Page 1

O Amor Esta no Ar...

003

Livro Tema Ana e o Beijo FrancĂŞs


E

Entrada

ba! Saiu mais uma revista diretamente da VAP Caverna! Espero que vocês gostem dessa edição que vem cheia de informações para você que vai no VAP e para você que quer conhecer o Virando a Página. E desenvolver essa revista com as meninas VAP é uma delícia, alias quem não suspira quando o “Amor Está no Ar”? Sim mês passado foi mês dos namorados, então aguardem uma revista suspirante. E mais um caminhão cheio de novidades para o mês que vem! Alias já estou surtando por aqui, e preparando meu discurso para meu ídolo. Não sabe do que eu estou falando? COMO NÃO? Corre se informar pelo face do Virando a Página! Sim! Eu sei! Você está louco para saber o que vai rolar na revista desse mês e eu te segurando aqui no editorial... Vamos lá: Vire a Página!


Q

Tema do Mês

uem leu a revista do mês passado sabe que o VAP se reuniu no começo do ano e já tínhamos deixado alguns meses pré definidos, e claro não foi diferente com o mês de JUNHO, por se tratar do mês dos namorados escolhemos ROMANCE, definido isto então fomos atrás de um livro que retratasse bem isto, então surgiu a ideia de Ana e o Beijo Francês, confesso que de fato nós estavamos embriagada e contaminadas pelo clima de dia dos namorados. Na verdade eu (Yule) nem me lembro se teve algum outro livro em pauta para avaliado, até porque pra mim o livro estava bem fresco na memória, havia poucas dias que tinha feito a leitura do mesmo, então, não me lembro mesmo. E por votação unanime «Ana e o Beijo Francês» foi o escolhido da vez, e vai me dizer que o romance entra Ana e Santclaer não contagiou a vocês que leu??? Duvido. Pois é foi assim, eu vou confessar pra vocês acho que este foi o mais fácil até o momento, porque juro, cada mês é um Flash...kkk


O QUE É UM ROMANCE???

L

ivro de romance é basicamente um gênero narrativo, como novela, contos, e outros. A diferença entre romance e novela não é clara, mas costuma-se definir que no romance há um paralelo de várias ações, enquanto na novela há uma concatenação de ações individualizadas. Há de notar que o romance tornou-se gênero preferencial a partir do Romantismo, por isso ficando o termo romance associado a este. Entretanto o Realismo teria no romance sua base fundamental, pois apenas este permitia a minúcia descritiva, que exporia os problemas sociais. No Brasil os anos 50 foram férteis: 1956, por exemplo, é considerado um dos grandes marcos literários do país; foram publicados naquele ano O encontro marcado, de Fernando Sabino; Doramundo, de Geraldo Ferraz; Vila dos Confins, de Mário Palmério e Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa. Ainda desta década é Gabriela, Cravo e Canela (58), de Jorge Amado. A trilogia O tempo e o vento, de Érico Veríssimo, teve seu primeiro volume, O continente, publicado em 49 e o retrato em 51. Há pessoas, por exemplo, que acreditam que o fato de não lerem romances é um sintoma de intelectualidade. Na maioria das vezes, entretanto, quando se diz eu não leio romance está-se querendo dizer eu não leio prosa de ficção. Assim o preconceito se espalha para a literatura em geral. O que vale mesmo é que a leitura seja agradável ao que se dispõem a ler.

NOSSAS INDICAÇÕES


CURIOSIDADE (por Camila Guello) Paris... ah, Paris!! Se alguém me perguntar qual cidade do mundo representa um bom romance, não terei a menor dúvida em dizer que é Paris! Eu tenho certeza de que não sou a única a pensar nisso! E por que isso? O que Paris tem que a torna uma cidade tão propícia para o amor? O que a torna tão mágica? E o que foi que tanto encantou a Anna, além do St. Clair? Estive em Paris em 1998. Ok, já faz um tempão... Mas o tempo não foi capaz de me fazer esquecer os cenários belíssimos, a comidas incríveis e todas as emoções vividas em tão pouco tempo que fiquei por lá. Paris, a capital da França, é uma das cidades mais antigas e mais importantes da Europa. Não se sabe exatamente quando a cidade surgiu, mas acredita-se que a região já era habitada desde os tempos pré-históricos. Localizada numa região estratégica para o comércio, Paris se tornou uma das principais cidades do mundo ocidental já no século X e ao longo da história se tornou um dos grandes centros do ensino e da arte. Toda família importante que se prezava mandava seus jovens para receber uma boa educação em Paris. Não foi à toa que o pai de Anna (seria ele o Nicholas Sparks? Rs...) a mandou para lá para estudar! Os castelos, museus, catedrais e outros tantos monumentos incríveis, nos permitem um verdadeiro mergulho na história e na cultura! Não há como conhecer Paris sem aprender mais sobre o renascimento e o iluminismo, sobre os reis franceses, sobre Joana D'Arc...


É impossível ir a Paris e não ver de perto a Torre Eifell. Para quem não tem medo de altura, como o St. Clair, subir os mais de 1600 degraus é quase obrigatório. Mas a dica mesmo é fazer um passeio noturno pelo Rio Sena. A vista da Torre Eifell iluminada é inesquecível. Outra visita obrigatória em Paris é o Museu do Louvre. Dizem que é necessário passar meses dentro do museu para ver todas as obras de arte que lá se encontram, mas vale a pena gastar pelo menos um dia para ver a Monalisa e as outras obras mais famosas. E lógico... tirar um foto em frente à pirâmide de vidro e dar uma de Robert Langdon é essencial! Um dos meus lugares prediletos em Paris é a Catedral de Notre Dame. E não tem nada a ver com o Corcunda, antes que alguém pergunte. Construída em estilo gótico, a Notre Dame fica numa pequena ilha no meio do Sena, chamada Ile de La Cité. Sabiam que a Notre Dame foi construída no mesmo lugar onde antes estava a Basílica de Saint Etienne? E quem leu o livro sabe que bem em frente à Catedral de Notre Dame está o marco zero de Paris, aquele lugarzinho mágico que St. Clair leva Anna para fazer um pedido! Eu fiz o meu pedido lá também! Rs...


Depois de ler Anna e o Beijo Francês, passei a lamentar não ter conhecido a livraria Shakespeare and Company. Eu estava tão pertinho de lá e não entrei!! Eu sempre gostei de ler, mas acho que na época não dava tanto valor para esse negócio de livros e livrarias!! Uma pena... Pelo o que vi, o lugar parece incrível! Se tudo der certo, ainda volto lá! Mas não é a Torre Eiffel, nem o Louvre, nem a Notre Dame que fazem de Paris um cenário romântico. O que torna Paris tão especial são os pequenos detalhes: os cafés, o croissant de chocolate, os jardins floridos, os músicos tocando nas praças, os cinemas, as comidas, os vinhos... Cada pequena coisa transforma a atmosfera de Paris e contagia as pessoas que passam por lá! Mas enfim... escrevi tudo isso para dizer para vocês: Se tiverem uma oportunidade, vão conhecer Paris!!!


Resenha Ana e o Beijo Francês POR CAROL FONSECA

"Sinto falta de Paris, mas lá não é minha casa. É mais algo do tipo sentir falta... disso. Desse calor pelo telefone. É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar? Bridge costumava ser meu lar. Talvez St. Clair seja meu novo lar". (pág 195) Por onde começar?!? Quando terminei de ler Anna e o Beijo Francês eu pensei “Por que não li esse livro antes”, isso mesmo, já estava com o livro a um ano parado na minha estante, já que não faz muito o estilo de livro que eu gosto de ler, e eis que surge a oportunidade de ler para o VAP e posso dizer que fiquei extremamente surpresa e que com certeza ele esta na minha lista dos favoritos. É uma leitura tão gostosa que você não quer mais largar e quando acaba você fica querendo mais, a autora soube como envolver o leitor de forma que a leitura flui e você tem vontade de ir a Paris e fazer o mesmo caminho que a Anna faz durante sua estadia lá. Os personagens secundários também fazem uma grande diferença na história, a amizade da Anna com a Meredith e seus amigos St. Clair, Josh e Rashimi. Como todas as meninas da escola é claro que ela iria se encantar com St. Clair já que ele é tudo que uma garota pode querer lindo, inteligente, popular e comprometido, hehe sem contar que Meredith também gosta dele. Oi seja, é claro que Anna não deve se envolver com St. Clair, mas aos poucos essa amizade deles vai crescendo e ela tem todos os conflitos a sua volta entre amizade, família e tudo mais. Mas não tem como você não torcer para que o relacionamento de Anna com St. Clair tenha um final feliz. E é claro que não posso deixar de falar que quando se descreve o pai de Anna logo no inicio do filme o que veio na minha cabeça foi: “Não acredito que a Anna é filha do Nicholas Sparks, kkkk” pelo estilo de livro que o pai dela escreve e pela


própria descrição do personagem! Mas enfim, se você ainda não leu esse livro não sabe a história fantástica que está perdendo.

próximo livro da autora, a ser traduzido no Brasil

Resenha cedida gentilmente por Carol Fonseca


O Que Rolou no VAP Montagem


O Que Rolou no Dia o

Pre

รฃ รง a r pa


Bate Papo


Os Grupos


As Brincadeiras


O Grande Final

Nosso muito obrigado a todos que compareceram. AtĂŠ julho, queremos todos lĂĄ novamente em...


Palavra de quem faz Este mês passaram a palavra pra mim e espero conseguir passar pra vocês um pouquinho sobre nós. Fazer o VAP pra mim foi uma surpresa muito grande, quando o convite chegou, me senti amada, querida e principalmente especial, e vá me diga, quem é que não gosta de se sentir assim??? Claro que junto com todos estes sentimentos também vieram o frio na barriga e o medo. Não sou blogueira e pensei como vou encarar tudo isto, me adaptar sem absorver os falatórios??? Mas existe no por trás de tudo que vocês enxergam nos eventos do VAP uma coisa que me contagiou desde o inicio e que buscamos transmitir pra vocês que é sempre a AMIZADE, se eu for rasgar elogios aqui para as meninas e o menino que abriram os braços pra mim passaria o dia, porque cada uma delas tem sua característica assim como a Clicia já comentou em outra edição da revista, mas também ter esta oportunidade e não falar nada seria injusto, então vou pedir licença pra vocês e usar um pouquinho o espaço de vocês pra dizer: Meninas e menino vocês são VAP, trabalhar com vocês é crescimento e sou muito grata por tudo. Mas se não fosse por cada um de vocês que vão ao VAP, que curte nosso trabalho, que nós dá dica do que esperam de nós, que abre o sorriso cada vez que entra naquela sala, que participa dos bate papos, que mantém contato com agente mesmo fora da sala (ahh e diga de passagem nós adoramos receber recadinho de vocês) , cada um que sabe nosso nome, tá isto nem é difícil a Clicia chama por eles toda hora...kk, mas é sério a cada um de você o meu muito obrigado, eu tenho prazer em ser família VAP e fazer o VAP para você, tenho prazer em ter conhecido cada um de vocês. Beijos Yule Karoline


Apoio ao VAP


Apoio ao VAP E amanhã tem.....

esperamos por vocês


Revista VAP - Junho  

Revista do encontro do Clube do Livro Saraiva by Virando a Página - Mês de Junho: O Amor Está no Ar!

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you