Page 1


2


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

3


EDITORIAL

A

pós a veiculação na mídia de notícias sobre invasões aos

SUMÁRIO

condomínios residenciais, a

sensação de medo tomou conta da população de Salvador. A necessidade de agir contra a violência e a procura por recursos que evitem a ação dos bandidos está em pauta em todos os locais e se tornou motivo de preocupação e atenção. O resultado da enquete disponível no antigo site da revista apontou que 80% dos participantes desejavam ler sobre o tema segurança em nossa edição. Com isso, resolvemos dar destaque ao assunto nesta edição. Especialistas revelam o que fazer para proteger os condomínios, as medidas importantes como instalação de equipamentos, contrato com empresa especializada, e a necessidade de atenção dos porteiros e moradores contra os sinais de uma possível invasão. Também procuramos matérias que mostrem as tendências, como a gestão de condomínios clube, que é a sensação do mercado imobiliário e tem atraído cada vez mais a sociedade, e o Fórum Jardim Armação, que retrata a união de mora-

VALORES DE REFERÊNCIA Índices com novos valores não homologados................................

PERFIL

7

José Henrique Coelho, síndico do Edifício Chamonix...................

ACONTECE

10

Moradores do Jardim Armação unidos.........................................

SUSTENTABILIDADE

14

Captar água da chuva ajuda a diminuir os gastos....................

GESTÃO DE PESSOAS

15

Atendimento e postura.......................................................................

GESTÃO O desafio dos condomínios clube.................................................

COMPORTAMENTO

24

SAÚDE Atividade física nos condomínios..................................................

PISCINA

do bairro, e consequentemente a qualidade

Automação no tratamento de piscinas.......................................

TECNOLOGIA Inovação: o maior aliado da segurança.......................................

Carla Farias Editora

4

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

23

Dicas de boa convivência...................................................................

dores e síndicos para melhorar a estrutura de vida de todos.

6

CLASSIFICADOS.................................

26 29 30

31

www.cadeosindico.com.br


MAI/JUN 2013 • EDIÇÃO 43 COLUNAS

DÚVIDAS JURÍDICAS

8

Drª Kátia Gerlin Comarella responde

AUDITORIA CONTÁBIL

12

Gestão com auxílio da auditoria preventiva

SR. SÍNDICO

Dano moral na relação de trabalho

16

DIA A DIA DO SÍNDICO

22

A nova lei dos empregados domésticos

ELEVADORES

Controle de acesso para segurança

www.cadeosindico.com.br

28

CAPA

18

Especialistas apontam medidas para proteger condomínios de assaltos e arrastões EXPEDIENTE Gerência Executiva Antônio Castro

Editora Responsável Carla Farias (DRT 3843-BA)

Gerência Comercial Lucas Castro

Jornalista Matheus Morais

Comercial Gardênia Burgos Vera Lucia Barbosa

Projeto Gráfico e Diagramação Adrien Tournillon

Gerência de Marketing Rafael Castro

Colaboradores Antônio Coradinho Cristiane Araujo Nelson Uzeda

Cadê o Síndico é uma revista de publicação bimestral da Editora União Salvador Ltda. Periodicidade - Bimestral Tiragem - 8.000 exemplares (24.000 leitores em média) Rua Portugal, 17, Edf. Regente Feijó - sala 511- CEP: 40015-000 Comércio - Salvador/BA - Tel.: (71) 3491-0710/3242-1084 revista@cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

5


VALORES DE REFERÊNCIA

01 – CONTRIBUIÇÃO DO INSS

04 – REGISTRO DE CONDOMÍNIO

Tabela a ser aplicada, para recolhimento a partir de 01.01.2011. SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$)

ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS

Até R$ 1.247,70

8%

De R$ 1.247,71 até R$ 2.079,50

9%

De R$ 2.079,51 até R$ 4.159,00

11%

Pagamento até o dia 20 do mês subseqüente ao de competência. Não havendo expediente bancário antecipa para o 1º dia útil anterior.

02 – GRPS (INSS) 20% sobre a folha, como parcela do condomínio. 2% sobre a folha, como contribuição de acidente de trabalho.

Passos necessários na regularização do condomínio 1. Registro do condomínio no cartório de imóveis, juntamente com a convenção. 2. Elaboração da convenção, com assinatura de proprietários de no mínimo 2/3 das frações ideais do condomínio. 3. Inscrição das escrituras definitivas das unidades no Cartório de Registro de Imóveis. 4. Expedição do habite-se (pela construtora/ incorporadora). 5. Solicitar o desmembramento do IPTU por unidade. 6. Convocação da primeira assembleia para eleição de síndico e conselho consultivo. 7. Inscrição do condomínio no CNPJ, que torna automática a inscrição no INSS (esta é necessária para o condomínio ser empregador). OBS: CNPJ: É o cadastro de pessoa jurídica. O condomínio precisa desse registro porque, apesar de não pagar imposto de renda (associação sem fins lucrativos), vai reter imposto de renda dos funcionários na fonte.

4,5% sobre a folha, como contribuição de terceiros (SESC, SENAI, etc...) Salário Família: Até R$ 646,55 = R$ 33,16. De R$ 646,55 a R$ 971,78 = R$ 23,36.

05 – PISO SALARIAL

(VÁLIDO ATÉ 31.12.2013)

Data base: janeiro de cada ano

Valores não homologados

Administrador........................................... R$ 1.052,00

03 - OBRIGAÇÕES

Zelador....................................................... R$

855,00

Recolhimento do INSS, até o dia 20 do mês subsequente.

Porteiro ou agente de portaria, arrumadeira e recepcionista.................. R$ Folguista, manobrista, jardineiro e piscineiro................................................. R$ Aux. administrativo, aux. de serviços gerais, serventes e boy............................. R$

Recolhimento do FGTS, 8% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 7 do mês seguinte.

Ascensorista, vigia, garagista, controlador de veículos........................... R$ 765,00

Admissão/Demissão (CAGED) – Comunicar ao Ministério do Trabalho, até o dia 05 do mês subsequente.

Recolhimento do Pis, 1% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 24 do mês subsequente. Recolhimento do ISS, (Sobre serviços prestados) pagamento no dia 5 do mês subsequente.

6

Supervisor................................................. R$ 1.052,00

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

855,00 765,00 740,00

ADICIONAL NOTURNO: 25% HORAS EXTRAS: 100% VALE ALIMENTAÇÃO: COND. RESIDENCIAL.....R$ 195,00 COND. COMERCIAL...... R$ 205,00 Valores não homologados

www.cadeosindico.com.br


PERFIL

Para ser síndico, tem que ser profissional

A

Inadimplência Como em todo e qualquer condomínio, o problema de ina­dimplência ainda é um calo no sapato da maioria dos síndicos. Muitas vezes eles não sabem

dministrar é uma palavra que José Henrique Coelho, 36

como agir e acabam colocando em risco

anos, conhece bem. Afinal, ele é graduado em Administra-

uma relação duradoura de amizade com

ção de Empresas, pós-graduado em Gestão de Negócios e há

um vizinho. Para que isso não aconteça é

dez anos administra condomínios. Com o currículo recheado

preciso firmeza e isenção no trato com o

de experiências profissionais e cursos de especialização, o funcionário da

condômino, é aí que entra o trabalho de

empresa Bittencourt Lopes é um ferrenho defensor da gestão profissional

um gestor profissional.

quando o assunto é gerir condomínios, e não

“É preciso que haja uma conversa

abre mão de manter uma boa relação com seus

séria e franca para que a negociação renda

clientes.

bons resultados, isso um profissional sabe

Entre compromissos de trabalho e afa­zeres

fazer. Caso o diálogo não resolva, uma

pessoais, Coelho ainda arrumou tempo para ser

empresa de cobranças entrará em ação”,

síndico do Edifício Chamonix, no bairro da Graça,

explica Coelho.

onde mora. Trabalho que desenvolve há um ano,

O administrador de empresas ainda

e mais parece diversão para o perso­nagem em

destaca que a assembleia de condomínio

destaque nesta edição.

é o lugar ideal para que a situação de inadimplência seja exposta. Sempre

Segundo José Henrique Coelho, com o passar do tempo, os moradores de edifícios começaram a perceber que ser síndico é uma das tarefas

José Henrique : conversa séria com diálogo franco

tomando cuidado para que os nomes dos inadimplentes não sejam revelados. “É

mais ingratas para um condômino, pois além de

importante que os devedores não passem

ocupar tempo, também requer algumas habilidades específicas, uma relação

por constrangimentos em público, isso

custo-benefício que no final das contas acaba não compensando.

tem que ser preservado”, reitera.

“É bem melhor que se contrate uma empresa especializada em administra-

Com experiência de sobra, mas sem-

ção de condomínios, com profissionais capa­citados e experiência no assunto. Ao

pre procurando se atualizar através de

contrário do que muitos pensam, ser síndico não é fácil”, afirma. Diferentemente

novos cursos, José Henrique Coelho diz

de outras capitais, como São Paulo, Salvador ainda está começando a descobrir

que a mediação de conflitos entre mora-

e utilizar os serviços de administradores profissionais em condomínios.

dores, a inadimplência, questões de ordens

Ainda de acordo com ele, o síndico tem que ser alguém preparado para o

trabalhistas e a falta de recursos finan-

cargo que ocupa, e para tal, é necessário que tenha noções de gerenciamento,

ceiros para administrar foram os maiores

liderança e capacidade de agir psicologicamente em situações de conflito. “É

desafios que já enfrentou em gestões de

preciso que os moradores vejam no gestor as qualidades essenciais para que

condomínios. Palavra de profissional!

se sintam bem representados”, diz.

www.cadeosindico.com.br

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

7


DÚVIDAS JURÍDICAS

Por Kátia Gerlin Comarella

Dra. Kátia Gerlin Comarella responde

Drª Katia Gerlin Comarella, titular do escritório KGC Advogados Associados, é especialista em direito condominial, há 16 anos atua na cidade do Salvador, tendo estendido a sua especialidade também no estado do Espírito Santo, na cidade de Vitória e Vila Velha, onde também atua, com ampliação ao seu escritório a Gerlin & Horta Ltda, dando seguimento aos seus trabalhos. drkatiagerlin@hotmail.com, Tel.: (71) 3345-2727.

às assembleias deliberam/decidem acerca de questões do condomínio e também da convenção, mas não têm caráter imutável, podendo ser modificada de acordo com o inte­resse e necessidade do condomínio, através das assembleias. Porém é a convenção que determinará a competência, o quórum para as deliberações e forma de convocação, de acordo com o art. 1334, III do Código Civil.

1. O síndico, membros do conselho consultivo e empregados do condomínio podem receber procurações

3. Quando os inquilinos podem votar em assembleia?

para votarem em assembleia?

A questão acerca da possibilidade ou não dos loca-

Sim, pois não há previsão legal contrária neste sen-

tários votarem na assembleia do condomínio é dúvida

tido, quanto a este procedimento. Contudo, é importante

recorrente e a minha reposta não chega a ser um consenso.

que exista na convenção a previsão de proibir este ato ou

No meu entendimento, os condôminos- locatários têm

qualquer outro em que o síndico, ou membros do con-

o direito de participar em qualquer assembleia de forma

selho consultivo e afins, atuem com total liberalidade em

bastante ativa. Entretanto no que concerne o direito ao

nome alheio. Normalmente, os síndicos não devem rece-

voto, entendo que, a votação nos assuntos gerais só poderá

ber procurações, é mais salutar e mais ético, os síndicos

o locatário votar na assembleia se ele estiver portando uma

ficarem omissos quanto à deliberação de algum ato.

procuração outorgada pelo proprietário-locador; nesse sentido, estará o locatário participando da assembleia não

2. São válidas as decisões tomadas em assembleias geral que conflitem com a convenção do condomínio?

8

em razão de sua condição de “inquilino”, mas como procurador do proprietário do imóvel. Mas na condição de

Depende, a priori, as decisões tomadas em assembleias

“inquilino” entendo que este poderá votar em assembleias

não podem conflitar com a convenção, com exceção das

ordinárias. Assuntos tais como, eleição de síndico, presta-

decisões deliberadas com base na lei nova.

ção de contas e despesas decorrentes das taxas ordinárias,

Nesta linha, é importante registrar que a convenção

deverão ser votados pelo inquilino e deliberar sobre os

é norma maior do condomínio, esta que regulamenta a

temas da respectiva ordem do dia, haja vista, que este é

administração e a relação entre condôminos. Em que pese

quem paga a taxa condominial ordinária.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


Espaço do

4. O condomínio responde por furtos ocorridos no interior de um

Síndico profissional

dos apartamentos? Para responder com prudência somente mediante análise de cada caso em particular. Os equipamentos eletrônicos, a exemplo de câmeras, utilizados para fazer frente à segurança não se prestam como meio para julgarmos uma situação como sendo passível de indenização ou não, pois são apenas meios de prova. A responsabilidade dos condomínios em inde­nizar os condôminos, nos casos de furto ou roubo, é a prova de co-autoria de algum funcionário do edifício no crime, ou se houve negligência, imperícia ou imprudência no trato da vigilância. Desta feita o condomínio só responde por furto ocorrido no interior das unidades autônomas se houver participação, direta ou indireta do funcionário do condomínio. Recomendo que se faça seguro individual das unidades autônomas. 5. Se a convenção não estabelecer o fundo de reserva, como proceder com as despesas extraordinárias? Nem toda convenção de condomínio é estabelecido e constituído o fundo de reserva. No caso da ine­ xistência deste fundo em condomínios, a forma de instituir as taxas extras, sempre deliberadas através de assembleia extraordinária, onde a aprovação rateará as despesas de acordo com a cota-parte dos condôminos. De outra forma, o fundo de reserva é utilizado para fazer frente às despesas emergenciais, sua finalidade é atender as despesas imprevisíveis e inadiáveis. Havendo saldo positivo no fundo de reserva que possa fazer frente a esta despesa extraordinária, pode ser utilizado o fundo sem que necessite autorização assembleia. www.cadeosindico.com.br

CS março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

9


ACONTECE

Temos pressa! Com esse slogan, moradores de Jardim Armação estão unidos para melhorar o bairro Por Carla Farias

A

mento dos órgãos públicos e união entre os moradores, mas é preciso agir para que a situação mude. "Eu já estava pensando como resolver os problemas de segurança, sina­ lização, buracos e ruas obstruídas, até que o condomínio recebeu o convite para a reunião de criação do Fórum e eu estava numa fase muito delicada de minha vida, recém mudado, com filho pequeno, no último semestre da faculdade, mas pensei que se Denilson não conseguisse colocar

pós identificar que o boom imobiliário do

isso para frente naquele momento, quando eu fosse tentar,

bairro Jardim Armação estava ocasionando

com certeza também não teria apoio, então, resolvi vestir

problemas e dificuldades aos moradores,

a camisa e me unir a ele. Agora, estamos juntos na corrida

e que o poder público nada fazia para

contra o tempo e contra os obstáculos. E temos pressa",

me­lhorar a situação, Denilson Rehem, morador há mais

completou Julio.

de 3 anos do local, e síndico do Condomínio Edifício Mar

Em março deste ano, Denilson marcou duas reuniões

de Aruba, decidiu criar em outubro de 2012, o Fórum de

com síndicos e moradores do bairro. A primeira apre-

Condomínios Residenciais do Jardim Armação (FORMA-

sentou a ideia e formou a Comissão Transitória, que será

ÇÃO), para encaminhar e solucionar as ocorrências do dia

responsável pela definição do projeto, e é composta por

a dia do bairro junto à administração pública.

Denilson, Julio Marques, e João Carlos Carvalho, mora-

Denilson iniciou o movimento pela criação de uma

dor antigo do local e ex- presidente da associação de

entidade que pudesse, através de uma prática verda-

moradores do Jardim Armação, na segunda reunião, com

deira de organização, democracia e transparência, ser o

representantes de 61 condomínios, aprovaram o Regu-

interlocutor dos moradores do bairro. "Identifiquei que

lamento. No dia 02 de maio, concluíram os trabalhos da

a representatividade do bairro todo, através do cadastro

Comissão Transitória e elegeram o Comitê Gestor.

dos condomínios, teria um poder de cobrança nos órgãos

Todos os condomínios filiados têm direito a 2 repre-

públicos maior do que um abaixo assinado ou uma rei-

sentantes no conselho pleno (reuniões do fórum). Para

vindicação de um grupo de moradores. Os problemas

prestigiar os condomínios mais populosos, a cada 50

nos condomínios, nós síndicos resolvemos, mas, e fora

quartos (não inclui quarto de empregadas ou reversíveis)

do prédio? Eu ficava incomodado por nada poder fazer

ganha mais 1 representante, juntamente com as 10 pes-

para mudar esse quadro já caótico que tende a se agra-

soas que fundaram o fórum. O conselho pleno elege um

var. Como não tínhamos uma entidade adequada, eficaz

comitê executivo para realizar as tarefas definidas e vota-

e representativa para agregar as questões do bairro e

das pelo fórum. Todas as tarefas funcionam no padrão de

encaminhá-las à administração pública, resolvi tomar esta

projeto e os moradores do bairro podem levar ideias para

iniciativa", disse Denilson.

o fórum, porém, apenas os membros do conselho pleno

De acordo com Julio Marques, membro da Comissão Transitória, que determina o projeto, e subsíndico do condomínio Terrazzo Del Mare, o fórum traz a esperança aos

10

condôminos para a organização do bairro, comprometi-

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

podem votar e ter poder de decisão. O fórum tem um blog em que divulga todas as ações e projetos, www.blogformacao.wordpress.com.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

11


AUDITORIA CONTÁBIL

Por Michele Lordêlo

Contadora, empresária contábil, auditora contábil da Prefeitura de Lauro de Freitas-Bahia, coordenadora do Curso de Ciências Contábeis da Unime L.F/Ba e do curso de Pós-Graduação-MBA em Planejamento Tributário - Unime LF/Ba, especialista em contabilidade para empresas e condomínios, doutoranda em educação e membro da comissão mulher contabilista do Conselho Regional de Con­tabilidade do Estado da Bahia. m_lordelo@yahoo.com.br, Tel.: (71) 3022-7022.

Auditoria revisional como suporte na prestação de contas e na troca de gestão

N

esta edição iremos compartilhar informações sobre a implantação da auditoria revisional

O parecer pode expor se a taxa condominial cobrada

que é uma auditoria externa contratada para a

é compatível com os gastos mensais do condomínio fun-

análise geralmente da prestação de contas do condomínio,

cionando como um instrumento de suporte ao síndico

com base nos balancetes mensais e extratos bancários.

na análise do valor da taxa condominial. Com o total dos

A prestação de contas é pautada na previsão orça-

gastos mensais revisados são realizadas verificações que

mentária do condomínio (contendo a previsão de gastos

demonstram a coerência da taxa, a necessidade de aumento

e de recebimentos das taxas) versus as taxas recebidas e

ou diminuição ou, ainda, a implantação da taxa extra.

os gastos efetivamente realizados, com seus documentos justificativos.

12

recibos identificados.

A contratação da auditoria revisional geralmente é anual, com valores a partir de R$ 1.000,00 por ano

No parecer de auditoria é possível detectar se os

auditado e possibilita ao gestor condominial um controle

recursos previstos para pagamentos, com a manuten-

da aplicação dos recursos para posterior apresentação da

ção dos elevadores, as reformas em geral, a compra de

prestação de contas aos condôminos.

equipamentos e etc, foram aplicados adequadamente. A

A auditoria deve ser aprovada em assembleia para que

auditoria verifica também, a composição dos orçamentos

seja custeada pelos condôminos ou caso o síndico atual

de no mínimo três prestadores de serviços autônomos

deseje assumir a gestão com um parecer de auditoria que

ou empresas, e analisa os documentos que devem com-

demonstre a situação atual das contas, o síndico deverá

por a pasta do balancete mensal como notas fiscais e/ou

arcar com os custos.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

Qualidade de vida e entretenimento: o que os condomínios têm para oferecer Por Elder Passos Profº. especializado em administração e marketing esportivo

A

tualmente, os condomínios tem procurado oferecer diversas opções de entretenimento e serviços para toda a família através das áreas de lazer, que vão desde equipamentos tradicionais como quadra poliesportiva e playground, a academias, piscinas aquecidas, churrasqueiras, brinquedotecas, salões de jogos, espaço gourmet e até Lan house. Esses recursos valorizam o empreendimento e estimulam os moradores a participarem mais da vida do condomínio, além de levá-los a adotar um estilo de vida mais saudável. Muitas construtoras já perceberam o quanto foi ampliado o conceito desses espaços de lazer em condomínios, e tem buscado elaborar projetos direcionados a essa nova realidade do mercado, em especial aos fitness centers. Bem equipadas, as salas de ginástica estão se transformando em um dos espaços mais disputados dentro dos condomínios. Se o prédio é antigo, talvez já esteja na hora de repensar esses espaços de lazer. Se ele é novo, certamente ainda nem dispõe dessas áreas totalmente estruturadas. Para um caso ou outro, trate com muito critério essa parte do prédio, principalmente, na escolha e compra dos equipamentos.

www.cadeosindico.com.br

Afinal, elas podem garantir agradáveis momentos de lazer para moradores de todas as faixas etárias. Para muitos, poder realizar atividades físicas no condomínio é uma vantagem por questões como saúde, segurança, praticidade, economia e integração entre moradores e a família. Que tal ter um personal trainer na sala de ginástica do seu prédio ou praticar pilates solo? Que tal participar de aulas de ginástica ao ar livre? Existem hoje no mercado algumas empresas que oferecem pacotes de serviços, que vão desde a consultoria para montar a academia, até aulas de recreação infantil. Essas empresas utilizam as áreas comuns desses edifícios residenciais para o desenvolvimento de programas de qualidade de vida personalizados, elaborados de acordo com o perfil e preferência dos moradores. No caso da sala de ginástica, essas empresas disponibilizam profissionais para a orientação quanto ao uso adequado dos equipamentos, montagem de treinos individuais, além de algumas aulas específicas. Nos condomínios com piscina, é possível ainda contratar aulas de hidroginástica e natação para crianças. O investimento mensal nesses serviços poderá variar de acordo com as modalidades que serão oferecidas, e o valor poderá ser dividido apenas entre os moradores interessados ou até mesmo por todos os apartamentos, tornando a área de lazer um ponto de encontro agradável a preços relativamente baixos.

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

13


SUSTENTABILIDADE

Quem guarda, tem! Captar água da chuva é uma das alternativas para preservar o meio ambiente e economizar dinheiro.

água. O condomínio conta com um tanque com capaci-

Por Carla Farias

dade de armazenar até seis mil litros de água de chuva,

O

estado da Bahia é um dos mais atingidos

que é direcionada para uma torneira na área externa, onde

pela seca: 275 municípios estão em estado

os moradores enchem baldes para lavar a área comum,

de emergência e, em 53 deles, foi adotada

mo­lhar a grama, as plantas e lavar os carros. “E a economia

a medida preventiva do racionamento de

não para por aí. Colocamos arejador em todas as torneiras

água. Dentro deste cenário, em que a

dos banheiros e das co­zinhas, que

estiagem já é considerada a mais grave

poupa até 50% da água utilizada, a

dos últimos 60 anos, é importante que

última água da máquina de lavar,

cada um faça a sua parte para usar a

também é reaproveitada e as descar-

água de forma racional, e uma das

gas foram reguladas para receberem

formas dos condomínios re­sidenciais

até três litros e não seis, como é o

e comerciais contribuírem é implantar

costume” disse Manuela de Sousa,

sistemas de captação e reaproveita-

que já morou uma época no village

mento da água da chuva.

e participou da construção.

O maior causador do raciona-

Pensando no futuro dos recur-

mento é a falta de chuva, mas a cultura

sos hídricos e se prevenindo de uma

do desperdício e o desrespeito com a

possível falta de água, Paulo Rangel,

natureza vêm esgotando este recurso

proprietário de uma concessionária

ao longo dos anos. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) mais de 1 bilhão de pessoas poderão

de veículos em Vitória da Conquista,

Manuela de Souza molhando as plantas com a água da chuva

cidade que está em racionamento de água, resolveu canalizar as calhas

sofrer com a falta de água em um futuro bem mais pró­

do seu estabelecimento para coletar água de chuva. “A

ximo do que se imagina. Assim, seguindo o ditado de que

chuva cai nas calhas, a água vai para uma tubulação e é

"Quem guarda, tem!", porque não adotar medidas para

distribuída em túneis. É uma medida simples, mas que faz

preservar o que não está tão abundante por aí?

toda a diferença. A água acumulada é utilizada para fazer

Empresas especializadas fornecem sistemas de capta-

a limpeza dos veículos e limpar o escritório. Com isso, tam-

ção de água da chuva, que pode transformá-la em água

bém economizamos muito na conta de água, só pagamos a

potável, ou não. "Implantar um sistema desse significa uma

taxa de consumo mínimo", informou.

grande responsabilidade social e ambiental. Você economiza nos gastos do condomínio e preza por um recurso escasso, que já está fazendo falta na casa de muita gente.

O senador João Durval apresentou uma proposta

Algumas construtoras já estão entregando os empreendi-

através do projeto de Lei 112/2013 que obriga todas

mentos com esse sistema, são as chamadas construções

as edificações, comerciais ou residenciais, a serem

sustentáveis, que estão cada dia mais frequentes", disse

construídas com sistemas de captação e reaproveita-

João Miranda, engenheiro e proprietário de construtora

mento da água da chuva, sendo aprovada, todos os

de imóveis.

estados brasileiros irão seguir a determinação. Rio de

O village Passaredo, no Imbuí, foi construído há 5 anos com uma estrutura que possibilita o uso racional da

14

Legislação

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

Janeiro, São Paulo e Curitiba já têm leis que obrigam as construtoras implantarem este sistema. www.cadeosindico.com.br


GESTÃO DE PESSOAS

Atendimento e postura padrão de atendimento e de um perfil básico para o profis-

Por Cristiane Araujo Professora do MBA em Gestão de Pessoas da Unipessoa

sional de atendimento, como forma de avançar no próprio negócio. Dessa maneira, estes dois itens se tornam complementares e inter-relacionados. Para conhecermos melhor a postura de atendimento,

A

faz-se necessário falar do verdadeiro profissional do aten-

O serviço assume uma dimensão macro nas organiza-

ajudá-los a se sentirem importantes e proporcioná-los um

excelência de serviços e atendimento não é uma disciplina teórica, está relacionada com as realizações tangíveis de uma orga-

dimento. Analisaremos os três passos do verdadeiro profissional de atendimento:

nização relativamente ao que faz, na forma

1. Entender o seu verdadeiro papel, que é o de

como o faz, nos resultados que alcança e na convicção de

compreender e atender as necessidades dos clientes, visi-

que estes resultados serão sustentados no futuro.

tantes, parceiros, fazer com que eles sejam bem recebidos,

ções e, como tal, está diretamente

ambiente agradável. Para este profis-

relacionado ao próprio negócio. Nesta

sional, não basta apenas conhecer o

visão mais global, estão incluídas as

serviço ou produto, o mais impor-

políticas de serviços, a sua própria

tante é demonstrar interesse em

definição e filosofia. Aqui, também

relação às necessidades e atendê-las.

são tratados os aspectos gerais da

2. Entender o lado humano,

organização que dão peso ao negócio,

co­n hecendo as necessidades dos

como: o ambiente físico, os prestado-

clientes, aguçando a capacidade

res de serviço, a organização e seus

de percepção. Necessário que este

sistemas invisíveis e o perfil de seus

profissional tenha uma formação

clientes e parceiros. Este item, portanto, depende mais diretamente da empresa e está mais relacionado com as condições sistêmicas. Já o atendimento, que é o tratamento dispensado às pessoas, está mais relacionado com o funcionário em si, com as suas atitudes e o seu modo de agir com os clientes. Portanto, está ligado às condições individuais. É necessário unir estes dois pontos e estabelecer nas políticas das empresas, o treinamento, a definição de um

www.cadeosindico.com.br

voltada para as pessoas e goste de lidar com pessoas. 3. Entender a necessidade de manter um estado de espírito positivo, cultivando pensamentos e sentimentos positivos, para ter atitudes adequadas no momento do atendimento. Portanto, é necessário desenvolver uma cultura de excelência atentando para a adequação de boas práticas de serviços e atendimento que conduzem à inovação e a melhoria de resultados.

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

15


SR. SÍNDICO

Por Ionara Ribeiro

Dano moral na relação de trabalho

Dra. Ionara Ribeiro é advogada titular do escritório Ionara Ribeiro Advogados, especializada em Condomínios Edilícios e Incorporações Imobiliárias. ionararibeiro@ionararibeiro.adv.br, Tel.: 71 3797-6277 / 3011-5801.

pessoas, conforme estabelecido pelo artigo 5º, inciso X, da Constituição da República. Toda e qualquer conduta que resulte em grave violação aos direitos de personalidade, de forma que o exercício do poder diretivo do empregador ao adotar tal prática, constitui

Em recente decisão, a 2ª Turma do Tribunal Su­perior do Trabalho, nos autos do processo nº. RR-93700

A prática de atos que submeta o empregado a situação

-79.2009.5.04.0001, condenou um condomínio em Porto

de constrangimento perante os demais resulta no dever de

Alegre/RS a pagar indenização por danos morais, por causa

indenizar, ainda que este ato não tenha sido praticado pelo

de uma moradora que ofendeu o zelador do condomínio.

síndico ou pelos membros da administração do condomínio,

O empregado conseguiu provar, através de prova testemunhal, que foi perseguido e humilhado por uma condômina

mas pelo condômino, que na condição de coproprietário, assume a condição de empregador.

que fazia piadas sobre as atividades desempenhadas por ele.

Destaca-se que nem toda situação desagradável ou incô-

Admitido em 2003 para exercer a função de zelador e

moda faz gerar, no mundo jurídico, direito à indenização. Para

desenvolver atividades de limpeza na área comum do edifí-

sua configuração, necessário se faz a demonstração da dor, da

cio, o trabalhador alegou que, em 2007, passou a escutar

ofensa, do constrangimento suportado pelo ofendido. O abalo

piadinhas e a ser perseguido por uma das moradoras do

a sua esfera íntima é quem deve justificar o deferimento de

edifício, que sempre falava que seu serviço não estava bom,

indenização por moral.

que ele iria ficar para sempre de joelhos fazendo limpeza, que tinha que esfregar mais e usar mais produtos de limpeza.

A responsabilidade civil do empregador por danos causados aos seus empregados no desempenho de suas atividades

Ao analisar o recurso, o relator entendeu que o empregado

laborais é de ordem subjetiva, tornando necessário aferir se

sofreu constrangimento e humilhação enquanto realizava

houve a prática de ato ilícito decorrente de ação ou omissão

seus trabalhos de rotina no condomínio, em razão de ofen-

por negligência, imprudência ou imperícia, bem como o nexo

sas proferidas, na presença de outras pessoas, por parte da

de causalidade entre a conduta culposa do agente e o dano

moradora.

sofrido pela vítima. Ausente a configuração de culpa ou dolo

A configuração do dano moral exige evidência de violação da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das

16

abuso e gera direito à reparação.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

do empregador, pode ser reformada a sentença que venha a fixar indenização por dano moral.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

17


CAPA

Em busca de proteção Falta de segurança dá oportunidade à assaltantes invadirem condomínios em Salvador dispara os sensores. Os por-

Por Carla Farias

teiros ficam com rádios em conexão direta com uma empresa

“E

m três dias, dois prédios assaltados”.

especializada em segurança, e assim que existe

Notícias como esta foram muito comuns

qualquer disparo dos sensores, essa comu-

neste ano em Salvador. Proteger o con-

nicação é feita imediatamente. Temos,

domínio não é uma tarefa simples, mas

também, outros protocolos com entrada

com a atitude do síndico, colaboração de moradores, orienta-

de pessoas estranhas, uso dos portões e entre-

ção aos funcionários e equipamentos eficientes de segurança,

gas de pedidos, além de estarmos sempre orientando os

essa ação pode ser evitada. Atualmente, o diferencial dos

funcionários e moradores sobre o comportamento para man-

condomínios é a segurança, e o que fazer para voltar a ter

termos a segurança do nosso prédio", informou Mara Regis,

tranquilidade e manter os bandidos do lado de fora do portão?

síndica do Mansão Mozart.

A violência só cresce e os marginais procuram opor-

Muitos síndicos e administradores têm procurado

tunidades, de formas diferenciadas, para praticar assaltos.

empresas especializadas para melhorar a segurança dos

Os bairros Pituba, Costa Azul, Itaigara, Graça, Barra e Ondina

condomínios. O Grupo Escolta VIP, por exemplo, criado em

foram os alvos deste ano, mas isso não significa que nos outros

2000, oferece segurança eletrônica, patrimonial, sistema

locais o mesmo não pode acontecer. É importante se preve-

de monitoramento 24 horas e de alarme, administração

nir antes que ocorra um incidente. Contratar uma empresa

de condomínio e terceirização de mão de obra, e informou

especializada em segurança é fundamental, mas não basta

que a busca pelo serviço aumentou 40% nos últimos meses.

simplesmente instalar equipamentos, é preciso contratar um

“Temos recebido muitos pedidos e é fundamental prezar por

serviço de qualidade e eficiente, treinar constantemente os

um sistema de segurança de qualidade em cada condomínio.

funcionários e conscientizar os moradores da importância de

Realizamos o planejamento respeitando às particularidades.

respeitar as regras de segurança.

Primeiro fazemos uma análise, identificamos os equipamentos

Muitos locais já se preveniam dessas invasões, antes da

necessários, e adaptamos o sistema de segurança à estrutura

veiculação de notícias na mídia. "Há muitos anos nós insta-

do condomínio”, disse Marcos Santana, diretor co­mercial da

lamos sensores de presença nos muros. Assim, qualquer

empresa.

movimentação, como alguém tentando pular ou escalar,

Elísio Pereira Silva, gerente comercial da Amplavisão, empresa que atua há 12 anos no mercado com projeto, instalação e manutenção de sistema de circuito fechado de

Dicas de especialistas Clausura (dois portões de veículos) É fundamental para a sua segurança, pois só assim você evita um estranho ou meliante entrar como carona no seu condomínio.

18

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

TV, alarme perimetral, automatização de portões, controle

Vaga na garagem Reservar uma vaga Para quando o morador estiver em perigo. Nesta vaga tem sensores e alarmes, e ao veículo estacionar é acionado na empresa especializada em segurança com plantão de 24 horas, e na administração ou portaria do condomínio para que seja tomada a atitude necessária. www.cadeosindico.com.br


de acesso, sistema de segurança, etc,

funcionários e moradores estejam bem

informa que nos últimos meses aumen-

treinados e com informações impres­

tou a procura por instalação do circuito

cindíveis para o bom funcionamento do

fechado de TV, mas que isso não é o

sistema que foi implantado. "É impor-

suficiente. “Hoje, é preciso que síndicos,

tante que os moradores saibam detalhes

moradores e administradores entendam

do sistema de segurança, para que nos

que é necessário contratar empresas

momentos de perigo saibam como agir

com experiência comprovada no mer-

e não dificultem a ação da polícia ou da

cado para investir em novos sistemas

segurança contratada. Instalamos alarme

como o controle de acesso de pessoal,

com sensores de movimento e intrusão,

que vai armazenar os dados cadastrais

cercas elétricas, circuitos de câmera,

com foto dos visitantes e prestadores

controle de entrada, monitoramento a

de serviços; e instalação do sistema de

distancia e sistema de pânico, mas con-

controle de acesso de veículos, com ele

sideramos as instruções aos porteiros e

o porteiro não correrá o risco de abrir

moradores como peça fundamental para

o portão para uma pessoa fingindo

que o sistema funcione perfeitamente.

ser morador do prédio. Além disso, é

Damos treinamento e quando julgamos

importante investir na qualificação dos

necessário realizamos a reciclagem",

funcionários, pois não adianta ter

afirmou Santana.

um sistema de segurança de alta tecnologia se os funcionários não estão capa­c itados para operar e agir quando ne­cessário”, disse Elísio. Mesmo com i nve s t i m e n t o s é i m ­p o r t a n t e q u e

Clausura (dois portões de pedestre) O sistema Intertravamento tem a finalidade de só permitir que o portão abra quando o outro está fechado. Desta forma, o porteiro tem como impedir o acesso de pessoas não autorizadas.

Polícia Militar vai capacitar porteiros A Policia Militar da Bahia,

projeto encontra-se agora em fase

além de realizar os procedimentos

de pesquisa e análise de manuais e

comuns nos bairros, como rondas,

cartilhas com normas de segurança uti-

policiamento ostensivo a pé, blitz

lizados em outros estados, a exemplo

e operações, está desenvolvendo,

de São Paulo e Ceará. “Estas ações estão

através da 13ª Companhia Inde-

sendo deliberadas em reuniões realiza-

pendente de Polícia Militar (CIPM)/

das entre o Comando da Unidade e os

Pituba e do Conselho Comunitário

integrantes do Conselho Comunitário

de Segurança, um projeto que visa

de Segurança. E assim, que estiverem

intensificar as ações com o intuito de

concluídas serão disponibilizadas aos

coibir assaltos em condomínios.

porteiros, através de reuniões. Iremos

O objetivo principal é diminuir a

instruir como eles devem proceder

vulnerabilidade destes condomínios,

com visitantes, pessoas estranhas e

principalmente no que diz respeito

até com os moradores", informou o

ao acesso de pessoas estranhas. Este

Capitão Marcelo Pitta.

www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

19


CAPA

Dicas da Polícia Militar Manter portões de acesso ao condomínio sempre fechados, evitando-se deixá-los abertos desnecessariamente. Ao chegar no condomínio ou permitir a entrada de pessoas, observar a existência de estranhos com comportamento suspeito.

Outro cuidado que se deve ter é com os prestadores de serviço. Recomenda-se a verificação com o proprietário do Para os serviços de delivery,

imóvel sobre a realização de

orien­ta-se que o proprietário receba

manutenção da casa ou aparta-

o material pessoalmente na portaria,

mento e obter com antecedência

evitando-se o acesso dos entregadores

os nomes dos funcionários que

à parte interna do condomínio.

farão os serviços.

20

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

Proteção por 24 horas O

Grupo Escolta Vip, formado pelas empresas Escolta Vip Ter­ceirização, Escolta VIP Vigilância e MC Comércio e Serviços Predial fundado em maio de 2000 oferece serviços de qualidade no fornecimento de mão de obra qualificada e devidamente treinada, proporcionando comodidade e segurança a seus clientes e parceiros. O nosso objetivo é assegurar a satisfação do nosso cliente; para tanto trabalhamos de forma diferenciada. Além do fornecimento de mão de obra qualificada para atuar na portaria e higienização dos condomínios, oferecemos ainda serviços de admi­ nistração de condomínio, segurança patrimonial, sistema de segurança eletrônica, monitoramento a distância, controle de portaria, supervisão 24h e treinamento para portaria. Considerando que a maior preocupação dos síndicos e demais condôminos é a segurança, garantimos este item, com oferecendo de uma equipe bem treinada e integrada, o que agiliza o processo de resposta em caso de uma ocorrência ou sinistro. A prestação de serviço na área de segurança eletrônica hoje é atividade primordial e muito requisitada pela população. A falta de conhecimento técnico nesta área pode gerar um projeto falho, o que deixa vulnerável a segurança do condomínio. Vale salientar a importância de um projeto bem elaborado para que a segurança seja realmente eficaz. Com relação à mão de obra,

www.cadeosindico.com.br

tem que se verificar se a empresa contratada oferece a ronda 24h para fiscalizar e dar suporte aos serviço de portaria. Geralmente, este suporte não existe quando a contratação dos porteiros é feita diretamente pelo próprio condomínio. Outra medida de segurança que começa a ser adotada no Brasil é o sistema de alarme sem fio, instalado nos apartamentos e já muito utilizado nos EUA. Principalmente em condomínios que não possuem portaria 24h. Este sistema possibilita ao morador ou à empresa de segurança contratada receber um aviso em caso de invasão do imóvel, o que irá permitir uma ação mais rápida de atendimento. O controlador de porteiro é um sistema utilizado em portaria 24h, em que o porteiro tem que passar o cartão magnético no leitor, por um intervalo de tempo pré-determinado, chegando sempre a informação na empresa de

segurança. Neste caso, se não for registrado no tempo determinado, a empresa que está monitorando receberá a informação, através do sistema de monitoramento e imediatamente abre o sistema de câmeras do condomínio para que possa verificar em tempo real o que está acontecendo no local. O Grupo Escolta VIP está preparado para atender e orientar todas as demandas de um condomínio.

www.escoltavip.com.br Central de Atendimento Tel.: (71) 3245-3014 / 3492-7040

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

21


DIA A DIA DO SÍNDICO

Por Rosemar Smera

Dra. Rosemar Smera é especialista em direito condominial e sócia da empresa Adcon Administração de Condomínios. Tel.: 71 3272-1354

A nova lei dos empregados domésticos

A

aprovação da PEC 66/212, deixou muitos empregadores surpresos. Os empregados

Algumas obrigações aprovadas na nova lei, ainda

domésticos, incluindo empregadas, motoris-

estão pendentes de regulamentação, como o pagamento

tas, babás, acompanhantes de idosos, dentre

de salário família e auxílio creche. Também não foram

outros profissio­nais que trabalham em casas de famílias,

definidos os valores a serem pagos destes benefícios e

passaram a ter direito a novos benefícios, alguns deles

as deduções no pagamento do INSS, bem como não foi

ainda pendentes de regulamentação.

definido o percentual a ser recolhido pelo empregador a

Alguns benefícios já existiam e apenas foram man-

título de acidente de trabalho.

tidos, como a obrigação de assinatura da carteira de

Outro benefício pendente de regulamentação é o paga-

trabalho, concessão de férias de 30 dias com acréscimo

mento do adicional noturno de quem trabalha à noite e

de 1/3, décimo terceiro salário, aviso prévio em caso de

pagamento de adicional para profissionais que acompa­

demissão sem justa causa e pagamento da previdência

nham idosos e ficam de prontidão à noite.

social.

Os empregados demitidos sem justa causa terão

Alguns itens entrarão em vigor após a promulga-

direito ao pagamento pelo empregador da multa de 40%

ção, prevista para os próximos dias, como o pagamento

sobre o saldo do FGTS, poderão sacar a quantia depositada

obrigatório do FGTS, pagamento de horas extras para

e receberão pagamento de seguro desemprego pela Caixa

trabalhadores com carga horária acima de 44 horas

Econômica Federal, a partir de 15 meses de contribuição.

semanais. Quando a jornada de trabalho ultrapassar 44 horas semanais, deve-se pagar horas extras 50% de segunda a sábado e 100% nos domingos e feriados.

22

re­gistrados em folha ponto.

As deduções do salário dos empregados ficam mantidas: 6% sobre o valor do salário base a título de vale transporte e 8% de previdência social. Atualmente diaristas que trabalham até duas vezes

Os horários de trabalho e descanso, especialmente o

por semana, não são consideradas empregadas domésti-

horário mínimo de intervalo de uma hora para almoço,

cas e não se enquadram nas obrigações trabalhistas acima

devem ser previamente combinados entre as partes e

descritas.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Gestão

Condomínios clube O desafio de administrar um empreendimento com mais de 800 apartamentos

Academia, home theater, quadras de tênis e campo society são itens no Residencial Carpe Diem

totalizam 800 apartamentos. Imagina a frequência de uso dessas áreas? É muito importante termos uma administração ativa, que faça manutenções regulares, que fiscalize o mau uso realizado por moradores, para que possamos ter nosso bem valorizado e útil por muitos anos. Nós moradores tam-

Por Carla Farias

bém precisamos ter consciência do uso em comunidade para

A

maior tendência dos últimos anos, em se

preservar o local em que vivemos", disse Agostinho da Silva,

tratando de moradia, é o condomínio clube,

morador do Brisas Residencial Clube.

que oferece muitas opções de lazer para todas

Cristiane Trindade, proprietária da Trindade Asses-

as faixas etárias e estilos de vida. O conceito

soria Condominial, recomenda que haja um subsíndico em

é inovador e interessante, atrai muitas pessoas, mas a orga-

cada edifício, além do síndico geral e conselho fiscal. “Cada

nização desses condomínios é bem diferente das tradicionais

torre representada por um condômino, não sobrecarregará

e necessita de atenção.

o síndico, proporcionará agilidade na solução de problema,

A diferença neste tipo de moradia é a praticidade e lazer

permitindo filtrar os assuntos relevantes para serem com-

que é oferecida ao morador de forma

partilhados. Enfim, a base em maior

que ele reduza os motivos para sair

número de subsíndicos repercutirá

de casa. "O que atrai é a possibilidade

em uma gestão objetiva e eficiente

de nos momentos de lazer, contar

nos resultados, uma vez que o per-

com academia, restaurante e peque-

fil do condômino clube é a busca da

nos serviços, sem precisar sair de

tranquilidade e conforto, e o inves-

casa e se desgastar com o trânsito.

timento dos seus sonhos devem ser

"Conforto, economia e segurança são

conciliados com estrutura em pleno

os quesitos que ditam este conceito

funcionamento. Outras ações fun-

de moradia, que chega a oferecer

damentais para tornar mais fácil a

mais de 60 itens de lazer em um único empreendimento", informou

administração: equipe interna pre-

Piscina é item indispensável

Beth Ferraz, moradora do Le Parc Residencial Resort. Em contrapartida, estes condomínios precisam de cuidado com a administração e segurança. "É preciso de uma

parada em atendimento e serviços

operacionais coordenadas pelo gerente de condomínio e uma administradora composta por sócios do ramo e participativos”, disse.

gestão especializada e habilidades operacionais que se dife-

Condomínios assim com uma enorme quantidade de

renciam dos pequenos condomínios devido ao grande fluxo

itens, solicita uma eficiente administração. Existem normas

de pessoas nas diferentes áreas" informou Breno Falcão,

específicas e situações que devem ser identificadas antecipa-

esposo de Beth Ferraz.

damente, pois as ações erradas tornam-se de difícil ajuste

"Aqui são mais de 20 itens de lazer, para 6 torres que www.cadeosindico.com.br

posterior, além de onerosas e desgastantes.

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

23


COMPORTAMENTO

Dicas de boa convivência

M

orar em conjunto e usufruir de um

ato, por ser o local em que moram. Porém, o próprio Código

espaço em comum nem sempre é muito

Civil estabelece normas para condomínios através da Lei

fácil. Com o condomínio não poderia ser

nº 10.931, de 2004. Na Assembleia com os moradores,

diferente. É constante a identificação de

são definidos os itens desta lei, que unidos protegem os

moradores que não estão cumprindo as normas estabeleci-

condomínios de vanda­l ismos e falta de organização,

das, pois acham que estão no direito de praticar qualquer

como a Convenção (Art. 1.333), a Multa / inadimplência (Art. 1.336), a Multa / anti-social (Art. 1.337) e a Multa / descumprimento das normas (Art. 1.337).

ça com res andar, fa u e Elevado s o a eg ar o. e que ch dar térre • Sempr ara o an p e lt o v p e r ta r e m vador ra não a a que o ele p s a ç ia n ze as cr • F is c a li ador. s no elev e tõ o b s ou­tro sável. Festas a respon m r Salão de fo e d a stas reg ada d alão de fe oa encar s s • Use o s e p a um civide haver ições de em cond • Apesar te n ie b m deixe o a limpeza, lidade. Barulho

Mesmo com todos estes itens definidos, é importante dar dicas constantemente aos condôminos de como devem se comportar para manter a organização do condomínio. De um modo geral, valorize as ações do síndico, respeite e cumpra a convenção e o regimento interno e, não podem esquecer, de cumprimentar as pessoas ao encontrá-las nas áreas de uso comum do condomínio.

• R e sp e it e o se u v iz in h o . E sc u te cas em vo m ú si lu m e b a ix o e le m b re n a s d is c u ss -s e q u e õ e s fa m il ia re s a lg u é m es ta r o u v in pode d o tu d o q u e es tá a co n te ce n d o .

Descumprin

• Converse e

do normas

solicite perm issão ao sínd fazer algo q ico para ue não esteja m encionado n ve n çã o o u a conre g im en to in te rn o o u q u e p o ss a descumpri-l os de forma excepcional .

24

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

Seguran

• Feche

ça

as porta s que dã neráveis o acesso para pes aos loca soas estr is vulo condo a n h a s mínio. não aces sarem • Cuidad o com a cesso de a entrad visitante a à pess s. Só per o a mita s q u e você r aguarda ealmente ndo. esteja Reuniõe

• Vá a to

s

das as re uniões d quais te e condo nha sido mínios p c ara as o n v o cado. Ca ir, não r so não c eclame d o a n s decisõ siga você nã es toma o estava das. Afi presente n al, !

www.cadeosindico.com.br


CS

www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

25


SAÚDE

Qualidade de vida para os moradores Por Carla Farias

A

gora, é possível contar com atividades físicas no condomínio e proporcionar qualidade de

vida aos moradores. Não ter espaços

tura para facilitar a vida

destinados a praticar as atividades, não

dos moradores, que não

é mais motivo de desculpa. Empresas

precisam sair para praticar

especializadas em assessoria esportiva

esporte, ou levar os filhos

planejam atividades de acordo com a estrutura do local e através de pro-

Ricardo Ramos alongando um aluno

escolinha de futebol, etc.

fissionais capacitados oferecem aulas com segurança e

Nós temos profissionais especia­lizados, que proporcionam

comodidade.

segurança, estímulo e resultado para todas as faixas etárias.

Atividades como natação, aulas de dança, artes mar-

As atividades são planejadas de acordo com a estrutura do

ciais, lutas, yoga, tai-chi-chuan, corridas, caminhadas,

local e demanda do condomínio. Além disso, ao contratar

alongamento, relaxamento, escolinha de esportes para

uma empresa especializada, o síndico evita que cada mora-

crianças e atividades para deficientes físicos e idosos são

dor contrate um profissional por conta própria e tenha

algumas das modalidades que o síndico pode implantar no

problemas em termos jurídicos e de segurança. Fica mais

condomínio mesmo que não haja um local específico para

organizado e o condomínio tem a quem cobrar quando

praticá-las.

existe algum problema", disse Ricardo Ramos, coordenador

Outra situação, muito comum na atualidade, são os

26

para aulas de natação,

e proprietário do Coach Club Personal Fitness.

condomínios que já são entregues equipados com diver-

A falta de tempo, é a desculpa principal para a maio-

sas áreas para praticar esporte, porém não contam com

ria da população não praticar atividade física. Assim, o

profissional capacitado e treinado para oferecer o serviço.

morador, que dispõe de profissionais oferecendo o serviço

"Os condomínios atuais já são entregues com toda estru-

em seu condomínio já pode pensar em mudar os hábitos

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


Espaço

Controle de pragas

Treinamento individual e personalizado

e começar a praticar algum esporte. "Eu vinha há meses tentando entrar numa academia, até que houve uma assembleia no meu prédio e foi apresentado o projeto de implantação de uma empresa especializada em atividade física no condomínio, prontamente, todos concordaram e a empresa foi contratada. A hora que chego em casa tem um personal na academia, quando consigo, participo do clube de corrida, e até de aulas de natação. Agora, eu tenho qualidade de vida e não preciso mais procurar desculpas como falta de tempo, trânsito e violência, tenho tudo que preciso sem sair de casa", afirmou Thaína Lorrayne, médica e moradora do Reserva Arboretto. Ao contratar essas em­­ presas é importante verificar a formação dos profissionais contratados para atender o condomínio ou empresa de forma eficiente e sem riscos à saúde dos participantes. www.cadeosindico.com.br

CS

Para se tornar anuciante no segmento de controle de pragas e saúde ambiental da revista Cadê o Síndico basta estar afiliado a ABCPrag

Síndicos e administradores, ao contratarem uma empresa de controle de pragas, verifique se tem: • Alvará da vigilância sanitária atualizado •Se está enquadrada na resolução RDC 52 de 22 de outubro de 2009 • Se é filiada à ABCPrag Rua Artur de Azevedo Machado, 1252, Ed. Yasmin, sala 201 Costa Azul - CEP: 41770-790 - Salvador/BA atendimento@abcprag.com.br - Tel.: (71) 3013-8788 / telefax: 3013-8777 (atendimento de 8 às 12 horas) março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

27


ELEVADORES

Por Vandilson Alves

Controle de acesso para segurança

A

tualmente, um dos maiores desafios enfrenta-

28

Vandilson Alves é engenheiro, consultor e perito em transporte vertical. vandilson_alves@yahoo.com.br

pavimentos devem ser capazes de ser destravadas da parte exterior. Cabe, portanto, aos síndicos, administradores e condôminos observarem todas as normas de segurança relativas a esses equipamentos. Novas soluções: sistemas de biometria

dos nos condomínios das principais capitais

O investimento em tecnologia vem promovendo novas

do país é a segurança. A questão vem tirando

soluções de controle de acessos que empregam sistemas

o sono de muitos síndicos e administradores, em função

de biometria. São fechaduras biométricas, que permitem o

do crescente número de assaltos, invasões e arrastões nos

destravamento de porta e/ou funcionamento do elevador

condomínios. Com isso, o investimento em segurança está

com o uso da digital, leitura da íris, leitura das veias da mão

entre as prioridades com a aquisição de equipamentos de

ou de volumetria da palma da mão. O sistema que mais vem

câmera e interfone, treinamento de funcionários, sensibili-

se disseminando é aquele que emprega a leitura de impressão

zação dos condôminos, etc.

digital associado a um cartão de acesso.

Nesse sentido, os elevadores são um importante facilita-

Em Salvador, diversos condomínios, já contam com esse

dor do aumento da segurança, quando são fixadas câmeras,

moderno e seguro controle de acesso de moradores, presta-

por exemplo. Esse recurso pode, de fato, minimizar a incidên-

dores de serviço, funcionários e visitantes nas portarias. A

cia de invasões ou mesmo propiciar a identificação dos

novidade é a aplicação deste sistema no gerenciamento e

invasores.

controle de acesso dos usuários aos andares dos edifícios,

Por outro lado, vários condomínios, especialmente

por meio do elevador. É possível implantar o sistema, tanto

aqueles que possuem um apartamento por andar, criam uma

nas cabinas quanto nos pavimentos, ou em apenas um dos

ilusão de segurança ao utilizarem fechadura nas portas dos

elevadores.

elevadores e das escadas. Ao obstruir a passagem as pes-

Atualmente, vários tipos de investimentos privados

soas aumentam o risco em caso de incêndio. Esse recurso

podem ser feitos. Cabe, então, ao condomínio, consultar a

contraria as instruções do Corpo de Bombeiros e a Norma

empresa de manutenção dos elevadores e verificar o sistema

Técnica NBR 207/99, da Associação Brasileira de Normas

que atenda às condições técnicas e econômicas, segundo as

Técnicas – ABNT. Essa última preconiza que as portas dos

suas necessidades.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


PISCINA

A importância da automação do tratamento da piscina Por Antônio Coradinho coradinho@coragua.com.br

N

o Brasil, o tratamento da água, em mais de 90 % das piscinas é feito através da dosagem manual de cloro. Este procedimento se não

for bem controlado, pode expor o usuário a contaminações variadas. Os limites exigidos pelo ministério da saúde, para a manutenção saudável do teor de cloro na água é de 1 a 3 ppm. Acima deste valor, o teor de cloro na água, já é prejudicial à saúde. Abaixo deste valor, com a diminuição Aparelho transforma sal em cloro

ou ausência de cloro, favorece a proliferação de bactérias e vírus. Para evitar esta exposição, o usuário só deve entrar na piscina quando os valores estiverem dentro da faixa de segurança. O problema é que muitos usuários, principal-

mas largamente utilizado no mundo e especialmente na

mente os praticantes da hidroginástica, gostam de nadar

Austrália onde 90% das piscinas utilizam este sistema.

cedo pela manhã, onde normalmente o teor de cloro está muito alto. A forma mais segura para evitar estas situações é a automação do tratamento, realizada através de dosa-

O funcionamento é simples, instala-se na tubulação da piscina um aparelho de eletrólise que transforma o sal em cloro, em proporções suficientes para tratar a piscina, mas quase imperceptível ao usuário.

dores de pastilhas, salinização, ionização, ou ozonização.

A quantidade de sal colocado na piscina é insuficiente

Qualquer destes sistemas mantém uma constante no trata-

para tornar a água salgada, mas suficiente para manter um

mento, evitando oscilações, o que preserva a saúde dos

residual de cloro, que garante a ausência de bactérias. O

usuários.

sal é reposto em pequenas quantidades a cada 2/3 meses.

Entre os sistemas mencionados acima, eu recomendo

Estes equipamentos exigem um investimento ini-

a salinização como o melhor sistema custo/benefício, ape-

cial, mas que se pagam pela substituição de cloro de uso

sar de ser um sistema ainda pouco difundido no Brasil,

manual.

www.cadeosindico.com.br

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

29


TECNOLOGIA

Inovação: o maior aliado da segurança

câmeras e sensores, por isso, é necessário que um especialista avalie os ambientes para instalar o equipamento adequado, elas gravam em preto e branco durante a noite ou em ou­tras situações com pouca luz (day/night), se movimentam e trazem o recurso de zoom (pan-tilt), que funcionam sem fio, por infravermelho, que gravam em HD e até modelos que rotacionam em 360º. Já, os sensores eles podem ser passivos infravermelhos, que detectam movimentos num alcance de 15 metros; ativos infravermelhos, detectam movimentos numa distância de até 60 m em área aberta ou fechada; quebra de vidros; magnéticos,

Por Carla Farias

C

que detectam quando portas e janelas são abertos; de impacto; anunciador de presença sem fio, muito utilizado

omo todos os equipamentos eletrônicos,

para controle de entrada ou saída de pessoas; interruptor

os de segurança, também acompanham o

automático de presença, ativa a iluminação ao detectar

avanço da tecnologia, que oferece cada vez

um movimento em um raio de mais ou menos dez metros.

mais produtos especializados, eficientes e

Após uma duração regulável de dez segundos a dez minu-

confiáveis. A inovação proporcionou aperfeiçoar a quali-

tos, apaga automaticamente a iluminação. Ainda é possível

dade dos produtos e a interação dos equipamentos com

regular o funcionamento conforme o nível de iluminação

aparelhos eletrônicos (celular, tablets, lap tops e com-

ambiente (dia, noite, penumbra, etc.).

putadores). Biometria Evolução das câmeras e sensores

A biometria, sistema que

As inovadoras câmeras de segu-

faz leitura das impressões

rança IP utilizam redes de internet

digitais, íris, voz e palma

para enviar as imagens, e podem

da mão, está sendo uti-

ser acessadas à longa distância,

lizado em condomínios

pelo celular, por exemplo. Além

de luxo para controlar o

disso, alguns projetos de segu-

acesso aos apartamentos

rança sincronizam sensores e

e elevadores. Com acesso

câmeras, para gravar imagens

biométrico, também é pos-

somente quando o sensor detectar a

sível cadastrar o chamado dedo do pânico, que ao ser lido

aproximação de pessoas ou contabilizar quantas pessoas

pelo sensor, dispara um alerta para uma central de segu-

passaram em frente à câmera. “Tem sido muito comum

rança tomar as devidas providências.

utilizarmos sensores de presença que, quando acionados, disparam uma mensagem de texto para os celulares do responsável alertando para a presença de um invasor. Ao

O "transponder" para automóveis, é um equipamento

receber a mensagem, observamos as câmeras IP e ligamos

que emite sinais que permitem ao porteiro identificar os

para o cliente, através de um atendimento personalizado e

carros que estão prestes a entrar na garagem. Na porta

protegido por senha, caso necessário, entramos em opera-

do condomínio, uma antena receptora do sinal identifica

ção”, disse Marcos Santana, do Grupo Escolta VIP.

o carro do condômino. O equipamento evita clonagem de

Além das filmagens, é possível utilizar o tablet, que tem tela touch screen, para liberar gravações de

carro, artifício que tem sido usado por assaltantes em condomínios. Existe também

latidos de cachorros, acender luzes, abrir cor-

controles de acesso com dois botões, o

tinas, etc, basta clicar na imagem do local

que abre o portão e o botão do pânico,

correspondente para acionar o botão de comando programado. E x i s t e m d i ve r s o s m o d e l o s d e

30

Transponder

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

caso o morador esteja em perigo ele aperta o do pânico, que envia mensagem e chamada para a empresa de segurança ou porteiro.

CS

www.cadeosindico.com.br


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ACADEMIA - ORIENTAÇÃO COND.

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ACS Administração de condomínios e Contabilidade.......(71) 3384-6395/3384-6495

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

31


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ANUNCIE INFORMAÇÕES

3242-1084 Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 32

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ÁGUA - ECONOMIA

ALARMES NVS.................................(71) 3353-0430 / 8826-8575 Veja anúncio no título de Segurança

ANTENAS AMPLAVISÃO...........................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título de Segurança eletrônica ANTENAS

ADM. E ASS. - ILHÉUS E ITABUNA ÁGUA - PURIFICADORES

ASSESSORIA JURÍDICA

ÁGUA - ECONOMIA

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

33

CLASSIFICADOS

eletrônica


ASSESSORIA JURÍDICA

BOMBAS E MOTORES

COLETA SELETIVA DE LIXO CAEC................................................................(71) 3293-2737 RENOVE...................(71) 3267-0260 / 9979 - 2504

CLASSIFICADOS

COMUNICAÇÃO VISUAL

ARQUITETURA E DECORAÇÃO

BOMBAS E MOTORES

AMÉLIA ZÁU................................Tel.: (71) 3235-0706 escritorio@ameliazau.com.br TICIANA FAHEL.......................Tel.: (71) 3358-8336 arquitetura@ticianafa­hel.com.br

BOMBAS E MOTORES

CHURRASQUEIRA

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

ANUNCIE INFORMAÇÕES

3242-1084

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 34

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS FR ARQUITETURA.....................................................................

CLASSIFICADOS

(71) 3336-3745/9961-2643/9606-6296.

CONTABILIDADE - AUDITORIA E TREIN. GRUPO LORDÊLO...............................(71) 3351-6952 Veja anúncio na pág. 12 CONTROLE DE PRAGAS ABC PRAG.....................................................(71)3342-1143 Veja anúncios na página 29

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

35


CONTROLE DE PRAGAS

CURSOS E TREINAMENTOS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

FACULDADE 2 DE JULHO Pós Gestão Condomínios e Curso Síndico Profissional..............................................(71) 3114-3400 Veja anúncios na página 11

CLASSIFICADOS

UNIPESSOA................(71) 3341-5190/3016-4075 Veja anúncios na página 15 DECORAÇÕES BARBOSA DECORAÇÕES................................................... (71) 3489-2909 / 3347-6022 DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

DISTRIBUIÇÃO DE IMPRESSOS

CURSOS E TREINAMENTOS

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 36

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


ELEVADORES

ELEVADORES

ELEVADORES - FORRO

ENGELTECH............(71) 3278-4005/0800 284

CLASSIFICADOS

4005...................................Veja anúncio na página 4

EQUIPAMENTOS PARA COND.

ELEVADORES

ESQUADRIAS ALUMAR Esquadrias de Alumínio..........................

ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico

................................................................(71) 3356-2152/0116

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

37


EXTINTORES DE INCÊNDIO

EQUIPAMENTOS PARA COND.

FARDAMENTO

FECHAMENTO DE VARANDA

CLASSIFICADOS

ENTULHO

GÁS - INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO

GÁS - MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA BRASILGÁS...................................UAC 0800 70 10 124

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Veja anúncio na contra-capa

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 38

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


IMÓVEIS - COMPRA E VENDA

INSPEÇÃO PREDIAL

JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

UNIMÓVEIS...............(71) 3358-4775/3452-4308 REMAX ALPHA EXCLUSIVE.......(71) 3082-2000

CLASSIFICADOS

INFORMÁTICA - MANUTENÇÃO

LAVAGEM DE ESTOFADO (A SECO) JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

INFORMÁTICA - REC. DE CARTUCHOS

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

INTERNET CONDOMÍNIO ELETRO E.................................................................3488-7755

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

39


MARCAS E PATENTES

PARARRAIOS

PRODUTOS DE LIMPEZA

SITELCO.........................(71) 3312-8698/3252-5000 MOVICLEAN EQUIP. .......................(71) 3313-3464 Veja anúncio página 10

Veja anúncio no título Equipamentos para condomínios

CLASSIFICADOS

PARQUE INFANTIL

PROJETOS - CONST. E REFORMA FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745 / 9961-2643 / 9606-6296. PURIFICADORES DE ÁGUA

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

PISCINA CORÁGUA.................(71) 3334-7977 / 3334-3436 Veja página 29 PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA LIMPMASTER.........................................(71) 3018-1572 Veja anúncio no título de Limpeza e Conservação. PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA PROTEC.........................................................(71) 8154-0358 PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA

RADIOCOMUNICAÇÃO

MÓVEIS PLANEJADOS

ANUNCIE

3242-1084

ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 40

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


REGISTRO DE MARCAS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

RADIOCOMUNICAÇÃO

SEGURANÇA ELETRÔNICA

PROVÍNCIA.................(71) 3016-5574/3481-0325 Veja anúncio no título Marcas e Patentes SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR MULTICÂMERAS...........Veja anúncio na pág 24

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

41


SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SALVESEG...........................................(71) 3017-1217

TELECOMUNICAÇÃO AMPLAVISÃO...................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título Segurânça eletrônica TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

TRATAMENTO DE PISOS WW BAHIA................(71) 3355-0409/9926-4330 Veja anúncio no título Piso Tratamento e Limpeza

ANUNCIE

3242-1084 Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 42

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

43


Ed43  

Seu condomínio está seguro?

Ed43  

Seu condomínio está seguro?

Advertisement