Page 1


EDITORIAL

Celebramos 2017! Janeiro prolonga o frio, as cores translúcidas e as brisas gélidas. Fevereiro teima em branquear os mantos e os prantos e março carrega a esperança da primavera e do fervilhar da renovação da natureza. São, sobretudo tempos de carregar energias, renovar vontades e espargir novas ideias. Com os ânimos revigorados, as vontades renovadas e as novas ideias a emergir, celebremos 2017. onde? no teatro, na biblioteca, no museu, na praça ou no jardim, na escola ou no café e porque não em nossa casa e à lareira? com quem? porque não com a família, ou com os amigos, professores, colegas de turma ou até mesmo sozinhos! Sozinhos e curiosos de aprender, saber mais e conhecer! No silêncio do nosso individual ou no burburinho do coletivo? o quê? assistindo a espetáculos, participando em conversas, pensando a meias e em conjunto, lendo em voz alta, deitado na sala de aula ou no palco, ou no silêncio da noite, visitando as recordações do passado, ou as novas abordagens artísticas deixadas nas salas à espera de quem as possa encontrar. quando? durante o dia, ou à noitinha, ou quando lhe aprouver! As escolhas serão suas, o importante é que seja feliz! Votos de excelente 2017!

António Coutinho


BIBLIOTECA MUNICIPAL PÁGINAS 3 A 10


HUMAN

EXPOSIÇÃO DOCUMENTAL ENTRADA LIVRE

1 A 31 JANEIRO A Organização das Nações Unidas declarou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento. Trata-se do reconhecimento da importância do turismo para o desenvolvimento, para uma maior compreensão entre os povos em todo o mundo, uma maior consciência do património e valores das civilizações e culturas, contribuindo para o fortalecimento da paz no mundo.

O AMOR ESTÁ NO AR! E A MAGIA TAMBÉM...

POETAS PORTUGUESES EXPOSIÇÃO DOCUMENTAL ENTRADA LIVRE

1 A 31 MARÇO Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Luís de Camões, Sophia de Mello Breyner, Antero de Quental, Cesário Verde, José Régio, Manuel Maria Bocage, David Mourão Ferreira, Jorge de Sena, Herberto Hélder, Vasco Graça Moura, Manuel Alegre, Nuno Júdice, Fernando Pinto do Amaral, enfim… “País de poetas que não lê poesia”, há quem afirme… Porque “a poesia não quer adeptos, quer amantes”, como preconiza Federico Lorca, passe pela Biblioteca Pública e apaixone-se...

EXPOSIÇÃO DOCUMENTAL ENTRADA LIVRE

1 A 28 FEVEREIRO Como afirmou Mahatma Gandhi, “o amor é a força mais subtil do mundo” e “um livro é a prova de que os homens são capazes de fazer magia”, segundo Carl Sagan. Neste mês, destacamos estas temáticas e promovemos uma sessão infantojuvenil de Ciência, Magia e Livros, com Filipe L. S. Monteiro.

TERÇA A SEXTA 10H00 ÀS 19H00 SEGUNDA E SÁBADO 13H30 ÀS 19H00 RECEÇÃO, SALA DE ADULTOS E SALA INFANTOJUVENIL

03


BEBÉTECA

HORAS DO CONTO, JOGOS E RIMAS GRATUITO

14 JAN | 11 FEV | 11 MAR SÁBADOS 16H00 | 60 MIN

A criança aprende a partir da experiência, do que vê, ouve, cheira, saboreia, toca. A primeira experiência física com o livro é mesmo assim, feita de olhar, tocar, cheirar, saborear, e ouvir, mesmo que se trate de um exemplar sem som. A partir da primeira experiência, a exploração vai-se diversificando e especializando. A curiosidade vai aumentando. A criança aprende a fazer novas leituras do mesmo objeto. E assim vai crescendo com o livro e percebendo o evoluir dos seus significados, mantendo sempre na génese a emoção positiva, o prazer, a diversão, o afeto. CRIANÇAS DOS 12 AOS 36 MESES E FAMÍLIAS INSCRIÇÃO PRÉVIA NO PROJETO ANUAL

04


POPUP EM FAMÍLIA

CLUBE DE LEITURA PARA PEQUENOS LEITORES | GRATUITO

14 JAN | 11 FEV | 11 MAR

HAPPY HOUR

AOS SÁBADOS, DIVERTE-TE EM INGLÊS LUÍSA HENRIQUES | GRATUITO

28 JAN | 25 FEV | 25 MAR SÁBADOS 15H30 | 60 MIN

SÁBADOS 17H30 | 60 MIN

Clube de leitura: conversas sobre livros, horas do conto, ateliês e jogos Exploração de livros especiais, em família e com os pares. “ESTRANHAS CRIATURAS”

de Cristina Rubio “OS ÓCULOS DE VER”

de Margarita Del Mazo “UM NADINHA APERTADOS”

de Tracey Corderoy CRIANÇAS DOS 3 AOS 5 ANOS E FAMÍLIAS INSCRIÇÃO PRÉVIA NO PROJETO ANUAL

Canções, histórias, jogos, danças, pintura, desenho… A criança exposta à aprendizagem de uma segunda língua na primeira infância encara o processo com naturalidade e os resultados observam-se ao nível da limpidez da pronúncia e da solidez das aprendizagens ao longo da vida. A aprendizagem das línguas ajuda a desenvolver a criatividade e o raciocínio, melhora a concentração e as habilidades de memória. Nestas idades, as crianças desenvolvem a compreensão oral e a pronúncia, assim como associam a aprendizagem a momentos de muita diversão. CRIANÇAS DOS 3 AOS 6 ANOS INSCRIÇÃO PRÉVIA NO PROJETO ANUAL

05


SÉNIOR NET

WORKSHOPS TIC | CONCEÇÃO DE VIDEOLIVRO GRATUITO

10 E 19 JAN | 2 E 16 FEV | 2 E 16 MAR TERÇA E QUINTAS 10H00 | 90 MIN

“A Herança dos Avós: receitas, orações, contos, lendas, crendices, superstições” Promoção e desenvolvimento da capacidade de utilização da informação e da informática. Registo multimédia de receitas, orações, contos, lendas, crendices, superstições. +65 ANOS APCDI ABERTAS MARCAÇÕES PARA IPSS

06


BIBLIOSÉNIOR +65 ANOS I IPSS GRATUITO

A VIDA E A MORTE À CONVERSA PALESTRA | ALBERTO GOMARIZ, PÁROCO NA PARÓQUIA DE SANTA MARIA DE SEVER DO VOUGA

12 JAN E 9 FEV

TERAPIA DO RISO PALESTRA | ISABEL VIDEIRA, ENFERMEIRA E LÍDER DO RISO

9 MARÇO QUINTA 10H30 | 90 MIN

QUINTAS 10H30 | 90 MIN

“Quem de novo não morre, de velho não escapa” Conceitos de vida e morte ao longo da história da humanidade. Cerimónias de nascimento e luto em diferentes culturas. A interpretação das religiões. A posição da igreja católica. Tabus e crenças. O sentido da vida. A vida após a morte.

“Rir é o melhor remédio” Risoterapia ou Terapia do Riso é uma técnica terapêutica que permite um bem-estar a nível físico, mental e emocional. Numa sessão de riso aprende-se a rir sem motivo. O nosso cérebro não consegue distinguir uma gargalhada falsa de uma verdadeira e, quando rimos, é libertado dentro do nosso corpo uma série de substâncias químicas como a serotonina e as endorfinas que nos transmitem uma agradável sensação de bem-estar.

07


PAIS DO AVESSO PALESTRAS E WORKSHOPS | GRATUITO

Projeto a desenvolver pelo Centro de Apoio Familiar e de Aconselhamento Parental "Raio de Sol...Para Todos", em colaboração com a Biblioteca Municipal de Sever do Vouga e o Serviço de Ação Social da Câmara Municipal. PROJETO ANUAL I AÇÕES MENSAIS FAMÍLIAS I INSCRIÇÃO PRÉVIA (MENSAL OU ANUAL)

CASTIGO OU CONSEQUÊNCIA?... 28 JANEIRO 15H30

Disciplinas Estratégias educativas Negociação Palmada Castigos Time out

SER FAMÍLIA!! 25 FEVEREIRO 15H30

Interação entre Pais e Filhos

PODES OUVIR-ME?! 25 MARÇO 15H30

Escuta Ativa Comunicação

08


CONCURSO INTERMUNICIPAL DE LEITURA

REDE DE BIBLIOTECAS DA CIM REGIÃO DE AVEIRO BIBLIOTECA MUNICIPAL E BIBLIOTECA ESCOLAR DO AGRUPAMENTO COMUNIDADE ESCOLAR | GRATUITO

CONCURSO DE LEITURA - FASE CONCELHIA 25 JANEIRO 3.º CEB E ES 22 FEVEREIRO 2.º CEB 8 MARÇO 1.º CEB

O CIL é um concurso escolar, promovido pela Rede de Bibliotecas da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, dirigido a todos os estabelecimentos de ensino das redes pública e privada dos onze Municípios que compõem a CIM Região de Aveiro. Os objetivos deste concurso são promover o prazer de ler e estimular o desenvolvimento de competências, no âmbito da leitura, nos jovens, durante o seu percurso escolar (do 1.º CEB ao Ensino Secundário).

09


LETRAS E ATIVIDADES E TUDO MAIS: CARNAVAL

PROGRAMA DE OCUPAÇÃO CULTURAL DE CRIANÇAS EM PERÍODO DE INTERRUPÇÃO LETIVA | GRATUITO

27 FEVEREIRO SEGUNDA 14H30 ÀS 17H00

Ciência, magia e livros. Químico, mágico e cientista, Filipe L. S. Monteiro é autor dos livros "O menino que sonhava salvar o mundo" e "Mestre Carbono, o cientista". CRIANÇAS DOS 6 AOS 12 ANOS INSCRIÇÕES ABERTAS

BIBLIOTECA ANDANTE

ITINERÂNCIA DE AÇÕES: HORAS DO CONTO, ATELIÊS, EXPOSIÇÕES DE ILUSTRAÇÃO GRATUITO

“O SENHOR SEVÉRI” “BM ILUSTRA” “BIOARTES”

© Sónia Pais

Porque a Biblioteca Pública vai onde vão as pessoas. A leitura tem múltiplas aceções e integra o quotidiano de cada um. Ler, viver, amar, partilhar são verbos que urgem conjugar no presente.

10

PRÉ-ESCOLAR E 1.º CEB MARCAÇÃO PRÉVIA


CENTRO DAS ARTES DO ESPECTÁCULO PÁGINAS 12 A 27


EGO HIC EST HOMMO

ANA LINHARES

ÂNGELO RIBEIRO

EXPOSIÇÃO | GALERIA ENTRADA LIVRE

EXPOSIÇÃO | FOYER ENTRADA LIVRE

21 JAN A 25 MAR

7 JAN A 6 FEV ABERTURA 7 JAN 16H00

Ego hic est hommo é a exposição de escultura que o artista Ângelo Ribeiro apresenta no Centro das Artes do Espectáculo de Sever do Vouga entre os dias 7 de janeiro e 6 de fevereiro de 2017. Esta exposição apresenta peças recentes, de pequeno/médio formato, essencialmente construídas em metal, onde o aço corten surge em preponderância. A interrogação ao posicionamento do indivíduo na sociedade imagética onde está inserido é o motivo. A substância é o corpo, às vezes ausente. As obras refletem o resultado das interpelações ao ego. TERÇA A SÁBADO E DOMINGO (DIAS DE EVENTOS) 14H00 ÀS 17H00 E 20H00 ÀS 22H30 (DIAS DE EVENTOS NOTURNOS)

12

TEMERATE ABERTURA 21 JAN 16H00

Ana Linhares, 1990 Vive e trabalha em Londres. Estudou Artes Plásticas (Pintura) na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (2008-2012) e completou estudos na Facultat de Belles Arts de Barcelona. Trabalha essencialmente com imagem e desenho, processos de manipulação e apropriação da imagem, confluência de processos mecânicos e digitais e a performatividade e improvisação do desenho em investigação. Integra regularmente exposições individuais e coletivas. Colabora em projetos artísticos e de curadoria, tendo integrado o Projeto SOFTCONTROL Technical Unconscious e Projeto Atlas: Gabinete de Desenho & Gravura - Atlas & Vocabulário do Desenho. É artista residente na KubikGallery e integra coleções privadas em Portugal, Espanha e Brasil.


CAFÉS CONCERTO MÚSICA | ENTRADA LIVRE

SHE IS A GIRL

RÁDIO BANDIDO

7 JANEIRO

4 MARÇO

SÁBADO 22H00

SÁBADO 22H00

Bela na sua feição, cabelo em brava mente penteado, apaixonada pelas cores da vida mas distinta na multidão. O sorriso é a sua arma. Toda ela é Indie, toda ela é Rock. Nós a personificação do seu desejo.

Rádio Bandido é um projeto musical pensado e concebido em 2016, que coloca em prática o gosto e a preservação do rock-pop cantado em português que vai marcando gerações atrás de gerações. Composto por músicos de diferentes estilos musicais este sexteto é a consolidação de anos de amizade, amadurecimento musical e pessoal, refletindo esse resultado no seu entrosamento musical. Pretendendo abranger um público amante da música intemporal portuguesa, no alinhamento dos Rádio Bandido fazem parte temas de bandas consagradas como GNR, Xutos e Pontapés, Quinta do Bill, UHF, entre outros.

Criação e execução: Pedro Alma, Bruno Ledgy, Tiago da Fonte, Lito Santus

Voz: Rui Miranda | Bateria: Tiago Silva | Baixo: Ruben Sousa | Teclados: Rui Pinho | Guitarra: Diogo Reis | Guitarra: Hugo Barnabé

13


GISELA JOÃO FADO | AUDITÓRIO 12€/10€ (DESCONTOS APLICÁVEIS)

14 JANEIRO

© Estelle Valente

SÁBADO 22H00

Guitarra portuguesa: Ricardo Parreira Viola de fado: Nelson Aleixo Viola baixo: Francisco Gaspar

14

Há fados e fados Três anos depois do álbum de estreia, Gisela João edita agora o seu muito aguardado segundo disco. Chama-se “Nua” e são fados, tal como ela os sente e gosta de cantar. Tal como o primeiro disco, foi gravado fora do ambiente normal dos estúdios, entre o Palácio de Santa Catarina, em Lisboa, e a Cidadela de Cascais. Consigo estiveram Ricardo Parreira na Guitarra Portuguesa, Nelson Aleixo na Viola de Fado, Francisco Gaspar na Viola Baixo e Frederico Pereira na Produção e Direção Musical. O disco dá voz às palavras de alguns poetas da atualidade, visita temas clássicos e tradicionais e surpreende-nos mostrando que, vinda de onde vier - e vem de muitos sítios - a música que passa pela voz de Gisela João é fado. É esse o seu fado.


NINHOS

ASSOCIAÇÃO AQUI HÁ GATO TEATRO | AUDITÓRIO | 30 MIN BEBÉS DOS 6 MESES AOS 3 ANOS E FAMÍLIAS

20 JANEIRO SEXTA 9H30 | 11H00 CRECHES | ENTRADA LIVRE

21 JANEIRO SÁBADO 11H00 FAMÍLIAS | 3€/FAMÍLIA (PAI, MÃE E FILHOS)

Texto original: Aqui Há Gato Encenação: Sofia Vieira Interpretação: Sofia Vieira Desenho de luz: Bruno Santos Cenografia: Joana Espiñal e Sofia Vieira

FESTA DE NATAL

"Ninho, o meu ninho! Foi nele que eu nasci, cresci e aprendi que posso partir à descoberta de um mundo desconhecido... Um mundo para eu descobrir outros ninhos, e um ninho, o meu ninho, para eu sonhar!". Começamos por conhecer apenas o nosso ninho, mas quando alguém precisa de nós, sobretudo porque não encontra a sua mamã, ganhamos a coragem necessária para sair do conhecido, para arriscar, para encontrar novos amigos, para descobrir novos cheiros, novos sons, novas imagens. Uma viagem que propomos ao bebé para que ele a sinta e a vivencie no aconchego do seu ninho, que são os braços e o colo da mãe e do pai. Vamos descobrir que cada ninho é tão especial como o ser que vive lá dentro. É bom partir para a aventura, mas melhor ainda é regressar ao seu ninho... o melhor ninho do mundo!

UNIVERSIDADE ROTARY SÉNIOR SEVER DO VOUGA ACOLHIMENTO | AUDITÓRIO | GRATUITO

15 JANEIRO DOMINGO 15H00 15


ALTER EGO MUSIC SESSIONS (3º ED.) MÚSICA | AUDITÓRIO | M/12 6€/16€ PACK 4 CONCERTOS

PEIXE: AVIÃO 3 FEVEREIRO

© Liliana Mendes e Duarte Costa

SEXTA 22H00

Guitarra e teclado: André Covas Baixo e sintetizador: José Figueiredo Guitarra eletrónica: Luís Fernandes Bateria e percussão: Pedro Oliveira Voz e teclado: Ronaldo Fonseca

16

Criados no verão de 2007 na cidade de Braga, os peixe: avião rapidamente conquistaram a atenção da imprensa nacional através do promissor EP "Finjo a Fazer de Conta Feito peixe: avião". Desde então, a sua carreira tem sido pautada por um crescimento constante suportado pelos álbuns “40.02” (rastilho records, 2008), “Madrugada” (PAD, 2010) e “peixe: avião” (PAD, 2013). Com o disco homónimo foram nomeados para os Prémios Impala, que reconhecem os melhores discos independentes europeus do ano, juntamente com Boards of Canada, Nick Cave e Sigur Rós. A Blitz atribuiu-lhes o 2º lugar na lista dos melhores álbuns nacionais de 2013 e foram várias publicações especializadas que lhes atribuíram o 1º lugar na lista dos melhores discos de 2013, entre as quais a Vodafone FM e o jornal Expresso. Em 2014 compuseram música original para o clássico “Ménilmontant” de Dimitri Kirsanoff, filme de 1929, após encomenda do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema. Em 2016 regressaram aos discos com “Peso Morto” (PAD), no qual aprofundam o caminho aberto pelo disco homónimo de 2013.


CAPTAIN BOY 4 FEVEREIRO

Captain Boy é o alter-ego de Pedro Ribeiro. Vagabundo com voz rouca e guitarra a tiracolo que canta histórias que transcendem o tempo. A sonoridade ferrugenta acompanha-o em todas as atuações remetendo-nos para um ambiente como se nós próprios estivéssemos a bordo de um barco imaginário. Assim como o mar, Captain Boy é imprevisível, transformando todos os concertos numa viagem distinta. O nome “Captain Boy” é inspirado numa história de Júlio Verne, escrita em 1878. Dick Sands, com 15 anos, torna-se comandante de um navio que ruma da Nova Zelândia a Valparaíso. De alguma forma somos todos capitães, putos… com pés grandes. O primeiro EP do Artista foi editado em 2015, com a distribuição digital da Universal Music Portugal. No mesmo ano, e resultado da parceria com a plataforma Tradiio, Captain Boy chegou ao primeiro lugar do Top50 das mais de 1200 bandas a votação no Tradiio e foi o primeiro Artista a ser escolhido para abrir o palco EDP do Festival Super Bock Super Rock em julho de 2015. Em 2016 chega-nos “Tango”, o single de estreia do seu primeiro trabalho de longa duração. O tema foi gravado em várias divisões duma casa solarenga em Barcelos pelas mãos de Zé Arantes e produzido por Giliano Boucinha (Paraguaii). Tango é uma

© Johan Bergmark

SÁBADO 22H00

despedida dançante da nostalgia do que foi. Harmonizado por bombos, distorções e facas, é ver uma pintura que escorre pela tela à procura de forma. O videoclipe estreou a 18 de abril pela Antena 3. Honey Bunny, o segundo single do novo álbum, estreou a 17 de outubro também pela Antena 3 e Daniel Fernandes (Indian Productions) assinou o videoclipe. “A ‘Honey Bunny’ podia ter sido escrita por um ajudante de produção do Pulp Fiction. Assim que saiu do restaurante, construiu um foguetão para fugir com a sua amante.” — Pedro Ribeiro No último ano e meio Captain Boy apresentou o seu trabalho em várias cidades como Guimarães, Porto, Lisboa, Alcobaça, Leiria, Vila Real, Bragança, entre outras, e teve já oportunidade de apresentar uma mini-tour na Galiza. A apresentação do álbum de estreia de Captain Boy está planeada para janeiro de 2017. 17


YOU CAN’T WIN, CHARLIE BROWN 10 FEVEREIRO SEXTA 22H00

© Vera Marmelo

You Can't Win, Charlie Brown surgiram em 2009. Um ano depois, editaram um EP homónimo que abriu caminho para a estreia em disco com “Chromatic” e para uma série de concertos em salas e festivais importantes dentro e fora de portas. Quase três anos depois de “Diffraction/ Refraction”, regressaram com “Marrow”, o terceiro trabalho de originais de onde foram extraídos os temas “Above the Wall” e "Pro Procrastinator".

Voz, teclado e guitarra: Afonso Cabral Teclados, percussão e voz: David Santos Teclado, guitarra, baixo e voz: João Gil Guitarra e baixo: Luís Costa Baixo, guitarra e voz: Salvador Menezes Bateria e voz: Tomás Sousa

18


OLD JERUSALEM 11 FEVEREIRO SÁBADO 22H00

Voz e guitarra acústica: Francisco Silva Baixo: Miguel Ramos Bateria e percussão: Pedro Oliveira Teclado: Sérgio Freitas Guitarra: Miguel Gomes

“Rose is a rose is a rose is a rose.” (Gertrude Stein, Sacred Emily, 1913) Depois de um período de interregno desde o último álbum homónimo editado em 2011, Old Jerusalem regressa às edições discográficas com “A rose is a rose is a rose”, o sexto trabalho de longa duração do projeto. Por contraponto ao anterior “Old Jerusalem” (PAD, 2011), integralmente composto e intepretado por Francisco Silva, “A rose is a rose is a rose” retoma a colaboração com outros músicos, destacando-se a este título o trabalho desenvolvido com Filipe Melo, responsável pelo piano e arranjos de cordas do álbum e um verdadeiro e empenhado cúmplice na delineação do rumo estético do trabalho. De facto, quase poderia afirmar-se que na sua génese as canções de “A rose is a rose is a rose” serviram como “pretexto” para esta colaboração, que começou a delinear-se logo no momento em que os dois músicos se conheceram, num concerto de homenagem a Bernardo Sassetti em Lisboa. “A rose is a rose is a rose” apresenta uma versão de Old Jerusalem mais expansiva, ainda que sempre centrada na atenção às canções e à forma mais eficaz e agradável de as comunicar ao ouvinte. O projeto Old Jerusalem iniciou atividade em meados de 2001, tendo gravado um registo de apresentação em dezembro desse ano em conjunto com os Alla Polacca (a demo Old & Alla). Este registo de estreia do projeto marca também o início da atividade pública de Francisco Silva – o mentor da banda - enquanto escritor de canções. 19


PANGEIA TIAGO CADETE

PERFORMANCE | AUDITÓRIO CRIANÇAS DO 2º CICLO E PROFESSORES ENTRADA LIVRE

22 A 24 FEV QUARTA A SEXTA HORA A DEFINIR

Criação, instalação e cenografia: Tiago Cadete Assistente de pesquisa: Tiago Cadete, Jonas Lopes, Leonor Cabral & Bernardo Almeida Interpretação: Leonor Cabral & Bernardo Almeida Voz off: 10 atores (a designar) Figurinos: Carlota Lagido Direção técnica: Nuno Patinho Projeto financiado por: GDA - Apoio de Criação Coprodução: Culturgest Acolhimento ensaios: Polo Cultural das Gaivotas, Espaço EIRA / Teatro da Voz Produção: EIRA

20

PANGEIA é uma viagem sonora e visual pelo universo dos irmãos Grimm em que o palco se transforma num museu imaginário de objetos curiosos, através de sons escutados em headphones. Os objetos remetem para o imaginário dos contos fantásticos, como a floresta cheia de armadilhas, a magia negra da bola de cristal ou os feitiços da bruxa má. Nesta viagem, acompanhada por dois investigadores, vamos descobrir o ponto de vista dos objetos que ilustram os contos. Para isso teremos de seguir as pistas, como fizeram Hansel e Gretel com as migalhas que deixaram no caminho, para poderem depois voltar a casa. PANGEIA é um espetáculo para o público juvenil que reúne em palco várias linguagens como o teatro, a dança e as artes visuais, recuperando assim a ideia dos Gabinetes de Curiosidades criados no século XVI que reuniam objetos raros e artefactos da biologia, tornando-se nos percursores dos museus de arte. A coleção aqui apresentada tem contornos ficcionais: 4 mesas e 200 objetos que representam cada conto.


CAIR

VICTOR HUGO PONTES DANÇA | AUDITÓRIO FAMÍLIAS | 5€/FAMÍLIA (PAI, MÃE E FILHOS)

26 FEVEREIRO DOMINGO 15H00

Os nossos corpos caem no chão se os abandonarmos, assim como todos os objetos se os deixamos cair. Todos seguem na mesma direção: o chão. Por que é que isto acontece? Por causa da força da gravidade, todos sabemos, a força de atração existente no planeta Terra. É devido a esta força que todas as coisas assentam na superfície, inclusive nós, os humanos. Se a força da gravidade não existisse, não viveríamos na Terra, pois todos os objetos e seres vivos estariam à solta no espaço, o que significa que não existiríamos tal como somos. Cair é um novo projeto de dança de Victor Hugo Pontes, que surge em sequência do espetáculo Fall, no qual trabalhará a partir de quatro ideias fundamentais, com graus de profundidade diferentes: quedar-se de amores; a queda bíblica; a aproximação, no outono, de um fim de ciclo na natureza; o movimento da queda física. O enfoque será, naturalmente, o movimento da queda física, pois a partir daqui é possível explorar tópicos concretos, por via mimética e ilustrativa, e tópicos abstratos, por via metafórica. Todos caímos, seja porque tropeçámos, porque nos empurraram, porque perdemos as forças ou a consciência. Enquanto crianças, começamos por rastejar, colados ao chão até conseguirmos levantar-nos e caminhar. Este processo de aprendizagem é uma autêntica lição de coragem, de

perseverança, de procura por outra visão do mundo e da vida. É muito diferente a perspetiva que temos do mundo quando estamos de pé, na vertical. Ao gatinhar, vemos chão e mais chão. Ao levantarmonos podemos ver o que está por cima do chão e à solta no espaço. Claro que durante esta aprendizagem muitas vezes caímos, voltando depois a levantarmo-nos. A verdade é que não aprenderíamos a andar se não tivéssemos a coragem de nos levantar de cada vez que caímos, como se já em bebés percebêssemos um dos mais belos pontos da filosofia de Platão: “Se caíres sete vezes, levanta-te oito.” Direção e coreografia: Victor Hugo Pontes Cenografia: F. Ribeiro Desenho de luz: Wilma Moutinho Música original: Rui Lima e Sérgio Martins Apoio dramatúrgico: Madalena Alfaia Interpretação: Liliana Garcia e Valter Fernandes Produção executiva: Joana Ventura Coprodução: Nome Próprio, CCVF e Teatro Maria Matos

21


CICLO DE CINEMA DOCUMENTÁRIOS | AUDITÓRIO | 3€

A CAMPANHA DO CREOULA VENCEDOR DO PRÉMIO DOC ALLIANCE 2014 1 MARÇO 15H00 | 87 MIN

Um realizador parte a bordo do lugre Creoula rumo às Ilhas Selvagens, para documentar a maior expedição científica portuguesa de sempre. Durante a viagem, encontra memórias da história piscatória portuguesa na Terra Nova, onde o seu tio foi capitão, o que o leva à descoberta do passado do seu país e do seu próprio passado. Argumento, realização e produção: André Valentim Almeida | Ano: 2014

POV INVENTOD - ECOS DI CAP VERD 2 MARÇO 15H00 | 71 MIN

Em 1984, um grupo de jovens cabo-verdianos influenciado pelo espírito do festival Woodstock decidiu criar o festival “Baia das Gatas” na ilha de São Vicente, Cabo Verde. O que eles não podiam imaginar era que 30 anos mais tarde este festival seria uma referência para a ilha e um dos eventos anuais mais importantes do país. Sua música traz ecos de um povo inventado. Realização e argumento: Juan Meseguer Navarro | Coprodutor: Alfonso Palazón | Ano: 2015

À BEIRA DA EUROPA 3 MARÇO 15H00 | 60 MIN

Documentário sobre a mais periférica da já de si ultra-periférica região dos Açores. O filme deixa os florentinos, nativos e adoptados, contarem a sua história, dando em pinceladas sinceras a sua versão de ser ilhéu na sua ilha, com tudo o que isso contém. Realização, argumento e produção: Manuel Bernardo Cabral | Ano: 2014

22


CINEMA DE ANIMAÇÃO AUDITÓRIO | M/6 ANOS | 5€/FAMÍLIA (PAI, MÃE E FILHOS)

A CANÇÃO DO MAR 29 JANEIRO 15H00 | 93 MIN

A pequena Saoirse tem um poder especial: ela pode transformarse numa foca, e depois retornar à condição humana. Ela é uma “selkie”, de acordo com a lenda irlandesa e escocesa, é uma das últimas da sua espécie. Um dia, Saoirse foge à vigilância da avó e embarcar numa aventura subaquática para libertar criaturas em perigo. Longa-metragem animação | Ano: 2016 Realização: Tomm Moore

AVENTURA NO JURÁSSICO 19 FEVEREIRO 15H00 | 85 MIN

O aventureiro Ernie, a sua irmã Júlia e o seu melhor amigo Max acionam acidentalmente uma máquina do tempo que os vai levar numa viagem de 65 milhões de anos ao passado. Ali os miúdos vão parar a um ninho de uma Tiranossauro Rex que os vai adotar como seus filhos. Agora, os três têm de conseguir voltar para casa, mas antes ainda vão explorar o mundo Jurássico, viver aventuras e enfrentar perigos, enquanto os seus pais esperam por eles preocupados. Animação, aventura, comédia | Ano: 2012 Realização: Yoon-suk Choi e John Kafka

ROBISON CRUSOE 19 MARÇO 15H00 | 90 MIN

O papagaio Tuesday tem o sonho de conhecer o mundo. Seu desejo parece próximo de se realizar quando, na ilha onde mora, aparece o jovem aventureiro Robinson Crusoe, que vê nos animais a oportunidade de ajudá-lo a sobreviver no lugar. Animação | Ano: 2016 Realização: Vincent Kesteloot e Ben Stassen

23


WORKSHOP DE DANÇA CONTEMPORÂNEA RAFAEL ALVAREZ

AUDITÓRIO | GRATUITO +50 ANOS | MÁXIMO 20 PESSOAS

11 MARÇO

DOCUMENTÁRIO A MENINA DANÇA AUDITÓRIO | GRATUITO PÚBLICO EM GERAL

11 MARÇO SÁBADO 17H00 ÀS 18H30

SÁBADO 14H00 ÀS 17H00

Estas aulas criadas e dirigidas desde 2001 pelo coreógrafo Rafael Alvarez, destinam-se a participantes com ou sem experiência anterior em dança e com idade superior a 50 anos (preferencialmente). Partindo do encontro da Dança Contemporânea e da Dança Criativa, estas aulas visam a exploração de diversas metodologias e técnicas de dança contemporânea, através de um espaço criativo aberto ao diálogo, à partilha e ao encontro com o outro. A par do trabalho técnico de movimento (aquecimento, postura, consciência corporal e manutenção), os participantes são estimulados a desenvolver improvisações estruturadas de movimento e outros processos de composição coreográfica, partindo de diversos materiais e de uma contribuição ativa de todos, levando-os a experimentar com o próprio corpo as ferramentas e potencialidades criativas e poéticas da dança contemporânea, explorando emoções, sensações, ideias, memórias, sons e imaginários que se podem transformar em danças e histórias de movimento. Promovendo o envelhecimento ativo, no combate à inércia e na prevenção da diminuição de mobilidade, através do estímulo da autonomia física, intelectual e criativa, independentemente das condições de funcionalidade física e mobilidade.

24

O mundo está à nossa volta e não apenas à nossa frente. Um grupo de mulheres sem anterior experiência profissional em artes performativas participa num projeto de dança contemporânea para seniores, intitulado, Bossa Nova. O filme acompanha o projeto de dança que se desenvolveu em 2013, ao longo de cerca de 8 meses, no contexto de uma aula semanal, culminando numa residência artística no Palácio Pancas Palha/Companhia Olga Roriz, onde foi apresentado ao público. A Menina Dança é um filme sobre o processo de criação artística, onde, pela observação dos gestos se descobrem os detalhes particulares de cada indivíduo, o modo como se relacionam entre si e com o espaço envolvente.

Documentário Título original: A Menina Dança Produção: Metafilmes Produtor, realizador, DOP e editor: Vítor Hugo Costa Música: Nuno Paula Elenco: Ana Oliveira, Alexandrina Serra, Eduarda Ferraz, Elisabeth Vieira Alvarez, Isabel Fazenda, Isabel Machado, Lisete Barbieri Figueiredo, Luísa Lima, Maria Manuel Botelho, Rafael Alvarez e Zulmira Martins


LER / DIZER OS LUSÍADAS OFICINA | AUDITÓRIO | 3H | GRATUITO PROFESSORES E ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO

24 MARÇO SEXTA HORA A DEFINIR

FORÇA HUMANA

A PARTIR DE OS LUSÍADAS TEATRO | AUDITÓRIO 5€/4€ (DESCONTOS APLICÁVEIS)

25 MARÇO SÁBADO 22H00

A partir de: Os Lusíadas, de Luiz de Camões Dramaturgia, direção e interpretação: António Fonseca e José Neves Música: Paulo Furtado Espaço cénico: F. Ribeiro Figurinos: Nuno Gama Apoio ao movimento: Adriana Queiroz Direção de produção: José Luís Ferreira Projeto: Antunes Fidalgo Unipessoal Coprodução: Teatro Nacional D. Maria II, Centro Cultural Vila Flor, Centro de Arte de Ovar e Centro de Artes de Lisboa Apoio: blablalab AC | Artistas Unidos

Parte-se do princípio de que uma das maneiras mais eficazes de abordar os Os Lusíadas é a sua apropriação oral. Portanto, depois de uma digressão rápida por todo o poema, esclarecendo a sua estrutura e a linha de leitura proposta, segue-se um trabalho prático em que cada grupo (professores e alunos) se apropria de um fragmento de Os Lusíadas e ensaia a sua oralização.

O Portugal contemporâneo... “Força Humana” parte do desejo de encontrar, na vastidão do poema épico, as pistas de decifração do Portugal contemporâneo. Ler-lhe nas linhas e nas rimas o fado que transportamos e os riscos que aceitamos correr. Saber nele como é que alguns punhados de homens, na procura de superar mais um fim da história, podem lançar-se num espaço desconhecido e reinventar-se outros, complexos, grandes e mesquinhos, diligentes e aventureiros, convictos e inconscientes… Descobrir nele como ser grande no desespero. Como romper a linha da sobrevivência e encontrar o universo. Nos quase nove mil versos de Os Lusíadas, poema para ser entoado e não analisado por gramáticos, como disse António José Saraiva, está uma música muito particular que é a língua portuguesa. A pedra de toque deste projeto assenta assim no trabalho de António Fonseca e José Neves, dois atores do prazer das palavras, dois intérpretes capazes de todas as buscas que uma personagem-povo pode propiciar. Depois ainda, a música das palavras dialoga com outras músicas, tão ou mais essenciais, através da partitura de Paulo Furtado, espécie de via múltipla entre uma música que viaja e os sons da contemporaneidade. Ou o espaço de F. Ribeiro povoado pelos figurinos de Nuno Gama, a conferir uma imagem surpreendente e contraditória… Este é o ensaio que hoje a partir do monumento de nós próprios nos urge fazer! 25


DIA MUNDIAL DO TEATRO TEATRO | AUDITÓRIO | GRATUITO SENIORES E PÚBLICO EM GERAL

31 MARÇO SEXTA 14H00

A comemoração do Dia Mundial do Teatro tem por objetivo assinalar esta forma de arte e promover o teatro junto da comunidade, neste caso, a comunidade sénior. O teatro funciona como meio de divulgação da cultura de diferentes povos e desde a antiguidade, o homem usou o teatro como forma de expressão.

26


ATELIÊS DE ARTES VISUAIS CATARINA GONÇALVES MULTIDISCIPLINAR | GRATUITO

MODELAR O BARRO 14 JANEIRO 10H00 ÀS 11H30

Modelar barro utilizando uma estrutura interna como base. O participante terá a oportunidade de reproduzir ou reinventar um objeto por observação. Utilizando o barro como matéria-prima. As mãos serão o maior e melhor instrumento de trabalho.

TRANSFERÊNCIA DE IMAGENS 11 FEVEREIRO 10H00 ÀS 11H30

Com diferentes técnicas de transferência conseguimos transferir imagens para diferentes suportes, papel, madeira ou tecido. O participante terá oportunidade de transferir imagens em papel para um novo suporte, criando e reinventando-as.

CIANOTIPIA 4 MARÇO 10H00 ÀS 11H30

Cianotipia, um processo fotográfico que data de 1840/42, por John Herschel. Permitiu que as potencialidades da fotografia estivessem ao acesso de qualquer pessoa. O baixo custo e a simplicidade do processo tornaram o Cianótico muito popular sendo muito utilizado na reprodução de imagens cartográficas e na botânica. Utilizaremos este processo na criação de imagens, em suportes como o papel e tecido.

CRIANÇAS DOS 6 AOS 10 ANOS | MÍNIMO 6 PARTICIPANTES INSCRIÇÃO PRÉVIA PARA CENTRODASARTES@CM-SEVER.PT

27


OUTROS MOMENTOS PÁGINA 29


ROTA DA LAMPREIA E DA VITELA GASTRONOMIA | RESTAURANTES ADERENTES

11 A 19 MARÇO Promoção/divulgação dos pratos de lampreia e da vitela assada à moda de Sever. Este evento visa promover/divulgar o território concelhio, contribuindo para o seu desenvolvimento económico, através da concertação de sinergias entre os agentes locais, na valorização de produtos locais, tais como - a lampreia e a vitela e o património natural e cultural - e que já são um forte motivo de visita e de promoção do concelho e da região de Aveiro. É neste ambiente de festa que Sever do Vouga o convida a saborear a sua gastronomia local nomeadamente, o “Arroz de Lampreia”, a “Lampreia à Bordalesa” e a Vitela Assada com Arroz do Forno, associando a estes prazeres gastronómicos outras experiências como partir em descoberta da natureza e do património histórico do território.

29


INFORMAÇÃO

CENTRO DAS ARTES DO ESPECTÁCULO

CONTACTOS Centro das Artes do Espectáculo de Sever do Vouga Av. Com. Augusto Martins Pereira, 70 3740-255 Sever do Vouga Tel. 234 590 470 E-mail: centrodasartes@cm-sever.pt www.cm-sever.pt/caesv www.facebook.com/cae.severdovouga

DESCONTOS (QUANDO APLICÁVEIS) Cartão Amigo CAESV (até 25% de desconto) Acompanhantes dos amigos (10% de desconto) Estudantes Portadores de Cartão Jovem +65 anos Grupo de 20 ou mais espetadores Famílias (pai, mãe e filhos menores)

ABERTURA AO PÚBLICO ENTRADA NOS ESPETÁCULOS Uma hora e meia antes da hora de início do espetáculo.

CONDIÇÕES DE ACESSO Não é permitida a entrada no auditório após o início do espetáculo (nº5 do Art.º340 do Decreto-­Lei nº 315/95 de 28/11), exceto nos casos em que o mesmo for autorizado pelas caraterísticas do evento.

VENDA DE BILHETES Em dias de eventos noturnos das 16h00 às 19h00 e das 20h00 às 22h00. Em dias de eventos diurnos uma hora e meia antes da hora de início do espetáculo. VISITAS A EXPOSIÇÕES Terça a sábado e domingo (dias de eventos) das 14h00 às 17h00 e das 20h00 às 22h30 (dias de eventos noturnos). INFORMAÇÕES E RESERVAS DE BILHETES E-mail: centrodasartes@cm-sever.pt Tel: 234 590 470 | Tlm: 914 605 268 Bilheteira online em ticketline.sapo.pt Não se aceitam devoluções nem troca de bilhetes. Não há lugar ao reembolso do preço pago pelo bilhete.

+30

É expressamente proibido filmar, fotografar ou gravar, assim como fumar e consumir alimentos ou bebidas. À entrada, os espetadores devem desligar os telemóveis ou outras fontes de sinal sonoro. Não é permitida a entrada de crianças com idade inferior a 3 anos, exceto em espetáculos direcionados a essa faixa etária.

CAFETARIA O serviço de cafetaria é assegurado, em dias de eventos, pelo Paradela Eco Café. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Uma hora antes da hora de início do espetáculo e permanece aberto até uma hora depois.


AUDITÓRIO

CENTRO DAS ARTES DO ESPECTÁCULO

O

22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

N

22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

M

22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12

11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

L

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

J

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

I

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

H

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

G

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

F

23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

E

23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

D

23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

C

23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

8

7

6

5

4

3

2

1

B

21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9

7

6

5

4

3

2

1

8

PALCO

PLATEIA COM 296 VISIBILIDADE REDUZIDA MOBILIDADE CONDICIONADA

+31


INFORMAÇÃO GERAL

CÂMARA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGA Largo do Município 3740-262 Sever do Vouga Tel. 234 555 566 | Fax: 234 552 982 E-mail: cm.sever@cm-sever.pt www.cm-sever.pt Seg. a sex. 9h00 às 16h00

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGA Parque Urbano da Vila 3740-263 Sever do Vouga Tel. 234 550 030 E-mail: biblioteca@cm-sever.pt www.cm-sever.pt/biblioteca www.facebook.com/bm.severdovouga Seg. e sáb. 13h30 às 19h00 Ter. a sex. 10h00 às 19h00

MUSEU MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGA Rua do Matadouro 3740-255 Sever do Vouga Tel. 234 597 079 E-mail: museuseverdovouga@gmail.com www.facebook.com/museusever Ter. a sáb. 10h00 às 12h30 e 14h00 às 17h00

POSTO DE TURISMO DE SEVER DO VOUGA Rua do Jardim 3740-273 Sever do Vouga Tel. 234 555 566 E-mail: adeliacorreia@cm-sever.pt Ter. a sáb. 9h30 às 12h30 e 14h00 às 18h00 Encerra dom. e seg.

PISCINA MUNICIPAL DE SEVER DO VOUGA Av. Com. Augusto Martins Pereira 3740-256 Sever do Vouga Tel. 234 556 206 | Fax: 234 556 206 E-mail: piscina@cm-sever.pt Seg., qua. e sex. 10h00 às 20h00 Ter. e qui. 10h00 às 21h00 +32

JUNTA DE FREGUESIA DE SEVER DO VOUGA Rua da Igreja 3740-264 Sever do Vouga Tel. 234 552 691 | Fax: 234 552 691 E-mail: jfsevervouga@sapo.pt

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE SEVER DO VOUGA Rua dos Bombeiros 3740-267 Sever do Vouga Tel. 234 555 738 E-mail: comando.sever@mail.telepac.pt

GUARDA NACIONAL REPÚBLICANA DE SEVER DO VOUGA Av. Com. Augusto Martins Pereira 3740-258 Sever do Vouga Tel. 234 551 225 E-mail: ct.avr.dagd.psvv@gnr.pt

CPCJ DE SEVER DO VOUGA Rua do Sobreiral, Piso 1 3740-265 Sever do Vouga Tel/fax: 234 598 247 E-mail: cpcj.sv@gmail.com Seg. 10h00 às 12h00 e 14h00 às 17h00 Sex. 9h30 às 12h00

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO DE SEVER DO VOUGA Av. Com. Augusto Martins Pereira 3740-257 Sever do Vouga Tel. 234 550 130 | Fax: 234 555 435 E-mail: geral@aesv.pt


Agenda Cultural Sever do Vouga 1º trimestre 2017  

Agenda Cultural do Município de Sever do Vouga relativa aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2017.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you