Page 1

BOLETIM INFORMATIVO MENSAL

Muitos remetem o dia da mulher ao incêndio ocorrido no dia 25 de março de 1911 em uma fábrica têxtil de Nova York, em que cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Com toda a certeza o incidente ocorrido nesse dia foi um marco na luta feminina do século XX, porém o primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908, durante uma manifestação nos Estados Unidos, onde 1500 mulheres aderiram em prol de reformas que garantissem igualdade política e econômica entre os sexos. Mas foi em 1910 na II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, onde se decidiu instituir uma data anual que demarcasse as lutas femininas, essa resolução foi votada e aprovada por representantes de mais de 17 países. No entanto somente em 1921 foi oficializado o dia 8 de março como o "Dia Internacional da Mulher". Essa data surge em 1917 durante a Primeira Guerra mundial , no dia 8 de março (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia, até então) em torno de 90 mil operárias protestaram contra Czar Nicolau II, as péssimas condições de trabalho, a fome e a participação da Rússia na guerra, tal protesto ficou conhecido como Pão e Paz.

ABRIL de 2016

ANO V

Nº28

Funcionárias do Instituto de Resseguros do Brasil, primeira empresa no Brasil a ter uma creche para filhos e filhas das funcionárias. Foto: Divulgação.

Em comemoração ao "mês da mulher" no mês de março o CAIC promoveu uma série de atividades direcionadas ao público feminino da comunidade escolar. Palestras, rodas de conversas entre outras..., marcaram principalmente as noites da escola. Assuntos como a saúde feminina, os desafios da mulher contemporânea e os enfrentamentos à violência doméstica, foram discutidos pela equipe do Centro juntamente com a comunidade escolar e todas e todos que fizeram parte deste grandioso momento de troca de saberes.

"O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações, violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países", explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feminista pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp) Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/8-marco-dia-internacionalmulher-genero-feminismo-537057.shtml

O “Acontece no CAIC“ também está na internet você pode conferir estas e outras notícias através do link: https://www.facebook.com/acontecenocaic/?fref=ts

1 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016 25 de maio (quarta-feira)

E

neste mês de maio O CAIC estará

completando 22 anos para, comemorar esta data tão importante estamos com uma grande programação para toda a comunidade...

8h30 – 11h50m – Gincana com os estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental. Organização: A atividade será desenvolvida pelos professores com a gestão do CAIC. 03 de Junho (sexta-feira) 11h15m - Apresentação Hip Hip – Lucas. 11h30m – Apresentação de Dança – Elisabel. Local: Teatro de Arena. Público-Alvo: Estudantes e profissionais do turno da manhã.

Confira aqui a programação de aniversário do CAIC 22 Anos de história para contar...

Organização: A atividade será no Teatro de Arena, as turmas descem com os seus professores já com o material, ao final da atividade estão liberados. Previsão de encerramento: 11h45m.

Turno da Manhã

Turno da Tarde

16 de maio (segunda-feira)

18 de maio (quarta-feira)

10h30m - 11h – Vem Cantar... MusiCAIC. Local: Teatro do CAIC. Público-Alvo: Crianças da Educação Infantil e quarto ano. Participação: Débora Amaral, Anderson Souza, Lucas Mendes.

16h 16h30m – Entardecer Cultural (Vem cantar... músiCAIC). Local: Teatro do CAIC. Público-Alvo: Crianças da Educação Infantil. Participação: Débora Amaral, Anderson Souza, Lucas Mendes.

Organização: Apresentação com tatames no chão, almofadas, decoração da sala de leitura da biblioteca. 21 de maio (sábado) 9h – 11h - Passeio Ciclístico Local de saída: CAIC. Local de chegada: Lago do Centro de Convivências. Organização: Inscrições prévias na secretaria de 09 até 16 de maio.

23 de maio (segunda-feira) 09h45m – 10h15m – Biblioteca Itinerante no Recreio. Local: Pátio do CAIC. Público-Alvo: todos estudantes que estarão no recreio, contemplando os dois recreios (anos finais e quarto ano). Organização: Biblioteca Casa do Saber.

16h50 17h15m – Entardecer Cultural (Vem cantar... músiCAIC). Local: Teatro do CAIC. Público-Alvo: Crianças do primeiro e segundo ano. Participação: Débora Amaral, Anderson Souza, Lucas Mendes. Organização: Apresentação com tatames no chão, almofadas, decoração da sala de leitura da biblioteca. Repertório Infantil ou Infanto-juvenil, de acordo com o público-alvo. 19 de maio (quinta-feira) 16h 16h30m – Entardecer Cultural (Vem cantar... músiCAIC). Local: Teatro do CAIC. Público-Alvo: Crianças e adolescentes do quinto ano.

Participação: Débora Amaral, Anderson Souza, Lucas Mendes.

2 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016

16h50 17h15m – Entardecer Cultural (Vem cantar... músiCAIC). Local: Teatro do CAIC.. Público-Alvo: Crianças do terceiro e quarto ano. Participação: Débora Amaral, Anderson Souza, Lucas Mendes. Organização: Apresentação com tatames no chão, almofadas, decoração da sala de leitura da biblioteca. Repertório Infantil ou Infanto-juvenil, de acordo com o público-alvo. 25 de maio (quarta-feira) 14h – 17h20m – Atividades em circuito com os estudantes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1°, 2° e 3° anos). 14h – 17h20m – Churipão no Galpão Criolo da FURG com os 4° e 5° anos. Organização: a atividade será professores com a gestão do CAIC.

desenvolvida

pelos

31 de maio (terça-feira) 15h30 – 15h45m (terça-feira) – Biblioteca Itinerante no Recreio. Local: Pátio do CAIC. Público-Alvo: todos estudantes que estão no recreio. Organização: Biblioteca Casa do Saber.

Resultado do Concurso para escolha do nome da rádio do CAIC Desde o inicio do ano de 2016 estamos com nossa Rádio no Recreio. Organizamos um concurso para escolher o nome e a logo. Confira aqui os nomes dos estudantes que participaram e foram premiados pelos lindos desenhos e nomes sugeridos: Denise Santos (5° ano A); Eduarda Almeida (5° ano A); Érica (4° ano C); João Silveira (8° ano B); Kelvin (4° ano A); Kethellen (6° ano B); Luana (8° ano A); Luara (8° ano B); Patrick Pretes (6° ano B); Yasmin (9° ano C).

Logo e nome da Rádio do CAIC:

Turno da Noite As apresentações músicas serão abertas para o público em geral e estudantes do CAIC (EJA). A gincana é uma atividade voltada para os alunos regularmente matriculados na Instituição. 25 de maio (quarta-feira) 19h15m – 19h50m – Toni Voss in Concert. Local: Teatro do CAIC. 19h50m – 22h – Gincana com a EJA (Encerramento e divulgação dos resultados). Local: Teatro do CAIC. 30 de maio (segunda-feira) 19h15m – 19h50m – Débora e Convidados. Local: Teatro do CAIC.

3 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016

http://www.todamateria.com.br/tribos-urbanas/ http://funkcomestilo.blogspot.com.br/2010/11/tribos-urbanas.html http://lucrisbenatti.blogspot.com.br/2010/11/rappers.html

As tribos tem um papel importante na sociedade, elas acolhem, apoiam e principalmente entre os jovens elas proporcionam um ambiente par a discussão de novas ideias e o surgimento de questionamentos. Mas nem só de coisas boas e legais se fazem esses coletivos. Um bom exemplo disso são os grupos que se unem para incitar, apoiar ideais e atitudes racistas, homofóbicas e de tantas outras formas preconceituosas. O importante é que as crianças e jovens tenham sempre em mente que independente de qual for a tribo, estilo, ou mesmo se você não se identifica 100%, com um grupo ou outro, esse coletivo deve ser um local de convivência que os permita crescer e melhorar. Uma tribo legal tem que ser um grupo que respeite as particularidades dos sujeitos e mais que isso respeite as pessoas que não pertencem a esse mesmo grupo. A chave para a convivência e coexistência desses grupos é o respeito e a tolerância e para que isso exista é necessário o conhecimento e a compreensão dos modos e estilos de vida uns dos outros.

Curiosidades: Você sabe como nasceu o Wolverine? O herói dos quadrinhos e do filme X-Men, ao contrário do que vocês podem estar pensando não saiu de um laboratório. Não! Ele saiu foi da florestar. Isso mesmo! O Wolverine foi inspirado em um animalzinho que parece um pequeno urso e vive nas zonas frias da Sibéria, Escandinávia Alasca e Canadá. Forte, enfezado e supercorajoso o Carcaju ou Glutão, como é conhecido no Brasil, possui as principais características do herói e quando acuado mostra suas garras e ataca até animais bem maiores que ele. Além disso, o Carcaju possui coloração marrom com duas faixas mais claras na lateral do corpo, vive solitário e não tolera que outros animais invadam o seu território. E ai? Parece ou não?

Dica de beleza E NÃO É SÓ PARA MENINAS!! Cuidar de sua pele enquanto adolescente é importante

Skatistas Funkeiros Rappers Roqueiros

Nerds Drag Queens Andrógenos Cosplayers

Sertanejos Pagodeiros

Surfistas Hippies

para ter uma boa pele para quando for um adulto. Durante a adolescência, a pele sofre alterações devido aos hormônios produzidos pela puberdade. A pele oleosa é comum, mas pode levar às erupções e acne. Para manter um rosto legal você pode tentar algumas

Punk Góticos Emos Rastafaris

técnicas de beleza em casa e controlar a condição de sua pele. Sempre lave o rosto antes de colocar maquiagem, e lave o rosto novamente à noite. Dormir com maquiagem pode obstruir os poros e causar um acúmulo de oleosidade. Adolescentes podem tentar tratamentos faciais caseiros usando farinha de aveia. Colocar uma máscara cozida de aveia fria no rosto é uma

Eae?? Qual é a sua tribo?? Quer saber mais sobre elas? Não encontrou a sua ? Que tal dar uma olhada nesses links e descobrir... http://tribosestilosetc.blogspot.com.br/2011/05/sertanejo-moda-countryurbana.html

maneira eficaz de manter a pele calma e naturalmente brilhante. Outra aliada é a borra de café, que depois de fria se esfregada com movimentos circulares e leves atua como um ótimo esfoliante caseiro.

4 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016

Você sabia que um sapo pode comer até 100 moscas por dia? Nosso amigo ai em baixo quase chegou lá, ele já comeu 97. Vamos ajuda-lo a encontrar as que faltam?

Atrás das lendas... Conheça bichos que aparecem nas histórias de muitos povos, mas que só vivem na imaginação das pessoas. Ou será que você já viu um deles? Basilisco: Se um ovo de galinha for chocado por um sapo nasce um basilisco, uma criatura estranha com corpo de cobra peito e cabeça de galo e rabo de lagarto. Conta uma lenda antiga que o primeiro desses bichos também conhecido como rei das serpentes, foi criado por um rei na Grécia, ele era tão assustador que até outras serpentes tinham medo dele. Dizem que se alguém fixar o olhar nos olhos amarelos do bicho vira pedra.

Confira nas próximas edições outras lendas e outros animais que fazem parte delas. Até lá!

5 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016

são privilegiados, em detrimento de Olá educadoras e educadores! É com muita satisfação que mais uma vez estamos aqui para bater um papo com vocês, e este mês o assunto que nos une é a música. Aliás, nos une ou nos separa? Pois é! Não muito raro nos deparamos com pessoas ou grupos de pessoas que acabam travando verdadeiras “batalhas musicais”- Mas espera ai! Eu não estou falando de batalhas de Mcs, eu falo mesmo é de briga, de "porradão" mesmo. Ao defender o seu estilo musical, que muitas vezes está ligado aos seus hábitos de vida, algumas pessoas esquecem que outros grupos também são marcados e caracterizados dentro de seus ritmos e melodias. Para entendermos um pouco mais sobre essa discussão nós trouxemos um estilo para debate, mas não é um estilo qualquer, o estilo escolhido é muito presente e às vezes devido às peculiaridades de suas letras acaba causando muita confusão. Nascido nos EUA na década de 60, o FUNK só virou ritmo dançante em meados de 1969, quando ganhou o mundo com James Brown*. No Brasil o funk aparece nas vozes de grandes nomes como Tim Maia, Tony Tornado, entre outros. Foi no começo dos anos 70 que surgem as primeiras equipes de som (Soul Grand Prix e a Furacão 2000) que organizavam bailes dançantes. De lá para cá o ritmo mudou muito, e não só no estilo e na melhoria das batidas, mas também nas letras de suas músicas que falavam sobre a realidade das favelas no sentido de denunciar o desleixo e o descaso com a parcela mais vulnerável da população e hoje fortemente influenciado pela mídia, pela moda e o forte mercado consumista detém-se a exaltar a sexualidade e consumo desenfreado (funk ostentação). O funk traz letras que acabam causando certa aversão ou mesmo chocando as áreas da sociedade que não estão muito acostumadas com essa realidade. Mc Leonardo, cantor e compositor de funk, afirma que desse modo, uma parcela específica de composições e de artistas

outros tantos. "É preciso divulgar os trabalho dos artistas que não estão se enquadrando no mercado apelativo". Sobre essa questão, o manifesto do Movimento Funk é Cultura, ressalta que "sob o comando monopolizado de poucos empresários, a indústria funkeira tem uma dinâmica que suprime a diversidade das composições, estabelecendo uma espécie de censura no que diz respeito aos temas musicais." Representação do funk na mídia. Os participantes da iniciativa têm buscado, a partir da mobilização de artistas, levar adiante a criação da Associação de Profissionais e Amigos do Funk (APAFunk). Leonardo explica que a ideia da Associação surgiu da constatação da importância de se organizar para fortalecer o movimento. “Somente juntos poderemos lutar pra que o funk tenha papel social dentro das favelas, pois hoje é inviável desenvolver esse papel no mercado”, afirma o MC. A professora Adriana Facina, uma das idealizadoras do movimento, completa afirmando que a APAFunk tem um papel fundamental na busca por “produzir espaços alternativos para a divulgação de uma produção musical que não encontra hoje seu lugar no mercado”. Além de buscar divulgar o funk que está à margem da indústria da música e da mídia, a Associação também terá o papel de apoiar os artistas na garantia de seus direitos, oferecendo assessoria jurídica e de imprensa. Então pessoal, espero que vocês tenham gostado de saber um pouco mais sobre esse etilo musical, que apesar de sofrer tanto preconceito não é assim TÃO indecente e ordinário. Como vocês podem perceber o funk assim com boa parte, até arrisco em dizer, toda a nossa sociedade vem sofrendo com as influências do mercado capitalista, que acaba por transformar as pessoas e tudo o que elas produzem em mercadorias. Cabe a nós lutarmos contra isso todos os dias, estando convictos dos nossos valores e defendendo aquilo que acreditamos. O funk pode sim, ser uma grande arma, mas como todas as armas se cair em mãos erradas elas acabam ferindo quem deveria proteger. Pra quem quiser saber mais sobre o assunto ou mesmo sobre o Movimento Funk é Cultura abaixo estarão alguns links. http://funkcomestilo.blogspot.com.br/2010/11/tribos-urbanas.html http://of.org.br/noticias-analises/funk-como-manifestacao-cultural/ Texto: Jaime A. Tasca Filho

6 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016

Cronograma UBSF CAIC. Pré-natal Todas as terças - feiras às 14:00 hs – agendar sua consulta; Puericultura Todas as quintas – feiras às 14:00 hs – agendar sua cultura;

Dias de vacinas Influenza 07/05/2016 das 08:00 até as 17:00 hs; Multivacinação 11/06/2016 das 8:00 até as 17:00 hs; Poliomielite 22/08/2016 das 8:00 até as 17:00 hs; HPV 1° e 2° dose Meninas de 9 a 13 anos;

Cuidado com o Vírus A gripe H1N1 consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe Influenza tipo A ou gripe suína, ela se tornou conhecida quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010.

Causas As primeiras formas do vírus H1N1 foram descobertas em porcos, mas as mutações conseguintes o tornaram uma ameaça também aos seres humanos. Como todo vírus considerado novo, para o qual não costuma existir métodos preventivos, o vírus mutante da gripe H1N1 espalhou-se rapidamente pelo mundo. A transmissão ocorre da mesma forma que a gripe comum, ou seja, por meio de secreções respiratórias, como gotículas de saliva, tosse ou espirro, principalmente. Após ser infectada pelo vírus, uma pessoa pode demorar de um a quatro dias para começar a apresentar os sintomas da doença. Da mesma forma, pode demorar de um a sete dias para ser capaz de transmiti-lo a outras pessoas. É importante ressaltar que, assim como a gripe comum e outras formas da doença, a gripe H1N1 também é altamente contagiosa.

Fatores de risco: Gestantes, doentes crônicos, crianças pequenas, pessoas com obesidade e com outros problemas respiratórios também estão entre os grupos mais vulneráveis para gripe H1N1. Os demais fatores de risco seguem a mesma linha daqueles enumerados para outros tipos de grupo. Permanecer em locais fechados e com um aglomerado de pessoas, levar as mãos à boca ou ao nariz sem lavá-las antes e permanecer em contato próximo com uma pessoa doente são os principais fatores que podem aumentar os riscos de uma pessoa vir a desenvolver gripe H1N1.

Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma. O problema da gripe H1N1 é que ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo levar os pacientes até mesmo à morte. O surto começou no México, onde uma doença respiratória alastrou-se pela população e chegou rapidamente aos Estados Unidos, Canadá e, depois, para o restante do mundo – graças às viagens aéreas.

7 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 28 - Abril de 2016 Lave sempre as mãos com água e sabão e evite levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca

Sintomas de Gripe H1N1 Os sinais e sintomas da gripe H1N1 são muito parecidos com os da gripe comum, mas podem ser um pouco mais graves e costumam incluir algumas complicações também.

Veja:

Leve sempre um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos sempre estejam esterilizadas Mantenha hábitos saudáveis. Alimente-se bem e coma bastante verduras e frutas. Beba bastante água Não compartilhe utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros

Febre alta Tosse Dor de cabeça Dores musculares Falta de ar Espirros Dor na garganta Fraqueza Coriza Congestão nasal Náuseas e vômitos Diarreia. As complicações decorrentes da gripe H1N1 são comuns em pessoas jovens, o que é bastante difícil de acontecer em casos de gripe comum. A insuficiência respiratória é um sintoma frequente da gripe H1N1 que não é devidamente tratada. Em casos graves, ela pode levar o paciente à morte.

Se achar necessário, utilize uma máscara para proteger-se de gotículas infectadas que possam estar no ar; Evite frequentar locais fechados ou com muitas pessoas; Verifique com um médico se há necessidade de tomar a vacina que já está disponível contra a gripe H1N1;

Vacinação: A vacinação normalmente é oferecida na rede pública para pessoas dentro dos grupos de risco, ou seja: Crianças entre 6 meses e 5 anos Idosos acima de 60 anos Gestantes Portadores de doenças crônicas, como bronquite e asma. Quem não se encaixa nesses grupos, mas quer se prevenir, deve buscar a vacina em clínicas particulares. Fontes e referências: Ministério da Saúde Organização Mundial da Saúde Hospital Israelita Albert Einstein http://www.minhavida.com.br/saude/temas/gripe-h1n1

Tratamento de Gripe H1N1: A maioria dos casos de gripe H1N1 foi sanada completamente sem a necessidade de internação hospitalar ou do uso de antivirais. Em alguns casos, no entanto, o uso de medicamentos e a observação clínica são necessários para garantir a recuperação do paciente.

Prevenção: A prevenção de gripe H1N1 segue as mesmas diretrizes da prevenção de qualquer tipo de gripe, só que o cuidado deve ser redobrado: Evite manter contato muito próximo com uma pessoa que esteja infectada

Esta página é uma produção conjunta do Núcleo de Comunicação e Cultura e da Unidade Básica de Saúde da Família Dr. Romeu Selistre Sobrinho ( UBSF – CAIC)

8 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com

Acontece no CAIC - ABRIL  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you