Issuu on Google+

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Comissão de Avaliação Institucional do Centro de Educação CAICE

RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO INTERNA: AUTOAVALIAÇÃO 2010 Centro de Educação/UFSM

Santa Maria, 10 de fevereiro de 2011


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CAICE

Prof. Dr. Felipe Martins Muller Reitor Prof. Dr. Dalvan José Reinert Vice-reitor Adm. Charles Prade Pró-reitor de Planejamento Profa. Drª. Helenise Sangói Antunes Diretora do CE Profa. Drª. Ane Carine Meurer Vice-diretora Profa. Drª. Glades Tereza Felix Coordenadora CAICE


CAICE Gestão 2010/2012 Grupo de Pesquisa Avaliação no Ensino Superior CNPq/UFSM Profª Glades Tereza Félix – ADE (Coordenadora) Profª Fabiane Adela Tonetto Costas – FUE Prof. Hamilton de Godoy Wielewicki – MEN Prof. José Luiz Padilha Damilano – EDE Profª Maria Inês Naujorks – EDE TAE Marlei Mainardi – Nepes Profª. Martha Izabel P. Najar – Sinprosm Profª Simone F. da Silva Gallina – ADE Acad. Carla Maciel da Silva – Educação Especial

Assistentes de pesquisa

Acad. Camila Campagnolo – CEGE Acad. Karoline Brondani Menin – Pedagogia Noturno

Organizadores

Profª Drª Glades Tereza Felix (CAICE) Acad. Camila Campagnolo (CAICE) Acad. Dirlane Pacheco Machado (CEGE) Acad. Letícia Leal (LINCE) Acad. Priscila Caroline Nunes de Oliveira (PPGE) Acad. Tadiele Seffrin Bevilaqua (Direção) Acad. Tiago Luis Badin (LINCE)


SUMÁRIO

Dados de Identificação............................................................................03 Introdução..................................................................................................05 1. A visão do segmento Gestor...............................................................09 2. A visão do segmento Docente...........................................................17 3. A visão do segmento Discente/graduação......................................24 4. A visão do segmento Discente/pós-graduação..............................31 5. A visão do segmento Técnico-administrativo...................................36 6. Prestação de contas Plano de Ação 2010.......................................41 7. Apresentação Plano de Ação 2011...................................................47 8. Considerações Finais............................................................................55 9. Referências............................................................................................58 Anexos....................................................................................................59


5

Introdução

Há uma forte pressão externa derivada das crises econômicas que aguça a consciência da universidade, especialmente no que se refere ao principio ético da prestação de contas a sociedade. Em vista disso a avaliação no Brasil passou a ser um instrumento de controle privilegiado do qual lançam mão os sistemas educacionais, os gestores, as empresas e as famílias. Instalada no poder, nas instâncias administrativas, no imaginário da sociedade, introjetada na mídia e apoiada pelo empresariado, ainda que existam críticas da área especializada, esse procedimento tem tido significativa importância. Em nível local, desde o ano de 2008, a UFSM vem tentando se adequar, de modo mais articulado, as exigências do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) coordenado pelo MEC/INEP, Imbuída neste aprendizado, a Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Instituição, em 2008, 2009 e 2010 implementou e coordenou a fase denominada Avaliação Interna: autoavaliação no âmbito da instituição, que abrange oito (8) Centros de Ensino, dois (2) Colégios Técnicos, um (1) Hospital Universitário e duas (2) extensões (UDESSM, CESNORS). Entretanto, até então, estudos comparativos (2008 e 2009) indicam que a avaliação ainda não é uma prioridade para os diferentes

segmentos

da

UFSM,

devido

os

reflexos

da

fraca

participação. O quadro a seguir reflete uma visão mais clara do número de participantes da instituição e da unidade acadêmica.


6

Quadro 1– Totalizações da UFSM e do CE/2010

Discente graduação

To tal Participação % UFSM UFSM 16.974 3.069 18%

Discente pós-graduação

2.528

256

10%

187

45

24%

Docentes

1.329

451

33%

92

30

32%

Técnico-administrativo

998

177

17%

26

11

42%

Gestores

640

258

40%

30

16

53%

4.211

19%

1.309

376

29%

Segmento

Total

22.469

Total CE 974

Participação % CE 274 28%

Fonte: CPD/UFSM -2010

Em vista disso, este Relatório apresenta os resultados finais do processo de avaliação interna: autoavaliação ocorrida no Centro de Educação da UFSM em consonância com o processo institucional ocorrido de 22 de outubro a 20 de novembro passado. No Centro de Educação (CE) o processo se desenvolveu e foi coordenado pela Comissão de Avaliação Institucional do Centro de Educação (CAICE) de 25 a 29 de outubro de 2010, em atendimento ao Programa de Avaliação Institucional do CE (PAICE) 1 por meio do Projeto de Evento denominado Semana da Avaliação (anexo) registrado no GAP/CE cujo objetivo visa acompanhar, implementar e problematizar o processo de avaliação interna: auto avaliação da UFSM no Centro.

1Elaborado

e coordenado pela CAICE em atendimento prioritário aos resultados do processo da Avaliação Institucional/UFSM 2008. Composto de quinze (15) projetos entre os quais cinco (5) são de Pesquisa; dois (2) de Extensão; quatro de Ensino e três de (3) Eventos. Desenvolver-se-á entre 2008/2012, visando implantar e consolidar uma cultura de avaliação por meio dos princípios e referentes do formato da Avaliação Institucional


7

A metodologia se desenvolveu por meio da consulta online e voluntária aos cinco segmentos através de instrumentos específicos organizados pela CPA, contemplando as dez dimensões do SINAES, os quais puderam ser acessados por tempo determinado na página da instituição com senha pessoal. No Centro, conforme previsto no projeto o evento se desenvolveu por meio de três fases bem distintas: a sensibilização, o processo e a meta-avaliação. A sensibilização Campanha visual, por meio de um cartaz nas cores azul e amarelo produziu-se um ponto de interrogação que foi afixado em todas as dependências do CE; 1. envio de carta aberta ao endereço eletrônico de todos os docentes, TAES e alunos(anexo); 2. participação dos membros da CAICE em reuniões departamentais para informar e convidar aos docentes a participarem, reuniões com os TAES e DACE; 3. carta específica aos docentes coordenadores de estágio (anexo); 4. credenciamento de membros da comunidade para participarem da avaliação conduzindo as turmas ao LinCE para avaliarem; 5. reuniões preparatórias com todos os colaboradores 6. testagem das máquinas do CE; 7. validação antecipada dos instrumentos com a equipe colaboradora; 8. mapeamento das turmas e 9. organização de cronograma de equipes para acompanharem os alunos nos três turnos ao LinCE.

O processo 1. Aprovação do Projeto de Evento e Pesquisa denominado Semana da Avaliação do CE (25 a 29 de outubro 2010) antecipadamente na reunião do Conselho do CE;


8

2. de segunda a sexta, manhã, tarde e noite, uma equipe previamente credenciada buscava os alunos e professor em aula e levava-os até o LinCE para procederem a avaliação; 3. eram lavradas atas por turmas constando o número de participantes e a localização da turma; 4. foi enviado aos membros da comunidade dois boletins eletrônicos parciais com os dados enviados pelo CPD sobre a participação (anexo); 5. como reforço, inovação e criatividade, foram realizadas visitas aos setores convidando para a avaliação e solicitando manifestação oral e escrita sobre quais melhorias o setor necessita; as sugestões puderam ser enviadas até 15/01/2011 por memorando ou emails à Direção; 5. de 1.309 membros integrantes da comunidade do CE observamos que somente 29% participaram do processo, ou seja, 376. Tais dados serão melhormente informados e refletidos nos capítulos atinentes a cada segmento.

A Meta-avaliação A avaliação da avaliação se iniciou pelos boletins parciais encaminhados a comunidade para posteriormente desencadear outras atividades como: 1. apresentação dos dados finais da participação dos diferentes segmentos da UFSM e do CE em reuniões departamentais, TAES e DACE; 2. em dezembro de 2010, foi solicitado a todos os setores do CE sugestões de lista de materiais de custeio e permanente para constarem no plano de ação 2011 da CAICE (anexo); 3. em março será realizado evento específico para discussão dos dados finais deste relatório, o que será objeto de discussão durante todo o ano de 2011, inclusive para a reformulação e avaliação dos Projetos pedagógicos dos Cursos do CE.

A seguir passamos a apresentar os resultados quantitativos dos segmentos: Gestor, Docente, Aluno/graduação, Aluno/pós-graduação e TAES e Egressos 2 onde levamos em conta as variações que mais se destacaram em percentuais, seguido de comentários por dimensão, pontos forte/fraco e plano de melhorias, além da Prestação de contas do plano de ação de 2010, com as perspectivas do Plano de ação 2011 e Considerações finais.

Participação abaixo de 1% no CE e UFSM. Sem efeito de cômputo para esta pesquisa. 2


9

1. A visão do Segmento Gestor

Em termos de UFSM e segundo boletins do CPD havia na época 640 gestores dos quais apenas 258 participaram do evento, perfazendo 40%. O CE contabilizava, segundo o CPD 30 gestores 3 entre docentes e TAEs, destes apenas 16 exerceu o direito de opinião.

O nível de

participação dos setores por meio dos gestores pode ser visualizado abaixo. Quadro 2 – Participação dos gestores do CE na Avaliação Institucional Lotação

Total Gestores 4

Total Respondidos 2

50

Curso de Educação Especial

1

0

0

Laboratório de Informática - LINCE

1

0

0

Depto Administração Escolar

3

0

0

Depto Fundamentos de Educação

5

4

80

Depto Metodologia de Ensino

3

1

33

Depto Educação Especial

4

3

75

Gabinete de projetos - GAP/CE

1

0

0

Biblioteca Setorial - CE

2

2

100

Programa de Pós- Graduação em Educação

1

1

100

Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão - NIEPE

2

2

100

Núcleo de Ed Infantil – Ipê Amarelo

1

1

100

Curso de Pedagogia Diurno

1

0

0

Curso de Pedagogia Noturno

1

0

0

Total

30

16

53%

Direção do CE

%

Fonte: CPA/UFSM -2010

Constataram-se divergências entre a quantidade de gestores apresentada no Boletim do CPD e a real força de trabalho do CE, onde há lotados 17 gestores/TAES e 14 gestores/docentes (31) assim distribuídos: ADE (2); EDE (2); FUE (2); MEN (2); Direção (4); LinCE (1); Biblio (2); Niepe (2); Ipê (1); Pedagogia Diurno (2), Pedagogia Noturno (2); E. Especial Diurno (2); E. Especial noturno (2); Profissionalizante (1); PPGE (2), CEGE (1) e GAP (1). 3


10

Por motivos de adequação e conforme a CPA/UFSM, as 53 questões fechadas que integraram o questionário do Segmento Gestor procuraram avaliar as dimensões 1, 4, 6, 7, 8, 9 e 10 do SINAES e ao final do instrumento constava um espaço a ser digitadas sugestões, críticas e reclamações. As questões constavam de até cinco opções de respostas variando entre “excelente, muito bom, bom, regular, péssimo, utilizo, não utilizo, eventualmente utilizo, satisfatório, insatisfatório, conheço, desconheço”, as quais serão usadas neste texto para resgatar a pesquisa realizada. A seguir passamos a descrever, por dimensão e questão, atendendo em parte o roteiro sugerido pela CPA/UFSM, dados quantitativos e descritivos relativo aos resultados da avaliação protagonizada na visão dos diferentes segmentos que compõe a comunidade universitária, iniciando-se pelos gestores do CE. A dimensão 1 trata da Missão e do Plano de Desenvolvimento Institucional exposta em três questões (1, 2 e 3). Questão 1: questionados se utilizam o PDI nas ações do setor, 50% responderam positivamente. Questão 2: foi avaliada por 37% como muito bom o envolvimento docente na elaboração e acompanhamento do projeto pedagógico dos cursos; Questão 3: para 31% disse ser bom para a mesma questão na visão dos discentes. Comentários: observa-se que a maior parte do segmento ainda não conhece o PDI, isso faz com que não seja utilizado nas ações. Pontos fortes: metade dos gestores conhece o PDI Pontos fracos: nem todos os docentes e discentes se interessam pela missão da instituição Plano de melhoria: promover seminário sobre o novo PDI da IES.


11

A dimensão 4 trata da Comunicação com a Sociedade resumida em duas questões (35 e 36). Questões 35 e 36: avaliaram os canais de comunicação para contato interno; todos os gestores (100%) afirmaram ser muito bom e bom para a comunicação externa Comentários: Há entendimento de que a instituição consegue plenamente, divulgar suas atividades a comunidade Pontos fortes: a satisfação dos gestores Pontos fracos: não observável para esta dimensão Plano de melhoria: continuar aperfeiçoando esta condição

A dimensão 6 trata da Organização e Gestão da Instituição em dezoito questões (4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 25, 26, 27, 28, 29 e 30). Questão 4: apenas 43% respondeu bom para a atual estrutura acadêmica diante da expansão. Questão 5: apenas 43% respondeu bom para a atual estrutura administrativa da IES perante as demandas de atualização e expansão. Questão 6: apenas 43% respondeu bom ao avaliar a gestão da Pró-reitoria de administração. Questão 7: apenas 43% respondeu bom ao avaliar a Pró-reitoria de assuntos estudantis (PRAE) Questão 8:, avaliou a Pró-reitoria de Extensão, onde 50% afirmou como muito bom. Questão 9: avaliou a Pró-reitoria de graduação, onde 50% afirmou bom. Questão 10 avaliou como muito bom (37%) a gestão da Pró-reitoria de Planejamento (PROPLAN). Questão 11: apontou que 43% dos consultados disseram muito bom a gestão da Pró-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa. Questão 12: apontou 43% de aprovação (bom) à gestão da Pró-reitoria de Recursos Humanos. Questão 13: apontou que 37% reconhecem ser bom o trabalho da Pró-reitoria de Infraestrutura


12

Questão 14: mais de 37% respondeu que desconhece (37,5%) sobre a gestão da Coordenadoria de Ensino Médio e Tecnológico da IES. Questão 15: metade dos consultados (50%) reconhecem ser muito bom a gestão de sua unidade (CE). Questão 25: no que se refere às rotinas acadêmicas, orçamento, SIE, RH, protocolo, bibliotecas, produção institucional, serviços gerais, 62% disseram ser bom. Questão 26: 43% reconheceram ser bom os tramites burocráticos das atividades na UFSM. Questão 28: para o arquivo geral 37% respondeu ser bom o arquivamento e a recuperação de materiais. Questão 29: entre 37% disse ser bom a atuação da Secretaria dos Conselhos e Órgãos colegiados. Questão 30: aponta que 37% dos gestores entendem como bom as rotinas da Secretaria do Centro e subunidades. Comentários: há necessidade de melhor e maior organização da gestão IES Pontos fortes: De modo geral as Pró-reitorias são bem avaliadas Pontos fracos: desconhecerem a Coordenadoria de ensino médio e tecnológico Plano de melhoria: divulgar melhor o arquivo e a rotina das secretarias dos conselhos

A dimensão 7 trata da Infraestrutura Física implícita em treze questões (16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 31, 32, 33 e 34) e foram assim respondidas. Questão 16: mais da metade disse ser bom (57%) as condições de infraestutura do CE. Questão 17: (43,5%) marcou a variável bom para as instalações acadêmicas do CE. Questão 18: sobre normas de segurança e proteção ambiental apenas 31% disse respondeu bom. Questão 19: mais da metade (62,5%) avaliou como bom e muito bom os recursos, equipamentos e informações para o bom andamento das aulas. Questão 20: (62,5) avaliou como bom e regular as questões de acessibilidade no CE.


13

Questão 21: metade (50%) dos inquiridos avaliaram como equipamentos de informática e audiovisual do CE.

bom

os

Questão 22: (43,7%) avaliou como bom a aquisição e atualização de softwares no CE Questões 23 e 24: (56,25%) avaliaram como bom a manutenção, conservação das instalações e dos equipamentos do CE. Questão 31: metade (50%) dos consultados marcou bom para biblioteca central. Questão 32: (75%) reconhece como bom as instalações e o acervo da biblioteca setorial Questões 33 e 34: revelam que (62,5%) marcaram bom para a política de aquisição, expansão e atualização do acervo da Biblioteca Central e também para a Biblioteca setorial. Comentários: satisfação com a infraestutura Pontos fortes: recursos para as aulas e a acessibilidade na unidade Pontos fracos: aquisição e atualização de softwares Plano de melhoria: continuidade da renovação dos equipamentos em geral

A Dimensão 8 trata de Planejamento e avaliação por meio de duas questões. (52 e 53). Questão 52: apurou que 68,75% dos gestores do CE utilizam os resultados das avaliações para revisão as ações da unidade. Questão 53: (75%) avaliou como muito bom a divulgação dos resultados das avaliações a comunidade. Comentários: Se utilizam resultados das avaliações porque não há mudanças de modo geral nas relações, setores etc. Pontos fortes: o percentual que usa os resultados Pontos fracos: não observável na dimensão Plano de melhoria: promover eventos mensalmente para debater os problemas detectados na avaliação

A Dimensão 9 trata de Políticas de Atendimento aos Estudantes diluída em nove questões. (37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44 e 45).


14

Questão 37: (43,7%) reconhece serem muito bom os programas de apoio ao discente. Questão 38: metade dos respondentes (50%) disse ser bom a gestão institucional quanto a eventos em geral. Questão 39: teve 43,7% da opção bom quanto ao apoio aos discentes para eventos em geral Questão 40: revelou que 50% dos gestores classificaram com um bom a atuação da gestão para disponibilizar bolsas em geral. Questão 41: (43,75%) disseram muito bom ao apoio e incentivo da unidade a organização dos estudantes. (DAs, CEU. Empresas juniores). Questão 42: está Bom para 37,5% o apoio psicopedagógico ao discente. Questão 43 para 62,5% está bom ou muito bom o acesso do alunado aos documentos informatizados. Questão 44: (56,5%) marcou bom a política de acompanhamento dos egressos. Questão 45: para 62,5% é bom as ações voltadas à educação continuada no setor. Comentários: as ações assistenciais agradam aos gestores Pontos fortes: acesso a documentos informatizados e ações de educação continuada do setor Pontos fracos: carência de política efetiva de acompanhamento dos egressos Plano de melhoria: Política de acompanhamento de egressos no CE.

A Dimensão 10 trata da Sustentabilidade financeira por meio de seis questões. (46, 47, 48, 49, 50 e 51) Questão 46: apurou que houve 31,25% de gestores que entende ser bom a distribuição orçamentária prevista no PDI. Questão 47: mais de 40% respondeu bom (43,75) para a alocação de recursos para manter e atualizar a unidade. Questão 48: (37,5%) dos respondentes marcou o item bom para alocação de recursos para capacitar TAES e docentes na unidade. Questão 49: mostrou que a metade dos gestores está satisfeitos e a outra insatisfeita com a proposta orçamentária para as políticas e ações da IES. Questão 50: apurou que 43,5% disseram bom para a proposta orçamentária da IES para as ações de pesquisa.


15

Questão 51: revelou que metade dos gestores está satisfeita e a outra insatisfeita com a proposta orçamentária para as ações de extensão na IES. Comentários: há certo reconhecimento na visão destes de que recursos financeiros impulsionam a qualidade da IES. Pontos fortes: proposta orçamentária para as ações de extensão Pontos fracos: recursos para capacitar gestores TAES e docentes Plano de melhoria: buscar financiamento por meio de projetos para sanar os problemas com a falta de recursos.

Sugestões apontadas pelos Gestores no questionário 1. A CAICE trabalha com muita competência, tanto técnica como teórica/profissional. Está sempre atualizando a comunidade do CE e informando.

Sugestões de melhorias no questionário. 1. Dá a entender que a avaliação se preocupa muito com o professorado em primeiro lugar, posteriormente com o alunado, TAEs aparecem muito pouco, não tem ênfase, nem igualdade com os demais. 2. Deve manter a avaliação institucional 3. Em minha opinião, o questionário deste ano melhorou, as questões são mais claras 4. Nem todas as questões são possíveis de responder sem correr o risco de ser contraditório, pois ainda vivemos uma situação de irregularidade dentro da UFSM. 5. Parabenizo PRRH pelo investimento nos cursos de atualização e capacitação aos servidores e deve continuar estimulando a formação dos TAEs. Sugestões apontadas pelos Gestores: não houve ou o CPD não enviou. Problemas Técnicos 1. Uma gestora (coordenadora de Curso) avaliou, mas nos dados finais não aparece. Ainda durante a divulgação dos boletins parciais pelo CPD procuramos, por duas vezes, esclarecer o problema, sempre foi afirmado que constava a avaliação efetivada no sistema, mas nos boletins parcial e final não constam. Detectamos este problema desde o processo de Avaliação Interna: autoavaliação de 2008 da UFSM quando ainda era outra gestora.


16

Parecer geral da avaliação dos Gestores Percebe-se que é o segmento que mais participa dos processos de autoavaliação. Ainda são tímidos, pois demonstram não acreditar nos resultados do processo, pois não priorização tempo para discussão. Prevalece a opinião dos Gestores/servidores TAEs.


17

2. A visão do Segmento Docente

Na UFSM havia em dezembro de 2010 e segundo boletins do CPD 1.329 docentes dos quais apenas 451 participaram da avaliação (33%). Segundo Boletim do CPD o CE contabilizava, na época com 92 docentes 4. Efetivamente, destes, participaram da avaliação apenas 30 (32%) do contingente apontado pelo CPD. Outro dado é que 14 responderam como Gestor. Quadro 3 - Percentual de participação docente por Departamento DEPARTAMENTOS DIDÁTICOS

Total Docentes 18

Total Respondidos 08

44%

Educação Especial /EDE

17

02

11%

Fundamentos da Educação /FUE

18

08

44%

Metodologia do Ensino/MEN

39

12

30%

Total

92

30

32%

Administração Escolar/ADE

%

Fonte: CPD/UFSM -2010

Por motivos de adequação e conforme a CPA/UFSM, as 48 questões fechadas que integraram o questionário do Segmento Docente procuraram avaliar as dimensões 1, 2, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10 do SINAES e ao final do instrumento constava um espaço a ser digitadas sugestões, críticas e reclamações. As questões constavam de até cinco opções de respostas variando entre “excelente, muito bom, bom, regular, péssimo, utilizo, não utilizo, eventualmente utilizo, satisfatório, insatisfatório, conheço, desconheço”, as quais serão usadas neste texto para resgatar a pesquisa realizada.

Há divergências entre a quantidade de docentes divulgada pelo CPD para a avaliação e a real força docente do CE, pois na época contabilizamos 109 docentes lotados na unidade. 4


18

A seguir passamos a descrever, por dimensão e questão, atendendo em parte o roteiro sugerido pela CPA/UFSM, dados quantitativos e descritivos relativo aos resultados da avaliação protagonizada na visão do segmento Docente do CE/UFSM. A dimensão 1 trata da Missão e do Plano de Desenvolvimento Institucional e foi argüido na questão 1. Questão 1 questionados se utilizam o PDI nas ações de ensino, pesquisa e extensão, 36,67% responderam que eventualmente utilizam. Comentários: Parece haver certa descrença nos documentos institucionais. Pontos fortes: não observável na dimensão Pontos fracos: desconhecimento de importante documento para formação de profissionais Plano de melhoria: seminários envolvendo o segmento com o tema missão, instituição e docência.

A Dimensão 2 trata da política para Ensino, a Pesquisa, a Pósgraduação e a Extensão e esteve diluída nas questões de número 43, 44, 45 e 46, assim respondidas pelos docentes. Questão 43: apontou que 43,5% dos docentes marcaram com um bom sua participação na implementação dos projetos pedagógicos. Questão 44: metade dos docentes avalia com um bom as condições que a IES oferece para seu trabalho no tripé. Questão 45: apareceu 40% de regular para participação dos docentes na elaboração e acompanhamento dos projetos pedagógicos Questão 46: que há 46,67% de docentes que apontaram como bom quanto à concepção e execução dos currículos do curso Comentários: Há maior envolvimento pedagógico sobre o tripé Pontos fortes: envolvimento curricular Pontos fracos: pouca Pedagógico do Curso

participação

e

acompanhamento

do

Projeto

Plano de melhoria: reuniões especificas com docentes do Curso enfocando o Projeto Pedagógico.


19

A dimensão 4 trata da Comunicação com a Sociedade e foi resumida em duas questões (23 e 24). Questões 23 e 24: metade (50%) avaliaram os canais de comunicação para contato interno e externo como bom. Comentários: Satisfação com meios de divulgação Pontos fortes: comunicação interna e externa Pontos fracos: não observável Plano de melhoria: continuidade do aperfeiçoamento das ações

A Dimensão 5 trata de políticas de Pessoal e de Carreira do Corpo docente e TAES que foi incorporada em quatro questões (39, 40, 41, e 42). Questão 39: aponta que 60% dos inquiridos desconhece os cinco programas em funcionamento na PRRH. Questão 40: avaliou que 50% entendem como bom as relações de trabalho no setor. Questão 41: (60%) entende ser bom seu entendimento sobre os processos de qualificação da UFSM. Questão 42: (43,3%) informou com um bom sobre as condições que a UFSM proporciona para sua qualificação Comentários: Há contradição entre as respostas 39 e 41 Pontos fortes: seu conhecimento sobre processo de qualificação Pontos fracos: desconhecimento dos programas da PRRH Plano de melhoria: maior divulgação dos programas por meio que todos sejam informados.

A dimensão 6 trata da Organização e Gestão da Instituição em seis questões (2, 3, 4, 13, 14, 15). Questão 2: apontou que 43,33% dos respondentes disseram um bom para a atual estrutura acadêmica, atualização e expansão da UFSM. Questão 3: (50%) dos respondentes afirmaram bom para as estruturas administrativa da UFSM (reitoria, pró-reitorias e unidades).


20

Questão 4: (50%) classificou como muito bom a gestão de sua unidade acadêmica. Questão 13: Sobre as rotinas acadêmicas, SIE, bibliotecas protocolo, RH, legislação, serviços gerais, orçamento, 36,67% responderam bom. Questão 14: Com referência aos processos burocráticos dos trâmites, atividades acadêmicas e administrativas 46,67 classificou como regular. Questão 15 Sobre as rotinas da Secretaria do Centro 33,33% reconheceu como bom. Comentários: entendem que está boa a organização e gestão da IES Pontos fortes: estruturas acadêmicas e administrativas da IES e unidade Pontos fracos: rotinas da secretaria da unidade Plano de melhoria: reuniões gerais mensais

A Dimensão 7 trata Infraestrutura Física em 15 questões (5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 16, 17, 18, 19, 20, 21 e 22. Questão 5: (56,67%) respondeu bom para acústica, iluminação, ventilação, temperatura, adequação das instalações, equipamentos. Questão 6: Para as salas de aula, laboratórios, anfiteatros, auditório, Diretório acadêmico 40% respondeu bom. Questão 7: na visão de 53,33% os recursos, equipamentos, informações na unidade acadêmica foram classificados como bom. Questão 8: (53,33%) disse bom para as condições de acesso aos PNEs na unidade de ensino. Questão 9: (36,67%) reconhece ser bom as condições de acesso a equipamentos de informática, audiovisual, multimídia, internet e intranet na unidade de ensino. Questão 10: Para aquisição e atualização de softwares e equipamentos na unidade, 30% disse bom. Questão 11: (53,33%) disse ser bom a manutenção e conservação das instalações físicas na unidade. Questão 12: (46,67%) afirma ser bom a manutenção e conservação dos equipamentos na unidade de ensino. Questão 16: (33,33%) respondeu bom para os laboratórios quanto a adequação das políticas e formas de operacionalização no que se refere a conservação, expansão física e normas de segurança


21

Questão 17: (40%) respondeu regular para os laboratórios quanto a adequação das políticas e formas de operacionalização no que se refere a aquisição, atualização e manutenção dos equipamentos. Questão 18: (40%) respondeu bom para laboratórios da unidade quanto a adequação das políticas e formas de operacionalização e qualificação de pessoal técnico. Questão 19: (36,37%) afirmou bom para as instalações das bibliotecas, acervo e condições individuais de estudo e em grupo da biblioteca central Questão 20: (43,33%) avaliou regular as instalações das bibliotecas, acervo e condições individuais de estudo e em grupo da biblioteca setorial Questão 21: (33,33%) dos docentes avaliou bom para a política institucional de aquisição, expansão e atualização do acervo da Biblioteca central. Questão 22: (40%) avaliou como bom a política institucional de aquisição, expansão e atualização do acervo da Biblioteca Setorial. Comentários: boas condições Infraestrutural Pontos fortes: acústica, ventilação, iluminação da unidade Pontos fracos: aquisição e atualização de softwares Plano de melhoria: listar com o LinCE os softwares que devem ser atualizados

A Dimensão 8 trata do Planejamento e avaliação por meio das questões (47 e 48). Questão 47: (36,67%) disse que eventualmente utiliza as avaliações da instituição para subsidiar e revisar as ações da unidade Questão 48: (46,47%) respondeu bom para a divulgação dos resultados das avaliações anteriores a comunidade. Comentários: planejamento por meio dos resultados da avaliação ainda não parece ser o forte da instituição, o que reflete no seu corpo docente Pontos fortes: divulgação das avaliações (CAICE) Pontos fracos: não utilizar os resultados para melhorias Plano de melhoria: envolver mais os docentes com a AI por meio de eventos

A Dimensão 9 trata das Políticas de atendimento aos estudantes e se encontra nas questões 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, e 33.


22

Questão 25 : (43,33%) disse bom para os programas de apoio ao discente. Questão 26: (43,33%) disse bom quanto a realização de eventos científicos, culturais, técnicos e artísticos. Questão 27: (46,67%) disse bom quanto ao apoio dos discentes para a divulgação de trabalhos e participação em eventos. Questão 28: (43,33%) reconhece ser bom a disponibilidade de bolsas de monitoria, extensão, pesquisa, IC, PET, PIBIC, Prolicen, PRAE. Questão 29: Para 53,33% é bom o apoio e incentivo da unidade universitária para organização dos estudantes . Questão 30: Para 43,33% é bom o apoio psicopedagógico ao discente na IES. Questão 31: Para 43,33% é bom a disponibilidade de acesso dos discentes aos sistemas de rede, registros, arquivos. Questão 32: (36,67%) desconhece a política de acompanhamento dos egressos na IES. Questão 33: (53,33%) disse bom ao quesito ações voltadas para a educação continuada. Comentários: há satisfação com as políticas estudantis Pontos fortes: apoio da unidade para organização estudantil Pontos fracos: acompanhamento dos egressos Plano de melhoria: melhorar a comunicação com os egressos.

A Dimensão 10 trata da Sustentabilidade Financeira nas questões 34, 35, 36, 37 e 38. Questão 34: (53,35) classificou como regular a alocação de recursos para manter as instalações, atualizar os equipamentos e materiais na unidade. Questão 35: (33,33%) desconhece a alocação de recursos para capacitar pessoal docente na unidade. Questão 36: (33,33%) disse ser bom o investimento orçamentário nas políticas e ações de ensino da IES. Questão 37: (30%) reconhece ser bom o investimento orçamentário nas políticas e ações de pesquisa da IES. Questão 38: (33,33%) disse bom para o investimento orçamentário nas políticas e ações de extensão da IES.


23

Comentários: reflexo dos recursos aplicados pela PROPLAN nos resultados da Autoavaliação tem permitido visível melhoria da infraestrutura da unidade. Pontos fortes: alocação recursos para instalações da unidade Pontos fracos: melhorar os recursos para pesquisa e extensão Plano de melhoria: buscar órgãos de fomento para incentivo a iniciação cientifica Sugestões apontadas pelos Docentes 1. A universidade precisa ampliar os investimentos em projetos de pesquisa e extensão 2. Deve haver um equilíbrio de investimentos em assistência estudantil e pesquisa 3. O preenchimento do questionário me aborreceu! Longo, com questões muito amplas. 4. No CE o Xerox deve receber atenção urgente pois as filas são enormes durante todo o ano. Sugestões de melhorias no questionário 1. Caso a rede fosse mais ágil poderíamos abreviar o tempo para as respostas, não apenas a este questionário como para todos aqueles que nos são enviados para respostas pela internet Instalar rede mais ágil de acesso a internet 2. Adquirir mais computadores para o LinCE 3. Deveria haver perguntas específicas para avaliar a relação a relação da graduação com a pós-graduação Sugestões apontadas pelos Docentes. Não houve ou o CPD não enviou Problemas técnicos 1. Vários docentes entraram em contato com a CAICE (pessoalmente/ email) conforme anexo, informando que não conseguiam avaliar, principalmente docentes do Departamento de Educação Especial. Principal motivo; sistema trancava durante todo o período da avaliação e ou dificuldade de acesso; em casa não conseguiam abrir o sistema. Todos os problemas eram checados com o CPD, porém sem solução.

Parecer geral da avaliação dos Docentes 1. Os que tiveram interesse em realizar a avaliação demonstraram-se descontentes com a ineficiência do sistema internet que caiu muito durante o processo, isso revelou certa descrença em processos dessa natureza.


24

3. A visão do Segmento Discente/graduação

Na UFSM havia em dezembro de 2010 segundo boletins do CPD 16.974 alunos dos quais apenas 3.064 participaram da avaliação (18%). Dentre estes, para efeito desta avaliação, segundo o CPD, na época, constava no CE 974 matriculados em cinco cursos de graduação 5. Efetivamente participaram da avaliação apenas 274 (28%) do contingente apontado pelo CPD. O quadro abaixo descreve melhormente esta situação. Quadro 4 - Cursos de Graduação abrangidos na unidade

Cursos Pedagogia – Diurno Pedagogia – Noturno Educação Especial – Diurno Educação Especial – Noturno Educação Profissionalizante Total

Fonte: CPD/UFSM -2010

Total Total % alunos Respondidos 330 106 32% 203 25 12% 166 86 51% 65 26 40% 210 31 14% 974 274 28%

Por motivos de adequação e conforme a CPA/UFSM, as 45 questões fechadas que integraram o questionário do Segmento Discente/graduação procuraram avaliar as dimensões 2, 6, 7, 8, e 9 do SINAES e ao final do instrumento constava um espaço para sugestões, críticas e reclamações. As questões constavam de até cinco opções de respostas variando entre Excelente, muito bom, bom, regular, péssimo, utilizo, não 5Há

divergências com os números de matrículas informados pelo CPD e o real número de matrículas do CE na época. Pedagogia Diurna, 312 alunos; Pedagogia Noturna, 175 alunos; Educação Especial Diurna, 190 alunos; Educação Especial Noturna, 80 alunos e Educação Profissionalizante, 450 alunos. Total 1.207 alunos. Outra divergência constante nos boletins do CPD é o cômputo de apenas 210 matrículas ao invés de 450 (real) para o Curso de Educação Profissionalizante.


25

utilizo,

eventualmente

utilizo,

satisfatório,

insatisfatório,

conheço,

desconheço, as quais serão usadas neste texto para resgatar a pesquisa realizada. A seguir passamos a descrever, por dimensão e questão, atendendo em parte o roteiro sugerido pela CPA/UFSM, dados quantitativos e descritivos relativo aos resultados da avaliação protagonizada na visão do segmento Discente de graduação do CE/UFSM.

A Dimensão 2 trata da Política para Ensino, a Pesquisa, a Pósgraduação e a Extensão, em vinte e duas questões: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 21, 22, 23, 24, 25, 26 e 27. Questão 1 Metade (50%) respondeu que conhece parcialmente o projeto pedagógico. Questão 2: (45%) disse bom para as disciplinas obrigatórias Questão 3: e 4 (44,33%) reconhece bom as DCGs e as ACGs. Questão 5: (50%) reconhece bom para a atuação do coordenador Questão 6: Muito bom para atender as necessidades dos alunos (50%). Questão 7: Bom para carga horária do coordenador (50%). Questão 8: Regular a carga horária das disciplinas para atender os conteúdos programáticos. (50%). Questão 9: (48%) bom para a atualização das disciplinas do curso, ementas, conteúdos, bibliografias. Questão 14: Mais da metade (61,0%) desconhece o acompanhamento das atividades de prática profissional ou estágio pela coordenação do curso. Questão 15: (60%) desconhece as formas de apresentação dos resultados da prática profissional ou estágios. Questão 16: (65%) desconhece a relação do número de alunos por orientador na prática e estágios. Questão 17: (60%) desconhece o funcionamento das atividades de prática e ou estágio


26

Questão 18: (40%) desconhece o funcionamento das atividades de prática profissional ou estágio internas a IES. Questão 19: (49%) desconhece a carga horária de prática profissional ou estágio previsto para sua formação. Questão 21: (51%) desconhece a divulgação de trabalhos de conclusão do curso. Questão 22: Mais da metade disse ser muito bom o relacionamento dos professores com os alunos. Questão 23: (53%) disse ser bom o acompanhamento e a orientação pela coordenação do curso, das ACGs, seminários, eventos etc. Questão 24: Uma parte desconhece, outra afirmou ser bom a oferta de ACGs pelo curso. Questão 25: Uma parte desconhece a outra disse insatisfatório para incentivos para participar em atividades externas a UFSM. Questão 26: (57,3%) diz bom para as experiências e os conhecimentos do corpo docente em relação ao seu curso. Questão 27: Bom (49%) para dedicação e comprometimento do corpo docente ao curso. Comentários: os respondentes demonstraram divergências ao responderem as questões Pontos fortes: relação professor/aluno Pontos fracos: conhecimento parcial do PP; estágio e TCC Plano de melhoria: Coordenações promover eventos informativos sobre o andamento do curso.

A Dimensão 6 trata da Organização e Gestão da Instituição nas questões 31 e 32. Questão 31: (47,6%) disse ser bom os serviços prestados pelos TAEs vinculados ao curso. Questão 32: Metade disse bom e outra desconhece a quantidade de servidores TAEs de seu Curso. Comentários: Parecem satisfeitos com a gestão do Curso Pontos fortes: conhecimento a quantidade de TAEs Pontos fracos: desconhecimento da quantidade de TAEs


27

Plano de melhoria: apresentar aos calouros e veteranos a estrutura do curso e o pessoal de apoio.

A Dimensão 7 trata da infraestutura Física nas questões 10, 11, 12, 13, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40 e 41. Questão 10: (51%) considera bom as condições de infraestutura da unidade. Questão 11: (49%) diz bom para instalações acadêmicas. Questão 12: Bom para os recursos, equipamentos, informações na unidade (54%). Questão 13: Regular para o acesso de PNEs na unidade (54%). Questão 33: Bom o acervo de livros, quantidade e atualização (44%). Questão 34: Bom o acervo de periódicos, base de dados, jornais e revistas (44%). Questão 35: (54%) diz muito bom para o sistema de acesso aos recursos bibliográficos das bibliotecas. Questões 36 e 37: Metade acha regular e outra bom a quantidade de ambientes para atender as necessidades dos matriculados e dimensão espacial, acústica, ventilação mobiliário e equipamentos Questão 38: Houve predominância de 33% de insatisfeitos, regular e bom para disponibilidade de equipamentos nos ambientes. Questão 39: (55%) disse bom para orientação das atividades práticas desenvolvidas nos ambientes. Questão 40: (49%) disse bom para a conservação das instalações hidráulicas, elétricas, eletrônicas e de telecomunicações. Questão 41: Mais da metade disse: desconheço equipamentos de proteção individual e coletiva nos ambientes. Comentários: desconhecem equipamentos de proteção porque não há necessidade na unidade. Pontos fortes: Bibliotecas e infraestrutura da unidade Pontos fracos: equipamentos nos ambientes Plano de melhoria: divulgar através de eventos equipamentos que são depredados pelos alunos.

conservação

dos


28

A Dimensão 8 trata do Planejamento e avaliação na questão 45 Questão 45: (49,55) disse: desconheço a divulgação dos resultados das avaliações à comunidade. Comentários: não é tradição na instituição divulgar os achados do processo interno, apenas divulga um relatório que ninguém lê. Pontos fortes: não observável Pontos fracos: precária divulgação Plano de melhoria: promover eventos que estudem o tema, especialmente explorar o processo interno da IES.

A Dimensão 9 trata das Políticas de atendimento aos estudantes nas questões 28, 29, 30, 42, 43 e 44. Questão 28: (60%) disse ser bom os programas voltados para a assistência estudantil. Questão 29: Metade diz ser bom e outra regular o apoio para participar de eventos científicos, técnicos ou culturais. Questão 30: Para 44% é bom o acesso aos sistemas de rede, registros e arquivos para obtenção de informações acadêmicas. Questão 42: Bom, regular e desconheço foram predominantes (33%) para a organização e participação do DA nas atividades do curso. Questão 43: Bom é o apoio e incentivo da sua unidade a organização dos estudantes (44%). Questão 44: (55%) bom sua participação nas discussões e atividades do curso.

Comentários: demonstraram preocupação com a infraestrutura. Pontos fortes: participação no curso; programas de assistência Pontos fracos: apoio para eventos Plano de melhoria: IES e unidades disponibilizarem maiores recursos para incrementar produção de IC.


29

Sugestões apontadas pelos Discentes/graduação 1. Ampliação dos horários da biblioteca central/setorial especialmente no noturno (Pedagogia noturna) 2. Não há nenhum tipo de incentivo financeiro a pesquisa e participação em projetos nos cursos noturnos. (Ed. Especial noturno) 3. Para mim o que mais me incomoda é a questão da falta de professores e a demora na contratação de substitutos (Pedagogia diurna) 4. Reforma na biblioteca setorial (Pedagogia e Ed. Especial) 5. Reavaliar as PEDs (Práticas pedagógicas) dos Cursos de Pedagogia do CE (Pedagogia Diurna). 6. Deve haver por parte de alguns professores uma melhora na relação com seus alunos e mais atenção também. (Pedagogia Diurna). 7. Melhorar a questão do xerox que nos dificulta bastante (Pedagogia diurna). 8.

A universidade deve deixar seus alunos informados do que acontece no campus, eventos, seminários, etc. (Pedagogia Diurna)

9. Não há bancos decentes para sentar, ônibus sempre cheios, o bar é um roubo, a coordenação fica distante de tudo isso. (Pedagogia Diurna). 10. Acredito ser necessário um bar e um Xerox no prédio anexo. Valores abusivos do bar. Internet wireless para nós também é importante. (Pedagogia diurna). 11. A Instituição tem condições e muitas de melhorar em vários aspectos, o Curso de pedagogia poderia ofertar disciplinas práticas aos alunos desde o primeiro semestre. (Pedagogia diurna) 12. Espaço aberto na UFSM para troca de experiências e discussões entre os acadêmicos. (Pedagogia Diurna). 13. O xerox é de péssima qualidade e o atendimento também. O anexo poderia ter mais bancos nos corredores. O bar do CE é fora do contexto econômico dos alunos. É um absurdo o preço que é cobrado nos produtos. Supervisão das limpezas e banheiros e salas de aula. (todos os cursos) Campeã - 103 reclamações 14. Maior participação da Coordenação para com assuntos internos da sala; uma coordenadora acessível (pedagogia Diurna). 15. Reavaliar as aulas de PEDs (Práticas pedagógicas) pois não são produtivas, além de que alguns professores não participam. 16. O tempo de estágio deveria ser maior. (todos os cursos). 17. As torneiras do CE gastam muita água, deveriam ser trocadas por outras econômicas. (Pedagogia Diurna). 18. Acesso de internet no prédio anexo com urgência (todos os cursos). 19. Quero parabenizar a atual coordenadora do curso de Pedagogia pois tem ótimas iniciativas e ouve os alunos em sua gestão. (pedagogia diurna).


30

20. Os professores de metodologia de ensino deveriam estar mais bem preparados para dar aula no Curso de Educação especial. (Educação Especial diurna) 21. Melhor preparação dos professores quanto à adaptação de sua disciplina a realidade do curso. 22. Deveria ser criado instrumento para avaliar a metodologia dos professores. (Educação Especial diurno). 23. Modernizar a biblioteca setorial e os computadores do LinCE que são ultrapassados. (Todos os Cursos).

Problemas técnicos 1. Dificuldades de acesso ao instrumento durante o período de aula, uma vez que os computadores do LinCe travavam. 2. Consideramos o que o número de matriculados constante na base de dados CPD divergente da matrícula real constante na Coordenação dos Cursos. Ex.: curso Profissionalizante, na época, havia 450 matrículas, nos Relatórios do CPD aparecia apenas 210 fato que foi observado e reivindicado pela professora Coordenadora 3. Aparece nos boletins do CPD desde a Autoavaliação de 2008, apenas um aluno matriculado no Curso Pedagogia magistério pré-escola, extinto em 2007.

Problemas pedagógicos Muitas turmas foram visitadas pela equipe e convidadas a avaliar in loco, demonstravam interesse, mas os professores não permitiam devido matéria atrasada, muita matéria, provas, seminários ou trabalhos justamente na Semana da avaliação. Os alunos, embora simpáticos ao processo, pois tem muita coisa a dizer, ficam dependentes da atitude do professor, se este concordar participam, não demonstram sua vontade Poe medo de represálias, como contatamos anteriormente. Muitas turmas não foram encontradas nos horários e salas indicadas pelas Coordenações, apesar de os professores terem sido antecipadamente avisados pelo email departamental e pessoal.

Parecer geral da avaliação dos Discentes/graduação. O segmento demonstra muita preocupação com a melhoria da infraestutura e principalmente com o bar e o Xerox, mas começam a despontar para as questões pedagógicas ao identificarem problemas nos currículos e prática docente, o que é um bom sinal para o futuro da avaliação no CE.


31

4. A visão do Segmento Discente/Pós-graduação

Na UFSM havia em dezembro de 2010 e segundo boletins do CPD 2.528 alunos de Pós-graduação dos quais apenas 256 participaram da avaliação (10%). Dentre estes, para efeito desta avaliação, segundo o CPD, na época, constava no CE 187 6 alunos matriculados nos quatro cursos de Pós-graduação 7. Efetivamente participaram da avaliação apenas 45 (24%) do contingente apontado pelo CPD. Sem deixar de registrar que nenhum aluno do Curso eventual PROEJA, participou da avaliação, apesar dos contatos com a Coordenadora, visto que funcionava no final de semana, cuja justificativa é de que havia seminário o que impossibilitou a avaliação in loco. A Gestora comprometeu-se a avisálos de tal oportunidade. A seguir uma visão da matrícula dos Pós-graduandos e respectiva participação na avaliação. Quadro 5 - Cursos de Pós-graduação abrangidos na unidade

Cursos

Esp. em Educação Profissional na Modalidade de EJA PG Esp. Gestão Educacional PG Educação - Mestrado PG Educação - Doutorado

Total

Fonte: CPD/UFSM -2010

Total Total alunos Respondidos 38 0 48 74 27 187

17 19 9 45

% 0% 35% 25% 33% 24%

Por motivos de adequação e conforme a CPA/UFSM, as 35 questões fechadas que integraram o questionário do Segmento 6Há

divergências entre o número de matriculados divulgado pelo CPD e a matrícula real dos Cursos de pós do CE, na época, contabilizou-se 200 matrículas. 7Especializações: Gestão Educacional (permanente) 50 alunos; PROEJA (eventual) 50 alunos. Programa de Pós-Graduação em Educação; Mestrado 74 alunos e Doutorado 30 alunos.


32

Discente/Pós-graduação procuraram avaliar as dimensões 2, 6, 7 e 9 do SINAES e ao final do instrumento constava um espaço para sugestões, críticas e reclamações. As questões constavam de até cinco opções de respostas variando

entre

adequado,

conheço,

inadequado,

desconheço,

parcialmente,

parcialmente

adequado,

sim,

não,

totalmente

envolvido, envolvido, regular, desconheço, muito interesse, não se aplica, contempla plenamente, as quais serão usadas neste texto para resgatar a pesquisa realizada, onde aparece os maiores percentuais. A seguir passamos a descrever, por dimensão e questão, atendendo em parte o roteiro sugerido pela CPA/UFSM, dados quantitativos e descritivos relativo aos resultados da avaliação protagonizada na visão do segmento Discente de graduação do CE/UFSM. A Dimensão 2 trata da Política para Ensino, a pesquisa, a Pósgraduação e a Extensão em quinze questões. (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 20, 21, 22 e 23). Questão 1: (51%) respondeu pedagógico do Curso.

que

conhece

parcialmente

o

projeto

Questão 2: (43,8%) respondeu que conhece parcialmente o regulamento e regimento interno de seu Curso. Questão 3: Mais da metade disse que as disciplinas obrigatórias atendem parcialmente as expectativas. Questão 4: As disciplinas optativas atendem parcialmente as expectativas. (49,5%). Questão 5: (49%) disse sim, os conteúdos ministrados estão adequados a formação. Questão 6: (44%) entende adequada a carga horária das disciplinas. Questões 7 e 8: As ementas, conteúdos e bibliografias, (44,5%) respondeu parcialmente adequado.


33

Questão 9: Maior parte se diz satisfeito com o acompanhamento e avaliação do trabalho de conclusão de curso. Questão 10: (49,0%) diz ser adequada a atuação do coordenado frente ao Projeto pedagógico. Questão 11: (51%) acha adequada o coordenador ao atender as necessidades de formação dos alunos. Questão 20: (49%) classifica como bom a atuação do corpo docente em relação ao que ensina. Questão 21: (44%) classifica como bom a atuação docente em despertar o interesse do discente. Questão 22: (47%) classifica como bom a atuação docente em relação ao comprometimento com o curso. Questão 23: (51%) classificou que seu docente/orientador está totalmente envolvido no trabalho. Comentários: demonstram satisfação com a formação Pontos fortes: envolvimento dos orientadores Pontos fracos: desconhecimento do Projeto pedagógico Plano de melhoria: melhorar o acervo da biblioteca por linha de pesquisa

A Dimensão 7 trata da Infraestrutura Física em oito questões (12, 13, 14, 15, 16, 17. 18 e 19). Questão 12: (44%) respondeu regular para as condições oferecidas para realização das consultas necessárias ao seu embasamento acadêmicoprofissional nas bibliotecas. Questão 13: É parcialmente adequado para 55% a Biblioteca central e a setorial, quantidade do acervo na área. Questão 14: (45%) disse que o acesso a rede mundial de computadores para pesquisa é parcialmente adequada. Questão 15: (49%) disse que é regular a acessibilidade, a segurança de espaço físico do laboratório multiusuários para as pesquisas vinculadas à pósgraduação. Questão 16: (47%) Regular para os equipamentos com caráter multiusuário para realizar pesquisas. Questão 17: (43%) disse que o programa não fornece material de consumo necessário ao desenvolvimento do seu projeto.


34

Questão 18: (69%) disse que não se aplica áreas experimentais para sua pesquisa. Questão 19: ((61%) não se aplica para o descarte de materiais residuais da pesquisa. Comentários: por terem maior visão da instituição os pós-graduandos avaliaram a infraestutura de modo regular Pontos fortes: não observável Pontos fracos: Biblioteca central e setorial Plano de melhoria: projetos para financiar a melhoria da infraestutura do Centro no que diz respeito à pós-graduação, por exemplo, laboratório de informática.

A Dimensão 9 trata das Políticas de atendimento aos estudantes por meio de doze questões (24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34 e 35). Questão 24: (44%) diz conheço a parte do regimento do Curso que trata da representatividade estudantil nos assuntos acadêmicos e administrativos. Questão 25: (60%) diz desconheço instância dos estudantes onde se discute problemas do curso. Questão 26: (90%) disse sim, sabe quem são os representantes nos órgãos deliberativos do programa, Questão 27: (64%) acha que as demandas dos alunos são parcialmente atendidas nos conselhos deliberativos Questão 28: (71%) disse sim, conhece as formas de escolha dos representantes discentes no Curso e IES. Questão 29: (50%) disse muito interesse de sua parte na escolha do representante discente para o curso e IES. Questão 30: (44%) disse que o método de escolha dos representantes discentes contempla parcialmente. Questão 31: (57%) considera regular o apoio aos discentes para participação em eventos científicos nacionais e internacionais. Questão 32: (44%) Diz: desconheço sobre benefício socioeconômico aos alunos como moradia, transporte e RU. Questão 33: (67%) Parte diz desconheço e outra bom para acesso e ao treinamento para busca bibliográfica em portais de periódicos, oferecidos pelo Programa.


35

Questão 34: Metade disse desconheço serviços de atendimento psicológico e psicopedagogico oferecido aos discentes pela IES. Questão 35: (55%) se diz satisfeita com critérios de concessão de bolsas adotadas pelo programa. Comentários: São mais envolvidos com a representatividade, talvez pelo nível de informação que detém. Pontos fortes: participação discente Pontos fracos: atendimento psicológico a Pós-graduação Plano de melhoria: Sugere-se que os projetos do Ânima estendam-se também, aos discentes da PG Sugestões apontadas pelos Discentes/Pós-graduação 1. Estou satisfeita com a proposta do curso, De fato, aprecio a qualidade e o interesse da maior parte dos professores em provocar a reflexão crítica e a autoria. (Doutorado) 2. É preciso investir mais nos auxílios para os alunos participarem de eventos, em função da exigência de produção. (Mestrado). 3. Estou feliz por ter conseguido vaga num curso gratuito e de qualidade; (CEGE). 4.

Disponibilizar mais bolsas de pesquisa para que os alunos tenham maior envolvimento (CEGE)

5. No início do Curso deveria haver uma apresentação deste aos alunos e uma discussão de como este funciona, pois senti muita dificuldade de adaptação ao curso. Os professores e a Coordenação deveriam se envolver mais com a turma, dar mais assessoria. (CEGE) 6. Ampliar os espaços/momentos de discussão sobre as possibilidades no Curso como estudante e para melhor desenvolvimento profissional. (CEGE). 7. Melhorias no Laboratório de Informática para que possa atender também os alunos da Pós. (Mestrado)

Sugestões de melhorias no questionário Não houve ou não foi enviada pelo CPD Parecer geral dos Discentes/Pós-graduação Sendo a primeira vez que os Cursos de Pós participam do processo, se mostraram atuantes e preocupados com a produção e a instituição de modo geral. O mais importante que apontaram elementos para mudanças localizadas no Programa e que nunca são divulgadas pela avaliação da CAPES.


36

5. A visão do Segmento Técnico-Administrativo Educacional (TAEs)

Na UFSM havia em dezembro de 2010 conforme boletins do CPD 998 Servidores TAEs ativos, dos quais apenas 177 participaram da avaliação (17%). Segundo o CPD, na época, o CE contabilizava 42 TAEs, entre estes, 17 responderam como gestor e os demais 25 estavam aptos a responder o instrumento TAEs, apenas 11 participaram do processo (42%). O quadro a seguir apresenta a participação dos TAEs no processo. Quadro 6 – Participação dos TAEs do CE na Autoavaliação 2010 LOTAÇÃO

Total Servidores 3

Total Respondentes 2

66

Laboratório de Informática/LINCE

2

2

100

Depto de Educação Especial/EDE

2

0

0

Núcleo Ensino, Pesquisa e Extensão - NIEPE

9

0

0

Biblioteca Setorial

6

5

83

Programa de Pós-Graduação em Educação

1

1

100

Curso de Educação Especial Noturno

1

1

100

Gabinete de projetos - GAP

1

0

0

Núcleo de Ed. Infantil IPÊ AMARELO

1

0

0

Total

26

11

42%

Direção do CE

%

Fonte: CPD/UFSM -2010

Por motivos de adequação e conforme a CPA/UFSM, as 23 questões fechadas que integrou o questionário do Segmento TAEs procuraram avaliar as dimensões 4, 5, 6, 7, 8 e 10 do SINAES e ao final um espaço para sugestões, críticas e reclamações. As questões constavam de até cinco opções de respostas variando entre “bom, muito bom, parcialmente, regular, utiliza,


37

eventualmente utiliza e conheço, desconheço”. As quais serão usadas neste texto para resgatar os resultados da pesquisa realizada. A seguir passamos a descrever, por dimensão e questão, atendendo em parte o roteiro sugerido pela CPA/UFSM, dados quantitativos e descritivos relativo aos resultados da avaliação protagonizada na visão do segmento Discente de graduação do CE/UFSM. A Dimensão 4 trata da Comunicação com a Sociedade nas questões 14 e 15. Questão 14: (72,72%) respondeu muito bom para os canais de comunicação e informação internas utilizados pela IES. Questão 15: (54,55%) disse bom para canais de comunicação externa. Comentários: observa-se de modo positivo o relacionamento da IES com a sociedade. Pontos fortes: comunicações internas Pontos fracos: não observável Plano de melhoria: continuidade e aperfeiçoamento das formas de comunicação com a comunidade interna e externa.

A Dimensão 5 trata de Políticas de Pessoal e de Carreira do Corpo docente e Técnico-administrativo em seis questões (16, 19, 20, 21, 22 e 23). Questão 16: Quase metade (45,45%) respondeu muito bom para as ações voltadas a educação continuada. Questão 19: (36,36%) respondeu bom para o desempenho dos cinco programas da PRRH. Questão 20: Quase metade (45,45%) classificou muito bom para as relações de trabalho no setor. Questão 21: (54,45%) disse que conhece parcialmente o Plano de carreira (PCCTAE). Questão 22: (36,36%) destacou muito bom para o Programa de capacitação e aperfeiçoamento dos TAEs, organizado pela IES.


38

Questão 23: (54,55%) disse que bom para as formas de divulgação do programa de avaliação de desempenho funcional da UFSM. Comentários: envolvimento com a regulação do desempenho Pontos fortes: avaliação de desempenho funcional Pontos fracos: desempenho dos cinco programas da PRRH Plano de melhoria: divulgação maior por centro sobre os cinco programas

A Dimensão 6 trata da organização e Gestão da Instituição em sete quesitos (1, 2, 9, 10, 11, 12 e 13). Questões 1 e 2: (63,64%) disse bom para atual estrutura acadêmica e administrativa da UFSM. Questão 9: (36,36%) apontou bom para à informatização das rotinas acadêmicas e administrativas; protocolo, legislação, bibliotecas, PI e SIE. Questões 10, 11 e 12: (36,36%) classificou bom ao processo burocrático dos trâmites das atividades acadêmicas e administrativas; SIE e arquivo geral. Questão 13: (54,55%) classificou bom para rotinas estabelecidas pela Secretaria do centro, colegiados e legislação em geral. Comentários: julgam satisfatória a gestão da IES e da unidade. Pontos fortes: estrutura da IES Pontos fracos: informatização das rotinas Plano de melhoria: projetos de qualificação sobre os serviços deficitários para que possam dominá-los. Seminários sobre documentação

A Dimensão 7 trata da Infraestutura Física em seis questões (3, 4, 5, 6, 7 e 8). Questão 3: Quase a metade (45,45%) disse bom as condições infraestrutura (acústica, iluminação, ventilação, temperatura) instalações e equipamentos. Questão 4: acham regular (36,36%) o acesso para PNEs. Questão 5: (54,55%) avaliaram bom para as condições de acesso a equipamentos de informática, recursos audiovisuais, multimídia, internet, intranet na unidade. Questão 6: (54,55%) respondeu bom para a aquisição e atualização dos softwares e equipamentos da unidade.


39

Questão 7: (81,82%) avaliou bom para a manutenção e conservação das instalações físicas da unidade. Questão 8 (72,73%) avaliou bom para a manutenção e conservação dos equipamentos da unidade. Comentários: As instalações avançaram bastante mas ainda aparecem como preocupação dos TAEs. Pontos fortes: instalações da unidade Pontos fracos: internet a acessibilidade para PNEs. Plano de melhoria: instalar modem wireless na unidade e cabeamento para os computadores de mesa. Refazer as rampas e manutenção permanente no elevador

A Dimensão 8 trata de Planejamento e Avaliação nos itens 24 e 25. Questão 24: (36,36%) disse que eventualmente utiliza o resultado das avaliações para as ações da unidade. Questão 25: (54,55) respondeu bom para a divulgação dos resultados da avaliação para a comunidade. Comentários: questão sintomática na IES, porém na unidade há maior compreensão de divulgação Pontos fortes: reconhecimento da avaliação divulgação no CE Pontos fracos: sem utilidade para os setores Plano de melhoria: envolver os TAEs nas setoriais e na metavaliação da IES por meio de seminário. Integrar a avaliação de desempenho a Avaliação Institucional, bem como propiciar que estes se envolvam em projetos de pesquisa, eventos e extensão.

A Dimensão 10 trata da Sustentabilidade Financeira nos itens 17 e 18. Questões 17 e 18: (45,45%) bom quanto à alocação de recursos para manutenção das instalações e atualização dos equipamentos e capacitação de pessoal TAE na unidade. Comentários: reconhecem que há verba para melhoria do trabalho na instituição


40

Pontos fortes: existência de recursos para melhorias em geral. Pontos fracos: não observável Plano de melhoria: modernização dos equipamentos por meio de projetos que façam a captação de verba, priorização da capacitação com recursos da instituição Sugestões apontadas pelos TAEs Não houve, ou não foram enviadas pelo CPD Sugestões de melhoria no questionário Não houve ou não foram enviadas pelo CPD Parecer geral da avaliação dos TAEs. Apesar de ser um segmento articulado, de modo geral, ainda não se preocupam com a Avaliação Institucional, haja vista o baixo nível de participação na IES e no CE.


41

6. Prestação de Contas do Plano de ação 2010

Apresentamos a prestação de contas com a receita e a despesa do montante de investimentos solicitados no processo de autoavaliação de 2009 para o ano de 2010. Para atender demandas da Autoavaliação o Centro de Educação por meio de sua Comissão de Avaliação (CAICE) solicitou a PROPLAN R$ 384.400,00 (trezentos oitenta e quatro mil e quatrocentos reais) que foi repassado em forma de materiais permanente e custeio, durante o ano de 2010. Os investimentos foram gestados em comum acordo entre a Direção do CE e a CAICE. A distribuição levou em conta o critério da participação no processo de Avaliação Interna: autoavaliação 2009, ou seja, a escuta aos resultados apontados pelos segmentos. Em vista disso o CE tem aplicado tais na melhoraria da estrutura física (climatização,

iluminação),

computadores,

datas

modernização

shows

e

telões),

tecnológica

incremento

do

(novos acervo

bibliográfico (novos livros) e investimentos na produção institucional de docentes

e

iniciação

científica

do

alunado

(passagens,

inscrições/eventos, ônibus, diárias e publicações, demandas, que vem atender os antigos e novos Cursos que periodicamente são avaliados pelo INEP/MEC e também comunidade. Na sequência o plano de ação sugerido pela CPA para a prestação de contas a comunidade e a instituição.


42


43


44


45


46


47

7. Apresentação do Plano de Ação 2011

Apresentamos o Plano de Ação e respectivos recursos a serem solicitados a PROPLAN em atendimento especialmente aos pontos fracos sinalizados na autoavaliação pelos membros da comunidade do CE. Cabe

reafirmar

que

durante

o

processo

o

reforço

de

participação aos setores centrou a manifestação dos segmentos Docente e TAE exclusivamente na dimensão 7, ou seja, ainda em questões infraestruturais. Fizemos isso, exatamente, quando começamos a perceber que teríamos problemas com o sistema online que funcionou bem somente na primeira semana, depois os problemas só se agravaram, o que acabou por mascarar a participação. Por

meio

desta

alternativa,

indiretamente,

tivemos

maior

participação e melhor incremento do processo, respaldado pela Direção. Com isso carreamos inúmeras solicitações por memorandos e emails, envolvendo maior parte da comunidade com a temática avaliação. A seguir apresentamos no Quadro sugerido pela CPA as solicitações advindas da autoavaliação 2010 do Centro de Educação.


48

Plano de Ação para 2011 CENTRO DE EDUCAÇÃO/CAICE DIMENSÃO 1: MISSÃO E PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Nº

TÍTULO DA JUSTIFICATIVA DETALHAMENTO AÇÃO (POR QUE AÇÃO (O QUE Fazer) Fazer) (COMO Fazer)

DA CUSTOESTIMADO TOTAL(R$)

COMO SERÁ EFETIVADO Não foram apontadas demandas para esta dimensão.

01

DIMENSÃO 2: POLÍTICA PARA O ENSINO, A PESQUISA, A PÓS-GRADUAÇÃO E A EXTENSÃO Nº 01

02

03

04

05

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Novas Tecnologias

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Atender novos professores (REUNI).Atend er avaliação de cursos REUNI e EAD

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) 146 Computadores HP 6560br Intel 4GB Premium (ver R$ 323.400,00 configuração anexa)

07

08

Durante 2011. Recursos CE e Autoavaliação 2010

Unitário R$ 2.200,00

Novas tecnologias

Atender novos 52 impressoras docentes e multifuncionais R$ setores do CE Unitário R$ 1.000,00

Novas tecnologias

Atender 21 Notebooks Acer setores sem aspire 3 Gb Tela 14 (ver R$ cabeamento. anexo) Portabilidade Unitário R$ 1.699,00

Novas tecnologias

Modernizar equipamentos LinCE

01 conjunto microfone sem fio

Novas tecnologias

Adquirir p/LinCE

05 filmadoras digitais Unitário R$ 3.600,00

Durante 2011. 52.200,00

35.679,00

R$

1.700,00

Recursos da Autoavaliação 2010 Durante 2011.

R$

Adquirir LinCE

18.000,00

02 tripés filmadora

Novas tecnologias

Modernizar LinCE/PedNot e setores

06 máquinas digitais (fotográfica) Unitário R$ R$ 2.000,00

Novas tecnologias

Portabilidade

02 net books Unitário R$ 1.800,00

Recursos da Autoavaliação 2010

Durante 2011.

Novas tecnologias

Unitário: R$ 400,00

Recursos da Autoavaliação 2010

Durante 2011.

Eventos do CE 06

COMO SERÁ EFETIVADO

Recursos do CE e Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

800,00

Recursos da Autoavaliação 2010 Durante 2011.

12.000,00

Recursos da Autoavaliação 2010 Durante 2011.

R$

3.600,00

Recurso autoavaliação 2010


49

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

Novas tecnologias

Atender docentes grupos pesquisa

05 gravadores digitais

Novas tecnologias

Modernizar Laenbio

Novas tecnologias

Condições aos 11 scanners setores e Unitário R$ 100,00 docentes

Novas tecnologias

Organização da 04 MP 5 e 1 MP3 rede Unitário R$ 150,00 INTEGRARE

Novas tecnologias

Atualizar aulas 02 Xilofones orff do Laboratório soprano R$ Ensino Musical Unitário R$ 1.000,00

Novas tecnologias

Atualizar 02 Xilofones Orff práticas do contralto R$ Laboratório Ensino Musical Unitário R$ 1.400,00

Novas tecnologias

Atualizar aulas 03 pandeiros do Laboratório Ensino Musical Unitário R$ 600,00

Novas tecnologias

Diversificar as 02 meia luas aulas musicais Unitário R$ 400,00

Novas tecnologias

Melhoria da prática 01 Surdo pedagógica musical

Novas tecnologias

Inovação aulas

Novas tecnologias

Inovar música

aulas 02 caixas de som

Novas tecnologias

Inovar música

aulas 01 teclado

Novas tecnologias

Suporte aulas

e de Unitário R$ 300,00

Durante 2011. R$

1.500,00

o 01 minisystem com CD

Durante 2011. R$

as 13 filmes (ver lista) Unitário R$ 30,00

Unitário R$ 400,00

Recurso Autoavaliação 2010

300,00

Recurso Autoavaliação 2010 Adquirir durante 2011.

R$

1.100,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011.

R$

750,00

Recursos Autoavaliação 2010 Durante 2011.

2.000,00

Recursos Autoavaliação 2010

Durante 2011. 2.800,00

Recursos Autoavaliação 2010

Durante 2011. R$

1.800,00

Recursos Autoavaliação 2010 Durante 2011.

R$

800,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011.

R$

500,00

Recurso Autoavaliação 2010

Durante 2011. R$

393,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

800,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

1.300,00

Instalação equipamento R$ som e caixas

500,00

Recurso Autoavaliação 2010

Durante 2011


50

Recurso autoavaliação 2010 Total

R$ 461.922,00

DIMENSÃO 3: RESPONSABILIDADE SOCIAL DA INSTITUIÇÃO Nº

TÍTULO DA JUSTIFICATIVA DETALHAMENTO AÇÃO (POR QUE AÇÃO (O QUE Fazer) Fazer) (COMO Fazer)

DA CUSTOESTIMADO TOTAL(R$)

COMO SERÁ EFETIVADO

Não foram apontadas demandas para esta dimensão.

01

DIMENSÃO 4: COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE Nº 01

02

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Produção Universitária

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Divulgar as pesquisas da CAICE

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) Publicação de periódico.

COMO SERÁ EFETIVADO

Impressa universitária

Recurso Autoavaliação 2010

Produção Científica

Socialização e Publicação de Obra troca de Editoração e impressão experiências, entre IES.

Total

R$

3.000,00

Durante 2011.

Durante 2011. R$

5.000,00

R$

8.000,00

Recurso autoavaliação de 2010

DIMENSÃO 5: POLÍTICA DE PESSOAL E DE CARREIRAS DO CARGO DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO Nº 01

02

03

04

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Participação em eventos

Participação eventos internacionais

Participação eventos nacionais Participação eventos Internacionais

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Qualificação/pr odução

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) 65 passagens rodoviárias SMA/POA/SMA. R$ 3.445,00 Direção, TAEs, Unitário: R$ 55,00 CAICE 03 passagens aéreas internacionais (Ida e R$ volta)

Qualificação/p arcerias/Divulg ação Unitário R$ 3.500,00

Qualificação

44 passagens aéreas nacionais (POA/SP/BSB)

COMO SERÁ EFETIVADO

Durante 2011. Recurso Autoavaliação

Durante 2011. 15.300,00

Recurso Autoavaliação

Durante 2011. R$

47.036,00

Recursos CE e Autoavaliação

Unitário R$ 1.069,00 Durante 2011. Qualificação

12 Diárias internacionais

R$

8.000,00

Recurso Autoavaliação


51

05

06

07

Participação e Capacitação, promoção de requalificação eventos e parcerias

20 diárias nacionais (POA/SP/BSB)

Renovação dos Portabilidade acessórios de trabalho

30 Pen drives 16gb

Renovação das Substituir máquinas antigos

Durante 2011. R$

15.000,00

Recurso autoavaliação Durante 2011.

R$

os 20 monitores LCD 19 polegadas

Total

1.600,00

Recurso autoavaliação Durante 2011.

R$

10.000,00

Recurso autoavaliação

R$ 100.381,00

DIMENSÃO 6: ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA INSTITUIÇÃO Nº 01

02

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Relacionament o

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Ampliação de ramais internos

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) Aquisição e instalação de central telefônica R$ 7.930,00

COMO SERÁ EFETIVADO

Organização

PedNot

01 Relógio de parede

Sugere-se almoxarifado

Total

R$

100,00

R$

8.030,00

Durante 2011 Recursos Autoavaliação 2010

DIMENSÃO 7: INFRAESTRUTURA Nº 01

02

03

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Inovação e criatividade

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Melhoria das salas de aula

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) 11 projetores multimídia

COMO SERÁ EFETIVADO

Unitário: 1.800,00

R$ 19.800,00

Recursos do CE e Autoavaliação 2010

Manutenção das máquinas

Adequado Funcionament o

43 estabilizadores

R$

Durante 2011

Novos móveis

Condições trabalho

6.407,00

Unitário: 149,00

de 24 mesas especificação)

Durante 2011.

Recursos Autoavaliação 2010 (ver

Durante 2011 R$ 15.096,00

Recursos CE

Unitário R$ 629,00 04

Novos móveis

Condições trabalho

de 56 cadeiras descrição)

(ver

Durante 2011 R$ 20.944,00

Recursos CE

Unitário R$ 374,00 05

06

Proteção solar

Infraestrutura

Condições ambientais

33 cortinas modelo persiana. Unitário R$ R$ 6.600,00 200,00 (Blackout)

Durante 2011

Adequação

28 condicionadores Split

Durante 2011

Recursos CE


52

climática

(ver especificação)

R$ 36.400,00

Recursos CE e Autoavaliação

Unitário R$ 1.300,00 07

Infraestrutura

Agilidade trabalho

no 01 fragmentadora papel

de

Durante 2011 R$

800,00

Recurso da autoavaliação 2010

Unitário R$ 800,00 08

09

Infraestrutura

Infraestrutura

Acomodação Conjunto de bancadas de para 50 computadores R$ 10.000,00 computadores. do LinCE Avaliação Cursos EAD e REUNI

Durante 2011

Visualização

Durante 2010

06 telas de projeção Unitário R$ 400,00

10

11

12

13

Infraestrutura

Infraestutura

Infraestrutura

Infraestrutura

Suporte ao 01 Switch setor de especificação) informática

R$ 2.400,00 (ver

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

Suporte ao 03 lâmpadas data show setor de (ver especificação) R$ informática Unitário R$ 900,00 Inovação 01 fogão 4bocas metodológica aulas de biologia

Recursos CE e Autoavaliação

1.000,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011

2.700,00

Recurso Autoavaliação 2010

Durante 2011 R$

(1) Inovação 03 frigobares metodológica nas aulas de R$ 400,00 Biologia

300,00

Recursos autoavaliação 2010

Durante 2011 R$

1.200,00

(2) Sugere-se verba departamental (1) recurso Autoavaliação

(2) ADE 14

Infraestrutura

01 cafeteira

R$

150,00

Durante 2011 Sugere-se verba departamental

15

Infraestrutura

Condições higiene

de 04 bebedouros especificação

(ver

Durante 2011 R$

1.200,00

Recursos Autoavaliação 2010

Unitário R$ 300,00 16

17

Infraestrutura

Infraestrutura

Condições trabalho

de 04 arquivos de aço

Condições trabalho

de 02 escrivaninhas

Unitário R$ 600,00

Unitário R$ 300,00

Durante 2011 R$

2.400,00

Recursos Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

600,00

Recursos autoavaliação 2010


53

18

19

20

Infraestrutura

Infraestrutura

Infraestrutura

Condições trabalho

de 03 arquivos de madeira

Condições trabalho

de 04 armários de madeira

Condições trabalho

de 02 telefones sem fio com fase

Unitário R$ 480,00

Durante 2011 R$

Unitário R$ 450,00

1.440,00

Recursos autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

1.800,00

Recursos Autoavaliação 2010 Durante 2011

R$

500,00

Recursos Autoavaliação

R$ Unitário 250,00 21

22

23

24

Infraestrutura

Infraestrutura

Infraestrutura

Infraestrutura

25 Infraestrutura

Condições trabalho

de 02 gaveteiros

Durante 2011

Unitário R$ 250,00

R$

Informação e 01 TV LCD 46 polegadasdivulgação do Hall do CE R$ CE

Melhor organização

18 espelhos grandes com moldura p/ banheiros Unitário R$ R$ 500,00

Praticidade/Av Mobiliário aliação de Biblioteca/LAPEDOC Cursos EAD e REUNI Ampliação, complementaç ão hidráulica

500,00

Recursos Autoavaliação 2010 Durante 2011

4.000,00

Recurso Autoavaliação 2010

Durante 2011 6.000,00

Recursos Autoavaliação 2010

Durante 2011

Tubulação hidráulica

Total

R$ 34.440,00

Recurso Autoavaliação 2010

R$

Recurso Autoavaliação 2010

100,00

R$ 176.777,00

DIMENSÃO 8: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO Nº 01

02

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Identidade profissional

Identidade profissional

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Suprir acervo. Atender avaliação INEP, EAD e REUNI

DETALHAMENTO AÇÃO (COMO Fazer) 07 livros área matemática (ver)

DA CUSTOESTIMADO TOTAL(R$)

COMO SERÁ EFETIVADO

de

Durante 2011 R$

350,00

Ed. R$

15.000,00

Recurso da Autoavaliação 2010

Unitário R$ 50,00

Suprir acervo. Livros na área Atender Profissionalizante

Durante 2011


54

avaliação INEO, REUNI e EAD. 03

Banco dados

Recurso CE e Autoavaliação 2010

de Organizar base Adquirir Software de dados CAICE. Atender INEP

Total

R$

1.100,00

Durante 2011 Recurso Autoavaliação

R$

16.450,00

DIMENSÃO 9: POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS ESTUDANTES Nº 01

02

03

TÍTULO DA AÇÃO (O QUE Fazer) Iniciação científica

JUSTIFICATIVA (POR QUE Fazer) Apresentação de trabalhos

DETALHAMENTO DA CUSTOESTIMADO AÇÃO TOTAL(R$) (COMO Fazer) Fretamento de ônibus R$ 9.000,00 ANPAE/ USP 04/2011

Iniciação cientifica

Produção discente docente

Móveis

Conforto 04 sofás grandes intervalo das confortáveis p/hall do CE R$ atividades

5.000,00

R$

16.000,00

Ajuda de custo/Eventos, e Bolsista CAICE e grupos R$ de pesquisa CE

Total DIMENSÃO 10: SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA dimensão

COMO SERÁ EFETIVADO

Durante 2011 Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011

2.000,00

Recurso Autoavaliação 2010 Durante 2011 Recurso Autoavaliação

Não foram apontadas demandas para esta

TOTAL ........................................................................................... R$ (Setecentos Oitenta Sete Mil Quinhentos Sessenta Reais)

787.560,000


55

8. Considerações Finais

A reflexão conduzida a partir do estudo, aqui apresentado, na visão

dos

diferentes

segmentos

que

participaram

do

processo

Autoavaliativo conduzido pela CPA/UFSM, nos encaminham para as seguintes considerações Parece que, quanto mais se está de acordo sobre o que se quer das instituições e da educação, mais se receita a avaliação, como se dela viessem às respostas aos problemas centrais ou como se constituíssem, em si, uma política ou um valor. É sabido que a condução de qualquer processo de avaliação não é trivial e, por isso, exige uma boa preparação dos gestores responsáveis, para além dos domínios das técnicas básicas, estes precisam ter algum domínio sobre as condições de construção dinâmica de processos socioculturais, científicos e pedagógicos que dizem respeito à prestação de contas por meio de diferentes formatos avaliativos. Os problemas enfrentados na avaliação da UFSM são recorrentes, localizados

e

desafiadores,

merecem,

portanto,

que

não

nos

contentemos em aplicar somente dispositivos uniformes, pois o desafio da qualidade exige uma escolha adaptada às finalidades da qualidade desejada para o ensino superior, ou seja, avaliação regulatória com emancipação e participação forte. É por isso que surge o interesse de se interrogar o modelo deste tipo de avaliação e o tipo de significação esperada dos resultados obtidos pelos procedimentos utilizados. A luz da experiência aponta que a significação mais próxima das preocupações dos que participaram do evento, não podia ser


56

investigada a não ser na exploração das contribuições online, porém num sentido de desarrumar as metodologias clássicas foi que o CE procurou inovar durante a Semana da Avaliação dialogando com os setores sobre suas necessidades essa contribuição não advêm de processos aligeirados e burocráticos como temos vivenciado. Contudo, sabemos que as virtudes da autonomia não são suficientes para garantir que a qualidade da universidade progredirá. É sobretudo o uso que dela é feito que se revela determinante. Uma coisa é certa, a autonomia concedida deve resultar de uma negociação entre os envolvidos e o cumprimento dos acordos estabelecidos. Os problemas que temos enfrentado e que emperram o processo são perfeitamente possíveis de serem resolvidos pela instituição, basta que haja política, projeto e investimentos aliados a setores parceiros, como o CPD, visto que a questão da informatização tem se desvelado um dos pontos fracos recorrente nas avaliações da UFSM. Assim, apesar do conteúdo de seriedade dos quesitos apontados pelos discentes, gestores, docentes e TAEs da IES e do CE, a maioria deles só poderá ser vivenciada, na prática, a médio e longo prazo, períodos que poderão apontar melhor resultado das experiências acumuladas, servindo assim de concentração para as mudanças, pois consolidar uma cultura avaliativa implica juntar as fibras formadoras do tecido social. Sobre os resultados deste processo? Apreciações de terceiros, nomeadamente de peritos externos poderão avaliá-la, no caso aguardemos o Processo de Avaliação Externa para validar tal processo evitando que caia na armadilha da auto-satisfação, apesar da fraca participação em nível institucional e de Centros. Mudanças advindas deste processo? Os problemas foram levantados e apontados, esperamos amplo debate em torno dos


57

achados além de investimentos financeiros institucionais para atender as demandas sinalizadas pelos atores frente à expansão e criação de novos Cursos, setores e cargos.


58

9.

Referências

MEC/INEP. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Roteiro de autoavaliação institucional. Brasília. DF. 2004. UFSM. Centro de Educação. Comissão de Avaliação Institucional do CE (CAICE). Programa de Avaliação Institucional do CE (PAICE). Projeto de evento. Semana da Avaliação Participativa no CE 2010. Santa Maria. 2010. ___; Centro de Processamento de Dados (CPD). Boletins online Autoavaliação UFSM 2010 I, II e III. Santa Maria. 2010. ___; Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (CEPE). Projeto Político Pedagógico da UFSM. 2000 ___; Comissão de Avaliação Institucional do CE (CAICE). Relatório de Autoavaliação Institucional do CE 2009. Santa Maria. 2009. ___; Comissão Própria de avaliação (CPA). Relatório de Avaliação Interna: autoavaliação da UFSM 2009. 155p.


59

ANEXOS


Relatório Auto-Avaliação - 2010