Page 1


MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA E PESQUISA EM SAÚDE

RELATÓRIO 2016

RELATÓRIO Nº 3 RIO DE JANEIRO FIOCRUZ / ICICT 2016


EXPEDIENTE

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS)

COORDENAÇÃO DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

Ricardo Barros

Ruy Casale

SECRETARIA DE GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO DA SAÚDE (SGTES/MS)

COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO

Rogério Luiz Zeirak Abdalla

Rafael Cavadas REDAÇÃO

DEPARTAMENTO DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE (DEGES/SGTES/MS)

Claudia Brandão Gonçalves Silva

Roberta Monteiro Raupp Stefanie Kulpa Marco Aurelio Rezende

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ (FIOCRUZ)

EDIÇÃO E REVISÃO

Paulo Ernani Gadelha

Maria da Conceição Carvalho Rodrigues de Carvalho Rafael Cavadas Camila da Silva Cruz Jullia Mendonça Roberta Monteiro Raupp

VICE-PRESIDÊNCIA DE ENSINO, INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (VPEIC/FIOCRUZ)

Nísia Trindade Lima INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚDE (ICICT/FIOCRUZ)

COORDENAÇÃO GRÁFICA

Umberto Trigueiros

Sandra Araujo

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO (GHC)

CAPA E PROJETO GRÁFICO

Adriana Denise Acker Ibanez Ferreira Filter Mauro Fett Sparta de Souza

DIAGRAMAÇÃO

Sandra Araujo

Maria Cristina Soares Guimarães

Sandra Araujo Paula Xavier Ana Terra Santos

COORDENAÇÃO EXECUTIVA

FOTOGRAFIAS

COORDENAÇÃO DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO

Maria da Conceição Rodrigues de Carvalho Ruy Casale Mel Bonfim Ester Cristina Machado Ruas

Pauliran Freitas Arthur Custódio Banco de imagens Embratur

Ficha catalográfica elaborada por Bruna Beltrão Belinato CRB-7/6747 B823

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Caminhos do Cuidado : relatório 2016 / Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde ; Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde ; Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. – Rio de Janeiro : FIOCRUZ/Icict, 2016. 212 p. : il.color. ; 30 cm. Relatório nº 3. 1. Saúde mental. 2. Atenção básica. 3. Atenção integral. 4. Educação permanente. I. Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. II. Grupo Hospitalar Conceição. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. III. Título. CDD 362.29


SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.....................................................................................................................................................................................................6 CAPÍTULO 1 — A EQUIPE NACIONAL DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO

8

1.1. GRUPO CONDUTOR ................................................................................................................................................................................11 1.2. COORDENAÇÃO EXECUTIVA ........................................................................................................................................................... 12 1.3. EQUIPE MACRORREGIONAL ............................................................................................................................................................. 12 1.4. EQUIPE PEDAGÓGICA ..........................................................................................................................................................................13 1.4.1. A construção do material pedagógico...................................................................................................................................13 1.4.2. Seleção e formação de orientadores e tutores de aprendizagem.............................................................................14 1.4.3. A plataforma virtual Comunidades de Prática (CdP) como estratégia de formação............................................. 15 1.5. EQUIPE DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA ............................................................................................................................. 16 1.5.1. A construção do modelo Caminhos do Cuidado................................................................................................................17 1.6. EQUIPE ACADÊMICA ............................................................................................................................................................................ 18 1.7. EQUIPE DE COMUNICAÇÃO ............................................................................................................................................................... 19 1.7.1. Produção: a criação da logomarca Caminhos do Cuidado............................................................................................. 19 1.7.2. Circulação: estratégias de comunicação para o projeto Caminhos do Cuidado..................................................20 1.7.3. Apropriação: as muitas falas do Caminhos do Cuidado................................................................................................. 21 CAPÍTULO 2 — COORDENAÇÕES ESTADUAIS: O CAMINHOS DO CUIDADO NA PERSPECTIVA DOS ESTADOS 22 Acre............................................................................................................................................................ 24 Alagoas......................................................................................................................................................28 Amapá........................................................................................................................................................ 32 Amazonas.................................................................................................................................................. 36 Bahia.. .........................................................................................................................................................40 Ceará. . ........................................................................................................................................................50 Distrito Federal.........................................................................................................................................56 Espírito Santo. . ..........................................................................................................................................60 Goiás.......................................................................................................................................................... 64 Maranhão................................................................................................................................................... 70 Mato Grosso.............................................................................................................................................. 76 Mato Grosso do Sul.................................................................................................................................80 Minas Gerais............................................................................................................................................. 84 Pará.. ...........................................................................................................................................................96 Paraíba..................................................................................................................................................... 102 Paraná...................................................................................................................................................... 106 Pernambuco............................................................................................................................................. 112 Piauí. . ......................................................................................................................................................... 118 Rio de Janeiro . . ....................................................................................................................................... 122 Rio Grande do Norte.. ............................................................................................................................ 126 Rio Grande do Sul.................................................................................................................................. 130 Rondônia. . ................................................................................................................................................ 136 Roraima.................................................................................................................................................... 140 Santa Catarina.........................................................................................................................................144 São Paulo . . ............................................................................................................................................... 150 Sergipe.. ................................................................................................................................................... 156 Tocantins . . ................................................................................................................................................ 160 A DIMENSÃO DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO NOS ESTADOS

164

LINHA DO TEMPO.............................................................................................................................................................................................. 174 NÚMEROS DO PROJETO.................................................................................................................................................................................. 181 AGRADECIMENTOS...........................................................................................................................................................................................182 REFERÊNCIAS.................................................................................................................................................................................................... 206


6

APRESENTAÇÃO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

É com alegria que apresentamos o Relatório de Atividades 2013-2016: um testemunho do fazer do Caminhos do Cuidado; um registro histórico de uma tecnologia social desenvolvida para o Sistema Único de Saúde e uma prestação de contas ao Estado e à sociedade dos inúmeros recursos, humanos e materiais, mobilizados na pavimentação desse caminho. Para além da necessária transparência e cuidado no trato da coisa pública, nossa responsabilidade também se atém ao compartilhamento de uma experiência coletiva única em favor da saúde integral. Aqui, nos orgulhamos de descrever a face interna do projeto, sua estruturação e seus fluxos, dando voz e autoria a alguns dos profissionais de diferentes formações, e de todas as regiões do país que, ao longo de 48 meses, deram o melhor de si para alcançarmos o êxito do projeto. A todos, sempre, o nosso muito obrigado. Por certo não estamos nos despedindo, apenas fechando um capítulo desse grande compromisso público de todos nós com a saúde. Nossos vínculos se mantém, e esperamos poder continuar trilhando, juntos, outros caminhos.

Coordenação do Caminhos do Cuidado Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) e Escola do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC)

7


8

CAPÍTULO 1

A EQUIPE NACIONAL DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Muitos caminhos percorridos, desafios superados, lições aprendidas e inúmeras experiências valiosas compartilhadas. Ao refletirmos sobre o que representou o projeto Caminhos do Cuidado, deparamo-nos com resultados exitosos que são medidos não apenas pela superação da meta quantitativa prevista inicialmente, mas também pela potência que o projeto se tornou ao deixar marcas nos territórios por onde percorreu e nos atores envolvidos no processo de formação. A implementação do Caminhos do Cuidado contou com a determinação de centenas de pessoas, de norte a sul, de leste a oeste do país, que atuaram intensamente em todas as etapas do projeto – do planejamento à execução, para que ele se tornasse uma realidade presente em todos os estados brasileiros. O Caminhos do Cuidado surgiu a partir de uma demanda do Ministério da Saúde para a ampliação do cuidado em Saúde Mental na Atenção Básica, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas, mediante a formação dos trabalhadores de saúde que atuam na porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS): os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). Segundo o assessor técnico da Coordenação de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do Ministério da Saúde, Cláudio Barreiros, o agente de saúde é peça-chave para o processo de atenção à saúde no contexto de álcool e outras drogas que, por não se tratar de uma ação específica de um especialista, deve envolver outros profissionais e a sociedade com o objetivo de atuarem em conjunto para além das ações intersetoriais. “O projeto apontou na direção de que a atuação do agente de saúde não pode ficar restrita à ação baseada na doença, sendo um processo político e de articulação da atenção dentro do território e da comunidade”, considerou o assessor técnico. A lógica da atenção à saúde para dentro do território, reafirmada pelo Caminhos do Cuidado, de acordo com Barreiros, despertou paradigmas que o ACS, muitas vezes, já dispunha ao fazer uso de ferramentas de abordagem e de vinculação. Para o profissional, o curso caminhou no sentido de reconhecer quais práticas são potentes para desenvolver ações de qualidade na atenção ao usuário, trabalhando com as motivações que levam os sujeitos ao uso abusivo de crack, álcool e outras drogas. A realização do projeto teve início em julho de 2013, a partir do convite do Ministério da Saúde, por intermédio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), ao Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Icict/Fiocruz), ao Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), e à Rede Governo Colaborativo em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Com uma meta ousada de alcançar todas as regiões de saúde do país, o projeto superou a proposta inicial e ofereceu 292.899 vagas, contando com a participação de 284.868 alunos em todo território nacional. Tal capilaridade para dentro dos estados favoreceu o fortalecimento das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) das 27 unidades federativas brasileiras, como atores estratégicos para a formação dos trabalhadores do SUS, cujo protagonismo foi de extrema importância, inclusive, para o processo de articulação política do Caminhos do Cuidado. Foram realizadas negociações e pactuações com diversas instituições do SUS, nos âmbitos estadual e municipal, com os Conselhos de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), com as coordenações de Atenção Básica, de Saúde Mental e de Educação Permanente, bem como com os comitês gestores locais do programa “Crack, É Possível Vencer!”. Na visão do psicólogo sanitarista e consultor técnico do Departamento de Atenção Básica (DAB) do Ministério da Saúde, Marcelo Pedra, o projeto Caminhos do Cuidado apresentou dois pontos para a Atenção Básica: a redução de danos enquanto uma ética e a questão da produção subjetiva dos sujeitos para a clínica na Atenção Primária. Para Pedra, é fundamental que o profissional de saúde seja menos prescritivo e esteja disponível para compor junto com o sujeito sobre a forma que ele constrói a sua vida e reage a determinadas situações. O psicólogo sanitarista ressaltou, ainda, que é preciso ampliar a discussão sobre o cuidado no âmbito dos trabalhadores e gestores de saúde, a fim de que a dimensão clínica e de interven-

9


10

ção do profissional aconteça a partir da reflexão de como as drogas ganham circulação na vida do sujeito e como os serviços têm atuado nesse sentido enquanto políticas públicas. A complexidade da temática abordada e as diferentes dimensões que o projeto abrangeu exigiram, na prática, a constituição de equipes que foram definidas por áreas estratégicas do Caminhos do Cuidado. Para tanto, a estrutura organizacional do projeto foi desenhada a partir da formação de um grupo condutor e das seguintes coordenações e equipes: Executiva, Infraestrutura e Logística, Acadêmica, Pedagógica, Comunicação, Macrorregional e Estadual. Organograma do Grupo Condutor do Processo de Formação do Projeto Caminhos do Cuidado:

Vale salientar que as atividades desenvolvidas por cada coordenação e equipe do projeto dependiam diretamente das ações executadas pelas outras equipes e, portanto, aconteceram de forma orgânica e transversal. Foram perceptíveis as muitas interações entre os colaboradores do Caminhos do Cuidado em todas as suas etapas, no sentido de somar esforços para obter bons resultados. Toda essa caminhada gerou uma intensidade de sentimentos, ensinamentos e novas experiências, que foram registrados por meio de entrevistas, cujo conteúdo constrói a história oral do projeto. Ao final do processo formativo, cada equipe comprometeu-se a redigir um relatório apresentando suas impressões sobre a trajetória do Caminhos do Cuidado do ponto de vista de sua área de atuação. Como diz a canção “Caminhos do Coração”, do intérprete Gonzaguinha (1982), que serviu de inspiração para a identidade do projeto Caminhos do Cuidado “(...) E aprendi que se depende sempre, de tanta, muita, diferente gente, toda pessoa sempre é as marcas, das lições diárias de outras tantas pessoas (...)”, podemos observar nos depoimentos e relatórios finais que esse percurso também deixou marcas significativas para o fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde, em relação à luta por um cuidado humanizado em Saúde Mental e na Política de Educação Permanente em Saúde. Nas páginas que se seguem, apresentaremos os caminhos trilhados pelo projeto na perspectiva dos seus próprios trabalhadores, dando voz às equipes e coordenações do Caminhos do Cuidado. O percurso envolveu algumas etapas, que incluíram além da estruturação dos grupos de trabalho, a elaboração do material pedagógico, de um modelo acadêmico de ensino e um jeito próprio de se comunicar com todo o território brasileiro. As declarações proferidas pelos caminhantes são mais do que memórias, são registros que carregam a essência da construção da história do projeto em nosso país. Ressaltamos que os textos apresentados aqui são sínteses da história oral e dos relatórios finais das coordenações e equipes do projeto, que podem ser conferidos, na íntegra, no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio.caminhosdocuidado.org).


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

1.1. GRUPO CONDUTOR O Grupo Condutor do projeto Caminhos do Cuidado foi composto por representantes da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (Deges), ambos do Ministério da Saúde; do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz); da Escola do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC); e das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS). Muitas reuniões e oficinas do Grupo Condutor antecederam o processo formativo do Caminhos do Cuidado, onde foram elaboradas estratégias e diretrizes para operacionalizar o projeto e discutidas as condições para a sustentabilidade técnica e política do mesmo. O Grupo Condutor também assumiu a responsabilidade de monitorar a execução do projeto e de responder às instâncias governamentais. Nos primeiros encontros, em 2013, foram abordadas questões referentes ao desenho inicial do projeto, aos objetivos do curso, à organização nacional e estadual para a execução das formações e à agenda de trabalho. Neste período, iniciou-se a discussão sobre a produção de uma matriz de competências de campo e núcleo dos conteúdos a serem trabalhados, das propostas metodológicas nas temáticas relacionadas e dos atores que poderiam contribuir para a elaboração do material didático. De acordo com a diretora da Escola GHC e membro do Grupo Condutor, Quellen da Silva, o grande desafio encontrado, inicialmente no período de planejamento e execução do projeto, foi pensar nas diversidades existentes no país, direcionando o olhar para as reais necessidades de cada território. Para a diretora, um dos pontos fundamentais para a realização das formações foram as pactuações políticas que ocorreram dentro de macro contextos diferentes de cada região brasileira. “A linguagem e, principalmente, a questão política-administrativa de cada região foram importantes porque se tratou de um projeto que veio do Ministério da Saúde e nós buscamos construí-lo junto com cada lugar. E todas as localidades têm uma forma própria de constituição e organização política-administrativa”, considerou Quellen da Silva. Neste contexto, o membro do Grupo Condutor e, na época, também diretor do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (Deges/SGTES/MS), Alexandre Medeiros, salientou que o grande êxito do projeto foi apostar em algo tão singelo e especial que é o cuidado, o qual trouxe uma enorme possibilidade de ampliar os horizontes para a reflexão. “O Caminhos do Cuidado não foi uma ação isolada, fez parte de algo maior que foi se integrando em um esforço tão relevante para levar saúde à população brasileira. Por ser um projeto de grandes dimensões, que atuou com processos presenciais em praticamente todos os municípios brasileiros, tornou-se fundamental agregar diversos atores dos territórios, mobilizando muitas instituições, profissionais de saúde e os próprios agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem”, enfatizou. Segundo Medeiros, um dos grandes desafios do projeto foi conseguir agregar pessoas que tinham pensamentos e experiências tão diferentes em uma mesma mobilização para o cuidado e enfrentamento ao problema das drogas, que envolve uma série de questões. Para ele, o Caminhos do Cuidado teve como grande virtude a capacidade de ensinar a navegar, pois somente foi possível acontecer em cada um dos lugares por onde ele seguiu trilhando. “A partir de algumas diretrizes, pressupostos e princípios, o projeto conseguiu definir espaço e forma para abordar a questão da Saúde Mental e das drogas, deixando muito claro que nenhuma hipótese sobre os problemas de saúde se resolve a partir de processos que não sejam singulares. E é somente esse jeito singular que vai definir o sucesso da intervenção, porque ela sempre vai ser de uma relação humana, de encontro, de motivação do outro com o autocuidado”, ressaltou Medeiros. Para a integrante do Grupo Condutor e do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (Deges/SGTES/ MS), Mônica Durães, o projeto Caminhos do Cuidado foi capaz de mobilizar equipes ao propor uma lógica pedagógica de reflexão sobre o cotidiano, movimentando toda uma rede – ACSs, auxiliares e técnicos de enfermagem, tutores e orientadores de aprendizagem – a pensar no cuidado em suas atividades do dia a dia.

11


12

Mônica Durães destacou também que, apesar dos desafios encontrados, houve grande mobilização de serviços e de pessoas para a questão da Saúde Mental, inclusive, de aproximação das ETSUS que, até então, não haviam trabalhado ativamente com a temática. No que concerne à execução do projeto, ela ressaltou a importância do trabalho ter sido conduzido de forma centralizada pelo Icict/Fiocruz e pelo GHC para questões que envolveram os aspectos administrativos e de gestão, e descentralizada para os processos relacionados à formação, de acordo com os diferentes contextos de cada território. “Aprendemos que são necessárias novas propostas com outros arranjos, de acordo com a especificidade e o desenho de ações dessa magnitude. Isso ocorreu mediante várias aproximações, ao planejar e replanejar, e estivemos muito abertos à escuta e adequação, mas sempre olhando a gestão e eficiência do projeto para garantir a qualidade. E o resultado foi muito positivo”, considerou.

1.2. COORDENAÇÃO EXECUTIVA A Coordenação Executiva do Caminhos do Cuidado foi responsável por monitorar e assegurar as condições necessárias para a realização das atividades nos prazos acordados, conforme definição do Grupo Condutor, bem como gerenciar as demais equipes envolvidas no projeto. A coordenadora executiva, Maria da Conceição Carvalho, conta que o projeto envolveu um grande esforço coletivo para os bons resultados alcançados e que uma das estratégias utilizadas foi constituir equipes macrorregionais para servirem de ponte entre os estados e as demais regiões contempladas. Além dessas equipes macrorregionais, cada unidade federativa teve um coordenador estadual, que atuava em articulação com os apoiadores e educadores para a formação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas. Maria da Conceição Carvalho destacou, ainda, a importância de as equipes do projeto estarem integradas e compreenderem sobre os processos de trabalho desenvolvidos pelas demais áreas do Caminhos do Cuidado, principalmente por contar com profissionais residentes, tanto na cidade do Rio de Janeiro quanto em Porto Alegre. Para isso realizou-se um encontro entre as diferentes equipes do projeto, conforme relatou a coordenadora executiva: “Na ocasião, foram explicados todos os trâmites de cada solicitação de viagem, de como se fazia uma requisição de compras. Ao mostrarmos como eram feitos todos os processos e caminhos de um procedimento de gestão, o grupo passou a se sentir mais unido e conseguimos trabalhar melhor”.

1.3. EQUIPE MACRORREGIONAL As sete equipes macrorregionais do Caminhos do Cuidado atuaram como elos entre as ações locais e nacionais, facilitando a articulação entre os grupos de trabalho nacionais e estaduais em cada etapa do processo formativo e construindo importantes fluxos de atuação para a maior resolutividade das atividades. Também coube às equipes planejar e monitorar a formação dos alunos nas diferentes regiões do país, assim como acompanhar e avaliar os cronogramas das ações, bem como mediar a pactuação com instituições e gestores municipais e estaduais para a execução do projeto. Consideradas uma potência para o Caminhos do Cuidado pelo fato de interligarem os diversos atores envolvidos no processo de formação, as macrorregionais transitaram por todos os grupos do projeto, “conectando pessoas e serviços, acolhendo receios e problematizando práticas”, segundo a coordenadora macrorregional Sul, Renata Gusmão. Para ela, cada território tinha uma infinidade de histórias para contar, principalmente no que se refere à micropolítica dessas construções que, em sua visão, representou as diversidades que o projeto sempre buscou potencializar. Já a coordenadora macrorregional Nordeste II, Fracéli dos Santos, salientou a participação das equipes macrorregionais nas muitas reuniões com os diretores de Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS), representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e das Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde de todo o país, configurando os grupos de trabalho como agenciadores di-


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

retos dos processos junto aos estados. “Tentamos sensibilizar que a organização do colegiado gestor não se dava apenas em função da execução de turmas, mas também para permitir que os atores envolvidos tivessem um espaço de diálogo”, considerou Francéli dos Santos. Por sua vez, a coordenadora macrorregional Sudeste, Anna Letícia Ventre, ressaltou também que estar nesta posição a levou ao exercício de dois termos fundamentais para a sua atuação: a “escuta da escuta” e a “criação-autoria”. Em suas palavras, “a escuta da escuta atravessou o projeto a todo instante: escuta da equipe nacional e estadual, do tutor, do município, o exercício da alquimia necessária para não fechar os ouvidos para a alteridade mínima essencial. Já a criação-autoria, carimba-se na medida em que se tornou vital proporcionar o espaço potencial de criação aos territórios, deixando-os reverberar em pequenos pontos de vazio, de silêncio e deixar brotar uma invenção mínima, que propiciasse uma rota mais autêntica e, com isso, mais genuína nos poros de cada cidade”.

1.4. EQUIPE PEDAGÓGICA A equipe pedagógica do projeto Caminhos do Cuidado foi responsável pela elaboração do curso oferecido para os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, assim como a formação dos tutores e orientadores. Além disso, planejou e coordenou as oficinas de validação e avaliação permanente do processo pedagógico, das tecnologias de aprendizagem e do material didático desenvolvido para o processo formativo. De acordo com a membro da Coordenação Executiva, Edelves Rodrigues, a equipe representou o fio condutor de todo o processo de construção do projeto. “A partir da modelagem pedagógica, passamos a pensar e a criar todos os outros caminhos, tais como a concepção visual e de comunicação, os fluxos acadêmicos, de tecnologia da informação e de infraestrutura e logística. Foi assim, através das concepções teóricas e das práticas pedagógicas, que o projeto ganhou nome, estruturou suas equipes e levou para todo o Brasil uma proposta de cuidado”, destacou. Na visão da coordenadora macrorregional Sul, Renata Gusmão, a proposta pedagógica foi um dos grandes diferenciais do Caminhos do Cuidado ao estimular ações de Educação Permanente em Saúde, por meio da problematização do cotidiano e como forma de ensino-aprendizagem. Para ela, o projeto rompeu com o modelo manicomial que ainda ronda muitos imaginários quando o assunto é Saúde Mental e o uso abusivo de crack, álcool e outras drogas, remetendo o pensamento para o cuidado como um processo múltiplo, de infinitos caminhos, que pode se qualificar na inclusão do outro, no acolhimento e na escuta. Na mesma perspectiva, a coordenadora macrorregional Sudeste, Anna Letícia Ventre, considerou que o Núcleo Pedagógico foi, de certa forma, o coração do projeto. “A partir das concepções iniciais no âmbito dos conteúdos e na proposta metodológica, o projeto foi se constituindo. Composição múltipla, particular, desafiadora, de fazer encontrar os preâmbulos do cuidado entre ferramentas de presença, distância, virtualidade e jeitos”, disse a coordenadora.

1.4.1. A construção do material pedagógico O projeto Caminhos do Cuidado foi construído a partir de estratégias pedagógicas que visam potencializar a atenção aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e a seus familiares, capazes de ampliar a caixa de ferramentas de trabalho para as práticas de cuidado em Saúde Mental, com ênfase nos problemas relacionados ao uso de crack, álcool e outras drogas, em uma perspectiva de Educação Permanente em Saúde. Para a coordenadora pedagógica, Renata Pekelman, os aspectos metodológicos que orientaram o processo pedagógico do curso tiveram como base a construção do diálogo, a problematização e o reconhecimento dos saberes que os profissionais produzem no seu fazer cotidiano em saúde. Buscou-se, portanto, incentivar reflexões sobre a prática do dia a dia do trabalho em saúde para dentro da sala de aula. “O curso foi essencialmente participativo, construído em roda, onde a palavra de todos foi ouvida e desejada”, ressaltou a coordenadora pedagógica.

13


14

Para tanto, o Caminhos do Cuidado contou com um desenho diversificado de categorias profissionais que compartilharam experiências sobre o processo de Educação Permanente em Saúde, práticas de cuidado em Saúde Mental e na Atenção Básica, trabalho em rede e promoção de saúde. Ao todo, foram mobilizados 10 educadores, 10 apoiadores, dois consultores, além da participação de coordenadores e gestores nacionais, para a produção do material e das ações pedagógicas presenciais e de educação a distância (EAD). O material educativo “Formação em Saúde Mental (Crack, Álcool e outras Drogas)” foi desenvolvido no formato de Caderno do Tutor e Caderno do Aluno, sendo pensado de acordo com a dimensão territorial brasileira, suas diversidades regionais e especificidades locais, de forma que alcançasse a totalidade de agentes comunitários de saúde (ACSs) e uma porcentagem dos auxiliares e técnicos de enfermagem que atuavam na Estratégia Saúde da Família (ESF). “Foi um grande desafio elaborar um único material para todo o país, devido à grande diversidade, e de forma que ele se adequasse às diferentes realidades, reinventando-se na prática a partir das discussões”, ressaltou a membro da Coordenação Executiva do projeto, Edelves Rodrigues. A coordenadora pedagógica, Renata Pekelman, explicou que o material educativo contou com três eixos temáticos balizadores: Conhecendo o território, as redes de atenção, os conceitos, políticas e as práticas de cuidado em Saúde Mental; A caixa de ferramentas dos ACSs e ATENFs na Atenção Básica; e Reforma psiquiátrica, redução de danos e integralidade do cuidado como diretrizes para intervenção em Saúde Mental e no uso de crack, álcool e outras drogas. De acordo com a coordenadora macrorregional Sul, Renata Gusmão, o material pedagógico foi um dos pontos mais elogiados do projeto, sendo considerado por muitos atores envolvidos com o processo formativo como o diferencial do Caminhos do Cuidado. “Apesar de ser um material didático, esteve aberto à autoria e criação. Representou um convite ao silêncio dentro da alma, necessário para uma escuta qualificada, para um acolhimento de fato, olhando os recursos de cada território, trazendo o que estava do lado de fora dos serviços de saúde para compor a rede, a linha de cuidado, desenhar os caminhos do cuidado para um encontro com aqueles que, muitas vezes, ocupavam territórios proibidos e invisíveis”, considerou Renata Gusmão. Ao término da etapa de construção do material pedagógico, realizou-se uma oficina de validação dos mesmos com a participação de ACSs, auxiliares e técnicos de enfermagem de várias regiões do país, cujas contribuições foram incorporadas aos textos. Foram elaborados também o Guia de Saúde Mental e DVDs com vídeos e referências bibliográficas, com o objetivo de ofertar material de pesquisa e fundamentação teórica para os tutores conduzirem as formações. Na visão da coordenadora macrorregional Centro-Oeste, Lenice Koltermann, o conjunto de materiais produzidos para o curso atendeu ao cronograma e à carga horária prevista para a formação. Em suas palavras, “o material foi avaliado de forma positiva pelos alunos, tutores, orientadores e diretores das escolas técnicas, permitindo aos alunos, nos momentos presenciais e de dispersão, a troca de experiências e a construção de novos caminhos para o enfrentamento da temática abordada pelo Caminhos do Cuidado”, ressaltou Lenice Koltermann.

1.4.2. Seleção e formação de orientadores e tutores de aprendizagem Para atingir a meta inicial de formação de 290.197 agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, planejou-se a princípio um número de 80 orientadores de aprendizagem e 1.200 tutores para o desenvolvimento dos treinamentos em todo o território nacional. Este quantitativo foi se modificando ao longo das articulações e demandas dos municípios, compreendendo a dimensão do projeto e as especificidades territoriais. O número de tutores mobilizados para conduzirem as formações presenciais em todo o país foi de 1.946. Ao todo, foram realizadas 53 turmas de formação entre 2013 e 2015, sendo seis de orientadores e 47 de tutores. As formações de orientadores e tutores foram planejadas, organizadas e executadas pela equipe pedagógica, com a colaboração de todas as outras equipes do projeto, além de consultores das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) e do Ministério da Saúde, por intermédio do Departamento de Aten-


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

ção Básica, da Coordenação de Saúde Mental e dos apoiadores da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETS). A escolha dessas equipes ocorreu a partir de seleções públicas, seguindo os critérios dos Termos de Referência (TR). A estruturação dos cursos presenciais para tutores e orientadores acompanhou a mesma organização teórico-metodológica proposta para o curso de ACSs, auxiliares e técnicos de enfermagem, sendo indicadas discussões sobre as questões norteadoras do processo formativo. “A proposta de condução dialógica, de valorização da experiência, de reflexão sobre o cotidiano do trabalho e sua relação com a temática do curso proporcionou debates sobre as concepções do cuidado e de situações-limite”, considerou a coordenadora pedagógica, Renata Pekelman. De acordo com a coordenadora macrorregional Centro-Oeste, Lenice Koltermann, a metodologia e os eixos propostos no projeto ressaltaram a importância do coletivo e de diferentes olhares, sendo um novo despertar para a Política de Atenção Integral e para a interface entre a Saúde Mental e a Atenção Básica, manifestada desde o começo nas oficinas de formação de orientadores e tutores. Os orientadores de aprendizagem foram profissionais de nível superior, com pós-graduação nas áreas de Saúde Mental, Saúde Coletiva, Saúde Pública, Atenção Básica, Educação ou Ciências Sociais, que se responsabilizaram pelo acompanhamento da atuação dos tutores por meio das Comunidades de Práticas (CDPs), e ainda participaram da formação presencial desses profissionais junto com a equipe pedagógica nacional. Para integrar o projeto, os orientadores realizaram um processo seletivo, que contou com análise de currículo e oficinas de formação pedagógica na modalidade presencial, com carga horária de 24 horas. Por sua vez, os tutores foram profissionais de saúde e/ou educação, com experiência mínima de um ano na área de Saúde Coletiva ou Saúde Pública e Especialização em Atenção Básica, Saúde Mental ou Saúde Coletiva. O curso de tutores se desenvolveu em dois módulos: o primeiro presencial, com carga horária de 40 horas; e o seguinte, com carga horária de 84 horas, na modalidade de educação a distância (EAD), onde os orientadores coordenaram as Comunidades de Práticas (CdP) – plataforma utilizada para a formação. Segundo a coordenadora pedagógica, Renata Pekelman, as dinâmicas do curso promoveram uma ampla compreensão do acolhimento e do vínculo como grandes potências de cuidado na Atenção Básica, além da construção de redes. “A principal mudança percebida foi a condução do olhar, da substância ou da doença para o sujeito que sofre. A metodologia centrada nos alunos com o deslocamento do genérico para si encontra o mesmo sentido do conteúdo, e isso também despertou essa mudança”, considerou Renata Pekelman. Para a educadora do Caminhos do Cuidado, Pilar Belmonte, o processo de formação permitiu aos orientadores e tutores testarem, experimentarem e criarem a partir das dinâmicas propostas. “Eles vinham ansiosos querendo uma resposta, traziam os casos das dinâmicas que, inclusive, tinham cenas de teatro, e isso mobilizava muito. A gente tinha que ajudar no sentido de que as pessoas pudessem chegar às suas próprias conclusões, porque essas, sim, iriam modificar, e não seria algo imposto. O projeto levou as pessoas a refletirem pelas suas dinâmicas e, a partir delas, nós chegamos de maneira mais permanente”, destacou a educadora. A partir de meados de 2014, quando o projeto alcançou a fase de territorialização e regionalização, as formações dos tutores passaram a ter maior protagonismo dos atores locais (estaduais e municipais), no caso dos municípios que não tinham ainda atingido o número necessário de tutores para conduzirem o processo formativo.

1.4.3. A plataforma virtual Comunidades de Prática (CdP) como estratégia de formação Uma das estratégias utilizadas para a execução das formações do Caminhos do Cuidado foi a plataforma virtual Comunidade de Práticas (CdP). Segundo a coordenadora pedagógica do projeto, Renata Pekelman, o uso da tecnologia possibilitou o compartilhamento de experiências e o aprofundamento de questões e temas presentes em sala de aula por intermédio da interação virtual. Os tutores de aprendizagem foram responsáveis pelas publicações na ferramenta, sendo acompanhados pelos orientadores, por educadores e apoiadores distribuídos regionalmente. “Pela CdP, percebemos

15


16

como o projeto foi um disparador de debates nos municípios, de questionamentos tanto de si mesmo, como das relações entre as equipes de saúde e os demais membros da rede e gestão local dos serviços”, destacou a coordenadora pedagógica. Além das CdPs Orientador-Tutor, foram criadas subcomunidades nas quais os orientadores eram organizados por estado para interagirem com o Núcleo Pedagógico, com as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS), com as coordenações estaduais e macrorregionais, e com os técnicos de referência do Ministério da Saúde. As CdPs também possibilitaram o compartilhamento de atualizações e eventos na área de Saúde Mental e na temática de Crack, Álcool e outras Drogas. Renata Pekelman ressaltou que apesar de todos os benefícios oferecidos pela ferramenta, a sua implementação se tornou um grande desafio para o projeto, devido aos mais variados cenários existentes no país. “Algumas regiões tiveram empecilhos por conta da falta de conexão com a internet, outras pela pouca intimidade com os meios virtuais ou pela própria dificuldade de construir relatos do fazer cotidiano”, considerou.

1.5. EQUIPE DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA A equipe de Infraestrutura e Logística do Caminhos do Cuidado foi responsável pela organização administrativa e financeira do projeto. Segundo o coordenador da área, Ruy Casale, a preocupação inicial da Coordenação Nacional em construir uma estrutura robusta para cumprir a missão designada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) fez todo o sentido, afinal, formar mais de dois mil tutores e oferecer 292.899 vagas para agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem de mais de 5.500 municípios, não parecia ser uma tarefa trivial. E de fato não foi. Casale destaca que os números do projeto falam por si só e demonstram a complexidade de se pensar em uma logística diante da grandiosidade das ações que envolveram todo o processo formativo. Para garantir a realização de 8.017 turmas, foram necessários diversos aprimoramentos na proposta inicial até que o fluxo operacional se mostrasse eficiente para a condução das formações. Os números finais confirmam que a logística foi fundamental para os bons resultados alcançados. Para viabilizar a distribuição dos 299.500 kits de material para os alunos em todo o país, foram percorridos 11.639.166 quilômetros, o equivalente a 290 voltas na Terra. Devido às grandes dimensões do projeto, aos prazos a serem cumpridos e ao orçamento estipulado, definiu-se um modelo operacional a ser aplicado durante a execução do projeto nos territórios brasileiros. A organização do trabalho passou pelas etapas de estruturação, treinamentos e fechamento. A primeira fase se refere ao planejamento de todos os processos necessários para o funcionamento do Caminhos do Cuidado, que extrapolaram a atuação da área de Infraestrutura e Logística ao envolver as demais coordenações e equipes do projeto. Na sequência, iniciaram-se os treinamentos de orientadores e tutores, e o desenvolvimento de ferramentas que pudessem dar suporte ao elevado quantitativo de turmas que passariam a acontecer de forma simultânea. A fase de fechamento contemplou a organização e o armazenamento de toda a documentação do projeto para futuras auditorias e pesquisas. Cabe salientar que grande parte dessa documentação também foi digitalizada para preservação em um Centro de Processamento de Dados (data center). Os documentos físicos da instituição foram embalados e enviados para a empresa responsável pelo armazenamento dos mesmos. Diante deste cenário complexo e desafiador, fez-se necessária a composição de uma equipe, que contou com cerca de 20 colaboradores e com a figura de um recurso responsável pela gestão de projeto. O coordenador de Infraestrutura e Logística explica que esta atividade foi determinante, tanto na fase de preparação, como na de execução das turmas, para que o projeto alcançasse seus objetivos quantitativos de prazo e custo. Nas palavras de Ruy Casale, “a formação da equipe foi um processo contínuo que exigiu energia, empenho, opinião e revisão. Os fatores que influenciaram o dimensionamento das equipes no desenvolvimento


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

do projeto mudavam constantemente e houve a necessidade, no decorrer das atividades, de ter flexibilização e alteração dos fluxos, até que se definissem os grupos de trabalho na forma mais adequada para o perfil das ações”, ressaltou o coordenador da área. Desta forma, a estrutura organizacional de Infraestrutura e Logística do Caminhos do Cuidado se desenhou a partir da formação de setores, que se responsabilizaram pela aquisição de passagens e das prestações de contas das mesmas; pagamento de diárias, ajuda de custos e bolsas por meio da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec); contratação de serviços diversos, como alimentação e hotéis; aquisição e envio de material didático para cada território que o projeto percorreu; além de uma estrutura de secretaria para atender as demandas da equipe interna. Organograma da Coordenação de Infraestrutura e Logística do Caminhos do Cuidado:

Para o gerenciamento de recursos humanos de cada uma das células de atividades do Caminhos do Cuidado foi utilizada a ferramenta Responsible, Accountable, Consulted e Informed (RACI), um importante instrumento para formalizar os papéis e responsabilidades de cada um dos colaboradores dentro do projeto. Segundo Ruy Casale, a matriz RACI proporcionou benefícios para o Caminhos do Cuidado no que se refere ao rastreamento das informações com maior facilidade, além de melhorar a identificação dos responsáveis por cada tarefa e evitar que pessoas-chave fossem ignoradas ou esquecidas. Juntamente com a ferramenta RACI, foi utilizada uma matriz de carga de atividade, conhecida como “Menload”, que tem a finalidade de dimensionar as responsabilidades que podem ser atribuídas a cada recurso disponível, permitindo uma distribuição mais homogênea desses recursos. Na visão do coordenador da área, os muitos desafios postos ao longo do projeto serviram de aprendizado para o aprimoramento contínuo de todo o processo. “A rampa de aprendizagem foi íngreme e trouxe algumas dificuldades, mas, após a superação, o modelo se consolidou e mostrou sua eficiência, conseguindo atingir os objetivos”, disse. Para ele, a grande lição do Caminhos do Cuidado foi mostrar que por mais que se aplique as melhores práticas para os processos, o projeto deve estar sempre aberto e preparado para revisões e mesmo alterações de escopo. “A agilidade com que se é capaz de processar essas alterações de percurso, sem fugir da missão do projeto, é um dos fatores que possibilitaram o seu sucesso”, considerou Ruy Casale.

1.5.1. A construção do modelo Caminhos do Cuidado O coordenador de Infraestrutura e Logística ressaltou, ainda, que o Caminhos do Cuidado, inicialmente, demandou a estruturação de um modelo de negócio que permitisse que as atividades das demais coordenações e equipes do projeto estivessem alinhadas e sincronizadas. Para esse objetivo, utilizou-se a ferramenta de gerenciamento de projeto MS-Project. Foram realizadas algumas oficinas reunindo os responsáveis pelas equipes e coordenações do projeto, de forma que as atividades e o tempo de execução das mesmas fossem compartilhados, para a adequação da

17


18

ferramenta MS-Project, de forma que atendesse o Caminhos do Cuidado. Na sequência, os prazos estabelecidos para o cumprimento das tarefas foram validados por todos os coordenadores de áreas do projeto. Para atender a necessidade de armazenamento de toda a informação relevante e dos dados gerados pelo projeto, foi desenvolvido um banco de dados no programa Access, que contemplou o sistema de cadastro e o controle das células: Ajuda de Custos, Bolsas, Passagens e Contratação de Serviços. Após a estruturação do modelo de negócio e a definição das atividades necessárias para a execução do processo formativo, o desafio seguinte foi preparar a equipe para dar conta de atender a todas as demandas que seriam trazidas pela formação. Para tanto, foram definidos os fluxos e procedimentos operacionais, bem como a cronoanálise (técnica de gestão de processos que lida com o tempo necessário para a conclusão dos processos), de forma que as atividades tivessem sempre um padrão de execução. Para auxiliar no controle de dados e processos do Caminhos do Cuidado, a equipe de Infraestrutura e Logística utilizou os sistemas Workflow Orquestra e Sistema de Gestão Acadêmica Unificada (Sagu), além da construção de uma base de dados de controle das atividades da área. Todos os sistemas funcionaram de forma integrada, dando cobertura para a realização do processo formativo em todas as suas etapas. O mapeamento, a execução e o monitoramento de processos de negócio foram feitos com o auxílio do sistema Workflow Orquestra (fluxo de trabalho), antes já utilizado pelo Grupo Hospitalar Conceição (GHC). Após ser adequado para o Caminhos do Cuidado, o sistema permitiu automatizar diversos fluxos operacionais, tornando-os mais ágeis e organizados, tendo em vista que as equipes do projeto eram geograficamente distribuídas em todo o país. Neste caso, o Workflow Orquestra colaborou com quatro fluxos: programação de turmas, alteração de turmas, solicitação de aprovação para a Coordenação Executiva e registro do aluno. O Sagu contribuiu para o gerenciamento da criação das turmas, matrícula dos alunos, registro de frequência, notas, certificação e os dados cadastrais de alunos, tutores, orientadores e participantes do projeto. As funcionalidades da ferramenta foram customizadas de duas formas essenciais para a gestão acadêmica: uma interface administrativa, utilizada pela equipe acadêmica, e a segunda para o tutor, cujo acesso era feito na seção “Portal do Tutor” do site do projeto. De acordo com Ruy Casale, um dos obstáculos enfrentados pela área de Infraestrutura e Logística foi o uso incorreto dos sistemas por algumas equipes do Caminhos do Cuidado, evidenciando a necessidade de mais treinamentos para a utilização das ferramentas disponíveis. Para ele, apesar do desafio logístico complexo e de uma articulação não menos desafiadora, os números apresentados demonstram que nenhuma barreira impediu as equipes de sempre caminhar em busca do alcance da meta. “O Caminhos do Cuidado se mostrou um sucesso, atingindo e superando seus objetivos no que se refere à meta quantitativa, prazo e custo, comprovando que este modelo pode ser replicado em outros projetos com esta dimensão. As diversas situações superadas que ocorreram ao longo de sua execução serviram de aprendizado para que se possa aprimorar o modelo em novos projetos”, constatou o coordenador de Infraestrutura e Logística.

1.6. EQUIPE ACADÊMICA O monitoramento do sistema de gestão acadêmica do Caminhos do Cuidado ficou a cargo da equipe acadêmica. Para gerenciar os processos de trabalho, a equipe de Infraestrutura e Logística adequou os sistemas Workflow Orquestra (fluxo de trabalho) e o Sistema Acadêmico de Gestão Unificada (Sagu), que foram utilizados durante todo o processo formativo. A equipe acadêmica planejou, coordenou e implantou os processos de cadastro dos planos de cursos, de gestão do sistema para inscrições, de seleções e matrículas para as formações de tutores, orientadores e alunos, além de gerenciar a informação das frequências, avaliações e certificações. Atuou também de


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

forma orgânica e transversal com todas as outras equipes do Caminhos do Cuidado, mantendo constante relacionamento para a resolução de questões relacionadas à formação. Neste sentido, as equipes macrorregionais se destacaram como importantes elos entre a equipe acadêmica e os demais grupos de trabalho e coordenações do projeto. “Participar de um projeto de tamanha dimensão nos trouxe muito aprendizado, desde o esboço inicial, as atribuições, a concepção da secretaria acadêmica, até a interface com os componentes de outros setores do Caminhos do Cuidado, como as macrorregionais, o pedagógico, a executiva, a infraestrutura e logística, a comunicação e as equipes estaduais”, ressaltou a coordenadora acadêmica, Marielly de Moraes. Os processos seletivos aconteceram por meio da publicação de Termos de Referência (TR), disponíveis para domínio público no site do Caminhos do Cuidado. O conteúdo buscou esclarecer os objetivos do projeto, o público-alvo, as atribuições e responsabilidades, o quadro de vagas para cada estado, as duas etapas da seleção, os resultados, a forma de contratação e a remuneração. No último ano do projeto, a seleção foi descentralizada, surgindo a modalidade de “processos seletivos simplificados”. Ao todo, foram realizados 96 processos seletivos em todo território nacional. Os certificados referentes às formações de tutores, orientadores e alunos também foram disponibilizados no site do Caminhos do Cuidado. Para a coordenadora acadêmica, a necessidade de exercer o diálogo, a escuta, a interação e a cooperação entre todos os setores do projeto tornou-se visível ao longo do processo para se chegar a um trabalho em equipe com um mesmo objetivo em comum. “A convivência com as pessoas e as diferentes realidades regionais nos trouxe uma visão ampla, ensinamentos e importantes experiências no que diz respeito ao planejamento e execução de um projeto dessa magnitude que, apesar dos percalços e dificuldades encontrados, sempre conseguimos superá-los, fazendo o melhor trabalho possível para que as metas estabelecidas fossem alcançadas”, salientou Marielly de Moraes.

1.7. EQUIPE DE COMUNICAÇÃO Com o objetivo de qualificar o relacionamento com os diversos públicos de interesse do Caminhos do Cuidado, desenvolvendo estratégias, ações e canais mediados por um processo de negociação entre as áreas colegiadas envolvidas, a equipe de Comunicação foi composta por profissionais das áreas de Jornalismo, Design Gráfico e Eventos. O grupo atuou com o compromisso de manter a ética do educar e acolher os que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas, e procurou traçar um novo caminho/conceito de comunicar o cuidado em âmbito nacional. Esta equipe foi responsável pela criação da identidade visual do Caminhos do Cuidado e pela produção visual de peças para diferentes mídias, além de apoiar as demais áreas integrantes do projeto por intermédio de mecanismos de comunicação interna. Para tanto, elaborou um Plano de Comunicação que teve como base três pilares: produção, circulação e apropriação. “A equipe de Comunicação teve um papel muito importante na divulgação do projeto, na cobertura das formações, no enriquecimento do site com as notícias. Fez um belo trabalho de resgate das memórias a partir da gravação da história oral, além de criar a identidade visual do Caminhos do Cuidado. Todo este trabalho deixou um arquivo vasto de memórias do Caminhos, que servirão também como fontes de pesquisas, através das imagens, vídeos, notícias, entre outros”, ressaltou a coordenadora macrorregional Nordeste II, Francéli dos Santos, sobre a atuação da equipe de Comunicação.

1.7.1. Produção: a criação da logomarca Caminhos do Cuidado A primeira ação da equipe de Comunicação foi definir a identidade visual e o nome do projeto. O trabalho envolveu uma intensa pesquisa sobre o campo, seus objetivos e o que o Caminhos do Cuidado tinha de mais especial para comunicar, tendo como conceitos-base a diversidade e a importância do vínculo, acolhimento e cuidado.

19


20

Consultores e educadores da Escola do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC) assessoraram a equipe neste processo de criação, fornecendo conteúdos que retratavam os conceitos trabalhados pelo projeto. Assim sendo, a logomarca foi concebida da seguinte forma, conforme descrito no manual de identidade visual do Caminhos do Cuidado: “A mão estendida do símbolo é a mão que toca, que acolhe, muito viva e cheia de calor humano. A linha da vida foi transformada em um caminho para o futuro, para a esperança. A tarefa do cuidado está em muitas mãos e são muitas linhas da vida, com traçados diversos, muitos caminhos possíveis”. De acordo com a designer Flávia Carvalho, criadora da logo do Caminhos do Cuidado, o grande desafio foi encontrar um nome que abarcasse o conceito do projeto nas diferentes culturas existentes no país e imaginar o que ele representaria no período das formações. “Foi então que cheguei na música do Gonzaguinha 'Caminhos do Coração', porque eu já tinha o nome Caminhos do Cuidado em mente. Esta música foi muito inspiradora para refletir a simplicidade no desenho da palma da mão, que representa muitas histórias, pessoas, diversidade e linhas, que são os muitos caminhos que vão para um horizonte, que é exatamente o futuro”, considerou a designer. Para a membro da Coordenação Executiva, Edelves Rodrigues, a identidade visual passou a ser reconhecida em todo o território nacional, despertando um sentimento de pertencimento aos sujeitos envolvidos no projeto. Sua aplicação foi feita em todos os produtos distribuídos aos alunos e tutores do processo formativo, como camisa, mochila, caneta, bloco, Cadernos do Aluno e do Tutor, Guia de Saúde Mental e vídeos de apoio. Outra ação de comunicação destacada por Edelves Rodrigues foi a organização de eventos ao longo do processo formativo, estando a equipe de Comunicação presente em encontros com as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) e com diversos parceiros, e em cerimônias de lançamento das turmas e de certificação na fase final do projeto. Neste contexto, a coordenadora de Comunicação no período de 2013 até 2015, Cristina Ruas, salientou que a área de eventos se configurou em uma atividade estratégica de comunicação, que contribuiu para fortalecer a marca e a imagem do projeto, assim como ampliar a rede de parcerias locais, criando elos e potencializando os compromissos. Vale destacar que foi elaborado um documento normativo de produção de eventos, que pode ser conferido, na íntegra, no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio. caminhosdocuidado.org).

1.7.2. Circulação: estratégias de comunicação para o projeto Caminhos do Cuidado Após a elaboração dos diversos produtos do Caminhos do Cuidado, chega o momento de pensar em estratégias para fazer circular as informações do projeto para a comunidade interna e externa. Para tanto, utilizou-se dispositivos de comunicação, tais como o site, Fale Conosco, e-mail marketing, intranet e mídia espontânea. Ao longo de todo o processo de formação, foram produzidas matérias jornalísticas, tendo como fonte as experiências dos diversos atores envolvidos no projeto, que relataram todos os passos dessa caminhada. A coordenadora de Comunicação no período de 2013 até 2015, Cristina Ruas, conta que o site do projeto foi um recurso de extrema importância para a execução das formações, reunindo o material pedagógico, notícias e toda a informação sobre as etapas do projeto Caminhos do Cuidado. “Passamos a criar uma rede de afeto e cuidado que serviu de exemplo para os outros. Foi muito importante a participação dos alunos em todo o processo para o desenvolvimento e manutenção do site no ar, com o envio de poemas, relatos e vídeos”, destacou. Para Cristina Ruas, por onde o projeto percorreu, tutores, orientadores, agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem puderam ir às ruas com uma nova visão da problemática do consumo abusivo de drogas no país, e a partir dessas experiências, surgiram iniciativas inovadoras, concretizadas em diferentes produtos e manifestações lúdicas. “Em Caetité, na Bahia, os alunos compartilharam suas vivências por meio de cordéis. Em Embu das Artes, no estado de São Paulo, criaram um rap para buscar uma linguagem mais próxima dos jovens. Na Paraíba, o ritmo típico do ‘martelo agalopado’ inspirou versos sobre a importância de trilhar o Caminhos do Cuidado”, enfatizou Cristina Ruas.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Uma das potencialidades mencionadas pela a coordenadora de Comunicação no período de 2013 até 2015 foi a possibilidade de se relacionar com os diversos atores do projeto, com destaque para as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS), cuja interação permitiu capilarizar a comunicação em todo o território nacional. “Eles começaram a enviar imagens e depoimentos do campo, e foi se criando uma rede dos alunos com a gente e não da gente com eles. Conseguimos fazer, de fato, uma troca interativa”, ressaltou Cristina Ruas.

1.7.3. Apropriação: as muitas falas do Caminhos do Cuidado Na fase final do Caminhos do Cuidado, mais precisamente no primeiro semestre de 2015, o plano de comunicação produzido para o projeto alcançou a sua última etapa, tendo como dispositivo principal a escuta. Nesta fase, a equipe esteve focada em promover meios de apropriação das mensagens e, para isso, investiu em estratégias de comunicação para registrar a história do Caminhos do Cuidado em todo o país. Neste cenário, foram organizadas Mostras Regionais, produzidos vídeos, publicadas as falas dos alunos e tutores e coletados depoimentos das equipes regionais e dos diretores das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS). Dessa forma iniciou-se o processo de construção da história oral do projeto, que percorreu todos os estados brasileiros e o Distrito Federal. “Quando o Caminhos do Cuidado vai a campo no formato teórico, ele ganha vida na prática. Nós fomos a cada escola procurando ouvi-las, e a partir dos depoimentos sobre como se deu todo o processo podemos pensar em dar continuidade ao trabalho, de forma que sirva para outros projetos do SUS”, destacou a coordenadora de Comunicação no período de 2013 até 2015, Cristina Ruas. Segundo ela, a fase final do projeto priorizou mais a escuta do que a oralidade, e nessa perspectiva percebeu-se que a linguagem do país inteiro não tinha diversidade que era única, sendo, de fato, a do cuidado. A história oral do projeto pode ser conferida na íntegra pelo canal do Caminhos do Cuidado no Youtube (www.youtube.com/CaminhosdoCuidado).

21


22

CAPÍTULO 2

COORDENAÇÕES ESTADUAIS: O CAMINHOS DO CUIDADO NA PERSPECTIVA DOS ESTADOS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Este capítulo é dedicado às narrativas dos coordenadores estaduais do projeto, que foram profissionais apontados pelas Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) para serem responsáveis por planejar, articular, coordenar e monitorar a execução da formação dos agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos de enfermagem em cada estado. A diversidade de nosso país, assim como os diferentes cenários políticos, culturais, educacionais, entre outros, justifica a importância em darmos visibilidade a essa produção, com o intuito de compreendermos o projeto Caminhos do Cuidado do ponto de vista dos territórios nos quais ele foi executado. A seguir, apresentaremos a trajetória de cada estado, com base nos relatórios finais elaborados pelas coordenações estaduais, assim como nos trechos dos depoimentos da história oral do projeto, que trazem as vivências e impressões de cada um desses atores sobre esta ação de formação. A íntegra do material pesquisado está disponível para consulta no canal do projeto no Youtube e no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio.caminhosdobcuidado.org). Nota: os números do projeto Caminhos do Cuidado apresentados nos textos dos estados podem variar no Sistema Aberto de Gestão Unificada (SAGU) em função de atualizações ainda realizadas na ferramenta, sobretudo em relação aos dados cadastrais de alunos e tutores.

23


24

ACRE


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Acre, nem mesmo as dificuldades de acesso a alguns municípios foram capazes de impedir a formação dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas. Por vezes, o deslocamento dos tutores só era possível com dias de caminhada pela mata ou navegando pelos rios. Esse comprometimento dos atores envolvidos levou o estado a ser o primeiro a alcançar a meta proposta pelo projeto. O Acre foi um dos seis primeiros estados a dar início ao projeto Caminhos do Cuidado. As articulações começaram em outubro de 2013 com duas instituições: o Instituto Dom Moacyr (IDM) e a Unidade Descentralizada de Educação Profissional – a Escola Técnica em Saúde Maria Moreira da Rocha (ETSUS-AC), que receberam o apoio do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).

pudéssemos olhar o outro e a nós mesmos. E isso é algo que não pode ser valorado ou até mesmo medido, apesar de termos metas, que foram superadas”, destacou a coordenadora estadual. Devido à necessidade de contemplar profissionais de municípios isolados e de difícil acesso, o processo seletivo para tutores aconteceu em dois momentos. Ao todo, foram mobilizados 26 tutores para conduzir as turmas em todo o estado do Acre. O lançamento do Caminhos do Cuidado aconteceu no Theatro Hélio Melo do Memorial dos Autonomistas, em Rio Branco, sendo prestigiado por representantes do governo e atores envolvidos no projeto, como os alunos, tutores e seus familiares. O evento contou também com a conferência “A atuação do Agente Comunitário de Saúde e Técnico de Enfermagem na produção do cuidado e acolhimento aos usuários de Crack, Álcool e outras Drogas na Atenção Primária”.

"Há relatos de tutores que já realizavam essas ações de redução de danos sem ter o conhecimento sistematizado. E que agora, com essa formação, melhoraram seus atendimentos, transformando sua prática profissional."

Para a coordenadora estadual, Maria de Nazaré Figueiredo, uma das potencialidades do projeto foi o fortalecimento das relações institucionais entre as áreas de Saúde Mental e da Rede de Atenção Básica das Secretarias Municipais e Estadual de Saúde, proporcionando um olhar diferenciado e integrado sobre a temática das drogas.

Essa abertura de cenário permitiu que o estado desenvolvesse novas formas de abordagens para a atuação na Atenção Básica, incentivando o trabalho em equipe e ampliando o conhecimento sobre a atuação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). Assim, um dos legados para o estado que o Caminhos do Cuidado deixa é a possibilidade de qualificar o debate sobre os serviços e as unidades de saúde nos municípios que atendem a demanda da área da Saúde Mental. “Entendemos que o projeto Caminhos do Cuidado veio com uma intencionalidade de fazer com que

Para Maria de Nazaré, os ganhos gerados para a escola técnica com o projeto Caminhos do Cuidado foram muitos. A ETSUS-AC se renovou como polo de discussão sobre a temática abordada e incorporou aos currículos dos cursos técnicos o conteúdo da formação do projeto. A execução de cursos técnicos para todos os ACSs e a maioria dos auxiliares e técnicos de enfermagem do Acre já tinha sido experimentada pela ETSUS-AC, porém, a discussão sobre Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas foi considerada uma oportunidade ímpar para os trabalhadores da Atenção Básica do estado. “Há relatos de tutores que já realizavam essas ações de redução de danos sem ter o conhecimento sistematizado. E que agora, com essa formação, melhoraram seus atendimentos, transformando sua prática profissional”, ressaltou a coordenadora estadual.

25


26

ACRE MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

ACRELÂNDIA

69

ASSIS BRASIL

38

BRASILÉIA

84

BUJARI

38

CAPIXABA

40

CRUZEIRO DO SUL

217

EPITACIOLÂNDIA

88

FEIJÓ

55

JORDÃO

23

MANOEL URBANO

40

MARECHAL THAUMATURGO

80

MÂNCIO LIMA

57

PLÁCIDO DE CASTRO

80

PORTO ACRE

75

PORTO WALTER

26

RIO BRANCO

724

RODRIGUES ALVES

65

SANTA ROSA DO PURUS

33

SENA MADUREIRA

120

SENADOR GUIOMARD

109

TARAUACÁ

90

XAPURI

80

TOTAL Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

2.231

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Acre

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Maria de Nazaré Bezerra Figueiredo Coordenadora Estadual no Acre


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

27


28

ALAGOAS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Um projeto capaz de mexer com as relações afetivas e provocar mudanças no olhar de muitos profissionais de saúde e que aproximou, pela primeira vez em Alagoas, as áreas da Saúde Mental e da Atenção Básica. Assim, o projeto Caminhos do Cuidado trilhou sua trajetória de formação de agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem em todo o estado, conquistando a confiança e construindo vínculos com os trabalhadores da saúde pelos municípios por onde passou. Nas palavras da coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado, Emilene Donato, as sementes plantadas pelo projeto foram muitas, resultando na criação da Comissão de Educação Permanente em Saúde – Caminhos do Cuidado, que permanece ativa até os dias de hoje. Esta iniciativa reúne, desde junho de 2014, representantes de vários setores da Secretaria Estadual de Saúde de Alagoas, além de ex-alunos, tutores e orientadores que participaram do processo formativo do projeto. Para tanto, foi elaborado um questionário de avaliação, unindo teoria e prática, destinado aos participantes para a análise da essência do Caminhos do Cuidado e da utilidade da formação em suas práticas de saúde.

cipais em apoiar a formação era praticamente unânime, apesar dos pedidos para que a mesma fosse ampliada para os profissionais de nível superior. Com a presença das orientadoras pedagógicas, foram realizados dois processos seletivos para tutores no estado. O primeiro ocorreu nos últimos meses de 2013, residentes na capital ou em regiões próximas, sendo em sua maioria profissionais da área da Saúde Mental. A necessidade de tornar o grupo mais heterogêneo, com perfis atuantes na Atenção Básica e de áreas do interior do estado, fez com que a segunda seleção de tutores ocorresse em meados de 2014, totalizando 44 profissionais contratados. A coordenadora estadual relatou que para estimular a integração entre os tutores e os servidores da Etsal, a escola técnica realizou duas oficinas: a “Oficina de Metodologias Ativas” e a “Oficina de Educação Permanente em Saúde”.

"Os depoimentos emocionados dos alunos transmitiram as marcas deixadas pelo projeto no estado, capazes de provocar mudanças no modo de acolher e cuidar."

“A forma como a gente decidiu seguir foi fazer uma avaliação dessa trajetória, sendo importante justamente porque nos diz quais rumos tomar, o que corrigir e reforçar, e como a gestão pode dar um suporte nas demandas desses trabalhadores da saúde”, enfatizou a coordenadora estadual, Emilene Donato. Em Alagoas, a execução do projeto ocorreu por meio da Escola Técnica de Saúde Professora Valéria Hora (Etsal), que teve as turmas iniciadas em janeiro de 2014, após o período de articulação com os gestores municipais. As pactuações aconteceram em reuniões com representantes da Comissão Intergestora Bipartite (CIB), do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), da Comissão Intergestora Tripartite (CIT), da Comissão Intergestora Regional (CIR) e com o grupo condutor da Secretaria de Saúde (SES-AL). O interesse dos gestores muni-

Para o encerramento das atividades do projeto nos 102 municípios alagoanos, a equipe estadual organizou a “Mostra Caminhos do Cuidado”, em dezembro de 2014, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A ocasião foi marcada pela criatividade dos alunos, que apresentaram banners, cordéis, vídeos, poesias e músicas, construídos a partir de suas próprias experiências no território. Para a coordenadora estadual, os depoimentos emocionados dos alunos transmitiram as marcas deixadas pelo projeto no estado, capazes de provocar mudanças no modo de acolher e cuidar, levando a dimensão subjetiva e social para dentro do processo do cuidado, a partir das possibilidades de diálogo entre os muitos saberes trabalhados na formação. “Sem dúvida, a mensagem do projeto chegou aos trabalhadores desse processo – os alunos – e chegará aos destinatários principais: os usuários do Sistema Único de Saúde. Outros profissionais envolvidos, certamente, seguem levando também toda a bagagem adquirida e mobilizando em seus processos de trabalho novas formas de produzir saúde e/ou reforçando o que já tem dado certo”, ressaltou Emilene.

29


30

ALAGOAS MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

JOAQUIM GOMES

60

JUNDIÁ

32

JUNQUEIRO

75 81

ÁGUA BRANCA

84

LIMOEIRO DE ANADIA

ANADIA

45

MACEIÓ

627

ARAPIRACA

585

MAJOR ISIDORO

45

ATALAIA

126

MAR VERMELHO

36

BARRA DE SANTO ANTÔNIO

43

MARAGOGI

108

BATALHA

70

MARAVILHA

46

BELO MONTE

23

MARECHAL DEODORO

168

BOCA DA MATA

88

MARIBONDO

49

BRANQUINHA

36

MATA GRANDE

83

CACIMBINHAS

42

MATRIZ DE CAMARAGIBE

72

CAJUEIRO

79

MESSIAS

44

CAMPO ALEGRE

91

MURICI

71

CAMPO GRANDE

48

NOVO LINO

36

CANAPI

43

OLHO D'ÁGUA DAS FLORES

52

CAPELA

42

OLIVENÇA

41

CHÃ PRETA

40

OURO BRANCO

32

COITÉ DO NÓIA

30

PALMEIRA DOS ÍNDIOS

COLÔNIA LEOPOLDINA

62

PÃO DE AÇÚCAR

86

CORURIPE

141

PARIPUEIRA

29

CRAÍBAS

72

PASSO DE CAMARAGIBE

43

DELMIRO GOUVEIA

125

PENEDO

167

DOIS RIACHOS

32

PIAÇABUÇU

49

ESTRELA DE ALAGOAS

50

PILAR

102

FEIRA GRANDE

117

PIRANHAS

88

FLEXEIRAS

35

POÇO DAS TRINCHEIRAS

38

GIRAU DO PONCIANO

91

PORTO CALVO

73

IBATEGUARA

46

PORTO DE PEDRAS

32

IGACI

84

IGREJA NOVA

83

INHAPI

43

JACARÉ DOS HOMENS

41

JEQUIÁ DA PRAIA

37

205


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

PORTO REAL DO COLÉGIO

76

QUEBRANGULO

38

RIO LARGO

138

SANTANA DO IPANEMA

153

SANTANA DO MUNDAÚ

43

SÃO JOSÉ DA LAJE

66

SÃO JOSÉ DA TAPERA

92

SÃO LUÍS DO QUITUNDE

85

SÃO MIGUEL DOS CAMPOS

137

SÃO MIGUEL DOS MILAGRES

27

SÃO SEBASTIÃO

120

SATUBA

41

SENADOR RUI PALMEIRA

41

TAQUARANA

73

TEOTÔNIO VILELA

124

TRAIPU

90

UNIÃO DOS PALMARES

176

VIÇOSA

74

TOTAL

6.838

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

31

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Alagoas

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Emilene Donato Coordenadora Estadual em Alagoas


32

AMAPÁ


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Amapá, o projeto Caminhos do Cuidado possibilitou a aproximação de trabalhadores da Atenção Básica e da Saúde Mental, fortalecendo um processo de educação em saúde sobre o cuidado com as pessoas que fazem uso abusivo de crack, álcool e outras drogas. Ao final das formações, o sentimento dos atores do projeto no estado foi de dever cumprido e de fortalecimento do trabalho em equipe. Para a coordenadora macrorregional, Lucenira Kessler, o Amapá se destacou na formação não pela quantidade de turmas realizadas, mas pela qualidade de sua execução. “Aqui é preciso considerar não o pequeno número de alunos e municípios existentes, mas a capacidade da equipe, constituída por apenas duas pessoas e pela escola técnica de articular e executar 38 turmas, dentro de um contexto de dificuldades de deslocamento e de incipientes discussões no tocante à Saúde Mental”, ressaltou a coordenadora macrorregional.

nhos do Cuidado. O projeto recebeu, inclusive, total apoio dos enfermeiros atuantes em Estratégias Saúde da Família (ESF), que se esforçaram para garantir a presença dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem nos treinamentos. Essa forte parceria entre diversas instâncias para a execução do projeto no estado foi evidenciada logo na aula inaugural, que contou com a presença, inclusive, da secretária de Estado da Saúde do Amapá, Renilda Costa. Participaram das oficinas de formação do projeto 11 tutores, que ficaram responsáveis pela condução de todas as turmas realizadas no Amapá.

"O Caminhos do Cuidado foi um presente para o estado. Aprendemos que juntos pensamos melhor, nossa rede se torna mais forte, podemos potencializar as nossas ações no SUS, podemos escutar mais e dar melhor encaminhamento ao nosso usuário."

As atividades do projeto tiveram início no estado em outubro de 2013, tendo o Centro de Educação Profissional Graziela Reis de Souza (CEP-AP) como responsável por sua execução. A partir de então, a instituição e a equipe estadual começaram o processo de pactuações e articulações para a abertura das turmas, recebendo o apoio da Comissão Intergestores Regional (CIR), da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), da Gerência Estadual do Trabalho e Educação e Saúde (Getes), do Departamento de Atenção Básica (DAB), da Rede de Atenção Psicossocial do Amapá (RAPS) e das Coordenações de Saúde Mental e de Planejamento do estado. A coordenadora estadual, Lorilei Seccon, contou que a relevância da temática da Saúde Mental e a necessidade de se construir ações nesta área para a Atenção Básica foram os fatores que mais impulsionaram os municípios a acolherem o Cami-

Ao longo do processo formativo, muitos tutores relataram o quanto o Caminhos do Cuidado valorizou não apenas a prática cotidiana, mas os próprios alunos. “As atividades práticas tiveram como base o diálogo, o conhecimento individual, bem como a desconstrução e construção de novos valores, que são elementos fundamentais para a produção de outro modo de cuidar no Sistema Único de Saúde”, considerou a coordenadora estadual. No término de cada turma, a equipe do Amapá realizou uma avaliação sobre todo o processo nos 16 municípios junto aos tutores, onde foi possível perceber em suas falas as possibilidades de produção do cuidado, reintegração social e cidadania dos usuários de álcool e outras drogas, o fortalecimento do papel da Atenção Básica na Rede de Atenção à Saúde Mental e a importância do trabalho em rede. “O Caminhos do Cuidado foi um presente para o estado. Aprendemos que juntos pensamos melhor, nossa rede se torna mais forte, podemos potencializar as nossas ações no SUS, podemos escutar mais e dar melhor encaminhamento ao nosso usuário”, destacou Lorilei Seccon.

33


34

AMAPÁ MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

AMAPÁ

21

CALÇOENE

26

FERREIRA GOMES

17

ITAUBAL

31

LARANJAL DO JARI

120

MACAPÁ

672

MAZAGÃO

39

OIAPOQUE

55

PEDRA BRANCA DO AMAPARI

33

PORTO GRANDE

33

SANTANA

245

SERRA DO NAVIO

18

TARTARUGALZINHO

27

VITÓRIA DO JARI

45

TOTAL

1.382

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Amapá

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Lorilei Seccon Coordenadora Estadual no Amapá


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

35


36

AMAZONAS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Amazonas, nem mesmo as dificuldades de acesso foram capazes de impedir os trabalhadores da Atenção Básica de participar da formação do Caminhos do Cuidado. E os desafios na região foram muitos! Seja por transporte terrestre, aéreo ou fluvial, a depender das cheias e secas dos rios, o projeto teve acesso aos 62 municípios de um estado que abrange a maior área territorial do país, para levar o conhecimento sobre Saúde Mental, com ênfase em crack, álcool e outras drogas, aos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem.

to que o Amazonas precisou de três formações de tutores, duas no ano de 2014, em fevereiro e em setembro, e uma em fevereiro de 2015, totalizando 70 tutores e dois orientadores formados no estado.

A trajetória do Caminhos do Cuidado na região que contempla a maior floresta tropical do mundo teve início em março de 2014, com a primeira turma realizada no município de Manacapuru, localizado a cerca de 80 quilômetros da capital Manaus.

Para Jussara, a linguagem diferenciada e a metodologia com base na Redução de Danos foram os pontos considerados elevadíssimos do projeto, que permitiram mudanças no olhar dos trabalhadores da Atenção Básica no dia a dia de suas atividades. E não faltaram pedidos dos gestores municipais para estender o curso para os demais funcionários das secretarias de saúde dos municípios.

Além da coordenadora, a equipe estadual foi composta por um apoiador da Coordenação Estadual de Saúde Mental e três apoios administrativos, que foram responsáveis pelas pactuações com as Comissões Intergestores Regional (CIRs) e com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM).

"A linguagem diferenciada e a metodologia com base na Redução de Danos foram os pontos considerados elevadíssimos do projeto, que permitiram mudanças no olhar dos trabalhadores da Atenção Básica no dia a dia de suas atividades."

A vontade de participar da formação dos trabalhadores dos municípios mais distantes da capital surpreendeu até mesmo a coordenadora estadual, Maria Jussara Costa. “Nas comunidades rurais, os alunos tinham que acordar às três horas da manhã para assistir a aula, com início às oito horas. Enfrentavam a imensidão de rios que temos para participar da capacitação. Em Manaus, mesmo com todas as facilidades de transporte, alguns tinham ainda dificuldades de ir ao curso”, disse Jussara Costa. O projeto contou com a parceria da Escola de Formação Profissional Enfermeira Sanitarista Francisca Saavedra – Escola Técnica do Sistema Único de Saúde (ETSUS-AM), unidade descentralizada do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) e da Secretaria do Estado de Saúde do Amazonas (Susam). Segundo a coordenadora macrorregional, Lucenira Kessler, as peculiaridades do estado incidiram diretamente na infraestrutura e logística para a formação dos tutores e na execução das turmas. Tan-

Marcando o encerramento do projeto Caminhos do Cuidado no estado, foi realizada a mostra “Experiências de Saúde Mental na Atenção Básica”, realizada em maio de 2015. Para Jussara Costa, a partir dos relatos dos participantes da formação, percebeu-se que o projeto contribuiu para a qualificação da prática ao ampliar a visão sobre a questão do uso de drogas e utilizar a educação permanente como ferramenta de mudanças de posturas, além de fortalecer o papel da Atenção Básica na Rede Psicossocial. “No estado do Amazonas, esperamos que a temática da Saúde Mental seja inserida cada vez mais em processos de formação para profissionais de nível médio, como também de nível superior, e que tenham contribuições importantes para a mudança de atitudes dos trabalhadores quanto à abordagem, escuta e formação de vínculos, a partir dos princípios da redução de danos”, disse a coordenadora estadual.

37


38

AMAZONAS MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

LÁBREA

120

MANACAPURU

274

MANAQUIRI

68

ALVARÃES

50

MANAUS

1.626

AMATURÁ

23

MANICORÉ

84

ANAMÃ

40

MARAÃ

28

ANORI

60

MAUÉS

69

APUÍ

50

NHAMUNDÁ

60

ATALAIA DO NORTE

24

NOVA OLINDA DO NORTE

99

AUTAZES

98

NOVO AIRÃO

37

BARCELOS

32

NOVO ARIPUANÃ

60

BARREIRINHA

95

PARINTINS

332

BENJAMIN CONSTANT

80

PAUINI

31

BERURI

50

PRESIDENTE FIGUEIREDO

81

BOA VISTA DO RAMOS

71

RIO PRETO DA EVA

30

BOCA DO ACRE

67

SANTA ISABEL DO RIO NEGRO

42

BORBA

90

SANTO ANTÔNIO DO IÇÁ

124

CAAPIRANGA

47

SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA

70

CANUTAMA

41

SÃO PAULO DE OLIVENÇA

83

CARAUARI

102

SÃO SEBASTIÃO DO UATUMÃ

38

CAREIRO

60

SILVES

43

CAREIRO DA VÁRZEA

66

TABATINGA

103

COARI

294

TAPAUÁ

50

CODAJÁS

70

TEFÉ

225

EIRUNEPÉ

30

TONANTINS

65

ENVIRA

74

UARINI

47

FONTE BOA

70

URUCARÁ

70

GUAJARÁ

50

URUCURITUBA

70

HUMAITÁ

70

TOTAL

IPIXUNA

64

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

IRANDUBA

150

ITACOATIARA

186

ITAMARATI

30

ITAPIRANGA

32

JAPURÁ

49

JURUÁ

65

JUTAÍ

129

6.538

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Amazonas

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Maria Jussara Sodré da Costa Coordenadora Estadual no Amazonas

39


40

BAHIA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

“A Bahia é um estado que merece todo o seu reconhecimento na execução do projeto. Além do cumprimento da meta pactuada, em seu gigante e variado território, do sertão ao mar, o estado finalizou o processo com um saldo altíssimo de lindas experiências, no que se refere à autoria do trabalho no território”. As palavras da coordenadora macrorregional do projeto, Renata Gusmão, evidencia a relevância e a potência das formações do Caminhos do Cuidado para o estado da Bahia. O fato de ocupar a maior extensão territorial da Região Nordeste, contemplando municípios de difícil acesso e muita diversidade cultural, não fez com que os atores envolvidos no processo de formação do Caminhos do Cuidado se intimidassem diante do desafio proposto, pelo contrário. Segundo a coordenadora estadual, Cláudia Souza, quanto mais afastados eram os municípios da capital, mais os gestores municipais se empenhavam para que o Caminhos do Cuidado chegasse lá.

deles, verificou-se a importância de se criar um colegiado gestor local, que participou de reuniões de pactuação do projeto com a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e Comissões Intergestores Regionais (CIR). Para o início das turmas, foram realizadas quatro seleções e formações de tutores de aprendizagem, por meio de oficinas pedagógicas realizadas no estado, de janeiro a setembro de 2014, com 153 tutores mobilizados. Segundo a coordenadora estadual, o potencial que o Caminhos do Cuidado teve para transformar vidas, a partir de uma aposta contra-hegemônica que desconstrói para reconstruir, foi o melhor dos seus resultados. “Fomos todos afetados. A ordem nos solicitava o cumprimento numérico de metas, mas o extra nos possibilitou o exercício do diálogo, nos deu a oportunidade de extrapolarmos nossas limitações, nos apresentou novas perspectivas, nos qualificou enquanto profissionais e pessoas, nos mostrou com intimidade o nosso próprio estado e nos deixou de herança laços que ficarão para além do projeto”, constatou Cláudia.

"Fomos todos afetados. A ordem nos solicitava o cumprimento numérico de metas, mas o extra nos possibilitou o exercício do diálogo, nos deu a oportunidade de extrapolarmos nossas limitações e nos apresentou novas perspectivas."

A proposta de formação de todos os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem em Saúde Mental, com ênfase em crack, álcool e outras drogas, foi apresentada formalmente ao estado em outubro de 2013, sendo conduzido pela Escola de Formação Técnica em Saúde Professor Jorge Novis (EFTS), pertencente à Secretaria de Estado de Saúde da Bahia (SES-BA). Para Cláudia Souza, a ampla experiência da escola técnica em desenvolver cursos com turmas descentralizadas no estado, que também exigiam amplas negociações com os municípios, também foi imprescindível para o sucesso do projeto na Bahia. A articulação para o início das formações no estado contou com parcerias feitas com as Coordenações de Atenção Básica, Saúde Mental e Educação Permanente do estado, e com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems). Além

O encerramento das formações na Bahia foi marcado pela “Mostra de Saúde Mental na Atenção Básica: Caminhos do Cuidado e outras experiências”, realizada em março de 2015 no auditório da EFTS. Na ocasião, foram apresentados trabalhos de alunos, tutores e orientadores que vivenciaram o projeto, e de estudantes da área de Saúde Mental, que puderam compartilhar suas experiências sobre a temática. Os trabalhos estão disponíveis no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio.caminhosdocuidado.org). O evento foi embalado por canções de compositores baianos, conduzidas pelo Coral Pentágono, e pela palestra “Saúde Mental na Atenção Básica”, ministrada pelo saudoso psicanalista e consultor do projeto, Antônio Lancetti (in memoriam).

41


42

BAHIA MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

BARRA DO MENDES

27

BARRA DO ROCHA

22

BARREIRAS

204

ABAÍRA

31

BARRO ALTO

40

ABARÉ

45

Barro Preto

20

ACAJUTIBA

46

BARROCAS

38

ADUSTINA

40

BELMONTE

48

ÁGUA FRIA

49

BELO CAMPO

45

ALAGOINHAS

280

BIRITINGA

47

ALCOBAÇA

69

BOA NOVA

51

ALMADINA

20

BOA VISTA DO TUPIM

61

AMARGOSA

90

BOM JESUS DA LAPA

185

AMÉLIA RODRIGUES

61

BOM JESUS DA SERRA

30

AMERICA DOURADO

30

BONINAL

39

ANAGÉ

74

BONITO

43

ANDARAÍ

43

BOQUIRA

51

ANDORINHA

41

BOTUPORÃ

35

ANGICAL

41

BREJÕES

46

ANGUERA

28

BREJOLÂNDIA

24

ANTAS

41

BROTAS DE MACAÚBAS

36

ANTÔNIO CARDOSO

32

BRUMADO

124

ANTÔNIO GONÇALVES

36

BUERAREMA

70

APORÁ

44

BURITIRAMA

52

APUAREMA

22

CAATIBA

40

ARAÇÁS

33

CABACEIRAS DO PARAGUAÇU

48

ARACATU

48

CACHOEIRA

96

ARACI

128

CACULÉ

62

ARAMARI

29

CAÉM

32

ARATACA

28

CAETANOS

40

ARATUÍPE

26

CAETITÉ

121

AURELINO LEAL

48

CAFARNAUM

40

BAIANÓPOLIS

42

CAIRU

25

BAIXA GRANDE

52

CALDEIRÃO GRANDE

26

BANZAÊ

33

CAMACAN

79

BARRA

126

CAMAÇARI

338

BARRA DA ESTIVA

83

CAMAMU

83

BARRA DO CHOÇA

117

CAMPO ALEGRE DE LOURDES

73


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

CAMPO FORMOSO

177

CORRENTINA

90

CANÁPOLIS

35

COTEGIPE

40

CANARANA

62

CRAVOLÂNDIA

20

CANAVIEIRAS

93

CRISÓPOLIS

47

CANDEAL

25

CRISTÓPOLIS

40

CANDEIAS

118

CRUZ DAS ALMAS

120

CANDIBA

32

CURAÇÁ

100

CÂNDIDO SALES

85

DÁRIO MEIRA

40

CANSANÇÃO

81

DIAS D'ÁVILA

116

CANUDOS

35

DOM BASÍLIO

37

CAPELA DO ALTO ALEGRE

32

ELÍSIO MEDRADO

20

CAPIM GROSSO

76

ENCRUZILHADA

64

CARAÍBAS

40

ENTRE RIOS

102

CARAVELAS

66

ÉRICO CARDOSO

32

CARDEAL DA SILVA

27

ESPLANADA

90

CARINHANHA

72

EUCLIDES DA CUNHA

160

CASA NOVA

96

EUNÁPOLIS

177

CASTRO ALVES

80

FÁTIMA

49

CATU

131

FEIRA DA MATA

19

CATURAMA

42

FEIRA DE SANTANA

CENTRAL

45

FILADÉLFIA

45

CHORROCHÓ

28

FIRMINO ALVES

16

CÍCERO DANTAS

87

FLORESTA AZUL

31

CIPÓ

46

FORMOSA DO RIO PRETO

54

COARACI

53

GANDU

84

COCOS

56

GAVIÃO

14

CONCEIÇÃO DA FEIRA

55

GENTIO DO OURO

35

CONCEIÇÃO DO ALMEIDA

54

GLÓRIA

44

CONCEIÇÃO DO COITÉ

161

GONGOGI

28

CONCEIÇÃO DO JACUÍPE

62

GOVERNADOR MANGABEIRA

67

CONDE

48

GUAJERU

39

CONDEÚBA

46

GUANAMBI

185

CONTENDAS DO SINCORÁ

24

GUARATINGA

54

CORAÇÃO DE MARIA

52

HELIÓPOLIS

40

CORDEIROS

26

IAÇU

84

CORIBE

42

IBIASSUCÊ

30

CORONEL JOÃO SÁ

54

IBICARAÍ

88

1.020

43


44

IBICOARA

45

IBICUÍ

42

IBIPEBA

39

IBIPITANGA

35

IBIRAPITANGA

67

IBIRAPUÃ

31

IBIRATAIA

62

IBITIARA

40

IBITITÁ

45

IBOTIRAMA

72

IGAPORÃ

46

IGRAPIÚNA

48

IGUAÍ

73

ILHÉUS

237

INHAMBUPE

90

IPECAETÁ

45

IPIAÚ

115

IPIRÁ

156


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

IPUPIARA

26

ITAQUARA

20

IRAJUBA

22

ITARANTIM

52

IRAMAIA

33

ITATIM

46

IRAQUARA

61

ITIRUÇU

42

IRARÁ

71

ITIÚBA

101

IRECÊ

163

ITORORÓ

52

ITABELA

67

ITUAÇU

48

ITABERABA

165

ITUBERÁ

60

ITABUNA

463

IUIU

33

ITACARÉ

39

JABORANDI

29

ITAETÉ

46

JACARACI

48

ITAGI

41

JACOBINA

204

ITAGIBÁ

35

JAGUAQUARA

129

ITAGIMIRIM

21

JAGUARARI

73

ITAGUAÇU DA BAHIA

40

JAGUARIPE

37

ITAJU DO COLÔNIA

24

JANDAÍRA

32

ITAJUÍPE

45

JEQUIÉ

356

ITAMARAJU

151

JEREMOABO

100

ITAMARI

24

JIQUIRIÇÁ

35

ITAMBÉ

86

JITAÚNA

57

ITANAGRA

24

JOÃO DOURADO

38

ITANHÉM

56

JUAZEIRO

448

ITAPARICA

44

JUCURUÇU

36

ITAPÉ

41

JUSSARA

41

ITAPEBI

32

JUSSARI

20

ITAPETINGA

150

JUSSIAPE

29

ITAPICURU

91

LAGOA REAL

46

ITAPITANGA

30

LAJE

48

LAJEDINHO

26

LAJEDO DO TABOCAL

23

LAMARÃO

30

LAPÃO

48

45


46

LAURO DE FREITAS

243

MUQUÉM DE SÃO FRANCISCO

29

LENÇÓIS

34

MURITIBA

73

LICÍNIO DE ALMEIDA

39

MUTUÍPE

57

LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA

115

NAZARÉ

81

LUÍS EDUARDO MAGALHÃES

96

NILO PEÇANHA

34

MACAJUBA

31

NORDESTINA

33

MACARANI

45

NOVA CANAÃ

40

MACAÚBAS

116

NOVA FÁTIMA

20

MACURURÉ

29

NOVA IBIÁ

21

MADRE DE DEUS

35

NOVA ITARANA

22

MAETINGA

35

NOVA REDENÇÃO

24

MAIQUINIQUE

25

NOVA SOURE

47

MAIRI

52

NOVA VIÇOSA

96

MALHADA

52

NOVO HORIZONTE

32

MALHADA DE PEDRAS

27

NOVO TRIUNFO

42

MANOEL VITORINO

47

OLINDINA

64

MANSIDÃO

35

OLIVEIRA DOS BREJINHOS

66

MARACÁS

95

OURIÇANGAS

23

MARAGOGIPE

109

OUROLÂNDIA

50

MARAÚ

50

PALMAS DE MONTE ALTO

60

MARCIONÍLIO SOUZA

38

PALMEIRAS

23

MASCOTE

37

PARAMIRIM

46

MATA DE SÃO JOÃO

115

PARATINGA

61

MATINA

34

PARIPIRANGA

78

MEDEIROS NETO

61

PAU BRASIL

34

MIGUEL CALMON

80

PAULO AFONSO

187

MILAGRES

35

PÉ DE SERRA

37

MIRANGABA

45

PEDRO ALEXANDRE

44

MIRANTE

38

PIATÃ

60

MONTE SANTO

150

PILÃO ARCADO

73

MORPARÁ

26

PINDAÍ

45

MORRO DO CHAPÉU

86

PINDOBAÇU

45

MORTUGABA

39

PINTADAS

33

MUCUGÊ

43

PIRAÍ DO NORTE

29

MUCURI

88

PIRIPÁ

46

MULUNGU DO MORRO

35

PIRITIBA

46

MUNDO NOVO

45

PLANALTINO

27


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

PLANALTO

54

SANTA RITA DE CÁSSIA

70

POÇÕES

131

SANTA TEREZINHA

30

POJUCA

81

SANTALUZ

73

PONTO NOVO

48

SANTANA

68

302

SANTANÓPOLIS

28

POTIRAGUÁ

32

SANTO AMARO

131

PRADO

85

SANTO ANTÔNIO DE JESUS

208

PRESIDENTE DUTRA

39

SANTO ESTEVÃO

114

PRESIDENTE JÂNIO QUADROS

49

SÃO DESIDÉRIO

49

PRESIDENTE TANCREDO NEVES

66

SÃO DOMINGOS

28

QUEIMADAS

68

SÃO FELIPE

45

QUIJINGUE

75

SÃO FÉLIX

44

QUIXABEIRA

26

SÃO FÉLIX DO CORIBE

40

RAFAEL JAMBEIRO

58

SÃO FRANCISCO DO CONDE

86

REMANSO

102

SÃO GABRIEL

48

RETIROLÂNDIA

30

SÃO GONÇALO DOS CAMPOS

70

RIACHÃO DAS NEVES

63

SÃO JOSÉ DO JACUÍPE

23

RIACHÃO DO JACUÍPE

116

SÃO MIGUEL DAS MATAS

33

RIACHO DE SANTANA

84

SÃO SEBASTIÃO DO PASSE

115

RIBEIRA DO AMPARO

41

SAPEAÇU

48

RIBEIRA DO POMBAL

132

SÁTIRO DIAS

53

RIBEIRÃO DO LARGO

42

SAUBARA

35

RIO DE CONTAS

43

SAÚDE

34

RIO DO ANTÔNIO

40

SEABRA

107

RIO DO PIRES

32

SEBASTIÃO LARANJEIRAS

37

RIO REAL

98

SENHOR DO BONFIM

199

RODELAS

22

SENTO SÉ

102

RUY BARBOSA

71

SERRA DO RAMALHO

87

SALINAS DA MARGARIDA

28

SERRA DOURADA

53

SERRA PRETA

51

PORTO SEGURO

SALVADOR

1.634

SANTA BÁRBARA

53

SERRINHA

214

SANTA BRÍGIDA

48

SERROLÂNDIA

34

SANTA CRUZ CABRÁLIA

72

SIMÕES FILHO

270

SANTA CRUZ DA VITÓRIA

20

SÍTIO DO MATO

37

SANTA INÊS

28

SÍTIO DO QUINTO

36

SANTA LUZIA

39

SOBRADINHO

56

SANTA MARIA DA VITÓRIA

119

SOUTO SOARES

45

47


48


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

TABOCAS DO BREJO VELHO

37

VALENTE

63

TANHAÇU

48

VÁRZEA DA ROÇA

38

TANQUE NOVO

45

VÁRZEA DO POÇO

20

TANQUINHO

17

VÁRZEA NOVA

35

TAPEROÁ

44

VARZEDO

41

TAPIRAMUTÁ

50

VERA CRUZ

80

TEIXEIRA DE FREITAS

300

VEREDA

15

TEODORO SAMPAIO

26

VITÓRIA DA CONQUISTA

617

TEOFILÂNDIA

56

WAGNER

24

TEOLÂNDIA

37

WANDERLEY

40

TERRA NOVA

31

XIQUE-XIQUE

125

TREMEDAL

53

TOTAL

TUCANO

150

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

UAUÁ

76

UBAÍRA

48

UBAITABA

45

UBATÃ

50

UIBAÍ

30

UMBURANAS

47

UNA

76

URANDI

45

URUÇUCA

51

UTINGA

51

VALENÇA

49

29.550

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Bahia

206

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Claudia Souza Coordenadora Estadual na Bahia


50

CEARÁ


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Ceará, mesmo após o encerramento do processo de formação do projeto Caminhos do Cuidado, ainda é possível conferir muitas das riquezas produzidas pelos alunos durante as dinâmicas realizadas em sala de aula. São diversos vídeos, cordéis, maquetes, esquetes e repentes que expressam a importância da formação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas, para os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem do estado. A coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado no Ceará, Raimunda Félix, conta que o projeto teve, sem dúvida, um alcance imprevisível, sendo o primeiro a conseguir chegar a todo o estado em um período tão curto. Para ela, o direcionamento do olhar a partir da perspectiva da redução de danos tornou possível um começo de discussão e revisão de conceitos na direção de uma prática não excludente para as pessoas que fazem uso abusivo de drogas.

que significa um grande avanço para o Sistema Único de Saúde (SUS). Foram muitas articulações para o início do projeto, que ocorreu a partir de dezembro de 2013, envolvendo os seguintes órgãos e instituições: Secretaria Estadual de Saúde do Ceará (Sesa), Conselho Municipal de Saúde de Fortaleza, Federação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde, Associações Municipais de Agentes Comunitários de Saúde, Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Comissão Intergestores Bipartite (CIB), Comissão Intergestores Regional (CIR), Coordenadorias Regionais de Saúde (Cres-CE), Secretarias de Saúde dos municípios, Coordenação de Saúde Mental para gestores da Sesa, Coordenadoria de Políticas sobre Drogas do Ceará e Comitê Gestor Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas.

"A mensagem principal do projeto transmitida aos alunos foi a construção do vínculo como ferramenta de trabalho, capaz de escutar o outro, no sentido de integrar o sujeito."

O projeto chegou ao estado em março de 2014, recebendo todo o apoio da Escola de Saúde Pública (ESP-CE), considerada de referência para a Educação Permanente em Saúde do país. A possibilidade de aliar a Saúde Mental à Atenção Básica representou um marco histórico para a região, conforme explicou a coordenadora estadual: “Por onde o projeto passava, ouvíamos dos tutores sobre os impasses iniciais em relação à temática das drogas e as polêmicas relacionadas aos preconceitos e ideias baseadas no senso comum, em contraponto a uma prática reflexiva, de defesa de direitos e acesso à saúde”. A experiência do projeto despertou a mobilização de alunos e gestores de alguns municípios para a discussão, organização e planejamento de ações de prevenção e atenção à saúde, criando novos caminhos para o cuidado em Saúde Mental. Para a coordenadora macrorregional, Francéli Santos, o estado concentrou um grande número de pessoas sensibilizadas com a temática da redução de danos e do cuidado, especialmente no sertão nordestino, o

As oficinas de seleção e formação de tutores foram pensadas a partir das quatro macrorregiões do Ceará existentes no período de execução do projeto, mobilizando 112 tutores para conduzir as turmas. Esta escolha pela descentralização se deu pela grande extensão territorial do estado, visto que para acessar algumas regiões, o tempo de deslocamento poderia chegar a até oito horas. Para Raimunda Félix, a mensagem principal do projeto transmitida aos alunos foi a construção do vínculo como ferramenta de trabalho, capaz de escutar o outro, no sentido de integrar o sujeito. No decorrer da realização das turmas, ela conta que o projeto foi além da proposta sugerida, estimulando a reflexão de ideias, valores e experiências, baseada nas relações solidárias, no cuidado integral e na participação social. O encerramento da formação no estado aconteceu em dezembro de 2014, na ESP-CE, com a realização da “I Mostra de Trabalhos do Caminhos do Cuidado”. A ocasião reuniu 300 pessoas, que puderam conferir as experiências dos alunos, expressadas por meio de muita criatividade e diferentes formas de multiplicar os aprendizados trazidos pelo projeto.

51


52

CEARÁ MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

CAPISTRANO

48

CARIDADE

41

CARIRÉ

82

ABAIARA

39

CARIRIAÇU

94

ACARAPE

33

CARIÚS

60

ACARAÚ

161

CARNAUBAL

38

ACOPIARA

81

CASCAVEL

163

AIUABA

47

CATARINA

55

ALCÂNTARAS

37

CATUNDA

29

ALTANEIRA

23

CAUCAIA

584

ALTO SANTO

40

CEDRO

57

AMONTADA

80

CHAVAL

43

ANTONINA DO NORTE

20

CHORÓ

40

APUIARÉS

35

CHOROZINHO

43

AQUIRAZ

170

COREAÚ

70

ARACATI

120

CRATEÚS

196

ARACOIABA

77

CRATO

240

ARARENDÁ

32

CROATÁ

40

ARARIPE

40

CRUZ

42

ARATUBA

41

DEPUTADO IRAPUAN PINHEIRO

40

ARNEIROZ

21

ERERÊ

20

ASSARÉ

72

EUSÉBIO

75

AURORA

69

FARIAS BRITO

85

BAIXIO

44

FORQUILHA

40

BANABUIÚ

43

FORTALEZA

2.542

BARBALHA

160

FORTIM

40

BARREIRA

48

FRECHEIRINHA

40

BARRO

83

GENERAL SAMPAIO

20

BARROQUINHA

47

GRAÇA

44

BATURITE

93

GRANJA

153

BEBERIBE

144

GRANJEIRO

19

BELA CRUZ

87

GROAIRAS

29

BOA VIAGEM

130

GUAIÚBA

50

BREJO SANTO

127

GUARACIABA DO NORTE

80

CAMOCIM

120

GUARAMIRANGA

17

CAMPOS SALES

80

HIDROLÂNDIA

60

CANINDÉ

160

HORIZONTE

145


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

IBARETAMA

42

MAURITI

132

IBIAPINA

73

MERUOCA

38

IBICUITINGA

34

MILAGRES

73

ICAPUÍ

47

MILHÃ

40

ICÓ

183

MIRAÍMA

26

IGUATU

200

MISSÃO VELHA

120

INDEPENDÊNCIA

81

MOMBAÇA

124

IPAPORANGA

34

MONSENHOR TABOSA

60

IPAUMIRIM

38

MORADA NOVA

163

IPU

125

MORAÚJO

29

IPUEIRAS

80

MORRINHOS

64

IRACEMA

43

MUCAMBO

42

IRAUÇUBA

69

MULUNGU

40

ITAIÇABA

20

NOVA OLINDA

49

ITAITINGA

80

NOVA RUSSAS

88

ITAPAGÉ

91

NOVO ORIENTE

86

OCARA

81

ITAPIPOCA

206

ITAPIÚNA

44

ORÓS

60

ITAREMA

110

PACAJUS

97

ITATIRA

58

PACATUBA

163

JAGUARETAMA

73

PACOTI

46

JAGUARIBARA

35

PACUJÁ

18

JAGUARIBE

89

PALHANO

40

JAGUARUANA

87

PALMÁCIA

30

JARDIM

80

PARACURU

80

JATI

30

PARAIPABA

67

JIJOCA DE JERICOACOARA

56

PARAMBU

98

JUAZEIRO DO NORTE

492

PARAMOTI

38

JUCÁS

70

PEDRA BRANCA

140

LAVRAS DA MANGABEIRA

81

PENAFORTE

22

LIMOEIRO DO NORTE

141

PENTECOSTE

112

MADALENA

60

PEREIRO

45

MARACANAÚ

240

PINDORETAMA

41

MARANGUAPE

196

PIQUET CARNEIRO

45

MARCO

80

PIRES FERREIRA

32

MARTINÓPOLE

32

PORANGA

32

MASSAPÊ

85

PORTEIRAS

44

53


54


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

POTENGI

35

TABULEIRO DO NORTE

97

POTIRETAMA

18

TAMBORIL

60

QUITERIANÓPOLIS

64

TARRAFAS

26

TAUÁ

168

QUIXADÁ

202

QUIXELÔ

57

TEJUÇUOCA

41

QUIXERAMOBIM

221

TIANGUÁ

142

QUIXERÉ

80

TRAIRI

120

REDENÇÃO

79

TURURU

40

RERIUTABA

40

UBAJARA

82

RUSSAS

160

UMIRIM

41

SABOEIRO

57

URUBURETAMA

45

SALITRE

52

URUOCA

43

SANTA QUITÉRIA

128

VARJOTA

43

SANTANA DO ACARAÚ

82

VARZEA ALEGRE

111

SANTANA DO CARIRI

50

VIÇOSA DO CEARÁ

138

SÃO BENEDITO

121

TOTAL

SÃO GONÇALO DO AMARANTE

123

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SÃO JOÃO DO JAGUARIBE

26

SÃO LUÍS DO CURU

40

SENADOR POMPEU

80

SENADOR SÁ

24

SOBRAL SOLONÓPOLE

202

55

17.362

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Ceará

66

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Raimunda Félix de Oliveira Coordenadora Estadual no Ceará


56

DISTRITO FEDERAL


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

O Distrito Federal foi uma das primeiras unidades federativas a dar início à formação do Caminhos do Cuidado. O pioneirismo permitiu que a região participasse de momentos essenciais para a formação, bem como fortaleceu a equipe estadual, que não se intimidou com as eventuais adequações necessárias à realidade dos seus territórios. Para a coordenadora estadual, Tereza Cristina Leite, o projeto deixou uma lição inesquecível: a mudança de concepção dos trabalhadores da Atenção Básica em relação às pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. A ampliação do conceito de cuidado, a partir da valorização das ações já desenvolvidas pelas equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF), despertou o interesse da Escola Técnica de Saúde de Brasília (ETESB) a incorporar a temática “Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas”, aliada à proposta da Educação Permanente, em outros cursos de formação de nível técnico. Essa iniciativa gerou a oportunidade de acesso aos conteúdos pelos profissionais que não participaram das turmas realizadas. “Sabemos que um projeto como este não pode ficar restrito a um espaço de tempo tão curto, considerando sua relevância para o momento de saúde em que se vive no país”, destacou Tereza Cristina.

O processo de articulação do projeto foi feito em reuniões com as Diretorias de Atenção Primária das regionais de saúde do Distrito Federal e contou com o apoio do Conselho de Saúde e de instâncias da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). Nesses encontros, tornou-se evidente o reconhecimento dos gestores quanto à necessidade de capacitar os profissionais das equipes na área de Saúde Mental, devido ao crescente número de casos que demandavam atendimento por parte das equipes da ESF, além da importância da articulação com os profissionais atuantes nos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) do Distrito Federal. A seleção dos profissionais aconteceu em setembro de 2013, com 11 tutores mobilizados. Vale ressaltar que quase todos os tutores faziam parte da SES-DF e que 50% deles atuavam em equipes da ESF, sendo os outros trabalhadores dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) e dos CAPS.

"O Caminhos do Cuidado deixa um grande aprendizado no sentido de instrumentalizar pessoas que não eram da área da Saúde Mental, que atuavam na ponta, para lidar com o sofrimento psíquico."

A primeira turma do processo formativo no Distrito Federal aconteceu em outubro de 2013, após a pactuação com a região administrativa Recanto das Emas. O lançamento do projeto foi realizado no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília, com a presença de representantes de instituições que foram fundamentais para o processo de formação, como o Departamento de Gestão e Regulação da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (Deges/SGTES); a Fundação Oswaldo Cruz por meio do Instituto de Comunicação e Informação ientífica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz); o Grupo Hospitalar Conceição (GHC); a Área Técnica de Saúde Mental do Ministério da Saúde; e a Subsecretária da Atenção Primária à Saúde do Distrito Federal.

O encerramento do projeto no Distrito Federal ocorreu em maio de 2015, com a realização da “I Mostra dos alunos do curso Caminhos do Cuidado – formação em Saúde Mental, com ênfase em Álcool, Crack e outras Drogas”. O evento aconteceu no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS), em Brasília. Na ocasião, os alunos apresentaram seus trabalhos e relataram suas experiências em sala de aula, provocando admiração e apoio de todos os presentes. Um fato interessante destacado pela coordenadora estadual foi que os próprios agentes comunitários de saúde (ACSs) passaram a estabelecer contatos constantes com as equipes dos Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPSad) de suas regiões, estreitando os laços e buscando novos conhecimentos sobre a área. “O Caminhos do Cuidado deixa um grande aprendizado ao trabalhar com uma perspectiva revolucionária, no sentido de instrumentalizar pessoas que não eram da área da Saúde Mental, que atuavam na ponta, para lidar com o sofrimento psíquico”, considerou Tereza Cristina.

57


58


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

DISTRITO FEDERAL MUNICÍPIO BRASÍLIA

VAGAS OFERTADAS

59

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Distrito Federal

1.076

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Tereza Cristina Martins Leite Coordenadora Estadual no Distrito Federal


60

ESPÍRITO SANTO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Espírito Santo, o projeto Caminhos do Cuidado foi capaz de provocar discussões, abalar percepções e disparar a reflexão sobre as práticas de gestão e de cuidado não apenas dos alunos que receberam a capacitação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas, mas de todos os envolvidos no processo de formação. Para os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, o projeto promoveu novas formas de intervenção no território; para a Escola Técnica de Formação Profissional de Vitória (ETSUS-Vitória), significou seu pioneirismo em uma formação de abrangência estadual e a oportunidade de incorporar conhecimentos pedagógicos e metodológicos; e para o estado, deixou muitas possibilidades de acolhimento e cuidado com as pessoas que fazem uso abusivo de drogas. A trajetória do Caminhos do Cuidado nos 78 municípios do Espírito Santo se iniciou em março de 2014, por meio de articulações e pactuações com instâncias fundamentais para a execução do projeto no estado, dentre elas destacam-se a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems), além do apoio concedido pelas Comissões Intergestores Regionais (CIRs) e pelo grupo condutor da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do estado.

que ocorreu de forma descentralizada, por região de saúde, totalizando 51 tutores mobilizados. Além das capacitações dos trabalhadores de saúde, o projeto possibilitou a criação de fóruns de educação em saúde, por meio de iniciativas de Telessaúde, enlaçando um diálogo entre as áreas da Saúde Mental e Atenção Básica. A preocupação com o estabelecimento do vínculo entre os alunos, tutores e orientadores fez com que a equipe estadual promovesse constantes encontros entre eles. Como exemplo, a coordenadora estadual ressaltou momentos de exibição de filmes e passeios pela cidade de realização das turmas. Para avaliar o processo de formação, ao final de cada turma foram coletados registros dos participantes do curso, que evidenciaram os resultados positivos para o estado, dentre eles: o reconhecimento da estratégia de redução de danos como fundamental para a oferta do cuidado aos usuários dos serviços de saúde, a existência de uma rede de serviços que dê suporte e trabalhe em parceria com a Atenção Primária, assim como a necessidade de garantia de continuidade das formações aos demais profissionais das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) e dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

"De norte a sul do estado, vimos mochilas e camisas do projeto circulando pelas ruas."

Segundo a coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado, Euzimar Pinto, o impacto que o projeto teve nos alunos enquanto sujeitos foi perceptível e gratificante. “De norte a sul do estado, vimos mochilas e camisas do projeto circulando pelas ruas e ouvimos comentários sobre as mudanças provocadas pelo curso, seus efeitos na organização do trabalho e no cuidado às pessoas em sofrimento psíquico, além dos desafios de fortalecimento de uma rede de serviços de atenção psicossocial que pudesse, junto com a atenção primária, qualificar cada vez mais o cuidado em saúde”, ressaltou a coordenadora. Para a condução das turmas no estado, profissionais das áreas de Atenção Básica e Saúde Mental participaram do processo seletivo para tutores,

Neste sentido, em 2015, as áreas técnicas de Saúde Mental e da Atenção Primária da Sesa investiram em novos treinamentos e ações de educação permanente para o estado, que potencializaram ainda mais os ganhos obtidos a partir da experiência do projeto Caminhos do Cuidado. Entre as iniciativas, destacaram-se a implantação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) em 35 municípios do Espírito Santo e a qualificação de diversos serviços de saúde. O evento de encerramento do projeto ocorreu em dezembro de 2014, na ETSUS-Vitória, reunindo representantes dos gestores municipais e os atores envolvidos na formação. Em clima de muita emoção, os participantes do processo de formação puderam discutir sobre os principais pontos que marcaram o sucesso do Caminhos do Cuidado no Espírito Santo e as possibilidades de continuidade das capacitações sobre a temática abordada.

61


62

ESPÍRITO SANTO MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

APIACÁ

24

ARACRUZ

199

ATÍLIO VIVÁCQUA

42

AFONSO CLÁUDIO

101

BAIXO GUANDU

80

ÁGUA DOCE DO NORTE

35

BARRA DE SÃO FRANCISCO

107

ÁGUIA BRANCA

29

BOA ESPERANÇA

40

ALEGRE

87

BOM JESUS DO NORTE

26

ALFREDO CHAVES

40

BREJETUBA

45

ALTO RIO NOVO

23

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

200

ANCHIETA

73

CARIACICA

120

CASTELO

81

COLATINA

240

CONCEIÇÃO DA BARRA

80

CONCEIÇÃO DO CASTELO

40

DOMINGOS MARTINS

58

DORES DO RIO PRETO

40

ECOPORANGA

80

FUNDÃO

40

GOVERNADOR LINDENBERG

37

GUAÇUÍ

80

GUARAPARI

206


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

IBATIBA

54

RIO BANANAL

41

IBIRAÇU

29

RIO NOVO DO SUL

40

IBITIRAMA

20

SANTA LEOPOLDINA

41

ICONHA

40

SANTA MARIA DE JETIBÁ

95

IRUPI

40

SANTA TERESA

60

ITAGUAÇU

45

SÃO DOMINGOS DO NORTE

25

ITAPEMIRIM

90

SÃO GABRIEL DA PALHA

80

ITARANA

35

SÃO JOSÉ DO CALÇADO

40

IÚNA

79

SÃO MATEUS

237

JAGUARÉ

63

SÃO ROQUE DO CANAÃ

28

JERÔNIMO MONTEIRO

31

SERRA

211

JOÃO NEIVA

45

SOORETAMA

42

LARANJA DA TERRA

37

VARGEM ALTA

60

VENDA NOVA DO IMIGRANTE

43

LINHARES

280

MANTENÓPOLIS

40

VIANA

156

MARATAÍZES

87

VILA PAVÃO

26

MARECHAL FLORIANO

37

VILA VALÉRIO

40

MARILÂNDIA

26

VILA VELHA

168

MIMOSO DO SUL

84

VITÓRIA

500

MONTANHA

42

TOTAL

MUNIZ FREIRE

62

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

MUQUI

41

NOVA VENÉCIA

123

PANCAS

62

PEDRO CANÁRIO

54

PINHEIROS

57

PIÚMA

44

PONTO BELO

43

PRESIDENTE KENNEDY

25

63

5.901

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Espírito Santo

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Elzimar Evangelista P. Pinto Coordenadora Estadual no Espírito Santo


64

GOIÁS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Em Goiás, o impacto da formação do Caminhos do Cuidado foi tão positivo que apontou para novos rumos. Tanto que a Escola Estadual de Saúde Pública Cândido Santiago (Esap-GO) realizou, mesmo após o encerramento das atividades na região, três seminários destinados aos profissionais de nível superior dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e da Estratégia Saúde da Família (ESF), bem como a oficina “Atualização sobre Crack e outras Drogas”. Os eventos se basearam no conteúdo programático do projeto e foram resultados da análise dos questionários preenchidos pelos alunos e tutores sobre o processo formativo do Caminhos do Cuidado. Segundo a coordenadora estadual, Miriã Coutinho, grande parte dos participantes pediram que a formação fosse ampliada para os trabalhadores de nível superior, o que resultou nos quatro encontros. Além disso, a escola ainda pretende dar continuidade aos ensinamentos do projeto, inserindo a formação dentro da qualificação dos novos agentes comunitários de saúde (ACSs).

representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), das coordenações da Atenção Básica e Saúde Mental, da Comissão de Educação Permanente, da Esap-GO e da Coordenação Estadual do Caminhos do Cuidado. Goiás possui uma área geográfica de 340.111,376 quilômetros quadrados (IBGE, 2015), divididos em 246 municípios, com mais de seis milhões de habitantes. É o estado mais populoso da Região Centro-Oeste e o nono mais rico do Brasil. Ao todo, o projeto mobilizou 56 tutores em três oficinas de seleção e formação para que os profissionais pudessem conduzir as aulas, bem como encerrou suas turmas na região com quase 10 mil agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos de enfermagem formados. A coordenação estadual contou com duas apoiadoras da escola e uma do Cosems.

"Os mesmos alunos que apresentaram algum tipo de resistência no início das formações mostraram-se emocionados com a transformação do próprio olhar sobre as pessoas que fazem uso abusivo das drogas."

O comprometimento e o empenho dos idealizadores do Caminhos do Cuidado e de todos que participaram de sua execução foram os principais motivos que permitiram a boa aceitação do projeto em Goiás, segundo o tutor Lino Neto. Em suas palavras, a atuação nos territórios deve “assegurar a integralidade da atenção à saúde, com um olhar e sentimento livres do véu do preconceito, adotando uma abordagem mais ética e conjugada a um cuidado mais humanizado aos usuários”. O projeto Caminhos do Cuidado chegou a Goiás em outubro de 2013, por meio da Esap-GO. As pactuações com os municípios ocorreram em reuniões da Comissão Intergestores Regional (CIR) e da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). O projeto contou com um colegiado gestor composto por

Miriã ressaltou que o grande diferencial do projeto foi a metodologia inovadora, motivando a participação dos alunos, que levavam para a sala de aula relatos sobre a forma como o curso modificou o olhar dos trabalhadores de saúde em relação aos usuários de drogas. Segundo ela, os mesmos alunos que apresentaram algum tipo de resistência no início das formações mostraram-se emocionados com a transformação do próprio olhar sobre as pessoas que fazem uso abusivo das drogas. “O projeto possibilitou a ampliação da caixa de ferramentas para o cuidado, o acolhimento e a escuta dos agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem do estado”, considerou. Para a coordenadora macrorregional do estado de Goiás, Lenice Koltermann, a matriz pedagógica possibilitou maior aproximação dos profissionais de saúde da Atenção Básica com as práticas do cuidado capazes de disparar reflexões e mudanças de atitudes a favor da garantia do acolhimento, considerando as especificidades de cada sujeito.

65


66

GOIÁS MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

FORMOSA

219

GOIANÁPOLIS

56

GOIANÉSIA

98

ABADIA DE GOIÁS

22

GOIÂNIA

1210

ABADIÂNIA

42

GOIANIRA

128

ACREÚNA

72

GOIÁS

170

ÁGUA FRIA DE GOIÁS

18

GOIATUBA

125

ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS

176

GUAPÓ

49

ALEXÂNIA

45

GUARANI DE GOIÁS

18

ALTO PARAÍSO DE GOIÁS

20

HIDROLÂNDIA

42

ALVORADA DO NORTE

41

IACIARA

43

ANÁPOLIS

481

INDIARA

83

ANICUNS

61

INHUMAS

120

ARAGARÇAS

48

IPAMERI

104

ARAGOIÂNIA

22

IPORÁ

151

BARRO ALTO

44

ITABERAÍ

81

BELA VISTA DE GOIÁS

83

ITAGUARI

28

BOM JARDIM DE GOIÁS

37

ITAJÁ

26

BOM JESUS DE GOIÁS

48

ITAPACI

58

CACHOEIRA DOURADA

39

ITAPURANGA

74

CAÇU

40

ITAUÇU

40

CAIAPÔNIA

42

ITUMBIARA

167

CALDAS NOVAS

114

JARAGUÁ

118

CAMPOS BELOS

96

JATAÍ

128

CATALÃO

137

JUSSARA

87

CAVALCANTE

43

LUZIÂNIA

108

CERES

167

MAMBAÍ

49

CIDADE DE GOIÁS

39

MARA ROSA

88

CIDADE OCIDENTAL

118

COCALZINHO DE GOIÁS

52

CRISTALINA

104

CRIXÁS

111

DOVERLÂNDIA

25

EDÉIA

36

FIRMINÓPOLIS

43


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

MAURILÂNDIA

26

PLANALTINA

178

MINAÇU

143

PONTALINA

96

MINEIROS

108

PORANGATU

119

MONTES CLAROS DE GOIÁS

72

POSSE

84

MONTIVIDIU

27

QUIRINÓPOLIS

134

MORRINHOS

124

RIO VERDE

93

MOZARLÂNDIA

56

RUBIATABA

97

NERÓPOLIS

102

SANCLERLÂNDIA

41

NIQUELÂNDIA

95

SANTA HELENA DE GOIÁS

78

NOVO GAMA

80

ORIZONA

49

PADRE BERNARDO

56

PALMEIRAS DE GOIÁS

87

PARAÚNA

43

PETROLINA DE GOIÁS

40

PIRACANJUBA

85

PIRANHAS

46

PIRENÓPOLIS

78

PIRES DO RIO

107

67


68

SANTO ANTÔNIO DO DESCOBERTO

101

SÃO DOMINGOS

27

SÃO JOÃO D'ALIANÇA

29

SÃO LUÍS DE MONTES BELOS

83

SÃO MIGUEL DO ARAGUAIA

92

SÃO SIMÃO

82

SENADOR CANEDO SILVÂNIA

300 81

TRINDADE

258

URUAÇU

119

URUANA

40

VALPARAÍSO DE GOIÁS

230

VIANÓPOLIS

38

TOTAL

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Goiás

9.958

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Miriã Alves Coutinho Coordenadora Estadual em Goiás


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

69


70

MARANHÃO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Para muitos municípios do Maranhão, o projeto Caminhos do Cuidado representou uma primeira oportunidade de diálogo sobre as possibilidades do cuidado, do acolhimento e da escuta para os usuários de crack, álcool e outras drogas, no âmbito da Atenção Básica. Na visão da coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado, Sara Lima, o projeto inovou ao discutir a redução de danos de forma tão simplificada e acessível, o que permitiu a incorporação da proposta ao universo dos trabalhadores de saúde que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS), desconstruindo conceitos e reconstruindo diversas representações sociais.

de Mental e da Atenção Básica das Secretarias Municipais e Estadual de Saúde, além de tutores, orientadores e da Escola Técnica do Sistema Único de Saúde Dra. Maria Nazareth Ramos de Neiva (ETSUS-MA). As formações dos tutores e orientadores para conduzir as turmas no estado também possibilitaram que diversos profissionais de nível superior atuantes na Atenção Básica fossem mobilizados sobre a temática. Ao todo, o estado formou 157 tutores e cinco orientadores. As oficinas de formação pedagógica de tutores aconteceram em momentos e espaços diferentes, sendo quatro delas na capital São Luís e uma no município de Imperatriz, no período de março de 2014 a janeiro de 2015.

"O projeto ofereceu uma caixa real de ferramentas para a intervenção no território, no momento em que o estado reconheceu a necessidade de construção de práticas assistenciais que aproximassem a Saúde Mental da Atenção Básica."

Segundo Sara, o projeto ofereceu uma caixa real de ferramentas para a intervenção no território, no momento em que o estado reconheceu a necessidade de construção de práticas assistenciais que aproximassem a Saúde Mental da Atenção Básica. De acordo com ela, os ganhos para o estado foram além da capacitação dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem. “A gente levou a Saúde Mental para dentro da escola técnica do SUS, pois vimos que esse não era um conteúdo tão valorizado, e conseguimos mostrar a sua importância”, destacou a coordenadora estadual.

Foram quase 18 mil agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos de enfermagem para trabalhar com Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas no Maranhão. Dos 217 municípios do estado, apenas um não participou do processo formativo, o que demonstra o interesse dos gestores locais no aperfeiçoamento dos profissionais de saúde em relação à temática. A pactuação com os municípios do estado ocorreu junto à Comissão Intergestores Bipartite (CIB), e contou com a formação de um colegiado gestor composto por representantes do Conselho Regional de Enfermagem (Coren), da Federação Maranhense de ACSs, das Coordenações de Saú-

A primeira turma do projeto aconteceu em maio de 2014, em São Luís. Logo no início, muitos tutores perceberam que a metodologia proposta pelo Caminhos do Cuidado não tinha como característica limitar o seu trabalho, mas sim orientá-lo a incentivar a participação dos alunos a partir das suas próprias realidades.

Neste sentido, para além da formação, o projeto também foi capaz de produzir transformações que superaram a capacitação dos trabalhadores das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). Dentre elas, a coordenadora mencionou a aproximação da Saúde Mental no cotidiano da atenção básica e as possibilidades de cuidado em espaços variados, institucionais e comunitários. O aprendizado repercutiu tanto que despertou o interesse de outros profissionais da Atenção Básica, como médicos e enfermeiros, que pediram participação em turmas do projeto. Para Sara Lima, esse fato refletiu a capacidade do Caminhos do Cuidado em multiplicar sua filosofia e seus conhecimentos a partir dos que vivenciaram o processo formativo, sejam eles alunos ou tutores, provocando transformações nos territórios.

71


72

MARANHÃO MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

BOM JESUS DAS SELVAS

76

BOM LUGAR

58

BREJO

105

AÇAILÂNDIA

217

BREJO DE AREIA

43

AFONSO CUNHA

21

BURITI

91

ÁGUA DOCE DO MARANHÃO

45

BURITI BRAVO

62

ALCÂNTARA

80

BURITICUPU

180

ALDEIAS ALTAS

58

BURITIRANA

54

ALTAMIRA DO MARANHÃO

34

CACHOEIRA GRANDE

42

ALTO ALEGRE DO MARANHÃO

80

CAJAPIÓ

40

ALTO ALEGRE DO PINDARÉ

128

CAJARI

61

ALTO PARNAÍBA

38

CAMPESTRE DO MARANHÃO

44

AMAPÁ DO MARANHÃO

35

CÂNDIDO MENDES

89

AMARANTE DO MARANHÃO

125

CANTANHEDE

80

ANAJATUBA

85

CAPINZAL DO NORTE

47

ANAPURUS

45

CAROLINA

60

APICUM-AÇU

48

CARUTAPERA

70

ARAGUANÃ

42

CAXIAS

436

ARAIÓSES

144

CEDRAL

43

ARAME

107

CENTRAL DO MARANHÃO

26

ARARI

88

CENTRO DO GUILHERME

44

AXIXÁ

54

CENTRO NOVO DO MARANHÃO

81

204

CHAPADINHA

156

BACABEIRA

41

CIDELÂNDIA

45

BACURI

59

CODÓ

310

BACURITUBA

21

COELHO NETO

143

BACABAL

BALSAS

232

COLINAS

136

BARÃO DE GRAJAÚ

60

CONCEIÇÃO DO LAGO-AÇU

50

BARRA DO CORDA

256

COROATÁ

197

BARREIRINHAS

234

CURURUPU

129

BELA VISTA DO MARANHÃO

38

DAVINÓPOLIS

38

BELÁGUA

24

DOM PEDRO

77

BENEDITO LEITE

29

DUQUE BACELAR

41

BEQUIMÃO

66

ESPERANTINÓPOLIS

80

BERNARDO DO MEARIM

22

ESTREITO

99

BOA VISTA DO GURUPI

24

FEIRA NOVA DO MARANHÃO

29

BOM JARDIM

160

FERNANDO FALCÃO

32


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

FORMOSA DA SERRA NEGRA

67

MARACAÇUMÉ

57

FORTALEZA DOS NOGUEIRAS

44

MARAJÁ DO SENA

21

FORTUNA

66

MARANHÃOZINHO

48

GODOFREDO VIANA

36

MATA ROMA

64

GONÇALVES DIAS

55

MATINHA

78

GOVERNADOR ARCHER

30

MATÕES

110

GOVERNADOR EDISON LOBÃO

54

MATÕES DO NORTE

40

GOVERNADOR EUGÊNIO BARROS

50

MILAGRES DO MARANHÃO

34

GOVERNADOR LUIZ ROCHA

25

MIRADOR

55

GOVERNADOR NUNES FREIRE

103

MIRANDA DO NORTE

53

GRAÇA ARANHA

19

MIRINZAL

48

GRAJAÚ

114

MONÇÃO

101

GUIMARÃES

45

MONTES ALTOS

32

HUMBERTO DE CAMPOS

90

MORROS

69

ICATU

71

NINA RODRIGUES

40

IGARAPÉ DO MEIO

38

NOVA COLINAS

17

IGARAPÉ GRANDE

37

NOVA OLINDA DO MARANHÃO

50

OLHO D'ÁGUA DAS CUNHÃS

43

OLINDA NOVA DO MARANHÃO

45

PAÇO DO LUMIAR

154

IMPERATRIZ ITAIPAVA DO GRAJAÚ ITAPECURU MIRIM

345 51 208

ITINGA DO MARANHÃO

86

PALMEIRÂNDIA

81

JATOBÁ

32

PARAIBANO

73

JENIPAPO DOS VIEIRAS

51

PARNARAMA

121

JOÃO LISBOA

75

PASSAGEM FRANCA

67

JOSELÂNDIA

75

PASTOS BONS

82

JUNCO DO MARANHÃO

34

PAULINO NEVES

49

LAGO DA PEDRA

148

PAULO RAMOS

69

LAGO DO JUNCO

29

PEDREIRAS

128

LAGO DOS RODRIGUES

33

PEDRO DO ROSARIO

78

LAGO VERDE

43

PENALVA

104

LAGOA DO MATO

38

PERI MIRIM

47

LAGOA GRANDE DO MARANHÃO

38

PERITORÓ

60

LAJEADO NOVO

21

PINDARÉ MIRIM

82

LIMA CAMPOS

41

PINHEIRO

199

LORETO

40

PIO XII

103

LUÍS DOMINGUES

42

PIRAPEMAS

60

MAGALHÃES DE ALMEIDA

68

POÇÃO DE PEDRAS

82

73


74

PORTO FRANCO

60

SÃO JOÃO DOS PATOS

65

PORTO RICO DO MARANHÃO

23

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

236

PRESIDENTE DUTRA

119

SÃO JOSÉ DOS BASÍLIOS

35

PRESIDENTE JUSCELINO

44

SÃO LUÍS

PRESIDENTE MÉDICI

28

74

PRESIDENTE SARNEY

66

SÃO LUÍS GONZAGA DO MARANHÃO

PRESIDENTE VARGAS

40

SÃO MATEUS DO MARANHÃO

132

PRIMEIRA CRUZ

39

SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA

32

RAPOSA

82

SÃO PEDRO DOS CRENTES

21

RIACHÃO

76

65

RIBAMAR FIQUENE

24

SÃO RAIMUNDO DAS MANGABEIRAS

ROSÁRIO

117

23

SAMBAÍBA

23

SÃO RAIMUNDO DO DOCA BEZERRA

SANTA FILOMENA DO MARANHÃO

19

SÃO ROBERTO

21

SANTA HELENA

116

SÃO VICENTE FERRER

47

SANTA INÊS

201

SATUBINHA

43

SANTA LUZIA

224

SENADOR ALEXANDRE COSTA

35

SANTA LUZIA DO PARUÁ

83

SENADOR LA ROCQUE

62

SANTA QUITÉRIA DO MARANHÃO

128

SERRANO DO MARANHÃO

36

SANTA RITA

122

SÍTIO NOVO

61

SANTANA DO MARANHÃO

42

SUCUPIRA DO NORTE

31

SANTO AMARO

26

SUCUPIRA DO RIACHÃO

17

SANTO ANTÔNIO DOS LOPES

51

TASSO FRAGOSO

31

SÃO BENEDITO DO RIO PRETO

55

TIMBIRAS

90

SÃO BENTO

148

TIMON

393

SÃO BERNARDO

90

TRIZIDELA DO VALE

62

SÃO DOMINGOS DO AZEITÃO

26

TUFILÂNDIA

23

SÃO DOMINGOS DO MARANHÃO

134

TUNTUM

125

SÃO FÉLIX DE BALSAS

17

TURIAÇU

98

SÃO FRANCISCO DO BREJÃO

30

TURILÂNDIA

77

SÃO FRANCISCO DO MARANHÃO

54

SÃO JOÃO BATISTA

72

SÃO JOÃO DO CARÚ

65

SÃO JOÃO DO PARAÍSO

43

SÃO JOÃO DO SÓTER

61

928


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

TUTÓIA

132

URBANO SANTOS

90

VARGEM GRANDE

170

VIANA

173

VILA NOVA DOS MARTÍRIOS

27

VITÓRIA DO MEARIM

132

VITORINO FREIRE

114

ZÉ DOCA

135

TOTAL

17.808

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

75

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Maranhão

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Sara Fiterman Lima Coordenadora Estadual no Maranhão


76

MATO GROSSO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

O estado do Mato Grosso tem a terceira maior extensão territorial do Brasil, no total de 903.378.292 quilômetros quadrados (IBGE, 2015), com grande parte de sua área pertencente à Floresta Amazônica. Localizado na Região Centro-Oeste do país, o estado possui uma população estimada em 3.265.486 habitantes e conta com 141 municípios. Porém, chegar a determinados municípios de barco ou por longas estradas não foram obstáculos para que o projeto Caminhos do Cuidado levasse a formação em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas, aos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF).

bro de 2014, em Cuiabá, que passou a multiplicar os aprendizados das oficinas de formação nas 161 turmas realizadas pelo projeto, por meio da oferta de 5.552 vagas. Ao longo do processo de formação, a coordenação estadual passou a ser conduzida por Samira Mansur. Para ela, o projeto inovou ao permitir a reflexão dos trabalhadores de saúde sobre o seu próprio 'fazer', tendo suas práticas cotidianas transformadas por meio das ferramentas apreendidas no processo educativo. E não foram somente os alunos e tutores que tiveram seus olhares modificados a partir da participação no projeto. Impulsionada pelo conhecimento adquirido pelo Caminhos do Cuidado, a ESP-MT resolveu ir além da execução das formações no estado, tendo a iniciativa de reestruturar a Rede de Apoio Psicossocial (RAPS) e seus processos de cuidado em quatro municípios do estado, incluindo a capital Cuiabá.

"O Caminhos do Cuidado veio fortalecer a área da Atenção Básica e a Estratégia Saúde da Família (ESF) do Mato Grosso, abrindo possibilidades de empoderamento do trabalho em equipe."

Com o desafio aceito, a equipe estadual do projeto adotou a estratégia de sensibilizar os gestores dos municípios, um a um, que prontamente acolheram a proposta do projeto. O Caminhos do Cuidado, além de inovar pela temática abordada, representou a primeira ação de qualificação dos trabalhadores da saúde realizada em todo o estado de uma única vez. As formações ocorreram a partir de julho de 2014, sendo fortemente abraçadas pela Escola de Saúde Pública de Mato Grosso (ESP-MT).

As articulações para a execução do projeto no estado se deram em fevereiro de 2014, a partir da composição de um colegiado gestor composto por representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), da Coordenadoria da Atenção Básica da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde, da ESP-MT, da Secretaria Adjunta de Gestão Estratégica da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso (SES-MT), e de orientadores e tutores do projeto no estado. Na sequência, o projeto foi apresentado à Comissão Intergestores Bipartite (CIB), às Comissões Intergestores Regionais (CIR) e à Comissão de Integração de Ensino e Serviços (Cies). Mato Grosso finalizou a formação com 50 tutores capacitados, entre os meses de março e setem-

Esta ação envolveu profissionais da Área Técnica em Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Cuiabá, dos Conselhos de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso (ISC/UFMT). Para Cecília Fortes, que foi coordenadora estadual no início do projeto, o Caminhos do Cuidado veio a fortalecer também a área da Atenção Básica e a ESF do Mato Grosso, abrindo possibilidades de empoderamento do trabalho em equipe. Além disso, Cecilia reforçou a importância do material didático na formação da equipe que atuou no estado. Segundo ela, a riqueza do conteúdo oferecido para os agentes comunitários de saúde (ACSs) trabalharem foi primordial para incentivar os alunos durante o processo de formação.

77


78

MATO GROSSO MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

ITAÚBA

45

ITIQUIRA

26

JACIARA

76

ACORIZAL

20

JANGADA

25

ÁGUA BOA

69

JAURU

38

ALTA FLORESTA

110

JUARA

88

ALTO ARAGUAIA

79

JUÍNA

95

ALTO BOA VISTA

43

JURUENA

38

APIACÁS

23

JUSCIMEIRA

39

ARAPUTANGA

26

LUCAS DO RIO VERDE

91

ARENÁPOLIS

56

MIRASSOL D'OESTE

53

ARIPUANÃ

59

NOBRES

40

BARÃO DE MELGAÇO

20

NORTELÂNDIA

20

BARRA DO BUGRES

96

30

BARRA DO GARÇAS

146

NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO

BOM JESUS DO ARAGUAIA

21

NOVA BANDEIRANTES

49

BRASNORTE

34

NOVA BRASILÂNDIA

34

CÁCERES

58

NOVA CANÃA DO NORTE

30

CAMPINÁPOLIS

31

NOVA LACERDA

35

CAMPO NOVO DO PARECIS

45

NOVA MARILÂNDIA

27

CAMPO VERDE

72

NOVA MONTE VERDE

28

CANABRAVA DO NORTE

21

NOVA MUTUM

62

CANARANA

38

NOVA UBIRATÃ

41

CARLINDA

33

NOVA XAVANTINA

49

CASTANHEIRA

23

NOVO SÃO JOAQUIM

27

CLÁUDIA

35

PARANAITÁ

34

COCALINHO

29

PARANATINGA

62

COLÍDER

90

PEDRA PRETA

28

COMODORO

80

PEIXOTO DE AZEVEDO

143

CONFRESA

83

POCONÉ

88

CUIABÁ

433

PONTES E LACERDA

80

DIAMANTINO

69

PORTO ALEGRE DO NORTE

32

DOM AQUINO

22

PORTO DOS GAÚCHOS

34

FELIZ NATAL

25

PORTO ESPERIDIÃO

30

GAÚCHA DO NORTE

14

GUARANTÃ DO NORTE

94

GUIRATINGA

46


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

POXORÉU

41

PRIMAVERA DO LESTE

121

QUERÊNCIA

53

RIBEIRÃO CASCALHEIRA

26

RIO BRANCO

49

RONDONÓPOLIS

337

ROSÁRIO OESTE

56

SANTA TEREZINHA

29

SANTO ANTÔNIO DO LEVERGER

52

SÃO FÉLIX DO ARAGUAIA

44

SÃO JOSÉ DO RIO CLARO

45

SÃO JOSÉ DO XINGU

25

SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS

25

SINOP

185

SORRISO

134

TABAPORÃ

38

TANGARÁ DA SERRA

78

TAPURAH

61

TORIXORÉU

26

VÁRZEA GRANDE

194

VERA

24

VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE

75

VILA RICA

44

TOTAL

5.522

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

79

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Mato Grosso

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Cecilia Forte Coordenadora Estadual no Mato Grosso


80

MATO GROSSO DO SUL


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Apesar das longas distâncias entre os municípios e das dificuldades de acesso a algumas regiões localizadas na zona rural, com parte da população residente em fazendas, o projeto Caminhos do Cuidado concluiu com êxito as formações em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas, para os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem da Atenção Básica, deixando muitas lições e experiências marcantes para o estado de Mato Grosso do Sul. Com início em outubro de 2013, o projeto permitiu uma melhor integração e estreitamento de laços com os municípios envolvidos a partir das articulações que se fizeram necessárias para a sua execução, principalmente com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e a Comissão de Integração Ensino-Serviço (Cies). O processo formativo ocorreu de janeiro a dezembro de 2014, contando com o protagonismo da Escola Técnica do Sistema Único de Saúde (ETSUS) Professora Ena de Araújo Galvão, vinculada à Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES-MS).

A seleção e formação dos tutores ocorreram em março de 2014, mobilizando 57 profissionais de nível superior com experiência em Atenção Básica ou Saúde Mental para conduzirem as turmas no estado. Ao longo das aulas, foi possível escutar diversos relatos dos atores envolvidos na formação em relação à importância dos novos conhecimentos e habilidades apropriados a partir do curso do Caminhos do Cuidado e sua aplicabilidade no território, o que permitiu uma mudança na abordagem às pessoas que fazem uso abusivo de drogas. “E o mais importante é que esses alunos, que são trabalhadores do SUS, já incorporaram o que aprenderam nos seus processos de trabalho”, salientou a coordenadora estadual.

"Ao longo das aulas, foi possível escutar diversos relatos dos atores envolvidos na formação em relação à importância dos novos conhecimentos e habilidades apropriados a partir do curso do Caminhos do Cuidado e sua aplicabilidade no território, o que permitiu uma mudança na abordagem às pessoas que fazem uso abusivo de drogas."

A coordenadora estadual, Ewângela Aparecida da Silva, conta que o trabalho foi consolidado pela escola técnica para a formação de profissionais de nível médio. Conduzido de forma descentralizada nos municípios, inclusive com a implantação de Núcleos de Educação Permanente nessas regiões, o trabalho facilitou as negociações com os gestores, que indicaram um profissional de cada município para cooperar com as ações do projeto, totalizando 78 pessoas que reforçaram o trabalho da equipe estadual.

Para a coordenadora macrorregional, Lenice Koltermann, o sucesso do projeto no estado se deve à capacidade de planejar e se comunicar da equipe estadual junto aos demais atores envolvidos no processo formativo, mesmo diante das eventuais dificuldades que apareceram próprias das especificidades do estado. “Novos olhares surgiram neste período de execução do projeto no estado e demandaram, enquanto equipe e profissionais da saúde, uma formação voltada também para a população indígena”, ressaltou Lenice. As muitas experiências dos trabalhadores das equipes de Atenção Básica do estado, em sala de aula e nas ações em território, foram compartilhadas no encontro “Resgatando a história e consolidando caminhos”, que aconteceu durante o Seminário Estadual de Saúde da Família, em dezembro de 2014, reunindo 300 pessoas.

81


82

MATO GROSSO DO SUL MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

JARAGUARI

35

JARDIM

70

LADÁRIO

80

ÁGUA CLARA

22

MARACAJU

80

AMAMBAÍ

70

MIRANDA

50

ANGÉLICA

21

NAVIRAÍ

120

APARECIDA DO TABOADO

46

NIOAQUE

40

AQUIDAUANA

182

NOVA ALVORADA DO SUL

40

BATAGUASSU

65

NOVA ANDRADINA

86

BATAYPORÃ

36

PARANAÍBA

107

BELA VISTA

54

PARANHOS

25

BODOQUENA

40

PEDRO GOMES

18

BONITO

31

PONTA PORÃ

187

BRASILÂNDIA

26

PORTO MURTINHO

28

CAARAPÓ

38

RIBAS DO RIO PARDO

40

CAMAPUÃ

36

RIO BRILHANTE

65

RIO VERDE DE MATO GROSSO

80

CAMPO GRANDE

1.405

CARACOL

18

SANTA RITA DO PARDO

25

CASSILÂNDIA

57

SÃO GABRIEL DO OESTE

79

CHAPADÃO DO SUL

50

SELVÍRIA

20

CORGUINHO

43

SETE QUEDAS

27

CORONEL SAPUCAIA

26

SIDROLÂNDIA

81

CORUMBÁ

190

SONORA

40

COSTA RICA

58

TACURU

25

COXIM

68

TERENOS

40

DEODÁPOLIS

66

TRÊS LAGOAS

160

DOURADOS

320

TOTAL

ELDORADO

80

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

FÁTIMA DO SUL

77

IGUATEMI

31

ITAPORÃ

38

ITAQUIRAÍ

50

IVINHEMA

40

4.932

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Mato Grosso do Sul

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Ewângela Pereira Coordenadora Estadual no Mato Grosso do Sul

83


84

MINAS GERAIS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

“Leva-se um punhado de tempo para conseguir acompanhar a imensidão de suas pequenas e grandes cidades, nas múltiplas linhas, nos diferentes jeitos, sotaques, cores, sabores e temperos”. Assim, a coordenadora macrorregional do Caminhos do Cuidado em Minas Gerais, Anna Letícia Ventre, refletiu sobre o percurso do projeto nos diferentes municípios mineiros. Apesar da diversidade cultural e econômica, combinada à grande extensão territorial, Minas Gerais superou não apenas a meta proposta pelo Caminhos do Cuidado, mas também a do próprio estado no que se refere às formações. “Nós achamos audacioso o projeto, porque não trabalhamos em nenhuma instituição pública em Minas Gerais, seja de gestão ou de ensino, com meta de 100%. O Caminhos teve esse alcance diferenciado, com todos os municípios participantes da formação”, salientou a coordenadora estadual do projeto, Rosângela Silveira. Além da meta em números, a coordenadora destacou os ganhos gerados que não podem ser contabilizados, como o resgate da singularidade, o cuidado com a escuta e o fortalecimento dos vínculos nas comunidades e com as famílias.

em crack, álcool e outras drogas. A aula inaugural ocorreu em março de 2014, no campus universitário Darcy Ribeiro, da Universidade de Montes Claros (Unimontes). Para a gestão das turmas, duas escolas que compõem a Rede de Escolas Técnicas do SUS (RET-SUS), situadas entre a capital e o norte do estado, assumiram a execução do projeto e se fortaleceram enquanto referência para a educação permanente em Minas Gerais: a Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) e a Escola Técnica de Saúde do Centro de Ensino Médio e Fundamental da Universidade Estadual de Montes Claros (ETSUS Unimontes).

"Os trabalhos produzidos em sala de aula demonstram a compreensão do que foi discutido e os efeitos nos próprios alunos. Foram textos, poesias, desenhos, músicas e encenações, que revelam e a dimensão das possibilidades pósCaminhos do Cuidado."

Para ela, são enormes os desafios que se colocam para um estado que contempla 853 municípios, em um processo de promoção da educação permanente em território, a começar pelo público da formação que, muitas vezes, é pouco valorizado em ações de educação em serviço, mas imprescindível para a Atenção Básica. O projeto Caminhos do Cuidado ofertou 34.399 vagas para os trabalhadores atuantes da Estratégia de Saúde da Família (ESF) na região, entre agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, levando a todos eles conhecimento sobre Saúde Mental, com ênfase

As pactuações ocorreram com a Comissão Permanente de Integração, Ensino e Serviço (Cies), a Superintendência de Atenção Primária da Saúde, a Coordenação Estadual de Saúde Mental e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems). Também aconteceram reuniões com representantes das Comissões Intergestores Regionais (CIRs) e da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) do estado.

Minas Gerais foi o primeiro estado a conduzir a formação de tutores de forma descentralizada. A primeira oficina de seleção e formação de tutores de aprendizagem do Caminhos do Cuidado ocorreu em fevereiro de 2014, sendo realizadas mais duas oficinas posteriormente, totalizando 209 tutores mobilizados. “Há relatos marcantes, emocionantes, efusivos, dramáticos. Os trabalhos produzidos em sala de aula demonstram a compreensão do que foi discutido e os efeitos nos próprios alunos. Foram inúmeros textos, poesias, desenhos, músicas e encenações produzidos em cada turma, que revelam o quanto foi apreendido e a dimensão das possibilidades pós-Caminhos do Cuidado”, ressaltou, a coordenadora estadual.

85


86

MINAS GERAIS MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

BARÃO DE COCAIS

87

BARBACENA

171

BARROSO

40 30

ABAETÉ

50

BELA VISTA DE MINAS

ACAIACA

43

BELO HORIZONTE

AÇUCENA

35

BELO ORIENTE

65

ÁGUA BOA

51

BELO VALE

36

ÁGUAS FORMOSAS

63

BERILO

38

ÁGUAS VERMELHAS

49

BERIZAL

22

AIMORÉS

92

BERTÓPOLIS

25

AIURUOCA

21

BETIM

186

ALÉM PARAÍBA

70

BICAS

40

ALFENAS

168

BOA ESPERANÇA

70

ALMENARA

116

BOCAIÚVA

121

ALPINÓPOLIS

36

BOM DESPACHO

90

ALTEROSA

32

BOM JARDIM DE MINAS

22

ALTO CAPARAÓ

15

BOM REPOUSO

33

ALTO RIO DOCE

40

BOM SUCESSO

54

ALVORADA DE MINAS

24

BONFIM

21

ANDRELÂNDIA

27

BONFINÓPOLIS DE MINAS

31

ANGELÂNDIA

27

BONITO DE MINAS

30

ANTÔNIO CARLOS

42

BORDA DA MATA

32

ANTÔNIO DIAS

30

BOTELHOS

27

ARAÇUAÍ

86

BOTUMIRIM

28

ARAGUARI

149

BRÁS PIRES

31

ARAPONGA

41

BRASILÂNDIA DE MINAS

40

3.067

ARAXÁ

126

BRASÍLIA DE MINAS

106

ARCEBURGO

21

BRAÚNAS

26

ARCOS

74

BRUMADINHO

94

AREADO

28

BUENÓPOLIS

29

ARICANDUVA

22

BUGRE

13

ARINOS

70

BURITIS

52

ATALÉIA

46

BURITIZEIRO

62

BAEPENDI

54

CABECEIRA GRANDE

19

BALDIM

25

CACHOEIRA DA PRATA

41

BAMBUÍ

62

CACHOEIRA DE PAJEÚ

21

BANDEIRA

20

CAETANÓPOLIS

28


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

CAETÉ

64

CARMO DE MINAS

38

CAIANA

16

CARMO DO PARANAÍBA

81

CALDAS

31

CARMO DO RIO CLARO

55

CAMACHO

16

CARNEIRINHO

32

CAMANDUCAIA

31

CARRANCAS

45

CAMBUÍ

50

CARVALHÓPOLIS

16

CAMBUQUIRA

31

CÁSSIA

18

CAMPANHA

35

CATUJI

27

CAMPESTRE

15

CATUTI

20

CAMPINA VERDE

39

CAXAMBU

47

CAMPO AZUL

16

CENTRAL DE MINAS

22

CAMPO BELO

128

CENTRALINA

27

CAMPO DO MEIO

28

CHAPADA DO NORTE

49

CAMPO FLORIDO

23

CHAPADA GAÚCHA

30

CAMPOS ALTOS

27

CIPOTÂNEA

21

CAMPOS GERAIS

41

CLARO DOS POÇÕES

21

CANA VERDE

28

CLÁUDIO

65

CANÁPOLIS

37

COIMBRA

21

CANDEIAS

44

COLUNA

26

CAPARAÓ

17

COMERCINHO

33

CAPELA NOVA

21

CONCEIÇÃO DA APARECIDA

37

CAPELINHA

106

CONCEIÇÃO DAS ALAGOAS

78

CAPIM BRANCO

43

CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO

47

CAPINÓPOLIS

24

CONCEIÇÃO DOS OUROS

49

CAPITÃO ANDRADE

16

CÔNEGO MARINHO

22

CAPITÃO ENÉAS

44

CONFINS

18

CAPITÓLIO

23

CONGONHAS

110

CAPUTIRA

30

CONGONHAS DO NORTE

17

CARAÍ

61

CONSELHEIRO LAFAIETE

144

CARANDAÍ

46

CONSELHEIRO PENA

49

CARANGOLA

81

CONTAGEM

400

CARATINGA

131

COQUEIRAL

46

CARBONITA

31

CORAÇÃO DE JESUS

82

CAREAÇU

19

CORDISBURGO

34

CARLOS CHAGAS

63

CORINTO

73

CARMO DA CACHOEIRA

29

COROACI

29

CARMO DA MATA

31

COROMANDEL

41

87


88

CORONEL FABRICIANO

142

EXTREMA

63

CORONEL MURTA

36

FARIA LEMOS

17

CÓRREGO FUNDO

20

FELÍCIO DOS SANTOS

15

COUTO DE MAGALHÃES DE MINAS

21

FELISBURGO

29

CRISÓLITA

22

FELIXLÂNDIA

36

CRISTAIS

32

FERVEDOURO

33

CRISTÁLIA

20

FORMIGA

106

CRISTIANO OTONI

39

FORMOSO

28

CRISTINA

47

FRANCISCO BADARÓ

32

CURRAL DE DENTRO

40

FRANCISCO DUMONT

20

CURVELO

117

FRANCISCO SÁ

75

DATAS

25

FRANCISCÓPOLIS

25

DELFIM MOREIRA

35

FREI GASPAR

21

DELFINÓPOLIS

20

FRONTEIRA

34

DELTA

25

FRONTEIRA DOS VALES

18

DIAMANTINA

143

FRUTA DE LEITE

27

DIVINO

36

FRUTAL

79

DIVINO DAS LARANJEIRAS

16

GALILÉIA

27

DIVINOLÂNDIA DE MINAS

18

GAMELEIRAS

24

DIVINÓPOLIS

138

GLAUCILÂNDIA

20

DIVISA ALEGRE

20

GONZAGA

30

DIVISA NOVA

17

GOUVEIA

48

DIVISÓPOLIS

27

GOVERNADOR VALADARES

DOM SILVÉRIO

29

GRÃO MOGOL

70

DORES DO TURVO

22

GUANHÃES

90

DURANDÉ

22

GUAPÉ

47

ENGENHEIRO CALDAS

22

GUARACIABA

30

ENGENHEIRO NAVARRO

29

GUARACIAMA

19

ENTRE FOLHAS

30

GUARANÉSIA

42

ENTRE RIOS DE MINAS

20

GUARANI

22

ERVÁLIA

54

GUARARÁ

15

ESMERALDAS

85

ESPERA FELIZ

67

ESPINOSA

89

ESTRELA DO SUL

26

EUGENÓPOLIS

38

299


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

GUARDA-MOR

20

IPATINGA

379

GUAXUPÉ

38

IPIAÇU

15

GUIDOVAL

22

IPUIÚNA

21

GUIMARÂNIA

33

ITABIRA

229

GUIRICEMA

20

ITABIRINHA

45

GURINHATÃ

22

ITABIRITO

100

IAPU

33

ITACAMBIRA

21

IBIÁ

74

ITACARAMBI

27

IBIAÍ

21

ITAGUARA

37

IBIRACATU

24

ITAIPÉ

40

IBIRACI

20

ICARAÍ DE MINAS

34

IGARAPÉ

59

IGUATAMA

20

ILICÍNEA

35

IMBÉ DE MINAS

21

INCONFIDENTES

17

INDAIABIRA

27

INHAPIM

78

INIMUTABA

20

IPABA

46

IPANEMA

40

89


90

ITAJUBÁ

91

JOSÉ GONÇALVES DE MINAS

21

ITAMARANDIBA

87

JOSÉ RAYDAN

40

ITAMBACURI

70

JOSENÓPOLIS

18

ITAMOGI

25

JUATUBA

71

ITANHANDU

22

JUIZ DE FORA

675

ITANHOMI

40

JURAMENTO

23

ITAOBIM

62

JURUAIA

27

ITAPAGIPE

46

LADAINHA

56

ITAPECERICA

25

LAGAMAR

20

ITAPEVA

23

LAGOA DA PRATA

92

ITATIAIUÇU

31

LAGOA DOURADA

42

ITAÚ DE MINAS

36

LAGOA FORMOSA

48

ITAÚNA

130

LAGOA GRANDE

35

ITAVERAVA

30

LAGOA SANTA

117

ITINGA

53

LAMIM

44

ITUIUTABA

92

LASSANCE

27

ITUMIRIM

29

LAVRAS

114

ITURAMA

75

LEME DO PRADO

17

JABOTICATUBAS

36

LEOPOLDINA

308

JACINTO

40

LIBERDADE

26

JACUÍ

19

LIMA DUARTE

43

JACUTINGA

42

LONTRA

25

JAÍBA

76

LUISLÂNDIA

22

JANAÚBA

229

LUZ

39

JANUÁRIA

139

MACHACALIS

37

JAPONVAR

28

MACHADO

61

JENIPAPO DE MINAS

22

MALACACHETA

53

JEQUERI

39

MAMONAS

21

JEQUITAÍ

24

MANGA

57

JEQUITIBÁ

33

MANHUAÇU

JEQUITINHONHA

64

MANHUMIRIM

82

JOAÍMA

62

MANTENA

47

JOANÉSIA

29

MAR DE ESPANHA

35

JOÃO MONLEVADE

90

MARIA DA FÉ

47

JOÃO PINHEIRO

74

MARIANA

63

JOAQUIM FELÍCIO

23

MARLIÉRIA

17

JORDÂNIA

44

MARTINHO CAMPOS

31

208


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

MATA VERDE

24

NINHEIRA

45

MATEUS LEME

63

NOVA ERA

24

MATIAS BARBOSA

22

NOVA LIMA

133

MATIAS CARDOSO

29

NOVA PONTE

21

MATIPÓ

65

NOVA PORTEIRINHA

26

MATO VERDE

40

NOVA RESENDE

36

MEDINA

60

NOVA SERRANA

151

MENDES PIMENTEL

30

NOVO CRUZEIRO

88

MERCÊS

36

NOVO HORIZONTE

22

MESQUITA

24

NOVO ORIENTE DE MINAS

42

MINAS NOVAS

87

OLHOS D'ÁGUA

22

MIRABELA

39

OLIVEIRA

98

MIRADOURO

45

ORIZÂNIA

19

MIRAÍ

50

OURO BRANCO

40

MIRAVÂNIA

26

OURO FINO

30

MOEMA

19

OURO PRETO

131

MONJOLOS

22

OURO VERDE DE MINAS

17

MONTALVÂNIA

70

PADRE CARVALHO

19

MONTE ALEGRE DE MINAS

46

PADRE PARAÍSO

61

MONTE AZUL

72

PAI PEDRO

20

MONTE BELO

15

PAINS

18

MONTE CARMELO

126

PALMA

18

MONTE FORMOSO

33

PALMÓPOLIS

39

MONTE SANTO DE MINAS

55

PARÁ DE MINAS

155

MONTE SIÃO

28

PARACATU

84

PARAGUAÇU

39

MONTES CLAROS

902

MONTEZUMA

23

PARAISÓPOLIS

28

MORADA NOVA DE MINAS

33

PARAOPEBA

30

PASSOS

138

MURIAÉ

265

MUTUM

77

PATIS

25

MUZAMBINHO

32

PATOS DE MINAS

279

NANUQUE

93

PATROCÍNIO

233

NAQUE

22

PAULA CÂNDIDO

29

NATALÂNDIA

19

PAVÃO

20

NATÉRCIA

16

PEÇANHA

60

NAZARENO

36

PEDRA AZUL

81

NEPOMUCENO

37

PEDRA BONITA

23

91


92

PEDRALVA

32

POUSO ALTO

45

PEDRAS DE MARIA DA CRUZ

47

PRADOS

43

PEDRO LEOPOLDO

80

PRATA

62

PEQUI

36

PRATÁPOLIS

27

PERDIGÃO

20

PRESIDENTE OLEGÁRIO

56

PERDIZES

38

RAUL SOARES

69

PERDÕES

38

RECREIO

40

PESCADOR

36

REDUTO

21

PIEDADE DE CARATINGA

21

RESPLENDOR

42

PIEDADE DO RIO GRANDE

28

RIACHINHO

26

PIMENTA

21

RIACHO DOS MACHADOS

31

PINTÓPOLIS

32

RIBEIRÃO DAS NEVES

180

PIRACEMA

20

RIO ACIMA

32

PIRANGUINHO

22

RIO CASCA

40

PIRAPETINGA

39

RIO DO PRADO

25

PIRAPORA

110

RIO NOVO

25

PIRAÚBA

45

RIO PARANAÍBA

39

PITANGUI

76

RIO PARDO DE MINAS

82

PIUMHI

90

RIO PIRACICABA

28

PLANURA

38

RIO POMBA

22

POÇO FUNDO

38

RIO VERMELHO

42

POÇOS DE CALDAS

212

RUBELITA

24

POCRANE

26

POMPÉU

50

PONTE NOVA

122

PONTO CHIQUE

26

PONTO DOS VOLANTES

42

PORTEIRINHA

119

PORTO FIRME

30

POTÉ

60

POUSO ALEGRE

183


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

93


94

RUBIM

36

SÃO FRANCISCO DE PAULA

22

SABARÁ

96

SÃO GERALDO

22

SABINÓPOLIS

46

SÃO GONÇALO DO ABAETÉ

18

SACRAMENTO

63

SÃO GONÇALO DO PARÁ

21

SALINAS

91

SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO

32

SALTO DA DIVISA

21

SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ

23

SANTA BÁRBARA

78

SÃO GOTARDO

78

SANTA BÁRBARA DO LESTE

24

SÃO JOÃO DA LAGOA

39

SANTA BÁRBARA DO TUGÚRIO

21

SÃO JOÃO DA PONTE

92

SANTA CRUZ DO ESCALVADO

30

SÃO JOÃO DAS MISSÕES

17

SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

19

SÃO JOÃO DEL REI

123

SANTA FÉ DE MINAS

23

SÃO JOÃO DO MANHUAÇU

32

SANTA HELENA DE MINAS

26

SÃO JOÃO DO ORIENTE

28

SANTA JULIANA

25

SÃO JOÃO DO PARAÍSO

78

200

SÃO JOÃO EVANGELISTA

50

SANTA MARGARIDA

41

SÃO JOÃO NEPOMUCENO

52

SANTA MARIA DE ITABIRA

36

SÃO JOAQUIM DE BICAS

30

SANTA MARIA DO SALTO

24

SÃO JOSÉ DA LAPA

50

SANTA MARIA DO SUAÇUÍ

41

SÃO JOSÉ DA SAFIRA

11

SANTA RITA DE CALDAS

46

SÃO JOSÉ DA VARGINHA

27

SANTA RITA DE MINAS

22

SÃO JOSÉ DO DIVINO

22

SANTA RITA DO ITUETO

17

SÃO JOSÉ DO GOIABAL

34

SANTA RITA DO SAPUCAÍ

77

SÃO JOSÉ DO JACURI

19

SANTA VITÓRIA

64

SÃO LOURENÇO

77

SANTANA DE PIRAPAMA

36

SÃO MIGUEL DO ANTA

21

SANTANA DO MANHUAÇU

26

SÃO PEDRO DOS FERROS

23

SANTANA DO PARAÍSO

44

SÃO ROMÃO

30

SANTO ANTÔNIO DO AMPARO

52

SÃO ROQUE DE MINAS

23

SANTO ANTÔNIO DO ITAMBÉ

14

SÃO SEBASTIÃO DO MARANHÃO

45

SANTO ANTÔNIO DO JACINTO

41

SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO

173

SANTO ANTÔNIO DO MONTE

73

SÃO THOMÉ DAS LETRAS

20

SANTO ANTÔNIO DO RETIRO

25

SÃO TIAGO

25

SANTOS DUMONT

85

SÃO VICENTE DE MINAS

23

SÃO BRÁS DO SUAÇUÍ

24

SARDOÁ

22

SÃO DOMINGOS DAS DORES

30

SARZEDO

70

SÃO DOMINGOS DO PRATA

42

SENADOR AMARAL

15

SÃO FRANCISCO

106

SENADOR FIRMINO

21

SANTA LUZIA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

VARJÃO DE MINAS

28

VÁRZEA DA PALMA

98

21

VARZELÂNDIA

71

SERICITA

20

VAZANTE

47

SERRA DO SALITRE

20

VERDELÂNDIA

26

SERRA DOS AIMORÉS

25

VEREDINHA

25

SERRANIA

22

VERMELHO NOVO

20

SERRANÓPOLIS DE MINAS

20

VESPASIANO

113

SERRO

60

VIÇOSA

166

SETE LAGOAS

213

VIRGEM DA LAPA

48

SETUBINHA

37

VIRGOLÂNDIA

28

SILVIANÓPOLIS

24

VISCONDE DO RIO BRANCO

77

SIMONÉSIA

65

TOTAL

TABULEIRO

18

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

TAIOBEIRAS

88

TAPIRAÍ

34

TARUMIRIM

42

SENADOR MODESTINO GONÇALVES

16

SENHORA DOS REMÉDIOS

TEÓFILO OTONI

402

TIMÓTEO

84

TIRADENTES

29

TIROS

21

TOMBOS

33

TRÊS CORAÇÕES

91

TRÊS MARIAS

56

TRÊS PONTAS

40

TUMIRITINGA

22

TURMALINA

60

UBÁ

142

UBAÍ

37

UBERABA

329

UBERLÂNDIA

413

UNAÍ

111

URUCÂNIA

25

URUCUIA

37

VARGEM ALEGRE

25

VARGEM GRANDE DO RIO PARDO

30

VARGINHA

138

95

34.399

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Minas Gerais

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Aparecida Rosangela Silveira Coordenadora Estadual em Minas Gerais


96

PARÁ


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

O segundo maior estado do Brasil em área territorial e o mais populoso da Região Norte, com um número estimado de mais de oito milhões de habitantes, o Pará conta atualmente 144 municípios. A região deu início ao projeto Caminhos do Cuidado em março de 2014, com o objetivo de mobilizar os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem para um atendimento mais acolhedor às pessoas que fazem uso abusivo de crack, álcool e outras drogas. Para a coordenadora estadual, Rafaela Chiappetta, o grande diferencial da formação foi valorizar o profissional que trabalha na porta de entrada dos serviços de saúde que, muitas vezes, se sente excluído de todo o processo.

Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). As oficinas de formação de tutores contaram com 96 profissionais, capacitados para conduzir as 382 turmas em todo o estado. As aulas foram iniciadas nos municípios mais próximos à capital. Para chegar às regiões mais distantes, foram feitas as readequações necessárias de acordo com as especificidades de cada território. O respeito às diferentes realidades locais foi ressaltado pela coordenadora macrorregional, Lucenira Kessler. Em suas palavras: “este é o grande ganho do projeto: aprender a executar processos formativos respeitando as temporalidades específicas de realidades nada hegemônicas. Aprendemos a navegar minimamente fora das fronteiras conhecidas, aprendemos a negociar com ‘os possíveis’ de outras realidades”.

"Este é o grande ganho do projeto: aprender a executar processos formativos respeitando as temporalidades específicas de realidades nada hegemônicas. Aprendemos a navegar minimamente fora das fronteiras conhecidas, aprendemos a negociar com ‘os possíveis’ de outras realidades."

“Eu sempre dizia aos alunos que eles eram os atores principais do curso porque todo o conhecimento construído ali partia das experiências pessoais deles. A metodologia utilizada foi fundamental para o sucesso do curso”, considerou a coordenadora estadual. Dessa forma, o projeto proporcionou instrumentos para que os trabalhadores da Estratégia Saúde da Família (ESF) pudessem desenvolver atitudes críticas e criativas, estando preparados para intervir no território, tendo como base a estratégia de redução de danos para, assim, fortalecer a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no estado.

O Caminhos do Cuidado contou com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (SES-PA), por intermédio da Escola Técnica do Sistema Único de Saúde Dr. Manuel Ayres (ETSUS-PA), que desenvolveu papel de protagonismo no processo de formação. Para a execução do projeto, o bom relacionamento já existente entre a escola técnica e os gestores municipais facilitou as negociações no estado, que recebeu também o apoio das Coordenações da Atenção Básica e da Saúde Mental da SES-PA, do

Por conta dessas dificuldades regionais, 17 municípios pertencentes às regiões do Araguaia, Baixo Amazonas, Tapajós e Carajás não conseguiram participar da formação. Entretanto, a coordenadora estadual Rafaela Chiappetta explicou que a escola técnica pretende dar continuidade aos treinamentos, visando alcançar os trabalhadores que não receberam a capacitação e ampliar para as demais categorias da ESF. O encerramento do projeto no estado foi marcado por uma mostra de trabalhos, que reuniu as diversas experiências dos alunos e tutores durante o processo de formação. O encontro contou com apresentações de músicas, paródias, peças teatrais e cordéis, bem como de muitos relatos emocionados dos participantes do Caminhos do Cuidado no Pará.

97


98

PARÁ MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

ANAJÁS

82

ANANINDEUA

754

ANAPU

70

ABAETETUBA

436

AUGUSTO CORRÊA

170

ABEL FIGUEIREDO

40

AURORA DO PARÁ

85

ACARÁ

120

AVEIRO

80

AFUÁ

80

BAGRE

70

ALENQUER

160

BAIÃO

93

ALMEIRIM

120

BANNACH

34

ALTAMIRA

120

BARCARENA

230

BELÉM

527

BELTERRA

43

BENEVIDES

160

BOM JESUS DO TOCANTINS

40

BONITO

65

BRAGANÇA

370

BRASIL NOVO

80

BREJO GRANDE DO ARAGUAIA

23

BREU BRANCO

122

BREVES

281

BUJARU

65


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

CACHOEIRA DO ARARI

60

MÃE DO RIO

80

CACHOEIRA DO PIRIÁ

85

MARABÁ

323

CAMETÁ

240

MARACANÃ

109

CANAÃ DOS CARAJÁS

110

MARAPANIM

88

CAPANEMA

200

MARITUBA

161

CAPITÃO POÇO

160

MEDICILÂNDIA

82

CASTANHAL

380

MELGAÇO

81

COLARES

44

MOJU

123

CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA

160

MOJUÍ DOS CAMPOS

40

CONCÓRDIA DO PARÁ

87

MONTE ALEGRE

120

CURRALINHO

80

MOSQUEIRO

81

CURUÁ

44

MUANÁ

81

CURUÇÁ

120

NOVA ESPERANÇA DO PIRIÁ

70

DOM ELISEU

120

NOVA TIMBOTEUA

42

ELDORADO DOS CARAJÁS

83

NOVO PROGRESSO

80

FLORESTA DO ARAGUAIA

46

NOVO REPARTIMENTO

120

GARRAFÃO DO NORTE

83

ÓBIDOS

120

GOIANÉSIA DO PARÁ

159

OEIRAS DO PARÁ

80

GURUPÁ

80

ORIXIMINÁ

120

ICOARACI

80

OURÉM

40

IGARAPÉ-AÇU

120

OURILÂNDIA DO NORTE

83

IGARAPÉ-MIRI

123

PACAJÁ

80

INHANGAPI

40

PARAGOMINAS

191

IPIXUNA DO PARÁ

86

PARAUAPEBAS

200

IRITUIA

123

PAU D'ARCO

40

ITAITUBA

120

PEIXE-BOI

34

ITUPIRANGA

121

PIÇARRA

50

JACUNDÁ

156

PLACAS

82

JURUTI

160

PONTA DE PEDRAS

80

LIMOEIRO DO AJURU

80

PORTEL

80

PORTO DE MOZ

80

PRAINHA

80

PRIMAVERA

40

QUATIPURU

43

REDENÇÃO

160

99


100

RIO MARIA

70

RONDON DO PARÁ

122

RURÓPOLIS

80

SALINÓPOLIS

116

SALVATERRA

40

SANTA BÁRBARA DO PARÁ

44

SANTA CRUZ DO ARARI

35


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SANTA ISABEL DO PARÁ

160

TOMÉ-AÇÚ

126

SANTA LUZIA DO PARÁ

80

TRACUATEUA

122

SANTA MARIA DO PARÁ

80

TRAIRÃO

80

SANTARÉM

602

TUCUMÃ

80

SANTARÉM NOVO

40

TUCURUÍ

161

SANTO ANTÔNIO DO TAUÁ

85

ULIANÓPOLIS

120

SÃO CAETANO DE ODIVELAS

72

URUARÁ

121

SÃO DOMINGOS DO ARAGUAIA

70

VIGIA

120

SÃO DOMINGOS DO CAPIM

110

VISEU

120

SÃO FRANCISCO DO PARÁ

77

VITÓRIA DO XINGU

40

SÃO GERALDO DO ARAGUAIA

70

XINGUARA

120

SÃO JOÃO DA PONTA

20

TOTAL

SÃO JOÃO DE PIRABAS

80

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SÃO JOÃO DO ARAGUAIA

40

SÃO MIGUEL DO GUAMÁ

86

SÃO SEBASTIÃO DA BOA VISTA

47

SAPUCAIA

40

SENADOR JOSÉ PORFÍRIO

72

SOURE

80

TAILÂNDIA

87

TERRA ALTA

35

101

15.184

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Pará

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Rafaela Chiappeta Coordenadora Estadual no Pará


102

PARAÍBA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

A formação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas para agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem marcou a história da Atenção Básica no estado da Paraíba. O projeto Caminhos do Cuidado chegou ao estado em janeiro de 2014, levando o aprendizado a todos os atores envolvidos, tanto no que diz respeito às etapas de elaboração de um processo formativo tão abrangente, como também a possibilidade de ampliação do olhar dos profissionais de saúde para reflexões sobre as formas de cuidado às pessoas que fazem o uso abusivo e dependente de drogas. Para a coordenadora estadual, Shirlene Lima, o projeto foi, ao mesmo tempo, apaixonante e assustador. Sua proposta ousada de chegar aos 233 municípios, em um período curto de tempo, foi percebida como diferente de todas as outras formações que o estado já tinha participado, mas estando de acordo com o que a Paraíba considera ser valioso para as ações no território.

sos Humanos (Cefor/ETSUS), instituição reconhecida por formar trabalhadores da saúde de nível técnico no estado da Paraíba e por atuar em consonância com os preceitos da Educação Permanente em Saúde. O curso presencial e a seleção de tutores foram feitas com a expectativa de unir profissionais que tivessem envolvidos em suas práticas nas áreas de Atenção Básica e da Saúde Mental. A formação teve como objetivo, entre outras questões, despertar nos futuros condutores das turmas a importância do diálogo e do cuidado com o outro. O estado contou com 78 tutores mobilizados, que realizaram 237 turmas. O percurso do Caminhos do Cuidado no estado se encerrou em abril de 2014, com um evento promovido pela SES-PB, que contou com a presença dos principais atores envolvidos no processo de formação. Segundo Shirlene Lima, existe um consenso de que o projeto ofereceu as ferramentas para a melhora da intervenção nos territórios, porém, ainda há muito o que se fazer pelo problema social que envolve a questão das drogas.

"A formação teve como objetivo, entre outras questões, despertar nos futuros condutores das turmas a importância do diálogo e do cuidado com o outro."

“Tudo foi muito diferente, desde a metodologia até a qualificação dos tutores. E enquanto militante, eu sempre acompanho a questão dos ACSs, o quanto que eles queriam ter essa formação. Então, valorizar esse profissional, o auxiliar e o técnico de enfermagem foi, com certeza, um grande diferencial. Eu costumo dizer que o ACS chega aonde nenhum outro profissional consegue chegar”, ressaltou a coordenadora estadual.

A Paraíba é composta por muitos municípios de pequeno porte, alguns deles com menos de 20 mil habitantes e, por isso, para garantir os treinamentos, foi necessário reunir os trabalhadores de três ou quatro cidades pequenas para formar uma turma. O projeto recebeu apoio do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), das Comissões Intergestores Regional (CIR) e da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), bem como da Secretaria de Estado de Saúde (SES-PB), por intermédio das Coordenações de Saúde Mental e da Atenção Básica, e das Gerências Regionais de Saúde. A formação do Caminhos do Cuidado contou com o protagonismo do Centro de Formação de Recur-

Um dos exemplos de mobilização das ações do projeto no estado foi o cordel do ACS Sebastião, da turma realizada na cidade de João Pessoa, que apresentou o poema “martelo agalopado”. Além disso, temos a riqueza de conhecimentos presentes nas rodas de conversas dos alunos e tutores, como as que aconteceram pela turma de Pombal. Ambas as atividades foram registradas em vídeos e estão disponíveis no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio.caminhosdobcuidado.org). Outra questão importante para a Paraíba é ter a oportunidade de levar o conhecimento para os demais membros da equipe da Atenção Básica, fortalecendo o cuidado com estratégias da redução de danos. “Precisamos integrar a equipe e pensar o sujeito também de forma integral, reconhecendo que existem outros caminhos, que não visam apenas a segregação”, enfatizou a coordenadora estadual.

103


104

PARAÍBA MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

BOQUEIRÃO

89

BREJO DO CRUZ

38

CAAPORÃ

64

ÁGUA BRANCA

63

CABEDELO

126

ALAGOA GRANDE

84

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

38

ALAGOA NOVA

71

CACIMBA DE DENTRO

48

ALAGOINHA

35

CAJAZEIRAS

166

ARAÇAGI

54

CALDAS BRANDÃO

34

ARARA

38

CAMPINA GRANDE

644

ARARUNA

40

CAPIM

32

AREIA

63

CATINGUEIRA

36

AREIAL

35

CATOLÉ DO ROCHA

123

AROEIRAS

87

CONCEIÇÃO

87

ASSUNÇÃO

48

CONDE

66

BANANEIRAS

90

CUITÉ

90

BARAÚNA

76

CURRAL DE CIMA

32

BARRA DE SANTANA

48

DESTERRO

41

BAYEUX

226

DONA INÊS

33

BELÉM

86

DUAS ESTRADAS

41

BONITO DE SANTA FÉ

48

ESPERANÇA

85

FAGUNDES

35

GUARABIRA

139

GURINHÉM

45

INGÁ

66

ITABAIANA

70

ITAPORANGA

156

ITAPOROROCA

51

ITATUBA

30

JACARAÚ

42


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

JERICÓ JOÃO PESSOA

45 1.448

SÃO JOÃO DO RIO DO PEIXE

74

SÃO JOSÉ DE PIRANHAS

58

JUAREZ TÁVORA

24

SÃO MIGUEL DE TAIPU

20

JURIPIRANGA

31

35

LAGOA SECA

75

SÃO SEBASTIÃO DE LAGOA DE ROÇA

LUCENA

33

SERRA BRANCA

62

MAMANGUAPE

115

SERRA REDONDA

21

MASSARANDUBA

38

SERRARIA

38

MATARACA

43

SOLÂNEA

89

MOGEIRO

38

SOLEDADE

40

MONTEIRO

121

SOUSA

225

MULUNGU

29

SUMÉ

91

NAZAREZINHO

45

TACIMA

41

PASSAGEM

42

TAPEROÁ

40

PATOS

405

TAVARES

41

PEDRA LAVRADA

68

TEIXEIRA

41

PEDRAS DE FOGO

79

UIRAÚNA

40

PIANCÓ

196

UMBUZEIRO

64

PICUÍ

78

TOTAL

PILAR

35

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

PILÕES

41

PIRPIRITUBA

43

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

POCINHOS

77

POÇO DE JOSÉ DE MOURA

41

POMBAL

174

PRINCESA ISABEL

118

PUXINANÃ

39

QUEIMADAS

120

REMÍGIO

68

SALGADO DE SÃO FÉLIX

36

SANTA CECÍLIA

36

SANTA CRUZ

41

SANTA LUZIA

82

SANTA RITA

304

SANTARÉM

30

SÃO BENTO

119

SÃO JOÃO DO CARIRI

31

105

9.147

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Paraíba

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Shirlene Lima Coordenadora de Saúde Mental da Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba


106

PARANÁ


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Paraná, as relações de confiança e compromisso entre os diversos atores envolvidos no processo formativo do projeto Caminhos do Cuidado permitiram que os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem passassem a compreender a importância de reconhecer a singularidade do indivíduo em cada situação, bem como pensar em estratégias alternativas para o atendimento integral ao usuário e o cuidado em defesa da vida. A formação do Caminhos do Cuidado começou no estado em outubro de 2013, com a proposta de oferecer, entre outras questões, dispositivos para desenvolver uma escuta qualificada dos profissionais e o olhar cuidadoso aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a coordenadora estadual do projeto, Carolina Maia, a temática abordada, aliada a uma metodologia diferenciada para as práticas do cuidado na Atenção Básica, contribuiu para a ressignificação de preconceitos e tabus que refletiam, muitas vezes, em práticas de saúde prescritivas.

Mental da Secretaria de Estado de Saúde do Paraná (SES-PR). O projeto também foi apresentado na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Outro ponto de destaque foi a oficina de formação de tutores que, na visão da coordenadora estadual, apresentou uma característica peculiar ao respeitar a autonomia de cada discente, assim como sua bagagem cultural. Ao todo, 93 tutores foram mobilizados para conduzir as turmas em todo o estado. Para Carolina, os tutores despertaram o resgate da palavra e da escuta dos alunos, que tiveram a oportunidade de repensar suas posturas diante do processo de cuidar dos usuários. “A verdadeira aprendizagem é algo que você já conhece, mas quando alguém media de forma que ele se sinta participante, e não simplesmente um mero receptor do assunto, faz toda a diferença”, considerou Carolina Maia. Para ela, não há dúvidas sobre a importância do Caminhos do Cuidado para o estado do Paraná e sua contribuição para a integração das áreas da Saúde Mental e da Atenção Básica. Tanto que surgiram muitas solicitações para estender as formações para as demais categorias profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF).

"Muitos relatos de experiência dos alunos mostraram que o tema das drogas, antes de pouca visibilidade no estado, passou a ocupar a agenda de discussões dos trabalhadores da Atenção Básica."

As marcas impressas da formação no Paraná se tornaram perceptíveis no dia a dia dos trabalhadores de saúde que participaram das formações. Muitos relatos de experiência dos alunos mostraram que o tema das drogas, antes de pouca visibilidade no estado, passou a ocupar a agenda de discussões dos trabalhadores da Atenção Básica, fato que, segundo Carolina, valoriza a reintegração social e a cidadania das pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. Para alcançar os 399 municípios do estado com a formação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas, o projeto contou com articulações de instituições protagonistas no contexto da formação educacional do Sistema Único de Saúde (SUS) no Paraná, como a Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP), o Centro Formador de Recursos Humanos Caetano Munhoz da Rocha (Cefor-RH-PR), o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e as Coordenações de Atenção Básica e Saúde

O desejo de ampliação das discussões do projeto para os profissionais de nível superior foi concretizado na “Oficina de Educação Permanente em Saúde”, em maio de 2015. A iniciativa utilizou o material didático do Caminhos do Cuidado, procurando problematizar e repensar a rede de cuidado. “Foi um casamento perfeito entre a Atenção Primária e a Saúde Mental, e eu creio que isso precisa ter uma continuidade, porque hoje conseguimos impactar também aqueles que não conseguiram fazer o curso. Todos entenderam o quanto eram beneficiados como pessoas e como profissionais. Acho que essa foi uma grande sacada da formação. Não apenas olharmos como um profissional. E isso o Caminhos conseguiu divinamente”, constatou Carolina Maia.

107


108

PARANÁ MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

CIDADE GAÚCHA

41

COLOMBO

187

COLORADO

40

ALTÔNIA

40

CONGONHINHAS

40

ANDIRÁ

40

CORBÉLIA

45

APUCARANA

201

CORNÉLIO PROCÓPIO

120

ARAPONGAS

191

CORONEL VIVIDA

80

ARAPOTI

80

CRUZ MACHADO

40

ARAPUÃ

40

CRUZEIRO DO OESTE

52

ARAUCÁRIA

160

CRUZEIRO DO SUL

69

ASSIS CHATEAUBRIAND

39

CURITIBA

1.206

ASTORGA

41

CURIÚVA

42

BALSA NOVA

28

CÂNDIDO DE ABREU

40

BANDEIRANTES

80

CÉU AZUL

22

BARBOSA FERRAZ

41

DOIS VIZINHOS

44

BELA VISTA DO PARAÍSO

84

ENGENHEIRO BELTRÃO

40

BITURUNA

40

FAXINAL

40

BOA VISTA DA APARECIDA

29

FAZENDA RIO GRANDE

200

BOM SUCESSO

25

FERNANDES PINHEIRO

40

BORRAZÓPOLIS

43

FLOR DA SERRA DO SUL

19

CAFELÂNDIA

48

FLORESTA

44

CALIFÓRNIA

23

FOZ DO IGUAÇU

320

CAMBIRA

25

FRANCISCO BELTRÃO

160

CAMBÉ

120

GENERAL CARNEIRO

40

CAMPINA DA LAGOA

80

GOIOERÊ

80

CAMPINA GRANDE DO SUL

42

GOIOXIM

42

CAMPO LARGO

85

GUAMIRANGA

47

CAMPO MAGRO

51

GUARANIAÇU

106

200

GUARAPUAVA

200

CAMPO MOURÃO CANDÓI

80

GUARATUBA

40

CANTAGALO

40

GUAÍRA

62

CAPANEMA

52

IBAITI

80

CASCAVEL

181

IBIPORÃ

160

CASTRO

154

ICARAÍMA

40

CERRO AZUL

43

IMBITUVA

43

CHOPINZINHO

124

INDIANÓPOLIS

40

CIANORTE

144

INÁCIO MARTINS

40


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

IPORÃ

40

PALMAS

80

IRATI

59

PALMEIRA

81

ITAPERUÇU

83

PALMITAL

80

ITAÚNA DO SUL

40

PALOTINA

65

IVAIPORÃ

40

PARANACITY

40

JACAREZINHO

120

PARANAGUÁ

157

JANDAIA DO SUL

40

PARANAVAÍ

243

JARDIM ALEGRE

40

PATO BRANCO

131

LAPA

81

PINHAIS

120

LARANJEIRAS DO SUL

80

PINHALÃO

40

LINDOESTE

33

PINHÃO

40

LOANDA

85

PIRAQUARA

99

LONDRINA

477

PITANGA

80

LUNARDELLI

25

PLANALTO

31

MALLET

40

PONTA GROSSA

320

MAMBORÊ

40

PONTAL DO PARANÁ

40

MANDAGUARI

40

PORECATU

80

MANDAGUAÇU

40

PRUDENTÓPOLIS

40

MANGUEIRINHA

40

PÉROLA

43

MANOEL RIBAS

40

QUATIGUÁ

40

MARECHAL CÂNDIDO RONDON

40

QUATRO BARRAS

80

MARIALVA

62

QUEDAS DO IGUAÇU

80

MARILUZ

53

QUERÊNCIA DO NORTE

42

MARILÂNDIA DO SUL

40

REBOUÇAS

45

MARINGÁ

382

RESERVA

80

MARMELEIRO

40

RIBEIRÃO CLARO

40

MATELÂNDIA

41

RIBEIRÃO DO PINHAL

40

MATINHOS

40

RIO AZUL

41

MEDIANEIRA

80

RIO BONITO DO IGUAÇU

80

NOVA AURORA

80

RIO NEGRO

120

NOVA ESPERANÇA

80

ROLÂNDIA

122

NOVA LARANJEIRAS

40

RONCADOR

40

NOVA OLÍMPIA

40

ROSÁRIO DO IVAÍ

28

NOVA PRATA DO IGUAÇU

25

SALTO DO LONTRA

28

NOVA TEBAS

27

SANTA CRUZ DE MONTE CASTELO

40

ORTIGUEIRA

42

SANTA FÉ

44

PAIÇANDU

40

SANTA HELENA

42

109


110


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SANTA IZABEL DO OESTE

47

TURVO

40

SANTA MARIA DO OESTE

34

UBIRATÃ

80

SANTA TEREZINHA DE ITAIPU

42

UMUARAMA

168

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

120

UNIÃO DA VITÓRIA

80

SANTO ANTÔNIO DO SUDOESTE

60

URAÍ

40

SARANDI

40

VERA CRUZ DO OESTE

62

SIQUEIRA CAMPOS

40

VERÊ

28

SÃO JERÔNIMO DA SERRA

40

WENCESLAU BRAZ

61

SÃO JORGE D'OESTE

42

TOTAL

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

281

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SÃO JOÃO DO IVAÍ

40

SÃO MATEUS DO SUL

74

SÃO MIGUEL DO IGUAÇU

100

SÃO PEDRO DO IVAÍ

24

SÃO SEBASTIÃO DA AMOREIRA

40

TAPEJARA

40

TAPIRA

20

TELÊMACO BORBA

121

TERRA BOA

40

TERRA RICA

42

TIBAGI

84

TIJUCAS DO SUL

35

TOLEDO

126

TRÊS BARRAS DO PARANÁ

37

111

14.250

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Paraná

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Carolina Bocchi Maia Coordenadora Estadual no Paraná


112

PERNAMBUCO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

O que inicialmente parecia uma proposta ousada, aos poucos foi tornando-se uma verdadeira escola para os atores envolvidos na implantação e execução do projeto Caminhos do Cuidado no estado de Pernambuco, o qual formou mais de 17.500 agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, na temática da Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas, em todos os 180 municípios da região. O impacto foi tão significativo para o estado que motivou a ampliação das Redes de Atenção Psicossocial (RAPS) e o fortalecimento da Atenção Primária, inclusive nos municípios menores. De acordo com a coordenadora estadual, Lívia Deusimelo, o projeto proporcionou uma mudança no olhar dos alunos e tutores, bem como qualificou o cuidado aos usuários dos serviços de saúde, tendo como base o acolhimento, a escuta e a construção do vínculo. Ela conta que, para muitos alunos, o Caminhos do Cuidado representou a primeira oportunidade de capacitação na área.

seu papel de subsidiar a Educação Permanente de vários trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), a escola integrou o Caminhos do Cuidado a outros projetos que estavam em andamento, tais como o “Curso de Atualização em Saúde Mental na Atenção Básica”, o “Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva com ênfase em Gestão de Redes de Atenção à Saúde” e a “Residência Multiprofissional em Saúde Mental”. A pactuação da proposta de formação aconteceu em reuniões com as diversas instâncias colegiadas de gestão estadual, entre elas: Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Comissão Intergestores Regional (CIR), Comissão Intergestor Bipartite (CIB), Câmara Técnica Estadual do Plano de Enfrentamento ao Crack, Colegiado Estadual de Saúde Mental, Comissão Estadual de Integração Ensino-Serviço (Cies) e Coordenações da Atenção Básica e da Saúde Mental do estado.

"O projeto proporcionou uma mudança no olhar dos alunos e tutores, bem como qualificou o cuidado aos usuários dos serviços de saúde, tendo como base o acolhimento, a escuta e a construção do vínculo."

“Tanto para os agentes de saúde quanto para os técnicos de enfermagem, o fato de poder trazer a discussão das drogas e da importância de tirar a invisibilidade do usuário de crack, álcool e outras drogas, compreendendo a questão como um problema de Saúde Pública, foi algo muito importante para ambos os profissionais, em dimensões diferentes. O trabalhador reconheceu o seu papel histórico ao dizer que já trabalhava com a redução de danos na prática, mas que ainda não sabia dar nome ao processo”, considerou a coordenadora estadual. A metodologia do curso também foi um ponto exaltado pelos alunos que tiveram a oportunidade de participar da formação. Toda a sistematização de ensino foi usada pelo Centro Regional de Referência sobre drogas para a elaboração de outras novas formações. Com o início das turmas em outubro de 2013, o projeto recebeu todo o apoio da Escola de Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE). Conhecida por

Foram realizadas seleções e oficinas de formação pedagógica de tutores, de setembro de 2013 a setembro de 2014, totalizando 84 profissionais mobilizados. “Os tutores ainda hoje são extremamente gratos pela oportunidade de percorrer vários outros municípios, conhecer realidades diferentes no campo da Saúde Mental e da Atenção Básica. A bagagem que esses tutores tiveram a partir do curso foi extremamente positiva”, destacou Lívia Deusimelo. Todo esse esforço resultou na I Mostra de Saúde Mental da ESPPE, em novembro de 2014, cujo tema apresentado foi “Compartilhando experiências para multiplicar práticas de cuidado em Saúde Mental”. As diversas experiências ao longo do percurso do Caminhos do Cuidado nos territórios pernambucanos foram expostas em formato de vídeos, fotografias, desenhos, pinturas, músicas, poesias e cordéis. Além disso, o evento proporcionou a troca de conhecimento e debates, com o objetivo de ampliar as reflexões sobre a temática da Saúde Mental e da Atenção Básica.

113


114

PERNAMBUCO MUNICÍPIO

CALÇADO

VAGAS OFERTADAS

31

CAMARAGIBE

330

CAMOCIM DE SÃO FÉLIX

42

ABREU E LIMA

160

CAMUTANGA

19

AFOGADOS DA INGAZEIRA

170

CANHOTINHO

88

AFRÂNIO

51

CAPOEIRAS

41

AGRESTINA

66

CARNAÍBA

76

ÁGUA PRETA

80

CARNAUBEIRA DA PENHA

22

ÁGUAS BELAS

104

CARPINA

179

ALAGOINHA

39

CARUARU

551

ALIANÇA

81

CASINHAS

42

ALTINHO

80

CATENDE

86

AMARAJI

64

CEDRO

29

ANGELIM

30

CHÃ DE ALEGRIA

31

ARAÇOIABA

33

CHÃ GRANDE

35

ARARIPINA

237

CONDADO

40

ARCOVERDE

120

CORRENTES

87

BARRA DE GUABIRABA

38

CORTÊS

32

BARREIROS

123

CUMARU

51

BELÉM DE MARIA

33

CUPIRA

50

BELÉM DE SÃO FRANCISCO

34

CUSTÓDIA

52

BELO JARDIM

149

DORMENTES

47

BETÂNIA

33

ESCADA

153

BEZERROS

120

EXU

93

BODOCÓ

87

FEIRA NOVA

47

BOM CONSELHO

82

FERREIROS

30

BOM JARDIM

120

FLORES

84

BONITO

83

FLORESTA

76

BREJÃO

49

FREI MIGUELINHO

20

BREJINHO

23

GAMELEIRA

53

BREJO DA MADRE DE DEUS

70

GARANHUNS

322

BUENOS AIRES

30

GLÓRIA DO GOITÁ

74

BUÍQUE

115

GOIANA

161

CABO DE SANTO AGOSTINHO

284

GRAVATÁ

197

CABROBÓ

90

IATI

54

CACHOEIRINHA

44

IBIMIRIM

79

CAETÉS

87

IGARASSU

226


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

ILHA DE ITAMARACÁ

38

PALMARES

125

INAJÁ

41

PANELAS

62

IPOJUCA

122

PARANATAMA

41

IPUBI

78

PARNAMIRIM

57

ITAÍBA

85

PASSIRA

84

ITAMBÉ

72

PAUDALHO

127

ITAPETIM

45

PAULISTA

563

ITAPISSUMA

79

PEDRA

62

ITAQUITINGA

44

PESQUEIRA

132

PETROLÂNDIA

77

JABOATÃO DOS GUARARAPES

808

JAQUEIRA

35

PETROLINA

440

JATAÚBA

40

POÇÃO

31

JATOBÁ

34

POMBOS

76

JOÃO ALFREDO

80

PRIMAVERA

25

JOAQUIM NABUCO

38

QUIPAPÁ

65

JUCATI

31

RECIFE

JUPI

42

RIACHO DAS ALMAS

48

JUREMA

41

RIBEIRÃO

101

LAGOA DE ITAENGA

21

RIO FORMOSO

53

LAGOA DO CARRO

45

SAIRÉ

39

LAGOA DO ITAENGA

41

SALGUEIRO

173

LAGOA DOS GATOS

35

SALOÁ

44

LAGOA GRANDE

64

SANHARÓ

41

LAJEDO

88

SANTA CRUZ

32

LIMOEIRO

162

SANTA CRUZ DA BAIXA VERDE

40

MACAPARANA

42

SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

160

MACHADOS

35

SANTA FILOMENA

35

MANARI

49

SANTA MARIA DA BOA VISTA

98

MARAIAL

35

SANTA MARIA DO CAMBUCÁ

48

MIRANDIBA

40

SANTA TEREZINHA

34

MOREILÂNDIA

34

SÃO BENTO DO UNA

103

MORENO

126

SÃO CAETANO

80

NAZARÉ DA MATA

87

SÃO JOÃO

61

2.167

OLINDA

446

SÃO JOAQUIM DO MONTE

45

OROBÓ

62

SÃO JOSÉ DA COROA GRANDE

39

OROCÓ

29

SÃO JOSÉ DO BELMONTE

83

OURICURI

131

SÃO JOSÉ DO EGITO

106

115


116


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SÃO LOURENÇO DA MATA

169

VERTENTE DO LÉRIO

33

SÃO VICENTE FERRER

54

VERTENTES

40

SERRA TALHADA

177

VICÊNCIA

65

SERRITA

54

VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

194

SERTÂNIA

88

XEXÉU

27

SIRINHAÉM

80

TOTAL

SOLIDÃO

19

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SURUBIM

155

TABIRA

79

TACAIMBÓ

39

TACARATU

58

TAMANDARÉ

42

TAQUARITINGA DO NORTE

46

TERRA NOVA

30

TIMBAÚBA

136

TORITAMA

77

TRACUNHAÉM

35

TRINDADE

39

TRIUNFO

46

TUPANATINGA

47

TUPARETAMA

41

VENTUROSA

45

VERDEJANTE

32

117

17.508

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Pernambuco

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Lívia Deusimelo Coordenadora Estadual em Pernambuco


118

PIAUÍ


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Piauí, o projeto Caminhos do Cuidado foi percebido como um grande exemplo de organização, objetividade e compromisso com o bem público, capaz de promover o crescimento profissional e pessoal dos alunos e tutores envolvidos no processo formativo. Segundo a coordenadora estadual, Patrícia Oliveira, as transformações foram perceptíveis no posicionamento dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem ao longo das dinâmicas em sala de aula, no que se refere ao acolhimento no atendimento das pessoas que fazem uso abusivo de crack, álcool e outras drogas na região. O Piauí foi o último estado brasileiro a participar das formações do Caminhos do Cuidado, visto que alguns ACSs estavam recebendo outra capacitação no período da proposta. Este fato facilitou as diversas negociações necessárias para a realização dos treinamentos, principalmente em relação à infraestrutura e logística e ao contato com os gestores municipais. A primeira turma formada pelo projeto aconteceu em abril de 2014.

foram dois elementos ressaltados como grandes legados deixados pelo projeto para a Escola Técnica do Sistema Único de Saúde no Piauí (ETSUS-PI). A instituição pretende incorporar os ensinamentos do Caminhos do Cuidado à sua matriz curricular, com a proposta de oferecer, inclusive, cursos de curta duração aos trabalhadores da saúde. O estado compôs um colegiado gestor para o projeto, que reuniu representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), das coordenações de Atenção Básica e de Saúde Mental do Piauí, da Gerência de Desenvolvimento e Qualificação da Secretaria de Estado de Saúde (SES-PI), da Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS) e da própria escola técnica. A partir de então, o estado iniciou o processo de formação de tutores, em março de 2014, totalizando 75 profissionais qualificados para conduzir as turmas no estado.

"Um aspecto bastante positivo do projeto foi conseguir levar o conhecimento sobre a temática da Saúde Mental aos trabalhadores da Atenção Básica de municípios distantes (...) Em alguns territórios, os profissionais nunca tinham escutado sobre redução de danos e já percebemos uma mudança a partir de tudo que foi desenvolvido durante o Caminhos do Cuidado."

Um aspecto considerado bastante positivo pela equipe estadual foi conseguir levar o conhecimento sobre a temática da Saúde Mental também aos trabalhadores da Atenção Básica de municípios distantes, localizados nos extremos norte e sul do estado. “Houve uma abertura de leque para os municípios. Em alguns territórios, os profissionais nunca tinham escutado sobre redução de danos e já percebemos uma mudança a partir de tudo que foi desenvolvido durante o Caminhos do Cuidado”, destacou Patrícia. Trabalhar com a metodologia ativa de aprendizagem e conduzir as formações de forma descentralizada

Para celebrar os bons frutos do projeto foi realizada a mostra “Projeto Caminhos do Cuidado e Experiências de Saúde Mental na Atenção Básica”, em maio de 2015, no auditório do Tribunal de Contas do Piauí (TCE-PI). O evento reuniu as muitas experiências vivenciadas pelos ACSs, auxiliares e técnicos em enfermagem, que foram expressadas em formato de pôsteres, vídeos e poesias, enriquecendo o debate sobre os caminhos do projeto no estado. Além de alunos, tutores, orientadores e gestores do Caminhos do Cuidado, também estiveram presentes o secretário de estado de saúde do Piauí, Francisco Oliveira Costa, e alguns trabalhadores das demais categorias atuantes na Atenção Básica.

119


120

PIAUÍ MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

CRISTINO CASTRO

61

CURIMATÁ

33

CURRAIS

27

AGRICOLÂNDIA

22

CURRAL NOVO DO PIAUÍ

17

ÁGUA BRANCA

60

DEMERVAL LOBÃO

51

ALAGOINHA DO PIAUÍ

49

ELESBÃO VELOSO

49

ALEGRETE DO PIAUÍ

43

ESPERANTINA

191

ALTO LONGÁ

40

FLORIANO

164

ALTOS

117

FRANCINÓPOLIS

30

ALVORADA DO GURGUÉIA

36

FRANCISCO AYRES

29

AMARANTE

51

FRANCISCO SANTOS

25

ANGICAL DO PIAUÍ

45

FRONTEIRAS

67

ANÍSIO DE ABREU

46

GILBUÉS

33

AROAZES

41

GUADALUPE

37

AVELINO LOPES

33

INHUMA

46

BAIXA GRANDE DO RIBEIRO

32

IPIRANGA DO PIAUÍ

29

BARRA D'ALCÂNTARA

13

ISAÍAS COELHO

26

BARRAS

160

ITAUEIRA

86

BARRO DURO

55

JAICÓS

57

BATALHA

80

JOAQUIM PIRES

69

BENEDITINOS

33

JOSÉ DE FREITAS

80

BERTOLÍNIA

44

LANDRI SALES

20

BOCAINA

41

LUÍS CORREIA

97

BOM JESUS

68

LUZILÂNDIA

65

BOQUEIRÃO DO PIAUÍ

42

MARCOLÂNDIA

38

BURITI DOS LOPES

82

MARCOS PARENTE

21

CABECEIRAS DO PIAUÍ

30

MASSAPÊ DO PIAUÍ

39

CAJUEIRO DA PRAIA

25

MIGUEL ALVES

88

CAMPINAS DO PIAUÍ

31

MONSENHOR GIL

48

CAMPO MAIOR

217

MONTE ALEGRE DO PIAUÍ

33

CANTO DO BURITI

128

NAZARÉ DO PIAUÍ

24

CAPITÃO DE CAMPOS

33

OEIRAS

134

CARACOL

46

PADRE MARCOS

38

CASTELO DO PIAUÍ

97

PALMEIRAIS

43

COCAL

82

PAQUETÁ

37

COLÔNIA DO PIAUÍ

25

CORRENTE

145


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

PARNAÍBA

294

VALENÇA DO PIAUÍ

111

PAULISTANA

169

VERA MENDES

45

PEDRO II

176

TOTAL

PICOS

263

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

PIMENTEIRAS

37

PIO IX

62

PIRACURUCA

71

PIRIPIRI

240

PIRUCURUCA

40

PORTO

38

REDENÇÃO DO GURGUÉIA

26

REGENERAÇÃO

55

RIBEIRO GONÇALVES

21

SANTA CRUZ DO PIAUÍ

30

SANTA ROSA DO PIAUÍ

35

SÃO FÉLIX DO PIAUÍ

21

SÃO FRANCISCO DO PIAUÍ

21

SÃO JOÃO DA SERRA

40

SÃO JOÃO DO PIAUÍ

155

SÃO LUÍS DO PIAUÍ

35

SÃO MIGUEL DO TAPUIO

83

SÃO PEDRO DO PIAUÍ

41

SÃO RAIMUNDO NONATO

202

SIMÕES

56

SIMPLÍCIO MENDES

124

TERESINA

1.517

UNIÃO

95

URUÇUÍ

92

121

8.219

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Piauí

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Patrícia Oliveira Coordenadora Estadual no Piauí


122

RIO DE JANEIRO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Rio de Janeiro, as delicadas palavras da coordenadora macrorregional, Anna Letícia Ventre, refletem um pouco o que o projeto Caminhos do Cuidado representou para o estado. “Permanece ainda viva cada pedra que essa singela ponte ‘Caminhos’ efetivou, com a proposta de sustentação de uma ética de cuidado sensível no Sistema Único de Saúde, em solos que, mesmo já quentes, precisam de palavras aquecidas para sustentarem sua composição, pedra por pedra”. Grandes lições marcaram a trajetória do Caminhos do Cuidado nos diferentes territórios. A primeira delas foi a de aprender a lidar com as diferentes realidades sociais e culturais, sendo preciso o exercício de articulação e engajamento com os gestores municipais para atuar de forma descentralizada.

Para tanto, o Caminhos do Cuidado organizou três oficinas de formação de tutores, de dezembro de 2013 a abril de 2014, que mobilizaram 88 tutores para conduzirem as 465 turmas realizadas no Rio de Janeiro. A partir de então, os alunos tiveram a oportunidade de se apropriar de ferramentas para o acolhimento e cuidado, que provocaram profundas transformações no olhar voltado para a questão das drogas no estado.

"É válido ressaltar que, durante o evento de encerramento, veio à tona todo o potencial de mudança que o Caminhos do Cuidado nos trouxe. As apresentações e os relatos dos que passaram pela formação nos fizeram ter a certeza de que cada um que tocamos, via Educação Permanente, representou uma vitória para o estado."

Neste contexto, foi de grande valia o protagonismo da Escola de Formação Técnica em Saúde Enfermeira Izabel dos Santos (Etis) e as muitas negociações com a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/ Fiocruz), a Gerência de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), entre outros atores relevantes para a implementação do projeto na região.

Com início em janeiro de 2014, os gestores municipais acolheram a proposta do projeto, em um exercício de negociação para a formação dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas.

O encerramento do projeto na região foi marcado por um evento em setembro de 2015, na Biblioteca Parque de Manguinhos, na cidade do Rio de Janeiro, reunindo 150 pessoas, entre alunos, educadores, tutores, orientadores e membros da equipe do projeto Caminhos do Cuidado. Um varal de pensamentos e poesias foi montado nas dependências do local, expressando os ensinamentos do projeto durante o processo de formação. O encontro também contou com a apresentação de pôsteres e relatos de experiência dos alunos de diversos municípios.

Para a coordenadora estadual, Nélia Ribeiro, o projeto proporcionou muito aprendizado para todos os envolvidos no processo formativo, ampliando a capacidade de articulação entre os municípios e de lidar com as diferentes realidades do estado. “É válido ressaltar que, durante o evento de encerramento, veio à tona todo o potencial de mudança que o Caminhos do Cuidado nos trouxe. As apresentações e os relatos dos que passaram pela formação nos fizeram ter a certeza de que cada um que tocamos, via Educação Permanente, representou uma vitória para o estado. O acolhimento é a maior lição desse projeto”, destacou a coordenadora estadual.

123


124

RIO DE JANEIRO MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

MARICÁ

124

MENDES

69

MESQUITA

176

ANGRA DOS REIS

199

MIGUEL PEREIRA

52

ARARUAMA

82

MIRACEMA

43

AREAL

28

NATIVIDADE

81

ARMAÇÃO DOS BÚZIOS

26

NILÓPOLIS

348

ARRAIAL DO CABO

62

NITERÓI

284

BARRA DO PIRAÍ

44

NOVA FRIBURGO

104

BARRA MANSA

230

NOVA IGUAÇU

416

BELFORD ROXO

277

PARACAMBI

82

BOM JARDIM

62

PARAÍBA DO SUL

132

BOM JESUS DO ITABAPOANA

76

PARATY

69

CABO FRIO

230

PATY DO ALFERES

39

CACHOEIRAS DE MACACU

142

PETRÓPOLIS

341

CAMPOS DOS GOYTACAZES

214

PINHEIRAL

55

CANTAGALO

55

PIRAÍ

58

CARDOSO MOREIRA

34

PORCIÚNCULA

50

CARMO

40

PORTO REAL

48

CASIMIRO DE ABREU

90

QUATIS

31

COMENDADOR LEVY GASPARIAN

19

QUEIMADOS

93

CORDEIRO

55

RESENDE

220

DUAS BARRAS

29

RIO BONITO

184

DUQUE DE CAXIAS

530

RIO CLARO

53

GUAPIMIRIM

40

RIO DAS FLORES

25

IGUABA GRANDE

58

RIO DAS OSTRAS

43

ITABORAÍ

322

RIO DE JANEIRO

6.295

ITAGUAÍ

66

SANTA MARIA MADALENA

37

ITALVA

34

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

88

ITAOCARA

46

SÃO FIDÉLIS

53

ITAPERUNA

140

SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA

84

ITATIAIA

67

SÃO GONÇALO

780

JAPERI

156

LAJE DO MURIAÉ

35

MACAÉ

197

MAGÉ

425

MANGARATIBA

78


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SÃO JOÃO DA BARRA

92

SÃO JOÃO DE MERITI

407

SÃO JOSÉ DE UBÁ

36

SÃO JOSÉ DO VALE DO RIO PRETO

44

SÃO PEDRO DA ALDEIA

102

SÃO SEBASTIÃO DO ALTO

28

SAQUAREMA

81

SEROPÉDICA

159

SILVA JARDIM

67

SUMIDOURO

60

TANGUÁ

90

TERESÓPOLIS

122

TRAJANO DE MORAES

27

TRÊS RIOS

200

VALENÇA

201

VASSOURAS

68

VOLTA REDONDA

412

TOTAL

16.941

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

125

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Rio de Janeiro

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Nelia Ribeiro Coordenadora Estadual no Rio de Janeiro


126

RIO GRANDE DO NORTE


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Rio Grande do Norte, o legado deixado pelo projeto Caminhos do Cuidado ainda permanece vivo entre os trabalhadores atuantes na Atenção Básica que participaram da formação em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas. A coordenadora estadual, Valéria Negreiros, conta que a experiência foi tão exitosa no estado que os próprios alunos pediram a ampliação do projeto para os profissionais de níveis médio e superior dos hospitais gerais vinculados à Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). “Os participantes relataram sobre a riqueza das discussões a respeito das dificuldades e experiências vivenciadas no cotidiano, bem como o quanto se tornou mais fácil a execução do trabalho ao encontrar soluções para os impasses do dia a dia”, destacou a coordenadora estadual.

estado é o 16º mais populoso do Brasil. Entretanto, mesmo com toda essa grandiosidade, o projeto Caminhos do Cuidado não apenas atingiu sua meta inicial, mas a ultrapassou, ofertando 6.259 vagas para o processo formativo, com a mobilização também de 50 tutores que conduziram as turmas na região. As muitas experiências compartilhadas pelos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem em sala de aula refletiram a potência que o projeto representou para o Rio Grande do Norte. E as mudanças na abordagem às pessoas que fazem uso abusivo de drogas já são notáveis, no que se refere a um atendimento humanizado, que valoriza o vínculo e o cuidado na prática diária de trabalho. Neste sentido, a coordenadora considerou que os alunos e tutores se tornaram multiplicadores do cuidado sobre a questão das drogas, ao ampliar o olhar para a atenção ao usuário e seus familiares.

"Ao utilizar a Educação Permanente como ferramenta de mudança de posturas, fortalecemos a rede interna e externa sobre o papel da Atenção Básica na Rede Psicossocial. Dessa forma, acreditamos que os usuários tiveram benefícios em relação à escuta e ao acolhimento de suas demandas."

O projeto teve início no estado em janeiro de 2014 e contou com o protagonismo do Centro de Formação de Pessoal para os Serviços de Saúde Dr. Manoel da Costa Souza (Cefope-RN) e da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), responsável pela execução do Caminhos do Cuidado no estado. As formações aconteceram de forma simultânea nas oito regiões de saúde e, para tanto, fez-se necessário pactuações com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e com as Comissões Intergestores Regionais (CIR).

Outros atores foram fundamentais para os bons resultados do projeto, dentre eles, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Natal e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por intermédio do Observatório de Saúde Mental do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva. Com 167 municípios e mais de três milhões de habitantes, o

“Ao utilizar a Educação Permanente como ferramenta de mudança de posturas, fortalecemos a rede interna e externa sobre o papel da Atenção Básica na Rede Psicossocial. Dessa forma, acreditamos que os usuários tiveram benefícios em relação à escuta e ao acolhimento de suas demandas”, enfatizou a coordenadora. Ao final da formação no estado, foi realizada uma mostra de experiências exitosas do curso, onde os alunos tiveram a oportunidade de apresentar seus trabalhos e propostas de intervenção no território, que foram expressas em formato de cordel, paródia, vídeo, mural, entre outros. O evento fez parte da programação do Seminário de Educação Profissional do Cefope/ETSUS-RN, em dezembro de 2014.

127


128

RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

MONTE ALEGRE

48

MOSSORÓ

641

NATAL

849

AÇU

168

NÍSIA FLORESTA

40

ALEXANDRIA

43

NOVA CRUZ

124

ALTO DO RODRIGUES

37

PARNAMIRIM

399

ANGICOS

42

PASSA E FICA

86

APODI

125

PATU

44 128

AREIA BRANCA

71

PAU DOS FERROS

ARÊS

42

PEDRO VELHO

41

AUGUSTO SEVERO

24

PENDÊNCIAS

41

BAÍA FORMOSA

46

POÇO BRANCO

40

BARAÚNA

61

PORTALEGRE

40

BREJINHO

40

SANTA CRUZ

198

CAICÓ

421

SANTANA DO MATOS

43

CANGUARETAMA

84

SANTO ANTÔNIO

83

CARNAUBAIS

40

SÃO JOSÉ DE MIPIBU

130

ESPÍRITO SANTO

40

SÃO JOSÉ DO CAMPESTRE

37

GOIANINHA

79

SÃO MIGUEL

119

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO

37

SÃO PAULO DO POTENGI

113

GUAMARÉ

40

SÃO RAFAEL

40

IELMO MARINHO

36

SÃO TOMÉ

44

IPANGUAÇU

43

SERRA CAIADA

80

ITAÚ

15

SEVERIANO MELO

42

JAÇANÃ

49

TAIPU

56

JOÃO CÂMARA

141

TANGARÁ

40

JUCURUTU

75

TENENTE ANANIAS

39

LAGOA DE PEDRAS

42

TIBAU

44

LAJES

112

TIBAU DO SUL

38

LUCRÉCIA

44

TOUROS

75

MACAÍBA

126

UMARIZAL

43

MACAU

40

MAJOR SALES

82

MARCELINO VIEIRA

43

MARTINS

38

MAXARANGUAPE

41

MESSIAS TARGINO

28


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

UPANEMA

42

VERA CRUZ

37

TOTAL

6.259

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Rio Grande do Norte

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Valeria Negreiros Coordenadora Estadual no Rio Grande do Norte

129


130

RIO GRANDE DO SUL


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No Rio Grande do Sul, o projeto Caminhos do Cuidado teve uma avaliação positiva entre os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem da Atenção Básica. Segundo a coordenadora estadual, Naia Cloé Corrêa, mesmo após a conclusão das turmas, muitos trabalhadores que atuam nos serviços de saúde da região ainda comentam sobre o aprendizado do Caminhos do Cuidado, pedindo a ampliação do projeto para as demais categorias profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF). Com temperaturas baixas na maior parte do ano, o Rio Grande do Sul possui mais de 11 milhões de habitantes e 497 municípios, divididos em uma área geográfica de 281.731,445 quilômetros quadrados (IBGE, 2015). O projeto aconteceu entre outubro de 2013 e janeiro de 2015 e, devido ao número expressivo de municípios, contou com o apoio de 19 núcleos de saúde vinculados à Escola Estadual de Educação Profissional em Saúde (ESP/ETSUS) e às instâncias administrativas regionais, que se comprometeram a auxiliar a realização do processo formativo nos territórios.

As pactuações ocorreram, principalmente, com as Comissões Intergestores Regionais (CIR), a Comissão Estadual de Integração Ensino-Serviço (Cies), o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), as Coordenações de Saúde Mental e Atenção Básica do estado e o Núcleo Regional de Educação em Saúde Coletiva (Nuresc). A seleção de tutores e orientadores aconteceu em quatro momentos entre outubro de 2013 e agosto de 2014, sendo 70 tutores e quatro orientadores aprovados para conduzir as formações no estado.

"Considerado muito diferente das outras formações existentes no Rio Grande do Sul, o projeto Caminhos do Cuidado teve como diferencial a meta de atingir quase 100% dos municípios, fortalecendo a relação com os gestores municipais, e a questão da importância do investimento na educação e na formação dos trabalhadores na região."

Considerado muito diferente das outras formações existentes no Rio Grande do Sul, o projeto Caminhos do Cuidado teve como diferencial a meta de atingir quase 100% dos municípios, fortalecendo a relação com os gestores municipais, e a questão da importância do investimento na educação e na formação dos trabalhadores na região. “O Caminhos do Cuidado é um projeto transformador das práticas de atenção e cuidado na saúde”, destacou a coordenadora estadual.

Na visão da coordenadora macrorregional, Renata Gusmão, o Rio Grande do Sul desenvolveu um jeito próprio de fazer com que o projeto funcionasse, reverberando novas possibilidades de práticas, olhares e sentimentos. “A proposta pedagógica do projeto estimulou a participação e a autoria de cada ator durante as formações, trazendo algumas situações à cena que necessitaram do envolvimento da equipe estadual para contorná-las, principalmente, em relação a preconceitos que surgiram dessa integração entre Atenção Básica e Saúde Mental”, ressaltou.

O encerramento do processo formativo foi marcado por eventos realizados em cinco regiões: Santa Cruz, Cruz Alta, Bagé, Ijuí e Santa Rosa. Para a coordenadora estadual, esses encontros foram importantes para relembrar a trajetória do projeto, mas válidos também porque a maioria dos alunos nunca havia recebido um diploma em solenidade. “Naquele momento, eles vestiam, inclusive, a camiseta do Caminhos do Cuidado ou da própria comunidade, o que indica que os alunos sentiram-se valorizados com o projeto”, conta Naia Corrêa.

131


132

RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

ENCRUZILHADA DO SUL

40

ERECHIM

381

ESPUMOSO

72

ACEGUÁ

20

ESTÂNCIA VELHA

64

ALEGRETE

55

ESTEIO

86

ALVORADA

164

ESTRELA

76

ANTÔNIO PRADO

39

FARROUPILHA

99

ARROIO DO TIGRE

38

FONTOURA XAVIER

83

ARROIO DOS RATOS

25

FREDERICO WESTPHALEN

182

BAGÉ

132

GRAVATAI

120

BENTO GONÇALVES

67

HORIZONTINA

46

BOM JESUS

40

IBIRUBÁ

48

BOM PRINCÍPIO

84

IJUÍ

248

BUTIÁ

39

ITAQUI

35

CAÇAPAVA DO SUL

46

JAGUARÃO

40

CACEQUI

56

JÚLIO DE CASTILHOS

36

CACHOEIRA DO SUL

105

LAGOA VERMELHA

82

CACHOEIRINHA

80

LAJEADO

236

CAMPO BOM

83

MARAU

133

CANDELÁRIA

28

MONTENEGRO

123

CANELA

43

NÃO-ME-TOQUE

48

CANGUÇU

30

NOVA PALMA

80

CANOAS

162

NOVA PETRÓPOLIS

60

CAPÃO DA CANOA

41

NOVA PRATA

102

CARAZINHO

40

NOVO HAMBURGO

122

CARLOS BARBOSA

35

OSÓRIO

72

CAXIAS DO SUL

236

PALMEIRA DAS MISSÕES

165

CERRO LARGO

121

PANAMBI

120

CHAPADA

43

PASSO FUNDO

163

CHARQUEADAS

111

PELOTAS

325

CONSTANTINA

55

PINHEIRO MACHADO

CRISSIUMAL

76

CRUZ ALTA

210

DOM FELICIANO

47

ELDORADO DO SUL

30

ENCANTADO

115

31


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

PLANALTO

42

SANTO AUGUSTO

103

PORTÃO

35

SANTO CRISTO

46

PORTO ALEGRE

865

SÃO BORJA

126

REDENTORA

86

SÃO FRANCISCO DE ASSIS

44

RIO GRANDE

204

SÃO FRANCISCO DE PAULA

22

RIO PARDO

40

SÃO JOSÉ DO NORTE

40

ROCA SALES

32

SÃO LEOPOLDO

75

RODEIO BONITO

39

SÃO LOURENÇO DO SUL

73

ROLANTE

40

SÃO LUIZ GONZAGA

87

RONDA ALTA

41

SÃO MARCOS

37

ROSÁRIO DO SUL

46

SÃO NICOLAU

27

SANANDUVA

104

SANTA BÁRBARA DO SUL

40

SANTA CRUZ DO SUL

275

SANTA MARIA

138

SANTA ROSA

262

SANTA VITÓRIA DO PALMAR

56

SANTANA DO LIVRAMENTO

72

SANTIAGO

106

SANTO ÂNGELO

168

SANTO ANTONIO DA PATRULHA

85

SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES

32

133


134

SÃO PEDRO DO SUL

69

SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ

43

SÃO SEPÉ

41

SAPIRANGA

129

SAPUCAIA DO SUL

138

SARANDI

40

SEGREDO

54

SERAFINA CORRÊA

43

SINIMBU

20

SOLEDADE

65

TAPEJARA

39

TAPES

82

TAQUARI

33

TENENTE PORTELA

74

TERRA DE AREIA

39

TORRES

97

TRAMANDAÍ

103

TRÊS CACHOEIRAS

31

TRÊS COROAS

40

TRÊS DE MAIO

131

TRÊS PASSOS

93

TRIUNFO

82

URUGUAIANA

84

VACARIA

35

VENÂNCIO AIRES

45

VERANÓPOLIS

52

VIAMÃO

67

TOTAL

11.271

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Rio Grande do Sul

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Naia Corrêa Coordenadora Estadual no Rio Grande do Sul


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

135


136

RONDÔNIA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Cercado pelos rios Madeira, Ji-Paraná, Guaporé e Mamoré, o estado de Rondônia está localizado na região Norte, possui uma área geográfica de 237.590,543 quilômetros quadrados (IBGE, 2015) e conta com 52 municípios ao todo. O projeto Caminhos do Cuidado encontrou alguns desafios na região para levar a formação em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas aos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem, já que os atores envolvidos no processo formativo se depararam com dificuldades para chegar a alguns territórios por conta de falta de comunicação, enchentes e/ou longas distâncias. Porém, quanto mais difícil o acesso, mais os alunos se mostravam empenhados com a oportunidade de participar dos treinamentos. A coordenadora estadual, Amélia Cristina Alcoforado, contou que o curso foi muito bem recebido por gestores municipais e alunos, principalmente nos territórios mais longínquos da capital, e considerou que o alcance da formação a todos os territórios foi o grande legado do projeto. “Por vezes, o aluno que estava ali se deslocou quatro horas de barco para assistir às aulas, e isso é fantástico”, disse Maria Cristina.

2014, totalizando 28 tutores para conduzirem as turmas no estado. Para a equipe estadual, os resultados positivos do projeto são fruto da proposta pedagógica apresentada, que despertou total interesse no aluno em retornar à sala de aula, e também do empenho das diversas equipes envolvidas. Neste sentido, a coordenadora estadual ressaltou que os próprios alunos mencionaram mudanças no atendimento às pessoas que fazem uso abusivo de drogas e que se tornaram multiplicadores dos ensinamentos do projeto em seus territórios.

"Para a escola, o que mais marcou foi a ponte criada entre os municípios distantes e a capital. Já para os alunos, o mais marcante foi o conhecimento a respeito do trabalho dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) e as possibilidades de apropriação de novas maneiras de acolher e cuidar em suas práticas cotidianas."

O Caminhos do Cuidado iniciou sua formação em Rondônia em junho de 2014 e permaneceu até abril de 2015. Para a execução no estado, o projeto recebeu o apoio do Centro de Educação Técnico Profissional na Área de Saúde (Cetas). O processo de pactuação se deu com a Comissão Intergestores Regional (CIR) e a Comissão Intergestores Bipartite (CIB), além das Secretárias de Saúde dos municípios. A seleção e a formação de tutores de aprendizagem ocorreram nos meses de março e agosto de

Dessa forma, a continuidade do Caminhos do Cuidado para médicos, assistentes sociais, enfermeiros e terapeutas ocupacionais das unidades de saúde foi um pedido dos alunos, que consideraram importante a ampliação da formação para os demais profissionais das equipes da Atenção Básica.

A última turma do Caminhos do Cuidado em Rondônia aconteceu no distrito de Extrema, região que se localiza a seis horas da capital e o acesso só é possível por balsa. A ocasião marcou o encerramento da trajetória do projeto no estado e contou com depoimentos emocionados dos alunos. Entre os pontos relevantes do Caminhos do Cuidado, a coordenadora estadual destacou que, para a escola, o que mais marcou foi a ponte criada entre os municípios distantes e a capital. Já para os alunos, o mais marcante foi o conhecimento a respeito do trabalho dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) e as possibilidades de apropriação de novas maneiras de acolher e cuidar em suas práticas cotidianas.

137


138

RONDÔNIA MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

ALTA FLORESTA D'OESTE

69

ALTO ALEGRE DOS PARECIS

54

ALTO PARAÍSO

73

ALVORADA D'OESTE

56

ARIQUEMES

106

BURITIS

127

CABIXI

26

CACAULÂNDIA

26

CACOAL

120

CAMPO NOVO DE RONDÔNIA

46


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

CANDEIAS DO JAMARI

57

PRESIDENTE MÉDICI

59

CASTANHEIRAS

26

ROLIM DE MOURA

125

CEREJEIRAS

60

SANTA LUZIA D'OESTE

29

CHUPINGUAIA

34

SÃO FELIPE D'OESTE

45

COLORADO DO OESTE

54

SÃO FRANCISCO DO GUAPORÉ

65

CORUMBIARA

30

SÃO MIGUEL DO GUAPORÉ

38

COSTA MARQUES

37

SERINGUEIRAS

47

CUJUBIM

28

TEIXEIRÓPOLIS

21

ESPIGÃO D'OESTE

42

THEOBROMA

44

GOVERNADOR JORGE TEIXEIRA

42

URUPÁ

31

GUAJARÁ-MIRIM

105

VALE DO ANARI

30

ITAPUÃ DO OESTE

26

VALE DO PARAÍSO

38

JARU

110

VILHENA

142

JI-PARANÁ

206

TOTAL

MACHADINHO D'OESTE

91

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

MINISTRO ANDREAZZA

31

MIRANTE DA SERRA

35

MONTE NEGRO

41

NOVA BRASILÂNDIA D'OESTE

57

NOVA MAMORÉ

37

NOVA UNIÃO

20

NOVO HORIZONTE DO OESTE

42

OURO PRETO DO OESTE

102

PIMENTA BUENO

118

PORTO VELHO

356

139

3.204

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Rondônia

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Amélia Alcoforado Coordenadora Estadual em Rondônia


140

RORAIMA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Situado em uma região periférica da Amazônia Legal, no noroeste da Região Norte do Brasil, o estado de Roraima conta com 15 municípios e algumas comunidades indígenas situadas em zonas rurais, totalizando uma área geográfica de 224.303,187 quilômetros quadrados (IBGE, 2015). Entretanto, nem mesmo os diversos desafios encontrados, principalmente, em relação às dificuldades de acesso e de comunicação em algumas regiões, impediram que os diferentes territórios do estado fossem contemplados pela proposta do projeto Caminhos do Cuidado, inclusive, com alcance e superação da meta de formação.

vos e negativos que emergiam das dinâmicas em sala de aula. De acordo com a coordenadora estadual, Luciana Freitas, muitas reuniões foram realizadas com os tutores para alinhar métodos e encaminhamentos das turmas. “Todas foram acompanhadas de perto. Os agentes comunitários de saúde (ACSs) são muito questionadores e isso é algo positivo, porque instiga ainda mais o debate. Tivemos até algumas discussões por motivos ideológicos ou profissionais”, constatou a coordenadora estadual.

"Parte do êxito do projeto no estado reflete a determinação dos muitos atores envolvidos, que foram despertados para uma nova visão em relação às pessoas que fazem o uso abusivo de drogas, a partir de uma escuta qualificada e inclusiva."

O olhar diferenciado sob a problemática das drogas despertou o interesse e a confiança no que estava sendo ensinado. Parte do êxito do projeto no estado reflete a determinação dos muitos atores envolvidos, que foram despertados para uma nova visão em relação às pessoas que fazem o uso abusivo de drogas, a partir de uma escuta qualificada e inclusiva. Neste contexto, o papel desempenhado pela Escola Técnica do Sistema Único de Saúde de Roraima (ETSUS-RR) foi de extrema importância para a pactuação junto aos secretários municipais de saúde, visto que a escola já tinha em sua rotina atuar em proximidade com os gestores municipais.

A formação de tutores ocorreu em fevereiro de 2014, no município de Manaus. Ao todo, foram capacitados 22 profissionais, para que pudessem conduzir as turmas em Roraima. A primeira delas ocorreu em março de 2014, no município de Boa Vista. O trabalho dos tutores e orientadores foi acompanhado de perto pela equipe estadual, que inclusive promoveu cinco encontros presenciais com eles, no sentido de avaliar os pontos positi-

Em paralelo, a metodologia de aplicação do curso foi caracterizada como um movimento de proximidade e afeto entre os participantes, o que também trouxe bons frutos para o processo de formação. Luciana Freitas também contou que foi possível perceber a vontade de mudança por parte dos agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem que participaram das formações em relação às novas posturas, atitudes e abordagens na perspectiva da redução de danos, mas que, por vezes, encontravam-se limitados pela própria equipe. “Os agentes falaram muito bem sobre o projeto, do impacto positivo, do olhar diferenciado após o Caminhos do Cuidado”, constatou a coordenadora estadual. A proposta do projeto foi incorporada pela ETSUS-RR, que planeja readequar a matriz curricular de forma a contemplar a temática da Saúde Mental, antes não trabalhada em seus cursos. Além disso, segundo a coordenadora estadual, há a expectativa de que o estado amplie a capacitação aos outros profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF) e para os que trabalham com a saúde indígena.

141


142


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

RORAIMA MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

SENADOR GUIOMARD

96

TARAUACA

76

XAPURI

68

ALTO ALEGRE

58

TOTAL

BOA VISTA

340

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

BONFIM

39

CANTÁ

59

CARACARAÍ

50

CAROEBE

17

IRACEMA

29

MUCAJAÍ

54

PACARAIMA

33

RORAINÓPOLIS

40

SÃO JOÃO DA BALIZA

19

SÃO LUIZ

24

UIRAMUTÃ

23

UIRAMUTA

23

PORTO WALTER

26

RIO BRANCO

686

RODRIGUES ALVES

57

SANTA ROSA DO PURUS

25

SENA MADUREIRA

115

143

785

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Roraima

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Luciana Freitas do Santos Coordenadora Estadual em Roraima


144

SANTA CATARINA


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Em Santa Catarina, o projeto permitiu a quebra de paradigmas e o surgimento de novas perspectivas no atendimento integral e de cuidado voltado às pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicotivas. A formação em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e outras Drogas, para os agentes comunitários de saúde (ACSs), auxiliares e técnicos de enfermagem atuantes na Atenção Básica foi considerada um presente para o estado, visto que Santa Catarina apresenta um grande número de pessoas que precisam de atendimentos de referência, tanto na área da Atenção Psicossocial como na Saúde Mental. Para a execução do projeto, duas escolas de formação em saúde do estado foram protagonistas: a Escola de Formação em Saúde (Efos) e a Escola Técnica do Sistema Único de Saúde Blumenau (ETSUS Blumenau), ambas com experiência em realizar cursos de forma descentralizada. Com o lema “quanto mais próximo do aluno melhor”, alguns municípios menores formaram uma única turma, sempre com foco em facilitar o acesso dos participantes à sala de aula.

sino-Serviço (Cies) e ao Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems). As pactuações aconteceram em reuniões com a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e as Comissões Intergestores Regionais (CIR). A seleção e a formação dos tutores ocorreram entre os meses de setembro e dezembro de 2013, mobilizando 75 profissionais. Também foi necessária uma nova seleção de tutores para o município de São José, realizada em setembro de 2014. Para a coordenadora estadual, Rosana Líbano, ao final do projeto, os atores envolvidos no processo formativo expressavam a alegria de ter participado dos treinamentos, destacando, inclusive, a proposta diferenciada do material pedagógico. Para ela, o sucesso do projeto pode ser atribuído ao intenso trabalho em equipe e à organização das ações para obter bons resultados. “Se hoje fôssemos continuar com a formação, as equipes estariam muito mais maduras, preparadas e experientes em relação a todos os aspectos”.

"Os atores envolvidos no processo formativo expressavam a alegria de ter participado dos treinamentos, destacando, inclusive, a proposta diferenciada do material pedagógico. O sucesso do projeto pode ser atribuído ao intenso trabalho em equipe e à organização das ações para obter bons resultados."

De acordo com a diretora da ETSUS Blumenau, Cláudia Lange, o projeto conseguiu aproximar a Atenção Básica da Saúde Mental e atribui o fato ao conhecimento adquirido em campo, como diálogos, conversas e o cuidado de cada participante do processo de formação. “Sem dúvida foi um legado que o curso deixou, não só para o estado, mas também para cada profissional que participou da capacitação”, enfatizou. Para a entrada do projeto em todos os 295 municípios da região, foram firmadas parcerias fundamentais junto à Secretaria de Estado de Saúde (SES-SC), à Comissão Estadual de Integração En-

O êxito das atividades do projeto impulsionou as escolas técnicas a passarem a incorporar o material didático do Caminhos do Cuidado nas formações dos ACSs e a pensarem em estender a formação em Saúde Mental para os demais membros das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). Nas palavras da coordenadora estadual: “o conhecimento disseminado pelo projeto representou um novo caminho a ser trilhado pelos profissionais de saúde da Atenção Básica, mas eles ainda terão muitos desafios para transformar as experiências do projeto em ferramentas práticas a serem utilizadas em seus ambientes de trabalho”, destacou Izabel.

145


146

SANTA CATARINA MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

CAMPO ERÊ

44

CAMPOS NOVOS

79

CANELINHA

38

ABELARDO LUZ

81

CANOINHAS

40

AGROLÂNDIA

42

CAPINZAL

40

ÁGUA DOCE

44

CAPIVARI DE BAIXO

42

ALFREDO WAGNER

36

CAXAMBU DO SUL

28

ANCHIETA

23

CELSO RAMOS

24

ANGELINA

42

CHAPECÓ

368

ANITA GARIBALDI

31

COCAL DO SUL

43

ANTÔNIO CARLOS

21

CONCÓRDIA

154

APIÚNA

26

CORONEL FREITAS

36

ARAQUARI

36

CORREIA PINTO

39

ARARANGUÁ

126

CORUPÁ

39

ARMAZÉM

23

CRICIÚMA

315

ASCURRA

44

CUNHA PORÃ

40

BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA

24

CURITIBANOS

90

BALNEÁRIO BARRA DO SUL

18

DESCANSO

36

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

207

DIONÍSIO CERQUEIRA

46

BALNEÁRIO PIÇARRAS

28

FAXINAL DOS GUEDES

39

BALNEÁRIO RINCÃO

30

FLORIANÓPOLIS

362

BARRA VELHA

66

FORMOSA DO SUL

17

BELA VISTA DO TOLDO

40

FORQUILHINHA

42

BENEDITO NOVO

35

FRAIBURGO

60

BIGUAÇU

102

GAROPABA

41

BLUMENAU

224

GARUVA

36

BOCAÍNA DO SUL

17

GASPAR

114

BOM JARDIM DA SERRA

18

GOVERNADOR CELSO RAMOS

37

BOM RETIRO

27

GRÃO PARÁ

22

BOMBINHAS

26

GRAVATAL

31

BRAÇO DO NORTE

61

GUABIRUBA

43

BRUSQUE

223

GUARACIABA

34

CAÇADOR

91

GUARAMIRIM

40

CAIBI

35

GUARUJÁ DO SUL

12

CALMON

31

HERVAL D'OESTE

33

CAMPO ALEGRE

24

IBIRAMA

57

CAMPO BELO DO SUL

57

IÇARA

125


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

ILHOTA

25

OTACÍLIO COSTA

57

IMARUÍ

40

PALHOÇA

213

IMBITUBA

102

PALMA SOLA

26

INDAIAL

62

PALMITOS

43

IPORÃ DO OESTE

43

PAPANDUVA

44

IPUMIRIM

41

PARAÍSO

16

ITAIOPOLIS

63

PASSO DE TORRES

18

ITAJAÍ

330

PAULO LOPES

20

ITAPEMA

77

PENHA

52

ITAPIRANGA

42

PESCARIA BRAVA

31

ITAPOÁ

38

PETROLÂNDIA

25

ITUPORANGA

36

PIÇARRAS

25

JACINTO MACHADO

37

PINHALZINHO

48

JAGUARUNA

54

PINHEIRO PRETO

16

JARAGUÁ DO SUL

125

PIRATUBA

39

JOAÇABA

88

POMERODE

69

JOINVILLE

487

PONTE SERRADA

42

JOSÉ BOITEUX

22

PORTO BELO

37

LAGES

319

PORTO UNIÃO

83

LAGUNA

104

POUSO REDONDO

42

LAURO MÜLLER

44

PRAIA GRANDE

21

LEBON RÉGIS

36

PRESIDENTE GETÚLIO

39

LONTRAS

42

QUILOMBO

28

LUIZ ALVES

30

RIO DAS ANTAS

17

LUZERNA

22

RIO DO OESTE

20

MAFRA

146

RIO DO SUL

100

MAJOR VIEIRA

45

RIO DOS CEDROS

23

MARAVILHA

120

RIO NEGRINHO

43

MASSARANDUBA

41

SALETE

24

MELEIRO

28

SALTINHO

13

MONTE CARLO

38

SALTO VELOSO

36

MORRO DA FUMAÇA

44

SANGÃO

33

NAVEGANTES

62

SANTA CECÍLIA

27

NOVA ITABERABA

28

SANTA TEREZINHA

28

NOVA TRENTO

46

SANTIAGO DO SUL

6

NOVA VENEZA

40

SANTO AMARO DA IMPERATRIZ

72

ORLEANS

64

SÃO BENTO DO SUL

120

147


148


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SÃO CARLOS

42

TIMBÓ

81

SÃO DOMINGOS

39

TIMBÓ GRANDE

26

SÃO FRANCISCO DO SUL

51

TRÊS BARRAS

40

SÃO JOÃO BATISTA

40

TREZE DE MAIO

41

SÃO JOÃO DO OESTE

51

TROMBUDO CENTRAL

23

SÃO JOÃO DO SUL

21

TUBARÃO

243

SÃO JOAQUIM

44

TURVO

29

SÃO JOSÉ

223

UNIÃO DO OESTE

23

SÃO JOSÉ DO CEDRO

40

URUBICI

30

SÃO JOSÉ DO CERRITO

29

URUPEMA

19

SÃO LOURENÇO DO OESTE

38

URUSSANGA

61

SÃO LUDGERO

26

VIDAL RAMOS

48

SÃO MARTINHO

31

VIDEIRA

40

SÃO MIGUEL DO OESTE

88

WITMARSUM

39

SAUDADES

28

XANXERÊ

80

SCHROEDER

27

XAXIM

93

SEARA

75

TOTAL

SIDERÓPOLIS

42

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SOMBRIO

104

TAIÓ

54

TANGARÁ

24

TIGRINHOS

40

TIJUCAS

68

TIMBÉ DO SUL

20

149

11.413

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Santa Catarina

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Izabel Cunha Coordenadora Estadual em Santa Catarina


150

SÃO PAULO


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Tornar visível a problemática das drogas e proporcionar novas formas de acolher e cuidar dos usuários. Na visão da coordenadora estadual, Carolina Feitosa, esses foram os maiores ganhos proporcionados pelo Caminhos do Cuidado para São Paulo. O estado iniciou a formação em outubro de 2013 e esteve entre os primeiros mobilizados para a execução do projeto no país. Porém, ser pioneiro e contar com um grande número de municípios não foram impedimentos para a sua execução, visto que a região contempla uma das maiores redes de escolas técnicas de saúde do Brasil, o que facilitou a entrada do Caminhos do Cuidado nos territórios, considerando também o fato de que as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) do estado já participavam de reuniões nos respectivos colegiados locais.

de pactuação com as seguintes instâncias: Conselho de Secretários Municipais de Saúde de São Paulo (Cosems-SP), Comissão Intergestores Bipartite (CIB), Comissões Intergestores Regionais (CIRs), Centros de Desenvolvimento e Qualificação para o Sistema Único de Saúde (CDQS/SUS), Departamentos Regionais de Saúde (DRS), Núcleo de Educação Permanente e Humanização (NEP-H) de âmbito municipal e regional, Coordenadoria de Recursos Humanos, e Coordenação da Atenção Básica e da Saúde Mental da SES-SP. A seleção e a capacitação de tutores aconteceram em cinco etapas, totalizando 289 tutores formados. Para as duas últimas seleções, houve a pactuação com os gestores de municípios menores, visando identificar o perfil e ter a garantia de liberação do profissional para conduzir as turmas.

"São Paulo foi um dos seis primeiros estados que aderiram à proposta do Caminhos do Cuidado. Porém, ser pioneiro e contar com um grande número de municípios a serem mobilizados não foram obstáculos para a execução do projeto."

O estado conta com seis ETSUS, pertencentes à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo (SES-SP), também denominadas de Centros Formadores de Pessoal para a Área da Saúde (Cefor), e a Escola Municipal de Saúde de São Paulo (EMS-SP), que atende às demandas referentes ao município de São Paulo. Para a coordenadora estadual, embora as escolas técnicas já oferecessem cursos de capacitação aos ACSs residentes nos municípios da região, a temática da Saúde Mental, com o recorte para a questão das drogas, foi algo novo para o estado. “Aprendemos muito com o projeto e, aos poucos, fomos ganhando respeito com a proposta porque, na avaliação do nosso público, ela trouxe muitos resultados positivos. As pessoas saíam dos treinamentos encantadas e com possibilidades de intervir em campo, o que considero a parte mais fantástica de todo o processo”, destacou Carolina. Com apoiadores presentes nas escolas localizadas nas áreas de maior abrangência, a Coordenação Estadual do Caminhos do Cuidado iniciou o processo

Para a coordenadora macrorregional, Lenice Koltermann, fazer parte da equipe do estado de São Paulo foi um aprendizado constante, considerando o quantitativo de escolas e alunos envolvidos. “Mesmo dentro de toda a dimensão e atravessamentos que tivemos na execução do Caminhos do Cuidado, destacando projetos paralelos, como a educação popular, epidemia de dengue, entre outros, o estado sempre se manteve aberto e à frente de propostas para que a formação alcançasse o seu propósito e a meta”, refletiu Lenice. A coordenadora estadual ressaltou que o esforço coletivo permitiu sensibilizar e mobilizar um quantitativo significativo de trabalhadores da Atenção Básica, deixando marcas no estado. “O grande legado do projeto foi, sem dúvida, a aproximação das escolas com o tema da Saúde Mental e, principalmente, com o recorte no crack, álcool e outras drogas. Embora as escolas já tenham a proposta da Saúde Mental em todas as grades curriculares, nunca foi de forma tão organizada e propositiva como o Caminhos do Cuidado. Para mim, fica o exercício da articulação, da escuta e da superação de dificuldades”, disse Carolina.

151


152

SÃO PAULO MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

CRUZEIRO

30

DESCALVADO

40

DIVINOLÂNDIA

32

ADAMANTINA

36

DUARTINA

28

AGUAÍ

30

ECHAPORÃ

24

ALAMBARI

20

ELDORADO

28

ALTINÓPOLIS

30

ELISIÁRIO

23

AMERICANA

131

EMBU DAS ARTES

157

ANDRADINA

116

EMBU-GUAÇU

65

ARAÇATUBA

244

ESPÍRITO SANTO DO PINHAL

40

ARARAQUARA

292

FERNANDÓPOLIS

128

ARTUR NOGUEIRA

89

FRANCA

60

ARUJÁ

54

GÁLIA

25

ASSIS

62

GARÇA

91

AVARÉ

45

GUAÍRA

59

BADY BASSITT

26

GUAPIARA

50

BARRA DO TURVO

20

GUARÁ

35

BARRETOS

82

GUARACI

32

BASTOS

45

GUARANTÃ

18

BATATAIS

86

GUARATINGUETÁ

76

BAURU

97

GUARUJÁ

230

BEBEDOURO

163

GUARULHOS

893

BERNARDINO DE CAMPOS

20

HERCULÂNDIA

41

BRAGANÇA PAULISTA

148

IBATÉ

42

CAÇAPAVA

128

IEPÊ

23

CAJATI

60

IGARAPAVA

28

CAMPINAS

162

IGUAPE

20

CÂNDIDO MOTA

20

ILHA COMPRIDA

25

CARAGUATATUBA

262

ILHA SOLTEIRA

37

CARAPICUÍBA

27

INÚBIA PAULISTA

30

CASA BRANCA

23

IPORANGA

20

CATANDUVA

120

IPUÃ

26

CERQUILHO

56

ITAJOBI

29

COLINA

42

ITANHAÉM

COSMÓPOLIS

49

ITAPECERICA DA SERRA

74

COTIA

33

ITAPETININGA

142

CRAVINHOS

46

ITAPEVA

99

200


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

ITAPEVI

81

OCAUÇU

46

ITAPIRA

84

OLÍMPIA

43

ITARARÉ

113

ORLÂNDIA

41

ITARIRI

25

OSASCO

ITUVERAVA

82

OSVALDO CRUZ

71

JABOTICABAL

78

OURINHOS

83

JACI

27

OUROESTE

22

JACUPIRANGA

23

PACAEMBU

16

JALES

120

PALMEIRA D'OESTE

38

JANDIRA

109

PARAGUAÇU PAULISTA

46

JAÚ

120

PARAIBUNA

47

JUNDIAÍ

176

PARAPUÃ

30

JUNQUEIRÓPOLIS

57

PARIQUERA-AÇU

20

LENÇÓIS PAULISTA

116

PATROCÍNIO PAULISTA

44

LIMEIRA

81

PEDREGULHO

28

LUCÉLIA

40

PEDREIRA

39

MACATUBA

21

PEDRO DE TOLEDO

28

MACAUBAL

27

PENÁPOLIS

47

MAIRINQUE

42

PEREIRA BARRETO

65

MARÍLIA

378

PIRACICABA

213

MARTINÓPOLIS

78

PIRAJU

67

MATÃO

40

PIRAPOZINHO

70

MAUÁ

397

PIRATININGA

22

MENDONÇA

40

PITANGUEIRAS

57

MIGUELÓPOLIS

40

POMPÉIA

45

MIRACATU

25

PORTO FERREIRA

32

MIRASSOL

36

POTIM

39

MOCOCA

40

PRAIA GRANDE

762

MOGI DAS CRUZES

119

PRESIDENTE EPITÁCIO

80

MOGI GUAÇU

82

PRESIDENTE PRUDENTE

120

MOGI MIRIM

101

PRESIDENTE VENCESLAU

67

MONTE ALTO

37

PRIMAVERA

27

MONTE APRAZÍVEL

39

QUATÁ

36

MORRO AGUDO

40

QUELUZ

29

NANTES

15

RANCHARIA

36

NARANDIBA

31

REGENTE FEIJÓ

60

NHANDEARA

34

REGISTRO

119

363

153


154

RESTINGA

23

RIBEIRÃO BONITO

29

RIBEIRÃO GRANDE

70

RIBEIRÃO PRETO

303

RINÓPOLIS

23

RIO CLARO

184

ROSANA

27

ROSEIRA

29

SALES OLIVEIRA

45

SANTA ADÉLIA

40

SANTA BÁRBARA D'OESTE

37

SANTA CRUZ DAS PALMEIRAS

20

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

75

SANTA FÉ DO SUL

128


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SANTA GERTRUDES

29

TACIBA

22

SANTO ANASTÁCIO

31

TAMBAÚ

34

SANTO ANDRÉ

80

TANABI

41

SANTOS

361

TAPIRATIBA

28

TAQUARITINGA

50

SÃO BERNARDO DO CAMPO

1.288

SÃO CAETANO DO SUL

34

TARUMÃ

31

SÃO CARLOS

129

TATUÍ

65

SÃO JOÃO DA BOA VISTA

109

TEODORO SAMPAIO

56

SÃO JOAQUIM DA BARRA

24

TERRA ROXA

37

SÃO JOSÉ DA BELA VISTA

26

TUPÃ

71

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO

42

UCHOA

47

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

44

URÂNIA

42

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

222

VALENTIM GENTIL

32

SÃO LOURENÇO DA SERRA

27

VALPARAÍSO

47

SÃO MIGUEL ARCANJO

88

VARGEM GRANDE DO SUL

38

VARGEM GRANDE PAULISTA

40

SÃO PAULO

9.461

SÃO ROQUE

30

TOTAL

202

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

SÃO SEBASTIÃO SÃO SEBASTIÃO DA GRAMA SÃO VICENTE

31 205

SEVERÍNIA

40

SILVEIRAS

22

SOROCABA

127

SUMARÉ

103

SUZANO

143

TABOÃO DA SERRA

122

155

26.590

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 São Paulo

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Carolina Feitosa Coordenadora Estadual em São Paulo


156

SERGIPE


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Em Sergipe, os bons resultados do projeto Caminhos do Cuidado provocaram mudanças perceptíveis na prática diária dos profissionais que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF). Os benefícios para o estado não foram apenas no âmbito da assistência, uma vez que o projeto fortaleceu também as ações entre as instituições que contemplam a rede local do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir das muitas articulações feitas para a condução do processo formativo na região. Para a coordenadora estadual, Beatriz dos Santos, o Caminhos do Cuidado não chegou ao estado com estratégias prontas, estando sempre aberto a ser construído no dia a dia, a partir da escuta das experiências de quem realmente atua de forma direta em campo. E foi exatamente essa abordagem tão diferenciada para o estado que permitiu que os atores envolvidos se sentissem parte de todo o processo.

O projeto também foi apresentado para os membros da Câmara Técnica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-SE), por meio das Redes de Saúde Mental e de Atenção Básica, do Centro de Educação Permanente da Saúde de Aracaju (CEPS), da Estratégia de Redução de Danos da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju (ERD-SMS) e dos Sindicatos dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias do Município de Aracaju (Sacema).

"Uma das potencialidades do projeto foi exatamente a construção da aliança entre as áreas da Saúde Mental e da Atenção Básica. Para a equipe estadual, esta união abrirá caminhos para novas ações que tragam uma melhora na qualidade do atendimento, dentro da perspectiva do acolhimento e do cuidado em saúde."

“Eles observaram que o Caminhos do Cuidado não estava trazendo algo inovador, mas mostrando aos municípios o que eles já tinham e que apenas poderia ser potencializado. E isso é tão diferente dos outros projetos que trabalhamos, já que estamos lidando com direitos, integralidade, equidade e diversidade”, considerou Beatriz dos Santos.

A realização das turmas aconteceu com o protagonismo da Escola Técnica do Sistema Único de Saúde de Sergipe, da Fundação Estadual de Saúde (ETSUS-SE/Funesa), que esteve à frente das atividades desde abril de 2014. As articulações foram feitas com os gestores municipais da Comissão Intergestores Regionais (CIR), Comissão Intergestores Estadual (CIE) e Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems).

Para conduzir as turmas, foram selecionados 34 tutores durante todo o período de execução do Caminhos do Cuidado, por meio de processos formativos que aconteceram nos meses de março e agosto de 2014. Segundo Beatriz dos Santos, o fato de muitos participantes desconhecerem o funcionamento e o fluxo das redes de Saúde Mental e de Atenção Básica dos municípios fez com que a ETSUS-SE/ Funesa oferecesse aos tutores e orientadores oficinas de qualificação sobre as redes locais.

Neste sentido, uma das potencialidades do projeto foi exatamente a construção da aliança entre as áreas da Saúde Mental e da Atenção Básica. Para a equipe estadual, esta união, que no início se apresentou como um desafio para a escola técnica, abrirá caminhos para novas ações que tragam uma melhora na qualidade do atendimento, dentro da perspectiva do acolhimento e do cuidado em saúde. O encerramento das atividades do Caminhos do Cuidado ocorreu em dezembro de 2014, com a apresentação de uma mostra de experiências dos alunos e conferências com especialistas sobre a temática da estratégia de redução de danos e sobre a trajetória do projeto no território.

157


158

SERGIPE MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

MONTE ALEGRE DE SERGIPE

40

MURIBECA

30

NEÓPOLIS

61

AQUIDABÃ

58

NOSSA SENHORA APARECIDA

25

ARACAJU

847

NOSSA SENHORA DA GLÓRIA

94

ARAUÁ

41

NOSSA SENHORA DAS DORES

71

AREIA BRANCA

26

NOSSA SENHORA DE LOURDES

34

BARRA DOS COQUEIROS

59

NOSSA SENHORA DO SOCORRO

242

BOQUIM

73

PACATUBA

35

BREJO GRANDE

24

PEDRINHAS

23

CAMPO DO BRITO

41

PINHÃO

25

CANINDÉ DE SÃO FRANCISCO

82

PIRAMBU

25

CAPELA

61

POÇO REDONDO

80

CARIRA

49

POÇO VERDE

49

CARMÓPOLIS

38

PORTO DA FOLHA

78

CEDRO DE SÃO JOÃO

39

PROPRIÁ

40

CRISTINÁPOLIS

50

RIACHÃO DO DANTAS

42

DIVINA PASTORA

23

RIACHUELO

27

ESTÂNCIA

192

RIBEIRÓPOLIS

46

FEIRA NOVA

42

ROSÁRIO DO CATETE

22

FREI PAULO

37

SALGADO

71

GARARU

47

SANTA LUZIA DO ITANHY

42

ILHA DAS FLORES

26

SANTANA DO SÃO FRANCISCO

21

INDIAROBA

45

SANTO AMARO DAS BROTAS

32

ITABAIANA

205

SÃO CRISTÓVÃO

53

ITABAIANINHA

110

SÃO DOMINGOS

35

ITAPORANGA D'AJUDA

77

SIMÃO DIAS

108

JAPARATUBA

42

SIRIRI

23

JAPOATÃ

43

LAGARTO

222

LARANJEIRAS

69

MACAMBIRA

25

MALHADOR

27

MARUIM

38

MOITA BONITA

31


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

TOBIAS BARRETO

84

TOMAR DO GERU

39

UMBAÚBA

61

TOTAL

4.447

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado. Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Sergipe

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Beatriz Santos Coordenadora Estadual em Sergipe

159


160

TOCANTINS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Um projeto com objetivo de transformar o olhar, a escuta e os pré-conceitos existentes em relação aos usuários de crack, álcool e outras drogas. Aprendizagem que modificou, inclusive, o processo de organização dos cursos oferecidos pela Escola Tocantinense do Sistema Único de Saúde (ETSUS-TO). O início da formação no estado aconteceu em julho de 2014, abrindo novas perspectivas de construção de caminhos para o cuidado nas práticas de atenção à saúde. Na capital do Tocantins, Palmas, todas as aulas aconteceram na escola técnica, o que possibilitou a participação e um maior envolvimento de toda a equipe da ETSUS-TO com os tutores e alunos. Segundo a coordenadora estadual, Maria Auri Souza, nos dias da formação, a instituição chegou a ter entre 120 e 150 alunos circulando em seus espaços, sendo um verdadeiro ambiente escolar.

tutores. Como disse a coordenadora macrorregional, Anna Letícia Ventre: “o sabor de reconhecer-se em sensações e sentimentos mais áridos e também suaves fez com que o potencial de criação de cada um e do conjunto da equipe se elevasse”. E foram muitas as possibilidades relatadas pelos participantes: de olhar para si mesmo, de repensar as formas de intervenção junto às pessoas que fazem uso problemático de drogas nos territórios e dentro das próprias equipes, de se apropriar da estratégia de redução de danos. “Ouvimos duas tutoras falarem de suas experiências com drogas e como o debruçar sobre o tema despertou o passado e a capacidade de ambas em terem superado o drama vivido, podendo também ajudar o outro a entender a complexidade de se viver com a dependência química”, destacou a coordenadora macrorregional.

"O médico, a enfermeira e a equipe ampliada do Programa de Saúde da Família entraram em sala de aula e disseram que queriam saber o que os agentes comunitários de saúde estavam estudando, pois estava mudando positivamente toda a concepção e o comportamento deles dentro da unidade em que trabalhavam."

O sucesso do projeto foi tanto que ocorreram diversos pedidos para a ampliação do projeto para os outros integrantes das equipes de Saúde da Família, que somam 317 no estado. Neste sentido, no município de Gurupi ocorreu uma situação inusitada, que foi ressaltada pela coordenadora estadual. “O médico, a enfermeira e a equipe ampliada do Programa de Saúde da Família entraram em sala de aula e disseram que queriam saber o que os agentes comunitários de saúde estavam estudando, pois estava mudando positivamente toda a concepção e o comportamento deles dentro da unidade em que trabalhavam. E foi um processo longo de convencimento para que eles saíssem de sala de aula”, descreveu Maria Auri. A proposta diferenciada e inovadora para o estado, pouco a pouco, conquistou alunos e

Além da parceria com a ETSUS-TO, a coordenadora estadual e os três apoiadores contaram com a participação da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau-TO) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), que atuaram junto às Comissões Intergestores Regionais (CIRs) e à Comissão Intergestores Bipartite (CIB). A seleção de tutores ocorreu em outubro de 2013, com 33 aprovados para a execução das turmas nas oito regiões de saúde do estado. A produção dos alunos no percurso das turmas foi reunida na oficina “Cartografias do estado do Tocantins no projeto Caminhos do Cuidado: oficinando caminhos, marcando criações”, concluindo as formações dos profissionais pelos 139 municípios tocantinenses.

161


162

TOCANTINS MUNICÍPIO

VAGAS OFERTADAS

SÍTIO NOVO DO TOCANTINS

40

TAGUATINGA

60

TOCANTINÓPOLIS

160

ALIANÇA DO TOCANTINS

44

TOCANTINS

47

ANANÁS

80

XAMBIOÁ

40

ARAGUACEMA

38

TOTAL

ARAGUAÇU

47

Fonte: Indicadores Caminhos do Cuidado.

ARAGUAÍNA

561

ARAGUATINS

121

ARRAIAS

89

AUGUSTINÓPOLIS

190

COLINAS DO TOCANTINS

125

COLMÉIA

109

DIANÓPOLIS

145

DOIS IRMÃOS DO TOCANTINS

26

ESPERANTINA

48

FORMOSO DO ARAGUAIA

64

GOIATINS

80

GUARAÍ

81

GURUPI

255

ITACAJÁ

52

MIRACEMA DO TOCANTINS

79

MIRANORTE

43

NATIVIDADE

41

PALMAS PALMEIRÓPOLIS

694 47

PARAÍSO DO TOCANTINS

248

PARANÃ

40

PEDRO AFONSO

82

PEIXE

36

PIUM

41

PORTO NACIONAL

202

RIO SONO

35

SÃO FÉLIX DO TOCANTINS

25

SILVANÓPOLIS

69

4.184

Observação: As vagas aqui divulgadas representam o número de vagas ofertadas no município onde houve curso, e não dos municípios que matricularam alunos.

RELATÓRIO DA COORDENAÇÃO ESTADUAL Projeto Caminhos do Cuidado – 2016 Tocantins

MEMÓRIAS DO CAMINHOS Maria Auri Gonçalves Souza Coordenadora Estadual no Tocantins


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

163


164

A DIMENSÃO DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO NOS ESTADOS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Ao revisitar os dados apresentados nos relatórios finais e elaborados pelas coordenações estaduais do projeto Caminhos do Cuidado, tornou-se relevante a produção de um consolidado que demonstre a dimensão desta formação e seus desdobramentos para a educação profissional e o cuidado nos territórios, assim como para as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS) e Escolas de Saúde Pública de todos os estados brasileiros e o Distrito Federal. O exercício de consolidação dos dados presentes nos relatórios deu visibilidade às principais potencialidades e fragilidades do projeto, sendo um instrumento importante de consulta e avaliação do próprio Caminhos do Cuidado e para outras ações de formação no país. Para a análise do conteúdo produzido, foram definidas 22 categorias, que permitiram verificar a recorrência de certas informações referidas. As categorias, o quantitativo e o percentual, ou seja, a frequência relativa sobre a dimensão do Caminhos do Cuidado na perspectiva dos estados, podem ser conferidos, na íntegra, no Observatório Caminhos do Cuidado (www.observatorio.caminhosdocuidado.org).

CATEGORIAS – CONSOLIDADO DAS COORDENAÇÕES ESTADUAIS 

Região de saúde

Municípios envolvidos no projeto

Dimensionamento das equipes estaduais

Qualificação dos componentes das equipes estaduais

Procedência institucional dos componentes das equipes estaduais

Desenho da estrutura operacional das equipes estaduais

Aspectos positivos/relevantes para o bom desempenho das equipes estaduais

Aspectos negativos/dificultadores do trabalho das equipes estaduais

Espaços de articulação do projeto no estado

Interlocução com atores durante a execução do projeto

Referências e temas de discussão com os diferentes atores

Considerações sobre a atuação das coordenações macrorregionais

Considerações sobre a atuação da Coordenação Acadêmica

Dificuldades relatadas em relação ao processo de trabalho acadêmico

Sugestões para o processo de trabalho acadêmico

Potencialidades relacionadas à dimensão pedagógica do projeto

Fragilidades relacionadas à dimensão pedagógica do projeto

Considerações sobre os processos de Comunicação do projeto

Potencialidades relacionadas aos processos de Infraestrutura e Logística

Fragilidades relacionadas aos processos de Infraestrutura e Logística

Aprendizagens e resultados qualitativos a partir da execução do projeto

Sugestões para o aprimoramento do projeto

165


166

As duas primeiras categorias – “Região de saúde” e “Municípios envolvidos no projeto” – apontaram o alcance do projeto Caminhos do Cuidado em todo o território nacional, apresentando o quantitativo de 85% de regiões de saúde e municípios que estiveram envolvidos no processo formativo. Na sequência, buscou-se dar visibilidade ao desenho que cada ETSUS construiu para o desenvolvimento do projeto, a saber: dimensionamento das equipes estaduais, qualificação dos componentes das equipes, procedência institucional dos componentes e a estrutura operacional das equipes estaduais. A análise também contemplou pontos relevantes sobre o desempenho das diferentes coordenações que compuseram a estrutura operacional e pedagógica do projeto. Dentre os destaques das atividades desenvolvidas, verificou-se a articulação com os diversos atores de cada território, sendo esta ação mencionada como de grande importância para o êxito do processo formativo. Percebemos a partir da análise que as ETSUS tiveram grande capilaridade para dentro dos seus territórios, atingindo um número significativo de atores estratégicos. Segundo os coordenadores estaduais, nem sempre havia interlocução prévia das escolas técnicas com os atores envolvidos no processo formativo, fato que nos leva a considerar a oportunidade que o projeto gerou de conquista de novos espaços para parcerias e ações em conjunto, fortalecendo as ações no território em favor da implementação da Política de Educação Profissional em Saúde. Foram observadas ponderações das equipes estaduais com relação às equipes e coordenações do projeto. No que se refere às coordenações macrorregionais, verificou-se o seu importante papel como apoio institucional para a consolidação de ações nos estados. Com relação à equipe acadêmica, destacou-se o grande apoio conferido aos estados e toda a estrutura construída para a gestão acadêmica das turmas, sendo apontadas dificuldades relacionadas à falta de treinamento inicial para o uso do sistema acadêmico e dos gestores locais em fornecer as informações para o cadastramento das turmas.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

No que tange à equipe pedagógica, foram avaliados como positivos o material e a metodologia das oficinas de tutores. Os principais desafios mencionados foram a centralização das ações formativas pela equipe nacional, sem a participação das ETSUS desde o início, bem como a dificuldade de avaliação do desempenho dos tutores/educadores/orientadores em sala de aula. A equipe de Comunicação teve seu trabalho referido como positivo durante todo o desenvolvimento do projeto. Por sua vez, a equipe de Infraestrutura e Logística foi considerada como uma área que enfrentou diversos desafios, que se justificaram diante da complexidade em se construir um projeto logístico para um país de grandes dimensões. Destacou-se a importância do sistema Workflow Orquestra (fluxo de trabalho) para facilitar os processos e os ajustes necessários ao longo da condução do projeto, com o objetivo de viabilizar pagamentos de bolsas, ajudas de custo e entregas de material didático. Também foram ressaltados nos relatórios das coordenações estaduais, os principais aspectos referentes às aprendizagens e os resultados qualitativos realizados a partir da execução das ações formativas, entre os quais destacaram-se: a mudança no olhar dos alunos sobre a questão do uso de crack, álcool e outras drogas, a ampliação da caixa de ferramentas para a intervenção do agente comunitário de saúde (ACS) no cuidado à população, o reconhecimento de que o cuidado em Saúde Mental não se trata de uma atividade exclusiva dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), e a importante apropriação das equipes estaduais e das ETSUS no desenvolvimento de um projeto de grande magnitude e com metas ousadas. Como sugestões para o aprimoramento do projeto, foram referidas a formação dos demais profissionais atuantes nas equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF), a elaboração de um método de acompanhamento e avaliação do trabalho dos orientadores e tutores, inclusive, de modo presencial, e a necessidade de maior envolvimento e participação das ETSUS em todas as etapas do Caminhos do Cuidado.

167


168

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

Refere 100% das regiões de saúde envolvidas

23

85,19

Não apresenta esta informação

4

14,81

Refere 100% dos municípios envolvidos

19

70,37

Refere mais de 90% dos municípios envolvidos

5

18,52

Refere menos de 90% dos municípios envolvidos

1

3,70

Não apresenta esta informação

2

7,41

Até três integrantes

5

18,52

Até seis integrantes

13

48,15

Mais de seis integrantes

7

25,93

Referem ter composição multiprofissional

7

25,93

Contavam com especialistas na equipe

7

25,93

Referem experiência dos componentes na condução de projetos e cursos

5

18,52

Contavam com mestres nas equipes

4

14,81

Contavam com integrantes com ensino médio

3

11,11

Contaram com um ou mais integrantes advindos das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS)

18

66,67

Contaram com um ou mais integrantes indicados pelas ETSUS

10

37,04

Contaram com um ou mais integrantes indicados pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems)

2

7,41

Não referiram procedência institucional de componentes da equipe

3

11,11

Descentralizado

15

55,56

Centralizado

1

3,70

Não referido

11

40,74

Parceria e apoios (técnico e de estrutura) da ETSUS

27

100,00

Articulações desenvolvidas com secretarias municipais e coordenações regionais de saúde

5

18,52

O fato de alguns ou todos os componentes pertencerem às ETSUS

3

11,11

Organização de dados e criação de instrumentos para o acompanhamento do projeto no estado

7

25,93

Expertise e capilaridade da ETSUS na realização de cursos descentralizados

9

33,33

Suficiência no dimensionamento da equipe

1

3,70

Formação e experiência profissional dos componentes da equipe

7

25,93

Aprendizado adquirido durante a execução do projeto

9

33,33

Troca de experiências entre as equipes do Caminhos e da ETSUS

9

33,33

Troca de experiências entre equipes estaduais

2

7,41

Criatividade e agilidade da equipe frente aos desafios do projeto

6

22,22

Organização/estrutura do projeto

1

3,70

Alguns componentes da equipe sem vínculo com a Escola Técnica do Sistema Único de Saúde (ETSUS)

0

0,00

CATEGORIAS

Região de saúde

Municípios envolvidos no projeto*

Dimensionamento das equipes estaduais

Qualificação dos componentes das equipes estaduais

Procedência institucional dos componentes das equipes estaduais Desenho da estrutura operacional das equipes estaduais

Aspectos positivos/ relevantes para o bom desempenho das equipes estaduais

INFORMAÇÕES REFERIDAS

*Entendeu-se que se refere à procedência dos alunos, no entanto, o dado pode ser confirmado a partir dos dados do Observatório. Fonte: Stefanie Kulpa e Marco Aurelio Rezende.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

INFORMAÇÕES REFERIDAS

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

Descentralização da equipe estadual (distância geográfica como complicador da comunicação)

3

11,11

Necessidade de troca de componente da equipe

8

29,63

Capacitação deficitária da equipe

3

11,11

Desarticulação da equipe/Coordenação Estadual com a ETSUS

1

3,70

Centralização das decisões em nível nacional

5

18,52

Membros da equipe sem exclusividade para o projeto

3

11,11

Contratualização formalizada dos gestores municipais junto à Escola Técnica e à Coordenação Estadual

1

3,70

Falta de apoio do Ministério da Saúde (MS) na interlocução junto aos gestores municipais

2

7,41

Interface com os diferentes atores viabilizada/potencializada com a implementação do Colegiado Gestor

10

55,56

Reuniões da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), Comissão Intergestores Regionais (CIR), Centro de Integração de Educação e Saúde (Cies) e/ou Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) como espaços potentes de articulação

15

37,04

ETSUS

25

92,59

Secretarias Municipais de Saúde

24

88,89

Secretarias Estaduais de Saúde/Coordenação de Saúde Mental/ Coordenação da Atenção Básica

25

92,59

Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde / Departamento da Gestão da Educação na Saúde (MS/SGTES/Deges)

18

66,67

MS-SGTES/Deges/Departamento de Atenção Básica (DAB)

7

25,93

MS – Coordenação de Saúde Mental

5

18,52

CIRs

20

74,07

CIB

18

66,67

Outras áreas/Coordenações das Secretarias Estaduais de Saúde

7

25,93

CATEGORIAS

Aspectos negativos/ dificultadores do trabalho das equipes estaduais

Espaços de articulação do projeto no estado

Interlocução com atores durante a execução do projeto

Cies

8

29,63

Conselhos de Saúde

2

7,41

Associação dos Agentes Comunitários de Saúde

2

7,41

Coordenadorias Regionais de Saúde

3

11,11

Federação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde

2

7,41

Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs)

1

3,70

Associação dos municípios do estado

1

3,70

Equipe da Estratégia de Redução de Danos Municipal

1

3,70

Comitê Gestor Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas

2

7,41

Coordenadoria (Estadual) de Políticas sobre Drogas

1

3,70

Grupo Condutor da Redes de Atenção Psicossocial (RAPS) estadual

2

7,41

Conselho Regional de Enfermagem (Coren)

1

3,70

22

81,48

Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems)

169


170

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

Objetivos, diretrizes e metas do projeto

23

85,19

Monitoramento das ações

15

55,56

Planejamento das ações do projeto

23

85,19

Potencialidades do projeto

9

33,33

Dificuldades encontradas

7

25,93

Continuidade do projeto no estado

6

22,22

Interface/integração com a Saúde Mental-RAPS

4

14,81

Importância na mediação com a equipe nacional

24

88,89

Importância no apoio às questões de logística/bolsas/ajudas de custo/peculiaridades territoriais

8

29,63

Participação efetiva na seleção/formação, acompanhamento e avaliação

12

44,44

Importância na articulação junto aos gestores estaduais e municipais

12

44,44

Avaliam como satisfatório o processo de trabalho acadêmico

23

85,19

Termo de Referência centralizado/sem critérios de exclusão/sem termo de compromisso do tutor

5

18,52

Falta de tutores em algumas regiões e muitas desistências

13

48,15

Inconsistência nos dados dos profissionais fornecidos pelos gestores

15

55,56

Dificuldades iniciais no uso do workflow/sistema de cadastramento rígido/registro de turmas

13

48,15

Alteração das turmas

6

22,22

Gestor não colaborou com liberação dos alunos

7

25,93

Impressão dos certificados em municípios distantes

4

14,81

A distância atrapalhando a comunicação e o processo de trabalhos entre as equipes

1

3,70

1

3,70

Material Pedagógico

25

92,59

Metodologia das oficinas

20

74,07

Equipe Matricial

12

44,44

Ações formativas e Educação Permanente em Saúde (EPS) realizadas pelas escolas/Coordenações Estaduais

8

29,63

Formações de tutores e orientadores centralizadas, com pouca ou sem participação das Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (ETSUS)

14

51,85

Fragilidade na formação Educação a Distância (EAD) para tutores e orientadores

8

29,63

Dificuldade em selecionar tutores com perfil adequado e em número suficiente para atender a todos os territórios

13

48,15

CATEGORIAS

Foram referidos como temas de discussão com os diferentes atores

Considerações sobre a atuação das Coordenações Macrorregionais

Considerações sobre a atuação da Coordenação Acadêmica

Dificuldades relatadas em relação ao processo de trabalho acadêmico

INFORMAÇÕES REFERIDAS

Sugestões para o processo de Secretário acadêmico compondo a equipe estadual trabalho acadêmico Potencialidades relacionadas à dimensão pedagógica do projeto

Fragilidades relacionadas à dimensão pedagógica do projeto


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

20

74,07

Necessidade de melhor avaliação da atuação dos tutores, educadores, orientadores em sala de aula

3

11,11

Orientadores com pouca interação com tutores e equipe estadual

8

29,63

Comunidade de Práticas não era plataforma de fácil assimilação

2

7,41

Pouca clareza sobre obrigatoriedade, prazos de postagem de tarefas e dos critérios de avaliação no processo de EAD dos tutores

3

11,11

Pouca aproximação da equipe nacional pedagógica no trabalho nos estados

4

14,81

Pouco aprofundamento sobre o tema de Redução de Danos

2

7,41

Foram satisfatórias as ações de comunicação realizadas

21

77,78

Houve apoio por parte da equipe nacional nas ações locais

14

51,85

Não receberam apoio

3

11,11

Capacidade da equipe nacional em aprimorar os fluxos e processos

1

3,70

Processo de contratação da alimentação

3

11,11

Entrega dos materiais e kits nas ETSUS

5

18,52

Processo de pagamentos das ajudas de custo e bolsas

3

11,11

Workflow

7

25,93

Ação de maior demanda da equipe

0

0,00

Valor padrão da ajuda de custo não dava conta das complexidades do território/valor insuficiente

6

22,22

Atrasos nos pagamentos

21

77,78

Falhas de comunicação entre equipe Infra nacional, equipe estadual e tutores

5

18,52

Atraso na assinatura de contratos

4

14,81

Atrasos no pagamento das bolsas

20

74,07

Extravio de documentos de tutores

2

7,41

Dificuldade na entrega do material/Extravio do material

15

55,56

Material com defeitos (mochilas e cadernos)

3

11,11

Fornecimento de alimentação

20

74,07

Transformação/reposicionamento dos alunos frente à questão do uso de álcool, crack e outras drogas

25

92,59

A capilaridade do debate sobre o cuidado aos usuários de drogas

11

40,74

Reverberação da discussão sobre o tema para além do conjunto de Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos de enfermagem, envolvendo a gestão e as equipes de saúde. Mobilização dos alunos, trabalhadores e gestores locais para a discussão, organização e planejamento de ações de cuidado e atenção à saúde das pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas.

8

29,63

CATEGORIAS

INFORMAÇÕES REFERIDAS Comunidades de Práticas com grande potencial, porém, baixa utilização por parte dos tutores e orientadores

Fragilidades relacionadas à dimensão pedagógica do projeto (cont.)

Considerações sobre os processos de comunicação do projeto Potencialidade relacionadas aos processos de Infraestrutura e Logística

Fragilidades relacionadas aos processos de Infraestrutura e Logística

Aprendizagens e resultados qualitativos a partir da execução do projeto

171


172

CATEGORIAS

Aprendizagens e resultados qualitativos a partir da execução do projeto (cont.)

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

O curso promoveu debates, conversas e trocas de experiência entre os participantes, favorecendo a identificação de ações de Saúde Mental já realizadas no território e dialogando com questões do dia a dia do trabalho

11

40,74

Aprendizagem da equipe estadual e da Escola Técnica do Sistema Único de Saúde (ETSUS) no desenvolvimento de um projeto de grande magnitude, com metas ousadas

13

48,15

Qualificação do trabalho dos ACSs e Atenfs, ampliação da caixa de ferramentas dos alunos para o cuidado em Saúde Mental

17

62,96

Ampliação da aproximação/integração com os municípios

2

7,41

Identificou-se uma transformação/qualificação nos processos de trabalho das equipes

14

51,85

Reflexão sobre uma possível incorporação de uma nova lógica de cuidado, contribuindo para melhorar a atenção ao usuário e seus familiares

15

55,56

Sensibilização e aprendizagem sobre a temática, com a apropriação dos alunos sobre o processo de Reforma Psiquiátrica, a Política de Saúde Mental, a Redução de Danos, integralidade do cuidado, a integração social e a cidadania das pessoas usuárias de álcool e outras drogas

7

25,93

Reconhecimento de que o cuidado em Saúde Mental não é uma atividade exclusiva dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS)

13

48,15

A Redução de Danos possibilitou um começo de discussão e revisão de conceitos no sentido de uma prática não excludente e diferente dos referenciais de doença, crime e pecado tão disseminadas na sociedade em relação ao uso de drogas

10

37,04

Reflexão sobre a organização dos serviços

1

3,70

Reflexão dos alunos enquanto cidadãos responsáveis por mudanças sociais

2

7,41

Sentimento de valorização dos trabalhadores envolvidos na formações

6

22,22

Criação de cursos/formação para profissionais de nível superior da Educação Permanente em Saúde (EPS)

2

7,41

Criação de Comissão de EP – sustentabilidade do projeto

1

3,70

Incorporação do curso à proposta de Editoria de Pesquisa para os profissionais que não participaram do curso

2

7,41

Incorporação do material em outros cursos ofertados na ETSUS

6

22,22

Incorporação da Metodologia Ativa em outros cursos ofertados na ETSUS

4

14,81

Aproximação/Fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS)

7

25,93

Aproximação das áreas técnicas da Atenção Básica e Saúde Mental

6

22,22

INFORMAÇÕES REFERIDAS


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

CATEGORIAS

Sugestões para o aprimoramento do projeto

INFORMAÇÕES REFERIDAS

TOTAL DE ESTADOS QUE REFERIRAM A INFORMAÇÃO

%

Formação de toda a equipe da Estratégia Saúde da Família (ESF)

11

40,74

Formação de profissionais de outros serviços da RAPS

3

11,11

Maior envolvimento e participação das ETSUS nas diferentes etapas do projeto, possibilitando sua contribuição, inclusive a partir de uma gestão descentralizada

9

33,33

Garantir a continuidade do projeto nos estados

6

22,22

Integrar o conteúdo do curso na formação regular dos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e auxiliares e técnicos de Enfermagem

3

11,11

Ampliar o diálogo entre as diferentes instâncias/equipes do projeto (Pedagógico, Acadêmico, Orientadores e Coordenação Estadual)

5

18,52

Desenvolver proposta para envolver e ampliar a responsabilidade dos gestores com o processo, inclusive no que diz respeito às contrapartidas

2

7,41

Elaborar método de acompanhamento e avaliação do trabalho dos orientadores e tutores, inclusive presencial

6

22,22

Maior aprofundamento do tema Redução de Danos

1

3,70

Ampliação da carga horária dedicada ao uso da ferramenta de Educação a Distância (EAD), possibilitando um melhor desenvolvimento das habilidades de tutores e orientadores

5

18,52

Evitar atrasos no pagamento de bolsas e ajuda de custo

3

11,11

Envolvimento do Consultório na Rua, Política de Humanização, Educação Permanente em Saúde (EPS)

1

3,70

Agenda periódica de encontros presenciais entre tutores/ orientadores e equipe estadual

2

7,41

Agenda periódica entre Coordenação Estadual, Deges e Coordenação Nacional, para alinhamento e delineamento de ações

2

7,41

Ter definidos claramente os papéis e responsabilidades de todos os atores

1

3,70

Atualização do sistema de gestão acadêmica para não haver erros

2

7,41

Articulação com os gestores após o curso no sentido da sustentabilidade do projeto

2

7,41

Ter desde o início clareza nos prazos e obrigatoriedade das tarefas (tutores), bem como com os critérios de aprovação, além de estratégia de mobilização desses atores/termo de compromisso

1

3,70

Repensar o processo de contratação de almoços e lanches

5

18,52

173


174

LINHA DO TEMPO OUTUBRO

MARÇO

2012

2013

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde,

Desenho do projeto com plano de trabalho e cronograma de execução

CONVIDA o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (ICICT/Fiocruz)

A meta é oferecer formação para os agentes comunitários de saúde do país e um auxiliar/técnico de enfermagem por equipe de saúde da família, totalizando

a Escola do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC)

10

EDUCADORES

PARA EXECUTAR A

Equipe pedagógica

Formação de agentes comunitários de saúde, e auxiliares/ técnicos de enfermagem da Saúde da Família – Saúde Mental, ênfase em Crack, Álcool e Outras Drogas, que consta entre as prioridades da Presidência da República no plano de enfrentamento ao crack.

Capacita

80

ORIENTADORES

1.200 1.875 TUTORES (META)

MOBILIZADOS

290.197 ALUNOS

META E TOTAL DE VAGAS OFERTADAS (ACUMULADO) 300.000 280.000 260.000 240.000 220.000 200.000 180.000 160.000 140.000 120.000 100.000 80.000 60.000 40.000 20.000 0

Outubro 2013

Meta mensal Vagas ofertadas

Janeiro 2014

Abril

Julho

Outubro


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

ABRIL

JUNHO

2013

2013

Apresentação do Plano de Comunicação (Produção, Circulação e Apropriação)

Oficina de validação do material didático pela equipe de consultores do Projeto, com a preocupação de ser uma tecnologia de educação permanente para as equipes de saúde

PRODUÇÃO Criação da identidade visual das peças institucionais e didáticas (cartilha, caderno, mochila, pasta, bloco, vídeos, manual tutorial) e eventos públicos, como aula inaugural, formação de orientadores e tutores, formatura de alunos.

CIRCULAÇÃO Criação de estratégias para fazer circular as informações do Caminhos do Cuidado para a comunidade interna e externa por meio da intranet www.caminhosdocuidado.com, do site www.caminhosdocuidado.org, e-mail marketing e da mídia espontânea.

APROPRIAÇÃO Apropriação da mensagem pelos alunos e tutores, com a organização de mostras regionais, produção de vídeos formativos e informativos, publicação da fala dos alunos e depoimentos das equipes regionais no território no site.

EDUCADORES

CONSULTORES

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO

ESBOÇO DO PLANO DE CURSO, COM MATRIZ CURRICULAR E QUESTÕES DE APRENDIZAGEM A construção da matriz curricular está comprometida com a atenção gerida na perspectiva da Linha de Cuidado em Saúde Mental. Para tanto, tem como base os princípios do SUS, a Política Nacional de Saúde Mental, a Política de Atenção Básica e a Política de Atenção Integral aos usuários de álcool e outras drogas. MATRIZ CURRICULAR

Eixo temático 1

Conhecendo o território, as redes de atenção, os conceitos, as políticas e as práticas de cuidado em saúde mental

Eixo temático 2

A caixa de ferramentas dos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e auxiliares/ técnicos de enfermagem na Atenção Básica

CARGA HORÁRIA

24 12

horas presencial

horas de dispersão

horas presencial

horas de dispersão

16 8

Eixo transversal

Reforma Psiquiátrica, Redução de Danos e Integralidade do Cuidado como diretrizes para intervenção em saúde mental e no uso de álcool, crack e outras drogas

Total Fonte: Elaboração própria

40 20

horas presencial

horas de dispersão

ELABORARAM E VALIDARAM O MATERIAL DIDÁTICO OFERECIDO NO CURSO como no acompanhamento das oficinas de aprendizado para orientadores e tutores. Eles trocam experiências e esclarecem dúvidas dos alunos, e também propõem e compartilham estratégias educativas junto aos profissionais da equipe de apoio pedagógico.

175


176

JULHO

AGOSTO

2013

2013

Estrutura organizacional da equipe nacional

Cronograma e infraestrutura necessária à execução do projeto

Meta de lançamento das primeiras turmas de alunos: outubro

2013

Regionalização

Construção do mapa das atribuições dentro da estrutura organizacional

Oficina de planejamento para organização do trabalho

SETEMBRO/OUTUBRO

A execução deste projeto pressupõe a articulação entre as instituições do SUS que protagonizaram a formação no território

Planejamento do Lançamento Nacional em 23 de outubro nos seis estados pilotos e, até o fim do ano, em todos os estados do país Pernambuco

Escolas de Saúde Pública e Escolas Técnicas do SUS

Conselho de Secretários Municipais de Saúde

Saúde Mental Atenção Básica dos três entes federativos

As bases do projeto: engajar as equipes que compõem a rede de cuidado; fazer a descentralização autárquica e os pactos entre os entes federados; construir a integralidade e criar um sistema regionalizado

Acre

Paraná

Distrito Federal

Rio Grande do Sul

São Paulo

O Caminhos do Cuidado é oficialmente lançado em seis estados

Oficina de validação do caderno do aluno por agentes comunitários de saúde (ACS) e auxiliares/técnicos de enfermagem de cada região do país. O processo de avaliação do caderno envolveu linguagem, dinâmica, técnica, relação entre teoria e prática, compreensão dos textos, vídeos e formatação. Ao fim, foram elaboradas propostas para qualificação do material didático.

PERNAMBUCO

ACRE

Em agosto aconteceu o primeiro encontro com Escolas Técnicas do SUS (ETSUS) dos estados definidos como pilotos para o lançamento das primeiras turmas: Pernambuco, Acre, São Paulo, Paraná, Distrito Federal e Rio Grande do Sul.

DISTRITO FEDERAL

SÃO PAULO

PARANÁ

RIO GRANDE DO SUL


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

NOVEMBRO-SETEMBRO 2013

DEZEMBRO

2014

2014

Oficinas de Orientadores de Aprendizagem do projeto Caminhos do Cuidado

Formação dos Alunos Curso de 40 horas presenciais e 20 horas de dispersões, com turmas de 40 alunos. São cinco encontros presenciais para a formação em Saúde Mental, com ênfase em Crack, Álcool e Outras Drogas do projeto Caminhos do Cuidado.

Durante três dias, os futuros orientadores participaram de aulas, dinâmicas e receberam conhecimentos de Educação a Distância (EAD) para atuar junto aos tutores, que serão responsáveis pela formação dos agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos de enfermagem. OFICINAS DE FORMAÇÃO DE TUTORES Os tutores vão formar

Certificação e Mostras Agentes comunitários de saúde (ACSs)

O projeto Caminhos do Cuidado disponibiliza em seu site os certificados para os agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares/técnicos em enfermagem que concluíram a formação em Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas do projeto Caminhos do Cuidado. Os estados promoveram solenidade de formatura para entrega de certificados.

Auxiliares/técnicos em enfermagem

Para atender as pessoas com uso problemático de crack, álcool e outras drogas, transmitindo os conceitos de redução de danos da área de Saúde Mental para Atenção Básica

METAS E VAGAS OFERTADAS (de out/2013 a dez/2014) TOTAL DO BRASIL

TUTORES FORMADOS POR ESTADO Acre Alagoas Amapá Amazonas Bahia Ceará Distrito Federal Espírito Santo Goiás Maranhão Mato Grosso Mato Grosso do Sul Minas Gerais Pará Paraíba Paraná Pernambuco Piauí Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Rondônia Roraima Santa Catarina São Paulo Sergipe Tocantins

26

Metas: 290.197 NORTE

47

10

Vagas ofertadas: 228.287

NORDESTE CENTRO-OESTE SUDESTE

SUL

44 157 108 10 51 56

32.440

114.532

20.657

86.998

35.570

21.647

95.314

23.827

54.446

33.053

94 33 55 222 72 82 88 85 68 82 52 69

TOTAL

1.875

24 20 76

179

34 31

“Nunca antes da história do país houve uma formação tão abrangente para a Atenção Básica com o tema da Saúde Mental.” Assim o diretor de Articulação e Coordenação de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça, Leon Garcia, definiu a oportunidade. Ele palestrou sobre Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas durante a Oficina de Formação de Orientadores, realizada em Brasília, no Distrito Federal.

Os estados promoveram mostras, reunindo a produção de uma série de trabalhos criativos dos alunos do projeto Caminhos do Cuidado, que remontam à temática da formação em Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas.

177


178

JANEIRO-MARÇO

JUNHO

2015

2015

Encontros e reuniões com foco no alcance de metas nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, com a participação dos coordenadores estaduais e de macrorregionais, da Coordenação Executiva e de representantes do Ministério da Saúde.

Até o final do mês de junho, foram encerradas as turmas em quatro estados. Os estados do Maranhão, Minas Gerais e Rio de Janeiro alcançaram a meta em 100%. São Paulo atingiu menos de 100% da meta ao final do processo de formação.

Encerramento das turmas em 11 estados. Meta de 100% ou mais atingida: Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Pará, Paraná, Piauí, Roraima e Santa Catarina. Menos de 100% atingida: Paraíba e Rondônia.

METAS Roraima Amazonas

Piauí

Pará Maranhão

Ceará

Paraíba

Rondônia Bahia

Mato Grosso

Minas Gerais Rio de Janeiro

Paraná

São Paulo Santa Catarina

Turmas encerradas de JANEIRO a MARÇO com 100% (ou mais) atingidas

Turmas encerradas em JUNHO com 100% ou mais atingidas

Turmas encerradas de JANEIRO a MARÇO com menos de 100% atingidas

Turmas encerradas em JUNHO com menos de 100% atingidas


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

AGOSTO

SETEMBRO

NOVEMBRO

2015

2015

2015

A solenidade de encerramento do projeto foi realizada em 7 de agosto no estado de São Paulo. O município de Narandiba foi escolhido por formar, na região, a última turma do Caminhos do Cuidado. Até 07/08/2015, foram formados 2.198 tutores, dos quais 1.966 ministraram aulas em um ou mais estados brasileiros, 130 orientadores de aprendizagem e 14 educadores.

Oficina "Caminhos do Cuidado: trajetórias", realizada de 15 a 18 de setembro, em Brasília. O encontro reuniu atores relevantes para a fase de formação, que tiveram a oportunidade de produzir uma inflexão e expor suas impressões sobre os rumos do processo avaliativo.

Oficina para o Processo de Avaliação, em 5 de novembro, em Porto Alegre, reunindo membros da Coordenação Geral do projeto, do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) e do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

179


180

SETEMBRO 2016 Abertura do Curso de Especialização em Acompanhamento, Monitoramento e Avaliação na Educação em Saúde Coletiva O evento aconteceu no dia 13 de setembro, em Brasília, reunindo 123 alunos selecionados (representantes de todas as ETSUS), 9 tutores e 5 orientadores de aprendizagem do Curso de Especialização em Acompanhamento, Monitoramento e Avaliação na Educação em Saúde Coletiva, bem como representantes do Caminhos do Cuidado, da Fiocruz e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A especialização deve ser concluída em agosto de 2017.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

NÚMEROS DO PROJETO NÚMERO DE TURMAS REALIZADAS E VAGAS OFERECIDAS

NÚMERO DE PESSOAS ENVOLVIDAS NO PROJETO

NÚMERO DE REFEIÇÕES CONTRATADAS

Até 07/08/2015, foram formadas um total de 8.017 turmas, em 3.375 cidades diferentes do Brasil, sendo 292.899 vagas ofertadas.

Mobilizou uma equipe de

1.530.835

2.494 profissionais 284.868 alunos 4.050 fornecedores

100,93%

RR 16.600

95

AC 44.100

RO 90.500

(kits compostos de caderno do aluno, guia, mochila, camiseta e caneta). Até 07/08/2015 foram distribuídos

299.500 kits

de material para os alunos no Brasil todo, fazendo com que fossem percorridos 11.639.166km para que todo este material chegasse ao seu destino, o equivalente a 290 voltas na Terra.

MS 90.800

TOTAL

6.123.700 km

PR 278.100

PB 163.600 PB

AL 224.900

BA 694.800

DF 20.600 GO 248.300

RN 124.800

CE 541.700

PI 176.000

TO 90.000 MT 145.300

27

NÚMERO DE KITS DO ALUNO DISTRIBUÍDOS

MA 412.400

PA 414.100

QUANTIDADE LOCAIS Estados do Acre e Amazonas

QUANTIDADE A grande maioria dos deslocamentos dos tutores se deu via transporte coletivo, além de táxi e condução própria. LOCAIS Todos os estados brasileiros.

AP 25.700

AM 102.400

TÁXI AÉREO

OUTROS

pessoas entre alunos e tutores

DESLOCAMENTO DOS TUTORES POR ESTADO (km)

TRANSPORTE FLUVIAL QUANTIDADE LOCAIS Estado do Pará OBSERVAÇÃO Mais situações como estas ocorreram, entretanto, a contratação foi feita diretamente pelo usuário do transporte, e este foi reembolsado por ajuda de custo.

306.167

de serviços (indiretos)

do total da meta

EXEMPLOS DE TIPOS DE TRANSPORTES

refeições até 07/08/2015 para atender

MG 676.000

SP 275.600

PE 332.200 PE 278.000 SE 99.100

ES 117.100

RJ 262.100

SC 204.200

A distância média percorrida pelo tutor no deslocamento de sua residência ao local das aulas foi de

RS 252.700

46km NÚMERO DE FORNECEDORES PARCEIROS ENVOLVIDOS NO PROJETO Até 07/08/2015 tivemos

54 parceiros

estratégicos, fornecendo os materiais e serviços necessários para a realização do projeto. Tivemos ainda

3.600 fornecedores

locais, provendo, cada um em sua cidade ou região, alimentação, sitemas de multimídia, local para a realização das aulas e outros serviços.

NÚMEROS DE BOLSISTAS

OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Tivemos um total de

Foram realizadas até 30/11/2015 mais de

487

bolsistas que passaram pelo projeto compondo a equipe até 30/11/2015. Tivemos um total de

2.007

tutores contratados como bolsistas, que estiveram envolvidos com o projeto até 30/11/2015.

40.823 operações financeiras no projeto.

21.448 3.970 pagamentos pagamentos de diárias. de bolsas às equipes e tutores participantes.

181


182

AGRADECIMENTOS Alexandre Medeiros Alexandre Trino Aline Borges Aline Cescon Aluísio Bispo Angélica Bomm Angelita Mendes Anna Letícia Ventre Antonio Lancetti (in memoriam) Beatriz dos Santos Bethânia Ramos Meireles Bruna Belinato Camila Cruz Clara de Almeida Almado Cláudio Barreiros Daniele Borges Débora Garcez Leal Deborah Batista Freire Denis Petuco Eide Barbosa Emilene Donato Fabiana Marques de Souza Fabrício Ângelo Felipe Farias da Silva Fernanda Reis Flávia Cotilha de Andrade Soares Flavio Peixoto Franciele Santos Gisele da Costa Escobar Piccoli Giulia Caruline Lima Costa Igor Cruz Israel Dias de Castro Jaqueline Dias Jean Smarrito Jorge Phelipe Lira de Abreu Juliana de Bittencourt Escobar Jullia Mendonça Karina Sirangelo Laís Pinto Leandro Borges Leon Garcia Lia Matté Liciane Silva Lisiane Boer Possa Lorene Carvalho Cardoso Lucas Wilig Quadros Marielly de Moraes Manuela Pekelman Venturini Marcelo Pedra Marco Aurélio de Rezende Marco Aurélio Jorge Maria Beatriz de Miranda Matias Maria Helena Hallais Silva Marise Ramoa Marta Barreto

Mônica Diniz Durães Natale Oliveira de Souza Nazaré Figueiredo Nelma Pinto Cezário Nina Ruas Odete Messa Torres Pauliran Freitas Paulo Monteiro Pedro Gorender Pedro Papini Pilar Belmonte Quelen Tanize Alves da Silva Rachel Carvalho Rafael Cavadas Raquel Martinho Ciancio Renata Gusmão Renata Pekelman Renata Veloso Vasconcelos de Andrade Roberta Raupp Roberto Tykanori Roger Rosa Ribeiro Rosana Fraga de Carvalho Rosana Melo Rosângela Silveira Ruy Casale Sandra Araujo Sandra Regina Soares Arôca Sergio Alarcon Sthéphanie Saramago Teodoro Schmidt Jacino Tereza Leite Vanessa Debossan Vanessa Mendes

REPRESENTANDO A FIOTEC Adilson Gomes dos Santos Alexandre Marcos Antônio Valinoti Carlos Alberto Fernandes Abreu Maria Aparecida Silva Ferreira Rafael Gomes de Araujo Thiago David Bomfim Lopes da Silva

ORIENTADORES Adriano Brischiliari Adriano Luiz da Costa Farissano Adryana Estacio Trummer Alessandra Braga Heil Galvão de Medeiros Alexandra Iglesias Alexandre Semeraro de Alcantara Nogueira Ana Carla Souza Silveira da Silva Andrea Campos Romanholi Andrea Costa Dias Angela Cristina Rocha Gimenes


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Aracely Schettine Paiva Bruno Pereira da Silva Carolina Aires de Castro Caroline Santos Teixeira Cassia Barbosa Reis Cecilia Cristina Togashi Roselli Claudia Roberta dos Santos Cleucio Heleno Souza Moreira Conceição de Maria Rodrigues Santos Daiana Ferreira Sobrinho Daniel Marcio Pinheiro de Lima Daniele Oliveira Cardoso Lima Débora Cristina Modesto Barbosa Deivson Wendell da Costa Lima Denise Maria Loureiro Contente Dinalva Martins Irias Edite Lago da Silva Sena Edneia Rodrigues do Nascimento Elaine Bordini Villar Elem Guimarães dos Santos Erika Kaneta Ferri Ester Aida Gelman Ester Maria Cabral Eveline Andries de Castro Fabiana Pimenta de Almeida Fabiola Afonso Fagundes Pereira Flavia Priscila Souza Tenorio Franciani Vinhote Aguiar Francisco Queiroz Menezes Galba Taciana Sarmento Vieira Gisele de Cassia Galvão Ruaro Glaucia Maria Senhorinho Ventura Esteves Gleydson Ferreira de Melo Heloisa Helena Venturi Luz Henrique Gheno Zilli Izabel Santos da Silva Jander Vinicius Vieira Janete Valois Ferreira Serra Jania Lurdes Pires Samudio Joelma Pinheiro Meira Barbosa Jose Adailton Roland Diniz Juliana Macedo Magalhães Juliana Marcela Flausino Juliana Naomi Hayashida Cardoso Julio Cesar de Oliveira Nicodermo Jurandir Araujo Frazão Filho Katia Cristina Felippe Khatyusca Raquel Alves Carvalho Lannuzya Verissimo de Oliveira Leandro Roque da Silva Lia Cardoso de Aguiar Liege Uchoa Azevedo de Araujo Livia Maria Teles Matos Barbosa Lorena Albuquerque de Mélo Luana Ribeiro Borges Luciana Albuquerque de Oliveira Luciane Leite Grossklags Luiza de Marilac Vale Portella Luzimeire dos Santos Teixeira Mabel Melo Sousa

Marcela Rodrigues da Costa Marcelo Agra Souto Marcia Avelar Márcia Chaves Moreira Maria Alice Bastos Silva Maria Aparecida das Graças Correa Mihomem Maria de Fatima Lires de Paiva Maria de Lourdes Ribeiro Siqueira Maria dos Remédios da Silva Lira Maria Luiza Morais Regis Bezerra Ary Maria Milaneide de Souza Maria Salette Batista Paulino Marina Silva de Lucca Maura Vanessa Silva Sobreira Mayave Vieira de Souza Milena de Araujo Bastos Silva Millene Oliveira Leite Miriam Carmem Rivalta Barreto Neusa Goya Neydemar Cabral de Lima Ferreira Niceia Maria Malheiros Castelo Branco Patricia Anjos Lima de Carvalho Patricia Ludmila Barbosa de Melo Patricia Pereira da Silva Paula Amorim Ramos Paula Covas Borges Calipo Priscila Coimbra Rocha Raquel Martins Pinheiro Raylene Maria Fonseca da Silva Regina Bichaff Regina Claudia Barroso Cavalcante Rejane Cristina Teixeira Tabuti Renata Barreto Fernandes de Almeida Renata Castro da Cunha Ricardo Leão Silva Rinaldo Conde Bueno Roberto Cezar Maia de Souza Rosiane Azevedo da Silva Cerqueira Rosiene Rosa Pires Rossana Flavia Rodrigues Silverio dos Santos Rossana Michelli Ferreira de Pontes Sammia Fawsia de Deus Barros Shana Vieira Telo Sheila de Oliveira Gonçalves Shenia Maria Felicio Felix Silvana Aparecida Valentim Simaria de Jesus Soares Sonia Maria da Conceição Marcal Sonia Maria Olhas Gouvea Tereza Cristina Vidal de Negreiros Moura Tenorio Valeria Beghelli Ferreira Valeria Mastrange Pugin Vania Roseli Correa de Mello Veronica Isabel Veloso Fonseca Antunes Victor Brandão Ribeiro Viviane de Souza Maciel de Almeida Waleska Rodrigues Silva Wanier Aparecida Ribeiro Wilka Carla Martins da Silva Yanne Teles

183


184

NÚCLEO ESTADUAL / COORDENAÇÃO ESTADUAL Amélia Cristina Santos Alconforado (RO) Anna Lucia Leandro de Abreu (AC) Aparecida Rosângela Silveira (MG) Beatriz Cristina Gomes dos Santos (SE) Carlos Adriano de Oliveira Almeida (SE) Carolina Bocchi Maia (PR) Carolina Feitosa (SP) Cecilia Alonso Correa Fortes (MT) Célia Feitosa (PE) Claudia Cristiane Moura da Silva (BA) Elzimar Evangelista Peixoto Pinto (ES) Emilene Andrada Donato (AL) Ena Galvão (DF) Ewangela Aparecida Pereira da Cunha (MS) Izabel Cristina Borges Correa Oliveira (PA) Jose Carlos Lima de Campos (RJ) Juliana Rodrigues da Costa (AM) Lila Barbosa Costa (MA) Livia Milena Barboza de Deus e Méllo (PE) Lorilei Stefanello Seccon (AP) Luciana Freitas dos Santos (RR) Maria Auri Gonçalves Sousa (TO) Maria de Nazaré Bezerra Figueiredo (AC) Maria Helena dos Santos (PR) Maria Jussara Sodre Costa (AM) Mavie Eloy Kruschewsky (BA) Miriã Alves Coutinho (GO) Naia Cloe Aenlhe Correa (RS) Nelia Beatriz Caiafa Ribeiro (RJ) Patricia Samara Portela Oliveira (PI) Paulo Ricardo Rodrigues da Silva (PB) Rafaela de Nazaré Chiappetta (PA) Raimunda Felix de Oliveira (CE) Rosana Líbano Alves Santos Ruzene (SC) Sara Fiterman Lima (MA) Simone Alves de Almeida (RS) Tereza Cristina dos Reis Lyra Martins Leite (DF) Valéria de Queiroz Diogenes Negreiros (RN) Walesca Pereira (RS)

NÚCLEO ESTADUAL / APOIO ESTADUAL Adriana de Oliveira (RS) Adriana Lima dos Santos (AM) Alana Wladia Monteiro Machado (CE) Alessandra Dias da Silva (SC) Alessandra Lopes Franca (MA) Aline dos Santos Dinelli (AM) Aline Ribeiro Salgado (RJ) Amanda Namibia Pereira Pasklan (MA) Ana Carla Macedo do Nascimento (RN) Ana Carolina de Moraes Teixeira Vilela Dantas (PE) Ana Paula Almeida Forte (MA) Ana Rafisa Lisboa Alvarenga (RR) Andre Amilcar Fonseca Pereira Junior (PE) Andre Felipe Sousa Santos (RO) Andrierio Lopes Pereira Sobrinho (RN)

Angelica Pereira do Rio (SP) Antonio Claudio da Silva (CE) Auxiliadora Andrade de Freitas (SE) Carlos Eduardo Nunes Bacelar (MA) Ceanny Cristina Pinho Costa (MA) Cirilucia Bezerra Cirqueira Vieira (TO) Claudete do Vale Sousa (RO) Claudio Likiya Higashi (SP) Cleide Alves de Farias Assis (TO) Cleoneide Vieira Felix (CE) Cristiane Maria Rotava (PR) Cristiane Simoes de Almeida Franca (RJ) Cristiano Cordeiro de Lima (PE) Cynthia Consuelo da Silva (MG) Daniel Lima Araujo (BA) Daniela da Cunha Lima (AC) Denilson Fortes Alcantara (PI) Douglas Jose Angel (AC) Ediane Chucre Macedo (PA) Eduardo Gonçalves (MG) Eduardo Rumiato Aguilar (PR) Elaine Cristina Rodrigues Barbosa (MT) Eliana Maura Teixeira Cardoso (AP) Elisa Barreto dos Santos Daroz (ES) Elisangela da Cunha Martins (SC) Eneida de Almeida Froes Silveira (MG) Erianne Gomes dos Santos (AL) Fernanda Casilli de Andrade (PR) Fernando Cesar Santos Vieira (MA) Flavio Borges Monteiro da Silva (MT) Francisca Josellia Moreira da Silva (PI) Francisco Jones Souza Paiva (SP) Geraldo Fonseca dos Santos (BA) Gessica Alanne Claudino Valentim (PB) Gessineide Sales de Oliveira (CE) Grace Gonçalves Guimarães Donald (SE) Gracinete Rodrigues de Castro (RJ) Hugo Teixeira Santos (PA) Isabel Cristina de Souza Cunha (SC) Ivan Utsch Seba (MT) Jaciara de Lima Romualdo (ES) Jacqueline de Souza Lara (MG) Jacyane Ramos de Sousa (MA) Jailton Bezerra Lima Filho (PA) Jane Cristina Furtado Lustosa (PA) Jaqueline Barbosa Moreira (RO) Jessica Silva Oliveira da Silva (RS) Joane Klivia Brito Silva (PB) Jonathan Elias Teixeira Lucena (PB) Jose Aluisio de Souza Junior (CE) Jose Marcelo da Silva Leal Junior (PA) Juliana Andrade Torneto Coutinho (BA) Juliana de Almeida Fortunato (MG) Juliana Souto Maior Machado Guimarães (PE) Julio Cesar Simoes de Barros (PE) Kaio Henrique Ferreira Nogueira (MA) Katia Pereira de Figueiredo Pinto (MG) Katiana Santana Gomes (MA) Kelen Candida Braga (MG)


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Kelia Rosa da Silva Assunção (GO) Kelliane Mendes Cunha (MA) Kizza da Rocha Oliveira (SE) Laila Talita da Conceição Costa (PE) Lais da Costa Teixeira (CE) Landisneide Luiza da Silva (MS) Larissa Cristiane da Silva (SP) Layanne Renata de Morais Soares (PI) Leila Maria Rocha Silva (MA) Leonardo Felix de Oliveira (MG) Liana Mayra Melo de Andrade Lopes (PI) Lilia Bispo dos Santos (RJ) Lorena Silva Vasconcelos (PA) Lorrania Maria Sousa Bezerra (CE) Luana Karonine Cordeiro Castro Tavares (MA) Luana Maria Rotolo (PE) Luana Padilha da Rocha (PE) Luciana dos Santos (MG) Luciana Maria de Moraes (MG) Luciana Ribaski (PR) Luciana Rodrigues da Costa (AM) Luciana Tereza Dias Ribeiro Gonçalves (MA) Lucianna do Nascimento Pinto (PA) Lucilene dos Santos Rodrigues Vitor (RJ) Luiz Diego Kihs Brum (RS) Marcela Bocchi Maia Coraiola (PR) Marcela Eliane de Campos Guedes (MG) Maria Carolina Silva Vieira (SP) Maria Catarina Nunes Xavier de Souza (SP) Maria da Conceição Acacio Meireles (RO) Maria da Gloria Pena Silveira (MG) Maria da Graça Lopes Cesar (SP) Maria da Penha Montovanelli (ES) Maria do Carmo Ribas dos Santos (SP) Maria Emilia Rodrigues de Morais (GO) Maria Telma Guimarães Maia (MG) Mariana Tiago Santiago (MG) Mariana Yezzi Araujo (AL) Mariene da Costa Freitas Ribeiro (PA) Mateus Fernando de Oliveira Guimarães (BA) Mauricio Machado Moraes (RS) Mayana Rafaela Fortes Braga de Camargo (MA) Michele Aline de Azevedo (RS) Michele Wendy Guimarães da Silva (RR) Michelle Cristina Fianco (PI) Michely Lima Vieira (AL) Mirian Muniz Pereira (RJ) Mirna Thais Fernandes Oliveira (MG) Náiade Melo Costa (PE) Natalia Bastos Destro (MG) Nathalia Hanany Silva de Oliveira (RN) Nayana Santos Area Soares (PI) Nina Valeriano Fonseca (DF) Nubia Dias Gomes (TO) Otavio Augusto Silva de Almeida (MA) Ozana Pinto de Arruda (MT) Patricia Brito Monteiro (DF) Patricia Cristiane de Gouvea (MG) Patricia Freitas Hayashi (PA)

Patricia Souza Vasconcelos (PA) Paula Cunha Fernandes (ES) Paulina Vilar Carvalho (SE) Priscila Rondas Ramos Cordeiro Torres Fontes (MG) Queila Santa Isabel dos Santos (BA) Rafael Rodolfo Tomaz de Lima (RN) Raissa Milena Silva Florencio (BA) Raqueline Esteves Assunção (MG) Regina Bermudes Soares (ES) Reginaldo Costa Sakamoto (MG) Renata Bitar Ramos (SP) Renata Flavia Nobre Canela Dias (MG) Rita dos Reis e Souza (MG) Ronaldo do Nascimento Silva (CE) Samira Laura Metello Mansur Bumlai (MT) Sandra Lenyra Soares Jorge (RJ) Sheila Regina Moreira Ribeiro (BA) Sheilla da Silva Barroso (SE) Shirlene Queiroz de Lima (PB) Soraia Cassiano Rodrigues (CE) Sorel Herrera Celín (BA) Susan Sayná Monteiro Lopes (PA) Suzi da Silva e Silva (AM) Taciana Sivieri Marques Menezes (MS) Talita Lima dos Santos (SP) Talita Padilha Porto (SC) Tamara Silva Sousa (MA) Tania Valéria Lucas (GO) Tatiane Hermogenes Gonçalves Tenorio (AL) Thiago Cesar Pereira (SC) Thiago dos Santos Teixeira (BA) Thiago Rondas Ramos Cordeiro (MG) Vanderlucio Leoncio dos Santos (MG Vanessa Moreira de Almeida Homem (MG) Vania Carla Ferreira de Andrade (PI) Vania Maria da Silva Felix (PB) Venina Taci Diniz (RN) Waldileya Caldas Rocha (AM) Zenon Soares de Araujo Junior (PI)

TUTORES INSCRITOS ACRE Aldineyde de Azevedo Barros Campos Amanda Caroline Maciel Amorim Ana Cristina Sales de Messias Angelilia Martins Rodrigues Antonia da Silva Brilhante Cleonite Tavares de Avila Clesida Mara Feitoza Saraiva Domisy de Araujo Vieira Anute Emelym daniela Souza Tonelly Erica Fabiola Araujo da Silva Faria Isabela Nogueira Pessoa Jose Salvio Ribeiro de Castro Junior Leda Maia Bezerra Luciana Maria Cypriano dos Santos Maiara Rubia Rocha da Silva Maria da Gloria Rodrigues dos Santos Maria Fernanda Alves dos Santos

185


186

Maria Jose Monteiro Maria Stella Ferreira Cordovil Casotti Marisanta Araujo Nogueira Mirlan Moura de Lima Monica Brito do Rego Leal Patricia Botelho Alves de Carvalho Roseli Patricia Solner Samia Vanessa Martins da Rocha Terezinha de Jesus Bacelar Sarquis Valgerlangela Maria Sousa da Silva Vania Paula Ramos de Albuquerque

ALAGOAS Adriana Paes de Omena Castro Adriano Vilela Canuto Alan Freire Vilarindo Alessandra Barbosa Silva Ana Carolina A Mendes de Maya Gomes Ana Maria Rodrigues de Albuquerque Andreia Cristina Costa Silva Andrelina Alves Mangueira Avelino Maciel Alves de Aguiar Carleandro Barbosa dos Santos Christina Pereira Lacerda Cicera Pinheiro Soares da Silva Claudenir Leite da Silva Dilcy Morgana Barros Maciel Cabral Davino Eliziane Freitas de Oliveira Euce Maria de Andrade Lyra Ewerton Cardoso Matias Fabio Lins Barbosa da Mota Ivani de Holanda Torres Jackeline Lima da Silva Joelma Alves Rocha Jose Marcio Alves Rodrigues Juciane Almeida dos Santos Kalinne Sheila de Souza Oliveira Karini Vieira Menezes de Omena Karla Santos de Oliveira Krisna Regina de Amorim Rocha Luana Ramalho Jacob Luciana Renata da Silva Noberto Magda Maria Ferreira de Lucena Marcia Tatyana da Silva Maria da Gloria Freitas Silva Bezerra Maria do Carmo Vasconcelos da Silva Maria Estela Mendes da Silva Maria Goretti Barbosa de Sampaio Mariana Regueira Lucena Monique Carla da Silva Rafaela Tenorio Cavalcante Torres Renata Polyane Araujo Pessoa Rildo Bezerra Rose Mary Araujo Brandão de Omena Ruthe Wanessa de Barros Vanderlei Sostenes Ericson Vicente da Silva Tatiana Nogueira Moraes Teresa Cassandra de Albuquerque Amorim Thais Peixoto Fortes Cavalcanti

Ticiano Correia Bezerra Terencio Tyciane da Conceição Santos Valeria Juca Dantas Melo Vanessa Gomes de Oliveira Santana Wedja Maria dos Santos Gustavo Wedja Mello Cavalcantte Zozimeire Placido Caldas

AMAPÁ Adriana Cavalcanti de Barros Adriana Karla Carneiro de Figueiredo Alessandra Melo Palheta Andressa da Silva de Jesus Beatriz de Fatima Fantin Eliane Silva dos Santos Fernanda Fortaleza de Andrade Ione de Nazare de Oliveira Larissa Marques Vieira Nery Luciana Dias e Dias Nuana Rosario

AMAZONAS Ana Claudia Rodrigues da Silva Melo Anderson Thiago de Freitas Noronha Andrea Araujo Ribeiro Andrea Brelaz de Oliveira Andreza Silvia Pires Batista Andrezza Jonyce Silva Goes Arthur Silva de Souza Aurelia Luiza de Moraes Queiroz Carla Regina Lopes da Silva Carlos Henrique Brasil Moura Carmem Macedo dos Santos Caroline Vasconcelos Reis Cristiane Rocha Bento Darcilene Socorro Azevedo Oliveira Debson Paulo Silveira dos Santos Dilma Neres da Silva Elizete Souza de Azevedo Emerson de Souza Figueiredo Ercila de Almeida Ferreira Flensdeia Bezerra de Lima Francimir Cavalcante Francisca Valdenora Barros Santos Giselle Sousa da Silva Menezes Glaucia Leite de Sousa Graça Martins Helany do Nascimento Marques Helenita Gonçalves de Andrade Herminio de Souza Iane Kelly Vargas Ilka Alves Simão Ingrid de Senna Braga Iris Simas Ribeiro Ivonete Silva do Amaral Jailson da Silva Barbosa Jairanice Maciel Furtado Janete Morais de Melo Jannynie Kelly Hatta Schnnyder


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Jessica Muniz Costa Joelma Silva Costa Luz Jose Braga da Costa Jose Suwa de Oliveira Jose Yranir do Nascimento Keila Vanessa de Souza Lima Kezia Pereira da Rocha Laura Cristina Pacheco da Silva Lidiane Teles de Amorim Lilian Carla de Assis Medeiros Lindalva Cardoso da Silva Luana Karla Noronha Cantanhde Luciana Oliveira Lopes Luziane Apurcino da Silva Marcio Albuquerque de Oliveira Maria Auxiliadora Barreto Prestes Maria Lucilaide Uchiyama Conceição Maria Mardisa Mayra de Aparecido Pinto Campos Monica Costa Antunes Monize Furtado de Oliveira Noelia Araujo Medeiros da Silva Pabliane Rocha Bezerra Patricia Honorato Lobo Patricia Teixeira Dantas Raildes da Costa Palheta Regina Masaki Rivera Brandão da Silva Roberto Pessoa Nunes Robson Lopes Magalhães Rodolfo Maycon Santos de Freitas Rodrigo Fabio Balbi Saraiva Rosangela Maria Barbosa de Melo Rosiandra Valente Santana da Silva Samia Catique dos Santos Sanay Souza Pedrosa Vivian Christiane Ataide Moraes Walldileya Caldas Rocha Wellington Gomes Guimarães Zeivania Amud Benevides

BAHIA Adalci Oliveira da Silva D Ramos Adão Rodrigues Viana Alanda Ribeiro dos Santos Andrade Alcides Brandão da Silva Aldenice Santos Rodrigues Alessandra Gonçalves de Souza Mateus Alessandra Souza de Oliveira Aleta Guimarães Machado Lima Aline de Jesus Costa Dantas Amenaide Caetano Santos Ana Ires dos Santos Almeida Silva Ana Lecia dos Santos Costa Andreia Silva Rodrigues Anna Carolina Alves Machado Antonio Leão Carneiro Junior Ariane Di Lauro Oliveira Bianca Rodrigues Soares Cavalcante

Caio Cezar Oliveira Dourado Carla Lorena Pesqueira Macedo Carla Oliveira Celia Coimbra de Almeida Cinara Gomes Luz Almeida Cintia Nazarela Oliveira Costa Claudia Brito de Oliveira Lima Claudia Menezes da Costa Claudiana Correia de Jesus Candeias Claudinesia Rocha de Oliveira Cristiane Mota Andrade Cristiano Oliveira de Souza Dailma Ferreira Carneiro Daniela Patricia Evangelista dos Santos Danielle Pereira David Serra da Silva Deborah Andrade Moreira Denieire Santiago dos Santos Denise Rodrigues Diniz Djara Mahim Sacramento dos Santos Edilmar Pereira Vilela Dourado Elania Sirley de Oliveira Moraes Sant Ana Elciana Roque de Souza Elisa Pereira Soares Elke Barreto Ribeiro Santana Eloisa Bahia Santana Eluzinete Sales dos Santos Emerson Nery Sardinha Erica Cordeiro Lima Eulalia Aparecida Soares Fabiana Brandão Souza Fabisia Carlos de Abreu Geisa Bastos Melo Gilliene Farias de Lima Gleise Bela Azvedo Goya Pitagoras Freitas Santos Gustavo Emanuel Cerqueira Menezes Junior Hayane Souza de Oliveira Hederson Gabriel Santos de Jesus Hilda Aparecida Matoso Guimarães Ieda Monalisa da Silva Rios Irlis Azevedo Oliveira Sa Teles Italo Ricelly Braz Jaciara de Jesus Barbosa Jacqueline da Silva Ferreira Jamylly Silva de Oliveira Janeide Miranda Silva Jeison James Santos Silva Jenifen Miranda Vilas Boas Josecy de Oliveira Lima Junior Josicleia Oliveira de Souza Juliana Nascimento Saturnino Juquelva Mesquita Medeiros Jussiara Barros Oliveira Karenine de Oliveira Goes Silva Karine de Oliveira Cardoso Karla Giselle de Souza Freitas dos Prazeres Keliany de Sena Costa Kely Luziane Conceição Silva

187


188

Lais Sento Se Magalhães Pimentel Correia Larissa Pimentel Costa Menezes Silva Layla Kelly Conceição Silva Lazara Cardoso da Silva Leonardo Pereira Bastos Lilia Maria Cristina Lira de Sa Barreto Lindacy Mauricio da Silva Melo Livia de Araujo Reboucas Livia dos Santos Brito Livia Graziela Moreira Ribeiro Luciana de Andrade Nunes Luciana Santana Ribeiro Lucio Adriano Silveira Guimarães Luismar Dias da Silva Luiz Flavio Maia Lopes Luzia Marlene Viveiros Machado Magda Adriana Pinheiro da Silva Magnogleide Caires Oliveira Maiara Goes Lefundes de Oliveira Manuela de Assis Silva Carvalho Marcia Evangelista do Vale Margarida Amorim Lima Maria Beatriz dos Anjos Maria Betania Oliveira Gama Maria Christina Silveira Graça Maria Clea Miranda Bruno Maria da Conceição Julião Badaro Maria de Lourdes Lacerda Lemos Maria Elizia Coutrim Meira Maria Florencia Dias Bezerra Brasileiro Maria Ires Torres Souza Maria Karine Fernandes Santana Maria Vilma Teixeira de Carvalho Mariana Bittencourt Santos de Melo Marilia Ribeiro Cerqueira Marines Santos de Oliveira Marlucia Rocha Santos Mary Viviani Jacaranda Lima Carneiro Mayta Carvalho Trajano Leite Melquisedec Amorim Cortes de Oliveira Mercia Caroline Queiroz de Sa Michelle de Jesus Oliveira Milena de Andrade Bahiano Miryan Roberta do Carmo Santos de Lemos Moema Lopes Pita Lima Pereira Monica Ferreira Sampaio Venancio Monica Machado de Matos Nady dos Santos Lima Nelma Nunes Ramos Neuza Ana Fagundes Moreira Olivia Pereira da Silva Ozivalda de Oliveira Sodre Ribeiro Patricia Machado Santos Patricia Souza Cezar Menezes Poliana Lima da Costa Priscilla Araujo dos Santos Rafaela Pamponet de Souza Carvalho Railda da Conceição Santana Renata Damasio de Araujo

Renata Lucia e Silva e Oliveira Renata Rodrigues Amorim Renato Almeida Junior Renato Cesar Sousa Cardoso Rogeria Silva Lopes Rosana Guimarães Sousa Rosana Maria de Carvalho Santos Barreto Rosenildo Porto Andrade Rover Fawcett Leal Llerena Samara Jesus Santos Lima Sandra Almeida Schettini Sandra Cerqueira de Barros Ribeiro Simone Nascimento Freitas Soraia Oliveira Mota Barreto Stael Jesus Rocha Syara Sacramento Meira Taiana Silva Ramos Tatiane Gomes de Santana Telma Alves da Silva Thais Aparecida Peral Thaissia Gumiero Lopes Thayanna Rafaela Lins Tavares Ribeiro Thialy Reis da Silva Tuane Souza Melo Albernaz Valneide de Souza Cardoso Vandira Teixeira de Carvalho Vera Lucia da Silva Matos Vera Lucia dos Reis Santana Veronica Franca Madureira de Macedo Victor dos Reis Santiago Wanusa Christine Freire de Sa

CEARÁ Adriana Maria Bento Macedo Adricia Martins Costa Aldenora Gonçalves Pereira Alexandre Melo Diniz Aline Teles de Andrade Ana Gerusia Souza Ribeiro Gurgel Ana Marcia Borges Maia Ana Paula Nascimento de Santana Ana Silvia Martins Silva Andre de Lima Gomes Andrea Frota Sampaio Figueiredo Angelisa Araujo de Sousa Antonia Venancio da Silva Bezerra Antonio Fabio Coelho Paz Ariadne Gomes Patricio Sampaio Aurilene Oliveira de Moraes Braulio Costa Teixeira Bruno Cavalcante Frota Caio Garcia Correia Sa Cavalcanti Camila Alves Soares Camila Santos Barros Carlos Winston Guedes Bezerra Carmem Silvia Camilo Gonçalves Caruena Cavalcante Teixeira Christiano Paz Fiuza Lima Cicero Dennes Braga Firmino


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Cintia Nadhia Alencar Landim Claudiane Maria Granjeiro de Sa Barreto Clemilcia Maria Alves da Silva Ferreira Daniele Tavares Alves Danielle Reboucas Sa de Sousa Dayana Leite de Araujo Debora Maria Alencar Mendes Edilson Rodrigues de Lima Edilucia Santiago da Silva Edlane Martins de Andrade Eliany Nazare Oliveira Emmanoel Peixoto Saraiva Lima Emylio Cesar Santos da Silva Erika Vanessa Serejo Costa Esmaelite Moura Ferreira Fabia Soares da Silva Fabiana Mariano Costa Fabiola de Lima Gonçalves Francelina Gonçalves Bandeira Francisca Clarice Cordeiro de Matos Francisca Claudia Sousa da Silva Francisca Luciana Leite Francisca Maria Brandão Melo Francisco Antonio Willys Nobrega de Sousa Francisco Cleiton Gondim Francisco Idenio Pontes Correia Francisco Ivan Pereira Cassemiro Francisco Jander de Sousa Nogueira Francisco Regis Magno Ferreira Pinheiro Francisco Sidney Cavalcante de Sousa Geane de Sousa Borges Georgiane Morais de Amorim Helga Ribeiro de Albuquerque Helga Sales Meinerz Ramos Ivina Maria Siqueira Lima Jailma dos Santos Barbosa Jamila Almeida Gaspar Janaina Mota da Rocha Jaqueline Faustino da Costa Jayde Moraes Gonçalves de Moura João Henrique Vasconcelos Cavalcante João Uranio Nogueira Ferreira Joeferson Alves Pinheiro Jose Auricelio Bernardo Candido Juliana Capistrano Camara Juliana Pereira Nunes Karine Lima Verde Pessoa Karine Viana Matias Karla Milena Leandro Bezerra Katia Cilene Andrade Carvalho Katia Maria Lopes de Souza Kedimam Celis Barros Bastos Kelma Luzia Nunes Otaviano Larissa Maria Costa Torres Lacet Larisse Araujo de Sousa Laura Kelly Esmeraldo Mourão Leiliane de Queiroz Oliveira Leonardo Araujo Sampaio Liana Maria Cavalcanti da Costa

Lidianne Maria Gomes dos Santos Lilia Maria Silveira Lionardi Ferreira de Figueiredo Liwanna Yakima Amorim Pereira Lucia Maria Bertini Lucileuda Marcos Cavalcante Alecrim Lucinete do Nascimento Ziegler Luisa Augusta Pinheiro de Carvalho Magda Ferreira Mendes Marcia Valeska Alves de Souza Maria Angela Nogueira de Melo Maria Angelica Mendes Rocha Maria do Socorro Leonacio Maria dos Remedios Carvalho Maria Edilene Abreu Costa Maria Eniana Araujo Gomes Pacheco Maria Nelma Bessa Mayra Lobato Pequeno Mikael de Figueiredo Gonçalves Nara Albuquerque Goes Paula Jordania Paixão de Souza Paulo Ayslen Nascimento de Macedo Paulo Diniz Moreira Paulo Romão Ribeiro da Silva Petrucya Frazão Lira Pollyanna Gomes Rabelo Rafaela Bezerra Facanha Correia Raissiana Andrade Vidal Raquel Amorim Filgueira Rejane Amaral Correa Renata de Andrade Ribeiro Renata Leite de Sousa Rita de Cassia Reboucas Rodrigues Roberlandia Evangelista Lopes Roberta Kelly Mandu Rocha Rodrigues Rossana Aguiar de Vasconcelos Rute Alves de Oliveira Sad Lutfi de Lemos Moura Samantha de Almeida Nobrega Sarah Danielle Girão dos Santos Sergio Diogenes Leite da Costa Junior Silvana Maria Rufino Franco Silvia Patricia Teixeira Vieira Simone Pereira Silva Sylvia de Sousa e Silva Tiago Cavalcante de Figueiredo Ticiana Bezerra Castro Pontes Ticyane Neiva Saunders Vaneska de Lima Bitu Vanusia de Lima Monteiro Verbena Nunes Custodio de Araujo Veronica Maria Oliveira da Silva Veronica Maria Rozendo Tavares Heussner

DISTRITO FEDERAL Adriana Carvalho Mello Andrezza Gomes Correia Araujo Dayana Natalia Trifoni Hannya Eliana Herrera Cardona

189


190

Helena Fonseca Rodrigues Karla Queiroz Raggio de Castro Perola Melo Goulart Gomes Roger Rosa Ribeiro Samira Monteiro Silva

Rita de Cassia Santos Costa Santa Ana Roberta Zacche Iglesias Scheyla Fraga Ferreira Rauta Suelly Augusta Pinheiro Tatiana Franca Veronica Spani Amado Pedroza

ESPÍRITO SANTO Adriana Cremasco Anastacia Cristina de Almeida Andrea Roman Andressa Calazans Pazito Anisia Crevelin de Sousa Antonia Jeane Alves de Souza Arleide Pacheco Lyrio Aurecil Gonçalves Muruci Bruno Pinto Mareto Camila Mariani Silva Carla Neiva Aragão Carlos Eduardo Ferreira Carolina Fonseca Dadalto Catharina Grace Santos Claudia Regina do Val Claure Cristhian Kenny Firmino Lucio de Souza Cybele Mendonça Ribeiro Batista Dalton Demoner Figueiredo Daniela de Souza Casotti Daniele Dias Louzada Daniele Stange Calente Eliane Tozato Pereira Eliete Tereza Melotti da Rocha Elizabeth Borel da Silva Elizandra Gonçalves de Lima e Cirne Rodrigues Emilia Rodrigues de Andrade Eveli Danila Callente Sinhorelli Fabricio Torri Giles Grolla Alonso Gilza da Silva Giuseppe Dias Augusto Fernandes Glaucia Regina Hosken Ribeiro Grazielle Decothe Thompson Venancio Helaine Aparecida Bonatto de Moraes Jovelina Ferreira da Silva Aguiar Lenimar Marques de Souza Freitas Ligia Coppo de Crignis Luisa Jorge de Freitas Marcia Cristina Borges de Souza Maria Lucia Ventorim Maria Rozaria Dias Andreao Mariana Mafezoni Rossi Marisangela de Palma Silva Maristher Sarmento Braga Michelly Christie Gomes de Araujo Souza Mirelle Pereira Fontes Nathalia Gama Puppim Neila Cabral de Souza Cavalcante Pamella Dias Reis Madeira Priscilla Roriz Vieria Rebeca Cristiny Ferreira Gondim Ricardo da Silva

GOIÁS Alzeny Nogueira de Souza Ana Carolina Barbosa Cardoso Fernandes Ana Lucia Ribeiro de Paula Ana Paula da Silva Ana Rita Borges de Basto Cassia Valeria Carneiro Celia Cristina Moura Delfino Santos Certilandio Jose dos Santos Claudia Maria Gualberto da Silva Cristina Alves Costa Cristina Gomes Spindola Daniel Cesar Nunes Cardoso Daniela Zochi Boller de Souza Debora Tavares da Silva Veras Edivia Sabina Jurado Valencia Elenir Francisca Neves Eliandra Marqques Donato Emmanuela Coelho Peixoto Erika de Sene Moreira Fernanda Guilarducci Pereira Geslaine Pires Junqueira Ramos Hiumara Amancio da Luz Isaura Vieira da Cunha Jacqueline Manzano Castro Joana Pereira de Souza João Batista Moreira de Melo Joaquim Lino Suarte Neto Jovelino Pereira da Mota Junior Julyelle Cardoso Ferreira Lopes Keila Moreira Silva Kenia Gonçalves da Silva Leina Marta Paulette Lorena Joyce de Oliveira Rodrigues Mara Rubia Rodrigues Ribeiro Marcela Alvarenga de Moraes Marcelia Rodrigues Leite Caruso Marcia Cristina Fernandes da Silva Maria Luiza Garcia Oliveira Maria Osoria de Oliveira Silva Maria Sousa Lacerda Maria Suzanny Sabino Neres Fernandes Marilaque Barros da Silva Mario Silva de Araujo Filho Marta Carnauba de Paiva Meire Incarnacao Ribeiro Soares Mirian Aparecida Silva Souza Mirtes Mendes de Miranda Pimentel Nayara Azara Rodrigues Noemy Carla da Costa Manco Nubia Angelica de Jesus Leles Renata Machado Caldeira Lopes


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Ricardo de Oliveira Costa Ricardo Fonseca Rosana Alves Moreira Rosangela Regina Cabral Silva Silma Gomes da Silva Silvana Cruz Fuini Soraya Augusta Muller Najar Taina Rakan Alves Povoa Tamara Carneiro de Abreu Telma Brasil Zanatta Thalyta Samara Medeiros Souto Thania de Almeida Morais Valdivina Eustaquio da Silva Vasco Jose da Costa Mendes. Zildete Alves Feitosa Mendonça

MARANHÃO Aglis Alegria Batalha Alessandro Pontes Maia Alexandre Augusto Cerqueira Rodrigues Alexciana dos Santos Vieira Aline Kercia Dias Dominice Alvaro Sanataniel Pereira dos Santos Amanda Gracielle Vaz de Oliveira Cutrim Amandha Nubia Guimarães Sousa Silveira Ana Carolina Urucu Rego Fernandes Ana Flavia Moura Carvalho Ana Paula Brito de Assis Costa Angela Lima do Nascimento Angelica Celeste Costa Silva Angelica Maria Sousa dos Santos Antonio Reginaldo Baiano de Sousa Antonio Teles de Sa Sobrinho Aracy da Silva Santos Astenildo Pereira Penha Auriana Nunes do Nascimento Bruno Montel Martins Carla Dayana Figueiredo Cunha Carla Theresa da Cunha Barreto Cilma Maria Jovita Bezerra Cinthia de Cassia Melo Cavalcante Claudiana Miranda Cordeiro Cleidiane Maria dos Passos Silva Soares Cleitiane de Jesus Gomes Silva Cristina Rosangela Silva do Nascimento Cristine Welke de Lima Sudario Dacia Maria Almeida Mendes Danielle Marques Gomes Danielle Rodrigues de Sousa Davyd Teles Basilio Deusivane Jorge da Silva Diego Aguiar dos Santos Dilcinei Gonçalves Barros Dinaelze Abrao Lopes Dulcilene Barbosa Maia Edeane Rodrigues Cunha Edith Monielyck Mendonça Batista Edna Maria Araujo Leite Elaine Nascimento Lobo

Eliane Ribeiro Dias Carneiro Elida dos Santos Silva Simão Ellen Rose Sousa Santos Elzimar Palhano dos Santos Emanuella Pereira de Lacerda Emarne Conceição Xavier Cavalcante Emmanuele de Jesus Balata Sousa Esdras Pessoa da Silva Fabricio Galvão de Macedo Francisca Marcia Mello Viana Francisco Carlos Carneiro dos Santos Francisco Freires Avelino Filho Geane dos Santos e Santos Gessica Thalene Garros Castro Geyse Anne Nunes Martins de Melo Girlayni Marinho Sereno Glaucia Maria Abreu da Silva Pinho Gonzanilma Braga Alves Havilla Gastão Quaresma Paiva do Vale Heloisa Maria Lima Gonçalves Herika Cinthia Lima Coutinho Hodeilton Leite Rocha Irlanda Batista Silva Rodrigues Isabella Cristina Cunha Carneiro Isabella Sued Sousa Albuquerque da Silva Ivana Kethen Barros Correa Jackeline Bittencourt Soares Jainara Gomes da Silva Daniel Jandyra de Katia Santos Nascimento Janice Regina Moreira Bastos Jardelle Lima Correa Joelma Nascimento Silva Jordana Angelica da Silveira Silva Jordana Santos Cardoso Jorge Henrique Froz Moreira Jose Neves da Silva Junior Joseana Batista Costa Josine Maria dos Santos Sousa Josinete Rodrigues de Sousa Jovenilia Coelho Gomes Kamila Moura Ribeiro Kamyla Iryhane Arrais Ribeiro Rocha Fortaleza Karenne Mota Cavalcante Karlinne Maria Martins Duarte Katianne Patricia Morais Oliveira da Silva Kelly Regina Dias da Silva Keury Pinho Conceição Lais Leudy de Sousa Layse Fernandes Barros Coelho Leidianne Silva Sa Costa Leonardo Dourado Sousa Leovegildo Branco Dominice Neto Leticia Alves de Carvalho Silva Liana de Sousa Monteiro Lidia Noelia Gouveia Reis Ligia Cristinne Mota Monteiro Liliane Bezerra Silva Pimentel de Araujo Livia Maria Dias Oliveira Bustamante Lorena Maria Rocha Matos Soares

191


192

Lorenna Araujo Rocha Luciana Ferreira Cima Luciana Oeiras Modesto Lucianna Mirelle de Sa Trabulsi Lucileide Lima Aires Lopes Lucimar Sa da Silva Luis Andre de Sena Silva Marcelia Geane de Brito Freitas Marcos Regis Silva Panhussatti Maria da Conceição Carneiro dos Santos Neta Maria do Socorro Vale Mendes Maria Eline Abreu de Carvalho Maricelia Tavares Borges Oliveira Mariela Andrea Medeiros Suarez Marielle Ribeiro Feitosa Marlene Costa Lima Martha Lys Xavier Lima Ferreira Meires Alves Costa Milena Barbara Ferreira Souza Neudianny Martins Sa de Almeida Olivia Trindade Silva Coelho Olivina Aparecida Machado Mendes Patricia de Sousa Veras Patricia Michele Mendes dos Santos Patricio Francisco da Silva Paulierica de Sousa Carvalho Pollyana Barreto Pessoa Pollyanna Lima de Almeida Priscila Cirqueira Nunes Priscila Cordeiro Lisboa Priscilla Cristiny Sousa Almeida Busatto Raimundo Guilherme Mesquita Silva Raquel Silveira de Araujo Rita de Cassia Ferreira Sarmento Rita de Cassia Rafaela de Oliveira Matos Rita de Cassia Sousa Lima Rosalina Munira Araujo Santos Rosivelton Lima de Souza Silvana Sales Maciel Sousa Silvia Ferreira Costa Silvia Helena Paixão dos Santos Silvia Tereza Batalha do Nascimento Simone Soares do Lago Sirley Gama dos Reis Adler Sonia Raquel Oliveira Pereira Suelen Silva Santos Surama Maria Ferreira da Silva Moraes Sylvia Silva Santos dos Santos Vanessa da Silva Oliveira Vilma Macedo Campos Mesquita Vitoria Inacia Carvalho dos Santos Viviane Cristina Marques Pereira Viviane Jessica da Silva Lemos Waleria da Silva Nascimento Wedia Duarte Pereira Wellington Dias Costa Wilza Claudia dos Santos Farias Yana Santos Cardoso

MATO GROSSO Adilson Gomes de Campos Alcindo Jose Rosa Alcineia Oliveira de Souza Aline Coutinho Storari Aline de Paula Moreira Anecarla da Silva Prado Anisangela Conceição Costa Campos Camila Gonçalves Ferreira Carleandro Roberto de Souza Carolina Bernardo Leite Celia Regina da Costa Galdino Peres Claudia Cristina Zuanazzi Daiana Vieira Padilha Damaris Cristina Machado Caminotto Danielle Cristiane Cesar Eduardo dos Santos Vieira Eliete Balbina Santos Saragiotto Estevão Sanchez da Silva Flavia Machado Coelho Gesse Duque Ferreira de Oliveira Gilmara Cristina Raposo dos Santos Haidi Beatriz Wobeto Baraldi Iramaia Rosana Mantelli Pezatti Marques Jacqueline Silva Damaceno Joyce Ribeiro Luz Jucineide Proenca da Cruz Schmidel Juliane Cristina Neves da Silva Juliane Montanha Meinberg Junio de Souza Alves Leticia Borges Guimarães Luciana Matsumori Lucianna Regina Mendes Santos Manoelito da Silva Rodrigues Maquilaine Henriqueta Miranda Mara Zelma da Silva da Silva Almeida Marcus Augusto Ristow Wippel Marisa Lino dos Santos Jordão Matilde Aparecida Vieira de Matos Natalia Leal de Melo Nilva de Paula Borges Noise Pina Maciel Rejane de Fatima Conde Finotti Silvia Samara Pedroso Branco Stela Coutinho Storari Tania Segura Uiara Leice da Silva de Oliveira Moraes Vanessa Alves Lopes Vanessa Thais Bonfim Vilas Boas Viviane Maria Guimarães Carvalho Lima

MATO GROSSO DO SUL Adriana Pereira Martins Carrijo Alberto Jungen Wider Alcione Geralda de Azevedo Souza Alessandra Rocha Okidoi Castelo Branco Alessandro Pinho Salomão Aleyne Lins Alves Aline Regina de Oliveira Lima


Observatรณrio Caminhos do Cuidado | Relatรณrio 2016

Andreia Cezar de Oliveira Ariane Aparecida Beghelini Bernadeth Bucher Camila Rodrigues Guimarรฃes Souto Claudia Inacia Tomaz Barbosa Palhano Cristiane da Silva Fernandes de Carvalho Daiane de Souza Pupin Daianny Garcia do Nascimento Daniela Margotti dos Santos Dirce Tavares Alves Elodia Herminia Maldonado Evelin Rodrigues dos Santos Maccarini Fabricia Tatiane da Silva Zuque Flavia Claudia Krapiec Jacob de Brito Hadma Rosely da Silva Adorno Hellen Cristina Martins Gonรงalves Ingrid Elisandra Bumbieris Travaim Isabel Cristina da Silva Isabela Cristina Miranda Pereira Josiane Peralta Dan Juliana Fernandes Mendes da Silva Katia Ferreira de Araujo Katiuscia Cristina Freitas da Silva Lidiane Martins Cassone Hernandes Ligia Zilio Lima Lorraine Aparecida Pinto Lucia Suemi Yuhara Luciana Assi de Lima Luciana Hernichsen Schmitt Lucimar Torres da Silva Souza Ludelca Dorneles dos Santos Ledesm Maisa Rodrigues Nascimento Mari Euripedes Armani Maria Angelina da Silva Zuque Maria Beatriz Almeidinha Maia Maria Jose Camargo Maria Paschoalina Capelli Saraiva Marlayne Mendes Wolf Reinaldo Smaniotto Renato Sarmento dos Reis Moreno Rita de Cassia Astolfi Roberta Rodrigues Butzhy Andrade Robson Alves de Almeida Rubiana Gambarim da Silva Salazar Carmona de Andrade Samuel Bach Silvia Segovia Araujo Freire Veronica da Cruz Pereira Viviane Torqueti Felisberto Souza

MINAS GERAIS Adriana Cristina Perini Ribeiro Adriana de Faria Nogueira Luz Agnaldo da Silva Gomes Alcione dos Santos Danziger Alessandra de Oliveira Silva Alessandra Ribeiro de Souza Alice Polliana Rocha Pereira Ana Elisa Oliveira Lima

Ana Flavia Sposito Onofri Faria Ana Paula Campos Barbosa da Silva Ana Paula Santos Prates Anderson Hudson Ribeiro Coriolano Anderson Jose de Souza Andre Barbosa Souza Andrea Cristina Cury de Souza Andrea de Lima Andreia Andrade dos Santos Andreia Barbosa Amaral Anna Paula Marques Antonia Cristina de Melo Gomes Bethania Rufato Ferreira Camila Carlech da Silva Camila Trevizan Carvalho Comparini Carina Castro de Paula Cruz Carla Cristina Ferreira de Oliveira Carolina Carlos Carneiro Cassia Silene Rodrigues Bontempo Christian Macksur Cleya da Silva Santana Cruz Cristiane Ines de Carvalho Daiane Caires Souza Martins Daisy Silva Reis Alves Daniela de Oliveira Melo Danilo Rodrigues Cerqueira Dayana de Fatima Silva Oliveira Debora Regina Amaral Debora Rejane Santos Veloso Ribeiro Denis Augusto Granato Souza Denise Maria da Fonseca Divina Roselaine da Silva Djenanda Freire Sa Edna Rodrigues de Matos Eduardo Damasceno Lopes Elenice Ferreira de Souza Eliane Cristina Alves Eliane de Fatima Salviano Dela Posta Elisabete Costa Ferreira Elisangela Batista Sudre Elizabeth Maria de Vasconcelos Grecco Elizangela Pinheiro dos Santos Emanuel Brick Ribeiro Enilda Maria Petronilho de Almeida Erica Viviane Antunes Lima Evane Graziella Mendes Oliveira Everton Vinicio de Oliveira Silva Fabiana Erica de Souza Fabiana Fernandes Silva de Paula Fabiano dos Anjos Pereira Martins Fabricia Pinheiro dos Santos Felipe Barbosa de Souza Fernanda Alves Chaves Fernanda Geremias Cordeiro Fernanda Glace Pinto Fernanda Margareth Costa da Rocha Flamorion Alves Fonseca Flavia Gontijo de Araujo Flavia Moreira Carneiro

193


194

Florisbela Pires Sampaio Gabriela Ribeiro de Oliveira Gicelle Daiane Santos Rodrigues Lopes Gilmar Antonio Batista Machado Gircelia Ferreira de Alkmim Giselle Aparecida Doria Giselle Bianca Tofoli Gislane Malaguti Canaval Gizelia Geralda Sousa de Freitas Gleidson Roberto Santos Costa Gueliane Ferreira dos Santos Helena Maria Duarte de Oliveira Hildeth Maisa Torres Farias Hortensia Teixeira Chaves Ildamara Gandra de Menezes Imaculada Rodrigues de Aguilar Ines da Conceição Faria Ionice Neves de Carvalho Isaura Lucas Bomtempo Ivanilde do Carmo Alfenas João Batista Moreira Jonas Garcia Simoes Joseane da Silva Julia Abreu Mata Machado Juliana Amelia da Silva Mendes Juliana Cristina Diniz Guimarães Juliana Faria Barreiros Juliana Ferreira de Souza Juliana Kelly Pinto Moreira Juliana Pereira Dias Juliane Peres Pereira Veiga Katia Moraes de Almeida Keliane Cunha Teixeira Kelly Lorena Rodrigues de Matos Kelly Menezes Lopes Larissa Fagundes Gusmão Laura Luci Prates Leite Lea Lucia Maria Coelho Costa Leticia Santos da Fonseca Lilian Valladão Pires Dias Furtado Lorena Guimarães Antonini Luanna Alves Lacerda dos Santos Luciana Aparecida Franco Luciana Beatriz Mateus Luciana de Oliveira Melo Luciana Santos Pereira Luciane Jordão Pereira Lucimar Ladeia Colen Ludmila Pereira Alves Bernardes Luiza Mara da Silva Lima Luzia Maria dos Santos Magali Araci Francische Santos Ferrari Mara Daisy Alves Ribeiro Marcelle Verusca Rodrigues Gonçalves Marcia Alves de Lima Marcia Azevedo Correa Marcio Adriano Pereira Dias Marcos Afonso de Araujo Marcos Revinotte da Silva

Marcos Roberto Pereira Silva Marcus Macedo da Silva Maria Cecilia Oliveira Barros Maria Denise Soares dos Reis Maria do Carmo Costa Ferreira Maria do Carmo Soares Maria Eliete Santos Martins Dias Maria Helena Pereira Alves Maria Lucia Nogueira Maria Marcia Ribeiro da Costa Maria Raquel Pereira Borges Maria Teresa Xavier Mendonça Maria Zilma Ribeiro do Prado Mariana Cristina Moraes Xavier Duarte Mariana Gabriela Batista Rodrigues Marilene Elvira de Faria Oliveira Marisa Elaine do Couto Marisa Resende Parreira Maristela Silva de Mello Marivalda Cezario Santos Tobias Marly Aparecida Reis Procopio Marta Antonia de Sousa Martha Honorato Eler Maura Ferreira de Souza Filha Mauricio Durval de Sa Mauricio Teixeira Gomes Mayesse Cardoso Lauar Menezes Melina Neves Borges Michelle Patricia Fernandes Mendes Negreiros Michelly Lucia Silva Miriam Patricio Pinto Mirian Bovi Borba Nataniela Conceição Silva Nayara Martins Borges Nelson Lucrecio Filho Nubia Regina Dias Batista Orozimbo Henriques Campos Neto Patricia Malta Pinto Paula Andreia Souza Sena Paula Bruno de Martin Paula Eliene Carli Selani Paula Paiva Caldeira Paulo Cesar Morais Priscila Aparecida Lemos Neves Priscila Araujo Rocha Priscila Leal da Silva Priscilla Duraes de Carvalho Raimundo Nonato Ferreira Moura Rangel Sa de Oliveira Raquel Bassalo Neves Vilela Raquel Fonseca Veloso Regina Celia Rodrigues Monteiro Regina Celia Santiago Mata Reinaldo Batista de Oliveira Renata Amelia Pereira Cordeiro Renata Caroline Braulio de Moura Ricardo Alcantara Silva Rita Ana da Silva Lima Rita de Cassia Costa da Silva


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Rita Edemir Silva Roberta Mendes Von Randow Roberto Campos Dutra Rosely Alves da Silva Rubia Estefanie Soares de Macedo Rubia Marques Alves Sabrina Monteiro Bassi Samia Natalle Cardoso Sandra Eugenio Campos Sandrele Borges da Silva Reis Sara Oliveira Caldeira Saskia Maria Albuquerque Drumond Sergio Vinicius Cardoso de Miranda Silvia Reis Soares Suzana Alves Amaral Ventura Tatiana Maria Mendes Barbosa Telma Orneles de Lima Thales Lopes de Oliveira Tharine Rocha Damasceno Thiago de Souza Moreira Vanessa Augusto Mendes Vanessa Pereira Silva Vania Cristina Alves Cunha Vania Delazari Borges Veronica Consolação Pereira Tomaz Veronica de Paula Almeida Virginia Maria Neves Vitral Chung Vitor Alves de Almeida Vivian Abrantes da Cunha Viviane Andrade Pinheiro Viviane Helena dos Santos Viviani Chaves Furini Waine Saldanha Silva Walace Alan Araujo Waldomiro Epifanio Bueno Salles Wallysson Mardem Vieira Macedo Wellen Carla da Luz Benfica Costa Wendel Jose Teixeira Costa Zeilzia Santos da Silva Zilernice Ramires Guimarães Brito

PARÁ Adelaide do Socorro Dias Baia Adriana Lopes do Remedio Aide Teles de Carvalho Alan Machado de Almeida Alcylene Adelina Guedes Mota Alda Lima Lemos Alenilson Oliveira Brito Amelia Belisa Moutinho da Ponte Ana Claudia Rego dos Santos Ana Paula Favacho da Silveira Andrade Ana Paula Lobo Trindade Ana Vicentina Santiago de Souza Andrea Karina Correa de Souza Santos Arlene Menezes Portela Silveira Armando Modesto Souza da Silva Carla Cristina Lucas Souza da Silva Celso Adriano Souza da Conceição

Claudia Valeria Leão dos Santos Clea do Socorro Nobre Calandrini de Azevedo Cleubi Santos da Silva Vinente Cristiane Moreira Furtado Daniela Costa Massucati Danielle Lopes Dutra Diego Santhiago Vieira Alves Elaine Cristina de Sousa Elane Silva Costa Eliane Cristina de Sousa Rodrigues Elidiane de Carvalho Ribeiro Elizete Oliveira Santana Machado Erica Marcilla Souza de Couto Ernestina Nazare Cardoso Alves Fabiana Teles Costa Franciane de Paula Fernandes Gutembergue Santos de Sousa Heidy Naiara da Costa Sales Jacira da Conceição de Aguiar Rego Jaira Ataide dos Santos de Brito Janni Luci Oliveira Soares Jose Claudio Pantoja Dias Kalinne Cabral Pinto Karla Maria Gomes dos Anjos Kellen da Costa Barbosa Lagerson Mauad Freitas Lia Simone Cuimar Braga Liliam Alexandra Santos Neves Livia de Aguiar Valentim Luana Maria de Souza Fernandes Luisiane Assunção da Silva Vale Luiz Antonio da Silva Gonçalves Junior Luiz Carlos Soares Pereira Marcelo Silva de Paulo Marcia Cristina Costa Leão Marcia Patricia Palheta Nunes Maria Auxiliadora Carvalho Cabral Maria de Nazare Souza da Silva Maria do Perpetuo Socorro Sampaio Medeiros Maria Helena Brito Freire Maria Lucivania Ferreira de Souza Mario Sergio Nunes Silveira Michele Monteiro Sousa Narjara Michelle Miranda Nascimento Natalia Freire Fontenele Neide Mara de Sousa Silva Nelcilene Alves da Silva Nilzete Teixeira Martins Octavio Augusto Barbosa Mendonça Odineide da Silva Sousa Paula Danielle Martins Real Priscila Araujo de Oliveira Raimunda Silvia Gatti Norte Raquel Mendes de Sales Lima Rayanne Rocha Pereira Regina Claudia de Gusmão Penna Rodson Martins de Oliveira Rosario Maciel Portela Samara Fernandes Ribeiro

195


196

Samyele Mota Barbosa Sarah Campinas dos Santos de Oliveira Sarah Simone Silva de Oliveira Selma Gomes da Mota Sergiana Moraes de Oliveira Sheila Martins de Souza Pedroni Sheyla Mara Silva de Oliveira Silvia Conceição Cardoso de Sousa Silvia Rodrigues de Santa Helena Correa Simone Aguiar da Silva Figueira Socorro Helena Lima dos Santos Sonia Cristina Pereira Cardoso Terezinha de Vasconcelos Uchoa Correa Thais Monteiro Goes Thalyta Mayssa Paiva das Neves Vera Luce Canto Bertagnoli Wanessa Rezende Gaspar Wanessa Silva de Oliveira Zelia Simão de Miranda

PARAÍBA Adelle Conceição do Nascimento Souza Adriana Selis de Sousa Alessandra Barboza de Meneses Alexsandra Layani Faustino de Andrade Allyevison Ulisses Alves Cavalcanti Ana Flavia Tasca dos Santos Carvalho Ana Karine Pinheiro Alves Cunha Ana Luzia Medeiros Araujo da Silva Angela Maria Satiro da Nobrega Felix Ankilma do Nascimento Andrade Anne Caroline Almeida Duarte da Cruz Antonia Araujo Gomes Aralinda Nogueira Pinto de Sa Bruna Fabryne da Rocha Oliveira Cacilda Lopes da Silva Camila Neiva de Gouvea Ribeiro Soares Candice da Silva Palitot Christianne Urtiga Rocha Cleiton Charles da Silva Clenia de Araujo Campos Daniel Rangel Curvo Danielle Barboza Cavalcante Gaudencio Dayanny de Santana Sarmento Denise Maria Fontes Gadelha Diego Andrade da Silva Douglas Luiz de Melo Rezende Edlene de Freitas Lima Rocha Eliane Rangel Agra Erika Medeiros Marinho Oliveira Eunice Monteiro de Farias Evaneide Albuquerque Santos Candeia Fabiana de Araujo Medeiros Fabiana Oliveira Fernandes Fabricio Martins Fatima Sonally Sousa Gondim Flavia Alves Aguiar Siqueira Flavia Cristina dos Santos Alves Francisca Eugenia Bernardino Cassimiro de Lima

Geovania de Araujo Filgueira Geovanna dos Santos Soares Silva Gerlane Bandeira da Silva Gilmara Lucia Pereira Chaves Glaucia Maria Gomes de Moura Helena Rufino de Ataide Leal Ingrid Rodrigues da Costa Isabel Cristina de Souza Janete Alexandre Feitosa Janilene Monteiro de Souza Joama Lucena Silva Joelma da Silva Santos Jose Evandro Silva Soares Josenilma Assis Costa de Araujo Juliana Queiroga de Oliveira Juracema Gomes de Medeiros Jussara Maria Cunha dos Santos Kercia Araujo Medeiros de Sousa Kicyanna Silva Lacerda Laedna Carvalho Soares Lara Melo da Costa Teixeira Leyliane Cristina Alves Pereira Liliane Abrantes de Sena Lucineide Diniz Luzimar Lacerda Rolim Manuella Silvya Freitas Angelo Marcia Maria Bezerra Maximo Maria Angelica Albuquerque Hardman Maria Bernadete Dantas Pessoa Maria das Graças Pereira de Oliveira Maria Nubia de Oliveira Marluce Leite da Silva Nataly Cezar de Lima Fernandes Onadja Benicio Rodrigues Patricia Pereira de Sousa e Silva Macedo Placido Lourenco Fernandes Junior Ramone Dantas Rocha Rayanne Santos Alves Roberta Danielly de Ousa Leite Rosa Maria Limeira de Queiroz Rosangela Maria Fonseca Buchmann Roseane Montenegro Guedes Rosiane de Souza Moreira Rossane Claudio Gomes Meira Dantas Samanda Silva Xavier Symara Abrantes Albuquerque de Oliveira Cabral Tania Maria do Nascimento Jeronimo Tatiany Fernandes Oliveira Thaise Alves Bezerra Thiana Licia Silva Azevedo Valdilene Lopes Dias Vanderlan Andrade de Sousa Vania Maria Oliveira de Farias Wengna Neves Matias

PARANÁ Alexandro Pascoalin Guimarães Aline Denise Cataneo Ana Carolina de Paula Athayde


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Ana Cristina de Carvalho Ana Luiza de Souza Salvego Ana Paula dos Santos Ana Paula Reolon Bortolli Ana Paula Ribeiro Andreia Carrer Andreia Cristina de Oliveira Angelica Arceste Delmonaco Ariadne Cristina Piola Barbosa Ariane Lopes Petrucci Audrey Mara Binotto Uliana Beloni Celso Carmen Lucia Padilha Cinthia Carneiro de Oliveira Cintia Helena dos Santos Cleusa Gertrudes Torres Daiana Santos Pereira Letrinta Daniel Martins do Nascimento Deisy Aparecida Zago Deisy Maria Rodrigues Joppert Denize Aparecida Teixeira Dulce Zara Gentil do Nascimento Elaine Peclat Bastos Eliane Lumi Hashimoto Eliane Valerio Pereira Elizandro Ribeiro Camargo Ellen Cristina da Rosa Santos Eloiza Laura Ribeiro Mesquita Lemgruber Erica Cristina Pereira Fabio de Andrade Aires Ferreira Lima Fabio Jose Orsini Lopes Fernanda Crissi Fernanda Santiago Santos Mendonça Giani Aparecida Gaiguer Gloria Maria Assis Alavarse Grasiela Cristina Giacobo Nodari Humberto Ricardo de Andrade Castro Ilvani Ferreira Martins Jackeline Lourenco Aristides Jandira dos Reis Fernandes João Elizangelo Alves de Almeida Josi Mara Dallo Juliana Carraro Boeira Juliana Marques Meirinho Karina Zeni Katia Gregorio Bittencourt Silveira Katia Regina Dalmaz Lais Cristina da Silva Larissa Sayuri Yamaguchi Lenita Terezinha Sturm da Veiga Lorena Isabel Claudino Luciani Lombardi Sigolo Vanhoni Luciano Sankari Lucivane Gouveia Delfino Marcela Battilani Belo Marcia Casagrande Marcos Antonio Pombeiro Marcos Vinicius Teixeira Paim Maria de Lourdes dos Santos Justino de Freitas

Maria Madalena Montini Maria Sezineide Cavalcante de Melo Marina Ortega Pitta Mauri Cordeiro Michelle Barbosa Olivetto Michelle Siqueira Molina Miriam Aparecida Pereira Borges Nadya Christiane Silveira Pellizzari Naila de Oliveira Kuss Nilce Cristina Reis Patricia Maria Barusso Lafraia Paula Aparecida Coloda Paulo Angelo Lourenco dos Santos Regina Natsue Nakashima Higashiyama Renata Alessio Renata Eli Gonçalo Renata Kimura Rosalina de Oliveira Lourenco Rosangela Aparecida Cortellini Roseli Gaio Rosiane Elsa Beck Morovis de Souza Rosiclei Alves de Oliveira Sandra Maria da Rosa Sara Scheidt Soriano Scheila Therezinha Issakowicz Sebastião Costa Alves Sergio Ricardo Belon da Rocha Velho Sheila Cristina Rocha Brischiliari Simone Cristina Gomes Sueli Schneider Suzeli da Silva Amici Tania Guarilha Tercio Vieira de Camargo Tiago Rafael Wentzel Valeria Codato Antonio Silva Valeria Cristina Sanzovo Vanessa Cristina Luquini Vasco Carneiro dos Santos Filho Vilma Muzzolon Vilson Antonio Prudente Viviane Fatobene Oliveira Viviane Malaquias Fogaca Walter Cararo Wilson Jose da Silva

PERNAMBUCO Aline Maria Silva Melo Aline Rafaela Soares da Silva Ana Carolina Cintra de Melo Medeiros Ana Perez Pimenta de Menezes Lyra Anamaria Carolina de Meira Accioly Lins Angela Catarina Inacio Costa de Andrade Anne Karolynne Santos de Negreiros Ariane Leite Figueiredo Lima Brenda Souza do Nascimento Carla Fabiana Felix da Silva Caroline Barbosa Matos Cilene Duarte da Silva Cintia de Kassia de Melo

197


198

Danielle do Vale Cordeiro Danielle Menezes dos Santos Danielle Pontes Braga Denise de Gois Marques Denise de Oliveira Albuquerque Elaine Dayanna da Silva Gomes Elis Kardenia de Souza Henriques Emanuela Orlandia Muniz Pessoa Emanuella Nunes Martins Lima Erica Solange Silva Rego Fabiana Patricia Silva de Gusmão Galdino Fernanda Diniz Guerra Gardenia Damiana de Almeida Nascimento Georgia Alencar Dantas Gisela Francisca Damasio Silva Hyla Danniele Mendonça Silva Irenilda Ramos de Brito Sa Magalhães Iris Maria da Silva Isabelle Pontes Braga Neves Jadelvya Felix Gonçalves Janaina da Rocha Pessoa Janaina Ramos dos Santos Jayne Elizabeth Brito Lucena Silva Joana Amelia Cunha Bezerra Joelma de Jesus Rodrigues Jorge Luis Guerrero Gonzales Jose Ulisses do Nascimento Juliana Beltrão Mulatinho Juliano Jefter de Lima Oliveira Karla Maciel Gomes Coelho Katia Cristina de Oliveira Katia Goretti Veloso Lins Katty Michelle de Lima Meneses Queiroz Keity Constantino da Silva Andrade Lea Maria Lima Lins Leandra Cristina Barbosa Saldanha Luciana Regina de Barros Pinheiro Luciane Alves de Brito Pena Lucicleide Maria da Costa Luigi Deivson dos Santos Luisa Marianna Vieira da Cruz Luselle Maria Costa Ferro Luzimara de Fatima Andre dos Santos Manoel Alexandre de Arruda Neto Marcela Adriana da Silva Lucena Maria das Graças Borges da Silva Maria do Socorro Nascimento Borborema e Silva Maria Lucia da Silva Oliveira Mariana Ferraz Novaes Gomes de Lima Marise Mariano Bezerra Marta Luciana Barbosa Cavalcanti Martha Janaina Souto Maior Cardoso Mauricia Ferreira de Lira Micheline Lira do Nascimento Soares Michelle Conceição de Oliveira Lima de Moura Andrade Mikaelly Vasconcelos Grangeiro Milecyo de Lima Silva Miriam de Oliveira Avila Moreira Monica Ferreira Borba

Nerysvania Tavares da Silva Norma de Fatima Fernandes de Carvalho Patricia de Freitas Poliana Moreira Cruz Reginaldo de Oliveira Falcão Junior Riva Karla Vieira Rogeria Carla Alves de Souza Rubia de Souza Rufino Sheyla Melo de Vasconcelos Silvia Camelo de Albuquerque Stephanie Maiane Souza Silva Thais Andrea de Oliveira Moura Thais Augusta de Brito Fernandes Thamiris Helena Andrade Farias Vaneschka de Almeida Cipriano Vanessa Lopes Gomes da Silva Vanessa Teixeira Verissimo do Nascimento Vania Moreira de Siqueira Williams Gomes de Araujo Williams Gonçalves de Acioli

PIAUÍ Adenilde Maria Coelho Alexsandra da Rocha Fontes Alyne Leal de Alencar Luz Ana Kelly da Costa Silva Antonia Eliete de Jesus Alencar Antonia Lucimary de Sousa Leal Antonio Luis Gonçalves de Alencar Auridea Rodrigues Lustosa Avanete Barbosa de Sousa Coutinho Bruna Rodrigues de Sousa Candida Maria de Figueiredo Mota Carmem Barbosa de Sousa Neta Cleandro Souza Vieira Conceição de Maria Portela Carvalho Dulciane Martins Vasconcelos Edyneia Oliveira de Vasconcelos Elaine Parente Lustosa Eliel dos Santos Pereira Eluane Ribeiro Leal Fernanda Tavares Brandão Francilva Marta Machado Rocha Francimeiry Santos Carvalho Gabriela Batista da Silva Geisa de Sa Veloso Gerdane Celene Nunes Carvalho João Paulo Ferreira de Castro Joisyana Fernandes Ibiapina Jose Antonio Almendra de Carvalho Joselia Freitas Lustosade Araujo Joyra Lima Barbosa Juliana Amelia Gomes de Sousa Juraci de Araujo Soares Barbosa Bakke Karinna Alves Amorim de Sousa Karla Cristina Fianco Katia Paula Silva Layanna Conceição de Mesquita Correia Leila de Almeida Soares


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Leticia Maria Carvalho de Sousa Livia Moura de Alcantara Pereira Lucelia Soares da Silva Luciana Luisa Noleto Barbosa Mara Ligia dos Santos Monteiro Marana da Silva Lial Marcelina Gomes Brandão Maria Alexandra Fontinelle Pereira Maria de Fatima Marques de Moura Sousa Maria do Carmo Sousa Maria Erinelda de Araujo Souza Maria Rosa de Lima Sousa Marilia Marques Castro Marinalva Nair da Silva Monica Dolores Soares Lima Nayana Pathricia de Sousa Rodrigues Nayana Walleska Silva do Nascimento Niedja Isabel Silva Xavier Carvalho Nilsa dos Santos Pereira Nilvania da Silva Nascimento Noemia de Jesus Santos Pessoa Paula Fernanda da Costa Ferraz Veras Pulqueria Araujo de Carvalho Neta Rosangela Leite Cavalcante de Macedo Rosangela Rodrigues Melo de Andrade Sheila Mara Silva Dias Simone Peres Oliveira Suely Maria Viana dos Santos Suzanne Aragão Marinho Tania Maria Santos Luz Thais Braglia da Mota Thaise Guedes de Azevedo Castro Thalita Miranda Dias Valdenir Fontes Virginia Matos Gomes dos Santos Vivianne Matos Gomes dos Santos Yluska Myrna Meneses Brandão e Mendes Zagma Coutinho Lima Amorim

RIO DE JANEIRO Adriana de Matos Dantas Cavalheiro Adriana Tabata dos Santos Aisllan Diego de Assis Alcilea Barbosa de Andrade Sora Alda Maria Salvador de Souza Oliveira Alessandro Luis Correa Alexander Garcia de Araujo Ramalho Alexandre Campbell Ferreira Aline Duarte Pereira de Andrada e Silva Amanda Cardoso Nunes Amanda Patricia Bezerra Nunes Amneris Silva Ribeiro do Vabo Ana Lucia Jezuino da Costa Ana Luiza Teixeira Ramos Andre Luiz Avelino dos Reis Andrea de Moraes Bastos Andrea Paola Moure Angelica Vilarim da Silva Beatriz da Silva

Beatriz de Souza Campos Bruna Helena de Almeida Marculino Camila da Cunha Souza Nobrega Camilla do Espirito Santo Silva Carla Aparecida Lima Braga Mansur Carla Ferreira Maggessi Castro Carmem Lilia da Silva Ribeiro Ciumara do Carmo Brand Claudia da Costa Leite Reis Crislane Pinheiro Mallet Daniely Gonçalves Lopes Vieira Debora Regina Pessoa de Araujo Deison Fernando Frederico Denise Lucia Moreira dos Santos Diana Marisa Dias Freire Malito Diana Miranda de Farias Prieto Rugeles Eduardo Gomes de Oliveira Elineuza Pereira da Silva Emanuel Ribeiro Romeiro da Rocha Fabiana Braga Silva Fabiana Nunes Marx Fabiana Silva Marins Nazareno Cosme Felipe Vianna Pinheiro Gabrielle de Souza Andrade Gesilda Ferreira de Souza Gesileni Amaral Soares Helen Marcia da Silva Barros Hercules Rigoni Bossato Isabel Cristina de Moura Leite Isabela de Freitas Reis Itana Nogueira Maerz Jacqueline Pereira Lopes Jakelline Aparecida Dias Guedes Joana Maria de Souza Juliana Sobral de Oliveira Juraci Brito da Silva Karen Andre Oliveira Xavier Laura Araujo Geszti Leandro Pereira Bittencourt Leila Ramos Cabral Leonardo Leal Teixeira Leticia Magalhães Storck Lilian Magalhães Costa Lima Livia Cretton Pereira Livia Di Renna Vianna Brum Livia Montechiari Werneck Livia Nogueira de Moraes Lorena Rodrigues Guerini Luciana Fraga Borges de Azevedo Luciana Pinto Barros de Oliveira Luciane dos Anjos Marcelino Luciano Simoes Canavez Luciene Abreu Santos Lucimara Lopes Rase Luiza da Costa Mendes Magda Costa Barreto Maira Machado Germano Marcelia Alves de Souza Martins Marcia da Silva Silveira

199


200

Marcia de Oliveira Silviano Maria Isabel Junqueira de Lara Vannini Maria Manuela Vila Nova Cardoso Mariana Machado Tinoco Mariana Santanna Costa Michelle Thome Lessa Monteiro Monica Thomaz de Avila Neide Maria dos Santos Nelly de Azeredo Nilzete de Araujo Ribeiro Costa Noeli de Almeida Godoy de Oliveira Patricia de Azevedo Patrasso Patricia dos Santos da Costa Patricia Viana Campos Priscilla Messeder Santos Raquel Damasceno dos Santos Renata Mendes Barboza Rita de Cassia da Silva Ribeiro Roberta Vieira Leite de Sa Rock Herbeth Alves Brandão Rosana Feres Rodrigues Rosangela Maria da Silva Rosimeri Barbosa Lima Samantha Carvalho Felicio Sandra Azevedo Morais Severina Maria Silva de Oliveira Sueli Lopes Alves de Carvalho Talita Silva Prado Tamara Queiroz Costa Silva Tatiana Ferreira Grenha Tatiane Souza de Oliveira Thais Cecilio da Costa Ursula Benetti Uyara Braz Soares Venina Rosa Nunes Pontes Vera Lucia Gonçalves Pacheco Vivian Costa Barros Viviane Mauricio Figueiredo Machado Wanda Lucia Souza da Rocha Welik dos Santos

RIO GRANDE DO NORTE Adileia Aureliano do Nascimento Alcedir Gabriel da Silva Aldenisia Alves Albuquerque Barbosa Ana Catarina de Oliveira Franco Ana Claudia de Freitas Alves Ana Cristina Pires de Oliveira Ana Maria de Morais Ana Valeria Pires de Oliveira Antonia Maria Ferreira da Cruz Dantas Aureni Vieira Dantas Carinne Meireles Holanda Alves Caroliny Louise Nunes do Nascimento Cristiane Gonçalves Teixeira de Carvalho Djenane de Araujo Fontoura Edjane Maria Vale Linhares Emanuela Cyntia Alves da Silva Erica Patricia Fernandes Menezes Costa

Flavia Tereza Camara da Silva Pedrosa Francisca Gerlane Sarmento de Oliveira Francisco Benevides Guerra Glaucia Cibelie Costa Duarte Janayna Patricia de Melo Jane Suely de Melo Nobrega Janielly Mendonça Silva de Lima Jonia Cybele Santos Lima Jose Eder de Medeiros Alves Josefa Gonçalves de Oliveira Josilene Maria dos Santos Kamilla Emanuela Vieira de Saboya Medeiros Kelia Wenia de Freitas Pereira Reboucas Kenya Kelly da Silva Rocha Khris Evelyn Teixeira de Lima Kyzza Caline Freitas de Oliveira Leonardo Antonio Correia Nicolau Leonardo Carlos Rodrigues de Menezes Lidiane Souto de Oliveira Lilian Patricia Silva de Souza Lucia Virginia Felix dos Santos Maria Celia Albuquerque Calado Maria das Dores Honorio Maria das Graças Freire da Silva Maria das Graças Garcia Sabino Maria do Carmo Alves Martins Maria Francisca de Almeida Santos Maria Jordana Freire Gomes Raulino Maria Jose da Silva Souza Michell Platiny Candido Duarte Monique Roberta de Freitas Barbosa Nara Cley Paz Rodrigo de Abrantes Narjara Cristina de Figueredo Narjeane Luiza de Figueredo Nathaly Ramos da Silva Paulo Roberto Queiroz Raquel Cordeiro de Souza Raquel Juliana Oliveira de Souza Raquel Mirtes Pereira da Silva Regina Cassia dos Reis Almeida Rita de Cassia Paiva Rosana Alane Melo Diniz Rossana Mota Costa Samara Dalliana de Oliveira Lopes Barros Sandra Maria Fernandes Shirley Monteiro de Melo Tatiana Valesca Carvalho Pereira Thalita Lorena Costa Rego Thamyres Alany Campelo de Araujo Yeda Silva de Oliveira Zilmar Bezerra da Silva Filho

RIO GRANDE DO SUL Alessandra Zambeli Alberti Aline Porto Britto Ana Claudia Cielo Ana Karina Schmitz Andreia Silveira de Souza Andreza Mesomo Zamarchi


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Antonio Bolis de Oliveira Neto Bruna de Souza Machado Bruna Francieli Siqueira Barreto Camila Guaranha Carolina Bohn Carolina Seibel Chassot Claudia Mistura Cleber Fernandes Cristiano Badia Veide Cristina Gattino Estima Daiane Hernandes Velasques Daniel Araujo dos Santos Debora Garcez Leal Denise Casagrande Denise Ramos Guasque Denize Rejane da Silva Mafalda Doris Clarita Buttenbender Elisandra Gimenez Vieira Esequiel Pagnussat Fernanda Belle Barichello Fernando Monteiro da Rocha Filipe Caldeira Furlan Franciane de Oliveira Alves Francieli Cristina Sponchiado Gabriel Dal Ponte Amado Gabriela Bottan Gisele Santin Glaci Weber Gauber Isabel Vargas Witczak Janaira Dorneles de Quadros Davila Janaina Heinsch Sonchi João Bosco Rodrigues Joselia Messa Pires Jovana Bussolotto Jovelina Juliane Peters Vieira Julia Bongiovanni Karen Christina Rodrigues dos Santos Karin Ferro Basso Keli Vania Ramos Barbieri Laura Carolina Krieger Gattiboni Leonardo Silva Kirchof Leticia Torres Grisolia Liana de Menezes Bolzan Lisiane Queiroz Dornelles Loiva Maria de Boni Santos Lucas Batista Morandi Luciana Bisio Mattos Luciane Prediger Luis Carlos Nunes Vieira de Vieira Luis Fernando Inda Luiz Alberto dos Santos Ferreira Luzia Bier Marcelo Nunes da Silva Fernandes Marcia Rosana Forster Wazlawik Maria Luiza Diello Maribel Pires de Brito Marina Eitelwein Leite Marisa Camargo Marliza Melaine Schwingel Mateus Casanova dos Santos

Mery Lilian Eickhoff Michele Silva Lachno Michelline Freire Moraes Pablo Pinto Carvalho Patricia Regina Goi Priscila Farfan Barroso Priscila Piovesan Sarzi Sartori Rafaela Sandri Sandra Fatima Signor Sandra Xavier Porn Silvana Regina Manica Silvia Mara Borges Martins Simone Argelia Gemerasca Severo Sonia Elisete Gass Thais Cristina Saraiva Bender Vanessa Alvez da Silva Vanessa Flores

RONDÔNIA Andreia Marques de Oliveira Carla Alves David Carla Michele Costa Melo Varjao Carlos Magno Nogueira Claudia Cabral da Costa Daiane Gomes Segobia Daiane Padilha Daiellen Martins Veronezi Debora Santos Faria Fernandes Deize Katiele da Silva Kurdt Dioneia Martins Marinho Eliane Pereira da Silva Elizete Caetano da Silva Ezequias Siqueira de Andrade Jucineide de Lima Aquino Kunz Larissa Souza dos Santos Luana Alves Jardim Luana de Oliveira Macedo Coelho Maiara Vecchi de Carvalho Ferreira Marcos Andre Pestana Gomes Maria Cristina Roman Soares Maria Goretti Cordeiro Cavalcante da Silva Maria Izabel Araujo Silva Nayara Ramalho dos Santos Priscila Mendes e Silva Regina Ferreira da Silva Almeida Renivaldo Carlos Teodoro Dutra Robton Possamai de Oliveira Rodrigo Santos Madeira Simone Araujo da Silva Simone Gomes da Silva Santos Simone Santos Norbim Gomes Sonia Regina Sanches Tatiana da Silva Vanderleia Skiezynski Zilda Jucilane Bordinhao

RORAIMA Adriano Amadeu Dantas Bezerra Alexandra Rodrigues de Sousa

201


202

Ananias Noronha Filho Camila Oliveira Cavalcante Carol Sylke Garcia Diaz Delzenir Sampaio de Almeida Fabbiane do Nascimento Silva Fernando Silva Damasceno Gracinete Mourão da Fonseca Helenira Macedo Barros Jeanes da Silva Holanda Julienne Cathyana dos Santos Silva Malu dos Santos Matos Maria Lauany Leal Costa Milca do Nascimento Nafice Ferreira da Silva Ricardo Gonçalves da Fonseca Rosane de Almeida Resende Simone Lopes de Almeida Tania Soares de Souza Tarciana Dantas Martins Taynah de Sousa Barbosa Tereza Cristina Silva dos Santos

SANTA CATARINA Adriane Marlene Vezaro Alesandra Perazzoli de Souza Aline Batista Bernardi Aline Rios Simoes Ana Carolina Oliveira Peres Ana Cristina Santos da Silva Ana Cristina Soares Andrea de Araujo Martins Mello Andreia Bertochi Carla Simone Telo Panzera Carolina Torres Guazzelli Cassintia Santin Gasparetto Claudia Maristela Kappaun Teixeira Cleri Tereza Sotilli Cristiane Amarante Cristiane Antunes Scussiato Cristine Guedert Cristine Walker Daiane Rocha Dilton Amadeu Onofri Edi Mariana Schroeder Spenrandio Eliane Mazzuco dos Santos Elvira Maria Zattar Guerra Estela Maris Ribeiro Eugeani Fundcheller Fabiane Tierling Damasio Franceli Marilu Groskopf Nazarkevicz Fransuizi Maria Lopes Portillo Giolly Muriel Moreira Gladys Moraes de Carvalho Glotilde Casaletti Sartori Greice Peplau Kauling Helena Caetano Gonçalves e Silva Ildamar Pereira Ingrid Zanellato Iula Luana Bastos

Ivia Fatima Rodrigues Jair Wanderlei Arruda Pereira Jandira Mirian Wagner Rogerio Jane Martins de Araujo Jislaine Cruz Josue Adilson Cruz Juliana Bastos Omura Jurandyr Veiga Mello Filho Juzeli Angela da Cunha Lemes Kallinka Mattos Gomes Karin Cristine Geller Leopoldo Karina Mueller Kelly Aparecida Souza Larissa Aparecida Hagemeyer Leonete Mai Liane Girolamo Luciene de Brito Vitorino de Souza Jokoski Maira Tellechea da Silva Marcio Fabio da Silva Maria Celina Ribeiro Lenzi Maria das Graças Venhold Losso Maria Solange Ferreira Alves Marisa Langer Mariza Schiessl Marta Kolhs Marta Tochetto Primo Milena Andersen Lopes Becher Milena Mery da Silva Mirian Daros Ducioni Miryan de Fatima Silva Monica Correa Candemil Monica de Souza Netto Mello Monica Floriano Cardoso Luiz Nelson Junior Cardoso da Silva Nilton João Batista Figliolo Oneide Souza Figueiredo Otilia Cristina Coelho Rodrigues Pamela Silva dos Santos Paula Correa Pedro Bevilaqua Pupo Ferreira Alves Rosana Loli Roseli Canci Sagaz Sandra Joseane Fernandes Garcia Sandra Maria Barreto Scharline Trevizol Bergamini Sibele Munaro Simone Kelly Cetolin Sonia Ines Volkweiss Fernandes Sonia Maria Bonan Talita Ledoux Tatiana Matias Lopes Terezinha Mendes da Silva Sulenta

SÃO PAULO Adão Rodrigues da Silva Adriana de Oliveira Marilhano Alana Roberta Assugeni Alessandra da Mota Rodrigues dos Santos Alessandra Nunes de Souza


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Alexandra Maria Fonseca do Nascimento Alexandre Bernardini Vieira Alice Aparecida dos Santos Aline Buchalla Ferreira Aline Cristina de Souza Barros Aline de Alencar Aline de Andrade Freitas Aline Jacob Trivellato Aline Pereira Bidoia Ana Aparecida Rodrigues Berzerra Ana Maria Gomes Andrea Cadena Giberti Andrea Soares Silva Inocencio Andreia Mura Peres Andressa Pin Scaglia Antonio Sidney Marques Barbara Cristiane Martines Cora Beatriz Cesar Lauria Beatriz Pontes Esposito Bruna Lidia Taño Camila Aparecida Teixeira Camila de Magalhães Leite Penteado Camila Faria Dias Camila Severing do Couto Carmem Costa Martins Carolina Con Andrades Luiz Carolina Freitas Alves Carolina Perez Canola Gonçalves Carolina Simão Caroline Figueira Pereira Cintia Rodrigues de Campos Tonetti Clarice Aparecida Scopim Ribeiro Claudia Dionisio Dias de Souza Ribeiro Claudia Eloisa dos Santos Claudia Polubriaginof Claudia Regina Somera Claudielle de Santana Teodoro Creusa Cardoso Cristhiane Comitre Garcia Cristiana de Fatima Correa Cristiane Aparecida da Silva Cristiane Aparecida de Godoy Cristiane Lopes de Souza Daniel Martins Borges Daniel Scurato Daniela Bahia Lima Daniela Callegari Daniela Costa Baratela Pimenta Daniela de Souza Menino Dayane Franciele Crisostomo Debora Estela Massarente Pereira Debora Sueli Correia Marques Guidini Decio Gomes de Oliveira Deise Pereira Ramalho Delva Pereira de Oliveira Denis Rossmann Domeniski Dorian Rojas Dorival Pereira dos Santos Junior Edimeia Ribeiro Alves Vieira

Edio Wilson Garcia de Oliveira Edna Lucia de Souza Tralli Eduardo Dall Acqua Elaine Regina Sardinha da Silva Baldin Eliana Fatima Muller Eliana Vilas Boas de Freitas Eliane de Paula Silveira Mello Elida Maria Rodrigues de Moraes Elisabete Cristina das Neves Vello Elisabete Rosa Domingues Eliseti Doniseti Cesar Elza Maria Alves Ferreira Erica Aparecida Nascimento de Matos Erica Cristina Aurilietti Erika Gisseth Leon Ramirez Evandro Zottino de Andrade Fabiano Fernandes de Oliveira Fatima Aparecida de Oliveira Fatima Eva dos Santos Fernanda Aparecida de Souza Fernanda Lopes de Alemida Flavia Carotta Francina Vaz dos Santos Geni Teshima Yamamoto Geovana Cristina Carrara Gislaine Cristina Almeida de Oliveira Goher Lima Gonzalez Guaraciaba Oliveira Pinto Harete Vianna Moreno Helena Duarte Marino Herleis Maria de Almeida Chagas Hilda Maria Ferreira Jaguary Dias Indira Domingues Ferreira de Andrade Isabel Cristina de Souza Isabel Cristina Gorla Isabel Cristina Lopes Ivanelze Aredes da Silva Jacqueline Mendonça Jana Pinto Koosah Janaina Soares Jandro Moraes Cortes Jane Papa Fernandes Jaqueline Domiciano Monteiro Jeane Bogsan Jeane Soares Vieira João Aldo Zanachi João Gabriel Cordeiro de Brito Joedna Souza de Medeiros Jose Antonio Leite Junior Joseli Maria Batista Josenaldo Pereira da Silva Josiane Marie de Vita Ramos Prado Julia Carolina das Neves Lopes Pimenta de Almeida Julia Cristina Rodrigues Juliana Cristina Bessa Juliana Thais Alves Lopes Juliana Varela Geraldo Karen Batista Karina Cicarelli

203


204

Kathya Bertolini Katia de Paiva Katiane Holanda Fukamachi Lany Leide de Castro Rocha Campelo Larissa da Silva Leda de Lima Montanhez Lenon Dellalibera Liandro da Cruz Lindner Libhania Masson de Souza Lierge Gallo Zavareza Lilian Brambilo Pereira Livia Maria Baltieri da Silva Livia Maria Figueiredo Loty Rosana Damy Cichello Lourdes Cristiani Gonçalves de Lima Silva Luana Bezerra Gargiulo Soares Lucia Aparecida de Souza Luciana Januaria Barbosa Luciana Luiz Vieira Luciana Machado Werneck Luciana Patriota Gusmão Soares dos Santos Luciana Soares de Barros Luciane Galvão de Morais Lucimara de Jesus Anunciação Luiz Antonio Rala Luiz Guilherme Leal Ferreira Filho Luiz Henrique da Silva Luzia Ferreira da Silva Manuela Teixeira Bentivoglio Marcelo Cordeiro Barreto de Oliveira Marcelo Reis Clemente Marcia Helena Bissoli Guadanucci Marcia Heloisa de Assis Negreiros Vieira Pinto Marcia Regina Alves Rocha Marcia Regina Rosa Sanches Ramos Marco Antonio Rodrigues da Silva Margarete dos Santos Marques Margareth Camargo Margareth Demnise Maia Mayoral Maria Angela Toqueton Sanches Maria Aparecida Alves Fernandes Ribeiro Maria Aparecida do Monte Maria Cecilia Gulo Cabrita Nogueira Maria Celia Lopes Maria Cristina Aielo Francelin Maria Cristina Aiex da Fonseca Maria Cristina Uchida de Aguiar Maria Fernanda Lopes Maria Helena Colombo Pecin Maria Helena Ribeiro de Checci Maria Jose Esteves Junqueira Dias Maria Luciana Albuquerque Maria Madalena Pollon Sa Freire Maria Odete Pereira Maria Pia Falchi Bedin Maria Sebastiana Felix Bizetto Mariana Fonseca Paes Mariane Ratighieri Hamam Marilda Uchoas Ferreira

Marina Nairismagi Alves Mario Cesar da Silva Maristela Campanelli dos Santos Maristela Ubeda Castilho Marlene Pereira da Rocha Marly de Souza Bedo Marly Fernandes dos Santos Marta Aparecida Mendonça Pereira Marta Venice Pinto Massote Michelle Aparecida Nicolau Michiko Saito Yamada Monica Rodrigues Nagy Monica Valeria Rama Cardoso Naisy Cristine Santos Nana Silva Foster Nara Cristina Miyuki Takamatsu Miashiro Natielly de Souza Pizzonia Neil Jose Sorge Boaretti Nelio Augusto Mesquita Domingos Nelsi Rabaioli Nelson Figueira Junior Neusa Julião Barbosa Neusa Maria Delgado Nivea Cristina da Silva Prata Noelia Roque Vieira Nunes Olivia Aparecida Ferreira Jesus Osmar Antonio de Sousa Patricia Ellen Buchi Zago Patricia Queiroz Ribeiro Mochiuti Paula Becker Paula Fernanda Bax Cardoso Paulino da Silva Oliveira Junior Pedro Ivo Freitas de Carvalho Yahn Priscila Godtsfriedt dos Santos Priscila Mina Galati Raquel Santos de Almeida Oliveira Regina Helena Moura Carrazzone Gaetan Renata Alves Fornaciari Renata Rossi Tavares Rene Rogerio Pereira Ricardo Santoro Ricardo Verpa Costa da Silva Rita Aparecida Kietis Vivolo Rita de Cassia Cunha Felipe Avanzi Rita de Cassia Oliveira Carvalho Roberta Andrea de Oliveira Roberta Aoqui Tanaka Roberta da Silva Santos Roger Rosa Ribeiro Roque Aparecido Rosa Rosana Maria de Lima Borzan Rosana Terezinha Tostes Milani Mastro Rosangela Brichezi Roseli Correa dos Santos Rosicleide Aparecida Bertholini Rosy Miryan do Prado Sabrina Rorato Rondina Sandra Ester Alves


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

Sandra Lucia Minuncio Sandra Regina Lourenco Gomes Sandra Regina Rubio Favaro Batista Selma Aparecida Lemos Selma Eva Silverio Selma Maria Pereira dos Santos Shyrlei Estefania Dias Silvia Helena de Souza Silvia Maria de Carvalho Farias Simone Jardim Aoki Sinval Avelino dos Santos Sirlene Aparecida Pessalacia Barretto Solange Aparecida Otero Abelha Sonia Aparecida de Almeida Antonioli Suelen Gonçalves Bergamo Sueli dos Santos Valente Susierleia Aparecida Bonifacio Szymczok Tacianna Bandim Pedrosa Taise Jordão Zanzarini Talita Dutra Ponce Talita Luiza Faria Tania Duque Lopes Tania Maria Almeida Barbosa Tania Mileny Seraphim Tatiana Lahos de Jesus Teresa Eiko Ando Saito Thais Regina Gomes de Araujo Thais Rosana Chiaranda Merij Thaisa Fernanda Queiroz de Souza Thaissa Luciano Condi Tiago Santa Cruz de Andrade Urania Gomes dos Santos Valdileia Soares Galindo Valmira de Souza Porto Vanderlei Marcos da Cruz Vera Lucia Villela Pires Bueno Wagner Yoshizaki Oda

SERGIPE Acacia Priscilla de Souza Lirio Adeilsa Santos Neri Alynne da Exaltação Franca Oliveira Amanda Marques Alves Ana Carla Ferreira Guedes da Cruz Analy Ferreira da Silva Andiara Ferreira Suassuna Barbara Jeane Pinto Chaves Catarina Barros Costa Cibele Ferreira Cezar Darla Jorsiane Nascimento Souza Ventura Debora Lima Siqueira Edjane da Silva Franca Elisangela Feitosa de Jesus Fernanda Barbosa Magalhães Glaudenilson Jose da Silva Graziane Ribeiro Couto Heitor Freitas de Andrade Idegivania dos Santos Silva

João Sampaio Martins Jose Augusto de Oliveira Karla Cunha Barbosa Katia Maria Menezes de Aragão Lays Ferraz da Silva Lidiane Souza Lima Lizianne Oliveira Fonseca Luzijan Aragão de Almeida Marcelo Franco de Carvalho Maria Aldineide de Andrade Maria de Fatima Dias Santos Maria do Carmo Pinto Santos Maria Luiza Caldas Miraci dos Santos Correia Nadia de Assis Leite Noeli da Luz Santana Patricia da Silva Paulo Sergio Conceição Santos Raquel Porto Batalha Roberta Dorea Bueno Roosevelt Rodrigues da Costa Simone Batista Silva Costa Thatiana Oliveira de Britto Vandecy Farias Bezerra

TOCANTINS Alexsandro Pimenta de Aguiar Alyne Aires Oliveira Rocha Alyni Pinheiro Brito Ana Paula Marques Lopes Ana Rita Moreira Gonçalves da Silva Andrea Siqueira Montalvao Angelica Laurini Rossato Anna Crystina Mota Brito Bezerra Antonia de Sousa Viana Aurimar Gonçalves Sousa Cilda Ledi Bley Dafylla Kelly Silva Oliveira Dione Bairros de Oliveira Toneloto Elen Fabiane Agostinho Arantes Evanilda Vieira de Queiroz Herica Gomes Araujo Ferreira Janilva Maria da Silva Joatan Silva de Jesus Kesia Mascarenhas Santos Lorena Aparecida Gonçalves de Assis Mariana Elias Pego Marluce Vasconcelos Calazans Pilger Marudiney Brasil Cesar Rodrigues Meiryvan Pereira Bezerra dos Santos Noledir Solange dos Santos Santiago Ricardo Gonçalves Partata Rita de Cassia Gomes de Azevedo Santana Rosangela Magalhães Nunes Rosemeire Vieira Pereira Aquino Teruco Higa Valeria Lira Barros Formiga Valeria S. Oliveira Doutor

205


206

REFERÊNCIAS ALCOFORADO, Amélia Cristina Santos. Memórias do Caminhos: Amélia Cristina Santos Alcoforado (coordenadora Estadual em Rondônia). Porto Velho, 28 nov. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https:// www.youtube.com/watch?v=3ebNfbatto4>. Acesso em: 8 dez. 2016. BELMONTE, Pilar Rodriguez. [Memórias do Caminhos: Pilar Rodriguez Belmonte: educadora do projeto Caminhos do Cuidado], Rio de Janeiro, 8 dez. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Guia de saúde mental: atendimento e intervenção com usuários de álcool e outras drogas. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013. 48 p. Projeto Caminhos do Cuidado – formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Disponível em: <http://www.caminhosdocuidado.org/wp-content/uploads/2014/02/guia_saude_mental2ed-web.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2016. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Caminhos do Cuidado: caderno do aluno. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013. 132 p. Projeto Caminhos do Cuidado – formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Disponível em: <http://www.caminhosdocuidado. org/wp-content/uploads/2013/08/caderno_do_aluno-leitura.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2016. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Caderno do tutor. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013. 184 p. Projeto Caminhos do Cuidado – formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Disponível em: <http://www.caminhosdocuidado.org/wp-content/uploads/2013/09/ caderno_tutor-leitura.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2016. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Caminhos do Cuidado: relatório 2015. Rio de Janeiro: Fiocruz/Icict, 2016. 96 p. (Relatório, n. 2). Disponível em: <http:// observatorio.caminhosdocuidado.org/images/CdC_Documentos/CdC_Relatorio2015.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2016. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Relatório da secretaria acadêmica: projeto Caminhos do Cuidado: formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Porto Alegre, 2016. 84 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/683/1/RELATORIO%20FINAL%20-%20Academico.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO. Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Relatório do núcleo pedagógico: projeto Caminhos do Cuidado: formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 132 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/682/3/RELATORIO%20FINAL%20-Pedag%C3%B3gico.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. CAMARÃO, Maria José Côrtes; GUSMÃO, Renata Cunha; SOUZA, Cláudia Cristiane Moura Silva. Relatório final. Salvador: [s.n.], 2015. 46 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/618/1/Relat%c3%b3rio%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Bahia%202015.pdf>. Acesso em 6 dez. 2016. CAMINHOS do cuidado. Sala de convidados. Rio de Janeiro, Canal Saúde, 25 de fevereiro de 2014 [publicado em 13 mar. 2014]. Entrevista concedida a Renato Farias. Disponível em: <https://www.youtube. com/watch?v=BMDJzcMhj_4>. Acesso em: 9 dez. 2016. CARDOSO, Eliana Maura Teixeira. Memórias do Caminhos: Eliana Maura Teixeira Cardoso (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Amapá). Belém, 29 jul. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=k_GnTyAFU9A>. Acesso em: 9 dez. 2016. CARVALHO, Flávia Garcia de. [Memórias do Caminhos: Flávia Garcia de Carvalho: designer gráfico do projeto Caminhos do Cuidado]. Rio de Janeiro, 9 dez. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. CARVALHO, Maria da Conceição. [Memórias do Caminhos: Maria da Conceição Carvalho: coordenação executiva do projeto Caminhos do Cuidado]. Rio de Janeiro, 9 dez. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. CASALE, Ruy. [Memórias do Caminhos: Ruy Casale: coordenação de infraestrutura e logística do projeto Caminhos do Cuidado]. Rio de Janeiro, 8 dez. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. CASALE, Ruy. Relatório da coordenação de infraestrutura e logística: projeto Caminhos do Cuidado. Rio de Janeiro: [s.n.], 2016. 46 p. Formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. CHIAPPETTA, Rafaela de Nazaré. Projeto história oral: Rafaela de Nazaré Chiappetta (coordenadora estadual). Belém, 4 nov. 2015. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=jo0sLXfPq1o>. Acesso em: 19 dez. 2016. CORRÊA, Naia Cloé Aenlhe. Memórias do Caminhos: Naia Cloé Aenlhe Corrêa (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Rio Grande do Sul). Porto Alegre, 2 set. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=yF7b6WMZsU0>. Acesso em: 8 dez. 2016. CORRÊA, Naia Cloé Aenlhe; MORAES, Maurício Machado. Relatório final das atividades da equipe estadual do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 42 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/613/1/Relat%C3%B3rio%20Projeto%20Caminhos%20do%20 Cuidado%20Rio%20Grande%20do%20Sul%202015.pdf>. Acesso em 5 dez. 2016.

207


208

COSTA, Maria Jussara Sodré da et al. Relatório final das atividades do projeto Caminhos do Cuidado do Estado do Amazonas. [Manaus: s.n.], 2015. 35 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado. org/bitstream/handle/599/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Amazonas%20 2015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. COSTA, Maria Jussara Sodré da. Memórias do Caminhos: Maria Jussara Sodré da Costa (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Amazonas). Manaus, 11 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=1y6FVbM3jWU>. Acesso em: 9 dez. 2016. COUTINHO, Miriã Alves. Memórias do Caminhos: Miriã Alves Coutinho (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Goiás). Goiânia, 28 jul. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https:// www.youtube.com/watch?v=qYNvAYJUuDQ>. Acesso em: 9 dez. 2016. COUTINHO, Miriã Alves; KOLTERMENN, Lenice Inês. Relatório de conclusão do projeto Caminhos do Cuidado no Estado de Goiás. Goiânia: [s.n], 2015. 8 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/603/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20 Cuidado%20Goiás%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. CUNHA, Izabel Cristina de Souza. Memórias do Caminhos: Izabel Cristina de Souza Cunha (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Santa Catarina). Blumenau, 3 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=1VKsAQqZh7g>. Acesso em: 9 dez. 2016. DEUSIMELO, Lívia Milena Barbosa de. Memórias do Caminhos: Lívia Milena Barbosa de Deusimelo (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Pernambuco). Recife, 9 nov. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Ys4KbrFmdSw>. Acesso em: 8 dez. 2016. DONATO, Emilene Andrada et al. Relatório geral do projeto Caminhos do Cuidado em Alagoas. Alagoas: [s.n.], 2015. 45 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/598/1/ Relat%c3%b3rio%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Alagoas%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. DONATO, Emilene. Memórias do Caminhos: Emilene Donato (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Alagoas). Maceió, 26 jul. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www. youtube.com/watch?v=rR6XZOoGA_o&t=1s>. Acesso em: 8 dez. 2016. DURÃES, Mônica Diniz. [Memórias do Caminhos]. Grupo condutor do projeto Caminhos do Cuidado / Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES/SGTES/MS). Rio de Janeiro, 12 fev. 2016. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. FEITOSA, Carolina Rosa de Barros. Memórias do Caminhos: Carolina Rosa de Barros Feitosa (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em São Paulo). São Paulo, 4 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8kUni5TbDnA>. Acesso em: 9 dez. 2016. FEITOSA, Carolina Rosa de Barros; SOUZA, Maria Catarina Nunes Xavier de. Relatório de fechamento: projeto Caminhos do Cuidado - Estado de São Paulo: período de 2013 a 2015. São Paulo: [s.n.], 2015. 33 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/610/1/Relatório%20 Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20São%20Paulo%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

FIGUEIREDO, Maria de Nazaré Bezerra. Memórias do Caminhos: Maria de Nazaré Bezerra Figueiredo (Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Acre). Rio Branco, 29 jul. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=GTBxcFFoVYs>. Acesso em: 9 dez. 2016. FORTE, Cecília Alonso Correa. Memórias do Caminhos: Cecília Alonso Correa Forte (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Mato Grosso). Cuiabá, 8 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=zAU4CQCrTl0>. Acesso em: 9 dez. 2016. FORTES, Cecilia Alonso Correa; BUMLAI, Samira Laura Metello Mansur; KOLTERMANN, Lenice Inês. Projeto Caminhos do Cuidado Estado do Mato Grosso. [Cuiabá: s.n.], 2015. 13 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/606/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Mato%20Grosso%202015.pdf>. Acesso em 5 dez. 2016. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Caminhos do cuidado: relatório 2014. Rio de Janeiro: Fiocruz/Icict, 2014. 112 p. 2. versão. Formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da atenção básica. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/673/1/Caminhos%20do%20Cuidado%20Relatorio%202014.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. GADELHA, Paulo Ernani. [Memórias do Caminhos: Paulo Ernani Gadelha: presidente da Fundação Oswaldo Cruz], Rio de Janeiro, 19 maio 2016. Entrevista concedida à Camila da Silva Cruz e Roberta Monteiro Raupp. GONÇALVES, Maria Auri et al. Relatório projeto Caminhos do Cuidado Estado do Tocantins: relatório final. Tocantins: [s.n], 2014. 21 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/609/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Tocantins%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. GONZAGUINHA. Caminhos do coração. Intérprete: Gonzaguinha. In: GONZAGUINHA. Caminhos do coração. São Paulo: EMI, c1982. 1 CD. Faixa 10. GUSMÃO, Renata Castro. Relatório de fechamento das atividades de macrorregional. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 17 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/674/1/Relatório%20 Macrorregional%20Sul.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. JACINO, Kaciely de Lima. Relatório de fechamento das atividades de coordenação macrorregional do projeto Caminhos do Cuidado. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 22 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/676/1/Relatório%20Macrooregional%20Nordeste%20I%20 e%20Acre.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. KESSLER, Lucenira Luciane. Relatório macro regional Norte, Amapá, Amazonas e Pará. [S.l.: s.n.], 2014. 20 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/679/1/Relatório%20 Macrorregional%20Norte.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. KOLTERMANN, Lenice Inês. Relatório coordenação macrorregional Centro-Oeste [e] São Paulo. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 8 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/678/1/ Relatório%20Macrorregional%20Centro-Oeste%20e%20São%20Paulo.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. LEITE, Tereza Cristina dos Reis Lyra Martins. Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Distrito Federal. Memórias do Caminhos: Tereza Cristina dos Reis Lyra Martins Leite (Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Distrito Federal). Brasília, DF, 28 jul. 2016. Entrevista

209


210

concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=cRpEEVezHeU>. Acesso em: 9 dez. 2016. LEITE, Tereza Cristina dos Reis Lyra Martins. Relatório do fechamento do projeto Caminhos do Cuidado: coordenação Distrito Federal. Brasília, DF: [s.n], 2015. 21 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/601/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20 Cuidado%20Distrito%20Federal%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. LIMA, Sara Fiterman. Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Maranhão. Memórias do Caminhos: Sara Fiterman Lima (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Maranhão). São Luís, 17 ago. 2015. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/ watch?v=NdMmu7IiWUw>. Acesso em: 9 dez. 2016. LIMA, Shirlene Queiroz de. Coordenadora de saúde mental da secretaria de Estado da Paraíba. Projeto história oral: Shirlene Queiroz de Lima (coordenadora de saúde mental da secretaria de Estado da Paraíba). João Pessoa, 7 out. 2015. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/ watch?v=DO45XGTlU5g>. MACEDO, Ediane Chucre; CHIAPPETTA, Rafaela de Nazaré; HAYASHI, Patricia Freitas. Relatório final do projeto Caminhos do Cuidado: PA. [Belém: s.n.], 2015. 20 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/607/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20 Cuidado%20Pará%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. MAIA, Carolina Bocchi. Memórias do Caminhos: Carolina Bocchi Maia (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Paraná). Curitiba, 8 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www. youtube.com/watch?v=IrQUZUCjMyY>. Acesso em: 9 dez. 2016. MAIA, Carolina Bocchi; ROTAVA, Cristiane Maria. Relatório final das atividades da equipe estadual do Estado do Paraná. Curitiba: [s.n.], 2015. 51 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/ bitstream/handle/617/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Paraná%202015.pdf>. Acesso em: 6 dez. 2016. MEDEIROS, Alexandre Medeiros de Figueiredo. [Memórias do Caminhos]. Grupo condutor do projeto Caminhos do Cuidado / Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES/SGTES/MS). Rio de Janeiro, 12 fev. 2016. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. NASCIMENTO, Ana Carla Macedo do et al. Relatório final do projeto Caminhos do Cuidado: RN. Natal: [s.n.], 2015. 16 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/615/3/ Relat%c3%b3rio%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Rio%20Grande%20do%20Norte%20 2015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. NEGREIROS, Valéria de Queiroz Diógenes. Memórias do Caminhos: Valéria de Queiroz Diógenes Negreiros (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Rio Grande do Norte). Natal, 2 nov. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=UdKElyLBx2E>. Acesso em: 8 dez. 2016. OBSERVATÓRIO Caminhos do Cuidado. Rio de Janeiro, c2016. Disponível em: <http://observatorio. caminhosdocuidado.org/>. Acesso em: 5 dez. 2016.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

OLIVEIRA, Patrícia Samara Portela. Memórias do Caminhos: Patrícia Samara Portela Oliveira (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Piauí). Teresina, 10 out. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=nre8mYoHPho>. Acesso em: 8 dez. 2016. OLIVEIRA, Raimunda Félix de. Memórias do Caminhos: Raimunda Félix de Oliveira (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Ceará). Fortaleza, 26 jul. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=BbsSZnxLVic&t=1>. Acesso em: 9 dez. 2016. PAPINI, Pedro Augusto. Relatório coordenação macrorregional. [S.l.: s.n., 2015]. 17 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/680/1/Relatório%20Macrorregional%20 Roraima%20Rondônia%20e%20Maranhão.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. PEREIRA, Ewângela Aparecida. Memórias do Caminhos: Ewângela Aparecida Pereira (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Mato Grosso do Sul). Campo Grande, 30 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=xE7u3yMHy24>. Acesso em: 8 dez. 2016. PEREIRA, Ewangela Aparecida; SILVA, Landisneide Luiza da; MENEZES, Taciana S. M. [Relatório projeto Caminhos do Cuidado: Mato Grosso do Sul]. Campo Grande: [s.n.], 2015. 16 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/605/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Mato%20Grosso%20do%20Sul%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. PEREIRA, Luciana Maria de Moraes. Memórias do Caminhos: Luciana Maria de Moraes Pereira (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Minas Gerais). Belo Horizonte, 10 out. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=E_VNlHS4i94>. Acesso em: 8 dez. 2016. PINTO, Elzimar Evangelista Peixoto et al. Projeto Caminhos do Cuidado Espírito Santo: relatório final. Vitória: [s.n.], 2015. 46 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/602/1/Relat%c3%b3rio%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Esp%c3%adrito%20 Santo%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. PINTO, Elzimar Evangelista Peixoto. Memórias do Caminhos: Elzimar Evangelista Peixoto Pinto (Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Espírito Santo). Vitória, 29 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=lqx2oC3PrvQ>. Acesso em: 9 dez. 2016. PROJETO Caminhos do Cuidado: [relatório da coordenação estadual Rondônia]. [S.l.: s.n., 2014?]. 15 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/623/1/Relatório%20 Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Rondônia%202015.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2016. RELATÓRIO da comunicação: Caminhos do Cuidado passo-a-passo. [S.l.: s.n.], 2015. 35 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/681/1/RELATORIO%20FINAL%20-%20 Comunica%c3%a7%c3%a3o.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016. RELATÓRIO de acompanhamento das atividades de pactuação do projeto Caminhos do Cuidado no Estado do Maranhão. São Luís: [s.n.], 2015. 38 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado. org/bitstream/handle/604/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Maranhão%20 2015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016.

211


212

RELATÓRIO de atividades e ações do Estado do Acre. [S.l.: s.n.], 2015. 14 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/622/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Acre%202015.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2016. RELATÓRIO final do Estado do Piauí projeto Caminhos do Cuidado. [S.l.: s.n., 2015]. 28 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/624/1/Relat%c3%b3rio%20Projeto%20 Caminhos%20do%20Cuidado%20Piau%c3%ad%202015.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2016. RELATÓRIO final do projeto Caminhos do Cuidado Ceará: período de realização: março de 2014 a junho de 2015. Fortaleza: [s.n.], 2015. 19 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/621/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Ceará%202015.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2016. RELATÓRIO final do projeto Caminhos do Cuidado: Pernambuco. Recife: [s.n.], 2015. 73 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/619/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Pernambuco%202015.pdf>. Acesso em: 6 dez. 2016. RELATÓRIO final: projeto Caminhos do Cuidado - Paraíba. João Pessoa: [s.n.], 2015. 52 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/608/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Paraíba%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. RIBEIRO, Nélia Beatriz Caiafa et al. Relatório de fechamento do projeto Caminhos do Cuidado no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: [s.n.], 2015. 75 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado. org/bitstream/handle/616/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Rio%20de%20 Janeiro%202015.pdf>. Acesso em: 6 dez. 2016. RIBEIRO, Nelia Beatriz Caiafa. Memórias do Caminhos: Nelia Beatriz Caiafa Ribeiro (Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Rio de Janeiro). Rio de Janeiro, 2 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=4KooP1Kj6Mk>. Acesso em: 9 dez. 2016. RODRIGUES, Edelves Vieira. [Memórias do Caminhos: Edelves Vieira Rodrigues: coordenação executiva do projeto Caminhos do Cuidado], [s.l.], 9 set. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. RUAS, Ester Cristina Machado. [Memórias do Caminhos: Ester Cristina Machado Ruas: coordenação de comunicação do projeto Caminhos do Cuidado]. Rio de Janeiro, 8 dez. 2015. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. RUZENE, Rosana Libano Alves Santos; PORTO, Talita Padilha; SILVA, Alessandra da. Relatório final das atividades da equipe estadual de Santa Catarina. São José: [s.n.], 2015. 45 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/612/1/Relat%c3%b3rio%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Santa%20Catarina%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. SANTOS, Beatriz Cristina Gomes dos. Memórias do Caminhos: Beatriz Cristina Gomes dos Santos (Coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Sergipe). Aracaju, 9 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=nUaDs593oz4>. Acesso em: 9 dez. 2016. SANTOS, Francéli Francki dos. Relatório de fechamento das atividades de coordenação macrorregional do projeto Caminhos do Cuidado. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 16 p. Disponível em: <http://repositorio. caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/677/1/Relatório%20Macrorregional%20Nordeste%20II.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016.


Observatório Caminhos do Cuidado | Relatório 2016

SANTOS, Luciana Freitas dos; CARNEIRO, Neyle Vieira Campos. Relatório final. Boa Vista: [s.n.], 2015. 25 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/614/1/Relatório%20 Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Roraima%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. SANTOS, Luciana Freitas dos. Projeto história oral: Luciana Freitas dos Santos (coordenadora estadual). Boa Vista, 3 nov. 2015. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/ watch?v=7DzPbVNfVtg>. Acesso em: 19 dez. 2016. SECCON, Lorilei Stefanello. Memórias do Caminhos: Lorilei Stefanello Seccon (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Amapá). Porto Alegre, 9 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https:// www.youtube.com/watch?v=FOAgespbBTU&t=45s>. Acesso em: 9 dez. 2016. SECCON, Lorilei Stefanello; CARDOSO, Eliana Maura Texeira; CARDOSO, Juliana Naomi Hayashida. Relatório final do projeto Caminhos do Cuidado: Amapá. Amapá: [s.n.], 2014. 23 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/600/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20 do%20Cuidado%20Amapá%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. SERGIPE (Estado). Secretaria de Estado da Saúde; Escola Técnica de Saúde do SUS. Relatório final: projeto Caminhos do Cuidado em territórios sergipanos. Aracaju: [s.n.], 2015. 25 p. Disponível em: <http:// repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/611/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20 Cuidado%20Sergipe%202015.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2016. SILVA, Cynthia Consuelo da et al. Projeto Caminhos do Cuidado em Minas Gerais: relatório final. Minas Gerais: [s.n.], 2015. 178 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/ handle/620/1/Relatório%20Projeto%20Caminhos%20do%20Cuidado%20Minas%20Gerais%202015.pdf>. Acesso em: 6 dez. 2016. SILVA, Quelen Tanize Alves da. [Memórias do Caminhos]. Grupo condutor do projeto Caminhos do Cuidado / Escola GHC. [s.l.], 19 set. 2016. Entrevista concedida à Mara Rosângela Cardoso Torres. SILVEIRA, Aparecida Rosangela. Memórias do Caminhos: Aparecida Rosangela Silveira (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado em Montes Claros). Montes Claros, MG, 7 out. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=w9ymaPQ2GUo>. Acesso em: 8 dez. 2016. SOUZA, Claudia Cristiane Moura Silva. Memórias do Caminhos: Claudia Cristiane Moura Silva Souza (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado na Bahia). Salvador, 7 out. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=TGUaUxKrZYk>. Acesso em: 8 dez. 2016. SOUZA, Maria Auri Gonçalves. Memórias do Caminhos: Maria Auri Gonçalves Souza (coordenadora estadual do projeto Caminhos do Cuidado no Tocantins). Palmas, 11 ago. 2016. Entrevista concedida à Ester Cristina Machado Ruas e Stephanie Aguiar de Medeiros Saramago Sahione de Araújo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Nf6nHL2XYuc&t=1s>. Acesso em: 9 dez. 2016. VENTRE, Anna Leticia. Relatório final coordenação macrorregional: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Tocantins. Porto Alegre: [s.n.], 2015. 35 p. Disponível em: <http://repositorio.caminhosdocuidado. org/bitstream/handle/675/3/Relatório%20Macrorregional%20Sudeste%20e%20Tocantins.pdf>. Acesso em: 11 dez. 2016.

213


OBSERVATÓRIO CAMINHOS DO CUIDADO Rua Buenos Aires, nº 2 / sala 804 – Centro CEP: 20.070-022 – Rio de Janeiro/RJ (21) 3178-4848 www.observatorio.caminhosdocuidado.org www.observatorio.caminhosdocuidado.org/espacoderelacionamento


Caminhos do Cuidado – Relatório 2016  

Relatório do projeto Caminhos do Cuidado – ano de referência: 2016

Caminhos do Cuidado – Relatório 2016  

Relatório do projeto Caminhos do Cuidado – ano de referência: 2016

Advertisement