Page 1

Bohoyo -> Almanzor > Navamediana (Gredos além da plataforma) ‘Abu ʿAmir Muhammad ben Abi ʿAmir al-Maʿafirí (en árabe: ‫أبو عامر محمد بن أبي عامر ابن عبد هللا‬ ,)‫المعافري‬llamado al-Manṣūr bi-llah ( ,)‫المنصور باهلل‬el Victorioso por Alá, más conocido como Almanzor (Algeciras c. 938 - Medinaceli (?), 11 de agosto de 1002), fue un militar y político andalusí, caudillo del Califato de Córdoba y hayib o chambelán de Hisham II.’ Fonte : Wikipedia

Uma actividade da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes Saímos com o intuito de subir o Almanzor, conhecendo novas rotas de aproximação. Depois de ler um artigo na revista Grandes Espacios, pareceu boa ideia usar o vale de Bohoyo para a aproximação, conjugando assim a visita a este vale com uma vista fabulosa das cinco lagunas, subida ao Almanzor , pernoita em bivaque e descida pelo vale de Navamediana aproveitando assim para conhecer mais uma rota.

Como de costume saímos de Lisboa ao fim da tarde de sexta-feira, como sempre combinando as 18:30 mas só saindo ás 20:00tradição é tradição – Tomamos a autoestrada em direcção a Mérida, e daí para Norte em direcção a Bejar, virando a Este para Bohoyo. O início da rota encontra-se numa cortada á direita da estrada que liga Bohoyo a Navamediana (tem umas placas toscas a dizer chozos), ali chegados um pouco á toa do que procurar, tivemos a agradável surpresa de as 4 da manhã locais o pessoal de um pequeno parque de

chozos ainda estar a beber umas cervejas, pessoal agradável e bem-disposto que rapidamente nos deu um briefing de onde começar a rota, isto enquanto saboreávamos umas cervejas com eles. O parque tem umas casitas simpáticas e uns tipis, tudo para alugar, pagamos 8 Euros por um Chozo com colchões para dormir, que também serviu de modo de agradecimento pela ajuda e boa disposição. Sugiro visitar a página do facebook do local no endereço : https: // ww w. fa cebook. com/ pag es/ Los Chozos-de-Gredos/180501195166

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


I – Subida até ao Abrigo de Belesar Sábado iniciou-se ás 8 da manhã, com a saída para o sendero , deixando o carro junto aos Chozos mais por uma questão de segurança, em 3 minutos estávamos junto á placa que indica o inicio da rota, que também tem alguns lugares de estacionamento, deve se entrar pela canadiana nome que dão áqueles rolos no chão que impedem as vacas de atravessar o caminho Segundo a informação, a rota é longa e requer alguma preparação, tem, no entanto cinco abrigos pelo caminho e água também a há com fartura. A rota é bem longa mas com um declive suave, o que permite disfrutar da excelente paisagem onde o pastoreio se evidencia em toda a sua extensão pela presença de gado bovino e caprino doméstico nas quotas inferiores, mais acima a presença de Cabras Selvagens é constante, por vezes em rebanhos de dezenas de individuos. Nota-se perfeitamente a transição da

Mapa da rota no inicio do percurso.

zona de bosque para a média/alta montanha com o diminuir da vegetação e a presença cada vez maior de rocha nua, faz notar a predominância da neve nas quotas mais altas durante o inverno que impede o crescimento de pouco mais que urzes e outros arbustos altamente resistentes para além do pasto que nos acompanha até ao Refugio de Belesar.

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


Fotos : Fundo da página anterior : Um boi quebloqueava o caminho, pelo sim pelo não contornámo-lo… Nesta página : Em cima, panorama do vale de Bohoyo, no meio , dois abrigos típicos do vale e no fundo o caminho ao longo do ribeiro.

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


O Silêncio é apenas quebrado pelo correr da água e o ocasional rebanho de cabras.

Fotos : Ribeiro e granito sempre presentes neste vale glaciar, as cabras são também companhia .

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


Talvez devido á sua extensão e uso para pastoreio, este caminho está provido de um grande número de abrigos, 4 na zona mais baixa do vale e um ultimo (Belesar) na zona mais alta, para além da sua quantidade os abrigos apresentam-se em excelentes condições, tendo alguns colchões e ‘camas’ para além de local para fazer fogo para aquecer ou cozinhar. São assim uma boa opção para pernoita no local e/ou eventual refúgio em caso de mau tempo. A floresta já foi deixada para trás há um bom bocado, e sempre seguindo a ribeira,e á medida que subimos e vamos trocando a zona de vegetação mais densa por zonas mais rochosas chegamos a uma zona de enormes placas de granito, o silêncio aqui é quase total, sendo só quebrado pelo barulho da água e de umas ocasionais cabras. Estas placas são deveras impressionantes e denotam bem a origem glaciar do vale, são também um excelente sitio para comer algo e descansar enquanto comtemplamos a paisagem Rica em cascatas e pequenas lagoas.

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


Fotos : A Zona das placas é das mais interessantes de todo o percurso.

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


Após passar a zona das placas a paisagem muda para blocos mais pequenos denotando um planalto glaciar, o rio continua a presentear-nos com bonitas lagoas e já se vislumbra o local onde se encontra o ‘refugio’ de belesar, a última paragem do rota marcada. A Partir daí os caminhos desaparecem e navegaremos com mapa na mão e olhos em busca do Almanzor e Galana. Chegados ao refugio, que também se encontrava vazio, verificamos que também é de sólida construção e está em muito bom estado. Pode ser uma opção para passar a noite quem sabe... Entretanto ruídos nas rochas indicam a presença de uma grande quantidade de cabras

Fotos : Em cima : vista panorâmica do vale. Meio : O abrigo de belesar, podem-se ver cabras no lado esquerdo da fotografia. Fundo : Cabra :)

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


II – Abrigo de Belesar -> Almazor O objectivo agora é chegar a portilla das 5 lagunas, de onde deveremos ver o Almanzor, que planeamos subir ainda no Sábado. Já estamos agora no mapa 1:25000 da serra de Gredos, o refúgio de belesar tem outro nome, chozo de valdueza… mas parece o sitio correcto... Seguimos então para La Pared e Risco das 5 Lagunas.

O caminho apesar de não marcado nem pisado é de fácil progressão e de inclinação suave, será esta a paisagem que nos levará até á portilla das 5 Lagunas. A parede é um muro que parece de origem misteriosa e algo fora de sítio, uma conversa posterior com um pastor da zona, clarificou-nos que serve para separar o gado dos vários vales impedindo assim que as vacas passem de um vale para o outro. Por fim chegamos á Portilla das 5 Lagunas onde pela primeira vez desde que saímos de Bohoyo avistamos pessoas a descansar perto das lagoas, tiramos as fotos da praxe e seguimos porque o tempo passa.nente perante nós.

OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes


OBRAR—O Boletim Informativo da Confraria Alpina Gourmet União de Escaladores Independentes

Artigo sml  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you