Page 1

DEMOCRATA SÃO JOSÉ DO RIO PARDO, SP

11 DE JANEIRO DE 2020

EDIÇÃO 1598

ANO 33

R$ 3,00

#CONTRAPONTOS 2

CIDADE 6

GERAL 4

Pequenas notas com a análise e críticas a atual conjuntura política e social local

O lixo residencial, os restos de moveis, restos da construção civil, da poda, enfim todas as formas de descarte

Nomes Compostos são os mais registrados pelos Cartórios de São Paulo em 2019

Prédio em estado de abandono no centro da cidade

(19) 3608.5040 Whatsapp (19) 99799-0362 @democratadigital www.jornaldemocrata.com.br

POLICIAIS

8

Alcoolismo, tráfico de entorpecentes e violência marcaram a semana

Pizzas do Gaino: 40 anos de história Página 3

NO VOS COL UNIST AS NO DEMOCRA TA NOV COLUNIST UNISTAS DEMOCRAT

O clique de Roberta Simões e os textos de Maria Betânia e Dr. Edilson passam a fazer parte do time do Democrata


#CONTRAPONT OS #CONTRAPONTOS

2

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

#NÚMER OS – 1 #NÚMEROS

#NÚMER OS – 8 #NÚMEROS

UM MILHÃO DE REAIS foi aproximadamente o valor que Luis Henrique Artioli Tobias gastou na Presidência da Câmara Municipal em 2019, conforme dados da página da Transparência da Câmara Municipal. Recordista entre todos os ex-presidentes da casa, é agora o que mais gastou verbas públicas em um único ano de gestão. Feito único!

indeterminado – É o número de buracos que não teria surgido nas ruas se estes quase DOIS MILHÕES DE REAIS, em vez de ser gasto com os vereadores e a Câmara, fossem gastos em prevenção e recapeamento de ruas e avenidas na cidade.

#NÚMER OS – 2 #NÚMEROS 13 é o número de vereadores na Câmara Municipal. Conforme a Constituição Federal, São José do Rio Pardo pode ter, no mínimo, 9 vereadores.

#NÚMER OS – 3 #NÚMEROS R$ 851.786,88 – Valor que seria economizado, por mandato, se a Câmara contasse com 9 vereadores, e não com 13 como atualmente.

#NÚMER OS – 4 #NÚMEROS

#NÚMER OS – 9 #NÚMEROS R$ 2.144.307,36 (dois milhões, cento e quarenta e quatro mil, trezentos e sete reais e trinta e seis centavos) é o valor que seria economizado pelos cofres públicos se o salário dos vereadores de R$ 4.436,39 fosse reduzido para R$ 1.000,00. Considerando o salário nominal, a exceção de Rafael Kocian que, como vereador, recebe do erário mais de R$ 16.000,00 por mês, por ser professor do IFSM e ter escolhido atuar somente como vereador.

#NÚMER OS – 10 #NÚMEROS

19 – É o número de funcionários na Câmara Municipal. Eles que fazem a mágica acontecer, permitindo a tramitação e formalização de todo processo legislativo, atendem a população e aos vereadores.

R$ 2.336.307,36 (Dois milhões, trezentos e trinta e seis mil, trezentos e sete reais e trinta e seis centavos) seria a economia, por gestão, se além de reduzir o subsídio dos vereadores de R$ 4.436,39 para R$ 1.000,00, reduzíssemos o número de 13 para 9.

#NÚMER OS - 5 #NÚMEROS

#NÚMER OS – 11 #NÚMEROS

2 – é o número de advogados públicos funcionários da Câmara Municipal. Era um, mas a Câmara mudou a lei para conseguir aumentar o número de advogados da casa em 100%

2.080 (duas mil e oitenta) é o número de assinaturas necessárias para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular, reduzindo o número de vereadores dos atuais 13 para 9, ser recepcionado e posto em votação pela Câmara Municipal, reduzindo o número de vereadores para 9 e o subsídio para R$ 1.000,00. Alguém se habilita?

#NÚMER OS - 6 #NÚMEROS 0 (zero) – é o número de advogados trabalhando no último mês na Prefeitura Municipal. Os vereadores votaram contra o projeto de criação da Secretaria de Assuntos Jurídicos da Prefeitura, impedindo a Prefeitura de contratar mais advogados por concurso e o prefeito de indicar um assessor de assuntos jurídicos de sua confiança para atuar na Prefeitura.

#NÚMER OS – 7 #NÚMEROS R$ 2.000.000,00 – Dois milhões de reais é o número da economia que os cofres púbicos do município faria se reduzisse na gestão o número de vereadores de 13 para 9, desde que um que não estivesse fosse o presidente Luis Henrique, que gastou em um ano quase um milhão de reais.

DEMOCRATA DECMOCRATA DIGITAL: www.jornaldemocrata.com.br Email: jornalismo@jornaldemocrata.com.br Propriedade do investidor CARLOS FERRUCIO RISTORI ristori@jornaldemocrata.com.br Matérias e artigos assinados não expressam, necessariamente, a opinião dos editores. DEPARTAMENTO COMERCIAL comercial@jornaldemocrata.com.br Telefone (19) 3608-5040 WhatsApp (19) 99799-0362 Chefe de Redação Márcio Curvelo Chaves e-mail editor@jornaldemocrata.com.br

Char ges & Memes Charg

DISCUSSÕES Além de custar caríssimo aos cofres públicos, uma Câmara Municipal inchada com vereadores que se debruçam em questões pessoais com o prefeito, por vezes deixando interesse público em segundo plano, gera ela mesma os problemas que critica. O remédio para isso é o conhecimento, a hora de tomar o remédio é agora: antes das eleições.

RESÍDUOS D A CONSTR UÇÃO CIVIL DA CONSTRUÇÃO Pedro Giantomassi, vereador e construtor, puxou fila e os vereadores rejeitaram projeto de lei de iniciativa do prefeito que regulamentaria o descarte dos rejeitos e restos da construção civil. O Custo desse descarte, gigantesco, fica para você, leitor e cidadão, pagar. Se o projeto fosse aprovado, o custo seria dividido entre os responsáveis pelas obras e os operadores do sistema, que obrigaria um descarte consciente, que pouparia o meio ambiente e a zeladoria urbana da cidade, tão suja atualmente.

SÃO JOÃO APR OVOU – SÃO JOSÉ APRO REJEIT OU REJEITOU Em São João da Boa Vista, igual projeto foi aprovado e já começa a ser posto em prática. Construtores que não tratam e recolhem devidamente os rejeitos da construção civil arcarão com pesadas multas que passam de R$ 1.000,00. A cidade vai ficando cada vez mais limpa.

RECLAMA D A SUJEIRA MAS NÃO DA QUER QUE LIMPE Em ano de eleição é interesse político dos vereadores da oposição que o prefeito – e a cidade –

tenham problemas. Um dos temas mais comentados pelo povo – a sujeira pela cidade, inclusive de restos de construção civil – quando enfrentado pela Câmara encontrou barreira. O Projeto de lei geraria, de fato, custos para os construtores, mas limparia a cidade. Pedro Giantomassi legislou pelo interesse do povo ou defendeu interesse pessoal e de sua categoria profissional?

Q UEM P A GA A CONT A D A SUJEIRA PA CONTA DA DOS CONSTR UT ORES É VOCÊ CONSTRUT UTORES Sem a aprovação do projeto de lei, todo o custo de limpeza e os trabalhos, inclusive ambientais, para tanto ficam na conta da viúva. Os construtores (Como Pedro Giantomassi) ficam com o lucro. A Prefeitura fica com todo o prejuízo, já que os custos de lidar com os restos da construção civil saem dos cofres públicos. Menos manutenção nas ruas, menos buracos tampados, menos serviços públicos. Assim agindo, o Custo que SERIA dos Construtores é transferido para o povo.

QUEM GANHA, QUEM PERDE? Pedro Giantomassi segue construindo e deixando para você, cidadão, pagar impostos para a prefeitura lidar com os restos da construção civil. Na Câmara, com os colegas da oposição, reclama dos gastos da prefeitura, reclama da sujeira. Ganha economicamente (não arca com os custos do trato com os rejeitos do que constrói), ganha politicamente: critica o prefeito para o povão, que as vezes não entende claramente o que está acontecendo. Quem perde? Nós.

CONSELHEIR OS Q UE NÃO CONSELHEIROS QUE CONHECEM O ECA? Pelo menos dois Conselheiros que tomaram posse foram reprovados na prova, no processo seletivo. A lei diz que, para chegar as eleições, o candidato deve mostrar conhecimento sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, para isso as provas são aplicadas. Sem conhecimento sobre o ECA crianças e adolescentes poderão sofrer prejuízo na defesa de seus direitos.

CID ADÃO DE P APEL CIDADÃO PAPEL o Jornalista Gilberto Dimenstein expõe, claramente, como nos tornamos cidadãos de papel. Na Constituição e nas leis temos direitos que nunca deixam o papel para serem efetivos na vida real. Leitura obrigatória em nossos dias.


ATU ALID ADES TUALID ALIDADES

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR Em 1977, quando o jovem casal Gaino retornou para São José do Rio Pardo para abrir sua Primeira Pizzaria, vivíamos em plena ditadura militar. O Presidente era ERNESTO GEISEL. São Paulo era Governada por Paulo Egydio Martins, que sucedeu Laudo Natel. Em São José do Rio Pardo o jovem prefeito Richard Celso Amatto. Naquele ano as fortes chuvas, o arrombamento de quase todos os açudes do município e as águas dos afluentes fizeram com que o rio Pardo alcançasse o maior nível que se tem notícia. Naquele fatídico dia as águas do Rio Pardo subiram doze metros, arrastando tudo o que se encontrava em suas margens, destruindo casas passando por cima das ilhas das Mangueiras e São Pedro, causando avarias nas pontes. Por volta de 22h00 do dia 19 de janeiro de 1977 o nível das águas atingiu o máximo e o rio Pardo ultrapassou a ponte metálica. Quando a Pizzaria foi inaugurada, a cidade se recuperava da tragédia. Nos cinemas filmes como Star Wars Uma Nova Esperança, Contatos Imediatos do Terceiro Grau e Uma Ponte Longe de Mais entravam em cartaz. Produzida pela TV Tupi a novela “Éramos Seis” ia ao ar. Produzidas pela Rede Globo, as novelas Dona Xepa e O Astro iam para as televisões e, sim: ainda haviam TVs preto e branco. Nada de computadores pessoais, internet, telefones celulares, tablets. Estudantes viram-se com as enciclopédias (a BARSA, que tenho até hoje, era o “google” da época), calças boca-de-sino eram moda e a era das discotecas estava bombando. Além disso tudo, em São José do Rio Pardo, surgiram as Pizzas do Gaino, que eram saboreadas ao som de “Amigo” de Roberto Carlos e “Yes sir, I Can Boogie” com a dupla Baccara, que eram sucesso nas rádios da época. Quer ouvis as músicas mencionadas? Basta mirar a câmera do seu celular nos QR Codes: AMIGO

Yes Sir, I Can Boogie

Pizza do Gaino Gaino,, A Mais Antiga da Cidade Eram idos de 1977. Após trabalhar um tempo em São Paulo o jovem Riopardense, então com 26 anos de idade, Rubens Gaino e sua esposa Marta Gonçalves Gaino retornam para São José do Rio Pardo. Abriram uma Pizzaria, pioneiros, perto da sede da Associação Atlética Riopardense. Rubens fala com orgulho do tempo que começou. Conta que em época de carnaval, naquela época, trabalhavam 24 horas por dia para dar conta da demanda. Foram tempos de muito, muito trabalho. Trabalho duro, sempre ladeado pela esposa, Marta. Era época da Ditadura Militar mas, para Rubens, não fez qualquer diferença. “A gente só fazia trabalhar, se o governo era militar ou se mudava a política, a gente nem sentia direito”, diz. Mudaram a sede para perto do Cinema e, anos mais tarde, para a Praça do Mercado. Em 1982 adquiriu a propriedade do imóvel no Jardim Aeroporto, onde a Pizzaria funcionou até 2004 quando a Pizzaria fechou e abriu, finalmente, a PADARIA DO SÃO ROQUE, na Rua Siqueira Campos, em frente ao Mosteiro e a Igreja do São Roque. Está lá até hoje. O que nem todos sabem é que até hoje ainda fabricam a famosa PIZZA DO GAINO. A mesmíssima pizza de 40 anos atrás!!! Mesma massa. Chegou a produzir e entregar 200 pizzas para um conhecido Supermercado por um bom tempo. Perguntei ao

Rubens o Segredo para conseguir não só manter o casamento como o negócio por tanto tempo. Afinal, ele e a esposa trabalham JUNTOS todo o tempo, por todos estes anos. Além do amor e do respeito, Gaino menciona que nos momentos difíceis a fé foi um diferencial, e aponta para a imagem da santa na parede. Perguntei ao Rubens o segredo do sucesso dessa Pizza. Ele foi direto: “trabalho e amor”. Há quarenta anos ele faz a massa e a esposa, Marta, abre a massa e faz o disco das pizzas. Juntos, produzem a mesma pizza, por mais de quatro décadas. Rubens Gaino não deixa de mencionar o companheirismo da esposa em nenhum momento. Atribui a ela o sucesso profissional e familiar. O Casal tem três filhos, Alessandra, Marta e Rubens. 4 netos. Discreta, a matriarca Marta não quer aparecer nas fotos. Quando mudou para o Aeroporto, passou a contar com a ajuda do sobrinho, então adolescente (naquela época era permitido). Com 13 anos Ronaldo, conhecido como “Dô”, começou como garçom na pizzaria. Fora um pequeno período em que atuou como técnico agrícola, sua formação, após trabalhar com o tio sempre dedicouse a padaria, sua paixão. Desde 2005 Ronaldo é sócio dos tios na Padaria São Roque, de onde tiram o sustento de suas famílias. Rubens tem aparência de durão, mas tem o coração mole. Além de um

sorriso para a foto na reportagem também vimos sua emoção ao contar do começo. O amor pela esposa, sempre presente. “Quando começamos a vida era dura, mas não reclamo. Muitas vezes nossas filhas dormiram no banco de traz do carro, enquanto a gente trabalhava. Da Pizza tiramos o sustento e a criação dos nossos filhos. Formamos nossas filhas, compramos um pequeno sítio.” conta emocionado. Hoje produz, entre bolos, salgados, massas, em torno de 3.500 pães por dia. O sítio, que já produziu cebola, hoje tem como principal atividade a produção e venda de leite, para uma cooperativa. E ainda produz as mesmíssimas pizzas. Perguntei a ele qual era a mais pedida. Na ponta da Língua: “à moda: muzarela, presunto, ervilha, tomate, palmito...” Sextas e Sábados monta as pizzas e deixa-as prontas, para serem assadas em casa pela freguesia. Hoje é sábado e tem Pizza do Gaino, é só ir buscar na Padaria do São Roque. Mas eles fazem nos outros dias da semana também, sob encomenda. Sábado pela manhã e, às vezes, durante a semana no final da tarde, a Padaria é ponto de discussões políticas regadas com o café, sempre fresco, servido pelo Gaino. Quem quiser matar a saudade, ou pra quem quiser conhecer a pizza mais antiga da cidade, está aí a oportunidade.

3


GERAL

4

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

Nomes Compostos são os mais registrados pelos Car tórios de São Paulo em 2019 Dados ffor or am le vantados nas 836 unidades de R egistr o Ci vil e ffor or mam o rranking anking das pr ef erências estaduais oram lev Re gistro Civil ormam pref eferências Brasileiro gosta de escolher nome. E o paulista também. Prova disso é que tanto no Brasil, como em São Paulo, cada vez mais pais e mães têm escolhido dois nomes para dar a seus filhos no momento do registro de nascimento. Em 2019, os nomes compostos foram a preferência em São Paulo e ocuparam as três primeiras colocações do ranking estadual, com destaque para o fato que um nome feminino liderou os registros na unidade federativa – apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro o nome mais registrado foi feminino. Maria Eduarda foi o primeiro colocado com 3188 registros, seguido por Enzo Gabriel, com 3119 registros e Pedro Henrique com 3026 registros. Veja abaixo o ranking estadual completo. A preferência é a mesma em nível nacional, onde os nomes compostos ocuparam as sete primeiras posições do ranking, com destaque para Enzo Gabriel, primeiro colocado, com

16.672 registros, João Miguel, na segunda posição, com 15.082, e Maria Eduarda, terceira colocada, com 12.063. Veja abaixo o ranking nacional completo. Os nomes compostos desbancaram da lista antigas preferências nacionais, que já chegaram a ocupar o topo dos mais escolhidos do País, como Miguel, líder entre os homens em 2017 e segundo colocado geral em 2018, agora na oitava colocação, assim como Alice, atualmente na 10º colocação entre as mulheres, mas que já chegou a liderar o ranking feminino em 2017 e ser a terceira entre as preferências do gênero em 2018. O levantamento deste ano reuniu dados de todos os 7.732 Cartórios de Registro Civil dos 26 Estados brasileiros e do Distrito Federal, que formaram uma base de mais de 2 milhões e 518 mil registros realizados até o dia 20 de dezembro, disponível a toda a sociedade através

do Portal da Transparência no endereço www.registro civil.org.br .

Pr ef erências Pref eferências Re gionais Os nomes compostos também lideraram nas preferências regionais, ocupando as 10 primeiras colocações em todas as cinco regiões do País. No Sudeste e no Nordeste, a preferência recaiu sobre o líder do ranking nacional, Enzo Gabriel, com 6.073 registros no primeiro e 6.150 no segundo. João Miguel foi o nome mais escolhido nas regiões Norte, com 861 registros, e Centro-Oeste, com 1.865 nascimentos. Já na região Sul, o nome de preferência dos pais foi Pedro Henrique, com 2.307 registros de nascimento. O levantamento, que usou a Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC Nacional) como base central – plataforma eletrônica que congrega os dados de Cartórios de todo o País - identificou ainda que os nomes compostos lideraram a lista em 23 Estados da Federação, sendo que João Miguel é líder em 13 Unidades, enquanto Enzo Gabriel é o mais escolhido em oito Estados. Nos três Estados da região Sul, a liderança cabe a um nome simples: Miguel no Paraná e em Santa Catarina, enquanto Arthur é o nome mais escolhido no Rio Grande do Sul. Único Estado fora da região Sul a ter na liderança um nome simples, no Espírito Santo a preferência também foi por Miguel. São Paulo e Rio de Janeiro foram os únicos estados onde a liderança do ranking de registros está com um nome feminino, Maria Eduarda.

Mudança de Nome Mesmo com tamanha boa vontade dos pais na escolha do nome, há quem não goste do seu. Mesmo

que, em regra, o nome seja imutável, existem exceções em lei onde a alteração é possível. Ela pode ser feita direto em Cartório quando a pessoa completa a maioridade – entre 18 e 19 anos – sem qualquer motivação, desde que não prejudique os sobrenomes de família. O mesmo vale para a pessoa transgênero/transexual. Também é possível a correção de nome, quando for comprovado erro evidente no registro. Alterações possíveis

no sobrenome podem acontecer quando a pessoa viúva solicita ao Cartório para que volte a utilizar o seu nome de solteiro(a), mediante apresentação de certidão de óbito do cônjuge, ou quando os pais de filhos menores pedem, em conjunto, a inclusão de sobrenome, nos casos em que o nome registrado originalmente não refletir todas as linhagens familiares. No casamento, é possível a inclusão de sobre-

nome do cônjuge, assim como no ato de reconhecimento de paternidade/maternidade - biológica ou socioafetiva - também é possível incluir sobrenome do pai ou da mãe, o mesmo ocorrendo na escritura de união estável, com posterior registro no Cartório de Registro Civil. As demais alterações, como exposição do nome ao ridículo ou proteção a testemunhas, só podem ser feitas via procedimento judicial.

RANKING EST ADU AL DE NOMES ESTADU ADUAL MAIS REGISTRADOS 10 MAIS NOMES MAIS FREQUENTES EM SÃO PAULO

10 NOMES MAIS FREQUENTES NO BRASIL

MARIA EDUARDA – 3188 registros ENZO GABRIEL – 3119 registros PEDRO HENRIQUE – 3026 registros MIGUEL – 2661 registros MARIA CLARA – 2551 registros HELENA – 2376 registros DAVI LUCCA – 2318 registros ANA CLARA – 2305 registros MARIA LUIZA – 2259 registros ARTHUR – 2200 registros

ENZO GABRIEL - 16.672 JOÃO MIGUEL - 15.082 MARIA EDUARDA - 12.063 PEDRO HENRIQUE - 11.103 MARIA CLARA - 10.751 MARIA CECÍLIA - 9.570 MARIA JULIA - 9.448 MIGUEL - 9.436 MARIA LUIZA - 9.132 ARTHUR - 9.132

10 NOMES MASCULINOS MAIS FREQUENTES EM SÃO PAULO

10 NOMES MASCULINOS MAIS FREQUENTES

ENZO GABRIEL – 3119 registros PEDRO HENRIQUE – 3026 registros MIGUEL – 2661 registros DAVI LUCCA – 2318 registros ARTHUR – 2200 registros JOÃO MIGUEL – 2173 registros JOÃO PEDRO – 1873 registros HEITOR – 1840 registros GABRIEL – 1677 registros BERNARDO – 1436 registros

ENZO GABRIEL - 16.672 JOÃO MIGUEL - 15.082 PEDRO HENRIQUE - 11.103 MIGUEL - 9.436 ARTHUR - 8.525 JOÃO PEDRO - 8.372 HEITOR - 6.829 JOÃO LUCAS - 6.557 DAVI LUCAS - 6.543 DAVI LUCCA - 6.010

10 NOMES FEMININOS MAIS FREQUENTES EM SÃO PAULO

10 NOMES FEMININOS MAIS FREQUENTES

MARIA EDUARDA – 3188 registros MARIA CLARA – 2551 registros HELENA – 2376 registros ANA CLARA – 2305 registros MARIA LUIZA – 2259 registros ALICE – 2135 registros MARIA JULIA – 1821 registros LAURA – 1683 registros ANA JULIA – 1571 registros LORENA – 1529 registros

MARIA EDUARDA - 12.063 MARIA CLARA - 10.751 MARIA CECÍLIA - 9.570 MARIA JULIA - 9.448 MARIA LUIZA - 9.132 ANA CLARA - 8.452 MARIA ALICE - 8.388 ANA JULIA - 8.232 HELENA - 7.765 ALICE - 6.660

Sobr e a Ar pen/SP Sobre Arpen/SP Fundada em fevereiro de 1994, a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) representa os 836 cartórios de registro civil, que atendem a população em todos os 645 municípios do Estado, além de estarem presentes em outros 169 distritos e subdistritos, realizando os principais atos da vida civil de uma pessoa: o registro de nascimento, casamento e óbito.


CID ADES CIDADES

5

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

Cinco Infr ações de Moto que Infrações Causa Suspensão Imedia ta da CNH Imediata Para muitos motociclistas há um consenso sobre a sensação de pilotar uma moto: a liberdade. No entanto, ao acumular e atingir o limite de 20 pontos com multas em um período de 12 meses, é inevitável a perda do direito de dirigir por suspensão. O que alguns não sabem é que existem diversas infrações em que o condutor da categoria A pode ter a sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa imediatamente - com apenas uma infração. Para sanar algumas dúvidas, a especialista em soluções para o trânsito, Claudia de Moraes, CEO da Younder, lista cinco infrações cometidas por motociclistas que podem causar suspensão direta da habilitação e o valor de suas multas.

Trafegar com a luz apagada Não é incomum presenciar no trânsito uma moto com farol apagado, principalmente, pelo fato de que muitas pessoas acreditam que essa é uma questão banal. Isso acontece com relativa frequência e entre os principais argumentos para a luz apagada estão o esquecimento do motociclista ou pro-

blemas técnicos. A multa para este tipo de transgressão é de R? 293,47 e pode levar à cassação da CNH. "Trata-se de uma infração que traz riscos ao trânsito, pois as motos trafegam de forma mais prática que os veículos maiores. Por andarem muito nos corredores, alguns motociclistas não têm a consciência de que as outras pessoas podem não enxergar suas aproximações. Com a luz apagada é muito mais difícil para motoristas ou pedestres terem tempo de reação nas vias", explica Claudia.

Car ona de risco Carona Segundo o Artigo 244 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), conduzir motocicleta transportando criança menor de sete anos é infração gravíssima, com custo de R? 293,47 e suspensão da CNH. Ainda sobre a infração, Claudia de Moraes ressalva um detalhe importante. "Mesmo que as crianças transportadas tenham essa idade, ela não deve ser transportada na motocicleta se não tiver tamanho para firmar os pés nos pedais ou não tenha segurança suficiente para se manter na moto", pondera.

Além deste fator, transportar mais de uma pessoa na moto também constitui infração de carona de risco com o mesmo valor de multa e a possibilidade da suspensão da habilitação.

Fec har a echar cir culação circulação de vias Seja parcialmente ou totalmente, fechar uma via de circulação com qualquer veículo de forma deliberada (o que inclui motos), é infração gravíssima e possibilita a suspensão da CNH. O valor da multa para quem comete este tipo de transgressão é bem salgado: R? 5.869,40. "A única forma de fechar uma via é avisando à polícia com antecedência, por exemplo, em casos de manifestações ou eventos", alerta Claudia.

Mala barismos Malabarismos Conduzir a moto fazendo manobras perigosas ou malabarismos - como empiná-la -, é tida como demonstração de habilidade para muitos motociclistas. No entanto, este ato pode gerar multa de R? 293,47 (gravíssima) e suspensão da habilitação. "O principal problema é que ao perder o equilíbrio, o motociclista pode

causar diversos tipos de acidentes, seja para ele mesmo sob o risco de cair, atropelar pedestres ou colidir com outros veículos nas vias. Trata-se de uma atitude imprudente e o ideal é deixar para fazer malabarismos em eventos voltados a essas habilidades", sugere a especialista.

Dirigir sob ef eito efeito de álcool Talvez não seja surpresa, mas nunca é demais reforçar. Pilotar qualquer tipo de veículo alcoolizado nas vias, inclusive motos, ou até mesmo recursar-se a fazer o teste de bafômetro é infração gravíssima, com punição de multa de R? 2.934,70 e suspensão da CNH. Segundo Claudia de Moraes, essa é uma das atitudes mais perigosas para o trânsito. "Este tipo de conduta tem avançado com o passar dos anos, e ainda é uma das principais causas de acidentes e mortes entre os envolvidos no trânsito. Se a intenção do motociclista é beber, o mais indicado é deixar a moto em casa. É importante frisar que não há um nível de tolerância, ou seja, basta um copo de cerveja para ser pego no teste", reforça.

Redução nos v alor es do valor alores endida pela DPV AT, def DPVA defendida AGU GU,, é aceita pelo pr esidente do Supr emo presidente Supremo O pedido de reconsideração que a Advocacia-Geral da União (AGU) fez ao S u p r e m o Tr i b u n a l Federal (STF) sobre o DPVAT foi aceito nesta quinta-feira, dia 9. O presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, reviu a liminar concedida por ele próprio no último dia 31, quando a redução de valores do seguro obrigatório foi suspensa. No pedido de reconsideração, a AGU argumentou que não era razoável a alegação da seguradora Líder — consórcio de empresas que administra o seguro obrigatório — de que a redução dos valores torna o DPVAT economicamente inviável. Isso porque a seguradora omitiu “a informação de que há disponível no fundo administrado pelo consórcio, atualmente, o valor total de R$ 8,9 bilhões, razão pela qual, mesmo que o excedente fosse extinto de imediato, ainda haveria recur-

sos suficientes para cobrir as obrigações do Seguro DPVAT”. A AGU também alegou urgência diante do fato de que o calendário de pagamento do DPVAT começa já nesta quinta-feira, 9. Ao acolher a reconsideração, Dias Toffoli destacou que redução no valor do prêmio de seguro DPVAT em 2020, embora substancial em relação ao ano anterior, mantém a prescrição do pagamento de despesas administrativas e preserva a continuidade da cobertura a quem é vítima de danos pessoais sofridos em acidentes de trânsito no país. Com isso, este ano, o valor do seguro passa a ser de R$ 5,21 para carros de passeio e táxis e R$ 12,25 para motos, o que representa uma redução de 68% e 86%, respectivamente, em relação a 2019. Fonte: Advocacia Geral da União


CID ADES CIDADES

6

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

Fumaça de Incêndio na uza o P acíf ico Austrália Cr Cruza Pacíf acífico e Che ga ao Br asil Cheg Brasil Clique com a câmera do seu celular no QR Code e veja o vídeo da TV NASA mostrando como a fumaça do incêndio nas florestas Australianas chegou a América do Sul e ao Brasil. O incêndio no território Australiano, devido a condições específicas em que ocorreu, gerou chamas em proporções e altura tais que assemelhou-se às produzidas por vulcões. Levadas por ventos que cruzam o Oceano Pacífico, chegaram ao Rio Grande do Sul, devendo chegar a Santa Catarina. Devido as chuvas, segundo os experts, não deve se alastrar pelo céu do Brasil. O Jornal ESTADO DE S. PAULO traz matéria com um cidadão que ficou assutado ao ver a fumaça tomando o céu, no Rio Grande do Sul. Ainda de acordo com a MetSul Meteorologia, a fumaça pode chegar a Santa Catarina, mas não deve se espalhar por outras regiçoes do país. Por causa da chuva, não a fumaça não deve subir para o Sudeste. Ao sair para pescar em uma área afastada de Livramento, interior do estado, o comunicador Duda Pinto,

de 62 anos, mostrou-se surpreso com a presença da fumaça. "O sol amanheceu ofuscado e achei estranho, pois não era uma nuvem como se vê diariamente. Depois fui saber que era das queimadas dos incêndios na Austrália", disse. "O pôr do sol, pelo que vejo, será um espetáculo com essa névoa”, afirmou. Desde o início do ano, com a seca severa, ondas de calor acima de 50ºC e ventos fortes, as chamas se intensificaram, segundo análises da Nasa. Ao menos metade da população de coalas que não sofrem doenças fatais e são essenciais para “assegurar” o futuro da espécie morreram no país depois que os incêndios devastaram a Ilha Canguru, uma espécie de santuário para os animais. A distância entre o incêndio e a América do Sul é de 12.000 Quilômetros, sobre o Oceano Pacífico.

UMA CONVERSAMUIT O NECESSÁRIA SOBRE RESÍDUOS: CONVERSAMUITO

O lix o rresidencial, esidencial, os rrestos estos de mo veis lixo mov eis,, restos da constr ução ci vil, da poda, construção civil, enf im todas as ffor or mas de descar te enfim ormas descarte Todos os dias geramos resíduos, e os serviços de coleta trabalham sem descanso por toda a cidade para impedir que o “lixo” se acumule. A demora na coleta tornaria a vida na cidade impossível. Quem duvida deve visitar um aterro sanitário, é uma experiência inesquecível,dadas as impressões sensoriais, (o odor), e o volume gerado, que é muito grande. Em São José do Rio Pardo geramos cerca de 40 toneladas deste resíduo, o RSU, todos os dias. As cidades costumam gerar cerca de um quilo por habitante por dia. E isto só do resíduo domiciliar, o chamado RSU, resíduo sólido urbano, estes que nossos coletores fazem a gentileza de levar embora antes que ele torne nossas casas inabitáveis. O RSU nãoé, entretanto, nem de longe, o maior vilão na vida das cidades.O lixo residencial já tem um processotodo organizado, da coleta ao descarte, por isto não

sentimos muito a importância desta prática tão necessária. O maior vilão é na verdade um resíduo que não cheira, não é notado, e não provoca espanto. E n t r e ta n t o , i n c o m o d a muito os vizinhos, propaga doenças, causa enchentes, e sempre custa muito caro para os que não tem nada a ver com ele, o cidadão que não gerou e para a prefeitura que fica com os custos do problema. O resíduo em questão é conhecido por RCC ou RCD. É o resíduo da construção e demolição, estudos iniciais mostram que São José do Rio Pardo pode estar gerando cerca de 50 toneladas todos os dias. Um tormento para quem convive com ele, especialmente nas periferias de nossa cidade. Embora seja resultado direto dos negócios da construção,que felizmente tem gerado bons resultados para os que trabalham na área e para os que transportam o RCD,

a prefeitura não tem nenhum controle de para onde estão indo estas 50 toneladas diárias. Há a urgente necessidade de se discutir e legalizar a questão. O importante é que os geradores não transfiram o problema para terceiros. O que é habitualmente feito para a prefeitura, ou seja, para o bolso dos cidadãos, que ficam com os custos de coletar os resíduos, limpar ruas e praças, lidar com o acumulo de agua e as doenças. Por isto são necessárias as leis locais, para que todos, povo e cidade, cheguem a um acordo de quem vai pagar esta conta. Os estudos feitos, mundo afora, levaram a conclusão que os geradores individuais de resíduos de grande volume, e aí se incluem os da construção civil, devem pagar pela correta destinação destes resíduos, principio do poluidor pagador e o principio da razoabilidade e proporção.

Exemplo: percebeuse que quem constrói um prédio, gera resíduos em proporção ao tamanho e ao custo da obra, o que torna razoável incluir a conta da correta destinação do resíduo produzido por aquela construção, nos custos daquela construção e não na conta dos vizinhos do prédio, ou da prefeitura. E aíem geral mora a injustiça, ao final entulho não regulamentado fica na conta da prefeitura e significamenos recurso na conta da saúde, da educação etc. A lei importante a ser consultada, neste assunto é a lei federal 12305 de 2010(no seu artigo 7o) que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Assim é preciso que se entenda que a correta gestão dos resíduos não vai aumentar custos para o cidadão, só vai colocar os custos onde eles são devidos. Diminuindo os custos para todos os outros cidadãos.

A CÂMARA MUNICIP AL E A CID ADE MUNICIPAL CIDADE

Ag gunta que se ffaz, az, e grrande per pergunta este ano temos eleição eleição,, é: por que pr ecisamos de v er eador es? precisamos ver ereador eadores? Vereadores são representantes do povo, é o que sempre se ouve. E ter representantes sempre é bom, em se falando de política. Mas qual a função dos vereadores? Na forma da Constituição Federal, o poder emana do povo e é exercido pelo povo, por seus representantes. Aí começa a coisa. Vereadores são os representantes do povo no Poder Legislativo, que tem duas funções precípuas: a legiferante, ou seja, de produzir leis, e a fiscalizadora. Na forma da divisão de poderes deixada por Montesquieu, e que ainda usamos até hoje, um Estado divide-se em três poderes distintos: Executivo, Legislativo e Judiciário. Na prática temos ainda o Ministério Público, o quarto poder. Isso será discutido em editoriais futuros. Na forma prevista originalmente, os poderes se organizariam em freios e contrapesos (O poder executivo cumpre as leis e administra, enquanto o Legislativo faz as leis e fiscaliza e o Judiciário aplica as leis e dirime conflitos entre os dois poderes e entre os do povo). O Poder imperial foi

dividido em estrutura, não pertence mais ao homem, mais a República. E dividido de forma que uns controlem o poder dos outros. Ora, a função dos vereadores, legiferante e fiscalizatória, acabou recebendo ares outros. Como representantes do povo, e não poderia ser diferente, passaram a receber pedidos de ajuda desde questões de falha da estrutura pública até questões pessoais dos eleitores. Essa parte vem sendo coibida pela legislação mais moderna. Votar o orçamento da Cidade, fiscalizar o Poder Executivo e votar leis do interesse do povo. Eis as funções dos Vereadores. Mas em São José do Rio Pardo não tem sido assim. Veja-se que duas leis do interesse do povo, uma que reduziria a quantidade de resíduos da construção civil a ser despejada pela cidade, impondo aos construtores o custo operacional para recolher e transportar os resíduos até final destinação e outra que imporia medição de emissão de radiações eletromagnéticas por torres de transmissão e re-

transmissão foram rejeitadas pela Câmara Municipal. Os vereadores pensaram mais em evitar novas taxas para os Construtores ou para os empresários que exploram antenas de emissão de radiação eletromagnética do que no bem da cidade e das pessoas. Quem tem demandado do Prefeito a elaboração destes projetos de lei é o GAEMA, órgão especial do Ministério Público do Estado de São Paulo que trata das questões ambientais. Em última reunião em 2019 com a Prefeitura deixou claro que em 2020 o principal assunto a ser tratado com as prefeituras será exatamente estas questões, que já deveriam estar resolvidas. A expectativa do Ministério Publico era de que em 2020 estes assuntos já estivessem resolvidos e a fiscalização operante. O Prefeito fica entre a cruz e a espada. Se atende o Ministério Público, a Câmara se ressente. Se atender a Câmara, e deixar estas matérias sem regulamentação, enfrentará o Ministério Público. Enquanto isso segue o povo com o aumento de restos

da construção civil sendo espalhados pela cidade e as antenas sem qualquer regulamentação. Não só isso. A dedicação ferrenha, praticamente pessoal, de alguns vereadores em perseguir o prefeito e sua família atrapalha o debate de políticas públicas. Sempre a cata de denúncias, algumas fundadas em picuinhas políticas, alguns vereadores deixam o tempo passar enquanto políticas públicas, essenciais para melhorar a vida das pessoas, deixa de ser feita. O custo para a cidade da troca de mãos no Executivo é altíssimo, e sempre todos saem perdendo. Não é algo que se faz por picuinhas pessoais, mas somente em questões gravíssimas, inexistentes em nosso quadro local. Alguns vereadores da oposição foram eleitos em uma chapa chamada “São José Pode Mais”. E, realmente, pode. Mais do que perder-se em picuinhas políticas tem destinado a si um grande destino, que espera políticos que escolham representar e trabalhar para o crescimento da cidade e para o bem do povo.


CID ADES CIDADES

7

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

11 DE J ANEIR O, JANEIR ANEIRO DIA INTERN ACION AL INTERNA CIONAL DO OBRIGADO! Muita gente não sabe, mas hoje é celebrado o Dia Internacional do Obrigado. Uma das coisas mais lindas que podemos fazer, é agradecer. Essa palavra de oito letras, linda e simples, quando dita do fundo do coração, pode mudar o dia de alguém. Um simples obrigado faz tão bem... Deixa o dia de alguém mais leve, levanta o ânimo de um amigo, faz surgir um sorriso no rosto de quem ouve, reconhece o trabalho de um profissional e fortalece vínculos em nossas famílias. Dizer obrigado é um ensinamento que vem de berço e que devemos ensinar aos nossos filhos desde quando são pequenos. Vai muito mais além de um simples gesto de educação, é investir em emoções, em valores sociais e, acima de tudo, em reciprocidade. É muito provável que uma criança de 3 anos, a quem os pais ensinaram a dizer obrigado, não compreenda muito bem ainda o valor da reciprocidade e do respeito que essa palavra impregna. Porém, isso cria uma base apropriada e maravilhosa para que depois as raízes cresçam fortes e profundas. Provavelmente, será por volta dos 7 anos de idade que nossos filhos descobrirão plenamente todos estes valores que perfazem a sua inteligência social. É nesse instante que começam a dar mais importância à amizade, a saber o que implica essa responsabilidade afetiva, a entender e desfrutar da colaboração, atendendo necessidades alheias e interesses diferentes dos próprios. É, sem dúvida, uma fase maravilhosa onde todo adulto precisa ter em mente um aspecto fundamental:

precisamos continuar sendo o melhor exemplo para nossos filhos. Agora, a pergunta é a seguinte: De que forma vamos envolvendo nossos filhos desde cedo nessas normas de convivência, de respeito e de cortesia? DANDO O EXEMPLO!!!! Como diria meu esposo, “macaco vê, macaco faz”. Hoje, devemos lembrar a importância de sermos pessoas agradecidas, não só pelo por questão de educação, mas por entendermos a verdadeira essência do sentimento de gratidão. Para reflexão, quero deixar uma citação do Papa Francisco que, falando sobre a vida cotidiana das famílias, disse que a palavra “obrigado” é uma das três palavras-chaves para a paz na família: “Sejamos intransigentes na educação à gratidão: a dignidade da pessoa e a justiça social passam por aqui. Se a vida familiar subestima este estilo, a vida social também o perderá. A gratidão, para quem crê, está no coração da fé: um cristão que não sabe agradecer é alguém que esqueceu a linguagem de Deus”. Não vamos deixar esses verdadeiros valores se perderem com o passar do tempo, principalmente dentro de nossas casas. Vamos fortalecer vínculos afetivos entre as pessoas. Agradecer não te faz mal algum, muito pelo contrário, agradecer é um ato de nobreza! Então, hoje, agradeça o padeiro pelo pão comprado, agradeça a visita que você recebeu em sua casa, agradeça a sua família e, acima de tudo, agradeça a Deus pela sua vida! Aliás, se você leu este artigo até aqui, obrigada!

Horóscopo

Sudoku

Leão: Sua necessidade de liberdade o torna mais atraente aos olhos dos outros. Você está definitivamente saindo de sua concha. Você conhece melhor as suas necessidades e será capaz de transformar isso em uma vantagem . Você vai encontrar um equilíbrio entre descanso e atividade. Virgem: Você se sente à vontade consigo mesmo e uma onda de otimismo permitirá que você veja tudo de maneira mais positiva! Se tentar moderar sua impaciência, você será um vencedor. Seu otimismo crescente fortalece seus níveis de energia. Libra: Seu senso de humor vai fazer você colocar seus relacionamentos em ordem, mas tome cuidado para não dar a impressão de ser mais frio do que você realmente é. Você precisa de movimento, mas não se mova muito rápido! Escorpião: Você não terá nenhum problema em se concentrar em seus pensamentos. Aproveite esta oportunidade para falar com as pessoas próximas a você. Você não vai sofrer crises de cansaço, desde que não acelere rápido demais. Sagitário Você não será capaz de resistir a expressar exatamente o que você pensa em voz alta e clara, mesmo que isso crie faíscas em torno de você. Você está em boa forma, mas seus olhos são maiores do que o seu estômago, então cuidado com excesso. Capricórnio: Você está mais impulsivo do que o habitual. Evite esportes radicais e discussões tempestuosas. Você está mais à vontade consigo mesmo e vai ser melhor em ouvir as suas necessidades. Você precisa beber mais líquidos e ter uma dieta mais leve. Aquário: Sua lucidez permitirá que você se torne útil. Não hesite em oferecer sua opinião, sua visão realista não vai decepcionar você. Vai ser fácil mergulhar no trabalho de natureza intelectual, mas não se esqueça de passar para outra coisa para poder limpar sua cabeça. Peixes: Você fará planos que serão claros e fáceis de discutir, mas alguns ajustes terão de ser feitos para concretizálos. Você estará mais ciente de seu metabolismo e mais inclinado a cuidar de si mesmo. Siga estes sentimentos! Áries: Você corre o risco de se concentrar muito em seus próprios interesses, você realmente vai ter que relaxar. Você está sobrecarregado, mas a perspectiva de desaceleração vai parecer ainda pior do que continuar nesse ritmo - tente equilibrar suas atividades. Touro: Enquanto tudo está acontecendo ao seu redor, você sentirá necessidade de relaxamento, use isso ao seu favor e deixe tudo para trás. Hoje há uma sensação interna de calma, que é favorável para recarregar as suas baterias psicologicamente. Gêmeos: Você está finalizando um ciclo, é hora de acabar com todo o trabalho de administração que resta fazer. Evite correntes de ar e alterações de temperatura. Você precisa dormir um pouco para recarregar suas baterias. Câncer: Você vai encontrar ums coisa, até então insuspeita, em comum com alguém próximo a você. O seu julgamento foi rápido demais. Você é muito duro consigo mesmo.

Pala vr as Cr uzadas alavr vras Cruzadas


GERAIS

8

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

FEBRE DO MA YAR O – UMA NO VA MAY ARO NOV AMEAÇA À SAÚDE PÚBLICA Recentemente as autoridades sanitárias tem em pauta de discussão uma nova ameaça à saúde pública que é transmitida pelos mesmos mosquitos que transmitem a Dengue, o Zika vírus e a Febre Chikungunya. Trata-se do vírus Mayaro, um vírus que desenvolve uma patologia semelhante à Chikungunya, causando uma doença infecciosa febril aguda conhecida como Febre do Mayaro. A sintomatologia da Febre do Mayaro é muito semelhante ao da Chikungunya, no entanto, parte dos pacientes pode apresentar dores intensas nas articulações acompanhadas ou não de edema. A lesão articular pode ser limitante ou incapacitante e durar por meses. Apesar da doença só recentemente ter ganhado notoriedade, o vírus Mayaro não é um vírus novo. Foi identificado pela primeira vez em 1954 na região Amazônica. Pesquisadores da Flórida o identificaram no Haiti, em um menino de 8 anos, que apresentava febre e dores abdominais. Concluiu-se, portanto, que este vírus também pode estar se espalhando pelo continente. O que mais preocupa a vigilância em saúde é que este vírus possivelmente tenha se adaptado ao ambiente urbano. Antes era transmitido apenas por mosquitos vetores silvestre e agora aparentemente pode ser transmitidos por mosquitos vetores urbanos que já estão espalhados pelo mundo como o Aedes aegypti e o Aedes albopictus. Se isso realmente se confirmar, há

não há nem vacina nem tratamento específico. O tratamento é dirigido ao alívio dos sintomas. A evolução em geral é bastante favorável.

muitas razões para nos preocuparmos, uma vez que o Aedes está fortemente presente em todo o território nacional. Quais os sintomas da Febre do Mayaro? Os sintomas são muito parecidos com o da ChiKungunya. Começa com uma febre inespecífica e cansaço, sem outros sinais aparentes. Logo após podem surgir manchas vermelhas pelo corpo, acompanhadas de dor de cabeça e dores nas articulações. Os olhos podem também ficar doendo e em alguns casos reporta-se intolerância à luz. São sintomas muito parecidos e por isso a febre do Mayaro pode ser facilmente confundida com dengue ou com Chikungunya. No entanto, no Mayaro as dores e o inchaço das articulações podem ser mais limitantes e durar meses para passar. Como saber se é Dengue, Zika, Mayaro ou Chikungunya? Pelo quadro clínico pode ser difícil diferenciar. Só os exames laboratoriais específicos é que podem apontar o diagnóstico correto.

Já foram confirmados casos de febre do Mayaro no Brasil? Sim. Entre dezembro de 2014 e junho de 2015 foram confirmados 197 casos de febre do Mayaro nas regiões Norte e Centro-Oeste, com destaque para os estados de Goiás, Pará e Tocantins. Qual é a melhor forma de se proteger da febre do Mayaro? As medidas protetivas para a Febre do Mayaro são as mesmas adotadas para nos protegermos da Dengue, Zika e Chikungunya, ou seja, evitar a proliferação dos mosquitos. Outras medidas profiláticas que também podem ser adotadas é a instalação de telas nas janelas, mosquiteiros nas camas, principalmente nos berços dos bebês pequenos e repelentes de mosquitos transmissores. Vale reforçar que os repelentes indicados pela Organização Mundial de Saúde devem ter em sua formulação a Icaridina, atualmente, é a única molécula química capaz de afugentar o Aedes aegypti. Prof. Dr. Edílson José Guerra – P.h.D. é Biólogo, Mestre e Doutor em Microbiologia Aplicada pela UNESP e Pós-doutor em Biologia Molecular pela USP. Professor da FEUC. Biólogo responsável pelo laboratório de entomologia da zoo-

Há vacina ou tratamento específico para a febre do Mayaro? Não. Até o momento

noses de Leme, ministra palestra e cursos de aperfeiçoamento direcionados a profissionais de saúde.

Policiais

ADOLESCENTES NO TRÁFICO No dia 07/01/2020, a equipe CGP 3, apoio ao policiamento, adentrou no bairro Vale do Redentor sendo solicitados por um munícipe que realizou denúncia sobre dois indivíduos traficando na Praça João Batista Ribeiro de Lima, descrevendo suas características físicas e vestes, bem como o local

em que as drogas estariam escondidas. A equipe se deslocou até o local e, quando vistos pelos traficantes, os mesmos tentaram fugir a pé pelo bairro, porém foram acompanhados e detidos. Se tratavam de dois adolescentes de 15 anos de idade, portando o valor de R$ 256,35 em dinheiro e um

aparelho celular. Verificando o local indicado como esconderijo das drogas, encontraram uma quantidade de 29 pinos com Cocaína, pesando dezessete gramas. Os adolescentes foram apreendidos, conduzidos à Delegacia de Polícia Civil e à disposição da Vara da Infância e Juventude.

ATR OPEL OU IDOSA TROPEL OPELOU Na última terça-feira, M.C. S. D. de 72 anos de idade, foi atropelada na Avenida 9 de Julho quando tentava atravessar a rua. O con-

dutor do veículo tentou frear, porém atingiu a vítima, que veio a cair no asfalto. O caso foi atendido pelo CB PM Francisco e pela equipe

do SAMU, sendo a vítima encaminhada ao Pronto Socorro local, onde foi atendida pelo médico plantonista, permanecendo em observação.

BEBEU ATEU E FOI PRESO BEBEU,, DIRIGIU DIRIGIU,, B BA No domingo, dia 05/01/ 2020, a Polícia Militar local foi acionada, via COPOM, para atender um acidente de trânsito na Avenida Brasil. A policial Joelma esteve no local onde se encontravam M.F.P. de 41 anos de idade, que conduzia um veículo da marca Chevrolet e P.H.S.A. de 25 anos de idade, que

conduzia um veículo Fiat. Aconteceu que P.H.S.A. havia colidido na traseira do veículo de M.F.P., levado o Chevrolet a atravessar o canteiro divisório da Avenida e parar na via contrária. Questionados sobre o uso de bebida alcoólica, o motorista do Fiat afirmou ter ingerido cerveja. Ambos fi-

zeram o teste do bafômetro, sendo que o marco de P.H.S.A. deu 0,36mg e lhe foi dada voz de prisão a qual foi ratificada pelo Delegado de Polícia de Plantão, Doutor Wanderley Fernandes Martins Júnior, delegado atuante em toda a região e muito querido por onde passa.

FOI N A FEST A E LEV OU F ACAD A NA FESTA LEVOU FA CADA A Polícia Militar foi chamada, via COPOM, para comparecer no Pronto Socorro local para atender um homem de 34 anos de idade que havia sido esfaqueado. T.A.A.

foi trazido do município de Mococa-SP, por terceiros. O CB PM Fernandes compareceu naquela unidade de saúde, onde se encontrava a vítima que narrou que estava em uma festa

quando se envolveu em uma briga e acabou sendo esfaqueado na barriga. Foi atendido pelo plantonista e ficou em observação para análise do médico especialista.

A REV OL UÇÃO que REVOL OLUÇÃO le va à ELEV AÇÃO! lev ELEVAÇÃO! * Tiago Marcon Existe, e é perceptível no coração de cada pessoa, um desejo por aquilo que é grande, permanente, eterno, mesmo que o meio para alcançar isso seja nos afeiçoar às pequenas coisas, escolher o caminho da renúncia, da humildade, do desapego, da santidade. Somos impulsionados pela Palavra de Deus a buscar as coisas do alto: "Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus" (Cl 3,1). Claro que este anseio pode nos fazer buscar suprir esse desejo de várias formas, por vários meios, mas existe um caminho certo, ou melhor: existe Alguém que é o Caminho, a Verdade e a Vida, e é Ele que realiza nos corações e nas vidas uma verdadeira REVOLUÇÃO, que nos levará a uma ELEVAÇÃO. Estamos diante da conclusão de um ciclo, onde depois de declararmos “Eu sou Revolução Jesus”, assumimos uma postura de vida proclamando “Eu Vivo a Revolução Jesus”, para então, neste ano de 2020, podermos juntos dizer: “Eleve a Revolução Jesus!” Esta é a proposta do Acampamen-

to Revolução Jesus de 2020, pois entendemos que a experiência pessoal e concreta que fazemos com Cristo nos ELEVA, amplia nossa visão, nossa compreensão, traz sentido à nossa existência, pois fomos criados para aquilo que é (do) “alto”, que é Eterno, que permanece. A encarnação de Cristo, a sua paixão, morte e ressurreição resgataram nossa dignidade e nos elevaram à condição de filhos amados de Deus. É LEVE a Revolução Jesus, porque o próprio Salvador afirmou: “...meu jugo é suave e meu fardo é leve…” (Mt 11,30). Não é um peso viver o Evangelho, a vida nova que Cristo nos trouxe, mas é através dele que alcançaremos a verdadeira liberdade de Filhos de Deus. E LEVE a Revolução Jesus, pois uma característica muito peculiar de quem faz uma experiência revolucionária com Cristo é a de propagar, anunciar, viver o mandato de Cristo: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” (Mc 16,15). Portanto, a experiência do Revolução Jesus nos ELEVA, e viver essa vida nova proposta por Ele, não é pesado, É LEVE. Depois que eu descubro

isso, através da minha experiência pessoal com Ele, não consigo conter, então, levo isso a outras pessoas. Por isso impulsionamos a cada um: viva E LEVE a Revolução a todos os lugares, a todas as pessoas, em todos os contextos, pois acreditamos que a transformação do mundo, a Revolução deste mundo só é possível por meio de Cristo, a partir da mudança no interior de cada pessoa, na mentalidade, na transformação do coração, na vivência radical do Evangelho, isto é, no amor que tudo crê, tudo espera, tudo suporta... “O amor jamais acabará” (I Coríntios 13,8). É essa convocação que fazemos a cada jovem: viver a Revolução Jesus e por ela ser elevado. Uma experiência t r a n s c e n d e n t e , a l ta , cheia de sentido e de razão para viver. Basta querer, basta crer, basta viver, SER REVOLUÇÃO JESUS e por ela se ELEVADO! * Tiago Marcon é missionário celibatário da Comunidade Canção Nova, apresentador do programa de TV “Revolução Jesus” e autor dos livros: “Em busca do Reino de Uranôn”, “A normal vida secreta de um jovem” e “Os Castos e os Gastos – Descubra os ganhos e as perdas da castidade.


CID ADES CIDADES

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

9

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

BEM NO CENTR OD A CID ADE CENTRO DA CIDADE

Prédio a bandonado pode ser difusor de doenças abandonado Encravado no ponto mais central de São José do Rio Pardo, o prédio em que funcionou a sede social do Rio Pardo Futebol Clube está em ruínas. Sem cobertura, que caiu há anos, todos os pavimentos da edificação foram transformados em extensos criadouros de insetos, com destaque para o Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue e zica – enquanto governos de todos os níveis empreendem recursos para conter pandemias, proprietários de imóveis particulares seguem indiferentes ao iminente problema. É claro que outras consequências são também inevitáveis, pois o imóvel serve de ‘abrigo’ a moradores de rua e usuários de drogas ilícitas. Não bastasse o elevado comprometimento estético em ponto dos mais nobres da cidade – porque aquelas ruínas contrastam com o conjunto arquitetônico que circundas as praças 15 de Novembro e Capitão Vicente Dias (local de fundação do município) –, ficam evidentes outros sérios perigos, a começar pela queda do prédio. O entorno é densamente habitado e frequentado, constituindo o centro comercial e bancário da cidade. As imagens captadas recentemente, reproduzidas nesta edição, comprovam que a portentosa sede social do Rio Pardo Futebol Clube deixou de ser virtuosa referência para ser transformada em um amontoado de entulhos. O prédio, que foi cenário de eventos e comemorações marcantes nas vidas de incontáveis rio-pardenses, agora não passa de grande ameaça a todo o seu entorno. A Reportagem encaminhou questionamentos à Prefeitura e a entidades responsáveis por fiscalizar a solidez de imóveis. Haverá mais questionamentos a outras autoridades e entidades que guardem relação com o problema. Ou seja, tudo indica que esta pauta não se esgotará tão cedo.


By R ober ta Simões Rober oberta

10

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

ENTRE MUNDOS A Secretaria de Cultuta, leia-se Paulo Vedovato) e o Centro Cultural Ítalo Brasileiro (leia-se Francisco

Hoje v ocê tem duas opções: você Ser ffeliz eliz ou ser mais ffeliz eliz ainda!

Nascimento Nasceu dia 8/01/2020 o menino Gael filho de Roberta Duva e Anderson Zamai Parabéns ao casal, muitas felicidades.

08 de J aneir o Janeir aneiro

DIA DO FO TÓGRAFO FOTÓGRAFO

José Parisi Braghetta) trouxeram para São José do Rio Pardo o 6º Ilumina Festival de Música Clássica.

Concerto para São José do Rio Pardo Centro Cultural Ítalo-Brasileiro realizado

dia 8 de janeiro. 12 solistas internacionais mais 24 jovens talentos da América do Sul.


11

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

By R ober ta Simões Rober oberta WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

Night de sábado no Bar mazém 152 em Mococa Barmazém

CAMINHOS DO B UDISMO BUDISMO Amigos de São José do Rio Pardo. Fui convidado para escrever para este jornal e, portanto, para vocês. Falar sobre Budismo é fácil e é difícil. É fácil, porque é falar sobre a nossa própria natureza. É difícil, porque o sofrimento esconde nossa natureza. Saibam todos que Buda foi um príncipe na Índia, do Clã Sakia. Conhecido também como Sakiamuni, por causa disto. Sidarta Gotama nasceu em um castelo e viveu sempre cercado de riqueza. Seu pai, devido a uma profecia feita quando de

seu nascimento, cercou-o de cuidados e de ensinamentos para que se tornasse um grande líder, um guereiro, um rei. A profecia dizia que Buda seria um grande rei, um grande guerreiro. Ou um grande monje. Seu pai queria que o filho fosse um rei. Como eram muito ricos, o rei, pai de Sidarta, escondeu dele todo o sofrimento. O Príncipe só tinha contato com eventos felizes e com coisas belas. Quando desfilava pela cidade, montado em elefantes, antes iam os homens do rei escondendo os pobres, os doentes, e deixando somente a bele-

za e a juventude a vista do jovem príncipe. Contudo, determinado dia, por entre os que acenavam nas ruas, ele viu um homem caído. Desceu do elefante e correu para ver o que era. Não deu tempo dos homens do rei fazerem nada. Vendo aquele homem, Sidarta ficou indignado. Perguntou o que era aquilo. Foi informado que era uma coisa chamada doença, e que em algum momento da vida todos os seres humanos enfrentariam alguma delas. A doença debilita o corpo, causa dor e sofrimento. Andando pelas vielas, Sidar-

ta encontrou um homem velho. Como nunca havia visto isso antes, ficou impressionado. Tocou a pele, flácida do homem, e tentou levantá-lo. Percebeu que o homem sentiu dor. Quis entender o que era aquilo. Foi explicado a ele que era a velhice. E que trata-se de um processo que chega a todos os homens e mulheres, não há como escapar. A decrepitude e a decadência chegam com a velhice, como dores e doenças. Sidarta ficou muito, muito impressionado. Mais um pouco viu um homem morto, embalsamado e pronto para ser incinerado a margem

do rio ganges. Quis entender o que era aquilo. Somente então ficou sabendo o que era morte, e como todos, sem exceção, passam por ela. O fim de um ciclo de existência causa sofrimento e dor. Entendendo que todos, absolutamente todos, morrem, Sidarta não pode mais viver em paz no palácio, como antes. Uma noite, abandonou tudo e saiu em peregrinação pelo mundo. Jurou que não descansaria enquanto não encontrasse uma solução, um fim para todo o sofrimento que viu. A profecia, mesmo

contra a vontade do rei, se cumpriu. Sidarta iniciou o caminho para a iluminação, e tornou-se o maior monge da Índia de todos os tempos. Antes de morrer atingiu a iluminação, e deixou em seus ensinamentos – o Dharma – todo o caminho para o Nirvana. Um código de princípios que se pode chamar de uma religião não teísta ou uma filosofia. A saída da grande armadilha que nos prende a todos por duras cadeias. Idril Ananda Um budista que se dedica a estudar os caminhos do Buda.


AR TIGOS ARTIGOS

12

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO • SP 11 de janeiro de 2020

WWW.JORNALDEMOCRATA.COM.BR

luenciam na pr oduti vidade influenciam produti odutividade O “home of nização Dívidas inf offfice” e a moder modernização do tr abalhador e af etam empr esas tra afetam empresas das leis tr abalhistas tra Bianca Canzi* De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt), o número de pessoas trabalhando na modalidade do teletrabalho, ou por meio do chamado home office, cresceu 22% no período entre 2016 e 2018. Reflexo em parte da Reforma Trabalhista implementada em 2017, vemos aqui os efeitos de uma das mudanças mais tidas como modernizadoras na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) vistas no período recente. Tal modalidade já vinha ocorrendo na prática e foi regulamentada e prevista na legislação. A lei mudou para acompa n h a r o q u e j á v e m sendo observado no mundo todo e cabe agora a trabalhadores e empresas se adaptarem. A Constituição Federal trata o teletrabalho como uma prestação dos serviços realizada fora das dependências do empregador, de forma preponderante, podendo ser realizado na própria residência do empregado. Tal prática tem sido permitida graças ao avanço tecnológico e para oferecer vantagens tanto à empresa, que atende a necessidades específicas, como ao trabalhador, que deixa de gastar horas do dia no trânsito ao fazer o

deslocamento até a sede da empresa, por exemplo. Com as novas regras, as empresas deverão se organizar para evitar problemas com as fiscalizações e reclamatórias trabalhistas. A reforma alterou o regimento desta modalidade de prestação de serviço, pois agora os empregados que atuam nesta modalidade não são submetidos ao controle de jornada e não terão direito ao recebimento de horas extras. Contudo, nada impede que o controle de jornada e as horas extras sejam acordados mediante acordo individual. A nova lei ainda não especificou quem deverá arcar com as despesas relacionadas à aquisição, manutenção e fornecimento dos equipamentos necessários para o trabalho, sejam tecnológicos ou referentes à infraestrutura. Dessa forma, essa responsabilidade deverá estar prevista no contrato de trabalho. Além disso, o empregado segue com todos os direitos trabalhistas previstos, como férias, 13º salário, aviso prévio e as verbas rescisórias previstas pela lei trabalhista. Mas com tais direitos ainda garantidos, como fica a segurança do trabalhador que atua por meio do home office? Quanto a esse tema, a lei deixa claro que é de

responsabilidade do empregador instruir os trabalhadores em teletrabalho sobre as precauções que devem ser tomadas para evitar doenças ocupacionais e acidentes, o que deve ser feito de maneira expressa e ostensiva. Desse modo, o trabalhador deverá assinar um termo de responsabilidade, comprometendo-se a seguir as instruções que lhe foram repassadas. Com a modernização da lei, é o momento de empresas buscarem a transição entre antigos e novos modelos, não apenas do ponto de vista tecnológico, mas de cultura interna para prevenir possíveis problemas na Justiça do Trabalho. M u i ta s e m p r e s a s t ê m buscado conciliar tanto o trabalho tradicional como o home office, ao permitir que empregados trabalhem em casa em alguns dias da semana ou apenas às sextas-feiras, por exemplo. Independentemente do local de trabalho, claro, cabe a todos cumprirem seus respectivos direitos e deveres presentes na relação trabalhista. A lei se moderniza, mas tal compromisso nunca deve mudar. *Bianca Canzi é advogada especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados

Sheila David Oliveira*

Os hábitos financeiros dos trabalhadores brasileiros podem influenciar diretamente na sua produtividade. Pesquisa recente indica que 80% dos trabalhadores possuem problemas na hora de fechar o orçamento. O levantamento foi realizado pela Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin). Os departamentos de recursos humanos já estão enfrentando dificuldades por conta do acúmulo de dívidas de funcionários. Os problemas financeiros se tornaram um problema comum e não podem ser ignorados pelas organizações empresariais. Eles consomem tempo e energia das pessoas e, sem dúvidas, são responsáveis pela queda de produção dos empregados. O desequilíbrio financeiro acarreta também um desequilíbrio psicológico. Um levantamento nacional realizado apenas com consumidores que têm contas em atraso há mais de 90 dias pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que em muitos casos a inadimplência altera negativamente o estado emocional dos consumidores, atingindo até mesmo a vida profissional e a saúde dos entrevistados. A pesquisa mostra também que as dívidas afetam o ambiente profissional e o relacionamento social e familiar: 15,9% das pessoas que têm contas em atraso afirmaram ter ficado desatentas e pouco produtivas no trabalho ou nos estudos, enquanto 12,6% têm estado mais nervosos, cometendo agressões verbais a familiares e amigos e 7,6% já partiram até mesmo para agressões físicas A tomada de empréstimo sem planejamento é um dos problemas mais

relatados pelas empresas. E o trabalho de educação financeira junto aos profissionais é de suma importância para que os colaboradores saibam trabalhar com esses recursos. Vale ressaltar que, caso a empresa ofereça algum benefício de crédito consignado, este não deve consumir mais que 30% do salário líquido do profissional. Mesmo em contratos diferentes e com autorização expressa do colaborador para desconto em folha, nenhuma instituição financeira pode ceder mais que essa porcentagem de crédito, sob o risco de ser penalizada. Ou seja, desconto máximo da folha de pagamento é de 70%, entre descontos obrigatórios (Imposto de Renda, INSS, adiantamento salarial, etc.) e voluntários (despesas sindicais, assistência médica, previdência privada, etc.). Pela Lei 10.820/2003, o colaborador precisa receber, no mínimo, 30% dos proventos em espécie. Entretanto, esse valor sequer é suficiente para atender às necessidades mais básicas. Por esse motivo, é preciso haver um programa de conscientização para que as pessoas entendam a melhor forma de conduzir as finanças pessoais e o uso do crédito consciente. Nessa esteira, a empresa pode tomar atitudes diretas. A realização de treinamentos, palestras ou workshops, com orientações de planejamento financeiro é o primeiro passo. Muitas vezes as pessoas se endividam porque não sabem organizar o próprio orçamento ou tendem a ignorar alguns elementos básicos como um fluxo de caixa. Muitos não se dão conta de que crédito não é dinheiro disponível e que será necessário pagar depois. Nos treinamentos, é possível conscientizar os colaboradores, fazendo com que eles aprendem na prática como organizar

a vida financeira. Vale citar um exemplo de uma indústria do setor alimentício que realizou um trabalho de conscientização financeira. Durante o treinamento, tinham aproximadamente 600 empregados tomadores do crédito consignado. E esse número caiu, após a implementação de ferramentas de educação e planejamento para 147 empregados que possuíam desconto na folha de pagamento referente a credito consignado. Eles se conscientizaram que o crédito servia para uma emergência e não para somar ao seus vencimentos O trabalhador deve fugir das facilidades do crédito consignado e do cheque especial, por exemplo, que podem criar uma espécie de “dependência”, por dar impressão que fazem parte do salário ou remuneração mensal. Tratam-se na verdade de recursos emergenciais. Nos treinamentos de finanças pessoais, os funcionários aprendem a importância de criarem suas próprias reservas de emergência. Na prática, 80% do planejamento financeiro é a mudança no comportamento. Assim, é essencial que as empresas comecem a enxergar que a educação financeira dos seus funcionários é fundamental para o meio ambiente de trabalho. A educação financeira passa por uma mudança de comportamento de médio a longo prazo. Ela deve ser constante. Trabalhador com a saúde financeira em dia é trabalhador que produz e irradia positividade no ambiente. *Sheila David Oliveira é planejadora financeira, diretora da GFAI - Empresa Especializada em Planejamento Financeiro, responsável pelos treinamentos In Company e pós-graduada em Gestão de Pessoas pela FGV e em Psicologia Positiva pela PUC-RS

Profile for caio tavares

jornal democrata  

data x

jornal democrata  

data x

Profile for caiotav
Advertisement