Page 1


Relatório

2014

2ª versão

Formação em Saúde Mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos de enfermagem da Atenção Básica


Expediente Edição: Maria Cristina S. Guimarães Coordenação de Comunicação: Cristina Ruas Programação Visual: Vera Lucia Fernandes de Pinho Fotografias: Sthepanie Saramago freeimage.com Infográficos das págs. 26-30: Renato Carvalho Mosaicos das págs. 14/15 e 31: Vinicius Guimarães Redação e edição: Auracom Assessoria de Comunicação Revisão: Cristina Araújo

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca de Ciências Biomédicas/ ICICT / FIOCRUZ - RJ

F823c

Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Comunicação e Informação Tecnológica em Saúde Caminhos do cuidado: formação em saúde mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos de enfermagem da Atenção Básica: relatório 2014 / Instituto de Comunicação e Informação Tecnológica em Saúde. – Rio de Janeiro: Fiocruz / ICICT, 2014. 54 f. : il.

1. Saúde mental. 2. Atenção básica. 3. Atenção integral. 4. Educação permanente. I. Título.

CDD 362.29


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

Grupo Condutor Alcindo Antônio Ferla Alexandre Medeiros Cláudio Barreiros Marcelo Pedra Maria Cristina S. Guimarães Mônica Diniz Durães Quelen Tanize Alves da Silva Regionalização: Angelita Mendes Carolina Feitosa Ena Galvão Celia Santana Walesca Pereira

EQUIPE NACIONAL

Coordenação Executiva Edelves Vieira Rodrigues Maria Conceição de Carvalho Maria Cristina S. Guimarães Régis Cunha de Oliveira Ruy Casale Técnicos do DEGES que acompanham o Caminhos do Cuidado: Bethânia Ramos Meireles, Daniel Márcio Pinheiro de Lima Felipe Farias da Silva Israel Dias de Castro Marco Aurélio de Rezende Raquel Martinho Ciancio

Equipe Pedagógica Coordenação: Renata Peckelman e Odete Torres Alexandre Ribeiro Andréia Silveira de Souza

5


6 EQUIPE NACIONAL

Angélica Bomm Antonio Lancetti Denis Petuco Filipe Caldeira Furlan Giulia Caruline Lima Costa Juliana Escobar Karina Sirangelo Luis Carlos Nunes Vieira de Vieira Maria Beatriz de Miranda Matias Natale Oliveira de Souza Odete Messa Torres João Luís Tavares Silva Marco Aurelio Jorge Marise Ramoa Nilva Lucia Rech Stedile Aline Cescon Pilar Belmonte Rafael Gil Medeiros Renata Veloso Vasconcelos de Andrade Rita Pereira Barboza Rossana Almeida Sandra Regina Soares Arôca Sergio Alarcon Stefanie Kulpa

Equipe de Infraestrutura & Logística Coordenação: Ruy Casale Aline Borges Clara Almado Daniela Ladeira Danielle Borges Deborah Freire Flavia Cotilha Flavio Peixoto Jaqueline Dias


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

EQUIPE NACIONAL

Laís Pinto Leo Leuback Lorene Marcelle Faria Maria Helena Hallais Paulo Monteiro Rachel Carvalho Vanessa Debossan Vanessa Mendes

Gestão Acadêmica Coordenação: Lucas Wilig Quadros e Marielly de Moraes Fabiana Marques

Equipe de Comunicação Social Coordenação: Cristina Ruas Flávia de Carvalho Luciana Mendes Ribeiro Maria Léa Aguiar Nelma Pinto Cezário Rosana Melo Stephanie Saramago Thiago Oliveira

Equipe Macrorregional Anna Letícia Ventre Desiree dos Santos Carvalho Felipe Wachs Francéli dos Santos Kaciely de Lima Jacino Lenice Inês Koltermann

7


8 EQUIPE NACIONAL

Lucenira Kessler Paula Adame Pedro Augusto Papini Renata Gusmão

NÚCLEO ESTADUAL

Coordenação Estadual Amélia Cristina Santos Alcoforado (RO) Beatriz dos Santos (SE) Carolina Feitosa (SP) Cecilia Alonso Correa Forte (MT) Claudia Cristiane Moura Silva Souza (BA) Elzimar Evangelista Peixoto Pinto (ES) Emilene Donato (AL) Ewângela Aparecida P. da Cunha (MS) Izabel Cristina Borges C. Oliveira (PA) José Carlos Lima de Campos (RJ) Juliana Rodrigues da Costa (AM) Rosângela Silveira (MG) Livia Milena B. de Deus e Méllo (PE) Lorilei Stefanello Seccon (AP) Luciana Freitas dos Santos (RR) Maria Auri Gonçalves (TO) Maria Helena dos Santos (PR) Miriã Alves Coutinho (GO) Naia Corrêa (RS) Nazaré Figueiredo (AC) Patrícia Samara Portela Oliveira (PI) Paulo Ricardo Rodrigues da Silva (PB) Raimunda Felix de Oliveira (CE) Rosana Líbano Alves Santos Ruzene (SC) Sara Fiterman Lima (MA) Tereza Leite (DF) Valéria de Queiroz D. Negreiros (RN)


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

9

Aos caminhantes, o nosso muito obrigada! No início, eram um verbo e um desafio: cuidar! De um núcleo restrito de pessoas que assumiu a responsabilidade de dar forma, substância e consistência a um curso de Formação em Saúde Mental (crack, álcool e outras drogas) para 290.197 agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem da Atenção Básica, chegamos, ao final de dois anos, com um conjunto de centenas de pessoas, parte delas listadas anteriormente nos créditos dessa publicação. E todos nós somos, apenas, os nós centrais de uma vasta rede que se infiltrou pelo país, de norte a sul, de leste a oeste, mobilizando milhares de pessoas e outras estruturas locais, macro e micro, para dar conta de ofertar, até dezembro de 2014, 226 mil vagas para formação, distribuídas em 6.102 turmas de 40 alunos, que foram montadas para os encontros presenciais e o acompanhamento à distância da formação, em, virtualmente, todos os municípios do Brasil. Por terra, por ar e por mar, foram cobertos cerca de 5.470.400 km de deslocamento para fazer chegar tutores, material didático e alimentação aos alunos. Esses são alguns dos números que testemunham a trajetória do Caminhos do Cuidado, que só é caminho porque apostamos em trilhá-lo. Melhor, “Caminhos” no plural, em respeito à autonomia e às escolhas pessoais. Todos os caminhos, entretanto, convergem para o cuidado, essa sim é a aposta radical feita pelos caminhantes. A todos eles, o nosso muito obrigada! Maria Cristina Soares Guimarães e Quelen Tanize Alves da Silva


sumรกrio


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

apresentação . ................................................................................13 prefácio — Caminhos e caminhares para o cuidado inclusivo ...17 Caminhos do Cuidado . ............................................21 capítulo 1 — Retratos do Caminho A construção do Caminhos do Cuidado....................25 capítulo 2 — Falas do Caminho Caminhos do Cuidado, uma gigantesca marcha ......35 Acre..........................................................................38 Alagoas ....................................................................40 Amapá .....................................................................42 Amazonas ................................................................44 Bahia ........................................................................46 Ceará . ......................................................................48 Distrito Federal ........................................................50 Espírito Santo . .........................................................52 Goiás ........................................................................54 Maranhão ................................................................56 Mato Grosso ............................................................58 Mato Grosso do Sul .................................................60 Minas Gerais ............................................................62 Pará . ........................................................................64 Paraíba .....................................................................66 Paraná . ....................................................................68 Pernambuco ............................................................70 Piauí .........................................................................72 Rio de Janeiro ..........................................................74 Rio Grande do Norte . ..............................................76 Rio Grande do Sul ....................................................78 Rondônia .................................................................80 Roraima ...................................................................82 Santa Catarina . ........................................................84 São Paulo .................................................................86 Sergipe .....................................................................88 Tocantins . ................................................................90 Histórias do caminho ...............................................92 capítulo 3 — Caminhos a seguir Caminhos a seguir ...................................................101 Projeto ganha às ruas ..............................................104 A inclusão do território . ..........................................107

11


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

13

Apresentação

Formar trabalhadores do Sistema Único de Saúde para acolher, atender e encaminhar aqueles que fazem o uso prejudicial de álcool e outras drogas é, sem dúvida, um desafio permanente para usuários, familiares, profissionais de saúde e sociedade. No Brasil, o estudo “Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do país”, encomendado à Fiocruz1 pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), indica que cerca de 80% das pessoas que fazem uso prejudicial gostariam de ter acesso a tratamento de saúde, mas não sabem como nem onde procurar ajuda. Para auxiliar na resposta a essa complexa demanda, e contribuir para o fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde e seus processos de cuidado, nasceu o Caminhos do Cuidado.


14

Apresentação

Mobilizados pelo Ministério da Saúde, o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) da Fiocruz, o Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde, do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC) e a Rede Governo Colaborativo em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aceitaram o desafio de desenvolver uma estratégia de educação permanente para àqueles profissionais de saúde que, em sua essência, representam a porta de entrada para o Sistema Único de Saúde: os agentes comunitários de saúde (ACSs) e os auxiliares e técnicos de enfermagem (Atenfs) das equipes de atenção básica em todo o país. A meta: acolher e cuidar. O contexto: saúde integral no território. O dispositivo: a escuta e o olhar cuidadoso para o outro. Enquanto projeto FNS 2422, orientado para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores do SUS, o Caminhos do Cuidado mobilizou um amplo, diverso e complementar grupo de apoio pedagógico. Consultores, educadores, orientadores e tutores assumiram a responsabilidade de, vivenciando o território, conduzir uma formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, articulada em 60 horas, sendo 40 presenciais. Para garantir a formação de 290.197 alunos, segundo a previsão inicial, foi necessário montar uma infraestrutura gigantesca, que desse conta de capilarizar essa estratégia. A logística foi fundamental, por exemplo, para a distribuição de material pedagógico e o deslocamento de pessoas que atendessem, até o momento, a 2.518 municípios, em todos os estados do Brasil, além do Distrito Federal. Em cada unidade federativa, com a valiosa parceria das escolas técnicas do SUS, foi montada uma coordenação

Após um período de organização que tomou cerca de seis

estadual, que compartilhou a responsabilidade pela regio-

meses, o Caminhos do Cuidado iniciou sua trajetória em 26

nalização da ação. A premissa era integrar o Caminhos do

estados e no Distrito Federal, em outubro de 2013. A meta

Cuidado às diversas outras iniciativas de formação em cur-

era formar um total de 290.197 alunos, sendo que destes

so no território. No total, cerca de 226 mil alunos e 2.320

24.545 na Região Centro-Oeste; 114.532, no Nordeste;

profissionais, se mobilizaram e se comprometeram, de

28.552, no Norte; 86.998 no Sudeste; e 35.570, na Região

Norte a Sul, de Leste a Oeste, para viabilizar essa estratégia.

Sul. A partir daí, foram montadas 6.102 turmas de 40


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

alunos, em média, e ofertadas, no total, 226 mil vagas para formação, alcançando cerca de 78% da meta inicial. Este relatório apresenta os resultados até aqui, mostra como o projeto se desenvolveu em cada estado e aponta os caminhos a seguir. São retratos e falas que foram brotando ao longo do Caminho; são mais do que memórias, são potências para o futuro.

15

Pesquisa Nacional sobre o uso de crack: quem são os usuários de crack e/ou similares do Brasil? Quantos são nas capitais brasileiras? /organizadores: Francisco Inácio Bastos, Neilane Bertoni. Rio de Janeiro: Editora ICICT/FIOCRUZ, 2014.

1

FNS TC:242/2012.Programa de Formação de Profissional de Nível Médio para Rede de Atenção Psicossocial, enfrentamento do crack e outras drogas.

2


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

17

Prefácio Caminhos e caminhares para o cuidado inclusivo Ao fim de 2014, comemoramos a travessia de uma grande parte do percurso do projeto Caminhos do Cuidado, que iniciou sua primeira etapa em outubro de 2013. Chegamos até aqui com uma execução de 78% da meta prevista, com a oferta de 6.102 turmas e de 226 mil vagas de um total de 290.197 agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem das equipes de Atenção Básica em todo o país. A coordenação do Projeto Caminhos do Cuidado – Formação em Saúde Mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos em enfermagem da Atenção Básica é, no Ministério da Saúde, de responsabilidade do Departamento de Gestão da Educação em Saúde (DEGES) da Secretaria de Gestão da Educação e do Trabalho em Saúde (SEGETS), em parceria com as áreas de Atenção Básica e Saúde Mental da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS). A realização é através do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) da Fiocruz, do Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição (Escola GHC) e da Rede Governo Colaborativo em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É com satisfação, mas também com um enfático reconhecimento a todos os parceiros institucionais e a todos os sujeitos que se envolveram nesse grande desafio, que podemos reconhecer o êxito da execução do Projeto Caminhos do Cuidado até o momento, considerando que essas ações terão e serão de relevância para o Sistema Único de Saúde potencializando a Rede de Atenção à Saúde e seus processos de cuidado. Um reconhecimento especial às equipes das Secretarias de Gestão do Trabalho e da Educação e de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, que em 2012 e início de 2013, apostaram que esse seria um projeto possível. Assim como às equipes da Fiocruz/ICICT, da Escola GHC e da UFRGS/Rede Governo Colaborativo em Saúde que, não somente acreditaram nessa possibilidade, mas a viabilizaram nesses pouco mais de dois anos de desenvolvimento. Várias dimensões do projeto descrevem sua complexidade e demonstram que o desafio de torná-lo viável no cotidiano foi uma ação que envolveu determinação e resultou exitosa. Em primeiro lugar, a execução deste projeto envolveu a articulação entre instituições do SUS de grande relevância para a formação, como as Escolas de Saúde Pública, as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (SUS), as áreas de Saúde Mental e Atenção Básica dos três entes federativos e os Conselhos Estaduais de Secretários Municipais de Saúde. Uma dupla articulação se fez necessária aí: vertical, entre instituições de diferentes esferas de governo e vinculação institucional, e horizontal, com diferentes áreas e serviços de uma mesma esfera de governo. Nossa vivência cotidiana no SUS mostra que a fragmentação entre serviços, áreas técnicas e instituições somente é superada com grande determinação.


18

Prefácio

Essa fragmentação nasce no conhecimento especializado

Enfim, um terceiro grande desafio enfrentado, foi ofertar

e atravessa os cotidianos institucionais. Mas que, uma vez

ações de educação permanente aos agentes comunitários,

superada essa tendência, os resultados são demonstrativos

auxiliares e técnicos de enfermagem da Atenção Básica.

da própria potência do SUS na mudança das condições de

A educação permanente, nem sempre compreendida na

vida e saúde dos brasileiros e das brasileiras.

sua capacidade de apoiar o desenvolvimento dos serviços

Superar as tendências de fragmentação interinstitucional e da especialização das organizações e instituições não foi o máximo do desafio necessário à execução do projeto. O segundo desafio foi interconectar a Atenção Básica com a Saúde Mental, duas políticas inovadoras do SUS, mas com identidades bem marcadas pelas suas especificidades, também foi um desafio necessário para o caminhar do projeto. Sabemos que o conteúdo das políticas – e aqui temos duas que foram atualizadas nos últimos anos e que detém o reconhecimento de sua inovação – sempre é posto em cheque no cotidiano das instituições e dos territórios onde vivem as pessoas. Saúde Mental – em especial o cuidado com pessoas usuárias de crack, álcool e outras drogas – e Atenção Básica – em particular quando reescrita pela Estratégia de Saúde da Família e vivencia o cotidiano dos territórios de vida das pessoas – devem estar articuladas e ofertar atenção integral a essas pessoas nesse Brasil. A Atenção Básica tem a marca de uma enorme expansão de cobertura e de ampliação de qualidade nos últimos anos, incluindo e cuidando de pessoas nas mais longínquas localidades do Brasil, se tornou a principal porta de entrada dos brasileiros e brasileiras ao maior sistema de saúde universal do planeta. A Saúde Mental, marcada pela acumulação do processo de reforma psiquiátrica na discussão de uma saúde mais generosa com todos e todas, ousou propor serviços e processos de trabalho com a marca da superação do modelo manicomial/asilar, ainda muito constituído no imaginário de amplos segmentos da população. Duas políticas com inovações similares e tempos distintos, com caminhadas que podem se fortalecer. Mas, esse é um caminho que ainda é traçado em paralelo em muitas localidades. Além da formação propriamente dita o projeto Caminhos do Cuidado precisou construir pontos de contato entre ambas, abrindo porteiras para a produção de linhas de cuidado nesse grande problema da saúde pública contemporânea.

e sistemas de saúde, envolvendo trabalhadores com uma marca de trabalho técnico e operacional, requereu superar ceticismos e resistências. Mas o compromisso e o envolvimento desses atores já estão produzindo mudanças no cotidiano das instituições e territórios. Vemos ampliar as possibilidades de atuação desses profissionais no acolhimento, embasando suas práticas de cuidado em Saúde Mental nos problemas relacionados ao uso de crack, álcool e outras drogas. Essa se mostrou uma tarefa desafiadora, mas também uma aposta certeira.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

Não é só o encerramento do projeto, com o alcance das metas previstas, o que nos desafia agora. Um percurso caminhado aponta para novos rumos. É necessário sistematizar o conhecimento produzido até agora nas diferentes localidades, produzir formas de sustentabilidade das iniciativas locais, tornar a problemática do cuidado com usuários de crack, álcool e outras drogas em acolhimento nos serviços e equipes e mobilizar ainda mais a educação permanente em saúde no cotidiano das equipes, envolvendo todos os trabalhadores e o olhar cuidadoso ao território de abrangência desses profissionais. Que esse caminho continue incluindo e qualificando o cuidado! Heider Aurélio Pinto, Diretor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde e Alcindo Antônio Ferla

19

“A execução deste projeto envolveu a articulação entre instituições do SUS de grande relevância para a formação, como as Escolas de Saúde Pública, as Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (SUS), as áreas de Saúde Mental e Atenção Básica dos três entes federativos e os Conselhos Estaduais de Secretários Municipais de Saúde”


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

21

Caminhos do Cuidado O Caminhos do Cuidado nasceu de uma demanda sensível ao contexto que, nos últimos anos, passou a se impor no campo da saúde – a de oferecer formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas para um contingente de mais de 290 mil agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos em enfermagem. Encerramos o ano de 2014, superando as expectativas e alcançando a marca de 226 mil vagas ofertadas a agentes comunitários de saúde e auxiliares e técnicos em enfermagem, resultado que só se tornou possível em virtude do compromisso assumido por todos os parceiros desta empreitada. A formação proposta pelo projeto tornou-se inovadora por sua estratégia de articulação entre profissionais da Atenção Básica e da Saúde Mental, permitindo ampliar o acolhimento e o cuidado do usuário levando em consideração o contexto do território ao qual está inserido. Nesse sentido, a Rede de Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (RET-SUS), por meio das instituições que a compõe, tem sido parceira incansável neste processo de expansão da formação. Sua presença em todas as regiões do país marcada por uma atuação descentralizada e, ao mesmo tempo, articulada, permite compreender as diversidades territoriais e suas consequentes demandas de saúde, o que resulta no rico compartilhamento de metodologias e conteúdos pedagógicos. Esta rede se amplia a cada instante e inclui, ainda, espaços virtuais que contemplam as trocas de experiências e conhecimentos dos alunos, tutores e orientadores. Para cada profissional envolvido na formação, o Caminhos do Cuidado representou uma oportunidade de reflexão, aperfeiçoamento de suas habilidades, expansão de seus horizontes e incorporação de novas práticas em sua dinâmica de trabalho, repercutindo no Sistema Único de Saúde um novo modo de se promover o cuidado à população que enfrenta dificuldades com álcool, crack e outras drogas. Os desdobramentos registrados até o presente momento possibilitam registrar avanços nos movimentos de Educação Permanente em Saúde e propõem iniciativas locais que trazem em si grande potencial de reflexão e transformação das práticas de atenção aos usuários de crack e outras drogas. Mais que a merecida comemoração, esta vitória inicial deve nos estimular a buscar mais e melhores resultados. Temos diante de nós um contexto favorável de riquezas e potencialidades que o Caminhos do Cuidado já iniciou. Esperamos que a formação dos profissionais que ainda faltam para atingir a meta proposta de mais 290 mil pessoas percorra caminhos de sucesso em todo o território nacional, a exemplo da primeira etapa que, com muito mérito e trabalho em rede, foi concluída. Que os caminhos sejam de cuidado e sucesso! Equipe Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES)


Retratos do Caminho


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

25

A construção do Caminhos do Cuidado

O passo a passo da construção do Caminhos do Cuidado será apresentado numa linha do tempo, que traz os principais fatos, datas e dados que marcaram o projeto. A gigantesca e capilarizada estrutura montada para realizar os treinamentos em todas as unidades federativas também está representada nos gráficos a seguir. Do início das discussões, em julho de 2013, à formação de 290.197 alunos, concluída em dezembro de 2014, o projeto passou por diversas etapas, que incluíram a estruturação de equipes, a elaboração do material pedagógico e a criação de um modelo acadêmico de ensino. Em outubro de 2013, os seis estados piloto lançaram oficialmente o Caminhos do Cuidado, iniciando os treinamentos. A partir dai, 2.518 municípios abrigaram aulas do projeto. De barco ou avião, os alunos e tutores discutiram novas ferramentas de acolhida às pessoas com uso problemático de drogas. Nesta missão, foram oferecidas 1,2 milhão de refeições e realizadas 27 mil operações financeiras (como pagamento de diárias ou de bolsas às equipes), entre outros números que destacam a grandiosidade do Caminhos do Cuidado.


26

Capítulo 1 • Retratos do Caminho

OUTUBRO

MARÇO

2012

2013

O Ministério da Saúde através da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

Desenho do Projeto com plano de Trabalho e cronograma de Execução A meta é oferecer formação para os agentes comunitários de saúde do país e um auxiliar/técnico de enfermagem por equipe de saúde da família totalizando

CONVIDA O

10

EDUCADORES Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (FIOTEC)

Equipe pedagógica

Escola do Grupo Hospitalar Conceição

Capacita

80

ORIENTADORES

PARA EXECUTAR A

Formação de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de rnfermagem da saúde da família – Saúde Mental, ênfase em crack, álcool e outras drogas, que consta entre as prioridades da presidência da república no plano de enfrentamento ao crack.

1.200 1.875 TUTORES (META)

MOBILIZADOS

290.197 ALUNOS

META E TOTAL DE VAGAS OFERTADAS (ACUMULADO) 300.000 280.000 260.000 240.000 220.000 200.000 180.000 160.000 140.000 120.000 100.000 80.000 60.000 40.000 20.000 0

Outubro 2013

Meta mensal

Vagas ofertadas

Janeiro 2014

Abril

Julho

Outubro


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

27

ABRIL

JUNHO

2013

2013

Apresentação do Plano de comunicação (Produção, circulação e apropriação)

Oficina de validação do material didático pela equipe de consultores do Projeto, com a preocupação de ser uma tecnologia de educação permanente para as equipes de saúde

PRODUÇÃO Criação da identidade visual, das peças institucionais e didáticas (cartilha, caderno, mochila, pasta, bloco, vídeos, manual tutorial) e eventos públicos como aula inaugural, formação de orientadores e tutores, formatura de alunos.

CIRCULAÇÃO Criação de estratégias para fazer circular as informações dos Caminhos do Cuidado para a comunidade interna e externa através da intranet www.caminhosdocuidado.com, do site www.caminhosdocuidado.org, e.mail marketing e mídia espontânea.

APROPRIAÇÃO Apropriação da mensagem pelos alunos e tutores com a organização de Mostras regionais, produção de vídeos formativos e informativos, publicação da fala dos alunos e depoimentos das equipes regionais no território no site.

EDUCADORES

CONSULTORES

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROJETO CAMINHOS DO CUIDADO

ESBOÇO DO PLANO DE CURSO, COM MATRIZ CURRICULAR E QUESTÕES DE APRENDIZAGEM A construção da matriz curricular está comprometida com a atenção gerida na perspectiva da Linha de Cuidado em Saúde Mental, para tanto tem como base os princípios do SUS, a Política Nacional de Saúde Mental, Política de Atenção Básica e a Política de Atenção Integral aos usuários de álcool e outras drogas. MATRIZ CURRICULAR

Eixo temático 1

Conhecendo o território, as redes de atenção, os conceitos, políticas e as práticas de cuidado em saúde mental

Eixo temático 2

A caixa de ferramentas dos ACS e ATENF na Atenção Básica

CARGA HORÁRIA

24 12

horas presencial

16

horas presencial

horas de dispersão

8

horas de dispersão

Eixo transversal

Reforma Psiquiátrica, Redução de Danos e Integralidade do cuidado como diretrizes para intervenção em saúde mental e no uso de álcool, crack e outras drogas

Total Fonte: Elaboração própria

40 20

horas presencial

horas de dispersão

ELABORARAM E VALIDARAM O MATERIAL DIDÁTICO OFERECIDO NO CURSO como no acompanhamento das oficinas de aprendizado para orientadores e tutores. Eles trocam experiências e esclarecem dúvidas dos alunos e também propõem e compartilham estratégias educativas junto aos profissionais da equipe de apoio pedagógico.


28

Capítulo 1 • Retratos do Caminho

JULHO

AGOSTO

SETEMBRO/OUTUBRO

2013

2013

2013

Construção do mapa das atribuições dentro da estrutura organizacional

Regionalização

Planejamento do Lançamento Nacional em 23 de outubro nos seis estados pilotos, e até o fim do ano, em todos os estados do país.

Oficina de planejamento para organização do trabalho

Estrutura organizacional da equipe nacional

Cronograma e infraestrutura necessária à execução do projeto

Meta de lançamento das primeiras turmas de alunos: outubro

A execução deste projeto pressupõe a articulação entre as instituições do SUS que protagonizarão essa formação no território

Pernambuco Escolas de Saúde Pública e Escolas Técnicas do SUS

Conselho de Secretários Municipais de Saúde

Saúde mental Atenção básica dos três entes federativos

As bases do projeto: Engajar as equipes que compõem a rede de cuidado; fazer a descentralização autárquica e os pactos entre os entes federados; construir a integralidade e criar um sistema regionalizado

Acre

Paraná Distrito Federal Rio Grande do Sul

São Paulo

Caminhos do Cuidado é oficialmente lançado em seis estados

Oficina de validação do caderno do aluno por agentes comunitários de saúde (ACS) e auxiliares e técnicos de enfermagem (ATENFs) de cada região do país. Processo de avaliação do caderno envolveu linguagem, dinâmica, técnica, relação entre teoria e prática, compreensão dos textos vídeos e formatação. Ao fim foram elaboradas propostas para qualificação do material didático.

PERNAMBUCO

ACRE

Em agosto, aconteceu o primeiro encontro com Escolas Técnicas do SUS/ETSUS dos estados definidos como pilotos para o lançamento das primeiras turmas: Pernambuco, São Paulo, Acre, Paraná, Distrito Federal e Rio Grande do Sul.

DISTRITO FEDERAL

SÃO PAULO

PARANÁ

RIO GRANDE DO SUL


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

NOVEMBRO-SETEMBRO 2013

29

DEZEMBRO

2014

2014

Oficinas de Orientadores de Aprendizagem do Projeto Caminhos do Cuidado

Formação dos alunos Curso de 40 horas presenciais e 20 horas de dispersões, com turmas de 40 alunos. São cinco encontros presenciais para a formação em saúde mental, com ênfase em crack, álcool e outras drogas do Caminhos do Cuidado.

Durante três dias, os futuros orientadores participaram de aulas, dinâmicas e receberam conhecimentos de educação a aistância (EAD) para atuar junto aos tutores, que serão responsáveis pela formação dos agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares e técnicos de enfermagem (ATENFs) OFICINAS DE FORMAÇÕES DE TUTORES Os tutores vão formar

Certificação e Mostras Agentes comunitários de saúde (ACSs)

O projeto Caminhos do Cuidado disponibiliza no site os certificados para os agentes comunitários de saúde (ACSs) e auxiliares e técnicos em enfermagem (ATENFs) que concluíram a formação em saúde mental, álcool, crack e outras drogas do projeto Caminhos do Cuidado. Os estados promovem solenidade de formatura para entrega de certificados.

Auxiliares/técnicos em enfermagem (ATENFs)

Para atender as pessoas com uso problemático de crack, álcool e outras drogas transmitindo os conceitos de redução de danos, da área de Saúde Mental para Atenção Básica

TUTORES FORMADOS POR ESTADO Acre 26 47 Alagoas Amapá 10 Amazonas 44 Bahia Ceará Distrito Federal Espírito Santo Goiás Maranhão Mato Grosso Mato Grosso do Sul Minas Gerais Pará Paraíba Paraná Pernambuco Piauí Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Rondoina Roraima Santa Catarina São Paulo Sergipe Tocantins

51 56 33

24 20

Vagas ofertadas: 228.287

NORTE

NORDESTE

32.440

114.532

20.657

86.998

35.570

21.647

95.314

23.827

54.446

33.053

CENTRO-OESTE SUDESTE

SUL

157

94

55

52

TOTAL DO BRASIL

Metas: 290.197

108

10

METAS E VAGAS OFERTADAS (de out/2013 a dez/2014)

72 82 88 85 68 82 69 76

222

TOTAL

1875 179

34 31

“Nunca antes da História do país houve uma formação tão abrangente para a atenção básica com o tema da saúde mental”, assim o diretor de Articulação e Coordenação de Politicas sobre Drogas do Ministério da Justiça, Leon Garcia definiu a oportunidade. Ele palestrou sobre saúde mental, atenção básica e crack durante a oficina de formação de orientadores realizada em Brasília, no Distrito Federal.

Os estados promovem mostras dos alunos do Caminhos do Cuidado com a produção desde o seu início e no decorrer da formação, de uma série de trabalhos criativos, que remontam à temática da formação em saúde mental, álcool, crack e outras drogas.


30

Capítulo 1 • Retratos do Caminho

NÚMEROS DO PROJETO NÚMERO DE TURMAS REALIZADAS E VAGAS OFERECIDAS

NÚMERO DE PESSOAS ENVOLVIDAS NO PROJETO DIRETOS

NÚMERO DE ENVOLVIDOS NOS EVENTOS DE LANÇAMENTO DO PROJETO

NÚMERO DE REFEIÇÕES CONTRATADAS

Estão programadas até 31/12/2014 um total de 6.102 turmas, com um total de 226.000 vagas ofertadas

Mobilizou uma equipe de

Em 23/10/2013 (6 estados) 120 DF 200 AC 350 PE 150 PR 150 RS 800 SP

1.200.000

78% do total da meta

EXEMPLOS DE TIPOS DE TRANSPORTES

2.320 profissionais 226.000 alunos 2.780 fornecedores de serviços (indiretos)

refeições até 31/12/2014 para atender

238.000

pessoas entre alunos e tutores

SOLICITAÇÕES ENVIADAS ATÉ 31/12/2014 RR 17.800

TRANSPORTE FLUVIAL

AP 34.000

42

QUANTIDADE LOCAIS Estado do Pará OBSERVAÇÃO Mais situações como estas ocorreram, entretanto, a contratação foi feita diretamente pelo usuário do transporte e este foi reembolsado por ajuda de custo.

AM 75.000

AC 27.000

TO 75.400

RO 90.600 MT 141.400

TAXI AÉREO

12

QUANTIDADE LOCAIS Estados do Acre e Amazonas

MS 70.400

OUTROS QUANTIDADE A grande maioria dos deslocamentos dos tutores se deu via transporte coletivo, além de taxi e condução própria. LOCAIS Todos os estados brasileiros.

NÚMERO DE KITS DO ALUNO DISTRIBUIDOS (Kits composto de caderno do aluno, guia, mochila, camiseta e caneta) Até 31/12/2014 foram distribuidos

226.000 kits

de material para os alunos no Brasil todo, fazendo com que fossem percorridos 8.950.000km para que todo este material chagasse a seu destino, o equivalente a mais de 223 voltas na terra.

5.470.400 km

PI 211.600

GO 196.400

PR 214.600

RS 292.200

SP 155.800

AL 209.800

BA 822.400

DF 18.600

TOTAL

RN CE 114.800 495.200 PB 145.800

MA 323.000

PA 357.000

MG 469.400

PE 278.000

SE 121.400

ES 146.400

RJ 164.600

SC 201.800

A distância média percorrida pelo tutor para chegar de sua residência ao local das aulas foi de

45km

NÚMERO DE FORNECEDORES PARCEIROS ENVOLVIDOS NO PROJETO Até 31/12/2014 tivemos

54 parceiros estratégicos,

NÚMEROS DE BOLSISTAS

OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Tivemos um total de

Foram realizadas até 31/12/2014 mais de

449 bolsistas que passaram pelo projeto compondo a aquipe até 31/12/2014

fornecendo os materiais e serviços necessários para a realização do projeto. Tivemos ainda

Tivemos um total de

fornecedores locais, provendo, cada um em sua cidade ou região, alimentação, sitemas de multimidia, local para a realização das aulas e outro serviços.

tutores contratados como bolsistas nestes períodos, totalizando 2.318 bolsistas envolvidos com o projeto até 31/12/2014

2.720

1.869

27.000

operações financeiras no projeto 16.600 pagamentos de diárias

3.900 pagamentos de bolsas às equipes e tutores participantes


Caminhos do Cuidado โ€ข Relatรณrio 2014

31


Falas do Caminho


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

35

Caminhos do Cuidado, uma gigantesca marcha

Um desafio de proporções continentais. Assim foi a marcha do Caminhos do Cuidado para capacitar agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem num país com 26 estados e um Distrito Federal. A formação em saúde mental, álcool, crack e outras drogas chegou a 2.518 municípios brasileiros, com a premissa de que, em cada unidade básica de saúde, todos os agentes comunitários e pelo menos um técnico ou auxiliar de enfermagem participassem do treinamento. Edelves Rodrigues, da equipe de coordenação pedagógica do projeto, explica que o objetivo principal era ampliar as práticas do cuidado, acolhimento e escuta. Para isso, foi preciso pactuar a formação nos estados, descentralizando a gestão. O apoio das Escolas Técnicas do SUS (ETSUS), dos Conselhos de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e das áreas de atenção básica e saúde mental, nas diferentes esferas de governo, mostrou-se decisivo nesse processo de articulação. Na avaliação de Edelves, foi possível buscar o real sentido da educação permanente, que signifique, na prática, um atendimento mais humanizado – e livre de preconceitos – às pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas.


36

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

O apoio das Escolas Técnicas do

mentar um cuidado cada vez mais voltado ao cidadão nos

SUS (ETSUS), dos Conselhos de

territórios. Kaciely de Lima Jacino, coordenadora macror-

Secretarias Municipais de

as três esferas de governo (federal, estadual e municipal)

Saúde (Cosems) e das áreas de atenção básica e saúde mental, nas diferentes esferas de governo,

regional – Nordeste 1 e Acre, diz que a articulação entre e o envolvimento dos atores convocados a participar do projeto possibilitou cumprir a missão de formar a totalidade dos alunos. Já Renata Gusmão, coordenadora macrorregional do Sul, afirma que, numa avaliação retrospectiva, é impos-

mostrou-se decisivo nesse proces-

sível não se surpreender com o alcance do Caminhos do

so de articulação

de práticas de saúde mais humanizadas, acolhedoras e

Cuidado. Ela acredita que o projeto espalhou sementes integrais. Na avaliação de Renata, o grande desafio agora é garantir a água e o sol necessários para que as sementes floresçam e resistam às dificuldades do cotidiano.

Coube aos coordenadores macrorregionais planejar e

Pedro Papini, coordenador macrorregional de Maranhão,

monitorar a execução da formação dos alunos na área

Roraima e Rondônia, aponta um caminho: contar e com-

sob sua responsabilidade. Eles também acompanharam

partilhar as histórias do Caminhos do Cuidado, com seus

e avaliaram os cronogramas de formação e promoveram

erros, acertos e curiosidades.

a divulgação, a negociação e as pactuações necessárias com os atores nos territórios, para a realização dos cursos. Essas articulações em cada unidade federativa tiveram ainda a participação dos coordenadores estaduais e de seus apoios.

E não faltarão mesmo histórias a serem difundidas. No Acre, foi preciso alugar um barco para garantir o treinamento de alunos em cidades de difícil acesso. A logística de alimentar batalhões de agentes comunitários, auxiliares e técnicos de enfermagem incluiu criar um cardápio e forne-

Waleska Pereira, diretora da Escola Estadual de Educação

cer quentinhas, em municípios onde praticamente não há

Profissional em Saúde do Estado do Rio Grande do Sul

restaurantes. Entregar o material do projeto – livros, cader-

(ETSUS/RS), afirma que o Caminhos do Cuidado fortaleceu

nos, camiseta e mochila – também exigiu uma estratégia

a relação entre os trabalhadores de saúde, as escolas dos

de guerra, desde a escolha dos fornecedores até o armaze-

SUS e os gestores, ampliando o debate sobre a questão do

namento, para garantir a melhor relação custo-benefício.

cuidado e acolhimento da pessoa com uso problemático de drogas. Janaína Duarte, diretora da ETSUS de Alagoas, acredita que o projeto proporcionou um novo olhar em torno das questões de Saúde Mental E uso abusivo de drogas e isso renderá frutos na prática dos territórios.

Tantos desafios foram recompensados pela maneira calorosa como os alunos, de Norte a Sul, abraçaram o Caminhos do Cuidado. Nas aulas, não faltaram demonstrações de entusiasmo com o projeto, por meio de homenagens aos tutores, músicas, poesias, vídeos. Mais do que isso, a práti-

Para Anna Letícia Ventre, coordenadora macrorregional

ca no território passa agora pelo uso de novas ferramentas,

do Sudeste, o projeto permitiu importantes aproximações

garantindo às pessoas com uso problemático de crack,

entre saúde mental e atenção básica, no sentido de fo-

álcool e drogas uma perspectiva de mudar seu futuro.


Caminhos do Cuidado โ€ข Relatรณrio 2014

37


38

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

ACrE

pacto pioneiro A distância entre os municípios não foi obstáculo para que o estado do Acre se tornasse a primeira unidade da federação a cumprir sua meta do projeto Caminhos do Cuidado. O sucesso pode ser atribuído, entre outros fatores, a um pacto firmado antes mesmo de o treinamento começar no Acre, um dos seis estados-piloto do projeto. Esse pacto começou a ser trilhado na Escola Técnica em Saúde Maria Moreira da Rocha (ETSUS/Acre), entidade responsável por negociar as parcerias com os municípios, sempre com o objetivo de fortalecer os processos de saúde, do cuidado e da educação permanente a partir dos núcleos locais. A bem sucedida experiência possibilitou, inclusive, partir para uma nova missão: formar mais 400 agentes, em sete municípios, alguns acessíveis apenas de barco ou avião.

Área do Estado .......164.123 km²

Os responsáveis pelo Caminhos do Cuidado estão confian-

População...............709.101 habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Julho de 2014 • Tutores mobilizados ............... 26

tes, até porque o processo inicial permitiu criar formas de engajar os alunos de maneira mais eficiente. Domisy Vieira, tutora do projeto, observa que num primeiro momento, as informações do projeto foram recebidas com apreensão

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 56

pelos alunos, que acreditavam tratar-se apenas de apren-

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

der mais sobre drogas lícitas ou ilícitas. Porém, logo eles perceberam que o tema em questão era a abordagem à pessoa em situação de vulnerabilidade e como isso deveria ser feito em termos de cuidado, acolhimento e escuta. Para Domisy, eles compreenderam que já desenvolviam ações nesse sentido e, ao compartilhar suas experiências, melhoraram o processo de aprendizagem como um todo. A tutora diz que os alunos entenderam também que, muitas vezes, a solução depende de um gesto simples. Numa visita, por exemplo, precisaram buscar socorro médico para uma dependente de drogas que estava prestes a enfartar.

2.221 vagas

META

1.736

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

Engajados em uma nova visão de acolhimento e cuidado, os alunos de Rio Branco, a capital do Acre, foram além e criaram um questionário para a abordagem de pessoas que incorporam o uso abusivo de drogas. O objetivo era


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

39

saber, principalmente o que levara o indivíduo a se tornar

Para Nazaré Figueiredo, coordenadora estadual do

dependente de drogas como crack, cocaína, maconha e

Caminhos do Cuidado, os bons resultados estão direta-

merla, entre outras.

mente relacionados ao engajamento de todos os atores

A partir daí, alguns alunos começaram a olhar as pessoas

envolvidos no projeto. Ela conta que os tutores são muito

que estavam em situação de vulnerabilidade de outra forma, em vez da visão tradicional de que essas pessoas estavam apenas por escolha própria. Eles perceberam e

comprometidos com o projeto e a equipe estadual é responsável e sempre esteve empenhada em cumprir o cronograma do projeto.

entenderam que, por trás daquela opção, existia um sofrimento e que muitas vezes, esse sofrimento foi o causador do vício, conta a tutora Érica Fabíola Araújo da Silva Faria. A técnica de enfermagem Clarice dos Santos Espinosa, de Xapuri, também acredita que o mais importante do Caminhos do Cuidado é dar aos profissionais da área uma nova visão do problema. No curso, Clarice lembra que eles aprendem a identificar a pessoa em situação de vulnerabilidade, a conversar com ela de maneira correta e, se for o caso, a orientá-la para buscar um atendimento. Os agentes e profissionais de saúde precisam estar mais integrados para tratar dos problemas. Se cada um fizer a sua parte, o resultado é melhor, afirma a técnica de enfermagem.

os agentes e profissionais de saúde precisam estar mais integrados para tratar dos problemas. Se cada um fizer a sua parte, o resultado é melhor” Clarice Espinosa


40

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

ALAGOAS

Avaliação permanente Uma celebração marcou o encerramento do Caminhos do Cuidado em Alagoas. O estado, que alcançou a meta de formar 100% dos agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem, reuniu tutores e alunos na Universidade Federal de Alagoas, para fazer um balanço do projeto no estado. Segundo a coordenadora estadual, Emilene Donato, a ideia foi aproveitar esse encontro para a troca de experiências entre os participantes, de uma forma leve, democrática e significativa. Em Alagoas, a equipe estadual trabalhou em parceria com a Escola Técnica de Saúde Professora Valéria Hora (Etsal), que disponibilizou contatos e conhecimento. Emilene Donato conta que o Caminhos do Cuidado foi prontamente aceito pelos gestores, que destacaram a importância

Área do Estado .......27.768 km² População...............3,322 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

de qualificar seus profissionais, em especial no interior do estado. E não faltaram solicitações dos municípios para incluir profissionais de nível superior como assistentes

• Início do projeto ..................... Fevereiro de 2014

sociais, psicólogos, médicos, enfermeiros, apoiadores ins-

• Tutores mobilizados ............... 47

titucionais da Atenção Básica e trabalhadores dos Centros

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 168

de Atenção Psicossocial.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

6.815 vagas

META

6.205

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

41

Para tornar ainda mais produtivo o treinamento oferecido

A tutora Adriana Paes Castro, diz que participar do treina-

pelo projeto, a coordenação estadual criou uma Comis-

mento contribuiu para mudar o olhar da Atenção Básica

são de Educação Permanente em Saúde do Caminhos

sobre a Saúde Mental. Ela acredita que o projeto será um

do Cuidado, ligada à Secretaria de Saúde de Maceió. Foi

facilitador e abrirá portas para aprimorar os tratamentos

elaborado um questionário de avaliação dos profissionais

de álcool e drogas realizados por intermédio do SUS.

formados, para análise da utilidade do curso em suas práticas de saúde.

A agente comunitária de saúde Josenilda Portela, que atua em Coruripe, que fica a cerca de 100 quilômetros da

Todo esse empenho se refletiu na dedicação dos alunos.

capital Maceió, afirma que o curso foi muito produtivo.

Emilene lembra que a maioria fez diferença ao longo do

Mesmo em pouco tempo, ela conta que pôde passar a ter

processo, produzindo cordel, depoimentos em vídeos,

uma visão diferente das pessoas com uso problemático de

peças de teatro e músicas, com muito envolvimento e

drogas. Ela acrescenta que o receio que tinha em traba-

criatividade. Esse comprometimento fez com que, diver-

lhar com esses pacientes foi superado com a capacitação

sas vezes, a equipe estadual do Caminhos do Cuidado se

teórica e prática do curso.

emocionasse com a riqueza dos resultados.

elaboramos um questionário de avaliação dos profissionais formados, para análise da utilidade do curso em suas práticas de saúde” Emilene Donato


42

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

AMAPá

Mudança de comportamento No Amapá, agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem navegaram ao sabor do Caminhos do Cuidado, muitas vezes, literalmente. É que, para participar do treinamento, muitos alunos precisaram enfrentar jornadas de até 18 horas de barco de casa à cidade onde as aulas aconteceram. Em alguns casos, o aviso sobre o curso em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas foi feito por intermédio da rádio local. Mas, mesmo quem morava em vilarejos no meio da mata fechada, cujo único transporte é fluvial, fizeram questão de participar. Não sem motivos: o projeto foi a única ação de Saúde Mental no estado nos últimos anos. Com uma rede de atendimento psicossocial ainda frágil – ou até inexistente – os agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

Área do Estado .......142.815 km²

tiveram uma oportunidade pouco comum de aprender,

População...............751 mil habitantes Dados do IBGE - ano 2014

trocar experiências e refletir sobre a problemática do uso abusivo e dependente de álcool, crack e outras drogas.

• Início do projeto ..................... Abril de 2014 • Tutores mobilizados ............... 10 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 38

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

Tornou-se possível ter uma forma mais humana de ver e trabalhar o cuidado ao paciente de saúde mental” Lorilei Stefanello Seccon

1.382 vagas

META

1.215

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

43

A coordenadora estadual, Lorilei Stefanello Seccon, expli-

importância do trabalho em equipe. Mais do que isso,

ca que o treinamento também fortaleceu a autoestima

foram informados sobre a maneira certa de abordar as

dos alunos, que ganharam novas ferramentas para atuar

pessoas com uso problemático de drogas e a encaminhá-

em seus territórios. Com isso, ela afirma que o compor-

-las aos serviços públicos de saúde.

tamento desses profissionais em relação à população em situação de vulnerabilidade vai mudar. Tornou-se possível ter uma forma mais humana de ver e trabalhar o cuidado ao paciente de saúde mental. A expectativa agora é que o Caminhos do Cuidado se torne um instrumento de educação permanente no estado e que os demais profissionais da rede sejam capacitados.

Os relatos dos alunos foram marcantes. O agente comunitário de saúde Igor emocionou sua turma ao contar que foi criado em uma boca de fumo e que a maioria dos seus amigos está presa ou morta. O rapaz disse que teve contato com várias drogas, mas que optou por ser um promotor de saúde. A experiência de vida, porém, garantiu-lhe uma habilidade para acolher, ouvir e respei-

A tutora Larissa Marques Cabral trabalhou com alunos

tar a pessoa que incorpora o uso abusivo e dependente

das comunidades mais afastadas e ficou surpresa com

de drogas. Já a agente comunitária de saúde Maria de

a receptividade. Ela afirmou que agentes comunitários,

Lourdes observou que é preciso atender também às

auxiliares e técnicos de enfermagem deram depoimentos

famílias que sofrem com o problema.

emocionantes e saíram do treinamento com a certeza da


44

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

AMAZONAS

Metodologia diferenciada No Amazonas, nem a Copa do Mundo nem as eleições atrapalharam o processo Caminhos do Cuidado. Difícil mesmo foi criar uma logística para distribuir o material pedagógico a todos os municípios, já que muitos só são acessíveis de barco ou avião. A coordenadora estadual, Juliana Rodrigues da Costa, explica que a saída foi concentrar todo o material em Manaus e, a partir da capital, criar rotas de escoamento. Isso encurtou o tempo e permitiu que o projeto atingisse as regiões mais afastadas do estado. Com o equipamento em mãos, os alunos abraçaram a causa do Caminhos do Cuidado e, segundo Juliana, já há relatos de como estão aplicando o que aprenderam em sua prática cotidiana nos territórios. A coordenação estadual está agora planejando como atender a demanda de

Área do Estado .......1.570.746 km² População...............3,874 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Abril de 2014 • Tutores mobilizados ............... 44

outras categorias, que também querem participar do treinamento. É o caso de enfermeiros e agentes indígenas. A tutora Carla Regina Lopes da Silva, diz que o curso abriu um leque de ações sobre como lidar e abordar o problema de álcool e outras drogas. Ela acha que a Saúde

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 141

Mental ganhou um sentido mais humano em sua vida e

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

acredita que os profissionais cuidadores podem reverter a situação de dependentes gradativamente com outra forma de abordagem apresentada pelo projeto. A técnica de enfermagem Eliane Lopes, que trabalha no município Manacapuru, a cerca de 80 quilômetros de Manaus, diz que o curso abriu a sua mente para a forma prática de atuar. E, que agora sabe abordar, atender e acolher o paciente de uma maneira diferente.

META

6.526

4.813 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

Já há relatos de como os alunos estão aplicando o que aprenderam em sua prática cotidiana nos territórios” Juliana Rodrigues da Costa

45


46

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

BAHIA

Semente do futuro A primeira etapa do treinamento do Caminhos do Cuidado mal acabou e os baianos já querem mais. A coordenadora estadual do projeto, Claudia Silva, conta que tem recebido pedidos de profissionais de nível superior, como assistentes sociais, enfermeiros e funcionários dos Centros de Assistência Psicossocial (CAPS) para que eles também possam participar da formação. O sucesso do trabalho também pode ser atribuído a pactuação com os municípios proposta pela Escola Técnica do SUS da Bahia, executora do projeto no estado. Na Bahia, a formação em Saúde Mental, com ênfase em crack, álcool e drogas tem mobilizado tutores e alunos. Segundo Claudia Silva, antes do Caminhos do Cuidado, havia muito preconceito em relação às pessoas que fazem

Área do Estado .......564.733.177 km² População...............15.126.371 habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Janeiro de 2014 • Tutores mobilizados ............... 157 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 650

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

28.933

25.304 vagas

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

47

uso dependente e problemático de drogas. Agora, essa

Já em Caetité, a homenagem ao projeto surgiu em forma

visão mudou. Agentes comunitários de saúde, auxilia-

de cordel. Segundo a tutora Marinês Oliveira, muitos

res e técnicos de enfermagem estão voltando aos seus

alunos tinham vocação para lidar com pessoas que

territórios de atuação com a intenção de ouvir, acolher e

incorporam o uso abusivo e dependente de drogas, mas

encaminhar essa parcela da população.

precisavam de ferramentas para transformar esse conhe-

O interesse no curso também pode ser medido em versos. Diversas turmas expressaram a importância do Caminhos do Cuidado em poesia. Uma turma de Igrapiúna, que teve as tutoras Myrian do Carmo e Maria Karine Fernandes organizou um jogral: “Ao lidar com o usuário / Não devemos tratá-lo com indiferença / Pois o vínculo, o acolhimento e a escuta / São ferramentas essenciais para tais experiências”.

cimento empírico num acolhimento eficaz. Ela afirma que os alunos, após o treinamento, ficaram muito motivados e se sentiram em condições de enfrentar o desafio.

Agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem estão voltando aos seus territórios de atuação com a intenção de ouvir, acolher e encaminhar essa parcela da população” Claudia Silva


48

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

CEArá

Criatividade em cena Ideias criativas não faltaram no treinamento do Caminhos do Cuidado no Ceará. Em sala de aula, os agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem usaram poesia, teatro e artesanato para aprender novas ferramentas de acolhida e compartilhar seus conhecimentos em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas. O objetivo foi mudar a visão do problema e encontrar uma abordagem mais humana para as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente das drogas.

os alunos gostam do que fa-

Área do Estado .......148.826 km² População...............8,779 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Abril de 2014 • Tutores mobilizados ............... 108 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 333

*Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

16.463

12.934 vagas

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

tornarem multiplicadores do Caminhos do Cuidado” Rossana Vasconcellos

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014

META

zem e sentem desejo de se


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

49

A coordenadora estadual do projeto, Raimunda Félix

Para a tutora Rossana Vasconcellos, que atuou em Ara-

de Oliveira, a Rane, explica que o Caminhos do Cuidado

cati, ideias assim deixam claro que os atores do Cami-

teve uma acolhida muito positiva entre os profissionais

nhos do Cuidado já se apropriaram do projeto e pre-

de saúde. Ela diz que a experiência do treinamento será

tendem realmente adotá-lo em sua prática cotidiana.

levada para a Escola de Saúde Pública do Ceará, fortale-

Rossana diz que trata-se de profissionais que gostam do

cendo a qualificação em Saúde Mental no estado.

que fazem e que sentem desejo de se tornarem multi-

Para muitos alunos e tutores, o projeto deixa uma doce

plicadores do projeto.

saudade. Em Pedra Branca, os tutores Sergio Diógenes e

O agente comunitário de saúde Firmino de Souza, de

Francisco Sidynei foram surpreendidos, no último dia de

Apuiarés, conta que, em sua cidade, os alunos do Cami-

aula, com um bolo confeitado com as cores e a logo-

nhos do Cuidado vão realizar oficinas sobre o tema para

marca do projeto. Dois bonequinhos simbolizavam os

os moradores. Segundo Firmino, a iniciativa, que tem

tutores. Em Juazeiro do Norte, uma turma das tutoras

o apoio de médicos e enfermeiros, alcançará 80% da

Daiana Leite e Edlane Martins também levou um bolo

população do município.

para marcar o encerramento do projeto.


50

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

DISTrITO fEDErAL

Efeito multiplicador

o curso ajuda os profissionais a terem outra visão, respeitar quem quer que seja e se sensibilizar com o outro” Maria José de Jesus

Área do Estado .......5.802 km² População...............2.852.372 habitantes Dados do IBGE - ano 2014

No Distrito Federal, o projeto Caminhos do Cuidado já • Início do projeto ..................... outubro de 2013

está com seu futuro garantido. A temática da Saúde

• Tutores mobilizados ............... 10

Mental, crack, álcool e outras drogas foi integrada à

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 27

Escola Técnica de Saúde de Brasília (ETESB). A partir de 2015, quem ingressar no curso de formação em agente

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

comunitário de saúde aprenderá o conteúdo e os conceitos abordados pelo projeto. Para os que ainda não fizeram, a formação estará garantida no ano que vem, reitera a coordenadora do projeto no Distrito Federal, Tereza Cristina Lyra Leite. A ETESB vai receber os auxiliares e técnicos de enfermagem que não foram atendidos pelo Caminhos do Cuidado. O processo de formação de turmas e a execução do curso foram possíveis por meio da articulação feita pelas diretorias de Atenção Primária. Em cada regional uma

META

1.063 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

1.004

diretoria de Atenção Primária coordenou as equipes de Saúde da Família. No ano que vem, está prevista uma exposição dos trabalhos realizados por essas regionais. Tereza Cristina afirma que o Caminhos do Cuidado tem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

sido extremamente importante no treinamento dos agentes comunitários de saúde. Para a enfermeira Rossana Pontes, mestre em Ciências da Saúde, o conceito inovador do projeto transformou totalmente sua maneira de ver as questões das pessoas em situação de vulnerabilidade. Rossana iniciou seu trabalho no Caminhos do Cuidado como tutora, atuou na formação da primeira turma de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem e, posteriormente, foi aprovada na seleção para orientadora. Ela conta que tinha um olhar preconceituoso sobre as pessoas em situação de vulnerabilidade e com transtorno mental, mesmo que esses pacientes fizessem parte do seu dia a dia na assistência. Hoje ela diz que tem outro olhar, outra acolhida. E consegue entender as escolhas e respeitá-las. A mesma transformação, na avaliação de Rossana, aconteceu com tutores e alunos, num processo que tende a multiplicar as boas práticas no acolhimento e atendimento aos usuários. Segundo ela, o olhar mudou e foi notória a sensibilização de novos multiplicadores. Aluna da primeira turma de formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, a agente comunitária Maria José de Jesus percebeu, durante o treinamento, o papel essencial que exerce na questão do acolhimento e da Redução de Danos. Ela considera fundamental olhar nos olhos do usuário, perceber suas condições, conversar, escutar e, depois, repassar à equipe do atendimento todos os problemas constatados durante o encontro. Segundo ela, o curso ajuda os profissionais a terem outra visão, respeitar quem quer que seja e se sensibilizar com o outro.

51


52

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

ESPÍrITO SANTO

Experiências compartilhadas As diferentes realidades dos 78 municípios do Espírito Santo não impediram o Caminhos do Cuidado de produzir resultados positivos no estado. Lidando no cotidiano com estruturas e serviços diversos, agentes comunitários de saúde e auxiliares e técnicos de enfermagem puderam compartilhar suas experiências e dúvidas, criando novas condições para a acolhida das pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. A coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado, Elzimar Evangelista Peixoto Pinto, conta que o projeto possibilitou ainda criar um canal de comunicação entre a Saúde Mental e a Atenção Primária, por meio de iniciativas como telessaúde, mapeamento/aproximação de realidades locais com as coordenações regionais e a discussão

Área do Estado .......46.078 km² População...............3,885 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Março de 2014 • Tutores mobilizados ............... 51

de ações de continuidade. Outro ponto importante foi aproximar os alunos da temática da Saúde Mental. Segundo a coordenadora estadual, os conteúdos trabalhados são importantes para o cotidiano da ação de acolhida, escuta e encaminhamento

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 153

nos territórios. O próximo passo, na opinião de Elzimar

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014

é garantir a continuidade das formações e estender esse

*Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

o projeto possibilitou criar uma comunicação entre a saúde mental e a atenção primária”

5.889 vagas

META

5.803

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

Elzimar Evangelista Peixoto Pinto


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

53

treinamento a todos os profissionais de saúde, além de

sentem diante dos casos que conhecem nas visitas, mas

estruturar redes de serviço.

não fazem eco – e portanto, ficam sem cuidado – quan-

Para a tutora Daniele Stange, o Caminhos do Cuidado foi especial durante todo o curso de formação. Ela afirma que muitas pessoas puderam transformar o olhar sobre o transtorno mental e especialmente sobre pessoas em sofrimento devido ao uso de crack, álcool ou outras drogas. Ela disse que ouviu dos ACSs e ATENFs o quanto é neces-

do levados às equipes das unidades de saúde. Com a experiência no projeto, ela disse que resgatou forças para continuar provocando, a partir de seu trabalho, que os caminhos do cuidado abram-se cada vez mais para a inclusão das pessoas com sofrimento psíquico, na utopia de um mundo mais justo e acolhedor.

sário informar sobre os temas tratados no curso também

A agente comunitária de saúde Ana Beatriz Tomasi, que

para os colegas de nível superior. Muitos apontavam

atua em Colatina, a 130 quilômetros de Vitória, diz que

essa necessidade por acreditar que esses profissionais

já tinha feito outras capacitações nessa área, mas o

desconhecem a história da loucura, a rede de atenção

Caminhos do Cuidado foi marcante, pois passou a ver as

psicossocial ou outras saídas que seja não a internação

pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de

para dependentes de drogas. Outros, por outro lado,

drogas como doentes e não como delinquentes. Ela diz

pediam por essa extensão do projeto àqueles colegas

que o curso lhe deu outra perspectiva de conceito para a

como um pedido de socorro, para aplacar a solidão que

questão da dependência de drogas.


54

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

GOIáS

Impacto positivo Em Goiás, o Caminhos do Cuidado completou um ano com a marca do sucesso. No primeiro momento, a formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas surpreendeu os alunos. Eles precisaram rever seus conceitos para entender a nova proposta e ouvir, acolher e encaminhar as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. A coordenadora estadual, Miriã Alves Coutinho, explica que, ao longo do treinamento, os alunos foram gradativamente impactados e que isso tornou o processo gratificante. Segundo ela, apesar de árduo, o trabalho renderá frutos, o que fica claro nos depoimentos de alunos e tutores. O tutor Joaquim Lino Suarte Neto, destaca que o comprometimento dos atores envolvidos no Caminhos do Cuida-

Área do Estado .......340.086 km² População...............6,523 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Dezembro de 2013 • Tutores mobilizados ............... 56 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 239

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

9.918 vagas

META

9.539

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

do é uma das razões para a boa acolhida que o projeto obteve em Goiás. Ele acredita que, após o treinamento, os alunos voltam ao território com um olhar e um sentimento livres do véu do preconceito. Com isso, na opinião do tutor, será possível adotar uma abordagem mais ética e um cuidado mais humanizado na atenção às pessoas com uso problemático de drogas. A agente comunitária de saúde Rejane de Fátima Silva diz que assumiu uma nova postura na abordagem de pessoas com uso problemático de drogas depois do treinamento. Atuante no município de Caldas Novas, ela conta que ganhou experiência para lidar com a Redução de Danos, adequada à situação e à demanda de cada paciente.

55

Será possível adotar uma abordagem mais ética e um cuidado mais humanizado na atenção às pessoas com uso problemático de drogas” Joaquim Lino Suarte Neto


56

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

MArANHãO

Conquistas e transformações No Maranhão, além da capacitação de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem, o projeto sensibilizou outros profissionais da Atenção Básica para as questões da Saúde Mental, com ênfase no enfrentamento das drogas. Na prática do dia a dia, aproximou as áreas de Saúde Mental e Atenção Básica, proporcionando a construção de novas pontes para o atendimento às pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. A coordenadora estadual, Sara Fiterman, explica que a formação em saúde mental, crack, álcool e outras drogas proporcionou a desconstrução e a reformulação de conceitos sobre a assistência a essa parcela da população. Segundo ela, a partir do curso, a escola técnica do SUS percebeu a relevância destes conteúdos. Sara listou ainda outras duas

Área do Estado .......331.983 km² População...............6,851 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

conquistas do Caminhos do Cuidado: a reflexão sobre a possibilidade de cuidados em espaços variados, institucionais ou comunitários; e o fomento a transformações que

• Início do projeto ..................... Junho de 2014 • Tutores mobilizados ............... 94

irão superar o treinamento proporcionado pelo projeto. Para a tutora Amanda Gracielle de Oliveira Cutrim, o

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 215

treinamento ofereceu uma nova abordagem para o trata-

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

mento das pessoas com uso problemático de drogas. Ela afirma que, a partir do Caminhos do Cuidado, os alunos passaram a ter novos meios na busca pela redução de danos e, principalmente, um novo olhar para essa parcela da população e para suas famílias. Já a aluna Cleane Damasceno, que atua em Buriticupu, a 310 quilômetros da capital, São Luís, disse ter aprendido

META

17.191

muito com o projeto e na troca de conhecimentos e vivências com outros alunos. Cleane conta que o treinamento serviu para tirar uma venda dos olhos, já que, agora, ela

8.788 vagas

tem uma nova visão em relação aos pacientes. A aluna também explica que, após o Caminhos do Cuidado, mudou sua forma de trabalhar, abordando as pessoas com uso

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

problemático de drogas da forma correta.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

57

o Caminhos do Cuidado proporcionou a desconstrução e a reformulação de conceitos sobre a assistência a essa parcela da população” Sara Fiterman


58

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

MATO GrOSSO

Qualificação continuada

Já há muitos relatos sobre a utilização dos conceitos compartilhados no treinamento no dia a dia dos profissionais de saúde em seus territórios” Cecília Alonso Corrêa Fortes

Área do Estado .......903.357 km² População...............3,224 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Julho de 2014 • Tutores mobilizados ............... 33 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 113

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

5.366

3.725 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

59

A Escola Técnica do SUS de Mato Grosso vai encampar

com as informações compartilhadas no treinamento do

o Caminhos do Cuidado e continuar com o trabalho de

Caminhos do Cuidado. Claudia Cristina classifica o progra-

formação de agentes comunitários de saúde, auxiliares e

ma como bem extenso e muito bem desenvolvido.

técnicos de enfermagem em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas. No estado, o projeto teve ótima aceitação, segundo a coordenadora estadual Cecília Alonso Corrêa Fortes. Ela conta que já há muitos relatos sobre a utilização dos conceitos compartilhados no treinamento no dia a dia dos profissionais de saúde em seus territórios.

Técnica de enfermagem em Sinop, cidade que fica a 500 quilômetros de Cuiabá, a capital do Mato Grosso, Marlene Seco conta que os alunos de sua cidade já foram além do Caminhos do Cuidado. Eles criaram o projeto Borboleta, voltado para o apoio e atendimento do público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e

A tutora Claudia Cristina Zuanazzi também considera o

transgêneros). O programa ganhou o apoio da prefeitura.

resultado ótimo. Na avaliação dela, não apenas os alunos

Marlene afirma que, graças ao treinamento, a equipe

foram beneficiados, mas também os tutores e orientados,

mudou o olhar em relação às pessoas que incorporam o

que puderam crescer pessoalmente e profissionalmente

uso dependente e abusivo de drogas e que, com isso, foi possível reduzir danos na região.


60

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

MATO GrOSSO DO SUL

Fortalecimento da rede Com dez turmas a mais do que a previsão inicial, o Caminhos do Cuidado deixa, em Mato Grosso do Sul, uma semente para o futuro. Graças ao sucesso do projeto, já existe a perspectiva de elaboração de um novo processo de qualificação em Saúde Mental para os enfermeiros e demais profissionais de nível superior da rede pública em diversas cidades. Na avaliação da coordenadora estadual, Ewângela Aparecida Pereira da Silva, o treinamento de agentes comunitários, auxiliares e técnicos de enfermagem serviu para fortalecer a rede psicossocial, tanto nos 79 municípios quanto no próprio estado. Ewângela conta que o Caminhos do Cuidado ajudou a desmistificar tabus, quebrar paradigmas e apontar novas alternativas para a Redução de Danos. Segundo a coorde-

Área do Estado .......357.125 km² População...............2,62 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

nadora estadual, já é possível observar que, após o treinamento em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, os alunos ficaram mais bem preparados para acolher e

• Início do projeto ..................... outubro de 2013

encaminhar as pessoas em situação de vulnerabilidade.

• Tutores mobilizados ............... 55 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 137

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

A qualidade do serviço prestado às pessoas com uso problemático de drogas mudou para melhor”

4.946 vagas

META

4.748

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

Ewângela Aparecida Pereira da Silva


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

61

Ou seja, a qualidade do serviço prestado às pessoas com

A agente comunitária de saúde Maria Izabel Quinhões,

uso problemático de drogas mudou para melhor.

que atua em Campo Grande, diz que no curso que apren-

Para a tutora Lucimar Torres da Silva Souza o projeto preparou os profissionais envolvidos para trabalhar com uma área que ainda é esquecida, mas que merece muita atenção da saúde pública. Ela espera que o Caminhos do Cuidado cresça, para que possa oferecer capacitação a outros profissionais.

deu o quanto a paciência e a dedicação são importantes para o resultado do trabalho. Na formação, ela observou que trabalhar a autoestima dos pacientes é uma iniciativa que vale sempre ser levada em conta. Além disso, o cuidado com os familiares das pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas é fundamental.


62

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

MINAS GErAIS

Desafio da distância

ao se sentirem acolhidos, os alunos acabam tendo mais facilidade para entender que o treinamento é uma política humanizada” Rosângela Silveira

Área do Estado .......586.528 km²

Com 853 municípios, o Caminhos do Cuidado representou

População...............20,59 milhões de habitantes

uma missão de fôlego em Minas Gerais. Com um terri-

Dados do IBGE - ano 2014

tório grande e fragmentado, uma série de articulações foi necessária para que o projeto tomasse corpo. Este

• Início do projeto ..................... Abril de

processo teve a pactuação do Grupo Condutor de Minas

• Tutores mobilizados ............... 222

Gerais formado por representantes da Saúde Mental,

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 567

Atenção Básica, Conselho de Secretarias Municipais de

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

33.137

Saúde, Centro de Integração de Educação e Saúde e pelas duas escolas de saúde, que cuidaram da gestão das turmas nas regiões. A coordenadora estadual do projeto, Rosângela Silveira, informa que a aceitação do curso pelos alunos foi excelente. Segundo ela, os agentes comunitários de saúde,

20.188 vagas

auxiliares e técnicos de enfermagem destacaram que a humanização proposta pelo Caminhos do Cuidado começa já na formação. Rosângela avalia que, ao se sentirem acolhidos, os alunos acabam tendo mais facilidade para entender que o treinamento em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas é uma política humanizada.

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

E não faltam interessados em conhecer o projeto. A coordenadora estadual conta que já está sendo pensada


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

63

uma estratégia para atender aos profissionais de nível

Tavares Silva e Sirlene Valéria Silva Prado. “A droga de

superior que pedem para fazer o treinamento. Muitos,

antes / te tornou um dependente / existe sim um jeito /

inclusive, frequentam às primeiras aulas, para entender

com a Redução de Danos / ter bem mais que um abrigo”,

do que se trata.

diz a versão.

Entender e traduzir de forma bem popular, como fizeram

A tutora Isaura Lucas Bomtempo destaca que o conteúdo

os alunos de uma turma de Guaxupé. Ao fim do treina-

do curso ofereceu conteúdo pedagógico inovador em

mento, eles apresentaram uma versão da música “Pássaro

relação a outras capacitações. Ela observa ainda que o

de fogo”, em que externaram sua experiência no projeto.

treinamento valorizou os agentes, fundamentais para o

A letra modificada, de autoria da aluna Angélica Paulino

sucesso do projeto na prática cotidiana nos territórios.

Rabelo, foi interpretada pelas também alunas Rosimeire


64

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

PArá

Desafio monumental Num estado que tem o tamanho de um país, implantar o Caminhos do Cuidado foi um desafio monumental. A grandiosidade do projeto e a logística complicada, já que muitos municípios são de difícil acesso, não impediram, porém, que o treinamento em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas no Pará se tornasse uma experiência enriquecedora. A coordenadora estadual do projeto, Izabel Cristina Oliveira, ex-gerente pedagógica da ETSUS do Pará, explica que o Caminhos do Cuidado foi muito bem aceito pelos alunos. A tutora Odineide da Silva Souza afirma que eles são os alicerces da Atenção Básica, já que fazem a ligação da comunidade com o sistema. Segundo Odineide, tantos os tutores quanto os alunos foram privilegiados

Área do Estado .......1.247.690 km² População...............8,074 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Março de 2014 • Tutores mobilizados ............... 72

por poderem enriquecer os respectivos currículos com um trabalho de prevenção tão bem elaborado. A agente comunitária de saúde Isabel da Costa Moraes, que atua em Santa Bárbara do Pará, na periferia de Belém, diz que os alunos levam do treinamento uma nova

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 262

visão sobre as pessoas que incorporam o uso abusivo e

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

dependente de drogas e suas famílias. Para ela, graças ao curso, é possível acolher, escutar e encaminhar essa parcela da população sem preconceito e sem medo, o que trará bons resultados na prática cotidiana dos territórios.

os alunos levam do treinamen-

META

15.072

10.489 vagas

to uma nova visão sobre as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

e suas famílias”

Isabel da Costa Moraes


Caminhos do Cuidado โ€ข Relatรณrio 2014

65


66

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

PArAÍBA

Identificação de problemas Na Paraíba, o Caminhos do Cuidado teve a marca da união. Para garantir o atendimento do maior número de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem, os gestores reuniram três ou quatro municípios pequenos para formar as turmas. Nesta articulação, a participação do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde foi decisiva. O coordenador estadual do projeto, Paulo Ricardo Rodrigues da Silva, afirma que todo tipo de recurso foi usado para que o Caminhos do Cuidado alcançasse seus objetivos. Nos lugares mais afastados, os gestores se valeram até das rádios locais para informar aos agentes comunitários de saúde sobre a realização do curso em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas. Segundo o coordenador

Área do Estado .......56.585 km² População...............3,914 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

estadual, os alunos, após o treinamento, reconhecem o problema em seu território e identificam formas de atuar no acolhimento à pessoa que incorpora o uso abusivo e

• Início do projeto ..................... Março de 2014 • Tutores mobilizados ............... 82 • Turmas finalizadas 12/2014 ... 200

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

9.547

7.674 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

dependente das drogas.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

Paulo informa ainda que há demanda para estender o treinamento aos demais profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial, dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família e da Estratégia de Saúde da Família. Neste caso, uma proposta é ampliar o atendimento por meio de ensino à distância. Em Pombal, a 370 quilômetros de João Pessoa, os alunos encontraram uma forma diferente de compartilhar o que aprenderam no treinamento do Caminhos do Cuidado. Eles realizaram um debate com profissionais de saúde e pacientes de um dos centros de atendimento psicossocial do munícípio. Os tutores Vanderlan Andrade de Souza e Christianne Urtiga Rocha planejam fazer os encontros, batizados de “Jornal Debate”, periodicamente.

67

os alunos, após o treinamento, reconhecem o problema em seu território e identificam formas de atuar no acolhimento à pessoa que incorpora o uso abusivo e dependente das drogas” Paulo Ricardo Rodrigues da Silva


68

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

PArANá

parceria bem-sucedida O Caminhos do Cuidado começou no Paraná em outubro de 2013. De lá para cá, o projeto engrenou e parceria foi a palavra de ordem. A coordenadora estadual do Caminhos do Cuidado, Maria Helena dos Santos, conta que as entidades estaduais e municipais de referência em Saúde Mental e em Saúde da Família prontamente aderiram ao Caminhos do Cuidado. O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde também foi um parceiro relevante, tanto para ajudar a negociar com os municípios quanto para propor ferramentas de avaliação do projeto. Pouco mais de um ano após ser iniciado, o Caminhos do Cuidado conquistou de tal forma os profissionais de saúde do Paraná que já é possível pensar nos próximos passos, segundo Maria Helena.

Área do Estado .......199.315 km² População...............11,08 milhão habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... outubro de 2013 • Tutores mobilizados ............... 88

Desde o início, ela diz que a coordenação percebeu uma forte demanda por formação de profissionais e pela implementação de políticas de saúde mental. A coordenação recebeu muitos pedidos para dar continuidade ao projeto, oferecendo treinamento para outros

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 294

profissionais, da rede hospitalar e de nível superior.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

Maria Helena considera que é preciso também tornar interdisciplinar essa discussão sobre as drogas. Além da área de saúde, o problema envolve educação, justiça e representações sociais/organizações não governamentais, entre outros atores. Paralelamente às discussões sobre novas etapas para o projeto, tutores e alunos aproveitam o treinamento para disseminar um novo olhar sobre a temática das drogas.

14.189

META

11.279 vagas

O tutor Daniel Martins do Nascimento enumera algumas conquistas do Caminhos do Cuidado: minimizar “pré-conceitos” quanto ao uso das drogas; dar novas ferramentas aos profissionais de saúde; difundir a ideia de Redução de Danos; desmistificar o poder do hospital psiquiátrico

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

e fortalecer o papel da rede enquanto mecanismo de acolhimento comunitário.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

69

Ele diz que foi possível alcançar os objetivos em relação

ele aprendeu a se esforçar para não fazer julgamento

aos agentes comunitários de saúde e aos auxiliares e

e ter amor para que seu trabalho seja completo e com

técnicos de enfermagem. Agora, considerando os ganhos

qualidade. Com o curso, ele percebeu a importância do

obtidos nas formações realizadas, será de fundamental

acolhimento e da atenção. E conta que quebrou alguns

importância dar continuidade ao Caminhos do Cuidado,

paradigmas, tirando dos olhos a cegueira do preconceito.

principalmente no sentido de expandi-lo para os demais profissionais da Atenção Básica, observa o tutor.

Já a aluna Judith Quadros descobriu na formação do Caminhos do Cuidado um instrumento para dar novo rumo

Entre os alunos, esse novo olhar já é perceptível. Em

à sua profissão. Tanto que tem procurado outros cursos

Ortigueira, uma turma foi convidada a descrever suas

em saúde mental e atendimento ao usuário de drogas

impressões após o treinamento. O agente comunitá-

para poder dar um acolhimento mais completo.

rio de saúde Elvis Ricardo Viana, do bairro de Franças, definiu de maneira simples: com o Caminhos do Cuidado,

Judith diz que o projeto foi uma porta que se abriu para ela. Aprendeu um novo ponto de vista em relação aos usuários de drogas ilícitas e em relação à Redução

de Danos. Ela acrescenta que também foi importante

A coordenação recebeu muitos pedidos para dar continuidade ao projeto, oferecendo treinamento para outros profissionais, da rede hospitalar e de nível superior” Maria Helena dos Santos

conhecer e entender como funcionam as entidades ligadas ao assunto.


70

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

PErNAMBUCO

Frutos renovados “Abordar não é invadir / é criar vínculos / é estreitar relações / é gerar confiança” Os versos do agente comunitário de saúde Leonardo Mello, aluno do Caminhos do Cuidado em Itapissuma, deixam claro o sucesso da proposta em Pernambuco, um dos seis estados piloto. A coordenadora estadual do projeto, Lívia Méllo, conta que o trabalho rendeu frutos além dos esperados: a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas aprovou três projetos para a ampliação dos centros regionais de referência sobre drogas, construídos em parceria entre a Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco, a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade do Vale do São Francisco (UNIVASF).

Área do Estado .......98.312 km²

Lívia conta que os centros oferecerão cursos para todo

População...............9,278 milhões de habitantes

o interior de Pernambuco. São direcionados ao nível su-

Dados do IBGE - ano 2014

perior nas áreas de saúde, educação e assistência social

• Início do projeto ..................... outubro de 2013 • Tutores mobilizados ............... 85

inaugural em outubro de 2013, em Recife, e contou com

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

17.233

16.403 vagas

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

uso de drogas. Em Pernambuco, o Caminhos do Cuidado teve sua aula

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 432

META

e terão uma abordagem interdisciplinar da questão do


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

71

a rápida adesão dos municípios, destaca a coordenadora

Para expressar seus novos conhecimentos, muitos alunos

estadual. Ela atribui a aceitação do projeto ao fato de

e tutores recorreram à popular arte do cordel. Além do

haver uma combinação entre a área de saúde mental e o

grupo de Itapissuma, a enfermeira Anne Karolynne Negrei-

atendimento ao dependente de drogas.

ros, especialista em saúde mental, neurocientista e autora

A coordenadora acredita que é um desafio para qualquer gestor compreender a problemática das drogas e desenvolver ferramentas de acolhimento. Os tutores

do blog Cordelando, transformou sua experiência como tutora em versos. “Segregar não é o caminho / mas acolher e escutar / promover a inclusão / pra ressocializar”.

também observaram o crescimento deles e o envolvi-

“A pessoa em sofrimento já foi muito excluída e esqueci-

mento dos alunos.

da. O caminho é incluir, ouvir e cuidar”, diz a tutora.

Esse envolvimento levou os alunos a terem novas

A agente comunitária de saúde Conceição Tereza de

maneiras de lidar com o problema em seu cotidiano. O

Jesus, de Gravatá, concorda com sua tutora e também

Caminhos do Cuidado assegurou um novo olhar e uma

acredita que é preciso acolher com carinho quem vive no

nova abordagem, sempre pensando na possibilidade

mundo das drogas. É importante que a população faça

de redução de danos. Assim, em vez de tratados como

uso da rede de cuidados em saúde, para minimizar os

cidadãos à margem da sociedade, os dependentes de

danos das drogas e ampliar as possibilidades de cuidado,

drogas passam a ser vistos como indivíduos que preci-

afirma a agente comunitária de saúde.

sam ser acolhidos e atendidos.

A pessoa em sofrimento já foi muito excluída e esquecida. o caminho é incluir, ouvir e cuidar” Anne Karolynne Negreiros


72

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

PIAUÍ

Conteúdo incorporado

os conceitos do Caminhos do Cuidado devem ser incorporados à matriz curricular da ETSUS do piauí” Patrícia Samara Portela Oliveira

Último estado a embarcar no Caminhos do Cuidado, o Área do Estado .......251.529 km²

Piauí aproveitou uma trilha aberta pela Escola Técnica do

População...............3,195 milhões de habitantes

SUS para formar agentes de saúde, auxiliares e técnicos

Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Abril de 2014 • Tutores mobilizados ............... 68

de enfermagem em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas. Esses profissionais já estavam participando de outra capacitação, o que facilitou a mobilização, segundo a coordenadora estadual Patrícia Samara Portela Oliveira.

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 187

Com isso, foi possível driblar algumas dificuldades de

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

logística, principalmente no interior do estado, onde muitos gestores não têm acesso à internet ou à telefonia. Problemas resolvidos, o treinamento foi rapidamente adotado pelos tutores e alunos, que contaram com a participação dos Consultórios de Rua e dos Centros de Atenção Psicossocial. Segundo Patrícia, o Caminhos do Cuidado tem recebido muitos pedidos para que o curso seja estendido a outros profissionais de saúde, principalmente enfermeiros.

META

8.164

6.745 vagas

Outra novidade é que os conceitos do projeto devem ser incorporados à matriz curricular da ETSUS do Piauí. Em sua grade do curso técnico, a escola já oferece a temática “álcool e outras drogas” e a proposta é aumen-

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

tar a carga horária para compartilhar os ensinamentos do Caminhos do Cuidado.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

73

O mais importante é ver que os próprios alunos estão

da. Ela lembra que o projeto também proporcionou uma

incorporando essas novas ferramentas de acolhida à pes-

boa reciclagem dos profissionais.

soa com uso problemático de drogas ao cotidiano de seus territórios. Em Entre Rios, Teresina, um grupo de alunos fez uma paródia sobre o significado do curso, registrada em vídeo. “O crack e o álcool são realidade em qualquer lugar / o acolhimento em primeiro lugar / a escuta é importante / vai agradar”, dizem os versos.

Já a agente comunitária de saúde Marina Ferreira, da cidade de Caracol, interior do Piauí, a 600 quilômetros da capital Teresina, observa que mudou a forma de olhar os para os dependentes químicos. Ela destaca que a capacitação fez com que ela passasse a abordá-los já com a iniciativa de orientá-los sobre a prevenção e o trata-

A tutora Cândida Maria de Figueiredo Mota conta que o

mento. Além disso, Marina aprendeu como dar apoio aos

curso permitiu que os agentes soubessem como abordar

familiares que, em sua opinião, são os que mais sofrem

os dependentes de drogas de uma forma mais humaniza-

com o vício do dependente de drogas.


74

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

rIO DE JANEIrO

Articulação em pauta Culturas diferentes, realidades diferentes e uma mesma proposta: quebrar os paradigmas no atendimento às pessoas com uso problemático de drogas. No Rio de Janeiro, o Caminhos do Cuidado significou conciliar experiências diversas para proporcionar aos agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem um novo olhar sobre o problema da Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas. O coordenador estadual do projeto no Rio de Janeiro, José Carlos de Lima Campos, diz que foi preciso um trabalho de articulação e engajamento para que o Caminhos do Cuidado tivesse um bom resultado. Ele afirma que o retorno em sala de aula mostra que a troca de experiências foi muito intensa, mas, ao mesmo tempo, gratificante.

Área do Estado .......43.696 km² População...............16,4 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Dezembro de 2013 • Tutores mobilizados ............... 82

A tutora Lilian Magalhães Costa Lima, que atuou em Valença, Barra Mansa e Quatis, afirma que o treinamento trouxe um novo paradigma em relação ao cuidado com as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. Ela destacou o fato de as aulas derrubarem mitos

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 248

em relação, por exemplo, à internação ou aos efeitos da

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

medicação psiquiátrica. Segundo a tutora, os alunos, ao longo da formação, se mostraram interessados em compartilhar as vivências dos territórios e em levar propostas diferenciadas para o cotidiano de acolhida nas ruas. A agente comunitária de saúde Katarina Amaral, que atua na área do Grande Méier, no Rio de Janeiro, já fez uso das ferramentas compartilhadas no treinamento. Em

META

16.699

suas visitas, ela atende uma família que tem uma pessoa com uso problemático de drogas em seu contexto. Katarina conta que a abordagem mudou e que compreendeu

9.115 vagas

que deve acolher essa parcela da população de forma mais humanizada, evitando até usar palavras carregadas de preconceito, como “drogado” e “cracudo”.

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

75

os alunos se mostraram interessados em compartilhar as vivências dos territórios e em levar propostas diferenciadas para o cotidiano de acolhida nas ruas” Lilian Magalhães Costa Lima


76

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

rIO GrANDE DO NOrTE

Mudança de atitude No Rio Grande do Norte, o Caminhos do Cuidado teve início em abril de 2014 e cumpriu sua proposta de trazer a questão do uso abusivo de álcool, crack e outras drogas para o centro da discussão. Ao longo do ano, orientadores, tutores e os que passaram pelo treinamento – entre agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem – aprenderam novas formas para abordar, escutar e acolher pessoas com uso problemático de drogas. A coordenadora estadual Valéria Negreiros considera que a temática da Saúde Mental deve estar cada vez mais inserida nos processos de formação para profissionais da área de Atenção Básica. Ela explica que, com isso, é possível criar uma nova mentalidade e fazer com que pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas sejam

Área do Estado .......52.797 km² População...............3,409 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

acolhidas de outra forma, principalmente no que se refere à Redução de Danos. Ainda segundo Valéria, o projeto contribuiu para a qualificação da prática, ampliando o

• Início do projeto ..................... Abril de 2014

olhar sobre a questão do uso de drogas. Isso permitirá que

• Tutores mobilizados ............... 52

as pessoas em situação de vulnerabilidade atendidas na

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 156

atenção básica tenham benefícios com relação à escuta e ao acolhimento de suas demandas.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

6.225 6.223 vagas

META

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

77

Essa nova mentalidade aparece nos versos do cordel da

os profissionais de saúde já se apropriaram do Caminhos

agente comunitária de saúde Tânia de Araújo Lima, de

do Cuidado. Segundo ela, a formação foi importante para

Natal, capital do Rio Grande do Norte: “O caminho do

mostrar que a pessoa que incorpora o uso abusivo e de-

cuidado / veio para resgatar / despertando nas equipes /

pendente de drogas é um cidadão com direitos e opções e

o gosto por atuar / com mais desejo e afinco”. Ao longo do

precisa ter sua individualidade respeitada. Como profissio-

poema, ela destaca a importância do treinamento e se diz

nal de saúde, ela lamenta que essa parcela da população

preparada para voltar ao território com um novo olhar. “Se

ainda seja estigmatizada, mas acredita que o projeto deu

despir do preconceito/ Não julgar ou ofender / Esses são

um passo firme para diminuir o abismo entre as áreas de

alguns segredos / Para se poder viver / Em harmonia com o

Atenção Básica e Saúde Mental e as pessoas com uso pro-

próximo / O vínculo fortalecer.

blemático de drogas.

A tutora Maria José da Silva, enfermeira de formação e atuando em Nova Cruz, município a 90 quilômetros da capital, diz que histórias como a da aluna cordelista mostram que

É possível criar uma nova mentalidade e fazer com que pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas sejam acolhidas de outra forma, principalmente no que se refere à Redução de Danos” Valéria Negreiros


78

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

rIO GrANDE DO SUL

Quebrando o tabu Estado-piloto do projeto Caminhos do Cuidado, o Rio Grande do Sul alcançou um resultado expressivo, fruto da conexão entre todos os atores envolvidos no processo. Para a coordenadora estadual, Naia Cloé Corrêa, de maneira geral, a proposta pedagógica do Caminhos do Cuidado foi bem recebida por tutores, alunos, secretários de saúde, gestores municipais, coordenadores da Atenção Básica, da Saúde Mental, do Núcleo Regional de Educação em Saúde Coletiva e referências parceiras para a execução das atividades nos municípios. Com misto de apreensão e curiosidade pela temática abordada na capacitação, todos colaboraram para que as aulas acontecessem, explica Naia. A colaboração resultou num amplo painel de discus-

Área do Estado .......281.748 km² População...............11,16 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

sões sobre a temática da Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, envolvendo os diversos setores que acolhem e atendem os dependentes de drogas. Nos

• Início do projeto ..................... Setembro de 2013

treinamentos, tutores e alunos falaram sobre o consu-

• Tutores mobilizados ............... 69

mo de substâncias lícitas e ilícitas, a relação de serviços

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 299

oferecidos às pessoas em situação de vulnerabilidade e as diferentes práticas de cuidado.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

Naia observa que esse tema ainda é tabu em nossa sociedade. Por isso, é fundamental um projeto que busca orientar os agentes a intervir no território e a romper com morais preconceituosas em relação ao uso de álcool e outras drogas. O Caminhos do Cuidado é um projeto transformador das práticas de atenção e cuidado na saúde, destaca a coordenadora.

11.263 vagas

10.142

META

A assistente social Janaíra Quadros, tutora do projeto, vai além: ela considera o Caminhos do Cuidado uma das mais potentes estratégias de produção de Saúde Mental pensada até hoje em nosso país. Na avaliação de Janaíra, o maior resultado dos encontros é o cuidado com o

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

outro, rompendo com estigmas e rótulos que só faziam fragilizar sujeitos. O impacto dessa produção de cui-


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

79

dado vai muito além do campo uso de álcool e outras drogas. Ela conta que nesses encontros se produziu a necessidade de cuidar do outro, sendo ele uma pessoa em situação de vulnerabilidade ou não. A agente comunitária de saúde Débora Figueiredo também acredita que o projeto abre novos caminhos para quem trabalha na área. Para ela, todos os agentes comunitários devem fazer o curso. Ela considera que o Caminhos do Cuidado nos faz refletir sobre uma nova maneira de cuidar das pessoas com Saúde Mental. Espero que o projeto continue no Rio Grande do Sul e que um número maior de pessoas tenha a oportunidade de conhecer mais sobre Saúde Mental.

o Caminhos do Cuidado é um projeto transformador das práticas de atenção e cuidado na saúde” Naia Corrêa


80

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

rONDÔNIA

Mudança de perfil Em Rondônia, o Caminhos do Cuidado precisou superar desafios das mais variadas ordens para conseguir garantir a formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem. A enchente do Rio Madeira, as distâncias entre as cidades, a falta de comunicação e a internet precária, porém, não impediram que o projeto acontecesse e tivesse um saldo positivo. A coordenadora estadual, Cristina Alcoforado, afirma que, apesar das dificuldades, os alunos tiveram a oportunidade de aprender novas maneiras de lidar com as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. Segundo ela, após o treinamento, agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de saúde se declaram mais

Área do Estado .......237.590 km² População...............1,749 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

úteis e mudam o perfil do atendimento que fazem em seus territórios. Além disso, eles agem como multiplicadores, levando enfermeiros e assistentes sociais a deman-

• Início do projeto ..................... Maio de 2014

darem vagas para também participar do curso. Alguns,

• Tutores mobilizados ............... 24

inclusive, assistiram às aulas como ouvintes.

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 66

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

3.297

VAGAS oFERTADAS

2.107 vagas

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

Para a tutora Andreia Marques de Oliveira, o treinamento potencializou a vontade de os alunos ajudarem às pessoas com uso problemático de drogas. Andreia conta que eles passaram a olhar o tema de outro modo e entenderam que podem mudar a vida dessa parcela da população por meio de seu trabalho. A agente comunitária de saúde Osana Soares acredita que o treinamento vai proporcionar o acompanhamento mais abrangente às pessoas com uso problemático de drogas. Osana, que trabalha na cidade de Alto Paraíso, a 200 quilômetros da capital de Porto Velho, diz que gostaria de ver o projeto se expandir para que mais profissionais possam ser capacitados.

81

os alunos passaram a olhar o tema de outro modo e entenderam que podem mudar a vida dessa parcela da população por meio de seu trabalho” Andreia Marques de Oliveira


82

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

rOrAIMA

Agentes em cena Em Roraima, o Caminhos do Cuidado representou a integração e a aproximação entre os atores envolvidos na acolhida e no atendimento às pessoas com uso problemático de drogas. A coordenadora estadual do projeto, a pedagoga Luciana Freitas, destaca que foi importante abrir à discussão sobre um tema que ainda é tabu na sociedade. Segundo Luciana, nos treinamentos, tutores, orientadores, agentes de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem puderam trocar experiências sobre a melhor forma de lidar com essa parcela da população, sempre na perspectiva de trabalhar com a Redução de Danos. Além de quebrar o paradigma da questão do álcool, crack e outras drogas, o projeto serviu para apresentar novas ferramentas de acolhida às pessoas que enfrentam esse

Área do Estado .......224.299 km²

tipo de problema. Luciana Freitas afirma ainda, que há

População...............488.072 habitantes Dados do IBGE - ano 2014

uma expectativa no estado de que o treinamento se estenda tanto aos demais profissionais que compõe a

• Início do projeto ..................... Março de 2014

equipe de estratégia da família quanto aos profissionais

• Tutores mobilizados ............... 20

que trabalham em áreas indígenas.

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 21

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

pelo resultado é possível concluir que os alunos serão multiplicadores do Caminhos do Cuidado em seu território” Simone Lopes de Almeida

706

META VAGAS oFERTADAS

635 vagas

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

83

Num dos treinamentos, que reuniu profissionais de saúde

Em Boa Vista, a capital de Roraima, outra turma tam-

das áreas rural e urbana, o tutor Ananias Filho Noronha

bém se valeu de recursos dramatúrgicos para divulgar as

registrou em vídeo o momento em que os alunos com-

propostas do Caminhos do Cuidado. As tutoras Simone

partilhavam suas experiências. Noronha observa que os

Lopes de Almeida e Milca Nascimento trabalharam com o

grupos enfrentam problemas diferentes em seus territó-

grupo de 11 alunos que encenou o Caso Ueslei (uma das

rios e que reuni-los possibilitou um intercâmbio maior de

ferramentas do material pedagógico do projeto) e deu um

ideias. O tutor também filmou uma dramatização, na qual

desfecho à história. Simone afirma que, pelo resultado, é

os agentes comunitários de saúde interpretaram papéis

possível concluir que os alunos serão multiplicadores do

diferentes (médico, enfermeira, adolescente e mãe). O

Caminhos do Cuidado em seu território.

objetivo era mostrar a forma de ideal de atendimento para as pessoas em situação de vulnerabilidade.


84

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

SANTA CATArINA

olhar ampliado Em Santa Catarina, o Caminhos do Cuidado proporcionou aos tutores e alunos um olhar diferenciado para as questões de Saúde Mental e dependência química. O treinamento para agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem atingiu todo o estado e o resultado já pode ser conferido nos territórios, na prática do dia a dia. O sucesso pode ser medido ainda pelo fato de profissionais de nível superior estarem reivindicando a extensão do curso.

os alunos ampliaram o olhar

Área do Estado .......95.346 km² População...............6,727 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

• Início do projeto ..................... Janeiro de 2014 • Tutores mobilizados ............... 76

profissional, otimizando o atendimento e adquirindo novas ferramentas para ouvir,

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 304

acolher e encaminhar essa Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

parcela da população” Rosana Libano Ruzene

META

11.239

10.511 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

85

A coordenadora estadual Rosana Libano Ruzene, afirma

Após o treinamento, eles ganharam novas competências

que, antes do projeto, os alunos já lidavam com pessoas

e, muitos, segundo Terezinha, revelam a vontade de fazer

que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas,

novas capacitações em Saúde Mental e drogas.

mas sem preparo adequado para ajudá-las. Após a formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, eles ampliaram o olhar profissional, otimizando o atendimento e adquirindo novas ferramentas para ouvir, acolher e encaminhar essa parcela da população.

Já a técnica de enfermagem Sara Helena Porto, que atua em São José, região metropolitana de Florianópolis, acha que um dos destaques do curso foi ter recebido suporte psicológico para o atendimento das pessoas que incorporam o uso abusivo e problemático de drogas. Ela destaca

A tutora Terezinha Mendes da Silva Sulenta conta, que

ainda o fato de ter conhecimento dos locais para onde

muitos alunos, ao iniciarem as aulas, ainda tinham receio

essa parcela da população deve ser encaminhada quando

de lidar com pessoas com uso problemático de drogas.

necessita de tratamento. Sara afirma que está ansiosa para colocar em prática tudo que aprendeu.


86

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

SãO PAULO

Desafio crescente

A gravidade do problema fez com que um grande número de municípios abraçasse o projeto” Carolina Feitosa

O projeto Caminhos do Cuidado chegou a São Paulo com um desafio: disseminar ferramentas para acolher e atender aos dependentes de drogas no estado mais populoso

Área do Estado .......248.209 km² População...............44,04 milhões de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

do país. Um estudo da Fiocruz, divulgado em setembro de 2013, apontou a existência de 350 mil usuários frequentes em São Paulo. Na avaliação da coordenadora estadual

• Início do projeto ..................... outubro de 2013

do Caminhos do Cuidado, Carolina Feitosa, esse número

• Tutores mobilizados ............... 179

indica que a droga está se tornando cada vez mais presen-

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 558

te até em lugares menos prováveis.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

META

A gravidade do problema fez com que um grande número de municípios abraçasse o projeto. Carolina observa que os municípios buscam, a partir da formação de seus agen-

31.359

tes comunitários, transformar as ações da Atenção Básica para o cuidado em Saúde Mental nos territórios. O fato de São Paulo já possuir uma das maiores redes

19.254 vagas

de escolas técnicas de saúde do país, com sete unidades (seis estaduais e uma municipal) também facilitou bastante a aceitação ao projeto. Essa rede permitirá, agora, que o conteúdo de formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas se torne parte integrante da grade de aprendizado. A coordenadora estadual afirma que o projeto sobrevi-

VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

verá enquanto conteúdo com a metodologia já testada. Ela acrescenta que é preciso atender aos pedidos das


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

87

equipes para que o Caminhos do Cuidado seja estendi-

a sua parte na educação, prevenção e tratamento das

do a outras categorias profissionais.

pessoas que apresentam problemas de abuso ou uso

Orientadora do projeto na região de São José do Rio Preto, num total de 102 municípios, Valéria Mastrange Pugin considera que o Caminhos do Cuidado trouxe novas propostas para o debate sobre o uso de drogas. Ela lembra que a região onde atua é a chamada rota caipira

nocivo destas substâncias. A tutora conta que os alunos trazem suas contribuições, pesquisam na internet e contribuem com sugestões de filmes que abordam o assunto, e deixam claro seu interesse pela continuidade do projeto e pela realização de novos cursos.

do tráfico e que, mesmo nas cidades menores, já come-

O interesse tem lá sua razão: segundo a agente comuni-

çam a surgir pontos de concentração de pessoas com uso

tária de saúde Regina Célia Lopes da Silva, que atua em

problemático de drogas. Valéria acrescenta que gostou

Parapuã, a 560 quilômetros da capital, até o Caminhos

muito da abordagem do curso no que se refere à redução

do Cuidado surgir ela não dispunha de muito acesso a

de danos e de olhar o problema a partir do território.

informações sobre o assunto. A aluna diz que quer che-

A troca de experiências entre tutores e alunos ajuda a alimentar a trajetória do projeto em São Paulo. A tutora Rita Aparecida Kietis Vivolo, que atua na Zona Norte da capital,

gar às casas dos pacientes e saber o que falar, como agir e principalmente como lidar com as diversas situações sem julgar, sem preconceitos.

conta que um dos momentos mais marcantes dos treina-

Colega de turma de Regina Célia, a auxiliar de en-

mentos que fez até agora foi quando uma agente comuni-

fermagem Ângela Gonçalves também acredita que o

tária de saúde revelou ter sido dependente de crack.

resultado da formação em Saúde Mental, crack, álco-

Rita destaca que a temática Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas gera muito interesse nas pessoas, porque está na ordem do dia. Ela constata que os profissionais que atuam na saúde se sentem ansiosos para fazer

ol e outras drogas será visto na prática do cotidiano. Para Ângela, foi ótimo participar de um curso tão rico em conteúdo e destaca que o aprendizado vai mudar a sua prática profissional.


88

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

SErGIPE

Direitos humanos Em Sergipe, o Caminhos do Cuidado reforçou a necessidade de que para lidar com a questão de álcool, crack e outras drogas é fundamental permitir a articulação entre as áreas de Saúde Mental, Atenção Básica e Educação Permanente. Desta forma, os atores envolvidos no processo de acolhida e atendimento conseguem discutir formas de ampliar a discussão sobre a política de Redução de Danos. Em outras palavras, o projeto abriu caminho para que a problemática das pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas seja tratada sob uma perspectiva de direitos humanos. A coordenadora do projeto no estado, Beatriz dos Santos, diz que o treinamento foi recebido de forma muito positiva pelos alunos. Ela explica que há uma clara perspectiva

Área do Estado .......164.123 km²

de mudanças de processo de trabalhos. Ainda segundo a

População...............709.101 habitantes Dados do IBGE - ano 2014

coordenadora, a partir do Caminhos do Cuidado é possível imaginar que as pessoas com uso problemático de drogas

• Início do projeto ..................... Abril de 2014• Tutores mobilizados .................. 34

terão uma melhoria na qualidade e no acesso ao SUS. Neste sentido, os tutores desempenharam um papel

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 132

fundamental, por permitir a interlocução entre o conteúdo

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

do projeto e os alunos. A tutora Kizza Rocha conta que os agentes comunitários de saúde e os auxiliares e técnicos de enfermagem precisam ser municiados com as informações necessárias para que tenham um olhar diferenciado sobre o problema. Kizza explica que, durante o treinamento, os alunos aprendem a fazer a abordagem adequada, informando às pessoas em situação de vulnerabilidade e quais os serviços de assistência à saúde elas podem recorrer. Agente comunitário de saúde em Monte Alegre de Sergipe, que fica a cerca de 160 quilômetros da capital, Flávio Ernesto da Silva diz que o curso mudou sua forma

META

4.573

4.426 vagas VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

de abordar e tratar as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. Ele conta que, desde o treinamento, passou a encaminhar melhor os casos dos pacientes em seu município.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

89

É possível imaginar que as pessoas com uso problemático de drogas terão uma melhoria na qualidade e no acesso ao SUS” Beatriz dos Santos


90

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

TOCANTINS

Abordagem diferenciada

os caminhos se constroem conforme a singularidade de cada indivíduo” Maria Auri Rodrigues

Não existe fórmula pronta: a sensibilidade e a vivência de cada um tem papel decisivo no aprendizado. Essa foi uma

Área do Estado .......277.621 km²

das lições que o Caminhos do Cuidado deixou para os

População...............1,497 milhão de habitantes Dados do IBGE - ano 2014

alunos em Tocantins. Mais do que dar ferramentas para a acolhida e o encaminhamento de pessoas que incor-

• Início do projeto ..................... Julho de 2014

poram o uso abusivo e dependente de drogas, o projeto

• Tutores mobilizados ............... 31

permitiu aos agentes de saúde, auxiliares e técnicos e

• Turmas finalizadas 12/2014 ... 106

enfermagem criarem suas próprias maneiras de lidar com o problema no território em que atuam.

Dados coletados do SAGU* em 16/11/2014 *Sistema Acadêmico de Gestão Unificada

Neste processo, duas palavras foram fundamentais: escuta e sensibilização. Os alunos do treinamento em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas, entenderam que, sem uma nova abordagem, aumentam dificuldades para encontrar soluções e reduzir os danos. A coordenadora estadual, Maria Auri Rodrigues, conta que, ao serem convidados a participar, os profissionais de saúde acreditavam que encontrariam uma receita pronta. Ao longo do treinamento, entenderam que os caminhos se constroem conforme a singularidade de cada indivíduo.

4.175 vagas

3.888

META VAGAS oFERTADAS

Perfil: agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem

A partir daí, a atuação no território já está mudando. Maria Auri afirma que muitos alunos verbalizaram a mudança do olhar no que diz respeito às pessoas com uso problemático de drogas. E, no estado, existe a cobrança


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

91

dos profissionais que não participaram do treinamento e

pela agente comunitária de saúde Viviana Sales. Ela diz,

que também querem ter acesso ao conteúdo do Cami-

ainda, que com o curso passou a observar pequenos

nhos do Cuidado.

detalhes, mas que fazem toda a diferença na relação com

A tutora Antônia de Souza Viana diz que os alunos abraçaram a causa e logo se envolveram com o projeto. Ela ressalta que a sua continuidade em seu estado é muito importante pela inovação de humanizar o tratamento e integrar as equipes de saúde. A importância de saber abordar pessoas com uso problemático de drogas é destacada como diferencial no projeto

o dependente de drogas, como se dedicar com muita atenção ao primeiro contato, para que ele sinta confiança para dar continuidade ao tratamento. Moradora e atuante na cidade de Santa Rita do Tocantins, Viviana conta que o treinamento também foi uma oportunidade para compartilhar experiências com colegas de sua profissão, diversificando o seu conhecimento.


92

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

Histórias do caminho Ao longo do caminho, muitas histórias de alunos e tutores foram contadas em verso e prosa, por todo o Brasil. A vivência nos territórios, somada às novas ferramentas apresentadas pelo Caminhos do Cuidado, inspirou poesias, músicas, vídeos e dezenas de outras formas de expressão, compartilhados no site. Algumas dessas representações originais do conteúdo do projeto estão apresentadas também neste relatório. As representações culturais mais típicas de cada estado se sobressaem no momento em que os alunos se apropriam do projeto para levá-lo às ruas. É possível perceber que, seja num cordel ou no ritmo do martelo agalopado, os agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem compreenderam a importância de olhar de forma mais humana para as pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas.

para limpar o preconceito O técnico de enfermagem Josoéverton Ramos Lopes, de 30 anos, de Porto Alegre, encontrou uma maneira diferente de aproveitar o que aprendeu no Caminhos do Cuidado. Com um grupo de agentes comunitários de saúde – todos alunos da formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas – ele criou o projeto Chuveiro Social. Trata-se de um chuveiro, instalado no posto de saúde onde trabalharam, e que poderá ser usado por moradores de rua ou pessoas que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas. Josoéverton explica que a ideia surgiu da constatação de que muitas doenças podem ser prevenidas com um simples banho e que, após o Caminhos do Cuidado, ele e seus colegas entenderam que precisavam de novas formas para dar visibilidade à parcela da população com uso problemático de drogas.


Caminhos Caminhos do Cuidado do Cuidado • Relatório • Relatório 20142014

9393

na maquete, o território de atuação Das mãos da agente comunitária de saúde Conceição Tereza

e até os mercadinhos onde os moradores se encontram

Das mãos da agente comunitária de saúde Conceição Tereza

para jogar dominó. Aos colegas de curso, Conceição contou

de Jesus, de Gravatá, Pernambuco, surgiu umas das repre-

que faz artesanato desde criança – na infância, criava os

sentações mais interessantes do Caminhos do Cuidado. Du-

próprios brinquedos com papelão, madeira e jornal. A ma-

rante a formação em Saúde Mental, crack, álcool e outras

quete do Caminhos do Cuidado ajudou a visualizar a área

drogas, Conceição, que é artesã, reproduziu, numa maque-

onde ela atua e o que falta para atender melhor às pessoas

te, o território onde atua, o Sítio Rucinha. O capricho na

que incorporam o uso abusivo e dependente de drogas.

cenografia incluiu construir igreja, escola, unidade de saúde


94

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

Caminhos da música e da poesia Os alunos da Região dos Mananciais, na Grande São Paulo, que engloba os municípios de Cotia, Embu das Artes, São Lourenço da Serra e Taboão da Serra, expressaram a importância do Caminhos do Cuidado em versos. A aluna Adriana, da Unidade Básica de Saúde Jardim Margaridas, de Taboão da Serra, escreveu a poesia “Os sentidos”, narrando o sofrimento de uma pessoa com uso problemático de drogas: “Para conseguir as drogas eu roubei, apanhei, chorei, gritei, briguei, me humilhei, e até me prostitui / Sempre que ficava muito doente, ou quando as surras que tomava / me machucavam muito, eu buscava a minha família e ficava apenas o tempo de me recuperar / para novamente, voltar àquela amarga vida”. Já o aluno Elton, da Unidade Básica de Saúde Dom José, de Embu das Artes, fez o “Rap da corresponsabilização”. Na letra, ele narra o drama de uma pessoa que incorpora o uso abusivo e dependente de drogas e cita as iniciativas para acolher essa parcela da população. “A auxiliar o acolhe / pegando informações / “pra” na reunião de equipe trazer ações”, afirma a canção.

Receita para ouvir e acolher A agente comunitária de saúde Meire das Mercês Santana, do bairro Cachoeira, em Belo Horizonte, temperou os ensinamentos do Caminhos do Cuidado com muita criatividade e tirou do forno uma “receita de bolo” que batizou de “Redução de Danos”. No passo a passo da massa, ela propõe identificar no território as pessoas com uso problemático de drogas: colocar uma dose de amor; pegar uma rede de apoio nas regionais; acrescentar os princípios básicos de integralidade do cuidado e nunca adicionar preconceitos à massa, para não “correr o risco de perder todo o trabalho”. Já para o recheio, ela sugere fazer diversas intervenções em Saúde Mental: “adoçando com promoções de muitas possibilidades para modificar, qualificar condições de novas formas de vida”. Por fim, a criativa receita de Meire Mercês indica que os profissionais de saúde devem “acreditar em camadas que a vida tem várias formas de ser percebida, experimentada e vivida”.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

95

Martelo agalopado para quebrar tabus Num ritmo típico da Paraíba, o martelo agalopado, o agente

marca de seu martelo agalopado.

comunitário de saúde Sebastião Araújo de Macedo descre-

Nas estrofes, ele brincou com a dificuldade de entender os

veu a importância da formação em saúde mental, álcool,

novos conceitos na acolhida às pessoas com uso problemá-

crack e outras drogas do Caminhos do Cuidado. Numa das

tico de drogas, falou sobre a importância da família e pediu

turmas, ele apresentou seus versos, explicando aos cole-

o fim da cultura do preconceito, que trata essa parcela da

gas de classe que uma das características do estilo é ter

população como “doido e drogado”. “Se a droga e o álcool

um mote, que pode ser invertido, para não repetir a rima.

causam tanto mal / mais o sujeito gosta e não quer deixar /

Sebastião escolheu os versos “fizemos um curso de Saúde

nós também aprendemos a política de Redução de Danos”,

Mental / para trilharmos o Caminhos do Cuidado” como

escreveu o agente comunitário.

Redução de danos em cordel O Caminhos do Cuidado inspirou o agente comunitário de saúde Ricardo Oliveira, de Boavista, capital de Roraima, a escrever um cordel em homenagem a um amigo, que fazia uso problemático de drogas, e acabou se perdendo no mundo. Nos versos, Ricardo conta a história do amigo Geraldo e afirma que se ele tivesse sido acolhido por um projeto como o Caminhos do Cuidado, sua vida poderia ter sido diferente, graças às ferramentas de Redução de Danos que o projeto apresentou aos alunos. “O tempo foi passando e ele mais dependente / Geraldo meu amigo estava tão diferente, / Se não tomava uma dose tremia até os dentes / Alcoólatra assumido vivia isolado / se afastavam os amigos, e foi abandonado / pela esposa, enteada e pelo filho amado / Nos dias de hoje existem muitos Geraldos / largados em praças públicas ou prédios abandonados/ na esperança de encontrar um dia o Caminhos do Cuidado”.


96

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

Animação e teatro nos territórios Duas turmas de Minas Gerais se destacaram pela originalidade com que compartilhar o treinamento em Saúde Mental, crack, álcool e outras drogas do Caminhos do Cuidado. As alunas Dariane Raelita, Euripedes Aparecida, Michele Santos, Palloma Soares e Rosilaine Santos, de Veríssimo, fizeram uma animação em stop motion, editando fotografias, para mostrar um atendimento em uma unidade de saúde. Já as alunas Iara Gonçalves, Jessica Cassiano, Mariene Barbosa, Thayana Ribeiro, Juscilene Goveia e Luciana Brant, de Conceição de Alagoas, criaram um texto teatral a partir dos instrumentos de intervenção, escuta, acolhimento, vínculo, corresponsabilização e apoio matricial que foram explicados no projeto. Elas encenaram o texto e registraram a produção em vídeo.

Quem sabe faz a hora de ajudar Uma das canções mais conhecidas da MPB, “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, ganhou uma nova versão numa das turmas do projeto Caminhos do Cuidado em Anápolis, em Goiás. Os versos escritos pela aluna Patrícia da Silva Alves, com a ajuda dos colegas, trocaram o célebre refrão “Vem / vamos embora / que esperar não é saber / quem sabe / faz a hora / não espera acontecer” por: “Hei / vamos com força / e coragem meu irmão / construir / um bom futuro / para o futuro cidadão”. A versão, batizada de “O ACS no Caminhos do Cuidado” prega ainda que os profissionais de saúde “abracem a causa” da Redução de Danos no atendimento às pessoas que incorporam o uso dependente e abusivo de drogas. “Nas escolas / nas ruas / nas casas verão / trabalharemos unidos em prol redução / A Redução de Danos é um projeto em construção / são palestras e ações junto à população”.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

97

Jogral contra o preconceito A união faz a força até na hora de encontrar uma maneira original de compartilhar suas experiências na formação do Caminhos do Cuidado. Basta ver o jogral que os alunos Aline Elidiane, Karla, Joseane, Anelita, Michele, Joacy, Manoel Cardoso, Joelma e Jamile apresentaram ao fim do treinamento, em Igrapiúna, na Bahia. “Há tantas coisas que sinceramente não vejo graça / mas agora acho normal / mundo das drogas e alcoolismo / sem esquecer da saúde mental. / Tudo isso é preocupante / e para muitos / a pessoa tem defeito / vão logo subjugando / com tamanho preconceito. / Ao lidar com o usuário / não devemos tratá-lo com indiferença”, recitou o grupo, deixando uma lição de esperança para a turma.

Letras que resgatam vidas A agente comunitária de saúde Fabiana Pereira de Souza

sobre a obra com o paciente. A paixão pela leitura começou

Bastos, da Bahia, está usando sua própria experiência de

quando a ACS superou um transtorno de pânico. Após o

vida para ouvir, acolher e encaminhar pessoas com uso pro-

Caminhos do Cuidado, Fabiana percebeu que já fazia uma

blemático de drogas. Durante a sua participação no projeto

importante ação de Saúde Mental, que ajuda no primeiro

Caminhos do Cuidado, ela começou a montar uma biblio-

contato com a parcela da população que precisa de mais

teca no território que atua, em Pajeú, município de Xique-

atenção. Também graças ao projeto, ela conseguiu doações

-Xique. A ideia é simples: a cada visita, Fabiana deixa um

de livros e revistas.

livro com a pessoa atendida. Na visita seguinte, ela conversa


Caminhos a seguir


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

101

Caminhos a seguir

O êxito do Caminhos do Cuidado pôs o debate sobre o uso abusivo de substâncias ilegais na ordem do dia. Mais do que um simples processo de capacitação, o projeto permitiu uma ampla discussão sobre a necessidade de um atendimento mais humanizado – e eficaz – para as pessoas com uso problemático de drogas. Aproveitar a trilha aberta pelo programa torna-se uma ação fundamental e, por todo o Brasil, já surgem iniciativas para prosseguir no rumo de garantir a essa parcela da população o direito de ser ouvida, acolhida e encaminhada para um tratamento. Tocantins já deu mais um passo nesse sentido. A formação será estendida, num primeiro momento, aos enfermeiros e, em seguida, a médicos e dentistas. O objetivo é ampliar o alcance do projeto. Os cadernos do aluno e do tutor serão reformulados e o Estado conduzirá o novo treinamento. Caberá a Escola Técnica do SUS, juntamente com os tutores e orientadores, definir a metodologia da formação. A ETSUS Tocantins, por sinal, já incorporou a temática do Caminhos do Cuidado à sua grade curricular. O mesmo aconteceu nas escolas técnicas do Acre e do Distrito Federal.


102

Capítulo 3 • Caminhos a seguir

De maneira geral, todas as ETSUS estão discutindo tanto a

de Referência sobre Drogas (CRR Drogas), construídos em

inclusão do conteúdo em seus currículos quanto à exten-

parceria entre Escola de Governo em Saúde Pública de

são do treinamento aos demais profissionais de saúde.

Pernambuco (ESPPE), a Universidade Federal de Pernam-

Com isso, além de atender à demanda das áreas de saúde

buco (UFPE) e a Universidade do Vale do São Francisco

mental, atenção básica e saúde da família, estará garantido

(UNIVASF). Esses centros, instalados nas universidades,

que novos profissionais iniciem suas atividades já de posse

ofertarão cursos voltados para o nível superior, nas áreas

das ferramentas proporcionadas pelo Caminhos do Cuida-

de Saúde, Educação e Assistência Social, para todo o inte-

do. O processo de educação continuada se torna perma-

rior de Pernambuco e terão uma abordagem intersetorial

nente. A regionalização permite ainda aproveitar a capilari-

da questão do uso de drogas.

dade da rede de saúde para difundir o conhecimento, com cada estado se apropriando da proposta e a adequando melhor às suas necessidades.

Do Paraná, vem a proposta de organizar a avaliação do projeto em três dimensões: análise individual dos alunos, relato das modificações no atendimento e pesquisa qua-

Mas as iniciativas não param por aí. Em Pernambuco, a

litativa, a longo prazo, sobre a importância do projeto no

Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) apro-

cuidado com as pessoas que incorporam o uso abusivo e

vou três projetos para a ampliação dos Centros Regionais

dependente de drogas. Esses indicadores podem servir de


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

103

As equipes pedagógica e acadêmica acreditam que o farto material produzido durante as aulas poderá não apenas orientar políticas públicas de saúde mental e combate às drogas, mas também inspirar outros programas na área de saúde que exijam a logística e a mobilização que embasaram o projeto

base para construir uma nova política de saúde mental. Organizar o compartilhamento dos dados produzidos, ao longo desse treinamento de dimensões continentais, é outra proposta que surge ao fim do Caminhos do Cuidado. As equipes pedagógica e acadêmica acreditam que o farto material produzido durante as aulas poderá não apenas orientar políticas públicas de saúde mental e combate às

Rondônia. Outros 13 completarão o treinamento até março: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal. Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Maranhão ainda estão no processo de adequar a formação e acelerar a criação de turmas.

drogas, mas também inspirar outros programas na área de

O fato é que Caminhos do Cuidado completa sua missão

saúde que exijam a logística e a mobilização que embasa-

inicial com a certeza de que os profissionais de saúde

ram o projeto. Os cadernos do aluno e do tutor, o plane-

treinados têm agora ferramentas para enfrentar o grave

jamento e a organização das aulas são experiências que

problema do uso problemático, abusivo e dependente das

podem e devem ser replicadas.

drogas. Seguir adiante é a tarefa que se impõe a cada es-

Até dezembro de 2014, nove estados terão cumprindo sua meta de formação. São eles Amazonas, Ceará, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Piauí, Santa Catarina e

tado, cada município, cada unidade básica de saúde, cada tutor, cada aluno.


104

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

Projeto ganha às ruas O Caminhos do Cuidado conseguiu fazer a ponte com a saúde mental e, ao ganhar às ruas, trouxe o desafio de incorporar esses conteúdos à educação permanente, de acordo com a área de Atenção Básica do Ministério da Saúde.


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

105

Desde o início o projeto traz a qualidade do debate da Saúde Pública ou da Saúde Mental na interface com a Atenção Básica, que rapidamente começou a se revelar dentro das secretarias das capitais e dos estados. Quando o curso foi para rua, ganhamos 100% de institucionalidade na rede da Atenção Básica que incorporou o tema do uso abusivo e dependente de drogas. Não adianta apenas expandir a rede da Atenção Básica, precisamos avançar na qualificação. Esse debate depois do Caminhos do Cuidado torna presente na nossa agenda, legitimar a rede considerada a porta de entrada para acolher e atender essa parcela da população que faz o uso abusivo e é dependente de drogas.


106

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos

Para isso, o Caminhos do Cuidado foi um grande projeto e

utilizada pelo projeto para troca de práticas entre profes-

fundamental para o primeiro passo que foi transferir tecno-

sores e alunos no território. Em 2015, a Atenção Básica

logias para as escolas técnicas do SUS. Para se mudar a

incorporará esta expertise, de modo que esta plataforma,

pauta de educação permanente para educação continuada,

efetivamente se torne um espaço de troca de experiências

são necessárias estratégias claras de estado e de empo-

dos trabalhadores do SUS. A partir da Comunidade de Prá-

deramento das escolas técnicas, além de agregar o que

ticas do Caminhos do Cuidado, o profissional de saúde po-

houver de oferta nas secretarias estaduais. Isso tem que

derá entrar também na Comunidade de Práticas da Saúde

refletir no território.

Mental e da Atenção Básica. Fomentar o debate que surge

Neste aspecto, temos um espaço importante, que é a Comunidade de Práticas, plataforma de educação à distância

como um grande desafio de continuidade deste projeto. Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

107

A inclusão do território

A área de Saúde Mental do Ministério da Saúde acredita que o Caminhos do Cuidado construiu um novo paradigma para as discussões em relação ao álcool e outras drogas, principalmente no sentido de dar mais ferramentas a quem trabalha diretamente nos territórios.

O projeto Caminhos do Cuidado é uma das iniciativas mais importantes de aproximação da saúde mental com a atenção básica na gestão federal. Ele se junta ao “Consultório na Rua” e ao “Caderno de Atenção Básica nº 34” que, por sinal, serviu de subsídio teórico para o Caminhos, no sentido de promover uma aproximação entre as áreas de saúde mental e atenção básica. Neste aspecto, tornou-se uma ferramenta valiosa para a formulação de um paradigma que pretendemos atribuir às discussões em relação ao álcool e a outras drogas. Com relação aos conteúdos, o projeto cumpriu plenamente sua proposta. Deixamos de pensar apenas na especificidade do cuidado e da ação relativa às drogas para entender que é preciso também cuidar do território e permitir que a população se aproprie do tema. Ao longo do processo, o Caminhos do Cuidado revelou-se bastante rico em termos de troca de experiências e de pontos de vista.


108

Capítulo 2 • Falas dos Caminhos


Caminhos do Cuidado • Relatório 2014

109

O projeto mexeu com as bases do cuidado. Hoje, contabili-

de informações para a população em geral. Precisamos

zamos muitas iniciativas de agentes de saúde que querem

analisar os dados do projeto, fazer estudos que mostrem

provocar mudanças na gestão para compatibilizá-la com os

seus impactos e resultados.

conhecimentos técnicos que absorveram. É uma mudança cultura e geográfica, que pode ser percebida, pós-treinamento, nos territórios. Também nesse aspecto, o Caminhos do Cuidado atingiu de maneira bastante interessante o objetivo que pretendia.

Sabemos que o processo iniciado pelo Caminhos do Cuidado é irreversível. Ele precisa ser caracterizado como uma formação permanente. Também temos que garantir, a curto prazo, e a continuidade dessa aproximação entre a Saúde Mental e a Atenção Básica. O projeto funcionou

Agora, é pensar nos próximos passos. A avaliação do pro-

como um disparador e agregador de uma mudança cultural

jeto é uma questão a ser desenvolvida. Também reunimos

que precisa, cada vez mais, refletir no território.

uma imensa base de dados, que deverá ser compartilhada, não apenas como subsídio para gestão, mas, como fonte

Área de Saúde Mental do Ministério da Saúde.


Caminhos do Cuidado – Relatório 2014  

Relatório do projeto Caminhos do Cuidado – ano de referência: 2014

Caminhos do Cuidado – Relatório 2014  

Relatório do projeto Caminhos do Cuidado – ano de referência: 2014