Page 1

TELEVISÃO

Grazi Massafera, a estrela da capa Divulgação

A atriz Grazi Massafera, capa da Revista Lançamentos de junho, tem uma carreira sólida e de sucesso. Páginas 24 e 25

ABC Nº 813 - R$ 1,75

DOMINGO

RS, 26/6/2011

JORNAL NH - DIÁRIO DE CANOAS - JORNAL VS - JORNAL DE GRAMADO

COMO PODERIA SER APLICADO O VOTO DISTRITAL NA REGIÃO ABC faz simulação do sistema e explica vantagens para a sociedade. PÁGINAS 6 E 7

INVERNO

ATÉ A BRIGADA

Esperando pela neve de verdade

Ataque de hackers derruba site

Em Canela, turistas se divertiram com a neve artificial enquanto a de verdade não chega ao Estado. Páginas 2 e 14

Nem o site da Brigada Militar escapou do ataque de hackers. A página voltou ao ar no fim da tarde de ontem. Página 9

Patricia Reinhardt/GES-Especial

A DUPLA GRE-NAL Diego da Rosa/GES

em boas mãos

Grohe, de Campo Bom, e Muriel, de Novo Hamburgo, dividiam van para treinar em Porto Alegre. Páginas 28 e 29

CRIMES

Uma festa para quem quer sapato

Mais três são mortos na região

Festa do Sapato atrai turistas de diferentes partes do País e é sucesso de público e de vendas em Campo Bom. Página 3

Ao escalar o Kilimanjaro, o gaúcho Gilberto Thoen fez uma homenagem ao ABC Domingo, jornal que relatou suas aventuras e revelou seu desejo de chegar ao topo da África. Páginas 10 e 11

Arte de Rodrigo Nunes/GES sobre foto de arquivo pessoal

ÀS COMPRAS

Pelo menos três pessoas foram assassinadas na região neste final de semana, duas em São Leopoldo e uma em Imbé. Página 12


ESPECIAL

SIMULAÇÃO

Como aplicar o voto EDUARDO ANDREJEW

Dando sequência ao tema do voto distrital puro, o ABC Domingo elaborou uma simulação de como o modelo pode ser aplicado nos municípios da região. Obedecendo a critérios como número necessário de eleitores, continuidade geográfica e afinidades regionais, foram criados seis distritos

Na última edição, foi abordada a possibilidade e as vantagens de se implantar no Brasil o voto distrital puro para a eleição de parlamentares em todos os níveis: federal, estadual e municipal. Tomando como base esta proposta, o ABC Domingo aplicou o modelo na região. Trata-se apenas de uma simulação para que os leitores entendam melhor como poderia funcionar esse sistema no qual cada candidato disputa votos apenas dentro de seu próprio distrito e depende dele para chegar ao parlamento. Conforme a proposta, o critério principal para dividir as áreas é tomar como base o eleitorado e a quantidade de parlamentares que representam um Estado na Câmara Federal. Ou seja, o número de eleitores de um Estado é dividido pelo total do número de deputados federais que possui. O resultado dessa divisão será a quantidade aproximada de votantes que cada distrito deverá ter. No caso do Rio Grande do Sul, são mais de 8 milhões de eleitores e 31 deputados federais. Chegou-se assim ao coeficiente de 260 mil. Nesta simulação, cada distrito com essa quantidade aproximada de pessoas aptas a votar elege um deputado federal e dois estaduais. Além da quantidade ideal de eleitores, os limites geográficos foram de-

finidos levando em conta a continuidade territorial e, na medida do possível, as afinidades regionais. Foram criados seis distritos na região, todos com o eleitorado próximo do coeficiente de 260 mil. Também é importante frisar que, seguindo um modelo adotado nos Estados Unidos, cada distrito pode se subdividir para a escolha dos dois deputados estaduais. Por exemplo, no distrito 3 da simulação ao lado, Novo Hamburgo poderia eleger sozinho um deputado estadual e Campo Bom e Sapiranga, juntos, o outro representante do distrito na Assembleia Legislativa. No mapa, estão as simulações feitas pelo ABC. Mas é importante frisar: são apenas projeções para ajudar o eleitor a entender e a avaliar como é na prática o voto distrital puro e o que ele pode representar para sua comunidade. Vale acrescentar que, se no futuro esse modelo for adotado, a própria sociedade poderá ser chamada para opinar sobre a conformação das áreas, que serão definidas tecnicamente pela Justiça Eleitoral. Importante observar que nos Estados Unidos, onde o voto distrital puro é realidade, sempre se faz uma contagem de eleitores a cada 10 anos para que os distritos tenham a justa representação, o que certamente precisará ser feito no Brasil.

Domingo, 26.6.2011 / ABC DOMINGO

Modelo vai qualificar a escolha de deputados

6

O voto distrital puro é o sistema que mais aproxima o eleitor do seu representante. Ao contrário do que ocorre hoje, em que um candidato pode ter votos em todo o Estado, o parlamentar é eleito por apenas uma área restrita: o seu distrito. Portanto, tem condições de compreender melhor quais são as principais demandas da localidade. Além disso, tem um público definido para prestar contas, pois os eleitores se lembrarão dele. Outra vantagem é que a campanha eleitoral fica muito mais barata, pois o candidato tem uma área geográfica menor para percorrer – no lugar de procurar elei-

tores em todo o Estado, ele irá conquistar votos no seu distrito. O menor custo desestimula a corrupção e permite um pleito mais igualitário entre diferentes candidatos. Pelo menos em tese, não haverá uma diferença tão grande entre campanhas “mais ricas” e “mais pobres”. A redução da área também traz outro benefício ao pleito. O candidato não terá facilidade só para compreender as principais demandas do seu distrito. Por ter um envolvimento maior com a realidade de sua região, poderá inclusive antecipar questões que ganharão maior relevância no futuro para essa comunidade.

DISTRITOS Neste gráfico, estão as projeções dos municípios da região formando distritos com base no número aproximado de eleitores e da continuidade geográfica, também se considerando, onde possível, o fato de pertencerem a um mesmo Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede). No caso daqueles distritos sem votos suficientes, foram acrescentadas cidades vizinhas de fora da região para que o número ficasse o mais próximo possível dos 260 mil necessários para eleger um deputado federal e dois estaduais na simulação elaborada pelo ABC Domingo.

DISTRITO 1

DISTRITO 4

2 municípios 284.905 eleitores

27 municípios 226.039 eleitores

Característica O distrito 1 é composto por duas cidades de grande densidade demográfica: Canoas e Esteio, ambas do Corede Vale do Sinos.

Característica O distrito 4 congrega o maior número de municípios, pois cada um dos 27 tem população pequena. A maior parte é do Corede do Caí.

DISTRITO 2

DISTRITO 5

4 municípios 290.349 eleitores

14 municípios 234.689 eleitores

Característica No caso do segundo distrito, São Leopoldo e Sapucaia do Sul, cidades com elevado número de eleitores, ficaram unidas a Nova Santa Rita e Portão, municípios com maior extensão territorial, mas com uma população de eleitores muito menor. Todas essas cidades também pertencem ao Corede Vale do Sinos.

Característica Além dos 12 municípios que estão na região de abrangência do ABC Domingo, o distrito 5 agregaria mais duas cidades fronteiriças a São Francisco de Paula para se aproximar do coeficiente necessário: Jaquirana e Cambará do Sul, que não estão representadas no mapa, mas entram no cálculo.

DISTRITO 3

DISTRITO 6

3 municípios 278.493 eleitores

22 municípios 257.039 eleitores

Característica O distrito 3 é o segundo menor no que diz respeito à extensão territorial, com três cidades: Novo Hamburgo, Campo Bom e Sapiranga. Mas é o terceiro maior no que se refere a número de eleitores. É outro caso de distrito formado com municípios de um mesmo Corede, o Vale do Sinos.

Característica Os municípios de Tramandaí, Osório, Imbé e Santo Antônio da Patrulha são as cidades da região que participam do distrito de número 6. Para atingir o coeficiente, foram incluídas na soma as demais cidades do Corede Litoral, que abrange de Mostardas a Mampituba.


ESPECIAL

distrital na região E TAMBÉM... Também fazem parte do distrito 5 as cidades de Jaquirana e Cambará do Sul.

COMO FOI FEITO

E TAMBÉM...

O coeficiente foi obtido com a divisão do número de eleitores gaúchos, que são 8.077.186, pelo de deputados federais, que são 31 no Rio Grande do Sul. Portanto, 260 mil eleitores é o número aproximado de votantes que um distrito deve ter para eleger um deputado federal e dois estaduais na simulação. No caso de distritos que ficaram abaixo do coeficiente, foram agregadas cidades vizinhas para se aproximar do índice.

Além de Santo Antônio da Patrulha, Osório, Imbé e Tramandaí, o distrito 6 conta com outras cidades que não estão no mapa, todas do Corede Litoral. São elas: Arroio do Sal, Balneário Pinhal, Capão da Canoa, Capivari do Sul, Caraá, Cidreira, Dom Pedro de Alcântara, Itati, Mampituba, Maquiné, Morrinhos do Sul, Mostardas, Palmares do Sul, Terra de Areia, Torres, Três Cachoeiras, Três Forquilhas e Xangri-lá.

ELEITORES Veja abaixo o número de eleitores de cada cidade da região de cobertura do ABC Domingo. Os dados são do Tribunal Regional Eleitoral, conforme a atualização do dia 13 de junho.

Alto Feliz Araricá Barão Bom Princípio Brochier Campo Bom Canela Canoas Capela de Santana Dois Irmãos Estância Velha Esteio Feliz Gramado Harmonia Igrejinha Imbé Ivoti Lindolfo Collor Linha Nova Maratá Montenegro Morro Reuter Nova Hartz Nova Petrópolis Nova Santa Rita Novo Hamburgo Osório Pareci Novo Parobé Picada Café Portão Presidente Lucena Riozinho Rolante Salvador do Sul S. Maria do Herval S. A. da Patrulha S. F. de Paula S. J. do Hortêncio São José do Sul São Leopoldo S. P. da Serra S. S. do Caí São Vendelino Sapiranga Sapucaia do Sul Taquara Tramandaí Três Coroas Tupandi Vale Real Total

2.372 4.078 4.362 8.727 3.835 47.283 27.708 218.981 7.805 20.643 30.386 65.924 9.962 26.714 3.622 23.747 14.016 14.322 4.065 1.278 2.167 42.833 4.675 13.218 15.697 15.693 174.619 31.879 2.845 35.089 4.017 21.645 1.990 3.841 14.470 5.243 4.963 30.390 15.414 3.323 1.731 154.468 2.744 18.062 1.884 56.591 98.543 39.329 30.437 16.749 3.211 4.238 1.411.828

Domingo, 26.6.2011 / ABC DOMINGO

Eduardo Closs/GES

7


Como poderia ser aplicado o Voto Distrital na região  

ABC faz simulação do sistema e explica vantagens para a sociedade

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you