Issuu on Google+

Entrevista a

ZEINAL BAVA

Presidente da Oi pág. 16

Perfil

De mala feita

NUNO DE MELLO BELLO

BRASIL E PORTUGAL

Cônsul Geral de Portugal no Rio de Janeiro pág. 34

destinos de sonho pág. 38

001

O desafio de fazer da Oi uma referência em tecnologia Depois de tornar a Portugal Telecom uma referência mundial em telecomunicações, Zeinal Bava parte para novo desafio do outro lado do Atlântico e assume a Oi. O executivo está liderando uma mudança estrutural em busca da recuperação da qualidade da companhia brasileira para transformá-la em sinônimo de excelência em tecnologia.

SHOPPING pág. 44

NA PRIMEIRA PESSOA pág. 46

SAVE THE DATE pág. 50

Especial 102 Anos

Câmara do Comércio e Homenageados


Das raízes angolanas, chegámos ao mundo.

A revista The Banker distinguiu-nos como o 3º maior banco de Angola e o 30º melhor banco de África. Há 8 anos, plantámos em Angola sementes de esperança, credibilidade e segurança, que são agora reconhecidas. Com a sua confiança, as nossas raízes tornaram-se mais fortes e somos hoje uma referência também no continente africano. Na lista dos 1000 melhores bancos do mundo, onde surgem apenas 3 bancos angolanos, o BIC lidera este trio no que diz respeito aos lucros obtidos em 2012. Agora, em qualquer parte do mundo, somos um parceiro digno de confiança. A presença em Angola, Portugal, Cabo Verde e brevemente no Brasil e África do Sul, é exemplo da internacionalização em marcha e do crescimento sustentado que fazemos consigo.

www.bancobic.ao


Ficha técnica Diretoria da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro Presidente Paulo Elísio de Souza

Nesta edição

setembro 2013

Vice-Presidente José Alberto B. Câmara Graça Diretor Financeiro Alberto Régis Távora Diretores: Abílio Cesário Lopes Martins Brígida do E.S. Melo e Cruz Felipe Marques Mendes Frederico Espirito Santo da Cunha José Dias Silva José M. Matos Nicolau Nuno Rebelo Sousa Paulo Pires Simões Pedro Reimão

|06| Editorial por Pedro Passos Coelho, Primeiro-

Conselho de Opinião e Estratégia Aristóteles Drummond Carlos Páscoa Gonçalves Luís Campos Ferreira Nuno Fernandes Thomaz Paulo Fraga Reinaldo Paes Barreto Ricardo Pereira

|10| Notícias

Revista Corporativa da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro Edição | Redação | Direção de Arte Cunha Vaz&Associados

-Ministro de Portugal

|08| Carta do presidente Paulo Elízio de Souza

|16| Entrevista Zeinal Bava, Presidente da Oi

|20| Especial 102 Anos da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro |28| Empreendedorismo conheça três exemplos de sucesso

www.cunhavaz.com Av. Cidade Jardim, 400 - 20.º Andar, 01454-000 - São Paulo - SP Telf.: (55) 11 3818-0871/72 | Fax: (55) 11 3818-0899

Responsável pelo projeto David Seromenho Projeto Gráfico e diagramação Ana Oliveira Pinto Jornalista responsável Eloyza Guardia

Registro profissional MTB 12.616

Colaboradores Camila Vech | Marlene Fialho Impressão e Acabamentos Idea - Soluções Gráficas idea.grafica@uol.com.br

Tiragem 1000 exemplares

|34| Perfil Nuno de Mello Bello, Cônsul Geral de Portugal no Rio de Janeiro

|38| De mala feita Vila Galé Eco Resort de Angra e Aquafalls SPA Hotel |42| Cultura |44| Shopping Portugal trendy |46| Na primeira pessoa Filipe de Botton |48| Oportunidades de negócio

www.camaraportuguesa-rj.com.br

|50| Save the date setembro 2013 |03|


Editorial

CELEBRANDO OS 102 ANOS DA CÂMARA PORTUGUESA DO RIO DE JANEIRO Pedro Passos Coelho Primeiro-Ministro de Portugal

Portugal é hoje um país plenamente integrado na União Europeia, mas continua a ser um país de matriz atlântica e de vocação verdadeiramente global. Não foi assim por acaso que as duas primeiras visitas bilaterais que realizei ao espaço extraeuropeu tenham sido precisamente ao Brasil e a Angola, onde se abordou não apenas o aprofundamento de uma parceria estratégica, mas também a edificação de uma aliança política, econômica, empresarial, comercial e cultural. Acresce que a língua portuguesa se encontra em situação de consolidação, de crescimento e de afirmação internacional, sendo aliás maioritariamente falada fora da Europa. Olhando para o Atlântico, para a nossa inserção geográfica, e para as nossas plataformas continentais e zonas económicas exclusivas, para a crescente economia do mar, a lusofonia representa mais de um terço daquele oceano, e esse terço é um elo central no relacionamento com o Brasil num mundo cada vez mais globalizado. O Brasil é incontestavelmente o principal parceiro comercial português na América do Sul e Central, relação que temos sabido consolidar ao longo dos anos. Acresce que a internacionalização da economia portuguesa tem sido um eixo prioritário da ação do Governo português. Pretendemos uma economia mais aberta, mais inovadora e empreendedora, com o reforço da capacidade produtiva e exportadora. E queremos projetar as grandes empresas, mas também as pequenas e médias, numa lógica de coliga-

|06| setembro 2013

ção empresarial e cruzamento de vontades. Por isso, em Portugal estamos a trabalhar para tornar a nossa economia mais competitiva, levando a cabo um conjunto alargado e ambicioso de reformas estruturais. Simultaneamente, estamos a trabalhar de forma ativa para ganhar quotas de mercado no exterior, com o objetivo de aumentar o peso das exportações até 50% do PIB em 2020 e de atrair investimento, em particular para os setores produtores de bens e serviços transacionáveis. É neste contexto que a Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro desempenha, através de múltiplas iniciativas e de apoio concreto, um papel fundamental na facilitação de contatos entre empresários e empreendedores dos dois países e, em especial, do Rio de Janeiro, um Estado particularmente dinâmico e onde reside e trabalha uma importante comunidade luso-brasileira. No dia 11 de setembro de 2013, a Câmara completa 102 anos de existência, um percurso assinalável de que nos devemos orgulhar e a que tenho a honra de me associar. Longe de ser o momento da aposentação, faço votos de prossecução de bom trabalho no futuro, na certeza de que esta é a altura ideal para uma conjugação de vontades e de esforços entre atores públicos e privados que contribua para a superação dos desafios que enfrentamos.


Carta do presidente

CONEXÃO COM O PRESENTE Paulo Elísio de Souza

Presidente da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro

Mais antiga entre as associações do gênero criadas fora de Portugal, a Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro chega a seus 102 anos de existência, comemorados neste setembro de 2013, em pleno processo de renovação necessário para dar continuidade a sua missão de promover as relações comerciais luso-brasileiras em um cenário cada vez mais globalizado e competitivo. Ao longo de mais de um século, temos sido capazes de acompanhar as mudanças econômicas, políticas, sociais e tecnológicas ocorridas no mundo e, obviamente, com reflexos em nossos países, buscando sempre nos adaptarmos às novas condições, de modo a seguir oferecendo a nossos associados serviços de acordo com suas expectativas. Acreditamos que tivemos êxito até agora. Quem leu o livro “A Outra Margem do Atlântico – A Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro e as relações comerciais luso-brasileiras - 1911-2011”, escrito pelas historiadoras Renata Santos e Cíntia Carli e editado por ocasião do nosso centenário, pode comprovar que as transformações por que passamos desde a fundação são um espelho da vida comercial e social da comunidade lusa no Rio de Janeiro, no mesmo período. Sempre que se recorda o passado e se faz referências a datas comemorativas, o próximo passo é projetar para o futuro. Nós preferimos falar do presente. É ele que ocupa nossa atenção. É nele que buscamos diariamente as melhores maneiras de ajudar nossos associados a ampliar seus negócios, seja fornecendo uma estrutura de apoio a quem chega, seja servin-

|08| setembro 2013

do de facilitador de caminhos em ambos os lados do Atlântico. A Comunicação segue sendo a ferramenta indispensável para qualquer ação. Da carta de Pero Vaz Caminha “... em se plantando tudo dá...”, à instantaneidade dos ‘Facebooks’ e ‘Twitters’, é a disseminação da informação e sua capacidade de gerar conhecimento o que gera riquezas e transforma o mundo. Para a Câmara Portuguesa do Rio a comunicação pode e deve ser variada. Assim, ao lado de boletins informativos e presença nas redes sociais, estamos lançando nossa primeira revista corporativa, com foco em assuntos empresariais ligados a temas de interesse de presidentes, diretores, gestores, líderes e tomadores de decisão de empresas brasileiras e portuguesas. A cada edição, publicaremos atualidades político-econômicas, entrevistas com personalidades do mundo empresarial ou relevantes para determinados assuntos, empreendedorismo, responsabilidade social, notícias dos associados, iniciativas da Câmara, além de agenda dos próximos eventos e dicas culturais e turísticas de Brasil e Portugal. A palavra de ordem é “Interatividade”. Queremos contar com a participação de todos os nossos associados, com sugestões de temas, fornecimento de notícias e artigos. Só assim, a revista terá Representatividade e Credibilidade, sem as quais não há porque existir.

Da carta de Pero Vaz Caminha ‘... em se plantando tudo dá... ’, à instantaneidade dos ‘Facebooks’ e ‘Twitters’, é a disseminação da informação e sua capacidade de gerar conhecimento o que gera riquezas e transforma o mundo.


Notícias

Lisboa ConVida Brasil

Brasileiros ganham guia de compras exclusivo para Lisboa Os brasileiros que visitarem Portugal, a partir de agora, receberão um ‘mimo’ especial de Lisboa: foi lançado o guia de turismo “Lisboa ConVida Brasil ” que destaca os melhores locais para fazer compras na capital portuguesa. O objetivo desta iniciativa é potencializar todos os ingredientes que a cidade disponibiliza para se tornar um destino ideal de compras. Lisboa é, atualmente, uma das capitais mais atraentes para os turistas graças à vasta e sofisticada oferta de lojas além do elevado nível de segurança da cidade. Pensado exclusivamente para atender aos interesses dos brasileiros que pretendem visitar Lisboa, a publicação conta ainda com três ‘guias’ muito especiais: a atriz Glória Pires e os atores Tony Ramos e Ricardo Pereira, que fa-

lam sobre a cidade, suas escolhas pessoais em relação a restaurantes, hotéis, tascas (nossos botecos), lojas, passeios preferidos e dão todas as dicas e orientações para o turista ‘d’alem mar’. Outra vantagem exclusiva é o “Cartão Privilégio” associado ao guia, através do qual todos os brasileiros (não residentes em Portugal) terão acesso a descontos e benefícios numa rede ampla de lojas, restaurantes, hotéis, galerias e até imobiliárias. O projeto foi lançado pela produtora Café Pessoa e a editora dos Guias ConVida e conta com o apoio da Embaixada do Brasil em Portugal e da prefeitura da cidade. A versão impressa do “Lisboa ConVida Brasil’ será disponibilizada gratuitamente aos brasileiros ao embarcarem para Portugal (nos balcões da TAP). Além do guia em papel, existe também um Website otimizado para todos os suportes - www.lisboaconvidabrasil.com, e brevemente será também lançado um App.

Kasznar Leonardos

Dufry

A revista MARCASUR realizou recentemente o MARCASUR EXCELLENCE AWARDS 2013, prêmio que consistiu numa votação entre os assinantes da revista (especialistas em PI), com o objetivo de identificar os profissionais latino-americanos da área de propriedade intelectual que mais se destacam em seus países. De acordo com os resultados, divulgados na edição nº50 de MARCASUR, no Brasil três advogados empataram em primeiro lugar com 20% dos votos cada, dentre eles: Elisabeth Kasznar Fekete e Gabriel Leonardos.

Já está em funcionamento a primeira parte da expansão da loja Dufry no Terminal 2, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, em conformidade com o acordo com o GRU Airport. A nova área de vendas irá adicionar 1.600 m² na loja de desembarque. O acordo prevê abrir um espaço adicional de área comercial de 2.290 m² nas lojas de desembarque e embarque de duty free.

Sócios-fundadores estão entre os melhores advogados de PI no Brasil

|10| setembro 2013

Comercial adicional no Terminal 2 no Aeroporto de São Paulo


A MUDANÇA CAMINHA AO LADO DO CRESCIMENTO

CREDIBILIDADE

PROFISSIONALISMO

INDEPENDÊNCIA

zipercom.com

Com o objetivo de reforçar nossa presença no mercado brasileiro e de dar uma resposta eficaz às necessidades crescentes dos nossos clientes estamos alterando a denominação social da Interisk para Costa Duarte Brasil.

Somos uma empresa de origem portuguesa que se dedica à prestação de serviços de corretagem e consultoria de seguros, com competências reconhecidas na gestão de Carteiras de Seguros no segmento corporate e com uma presença de mais de 90 anos em Portugal, no Brasil e em Angola.

SP +55 11 3371-9137 RJ +55 21 2212-1600 www.costaduarte-brasil.com

Costa Duarte Brasil – Seguros é a logomarca utilizada pela Interisk do Brasil – Corretora de Seguros, L.T.D.A., Corretora de Seguros registada na SUSEP, em 01-07-2004, sob o n.º 020419.1.050537-4, em todos os ramos de Seguros


Notícias

Millenniumbcp

melhorou os seus resultados no primeiro semestre O Millenniumbcp, maior banco privado português, anunciou no final do 1o semestre um conjunto de resultados que, embora sejam ainda marcados pela grave crise que se vive em Portugal, mostram alguma recuperação e indicam uma luz no fim do túnel. Assim, registrou-se um crescimento de 21% da margem financeira e de 5% nas comissões, manteve-se um forte controle sobre os custos operacionais (- 17%) e a contribuição das operações internacionais cresceu 12,8%. Os depósitos de clientes do varejo aumentaram 5%. O banco teve um prejuízo acumulado no semestre de Eur 498 milhões, uma redução de 8,5% em relação ao prejuízo que tivera em 2012. O Core-Tier 1, que indica o nível de solidez do banco, está bastante confortável, em 12,5%. O Millenniumbcp atua no Brasil há mais de 15 anos através dos seus escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde uma equipe de colaboradores apoia os atuais clientes nas suas necessidades de relacionamento com o banco, em Portugal ou em outras geografias, bem como na captação de novas oportunidades de negócio.

12,8%

operações internacionais

21%

crescimento da margem financeira |12| setembro 2013

Nelson Hubner, Ex-Diretor Geral da ANEEL, Investigador do GESEL

José Rui Felizardo, CEO do CEIIA

Nivalde de Castro, Coordenador do GESEL

Vitor Santos, Presidente da ERSE

CEIIA

faz parceria com a Universidade do Rio de Janeiro O Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA), de Portugal, e o Grupo de Estudos do Setor elétrico (GESEL), do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, do Brasil, assinaram um protocolo de cooperação de cinco anos, com o objetivo de trabalhar em parcerias, de âmbito nacional e internacional, em diversos projetos de investigação, principalmente na temática das Smart Cities. Orientado para a pesquisa, criação, desenvolvimento, fabricação e teste de produtos e serviços das indústrias da mobilidade, especificamente automóvel, e aeronáutica, o CEIIA constrói a sua atividade na área de engenharia e tecnologia em torno do desenvolvimento e ‘devices’ de mobilidade física e de energia, integrados no sistema de gestão de mobilidade inteligente operado a partir do Smart Connected Cities Centre. Por sua vez, o GESEL vem desenvolvendo pesquisas sobre inúmeros aspectos relacionados ao setor elétrico no Brasil e em outros países: matriz de energia elé-

trica, padrão de financiamento, processo de concentração, regulação, modelagem dos leilões de energia e de linhas de transmissão, equilíbrio econômico-financeiro das empresas do setor, entre outros. A plataforma de gestão da mobilidade inteligente, denominada MOBI-ME (evolução do MOBI.E) disponibiliza já hoje um conjunto de serviços, incluindo a gestão de redes de carregamento, gestão de frotas, gestão de clientes, gestão da faturamento e de pagamentos. A parceria visa otimizar este sistema, propondo novos formatos de deslocamento de pessoas e bens, novas formas de utilização e integração de meios de transporte e novas regras de gestão da mobilidade urbana para uma maior qualidade de vida das pessoas e das cidades. Segundo informou a entidade, a parceria faz parte do projeto de internacionalização de seu sistema de gestão de mobilidade inteligente e a escolha do Brasil, deve-se não só à dimensão do mercado, como também à forte aptidão para a temática da ‘mobilidade inteligente’. Os compromissos resultados do protocolo de cooperação serão implementados localmente pelo CEIIA Brasil.


Notícias

Porto Fine Ruby

chega ao Brasil pela mão da Portus Cale A importadora Portus Cale acaba de trazer com exclusividade para o Brasil o Vinho do Porto Fine Ruby, da vinícola Quinta da Romaneira, uma das mais grandiosas e históricas quintas do Douro. Localizada no norte de Portugal, orientada ao sul e banhada pelo rio Douro, é responsável pela produção de Vinhos do Porto e de mesa, com destaque para os tintos. Dos cinco rótulos de Vinhos do Porto, existentes no portfólio da vinícola, o Fine Ruby (R$ 48) é o primeiro a ser trazido pela Portus Cale. Produzido em tonéis de carvalho a partir das castas Tinta Roriz, Touriga Franca e Tinta Barroca, apresenta coloração ruby intensa e aroma de frutos vermelhos e flores do bosque. Na boca é elegante, equilibrado e macio, com final agradável e persisten-

COBA – Consultores de Engenharia e Ambiente

está consolidando sua presença no mercado brasileiro, proporcionando um bom exemplo de transferência de tecnologia entre as tradicionais engenharias dos dois países (Portugal e Brasil) A COBA, empresa de matriz portuguesa, com mais de 50 anos de experiência em consultoria de engenharia e que já atuou em cerca de 40 países tem intensificado suas atividades no Brasil. Desde sua fundação, na década de 60, a COBA marca presença no desenvolvimento de trabalhos por todo o Brasil. Em 2007, sua diretoria decidiu transferir a sede de São Paulo para o Rio de Janeiro, mantendo a filial de Fortaleza. Dois anos mais tarde, em 2009, foi decidido abrir o capital da COBA à empresa carioca Geomecânica S.A., também com tradições neste setor, tendo-se definido uma estratégia focada no crescimento estrutural da COBA do Brasil, privilegiando a proximidade ao cliente e a transferência de tecnologia e conhecimen|14| setembro 2013

to com a COBA de Portugal. A empresa tem desenvolvido sua atividade no Brasil para prestigiados clientes em empreendimentos de diversas infraestruturas, como hidráulicas, de transportes, geotécnicas (barragens, obras subterrâneas, contenções, etc.) e ambientais, não só no domínio de estudos e projetos, como também no gerenciamento desses empreendimentos. Dessa forma, nos últimos anos, a COBA tem contribuído ativamente com sua experiência para os atuais programas de desenvolvimento do país, ligados à infraestrutura desportiva da Copa do Mundo e Olimpíadas, à mobilidade urbana, à energia e ao saneamento básico, entre outros.

te. Ideal para ser consumido como aperitivo ou até mesmo como acompanhamento de uma sobremesa, com destaque para o chocolate. Grandes autores do século XIX, como Henry Vizetelly, que se dedicavam ao estudo do Vinho do Porto, mencionaram a propriedade em suas obras. O Visconde de Vila Maior classificou os vinhos da Romaneira como “um dos melhores do Douro, notável pela sua suavidade, corpo e aroma”. Os Vinhos do Porto da Quinta da Romaneira foram os primeiros a serem leiloados pela famosa casa de leilões Christie’s, em 1872, em Londres, na Inglaterra. Recentemente, descobriu-se que as antigas castas locais, além de serem usadas na produção de excelentes Vinhos do Porto, também podem ser utilizadas na elaboração de vinhos de mesa, enquanto expressão de um terroir único, colocando-os entre alguns dos melhores vinhos do mundo.


(21) 3563-1210 / 3579-1210 diretoria@acomonta.com.br www.acomonta.pt


Entrevista

É HORA DE FAZER MAIS COM MENOS Zeinal Bava Assim que chegou ao Brasil para liderar a Oi, Zeinal Bava tratou de arregaçar as mangas e colocar os pés no chão. A sua paixão pelo setor de telecomunicações e por fazer acontecer foi mais forte do que o título de Presidente. Saiu da sua sala e passou a acompanhar as iniciativas das equipes de vendas e a visitar centrais de telecomunicações com as equipes.

P

ara Zeinal Bava, que aos 47 anos é já um dos CEO mais respeitados na Europa e no mundo, não há outra forma de aceitar um desafio. “A única história que vale alguma coisa é a história que fazemos hoje”, costuma dizer o executivo, citando Henry Ford. Com ele, chega a confiança dos mercados que costumam acompanhá-lo. As ações da Oi reagiram bem, já foram contratados 5.000 técnicos, as unidades de negócio das nove regionais da Oi ganharam mais poder, já se fala em maior transparência operacional e de uma nova cultura interna, e já estão estabelecidas prioridades de negócio: Mudança da trajetória do cashflow, consolidação do modelo de negócios aumentando a eficiência operacional e foco no crescimento. Foi sempre focado no crescimento que há 14 anos começou a relação de Zeinal Bava com a Portugal Telecom (PT), quando em 1999 assumiu o cargo de CFO do negócio de TV |16| setembro 2013

por assinatura (PT Multimédia). Desde então, passou pela área financeira e pelas várias áreas operacionais desde o negócio fixo até o móvel incluindo uma atuação próxima dos investimentos da PT no Brasil e na África. Um longo caminho se percorreu no crescimento da maior empresa portuguesa de telecomunicações. Quando a convite dos acionistas brasileiros e portugueses da Oi e da PT, aceitou liderar o processo de transformação da Oi, Zeinal Bava já se tinha envolvido por inteiro na aposta de futuro que sabia passar pelo Brasil e que já o tinha levado na PT a apoiar o investimento de 25% no capital da Oi. Nunca teve medo de assumir a sua ambição internacional e a sua veia de gestor global. E a relação com os mercados internacionais são e sempre foram o seu ecossistema. Em 2013, foi destacado como o 5.º melhor de todos os CEOs da Europa. Outros tantos reconhecimentos dos mercados e entidades externas incluem: melhor CEO da Europa no setor de Telecomunicações pela Institutional Investor em 2010 e 2011, melhor CEO em Portugal pela Thomson Reuters Extel no ranking apresentado já em 2013 e foi eleito


o melhor CEO na área de Investor Relations nos Investor Relations & Governance Awards em 2009, 2011 e 2012, só para citar alguns prêmios. É sempre com a precisão de um relojoeiro, sem medo de desafios e de reestruturar forças de trabalho e atitudes, que procura o ponto exato para aumentar a eficácia e melhor servir os clientes. E enquanto busca essa nova cultura interna da Oi, as operações em Portugal vão continuar a estar também no seu foco. De um lado para o outro do Atlântico, exerce agora o cargo de Presidente Executivo da PT Portugal, onde continua a focar nos projetos estratégicos, de inovação e nos projetos conjuntos Oi/PT.

Foi fácil aceitar este novo desafio? Foi com muita satisfação que aceitei o convite que me endereçaram para liderar este projeto de enorme potencial. Fiquei honrado com este convite e pela confiança depositada e estou motivado para enfrentar em equipe os desafios que temos pela frente. Eu já atuava na Oi desde 2011, como Presidente do Comitê de Produtos e Tecnologia, e nesse processo conheci uma parte importante da equipe da Oi. A Companhia tem executivos de grande qualidade e larga experiência no setor de telecom e estou convencido que em equipe iremos transformar a Oi em uma referência mundial no setor para os nossos clientes, trabalhadores e acionistas. Sua nomeação para o cargo provocou uma alta nas ações da Portugal Telecom e da Oi. Como interpretou esse movimento? O reconhecimento pelo mercado do potencial de criação de valor acionista na Oi e a manifestação de confiança na equipe Executiva é uma oportunidade mas também uma enorme responsabilidade. Estamos todos mobilizados para fazer mais e melhor e acreditamos que a Oi, em médio prazo, tem todas as condições para liderar o processo de transformação tecnológico no nosso setor no Brasil. O desafio que temos de superar é de que todos na Oi e juntos faremos a diferença. Qual vai ser o foco estratégico para a Oi? Definimos três prioridades: mudança da trajetória do cashflow, consolidação do modelo de negócios aumentando a eficiência operacional e foco no crescimento. › setembro 2013 |17|


› Como pretendem corrigir a trajetória do cash flow? Reforçando a disciplina financeira e de custos da Companhia, focando na execução operacional e simplificando processos para aumentar a nossa produtividade e eficácia. Pretendemos fazer mais com menos e aumentar a nossa flexibilidade financeira. Não se trata do quanto investimos, mas de como e onde investimos. Acredito que é fundamental ter também uma agenda de crescimento, tendo presente as oportunidades que existem no mercado brasileiro. A penetração de banda larga, internet móvel e TV paga no Brasil pode crescer bastante nos próximos anos. A Oi está presente em mais de 4.500 municípios e por isso está extremamente bem posicionada para alavancar este crescimento no futuro. Quais são os objetivos de negócios da Oi? Queremos consolidar o nosso modelo de negócios, que passa pela aposta na convergência de serviços no mercado de varejo e oferta de mais soluções de dados e de TI no segmento corporativo e empresarial. Convergência para nós, no mercado de varejo, significa juntar numa só oferta telefone fixo, celular (2G/ 3G/4G), internet, TV (fibra e satélite) para os nossos clientes, com apenas uma fatura e a preços mais econômicos, o que também ajuda na fidelização dos clientes.No mercado empresarial vamos apostar na oferta de dados e serviços que promovem a virtualização de hardware e integração de telecomunicações com tecnologias de informação. E a qualidade de serviço? Estamos focados em elevar os níveis da qualidade do serviço através de investimento na nossa rede mas também na capacitação da nossa força de trabalho interna e externa. O desafio de qualidade é enorme em um país que tem uma dimensão continental Saiu na imprensa local que a Oi quer implementar um modelo de gestão mais ágil e transversal. Qual a sua estratégia para a para alcançar esse objetivo? No contexto brasileiro, onde cada mercado regional é diferente do outro, entendemos que é preciso dar mais autonomia às nossas equipes regionais porque podem atender com maior rapidez e eficácia às necessidades dos nossos clientes. Em função da dimensão geográfica do país, é necessário termos uma abordagem granular na promoção dos serviços e nos investimentos que fazemos. |18| setembro 2013

Além disso, estamos focados em sistemas de automatização e de controle, que reduzam os processos redundantes, empregando metodologias consolidadas no mercado. Neste novo momento, a Oi está assumindo uma mudança de atitude, com uma verdadeira transformação cultural e tecnológica. Esse foco em tecnologia é fundamental. Quais os planos da empresa para aumentar e melhorar sua cobertura no país? A Oi detém uma das maiores e mais diversificadas redes de telecom do mundo. Temos grande capilaridade, cobrindo mais de 4,5 mil municípios e atendendo a mais de 34 mil localidades em todos os estados do país. Para conseguir isso, a Oi mantém uma rede de fibra ótica de 155 mil quilômetros de extensão. Neste momento, a Oi está direcionando

fortes investimentos para a consolidação das redes Wifi e 4G no país, assim como para a evolução da cobertura da rede móvel 2G e 3G. Ainda existe expressiva margem para o crescimento do 3G e para a popularização da internet móvel no país. Em 2012, por exemplo, o número de municípios cobertos pela rede 3G da empresa cresceu 155%. Em 2013, a Oi está realizando investimentos significativos na expansão da cobertura e da capacidade da rede 3G e, também, realizando gradualmente ampliações e otimizações na rede 4G. Alem disso ,a rede Oi WiFi é a maior rede pública de wifi do Brasil, com mais de 120 mil hotspots. Trata-se de um investimento da companhia para proporcionar melhor experiência de uso da internet móvel aos nossos clientes, complementando as estruturas 3G e 4G já existentes.


05

Estamos todos mobilizados para fazer mais e melhor e acreditamos que a Oi, no médio prazo, tem todas as condições para liderar o processo de transformação tecnológica no nosso setor no Brasil sendo verbalizada, às vezes, por pessoas supostamente bem informadas.

A diferença de tamanho do mercado, ao comparar o Brasil com Portugal, assusta? Quais os maiores desafios em sua opinião? Cada mercado é diferente. Tem os seus desafios, regulação, concorrência, e por isso é extremamente difícil estabelecer comparações diretas. Há aprendizados importantes a retirar da experiência com novas tecnologias e mudança dos hábitos de consumo, que são cada vez mais semelhantes em todo o mundo. Aliar a experiência da PT na Europa com o processo de transformação da Oi permite reduzir o risco de execução operacional e financeiro. Expor a PT aos desafios de crescimento do mercado brasileiro permite também alavancar as sinergias com a Oi. Como está a implementação do 4G no país e os planos da Oi? O 4G está em fase embrionária no Brasil, com número de clientes ainda muito baixo, o que se deve à limitação tanto da cobertura existente como da oferta de aparelhos. No futuro, com certeza, esses fatores naturalmente evoluirão. A Oi está cumprindo com sucesso todos os compromissos de implantação da rede 4G para a Copa do Mundo e, em alguns casos, até antecipando algumas das entregas que tínhamos contratualizado com o órgão regulador. A Oi está segura sobre o atendimento da demanda extra durante a Copa, porque tem expertise na prestação de serviços de telecom em eventos internacionais com grande concentração de pessoas e alta complexidade operacional.

A qualidade da telefonia móvel no Brasil ainda tem muito a melhorar. O que é necessário para alcançar uma excelência nos serviços de dados e de telefonia móvel? Estudos recentes da Anatel e de instituto independente de defesa do consumidor sobre rede móvel e 3G mostraram que a Oi tem bom desempenho em diversos indicadores. Obviamente, temos ainda muito trabalho a fazer, mas também devemos reconhecer que estamos em boa posição frente aos nossos concorrentes em diferentes regiões. Os investimentos em telecomunicações no Brasil são vultosos. Apenas a Oi investiu 102 bilhões desde sua criação, em 1998 mas para assegurar a melhoria da qualidade não basta aumentar o valor dos investimentos.É preciso uma gestão eficiente dos recursos. E é exatamente isso que a Oi está fazendo neste momento: otimizando seus investimentos, de modo a garantir eficiência em toda a cadeia do negócio e excelência na prestação do serviço em todo o país. O Balanço financeiro da Oi relativo ao 2T de 2013, divulgado em 14 de agosto passado, apresentou resultados negativos. Quais foram os motivos e o que será necessário mudar para voltar a ter lucro nos dois últimos trimestres do ano? A receita apresentou crescimento na comparação trimestral e anual. Porém, os custos cresceram, impactados pelo aumento na provisão para devedores duvidosos, das despesas com publicidade e propaganda por conta da Copa das Confederações, da qual fomos patrocinadores, da despesa com pessoal principalmente pelo pagamento de abono salarial aos funcionários e contratação de terceiros para manutenção da planta interna. As despesas financeiras também aumentaram por conta da desvalorização do Real e aumento dos juros. Houve um impacto conjuntural e circunstancial e, por isso a necessidade de aumentar a disciplina financeira. Mas os fundamentos estruturais da companhia se mantêm positivos suportados pela expansão da receita e da base de 75 milhões de clientes. Em termos de futuro, continuamos confiantes nas perspectivas do crescimento potencial do mercado brasileiro. A penetração de serviços de telecom no país poderá ainda aumentar suportada pelo crescimento da classe média e do aumento do seu poder de compra.

A Anatel divulgou, em julho, um relatório sobre a qualidade da telefonia celular de fevereiro a abril. Apesar de reconhecer melhorias na qualidade das quatro principais operadoras o relatório aponta que a Oi e outras empresas ficaram abaixo das metas de conexão de dados estabelecidas. O que a empresa está fazendo para alcançar as metas e melhorar os serviços? Na avaliação trimestral do serviço móvel pessoal divulgada recentemente pela Anatel, a Oi apresentou avanços importantes em seus indicadores. Em âmbito nacional, as taxas de acesso à rede de voz, de queda de chamadas, de acesso à rede dados 3G e de queda de conexão de dados atingiram os objetivos definidos pela agência reguladora. A empresa prevê investir R$ 6 bilhões este ano, com foco na atuação do tripé Operações, Engenharia e TI. Queremos aumentar a nossa quota de clientes e de receitas mas com mais qualidade e mais rentabilidade. Nós acreditamos que é necessário investir em infraestrutura e revitalizar nossa relação com nossos fornecedores, que são peças fundamentais da melhoria da qualidade. Tem de ser um trabalho de equipe entre a Companhia e os seus parceiros. Poderia falar um pouco sobre o Instituto Oi Futuro A sustentabilidade na sua vertente social está no DNA da Oi. O Oi Futuro é um instituto de responsabilidade social e uma contribuição da Oi para a inclusão social, a diversidade cultural e a democratização digital no Brasil. A democratização do acesso à internet abre as portas do conhecimento. O Oi Futuro já leva banda larga (internet de alta velocidade) a cerca de 50 mil escolas públicas beneficiando milhões de estudantes. Temos também programas que visam o desenvolvimento de outros tipos de competências, como webdesign, fotografia, computação, para assim capacitar jovens e criar oportunidades para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Como vê a ligação entre Portugal e Brasil? Portugal e Brasil, que no passado compartilharam muitos capítulos de uma história comum, hoje continuam muito próximos, em função da língua e do legado cultural mútuo. A parceria entre PT e Oi é um excelente exemplo disso, aliando a liderança tecnológica e de inovação da PT com a escala e posicionamento estratégico único da Oi, em um mercado de elevado potencial de crescimento. • setembro 2013 |19|


Especial

01

102 ANOS CÂMARA PORTUGUESA Construindo o Futuro em Português Em mais de um século, a Câmara não perdeu seu principal objetivo: estreitar os laços entre Brasil e Portugal.

C

riada por decreto do primeiro presidente eleito da República de Portugal, Manuel José de Arriaga Brum da Silveira, em 11 de setembro de 1911, a Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro (CPCI RJ) foi a primeira a existir em terras estrangeiras e, nesses 102 anos, tem mantido uma trajetória que reflete a história das relações comerciais entre os

dois países, incorporando todas as mudanças no perfil de negócios ocorridas em mais de um século. Capital do Brasil até a transferência para Brasília em 1960, o Rio de Janeiro era o centro econômico do país no inicio do século XX e o principal polo de atração para a imigração portuguesa, que trouxe 1,9 milhão de pessoas entre 1822 e 1950. No censo realizado em 1920, os portugueses eram 75% dos estrangeiros que residiam na cidade, mais de 170 mil pessoas. Imigrante diferenciado em relação às outras ondas migratórias que chegaram ao

país desde o final do século XIX, não só pela língua comum como também pela fixação em centros urbanos ao invés da lavoura, o português acabou se dedicando ao comércio, à indústria e à prestação de serviços e muitos se converteram em grandes comerciantes e em importadores de produtos de Portugal, principal fornecedor de “secos e molhados” para o Brasil. O grande fluxo dessas atividades econômicas levou alguns empreendedores portugueses, estimulados pelo cônsul da época, Fernando Costa, a criar um grupo com a missão de elaborar o estatuto de uma Câmara de

António da Silva António Augusto de Almeida Carvalhas

José Pereira de Souza Comdor. António Rodrigues Ferreira Botelho

1916-1917 1912-1913

1914-1916

1917-1919

1921-1922 1919 José Constant

Albino de Souza Cruz |20| setembro 2013

Joaquim Carvalheiro de Costa

1919-1921

1923-1924


Uma forma de agregar valor à marca Em um século de tantas transformações, completar um centenário de existência é algo que pode e deve ser festejado por toda empresa ou entidade. Há muitas formas de comemorar, desde selos, festas, mudanças de layout, lançamento de produtos etc, mas poder contar sua trajetória e mostrar sua influência na história de uma comunidade, não tem preço. Em 2010, ao discutir planos para comemorar os 100 anos de sua fundação, a Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro optou por fazer um livro, para mostrar a importância da entidade como representante das relações econômicas, políticas e sociais entre Brasil e Portugal e a sua contribuição para a formação cultural e econômica da cidade. “O livro é perene. Quando a Câmara completar 200 anos, alguém vai ter um exemplar guardado do centenário e vai poder saber o que aconteceu nos cem anos iniciais, o que levou a sua criação“, define o presidente atual, Paulo Elísio de Souza. Segundo ele, a ideia nasceu de conversas com

o ex-presidente e atual conselheiro da Câmara, Luiz Avillez. “A grande maioria dos associados e da comunidade portuguesa, em geral, não tinha conhecimento da história. Quando me associei à Câmara também não sabia”, conta o dirigente. Para escrever “A Outra Margem do Atlântico - A Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro e as relações comerciais luso-brasileiras 1911-2011” as historiadoras Renata Santos e Cintia Carli realizaram um extenso trabalho de pesquisa que demorou oito meses. “Muita coisa foi surgindo. A Câmara tinha algumas fontes, que complementamos com outros arquivos”, conta Renata. 03

02

01 Praia de Copacabana, 1942 02 Pessoas caminhando no bairro de Copacabana do Rio de Janeiro, 1941 03 Jovens em trajes de banho ao sol em frente ao Copacabana Palace, 1941

Raimundo Pereira de Magalhães

Comércio, cuja minuta foi enviada a Portugal e aprovada por decreto do primeiro governo republicano do país. Começava aí a história de uma entidade que, ao longo de seus mais de cem anos, diversificou e ampliou suas atividades, sempre tendo como foco a defesa dos interesses de seus associados, seja com relação a leis e tarifas alfandegárias e a campanhas contra a falsificação de produtos portugueses importados como o azeite, até hoje item principal da pauta de exportações de Portugal para o Brasil, seja lutando pela criação de uma linha de navegação regular operada por brasileiros e portugueses, ou apoiando missões comerciais e realizando eventos para promover as relações comerciais bilaterais. “A Câmara permitiu uma estruturação e auxiliou o pequeno investidor, por exemplo, a se legalizar de todas as formas. Ela foi importante para mostrar os primeiros passos a serem seguidos para importação, venda e as relações com o governo e a população carioca”, afirma o advogado Paulo Elísio de Souza, atual presidente da entidade. Através das décadas, a Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro continuou fiel aos princípios que nortearam sua criação, apesar das ›

Victoriano Moreira

Manoel Ribeiro Teixeira Neves

1929-1930 1926-1927

Informação não disponível

1931-1932

1955

1927-1928

1932

José Rainho da Silva Carneiro

Rui Luiz de Carmo

Adriano de Castro Guidão

1955-1959

1933-1954

Barão de Saavedra setembro 2013 |21|


Especial › transformações socioeconômicas da cidade, do próprio país e de Portugal que mudaram o perfil dos negócios e as relações burocráticas com o estado brasileiro, ocasionando em alterações no perfil dos associados. A partir dos anos 1990, as relações bilaterais Brasil-Portugal sofreram um grande impacto. Grupos econômicos portugueses que haviam se modernizado e se internacionalizado desde a entrada do país na Comunidade Europeia, tais como Portugal Telecom e Energias de Portugal (EDP), passaram a participar no processo de privatização em segmentos do mercado brasileiro. A chegada desses grupos, o potencial do mercado brasileiro e, no caso específico do Rio de Janeiro, o renascimento da economia local na última década, impulsionada pela realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos Rio 2016 tem levado à Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria a reinventar-se, de modo a seguir mantendo seu papel de elo nas relações econômicas luso-brasileiras, visando o incentivo às atividades comerciais, econômicas, tecnológicas, sociais e culturais entre Brasil e Portugal. “Um dos nossos principais objetivos é aproximar empresas que buscam uma inserção competitiva no cenário global e gerar oportunidades que possam contribuir para o crescimento dos dois países. O centenário da Câmara representou um marco zero da instituição, que vem passando por mudanças para atrair novos associados e estimulando ainda mais as relações bilaterais entre Brasil e Portugal”, revela o presidente da Câmara. Os planos da Câmara para esse início do ‘bicentenário’ incluem ajudar empresas e profissionais portugueses a se instalar no Rio, processo que começa no auxílio na parte burocrática para criação da empresa ou da filial local e vai até o agendamento de reuniões com compradores em potencial.

› A busca por documentos chegou até a Torre do Tombo, em Lisboa, onde Paulo Elísio encontrou o diário oficial de 21 de setembro de 1911 que continha a promulgação do decreto assinado em 16 de setembro pelo primeiro presidente eleito da República de Portugal, Manuel de Arriaga, autorizando o funcionamento daquela que se constituiu na Câmara mais antiga fora de Portugal. “A Câmara Portuguesa tem uma história que passa pela própria história da cidade do Rio de Janeiro e mostra uma perspectiva das relações entre Brasil e Portugal”, destaca Renata. Segundo a doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), atualmente, poder relatar uma trajetória significativa de uma empresa ou entidade aumenta sua credibilidade. “A memória institucional de uma empresa ou sociedade é considerada hoje em dia uma forma de agregar valor à marca”, assegura a historiadora. •

Um dos nossos principais objetivos é aproximar empresas que buscam uma inserção competitiva no cenário global e gerar oportunidades que possam contribuir para o crescimento dos dois países. A recíproca também é verdadeira. A Câmara leva empresários locais a estabelecer parcerias com seus colegas do outro lado do Atlântico ou a investir em Portugal, “que é uma porta de entrada para os demais países da União Europeia”. “Portugal se modernizou, possui hoje um elevado grau de desenvolvimento tecnológico e uma excelente infraestrutura nas áreas de comunicação, transporte e logística. Os custos operacionais são os mais competitivos da Europa, os recursos humanos são altamente qualificados e os procedimentos administrativos estão cada vez mais simples. Por isso, reúne todas as condições de receber empresas que queiram se expandir e conquistar novos mercados”, destaca Souza. •

Comdor.Victoriano Figueiredo de Almeida Campos

Roberto Bebiano Costa

Armando Brasil Salgado

Silvio António da Silva

1963-1964 1960-1962 1962-1963 Informação não disponível Alfredo Monteiro Guimarães |22| setembro 2013

1964-1967

1975-1980 1970-1973

1973-1976

Victoriano Figueiredo de Almeida Campos José Augusto de Carvalho (interino)

1980-1982


HOMENAGEM No Mundo, em português

S

ão personalidades com uma grande visão estratégica, desafiaram a modernidade, são protagonistas na integração e internacionalização da língua portuguesa e são fontes de inspiração e modelo para muitos. Nas celebrações dos seus 102 anos, a Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro prestigia sete pessoas que têm contribuído para estreitar os laços entre Portugal e Brasil, por suas características, projetos, percursos e resultados. Os homenageados em 2013 são:

António Manuel de Morais

Miguel Relvas Empresário Miguel Relvas é um gestor com 30 anos de experiência nas áreas privada e pública, tendo desempenhado as funções de Ministro-Adjunto do atual Primeiro-ministro de Portugal. Antes, em 2000, participou como Secretário de Estado no Governo do Dr. Durão Barroso, atual Presidente da Comissão Europeia. Deputado da Assembleia da República Portuguesa durante mais de 20 anos, foi ainda Secretário-geral do Partido Social Democrata durante quatro anos e Membro da Comissão Política Nacional durante três anos. Ao longo da sua carreira, tem mantido ligações estreitas com os mercados empresariais, desempenhando atualmente funções como consultor de várias empresas com interesses nos países africanos e da América latina. •

Luís Patrício Miranda de Avillez

Comdor. Orlando António de Azevedo

1998-2002 1982-1994 1994-1998 Armando Brasil Salgado Comdor. Orlando António de Azevedo

Paulo Elísio de Souza

2002-2006 2006-2010

2010-2014

Arlindo Catoia Varela Aires Luís Lima setembro 2013 |23|


Especial

Ricardo Lima CEO CIMPOR

António Mexia Presidente Executivo EDP Energias de Portugal Presidente Executivo da EDP Energias de Portugal desde março de 2006, António Mexia está à frente também do Conselho de Administração da EDP no Brasil. Com passagens relevantes pelo setor energético português - foi presidente da Associação Portuguesa de Energia por dez anos, de 1992 a 2002, além de alto executivo de empresas como Galp Energia e Transgás - Mexia destaca-se ainda por ter ocupado, de julho de 2004 a março de 2005, o ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações do Governo Português. Na área acadêmica, destacou-se como professor no curso de pós-graduação em Estudos Europeus na Universidade Católica, de 1985 a 1989, e como assistente no Departamento de Economia da Universidade de Genève, entre 1979 e 1991. •

|24| setembro 2013

Licenciado e mestre em Engenharia Metalúrgica e pós-graduado em Administração Industrial pela Universidade de São Paulo. MBA em Gestão Empresarial na Fundação Dom Cabral. Iniciou a carreira na Eluma, uma empresa do segmento do cobre, e em 2004 integrou a InterCement, primeiro como Diretor de Operações da Unidade de Negócios Brasil, depois como Diretor Geral de Operações no Brasil, e finalmente como Diretor Geral da Unidade de Negócio Argentina. Em Julho de 2012 chegou à presidência executiva da Cimpor. Tornou a empresa na 9ª maior cimenteira do mundo com perfil internacional, fez do polo de trading em Portugal o 6º maior do mundo, e aumentou os lucros em 7%, só no primeiro trimestre de 2013. Atualmente, Ricardo Lima gere as operações da Cimpor em todas os países em que está presente: Brasil, Paraguai, Argentina, Portugal, Moçambique, Cabo Verde, Egito e África do Sul. É ainda administrador do Instituto Camargo Corrêa e, desde que integrou a Cimpor, promoveu a entrada da cimenteira na EPIS – Empresários pela Inclusão Social – uma associação sem fins lucrativos que desenvolve iniciativas de investimento social. •

Nuno Fernandes Thomaz Presidente Banco Caixa Geral Brasil Licenciou-se em Administração e Gestão de Empresas no Instituto Superior de Economia e Gestão de Lisboa e fez uma pós-graduação na Harvard Business School em Boston. Foi administrador de várias Sociedades Financeiras em Portugal, trabalhou na City em Londres como chefe da sala de mercados do maior banco de investimento escandinavo e também fundou uma boutique financeira com presença em Portugal, Espanha, Brasil e Angola. Foi Secretário de Estado dos Assuntos do Mar. Em Julho de 2013 assumiu a vice-presidência da Comissão Executiva do Grupo Caixa Geral de Depósitos - o maior grupo financeiro português - e desde então gere algumas da áreas mais importantes do Grupo como a área internacional sendo presidente de vários Bancos em outras praças mundiais – Brasil, Angola, Moçambique, África do Sul e China. •


Especial

Mariza Fadista

Fernando Teles Banqueiro Banco BIC É licenciado em Organização e Gestão de empresas pelo ISCTE/Lisboa e tem bacharelato em Contabilidade e Administração do ISCAL. Portugal - Desde Janeiro de 2008 que é Acionista Fundador e Presidente do Conselho Administrativo do Banco BIC Português S.A. Passou pelo banco Borges e Irmão e pelo BPI. Angola - Maio de 2005: Acionista Fundador do Banco BIC S.A e Presidente do Conselho Administrativo e da Comissão Executiva do Banco. No país, já tinha desempenhado funções no Banco de Crédito Comercial e Indústria e no Banco de Fomento. •

|26| setembro 2013

Marisa dos Reis Nunes nasceu em 1973 em Moçambique. Em 2001, lançou Fado em Mim, o primeiro álbum a sair em Portugal e a chegar a 32 países. No disco, que é uma homenagem a Amália Rodrigues, Mariza canta “Chuva” e “Ó Gente da Minha Terra”, duas músicas que ficaram para sempre marcadas pela sua voz. Doze anos depois, Mariza tem 30 discos de platina. Ao longo desses anos, se apresentou em palcos como o Carnegie Hall, em Nova Iorque, o Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles, a Ópera de Sydney e o Royal Albert Hall em Londres e recebeu vários prêmios importantes, incluindo duas indicações para o Grammy, o European Boarder Breaker Award e o prêmio da BBC para Melhor Artista Europeia de World Music. Muito conhecida no Brasil, a artista faz shows frequentemente em várias cidades do país. •

Jorge Mendes Gestifute Gestão de Carreira de Profissionais Desportivos Agente FIFA, fundou a Gestifute, Gestão de Carreira de Profissionais Desportivos, em 1996. Em 2010, 2011 e 2012 foi considerado o Melhor Agente do Mundo, prêmio atribuído pela Globe Soccer, ao mais votado pelos demais empresários reconhecidos pela FIFA (EFAA) e pelos clubes europeus (ECA). Em 2012, foi agraciado pelo Governo Português com o Colar de Honra ao Mérito Desportivo, como reconhecimento da competência, dedicação, capacidade de trabalho e espírito empreendedor, que fazem dele o mais bem-sucedido empresário de esportes do mundo. Jorge Mendes protagonizou ao longo dos anos algumas das maiores transferências do futebol, como as de Cristiano Ronaldo, Nani, Falcão, José Mourinho, entre outras. •


Empreendedorismo

EXEMPLOS DE SUCESSSO O Brasil recebe uma nova onda de empresas portuguesas Depois da chegada de “pesos pesados’ em setores como telefonia celular, financeiro e energia, agora é a vez de jovens empresas de alta tecnologia, que já nascem com vocação globalizada e elegeram o mercado brasilero para ampliar suas atividades e buscar parceiros.O Rio tem sido o porto favorito de atracação dessas novas “caravelas”. Nesta edição, apresentamos três delas.

MSTF Partners

O ano de 2013 tem sido especial para a MSTF Partners: além de comemorar dez anos de existência, a agência de publicidade continuou seu processo de internacionalização, acrescentando o Rio de Janeiro a sua lista de filiais que já engloba Luanda e Xangai. “A escolha do Rio de Janeiro para a sede da agência no Brasil está relacionada com tudo o que a cidade está vivendo e vai viver nos próximos anos. A Copa do Mundo, os 450 anos da Cidade e os Jogos Olímpicos, são excelentes oportunidades para uma agência com o ‘plus’ da Partners e sua filosofia inovadora. Foi isto que nos fez olhar para o Rio como a cidade ideal onde queremos estar para criar ideias diferentes, criativas, inovadoras e relevantes para esta grande cida|28| setembro 2013

de”, afirma Tomás Froes, sócio fundador da agência e que está à frente da filial brasileira. O primeiro cliente da Partners carioca foi a própria Prefeitura da ‘Cidade Maravilhosa’, para quem desenvolveram o projeto de Códigos QR em calçada portuguesa. “O projeto está sendo implementado em vários pontos do Rio e já está tendo um enorme sucesso e um impacto midiático muito importante, não só para a agência como também para a Prefeitura do Rio”, revelou Froes. A Partners também é a responsável pela criação dos respectivos conteúdos, informativos e interativos, sobre cada local onde estão sendo colocados os QR’s. O objetivo da Partners é seguir ampliando essa parceria, com novas ideias que possam ajudar a melhorar a vida dos cariocas e dos turistas. “Para nós, o Rio de Janeiro é a vitrine do mundo e será um privilégio para a Partners poder “expor” nessa vitrine a nossa criatividade, que até hoje tem sido o principal fator de reconhecimento da agência em Portugal e nos outros mercados em que atu-

amos”, destaca o executivo. Segundo Froes, um dos pilares que possibilitaram à agência estabelecer-se no mercado local em tempo recorde e tornar realidade a ideia apresentada à prefeitura foi o apoio da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro, “através da qual, foi possível estabelecer todos os contatos com as diferentes entidades brasileiras”. Em fase de crescimento local, a Partners está ampliando sua equipe e estudando parcerias com empresas brasileiras. “Achamos que pode ser muito interessante compartilhar know-how estratégico e criativo entre empresas de diferentes continentes, com diferentes culturas, mas que compartilham a mesma língua”, explicou Froes. Segundo o ‘F’ da MSTF Partners, desde que chegou ao Brasil, a agência tem sido contatada por muita gente, muitos profissionais da área interessados em fazer parte da equipe. “Isto é um motivo de orgulho, um sinal de que nosso trabalho já é reconhecido deste lado do Atlântico”, concluiu.


Empreendedorismo

Innovagency

Líder de seu segmento em Portugal, a Innovagency abriu em 2012, no Rio de Janeiro, seu primeiro escritório no Brasil, buscando o desafio de conquistar espaço neste mercado muito competitivo para seus serviços, que vão desde consultoria passando pelo desenvolvimento web com portais, intranets e extranets e, finalmente, o mobile, com experiência comprovada na criação de aplicativos para diversos segmentos nas mais importantes plataformas. “Criada há 15 anos, a Innovagency, cujo lema é “Living the Digital World”, tem como filosofia a combinação de habilidades multidisciplinares visando encontrar as melhores estratégias e soluções nos desafios digitais”, afirma Pedro Salgado, Country Manager do Brasil. “Para isso, utiliza seu know-how em tecnologia, design, usabilidade, comunicação e marketing e aposta na inovação, na criatividade e no senso de negócios para atender às expectativas de grandes clientes corporativos no que se refere a iniciativas digitais”, conclui o responsável. Tendo um portfólio que inclui clientes do porte da Caixa Geral de Depósitos, ANA, Vodafone, Grupo Caixa Seguros, Lactogal, EDP, CTT e Banco de Portugal, a Innovagency, em apenas um ano de atividades no Brasil, já conquistou contas como a da empresa de eventos Dream Factory, do grupo Artplan. Escolhida pela Microsoft como “Mobility&AppsPartner of theYear” para Portugal, durante o “Worldwide Partner Conference 2013”, realizado recentemente na cidade norte-americana de Houston, a empresa tem acumulado outros prêmios e menções importantes com seus Apps e portais, destaque para o reconhecimento do New York Times e do beautifullpixels.com pela excelência do design do App da ANA aeroportos, entre outros. Salgado conta que a novidade da empresa é o lançamento este ano de seu primei-

|30| setembro 2013

01

01 Carris, App Mobilidade urbana 02 EDP, App Simulador Carbono 03 ANA Aeroportos App

02

ro produto: o “ VSC – Virtual SmartCard”. Trata-se de uma solução empresarial para cartões de afiliação, fidelidade e de transações em smartphones, que aproveita as vantagens do universo digital e reune os benefícios de um cartão de plástico aos quais acrescenta conteúdos e serviços. Através de ‘push-notifications’, ofertas geolocalizadas, ligação com redes sociais e ainda outras funcionalidades, o VSC cria um canal de comunicação direto e privilegiado entre a marca e os seus clientes. •

03


CADA OBRA DA ANDRADE GUTIERREZ É UMA PONTE QUE LIGA O BRASIL AO MUNDO

Travessia do Rio Tejo, Portugal, interliga as regiões industriais e agrícolas entre Carregado e Benavente, a 40 km de Lisboa

Novo Aeroporto Internacional de Quito, Equador, maior pista de uso comercial na América Latina

Aeroporto Internacional da Madeira, Portugal, ampliação da pista em estrutura de concreto sobre o mar

Estrada Tchimbemba Lubango, Angola, reabilitação de importante ligação rodoviária para o país

Projeto Múltiplo Monte Grande, República Dominicana, previne inundações e garante o abastecimento em região agrícola

O Grupo Andrade Gutierrez se orgulha de já ter desenvolvido projetos fundamentais para o desenvolvimento de 45 países espalhados pela América, Europa, Ásia, África e Oriente Médio. São aeroportos, estradas, portos, barragens e várias outras obras de alta complexidade que contribuíram para melhorar a vida das pessoas em vários cantos do planeta. E que ajudaram a construir uma nova imagem do Brasil em todo o mundo.

ente constrói a nossa história e a história do Brasil no exterior


Empreendedorismo

Beta-i

Responsável por desenvolver projetos para inovar e estimular o empreendedorismo, a portuguesa Beta-i é uma associação sem fins lucrativos com três anos de existência, sediada em Lisboa e que já chegou ao Brasil. As atividades da Beta-i se desenvolvem a partir de três áreas: criação e dinamização de uma cultura e de uma rede de empreendedorismo; aceleração de startups; e criação de espaços, serviços e produtos focados no empreendedor. A primeira se constitui na promoção do encontro e troca de contatos entre pessoas interessadas em empreendedorismo e inovação e é viabilizada através de diferentes tipos de evento como os Beta-Talks, o Silicon Valley Comes to Lisbon e o Startup-weekend. “O Beta-talk é um evento criado pela Beta-i que acontece em forma de um encontro informal, trazendo dois palestrantes e empreendedores de sucesso, e um público participante, interessado no assunto. Cada palestrante conta sobre como foi seu aprendizado como empreendedor, relata suas vitórias e desafios, numa palestra de 20 minutos e, em seguida responde às várias perguntas do público”, explica Rodrigo Silva, diretor da Beta-i no Brasil. O evento é acompanhado de algumas garrafas de vinho e uma pausa para networking, quando o público tem oportunidade de conhecer pessoalmente os palestrantes e de trocar contatos. Atualmente, o evento acontece todos os dias 16 de cada mês simultaneamente em várias cidades de Portugal como Lisboa, Évora, Guimarães, Coimbra, Portimão, Ponta Delgada, Funchal, em Cidade da Praia (Cabo Verde) e São Paulo (Brasil). O Rio de Janeiro é o próximo passo. “Estamos conversando com alguns players locais para implementar na cidade o nosso modelo Beta-talk “, diz Silva que adianta que o plano é chegar, em breve, a realizar o evento todo dia 16 em várias cidades brasileiras. Outro projeto já em funcionamento neste lado do Atlântico é o Startup Weekend, que

|32| setembro 2013

ocorreu nos dias 28, 29 e 30 de junho. “O Startup Weekend é um evento internacional com origem nos Estados Unidos que ocorre hoje em dia em mais de 100 cidades do mundo. O evento é focado na ação e tem como objetivo tirar “ideias do papel” e as colocar em prática, em 54h de intensa atividade. No final, existe uma banca de jurados que avalia as várias equipes e atribui prêmios. Em números, já foram criadas mais de 400 startups em eventos do gênero. É um evento que a Beta-i promove em Lisboa, São Paulo e brevemente em Campinas”, explica o diretor da Beta-i. Além disso, várias startups brasileiras estão participando desde 28 de agosto, em Lisboa, do Lisbon-Challenge, um mega progra-

ma de aceleração de Startups com a duração de três meses. Durante todo o programa, os candidatos selecionados têm acesso ao melhor mentoring e coaching mundial, assim como uma ligação privilegiada ao mercado da lusofonia e, no final, os melhores terão acesso, através de um ‘road-show ‘, a investidores de Londres, Nova York e São Paulo. Outro projeto que a Beta-i organiza é o Silicon Valley Comes to Lisbon que leva a Portugal os melhores empreendedores e investidores internacionais no maior evento de empreendedorismo que acontece no país. Para mais informações sobre todos os projetos da Beta-i ainda não disponíveis no Brasil ou para conhecer melhor cada um deles, visite o site www.beta-i.pt.


Foto:

Você e sua empresa podem ter soluções financeiras pelo mundo todo e falando sempre a mesma língua: a sua.

Para investir: São Paulo 11 3509 9370 / Rio de Janeiro 21 3237 6650 Para soluções empresariais: 11 3509 9311 Corretora CGD Securities: São Paulo 11 3074 8004 / Rio de Janeiro 21 3138 3100 www.bcgbrasil.com.br Ouvidoria: 0800 940 3810 - ouvidoria@bcgbrasil.com.br


Perfil

NUNO DE MELLO BELLO Satisfação em poder viver no Rio de Janeiro e trabalhar no Brasil Para o diplomata, o papel das Câmaras de Comércio é ‘muito importante, posto que, pela sua experiência e dinamismo, podem ser verdadeiramente promotoras e facilitadoras nas relações econômicas e comerciais entre os dois países.

|34| setembro 2013


Não é por acaso que o Rio de Janeiro acolheu e deu grandes oportunidades devidamente aproveitadas - a milhares de famílias portuguesas ao longo dos últimos 100 anos.

E

m um ano e meio à frente do Consulado Geral de Portugal no Rio de Janeiro, o diplomata Nuno de Mello Bello já está à vontade no cargo e na sexta cidade em que vive desde que ingressou no Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, há mais de 26 anos, tendo como meta desenvolver uma carreira profissional variada e que lhe permitisse “conhecer o mundo”. Com a experiência de ter exercido atividades tanto em Embaixadas e Consulados, como em representações portuguesas junto a organismos internacionais e dirigido órgãos internos da Chancelaria, Nuno Bello chegou ao Rio em março de 2012, sentindo-se honrado “pela responsabilidade e exposição que significam chefiar um posto diplomático desta importância” e satisfeito com a possibilidade de “poder viver no Rio de Janeiro e trabalhar no Brasil”. Desde então, está envolvido na tarefa de comandar o posto consular de uma das cidades com mais lusos fora de Portugal - cerca de 500 mil, segundo seus cálculos, incluídos

aí, os descendentes – e em pleno processo de modernização. “Encontrei aqui um Consulado com muita atividade e em plena transformação para um funcionamento mais prático e rápido no atendimento; uma importante comunidade e importantes instituições para quem a figura do Cônsul Geral é muito solicitada; uma Câmara de Comércio muito ativa, com quem tenho o prazer de colaborar aprofundadamente e uma residência que, entendo, deve ser um espaço de promoção de Portugal”, resume o diplomata. Entusiasmado com as mudanças que estão ocorrendo, graças às “novas tecnologias que aumentam a capacidade de atender o público com eficiência e rapidez”, Bello assegura que seu objetivo é “ fazer o consulado deixar de ser o local onde se passava uma manhã a espera de ser atendido para transformar-se em um serviço onde as pessoas devem ir com hora agendada, com tudo pago, sendo atendidas em meia hora”, o que, em uma comunidade que possui uma grande população idosa, torna-se ainda mais fundamental. Outro ponto que chama atenção do Cônsul Geral é o aumento, nos últimos anos, do número de portugueses que estão chegando ao Rio de Janeiro, a maioria, jovens profis-

sionais altamente qualificados que veem no Brasil e no Rio de Janeiro uma terra de oportunidades. “É um aspecto que gostaria de poder desenvolver e que tem a ver com juntar sinergias entre a comunidade portuguesa ou luso-descendente mais antiga e os portugueses que estão chegando agora. Já fiz esta ponte pontualmente, mas trata-se de um desafio”, revela. Sobre as novas imigrações portuguesas para o Brasil, o diplomata comentou questões que estão na ordem do dia, como o caso do reconhecimento de diplomas de engenheiros e arquitetos. Segundo ele, “já se fez um acordo entre Universidades para agilizar estes processos e seu papel é acompanhar agora a efetivação desse acordo”. Bello destacou também o interesse da aquisição, por parte de lusos-descendentes, de passaporte português, o que se pode observar pelo movimento diário de processos nesse sentido que chegam ao consulado e aproveitou para falar das solicitações da autorização de residência para atividade de investimento (ARI). “Existem alguns pedidos em análise. Noto um interesse crescente neste regime de autorização de residência em Portugal. Tratase de um regime muito competitivo no qual é privilegiado o contato pessoal e são estabelecidos circuitos particularmente céleres para quem tenha a intenção de investir no país. Noto, igualmente, curiosidade em explorar oportunidades de negócio em Portugal por parte de cidadãos brasileiros. Tenho procurado divulgar esta nova possibilidade que é dada a estrangeiros para terem residência em Portugal, com base em investimentos que ali sejam realizados”, explicou. Além das funções de atendimento aos portugueses residentes, o Cônsul Geral de Portugal no Rio enxerga sua missão como a de um grande promotor de seu país em termos culturais e econômicos. Bello acredita que o país ainda é visto como uma grande oportunidade para as empresas lusas, mas adverte às pequenas e médias empresas portuguesas, que querem vir ao Brasil como parte de sua tentativa de internacionalização, sobre “a necessidade de ter realismo e capacidade para suportar as dificuldades naturais de entrada em um mercado com a dimensão do brasileiro”. Um dos segmentos onde Portugal tem muito a oferecer ao Brasil é no tecnológico, › setembro 2013 |35|


Perfil › aponta o diplomata que, não obstante, admite existir ainda algum desconhecimento desta realidade. “Ainda há muitos que acreditam que o que Portugal tem a oferecer de melhor é o vinho, o azeite e o bacalhau. Sem desmerecer esses produtos, que são muito bons, é preciso combater esta visão desatualizada da realidade, que continua sendo verbalizada, às vezes, por pessoas supostamente bem informadas”, enfatiza. Desde que assumiu o posto, Nuno Bello tem trabalhado em sinergia com a Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro. “Tenho a sensação que para a Câmara, o Consulado Geral é um “braço” com que pode sempre contar e eu sei que sempre que preciso de uma colaboração na área econômica e comercial posso contar com a Câmara. Francamente, não consigo imaginar trabalhar no Rio de Janeiro sem esta intimidade e interdependência”, conta. Para o diplomata, o papel das Câmaras de Comércio é “muito importante, posto que, pela sua experiência e dinamismo, podem ser verdadeiramente promotoras e facilitadoras nas relações econômicas e comerciais entre os dois países”. No campo cultural, Nuno Bello expressou sua satisfação com o êxito do projeto Ano de Portugal no Brasil, concluído recentemente. “O Ano de Portugal no Brasil foi um projeto muito bem sucedido que conseguiu mobilizar vontades e verbas (essencialmente privadas) para a promoção de eventos culturais, econômicos e científicos portugueses em todo o país. Entendo que a fórmula deu certo e que a presença de Portugal, num país da dimensão do Brasil, foi muito grande e contribuiu para uma atualização da nossa imagem no Brasil”. Segundo o diplomata, “o apoio do Consulado a todos estes eventos foi constante, ainda que algumas vezes tenha sido discreto, como, por exemplo, em casos onde foi preciso liberar materiais das alfandegas…”. Disse ainda que o dinamismo das instituições portuguesas locais e dos vários agentes culturais vem crescendo e que “semanalmente” lhe chegam solicitações para busca de apoios e espaços para novos projetos. No caso de ajuda para encontrar espaços para eventos culturais, um exemplo da colaboração do Consulado é a frequente cessão do belíssimo espaço do ‘Palácio São Clemente’ - a antiga Embaixada de Portugal antes da transferência para Brasília e que, desde então, |36| setembro 2013

serve como residência oficial para o Cônsul Geral do Rio de Janeiro. Na opinião do diplomata, todos esses fatores econômicos, culturais e sociais contribuem para manter a ligação “umbilical” entre Portugal e Brasil. “Há uma grande proximidade histórica e cultural que se reflete sempre num discurso muito afetivo”, afirma Nuno Bello, que discorda taxativamente daqueles que argumentam que, com a adesão de Portugal a União Europeia, as relações com o Brasil passaram a um segundo plano. “Não estou de acordo com este ‘julgamento’. Mesmo sendo ‘bons Europeus’ e tendo aproveitado muito desta nossa adesão, Portugal tem sido sempre um grande advogado na defesa de uma relação estratégica entre a UE e o Brasil e mantido uma relação privilegiada com o país e com outros países lusófonos. Dou exemplos, nas recentes candidaturas de brasileiros a lugares de topo de organizações internacionais. Portugal no quadro da CPLP tem sempre apoiado os candidatos brasileiros, “sacrificando” apoios a europeus, fato que é reconhecido pelas autoridades brasileiras”, enfatiza. Quisemos saber, como é para o cidadão português Nuno Mello Bello viver no Rio de Janeiro e, se ele, neste um ano e meio de convívio diário, já sabe identificar coincidências e diferenças. A resposta mostra seu grau de adaptação à vida carioca. “Há livros dedicados a este tema… Eu tento sempre relativizar os estereótipos que, em minha opinião, distorcem e limitam a nossa percepção da realidade. No plano profissional, entendo que há muito mais aspectos

Ainda há muitos que acreditam que o que Portugal tem a oferecer de melhor é o vinho, o azeite e o bacalhau. Sem desmerecer esses produtos, que são muito bons, é preciso combater esta visão desatualizada da realidade, que continua sendo verbalizada, às vezes, por pessoas supostamente bem informadas.

que nos aproximam do que nos separam. As diferenças em algumas atitudes até podem enriquecer projetos comuns. Como em tudo na vida, é preciso respeito pelas diferenças e bom senso. Não é por acaso que o Rio de Janeiro acolheu e deu grandes oportunidades - devidamente aproveitadas - a milhares de famílias portuguesas ao longo dos últimos 100 anos.” •


BRASIL

A CRIATIVIDADE É O MELHOR NEGÓCIO. Há 10 anos que a criatividade é o nosso negócio. E parece que levamos jeito. Desde 2003 que a nossa criatividade é reconhecida nacional e internacionalmente, com mais de 150 prémios ganhos em Cannes, Clube de Criativos, Eurobest, El Ojo, Sinos, Eficácia, Sapo, Meios & Publicidade, Marketeer. A nossa criatividade é o melhor negócio para o seu. Conheça os trabalhos premiados em www.partners.pt

Leia este código QR com o seu smartphone e veja um video com os trabalhos premiados da Partners.


De mala feita 01

02

O PARAÍSO NA TERRA Vila Galé Eco Resort de Angra Aposta na natureza, lazer e gastronomia num resort completo para familias e público corporativo.

L

ocalizada na região conhecida como Costa Verde, Angra dos Reis é um pequeno paraíso natural com uma área de 816,3 km² a oeste do estado do Rio de Janeiro, com uma altitude média de seis metros e possui, em seu litoral, 365 ilhas. Foi descoberta pelos portugueses em 6 de janeiro de 1502, sendo colonizada apenas a partir de 1556. Pela sua beleza natural e uma excelente infraestrutura, Angra dos Reis virou ponto forte de turismo. Muitas das suas ilhas fo-

|38| setembro 2013

ram adquiridas por celebridades nacionais e internacionais. Ronaldo Fenômeno, Luciano Huck e Xuxa são alguns dos famosos com ilhas e casas nesta região. O Vila Galé Eco Resort de Angra localizase junto à baia da Ilha Grande, a maior ilha de Angra dos Reis, construído na antiga Fazenda Tanguá entre a exuberante Mata Atlântica e o mar de águas calmas e cristalinas, onde é possível encontrar ainda algumas das construções originais e palmeiras imperiais. A localização paradisíaca, a admirável área de lazer e a excelente gastronomia acompanhada dos premiados vinhos da Casa de Santa Vitória, vinícola da rede Vila Galé na região do Alentejo, em Portugal, fazem as delícias de quem visita este Eco Resort. O Vila Galé Eco Resort de Angra funciona em regime ‘all inclusive’, o que garante todas as refeições, lanches e bebidas, alcoólicas e não alcoólicas, incluídas no valor da diária durante todo o período de hospedagem. A proposta ‘all inclusive’ é ideal para famílias que desejam conforto e praticidade. Um resort completo para adultos, crianças e público corporativo, com mais de 47.000 m² de área construída. Aqui, a sintonia com a natureza é total, independente do motivo da viagem. •


Lazer

O Resort dispõe de uma piscina de 1.150 metros, com raias olímpicas e deck, além de pista de cooper e de caminhada com 720 m de extensão. Além disso, possui quadras de tênis, poliesportiva e quadras de areia, para vôlei e futebol. E para os aventureiros, o resort oferece trilhas ecológicas na própria área do hotel, inseridas em plena Mata Atlântica. Diariamente a equipe de lazer programa atividades diversas como aulas de ginástica, caminhadas, concursos, torneios esportivos e gincanas. Ou seja, diversão não falta neste verdadeiro paraíso tropical. O Vila Galé Eco Resort de Angra dispõe ainda de um fitness center equipado com uma completa academia de ginástica, dotada de moderna aparelhagem, sauna seca e a vapor (masculina e feminina), vestiário e duchas.

Spa Satsanga

O Vila Galé Eco Resort de Angra abriga ainda o Spa Satsanga, de padrão internacional, inspirado nas

melhores infraestruturas da Ásia e Europa, com atmosfera única, que combina as novas tendências de spa com as mais modernas tecnologias de estética e relaxamento.

03

Localizado junto à baía da Ilha Grande e das suas 365 ilhas de grande beleza • 10 km do centro da cidade • 150 km do Rio de Janeiro • 385 km de São Paulo • 307 apartamentos • 11 suítes • 1 suíte presidencial • 8 restaurantes e bares • Contatos e Reservas: www.vilagale.pt

Gastronomia

O hotel oferece um cardápio imperdível, servido em seus restaurantes e bares. Nos espaços gastronômicos você pode deliciar-se com excelentes buffet de cozinha brasileira e internacional, restaurantes de comida japonesa, italiana, fusão entre a tradicional culinária portuguesa com a carioca, ou simplesmente apetitosas porções à beira do mar ou da piscina.

angra.reservas@vilagale.com

04

Moderna área de eventos Mais um destaque do resort é a área de eventos. Com capacidade para até 1.900 pessoas, é dividida em dois pavimentos, com entrada exclusiva. Além de permitir a realização de vários eventos simultâneos, com total privacidade, conta com moderna infraestrutura e um salão principal para 1.500 pessoas em auditório. •

05

01 Vista panorâmica noturna da piscina 03 Praia do resort 04 SPA Satsanga 04 Praia do Resort 05 Vista mar do hotel

setembro 2013 |39|


De mala feita 01

JANELA PARA O GERÊS Aquafalls SPA Hotel No mundo complexo e agitado em que vivemos, esmagados pelas pressões das exigências profissionais e familiares e pelo sufoco do estresse cotidiano, estamos sempre buscando um lugar de paz e serenidade em meio à natureza, sem esquecer as vantagens trazidas pelo conforto e sofisticação.

R

eunir todas essas condições é a proposta do Aquafalls Spa Hotel, em Vieira do Minho, em Portugal. O Aquafalls localiza-se em frente do Parque Nacional da Peneda-Gerês, único parque nacional de Portugal, situado no extremo nordeste do Minho, e estendendo-se até Trás-osMontes, desde as terras da Serra da Peneda até a Serra do Gerês - daí a sua designação. Considerado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera, o parque é recortado por dois grandes rios, o Rio Lima e Cávado. Tendo em conta que a primeira necessidade de um empreendimento turístico é o espaço físico, teve-se o cuidado, na sua implementação, de fazê-lo de forma sustentada, de modo a conservar e, se possível, recuperar, o rico patrimônio natural e cultural existente |40| setembro 2013

03

no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Conservar e recuperar a paisagem local, a par da materialização de um projeto turístico de qualidade, inovador em termos de conceito e de espaço, constituíram as preocupações dominantes do Aquafalls. Na concepção do projeto arquitetônico, foi determinante a inspiração do local, permitindo que a arquitetura e o design dos edifícios enfatizassem o isolamento, a tranquilidade e a harmonia que ali se respira. O hotel desenvolveu-se, assim, com um conceito disperso, ou seja, vários edifícios implantados ao longo da encosta, no estilo de hotel boutique, com um mais central – onde está localizado o Spa, o bar, o restaurante, a recepção e os serviços de apoio. Apesar de possuir uma “linguagem arquitetônica contemporânea”, a pedra e a madeira foram eleitas como os materiais de excelência na sua construção, estabelecendo o compromisso entre a contemporaneidade e o ambiente com o espírito de montanha, numa

02


relação amistosa com a vegetação local. A vista que daí se tem é um presente da natureza para os olhos e para o espírito. Pretende ser um espaço intimista, de recato, de bem-estar, com verde, flores, plantas aromáticas e cascatas de água, perfeitamente enquadrado em uma das regiões mais ricas em ecossistemas de Portugal. Além da paisagem, criada também para evocar a capacidade única de acolhimento dos portugueses, o Aquafalls aposta na excelência de seus serviços prestados por um staff sempre atento a todas as necessidades dos hóspedes. Na área gastronômica, destaque para o Restaurante Splendid com apresentação e serviço focados em um menu de altíssima qualidade, utilizando os sabores e aromas tradicionais da região de Vieira do Minho. Os cuidados com a saúde e o bem estar são as prioridades do Wellness Spa que proporciona tratamentos de excelente qualidade, ministrador por técnicos altamente qualificados e com prestígio reconhecido internacionalmente. No alojamento, a proposta está baseada no conforto do hóspede. •

04

O Aquafalls Spa Hotel, em Vieira do Minho • 90 km do Porto • 142 km de Lisboa • 22 Suítes • 2 Quartos • Restaurante, bar, academia, SPA, auditório, piscina interior e exterior, tênis e mini golf • Contatos e Reservas: www.aquafalls.pt reception@aquafalls.pt

01 Piscina exterior com vista para o Rio Cávado 02 Cascata 03 Jardim Persa 04 Fachada principal do Hotel (recepção) 05 Piscina interior (spa)

05

setembro 2013 |41|


Cultura

um sonho pra dois peça de teatro

Estreia: 12 de setembro Teatro Leblon - Sala Tônia Carrero De quinta a Sábado, às 21h30 Domingo, às 20h

Artistas portugueses sobem ao palco

É já no final do mês de setembro que estreia mais uma edição do Rock in Rio e, mais uma vez, o festival vai receber no seu Palco Sunset encontros inusitados entre grandes nomes da música e novos artistas brasileiros e internacionais, uma iniciativa criada em 2008 em Portugal, no Rock in Rio Lisboa. Este ano, artistas da nova cena musical portuguesa como as bandas Orelha Negra e The Black Mamba e a cantora Aurea fazem parte das 26 participações internacionais que vão estrelar o Palco Sunset durante os dias do evento. Dia 13, sexta-feira, a banda portuguesa Orelha Negra se apresenta pela segunda vez no Rock in Rio. A primeira foi em Lisboa, em |42| setembro 2013

Para quem conseguiu garantir o seu ingresso, o evento, que chega à 13ª edição, tem início na sexta-feira, 13 de setembro, e segue pelos dias 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro de 2013, na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro. mário galiano

rock in rio 2013

2012. Na edição atual, o encontro será com o rapper brasileiro Flávio Renegado. A expectativa é que as atrações levem para a abertura do Sunset uma mistura entre o instrumental, que inclui R&B, soul, jazz, funk, e o próprio hip hop, com um pé na música brasileira, que tem como pano de fundo a música de rua, dos guetos e subúrbios. Para encerrar o primeiro fim de semana do festival, no dia 15, domingo, sobem ao palco The Black Mamba e Aurea, que fecharão com um encontro de uma mesma nacionalidade. O primeiro traz um som voltado para a música de origem afro-americana, que vai desde blues, funk, soul, R&B até o pop. Já Aurea é uma revelação da música no país. A cantora é dona de uma voz inconfundível, poderosa e cativante. Seu primeiro álbum, homônimo, atingiu em poucos meses o 1º lugar do Top Nacional de vendas, conseguindo a marca de dupla platina. O resultado desta união será, sem dúvida, um show “multi ritmado” e com vozes de perder o fôlego.

Trancados em um quarto de hotel, Edu (Ricardo Pereira), um jovem jornalista e Cléo (Maria Ribeiro), ex-atriz, filha de um empresário milionário, acordam juntos na mesma cama e nem se conhecem. Sem se lembrar de como isso aconteceu, os dois tentam com muito humor, desvendar o mistério daquela noite estranha e inexplicável. Em meio a confusões de toda espécie e acontecimentos quase absurdos, o amor parece surgir como num sonho. Uma comédia cheia de mistério e muito romance com duração de 70 minutos, inspirada nos filmes “noir” dos anos 50 onde nem tudo é o que parece ser. No ano passado, a peça esteve em cena em Lisboa - Portugal e em várias cidades do Brasil, como Fortaleza (CE), Brasília (DF), Guarulhos e Campinas (SP), Macapá (AP), Goiana (GO), Vitória (ES), São Luís (MA), Petrópolis (RJ), Cuiabá (MT), Salvador (BA) e Recife (PE), entre tantas outras. Depois do sucesso da primeira temporada, o espetáculo chega agora na capital fluminense.


Portugal Shopping

Delta Q QOOL Automática

Com as novas máquinas Qool da Delta Q, tenha à disposição o melhor expresso em cápsula de uma forma funcional e simples. | www.mydeltaq.com

Bordallo Pinheiro Vik Muniz - Colador de Cacos

Vik Muniz é um dos 20 artistas do projeto Bordallianos do Brasil que produziu uma obra contemporânea inspirada no universo de Bordallo Pinheiro. A peça “Colador de Cacos” representa a fragilidade e hereditariedade da faiança. Segundo o artista, “é uma espécie de duende da memória. Assumindo todas as suas imperfeições, ele esculpe a forma impossível do legado das convenções e tradições familiares”. Vik recorda-se da dor que sua mãe sentia cada vez que alguma louça antiga se quebrava em casa. “Com os objetos, iam-se memórias de casamentos, velórios, batizados, os jantares de Natal e os almoços de domingo... Ainda a vejo, triste, tentando colar os cacos, como se consertando o passado da melhor forma disponível.” | www.bordallopinheiro.pt | www.bordallianosdobrasil.com |44| setembro 2013

Renova O papel mais sexy do mundo

Reivindicamos a diferença e fundamos um novo conceito. Pode o papel higiênico ser sexy? Descubra! | www.myrenova.com | www.facebook.com/renova


trendy! Gallo Colheita ao Luar

Gallo recuperou o ritual antigo da colheita ao luar. É um azeite Extra Virgem, extraído a frio e de baixa acidez, com um sabor fresco, frutado e levemente picante. Fruto de um antigo ritual, Gallo Colheita ao Luar resulta da colheita noturna das azeitonas,quando as temperaturas são mais baixas e favorecem a presença de todos os aromas e sabores destes frutos. Um azeite verdadeiramente exclusivo para agradar aos paladares mais exigentes. | www.gallooliveoil.com

Lisboa ConVida Brasil O guia das melhores compras em Lisboa

O Lisboa Convida Brasil é uma vitrine com sugestões das melhores compras que podem ser feitas na capital portuguesa. Além das marcas de luxo, em Lisboa encontram-se objetos únicos e exclusivamente portugueses. Santo António - Lisbon Shop | Guitarra “Azulejo” Malabar - Museu do Fado | Sabonetes Ach Brito - Paris em Lisboa | www.lisboaconvidabrasil.com

Vila de Arouca Os mais premiados agora no Rio

A Importadora Vila de Arouca tem em seu portfólio e importa com exclusividade para o Rio de Janeiro os mais premiados vinhos das diversas regiões de Portugal. Estes três vinhos fazem parte desta cuidadosa seleção: o Quinta Nova Referência é um dos tops da vinícola, tendo a conquista de 93 pontos no prestigiado Guia Robert Parker; a tradicional Taylor’s apresenta seu Porto First Estate Ruby e, mais um top, desta vez da região do Dão, famosa pela elegância dos seus vinhos, o Four C. www.viladearouca.com.br

setembro 2013 |45|


Na primeira pessoa

BRASIL, 05 DE OUTUBRO DE 1994 Filipe de Botton

F

oi nesse dia que tivemos a sorte de ver assinado o contrato que ditou a nossa primeira fábrica que instalamos no Brasil, mais exatamente em Poços de Caldas, no Estado de Minas Gerais. Nem tudo tem sido um “mar de rosas” e um fácil caminhar. É óbvio que nem tudo correu bem, cometemos uma série de erros. O Brasil é um país com particularidades - nomeadamente Legislativas e Fiscais (Federais e Estaduais) - que o transformam num dos países mais duros para trabalhar. A formação dos nossos quadros é uma enorme dificuldade, num mercado extremamente competitivo. Mas o mais importante é que o Brasil também é “O País das Oportunidades” com um fabuloso potencial de crescimento para quem trabalha com produtos de gran|46| setembro 2013

de consumo, como a Logoplaste, com uma classe média em desenvolvimento, com uma cultura e atividade vibrante e eletrizante, com uma dimensão rara de encontrar. País em que se fala português (por mais que com muitas diferenças do português de Portugal), com um carinho e simpatia contagiantes. Passados perto de 20 anos de trabalho muito ativo da Logoplaste no Brasil é com orgulho que temos hoje nove fábricas em cinco Estados (Rio de janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Goiás) e cerca de 600 “Logoplastianos” a trabalhar nesse maravilhoso país. Vale a pena referir a palavra parceria quando se abordam as relações entre Brasil e Portugal. De fato, não se trata de uma mera relação comercia, mas sim de um espírito de harmonia, de um laço cultural, histórico e familiar, que leva a que os empresários e as empresas de ambos os países se vejam como parceiros na maioria dos casos. Os dois países acabaram sendo o primei-

ro destino do início do processo de internacionalização da maioria das empresas brasileiras e portuguesas. E o idioma comum não é certamente a menor das razões. É fantástico hoje passear pelas principais cidades do Brasil e de Portugal e ouvir a nossa mesma língua – com sotaques diferentes – provando a nova ligação que se deu ao longo da última década. Brasileiros em Portugal ou portugueses no Brasil trabalhando nas mais variadas posições e funções ou tão simplesmente passeando é hoje algo comum e normal e ainda bem! Se hoje fosse tempo de fazer um balanço dos últimos 20 anos, seria resumido a três palavras: Valeu a pena! Mas, mais importante é olhar para o futuro e ver o mar de oportunidades que a comunidade da Lusofonia oferece às nossas empresas. Não tenho dúvidas em afirmar que os povos e os empresários do Brasil e de Portugal são os melhores preparados para o novo Mundo que nos aguarda. •


Quem é? Nascido em 1958, Filipe de Botton graduou-se em Gestão de Empresas pela “Universidade Católica Portuguesa. Entre 1981 e 1992, representou, em Portugal, os seguintes bancos: Crédit du Nord (França), Banc de Sabadell (Espanha), Banque Bruxelles Lambert (Bélgica) e Bayerische Hipotheken und Weschell Bank (Alemanha). Entre 1985 e 1990, Filipe de Botton foi fundador e membro da Administração da Interfinança, um banco privado vendido ao Millennium BCP, e, entre 1990 e 1991, foi fundador e membro da Administração da Fonsecas & Burnay, Real State Management Society, hoje integrada no grupo BPI. Foi Presidente de honra da Associação dos Antigos Alunos da Universidade Católica Portuguesa de 1989 a 2001, administrador do Hotel da Lapa de 1990 a 1994 e membro da Direção do Sporting Clube de Portugal entre 2006 e 2009. É sócio fundador da Norfin e da Invesfin, da qual é gerente, bem como da Logowines. Fundou, em 1976, a Logoplaste com seu pai, passando a CEO em 1991. A Logoplaste é a terceira maior empresa europeia conversora de plástico rígido, com 60 fábricas, com as operações de primeiro hole-in-wall em 16 países europeus, NAFTA, Malásia e Brasil. Filipe de Botton está também envolvido no sector da hotelaria e resorts, gelados (Santini) bem como da produção de vinho. Empresário do Ano de 2004 pelo Congresso Internacional de Empreendedorismo e Venture Capital, recebeu o prémio “Personalidade de Marketing Industrial 2004”. Presidente do Conselho Diáspora Portuguesa, Conselheiro do Comércio Exterior de França, e membro da Administração REN - Redes Eléctricas Nacionais. É igualmente Presidente da Comissão Executiva do CADin .

setembro 2013 |47|


Oportunidades de negócio

Negócios no Brasil VentilAQUA

Bluepharma

VentilAQUA- Empresa de engenharia ambiental fundada em 1997, exporta tecnologia inovadora para os cinco continentes, através da oferta de soluções de tratamento de efluentes, algumas aplicadas especificamente a indústrias tradicionais. Atua também no setor hospitalar/ laboratórios com soluções de esterilização e inativação dos efluentes contaminados com vírus, bactérias e produtos/moléculas recalcitrantes, usando tecnologia a frio, o que reduz consideravelmente os custos energéticos habituais nas soluções presentes no mercado,sendo uma solução exclusiva e única a implementar no Brasil. A empresa já está presente em 45 países, podendo contabilizar hoje cerca de 600 unidades de tratamento de águas residuais em funcionamento permanente. A VentilAQUA apresenta-se como fabricante e fornecedora de tecnologia e tem uma relação com o mercado através de um produto que é exclusivo e único, incorporando um conceito e um design únicos, a preços altamente competitivos, integrando componentes de fabricantes “top” do mercado mundial. Toda esta atividade da VentilAQUA permite-lhe ter uma posição única no mercado global, com uma oferta de produtos únicos, diferenciadores, eficazes, com elevada eficiência energética, incorporando, em unidades compactas, as melhores e mais avançadas tecnologias de tratamento de efluentes, para proteger o ambiente e o seu futuro. Interessada em entrar no mercado brasileiro, a VentilAQUA busca fazer contatos com empresas locais, com capcidade técnica e intervenção no tratamento de águas, na indústria e no setor da saúde.

A Bluepharma Indústria Farmacêutica tem o objetivo de estabelecer parcerias estratégicas para a sua entrada no mercado brasileiro. Criada em 2001, a Bluepharma tem buscado, nesses 12 anos, basear sua estratégia nos princípios da Inovação, Qualidade, Internacionalização e Investimento. A atividade da empresa engloba atualmente toda a cadeia de valor, desenvolvendo-se em três áreas distintas: investigação, desenvolvimento e registro de medicamentos; produção de medicamentos próprios e para terceiros; comercialização de medicamentos genéricos. Sua presença crescente nos mercados internacionais tem contribuido para os bons resultados econômicos da empresa, originando também ganhos recíprocos para os territórios envolvidos. A Bluepharma quer aprofundar diretamente o conhecimento sobre o território brasileiro, com o objetivo de explorar oportunidades de negócio e

Low-Cost.Come A marca portuguesa de padarias de baixo custo “Low-Cost.Come” com 16 lojas em Portugal prepara-se para trazer este conceito ao Brasil. ‘Self-service’, louça descartável e acordos com os fornecedores para garantia de grandes quantidades a menor preço são as bases do projeto, que iniciou em 2011 com lojas próprias e hoje já funciona em sistema de franchising. O objetivo é terminar o ano de 2013 com mais de 25 lojas em Portugal e apostar no Brasil.Para isso, busca um master-franchiser, que possa coordenar a operação em terras brasileiras, promovendo o crescimento local da rede de padarias.

Telefone: +351 963323731 E-mail: masterlowcost@gmail.com Telefone: + 351 239 437 336 E-mail: ventilaqua@ventilaqua.com Website: www.ventilaqua.com | Endereço: Quinta dos Militares, lote 10 Casa Meada -

Website: www.low-cost.com.pt

investimento no país. Para tal, procura parcerias com potenciais parceiros locais para o desenvolvimento de negócio e possível investimento numa nova unidade industrial, procurando também reunir-se com entidades responsáveis pelo apoio ao investimento estrangeiro e gestão de incentivos na área da Ciência e Tecnologia e Inovação, entidades Públicas relacionadas com a área da Saúde e Indústria Farmacêutica e ainda escritórios de Advogados de Patentes com experiência na área de medicamentos genéricos.

Telefone: +351 239 800 300 E-mail: business@bluepharma.pt Website: www.bluepharma.pt Endereço: S. Martinho do Bispo, 3045-016 Coimbra, Portugal

Negócios em Portugal Br Nobre A Br Nobre Comercial Plásticos Ltda. está procurando fornecedores de Flakes de PET (Politereftalato de etileno) reciclado em Portugal. O PET é o material plástico usado nas garrafas de refrigerante e água mineral. Após o processo de reciclagem é utilizado em diversos segmentos industriais, principalmente na indústria têxtil para fabricação de fibra de poliéster. A Br Nobre foi criada para atuar como o escritório de importação de uma grande empresa de reciclagem situada no estado do Rio de Janeiro. Sua missão é buscar fornecedores de PET FLAKES no exterior e importar esse material para revenda no mercado interno. A Br Nobre atua como elo entre produtores estrangeiros e seus clientes no mercado interno. Já possui RADAR e toda documentação necessária para iniciar as importações.

Antanhol, Cep -3040-584, Coimbra, Portugal

Telefone: + 55 21 91307972 E-mail: comercial@brnobre.com Website: www.brnobre.com

|48| setembro 2013


Save the date

Calendário de eventos imperdíveis Setembro

Outubro

Seminário Brasil: A hora dos resíduos! Olhar o gerenciamento integrado na Europa através de Portugal

Almoço palestra da Câmara Portuguesa discussão sobre os desafios da década na infraestrutura do Rio de Janeiro

O Setor dos Resíduos brasileiro atravessa um momento ímpar. A Lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelece princípios, objetivos, diretrizes, metas e ações importantes visando ao gerenciamento ambientalmente adequado dos resíduos sólidos. Nas últimas décadas, Portugal teve uma evolução muito importante no setor dos resíduos, impulsionada pela sua entrada na Comunidade Europeia: encerrou os lixões, implantou uma rede excepcional de coleta seletiva e um sem número de infraestruturas que permitem o gerenciamento de todo o tipo de resíduos, sendo hoje em dia autossuficiente. Portugal definiu prioridades, desenhou o modelo de governança do setor, definiu a organização territorial, estabeleceu a regulação de forma exemplar. Considerado um caso de sucesso na Comunidade Europeia, o programa português de gerenciamento integrado de resíduos será apresentado no Rio de Janeiro, através do seminário “Brasil: a Hora dos Resíduos! Olhar o Gerenciamento Integrado na Europa através de Portugal!”, com três dias de duração e promovido pela About Media Brasil.

“Os desafios da década na infraestrutura do Rio de Janeiro”, esse é o tema central do “almoço-palestra”, no dia 02 de Outubro na Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro. O palestrante, Dr. Francis Bogossian vai abordar o atual momento que se vive em torno dos investimentos realizados e por realizar por toda a Infraestrutura do Rio de Janeiro, o legado que a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 deixarão para a cidade do Rio de Janeiro bem como o que se perspectiva para o pós 2016. O Rio de Janeiro, a retoma do crescimento Brasileiro, o trabalho conjunto dos governos municipais, estaduais e federais e o seus impactos na infraestrutura do Rio de Janeiro. Os problemas causados pelos anos anteriores de recessão e de arrefecimento que provocaram o desinteresse dos jovens pela Engenharia e que por consequência provocou falta de Mão-de-obra qualificada para os atuais desafios. Durante todo o evento, o Dr. Francis Bogossian vai responder as perguntas sobre essas questões.

Data: 17, 18 e 19 de Setembro Local: Palácio São Clemente Inscrição e mais informações: http://brasilahoradosresiduos. ambienteonline.pt/noticias/

|50| setembro 2013

As inscrições para associados e não associados já estão abertas através do e-mail: eventos@ camaraportuguesa-rj.com.br ou nos telefones (21) 2533-4189 / (21) 2533-4178. Os convites para o “almoço-debate” custam R$ 50,00 para os Associados, e R$ 140,00 para os Não-Associados.

Congresso Alta Gestão

Business cocktail

O Rio de Janeiro receberá em outubro uma edição do Congresso Alta Gestão, evento que visa oferecer aos participantes a oportunidade de compartilhar a visão de alguns dos executivos topo de linha do país sobre as principais tendências, soluções, conceitos e melhores práticas de gestão e negócios, no formato de exposição, entrevistas e painéis interativos. O congresso é direcionado a representantes da comunidade empresarial, de instituições de ensino, de entidades de classe, agências e órgãos governamentais e de instituições sociais que poderão aprimorar as questões técnicas e comportamentais, que afetam o dia-a-dia dos profissionais nas organizações. O “Alta Gestão” é composto por 12 palestras que pretendem ajudar a disseminar conceitos e práticas de responsabilidade social corporativa, e criar oportunidade de parcerias entre empresas e entidades sociais, que impulsionem o desenvolvimento sustentável da sociedade, promovendo assim um mundo mais justo e solidário.

Como acontece bimestralmente, em outubro, a Câmara do Rio de Janeiro realizará o seu Business Cocktail, um espaço de convívio onde os presentes terão mais uma oportunidade de conhecer e ampliar o networking com associados, amigos, parceiros da Câmara e interessados em fazer novos negócios. Tragam os seus cartões de visita! Novidades em breve.

Data: 15 e 16 de Outubro Local: Hotel Sofitel, Rio de Janeiro Contando com o apoio da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro, todos os nossos associados terão 20% de desconto no valor da inscrição. Basta mencionar a informação na ficha de inscrição. Inscrição e mais informações: www.congressoaltagestao.com.br

Novembro

Rodada de Negócios Internacional – FIAM’2013 A SUFRAMA (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e o SEBRAE/AM (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas) promoverão no dia 28 de novembro, em Manaus, a Rodada de Negócios Internacional que ocorrerá paralelamente a VII Feira Internacional da Amazônia – FIAM’2013. O evento, que é apoiado pela Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro, tem caráter exclusivamente profissional e visa fomentar o intercâmbio comercial da região amazônica, a partir de reuniões dirigidas, conforme análise prévia dos perfis de negócios das empresas participantes, de forma a tornar eficaz todos os contatos estabelecidos. Mais informações com Marco Rocha ou Vanda Rocha, consultores responsáveis pela captação de empresas compradoras para essa Rodada de Negócios, através dos telefones (21) 8202-2323 e (22) 9906-9961 ou dos e-mails marcoacrocha@gmail.com, macrocha@hotmail.com e vandarocha27@hotmail.com


Investir numa frota nova da AB Caminhões é uma boa contradição:

sua empresa fica mais pesada para crescer mais leve.

www.grupoab.com.br

Respeite a sinalização. DUQUE DE CAXIAS - RJ

TERESÓPOLIS - RJ

NOVA LOJA ITAGUAÍ

Rodovia Washington Luiz, 4.230 Duque de Caxias - RJ

Rodovia BR - 116, Km 78, nº 260 Fonte Santa - Teresópolis - RJ

Rodovia Rio - Santos 9.777 - QD 89, L 3.101

(21) 3661-9999

(21) 2643-7000

(21) 2700-5777


A nossa família quer fazer parte da sua. Quando o assunto é venda coorporativa, nossas equipes estão especialmente preparadas para proporcionar condições que só o Grupo AB pode oferecer.

Rio

Niterói

Barra

Botafogo

2195-7000 | 3121-3131

3154-9777 | 3586-0155

Caxias

Teresópolis

Itaguaí

3661-9999 | 2643-7000 | 2700-5777

Barra

Zona Norte

2432-2300 | 3315-5555

Angra

Barra Mansa

Resende

(24)3364-7000 | (24)3336-6800 | (24)3358-9500

Jacarepaguá

3116-8999


+351CPRJ01SET