Issuu on Google+

ab

Domingo, 9 DE outubro DE 2011

HHH

empregos 5

ESTÁGIOS E TRAINEES pedro silveira/Folhapress

A estudante Tâmara Leite treina em casa para dinâmica

de são paulo

Ao participar de uma dinâmica de grupo, a estudante de publicidade Tâmara Leite, 20, embaralhou-se. “Como fui a terceira a falar, senti como se estivesse repetindo o que outros candidatos disseram, e aquilo me deu mal-estar.” Ao tentar “mudar as palavras”, Leite se atrapalhou. A dinâmica é a fase mais difícil em processos de seleção para estágio, considera ela. “Você não sabe como as pessoas vão se comportar, e fica mais difícil mostrar meu potencial”, afirma Leite. A estudante não é a única a temer essa fase do processo. Levantamento do Nube (Núcleo Brasileiro de Estágio), obtido com exclusividade pela Folha, aponta que 28% dos 6.605 alunos consultados consideram a dinâmica a fase mais difícil. Redação (26%), entrevista (26%) e testes (20%) vêm em seguida. “A dificuldade aparece em virtude do medo de se expressar”, diz o superintendente do Nube, Alberto Cavalheiro. O estudante de administração Pedro Miguel Zadra Alves, 20, diz que dinâmicas aumentam sua ansiedade. “Nessa situação, você não conhece nem o ambiente nem as pessoas”, justifica Alves. Noely David, supervisora de processos seletivos especiais do Ciee (Centro de Integração Empresa-Escola), avalia que o nervosismo faz o estudante cometer erros. “Ele monta um personagem na tentativa de impressionar, com respostas prontas.” Tentar adivinhar o que a empresa quer, no entanto, trava o estudante, considera Maira Habimorad, sócia-diretora da Cia de Talentos. TREINO

Para não ficar sem respostas nos processos, Leite treina em casa. “Escrevo um texto, pesquiso sobre a empresa

DESEMPENHO Deixe o medo em casa

Dinâmica de grupo é fase mais temida

Etapa é receio de 28% de estudantes; entrevista e redação empatam em segundo lugar, com 26%, mostra pesquisa

Quando o estudante pensa que [a dinâmica] é um jogo no qual há um vencedor, ele já começa errado Alberto CAvAlheiro superintendente do Nube

Falar demais sem conteúdo é pior [do que falar pouco] Noely dAvid supervisora do CIEE

e leio em voz alta sozinha ou com amigos”, explica. O treinamento, segundo especialistas, é a melhor forma de amenizar o medo que o processo provoca. Participar da etapa sabendo que ela é um meio de análise de perfil também ajuda a acalmar. “A dinâmica é um instrumento que permite a avaliação do comportamento dos profissionais em diferentes situações”, explica David. Por isso especialistas em recrutamento e seleção de jovens recomendam aos estudantes não “forçar” respos-

tas prontas ou tentar apresentar perfil diferente do seu. Habimorad reforça que não existem fórmulas para se dar bem nessa fase e que os jovens devem apostar na naturalidade se quiserem destaque durante o processo. “Quanto menos os candidatos procurarem saber o que podem ou não fazer, melhor, porque isso só atrapalha.” Para ela, os estudantes devem aproveitar a etapa para avaliar a oportunidade. “Processo seletivo é um momento de conhecer a empresa e ver se ela interessa.” (CM)

Pense em como irá apresentar-se Seja cordial e discreto Memorize o nome do mediador Demonstre interesse pela empresa/vaga Fique atento às instruções Mostre energia ao realizar as atividades propostas Deixe os colegas falarem, sem interrompê-los Investigue se a vaga condiz com o seu perfil Fontes: Cia de Talentos, Ciee e Nube


Candidatos temem dinâmica de grupo