Page 1


PORTFÓLIO

sau sandler arquitetura, urbanismo e ambiente T + 55 11 3834-2489 –contato@sau.arq.br – www.sau.arq.br rua duarte da costa 1202 – alto da lapa – 05080-000 – são paulo - sp


NÚCLEOS SAU:

PRINCIPAIS CLIENTES

PARCEIROS

ARQUITETURA

ACISA Armando Conde Investimentos S.A.

DTA Engenharia

FUNDESPA - Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas

residencial, corporativo e institucional; edifícios verdes; gerenciamento de projeto URBANISMO condomínios residenciais e corporativos; parques recreativos; estruturas náuticas e turísticas PLANEJAMENTO estudos integrados de viabilidade; planejamento municipal LICENCIAMENTO AMBIENTAL desenvolvimento completo dos processos – municipal, estadual e federal; EIA/RIMA, diagnóstico de viabilidade ambiental, audiências públicas, estudos de impacto. SUPORTE, CONSULTORIA E ASSESSORIA TÉCNICA elaboração de material promocional para marketing e reuniões técnicas; consultoria e assessoria técnica em estudos e projetos para licenciamento e desenvolvimento imobiliário RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL – OSCIP ORGANIZAÇÃO CIDADE AMBIENTE

Andrade Gutierrez Arcobras Comercial e Incorporadora LTDA Brasil Development Investimentos Turísticos Brasterra Empreendimentos Imobiliários BASF Birmann S.A. Comércio e Emprendimentos Blue Tree Hotéis CONFIDE Construtora Sandor LTDA Delphi Engenharia LTDA Schain Empreendimentos Imobiliários SERVENG

Graça Empreendimentos LTDA Grupo Pedra Verde Willer Arquitetura e Planejamento CPEA Consultoria Paulista de Estudos Ambientais Funcef - Fundação dos Economiários Federais IES Instituto Embu de Sustentabilidade NURAP Núcleo Rotary de Aprendizagem Profissional Prefeitura Municipal do Guarujá Prefeitura Municipal de Porto Feliz Prefeitura Municipal de São Paulo Prefeitura Municipal de São Sebastião Prefeitura Municipal de Santa Fé do Sul Prefeitura Municipal de Hortolândia Prefeitura Municipal de Mogi das Cruzes

LABOMAR - Instituto de Ciências do Mar PLAN - Arquitetura e Urbanismo Vecttor Projetos S/C Ltda EGT Engenharia S/C Ltda LINEAR Engenharia TECNOAMBIENTE - consultores, estudios tecnicos del medio ambiente ARCPLAN DFREIRE Consultoria Ambiental EPAM NOVOA Planejamento e consultoria


PLANEJAMENTO MUNICIPAL Plano Diretor Democrático do Guarujá, SP 2006

O plano diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade de acordo com a lei Federal 10.257, o Estatuto da Cidade. Foi realizado um estudo do território junto a uma equipe interdisciplinar, alem de desenvolvimento propositivo e legal, para a realização do Plano Diretor Democrático do Município do Guarujá. O PLANO DIRETOR DEMOCRÁTICO DO GUARUJÁ é estruturado de acordo com as características ambientais e a capacidade de suporte do território, considerando os aspectos sócio-econômicos, do meio físico e de ocupação.

• características geomorfologicas;

• densidade construída;

• grau de preservação dos

• infra-estrutura;

ecossistemas naturais;

• situação fundiária;

• extensão, importância e

• uso do solo;

significação da cobertura vegetal;

• equipamentos públicos

• importância e significação paisagística; • possibilidade de ocupação com vistas ao desenvolvimento

econômico controlado;

• existência de ocupação prévia com possibilidade de expansão.


PLANEJAMENTO MUNICIPAL - PDA Plano Diretor Ambiental Hortolândia, SP 2010; Rifaina SP 2010; Porto Feliz, SP 2007; Santa Fé do Sul, SP 2006 O PDA é um instrumento de gestão municipal que tem por objetivo promover a melhoria da qualidade de vida e do bem estar da população por meio do desenvolvimento econômico sustentável compatível com as condições e potenciais ambientais do território.

O PDA PARA O MUNICÍPIO: • gestão integrada de água e solo; • agilidade administrativa; • redução de impacto ambiental; • economia sustentável; • controle de uso da terra;

FUNÇÕES DO PDA: • orientar as ações públicas a partir da diretriz de desenvolvimento sustentado; • definir estratégias para controle do uso da terra e das atividades desenvolvidas, especialmente daquelas capazes de produzir fortes impactos ambientais; • dotar a administração pública municipal de um instrumento de gestão para a política ambiental dos recursos do município;

• municipalização do licenciamento; • apoio à iniciativa privada; • maximização de recursos; • identificação de potenciais; • planejamento do crescimento.

• identificar os potenciais produtivos do município e região, orientados para a qualificação ambiental; • referenciar a iniciativa privada com uma base de dados

eficiente e atualizada capaz de subsidiar a tomada de decisão do investimento; • assegurar à iniciativa privada procedimentos claros e previsíveis quanto ao licenciamento de seus empreendimentos. ABRANGÊNCIA


PLANEJAMENTO MUNICIPAL Plano Viário de Mogi das Cruzes (PVMC) , SP 2006 Constitui objetivo do PVMC o aprofundamento das questões tratadas no Plano Diretor sobre a política municipal de mobilidade urbana, em especial das diretrizes que foram nele fixadas, a saber:

o fluxo de veículos por meio da realização de obras viárias, inclusive obras de arte, complementando o sistema de circulação e mobilidade do Município;

I- Adequar o sistema viário, tornando-o mais abrangente e funcional, visando à sua estruturação e ligação interbairros;

V- Melhorar e tornar mais homogênea a circulação no território municipal, priorizando o pedestre;

II- Prever a estruturação do sistema viário visando ao

VI- Prever o abastecimento, distribuição de bens e escoamento da produção do Município, de

desenvolvimento econômico e urbano ordenado nas áreas periféricas do Município;

modo a reduzir seus impactos sobre a circulação de pessoas e sobre o meio ambiente.

III- Proporcionar as ligações metropolitanas e regionais do Município de Mogi das Cruzes com os municípios vizinhos; IV- Melhorar e descentralizar


URBANIZAÇÃO Indústria e logística NHAPIUM – Cubatão, SP 2006

Desenvolvimento de Master Plan e licenciamento para empreendimento em área de 1.100.000,00 m2 que contempla um ceasa, área habitacional, institucional, empresarial e comercial. A área empresarial poderá abrigar serviços como logística, frigorificação, armazenagem alfandegada, “draw back”, etc. O centro empresarial e comercial poderá abrigar escritórios e serviços diversos e o centro de abastecimento, funcionará como um ceasa, atendendo atacado e varejo. O setor

habitacional terá 1000 unidades, sendo 400 delas para atendimento da população dos bairros vizinhos a ser removida de áreas de risco. Trata-se de um empreendimento destinado a empresas não poluentes, que prevê a preservação e proteção integral dos manguezais do entorno (aproximadamente 267 hectares), manejo e proteção à fauna existente e contará com sistema autônomo de tratamento de efluentes.


URBANIZAÇÃO

URBANIZAÇÃO

Indústria e logística RETROPORTO – Guarujá, SP 2007

Indústria e logística AMPLIAÇÃO DO AEROPORTO Ribeirão Preto, SP 2007

Desenvolvimento de Master Plan para retroporto a ser implantado na margem esquerda do porto de Santos. O empreendimento com área de 410 ha, prevê área para containers, indústrias não poluentes, armazéns alfandegados, tancagem, além de patio de serviço e apoio ao caminhoneiro.

O trabalho consistiu na análise dos impactos gerados pela proposta de ampliação da pista de pouso, para efeito de instrução de processo de licenciamento ambiental em âmbito estadual. Foram tratados

h An via

especialmente os aspectos urbanísticos quanto a zoneamento, circulação, sistema viário.

Rio Pardo era

gu

an

Local do projeto

Ribeirão Preto - centro

via

fér rea


EQUIPAMENTOS DE LAZER E EDUCAÇÃO PARQUES RIBEIRINHOS Hortolândia, SP 2009

Estudo de recuperação ambiental dos corpos d’água do município partindo de dois projetos-piloto: Parque Orestes Ongaro e Jardim Adelaide. O primeiro tem problemas como vossoroca, assoreamento e supressão das nascentes. O segundo, tem problemas de descargas de efluentes domésticos, urbanização descontrolada da orla e assoreamento. Os projetos proporcionam recuperação ambiental aliada a provisão de parques públicos, em áreas de densa urbanização e carentes de equipamentos dessa natureza.


EQUIPAMENTOS DE LAZER E EDUCAÇÃO PARQUE DA CIDADE Embu, SP 2009 Projeto para parque municipal com cerca de 1.600.000 m2, que buscou responder, a um só tempo, a uma contingência e a uma necessidade: a primeira respectiva ao surgimento de uma área residual – pouco maior que o Parque da Ibirapuera – resultado do traçado do Rodoanel, no município de Embu, que evita ocupar

a várzea do rio Embu-mirim visando preservá-la; e a segunda, relativa ao provimento de espaços públicos, abertos, livres numa região altamente adensada e desproporcionalmente atendida quanto a este tipo de equipamento urbano. O processo de elaboração das diretrizes do Parque da Cidade foi feito

através de oficinas abertas promovidas pela prefeitura de Embu. Participaram cidadãos, entidades da sociedade civil organizada e membros do poder público.


EQUIPAMENTOS DE LAZER E EDUCAÇÃO Parque Beira-Rio e Centro Comunitário Rifaina, SP 2008 Estudo de conjunto na orla da represa de Jaguará com equipamentos recreativos e de apoio ao lazer. O programa do Parque Beira-Rio contempla estrutura náutica, sanitários públicos, quiosques, restaurantes e centro comunitário, além de recomposição da mata ciliar e trilhas educativas.

O centro comunitário contém auditório, salas e oficinas para cursos e encontros, salas para as sedes de associações e cooperativas locais, espaço para exposições, biblioteca e sala multimídia.


EQUIPAMENTOS DE LAZER E EDUCAÇÃO Parque Recreativo da Amizade e Parque Ecológico Pinheirinho, Sumaré, SP 2010 Os parques de Sumaré são de fundamental importância local e regional. No âmbito local, a cidade é extremamente carente de espaços públcos verdes e livres para recreação e esporte, assim como não conta com cobertura vegetal significativa, resultando em diversos problemas sócioambientais. Dessa forma, os parques estão interligados em corredores ecológicos que buscam conectar fragmentos florestais e recuperar os cursos d’água da cidade. Em âmbito regional, os parques poderão ser destino de diversas famílias que moram em municípios vizinhos da Região Metropolitana de Campinas, bem como resolver grande parte da deposição de eflunetes que a cidade lança in natura em seus córregos e rios, contribuindo para a despoluição das bacias hidrográficas ligadas aos rios Tietê e Paraná.

O Parque Ecológico Pinheironho tem cerca de 250.000m² e conta com área de preservação permanente, centro cultural, mercado comunitário, áreas de esporte e lazer, viveiro e

área para shows e eventos. O Parque Recreativo da Amizade tem cerca de 136.000m² e conta com áreas de esporte e lazer, ciclovias e área de preservação permanente.


URBANIZAÇÃO

EQUIPAMENTOS DE LAZER E EDUCAÇÃO

CONJUNTO HABITACIONAL E PARQUE CHÁCARA DAS FLORES São Miguel Paulista, SP 1996

NURAP - Núcleo Rótary de Aprendizagem Profissional –São Paulo, SP 2006

Conjunto habitacional implantado em gleba de 10,7 ha com

Projeto de complexo educacional e abrigo para portadores de deficiências. O programa compreende salão de eventos, bloco administrativo, bazar, dormitórios, salas de aula, quadra poliesportiva e refeitório. O conjunto

1900 unidades de 42 m2, ao lado de um parque público

que preserva bosque e restaura os edifícios remanescentes da antiga “Chácara das Flores”.

necessitou de projetos específicos de mobiliário, caixilhos e utensílios em geral a fim de garantir a segurança dos residentes.


URBANIZAÇÃO CONDOMÍNIO NÁUTICO DE TIJUCOPAVA – Guarujá, SP 2006

Master Plan, projeto executivo e licenciamento ambiental de condomínio náutico em área de 53.900 m 2, com 28 lotes, marina privada, galpão para armazenagem de barcos a seco, clube náutico, quadras esportivas, equipamentos de apoio à marina, heliponto e

centro comercial. A marina possui capacidade para 29 vagas molhadas sendo 7 pra embarcações de até 45’, 11 de 52’, 6 de 60’, 4 de 80’ e 1 de 120’ e o galpão possui capacidade para 30 vagas em seco de até 35’.


estruturas turísticas Resorts e Hotéis Condomínio da marina canoé – Fortim, CE 2007 Concurso de idéias para o desenvolvimento de empreendimento imobiliário numa área de 290 ha, que compreende setor de comercio e serviços, condomínios residenciais, campo de golfe e hotel.


estruturas turísticas marina canoé – Fortim, CE 2006/2007

Master Plan e estudo preliminar de marina, com sede social, galpões de armazenagem de barcos, edifício de

Os dois galpões juntos contam com 40 boxes para jet-skys e com 66 vagas secas (30’), com possibilidade

serviços e de porto dos pescadores, com mercado, restaurante e área de lazer.

para expansão vertical, e assim dobrar a capacidade.

A bacia tem área aproximada de 32.800 m2 e possui capacidade para 144 embarcações de 25 a 60 pés, organizadas em docas flutuantes.


estruturas turísticas

RESORT ECOLÓGICO SACODO CÉU Angra dos Reis, RJ 1997 O programa do resort contempla uma sedenáutica, sede social, além de 80 chalés com áreas de 20, 30 e 40 m2, integrados no ecossistema natural.

ARMAÇÃO DA PIEDADE Gov. Celso Ramos, SC 2001 O projeto consiste em um hotel resort em área de 25 ha, sendo 12 ha de bosques naturais

preservados. O programa que compõe o complexo hoteleiro contempla 208 unidades residenciais, hotel com 130 unidades, fitness center, clube, restaurante e serviços de apoio.

PORTO TURÍSTICO JURERÊ Florianópolis, SC 2001 Seu programa é composto por píer, sede náutica, praça receptiva, terminal de passageiros e terminal rodoviário turístico e

pequeno porte (até 68 barcos de 25” a mega iates (acima de 100”), e mais quatro vagas para tenders, para desembarque de transatlânticos.

uma marina para embarcações de

PORTO GAVOA RESORT Igarassu, PE 1998 O projeto consiste em complexo turístico dividido em duas áreas distintas, uma com 63 ha e a segunda com 71 ha. Seu programa engloba hotéis, real estate, marina, parque aquático e serviços de apoio.


estruturas turísticas marina pública São Sebastião, SP 1997 Desenvolvimento de Master Plan de marina pública com capacidade para 250 barcos em vagas molhadas e 350 em seco. Seu programa abarca: centro comercial, hotel e praça cívica junto ao centro histórico da cidade.

PRAIA DURA RESORT Ubatuba, SP 1998 O projeto consiste em um hotel com 144 quartos para

treinamento e lazer, real estate com 250 unidades de um, dois ou três dormitórios, área esportiva, piscinas e bosque natural com 50 ha.


estruturas turísticas marina marina do CABO DE SÃO ROQUE Natal, RN 2006

ALPHAVILLE JACUHI

Desenvolvimento de projeto para a estrutura náutica e recreativa de empreendimento turístico. Duas opções de solução do acesso à marina visam a análise do impacto ambiental e do custo da instalação que consiste em: marina privada, retromarina, sede social, capitania, praça e farol.

Vitória, ES 2007

Estudo de dimensionamento e implantação e da estrutura náutica do empreendimento. Conta com 94 vagas molhadas (divididas em 3 bolsões), marina com 120 vagas molhadas para barcos de 30 pés, atracadouro para grandes iates e retromarina com146 vagas secas para barcos de 40 pés.


ESTUDOS URBANOS E AMBIENTAIS

URBANIZAÇÃO

FAZENDA SERRAMAR Caraguatatuba, SP 2009

200.000 m² DA FAZENDA SERRAMAR – Caraguatatuba, SP 2011

O litoral norte paulista conta com um déficit de área pássível à urbanização e diante disso, o estudo realizado integrou o desenvolvimento da fazenda à revisão do Plano Diretor da cidade, por se tratar de uma gleba de fundamental importância para a expansão urbana de Caraguatatuba. A região está sendo destino de grandes investimentos por parte do governo estadual, com a ampliação do Porto de São Sebastião, duplicação da Rod. dos Tamoios e construção

da rodovia de contorno, e do governo federal, com a Petrobras, que lá instalou a unidade de tratamento de gás e busca novas áreas para as atividades ligadas à extração do Pré-Sal. Estes investimentos darão novo impulso aos desenvolvimento econômico da região, e com isso, espera-se uma saturação da rede urbana urbana.

Para dar conta desse desenvolvimento sem promover a devastação dos ambientes naturais da região, principalmente da Serra do Mar, o estudo trouxe soluções de zoneamento, com alternativas locacionais para as mais diversas atividades, bem como modelos de urbanização que permitem uma ocupação que respeita e valoriza as características ambientais do local.

A área junto à rodovia Rio-Santos foi escohida para dar início ao processo de urbanização da Fazenda Serramar, com área 8.982,2 ha. Lá, estão localizados os projetos do centro cívico da cidade de Caraguatatuba, o Shopping Serramar e uma gleba de 20 ha. Este processo de urbanização depende do sucesso da implantação destes projetos pioneiros. Levando em consideração os aspectos determinantes do contexto regional e local este projeto contempla mais do que um master plan urbanístico: elabora uma estratégia de ocupação que integra o processo de licenciamento ambiental ao parcelamento do solo e à elaboração de produtos retáveis sem perder de vista o projeto de espaços que ofereçam qualidade de vida.


PORTO DE SÃO SEBASITÃO São Sebastião, SP 2009

legislação e equipamentos verticalziação paisagem

empreendimento e com o aumento da população flutuante e fixa na cidade, sofreriam ainda mais para atendem a população. - habitação: foi calculado o déficit habitacional para antes e após o empreendimento, com a identificação dos assentamentos irregulares que sofreiram mais pressão. - paisagem: a frente de água, o sky line e o entorno do porto sofreriam alterações irreversíveis. - legislação urbana: o estudo elaborou um conjunto de medidas a fim de subisidiar o poder municipal na revisão de suas leis regulatórias.

habitação

Estudo de impacto ambiental da ampliação do porto de São Sebastião sobre a estrutura urbana. Foram abordados os efeitos do empreendimento sobre a cidade de forma integrada, considerando o conjunto dos aspectos ambientais, sociais e econômicos. Os principais impactos analisados receberam proposições objetivas para sua mitigação. São eles: - estrutura viária e condições de acesso: diante do aumento significatico do volume de cargas movimentadas no porto, a quantidade de caminhões circulando na cidade aumentaria em cerca de 5 vezes. - equipamentos públicos: os equipamentos já trabalham com défcit em sua capacidade antes do

estrutura viária

ESTUDOS URBANOS E AMBIENTAIS

ESTUDOS URBANOS E AMBIENTAIS projeto básico ambiental ahe belo monte Altamira, PA 2010 O principal foco do projeto foi a requalificação urbana de Altamira, visto que o reservatório do Rio Xingu irá alagar permanentemente áreas hoje habitadas. Para o reassentamento de cerca de 5.000 famílias, foi elaborada uma leitura detalhada dos aspectos urbanísticos e físcos da cidade, seguida da proposição de mo-delos de urbanização e tipologias habitacionais específicas para as necessidades locais. As áreas alagáveis contaram com proposição para criação de grandes parques urbanos capazes de vincular urbanização e preservação ambiental.


sau sandler arquitetura e urbanismo rua duarte da costa, 1202 alto da lapa - s達o paulo - sp cep 05080-000 55 11 3834-2489 contato@sau.arq.br www.sau.arq.br

sandler arquitetura e urbanismo

PORTIFOLIO SAU 03_2011  

SAU Sandler Arquitetura e Urbanismo, com foco em planejamento municipal, projeto de edificações de uso coletivo e estruturas náuticas de rec...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you