Page 1

Jornal do CCE @jornaldocce

Ano 4 Nº 19

Florianópolis, junho de 2011

www.jornaldocce.ufsc.br

Prédios do Centro são reformados Thayse Stein

As obras de reforma, solicitadas pela Direção e em andamento desde março, nos blocos A e B, têm previsão de ser entregues até o final do ano. O Departamento de Operação e Manutenção Predial (DOMP), contratou uma empresa especializada para resolver as falhas estruturais e infiltrações no bloco A do CCE. O problema se agravou depois que salas do centro foram inundadas. A obra consiste na construção de nova calha com maior capacidade de vazão, correção de rachaduras e substituição das telhas do prédio. No bloco B, a AZ Serviços de Pintura ganhou a licitação para terminar a pintura já iniciada pela empresa no início do ano. O serviço não foi finalizado por falha operacional da AZ, que mesmo pintando o dobro da área solicitada, não conseguiu cobrir todo o prédio. A conclusão da pintura do prédio depende agora da finalização dos serviços da reforma estrutural do Bloco A e do término do processo de licitação.

Seminário discute cinema no Brasil Página 4

Estreia da montagem Setembro Página 6

Design exibe curtas em evento nacional Página 7

Entrevista com Alckmar Luiz dos Santos

Página 3

Operários trabalham para corrigir problemas no telhado do bloco A

Estúdio fotográfico da EGR

As obras do estúdio fotográfico do Departamento de Expressão Gráfica foram finalizadas no início do mês. O estúdio atenderá todas as áreas do Design e já está em funcionamento. Página 5

TV UFSC divulga TCCs de alunos O programa Primeiro Plano, exibido na TV UFSC, passou a aceitar Trabalhos de Conclusão de Cursos (TCC) e vídeos acadêmicos de todos os cursos do Centro de Comunicação e Expressão. Até abril deste ano eram exibidos apenas produções do curso de Jornalismo. Toda quinta-feira marca a estreia de um novo trabalho. O último lançamento foi Manuela, TCC de Luísa Madureira Novo, que narra a história de uma garota que vive em um mundo imaginário e não consegue mais separar a realidade da ficção. O primeiro trabalho que não era do curso de Jornalismo, produzido por Louise Krieger, foi ao ar no final de abril. O curta-metragem Nó da ex-aluna faz uma análise do conceito do real baseado nas teorias de um psicanalista francês.

Brenda Thomé

Patricia Siqueira

Novo estúdio no Design

Página 8

Sala de controle da TV UFSC, de onde os trabalhos são transmitidos

A participação no programa insere os alunos no campo profissional e além disso, divulga os trabalhos de conclusão de curso

realizados em vídeo pelos estudantes da Universidade. Página 7


2 | Opinião | Junho 2011

Carta

ao

Leitor

Você tem em mãos a décima nona edição do Jornal do CCE. A nossa equipe foi atrás de todas as novidades do centro para que os leitores possam ficar atualizados. Na editoria de Campus confira o andamento da reforma no CCE. Também noticiamos o novo estúdio de fotografia do curso de Design e a programação do Seminário de Produção

Jornal do CCE

Mente Audiovisual organizado pelo curso de Cinema. E na Cultura os destaques são: a montagem de final de semestre do curso de Artes Cênicas e a décima quinta edição do FAM. Se quiser participar enviando sugestões, críticas e comentários, entre em contato conosco: jornaldocce@cce.ufsc.br ou pelo tuíter @jornaldocce.

Charge

anônima

Ela caminhava calmamente por entre os transeuntes. Os transeuntes passavam aleatoriamente por Ela. Cada um seguindo e alguns até sendo seguidos. O terminal estava lotado, catracas girando, o forte cheiro de café misturado com cigarro e fuligem, o constante acelerar dos ônibus parecia se ritmar com a movimentação dos que estavam a sua espera. Cinco minutos, uma corrida, duas horas, caminhando inconstantes e rotineiros. A coisa mais fantástica daquele lugar estava dentro de cada um: a capacidade de pensar sem ser percebido. Talvez muitos tivessem dúvidas, angústias e perspectivas em comum, mas o que os movia era uma propriedade que não obedecia nem a usucapião e nem a nenhuma outra lei. É uma exclusividade nata de todo hommo sapiens. Seus passos eram ainda incertos naquelas sinuosas vielas, porém seus objetivos eram tão claros que nada daquela ópera urbana a desconcertava. Ela poderia passar como uma simples moça a caminho de casa, apressada para pegar um táxi, encontrar alguém, e até mesmo obstinada a continuar concentrada em suas verdades ou a fugir de todas elas. Perguntava-se constantemente, por dentre quantos pensamentos havia passado em um único dia? Não os seus próprios, até porque, essa não seria uma tarefa impossível, árdua sim, mas não impossível; o que a intrigava realmente era a

quantidade exata dos pensamentos de cada um daqueles que seguem, e mais, quantos desses Ela conseguira adivinhar ou mesmo esbarrar? Essas eram mais perguntas que se juntariam a grande lista daquelas que nasceram para habitar um questionário que jamais será respondido com algum grau de coerência. A sinaleira abria e lá atravessava mais uma porção da massa com sua massa cinzenta, todos com uma característica em comum: a escolha. O magno direito de decidir se o que permeia seu âmago deve ser deixado somente ali, maquiado ou exposto; uma fraqueza para aqueles que se autodenominam inexoráveis sinceros e espontâneos e uma benção para os tímidos e misteriosos. Tal decisão ultrapassa os conceitos de ditadura ou democracia, ela é feita por algum determinado motivo, seja ele ange ou démon, mas o poder existe e está ali. Nada de descobrir o sexo dos anjos, a origem da vida ou tentar acertar a múltipla escolha de Hamlet, a decisão é além de eloqüente, incessante e por vezes impulsiva como o ritmo de uma metrópole ou o alternar dos astros. Não há juízes ou diretores de teatro capazes de avaliar a decisão ou a atuação de cada um daqueles que seguem, pois estes e aqueles se não foram, são, e se não são, serão como Ela, transitando imersa em seus próprios devaneios enquanto o resto, aleatório.

Pâmela Carbonari cursa a 2ª fase de Jornalismo da UFSC

Errata

Nathan Schäfer é estudante de Jornalismo da 5ª fase

Na 18ª edição do Jornal do CCE publicamos duas informações erradas na página 3. Pedimos desculpas aos nossos leitores e fontes pelos equívoco: A foto da matéria “Seminário Brasil/Argentina traz Uranga para abertura” é do também palestrante,

Eduardo Blaustein, e não do professor e jornalista Washington Uranga, que abriu o evento. A matéria “Professores avaliam livros para PNLD/MEC” foi escrita pela repórter Thayse Stein e não pelo repórter Lucas Moreira como havíamos publicado.

Reportagem: Ana Paula Mendes, Bianca Amorin, Brenda Thomé, Camila Hammes, Camila Peixer, Dayane Ros, Fernanda Pessoa, Francisca Nery, Iuri Barcellos, João Paulo Fernandes, José Hüntemann, Julia Ayres, Julia Tavares, Lucas Miranda, Marcela Borges, Mariana Moreira, Nayara Batschke, Pâmela Carbonari e Patrícia Siqueira.

Revisão: Ana Paula Mendes, Francisca Nery, Isadora Machado, José Hüntemann, Kadu Reis, Mariana Moreira, Nayara Batschke, Pâmela Carbonari, Patrícia Siqueira e Paula Salvador.

Jornal do CCE O Jornal do CCE é um orgão de extensão do Departamento de Jornalismo, com textos, fotos, edição e diagramação dos alunos da disciplina de Redação II. Professor responsável Elias Machado DRT/RJ 16.936 Monitora Jéssica Trombini Bolsista de Extensão Carolina Franco

Edição: Camila Hammes, Carolina Lisboa, Dayane Ros, Fernanda Ferreti, Fernanda Pessoa, Isadora Machado, Iuri Barcellos, João Paulo Fernandes, Julia Ayres, Julia Tavares, Kadu Reis, Laís Souza, Mariana Moreira, Nayara Batschke, Pâmela Carbonari e Rafael Gomes. Diagramação: Ana Paula Mendes, Brenda Thomé, Camila Peixer, Francisca Nery, Isadora Machado, Julia Tavares, Laís Souza, Nayara Batschke e Paula Salvador.

Foto: Brenda Thomé, Dayane Ros, Francisca Nery, Giuliane Gava, José Hüntemann, Laís Souza, Patrícia Siqueira e Thayse Stein.

Colaboração: Nathan Schäfer Tiragem: 500 exemplares Impressão: Gráfica POSTMIX Contato: jornaldocce@cce.ufsc.br


Junho 2011 | Campus | 3

Jornal do CCE

Reforma termina até final do ano

Os prédios do Centro estão sendo reformados após inundações nas salas e infiltração na estrutura do bloco A. Além disso, houve a necessidade de restauração na pintura do bloco B. Até o momento o valor gasto foi de R$ 96.924,64. A obra faz parte de um programa da Prefeitura Universitária de revitalização das unidades e a previsão de término dos trabalhos é para o final do próximo semestre. Parte da reforma, iniciada em março, já deveria estar concluída. No telhado do bloco A uma nova calha foi planejada para suprir a vazão de água das chuvas. O vice-diretor do Centro, Arnoldo Debatin Neto, disse que a demora aumenta a possibilidade de alagamentos nas salas do segundo andar, como ocorreu no início do semestre. O atraso foi causado pela má instalação dos aparelhos de ar-condicionado, localizados onde a calha seria construída. “Foi necessário chamar uma empresa que retirasse os equipamentos e instalasse em outro local para que continuássemos (a obra)”, explica o engenheiro civil fiscal, José Fabris. As telhas do prédio que estavam

rachadas ou quebradas também foram substituídas. Pintura dos prédios - Após a restauração, a pintura dos dois blocos será concluída. No prédio B os serviços já iniciaram, porém não foram finalizados. O prefeito da UFSC, Lorivaldo Pierri, informou que o CCE foi o último centro da Universidade a receber os trabalhos de pintura e o que sobrou foi uma área de 1.246m². Essa seria a área limite a ser pintada no centro, e mesmo pintando o dobro, não foi possível concluir todo o prédio. O proprietário da AZ Serviços de Pintura, empresa responsável pelo execução dos trabalhos, José Carlos Martendal, afirmou que a área foi excedida pois houve um erro na atualização da planilha de controle da empresa. Uma nova licitação foi aberta e a própria AZ foi selecionada. O processo está na Comissão Permanente de Licitação (CPL) para ser avaliado e não havendo impugnação, será concedido o direito à empresa de continuar a pintura.

José Hüntemann

Os trabalhos incluem troca de telhado, correções na estrutura e pintura

José Hüntemann

Operários trabalham na construção da nova calha do bloco A do Centro

Departamento de Jornalismo fecha laboratório de fotografia analógica o laboratório era utilizado para a confecção de câmeras pinhole pelos alunos da primeira fase do curso. Em reunião, no dia 20 de abril, foi levantado que o custo da compra de papel fotográfico e dos químicos necessários para a revelação de fotografias analógicas era muito alto. Além disso, o laboratório não possui sistema de Laís Souza

Até o início de julho, será entregue ao diretor Felício Margotti um documento para oficializar o fechamento da área destinada à revelação de fotos analógicas no laboratório do curso de Jornalismo. No documento, redigido pelo chefe do setor e professor Ivan Giacomelli, constam as irregularidades que fizeram com que a decisão fosse tomada. Desde 2009,

Laboratório equipado para revelação analógica vai virar sala de aula

ventilação adequado para renovação do ar a cada dez minutos. Essa troca é necessária já que os químicos liberam dióxidos de enxofre, nocivos à saúde. “Essas irregularidades tornam o local insalubre e inadequado para a realização de atividades didáticas”, justifica o professor Giacomelli. O projeto proposto pelo chefe do setor e pela chefia do departamento prevê que o espaço destinado à revelação de fotos analógicas seja transformado em sala de aula para as disciplinas de fotojornalismo. Das três repartições existentes, uma área será mantida analógica. “Os calouros poderão ter um gostinho do que era a fotografia analógica e do que era feito no laboratório até então”, adianta a chefe do departamento de Jornalismo, Tattiana Teixeira. A implantação do laboratório depende da entrega dos 20 computadores com programas de edição de imagens que serão solicitados à UFSC.

Julia Ayres

Eleições para o CUn Na quarta-feira, dia 22 de junho, o corpo docente do CCE elege dois professores, um titular e um suplente, para o Conselho Universitário (CUn). A eleição, que deveria ser realizada em 2012, precisou ser antecipada. A atual representante, professora Salma Ferraz de Azevedo de Oliveira, pediu afastamento para capacitação e o suplente, professor José Ernesto de Vargas, não pôde assumir a vaga porque é Coordenador do Curso de Letras-Português. O mandato de ambos terminaria em 6 de maio de 2012. A votação será realizada no Hall de Entrada do Prédio do CCE, das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00, e as inscrições dos candidatos serão aceitas até às 17h00 do dia 20 de junho junto à secretaria do CCE, andar térreo do bloco B. Os eleitos já poderão assumir as vagas no dia seguinte, e a vigência do mandato é de dois anos.

Camila Hammes


4 | Campus | Junho 2011

Jornal do CCE

Audiovisual em discussão

Design abre inscrições para Especialização Seminário reúne profissionais da área de cinema e vídeo

Camila Peixer

O Seminário sobre Produção Audiovisual no BrasilCinema, Estado e Mercado acontece nos dias 30 de junho e 1º de julho, no auditório Henrique Fontes, bloco B do CCE. No primeiro dia, especialistas de cinema debaterão sobre a produção e a distribuição de filmes no Brasil, já Umsandreet ad mincil eugiaommolobor sim dolore magnis ad tatfsdfsff no segundo, haverá exibição do longa-metragem Sudoeste, do diretor carioca José Cláudio Castanheira, organizador do Seminário e professor do Curso de Cinema Eduardo Nunes. O evento, coordenado pelo professor José Cláu- Para as duas sessões, foram fora da universidade. “O avandio Castanheira e apoiado pela convidados como palestrantes ço da produção audiovisual Secretaria de Cultura e Arte Tunico Amâncio, Tetê Mattos, brasileira deve ser questionado (SeCArte), é um complemento Ranulfo Alfredo Manevy e Edupara adequá-la a uma realidaà disciplina de Produção Audio- ardo Nunes, profissionais com de que também vem mudando. visual, do curso de Cinema. várias publicações e prêmios Precisamos entender esse ceA proposta do Seminário é em produções cinematográfinário que está se desenhando fornecer aos alunos um pano- cas. Eduardo Nunes, por exematualmente para saber como rama da produção de cinema plo, conquistou 18 prêmios em agir melhor”, explica José Cláue vídeo no Brasil nas últimas festivais nacionais e internadio Castanheira. As inscrições décadas, dando ênfase às po- cionais com o filme Terral. para as 150 vagas podem ser líticas estatais de incentivo, O Seminário tem como obfeitas no local com uma hora de divulgação e exibição de obras jetivo contribuir com a formaantecedência. audiovisuais. ção dos alunos através da disPâmela Carbonari Convidados nacionais cussão de como se faz cinema Giuliane Gava

O curso de Especialização em Design Estratégico da Pós-Graduação em Design está com as inscrições abertas. A carga horária será de 420 horas aula, divididas em 12 disciplinas. O curso está previsto para iniciar em julho e ter duração de 18 meses. O tema central é o Design Estratégico que se apresenta como uma forma atual de incorporar o design às estratégias das organizações. Entre as disciplinas estão Fundamentos da Gestão de Design, Marketing e Planejamento Aplicado, Empreendedorismo aplicado ao Design e Psicologia e Criatividade Aplicada. As aulas serão ministradas às sextas-feiras à noite e aos sábados durante o dia, no Pós-Design, bloco A do CCE. A taxa de inscrição é de R$38,00 e o valor do Curso é de R$ 6840,00. As inscrições duram até o final de junho ou até o preenchimento das 40 vagas. Se o número de candidatos superar o limite de vagas existe a possibilidade de abrir outra turma. Os interessados podem se inscrever em www.posdesign.ufsc.br.

Entre os semestres de 2010.2 e 2011.1 o índice de desistências dos cursos extracurriculares de Letras por incompatibilidade de horários ou falta de tempo chegou a 68%. Das 198 turmas de Inglês, Alemão, Espanhol, Francês, Italiano e Português para estrangeiros, os horários mais recorrentes são os de 18h30 e 20h10, mas existem turmas em horários alternativos, de acordo com a demanda de cada curso. O índice de desistências é considerado previsível pela Chefia do DLLE, principalmente no segundo semestre dos anos letivos. “A ideia não é virar um negócio gigante e inadministrável. O objetivo é atender a comunidade, mas com qualidade”, explica a Chefe do Departamento Silvana de Gaspari. O Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras atende a todas as solicitações de novas turmas dependendo da disponibilidade de espaço físico e de docentes. Como

Patricia Siqueira

Evasão nos cursos extracurriculares atinge 68%

Português para alunos estrangeiros

durante o dia as salas são ocupadas pelos cursos de graduação, a oferta de turmas necessita da aprovação da Coordenadoria de Apoio Administrativo.

Patricia Siqueira

Jornalismo aumenta carga para 3294 h/aulas O curso de Jornalismo, que estava funcionando com a carga horária de 3006 horas/aula, teve que mudar o currículo, uma vez que a resolução nº 2 de 18 de junho 2007 do MEC exige a carga mínima de 2.700 h/aula. O Colegiado do Curso aprovou, em reunião realizada no dia 20 de maio, a implementação da nova grade curricular, a partir do aumento da carga horária para 3294 h/aula. A mudança começa a valer neste semestre (2011.1). Segundo a portaria da PREG (Pró-Reitoria de Ensino de Graduação ), o curso agora vai aumentar o número de disciplinas. As cargas horárias passam a ser de 2.250h/a em disciplinas obrigatórias e 1.044h/a em optativas. O currículo totalizará 3.294h/a. Até agora o curso de Jornalismo da UFSC exigia uma carga

considerada insuficiente pelo Ministério da Educação, o que provocou a adaptação aos parâmetros mínimos previstos pela legislação federal. “O MEC considera a hora cheia, isto é , horas- relógio de 60 minutos. Já no curso adotava-se a hora/ aula de 50 minutos”, explica Vanderli Vandresen da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação. Como o tempo da hora/aula continua o mesmo, o Colegiado teve que aumentar a carga horária. Com as alterações, as disciplinas optativas somam 1.044horas /aula, das quais, no mínimo, 468h/a devem constar da matriz curricular e as demais 576h/a podem ser de livre escolha dentre as demais disciplinas oferecidas pela UFSC, respeitando pré-requisitos.

Nadine Lopes


Junho 2011 | Campus | 5

Jornal do CCE

EGR inaugura Estúdio Fotográfico Com as obras finalizadas no início do mês, alunos de Design utilizam o espaço Patricia Siqueira

O Departamento de mentos mais caros, como Expressão Gráfica inauguuma mesa de Still e lentes rou no início do mês o Esfotográficas, já foram retúdio Fotográfico do EGR. quisitados à SEPLAN, SeDestinado à produção de cretaria de Planejamento fotografias com luz controe Finanças. A licitação foi lada, o projeto faz parte da aprovada e o Departamendisciplina de Fotografia, e to só está aguardando a atende a todas as áreas do entrega dos materiais, que Design: Gráfico, Produto deve ocorrer até o final do e Animação. A média de mês. estudantes atuando por seA criação do Estúdio é mestre será, inicialmente, decorrente do esforço, por de oitenta alunos. parte do Departamento, O Estúdio, que fica na em implantar a disciplina sala 128, é de pequeno de Fotografia no curso de porte. Com seis metros de Design, o que só ocorreu comprimento e quatro de no ano passado. Desde o largura, o espaço está lonprincípio a disciplina busge de ser o ideal. “O Estúcou aliar a abordagem tedio deveria ter, no mínimo, órica e conceitual com a dois ambientes”, explica parte técnica. No final do Estudantes de Design durante aula no novo estúdio fotográfico do Expressão Gráfica Isaac Camargo, professor ano, as imagens produzida disciplina e um dos resdas pelos estudantes ao provisados e da doação dos equi- e professores”, disse o professor ponsáveis pelo projeto. longo do semestre são expospamentos por alunos, ex-alunos e Luiz Salomão, chefe do EGR. En- tas no Hall do CCE. O estúdio funDoação de equipamentos tre as doações estão equipamen- ciona apenas no período de aula. Por causa da falta de equipamen- professores. “Todos os projetos do Design só têm sido realizados por tos de iluminação e parte do custo tos, grande parte das atividades com a mão-de-obra. Os equipadepende do uso de materiais im- causa da colaboração de alunos Julia Tavares

A Campanha do Agasalho, organizada pela Ação Júnior - Empresa Júnior do Centro Sócio-Econômico da UFSC - em parceria com a Uipi Empresa Júnior de Design - e outras oito juniores da UFSC e da Universidade do Estado de Santa Catarina, recebe doações até o dia 16 de julho. Os agasalhos em bom estado devem ser deixados nas sedes das empresas participantes. “Acreditamos que se realmente queremos ser um diferencial na sociedade, temos que contribuir para esta”, disse Lara Horário, Assessora da Diretoria Administrativo-Financeira da Ação Júnior. A previsão é que os donativos serão entregues no dia 24 de julho no Lar Recanto do Carinho, abrigo de crianças e adolescentes portadores do vírus HIV.

Fernanda Pessoa

Estudantes participam de projeto no Leste Europeu As alunas Isadora Mafra (Jornalismo) e Narjara Oliveira Reis (Letras-Português) embarcam entre o fim de junho e começo de julho para a Ucrânia e a Rússia, respectivamente, pelo projeto Cidadão Global, da AIESEC. O projeto tem o objetivo de levar jovens universitários a países em desenvolvimento para ministrar palestras e workshops em escolas, ONGs e universidades sobre temas como empreendedorismo, liderança, finanças e cultura brasileira. Ao todo, 16 alunos da UFSC viajam a países do Leste Europeu, África e América Latina. Isadora Mafra, 21 anos, viaja no dia 27 de junho para Odessa, na Ucrânia. A estudante dará aulas de inglês e ministrará palestras sobre o Brasil e técnicas de oratória.“Esta será a minha primeira viagem internacional. Meu maior objetivo com a viagem é tornar-me mais independente e exercitar as minhas habilidades de liderança, gestão de pessoas e desenvoltura social,” conta Isadora. Já a acreana Narjara Oliveira Reis, de 27 anos, passará 6 semanas em Tomsk, na Rússia. “Participei do processo de seleção

Brenda Thomé

Campanha recebe agasalhos

Isadora Mafra viaja para a Ucrânia

de outro programa de intercâmbio para Detroit, nos EUA. Porém, assim que conheci melhor os princípios da AIESEC fiz a minha escolha”, afirmou a estudante de Letras, ressaltando que a oportunidade de participar de uma rede mundial de solidariedade presente em mais de 170 países é um dos pontos fortes do programa. Organização global - A AIE-

SEC é uma organização global, independente e sem fins lucrativos gerida por jovens universitários e recém-formados dos principais centros de ensino do mundo. No Brasil, a instituição está presente há 40 anos, com 32 escritórios nos mais importantes polos universitários do país. Além do Cidadão Global, a organização ainda oferece o programa Talentos Globais, que oferece a oportunidade de trabalho remunerado em empresas de diferentes áreas nos países onde a AIESEC atua. Para participar do programa o aluno deve pagar a passagem aérea, seguro médico e uma taxa de R$800,00. Os candidatos passam por um processo de seleção com entrevistas e dinâmicas de grupo feitas pelos estudantes da AIESEC de Florianópolis. Depois de selecionados, ainda são entrevistados pelo comitê de recepção no país de destino. Os interessados devem preencher o formulário no site www.aiesec.org.br ou entrar em contato pelo telefone 3024 0331.

João Paulo Fernandes


6 | Cultura | Junho 2011

Primeira turma de Artes Cênicas monta Setembro

quanto sobre as políticas. A peça será encenada nos dias 1, 2 e 3 de julho, no Teatro da UFSC e depois seguirá em uma turnê pelo segundo semestre de 2011. Há possibilidade de apresentações nos diversos campi da UFSC e em cidades de Santa Catarina e outros estados. Mais informações, entre em contato pelo número 3721-6543.

Francisca Nery

Iuri Barcellos

O documentário f de faca, apresentado no segundo semestre de 2010 por Maurício Tussi e Adriana Meyge como TCC para o curso de Jornalismo, está entre os nove selecionados para a Mostra Catarinense do 15º FAM. O curta, que concorre ao Troféu Panvision de melhor filme, narra uma visita ao apartamento do poeta Ferreira Gullar, que revela lembranças, compartilha reflexões e mostra a galeria de arte particular que cobre paredes da moradia-escritório em que vive. O trabalho vencedor da categoria Mostra Catarinense será exibido no Chile, Paraguai, Peru e Itália, e participará no Festival Íbero Americano de Cinema e Vídeo.

Lucas Miranda

Brenda Thomé

FAM começa no dia 24 no Centro de Eventos O Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM) acontece de 24 de junho a 1º de julho, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Durante a semana, haverá apresentações dos 53 curtas, médias e longas-metragens selecionados para a mostra competitiva, oficinas, além da Mostra Outros Olhares com filmes italianos. Os vencedores terão as obras exibidas em festivais parceiros do FAM e no Pré-FAM de 2012. A novidade deste ano é o 1º Congresso de TV Digital do MERCOSUL. Nas manhãs dos dias 27, 28 e 29 haverá palestras com o tema Cuidando, gerindo e disseminando conteúdos e serviços em TV digital. Os palestrantes confirmados são a professora Cosette Espíndola de Castro e Luis Valle, diretor de programa de pós-graduação em TV Digital da Universidade de Palermo.

Divulgação

Trabalho de JOR em Festival

Grupo de atores faz aquecimento no começo do ensaio da montagem

culado à disciplina da montagem, é coordenador do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas. Turnê no segundo semestre - O projeto Setembro foi construído a partir de estímulos textuais, musicais e audiovisuais, sem defender nenhuma tese ou dogma específicos. O espetáculo procura atingir a sensibilidade da plateia, fazendo com que as pessoas reflitam tanto sobre as questões individuais,

Sarau traz músicas de Buarque A turma de História da Música Popular Brasileira II do curso de Letras/Português, disciplina ministrada pelo professor Carlos Silva, fará a apresentação de músicas e obras do cantor e compositor Chico Buarque, no próximo dia 29 de junho às 17 horas no auditório Henrique Fontes, no bloco B do CCE. No sarau, com duração de 45 minutos, serão executadas 12 músicas, entre elas, João e Maria, Cálice e Apesar de Você. O evento contará com a participação dos 30 alunos do Departamento de Línguas Vernáculas. A organização cênica é das estudantes Ciliane Bedin e Patrícia Sachet e a coordenação musical do aluno Gabriel Veppo. Neste ano, a apresentação acontece pela segunda vez e é realizada pela disciplina do professor Carlos. Em 2010 o homenageado foi Vinicius de Moraes. A entrada na apresentação é livre para todos os interessados.

A peça da sétima fase acontece nos dias 1, 2 e 3 de julho

Setembro, a montagem da primeira turma do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas, estreia no dia 1º de julho no Teatro da UFSC, localizado no Departamento Artístico Cultural (DAC). A peça possui como tema o atentado às torres gêmeas – que completa dez anos nesse mês de setembro – e a experiência humana depois dessa catástrofe. O espetáculo é resultado das aulas de Projeto de Montagem, disciplina que tem como objetivo concretizar um trabalho artístico coletivo que aplique as aptidões em diferentes funções teatrais desenvolvidas ao longo do curso. Os alunos, que neste semestre estão cursando a sétima fase, sobem ao palco com o pressuposto de que o teatro pode ser um fórum poético, sensível e intelectual que, neste caso, discute as causas e consequências dos acontecimentos de 2001. “Estes eventos deixaram marcas que são visíveis no nosso dia a dia e alteraram tanto as relações geopolíticas quanto as relações interpessoais no mundo em que vivemos”, explicou o professor Fabio Salvatti, que além de ser vin-

Jornal do CCE

Festival terá oito dias de atrações

A abertura será no dia 24, às 19 horas, e segue com a exibição do longa Estamos Juntos, do diretor Toni Venturi, às 21 horas. O evento é gratuito e mais informações sobre a programação estão no endereço: www.audiovisualmercosul.com. br.

Ana Paula Mendes

Revista Mafuá recebe artigos A Mafuá, revista de literatura digital do curso de Letras, recebe até 30 de junho ensaios para a 16ª edição, prevista para 1º de setembro. O autor deve ser aluno de graduação com texto relacionado à literatura brasileira ou estrangeira, sem limite no número de páginas. O trabalho deve ter uma recomendação a ser enviada por um professor da instituição de origem. A preferência é por trabalhos inéditos e caso já tenham sido publicados, deverá ser informado. A colaboração pode ser enviada aos editores com afiliação completa e e-mail de contato para o endereço mafua@cce.ufsc.br. As normas de apresentação dos trabalhos podem ser acessadas no site www.mafua.ufsc.br.

Dayane Ros


Junho 2011 | Cultura | 7

Jornal do CCE

TV UFSC traz novas produções Emissora exibe vídeos produzidos por estudantes do CCE Brenda Thomé

A TV UFSC abre espanovo vídeo é estreado. O ço na grade de programaúltimo TCC apresentado ção para exibir Trabalhos foi o da aluna de Cinema de Conclusão de Curso Luísa Madureira Novo, no (TCC) e vídeos produzidos dia 16. A produção Manuenas disciplinas, no prograla narra a história de uma ma Primeiro Plano. Os tragarota que não consegue balhos devem ter qualidaseparar o real do imagide visual e de conteúdo e nário. também os trâmites legais Em abril deste ano foi resolvidos, como a autoriapresentada a primeira zação do uso de imagem. produção que não foi feita Os alunos que tiverem por estudantes do Jornainteresse devem enviar elismo. O curta-metragem -mail para programaçao@ Nó, da ex-aluna de Cinema tv.ufsc.br. Louise Krieger, explica o O Primeiro Plano existe conceito do real a partir desde 2009 e disponibiliza da teoria de um psicana1 hora e meia de apresenlista francês. Louise conta tação de conteúdos produque após a apresentação zidos por alunos. Até abril na TV, profissionais da deste ano, exibia apenas área entraram em contato TCC’s do curso de Jornabuscando informações. Ao lismo. Fernando Crócomo, longo da semana, o trabadiretor da TV UFSC, disse lho é reprisado em difeque 80% dos trabalhos rentes dias e whorários. A Programa transmitido pela TV UFSC exibe TCCs do curso foram exibidos. programação completa da “Abrimos o espaço para ouTV UFSC pode ser encontrade de divulgar suas produções”, tros setores do CCE para que da em www.tv.ufsc.br. comenta. estudantes de fora do JornalisO programa vai ao ar toda mo também tenham oportunidaquinta-feira à noite, quando um Nayara Batschke

A V Semana de Cinema já tem tema definido: projeções do contemporâneo, focadas no cinema brasileiro. Uma vez definida a temática, começa a organização de mesas-redondas, palestras, oficinas, mostras e sessões comentadas. Uma das mesas já confirmadas vai discutir políticas públicas sobre televisão, abordando a produção do cinema no Brasil. A Semana será em outubro, na mesma data da SEPEX, dos 17 a 22. A mudança ocorreu para facilitar a organização, que é feita por um grupo de alunos de Cinema e com a ajuda de professores do curso. O evento acontece, a princípio, no CCE e também contará com um estande na SEPEX, para exposição e divulgação. Mais informações em www.semanadecinema.ufsc.br.

Brenda Thomé

As inscrições para o II Festival de Música da UFSC, que acontece nos dias 27 e 28 agosto, encerraram com um total de 134 participantes. O número de inscritos é quase o triplo da edição anterior e superou as expectativas da SecARTE da UFSC, organizadora do evento. Dentre os inscritos, apenas 20 terão as canções selecionadas por uma comissão. A maioria das bandas são de bairros próximos ao campus. “Os critérios serão autenticidade da composição, qualidade técnica da execução, harmonia, melodia, letra, enfim, tudo o que se refere à qualidade de criação musical”, explica o coordenador do Festival, Marco Valente. Devido ao alto número de inscrições, a divulgação do resultado será prorrogada para o início de julho.

Marcela Borges

Curtas concorrem no NDesign na PUC do Rio

Quatro estudantes do curso de Design tiveram vídeos selecionados para o 21º Encontro Nacional de Estudantes de Design, o NDesign. Dentre 37 vídeos escolhidos do edital de NCurtas, os alunos Giovanni Girardi, com o curta Jardim das Delícias; Vinícius Cunha, com A Free Condom; Roberto Colombo, com O risco é seu e João Paulo Abreu, produtor de Sfamare são os representantes da UFSC. O NDesign acontece entre os dias 24 e 31 de julho, na PUC do Rio de Janeiro. Os trabalhos são divididos nas categorias: ficção, documentário, videoclipe, animação, experimental e outra. Os seis melhores vídeos serão premiados através da votação do público e de uma banca especializada. O aluno da primeira turma de Design de Animação, Vinícius Cunha, da quinta fase, é criador do vídeo A Free Condom – produzido com ajuda da estudante Carolina Sonda. “Os vídeos são muito bem feitos”, comentou Viní-

Francisca Nery

Semana de Cinema decide tema

Festival de Música bate recorde

João Paulo, Roberto, Vinicius e Giovanni concorrem a prêmios no Rio

cius, que tem grande expectativa e acredita na chance de conquistar o prêmio. Viagem ao Rio - O 21º NDesign reúne apresentações de vídeos, palestras, oficinas, workshops, mesas redondas, exposições e festas. O Centro Acadêmico de Design e mais três chefes de delegação da terceira fase do Curso estão orga-

nizando a viagem. “Estamos indo em cerca de 80 pessoas para o Rio de Janeiro e mais o pessoal do IFSC e da UDESC”, afirmou João Paulo. Os quatro vídeos selecionados estão disponíveis no blogue do Jornal do CCE.

Mariana Moreira


8 | Entrevista | Junho 2011

Dayane Ros

Alckmar dos Santos

Jornal do CCE

Aos 52 anos, acumula as funções de professor de Literatura Brasileira da UFSC, fundador e coordenador do Núcleo de Pesquisa em Informática, Linguística e Literatura (Nupill), poeta, contista, ensaísta, escritor e pesquisador. Alckmar Luiz dos Santos é formado em engenharia eletrônica,

mestre em Teoria Literária e Doutor em Estudos Literários. Realizou um trabalho com Gilbertto Prado de poesia visual, com quem recebeu uma Menção especial, em 2000, no 7º Premio Nacional de Poesía Visual Joan Brossa. Em 2006, ganhou o

prêmio 2º Internacional “Ciutat de Vinaròs” de Literatura Digital com a obra Palavrador. Em poesia, publicou Retrato e

percurso, Meu tipo inesquecível e o poema digital Dos desconcertos da vida. É autor de Rios imprestáveis, obra que lhe rendeu a premiação no 1º Prêmio Redescoberta da Literatura

Brasileira, da Revista Cult e de Circenses. Estreou na prosa com o romance São Lourenço. Escreveu também o volume de

ensaios Leituras de nós; Ciberespaço e literatura; Informática e Literatura. Como organizador publicou ainda Lugares textuais do romance, resultado do colóquio que inaugurou o primeiro ano do doutorado em Literatura da UFSC, em 1997. Jornal do CCE: O sr. é formado em engenharia eletrônica pela Unicamp. O que o levou a mudar para o campo da Literatura? AS: Na verdade, desde o segundo ano de faculdade eu já dava aula de Literatura em cursinho. Escrevia poemas desde os 8 anos de idade. Não foi um desgosto com a Engenharia, eu gosto de física. Mas Literatura é algo que me diz muito mais. Eu meio que nasci assim. Engenharia e Física foram coisas que eu aprendi. Literatura também. Foi mais uma escolha, Literatura sempre me interessou mais. JCCE: No ano passado o Nupill comemorou 15 anos como o maior banco virtual de textos literários do Brasil. Como funciona o trabalho no Núcleo? Qual seu atual objeto de pesquisa? AS: O Nupill é a maior biblioteca de obras digitalizadas em texto em formato HTML, formato texto. Em formato imagem você tem a Biblioteca Nacional de Lisboa, a Biblioteca do Rio de Janeiro. A gente formata o texto, aqui pode copiar, colar, fazer pesquisa de palavras, essa é a maior do mundo. Ninguém é maior do que a gente em termos de Biblioteca Digital. Agora em termos de bancos de dados, em termos de informação sobre autores e obras, aí incluída a Literatura Portugue-

Professor Alckmar Luiz dos Santos explica influências em suas obras

mas de leitura, os tablets, sa, é o maior do mundo mesmo, o comenta-se muito sobre o que tem mais informações. A gente fim do livro impresso. O sr., tem 70000 mil obras cadastradas como pesquisador do ramo, e quase 17000 autores. São vários avalia que o futuro da Literaprojetos que correm juntos. Tem o Pronex, um edital do CNPq que tura está nos meios digitais? é para financiar grupos de exce- AS: Não tenho a menor dúvida de lência de pesquisa no Brasil, asso- que o livro impresso vai acabar, asciado às FAPS, no caso a FAPESC. sim como acabaram as pedras de barro e o papiro. O livro, que já esta Esse edital foi em 2007, começou aí há muito tempo, também vai acaem 2008 e nós fomos os únicos de Ciências Humanas que ganharam, bar, só não sei dizer quando. Não que eu não goste os outros folivros impresram nas áreas “Tanto na poesia, dos sos, tenho include Exatas e sive na minha Biomédicas. como na prosa, em biblioteca exemtodas as linguagens, plares raros. Mas JCCE: O sr. é autor o principal para mim essa mudança quer dizer publicado é trabalhar o ritmo” não esquecer o que nos meios já foi feito no padigitais e pel. O meio digital deve incorporar convencionais, com obras em tudo que já foi feito meio impresso. prosa, poesia e ensaios. Como essa variedade de linguagens influencia na sua escrita? JCCE: Ao longo da carreira AS: A minha base é a poesia, prin- como escritor o senhor rececipalmente a poesia digital. Mas eu beu diversos prêmios no Brame preocupo muito com o ritmo sil e inclusive no exterior. O nos meus romances. Eu trabalho romance Ao que minha vida muito o ritmo nas minhas obras. veio acaba de receber o Prêmio Tanto na poesia, como na prosa, Salim Miguel, da Editora da em todas as linguagens, o princi- UFSC. Como é, para o sr., obpal para mim é trabalhar o ritmo. ter todo esse reconhecimento? AS: É legal, todo mundo gosta de JCCE: Hoje com o desenvol- elogio. Sei que uma percentagem vimento das novas platafor-

de 10% a 15% entre os outros competidores também poderiam ter ganhado, tem de ter sorte também. Mas não me iludo, o principal para mim, a minha necessidade é de escrever, me comunicar com as pessoas. Eu não poderia não escrever. JCCE: Como a sua obra e pesquisa influenciam no seu trabalho como professor e vice-versa? AS: Influenciam em todos os aspectos. Há grandes críticos literários que não têm produção literária, mas para mim é diferente. Comecei a entender os romances depois que escrevi um. Na sala de aula passei a valorizar mais a análise do processo de criação, é muito legal. O que aprendo nas pesquisas e nas aulas alimentam a criação. A minha obra é literária, não é crítica. A parte crítica é muito importante no meio acadêmico, mas ela é resultado. JCCE: O senhor está trabalhando em alguma nova obra? Pode nos adiantar de que se trata? AS: Sim, sempre. É um misto de prosa e poema. Mais para uma prosa ritmada, tem personagens, acontecimentos. O nome é temporário é Volta ao final.

Brenda Thomé

Décima Nona Edição do Jornal do CCE  

Jornal do CCE