Page 1

BOLETIM INFORMATIVO MENSAL

MARÇO de 2016

ANO V

Nº27

DE CARA NOVA Ola pessoal!! O Jornal “Acontece no CAIC”” está de cara nova. Nessa nova edição ele ele retorna recheado de novidade. Organizado em quatro cadernos (Informações Institucionais, Caderno Jovem, Caderno do Professor e De Olho na Saúde) ele vem para divulgar, divulgar, informar e entreter entrete a comunidade escolar em geral. Aproveitem ao máximo!! Bjs...

Fotos: Jaqueline Chaplin

E o ano letivo começou... No dia 22 de fevereiro recebemos nossos estudantes para o início das aulas. Foi um dia de muita alegria e reencontros com os colegas. Sejam muito-benvindos benvindos à Escola Municipal Cidade do Rio Grande (CAIC/FURG) e aproveitem cada momento aqui com os professores, os amigos e as aprendizagens oportunizadas. Texto : Maria de Fátima S. da Silva

O “Acontece no CAIC“ também está na internet você pode conferir estas e outras notícias através do link: https://www.facebook.com/acontecenocaic/?fref=ts

[Digite texto] O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

Atividades sobre as Mobilizações contra o Zica Vírus Durante o retorno as aulas, no dia 22 de fevereiro, estiveram fazendo panfletagem e conversas com os estudantes e suas famílias sobre a necessidade de cuidarmos de nossos pátios, não deixar água parada em qualquer tipo de recipiente, depositar o lixo somente em locais apropriados para tal, limpar regularmente as caixas d'água e demais cuidados que devemos tomar para acabar com a propagação das doenças relacionadas relacionada ao Aedes aegypti. Participaram da atividade, além dos profissionais da Universidade Federal do Rio Grande que atuam no CAIC, bolsistas, funcionários, professores e gestão da Escola Municipal Cidade do Rio Grande (CAIC). Texto: Maria de Fátima S. da Silva

Foto: Jaqueline Chaplin

Foto: Jaqueline C. dos Santos

Ainda na manhã do dia 26, o tenente Vieira junto da Sargento Jordana realizou uma palestra no teatro da Escola, alertando e esclarecendo as principais questões referentes ao zica vírus, além de reforçar as formas de prevenção da doença e da reprodução ção do mosquito. Essa palestra faz parte da campanha que vem sendo realizada pela Marinha do Brasil e deverá passar em todas as escolas

O ano letivo de 2016 “vem com tudo”. Além das novidades nos ambientes da escola, que buscam trazer maior conforto a comunidade escolar, as professoras e professores chegaram cheios de novas idéias e com muitas propostas interessantes. As atividades diferenciadas da primeira semana contaram com passeios para reconhecimento do interior da escola, aulas ao ar livre, li música ao vivo, festa e muitas outras atividades que tem com objetivo, além de recepcionar os alunos, mostrar que existem muitas maneiras diferentes de ensinar e aprender.E como já dizia nosso saudoso Paulo Freire: “Não “ há saber mais ou saber menos: Háá saberes diferentes.”

2 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com comunicacaocaic@gmail.


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

Olá juventude “caiqueira”! Este é o “Caderno Jovem”, uma página inteiramente destinada à vocês. Neste espaço vocês encontrarão um material pensado e selecionado com a intenção de informar, auxíliar e entreter vocês. Esperamos que gostem. Beijos!!

Para abrir essa página em grande estilo, este mês o caderno jovem vem falar de um assunto que deve, ou ao menos deveria interessar a grande maioria dos jovens, a “vida virtual”. É isso mesmo! Quem aqui ainda não ouviu falar de Facebook, Facebook Instagram, ou no tão famoso Whatsapp? Essas e tantas outras páginas de rede sociais tornaram-se parte da vida de quase todos os jovens de hoje.. Curtir páginas, falar com amigos, saber da vida dos famosos, postar e curtir fotos, essas e outras práticas virtuais são, hoje, mais comuns que escovar os dentes. O que você faz logo que acorda? Pega o celular e confere as redes ou vai ao banheiro e faz sua higiene? Nem precisa cisa responder. É claro que olhar olha o celular, vai ser a grande maioria das respostas, aliás, na maior parte das vezes ele esteve a noite toda com você. Mas vocês devem estar pensando: E daí? Quem não faz isso hoje em dia? Qual é o problema? O problema não é fazer parte das redes de comunicação virtual, não é gostar de ter várias “curtidas” ou o de curtir várias coisas, oisas, o problema nas redes sociais começa quando a nossa vida foge do nosso controle. A internet não é um espaço tão seguro e passageiro quanto parece, tudo o que você postar, compartilhar ou publicar, publicar de alguma forma poderá ser salvo ou copiado por alguém. a A partir desse ponto, tudo o que era seu passa a ser do outro e você não tem mais controle sobre isso. Bullying, pedofilia, exposição xposição indevida da imagem, imagem esses e tantos outros problemas podem odem ser causados devido ao mau uso das redes sociais. Os maiores perigos das redes sociais são as pessoas que fazem uso delas. A possibilidade de se postar, comentar, copiar, compartilhar ou “existir na web” de forma anônima faz do mundo virtual um m local muito perigoso, mas e aí, como viver a modernidade e não ão cair nessas armadilhas? Algumas coisas simples podem ajudar muito nesse sentido, conhecer e modificar as configurações de segurança dos aplicativos ivos ou das páginas que se usa, não aceitar em suas redes sociaiss pessoas estranhas, não permitir o compartilhamento compar de

fotos, não enviar ou postar fotos para locais e/ou pessoas desconhecidas ou em quem se tem pouca confiança. Tomar T cuidado com as fotos, check-in in e comentários que se faz em locais públicos. Lembre-se se a brincadeira de hoje, quando mal usada, pode se tornar a tristeza de amanhã. Então a dica é Vamos abrir o OLHO!! E meninas eninas essa vai especialmente para vocês. Fotos e vídeos de nudez e intimidade no geral NÃO são “prova de amor”. Infelizmente vivemos em um mundo machista onde um vídeo ou mesmo uma foto de nudez destrói a vida de meninas e mulheres, mas não muda muita coisa na dos homens, que não raro ainda usam destes materiais para aumentar seu “status de pegador”. E pessoal, vamos combinar, a palavra intimidade já fala por si mesma: SE É ÍNTIMO, NÃO DEVE SER DO CONHECIMENTO DE TODOS.

Você sabia que a Internet no Brasil é mais lenta que a internet da Etiópia? Apesar de ter uma das piores conexões, a internet do Brasil é a mais cara do mundo. Numa comparação da internet do Brasil com a do Japão nosso país perde feio. A velocidade média da conexão de internet no Japão pode chegar a 1 Gpbs. Isso significa na prática que, jogos que nós demoramos duas uas horas para baixar no Brasil, Brasil podem ser baixados no Japão em meio minuto. Fonte: http://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/curiosidades-sobre-ahttp://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/curiosidades internet-no-brasil-e-no-mundo.html

Divulgar fotos , vídeos, e outros materiais com teor sexual sem consentimento do dono pode ser interpretado como crime de acordo com diversas leis: Artigo 139 e 140 do Código Penal; Artigo 241 e Lei 12.737, por exemplo.

3 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com comunicacaocaic@gmail.


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

O Campus Rio Grande do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) nasceu em 1964 como Colégio Técnico Industrial - CTI, junto à Escola de Engenharia Industrial do Rio Grande, uma das instituições que deram origem a Universidade Federal do Rio Grande - FURG, instituição a qual a escola foi vinculada a partir de 1969. Originalmente eram oferecidos os cursos de Refrigeração e Eletrotécnica, atendendo as demandas locais da época. Em 1994, na ocasião do Jubileu de Prata da FURG foi dado o nome de "Professor Mário Alquati" ao Colégio, em homenagem a um de seus idealizadores e diretor durante oito anos. Atualmente, são oferecidos seis cursos de educação profissional Integrados ao Ensino Médio, seis Subsequentes ao Ensino Médio, cinco Integrados à Educação de Jovens e Adultos, três cursos superiores de tecnologia em parceria com a FURG, uma Licenciatura, e um curso técnico na modalidade à distância.

escolas: Getúlio Vargas, Juvenal Muller e Lemos Junior, todas elas oferecem o ensino técnico integrado (ao mesmo tempo) ou subsequente (depois) do Ensino Médio. Entre os cursos estão: secretariado, técnico em comércio exterior, técnico em contabilidade, magistério e técnico em gestão de meio ambiente. Vale a pena dar uma conferida e vocês podem fazer isso pelos endereços ou telefones abaixo: • Escola Técnica Estadual Getúlio Vagas: Rua Dom Bosco, s/n, Cohab I. fone: (53) 3233-1390 • Instituto de Educação Juvenal Muller: Rua Andrade Neves s/n, Centro. Fone: (53) 3232-3746 • Colégio Estadual Lemos Junior: R. Benjamin Constant, 373 - Centro. Fone: 3232-3996

CURSOS TÉCNICOS • • • • • • •

Automação Industrial (Integrado, Subsequente e Proeja) Eletrotécnica (Integrado, Subsequente e Proeja) Enfermagem (Subsequente e Proeja) Fabricação Mecânica (Integrado) Informática para Internet (Integrado e Subsequente/EaD) Geoprocessamento (Integrado, Subsequente e Proeja) Refrigeração e Climatização (Integrado, Subsequente e Proeja)

CURSOS SUPERIORES • • • •

Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Construção de Edifícios Tecnologia em Refrigeração e Climatização Licenciatura para a Educação Profissional e Tecnológica Fonte: http://www.riogrande.ifrs.edu.br/site/conteudo.php?cat=87

Para você que está chegando à reta final do Ensino Fundamental é legal ficar atento a estas informações e começar a se preparar. Pensando nestes jovens que pretendem buscar uma vaga nos cursos oferecidos no IF, o CAIC oferece um curso preparatório em horário diferente ao do turno de aula. As aulas do "Pré-IF" estão previstas para o mês de Maio. Os estudantes do 9° ano e da Quarta etapa da EJA que tiverem interesse devem procurar informações na Coordenação de Projetos e Estágios situada na sala 18 da Escola ao lado da Direção, ou fique atento às notícias pelos meios de comunicações da mesma. (rádio, página do Facebook ou pelo jornal "Acontece no CAIC"). Então, vamos pensar desde cedo pra não perder tempo ou fazer as escolhas erradas. Boa Sorte!

Para maiores informações os interessados podem além de visitar a página do Instituto, entrar em contato com a Secretaria: 32338625 (Prédio 9, sala 933) ou ainda pelo email: secretaria@riogrande.ifrs.edu.br Outras opções legais para quem pensa em um Ensino Médio diferenciado são as escolas que oferecem além do ensino convencional as opções de ensino técnico, como é o caso das

4 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016 Saudações Querido Professor!! Esta página foi pensada para que de alguma forma ela consiga contribuir com as suas atividades. Nela teremos sugestões de materiais e atividades que você poderá utilizar juntamente te com os estudantes da sua turma. Esperamos ser úteis e desejamos um ótimo trabalho.

Entre tantas situações com que os professores têm se deparado em sala de aula uma em especial tem sido alvo de maior atenção, o bullying.. Palavra de origem americana que serve para designar os famosos "valentões", no dicionário português ela não encontra significado exato, mas quando tratada na prática todos sabem do que estamos falando. "Brincadeiras de mau gosto", apelidos, xingamentos, e muitas vezes até agressões físicas, físicas essas e tantas outras formas de agressão, infelizmente estão se tornando rotina em grande parte das escolas, e ai vem a pergunta: O que fazer para lidar com esse tipo de comportamento? Pensando nisso o "Caderno do Professor" traz esse mês algumas sugestões para que juntos, professor e estudantes consigam sigam driblar e vencer esse inimigo. A sociedade passa por um momento onde nunca se deu tanto valor a aparência. Entre os jovens, esse acaba sendo um referencial essencial quando se trata de aceitação do grupo. Se aprender a lidar com a própria imagem não é uma tarefa muito fácil quando se é adulto, dulto, então imagina quando se está na adolescência e tudo o que o espelho reflete é algo do qual queremos fugir. rário do que muitos pensam, não são seres As crianças, ao contrário tão inocentes assim, elas julgam e criticam, muito antes de aprender a ler e escrever, então cabe a nós educadores aprender a lidar e superar essas situações, sempre tendo o cuidado para que ambos os lados sejam afetados o mínimo possível. possível Se por um lado temos que ajudar a vítima do bullying, por outro não nã podemos esquecer que também o praticante necessita de ajuda. Pensando em maneiras de se trabalhar esse assunto tão polêmico, fomos buscar iniciativas que deram certo,, e foi ai que conversamos com uma aluna da Universidade ade Federal do Rio Grande -FURG. Raquel uel Guadalupe Mendonça é graduanda do terceiro ano de Pedagogia - licenciatura e fazz parte do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID a dois anos, e foi através deste Programa que acabou se inserido em um grupo de trabalho que atuou na Escola Santana onde trabalharam com o CyberBullying. Podendo ser considerado uma ma "variação" de bullying, e que para muitos especialistas é ainda inda mais cruel, é por meio de telefones e computadores que os agressores, agressores onde na maioria dos casos permanecem anônimos, seguem perseguido e acuando suas vítimas mesmo fora do espaço da escola. Raquel nos contou que para começar foi feita uma avaliação com o grupo escolar onde os "pibidianos" (como são chamados os graduandos que trabalham no Programa) perceberam perceber grande interesse do grupo pelo o tema, além da necessidade de se fazer algum tipo de intervenção na área. As atividades consistiam em

problematizar as questões referentes às práticas de bullying através de oficinas,, além de um grupo de discussão criado com os o próprios alunos. Estas tarefas eram realizadas em período inverso ao turno das aulas e a participação dos interessados era livre. Quem se sentia à vontade poderia fazer parte das programações semanais, que eram pensadas para par dois públicos distintos: crianças dos anos iniciais e jovens das turmas finais. Um diferencial neste projeto é que as atividades pensadas para os menores tiveram a contribuição dos alunos dos anos finais, finais o que fez com que estes passassem a diante o que haviam aprendido no decorrer do trabalho. Teatro, dinâmicas em grupo, entre outras práticas cas foram usadas no decorrer das atividades. atividades Como já era de se esperar apareceram algumas dificuldades, durante as rodas de conversas surgiram enfrentamentos, quando os jovens percebiam ou mesmo relatavam rel ter sido vítimas de bulling e muitas vezes pelos próprios colegas que estavam no grupo de discussão. Nas palavras da estudante "o trabalho não foi muito fácil, é um tema muito to polêmico, polêmico mas ao final rendeu bons frutos". Um produto muito significativo foi a produção, produção feita pelos estudantes da escola em conjunto com os graduandos, gra de uma revista digital. Esta revista teve lançamento na Feira do Livro de 2016, e agora espera aprovação para fazer parte de um material ma que será disponibilizado à rede pública municipal mu para se trabalhar a temática em sala de aula. aula Raquel chama a atenção para essas práticas que podem ser vividas cotidianamente dianamente e estarem "mascaradas" por falsas brincadeiras, onde só quem sofre sente. Ainda lembra que muitas vezes o próprio professor pode ser o praticante do bullying e adverte que, para trabalhar com esse tema ele deve estudar e pesquisar bem, livros, sites, etc e estar despido o máximo possível de preconceitos. Texto Jaime A. Tasca Filho

De acordo com a especialista,, Luciene Tognetta, da Faculdade de

Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) a escola precisa encarar com seriedade as agressões entre os alunos. O cyberbullying não pode ser visto como uma brincadeira de criança. A busca pela solução lução ou pela prevenção inclui reunir todos - equipe pedagógica, pais e alunos que estão ou não envolvidos diretamente - e garantir que tomem consciência de que existe um problema e não se pode ficar omisso. Veja, a seguir, ações ao alcance das escolas:

Como Prevenir... Ensinar a olhar para o outro: Criar riar relacionamentos saudáveis, em que os colegas tolerem as diferenças, tenham senso de proteção coletiva e lealdade. É preciso desenvolver no grupo a capacidade de se preocupar com o outro, construindo uma imagem positiva de si e de quem está no entorno. Deixar a turma falar: Em um ambiente equilibrado, o professor forma vínculos estreitos com os estudantes, que mostram o que os deixa descontentes e são, de fato, reconhecidos quando estão

5 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com comunicacaocaic@gmail.


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

sofrendo - o que é diferente de achar que não há motivo para se chatear. Dar o exemplo: See a equipe da escola age com violência e autoritarismo, os jovens aprendem que gritos e indiferenças indiferença são formas normais de enfrentar insatisfações. Os professores sempre são modelos (para o bem e para o mal). Mostrar os limites: É essencial estabelecer belecer normas e justificar o porquê devem ser seguidas. Às vezes, por medo de serem ser rígidos demais, os educadores deixam os adolescentes "soltos". " Mas eles nem sempre sabem o que é melhor fazer e precisam de um norte. norte Alertar para os riscos da tecnologia: O aluno deve estar ciente da necessidade de limitar a divulgação de dados pessoais nos sites de relacionamento, o tempo de uso do computador e os conteúdos acessados. Quanto menos exposição da intimidade e menor o número de relações virtuais, mais seguro ele estará. Ficar atento: Com um trabalho de conscientização constante, os casos se resolvem antes de estourar. Reuniões com pais e encontros com grupos de alunos ajudam a evitar que o problema se instale.

Como resolver ... Reconhecer os sinais: Identificar as mudanças no comportamento dos alunos ajuda a identificar casos de cyberbullying. cyberbullying É comum as vítimas se queixarem de dores e de falta de vontade de ir à escola. Fazer um diagnóstico: Uma boa saída é realizar uma sondagem, s aplicando questionários para verificar como os alunos se relacionam - sem que sejam identificados. As informações servem de base para discussões sobre como melhorar o quadro. Quando os alunos lêem,, compartilham histórias e refletem sobre elas, ficam mais comprometidos. Falar com os envolvidos: Identificados os indícios, é hora de conversar com a vítima e o agressor em particular - para que não sejam expostos. A escola não pode legitimar a atuação do agressor nem puni-lo com sanções não relacionadas nadas ao mal que causou, como proibi-lo lo de frequentar o intervalo. Se xingou um colega nos sites de relacionamento, precisa retirar o que disse no mesmo meio para que a retratação seja pública. A vítima precisa estar fortalecida e segura de que não será mais is prejudicada. Ao mesmo tempo, o foco deve se voltar para a recuperação de valores essenciais, como o respeito. Encaminhar os casos a outras instâncias: Nas situações mais extremas, é possível levar o problema à delegacias especializadas em crimes digitais. Para que os e-mails mails com ameaças possam ser tomados como prova, eles devem ser impressos, mas é essencial que também sejam guardados no computador para que a origem das mensagens seja rastreada. Nos sites de relacionamento, existe uma opção de denúncia de conteúdos impróprios em suas páginas e, em certos casos, o conteúdo agressivo é tirado do ar. ar Fonte:

TITULO Desde a década de 80 os computadores passaram a fazer parte do cotidiano das salas de aula. Sendo uma ferramenta nova, e nem sempre de fácil acesso, estas máquinas demoraram um pouco a fazer parte dos planejamentos dos professores. Hoje algumas décadas depois a máquina que prometia uma um "ajudinha" tornou-se se indispensável para uma rotina de estudos e/ou trabalho, mas com ela surgiram também alguns contratempos. Nem todos os professores rofessores são familiarizados o suficiente com os computadores, no entanto para os jovens do século XXI, manipular aparelhos eletrônicos cos parece ser algo tão natural que, que muitas vezes eles são alfabetizados virtualmente antes mesmo de serem alfabetizados na escola, e isso acaba sendo mais um gerador de conflitos nas salas de aula. Vasculhando o material da "Plataforma do Letramento" me deparei d com uma matéria que vem mostrar que àss vezes é possível possí um trabalho conjunto onde professores e estudantes aprendem e ensinam simultaneamente. Você Já ouviu falar do "Cronicant Cronicanto"???? Seus criadores são jovens cronistas que se conheceram na semifinal da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, Futuro em Natal (RN), no ano de 2012. Vindos de diferentes localidades, de norte a sul do país, os jovens que se tornariam os criadores desse ambiente construíram laços de amizade e os fortificaram ainda mais no ambiente virtual, o que os levou à ideia de criar um espaço em que pudessem expor seus textos à outras pessoas. No blog, cada cronista produz o seu texto e o envia para ser publicado, de acordo com o planejamento elaborado pelo grupo. Quem orquestra as publicações é a coordenadora, cronista e editora do ambiente, Aline Andrade, de 17 anos, moradora de Cruzeiro do Sul (AC). Aline conta que o blog já tem 24 autores, entre eles 5 homens. Muitos dos participantes revelam ter dificuldades em se expressar oralmente e encontraram no espaço virtual a oportunidade de comunicar o que pensam, como sentem e vêem o mundo. A jovem editora diz que é isso o que incentiva o grupo a continuar escrevendo. As complexidades da língua portuguesa não são obstáculos para esses jovens. “A gente pede ajuda aos professores. Além de aprender com nossas dúvidas, fortalecemos a amizade. A professora que me orientou na Olimpíada sempre revisa meus textos, e hoje somos grandes amigas”, conta Aline. E, caso não encontrem nenhum professor disponível, os blogueiros não se intimidam: pesquisam m na internet, consultam uns aos outros, promovendo a colaboração no grupo, como lembra a coordenadora do ambiente virtual. “Praticamos muita cooperação e colaboração entre nós.” Como ela ressalta, essas práticas têm ajudado a aprimorar o português de todos todo os integrantes, não só na escrita como também na fala. Esse texto é parte da matéria de Maria Izabel Leão que você pode acessar na íntegra ínte pelo endereço:http://www.plataformadoletramento.org.br/em-revistahttp://www.plataformadoletramento.org.br/em reportagem-detalhe

http://revistaescola.abril.com.br/formacao/cyberbullying

6 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com comunicacaocaic@gmail.


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

O Aedes aegypti O Mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem também durante a noite.

movimento dos mesmos. Perda do paladar e apetite. Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores. Náuseas e vômitos· Tonturas. Extremo cansaço. Moleza e dor no corpo. Muitas dores nos ossos e articulações. Texto: Eloisa Marques

O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça. O mosquito transmite doenças como: dengue, zika e chikungunya. Chikungunya SINAIS E SINTOMAS Febre acima de 39 graus, de início repentino, e dores intensas nas articulações de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer, também, dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. Zika SINAIS E SINTOMAS Febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas as juntas e manchas vermelhas pelo corpo. Para maiores esclarecimentos, o médico deverá ser consultado. Dengue SINAIS E SINTOMAS Febre alta com início súbito. Forte dor de cabeça. Dor atrás dos olhos, que piora com o

Esta página é uma construção conjunta do Núcleo de Comunicação e Cultura e da Unidade de Básica de Saúde da Família Dr. Romeu Selistre Sobrinho (UBSF(UBSF CAIC)

7 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail mail comunicacaocaic@gmail.com comunicacaocaic@gmail.


Acontece no CAIC Nº 27 - Março de 2016

Na última semana de fevereiro recebemos a visita de um pássaro, Diamante de Goud. Esse é um pássaro de origem australiana, criado em cativeiro. Nossa Professora Thaís Bachini acionou a Polícia Ambiental, que recolheu nosso visitante e irá cuidar de seu bem-estar e saúde. Agradecemos todos aqueles que estiveram envolvidos com a busca de um melhor encaminhamento para tratarmos com carinho e cuidado nosso visitante. Texto : Maria de Fátima S. da Silva

Aproveitando a visita do nosso amigo, gostaríamos de falar um pouco sobre a relação dos animais e os seres humanos, já que ter um animal de estimação é uma coisa muito comum. Pássaros, cachorros, gatos, peixes e hoje em dia, até mesmo alguns um tanto diferentes, como tartarugas, cobras e lagartos, entre tantos outros tipos de animais, todos podem se transformar nos famosos "Pets". Mas atualmente tão comum quanto ter um bichinho de estimação é abandoná-los depois de um tempo. Quando se resolve ter um animal, seja ele qual for, temos que antes de tudo pensarmos em alguns pontos:

ser o que é por que você acredita que ele é seu bebezinho ou por que você o trata como parte da família, ele ainda é um animal que pode carregar doenças e pragas e por isso todo o cuidado deve ser tomado. Vacinas, banhos, tosas, alimentação correta e muita higiene. Outro ponto é a saúde mental desses animais, vários estudos já mostram que muitos animais podem desenvolver problemas metais relacionados às condições de manutenção. Assim como você não gosta de ver um pássaro em uma gaiola, o seu cão ou o seu gato não deve viver em um local com o mínimo de espaço, e mais uma vez, solta-lo nas ruas não é a solução, principalmente quando falamos dos cachorros que podem transmitir muitas doenças além de atacar pessoas e outros animais. A solução para se ter um animal em boas condições é ter responsabilidade, consciência de que se trata de uma vida e pensar, pensar muito, antes de tomar qualquer decisão. Mãe, pai, ANIMAL NÃO É BRINQUEDO! Vamos tomar cuidado, nem toda a criança gosta, tem interesse, ou responsabilidade para ter e manter um pet. Texto: Jaime A. Tasca Filho

Minha casa terá um local para abrigar adequadamente este animal? Quando adulto que tamanho este bichinho vai atingir? Eu possuo condições financeiras para mantê-lo? Assim como todos os seres vivos os pets se reproduzem, o que eu posso fazer quanto isso? Um ponto muito importante, que nosso amigo Diamante nos trouxe é sobre os animais exóticos. Todo o animal que não faz parte da fauna brasileira é considerado exótico e por tanto NUNCA deve ser solto na natureza, essa medida também serve para outros animais que mesmo sendo brasileiros fazem parte da fauna de um estado diferente do nosso. Quando eu solto um animal estranho em um local onde a espécie dele não existe além de ser uma atitude criminosa, pois a chance de este animal morrer é muito grande, eu ainda corro o risco de que ele se adapte ao local, cruze com outras espécies, se reproduza em grande quantidade e com isso cause um desequilíbrio ecológico, que com toda a certeza irá influenciar a vida de todos. Não devemos esquecer que somos elementos de um ecossistema, que o meio ambiente também é parte de nós, assim como nós somos parte dele e se algo de errado acontecer, mesmo que no campo longe da minha casa ou no arroio no bairro vizinho, por mais que demore, essa mudança vai interferir na minha vida, então a dica é: Pense bem antes de tomar a decisão de ter um animal e se caso você tiver problemas ao manter o bichinho que já tem, busque ajuda soltar nas ruas, nos campos, nos arroios, matar, NUNCA é uma solução, isso é CRIME previsto em lei: - Lei Federal Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, a "Lei dos

Crimes

Ambientais".

- Decreto Lei Nº 24.645, de 10 de julho de 1934, define maustratos aos animais.

O Diamante de Gould, cujo nome científico é Chloebia Gouldiae, é um pássaro originário do norte da Austrália. Os primeiros pássaros foram trazidos para a Europa no século XIX pelo ornitólogo John Gould, sendo que o mesmo batizou esta nova espécie. São aves muito coloridas, podendo ser roxo, preto, verde, amarelo, branco e vermelho, sendo que o macho tem as penas com um colorido mais forte. Desde sua chegada a Europa, a criação de Diamante de Gould cresceu rapidamente, ganhando diversos admiradores em todo o mundo, principalmente por causa da sua beleza e grande variedade de cores. Fonte: http://passarosexoticos.net/diamante-de-gould/

Também fica o alerta para quem acredita que gato e cachorro são animais "feitos" para ser domésticos. Nem um animal deixa de

8 O Acontece no CAIC é uma publicação mensal do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC/FURG), organizada pela Coordenação de Comunicação e Cultura. Revisão de texto Emilly V. F. Paiva. Sugira pautas através do e-mail comunicacaocaic@gmail.com

Acontece no caic - MARÇO  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you