Page 1

Era uma vez... Era uma vez e tantas outras vezes, em repetição, o alarme do despertador que corta os ouvidos dos trabalhadores de segunda à sexta-feira, às cinco e meia da manhã. Era uma vez e, mais quantas vezes serão?, uma princesa que divide o quarto com mais três irmãos, lençol furado, pé descalço, cobertor remendado. Era uma vez, e mais outra vez, um príncipe que fazia do uniforme da firma sua armadura e do trem lotado do final do expediente seu cavalo branco. Eram muitas vezes, então, nossos heróis do cotidiano que matam dragão no dente e que fazem mágica com as contas no final do mês.

Heróis do Cotidiano  

Projeto piloto