Page 1

BOLETIM INFORMATIVO MENSAL

No dia 20 de maio o CAIC Cidade do Rio Grande completou mais um ano, já são 22 anos de muitas histórias, muitos rostos, muitas vidas que se constroem e reconstroem nesta maravilhosa troca de saberes, experiências e de muito afeto. E como não poderia ser diferente nossa família “caiqueira” comemorou esta data com muita alegria e com grande estilo. Música, dança, histórias, bolo, e muitas fotos. Entre os dias 16 e 30 de maio uma programação festiva tomou conta do Centro e todos puderam perceber que a escola pode sim ser um lugar divertido e aconchegante.

MAIO de 2016

ANO V

Nº29

Brasil apresentava índices muito abaixo dos esperados e isso exigia do Governo Federal medidas que pudessem superar a situação de miserabilidade, ausência de acesso ao processo de escolarização formal e atendimento integral nos campos da educação e saúde. Nesse sentido, através do “Projeto Minha Gente” em 14 de maio de 1991 foram criados os CIAC’s (Centro Integrado de Apoio a Criança). Seu intuito era garantir o atendimento básico em saúde, educação, assistência e promoção social de forma integrada. A Cidade de Rio Grande foi contemplada com uma dessas Unidades, a qual foi construída dentro do espaço da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), no Campus Carreiros. Em Rio Grande, o CAIC iniciou suas atividades em 1994. O fato de ter sido construído dentro da Universidade (FURG) possibilitou uma estrutura de funcionamento, bem como propósitos e ideias que se diferenciavam dos demais CAIC’s. Elucidando isso, cabe destacar o convênio firmado entre a Prefeitura Municipal do Rio Grande e a FURG para a criação da Escola Municipal Cidade do Rio Grande e o funcionamento de uma Unidade Básica de Saúde da Família, em parceria com a Secretaria de Município de Saúde e que atua dentro da política do Sistema Único de Saúde. Fonte: http://www.caic.furg.br/index.php/pt/historico

O Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG) emerge na década de 1990 dentro de um contexto histórico marcado pela discussão e constituição de propostas – no âmbito mundial – que buscavam superar o grave quadro de exclusão social, política e econômica que acometia as populações dos países denominados subdesenvolvidos ou pertencentes ao terceiro mundo. O

Procure por mais fotos, vídeos e a cobertura completa de tudo o que rolou nessa festa nas nossas páginas digitais https://www.facebook.com/acontecenocaic/?fref =ts http://www.caic.furg.br/index.php/pt/

1 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 29 - Maio de 2016

Bem mais comum do que se possa pensar as modificações corporais estão presentes em todo o lugar. Desde os tão bem aceitos brinquinhos na orelha da menina até as tão impressionantes escarificações, por exemplo. As práticas de modificações no corpo surgiram nem se tem data certa, o que se sabe é que já tem muito tempo e que muitos povos se utilizam delas para os mais diferentes propósitos, beleza, guerra, diferença de classe, marcação do corpo, enfim, são muitas as finalidades, mas o fato é que apesar de sofrer muito preconceito os modificados, adeptos dessa arte no corpo vem crescendo. Pircingue, tatuagens, escarificações, implantes subcutâneos, maquiagem definitiva, sim. Maquiagem definitiva também é modificação corporal. Não importa qual sua praia, sua arte ou sua modificação, o importante é que para curtir o seu estilo com saúde e sem problemas existem alguns pontos que se deve ter cuidado. 1. Isso é para gente grande. Siiim! Tatuagem, piercing entre tantas outras. Todas as modificações são coisas para serem feitas em adultos. Essas práticas na maioria das vezes depois de feitas, nos marcam para sempre, a não ser que você esteja disposto a desembolsar uma boa grana e sentir muita dor, ai sim você pode retirar o que fez, ou quase isso. 2. Assepsia dos materiais: Gente presta muita atenção nessa. NUNCA, mas NUNCA mesmo, faça qualquer tipo de modificação no corpo sem

3.

NÃO é um profissional. O simples fato de ter coragem de furar sua pele não faz uma pessoa preparada para isso. Bem, nosso espaço é pouco e as informações são muitas, por isso, PRESTA A ATENÇÃO!!! Quando resolver fazer qualquer coisa com o seu corpo, pensa bem, pesquisa sobre o procedimento, conversa com os familiares, busca saber tudo o que puder sobre o profissional e NUNCA, NUNCA saia por ai riscando a pele ou se furando só pelo calor da emoção, mais uma última dica, pense bem antes de tatuar o nome do namorado ou da namorada, à probabilidade de você trocar eles durante a vida é muito grande e a tatuagem vai ficar ali. Abraço! Texto: Jaime A. Tasca Filho

Atrás das Lendas Unicórnio: As primeiras histórias sobre esse bicho foram contadas há mais de mil anos na Europa. É um cavalo mágico branco, com sangue prateado e um chifre brilhante no meio da testa. Símbolo da pureza vive mais de mil anos e tem filhotes dourados. Contam que muitos caçadores tentaram capturar um unicórnio e pegar seu chifre mágico, mas ele sempre foge por ser super-rápido. Segundo a lenda, a única maneira de capturar um deles é atraí-lo com uma princesa. O animal adormece no colo da moça e vira uma presa fácil. Só que até agora ninguém pegou um.

ter certeza de que todo o material é limpo, estéril, livre de qualquer tipo de contaminação e exija o máximo de material DESCARTÁVEL. Escolha um profissional: O vizinho que não tem medo de furar seu nariz a não ser que ele tenha feito um curso, e tenha um estúdio, ele

2 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 29 - Maio de 2016

A questão ambiental vem sendo bastante discutida atualmente devido às mudanças que estão ocorrendo no nosso planeta como, por exemplo, alterações climáticas, efeito estufa, destruição da camada de ozônio, entre outras. Nos dias atuais, a maior parte da população se concentra nos grandes centros urbanos e não consegue estabelecer uma conexão entre o meio ambiente e o seu cotidiano. Ao contrário de outros seres vivos que, para sobreviverem, estabelecem naturalmente o limite de seu crescimento e consequentemente o equilíbrio com outros seres e ecossistema onde vivem, a espécie humana tem dificuldade em estabelecer o seu limite de crescimento, assim como para se relacionar com outras espécies e com o planeta. Essa é a fronteira entre o conhecimento e a ignorância humana sobre sua própria casa, o Planeta Terra (DONELLA, 1997). O conhecimento ambiental se fez necessário desde o surgimento dos primeiros seres humanos na Terra, pois estes precisavam conhecer um pouco do ambiente em que viviam para conseguirem sobreviver. Com a urbanização e a evolução da civilização, a natureza passou a ser vista como um meio de suprir as necessidades humanas. A partir daí, o ser humano começa a retirar, consumir e descartar os bens naturais sem se preocupar em repô-los. O dia 5 de junho é tido como o Dia Mundial do Meio Ambiente e para repensarmos nestas questões trouxemos aqui uma ideia de reciclagem para a escola. Mas não é uma ideia qualquer. Aqui ninguém se contentou em separar os resíduos ou reutilizar papel, essa ideia fez do “lixo” uma escola literalmente. Dois mil pneus, cinco mil garrafas de vidro, dois mil metros quadrados de papelão e oito mil latas de alumínio. O que dá para fazer com isso? Acredite: uma das respostas é “uma escola”, e ela já está de pé, lá no Uruguai. Quem projetou a construção de 270 m² foi Michael Reynolds, um norte-americano que nos anos 60 percebeu que a arquitetura havia abandonado o ser humano e fundou uma comunidade para viver de forma mais inteligente e harmônica com a natureza. Há 45 anos ele criou a Earthship, especializada em edifícios sustentáveis e de baixo custo. A escola de Jaureguiberry, no Uruguai, tem placas de energia solar e moinhos de vento para gerar energia, além de hortas para a produção de alimentos orgânicos. 60% do material utilizado na escola é reciclado. Desde 2014, os moradores da região foram apresentados ao projeto e fizeram o possível para torná-lo real. Assim como 200 voluntários do Uruguai e de outros países que colocaram a mão na massa durante as

sete semanas de construção, aprenderam o método de Reynolds e poderão replicá-lo pelo mundo. A escola sustentável atenderá cerca de cem alunos por ano, com um modelo de ensino que os coloca em contato direto com a natureza e o meio ambiente. O objetivo é ressignificar a escola, fazendo dela um espaço de encontro para comunidade, setor público e privado, com aprendizados sobre inovação e sustentabilidade desde a construção até as aulas. Neste endereço você encontra um vídeo sobre o projeto e imagens da escola: https://youtu.be/U5DpM6JB7sM

Texto: Jaime A. Tasca Filho Referências: DONELLA, M. Conceitos para se fazer Educação Ambiental - Secretaria do Meio Ambiente, 1997. http://www.hypeness.com.br/2016/05/uruguai-ganha-primeira-escolapublica-100-sustentavel-da-america-latina/ http://www.abq.org.br/simpequi/2011/trabalhos/46-102.htm

3 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 29 - Maio de 2016

Saúde

Bucal dos Adolescentes em Foco... Aparelhos ortodônticos, terceiros molares (dentes do ciso) e má respiração são apenas algumas das novidades que os adolescentes têm de experimentar quando passam pela transição da infância à vida adulta. Uma vez que eles estão ocupados com a escola, trabalhos, esportes e atividades sociais, — além de comer muitas besteiras — você tem de lidar com prováveis problemas dentários, como a cárie. A melhor maneira de cultivar um sorriso bonito e dentes saudáveis é continuar com os bons hábitos bucais iniciados desde a infância. A seguir, confira algumas dicas para te ajudar a passar pela adolescência livre de cárie: • Cuide bem de seus dentes. Isso significa escová-los pelo menos três vezes ao dia usando um creme dental fluoretado e passar o fio dental todos os dias. Adolescentes se preocupam muito com a aparência. Uma má higiene bucal pode levar a manchas nos dentes, mau hálito, perda de dentes e a muitos outros problemas dentários. • Use escovas de dente macias, que não irão prejudicar suas gengivas. E tenha mais de uma escova, para deixar em casa e outra levar com você na mochila ou bolsa. • Coma mais frutas e vegetais nos lanches e menos doces e salgadinhos. • Converse com seus professores a respeito dos perigos do tabagismo e dos danos causados à saúde bucal. Além disso, visto que alguns adolescentes sofrem pressões sociais para começar a fumar ou usar piercings na boca, é importante que você converse com seus pais sobre os perigos para que eles conheçam as consequências.

Esta página é uma produção conjunta da Coordenação de Comunicação e Cultura e da Unidade Básica de Saúde da Família Dr. Romeu Selistre Sobrinho ( UBSF – CAIC) 4 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com

Jornal de Maio  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you