Issuu on Google+

O WEBJORNALISMO NA ERA DA CONVERGÊNCIA Dada à importância da arquitetura da informação na página inicial de um website, no que diz respeito à transposição de conteúdo, divulgação e edição de notícias em fluxo contínuo, analisamos quatro sites da região sudeste: o Dia, do Rio de Janeiro; UAI, de Minas Gerais; a Gazeta do Espírito Santo e a Folha Online, de São Paulo. Os jornais online brasileiros apresentam fortes características das publicações em papel [...]que não exploram de forma satisfatória as possibilidades oferecidas pelo ambiente digital para o desenvolvimento de produtos jornalísticos. (RIBEIRO, 2009)

A análise ocorreu durante uma semana, entre os dias 19 a 25 de setembro. Foram avaliadas cinco matérias por dia de cada homepage, totalizando 140 matérias de diversas editorias. O trabalho se baseou na avaliação e julgamento de cada conteúdo e se houve transmutação de linguagens e narrativas híbridas, para o meio web. Analisamos os dados estruturais dos websites e como foram trabalhados os elementos como links, conteúdo multimídia, infográficos e outros recursos interativos, de forma quantitativa e qualitativa, nos pautando na ocorrência ou não das seis características do jornalismo na web citadas como base teórica por diversos autores como Marcos Palácio (2002).

2. Contextualização “O Dia Online”

O site de notícias “O Dia online”, assim como a versão impressa do jornal “O Dia”, pertence ao EJESA (Empresa Jornalística Econômico S.A), “grupo editorial que desenvolve intensa atividade de investigação em todas as áreas de informação e mídia”, segundo as palavras da própria presidente do conselho de administração do EJESA, Maria Alexandra Vasconsellos. A empresa possui força no mercado jornalístico e alcança diariamente cerca de 3,5 milhões de leitores, com abordagens voltadas ao público carioca.

A Editora O Dia passou a fazer parte do grupo EJESA em maio de 2010, que, a partir daí, tornou-se o responsável por editar os jornais O Dia, Meia Hora e o diário esportivo Campeão. A aquisição do jornal O Dia pelo grupo EJESA trouxe melhorias para a


publicação, modernização gráfica, estrutural e demais transformações de conteúdo que tornou o jornal mais dinâmico e agradável de ser lido. A partir desse momento o leitor passou a encontrar reportagens mais objetivas, notícias pontuais e organizadas em editorias bem divididas. A linha editorial de O DIA propõe um “jornal de serviço que trabalha em benefício da população do Rio de Janeiro”, uma vez que sua história mistura-se com a história da cidade.

O site do jornal O Dia (http://odia.ig.com.br/portal/) possui estrutura semelhante aquelas presentes nos principais sites de notícias do país. A hierarquização de notícias é nítida tanto na página principal, conhecida como home, quanto no menu horizontal superior, que disponibiliza todo o conteúdo presente no site dividido em editorias. Tal design facilita a busca e a segregação do público, que é fragmentado de acordo com o assunto de interesse pessoal.

Por outro lado, a home do site pode parecer confusa para alguns leitores devido ao grande número de informações disponibilizadas em um pequeno espaço. Considerada em dois momentos, em ordem de visualização feita de cima para baixo, há na região central da home as principais notícias do dia, por ordem de postagem. Do lado esquerdo, uma galeria fixa de imagens que também cobrem as principais reportagens do dia, porém com a utilização do recurso visual, uma vez que a maioria das notícias do site não possui imagens. É do lado direito das principais notícias, disponíveis em forma de “coluna”, que encontra o maior número de informações no site. Trata-se de links para demais galerias de fotos, links para artigos e colunas, possibilidade de leitura do jornal em PDF para os assinantes, links para blogs, especiais, além de um quadro que mostra notícias postadas de minuto a minuto. De fato, o layout do site não contribui para uma nítida hierarquização do conteúdo, entretanto, agrega em si características de um meio convergente e utiliza recursos próprios da internet para sua existência.


Uma vez dito que o processo de produção jornalística voltado para a internet contém características que dão ao meio algumas especificidades próprias, é possível visualizálas no site de notícias “O Dia online”, mediante análises das notícias e demais recursos disponibilizados em rede. Portanto, a partir de agora passa-se para análise detalhada do site O Dia online mediante as necessidades de verificação de ocorrências ou não das seis características do texto na web citadas por Palácios (2002).

3. Características do jornalismo na internet

3.1. Hipertextualidade Tal característica diz respeito a capacidade do texto na web não ter um fim nele mesmo. Com a utilização de links o texto se torna hiper, ou seja, se torna grande e é capaz de dialogar com demais textos que estão presentes na “www”. Essa é a função dos links, trazer para o leitor mais informações referentes ao assunto em questão e, até mesmo, trazer para a página algo de produção não autoral, mas que pode ser útil ao leitor. Entretanto, no site O Dia online os links não usados dessa forma, o que nos permite dizer que eles não usados como recursos hipertextuais de forma correta. Os links presentes nas notícias são denominados “comerciais” ou “publicitários” e levam o leitor


para páginas de propaganda e venda de produtos diversos.

A forma encontrada como recurso de ligação entre notícias semelhantes é um quadro no fim da página com o título “<relacionadas>”. É nesse quadro que se encontram os links para as demais reportagens ligadas ao assunto atual, mas que podem ser ignoradas pelo leitor que não lê a notícia completamente ou que espera um recurso de expansão de texto dentro da própria reportagem, e não depois de seu término, como no caso do jornal O Dia online. Por esse motivo, é possível afirmar que a característica da hipertextualidade, primariamente básica e primordial para a caracterização do texto jornalístico na web, não se faz presente no jornal O Dia online, o que deixa uma marca de defasagem grande no que tange a recursos de convergência no site.

3.2 Interatividade Característica que diz respeito a capacidade de interação entre o leitor (receptor) e o jornalista (emissor/produtor), que deixou de se configurar pela passividade no recebimento da mensagem e assumiu uma postura participativa, cooperativa. Com o advento do jornalismo na internet o leitor tem mais oportunidades de opinar, criticar, enviar informações úteis a apuração da notícia e até mesmo relatos individuais que são publicados sem muita censura. Diferentemente da hipertextualidade, característica que não é bem utilizada no texto jornalístico de O Dia online, a interatividade é melhor perceptível, uma vez que o site abre espaço para a participação dos leitores. Ressalta-se que a simples possibilidade de enviar uma carta aos responsáveis por um jornal, seja ele digital ou não, não configura


interatividade em si, pois editores, jornalistas e articulistas podem optar por não responder e não levar a comunicação à diante. O site oferece a possibilidade do “fale conosco” e, portanto, viabiliza a comunicação do leitor com os responsáveis pelo jornal. Contudo, dentro do período de análise do site não foi observado nenhuma possibilidade do leitor participar direta ou indiretamente da produção do conteúdo postado. O jornalismo participativo, defendido por muitos como forma inevitável de se fazer jornalismo em um futuro próximo, não se fez presente no site do jornal O Dia.

Outra forma de interatividade bastante utilizada nos jornais da web e presente de semelhante modo no site do jornal O Dia, é aquela feita através das redes sociais. A abrangência de ferramentas como twitter, orkut e facebook faz com que sites de notícias usem tal possibilidade como forma de expandir o alcance das notícias e faz com que elas cheguem até pessoas que não entrariam no site por conta própria, naturalmente. No site do jornal O Dia é possível perceber que a inserção de notícias nas redes sociais é feito repetidas vezes, em todas as notícias, independente do tamanho, relevância ou conteúdo. Com apenas um clique o leitor pode compartilhar da notícia lida em suas redes sociais, usando os botões disponibilizados no próprio site.


3.3. Memória Todo o conteúdo produzido e disponibilizado na internet fica armazenado em rede e colabora para a construção da memória do jornal, diferentemente da forma de tratamento dada aos jornais impressos que, depois de algum tempo, são descartados e não catalogados da maneira adequada. O acervo de um site fica guardado em um “banco de dados” e não possui ligação com o layout da página, ou seja, independente da estética empregada ao site, o conteúdo informativo é mantido, salvo algumas alterações de formatação. Com relação a versão digital do jornal O Dia, todas as postagens, sejam elas de notícias, artigos, notas, reportagens, colunas, dentre outras, ficam armazenados em um banco de dados e disponíveis em toda a “www” através dos sistemas de buscas, internos ou externos ao site. Também, o acervo do jornal impresso de O Dia pode ser visto na internet de forma transposta, ou seja, é disponibilizado em rede um PDF do jornal impresso que pode ser consultado a qualquer momento, com a ressalva de poder ser visto na íntegra apenas por assinantes. Todas essas possibilidades colaboram para a construção tanto do acervo histórico do jornal, quanto para a criação da identidade dele.


3.4. Atualização constante Por se tratar de um jornalismo feito para a internet, a noção de atualização constante


deve ser vista como a palavra-chave que coloca em pauta a questão do dead line préestabelecido, que tende, cada vez mais, a não existir, uma vez que o ambiente virtual permite ser atualizado a qualquer momento. No final de um dia, o leitor pode acessar a informações que não estavam presentes no início dele. Entretanto, mesmo com a possibilidade de atualizar um site a qualquer momento, é necessário manter uma harmonia, ou seja, uma cadência nas atualizações, para não tornar o site massivo e desorganizado. Na home do O Dia online é possível perceber que as notícias são postadas ao longo do dia, entretanto seguindo uma hierarquia das informações. As notícias postadas mais recentemente ganham destaque perante aquelas já postadas anteriormente. Tal hierarquização, portanto, responde a critérios de ordem de postagem.

Além disso, o sistema de atualização usado pela equipe do jornal O Dia online possibilita para o leitor a visualização de notícias postadas a todo minuto. A sessão “último minuto” lança a notícia na rede em parceria com o twitter, que informa a leitores que não estão no site sobre o que de mais recente aconteceu no Rio de Janeiro, no país ou no mundo.


3.5. Multimidialidade A internet é apenas uma das plataformas para difusão de notícias perante tantas outras existentes. As informações disponibilizadas na “www”, inclusive as do jornal O Dia online, também podem ser acessadas em celulares, Ipads e demais dispositivos móveis. Além disso, outra possibilidade da multimidialidade é a de agregar em um único meio, características de outros meios, como vídeos, fotos, recursos de áudio, dentre outros. A “TV O Dia” é um exemplo disso. Voltada para a difusão de vídeos, esse canal oferece uma opção de interação a mais para o leitor e forma complementar de acompanhar os acontecimentos, que não seja apenas por texto. A utilização de vídeos e de demais recursos multimídias são indicativos que o site está pensando de acordo com os padrões da convergência de mídia e caminha para a plena utilização de possibilidades que a internet proporciona.

Porém, a maneira de se pensar a convergência de mídia e trabalhá-la diretamente no site ainda é precária e precisa ser revista pela equipe de O Dia online. Tal afirmativa deve-se ao fato de que existem canais que agregam características de outros meios em si mesmo e que indicam convergência. Tais canais disponibilizam imagem, vídeo e áudio, porém, são canais que não interagem entre si. Ao analisar uma notícia individualmente o leitor pode supor que na “TV O Dia”, por exemplo, pode haver mais conteúdo relacionado aquela notícia, mas com suposições não se constrói um jornalismo de qualidade e um site que agrega recursos de convergência de mídia.


3.6. Personalização

Uma vez que a internet é um espaço totalmente livre, um dos artifícios de um grande jornal para prender leitores de gostos completamente distintos é enxergar o público como nichos a serem alcançados. Cada grupo de leitor possui seus próprios gostos e interesses. Trabalhar as notícias de modo a direcioná-las para esses grupos individualmente faz com que um grande jornal de massa seja lido por públicos totalmente distintos. O jornal O dia online entende perfeitamente o que o direcionamento de editorias significa para a fidelização do público e trabalha isso de forma bem feita. Se o leitor considera que em determinado site existe um “espaço” totalmente construído e moldado de acordo com os seus interesses, as chances dele tornar a leitura desse site como rotina é maior. Exemplo de personalização adotada pelo O Dia online são as editorias de esporte, bem definidas e com layouts personalizados. Outro exemplo são as editorias que tendem a desaparecer mediante a diminuição de pautas referentes a ela, mas que, durante a sua existência, consegue tornar fieis os leitores que acessam o site em busca de informações específicas de determinado assunto. A editoria Rock in Rio ilustra o segundo exemplo.


4. Contextualização O Jornal Folha de São Paulo

A história do jornal Folha de São Paulo, se inicia em 19 de fevereiro de 1921, por meio do Grupo Folha, de Olival Costa e Pedro Cunha, que nesta época fundam o jornal “Folha da Noite”, voltado para o público de classe média instaurado em uma sociedade que se baseava na política cafeeira. Mais tarde, criam o “Folha da Manhã”, de 1925 e o Folha da Tarde, de 1949. Em 1960 se fundem para dar origem ao conhecido, Folha de São Paulo, comprado em 1962 por Carlos Caldeira Filho e Octavio Frias de Oliveira, propondo uma reformulação em sua linha editorial. Desde a década de 20, o jornal acompanha diversos acontecimentos históricos e conjunturais do Brasil e do mundo como a Segunda Guerra Mundial em 1945, a queda do regime militar, a Campanha das Diretas- Já, que reivindicava eleições presidenciais diretas no país, o impeachment do presidente Fernando Collor de Mello, em 1991, entre outros. Com uma linha editorial determinada pelos seguintes princípios: pluralismo, apartidarismo, jornalismo crítico e independência, o veículo tenta inovar desde 1980 com diversos projetos de mudanças gráficas e editorais. Em 1981, a Folha lança com o seguinte slogan “a Folha e alguns passos que é preciso dar”, dispõem ao leitor a prioridade por um jornal pautado pela objetividade e veracidade nas informações. Já em 1997 diante do aumento no fluxo de informações busca um jornalismo “mais seletivo, qualificado e didático”. Desde a década de 1980, o jornal impresso Folha, segundo o próprio site, é diagnosticado como o mais vendido no país. Entretanto, a pesquisa divulgada pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), demonstra que o panorama é outro, a vendagem impressa de jornais caiu de 429.276, em 2000 para 298.351 em 2009. Entre 1993 e 1991, o jornal foi o primeiro a utilizar um banco de dados de textos e imagem digitais, em substituição as câmeras analógicas, as digitais começam a ser utilizadas em caráter experimental. Em abril de 1993, o grupo inaugura a versão computadorizada de sua agência de informações, na qual divulga aos leitores questões ligadas à política e esporte.


Desde a década de 1980, o jornal impresso Folha, segundo o próprio site, é diagnosticado como o mais vendido no país. Entretanto, a pesquisa divulgada pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), demonstra que o panorama é outro, a vendagem impressa de jornais caiu de 429.276, em 2000 para 298.351 em 2009.

5. Folha.com Em 1995 é inaugurado o Folha Web “o primeiro jornal online em tempo real da língua portuguesa”, serviço do Grupo Folha que disponibiliza via online todas as notícias diarias da versão impressa, em forma de sinopse, entretenimento e prestação de serviço. Hoje, o site hospedado no domínio do site UOL (www.folhauol.com.br) divulga em média 500 notícias por dia, com 19 editoriais de acesso livre, e uma audiência de 17 milhões de visitantes e 173 milhões de páginas visualizadas por mês, segundo o site. Com seu enorme sucesso o Grupo lança o Universo Online (UOL), primeiro portal de acesso gratuito que implanta além de noticias em tempo real, prestação de serviço e entretenimento. Em 1997, segundo o site da Folha, a audiência do UOL se equipara aos grandes sites de informação americanos. Nos anos 2000, o serviço da Folha Online é o primeiro a disponibilizar noticias via WAP para usuários de telefone celular. Pensando na qualidade do serviço web e no avanço em número de acessos, também decide ampliar o quadro de colaboradores e modificar sua homepage com a adesão de novos canais, como “Pensata”, “Círculo Folha” e “Almanaque”. Já neste ano, o site lança suas versões em espanhol e inglês.

6. Homepage Segundo Sanches (2004), Arquitetura da informação refere-se ao desenho das informações: como textos, imagens e sons são apresentados na tela do computador, a classificação dessas informações em agrupamentos de acordo com os objetivos do site e das necessidades do usuário bem como a construção de estrutura de navegação e de busca de informações, isto é, os caminhos que o usuário poderá percorrer para chegar até a informação.


Foi pensando nisso, que o conteúdo disposto dentro da plataforma World Wide Web ganha um formato diferenciado. O usuário ao adentrar em uma página de notícias busca informação de acesso rápido e eficaz, desse modo observamos a importância de um sistema de busca eficiente, uma hierarquização de noticias, além de uma disposição padronizada que facilite a procura pelo assunto desejado. No caso da Folha, a homepage possui no primeiro bloco, o menu inicial (barra de navegação global) onde estão dispostas todas as editorias, além de um sistema de busca que utiliza a tecnologia do próprio Folha Online; links para canais “TV Folha”, “Foto” e Rádio Folha”; o “acervo Folha” e uma barra “Em cima da hora” com notícias atualizadas constantemente.

6

5

1: Sistema de Busca 2: Menu com editoriais 3: Canais Folha 4: Chamadas de notícias atualizadas 5: Menu global 6: Logotipo

Segundo Rosenfeld & Morville (2002), a arquitetura da informação é dividida em 4 sistemas: organização, navegação, rotulação e busca. Neste artigo iremos trabalhar especificamente com o sistema de navegação de web, no qual é dividido em duas categorias, o de navegação embutido e o remoto. Dentro do sistema de navegação


embutido encontramos os elementos necessários para a navegação que se sincronizam com o conteúdo, como logotipo, menu local, barra de navegação global, componentes de navegação textual, bread crumb e cross content (figura 2). Este último se refere aos links de uma notícia ou publicidade que te remetem a outra página e cruzam diversas informações possibilitando assim a convergência de conteúdo na web. Já o bread crumb ou navegação estrutural é utilizado para localização de caminhos dentro do portal.

Cross content

Cross content

Cross content

Figura 2: Reprodução de uma notícia do site de 23 de setembro de 2011

Em 2007, o site realizou uma reformulação em sua estrutura gráfica, que segundo a notícia do Folha Online de 22 de agosto de 2007 foi realizado de acordo com a participação do usuário. A proposta era organizar o site em blocos de notícias, com textos leves e ilustrados que atraísse o leitor, com sistema de busca, noticiário de variedades, imagens, ranking de noticias, multimídia, enquete, galerias, entre outros. A homepage do site Folha Online é estruturada por bloco de noticias, alguns permanentes outros temporários, conforme a demanda, importância e a cobertura do assunto dada pelo site. Exemplos são as editorias: cotidiano, mundo, pelo Brasil, esporte, poder, ilustrada, entretenimento, mercado, classificados, comida, equilíbrio e saúde, guiafolha que são permanentes, com rotatividade periódica de noticias, e se diferenciam somente pela cor que denomina o assunto (vide imagem 3 e 4).


Canais

Rede social

Publicidade

Bloco de editorias

Box Ranking de notĂ­cias

Canal Blogs


Figura 3 e 4: Estrutura da homepage inicial do dia 23 de outubro de 2011

Entretanto, outras editorias como “Pan-Americano” e “35º Mostra Internacional de Cinema” (vide imagem 3) são alocadas na página inicial temporariamente, conforme duração do evento, além de possuir uma página exclusiva acerca do tema. Ainda sim, a home oferece canais, como “TV Folha”, “Rádio” e “Galeria de fotos” e outros conteúdos como blogs, publicidades e boxes interativo com notícias mais comentadas, lidas e enviadas pelos usuários, que assumem grande importância para a rede colaborativa na internet e assim, aproximam os produtores de conteúdo com os demais consumidores. Para Jenkins (2008) a cultura participatória vai além ao colocar o consumidor, como agente ativo contradizendo a idéia de passividade, perante as informações dos meios de comunicação. Ao contrário, a cultura participativa (Jenkins, 1992; 2006; 2008) apontaria para uma lógica mais complexa. O consumo criativo, socializado e informado (o “consumo cidadão”) possibilitaria um maior grau de emancipação dos consumidores em relação aos ditames do mercado: o indivíduo desenvolveria a habilidade de tomar decisões e de aumentar sua consciência social. (MAZETTI, 2009)

7. Características do jornalismo na internet 7.1.

Hipertextualidade

Hipertextualidade segundo Palácios (2002) nada mais é do que o diálogo entre os textos que se cruzam e possuem uma continuidade que, além disso possibilitam uma interconexão entre conteúdo através de links, “bem como para outros textos complementares (fotos, sons, vídeos, animações, etc) e outros sites relacionados ao assunto”. No site da Folha, a hipertextualidade é um dos recursos mais utilizados na maioria das notícias, entretanto os links dificilmente remetem para outros sites, na maioria das vezes as frases lincadas nas matérias remetem o internauta à outra página do Folha, bem como galeria de fotos, matérias relacionadas, redes sociais e outros conteúdos multimídia. O site utiliza o recurso de lincagem de frases no inicio ou no meio e/ou de palavras no decorrer do texto (vide imagem 5).


No exemplo da figura abaixo, observamos que o site se detém a utilizar o recurso de agrupamento de diversos links com noticias relacionadas ao assunto do próprio site. Observa-se que o Folha Online se preocupa em relação à navegabilidade do usuário, instigando-o a percorrer outras partes do portal, entretanto se abstém de utilizar links publicitários e outros que levem o internauta para sites externos. Quando isso ocorreu foi dentro de notícias com teor de prestação de serviço (vide imagem 6), em que o link “site” remete a página do Conselho Federal de Medicina, com relação a greve dos médicos. É importante frisar que ao clicar em links para sites externos abre-se outra aba, diferentemente das notícias hospedada na Folha Online, em que a abertura da matéria se dá na mesma guia de navegação.

Figura 5: Notícias com links do dia 19 de setembro de 2011.

Link dentro do texto

Agrupamento de Links de frases


Link externo

Figura 6: Reprodução de notícia do dia 20 de setembro de 2011

7.2 Interatividade Segundo Palácios (2002) a interatividade se dá pela troca de emails entre jornalista e leitor, nos comentários que instigam a participação do usuário, mas também se encontra na própria notícia através do hipertexto. A página de notícia do site da Folha Online possui o recurso de “comentários”, no qual o internauta tem a opção de deixar, por meio de um cadastro, sua opinião sobre determinado assunto sendo esta de responsabilidade do autor. O site em sua política de privacidade deixa claro que os comentários não representam em momento algum a opinião do jornal. O internauta tem ainda a opção de aprovar ou reprovar o comentário de outro usuário e postá-lo em sua página na rede social. Em nenhumas das noticias analisadas o site se pronunciou em relação a algum comentário. Todas as notícias podem ser compartilhadas nas redes sociais (vide imagem 7), facebook, twitter e Google plus, através do ícone de compartilhamento que se localiza abaixo do título, ou no box “+ canais” em que há oportunidade de acompanhar a página


da Folha no faceboook, no Twitter e a editoria desejada também via twitter. Além de enviá-la por email (vide imagem 9) e comunicar erros para a redação da folha (vide imagem 8) por meio de um formulário com nome, email e comentários. Nas páginas ao lado da notícia, o site oferece um Box (vide imagem 10 e 11) com o ranking “as últimas que você não leu”, que se refere a uma listagem de notícias relacionadas à matéria lida, selecionadas de acordo coma navegabilidade do usuário; outro Box com “+comentadas”, em que lista as matérias mais comentadas pelos internautas e outro a cerca das “+ enviadas” pelos usuários através das redes sociais. Esses recursos demonstram a preocupação do portal em maximizar a relação do produtor da informação com o usuário e assim, trabalhar a notícia de forma multilinear, possibilitando assim que uma interação eficaz amplie o leque do jornalismo colaborativo dentro da plataforma web.

Figura 7: Reprodução interatividade do usuário na página- 19 de setembro de 2011


Figura 8: Reprodução da página “comunicar erros” da Folha.

Figura

9:

Página

“enviar por e-mail” da Folha Online

Figura 10: Box “ as últimas que você não leu”, reprodução 19 de setembro de 2011


Figura 11: Box “+lidas”, “+comentadas” e “+enviadas”, reprodução 19 de setembro de 2011

7.3.

Memória

Segundo Palácios (2002) arquivar um conteúdo na internet é mais viável e rentável do que nos arquivos impressos, dessa forma o volume de informações produzido na web será maior do que nas demais mídias. A memória do conteúdo do site Folha Online é arquivada em um banco de dados disponível para usuários de forma limitada. Na página inicial o ícone “acervo folha” localizado no menu principal remete o usuário a página (http://acervo.folha.com.br) que possui layout diferenciado e independe do site. Nele podem-se consultar os jornais de acordo com o ano (desde 1921), mês, dia, caderno e página. Todo acervo é digitalizado, minimizando a possível perda de dados. Além disso, o acervo é grande e disponibiliza arquivos na época em que o jornal ainda era chamado de “Folha da Manhã” e “Folha da Noite”.


Figura 11: Reprodução do site “Acervo Folha”

Figura 11: Reprodução do Folha da Noite de 31 de julho de 1958.


7.4.

Atualização Constante Conforme dito na análise do jornal “O Dia”, o site Folha de São Paulo, não

possui um deadline preciso e sim contínuo, conforme a demanda por notícias. São em média veiculadas 500 matérias por dia, que na página inicial são hierarquizadas conforme atualização e posteriormente arquivadas, o que possibilita dessa forma o acompanhamento continuado de determinadas matérias por parte do usuário. O fácil acesso, a padronização das noticias por ordem de atualização e por editorias, facilita o usuário entrar em contato com o tema desejado. A página inicial do Folha.com oferece abaixo do menu principal (vide imagem 1) a barra “Em cima da hora” com chamadas atualizadas constantemente. Ao clicar, o usuário é dirigido para a página da noticia em outra aba de navegação. Além disso, as notícias principais da homepage são constantemente alteradas durante o dia, de acordo com a atualização de informações. Algumas matérias são atualizadas diversas vezes, isto é observado na lateral, acima do título, das páginas das referidas notícias, que descriminam data e horário da atualização (imagem 12).

Atualização

Figura 12: Reprodução da notícia de 19 de setembro de 2011

7.5.

Multimidialidade

Para Palácios (2002), a multimidialidade é sinônimo de convergência, ou seja,


No contexto do jornalismo online, multimidialidade, refere-se à convergência dos formatos das mídias tradicionais (imagem, texto e som) na narração do fato jornalístico. A convergência torna-se possível em função do processo de digitalização da informação e sua posterior circulação e/ou disponibilização em múltiplas plataformas e suportes, numa situação de agregação e complementaridade.

O site da Folha.com possui uma área destinada para canais como Rádio, TV e Galeria de Fotos, implementada após a reforma gráfica de 2007. Além disso, todas as notícias em formato textual possuem links que direcionam o internauta para a página de galeria e outros são acrescidos de vídeos e podcasts (programa curto de rádio).Na página do canal da TV Folha, todos os vídeos são interconectados às noticias textuais. Outra opção é compartilhar o vídeo nas redes sociais, acompanhar a programação da TV Folha pelo Facebook ou ainda assisti-lo em dispositivos móveis (via youtube), o que potencializa o caráter informativo do site. Uma das notícias analisadas no dia 21 de setembro de 2011 foi sobre o “Concurso em SP escolhe as mais belas presas; veja vídeo”. O vídeo em alta definição é uma produção do Grupo Folha, que realizou uma reportagem sobre o concurso da “Miss presidiária”, nos quais os próprios participantes são protagonistas da história (imagem 14). Figura

13:

Reprodução

Canal TV Folha


Figura 14: Reprodução da notícia do site 21 de setembro de 2011

A Rádio Folha segue a mesma linha e sua página é dividida em canais como “cotidiano”, “poder” e “polêmica”. Ao clicar em qualquer podcast, o link te remete para a referida noticia que une texto, som e se houver outros recursos como imagem, vídeo e infográfico.

Recurso de áudio


A Galeria de Fotos do site também é atualizada constantemente e oferece uma gama maior de fotos sobre determinado assunto que não são inseridos dentro da matéria por falta de espaço. Em algumas páginas de notícias existem “links” que te direcionam para a visualização de uma gama maior de fotografias na página da “galeria”, oferecendo ao usuário possibilidade de ir além da própria notícia e participar ativamente da produção jornalística. Figura 16: Reprodução da página de galeria de fotos do site Folha.com

7.6 Personalização Personalização para Palácios (2002) é a possibilidade de adequar o conteúdo do site aos seus “interesses individuais”. No site da Folha Online isso não é possível, entretanto no que diz respeito à combinação de cores do layout da página inicial e a estrutura organizacional das editorais, existe uma hierarquização coesa que nos leva ao conteúdo desejado de forma imediata. O layout de páginas como de esporte e outras sobre temas especiais temporários, como fora o Rock In Rio, transmitem certa credibilidade e confiabilidade, nos quais usuários que acessam a páginas tornam-se leitores fiéis do conteúdo, já que este se faz não só pelo texto em si, mas também pela arquitetura da informação, como padronização da página, organização do conteúdo, layout, etc.


Figura 17: Reprodução da página

do

Folha.com

Rock

Rio

na


8.

Contextualização “Portal Uai”

O Portal Uai pertence ao “Diários Associados”, um grupo de meios de comunicação que inclui emissoras de televisão, jornais impressos, portais, rádios e revistas de todo o Brasil. A principal abordagem do Portal Uai se refere ao seu estado de origem, Minas Gerais. Além disso, são retratadas notícias do Brasil e do mundo das mais diversas temáticas. O site do Uai (www.uai.com.br) trabalha com a hierarquização de notícias, bem como os demais portais analisados. Sua página principal possui um menu horizontal, dividido em seções, pelas quais o internauta pode navegar.

As sub-divisões encontradas no site, levam o leitor para outros sites que tratam somente de assuntos específicos do tema. Como é o caso do Superesportes. A editoria aborda as mais diversas áreas do esporte, passando pelo futebol mineiro, por outras modalidades esportivas e chegando aos campeonatos europeus. O site possui sua própria identidade visual e, mesmo sendo vinculado ao Portal Uai e ao grupo Diários Associados, é livre para tratar do esporte de forma leve e interativa.


A página principal do site é divida em três módulos verticais. Os dois primeiros módulos do primeiro bloco de notícias são referentes às notícias de destaque, podendo ser regionais, nacionais ou até mesmo internacionais. Uma galeria de fotos está sempre presente nesse bloco informacional. São, geralmente, três fotos que vão se alternando na exibição, oferecendo um dinamismo à página inicial.

O lado direito da página principal é sempre marcado por duas grandes editorias que levam o leitor para fora da página do Uai: TV Alterosa e Vrum. A TV Alterosa pertence ao grupo “Diários Associados”, portanto as suas reportagens são veiculadas em um site, ligado ao Portal Uai (www.alterosa.com.br/html/capa_alterosa/capa_alterosa.shtml ). Nesta seção, pode-se encontrar a matéria que foi ao ar na televisão, integralmente, em


formato de vídeo. É de costume também, a presença de galeria de fotos.

Na presente análise, o site Uai será analisado de uma forma geral diante da perspectiva de Marcos Palacios, em seu texto “Jornalismo Online, Informação e Memória: Apontamentos pra debate”, onde ele discorre sobre as seis características do Jornalismo na web.

9. Características do Jornalismo na internet

9.1 Hipertextualidade O Portal Uai de notícias trabalha pouco com o recurso da hipertextualidade, ferramenta crucial para a produção de conteúdo jornalístico para a internet. Na maioria das notícias em que o link é utilizado, eles não estão presentes no texto, somente são usados para notícias relacionadas ao assunto que são linkadas na lateral da notícia principal. Em algumas notícias não há a presença de nenhum link. A pouca ou nenhuma utilização do recurso da hipertextualidade nesse site representa uma perda significativa no que tange os elementos básicos da convergência e das características do webjornalismo.


9.2 Interatividade A interatividade com o público é um recurso bem trabalhado pelo Portal Uai. Os leitores podem entrar em contato com os jornalistas responsáveis por cada notícia, através de um link direto para o Outlook que veicula junto com a assinatura do repórter em algumas matérias.

O Jornalismo Participativo, uma grande tendência nos grandes jornais, está presente no Uai através da seção Dzaí. O Dzaí é um site que se mantém exclusivamente por conteúdos enviados pelos leitores. O conteúdo pode ser enviado no formato de vídeo, foto, notícia, podcast, comunidades ou blogs. Este tipo de jornalismo é de extrema importância, uma vez que o repórter nem sempre está no lugar certo e na hora certa.


Dessa forma, o leitor é impulsionado a estar atento à informação ao seu redor e é incentivado a atuar na prática do jornalismo.

Uma outra forma de interação utilizada pelo portal é a possibilidade de divulgação das notícias em redes sociais, como twitter, facebook e orkut. Outro recurso utilizado é a abertura a comentários. O internauta pode expor a sua opinião sobre o que foi lido, além de poder interagir com outros leitores.

9.3 Memória O Portal Uai de notícias, como todos os portais, trabalha com a logística de banco de dados, garantindo a existência de um acervo próprio. Quando se faz uma busca no Uai, são disponibilizadas três opções: busca no próprio portal, na internet como um todo ou nos arquivos do jornal Estado de Minas, impresso vinculado ao grupo “Diário dos Associados”. A utilização do recurso do acervo online é uma característica que vem trazer ao público-alvo a possibilidade de estar em contato com notícias passadas, através


de recursos tecnológicos, além de ser uma ferramenta viável de armazenamento para os próprios geradores de conteúdo.

Além disso, o PDF do jornal impresso Estado de Minas também é disponibilizado através do site, porém, somente assinantes têm acesso ao conteúdo na íntegra. O site do jornal traz algumas matérias do impresso e nele é possível se ter contato com a capa do jornal do dia.

9.4 Atualização constante Um dos recursos mais importantes dentro do webjornalismo é a possibilidade de atualização contínua das informações. O site Uai trabalha com a atualização principalmente nas notícias de destaque que são hierarquizadas e atualizadas constantemente. A galeria de imagens da home também é atualizada ao longo do dia.


Outra forma de explorar a atualização constante das informações é uma seção no final da página inicial do Uai que traz as notícias separadas por editorias e na ordem de atualização, constando, inclusive o horário de publicação da mesma para que o leitor possa estar atento ao que de mais atual está postado no momento.

9.5 Multimidialidade O Portal Uai de notícias possui em sua página inicial galerias de fotos e vídeos, além da integração ao portal da TV Alterosa que oferece ao internauta uma vasta gama de material em vídeo. Porém esses recursos poderiam ser mais bem explorados, seguindo os conceitos da convergência de mídias, onde uma matéria da web, considerada rica, é


aquela que agrega links, vídeos, fotografias e áudios. Todos esses recursos poderiam ser melhor trabalhados no Uai, de forma a tratar a informação de uma maneira mais leve e interativa. A possibilidade de o internauta ter acesso à rádios e TV’s locais, oferecida pelo site, também é uma forma de se trabalhar a multimidialidade dentro do contexto informacional da web.

9.6 Personalização O Portal Uai adota posturas editoriais que absorvem a ideia de que o público que frequenta o site é bastante segregado. Dessa maneira, os conteúdos postados são os mais diversos possíveis e as editorias são bem marcadas de modo que quando um nicho específico de público for atrás de informações, por exemplo, de lazer e cultura, não terá que percorrer todas as notícias que não são de seu interesse. A seção “Divirta-se” é um bom exemplo disso. Nela são encontradas informações acerca de cinema, música, novelas, seriados, vida dos famosos, entre outros. O público que busca esse tipo de informação se sentirá próximo, ao ver retratado nesta seção o que ele procura. Outras seções do site também são bastante específicas, como o já citado Superesportes e o próprio site direcionado da TV Alterosa, que traz informações bastante locais que nem sempre interessa a todos os tipos de público. A fidelização do público é facilitada a partir dessas sub-divisões que são capazes de oferecer um conteúdo bastante específico sobre um determinado assunto que interessará a um grupo também específico.


10. Contextualização do Site Gazeta Online O site de notícias “Gazeta Online” faz parte da Rede Gazeta. O jornal tem sua versão impressa “A Gazeta” disponibilizada integralmente na internet para quem é assinante e também possui uma parceria com a globo.com em que são noticiados fatos internacionais, nacionais e principalmente capixabas. O site do jornal (http://gazetaonline.globo.com/) segue a linha da página principal da globo.com. Ele é dividido em editorias que em comparação com outros sites têm um número pequeno de divisões, elas estão presentes no menu horizontal superior facilitando a busca por informação diferentes. Figura 1

Na home do site também existe um box que contém cinco notícias que se alternam. Logo abaixo as editorias gtv, gazeta esporte e eu aqui se repetem. Alguns leitores podem achar o site um pouco confuso devido ao excesso de informações que não estão devidamente organizadas. Figura 2


11. Características do jornalismo na internet

11.1. Hipertextualidade A maioria das notícias analisadas não continha links no corpo da notícia. A figura abaixo é uma das poucas que apresentou um link dentro do texto. Figura 3

Geralmente a presença de links acontece para ler notícias da mesma editoria como: “Veja mais sobre esportes no WWW.GAZETAESPORTES.COM”. Figura 4


AlĂŠm de notĂ­cias sobre o mesmo tema. Figura 5


11.2 Interatividade O site utiliza do jornalismo participativo apresentando uma editoria “eu aqui” em que são retratadas por meio da “equipe eu aqui” desde histórias e situações pelas quais passam os leitores, além de matérias escritas pelos próprios internautas. As pessoas podem além de escrever enviar fotos e vídeos tanto para a editoria quanto para o jornal. Figura 6


Figura 7

É possível deixar comentários, mas estes não são visíveis. Figura 8


Também como forma de interação com o leitor é possível mandar a notícia por e-mail dentro da editoria “minuto a minuto”. Figura 9

Como característica de interatividade o jornal utiliza as redes sociais: facebook, twitter, myspace e Orkut. Em que é possível compartilhar a matéria pelo facebook e twitter. Além de possuir como estratégia de divulgação a ferramenta RSS. Figura 10

11.3. Memória Não existe um link próprio para as notícias que já foram publicadas, mas o leitor pode ir na caixa de busca e digitar o que procura. Figura 11


11.4. Atualização constante As notícias são postadas ao longo do dia sendo que as recentes são as que permanecem na home. O site está em contínua atualização, dentro do possível, pois é perceptível que de acordo com outros sites esta atualização não é tão rápida. Figura 12

Figura 13


11.5. Multimidialidade A característica multimídia no jornal acontece basicamente por meio de fotos. Utilizamse poucos vídeos e áudios. Analisando cinco matérias por dia durante uma semana apenas uma matéria continha vídeo. Figura 14

No site existe a “GVT” em que o internauta pode acompanhar os acontecimentos não só por meio de textos, mas também vídeos contendo até uma programação ao vivo. Figura 15


11.6. Personalização O site contém editorias diversificadas, porém em comparação a outros jornais o número é pequeno para que a informação seja mais personalizada. As editorias principais são: notícias, gazeta esportes, cursos e concursos, divirta-se, vida saudável, eu aqui, blogs, gvt e classificadões. Figura 15

Figura 16

Figura 17


12. Referências Bibliográficas JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. Editora Aleph, 2008. MAZETTI, Henrique. Cultura participativa, espetáculo interativo: do “empoderamento” ao engajamento corporativo dos usuários de mídia. In: Intercom- Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2009, Rio de Janeiro. Disponível em: < http://pt.scribd.com/doc/19884826/Culturaparticipativa-espetaculo-interativo>. Acessado em 24 set. 2011

PALACIOS, Marcos. Jornalismo Online, informação e memória: Apontamentos para debate. Disponível em: < http://www.facom.ufba.br/jol/pdf/2002_palacios_informacaomemoria.pdf>. Acessado em 24 set. 2011

RIBEIRO, Ana Elisa. Notas sobre o conceito de “transposição” e suas implicações para os estudos da leitura de jornais on-line. Em questão, Porto Alegre, v.15, n. 2, p. 15-30, jul-dez 2009.

ROSENFELD, Louis; MORVILLE, Peter. Information Architecture for the Word Wide Web. 2 ed. Sebastopol: O'Reilly, 2002

SANCHES, S.A.S; VIDOTTI, S.A.B.G. Arquitetura da informação em web sites. Disponível em: < cutter.unicamp.br/document/?down=8302>Acessado em 01 out. 2011


Analisetotalconvergencia