Page 1

Cartilha Prática prototipagem de cascas em Alvenaria Cerâmica Armada APRESENTAÇÃO CRONOGRAMA

Nos últimos anos, destacando recentemente a Bienal de Veneza de 2016, retornou-se à tona a discussão sobre o emprego de caráter inventivo de formas e elementos construtivos que se oponham ao emprego de materiais já convencionais como única “verdade” determinante do projeto estrutural de edificações. A inquietação faz juz às condições postas aos países emergentes e subdesenvolvidos, dando enfoque aqui na América do Sul e ao Brasil, em que é notadamente apontada a baixa qualidade arquitetônica nas habitações de baixa renda, por não contarem com devidos recursos e serviços de profissionais da construção civíl qualificados(CAU/datafolha) ou mesmo nas denominadas Habitações de Interesse Social, estas contando com baixo orçamento, padronização e implantação em larga escala. No Recife e sua região metropolina, temos boa parte da população mal remunerada, classificando-se em índices aquém

OBJETIVOS GERAIS

TC1

Elaborar uma cartilha elucidativa do processo de prototipação de casca catenária utilizando a tecnologia construtiva em alvenaria cerâmica armada no Recife.

do pódio no ranking nacional de e parcela de bairros sem infraestrutura básica, e casos de extrema pobraza (senso IBGE).

OBJETIVOS ESPECÍFICOS i.Investigação da técnica construtiva e da forma através de referências passadas e contemporâneas, globais e regionais.

É então, instigados pela resposta inovativa dada pela antiga técnica da Alvenaria Cerâmica Armada na construção civil, recentemente retomada à cena nacional e mundial por escritórios de arquitetura como resposta, com qualidade arquitetônica, à logística de custo X disponibilidade que decidiu-se criar uma equipe colaborativa de pesquisa, indo mais à fundo nos nuânces técnicos, plásticos e viáveis que a Cerâmica armada pode oferecer, vindo a balizar os estudos por meio de respostas práticas, tendo a Região Metropolitana do Recife como palco.

ii.Coleta de dados baseados na execução e desenvolvimento de projeto de prototipo; iii.Construção de protótipo em alvenaria cerâmica armada na escala 1:1;

TC2 I. Partida(Segno) i. ideias textuais, visuais, referências

III. Execução do Protótipo

ii. a problemática pela discussão contemporânea

i. Construção de modelo(s) em escala 1:1

iii. contexto (Recife) IV. Produto Final

iv. técnica, materialidade

II. Material Levantado (Coda) i. Material Levantado

i. produção de material descritivo através de material textual e experiências executivas apreendidas

ii. Aplicabilidade Logística i. locação de canteiro de obra ii. levantamento de material iii. ferramentas iv. ensaios

DIFUSORES DA TÉCNICA E PROBLEMÁTICA

Eladio Dieste (1917 - 2000)

Ariel Valmaggia (1945 - atualidade)

A hegemonia da construção em alvenaria cerâmica se viu substituída desde meados do século XIX, por sistemas de porte industrial e capacidade mais resistente, como o caso das estruturas metálicas e concreto. A cerâmica foi sendo deixada como forma de fechamento, sendo vetada a sua construção a edifícios de certa altura, por mais resistente que seja o tijolo à compressão. É atrelando-se a armação de ferro ao tijolo que é possível vencer esses vãos e resistir à flexão. O grande salto tecnológico da alvenaria se consegue então ao utilizar a cerâmica armada não apenas para muros autoportantes como também para cobertas, graças ao engenheiro uruguiao Eladio Dieste no anos 40, inaugurando um novo sistema de casca: cobertas laminares de fabricação cerâmica com uma armação bidirecional, diferenciando-se de suas predecessoras à gravidade coesiva. Eladio vem por meio da forma contestar que o concreto é o único elemento com liberdade de formas sinuosas.

Igreja de Atlántida, Uruguay. Archdaily

Assembléia Legislativa do Piauí. Parceria com Acácio Borsoi Teresina, 1986. fonte Archdaily Brasil, 2013.

O legado do engenheiro Ariel Valmaggia, discípulo de Dieste, aproxima a técnica em cerâmica armada em cobertas para as regiões Norte e Nordeste Brasileiras, e inclusive o Recife, inferindo que há possibilidade de se construír, em via de regra geral, aqui também. Há então trabalho colaborativo entre engenharia e arquitetura, tendo nomes como Acácio Gil Borsoi, Severiano Porto e Abraão Sanovicz empreitando o material nos mais diferentes usos.

Solano Benitez, sócio-fundador do Gabinete de Arquitectura retorna à cena contemporânea a técnica da cerâmica armada na américa latina, principalmente em seu país natal, Uruguai. É notória a multiplicidade de maneiras cuja qual são aplicadas a cerâmica em suas obras. em armação com ferro, transformando-as em piso, painéis, cascas e até pilares. Alavancando um elemento banal como o tijolo em diferentes constituições, como simplesmente utilizá-lo na vertical, ou tornar uma parede de alvenaria reta na forma denteada. Num país com alto índice de desigualdade social como o Paraguai, torna-se essencial a utilização de ferramentas qualitativas para a população. Falar de Keré é falar da responsabilidade social da Arquitetura de manaiera ainda mais enraizada nos arquétipos culturais. De Gando e formado na universidade Técnica de Berlim, ele retorna à sua terra Natal reinventando elementos já presentes no cotidiano da população e dando novo uso para a matéria prima existente, o barro. Ainda, há de sua parte a intenção de formação da mão de obra local, “ensinando” a técnica através da montagem in loco de seus projetos no canteiro de obra, muitos destes de caráter institucional.

Solano Benitez (1965 - atualidade)

Sede do TELETÓN, Paraguai. fotografia de Lauro Rocha

Diébédo Keré (1965 - atualidade)

Iluminação natural através de Claraboias de barro, escola em Gando. fonte Archdaily Brasil 2015

MATERIALIDADE E TÉCNICA CONSTRUTIVA VANTAGENS

CERÂMICA ARMADA

A CATENÁRIA

Dentre as vantagens da Alvenaria sobre outros materiais, principalmente o concreto, técnica em maior destaque na atualidade, temos a,

A cerâmica vem sido utilizada pela humanidade como material de construção desde tempos remotos, precedida somente pela madeira e a pedra. A grande utilização desse material deve-se as suas propriedade, tanto pela facilidade na conformação geométrica, na captação do recurso, elevada resistência mecânica, torna o elemento atrativo até os dias atuais no mercado da construção. Este último entretanto vem restringindo seu uso apenas a fechamento, do último século para cá, dando espaço ao concreto como estrutura.

Temos na definição matemática da catenária essa curva plana representada na forma em equilíbrio de um fio homogêneo, suspenso por suas extremidades a partir de dois pontos, submetido exclusivamente à força da gravidade.

Iglú Inuíte

A diretriz catenária como geometria da casca é justificada devido ao fato da estrutura, com este formato, resistir melhor aos esforços de flexão. A forma já foi préviamente abordada em cúpulas e amplamente difundida na arquitetura de Gaudí antes de ser empregada por Dieste utilizando o tijolo cerâmica para atingir a curva estável.

Cabanas de Lama Musgum

i. Elevada Resistência mecânica: entre 500 e 1000kgf/cm² e até 1500kgf/cm²; ii. Estruturas mais leves que estruturas de concreto ou argamassa; iii. Maior capacidade de adaptação em face das deformações, dado seu menor módulo de elasticidade; iv. Fácil reparo, adição ou troca de partes em relação ao concreto; v. Suportam mudanças bruscas de temperatura e envelhecem melhor que as de concreto; vi. tijolo é excelente isolante térmico e acústico pelas proporções de ar incluídas na massa de terra cozida; vii. Regulação natural da umidade do ambiente; viii. preço do m³ inigualável em comparação com outros materiais de qualidade semelhante.

A partir dos anos 50 então temos o emprego da da cerâmica juntamente com uma armação de ferro, fixadas por argamassa, para a formação de arcos catenários, empregado e difundido por todo uruguai e posteriormente, restante da américa latina por Eladio Dieste. A facilidade de incorporar a cerâmica armada no emprego contemporâneo vai além do campo físico para a estruturação digital. Já há montagem de peças quantitativamente através de softwares paramétricos na construção civil. Sendo assim, já torna-se otimizada a logística baseada na dimensão da obra, uma vez inferida dimensões, precificação, volume fixos de Tijolo, ferragem, argamassa, etc.

Sistema Coesivo

A forma da catenária, ou pelo menos a curvatura aproximada a ela deixa sua marca a momentos históricos na arquitetura precedentes ao seu descobrimento teórico, em 1630, dando espaço para construções vernaculares em distintas ocupações terrestres, como Iglús, cabanas e Clocháns, que, se chegaram a ser uma influência da outra, essa pesquisa não procura investigar, contudo faz-se vislumbrar que as edificações por si só justificam a assunção formal da casta.

Clochán Irlandês

Sistema Armado Maquete de correntes suspensas de Gaudí (Cartilha sobre pré-fabricação em taipa, 1963)

PROPOSTA

BORSOI, Acácio Gil.

A proposta do trabalho é, primeiramente, alavancar um fichamento teórico vindo de uma perspectiva prática. procura-se então a elaboração de uma cartilha, isto é, esse tratado com informações elementares, indicações a serem seguidas, compêndio ilustrativo e de leitura compreensiva holísticamente sobre experiências apreendidas in loco e utilizando ferramentas e materiais construtivos provenientes da região, a cidade do Recife, torna palpável a difusão da técnica através de ensaios, servindo de arcabouço para futuras experiências com formas, proporções e levantamento de outros dados.

Detalhamento construtivo Mostruário de Peças e esquema de montagem Planejamento gráfico: Corte, Vistas, Fachada Registro fotográfico da execução

Como referência da elaboração da cartilha trago o compêndio elaborado por Acácio Gil Borsoi através de uma experiência prática de edificação de residências através da técnica de pré-fabricação em taipa.

Croquis de estudantes de Córdoba, Argentina durante a disciplina de UCC II, Faculdade Católica de Córdoba.

Temos exemplos positivos no que se diz respeito à construção de catenárias utilizando a cerâmica armada como forma didática ao redor do globo, graças ao advento da internet temos por exemplo as cartilhas baseadas em softwares paramétricos de cascas desenvolvidos pelo Block Research Group para construção da armação cerâmica, que chegaram a ser desenvolvidas por arquitetos ao redor do globo, destacando o grupo de arquitetos Adapt, no Irã. Também resalta-se o uso da técnica através de estudos práticos no local, como vem se sendo trabalhado na Faculdade Argentina de Córdoba, em disciplina que provém trabalhar o passo à passo da montagem das catenárias.

UFPE - Universidade Federal de Pernambuco CAC - Centro de Artes e Comunicação DAU - Departamento de Arquitetura e Urbanismo

Trabalho de conclusão de Curso I - 2018.1 Aluno: Caio Albuquerque Orientador : Bruno Lima

Estudo  

Organização da Tese para graduação no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPE

Estudo  

Organização da Tese para graduação no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPE

Advertisement