDVHUDGRWDGRVRVSURFHGLPHQWRV RTXDGULpQLRWHQGRRDFWRHOHLWRUDOGHFRUULGRHP QHFHVViULRVSDUDDYDOLDUDTXDQWLGDGHXVDGDSDUDHVVHÀP

GHVLJQDGDPHQWHDWUDYpVGDFRPSDUDomRGRVFRQVXPRVGRV PHVHVGH$JRVWRH2XWXEURUHODWLYDPHQWHDRFRQVXPR PpGLRDSXUDGRQDVOHLWXUDVHIHFWXDGDVQRVPHVHVDQWHULRUHV2QRYR&RQVHOKRGH$GPLQLVWUDomRGD,129$ UHFRUGHVHWRPRXSRVVHHPGH2XWXEURHpFRQVWLWXtGR SRU,GDOpFLR3HVVRD2OLYHLUD SUHVLGHQWH 1XQR0LJXHO 3LQWR/DUDQMRH-~OLR-RVp/RXUHLUR2OLYHLUD Lousã fixa consumo de água pela média do último ano $VIDPtOLDVGDV]RQDVGRFRQFHOKRGD/RXVmDWLQJLGDV SHORVLQFrQGLRVGHYHUmRSDJDUDiJXDGDUHGHS~EOLFDFRQVXPLGDGHDFRUGRFRPDPpGLDGR~OWLPRDQRVHJXQGR DQXQFLRXD&kPDUD0XQLFLSDO´1DViUHDVDIHFWDGDVSHOR LQFrQGLRTXHWHYHOXJDUQRVGLDVHGH2XWXEURH FRPR IRUPD GH QmR SUHMXGLFDU RV FRQVXPLGRUHV SHOR HYHQWXDO FRQVXPR H[FHVVLYR HIHFWXDGR QD GHIHVD GH SHVVRDVHEHQVD&kPDUD0XQLFLSDOLUiID]HUUHÁHFWLUQD IDFWXUDDPpGLDGRV~OWLPRVPHVHVµDÀUPDDDXWDUTXLD 3DUDHVFODUHFLPHQWRGHHYHQWXDLVG~YLGDVRJDELQHWHGR SUHVLGHQWHGD&kPDUDGD/RXVm/XtV$QWXQHVVXJHUHDRV PXQtFLSHVRFRQWDFWRDWUDYpVGRWHOHIRQH QRKRUiULRGHH[SHGLHQWH2LQFrQGLRTXHGHÁDJURXQRV DUUHGRUHVGDYLODGD/RXVmMXQWRjSRYRDomRGH9LODULQKR QDPDQKmGRGLDDIHFWRXVHWHFDVDVGHSULPHLUDKDELWDomRVREUHWXGRQDIUHJXHVLDGH6HUSLQVFRQÀUPRXXPD IRQWHGRJDELQHWH2LQFrQGLRGD/RXVmTXHFRPHoRXQR GLDHDODVWURXGHSRLVD9LOD1RYDGH3RLDUHV3HQDFRYD HRXWURVPXQLFtSLRVYL]LQKRVFRQVXPLXFHUFDGH KHFWDUHVGHÁRUHVWDHRXWURVWHUUHQRVGRFRQFHOKRWHQGR FDXVDGRDLQGDFLQFRIHULGRVOLJHLURVQDIUHJXHVLDGH6HUSLQVHQRVWHUULWyULRVGD8QLmRGH)UHJXHVLDVGH/RXVmH 9LODULQKRHGD8QLmRGH)UHJXHVLDVGH)R]GH$URXFHH &DVDOGH(UPLR Concertos de guitarra na Casa Museu de Bissaya Barreto $ &DVD 0XVHX %LVVD\D %DUUHWR HP &RLPEUD YDL UHFHEHURFLFOR´$V*XLWDUUDVQmRWrP6DXGDGHµHQWUH ViEDGR  HGH1RYHPEURjVKFRPFRQFHUWRV GH´YLUWXRVRVGDJXLWDUUDµFRPR7y7ULSV)LOKRGD0mH RX5LFDUGR5RFKD2S~EOLFRSRGHUiDVVLVWLUDRHQJHnho de “alguns dos melhores compositores e virtuosos SRUWXJXHVHVTXHWrPQDJXLWDUUDRVHXLQVWUXPHQWRGH HOHLomRµ VXEOLQKD D )XQGDomR %LVVD\D %DUUHWR $ SULPHLUDQRLWHGRFLFORGHFRUUHViEDGRFRPFRQFHUWRVGH 5LFDUGR5RFKDLQWpUSUHWHGDJXLWDUUDSRUWXJXHVDHGH 0DUFHORGRV5HLVP~VLFRGH&RLPEUDOLJDGRDRMD]]H jP~VLFDLPSURYLVDGD1RGLDDFWXDP)LOKRGD0mH TXHWUDEDOKDDJXLWDUUDFOiVVLFDH-RVp9DOHQWHTXHWRFD YLRODG·DUFR2FLFORHQFHUUDGLDFRPRGXR7y7ULSV 'HDG&RPER  -RmR'RFH :UD\JXQQ H-RUJH&RHOKRJXLWDUULVWDGR3RUWRTXHHVWHYHQRV&RVPLF&LW\ %OXHVH7HQD]´(VSHUDPVHFRQFHUWRVGHUDUDEHOH]D LQVSLUDGRVSHODIDOrQFLDHPRFLRQDOGRVLQVWUXPHQWRVGH FRUGDVµVXEOLQKDD)XQGDomR%LVVD\D%DUUHWR2SUHoR GRVELOKHWHVpGHRLWRHXURV


ACTUALIDADE

8

02

www.campeaoprovincias.pt

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

NĂşcleo do Centro da Liga Conta o Cancro

Projecto junta artistas de França, Portugal, Espanha e Costa Rica

PrĂŠmio de MĂŠrito de Dr. DĂĄrio Cruz atribuĂ­do Ă Sociedade de Senologia

Coimbra recebe estreia de peça sobre as “mĂĄscarasâ€? de Lorca

O PrÊmio de MÊrito em Senologia de Dr. Dårio Cruz, pela primeira vez instituído a nível nacional, pelo Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRC-LPCC), foi entregue, no ÀQDOGDPDQKmGHVHJXQGD-feira, na Casa Municipal da Cultura de Coimbra, à Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS). A instituição premiada esteve representada pelo seu presidente, o ginecologista Luís Så, e recebeu um cheque no valor de 10 000 euros, alÊm de um diploma e de uma placa evocativa que visam assinalar este acto de reconhecimento S~EOLFRHFLHQWtÀFR A cerimónia organizada pelo NRC-LPCC contou com as presenças de Vítor Veloso (presidente da Direcção Nacional da LPCC) e dos responsåveis regionais Carlos de Oliveira e Vítor Rodrigues, a par de Maria do CÊu Cruz (esposa de Dårio Cruz, o mÊdico radiologista a quem este prÊmio presta homenagem) e demais família, amigos e SURÀVVLRQDLVGHVD~GH O galardão, atribuído pela primeira vez, visa distinguir quem se tenha

LuĂ­s SĂĄ recebeu o prĂŠmio que distingue a sociedade fundada hĂĄ 28 anos

destacado nesta ĂĄrea, desde 1968 (data da criação do NRC-LPCC), reconhecendo o mĂŠrito, individual ou colectivo, em torno do estudo e tratamento de doenças mamĂĄrias. Como sublinharam os seus pares, DĂĄrio Cruz - que foi co-fundador do NRC-LPCC (com o mĂŠdico JosĂŠ Gabriel da Rocha Alves) - “teve um papel pioneiro e fulcral na elaboração e aplicação, a nĂ­vel nacional, do Programa de Rastreio do Cancro da Mamaâ€?, comprovando-se cientificamente que “permitiu a diminuição da mortalidade por cancro da mama na regiĂŁo Centroâ€?. 5HĂ€UDVHTXHRPpGLFR radiologista DĂĄrio Cruz foi a “figura centralâ€? na elaboração do Programa de Rastreio do Cancro da Mama, uma iniciativa do

NRC-LPCC, que começou em 1990, de forma organizada e “com controlo de qualidadeâ€?, como sustentou o acadĂŠmico e oncologista Carlos de Oliveira, na cerimĂłnia de entrega do prĂŠmio. Essa acção, pioneira no pais, coordenada em colaboração com os mĂŠdicos Rocha Alves e VĂ­tor Rodrigues, teve uma “relação directa na diminuição da mortalidade por cancro mamĂĄrio, de acordo com os resultados globais a nĂ­vel regional, aferidos duas dĂŠcadas depoisâ€?. A SPS foi fundada hĂĄ cerca de 28 anos (em 1989), por DĂĄrio Cruz, Carlos de Oliveira, Helena GervĂĄsio e NatĂĄlia Amaral, entre outros mĂŠdicos especialistas. No HQWDQWRFRPRDĂ€UPD/XtV SĂĄ (presidente da Direcção),

“os estatutos da Sociedade Portuguesa de Senologia estĂŁo desfasadosâ€?, deixando de fora os biĂłlogos, os geneticistas, os tĂŠcnicos de radiologia e de radioterapia (ou radio-oncologia) e os enfermeiros, entre outros SURĂ€VVLRQDLVTXHWUDEDOKDP neste domĂ­nio da saĂşde. Na ocasiĂŁo, o presidenWH GD 636 DĂ€UPRX TXH RV 10 000 euros do prĂŠmio vĂŁo ser aplicados na operacionalização do primeiro curso de pĂłs-graduação em Senologia (prevendo 60 horas de formação especializada e acreditada), QRVHJXLPHQWRGDĂ€ORVRĂ€D de vida do homenageado, como ali recordou a sua Ă€OKD3DXOD&UX] HQWUHVHWH Ă€OKRVRVTXDLVSDUWLFLSDUDP na cerimĂłnia): “Na verdade, o presente do meu pai sempre foi o futuroâ€?!

Na categoria de projecto de reabilitação

Convento de S. Francisco nomeado para prĂŠmio

O Convento de São Francisco, em Coimbra, estå nomeado para a 10.ª edição dos prÊmios Construir, na årea de arquitectura e na categoria de melhor projecto de reabilitação. Os vencedores serão conhecidos no próximo dia 16 de Novembro, às 21h00, na sede da Microsoft, em Lisboa. Os prÊmios Construir estão divididos em quatro åreas, nomeadamente arquitectura, engenharia, construção e imobiliårio, onde irão ser galardoadas empresas, obras, promotores e tÊcnicos que, pelo seu trabalho e resultados, representaram algo de diferenciador para o sector no ano de 2017. O Convento de São Francisco, em Coimbra, antiga casa de frades e fåbrica

O projecto de reabilitação Ê do arquitecto Carrilho da Graça

de lanifícios, foi reabilitado pelo arquitecto Carrilho da Graça, que tentou dar a este espaço uma nova vida, atravÊs de uma mistura de estilos contemporâneo e maneirista coimbrão, como um espaço cultural e de convençþes. A concorrer nesta ca-

tegoria estão, ainda, a Casa das Galeotas, o Hotel Verride - Palåcio Santa Catarina, o AR.CO - Centro de Arte e Comunicação Visual e a Second Home. A 10.ª edição dos prÊmios Construir Ê uma iniciativa do jornal com o mesmo

título e conta com o patrocínio de vårias entidades, como a Smeg, Gyptec, Wicanders, Grohe, Enke, Recer, Bosch, KNX, Cimpor e Sapa. Têm, ainda, a parceria da Microsoft, W.Guest, Multislide, Movielight e Canal Q, com produção dos Formigas.

O espectĂĄculo, com uma equipa de vĂĄrios paĂ­ses, estreia no dia 16

Um projecto que junta artistas de França, Portugal, Espanha e Costa Rica estreia em Coimbra “PĂşblico x Lorcaâ€?, um espectĂĄculo que pega na obra “irrepresentĂĄvelâ€? de Federico GarcĂ­a Lorca e faz uma viagem pela vida do autor espanhol. O projecto tem como base a obra “O PĂşblicoâ€?, de Federico GarcĂ­a Lorca que o prĂłprio escritor considerava ser uma peça “irrepresentĂĄvelâ€? - e mistura-a FRPDELRJUDĂ€DGRGUDPDturgo e poeta, para falar das suas mĂĄscaras, mas tambĂŠm das mĂĄscaras de hoje, tendo como ponto de partida a “falsidade absurda da vida contemporâneaâ€?, explica o projecto internacional, apresentado em Coimbra, no Teatro da Cerca de SĂŁo Bernardo (TCSB). “PĂşblico x Lorcaâ€?, que conta com o apoio do IBERESCENA (programa de apoio Ă s artes no contexto ibero-americano), vai estar em exibição no TCSB a 16, 17 e 18 de Novembro, disse Rafaela Bidarra, actriz que participa na peça e que pertence Ă  equipa do projecto. O espectĂĄculo parte do texto “O PĂşblicoâ€?, mas nĂŁo o segue na Ă­ntegra, misturando-o “com a vida do prĂłprio Lorca, principalmente com a sua morte [o escritor foi morto pela ditadura franquista, em Espanha]â€?, explanou. Em palco vĂŁo estar quatro actores a interpretar 39 personagens, numa viagem nĂŁo apenas pela vida e “pelas mĂĄscarasâ€? de Lorca, mas tambĂŠm num percurso entre “um teatro mais tangĂ­vel, mais imediato, para um teatro mais no abstracto, mais fĂ­sico - aquilo a que Lorca chamaria de teatro de baixo da areiaâ€?, sublinhou

Rafaela Bidarra. A peça, para alĂŠm de deambular entre o portuguĂŞs e o castelhano, tambĂŠm vai misturar linguagens cĂŠnicas, trabalhando com mĂĄscaras e com dança Butoh, contou. Segundo a actriz, “O PĂşblicoâ€? ĂŠ “uma obra metateatral, mostrando as vĂĄrias mĂĄscaras do actor, que o prĂłprio Lorca enfrentava na vida que viveu em Espanha, as mĂĄscaras que tinha que pĂ´r para sobreviverâ€?, mas tambĂŠm que conta a prĂłpria transformação do escritor, apĂłs a viagem que fez atĂŠ aos Estados Unidos da AmĂŠrica. “Nesta obra, o autor espanhol tenta renovar-se e renovar o teatro da sua ĂŠpoca, falando sobre o desejo, a mentira e a liberdade, numa linguagem surrealista que se mantĂŠm ambĂ­gua, sobre o que poderĂŁo ser alucinaçþes ou ‘realidades dramĂĄticas’â€?, explica o projecto. Os espectadores poderĂŁo encontrar “uma reinterpretação d’O PĂşblico relevante e actual, alimentada pela experiĂŞncia e interculturalidade da equipa, mas acima de tudo honesta e comprometida, onde as emoçþes, acçþes e formas sĂŁo as protagonistas do trabalho, com o corpo como ferramenta principal e o texto como inspiração e nĂŁo como regraâ€?, resume a equipa. O espectĂĄculo ĂŠ dirigido pelo espanhol Matilde Javier Ciria e interpretado pelo costa-riquenho Arturo Campo, o espanhol Eduardo Retamar e a portuguesa Rafaela Bidarra, tendo direcção plĂĄstica de Carolina Santos, mĂşsica original de Fabian Arroyo, desenho de luz e direcção tĂŠcnica de Jorge Ribeiro.


02 QUINTA-FEIRA

NATAL

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

9

www.campeaoprovincias.pt

Um Natal diferente EMANUEL SANTOS

239 855 380 Praça do ComÊrcio Coimbra

39206

Nova Colecção Orçamento Gråtis

39203

‡&RUWLQDGRV‡(VWRUHV‡&DUSHWHV

O fogo da lareira nĂŁo terĂĄ o mesmo fascĂ­nio, trarĂĄ Ă memĂłria a imagem de outras brasas

ruas. Se todos ajudarmos serĂĄ gueses continuem a lembrar-se mais fĂĄcil. Saiam do conforto daqueles que, como tantos de do vosso lar e vĂŁo ao paĂ­s nĂłs, tinham muito e, de repenUHDO R LQWHULRU WDQWDV YH]HV WHĂ€FDUDPVHPQDGD Lembrem-se tambĂŠm esquecido e mal-tratado, este ano devastado sem piedade dos bombeiros que nos pela tragĂŠdia dos incĂŞndios acodem 365 dias por nos Ăşltimos meses. Levem o ano, 24 horas por que puderem, especialmente dia, muitos dos uma palavra e um sorriso. VĂŁo quais de forma AntĂłnio Vieira perceber que serĂĄ muito mais o voluntĂĄria e que vĂŁo receber do que aquilo s e m n a d a Transportes, Lda que vĂŁo dar. E mesmo se nada pedir em Estação de Serviço - Ă“leos /XEULÂżFDQWHV3QHXV0DWUtFXODV tiverem para dar, vĂŁo lĂĄ pas- troca. Rua 10 de Junho, n.Âş 60 – 1.Âş - Bordalo – 3040 COIMBRA sear, durmam no alojamento ADUGUETE - 3100-342 POMBAL - Telem.: 236 213 128 jmaltez_cont@hotmail.com - Telef.: 914 355 358 local, comam uma das melhores e mais ricas gastronomias do paĂ­s nos restaurantes tradicionais de cada zona e visitem o patrimĂłnio histĂłrico, que relembra a importância CASA ESPECIALIZADA EM: daqueles territĂłrios para - LeitĂŁo assado Ă Bairrada - Paelha de Marisco Portugal. CONSTRUĂ‡ĂƒO CIVIL E ESTRUTURAS - Bacalhau Ă  ZĂŠ do Pipo - RĂłsbife Ă  Inglesa RESERVAS Agora, mais do PARA EVENTOS - Bifinhos com cogumelos JANTARES DE GRUPO que nunca (com Rua D. Manuel Bastos Pina, 5 C/v Av. da Floresta, n.Âş 39 - 3050-347 Mealhada as luzes das te3000-257 COIMBRA Contactos: 239 406 675 ruijoseneves@gmail.com levisĂľes a desTelef./Fax: 239 832 229 - Telem.: 914 009 392 Telef.: 231 202 081 | Fax: 231 202 172 Reservas: 934 131 020 ligarem-se), ĂŠ preciso TRANSPORTES TR TTRA RANS RA NS DE MERCADORIAS que os porSSERRA SER ER DO SICĂ“, LDA. ER tuFrutas/Mercearia/Raçþes 39189

39190

39185

ANVITRAN

Maria CidĂĄlia de Noronha Rodrigues Mendes

39207

VITOR M. F. SANTOS UNIP , LDA

JosĂŠ Augusto da Silva Lopes

LeitĂŁo assado em fornos a lenha

Temos Sala para Eventos (Baptizados, ComunhĂľes, etc...) LeitĂŁo Ă Bairrada | Vende-se LeitĂŁo para fora | Encerra Ă  Quarta-feira Telef.: 231 202 025 | Fax: 231 203 089 | E.N. n.1 | 3050-347 Mealhada /Floresta dos LeitĂľes

Restaurante Cabaça AdÊmia - Coimbra - Ao lado da CCAM - Telef.: 239 151 269

Especialidades da casa

39201

Telem. 91 752 0250 Resid. Rua Santa Teresa, 12,14,18 - COIMBRA

LOJA 1: Estrada Ribeira de Eiras - Coimbra LOJA 2: Barcouço - LOJA 3: Carqueijo - Telef.: 239 436 455

39186

Telem.: 917 237 065 Carlos SimĂŁo Quinta de SĂŁo Bento | 3130-386 - Tapeus - Soure Telef.: 236 911 171 | Fax: 236 911 171

Loja do Campo

FABRICO DE ESTOFOS ‡5(67$85$dŽ2 DE MÓVEIS E SOFà S

'HVGHDVHUYLORFRPWRGDD(¿FiFLD Segurança e Honestidade

39131

Faltam menos de dois meses para o Natal. Este serĂĄ diferente para todos os portugueses, especialmente para todas as famĂ­lias que viram os seus entes queridos partir ou tudo aquilo que construĂ­ram ao longo da vida desmoronar-se na forma de cinza. O fogo da lareira nĂŁo terĂĄ o mesmo fascĂ­nio, trarĂĄ Ă memĂłria a imagem de outras brasas. Mas ĂŠ Natal. Aquela ĂŠpoca em que se multiplicam as campanhas solidĂĄrias e, como tal, TXHULDGHL[DUXPGHVDĂ€RQmR passe ao lado dessa corrente, nem deixe nas mĂŁos de outros o que pode fazer vocĂŞ mesmo. Infelizmente, nĂŁo sĂŁo raros os casos onde as ajudas nĂŁo chegam ou tardam em vir por mĂşltiplas razĂľes. O que ĂŠ o Natal? Para mim, mais que uma festa religiosa ou uma pujante ĂŠpoca comercial, ĂŠ a altura do ano em que mais valorizamos a amizade e a famĂ­lia. Em que mais pensamos no que realmente importa e em quem mais representa para nĂłs. Estamos mais vigilantes e dispostos a intervir socialmente. Nesta quadra, mais que decorar ĂĄrvores ĂŠ preciso plantĂĄ-las. Todos os anos recordamos imagens tristes de outros lugares que, por muito longĂ­nquos que sejam, marcam-nos! Deixam-nos com um sentimento de impotĂŞncia e com vontade de fazer algo. Desta vez a desgraça nĂŁo bateu Ă  porta do ODGR EDWHX j QRVVD 2OLYHLUD do Hospital, TĂĄbua, Mira, Cantanhede, Figueira da Foz, Condeixa-a-Nova, Tondela, PedrĂłgĂŁo Grande, FigueirĂł dos Vinhos, Castanheira de PĂŞra e infelizmente muitos outros. É impossĂ­vel passar ao lado e nĂŁo assumir a nossa responsabilidade enquanto cidadĂŁos. Ser parte de uma sociedade ĂŠ, tambĂŠm, estar presente na hora de construir um mundo melhor. Mais importante do que uma mesa farta ĂŠ uma alma cheia. Por isso, vamos todos colocar (literalmente) “mĂŁos Ă  obraâ€?. SĂŁo precisas roupas, brinquedos, mobiliĂĄrio, alimentação‌. Mas tambĂŠm ĂŠ necessĂĄrio ajudar na reconstr ução das casas, fĂĄbricas e


ACTUALIDADE

10

02

www.campeaoprovincias.pt

Evento decorre em Aveiro, entre hoje e sábado (04)

Congresso da Associação Portuguesa de Imprensa debate o presente e o futuro $ IRUPDomR SURÀVVLRQDO R HPSUHHQGHGRULVPR QRVPHGLDDGLVWULEXLomR PRQHWL]DomR RX R IXWXUR GRV LQFHQWLYRV GR (VWDGR j FRPXQLFDomR VRFLDO VmR DOJXQVGRVWHPDVDVHUGHEDWLGRVSRUHVSHFLDOLVWDVQR &RQJUHVVR,QWHUQDFLRQDOGD ,PSUHQVD GH /tQJXD 3RUWXJXHVD QR 0XQGR  ;,,, &RQJUHVVR GD $VVRFLDomR 3RUWXJXHVD GH ,PSUHQVD $3, TXHVHUH~QHGHKRMH DViEDGR  QD8QLYHUVLGDGHGH$YHLUR 2 HYHQWR GD $3, LUi IRFDUVHHPWHPDVGHLQWHUHVVHHDFWXDOLGDGH´QXPD DOWXUD GH JUDQGHV GHVDÀRV SDUDDFRPXQLFDomRVRFLDO QRVHXWRGRHHPSDUWLFXODU RVHFWRUGDLPSUHQVDTXH HQIUHQWDP QRYRV GHVDÀRV H VH GHEDWHP FRP XPD JUDYHFULVHTXHWHPOHYDGR jVXVSHQVmRGDSXEOLFDomR GHPXLWRVWtWXORVKDYHQGR YiULRVRXWURVTXHHVWmRHP ULVFRGHWHURPHVPRGHV-

WLQRµUHIHUH-RmR3DOPHLUR SUHVLGHQWHGD$3, 2HYHQWRSURFXUDSRU LVVR GHEDWHU ´R SUHVHQWH DÀPGHHQFRQWUDURVPHOKRUHVFDPLQKRVSDUDDVVHJXUDU R IXWXUR TXH H[LJH PHGLGDV GH HPHUJrQFLDµ DOHUWDRUHVSRQViYHO 3DUD R SUHVLGHQWH GD $3, p ´LQGLVSHQViYHO H XUJHQWHTXHR(VWDGRHDV LQVWLWXLo}HVS~EOLFDVHSULYDGDVUHFRQKHoDPGHIRUPDDFWLYDHFRQVHTXHQWHR SDSHOUHOHYDQWHHLQVXEVWLWXtYHO GD LPSUHQVD FRPR JDUDQWH GD 'HPRFUDFLD H IDFWRUGHGHVHQYROYLPHQWR GHXPDVRFLHGDGHPDLVMXVWDTXHDVVHJXUHRVGLUHLWRV OLEHUGDGH H JDUDQWLDV GRV VHXVFLGDGmRVµ $ VHVVmR GH DEHUWXUD GR&RQJUHVVRHVWiPDUFDGD SDUDDVKGHKRMHFRP D LQDXJXUDomR GD H[SRVLomR´,PSUHQVD&HQWHQiULD 3RUWXJXHVDµ QD TXDO HVWi LQFOXtGRRMRUQDOFHQWHQiULR

GR *UXSR 0HGLD &HQWUR ´2'HVSHUWDUµ 2SULPHLURWHPD´5HJXODPHQWR *HUDO GD 3URWHFomRGH'DGRV GD8QLmR (XURSHLD µ FRPHoD D VHU GHEDWLGRSHODVKFRP D SDUWLFLSDomR GR MXULVWD -RUJH 6LOYD 0DUWLQV GR HVFULWyULRLQWHUQDFLRQDOGH DGYRFDFLD '/$ 3LSHU H HVSHFLDOLVWD HP OHJLVODomR GDFRPXQLFDomRVRFLDOWHUPLQDQGRHVWHSULPHLURGLD FRP XP MDQWDU jV K QRKRWHO0HOLi5LD $PDQKm   RV WUDEDOKRV LQLFLDPVH SHODV K VHQGR D PDQKm SUHHQFKLGD SRU VHVV}HV SDUDOHODVHPTXHVHUmRGHEDWLGRVRVVHJXLQWHVWHPDV 0HGLGDV GH HPHUJrQFLD SDUDD&RPXQLFDomR6RFLDO 'LVWULEXLomR  0RQHWL]DomR (PSUHHQGHGRULVPR QRV 0HGLD H )RUPDomR &RQVHOKRGH,PSUHQVD 'D SDUWH GD WDUGH RV WHPDVDGHEDWHUVmR´,QRYD-

omRGRV0HGLDµFRPDSDUWLFLSDomR GH UHVSRQViYHLV GHYiULDVH[SHULrQFLDVQHVWD iUHDQDFLRQDLVHHVWUDQJHLURVVHJXHVHD´0RVWUDWHFK 0HGLDµFRPDSDUWLFLSDomR GDV8QLYHUVLGDGHV1RYDGH /LVERDGR3RUWRHGH$YHLURHDLQGDXPDGHPRQVWUDomRGHHTXLSDPHQWRV 3HODVKDGHOHJDomR FKLQHVD SDUWLFLSDQWH QR &RQJUHVVR LUi DSUHVHQWDU R SURMHFWR ´8PD )DL[D XPD 5RWDµ ­V K VmR DVVLQDODGRV RV  DQRV GR VHPDQiULR ([SUHVVR H SHODV K VHUi IHLWD D DSUHVHQWDomRGR&RQJUHVVR GD$VVRFLDomR0XQGLDOGH -RUQDLV :RUOG0HGLD 6XPPLW TXHYDLGHFRUUHU HP &DVFDLV HP -XQKR GR SUy[LPR DQR $V FRQFOXV}HVHVWmRPDUFDGDVSDUDDV KVHJXLGDVSHODVHVVmR GHHQFHUUDPHQWR 2 GLD GH ViEDGR   HVWiUHVHUYDGRSDUDYLVLWDV WXUtVWLFDV

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEÃO DAS PROVÍNCIAS

Unidade do CHUC

Mudança de sexo é referência nacional $8QLGDGHGH5HFRQVWUXomR *pQLWR8ULQiULD H 6H[XDO 85*86 GR&HQWUR +RVSLWDODU H 8QLYHUVLWiULR GH &RLPEUD &+8&  IRL UHFRQKHFLGDSHOR0LQLVWpULR GD6D~GHFRPRXQLGDGHGH UHIHUrQFLDQDFLRQDOQRSURFHVVRGHUHDWULEXLomRVH[XDO &RPRUHFRQKHFLPHQWR D 85*86 WHP ´FRPSHWrQFLD WpFQLFD H FLHQWtILFD SDUD DFRPSDQKDPHQWR PXOWLGLVFLSOLQDUHPWRGRR SURFHVVR QRPHDGDPHQWH SDUD D UHDOL]DomR GRV SURFHGLPHQWRV FLU~UJLFRV GH WUDQVLomRGHPDVFXOLQRSDUD IHPLQLQRHGHIHPLQLQRSDUD PDVFXOLQRµ 2 &+8& UHIHUH TXH DTXHODXQLGDGHWRUQDVHQD ~QLFDGR6HUYLoR1DFLRQDO GH 6D~GH 616  ´SDUD R DFRPSDQKDPHQWR GHVWHV XWHQWHVµ $ IRQWH VXEOLQKD TXH RV XWHQWHV TXH SUHWHQGDP PXGDU GH VH[R ´SDVVDUmR D VHU UHIHUHQFLDGRVµ SDUD HVWD XQLGDGH GD FLGDGH GH &RLPEUD 2 &RQVHOKR GH $GPLQLVWUDomRGR&+8&FRQVLGHUD TXH D TXDOLÀFDomR GD

A URGUS está no pólo HUC dos CHUC

85*86FRPRXQLGDGHGH UHIHUrQFLDQDFLRQDO´WUDGX] R UHFRQKHFLPHQWR GD HOHYDGDTXDOLGDGHHPSHQKRH FDSDFLGDGH GH UHVSRVWD GD HTXLSDPXOWLSURÀVVLRQDOTXH WUDEDOKDQDTXHOHVHUYLoRµ $FUHVFHQWDTXHRUHFRQKHFLPHQWRSHOR0LQLVWpULR GD6D~GHWDPEpPHYLGHQFLD D DSRVWD GR &RQVHOKR GH $GPLQLVWUDomR´QRVHQWLGR GH VHUYLU R 616 FRP UHVSRVWDVDGHTXDGDVHPiUHDV GHHOHYDGDH[LJrQFLDFRPSOH[LGDGHHGLIHUHQFLDomRµ $8QLGDGHGH5HFRQVWUXomR *pQLWR8ULQiULD H 6H[XDOIRLFULDGDQR&+8& HP 1RYHPEUR GH  FRPRREMHFWLYRGHGDUUHVSRVWDQR616DRVXWHQWHV SURSRVWRV SDUD FLUXUJLD GH UHDWULEXLomRVH[XDO

A Stratio, incubada no IPN, desenvolveu o produto

SMTUC poupam em combustível e manutenção $ HPSUHVD 6WUDWLR GHVHQYROYHX XP SURGXWR TXH SHUPLWLX DRV 6HUYLoRV 0XQLFLSDOL]DGRV GH 7UDQVSRUWH 8UEDQR GH &RLPEUD 6078& ´XPDGLPLQXLomR GHWRQHODGDVGHHPLVV}HV GH JDVHV SROXHQWHVµ SDUD DOpPGH´XPGHFUpVFLPRGH RLWRSRUFHQWRQRVFXVWRVGH FRPEXVWtYHOµ $ HPSUHVD TXH DSOLFD WHFQRORJLDGRVHFWRUHVSDFLDO HP WUDQVSRUWHV WHUUHVWUHV LQWURGX]LQGR R FRQFHLWR GH SUHYLVLELOLGDGH H[SOLFD TXHRSURGXWRGHVHQYROYLGR SHUPLWLXDLQGDDRV6078& ´UHGX]LUHPSRUFHQWRRV FXVWRVGHPDQXWHQomRµ ´7XGR LVWR IRL SRVVtYHO SRUTXHRVSUREOHPDVGRVYHtFXORVSDVVDUDPDVHUGHWHFWDGRV DQWHV GH RFRUUHUHPµ MXVWLÀFD ,QFXEDGDQD$FHOHUDGRUD GH (PSUHVDV GR ,QVWLWXWR 3HGUR 1XQHV ,31  HP &RLPEUD D 6WUDWLR QDVFHX GH XPD QHFHVVLGDGH GH XP FOLHQWH²RV6HUYLoRV0XQLFLSDOL]DGRVGH7UDQVSRUWH8UEDQRGH&RLPEUD 6078&  ²FXMDIURWD´WLQKDSUREOHPDV

Os SMTUC diminuiram em 93 toneladas as suas emissões de gases poluentes e oito por cento nos custos de combustível

IUHTXHQWHV QR PRWRU TXH REULJDYDPDSDUDJHQVFRQVWDQWHVHDJUDQGHVFXVWRVGH PDQXWHQomRµ $VXDSODWDIRUPD¶PDFKLQH OHDUQLQJ· IRL FULDGD SDUD DQDOLVDUGDGRVGDVFHQWHQDV GH VHQVRUHV GRV YHtFXORV SDUDSUHYHUHDQWHFLSDUDYDULDVJUDYHVGLVSRQLELOL]DQGR VROXo}HVHPWHPSRUHDO ´0DLVWHPSRQDHVWUDGD H PHQRV WHPSR QD RÀFLQD YDL SHUPLWLU XPD SRXSDQoD

GH PLOK}HV jV HPSUHVDV GH WUDQVSRUWHVµDFUHVFHQWD &RPSDWtYHO FRP WRGRV RVYHtFXORVSHVDGRVLQGHSHQGHQWHPHQWHGDLGDGHPDUFD RXPRGHORRGLVSRVLWLYRGHVHQYROYLGRUHFROKHWRGRVRV GDGRVJHUDGRVSHORVVHQVRUHV GRYHtFXORHPWHPSRUHDOH DWUDYpVGHXPDOJRULWPRGH LQWHOLJrQFLD DUWLILFLDO FRQVHJXH SUHYHU H DQWHFLSDU D RFRUUrQFLDGHGHVJDVWHHGH DYDULDVJUDYHVSHUPLWLQGRDF-

o}HVDWHPSDGDVSRUSDUWHGR FOLHQWHHFRQVHTXHQWHPHQWH PHQRV FXVWRV H WHPSR HP RÀFLQD ´4XDQGR p DFFLRQDGR XPDOHUWDGHPDQXWHQomRUHODFLRQDGRFRPRPRWRURXD VXVSHQVmRSRUH[HPSORHVVD LQIRUPDomRpHQYLDGDSDUDDV HPSUHVDVIDEULFDQWHVHSDUD RVRSHUDGRUHVGHWUDQVSRUWHV (VWDWHFQRORJLDSHUPLWHDRV IDEULFDQWHV XPD FRQWtQXD PHOKRULD QD FRQFHSomR H

SURGXomRGHQRYRVYHtFXORVH DRVRSHUDGRUHVXPDUHGXomR GR WHPSR GH SDUDJHP HP RÀFLQDHXPPDLRUWHPSRGH RSHUDomRIDFWRUTXHWHPXP LPSDFWR LPHGLDWR QD UHQWDELOLGDGHGRVVHXVQHJyFLRVµ GHVFUHYH 'RLVDQRVDSyVLQLFLDUR GHVHQYROYLPHQWR GD WHFQRORJLDHSRXFRVPHVHVGHSRLV GR ODQoDPHQWR S~EOLFR D 6WUDWLR WHP R VHX SURGXWR D VHU XWLOL]DGR SRU FOLHQWHV

QR 5HLQR 8QLGR )UDQoD (VSDQKD 3RUWXJDO H PDLV UHFHQWHPHQWH QRV (VWDGRV 8QLGRV 5HFHQWHPHQWH FKHJRX DDFRUGRFRP´YiULDVFRQVWUXWRUDV GH DXWRFDUURV SDUD LPSOHPHQWDomRGHRULJHPGD VXD WHFQRORJLD GH ¶PDFKLQH OHDUQLQJ· SDUD SUHGLomR GH IDOKDV H GHVJDVWH PHFkQLFR HPQRYDVYLDWXUDVTXHVHUmR FRORFDGDV HP FLUFXODomR D SDUWLUGHµ 2 WUDEDOKR GD 6WUDWLR QmR SDVVRX GHVSHUFHELGR j $JrQFLD (VSDFLDO (XURSHLD (6$ TXHHVFROKHXD HPSUHVDGH&RLPEUD²TXH Mi FRQWD FRP HVFULWyULRV HP6LOLFRQ9DOOH\H0DGULG ² SDUD PDUFDU SUHVHQoD QR¶:HE6XPPLW·DGH 1RYHPEUR ´-XQWDPHQWHFRP)UDQN 6DO]EHUJHUGLUHFWRUGRSURJUDPD GH WUDQVIHUrQFLD GH WHFQRORJLDGD(6$D6WUDWLR YDLVXELUDRSDOFRGD¶*URZWK6XPPLW·RQGHYmRVHU DSUHVHQWDGDV DOJXPDV GDV HPSUHVDV GH PDLV UiSLGR FUHVFLPHQWR GR PXQGRµ FRQFOXLX


NATAL

11

www.campeaoprovincias.pt

Restaurante

as Boestas F

Óptimo serviço à lista Nas traseiras do Hotel Astória Beco do Forno, n.º12 - 3000-192 Coimbra Telef.: 239 823 790

Rua do Brasil, Letra A, 1.Âş Andar - 3030-775 Coimbra Telef.: 239 823 209 - Fax: 239 823 247

39197

Feliz Natal

CAMPOS COROA

CLĂ?NICA OFTALMOLĂ“GICA, LDA Dr. JosĂŠ Emilio Campos Coroa | Dr.ÂŞ M.ÂŞ Helena Campos Coroa ConsultĂłrios: COIMBRA - Telef.: 239 821 403 FIGUEIRA DA FOZ - Telef.: 233 423 541 ARGANIL | TĂ BUA | COJA | GĂ“IS PAMPILHOSA DA SERRA

39260

239 825 961 S. Martinho do Bispo Baixa Herdade

Restaurante VIRGĂ?LIO DOS LEITĂ•ES

MÓVEIS USADOS / SEMI-NOVOS / NOVOS COLCHÕES E ESTRADOS NOVOS Diferença, Qualidade, Requinte...

REPARAÇÕES | CHAVES

Venha Ă Bairrada e visite o Restaurante VIRGĂ?LIO DOS LEITĂ•ES! Mais de 40 anos de experiĂŞncia a servir o saboroso LeitĂŁo da Bairrada e outros petiscos.

‡&DOoDGR‡&DUWHLUDV‡%OXV}HV HVV

www.facebook.com/MĂłveis-Usados-Pombal

Tlf. 239 494 826 | Urb. do Loreto, Lote 2 | Loja 7 | 3020-256 Coimbra

QUINTA ALMAZIVA

Nelson Costa Jardins

DE

CafĂŠ Restaurante

Fernandes & Marques

38498

Telem. 917 015 910 Qt.ÂŞ Almaziva - Casais de Eiras S. Paulo de Frades 3020-119 COIMBRA

918 531 103

Estrada Nacional N.° 1 / IC2 - Peneireiro Mealhada - virgiliodosleitoes@gmail.com Tlf. 231 512 960 / Fax 231 511 901

ALFAIATE DE IDEIAS, IAASS,, IAS, IA UNIPESSOAL, LDA. A. Confecção de T-Shirts e Sweats

Construção e Manutenção de Jardins Relvados sintÊticos Sistemas de Rega 39195

Rua Ildefonso Monteiro LeitĂŁo n.Âş 14 -XQWRj7DVTXLQKD3RPEDOHQVH

3100-502 Pombal | 965526875 palmoveis90@gmail.com

Telef./Fax: 239 445 142 Telem.: 966 455 314 Rua 1.Âş de Maio, 171 c/v Fala - S. Martinho do Bispo 3040-181 COIMBRA

ASSOCIAĂ‡ĂƒO DE FUTEBOL DE COIMBRA

Linha Verde: 800 202 355

95

nos 1922-2017 A ao serviço do futebol (VWiGLR0XQLFLSDO6pUJLR&RQFHLomR Rua de S. Lourenço - Quinta do Relógio 3045-478 Taveiro - Telef.: 239 853 680 afcoimbra@afcoimbra.com

39259

Davide DM Matias, Lda.

“HĂĄ segredos que nĂŁo se contam, am, am, provam-se!...â€?

GABINETE DE CONTABILIDADE E ACESSORIA FISCAL

7pFQLFRR¿FLDOGHFRQWDVUHVSRQViYHO DAVIDE SILVA MATIAS: 236 216 660 ou 919 697 699 | davide@davidematias.com Avenida Heróis do Ultramar, n° 74 - 2° drt° 3100-462 POMBAL Perseguimos um objectivo;

39196

39258

TAKE AWAY | LEITĂƒO AO KG DIĂ RIO | SANDES DE LEITĂƒO Sede/Fornos Assar: 5XDGRV/HLW}HV4WD)pWDO‡6DQWD&ODUD 3040-030 COIMBRA_7HOI‡)D[ Restaurante: 5XDGD*DOD DWUiVGD/RMDGR&LGDGmR _%DL[DGH&RLPEUD 3000-197 COIMBRA | Tel. 239 821 001 www.joaodosleitoes.pt

39137

39135

www.ferrus.pt 236 200 050 / 244 812 210 AnsiĂŁo, Leiria e Sobreda (Caparica)

Prestar um serviço de qualidade a quem nos procura

39192

39171

e-mail: geral@restauranteverdemoinho.com

Rua dos Moinhos | Casal do Lobo 3030-195 Coimbra - Tel 239 718 163

AV. FERNĂƒO DE MAGALHĂƒES, 481 - 1.Âş - SALA E 3000-177 COIMBRA - TELEMĂ“VEIS: 935 762 710 - 931 320 664 TELEFONE: 239 829 999 | geral@linharecta.mail.pt

ZĂŠ Manel dos Ossos

GestĂŁo e Contabilidade IRC/ IRS

FISCALIDADE

37888

www.restauranteverdemoinho.com

A TI C MĂ OR

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE CONTABILIDADE, LDA.

INF

Especialidades Italianas‌ e não só!

CO NT AB ILI DA DE

A. OLAYO, LDA.

39015 3 39 90 9 015 01 0 15 1 5

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

GóisCor, Publicidade-Design H$UWHV*UiÀFDV Av. Dr. Padre António Dinis, 49 3330-340 GÓIS | Telef./Fax: 235 778 014 goiscor-publicidade@sapo.pt | www.goiscor.com

Bar Ambulante

“O Quim�

Frango e LeitĂŁo por encomenddaa

Telm.: 917 816 753 - Travessa ssa Cural Barreto, n.Âş 2 - Andorinha 3025-330 Lamarosa

39194

02


12

50 MAIORES EMPRESAS DE VAGOS www.campeaoprovincias.pt

02 QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Prejuízos elevados em habitaçþes e empresas

Concelho foi afectado pelos incĂŞndios

PUBLICIDADE

ao último dia de Outubro, recolheu e reencaminhou a informação dos prejuízos causados, em bens materiais - habitaçþes, viaturas, maquinaria, estufas e outros equipamentos - para as entidades competentes, segundo esclareceu a Câmara, liderada por SilvÊrio Regalado. Este foi o primeiro passo para fazer um balanço

do impacto dos incêndios, uma vez que as primeiras horas foram ocupadas pelo socorro às populaçþes. Recorde-se que na sequência do fogo as escolas do concelho só reabriram na quarta-feira seguinte e o pavilhão municipal recebeu cerca de 50 pessoas durante a do incêndio. 'H]HQDVGHFDVDVÀFDram queimadas no conce-

lho de Vagos, assim como vĂĄrias empresas foram afectadas, nomeadamente a Ria Blades, a maior empregadora do concelho e a que tem o maior volume de negĂłcios. SilvĂŠrio Regalado, que foi reeleito com maioria absoluta nas eleiçþes autĂĄrquicas de 01 de Outubro, referiu que enfrentou com “revolta, angĂşstia e impotĂŞnciaâ€? os fogos que devastaram o seu concelho. O autarca quer “penas agravadas para os terroristas incendiĂĄrios, com pos-

sibilidade de decretar prisão preventiva atÊ julgamento, nos períodos mais críticos (desde Maio atÊ Outubro), dos suspeitos�. O autarca defende a colocação de meios militares armados na prevenção e vigilância, com possibilidade de identificar e deter eventuais suspeitos, nos períodos críticos, e quer que os municípios tomem posse administrativa dos terrenos por limpar, que serão devolvidos aos proprietårios que paguem as limpezas

que tiverem de ser feitas. SilvĂŠrio Regalado quer tambĂŠm melhorar o planeDPHQWRĂ RUHVWDODGPLWLQGR “a expropriação de algumas faixas de gestĂŁo, com o pagamento do preço justo aos proprietĂĄrios dos terrenos utilizadosâ€?, acompanhado da “criação de uma bolsa de serviços cĂ­vicos de limpezas de matas propriedades do Estado, para pequenos delinquentes, acusados de crimes de menor gravidade, por forma a substituir ou diminuir penas que tenham que cumprirâ€?.

Fornecimento de geradores

Energia Grupel no novo pavilhão do Sporting A Grupel estå presente numa das grandes obras nacionais para o desenvolvimento desportivo de alta competição, como Ê o novo pavilhão de João Rocha do Sporting Clube de Portugal. Este recinto desportivo marca-se pela polivalência e tem como objectivo fomentar a pråtica desportiva e a formação de jovens desportistas nas diversas modalidades que o pavilhão då apoio. A Grupel foi seleccionada, atravÊs da empresa de engenharia electrotÊcnica Flosel, para fornecer os geradores que irão servir as necessidades de suporte de energia neste pavilhão desportivo. O recinto desportivo, com uma årea de 10 000 metros quadrados e um custo de construção de 10 milhþes de euros, tem uma lotação de 3 000 lugares sentados, uma arena com as dimensþes

måximas de 48x26m para as modalidades de futsal, basquetebol, voleibol, andebol e hóquei em patins. AlÊm de estar destinado a acolher as competiçþes destas modalidades em que o Sporting Clube de Portugal participa, o pavilhão tem, DLQGD XP DQÀWHDWUR GXDV salas de imprensa e uma årea de restauração. Inclui, tambÊm, uma expansão da Loja Verde e uma extensão tecnológica e interactiva do Museu Mundo Sporting. De forma a garantir que os eventos desportivos e todas a suas actividades envolventes neste recinto possam decorrer sempre da melhor forma possível, foram implementados dois geradores da gama IndustrialRange da Grupel. Estes modelos são concebidos para operar normalmente como fonte de energia principal ou de

emergĂŞncia em instalaçþes onde possa nĂŁo existir energia elĂŠctrica, ou por alguma eventualidade momentânea a energia principal nĂŁo esteja disponĂ­vel. Para este projecto no pavilhĂŁo de JoĂŁo Rocha do Sporting Clube de Portugal, a Grupel instalou geradores trifĂĄsicos, com as potĂŞncias de 220kVA e 275kVA, que irĂŁo funcionar em modo de emergĂŞncia. Os geradores foram equipados com motor Doosan, modelo P086TI e modelo P126TI-II; alternador Stamford, modelo UCI274H e modelo UCDI274K; canĂłpia insonorizada modelo Grupel 3800II. “Este ĂŠ mais um projecto que a Grupel se orgulha de apoiar, continuando assim a reforçar a sua liderança no mercado de geradores a diesel em Portugalâ€?, refere a empresa.

PUBLICIDADE

39181

A Câmara Municipal de Vagos criou o Gabinete de Apoio ao Lesado (GAL) para recolher informação sobre os prejuízos provocados pelos incêndios que assolaram o concelho na noite de 15 para 16 de Outubro (de domingo para segunda-feira). O Gabinete de Apoio ao Lesado, que funcionou nos Paços do Concelho atÊ


02 QUINTA-FEIRA

50 MAIORES EMPRESAS DE VAGOS

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

www.campeaoprovincias.pt

N.Âş

NOME

13

Tlf. 213 500 300 | www.informadb.pt ACTIVIDADE

LOCALIDADE

N.Âş TRABALHADORES

VOLUME NEGĂ“CIOS 2016

1

RIA BLADES, S.A.

SALGUEIRO

Outras indĂşstrias transformadoras diversas, n.e.

606

2

PLANOS FÉRRICOS PORTUGAL II, UNIPESSOAL, LDA

FONTĂƒO

ComĂŠrcio por grosso de minĂŠrios e de metais

0

123.693.236,00 89.123.668,25

3

GRUPEL - GRUPOS ELECTROGÉNEOS, S.A.

FONTĂƒO

Fabricação de motores, geradores e transformadores elÊtricos

81

17.019.990,57

4

360 - STEEL MATERIALS, LDA

FONTĂƒO

Tratamento e revestimento de metais

52

16.767.752,68

5

GRESTEL - PRODUTOS CERĂ‚MICOS, S.A.

VAGOS

)DEULFDomRGHDUWLJRVGHXVRGRPpVWLFRGHIDLDQoDSRUFHODQDHJUpVÂżQR

246

15.002.513,72

6

PORCELANAS DA COSTA VERDE, S.A.

VAGOS

)DEULFDomRGHDUWLJRVGHXVRGRPpVWLFRGHIDLDQoDSRUFHODQDHJUpVÂżQR

329

13.693.843,89

7

FERNETO - MĂ QUINAS E ARTIGOS PARA INDĂšSTRIA ALIMENTAR, S.A.

VAGOS

Fabricação de måquinas para as indústrias alimentares, das bebidas e do tabaco

98

12.313.009,65

8

PRILUX - COMÉRCIO, CONSTRUĂ‡ĂƒO E OBRAS PĂšBLICAS, LDA

PONTE DE VAGOS

Fabricação de estruturas de construçþes metålicas

58

12.224.450,30

9

COMDALGEL - COMÉRCIO E DISTRIBUIĂ‡ĂƒO ALIMENTAR, LDA

VAGOS

Preparação de produtos da pesca e da aquicultura

46

10.814.863,82

10

J.PRIOR - FĂ BRICA DE PLĂ STICOS, LDA

PONTE DE VAGOS

Fabricação de outros artigos de plåstico, n.e.

151

9.424.531,85

11

MISTOLIN, S.A.

VAGOS

Fabricação de sabþes, detergentes e glicerina

73

9.119.772,00

12

LOMBOSER - METALĂšRGICA, S.A.

VAGOS

Fabricação de estruturas de construçþes metålicas

51

6.909.679,60

13

PLANOS FERRĂ?COS PORTUGAL - PRODUTOS SIDERĂšRGICOS, SOC. UNIPESSOAL, LDA

FONTĂƒO

Atividades de mecânica geral

40

5.655.295,60

14

RESTE & RAMOS, LDA

VERGAS

ComĂŠrcio a retalho em outros estab. nĂŁo espec., sem pred. de prod. alimentares, bebidas ou tabaco

77

5.410.596,42

15

BATOPES - COMÉRCIO DE PRODUTOS HORT�COLAS, LDA

FONTE DE ANGEĂƒO

ComĂŠrcio por grosso de batata

10

5.361.122,23

16

PENCIVET - COMÉRCIO DE PRODUTOS VETERINà RIOS, LDA

VAGOS

ComĂŠrcio por grosso de produtos farmacĂŞuticos

11

5.225.105,03

17

MOTA PASTAS CERĂ‚MICAS, S.A.

VAGOS

Fabricação de outros produtos minerais não metålicos diversos, n.e.

28

4.319.157,02

18

SAGIPER - PRODUĂ‡ĂƒO E COMERCIALIZAĂ‡ĂƒO DE PERFIS EM PVC, LDA

VAGOS

Fabricação de matÊrias plåsticas sob formas primårias

26

4.048.910,74

19

MARTINPAN - DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS PARA A INDĂšSTRIA ALIMENTAR, S.A.

VAGOS

ComĂŠrcio por grosso de chocolate e de produtos de confeitaria

16

3.826.385,77

20

ALFAIATE & SOBRINHO - COMÉR. DE GADO VIVO E CARNES VERDES POR GROSSO, LDA

CAPELA

ComĂŠrcio por grosso de carne e produtos Ă base de carne

9

3.819.559,94

21

INTER BIKE - IMPORTAĂ‡ĂƒO E EXPORTAĂ‡ĂƒO, LDA

VAGOS

Fabricação de bicicletas e veículos para invålidos

27

3.808.874,47

22

FASTSTEEL, LDA

VAGOS

Fabricação de estruturas de construçþes metålicas

52

3.472.031,71

23

MĂ RIO DOMINGUES - AUTOMĂ“VEIS, UNIPESSOAL, LDA

CABECINHAS

ComĂŠrcio de veĂ­culos automĂłveis ligeiros

1

3.450.969,47

24

CAPTà GUA - CAPTAÇÕES DE à GUA, LDA

VAGOS

&RQVWUXomRGHUHGHVGHWUDQVSRUWHGHiJXDVGHHVJRWRVHGHRXWURVĂ€XtGRV

27

3.434.537,11

25

MARIO RIBEIRO & FILHOS, LDA

GAFANHA DO AREĂƒO

ComĂŠrcio a retalho de mat. de bricolage, equip. sanitĂĄrio, ladrilhos e materiais similares, em estab. espec.

15

3.381.330,45

26

JOSÉ DOMINGUES FERNANDES MATEUS, LDA

CANTO DO CALVĂƒO

Preparação e conservação de frutos e de produtos hortícolas por outros processos

13

3.351.257,52

27

JOAQUIM SOARES & PAULO, LDA

SOSA

ComÊrcio por grosso de materiais de construção (exceto madeira) e equipamento sanitårio

11

3.112.410,26

28

ILHAPLAST-SOCIEDADE TRANSFORMADORA DE PLĂ STICOS, S.A.

VAGOS

Fabricação de embalagens de plåstico

27

2.936.563,42

29

CARLOS CARAPINHA - BACALHAU E MARISCO, LDA

CAPELA

ComĂŠrcio a retalho em bancas, feiras e unidades mĂłveis de venda, de prod. alimentares, bebidas e tabaco

10

2.574.747,78

30

SOMENGIL - SOLUÇÕES INTEGRADAS DE ENGENHARIA, S.A.

VAGOS

Fabricação de måquinas para as indústrias alimentares, das bebidas e do tabaco

16

2.507.730,28

31

PRIREV - EQUIPAMENTOS E REVESTIMENTOS TÉCNICOS, LDA

VAGOS

Tratamento e revestimento de metais

76

2.326.832,30

32

TURBO-NOR - SOC. DE EQUIP. DE VENTILAĂ‡ĂƒO INDUSTRIAL E TERMODINĂ‚MICOS, LDA

VAGOS

Fabricação de equipamento não domÊstico para refrigeração e ventilação

44

2.313.522,06

33

DORMAK, LDA

VAGOS

Fabricação de måquinas e de tratores para a agricultura, pecuåria e silvicultura

21

2.078.636,95

34

MOTOKIT - VEĂ?CULOS E ACESSĂ“RIOS, S.A.

VAGOS

ComĂŠrcio por grosso de brinquedos, jogos e artigos de desporto

12

2.076.481,04

35

SEGREDOS IBÉRICOS - COMERC. E DISTRIBUIĂ‡ĂƒO DE PRODUTOS ALIMENTARES, LDA

QUINTĂƒ

ComĂŠrcio por grosso de carne e produtos Ă base de carne

11

2.050.306,98

36

REDERIA - INNOVATION, S.A.

VAGOS

ComÊrcio por grosso de equipamentos eletrónicos, de telecomunicaçþes e suas partes

16

2.003.938,62

37

TECPLĂ SNOVA - RECICLAGEM DE PLĂ STICO, LDA

PONTE DE VAGOS

Valorização de resíduos não metålicos

29

1.906.808,98 1.824.513,39

38

FASTFER, LDA

VAGOS

Reparação e manutenção de måquinas e equipamentos

30

39

MONICA & MATIAS - REPRESENTAÇÕES, LDA

CALVĂƒO

ComĂŠrcio a retalho de outros produtos novos, em estabelecimentos especializados, n.e.

9

1.821.411,87

40

FARMĂ CIA LUSITANA, LDA

VAGOS

ComĂŠrcio a retalho de produtos farmacĂŞuticos, em estabelecimentos especializados

9

1.813.099,03

41

IRMĂƒOS ROCHA, LDA

PALHAL

Fabricação de estruturas de construçþes metålicas

19

1.716.254,46

42

FARMĂ CIA GIRO, UNIPESSOAL, LDA

GAFANHA DA VAGUEIRA

ComĂŠrcio a retalho de produtos farmacĂŞuticos, em estabelecimentos especializados

7

1.670.911,52

43

VAGALIMENTAR - DISTRIBUIĂ‡ĂƒO PRODUTOS ALIMENTARES, LDA

PARADA DE CIMA

ComĂŠrcio por grosso de outros produtos alimentares, n.e.

11

1.654.406,71

44

JRD CARNES, LDA

SALGUEIRO

ComĂŠrcio por grosso de carne e produtos Ă base de carne

6

1.585.797,01

45

WH - SUPERMERCADO E DISTRIBUIĂ‡ĂƒO, LDA

OUCA

ComĂŠrcio a retalho em supermercados e hipermercados

13

1.543.832,21

46

CELSO LIMA - UNIPESSOAL, LDA

CAIS DO AREĂƒO

ComĂŠrcio a retalho de artigos de desporto, de campismo e lazer, em estabelecimentos especializados 3

1.534.834,47

47

MARGARIDO, VENTURA & FILHOS, LDA

CANTO DO CALVĂƒO

ComĂŠrcio a retalho de animais de companhia e respetivos alimentos, em estabelecimentos especializados

6

1.499.964,54

48

PANEDGE - INDÚSTRIA COMÉRCIO DE PAINÉIS, LDA

VAGOS

Fabricação de portas, janelas e elementos similares em metal

16

1.499.598,33

49

BATATAS CAPELA, UNIPESSOAL, LDA

LOMBA

ComĂŠrcio por grosso de cereais, sementes, leguminosas, oleaginosas e outras matĂŠrias-primas agrĂ­colas

5

1.388.504,35

50

FARMĂ CIA TAVARES, UNIPESSOAL, LDA

VAGOS

ComĂŠrcio a retalho de produtos farmacĂŞuticos, em estabelecimentos especializados

8

1.353.335,88

Esta listagem foi-nos fornecida pela empresa , sediada em Lisboa (Rua Barata Salgueiro n.Âş 28 3.Âş , 1250-044 Lisboa, Telef. 213500300, E.mail: informadb@informadb.pt), com quem trabalhamos hĂĄ vĂĄrios anos. Os dados respeitam ao ano econĂłmico de 2016. Eventuais imprecisĂľes, de que nos penitenciĂĄmos desde jĂĄ, nĂŁo sĂŁo, pois, da nossa responsabilidade directa.

O Ăşltimo ano continuou a ser de crescimento no concelho

Volume de negĂłcios subiu 75,2 milhĂľes de euros L.S.

No ano de 2016, as 50 maiores empresas do concelho de Vagos tiveram um volume de negócios total de 441,4 milhþes de euros, mais 75,2 milhþes do quem em 2015, o que suplantou o crescimento MiYHULÀFDGRHPUHODomRD (51,9 milhþes) e em 2013 (31,5 milhþes). (VWHVVmRYDORUHVSRVLWLvos e que demonstram uma dinâmica assinalåvel no concelho de Vagos, que pertence jUHJLmRGH$YHLURHpOLPtWURIH GR0XQLFtSLRGH0LUDGDUHJLmRGH&RLPEUD$VVLQDOHVH igualmente, que a acompanhar o aumento de vendas por parte das empresas, no ano SDVVDGRRQ~PHURGHWUDEDOKDGRUHVWDPEpPVXELXSDUD 558, mais 449 do que em 2015 WUDEDOKDGRUHV 

$OLVWDJHPGDVPDLRUHV empresas do concelho de 9DJRVpRUGHQDGDVHJXQGRR YROXPHGHQHJyFLRVHIRLHODERUDGDSDUDR´&DPSHmRGDV 3URYtQFLDVµSHODFUHGHQFLDGD ,QIRUPD' %2UDQNLQJGDV maiores empresas de Vagos passou a ser liderado pela 5LD %ODGHV 6$ VLWXDGD QR 3DUTXH(PSUHVDULDOGH6R]D e que teve um volume de negócios de 123,6 milhões de euros, mais 55,1 milhões do que em 2015. Esta indústria WUDQVIRUPDGRUDTXHDXPHQtou para 606 o número de WUDEDOKDGRUHV PDLV  GR TXHHP SURGX]HFRPHUFLDOL]DSiVGHURWRUSDUD DHURJHUDGRUHVIDEULFDHTXLSDmentos e componentes para aerogeradores e para outros equipamentos destinados à SURGXomRGHHQHUJLDVGHIRQWH renováveis.

5HFRUGHVHTXHQRĂ€QDO GRDQRSDVVDGRD5LD%ODGHV anunciou um investimento de 16 milhĂľes de euros na expanVmRGDIiEULFDGHSiVHyOLFDV em Vagos, durante o corrente DQR(VWDTXHVHUiDTXDUWDIDVH GHH[SDQVmRGDIiEULFDLQVWDlada desde 2009, permitirĂĄ a FULDomRGHQRYRVSRVWRV GHWUDEDOKRQDUHJLmRHHOHYDUi para perto de 100 milhĂľes de euros o investimento total da HPSUHVDQDUHJLmR Para o segundo lugar pasVRXDHPSUHVD3ODQRV)pUULFRV Portugal II, Unipessoal, Ld.ÂŞ, situada na Zona Industrial do )RQWmRHP6R]DGHFRPpUFLR SRUJURVVRGHPLQpULRVHGH PHWDLVGRJUXSR3ODIHVDTXH teve um volume de negĂłcios de 89,1 milhĂľes de euros (menos 100 000 euros que HP 2*UXSR3ODIHVD FRPHUFLDOL]DSURGXWRVGHDoR

FDUERQRQDVVXDVGLIHUHQWHV IRUPDVHTXDOLGDGHIRUQHFHQGRHPERELQHIRUPDWRHEDQda, chapa industrial, estrutural, DoRGHFRQVWUXomRFREHUWXUDV H UHYHVWLPHQWRV &XULRVDmente, na listagem, surge a LQGLFDomRTXHQDHPSUHVDGH 9DJRVWHP]HURWUDEDOKDGRUHV 3DUDRWHUFHLUROXJDUVXELX D*583(/*UXSRV(OHFWURJpQHRV 6$ LJXDOPHQWH situada no Parque Empresarial GH 6R]D GH IDEULFDomR GH motores, geradores e transIRUPDGRUHVHOpFWULFRVHTXH IDFWXURXPLOK}HVGHHXURV mais 3,3 milhĂľes do que em WHQGRWUDEDOKDGRUHV Um dos maiores saltos no UDQNLQJpSURWDJRQL]DGRSHOD 6WHHO0DWHULDOV/GDTXHVXUJH no quarto lugar (estava em 25.Âş HP VLWXDGDHP)RQWmR 6R]DHPSUHVDGHWUDWDPHQWR e revestimento de metais, com

WUDEDOKDGRUHVHXPYROXPH de negĂłcios de 16,7 milhĂľes de euros. 1DTXLQWDSRVLomRPDQWpPVHD*UHVWHO3URGXWRV &HUkPLFRV 6$ VLWXDGD QD Zona Industrial de Vagos e GH IDEULFDomR GH DUWLJRV GH XVR GRPpVWLFR GH IDLDQoD SRUFHODQD H JUpV ILQR FRP um volume de vendas de 15 milhĂľes de euros (mais 1,4 milhĂľes de euros em 2015), FRPWUDEDOKDGRUHV 1RVH[WROXJDUPDQWpP-se a empresa Porcelanas da &RVWD9HUGH6$GRPHVPR UDPRGHDFWLYLGDGHGD*UHVWHOFRPXPDIDFWXUDomRGH 13,6 milhĂľes de euros e a segunda maior empregadora do concelho de Vagos, com WUDEDOKDGRUHV'RWHUFHLUR SDUDRVpWLPROXJDUGHVFHXD )HUQHWR0iTXLQDVH$UWLJRV para a IndĂşstria alimentar,

situada na Zona Industrial de Vagos, que teve um volume de negócios de 12,3 milhþes de euros (menos 1,5 milhþes do que em 2015), uma empresa multinacional portuguesa, de experiência comprovada na SURGXomR GH HTXLSDPHQWRV para a indústria alimentar e XPDGDVPDLRUHVIiEULFDVGH equipamentos para padaria e SDVWHODULDQD3HQtQVXOD,EpULFD $LQGDGHQWURGDGH]HQD de milhþes de euros de volume de negócios temos, em oitavo lugar (era 10.º), a Prilux ² &RPpUFLR &RQVWUXomR H 2EUDV3~EOLFD PLOK}HV  HD&RPGDOJHO&RPpUFLRH 'LVWULEXLomR$OLPHQWDU/GD  PLOK}HV  $ IHFKDU R WRSHVWiD-3ULRU²)iEULFD de Plåsticos. Lda, situada na Ponte de Vagos, com 9,4 milhþes de euros de volume de QHJyFLRVHWUDEDOKDGRUHV


14

EMPRESAS & NEGĂ“CIOS www.campeaoprovincias.pt

Empresa assinou, ainda, uma parceria com a ASPEA

Ă guas do Centro Litoral investe na educação ambiental A Ă guas do Centro Litoral (AdCL) apresentou, na passada semana, o seu Plano de Educação Ambiental, no sentido de sensibilizar os cidadĂŁos para a importância da preservação dos recursos hĂ­dricos. Na sede da empresa foi, tambĂŠm, assinado um protocolo com a Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), que vai ser parceira nesta nova estratĂŠgia da AdCL e atravĂŠs da qual serĂĄ implementado o “Projecto Riosâ€?. Nelson Geada, presidente do Conselho de Administração da empresa de iJXDVDĂ€UPRXTXH´HVWDp uma das maiores preocupaçþes da Ă guas do Centroâ€?, adiantando que o “Projecto Riosâ€? “irĂĄ melhorar aquilo que na nossa regiĂŁo estĂĄ menos bemâ€?. JĂĄ Filipa Alves, membro do Conselho de Administração, destacou a importância deste plano para a comunidade envolvente, defendendo que toda a sociedade deve ser apoiante do meio ambiente “para que ele continue em equilĂ­brioâ€?. “Os cidadĂŁos devem

Joaquim Pinto, presidente da ASPEA; Nelson Geada, presidente da AdCL; e Filipa Alves, da AdCL, apresentaram a parceria

saber o que ĂŠ necessĂĄrio para preservar os sistemas e compreender a sua importância, nomeadamente do meio hidrĂ­coâ€?, referiu, admitindo que a esperança ĂŠ que “este plano leve a uma mudança de atitudes e nĂŁo sĂł nas crianças, mas tambĂŠm nos adultosâ€?. A ideia ĂŠ, precisamente, passar a mensagem a escolas mas estendĂŞ-la atĂŠ Ă população em geral, visando, ainda, “fortalecer as relaçþes de parceria entre ambas as entidades e reforçar o papel da AdCL enquanto empresa interventiva ao nĂ­vel da educação ambiental junto do pĂşblico em geral e

da população escolarâ€?. JĂĄ a parceria com a ASPEA, a Ă guas do Centro pretende transmitir “a sua mensagem de empresa ambientalmente responsĂĄvel a um maior nĂşmero de pessoas, acompanhando os objectivos da ASPEA na contribuição para o reforço da educação ambiental para a sustentabilidadeâ€?. O Plano de Educação Ambiental, que serĂĄ implementado, centra-se na realização de acçþes em contexto formal ou informal, inserido nos contextos dos planos de estudo dos ensinos bĂĄsico e secundĂĄrio, sensibilizando para o tema

do ciclo urbano da ĂĄgua, natureza e biodiversidade. Algumas das acçþes previstas sĂŁo uma digressĂŁo pelas escolas com acçþes de sensibilização; um concurso de banda desenhada relacionado com o projecto “Cano ĂŠ que Pagaâ€?; visitas de estudo Ă s instalaçþes da empresa; implementação do “Projecto Riosâ€? e do projecto “Escola da Ă guaâ€?; alĂŠm de formação de professores, monitores e tĂŠcnicos de ambiente. “Projecto Riosâ€?

Em Portugal desde 2006, o projecto “Rios�

Evento contou com a presença do secretårio de Estado João Paulo Rebelo

tem vindo a crescer consideravelmente de ano para ano. O objectivo passa por “aproximar as pessoas aos riosâ€?, alĂŠm de ser uma iniFLDWLYD´FLHQWtĂ€FDPDVWDPbĂŠm de cidadaniaâ€?, como salientou Joaquim Pinto, presidente da ASPEA. A ideia ĂŠ “promover a sensibilização e educação da população para a importância dos sistemas ribeirinhos e da protecção da sua biodiversidade e patrimĂłnio etnogrĂĄficoâ€?, atravĂŠs da criação de grupos de monitorização locais dos rios e ribeiras. Os interessados em participar neste projecto devem inscrever-se, escolher o troço de um rio ou ribeiro que queiram adoptar (500 metros), assumindo a responsabilidade pela vigilância, protecção e conservação desse curso de ĂĄgua. O projecto ĂŠ destinado a diversas vertentes da população, desde municĂ­pios, associaçþes, escolas, ATL´s, escuteiros, ONG´s, lares da 3.Âş idade, empresas, grupos de amigos, famĂ­lias, etc.

A PrevidĂŞncia Portuguesa recebeu o Encontro Nacional de Dirigentes Mutualistas A Casa da Mutualidade de A PrevidĂŞncia Portuguesa, em Coimbra, foi o local escolhido para o VI Encontro Nacional de Dirigentes Mutualistas, na passada semana, que contou com muitos participantes, entre os quais se destacou o secretĂĄrio de Estado da Juventude e do Desporto, JoĂŁo Paulo Rebelo. O Encontro, que ĂŠ organizado anualmente pela UniĂŁo das Mutualidades Portuguesas, reuniu cerca de 60 dirigentes de associaçþes Mutualistas nacionais para debaterem trĂŞs temĂĄticas principais: o “Movimento Mutualista Jovemâ€?, cuja apresentação esteve a cargo de Emanuel Bandeira, representante do Movimento Mutualista Jovem (MMJ); “Instrumentos Financeiros ao Serviço das Mutualidadesâ€?, apresenta-

do por JoĂŁo Costa Pinto, presidente do Conselho de Auditoria do Banco de Portugal; e “Inovaçþes TecnolĂłgicas e Comunicação Digitalâ€?, um tema apresentado por Ana Maria Silva, membro do Conselho de Administração da Associação Internacional das Mutualidades (AIM). O rejuvenescimento em curso do Movimento Mutualista em Portugal foi o mote para a presença do SecretĂĄrio de Estado da Juventude e do Desporto. “JĂĄ passĂĄmos a fase em que nĂŁo ouvĂ­amos os jovens, e tambĂŠm jĂĄ passĂĄmos a fase de apenas ouvirmos os jovens. Agora, queremos sobretudo envolvĂŞ-los, tornĂĄ-los parte do movimento associativo e dos processos de decisĂŁoâ€?, referiu JoĂŁo Paulo Rebelo, dando como exemplo a Movijovem, en-

tidade que gere as Pousadas de Juventude e o CartĂŁo Jovem. JĂĄ o presidente do Conselho de Administração da UniĂŁo das Mutualidades Portuguesas (UMP), LuĂ­s Alberto Silva, destacou a relevância do debate no seio do prĂłprio movimento mutualista: “as temĂĄticas do rejuvenescimento, dos instrumentos Ă€QDQFHLURVDRVHUYLoRGDV Mutualidades, da inovação tecnolĂłgica e da aposta na comunicação sĂŁo muito importantes para a DĂ€UPDomR GR PRYLPHQWR mutualista no presente e, sobretudo, no futuroâ€?. O responsĂĄvel adiantou, ainda, que estes “sĂŁo temas que poderĂŁo posicionar as mutualidades, cada vez mais, como uma força motriz do modelo social portuguĂŞs, enfrentando

02

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS B R E V E S

Duecitânia Design Hotel com nova gerência

O grupo BlueShift – Achievers Make the Change assumiu, recentemente, a gestão do HD - Duecitânia Design Hotel, em Penela. Desde Julho, altura em que assumiram a unidade hoteleira, o grupo jå conseguiu aumentar em 93 por cento o resultado bruto de exploração da unidade e em 25 por cento a receita total face ao mesmo período do ano anterior. O Duecitânia, de quatro estrelas, estå inserido numa propriedade rural com cerca de 10 hectares, oferece um total de 42 quartos, restaurante, bar, spa, ginåsio, piscinas interior e exterior, e uma tenda no jardim para eventos, entre outras facilidades. Alexandra Costa Ê a nova directora da unidade, sendo que a coordenação global cabe a Pedro Catapirra.

Crioestaminal estĂĄ entre as 50 empresas mais atractivas

A Crioestaminal, com sede no Biocant Park, em Cantanhede, foi distinguida pelos universitĂĄrios portugueses como um dos empregadores mais atractivos para trabalhar, no âmbito da ĂĄrea de Engenharia e CiĂŞncia. Os dados sĂŁo da consultora Universum e foram publicados no estudo anual “Os empregadores mais atractivos de Portugalâ€?, onde se destacaram as 100 empresas nacionais e internacionais mais desejadas para trabalhar. A Crioestaminal tem cerca de 80 colaboradores, dos quais mais de 90 por cento sĂŁo licenciados, mestres ou doutorados.

Plataforma LogĂ­stica de Poiares entrou em funcionamento

Cerca de uma semana depois dos trĂĄgicos incĂŞndios de 15 de Outubro, a plataforma logĂ­stica de distribuição de alimentos Ă s exploraçþes animais e agrĂ­colas jĂĄ entrou em funcionamento em Vila Nova de Poiares. O MunicĂ­pio foi um dos cinco escolhidos a nĂ­vel nacional para a instalação de base operacional de logĂ­stica, que irĂĄ funcionar pelo tempo que for necessĂĄrio para suprir todas as necessidades da regiĂŁo. O espaço serĂĄ gerido pelas ForA Casa da Mutualidade, na “Baixaâ€? de Coimbra, ças Armadas, em articulação encheu para receber dirigentes mutualistas com os serviços municipais, e contarĂĄ com a presença perde todo o paĂ­s manente de 16 operacionais, e respondendo de forma encerrou com a entrega apoiados por vĂĄrias viaturas. Esta plataforma, articulada em capaz aos novos contextos da ‘Chama Mutualista’ a parceria entre Câmara Municie novas exigĂŞncias das so- AntĂłnio Martins de Oli- pal, o MinistĂŠrio da Agricultura ciedades modernasâ€?, termi- veira, presidente de A Pre- e MinistĂŠrio da Defesa, irĂĄ nando o seu discurso com vidĂŞncia Portuguesa, um servir tambĂŠm os concelhos de destaque para a representa- momento de grande sim- Arganil, Cantanhede, Figueira tividade e a intervenção das bolismo, que representa da Foz, GĂłis, LousĂŁ, Mira, Mutualidades na sociedade “a vitalidade e a coesĂŁo Oleiros, Oliveira do Hospital, portuguesa. do movimento mutualista Pampilhosa da Serra, Penacova e TĂĄbua. O Encontro Nacional portuguĂŞsâ€?.


02 QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

EMPRESAS & NEGĂ“CIOS www.campeaoprovincias.pt

Recuperação dos estragos causados pelos incêndios na região Centro

EDP Distribuição fala de “grande operação em tempo recordeâ€? Num pĂŠriplo pelos distritos mais afectados, a EDP Distribuição, atravĂŠs do seu presidente JoĂŁo Torres, deixou, na passada semana, “uma palavra de gratidĂŁo aos colaboradores e empresas que colaboraram na reposição da energia em tempo recordeâ€? nos locais mais afectados pelos incĂŞndios. Em Coimbra, o responsĂĄvel da EDP destacou que toda esta operação se tratou de “serviço pĂşblicoâ€?, algo que a empresa energĂŠtica vĂŞ “como a sua marcaâ€?. “SĂł paramos quando a Ăşltima casa estiver ligadaâ€?, realçou, adiantando que nestas cerca de duas semanas, a EDP conseguiu substituir 120 quilĂłmetros de linhas de baixa tensĂŁo, 40 quilĂłmestros de mĂŠdia tensĂŁo e 20 postos de transformação, um trabalho com uma “logĂ­stica muito significativaâ€?, que envolveu cerca de 30 geradores de emergĂŞncia, 800 funcionĂĄrios e 150 viaturas destacados para a zona Centro. O grande investimento que a EDP tem feito,

António Rafael, da årea operacional de Coimbra; João Torres, presidente da EDP Distribuição; e Catarino Alves, da rede de clientes do Mondego; fizeram o balanço

anualmente, na supervisĂŁo e protecção dos cabos elĂŠctricos junto a ĂĄreas florestais foi um tema tambĂŠm abordado nas declaraçþes prestadas em Coimbra. Segundo o relatĂłrio do Centro de Estudos sobre IncĂŞndios Florestais, liderado pelo professor universitĂĄrio Xavier Vieg as, sobre o incĂŞndio de PedrĂłgĂŁo Grande e entregue ao Parlamento, o fogo terĂĄ sido causado por “contactos entre a vegetação e uma linha elĂŠctrica de mĂŠdia tensĂŁoâ€? da EDP “sem se encontrar devidamente cuidadaâ€?. Estas conclu-

sĂľes que, contudo, “nĂŁo conseguem provar que tal tenha acontecidoâ€?, notou. O responsĂĄvel declarou que “a EDP investe cerca de cinco milhĂľes de euros por ano na supervisĂŁo, num total de cerca de 7 500 quilĂłmetros de linhas a serem acauteladas anualmenteâ€?. No total, a empresa possui perto de 26 000 quilĂłmetros em locais florestais e ĂŠ sua preocupação “que todas estejam devidamente protegidasâ€?, um trabalho assegurado por operacionais em todo o paĂ­s. “Se nĂŁo fosse uma questĂŁo que nos preocu-

passe nĂŁo investĂ­amos na sua protecção e supervisĂŁo. É algo que a dedicamos muita atençãoâ€?, explicou JoĂŁo Tor res, considerando que “no caso do incĂŞndio de PedrĂłgĂŁo nĂŁo ĂŠ possĂ­vel retirar essas conclusĂľesâ€?. Contudo, o presidente do Conselho de Administração admite que a empresa elĂŠctrica que irĂĄ tirar “as devidas liçþesâ€?. JoĂŁo Torres salientou, ainda, a parceria com as “autarquiasâ€?, bem como a compreensĂŁo “dos cidadĂŁos perante o esforço da empresaâ€?, que requereu “um trabalho exigente, tambĂŠm do ponto de vista emocionalâ€?. O responsĂĄvel, ainda na visita a Castelo Branco, afirmou que a empresa teve “alguns milhares de euros de prejuĂ­zosâ€?, mas que o valor final ainda nĂŁo estĂĄ definido, jĂĄ que ainda se estĂŁo a contabilizar os danos. “Temos trĂŞs ĂĄreas operacionais em que o prejuĂ­zo ĂŠ muito relevanteâ€?, explicou, destacando 15 municĂ­pios de Castelo Branco, Viseu e Leiria.

90 por cento dos inquiridos nesta cidade bebem ĂĄgua da torneira

Ă guas de Coimbra lidera na satisfação dos consumidores A Ă guas de Coimbra (AC) alcançou, pela sĂŠtima YH]DPHOKRUFODVVLĂ€FDomR no estudo ECSI Portugal – Ă?ndice Nacional de Satisfação do Cliente, segundo anunciou, hoje, a empresa municipal. Na edição de 2017 deste estudo, a Ă guas de Coimbra foi a empresa melhor FODVVLĂ€FDGD HP WRGRV RV indicadores avaliados, posicionando-se Ă frente dos Serviços Municipalizados de Almada e da EPAL, entidades gestoras de referĂŞncia no sector, que ocupam o segundo e terceiro lugar nos resultados deste ano. Os resultados do estudo indicam que a Ă guas de Coimbra continua a ser a empresa melhor posicionada em todos os indicadores avaliados: “Imagemâ€?;

15

“Expectativa dos clientesâ€?; “Qualidade apercebidaâ€?; “Valor apercebidoâ€?; “Satisfaçãoâ€?; “GestĂŁo das ReFODPDo}HVÂľ´&RQĂ€DQoDÂľH “Lealdadeâ€?. Em todas as variĂĄveis do estudo, a empresa municipal de Coimbra ultrapassa as 10 principais entidades gestoras do sector da ĂĄgua, em Portugal. O relatĂłrio do inquĂŠrito revela, ainda, que 90 por cento dos inquiridos, em Coimbra, bebem ĂĄgua da torneira e manifestam JUDQGHFRQĂ€DQoDQDTXDOLdade da ĂĄgua que chega Ă s suas torneiras. Neste indicador, segue-se a EPAL, com 87 por cento dos inquiridos a preferirem a ĂĄgua da rede pĂşblica, e os SMAS de Sintra, com 83 por cento. Relati-

vamente a outras entidades gestoras, este valor situa-se abaixo dos 80 por cento. Recorde-se que a liderança da Ă guas de Coimbra neste estudo de satisfação repete o ĂŞxito jĂĄ alcançado nas ediçþes de 2009, 2011, 2012, 2013, 2014/ 15 e 2016, sendo que, em 2010, a empresa municipal de &RLPEUDĂ€FRXSRVLFLRQDGD em segundo lugar. “Os indicadores do ECSI revelam grande consistĂŞncia no desempenho desta empresa municipal, ao longo dos Ăşltimos anos, conseguindo manter-se no topo da satisfação dos clientes, no sector da ĂĄguaâ€?, refere a AC. No estudo deste ano foi avaliado o Ă­ndice de satisfação relativamente aos serviços prestados por

10 entidades gestoras de ågua. Relativamente à dimensão da amostra, foram entrevistados cerca de 250 clientes por empresa, o que totalizou 3 561 entrevistas realizadas aos clientes do sector da ågua, no âmbito do ECSI 2017. O �ndice Nacional de Satisfação do Cliente (ECSI Portugal) Ê um sistema de medida da qualidade dos bens e serviços disponíveis no mercado nacional, por via da satisfação do cliente. É desenvolvido anualmente por uma equipa que envolve o Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa (ISEGI-NOVA), a Associação Portuguesa para a Qualidade e o Instituto Português da Qualidade.

(PSUHVDGH7iEXDRIHUHFHXXPĂ€PGHVHPDQDQR1RUWH

Friopastel recompensa e motiva colaboradores com presentes anuais Em TĂĄbua hĂĄ uma empresa onde o trabalho dos funcionĂĄrios ĂŠ reconhecido e nĂŁo apenas com o ordenado mensal. Todos os anos, a gerĂŞncia da Friopastel oferece presentes aos seus funcionĂĄrios, sem excepção, uma forma de os recompensar pelo contributo dado para o desenvolvimento da empresa e de os motivar a ser mais produtivos. “NĂŁo queremos os lucros sĂł para nĂłs. Se os funcionĂĄrios ajudam a construir a empresa, devem ser recompensados por issoâ€?, afirma JoĂŁo Gonçalves, sĂłcio-gerente da Friopastel, admitindo que esta motivação extra ĂŠ uma mais-valia para o negĂłcio em geral. Este ano o presente IRL XP Ă€PGHVHPDQD QR Norte, que incluiu um cruzeiro no rio Douro, visitas a Mirandela e Vila Real para todos os funcionĂĄrios (22) e respectivas famĂ­lias. â€œĂ‰ uma maneira de os motivar, porque se andarmos contentes damos mais rendimentoâ€?, realça

o gerente. Jå em 2016, João Gonçalves ofereceu uma bicicleta a cada um dos seus colaboradores. Mas os prÊmios de produtividade não ficam por aqui. A Friopastel faz questão de recompensar, tambÊm anualmente, todos os funcionårios que têm 100 por cento de assiduidade, oferecendo um mês de ordenado adicional. Um incentivo que Ê, tambÊm, entregue, todos os meses, a quem não regista faltas ao serviço. Hå 17 anos no mercado, a empresa tabuense produz e comercializa salgados ultracongelados, com destaque para os rissóis de leitão e os pastÊis de bacalhau com queijo da Serra, sendo que cerca de 70 por cento da produção Ê para exportar. O crescimento acentuado estå a levar a gerência a pensar em aumentar as instalaçþes da Friopastel, alÊm de, neste momento, estar a recrutar mais recursos humanos para conseguir responder a todas as encomendas.

A 02 de Dezembro, em Miranda do Corvo

Restaurante “PĂĄtio do Xistoâ€? promove noite de fados de Coimbra O complexo de turismo rural “PĂĄtio do Xistoâ€?, em Miranda do Corvo, promove, no prĂłximo dia 02 de Dezembro (sĂĄbado), uma grande noite de Fado de Coimbra. O evento, que inclui jantar, vai contar com a voz de AntĂłnio AtaĂ­de, que serĂĄ acompanhado por Bruno A. Costa na guitar ra portuguesa, e Nuno Botelho, na viola de Fado. JĂĄ com 10 anos, a unidade hoteleira e restaurante tem, por hĂĄbito, promover diversas iniciativas culturais e nĂŁo sĂł, de forma a atrair mais visitantes. O preço para assistir ao evento ĂŠ de 19,50 euros por pessoa, sendo que o jantar serĂĄ uma refeição tradicional portuguesa, com direito a vinho da casa ou ĂĄgua. Para esta noite de fados estĂŁo convidados

hĂłspedes, clientes e população em geral, sendo necessĂĄria reserva de lugar, que poderĂĄ ser feita no prĂłprio restaurante ou atravĂŠs do telefone 919 759 877. O “PĂĄtio do Xistoâ€?, constituĂ­do por uma ‘Casa de Campo’, com seis quartos de casal, e o restaurante, com capacidade para 30 pessoas, ĂŠ composto por construçþes de xisto, fruto da recuperação de vĂĄrias habitaçþes. No espaço de restauração ĂŠ possĂ­vel apreciar o melhor da gastronomia mirandense e da regiĂŁo, onde a chanfana, o cabrito, as sobremesas ou o “porco Ă PĂĄtio do Xistoâ€? sĂŁo as especialidades. Localizada numa das encostas da Serra da LousĂŁ, entre 600 e 650 metros de altitude, o complexo de turismo rural estende-se Ă  aldeia serrana de Gondramaz (Miranda do Corvo).


VINAGRETAS

16

02

www.campeaoprovincias.pt

C U L T U R A

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

V I N A G R E T A S

Coimbra

Ana Moura – A fadista portuguesa estreia-se no palco do Convento de SĂŁo Francisco, em Coimbra, com dois concertos, amanhĂŁ (03) e sĂĄbado (04), pelas 22h00. “Mouraâ€?, editado em 2015 e disco de Ouro, ĂŠ o mais recente trabalho da cantora que alcançou grande sucesso com o seu quinto ĂĄlbum, de 2012, “Desfadoâ€?. Com colaboraçþes com grandes nomes da mĂşsica internacional como Prince, Caetano Veloso ou Rolling Stones, Ana Moura ĂŠ detentora de dois Globos de Ouro, dois prĂŠmios AmĂĄlia e um da Sociedade Portuguesa de Autores. Os bilhetes para os concertos custam entre os 30 e os 40 euros. Capas de discos de vinil – A Casa Municipal da Cultura de Coimbra acolhe, atĂŠ Dezembro, a exposição dedicada aos grandes compositores de mĂşsica clĂĄssica e as capas de discos de vinil que lhes estĂŁo associadas. Entre as obras expostas estĂŁo as capas de Mozart, Bach, Vivaldi, Beethoven, mas, tambĂŠm, dos portugueses Carlos Seixas e Fernando Lopes Graça. A mostra pretende “realçar o disco de vinil, uma invenção que veio transformar o paradigma da mĂşsica, jĂĄ que tornaram este meio de gravação mais acessĂ­velâ€?. A entrada ĂŠ livre.

Figueira da Foz

“Embarcação do Infernoâ€? - AmanhĂŁ (03) e sĂĄbado (04), o Centro de Artes e EspectĂĄculos da Figueira da Foz apresenta, a peça de teatro de Gil Vicente, protagonizada pela Escola da Noite e pelo Centro DramĂĄtico de Évora. As sessĂľes, amanhĂŁ, decorrem Ă s 10h30 e Ă s 14h30 e sĂŁo para escolas. JĂĄ no sĂĄbado, o espectĂĄculo acontece pelas 21h30 aberto ao pĂşblico geral. A peça surge no âmbito dos 500 anos da primeira apresentação do “Auto da Barca do Infernoâ€? e pretende fazer pensar sobre os temas de sempre “morte e vida, mal e bem, ter e poderâ€?. O espectĂĄculo estĂĄ integrado no “Sete Sentidos – Festa do Teatro e da MĂşsicaâ€? e promove, ainda, uma oficina e conferĂŞncias. Os bilhetes custam dois euros (escolas) e cinco euros (pĂşblico geral).

Noite “tenebrosaâ€? - O ‘Halloween’ foi comemorado Ă sĂŠria, na Figueira da Foz. No dia 31 de Outubro decorreu a 7.ÂŞ edição da Noite dos Esqueletos, este ano sob o mote “ 7 anos, 7 noites, 7 sustos, 7 pecados mortaisâ€?. A noite mais divertidamente assustadora teve como palco principal o Museu Municipal de Santos Rocha, com o evento a possibilitar que famĂ­lias e FULDQoDVSXGHVVHPGHVIUXWDUGHXPĂ€QDOGHWDUGHGLvertido e lĂşdico-pedagĂłgico. A escritora e contadora de histĂłrias MilĂş Loureiro esteve presente com a sua Bruxa Mituxa e “HistĂłrias de aterrorizarâ€?, enquanto o ExploratĂłrio - Centro de CiĂŞncia Viva de Coimbra apresentou “7 ExperiĂŞncias de espantarâ€?. Pelas 22h00 realizou-se, no auditĂłrio Municipal, o tradicioQDOGHVĂ€OHGH´3HFDGRUHVIDQWDVPDVHGHPDLVVHUHV aterradoresâ€?, enquanto que, no PavilhĂŁo Multiusos, os “Dinossauros da PatagĂłniaâ€? juntaram-se Ă  festa, dando a conhecer a sua versĂŁo do 7.Âş pecado mortal.

GĂłis

a ziguezaguear, politicamente falando, faz alarde de uma inatingĂ­vel coerĂŞncia.

Quem dĂĄ e volta a tirar I ... – “Valorizar Coimbraâ€?, recente mote de campanha do PS, jĂĄ tinha sido ÂŤsloganÂť partidĂĄrio, em 2013, e, pelo meio, foi lema de publicidade institucional, feita pela Câmara Municipal presidida por Manuel Machado. A 26 de Setembro [de 2017], a ComissĂŁo Nacional de Eleiçþes (CNE) intimou Manuel Machado devido Ă utilização do Desconcerto – Como se noticia na quinta mesmo ÂŤsloganÂť (“Valorizar Coimbraâ€?) por parte da pĂĄgina da presente edição, ĂŠ “de fora para dentroâ€? candidatura dele e da Câmara Municipal. O autarca que Nuno Freitas aspira a transformar o PSD/ foi intimado a ordenar a “remoção de todos os Coimbra, esperando ser eleito, a 11 de Novembro, ŠRXWGRRUVÂŞFRQĂ€JXUDQGRSXEOLFLGDGHLQVWLWXFLRQDOÂľ para a liderança concelhia do partido. Se ĂŠ “de fora sob pena de cometimento de crime de desobediĂŞnpara dentroâ€?, isso ĂŠ elucidativo acerca da crença cia. “A utilização do mesmo ÂŤsloganÂť pela CMC e do mĂŠdico quanto Ă  capacidade de regeneração pela candidatura do PS gera confundibilidade nos GR36'(PERUDWHQKDPĂ€FDGRGHŠFDQGHLDVjV eleitores e, como tal, deve ser evitadaâ€?, deliberou a avessasÂť quando eram ambos membros da Câmara CNE, na sequĂŞncia de uma participação da coligação conimbricense (2002 -05), Freitas desfruta, agora, “Mais Coimbraâ€? (PSD - CDS/PP - PPM – MPT). do apoio de Carlos Encarnação, sem embargo de o Manuel Machado, economista, interpĂ´s recurso antigo prefeito ter apoiado a recente candidatura de para o Tribunal Constitucional, mas o TC, que sĂł JosĂŠ Manuel Silva (“movimento “Somos Coimbraâ€?) DGH2XWXEURĂ€FRXKDELOLWDGRDMXOJDUGHFOLQRX Ă  liderança do MunicĂ­pio. Por outro lado, Nuno pronunciar-se ao invocar “inutilidade superveniente Sem “consertoâ€? – Para promoção de vĂĄrios Freitas pĂ´s-se, hĂĄ dias, em ÂŤbicos de pĂŠsÂť, e andou a da lideâ€?. Para a ComissĂŁo Nacional de Eleiçþes, “as concertos, a Orquestra ClĂĄssica do Centro acaba de fazer a apologia de alianças entre o seu partido e o entidades pĂşblicas estĂŁo sujeitas, em todas as fases pensar num sugestivo tĂ­tulo – “A mĂşsica ĂŠ a nossa 36SUHWHULQGR´6RPRV&RLPEUDÂľSDUDGHĂ€QLomRGD do processo eleitoral, a especiais deveres de neutraca(u)saâ€?. PorĂŠm, recentemente, um dos candidatos Ă  composição da Junta de Santo AntĂłnio dos Olivais e lidade e de imparcialidadeâ€?. Nestes termos, diz a liderança concelhia do PSD/Coimbra, Nuno Freitas, do ĂłrgĂŁo executivo da UniĂŁo de Freguesias de Santa CNE, a lei eleitoral determina que “os ĂłrgĂŁos (‌) acenou com o mote “A nossa casa, a nossa causaâ€?. Clara / Castelo Viegas. Outro dos pontos de vista das autarquias locais, bem como, nessa qualidade, 1DVUHGHVVRFLDLVRPpGLFRQmRĂ€FRXVHPUHVSRVWD GH)UHLWDVpTXH´R36'QmRSRGHĂ€FDUDSHQDVSHOD os respectivos titulares, nĂŁo podem intervir, directa da jurista EmĂ­lia Martins, presidente da OCC. Segun- Torre da Universidade [de Coimbra], nĂŁo tem de ser ou indirectamente, na campanha, nem praticar actos do Freitas, o tĂ­tulo da autoria dele resultou de “um um partido de elitesâ€?. Ciente de que “bem prega Frei que, de algum modo, favoreçam ou prejudiquem texto sobre Coimbra, redigido depois das eleiçþesâ€?. Tomazâ€?, aquele candidato a lĂ­der concelhio do PSD/ “NĂŁo tem qualquer relação com a OCC nem com Coimbra convidou para mandatĂĄrio o professor os concertos, embora a ‘causa’ e ‘casa’ culturais sejam universitĂĄrio Pedro Saraiva. Na sequĂŞncia do mais retambĂŠm, e legitimamente, preocupaçþes do PSDâ€?, cente Congresso do PSD, Nuno Freitas acenou com alega o candidato. Na Ăłptica de Nuno, “convinha silĂŞncio, gracejando acatar um pedido do ex-ministro nĂŁo ver sombras nem ameaças em todo o ladoâ€?. JosĂŠ Pedro Aguiar-Branco, feito no “coreano con“Na Medicina, por exemplo, copiamos, todos os claveâ€? partidĂĄrio. O “afastamento silente da actual dias, as boas prĂĄticas de outros - nĂŁo hĂĄ propriedade, linha polĂ­tica do partido ĂŠ total, abissal e cultural; felizmente, sobre o bem comumâ€?, assinala. Ao seu curiosamente, sei que nĂŁo mudei essencialmente estilo, o candidato remata assim: “Se entender que de valores nem de atitude – sei que continuo social-democrata, com o rosto humano do personalismo e o corpo do trabalho e mĂŠrito na frĂĄgil economia social de mercadoâ€?, assinalou, na Primavera de 2016. Apesar destas consideraçþes, Nuno Freitas aceitou recandidatar-se, hĂĄ ano e meio, a presidente da Mesa da Assembleia Distrital do PSD/Coimbra. Este potencial lĂ­der concelhio do PSD/Coimbra, habituado

Ă‚ngulo inverso Um fogo que ainda arde LUĂ?S SANTOS

Fado ao Centro – Este såbado (04) irå imperar o silêncio no Espaço Multiusos Capela da Costeira, em Góis, a partir das 21h30, com uma grande noite do Fado. A iniciativa da Cooperativa Social e Agro-Florestal de Vila Nova do Ceira traz à vila um dos grupos mais requisitados de Fado de Coimbra. Para assistir Ê necessårio reservar mesa pelo preço de 13 euros (por pessoa) ou 10 euros para os sócios da Cooperativa.

pretendemos servir melhor as pessoas de Coimbra e a cidade no PSD (...), talvez seja um óptimo plågio (‌), e seria tão bom, para todos, se a OCC e os seus dirigentes se mantivessem com elevação e total transparência abertos à iniciativa de outros, mesmo que com alinhamentos políticos diversos�. Como evidencia uma peça publicada na påg. 05 desta edição, no plano do funcionamento partidårio, Nuno Freitas då ares de não ter conserto.

As consequências dos grandes incêndios ÀRUHVWDLV GH  GH 2XWXEUR YmR SHUGXUDU QR WHPSRHRVGLDVTXHSDVVDPQmRSRGHPID]HU HVTXHFHUHVWDWUDJpGLDTXHVHDEDWHXHVVHQFLDOPHQWHVREUHDUHJLmR&HQWUR )RUDP SUHFLVDV GXDV JUDQGHV FDWiVWURIHV HDVSDODYUDVGR3UHVLGHQWHGD5HS~EOLFDSDUD HVSHYLWDUFRQVFLrQFLDVPXLWDVGDVTXDLVTXHULDPDSHQDVDOWHUDUDOJXPDFRLVDSDUDTXHWXGR ¿FDVVHQDPHVPD 'DGDDGLPHQVmRGRDFRQWHFHXjGLPHQVmR GH XP JUDQGH ³DWDTXH WHUURULVWD´ QDGD SRGH ¿FDULJXDOTXHUHPPRGL¿FDUHVWUXWXUDVPRGRV GH SUHYHU SUHYHQLU H DFWXDU TXHU HP DFWXDU

VREUHRWHUULWyULR(RIRFRSULQFLSDOGHYHHVWDU FHQWUDGRQRDSRLRjVSHVVRDVHQRSDWULPyQLR TXHIRLGHVWUXtGRFRPRVHWLYHVVHRFRUULGRXPD ÂłJUDQGHJXHUUD´HDJRUDpWHPSRGHSD]HGH UHFXSHUDUWXGR 2*RYHUQRMiS{VDVÂłEDUEDVGHPROKR´H DQXQFLRXTXHYDLPDQWHURGLVSRVLWLYRGHFRPEDWH DRV LQFrQGLRV Ă€RUHVWDLV DWp DR SUy[LPR GLD  GH 1RYHPEUR GDGR TXH DV SUHYLV}HV PHWHUHROyJLFDV DSRQWDP SDUD D PDQXWHQomR GRULVFRHOHYDGRGHIRJR 2SURORQJDPHQWRLQFOXLPHLRVDpUHRVTXH UHIRUoDUDPRGLVSRVLWLYRQD~OWLPDVHPDQDHRV FRQWUDWDGRVSDUDRSHUtRGRGHDGH2XWXEUR(VWDUmRHQYROYLGRVQDVRSHUDo}HV RSHUDFLRQDLVHQWUHRVTXDLVERPEHLURV

HHOHPHQWRVGDV)RUoDV$UPDGDV*15H363 $OpPGLVVRHVWiSUHYLVWRRIXQFLRQDPHQWRGH XQLGDGHVGDUHGHSULPiULDGHSRVWRVGHYLJLD 3DUD TXH QmR VH HVTXHoD RV IRJRV TXH GHĂ€DJUDUDPQDUHJLmR&HQWURDWLQJLUDPWRWDORX SDUFLDOPHQWHFDVDVGHSULPHLUDKDELWDomRH QRSLRUGLDGRDQR GH2XWXEUR PRUUHUDP SHVVRDVHFHUFDGHÂżFDUDPIHULGDV2OHYDQWDPHQWRSURYLVyULRGRVGDQRVDSRQWDWDPEpP SDUDSHUWRGHHPSUHVDVDIHFWDGDVHXPWRWDO GHGDQRVQRVHFWRUHFRQyPLFRGHFHUFDGH PLOK}HVGHHXURV ,VWRMXQWRXVHD3HGUyJmR*UDQGHHP-XQKRHPTXHRIRJRDODVWURXDRXWURVPXQLFtSLRV HSURYRFRXYtWLPDVPRUWDLVHPDLVGH IHULGRV


02

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

VINAGRETAS www.campeaoprovincias.pt

17

V I N A G R E T A S

uma candidatura ou uma entidade proponente em detrimento ou vantagem de outraâ€?. Quem dĂĄ e volta a tirar II ‌ – No exercĂ­cio do direito ao contraditĂłrio, o economista alegou que a participação Ă ComissĂŁo Nacional de Eleiçþes visava a candidatura do PS e nĂŁo a CMC ou o respectivo presidente, de resto, na esteira do que havia sido esclarecido pela coligação “Mais Coimbraâ€?. Para o edil, constitui pressuposto da violação das obrigaçþes de neutralidade e de imparcialidade e, bem assim, da proibição de publicidade institucional, que, durante o perĂ­odo eleitoral, uma entidade pĂşblica pratique actos susceptĂ­veis de infringirem tais deveres. Neste contexto, o autarca do PS, reconduzido a 01 de Outubro [de 2017], indica que o cartaz de publicitação camarĂĄria diz respeito a uma empreitada iniciada em 2015, cujo começo ocorreu em fase bastante anterior Ă  da campanha para as recentes eleiçþes autĂĄrquicas. Segundo Manuel Machado, os elementos constantes do processo nĂŁo permitem sustentar ter havido, da sua parte, violação dos artigos 38Âş. e 41Âş, nÂş. 01, da Lei Eleitoral dos Ă“rgĂŁos das Autarquias Locais, nem do artigo 10Âş., nÂş. 04, da Lei nÂş. 72 A/2015. Em conformidade com o seu raciocĂ­nio, o economista opina que a deliberação impugnada procede a uma errada interpretação e aplicação de preceitos normativos. Quem dĂĄ e volta a tirar III ‌ – Apesar de o lema “Valorizar Coimbraâ€? ser invocado pelo PS, em 2017 e em 2013, e, pelo meio, haver sido posto ao serviço da CMC, Manuel Machado entende que nĂŁo deve ser tido nem achado quanto a esses aspectos. A avaliar por um documento do Tribunal Constitucional, o

economista assinala que a ComissĂŁo Nacional de Eleiçþes nĂŁo situa sequer, no tempo, a colocação do ÂŤoutdoorÂť em anĂĄlise. Acrescenta o referido documento, a cujo teor o “CampeĂŁoâ€? teve acesso, que, para Manuel Machado, o cartaz de publicitação diz respeito a uma empreitada de obras pĂşblicas iniciada em 2015, sendo, por isso, anterior ao inĂ­cio do recente perĂ­odo eleitoral. Em tal cartaz, prossegue, ĂŠ utilizada a expressĂŁo “Valorizar Coimbraâ€?, que corresponde a ÂŤsloganÂť usado, institucionalmenWHSHOR0XQLFtSLRGHVGHQmRUHĂ HFWLQGRDVVLPTXDOTXHU intenção de confundibilidade com uma candidatura que, hĂĄ dois anos, nĂŁo existia. Ou existia? Por estas e por outras ĂŠ que o redactor das Vinagretas tem ouvido alertar para o atrevimento inerente a “fazer o mal e a caramunhaâ€?. A preto e branco – Foi apresentada, recentemente, em Coimbra, a “Centro Portugal Film Comissionâ€? (CPFC), associação que nasceu da conjugação de vĂĄrias vontades e que tem um objectivo comum “posicionar o Centro de Portugal como GHVWLQR´ÀOPIULHQGO\ÂľFRPFDSDFLGDGHSDUDDWUDLUSURGXo}HV FLQHPDWRJUiĂ€FDVHDXGLRYLVXDLVWDQWRQXPDHVFDODQDFLRQDO como internacional, e assim gerar benefĂ­cios econĂłmicos para a regiĂŁo. Na conferĂŞncia de Imprensa de lançamento do projecto, foram apresentados os principais trunfos que o Centro GH3RUWXJDOWHPSDUDPRVWUDUjVSURGXWRUDVFLQHPDWRJUiĂ€FDV e aos cineastas, a começar pelo clima favorĂĄvel e pelas muitas horas de luz solar por dia, sem esquecer a grande diversidade de cenĂĄrios, as boas acessibilidades e a segurança. A sessĂŁo contou com a presença de Bruno Manique, Francisco Dias e Mafalda SĂĄ, respectivamente presidente, vice-presidente e membro da

Direcção da CPFC, Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal e da assembleia geral da CPFC, e de Carina Gomes, vereadora da Câmara Municipal de Coimbra. Entre os próximos passos da CPFC constam a elaboração de um modelo de contrato-programa com os municípios aderentes, protocolos com instituiçþes de ensino superior com cursos nas åreas do FLQHPDDLGHQWLÀFDomRGHRSRUWXQLGDGHVGHÀQDQFLDPHQWRHD captação de empresas do sector do cinema para a região. Com os vastos incêndios que destruíram a região, o mais provåvel Ê TXHVHÀ]HUHPÀOPHVVHUmRDSUHWRHEUDQFR

Eterno candidato? – Na semana em que tomou posse, a 26 de Outubro, como vereador da oposição na Câmara Municipal de Coimbra, Jaime Ramos, recente candidato a presidente, permanecia “em campanhaâ€? numa das rotundas de acesso a um centro comercial da cidade. Na medida que o mĂŠdico assumiu funçþes na vereação da principal autarquia de Coimbra (algo que, hĂĄ dois meses, admitiu nĂŁo fazer), irĂĄ Jaime Ramos manter a publicidade naquele local atĂŠ Ă s eleiçþes de 2021, mostrando, DVVLPTXHYHLRSDUDĂ€FDU"

F _____ R _____ A

tâncias psicoactivas, ou competências de autorregulação da aprendizagem e realização escolar�. Na foto, a equipa do Gabinete de Psicologia do AECO: Laura Diogo, Jorge Mira Marques e Isabel Morais.

“Escola SaudĂĄvelMenteâ€? - O Agrupamento de Escolas Coimbra Oeste (AECO) foi uma dos 99 estabelecimentos, entre as 253 que se candidataram, a merecer a atribuição do selo “Escola SaudĂĄvelMenteâ€?, conferido pela Ordem dos PsicĂłlogos, em reconhecimento das boas prĂĄticas de saĂşde psicolĂłgica e sucesso escolar. O AECO, formado pela Escola SecundĂĄria de D. Duarte, Escolas BĂĄsicas de 2.Âş e 3.Âş ciclos InĂŞs de Castro e de Taveiro, conta com uma equipa de trĂŞs psicĂłlogos e foi o Ăşnico estabelecimento pĂşblico do concelho de Coimbra a ser distinguido, havendo, tambĂŠm, dois privados. Os Serviços de Psicologia e Orientação da AECO “tĂŞm vindo DDGRSWDUXPDĂ€ORVRĂ€DGHWUDEDOKRTXHFRORFDDWyQLFD na acção preventiva e no desenvolvimento de capacidades das crianças e jovens para lidar com os problemas que vĂŁo surgindo, seja nos domĂ­nios sĂłcio-afectivos e LQWHUUHODFLRQDLVRXQDVGLĂ€FXOGDGHVGHDSUHQGL]DJHPH realização escolarâ€?. O AECO sustenta que “tem vindo a procurar desenvolver, atravĂŠs de diversos projectos e acçþes pedagĂłgicas e educativas, vĂĄrias dimensĂľes e competĂŞncias sĂłcio-emocionais, entre as quais a educação SDUDRVDIHFWRVHDVH[XDOLGDGHDSUHYHQomRGRÂśEXOO\LQJ¡ e a violĂŞncia escolar; a prevenção do uso e abuso de subs-

Santa Casa de Pereira tem nova cozinha e lavandaria - Desde meados de Outubro que a Santa Casa da MisericĂłrdia de Pereira tem novas condiçþes, nomeadamente, ao nĂ­vel da cozinha e da lavandaria. As obras representaram um investimento de 135 000 euros, sendo que foram apoiadas em 96 000 euros pelo Fundo Rainha D. Leonor, um programa da Santa Casa da MisericĂłrdia de Lisboa com a UniĂŁo das MisericĂłrdias Portuguesas. (PERUDDDWUDYHVVDUXPDIDVHGLItFLOĂ€QDQFHLUDPHQWH o provedor da instituição AdĂŠrito GalvĂŁo, destacou a felicidade do momento da inauguração para todos: utentes, trabalhadores, entidades, mesĂĄrios, irmĂŁos e irmĂŁs da Santa Casa. A par nova cozinha e lavandaria, o projecto contemplou ainda o arranjo de um espaço exterior para o convĂ­vio intergeracional. Segundo o provedor, a intenção ĂŠ “continuar a contribuir para um ambiente promotor de saĂşde para as crianças e para os

idososâ€?. A instituição tem as valĂŞncias da infância, de Centro de Dia, de Apoio DomiciliĂĄrio e de uma Unidade de Cuidados Continuados. Livro de Penacova distinguido nos EUA – O livro “Martins da Costa - Contos Vividosâ€?, lançado pelo MunicĂ­pio de Penacova, concebido pelo ateliĂŞ OM Design, arrecadou mais um importante prĂŠmio, sendo distinguido com prata QR FRQFXUVR &UHDWLYLW\,QWHUQDWLRQDO $ZDUGV 3ULQW  Packaging, nos EUA. A obra resgata a vida e obra de um artista que tem obras expostas em museus e colecçþes particulares em vĂĄrias partes do mundo, sendo composta por textos escritos pelo pintor nas dĂŠcadas de 80 e 90 do VpFXOR;;SDUWHGRHVSyOLRIRWRJUiĂ€FRHUHSURGXo}HVGH alguns dos seus quadros. JoĂŁo Martins da Costa nasceu em Coimbra, em 1921, estudou pintura na Escola de Belas Artes do Porto e viajou por todo o mundo. No entanto, escolheu Penacova para construir a sua casa-atelier e viver a Ăşltima etapa da sua vida. Faleceu em 2005 e pintou Penacova de vĂĄrios ângulos e de um modo muito prĂłprio, tendo desta forma contribuĂ­do para mostrar este local, bem como a sua beleza para o exterior. Somando-se a outros galardĂľes conquistados, o livro jĂĄ havia recebido uma menção honrosa pela Graphis Design Annual, o Grande PrĂŠmio Papies e distinguido com ouro pela Muse &UHDWLYH$ZDUGV


02

OPINIĂƒO

18

QUINTA-FEIRA

www.campeaoprovincias.pt

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Este ano mais triste que o habitual

Do Dia de Todos-os-Santos ao Dia de Finados

JOĂƒO PINHO *

Ontem foi dia da solenidade de Todos-os-Santos, HPKRQUDGHWRGRVRVVDQWRV e mårtires, celebrada pelos crentes de muitas das igrejas da Religião Cristã. A Igreja Católica designa a Festa de Todos-os-Santos a 01/11, VHJXLGD SHOR GLD GRV ILpLV defuntos a 02/11. 6DEHVH TXH D RULJHP da solenidade de Todos-os6DQWRVUHPRQWDDRV¿QDLV GRVHJXQGRVpFXORTXDQGR professos cristãos começaUDPDKRQUDURVTXHKDYLDP sido martirizados por causa GD VXD Ip H DFKDQGR TXH eles jå estavam com Cristo no FpXRUDYDPDHOHVSDUDTXH

intercedessem a seu favor. A comemoração regular deve-se ao Papa Bonifåcio IV TXHGHGLFRXHPGH0DLR de 609 ou 610, o Panteão (o WHPSOR URPDQR HP KRQUD D todos os deuses) a Maria e a todos os mårtires A data foi mudada para 1RYHPEUR TXDQGR R 3DSD Gregório III (731-741) dedicou uma capela em Roma a Todos-os-Santos e ordenou TXHHOHVIRVVHPKRPHQDJHados no 1.° de Novembro. 1D JpQHVH GHVWD DOWHUDomR terå estado um feriado comemorado na mesma data, HP ,QJODWHUUD R TXDO SRU VXDYH]GHULYDGR6DPKDLQ

uma festa popular/pagã dos povos celtas durante o tempo da cristianização da Grã%UHWDQKD1RDQRGHR Papa Gregório IV declarou-a uma festa universal. Esta celebração integra uma evidente intenção cateTXpWLFDRDSHORGH&ULVWRD cada pessoa para o seguir e ser santo, à imagem de Deus, HPTXHIRLRULJLQDOPHQWHFULDda. Esta dimensão potencia DH[LVWrQFLDGHVDQWRVYLYRV (não apenas os do passado) H TXH FDGD SHVVRD R SRGH VHUWDPEpP5HFRUGHVHTXH o Papa João Paulo II foi um JUDQGHLPSXOVLRQDGRUGD³YRFDomRXQLYHUVDOjVDQWLGDGH´ tema renovado com grande rQIDVHQR6HJXQGR&RQFtOLR do Vaticano. Quanto ao Dia de FinaGRV TXH KRMH VH FHOHEUD HP TXH DV SHVVRDV UH]DP tendo em vista o auxiliar das almas no purgatório, foi um IHULDGR¿[DGRSHORVPRQJHV de Cluny-França, durante

Todos os Santos de Fra Angelico, 1423-1424 (National Gallery, London) R VpFXOR  &RP DOJXPD confusão instalada na mente do povo enraizou-se durante o período medieval a crença GHTXHQHVVHGLDDVDOPDVGR purgatório podiam aparecer assumindo as formas de fogo-fåtuo, bruxas, sapos, entre outros. Em Portugal e no dia Dia de Todos-os-Santos subsiste, FRP GL¿FXOGDGH XPD DQWLTXtVVLPDWUDGLomR$VFULDQças saem à rua e juntam-se

Nunca digas desta “geringonçaâ€? nĂŁo beberĂĄs!

MĂ RIO CARVALHO (*)

Terminadas mais umas HOHLo}HV DXWiUTXLFDV ILQdam as últimas tomadas de posse para dar lugar aos novos protagonistas. Politicamente, o mapa de cores partidårias, e não só, sofreu visíveis alteraçþes, voltando a emergir o tom rosa sobre o anterior DODUDQMDGR 7DPEpP DR nível local as coisas mudaram em muitos lados, noutros nem tanto e nalguns ainda nada mudaram. Em Coimbra, a Câmara PDQWHYHVH D ³9DORUL]DU´ FRPRUHVXOWDGRGRUHFRQKHFLPHQWRSRSXODUGRWUDEDOKR IHLWR GXUDQWH TXDWUR DQRV Pese embora, o mapa reSUHVHQWDWLYRWHQKDPXGDGR com a introdução de novos actores do universo inde-

FICHA TÉCNICA EDIĂ‡ĂƒO COIMBRA www.campeaoprovincias.pt

pendente. Para as juntas das freJXHVLDVWDPEpPR36FRQVHJXLXPHOKRUDURVUHVXOWDdos, excepção feita a duas GDVPDLRUHVFRPRpRFDVR da de Santo António dos Olivais e da da União de Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas. Curiosamente, duas freguesias TXHKiPXLWRWHPSRUHSUHsentam as cores laranja (se em termos partidårios TXLVHUPRVGLUHFFLRQDU  Perante uma realidade nacional, sob um Governo do PS, suportado por um DFRUGR j (VTXHUGD FRP D&'8HR%(HWDPEpP o PAN, a Direita teve de VH UHQGHU jV HYLGrQFLDV H ocupar o seu devido lugar na oposição, sem embargo

GH WHU ¿FDGR j IUHQWH QRV resultados das eleiçþes legislativas de 2015. Hå democracia representativa parlamentar. 6HPSUHWLQKDVLGR6XSRVtamente assim continuarå a ser. Não escondendo o ressabiamento por ter JDQKDGRHDRPHVPRWHPSRKDYHUSHUGLGRD'LUHLWD cedo disparou farpas e adjectivou pejorativamente R UHIHULGR DFRUGR GH ³JHULQJRQoD´TXHHPWHUPRV SUiWLFRVVLJQL¿FDTXDOTXHU FRLVD TXH ³IXQFLRQD PDO´ TXDOTXHU FRLVD ³PDODPDQKDGD´ $FRQWHFHTXHWDPEpP em termos pråticos, nem sempre no campo político, a coisa lå vai funcionando e o Governo tem conseguido levar a seu porto, mas mais para Lisboa, com mais ou menos negociação, o seu projecto. Voltando novamente à nossa praça, a Bela Coimbra, a nossa Terra, não GHL[D GH VHU FXULRVR TXL-

Telefone 239 497 750 | Fax 239 497 759 | E-mail campeaojornal@gmail.com Editor/Propriedade REGIVOZ, Empresa de Comunicação, Lda. Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra | NIPC: 504 753 711 Director-Adjunto Rui Avelar (responsåvel executivo por esta edição) Redacção Luís Santos (C.P. 722), Rui Avelar (C.P. 613), Luís Carlos Melo (C.P. 2555) e Diana Baptista (C.P. 10321), Telefone 239 497 750, Fax 239 497 759 Sede/Redacção: Rua Adriano Lucas, 216 Az. D - Eiras 3020-430 Coimbra Director Comercial Carlos Gaspar Directora de Marketing e Publicidade Adelaide Pinto 239 497 750, jornalcp.adelaidepinto@gmail.com

çå engraçado, vislumbrar, DTXLHDOLRDÀRUDPHQWRGH SHTXHQDV ³JHULQJRQoDV´ com a novidade de terem a GLUHFomRGHVDOLQKDGDSDUD a Direita. Podemos, então, remeter a coisa para o campo da ³ItVLFD SROtWLFD´ H DSOLFDU D ³/HLGDDWUDFomRGRVRSRVWRV´2XDWpUHFRUUHUDXP YHOKRGLWDGRSRSXODU³%HP SUHJD)UHL7RPiVROKDSDUD R TXH HOH GL] H QmR ROKHV SDUDRTXHID]´ Portanto, e por tanto, VDEHPRVTXHDSROtWLFDQmR p XP H[HUFtFLR IiFLO QHP nunca foi durante toda a História da Humanidade, PDV ILFD DTXL R UHJLVWR do emergir destas novas ³JHULQJRQoDV´RQWHPj(VTXHUGDKRMHj'LUHLWDHXP GLDTXHPVDEHDR&HQWUR Sejam felizes! E paUDEpQV D WRGRV RV QRYRV HOHLWRV DPLJRV H FRQKHFLGRVj(VTXHUGDj'LUHLWD e ao Centro. Viva Coimbra! (*) Autarca do PS

HP SHTXHQRV JUXSRV SDUD pedir o Pão-por-Deus (ou o EROLQKR  GH SRUWD HP SRUWD O dia de pão-por-deus, ou GLDGHWRGRVRV¿HLVGHIXQWRV HUDRGLDHPTXHVHUHSDUWLD muito pão cozido pelos pobres, tradição jå registada QR VpFXOR ;9 FRP RULJHP no ritual pagão do culto dos mortos, de raízes milenares. Esta tradição teve impulso decisivo em 1756. Como a data do terramoto

de 1755 coincidiu com a data GHVLJQL¿FDGRUHOLJLRVR GH Novembro), a população de Lisboa aproveitou a tradição para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de manter uma traGLomRTXHOHPEUDYDRVVHXV mortos. As pessoas batiam jVSRUWDVHSHGLDPTXHOKHV fosse dado o Pão-por-Deus. Este ano, e para muitos TXH YLYHQFLDUDP GH SHUWR D WUDJpGLD GRV LQFrQGLRV ÀRrestais, a uma escala nunca vista, com perda de vidas e imensos bens, tanto o Dia de Todos-os-Santos, como o Dia dos Finados não se reGX]LUDPDRSHVRKDELWXDOGH TXHPFXPSUHXPFDOHQGiULR Mas sim o momento exacto e apropriado para meditar e UHÀHFWLUHPWXGRTXDQWRDFRQWHFHXHTXHSHUPDQHFHFRPR uma realidade feita de dor e devastação, gerada algures na sombra do Criador. (*) Historiador e investigador

Solvabilidade dos clientes bancĂĄrios TĂ‚NIA VIEIRA*

Foi publicado, em Diårio da República, o aviso 4/2017 TXHFRQVDJUDRVSURFHGLPHQtos a seguir pelas instituiçþes GHFUpGLWRQRFXPSULPHQWRGR dever de avaliação da solvabilidade de clientes bancårios, no âmbito da concessão de FUpGLWRHTXHHQWUDHPYLJRU em 2018. As instituiçþes apenas GHYHP FRQFHGHU FUpGLWR RX aumentar o montante total GRFUpGLWRDRVFRQVXPLGRUHV caso resulte da avaliação de VROYDELOLGDGH TXH p SURYiYHO TXH HVWHV FXPSUDP DV obrigaçþes decorrentes do contrato. Em caso de recusa GH FRQFHVVmR GH FUpGLWR R consumidor deve ser inforPDGRVREUHRVPRWLYRVTXH levaram à tomada de decisão. Antes da concessão de FUpGLWRDVLQVWLWXLo}HVGHYHP DWHQGHU  LGDGH H VLWXDomR SUR¿VVLRQDO GRV FRQVXPLGRUHV5HQGLPHQWRVHGHVSHVDV UHJXODUHV ,QIRUPDomR H[LVtente nas bases de dados de UHVSRQVDELOLGDGHVGHFUpGLWR como por exemplo na Central de Responsabilidades de &UpGLWRGR%DQFRGH3RUWXJDO Devem, ainda, ponderar FLUFXQVWkQFLDV IXWXUDV TXH

possam ter impacto negativo na capacidade de cumSULPHQWR GR FUpGLWR FRPR por exemplo a sua condição GH ¿DGRU RX DYDOLVWD DVVLP como o possível aumento GRLQGH[DQWHQDYLJrQFLDGH FRQWUDWRVGHFUpGLWRDWD[DGH juro variável ou mista. Ficam sujeitos aos noYRV FULWpULRV GH DYDOLDomR GD VROYDELOLGDGH &RQWUDWRV GH FUpGLWR j KDELWDomR RX RXWURVFUpGLWRVJDUDQWLGRVSRU KLSRWHFDRXJDUDQWLDHTXLYDlente, regulados pelo DL n.º $GHGH-XQKR &RQWUDWRV GH FUpGLWR DRV consumidores, regulados pelo DL n.º 133/2009, de 02 GH-XQKRFRPH[FHSomRGDV XOWUDSDVVDJHQVGHFUpGLWR Ficam de fora as situao}HVGHFRQFHVVmRGHFUpGLWR TXHYLVHPSUHYHQLURXUHJXlarizar situações de incumprimento de outros contratos GHFUpGLWR 1RFDVRGHFUpGLWRVLQIHriores a 10 salários mínimos nacionais, ou em aumentos GHFUpGLWRSRUXPSHUtRGRLQIHULRUDWUrVPHVHVDVLQVWLWXLo}HVSRGHPUHFRUUHUDPpWRdos indirectos para proceder à avaliação da solvabilidade. (*) Jurista - DECO Coimbra

Paginação e Maquetagem Nuno Miguel Peres | ImpressĂŁo),*,QG~VWULDV*UiÂżFDV6$Rua Adriano Lucas, 3020-265 Coimbra | Distribuição VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda. R. da Tascoa, n.Âş 16 - 4.Âş Piso, 2745-003 Queluz, Telef. 214 398 500, Fax 214 302 499 Registo 65,3VRERQž,661,&6_DepĂłsito Legal n.Âş 127443/98 Preço de cada nĂşmero 0,75\ Assinatura anual 30,00\ | Tiragem mĂŠdia: 9.000 exemplares LEI DA TRANSPARĂŠNCIA – Propriedade: Regivoz, Empresa de Comunicação, Lda. Capital Social: 5.000,00 euros. Participaçþes no capital: 5iGLR6REHUDQLDHXURV  /LQR$XJXVWR9LQKDOHXURV  GerĂŞncia:/LQR$XJXVWR9LQKDO Estatuto Editorial em www.campeaoprovincias.pt

2VSDJDPHQWRVSDUDR&DPSHmRGDV3URYtQFLDVHPFKHTXHGHYHPVHUHPLWLGRVHPQRPHGH³5HJLYR](PSUHVDGH&RPXQLFDomR/GD´7DPEpPSRGHPVHUIHLWRVSRUWUDQVIHUrQFLDEDQFiULDDWUDYpVGR1,%


02 QUINTA-FEIRA

O NATAL ESTĂ A CHEGAR

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

19

www.campeaoprovincias.pt

Preço:

39018

AMI 7145

130.000 \ 5HI9)

Aberto ao SĂĄbado Ă tarde durante o mĂŞs de Novembro atĂŠ ao Natal

38 99 4

www.terradosrios.com Telem.: 967 473 805 | TĂĄbua

Retrosaria e Loja TĂŞxteis-Lar - Avenida FernĂŁo de MagalhĂŁes

Jantares de Grupos personalizados

&216758d­2&,9,/(2%5$63Ò%/,&$6 SUB-EMPREITADAS

TecidosCoimbra

5XD2OLPSLR1LFRODX5XL)HUQDQGHV 3030-303 Coimbra | Portugal Telef.: 239 829 156 restaurante@jardimdamanga.net www. jardimdamanga.net

39156

ORÇAMENTOS GRà TIS

Telef.: 239 823 422

0 99 38

39049

Tecidos - Rua das Padeira, n.Âş 63

C m e nos A 0 3 HĂĄ

389 94

$YÂ?'Už-RVp*RPHVGD&UX] 1.Âş Andar - Apartado 10 3060-714 Tocha rocha.carlosdiogo@gmail.com Tlm. 966 167 770

oim bra

5HWURVDULD_7r[WHLV/DU

PIC-NIC DOS LEITĂ•ES

39033

5XD-RmRGH5XmR(GLItFLR6RÂżD Loja 49 r/c - 3000-229 Coimbra 7HOI)D[

ENGATES DE REBOQUE E CATALIZADORES

www.geoseguro.pt

DE ARMÉNIO LOURENÇO GASPAR

38 97 7

Encerrados para fĂŠrias de 6 a 29 Outubro Com Matadouro PrĂłprio

Zona Ind. Pedrulha - Coimbra 239 492 015 sociescapes@net.sapo.pt

39032

Restaurante

ALMOÇOS | JANTARES NA ESTRADA NACIONAL N.º 1 Encerra ao Såbado (Em frente ao parque da cidade)

SĂŠrgio Fontes

Sociedade Mediação Imobiliåria Unipessoal, Lda. &(57,),&$d­2(1(5*e7,&$ $&Ò67,&$'((',)Ë&,26 )250$d­2352),66,21$/

37883

7HOHI)D[_7HOP Email: sf.geral@gmail.com www.sf-imobiliaria.pt www.facebook.com/pages/sf-imobiliaria 5XD)DXVWR6DPSDLRQ¾ 3780-231 Anadia

39 16 8

Especialista em Seguros de CondomĂ­nios

PASTELARIA - PADARIA - RESTAURANTE )DEULFR$UWHVDQDO BOLOS DE CASAMENTO - ANIVERSĂ RIO - BAPTIZADO 'LiULDV6QDFN Snack 1 - 3,00\‡6QDFN\‡'LiULDV(FRQyPLFDV\ DiĂĄrias Sirius - 5,50\‡'LiULD([HFXWLYR\

5XDGD6RÂżD&RLPEUD Tlf. 239 823 207 - 937360058 E-mail: sirius.coimbra@gmail.com

37865

7HOHI_)D[ geral@cena.com.pt Rua Dr. Mota Pinto, 300 3220-201 Miranda do Corvo

0HGLDomR3URÂżVVLRQDOGH6HJXURV

38 99 3

7HOHI‡7HOHI)D[ $YGD5HVWDXUDomR‡0($/+$'$ E-mail: restaurantepic-nic@hotmail.com GPS: 40Âş23’1.15’’N 8Âş27’0.60’’W

Avenida Padre JosĂŠ Vicente 3305-110 COJA - Telef.: 235 720 140 artur.amcf@gmail.com

eIiFLOFUHVFHUFRPFRQÂżDQoD

SISTEMAS EM ALUMĂ?NIO 6(59,d26(0,12;_6(55$/+$5,$&,9,/ ESTRUTURAS E COBERTURAS

391 66

39 11 7

Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ Almeida, 329 - Loja 10 3000-045 Santo AntĂłnio dos Olivais - Telef.: 239 482 571 )D[7HOHP sergio@sergiomaldonado-seguros.pt

389 94

7OI_)D[_7OPV / 966 828 901 | Rua da Pontinha, n.Âş 18 | Alcarraques 3025-013 Coimbra | jcgomes.alu@gmail.com

t$0/4536¹¿&4.&5-*$"4t."/65&/¹°0t.0/5"(&. %&&26*1".&/504*/%6453*"*4t56#"(&/4*/%6453*"*4

Telf./Fax 239 834 167 | www.coimbrageste.pt geral@coimbrageste.pt

2 22 2$*&)

SEDE:5XD'RQD0DULDQ¾%XDUFRV)LJXHLUDGD)R] OFICINA: 5XDGD0RUUDFHLUD$UPD]pP 6mR3HGUR&RYD*DOD_)LJXHLUDGD)R] 7HOI_)D[ (PDLOIH]HPHWDO#IH]HPHWDOFRP

 3 –   Ž    62

38486

39 16 9

 ÂŽ   ‡&5(0$dÂŽ(6‡)/25(6‡&$03$6(00Ăˆ5025((*5$1,72 ‡75$7$026'(72'$$'2&80(17$d­25(/$7,9$$2668%6Ă‹',26 *5Ăˆ7,6

‡6(59,d23(50$1(17(3$5$72'223$Ë6((675$1*(,52 ‡$872)81(%5(602'(5126

3DXOR0RQWHLUR‡)HUQDQGR$JRVWLQKR 9tWRU0DUTXHV‡3DXOR/RUHWR Rua Dr. AntĂłnio JosĂŠ de Almeida, 185 (junto Ă Igreja N.ÂŞ Sr.ÂŞ de Lurdes) &2,0%5$_7HO)D[__)D[ E-mail: funeraria-borralho@sapo.pt ANEL

Empresa Recomendada SĂłcio n.Âş 154

9 03 39

Telef.: 239 701 460 Telems.: 966 942 659 Estrada da Beira, 389 r/c 3030-426 COIMBRA


02

ĂšLTIMA

20

www.campeaoprovincias.pt

Coimbra

Ex-bancĂĄrio condenado por peculato HIDOVLĂ€FDomR

Um ex-bancårio acaba de ser punido, pelo Tribunal de Coimbra, com 46 meses de cadeia, devido a peculato HIDOVLÀFDomRGHGRFXPHQWR HKRXYHOXJDUDVXVSHQVmRGD H[HFXomRGDSHQD Pratica peculato o funcionårio que, ilegitimamente, se apropriar, em proveito próprio ou de outra pessoa, de dinheiro ou de qualquer coisa móvel (‌), que lhe tenha sido entregue, esteja na sua posse ou lhe seja DFHVVtYHOHPUD]mRGDVVXDV IXQo}HV Pode haver lugar à susSHQVmRGDH[HFXomRGHXPD SHQDGHSULVmRVHHODQmRH[ceder cinco anos caso o Tribunal entenda que a medida Ê susceptível de ser encarada pelo(a) arguido(a) como uma advertência capaz de lhe fazer DUUHSLDUFDPLQKR O arguido, 38 anos de idade, despedido mediante processo disciplinar, invocou o vício de jogar para explicar a pråtica delituosa, que con-

VLVWLXQDVXEWUDFomRGH euros a uma idosa, cliente da CGD - Caixa Geral de 'HSyVLWRV A Caixa, que ressarciu a FOLHQWHYDLVHUUHHPEROVDGD No horizonte de um ano, o indivíduo, tirando partiGR GD UHODomR GH FRQÀDQoD estabelecida com a idosa, HIHFWXRXOHYDQWDPHQWRV $WUDYpV GH FRQILVVmR livre e espontânea, o arguido GHFODURXQmRVHUHFRQKHFHU QRVDFWRVSUDWLFDGRV Segundo ele, nem um cêntimo foi utilizado para RXWURVÀQVSHVVRDLV Ao indicar ter ganhado, XPDYH]HXURVRLQGLvíduo opinou que isso fez SLRUDU D VLWXDomR SRU TXH HQYHUHGRX´&ULDVHDLOXVmR GHTXHpIiFLO¾GHVDEDIRX Pai de dois filhos menores, o ex-bancårio tem diligenciado no sentido de construir outra carreira proÀVVLRQDOHFRPLVVRDOFDQoDU D UHDELOLWDomR VRFLDO D TXH DVSLUD

QUINTA-FEIRA

DE NOVEMBRO DE 2017 CAMPEĂƒO DAS PROVĂ?NCIAS

Medida entra em vigor no prĂłximo sĂĄbado

Urgência dos Covþes alarga horårio para aliviar os HUC O presidente do ConVHOKR GH $GPLQLVWUDomR GR Centro Hospitalar e Universitårio de Coimbra (CHUC) justifica o alargamento do funcionamento das urgências GR+RVSLWDO*HUDO &RY}HV  jå no próximo såbado (dia   FRP D QHFHVVLGDGH GH descongestionar o pólo dos Hospitais da Universidade +8&  Fernando Regateiro DQXQFLRXDH[WHQVmRGHIXQcionamento nocturno das urgências do Hospital Geral GDVKSDUDDVKQRV dias de semana e a abertura DRÀPGHVHPDQDGDVK jV K $FWXDOPHQWH D mÊdia diårio de doentes atendidos na urgência dos HUC Ê GHHGHQRV&RY}HV ´3UHWHQGHPRVPHOKRUDU o acesso e evitar a grande sobrecarga de procura que se verifica na urgência do pólo central dos CHUC, ao mesmo tempo que damos valor ao Hospital Geral e às IXQo}HVDVVLVWHQFLDLVTXHDOL

O funcionamento ĂŠ atĂŠ Ă s 22h00

VmR GHVHQYROYLGDV¾ GLVVH R UHVSRQViYHO Segundo Fernando ReJDWHLUR ´p FRQYLFomR >GD DGPLQLVWUDomR@ GH TXH DODUgando o horårio para alÊm GDV K SRGHVH FDSWDU para aquela urgência muitos GRHQWHVTXHVHUmRWUDWDGRV provavelmente atÊ, com meQRVWHPSRGHGHPRUD¾ ´6HSURORQJDPRVRKRrårio diårio e estendemos aos sete dias da semana, criamos melhor acessibilidade e, particularmente, para que os doentes que precisam sejam atendidos num tempo PHQRU¾

Por outro lado, acrescentou, o alargamento de funcionamento daquela urgência YLVDWDPEpP´GHVHQYROYHUR equilíbrio de procura entre os dois pólos de urgência para melhorar a assistência e para SURWHFomR GR WUDEDOKR GRV SURÀVVLRQDLV¾ O presidente do ConVHOKRGH$GPLQLVWUDomRGRV CHUC salientou que a urgência do Hospital Geral Ê SROLYDOHQWH H VHUi UHIRUoDGD FRPDSRLRQHXUROyJLFR A sua abertura sete dias SRU VHPDQD GDV K jV KHQTXDGUDVHWDPEpP na resposta aos planos de

contingência das temperaturas extremas (gripe), que estå a ser preparado por aquele FHQWURKRVSLWDODU Fernando Regateiro adiantou, ainda, que estå a ser desenvolvido um plano estratÊgico que vai definir ´PXLWREHPXPDPLVVmRFRerente para o Hospital Geral, articulando os cuidados que lå se prestam de uma forma FRHUHQWH QmR PLVWXUDQGR patamares uns com os outros, mas trabalhando essa RIHUWD HP DUWLFXODomR FRP as outras ofertas dos outros pólos das diversas unidades GR&+8&¾ Ao fim de seis meses VHUi UHDYDOLDGD D H[WHQVmR da urgência do Hospital *HUDOSDUD´VHSHUFHEHUVH a resposta Ê adequada, se SUHFLVDGHVHUUHIRUoDGDRX se precisa de ser focada nouWUD GLUHFomR RX GH RXWURV DSRLRV¾ 2 HQFHUUDPHQWR nocturno da urgência do Hospital Geral ocorreu hå FLQFRDQRV

38044

PUBLICIDADE

Campeão das ProvÍncias (02/11/2017)  
Campeão das ProvÍncias (02/11/2017)  

Edição em PDF n.º 898 do "Campeão das Províncias", publicada a 02/11/2017

Advertisement