Page 1


2


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

3


EDITORIAL

S

ete é um número da sorte para alguns, cabalístico para outros,

SUMÁRIO

azarado para outros tantos. Mas,

para nós ele é símbolo de muita comemora­ ção, já que estamos completando sete anos de vida este ano. E sete anos não são sete

VALORES DE REFERÊNCIA

dias, não é mesmo?

Índices com novos valores não homologados................................

Além do parabéns já de praxe, resolvemos comemorar a data fazendo algumas mudanças importantes. Começa­ mos pela reformulação da nossa marca,

PERFIL

6 7

Alfredo Costa, síndico do Metropolitan Center...............................

que agora está representada por letras marcantes e de fácil leitura e alteramos o visual do site, que passou por uma reestru­ turação para facilitar o acesso às notícias, o

SUSTENTABILIDADE Bitucas de cigarro: o vilão do meio ambiente...........................

14

contato com nossa equipe e a visualização dos nossos parceiros. Agora também estamos presentes nas redes sociais e criamos perfis no Facebook e Twitter, que terão atualização diária com

GESTÃO DE PESSOAS

15

A moderna gestão de pessoas..........................................................

informações relevantes para os síndicos e

MANUTENÇÃO

também para a sociedade.

A importância das reformas em prédios antigos....................

Não deixe de ler a nossa matéria princi­ pal, que fala sobre um seguro do Bradesco que cobre o pagamento do seu condomínio em caso de desemprego ou morte. Tam­ bém procuramos matérias que mostrem a

CARTÃO Entrega de prêmios da promoção.................................................

modernização e evolução, retratando bem

PISCINA

o momento atual da revista. Quer saber

Saiba como manter a água cristalina...........................................

mais? Então corra pra ler esta edição e tenha uma boa leitura!

TECNOLOGIA A importância das plantas digitais................................................

Carla Farias Editora

4

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CLASSIFICADOS.................................

24 26 27 30

31

www.cadeosindico.com.br


MAR/ABR 2013 • EDIÇÃO 42 COLUNISTAS

DÚVIDAS JURÍDICAS

8

Drª Kátia Gerlin Comarella responde

AUDITORIA CONTÁBIL

12

Gestão com auxílio da auditoria preventiva

SR. SÍNDICO

Expulsão do condômino antissocial

16

DIA A DIA DO SÍNDICO

22

O seguro é obrigatório para condomínios

ELEVADORES

A modernização dos elevadores

www.cadeosindico.com.br

28

CAPA

18

Seguro contra desemprego: uma solução para a inadimplência

EXPEDIENTE Gerência Executiva Antônio Castro

Editora Responsável Carla Farias (DRT 3843-BA)

Gerência Comercial Lucas Castro

Jornalista Matheus Morais

Comercial Gardênia Burgos Vera Lucia Barbosa

Projeto Gráfico e Diagramação Adrien Tournillon

Gerência de Marketing Rafael Castro

Colaboradores Antônio Coradinho Cristiane Araujo

Cadê o Síndico é uma revista de publicação bimestral da Editora União Salvador Ltda. Periodicidade - Bimestral Tiragem - 8.000 exemplares (24.000 leitores em média) Rua Portugal, 17, Edf. Regente Feijó - sala 511- CEP: 40015-000 Comércio - Salvador/BA - Tel.: (71) 3491-0710/3242-1084 revista@cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

5


VALORES DE REFERÊNCIA

01 – CONTRIBUIÇÃO DO INSS

04 – REGISTRO DE CONDOMÍNIO

Tabela a ser aplicada, para recolhimento a partir de 01.01.2011. SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$)

ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS

Até R$ 1.247,70

8%

De R$ 1.247,71 até R$ 2.079,50

9%

De R$ 2.079,51 até R$ 4.159,00

11%

Pagamento até o dia 20 do mês subseqüente ao de competência. Não havendo expediente bancário antecipa para o 1º dia útil anterior.

02 – GRPS (INSS) 20% sobre a folha, como parcela do condomínio. 2% sobre a folha, como contribuição de acidente de trabalho.

Passos necessários na regularização do condomínio 1. Registro do condomínio no cartório de imóveis, juntamente com a convenção. 2. Elaboração da convenção, com assinatura de proprietários de no mínimo 2/3 das frações ideais do condomínio. 3. Inscrição das escrituras definitivas das unidades no Cartório de Registro de Imóveis. 4. Expedição do habite-se (pela construtora/ incorporadora). 5. Solicitar o desmembramento do IPTU por unidade. 6. Convocação da primeira assembleia para eleição de síndico e conselho consultivo. 7. Inscrição do condomínio no CNPJ, que torna automática a inscrição no INSS (esta é necessária para o condomínio ser empregador). OBS: CNPJ: É o cadastro de pessoa jurídica. O condomínio precisa desse registro porque, apesar de não pagar imposto de renda (associação sem fins lucrativos), vai reter imposto de renda dos funcionários na fonte.

4,5% sobre a folha, como contribuição de terceiros (SESC, SENAI, etc...) Salário Família: Até R$ 646,55 = R$ 33,16.

05 – PISO SALARIAL

(VÁLIDO ATÉ 31.12.2013)

De R$ 646,55 a R$ 971,78 = R$ 23,36.

Data base: janeiro de cada ano

03 - OBRIGAÇÕES Admissão/Demissão (CAGED) – Comunicar ao Ministério do Trabalho, até o dia 05 do mês subsequente. Recolhimento do INSS, até o dia 20 do mês subsequente. Recolhimento do FGTS, 8% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 7 do mês seguinte. Recolhimento do Pis, 1% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 24 do mês subsequente. Recolhimento do ISS, (Sobre serviços prestados) pagamento no dia 5 do mês subsequente.

6

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

Valores não homologados

Administrador........................................... R$ 1.052,00 Supervisor................................................. R$ 1.052,00 Zelador....................................................... R$ Porteiro ou agente de portaria, arrumadeira e recepcionista.................. R$ Folguista, manobrista, jardineiro e piscineiro................................................. R$ Aux. administrativo, aux. de serviços gerais, serventes e boy............................. R$

855,00 855,00 765,00 740,00

Ascensorista, vigia, garagista, controlador de veículos........................... R$ 765,00 ADICIONAL NOTURNO: 25% HORAS EXTRAS: 100% VALE ALIMENTAÇÃO: COND. RESIDENCIAL.....R$ 195,00 COND. COMERCIAL...... R$ 205,00 Valores não homologados

www.cadeosindico.com.br


PERFIL

Gestão profissional, a base para o sucesso

O

síndico em destaque nesta edição é um sujeito

“chatice” ou que não é preciso se preparar para tal. Ledo engano! Alfredo Costa explica que a qua­ lificação para assumir o cargo e a cobrança por bons resultados por parte dos condôminos só

aumentaram com o passar do tempo.

boa praça, como se diz por aí, mas que não

“Ser síndico é como administrar uma empresa. Os

deixa de zelar pelo bem estar dos proprie­

condomínios estão cada vez mais complexos e con­

tários e inquilinos do Condomínio Metropolitan Center,

sequentemente mais difíceis, afinal, a demanda exige

no Caminho das Árvores.

conhecimento em legislação específica, questões admi­

Síndico há aproximadamente dois anos e já em seu ter­

nistrativas, gerenciamento de funcionários, segurança,

ceiro mandato, Alfredo Costa, conta que só aceitou a missão

manutenção, tecnologia, assembleias,

de comandar o Metropolitan Center, após o pedido de alguns

prestação de contas, orçamentos, confli­

amigos condôminos. “Em uma assembleia constatamos que

tos, etc”, relata.

nosso condomínio precisava passar por um processo de

E aí, seu Alfredo, com a

modernização. Percebi que eu poderia contribuir, tentando

experiência de quem tem três

minimizar a inadimplência existente, valorizando desta

mandatos como síndico, alguma

forma o nosso patrimônio. O primeiro passo foi contratar

dica pra quem quer enveredar

a Expel Elevadores para auxiliar neste processo e realizar

nesta área? “O se­­gredo é se cer­

a manutenção constante dos nossos equipamentos”, disse.

car dos melhores fornecedores

Cá entre nós, vida de síndico não é moleza, não!

disponíveis, principalmente

Segundo o artigo 1.348 do Código Civil: “O síndico é o

os referentes à manutenção

responsável por toda a documentação do condomínio, e

de elevadores, equipamentos

por representá-lo em juízo, quando solicitado”. Cuidar das

de segurança e extintores,

contas, administrar o espaço físico do prédio, comandar as

advogados e outras demandas

assembleias e os funcionários são algumas das funções de

necessárias ao bom funciona­

Alfredo, mas ele aponta as cobranças das taxas condomi­

mento do condomínio. Cada

niais como seu maior desafio.

detalhe é muito importante, tudo deve ser avaliado de

“É preciso estabelecer metas e um cronograma para

Alfredo Costa: vida de síndico não é moleza, não!

forma responsável e profissional”, aconselha.

realizá-las, ser realista e não criar falsas expectativas,

Como estímulo, canja de galinha e precaução não

fazer cumprir as decisões proferidas pelas assembleias e

fazem mal a ninguém, nosso gestor encerra o bate-papo

convenção do condomínio, e principalmente, saber gerir

contando mais alguns segredos para alcançar o sucesso.

conflitos”, afirma Costa.

“Com boas intenções, planejamento, objetivos claros e sin­ tonia com os condôminos, o trabalho certamente renderá

Profissionalismo Há quem pense que exercer a função de síndico é uma

www.cadeosindico.com.br

ótimos frutos, tornando a experiência muito mais gratifi­ cante”, disse.

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

7


DÚVIDAS JURÍDICAS

Por Kátia Gerlin Comarella

Dra. Kátia Gerlin Comarella responde

Drª Katia Gerlin Comarella, titular do escritório KGC Advogados Associados, é especialista em direito condominial, há 16 anos atua na cidade do Salvador, tendo estendido a sua especialidade também no estado do Espírito Santo, na cidade de Vitória e Vila Velha, onde também atua, com ampliação ao seu escritório a Gerlin & Horta Ltda, dando seguimento aos seus trabalhos. drkatiagerlin@hotmail.com, Tel.: (71) 3345-2727.

ção social, piscinas, quadras e jardins, entre outros itens. Basta definir as prioridades e necessidades e constar no regimento daí elabora-se uma minuta e envia para um pro­ fissional da área para ajustar as cláusulas de acordo com as previsões legais. O quorum mínimo para a elaboração do Regulamento interno é de dois terços (2/3).

1. O condômino pode pedir a impugnação de uma ata de assembleia? Sim, pode. Desde que haja fundamentos legais, a exem­

3. As assembleias podem ser realizadas sem a convocação antecipada de todos os condôminos?

plo: não obedeceu ao quorum estabelecido para decidir

Não, é necessário que todos os condôminos sejam

algo da pauta, não respeitou o interstício para a convo­

convocados para assembleia, para não haver impugnação

cação da assembleia, deliberou assunto que não constava

futura. Entretanto o condômino que não foi convocado para

na pauta, desobedeceu/violou a convenção do condomínio,

tal reunião, não terá obrigação de cumprir as deliberações

etc. Os condôminos poderão impugnar a ata da assembleia,

tomadas naquela assembleia e ainda poderá impugnar,

através de ação judicial desde que algum ato praticado por

anulando todos os atos que venham a ser realizados, ante

ocasião da convocação até a lavratura da ata tenha sido

as deliberações irregulares.

revestido de vícios que resultem a anulação ou a decreta­ ção de nulidade.

4. Os condôminos ausentes em uma assembleia tem o direito de serem informados sobre o que foi decidido

2. Como devem proceder aos condôminos para ela­ borar um regulamento interno e qual o quorum mínimo para sua aprovação?

8

pelos presentes? Sim, os condôminos que não compareceram a reunião condominial tem o direito de receber cópia da ata redigida

Para elaborar um regulamento interno, os condômi­

da assembleia, com todas as deliberações tomadas, sobre­

nos devem analisar o condomínio quanto ao perfil dos

tudo, quando for assembleia ordinária, pois nesta estará a

condôminos que lá convivem, o que o condomínio dispõe

previsão orçamentária, principalmente a nova taxa condo­

no tocante a áreas de lazer, garagens, espaços de utiliza­

minial tem que ser imediatamente informada.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Espaço do Síndico profissional

O que o mercado busca encontra aqui Anuncie!

www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

9


CURTAS

Susep veda cobrança do custo de apólice nos contratos de seguro

N

o dia 1 de janeiro entrou

mente os consumidores, pois deve gerar

ção, não se justifica mais no ambiente

em vigor a Resolução

diminuição dos preços cobrados pelas

atual. As reformas econômicas rea­

CNSP n° 264 de 05 de

seguradoras, numa média de redução

lizadas pelo governo brasileiro nos

de 60 a 100 reais por apólice emitida.

últimos anos, que mantiveram a estabi­

outubro de 2012 publicada pela Superintendência de Seguros Privados

Segundo estudos da Susep as

lidade econômica, além do uso massivo

(Susep) que proíbe a cobrança do custo

razões que deram origem à cobrança

da tecnologia em procedimentos de

de emissão de apólice, fatura e endosso

do custo de apólice, como o alto custo

comercialização de seguro, reduziram

separadamente do prêmio de contratos

da impressão do documento em papel

significativamente os custos das opera­

de seguros. A regra beneficiará direta­

moeda, somado às perdas com a infla­

ções de contratação.

PARTICIPE

Segurança em Condomínio

A

tualmente em Salvador a violência não para de crescer e para proteger o condomínio, que não é uma tarefa fácil, os síndicos devem intensifi­

car a segurança. Algumas ações devem ser planejadas para estruturar a melhor forma de proteção: o síndico deve organizar a estra­ tégia, os condôminos precisam seguir orientações e sugerir medidas preventivas relevantes, os funcionários devem ser bem orientados, e por fim, o condomínio precisa adquirir bons equipamentos de segurança. Em nossa próxima edição iremos mostrar uma matéria completa sobre como proteger o condomínio. Mas, queremos a sua colaboração. Se o seu condomínio foi vítima de assal­ tos, nos conte detalhadamente como aconteceu, dia, local, como invadiram e quais foram as medidas adotadas para que não aconteça de novo; também, queremos histórias de condomínios que já se preveniram, o que foi feito pela segu­

Prevenção contra a dengue

D

ados divulgados em fevereiro pelo Ministério da Saúde mostraram que o número de casos de dengue no iní­

cio deste ano quase triplicou em relação ao mesmo período de 2012. Foram registrados, até o dia 16 de fevereiro, 204.650 mil casos, contra 70.489 noti­ ficados em 2012, o que representa um aumento de 190%. Por região, a maior concentração das larvas do mosquito em reservatórios de água ocorreu no Nordeste, com 76,2%. Quanto às capitais, Salvador aparece entre as que estão em situação de risco. Segundo dados da FUNASA (Fundação Nacio­ nal de Saúde), 90% dos focos da dengue estão nas residências (incluindo prédios). Os condomínios são locais muito propícios para a proliferação da dengue, onde o mosquito transmissor pode se reproduzir.

rança do condomínio; ou então, se as medidas de segurança

Assim, para se proteger e, até mesmo, contribuir

tomadas em seu condomínio evitou um assalto. Queremos

para que a doença não expanda, é importante reali­

contar a sua história, mande um e-mail para nossa redação

zar ações para evitar a concentração de água parada.

através do endereço: revista@cadeosindico.com.br.

10

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

11


AUDITORIA CONTÁBIL

Por Michele Lordêlo

Contadora, empresária contábil, auditora contábil da Prefeitura de Lauro de Freitas-Bahia, coordenadora do Curso de Ciências Contábeis da Unime L.F/Ba e do curso de Pós-Graduação-MBA em Planejamento Tributário - Unime LF/Ba, especialista em contabilidade para empresas e condomínios, doutoranda em educação e membro da comissão mulher contabilista do Conselho Regional de Con­tabilidade do Estado da Bahia. m_lordelo@yahoo.com.br, Tel.: (71) 3022-7022.

Auditoria preventiva auxilia na boa gestão dos condomínios

N

ão existe um padrão de apresentação das con­

semanal remunerado e etc, que quando adequados com a

tas que indique a necessidade de auditoria em

entrega de declarações exigidas pela área previdenciária

um condomínio, porém já estamos conver­

e trabalhista demandam menos serviços da assessoria

sando há algumas edições sobre a importância de pensar

jurídica, por exemplo, ou servem de suporte para ações

nesse tipo de serviço como um apoio à gestão do síndico,

trabalhistas.

administrador e conselho fiscal. Logo, não podemos deixar

Ao contratar uma auditoria preventiva e não revisional

de trocar informações a respeito do apoio que a auditoria

(feita de ano em ano) estamos falando em contratar uma

preventiva destina às empresas prestadoras de serviços de

empresa que trabalhará preventivamente no controle dos

administração de condomínios, empresas de contabilidade

recebimentos do condomínio, controle dos gastos, revisão

e empresa de assessoria jurídica, sejam elas prestadoras

da classificação das contas e pagamentos de impostos e

de serviços em separado ou no popular, através do “pacote

contribuições devidas pelo condomínio e verificação da

de serviços”.

entrega de todas as declarações pertinentes à atividade

A auditoria preventiva, muito utilizada na região

12

condominial.

sudeste vem ganhando espaço em Salvador, pelo grande

Além da orientação dada à prestação de contas aos

número de empreendimentos “condomínio-clube” na

condôminos, o parecer de auditoria preventiva trabalha

cidade, que empregam ou terceirizam serviços de mão de

com itens que apontam melhorias a serem realizadas no

obra, gerando folhas de pagamentos que necessitam de

balancete do mês seguinte ao auditado que geralmente é

revisões sobre horas extras, adicionais noturnos, descanso

apresentado em assembleia aos condôminos.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

A importância de uma assistência jurídica condominial especializada

C

om o advento da sociedade moderna, os condomínios adquiriram grande importância na convivência interpessoal e nas relações sociais travadas

entre seus habitantes. Atualmente, existem uma série de perfis diferenciados de condomínios instalados no nosso país, alguns com apenas uma ou duas dezenas de moradores e outros com mais de 4000 (quatro mil) habitantes, constituindo-se em verdadeiras “cidades organizadas”. Nesse contexto, o síndico, principal responsável

Silas Lopes, André Isensee e Danilo Ribeiro

pela administração, não pode ser mais aquele morador abnegado que, não obstante sua boa vontade em

de todos os moradores seus conhecimentos jurídicos

ajudar na direção do condomínio, não possui a capaci-

nas mais diversas áreas, notadamente na seara tra­

dade necessária para gerenciar uma complexa rede de

balhista, tributária e cível.

relações jurídicas e interpessoais. Hoje em dia, existem cerca de 300 obrigações legais cominadas ao síndico

Assim é que, com fito na manutenção da paz

que, além de ser um representante legal, possui ampla

social e da boa convivência entre os condôminos,

responsabilidade nas áreas cível, tributária e criminal.

a descentralização da gestão jurídica condominial re­presenta importante ferramenta de auxílio ao síndico

Nesse sentido, a assistência jurídica condo-

no processo de gestão organizacional do condomínio.

minial especializada desempenha importante papel

Ademais, o advogado, profissional responsável por

na organização e funcionamento de um empreendi-

desempenhar esta função, busca, não somente a

mento condominial. Atuando de forma preventiva e

solução de eventuais demandas judiciais, mas também

também contenciosa, o advogado auxilia o síndico no

conhecer profundamente o condomínio, com vistas a

de­sempenho das tarefas mais complexas inerentes ao

otimizar os processos inerentes a sua administração,

processo de administração, colocando a disposição

compatibilizando-os com a norma legal vigente.

www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

13


SUSTENTABILIDADE

Bitucas de cigarro: O vilão do meio ambiente tratamento no meio ambiente.

Por Carla Farias

A instalação de ecoletores é o ponto inicial para reduzir esses danos, já que separa as bitucas de materi­

O

cigarro, além de ser extremamente pre­

ais inflamáveis, e proporciona aos condomínios o descarte

judicial à saúde, é considerado um dos

separado do lixo comum. A empresa Ecobituqueiras –

maiores poluentes do meio ambiente.

empresa nacional - desenvolveu 10 modelos de coletores

A bituca de cigarro é um lixo tóxico que

para bitucas que não polui o meio ambiente e proporciona

contamina o solo, leva uma média de cinco anos para se decompor e causa 25% dos incêndios que ocorrem no meio

Os ecoletores são ecologicamente corretos, e têm

urbano. Analisando este cenário é importante pensar em

durabilidade. São 100% de aço inox, é isento de toxinas,

medidas para preservar o condomínio, adequando os locais

são resistentes a corrosão, e podem ser usados em áreas

para fumantes, e o destino das bitucas.

externas. Podem ser fixos, móveis e de parede, e têm capa­

De acordo com a Aliança de

cidade de armazenar de 1.500 a 5.000 bitucas de cigarros,

Controle do Tabagismo do Brasil

cinzas e fósforos. Seu sistema elimina o cheiro da fumaça

(ACTBR) cerca de 5 mil tonela­

e extingue as chamas. A higienização é muito simples e

das de bitucas de cigarro são

são peças que propiciam um ambiente organizado com

descartadas por dia no mundo

sofisticação e requinte devido ao seu design moderno.

e em locais indevidos. Com a

Além disso, possibilitam a coleta seletiva para reciclagem,

Lei Municipal 7.651/2009, que

pois são projetados para não permitir que a água atinja

proíbe o consumo de cigarros ou

seu interior, conservando as bitucas secas. Todos possuem

afins, em ambientes fechados, se

recipientes removíveis que facilitam a coleta para desti­

tornou mais frequente o incon­

nação de reciclagem. Campanhas de conscientização de

sequente ato de descartar nas

limpeza e organização podem ser usadas.

ruas das cidades as bitucas. Um

Muitos condomínios mesmo não sendo obrigados a

estudo feito pela Faculdade de

fazer a coleta seletiva, separam o lixo orgânico do reci­

Saúde Pública da Universidade

clável. Reciclar, também, é uma forma de preservar o

de São Paulo (FSP-USP) revelou

ambiente em que se vive. Empresas especializadas trans­

que duas bitucas de cigarros são

formam as bitucas em adubos, papéis e arte.

equivalentes ao descarte de um litro de esgoto doméstico sem

14

a destinação final adequada ao material.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

Para conhecer sobre os modelos, visite www.ecole­ tores.com.br ou www.ecobituqueiras.com.br.

CS

www.cadeosindico.com.br


GESTÃO DE PESSOAS necessárias ao negócio para o alcance dos objetivos, metas e cumprimento da missão. 2. Alocar: definição de cargos com descrições objeti­ vas e operacionais das funções e atribuições, permitindo melhor direcionamento. 3. Agregar: divulgar oportunidades de emprego para atrair candidatos, com base nas descrições dos cargos

A moderna gestão de pessoas

e identificar (selecionar) os indivíduos com ótimas pos­

Por Cristiane Araujo

atitudes frente a aspectos da organização, da tarefa e do

Professora do MBA em Gestão de Pessoas da Unipessoa

sibilidades de se tornarem colaboradores satisfatórios. Identificar competências técnicas e comportamentais mais adequadas ao estilo da empresa. 4. Desenvolver: o treinamento deve envolver a trans­ missão de conhecimentos específicos relativos ao trabalho, ambiente e desenvolvimento de habilidades para atender a demandas.

É

5. Recompensar: um RH estratégico remunera

de fundamental importância no mundo cor­

adequadamente, promove benefícios e serviços sociais,

porativo contemporâneo a implantação de

adotando uma atitude de responsabilidade social interna.

boas práticas de Gestão de Pessoas. Segundo

6. Manter: definir conjunto de hábitos, crenças,

Chiavenato, o novo papel dos recursos humanos nas orga­

valores e tradições que definem a cultura organizacional e

nizações, é a Gestão de Pessoas, que é caracterizada pela

que representam a maneira de pensar e fazer as coisas por

participação, capacitação, envolvimento e desenvolvi­

todos os membros da organização. Monitorar os indica­

mento do bem mais precioso de uma organização: Seu

dores do grau de satisfação dos membros da empresa,

Capital Humano. Portanto, as pessoas que a compõe.

em relação a diferentes aspectos da cultura ou realidade

Necessário considerar três aspectos fundamentais da moderna gestão de pessoas: As pessoas como seres

aparente da organização, para promover um clima orga­ nizacional satisfatório e motivacional.

humanos, dotados de personalidade própria e diferen­

7. Monitorar: gerenciar os resultados através das

tes entre si; as pessoas como ativadoras inteligentes de

práticas de gestão por desempenho (indicadores) e gestão

recursos organizacionais, fontes de impulsos capazes de

por competências.

dina­mizarem as organizações e as pessoas como parceiras

Um atual modelo de Gestão de Pessoas transcende,

das organizações, capazes de conduzi-las à excelência e ao

portanto, a operação dos tradicionais subsistemas de RH,

sucesso.

abrangendo os princípios, os conceitos, as práticas e as

Logo, trataremos neste artigo, de mapear objetiva­

prioridades em uma organização que fundamentam a

mente os sete processos básicos da moderna gestão de

definição e a utilização de ferramentas de gestão para dire­

pessoas.

cionar o comportamento humano no trabalho, incluindo,

1. Planejar: identificação e definição das competências

www.cadeosindico.com.br

estratégias de ação para líderes e liderados.

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

15


SR. SÍNDICO

Por Ionara Ribeiro

Expulsão do condômino antissocial

O

ordenamento jurídico brasileiro não prevê a san­ ção de exclusão do condômino de sua unidade

Dra. Ionara Ribeiro é advogada titular do escritório Ionara Ribeiro Advogados, especializada em Condomínios Edilícios e Incorporações Imobiliárias. ionararibeiro@ionararibeiro.adv.br, Tel.: 71 3797-6277 / 3011-5801.

impostas pelo direito de vi­zinhança. Quando o condômino infringe as regras previstas na con­ venção ele pode ser multado. Mas o que fazer quando este condômino que, por seu reiterado comportamento antissocial, torna insuportável a moradia dos demais possuidores? A doutrina já recomenda a possibilidade de expulsão dos condôminos, apesar da legisla­

residencial, ainda

que pratique, rei­teradamente, atos antissociais, incompatíveis

mento de obrigação de fazer ou não fazer, o juiz

ção dar mais valor ao direito de propriedade e permitir apenas

concederá a tutela específica da obrigação ou, se

a cobrança de multa. Todavia,

procedente o pedido, determinará providências que

é possível defender a expul­

legal nesse sentido significa

assegurem o resultado prático equivalente ao do

são do condômino invocando

dizer que há uma lacuna na

adimplemento. (...)

outros dispositivos legais, com

com a vida em condomínio. A ausência de previsão

le­gislação, visto que, o Código Civil Brasileiro prevê apenas a

§ 5º Para a efetivação da tutela específica ou a obtenção do resultado prático equivalente, poderá o juiz, de ofício ou a requerimento, determinar as

fulcro no direito de vizinhança, no art. 461,§5º do CPC e nos

medidas necessárias, tais como a imposição de

artigos 12 e 21 do Código Civil

lidade da convenção estabelecer

multa por tempo de atraso, busca e apreensão,

Brasileiro.

outros tipos de sanções para o

remoção de pessoas e coisas, desfazimento de obras

penalidade de multa e a possibi­

condômino que não cumpre as normas e o regulamento do condomínio.

e impedimento de atividade nociva, se necessário com requisição de força policial. (Redação dada pela

Lei nº 10.444, de 2002) Art. 12. Pode-se exigir que cesse a ameaça, ou a

O direito de propriedade do condômino, não po de sobrepujar os demais mora­ dores de ter uma habitação

lesão, a direito da personalidade, e reclamar perdas

tranquila, livre de interferên­

de pena restritiva de direi­

e danos, sem prejuízo de outras sanções previstas

cias prejudiciais. Não se pode

tos - esta última deve estar

em lei.

impor aos demais condôminos

A aplicação de multa ou

prevista na convenção expres­ samente - visa fazer cessar o uso anormal da propriedade, que frustre as expectativas

16

Art. 461. Na ação que tenha por objeto o cumpri-

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma.

o convívio com vizinhos noci­ vos e desrespeitosos. O direito coletivo deve estar acima do direito individual.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

17


CAPA

Proteção Financeira para condomínios Seguro auxilia moradores e síndicos a acabarem com a inadimplência Por Carla Farias invo­luntário e incapacidade física (autônomos). “Para

A

inadimplência nos condomínios apa­

boa convivência

rece como um dos grandes problemas e

com os vi­zinhos, e

preocupações de síndicos e moradores.

ter um condomínio

A instabilidade econômica, problemas

organizado e bem

financeiros e até mesmo o desemprego são os principais

a­dministrado, é muito

causadores desta situação. Para evitar que o morador

importante o pagamento

de­s empregado não cumpra com os pagamentos men­

da taxa mensal. Gostei muito em saber da existência

sais do condomínio e prejudique todos os moradores, a

deste seguro de proteção financeira, principalmente para

Bradesco Vida e Previdência, empresa integrante do Grupo

prevenir de um desemprego inesperado, por exemplo, que

Bradesco Seguros, criou o Seguro Proteção Financeira

é o suficiente para nos tornar inadimplente e de­sencadear

Bradesco, que garante o recebimento, quitação/amor­

uma série de problemas”, informou Ana Maria Gomes,

tização dos valores devidos quando, por algum motivo, o

moradora do Edifício Carpe Diem.

condômino não honrar seus compromissos financeiros.

18

estabelecer uma

Se um condômino não paga, os demais, que estão em

Uma alternativa a mais na administração dos recur­

dia, são afetados com serviços cortados, ou a necessidade

sos dos condomínios, o Seguro Proteção Financeira

de ratear as despesas que não estão sendo pagas. Em mui­

Bradesco garante ao segurado ou seus beneficiários, a

tos casos de inadimplência o morador tenta um acordo com

continuidade do pagamento do condomínio, por tempo

o síndico ou administradora do condomínio para negociar

determinado, na ocorrência de morte, qualquer causa,

o valor da dívida, porém, quando a situação não é resol­

invalidez permanente total por acidente, desemprego

vida e acaba na justiça, estende ainda mais o problema.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


“Se o morador fica inadimplente das

Isso acaba gerando um grande pro­

cotas de condomínio, habitualmente

blema, e como consequência a taxa

faz a cobrança extrajudicial com

extra. Então, nos ajuda a administrar

envio de cartas de cobrança e depois

com confiança e reduzir a inadim­

de 90 dias de atraso, a cobrança judi­

plência", disse José Carlos Galante,

cial. Com este procedimento, caso o

síndico do Edificio Mansão Dalmarvi

condômino ainda continue devendo,

há 4 anos.

pode-se penhorar o imóvel e, ainda

De acordo com o Superinten­

que seja o único bem da família, o

dente Executivo da Bradesco Vida e

mesmo poderá ser leiloado. E é claro

Previdência, Marcelo Rosseti, serão

que ninguém quer correr este risco.

estudadas as características de cada

Esta proposta da Bradesco Vida e

condomínio para que a proposta de

Previdência é bastante inovadora e

seguro atenda todas as necessidades

vai auxiliar tanto o condômino, que

de proteção, respeitando o perfil dos

evita correr este risco e o condomínio

condôminos.

que garante o dinheiro em caixa para

O Seguro Proteção Financeira

realizar os pagamentos”, informou a

Bradesco é uma apólice de vida em

advogada e administradora de con­

grupo – prestamista, ofertada aos con­

domínios, Rosemar Smera.

domínios. O condomínio ao aceitar

O inadimplente que, provavel­

o benefício, o disponibilizará aos

mente, está passando por algum

condôminos, uma vez que o valor

problema financeiro e não sabe co­mo

do seguro será acrescentado na taxa

reverter, é penalizado de acordo com

do condomínio, com o objetivo de

a convenção do condomínio. Já os

garantir, por tempo determinado, o

outros moradores que estão em dia, algumas vezes precisam até arcar com algumas despesas para

cumprir os pagamentos

pagamento das taxas de condomínio. No caso de inquilinos (imóveis

de serviços básicos m e n s a i s . " É

alugados), o segurado será o inquilino,

muito importante um seguro como

e não o dono do imóvel, relação essa

este. Pois, nos progra­m amos para

demonstrada no contrato de locação.

administrar o condomínio com um

Serão aceitos como segurados todos

determinado valor em caixa, e de

os condôminos, desde que respeitem

repente, de­vido à inadimplência de

a idade de entrada, conforme regra a

alguns, não temos o dinheiro sufi­

ser definida na negociação junto ao

ciente para realizar os pagamentos.

condomínio.

www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

19


CAPA

Como aderir

P

ara aderir ao produto, a Supe­

domínio deverão autorizar sua entrada na

rintendência de Seguros Privados

apólice, através da assinatura da proposta de

(SUSEP), órgão regulador do mer­

adesão individual.

cado segurador nacional, exige que toda

A Bradesco Vida e Previdência, empresa

adesão a uma apólice de seguro seja forma­

integrante do Grupo Bradesco Seguros, atua

lizada via proposta. Sendo assim, como a

no mercado brasileiro há 31 anos. Protege

operação será uma apólice de Seguro de Vida

mais de 25,8 milhões de pessoas entre

Coletivo, os trâmites necessários serão:

participantes de planos de previdência e seguros, e está presente em todo o País.

Proposta de Seguro (Estipulante) Será necessário o aceite por parte do con­ domínio, através de uma Proposta de

Possui um portfólio variado de produtos que atende as necessidades específicas de cada cliente.

Seguro, para que então o benefí­

O condomínio que estiver interessado em

cio possa ser repassado a todos

contratar este benefício poderá procurar os

os condôminos.

corretores nas agências Banco Bradesco ou também procurar a Bradesco Vida e Previ­

Proposta de Adesão Indi-

dência, através da filial instalada em Salvador,

vidual

no endereço Av. Estados Unidos, 26, 6º andar,

Criado o benefício, todos os condôminos existentes no con­

20

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

bairro Comércio e nos telefones (71) 33277324/7109.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

21


DIA A DIA DO SÍNDICO

Por Rosemar Smera

O seguro é obrigatório para condomínios

Dra. Rosemar Smera é especialista em direito condominial e sócia da empresa Adcon Administração de Condomínios. Tel.: 71 3272-1354

de furtos, roubos ou incêndio. O síndico responde ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, por qualquer inadequação ou insuficiência de seguro, como prediz o Art. 1.348, II e IX, da mesma lei: “Compete ao síndico: II - representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns; IX - realizar o seguro da edificação”.

V

22

A responsabilidade civil do condomínio e do sindico é

isando a segurança dos moradores e a possibili­

um item do seguro contra incêndio que deve ser contra­

dade de realização de sinistro que comprometa

tado, independente das características do condomínio. A

as estruturas do prédio, a legislação atual, prevê

responsabilidade civil do síndico é caracterizada por um

que é obrigatória a contratação de seguro contra incêndio

prejuízo causado pelo representante legal do condomínio,

nos condomínios. De acordo com o Código Civil, Art. 1346:

seja por uma ação ou omissão. Quando o síndico pratica

“É obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco

algum ato de forma abusiva e é condenado a pagar indeni­

de incêndio ou destruição, total ou parcial”.

zação ao condomínio ou ao morador, o seguro arcará com

O seguro deve ser contratado em, no máximo, 120 dias

as despesas. A contratação da responsabilidade civil do

após a concessão do habite-se e as renovações devem ser

condomínio assegura o pagamento dos danos patrimoni­

contínuas, sem interrupções e com periodicidade anual.

ais e não patrimoniais decorrentes de lesões corporais e/

É essencial, inclusive, que anualmente sejam avaliadas e

ou materiais causados.

revisadas as coberturas da renovação do seguro. É impor­

Embora a lei exija apenas a contratação de seguro con­

tante ressaltar que este seguro contra incêndio cobre

tra incêndio, o síndico deve observar junto ao seu corretor,

somente as áreas comuns, não os apartamentos para os

a importância de adquirir itens relacionados especifica­

quais há pacotes de seguro residencial, cujo valor não é

mente ao seu condomínio, como a quebra de vidros, danos

muito alto, e garante ao proprietário, indenização em caso

elétricos, sinistro de portões e veículos.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

Vantagens do tratamento e limpeza de pisos

O

s pisos de cerâmica são duráveis e fáceis de limpar. No entanto, para mantê-los em bom estado de con­ servação é preciso seguir algumas medidas de limpeza, proteção e manutenção. O tempo, a má conservação, a limpeza inadequada e o mau uso fazem com que os pisos fiquem desgastados. Para isso, é preciso realizar o tratamento profissional, que garanta a volta do brilho, limpeza e recomposição do revesti­ mento antigo. A Limpmaster é uma empresa especializada nesta área ut ilizando somente produ­ tos recomendados, equipamentos mo­d ernos e mão de obra especia­ lizada. São oferecidos serviços de limpeza de pisos, pós-obras, vidros e telhados, tratamento, conserva­ ção, restauração, impermeabilização e manutenção, que não são possíveis de fazer na higienização diária. As manchas amareladas, perda de brilho, porosidade alta, retenção de sujidades e placas com aspecto de piso encardido mesmo após a limpeza são sinais de que o piso precisa

www.cadeosindico.com.br

de um tratamento especializado. O tratamento dá mais resistência aos revestimentos, e mantém suas caracte­ rísticas naturais, valoriza o imóvel e as instalações, pois fica com aparência de piso novo, melhora e facilita a conservação e manutenção diária das áreas.

Vantagens do tratamento Manutenção rápida e econômica: com o piso tra­ tado fica mais difícil a penetração de sujidades, o que agiliza a limpeza diária e permite a economia no uso de produtos de limpeza. Proteção ao Piso: Quanto mais tempo o piso permanecer tratado, maior será a durabilidade, prolon­ gando sua vida útil. Limpeza e Brilho: O tratamento adequado recupera o brilho e dá um aspecto prolongado de higiene e limpeza.

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

23


MANUTENÇÃO

A importância das reformas em prédios antigos Por Carla Farias

realizar uma reforma é preciso elaborar um projeto ana­ lisando todos os campos importantes para executar a obra.

C

Deve-se analisar cuidadosamente todos os itens para não

oordenar e resolver problemas estruturais,

ocorrer problemas”, disse. A sócia de Fernanda, Renata

de impermeabilização e de segurança são

Riccó, também arquiteta, completou: “Independente da

alguns dos motivos que levam o síndico a

complexidade da reforma, para evitar danos, um profis­

solicitar uma reforma, mas é importante

sional deve ser contratado. Somente um profissional da

contratar uma empresa experiente e de referência para a

área está apto a definir quais as intervenções podem ser

prevenção não se tornar um problema. O desabamento da

realizadas e como devem ser feitas. Quanto mais informa­

marquise do último andar do edifício Judith, localizado na

ções forem reunidas, melhor".

Barra, em Salvador, em dezembro de 2012, e da marquise

Assim como intervenções sem o devido acompa­

de um prédio antigo de Feira de Santana, em janeiro deste

nhamento técnico, a falta de manutenção contribui para

ano, trouxe à tona uma preocupação: prédios antigos pas­

o surgimento de problemas estruturais nas construções.

sam por inspeção para fazer reforma ou revitalização?

Sendo assim, é importante ficar atento ao aparecimento

De acordo com a arquiteta Fernanda Freitas, sócia da

de novos elementos, como rachaduras que aumentam pro­

empresa FR arquitetura Urbanismo e Interiores, especia­

gressivamente, infiltrações, desgaste de qualquer material,

lizada em reformas e revitalizações, é importante elaborar

entre outros, deve requisitar os serviços de um profissional

um projeto minucioso antes de iniciar a obra. “Antes de

em perícia e avaliação. Fiscalização

Tipos de reforma

A Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (SUCOM) nos últimos anos vêm

1. Projetos de reforma e recuperação estrutural

cobrando dos condomínios, que possuem edificações com

das fachadas - Edificações com mais de 25 anos apre­

mais de cinco anos de construção, a responsabilidade

sentam, em geral, problemas de recuperação estrutural,

de verificar o estado de conservação do imóvel. Deve-se

impermeabilização, infiltração, entre outros. Tendo como

cumprir o Laudo de Inspeção Predial, em atendimento ao

consequência a desvalorização dos imóveis é necessário

disposto na Lei Municipal de Salvador/BA nº 5.907/01,

readequar a construção às necessidades estruturais e tec­

de 23 de janeiro de 2001, regulamentada pelo Decreto

nológicas dos dias de hoje.

Municipal nº 13.251/01, de 27 de setembro de 2001,

2. Projeto de construção/adequação de guaritas e

que tem como objetivo permitir a constatação do estado

muros externos - O Problema de segurança é a grande

de conservação das edificações e equipamentos públicos

preocupação dos dias atuais. Existe uma grande solicita­

e privados e, a partir dos laudos de vistoria, estabelecer a

ção por este tipo de construção de modo a garantir maior

adoção de medidas saneadoras para sua utilização segura

segurança a pedestre e veículos, além de centralização

que visem evitar danos materiais e pessoais ocasionados

de serviços de controle, o que diminui o número de fun­

por acidentes devido à depredação dos elementos que

cionários.

compõe as construções.

3. Projeto de reutilização de espaços ociosos, áreas

Com isso, é responsabilidade do Síndico atender o dis­

de lazer internas e externas, salão de festas e espaços

posto neste laudo. “Esta é a oportunidade de, resolvendo

gourmet - São solicitações que independem da idade do

problemas estruturais, proceder a uma reforma no imóvel

imóvel.

através de um Projeto Integrado de Arquitetura de Reforma e Revitalização”, disse a arquiteta Renata Riccó.

24

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

Por que Trindade Ltda?

A

Trindade Assessoria Condominial Ltda (TAC), surgiu em setembro de 2011. De acordo com a sócia Cristiane Trindade, contadora e pós-graduada em RH, a empresa tem foco na qualidade e no atendimento e citou uma frase que lhe acompanha desde que iniciou suas atividades profissionais: “o grande diferencial, a principal vantagem competitiva das empresas, decorre das pessoas que nelas trabalham” e baseado nos 14 anos de atividades prestadas na área de

condomínios e ou­t ros cinco anos atuando na gestão de setores em grandes empresas, percebeu e identificou algu­ mas carências no setor de serviços na área de administração condominial e que são priorizadas pela TAC desde a sua instalação, dentre elas, destacou que o atendimento da empresa é realizado através das sócias, que permite agili­ dade no atendimento aos clientes sem risco, já que a sócia, Joana Aline, é graduada em administração de empresa e tem sete anos de experiência no ramo.

Para conhecer mais de perto a TAC, apresentamos relatos de alguns de seus clientes:

“A

minha opção em trabalhar com a Trindade Condo­ minial, está no fato da empresa ser séria, responsável, cumpridora dos prazos, atenciosas com as demandas do con­ domínio e, portanto atende as nossas necessidades. Além do que, a equipe tem conhecimento técnico. Ressalte-se, que acima de tudo a equipe tem educação no trato com as pessoas”. Gislane Nascimento, síndica do Esplanada Trade Center.

"A

ntes de trabalhar com a administradora Trindade, na condição de síndico, tive contatos com outras três administradoras. Com base na minha experiência, posso afir­ mar que a Trindade é uma empresa diferenciada. As sócias são acessíveis e solícitas, ágeis no atendimento e o modo operacio­ nal da empresa me deixa com tempo mais livre para eu cuidar da minha vida pessoal, portanto recomendo que façam uma experiência com a empresa Trindade” Alexandre Ramacciotti, síndico do Porto Santo.

“O

ptei, em conjunto com o conselho fiscal, em realizar uma busca por uma nova empresa administradora de condomínio, e dentre as empresas convidadas, a Trindade Condominial, que na época tinha menos de um ano de mercado, nos chamou a atenção ao demonstrar que o seu corpo gerencial

www.cadeosindico.com.br

já possuía vasta experiência na área, adquirida enquanto traba­ lharam em outras empresas do ramo, como também, pelas propostas em relação a regularizar a situação dos empregados, eliminar atrasos na elaboração dos balancetes e nos auxiliar na identificação de novos fornecedores, elaborando um processo de cotação adequado que vai ao encontro da transparência que tal processo exige. Há uma boa parceria, e somos sempre atendidos quando solicitado” Constantino Angélico, síndico do Parque das Flores.

“O

s serviços prestados pela empresa Trindade junto ao Condomínio Mansão das Dálias, na qual sou síndico, é fantástico, não há dissabores com atrasos, é visivel­ mente uma empresa controlada, com rotinas preventivas, permitindo tranquilidade na minha administração”. José Barros de Amorim Jr, síndico do Mansão das Dálias.

“A

pós contratação da empresa de administração de con­ domínio, a Trindade, os problemas burocráticos que precisam ser disponibilizados ao síndico para tomada de decisão, sumiram, permitindo que hoje eu exerça a função de síndico, ou seja, tomada de decisão, sem desgastes e com conforto” Manoel Messias, síndico do Victória Center.

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

25


CARTÃO

Entrega de prêmios da promoção

A

promoção de fevereiro do cartão Cadê o Síndico foi finalizada com a entrega dos prêmios aos ga­nhadores. Nesta oportuni­

dade a Bahia Controladora de Pragas disponibilizou três controles de baratas e mais três controles de for­ migas e a Teleseg Segurança Eletrônica ofereceu duas câmeras de infravermelho. Os ga­nhadores do sorteio com parceria da Bahia Controladora de Pragas para o controle de baratas foram:

Para o controle de formigas foram: 4. Edifício Azaléia Hortência Violeta, re­presenta­do

1. Condomínio Bosque dos Barris, representado pela síndico João de Souza. 2. Condomínio Lindembergue Cardoso, re­­pre­sentado pelo síndico José Carlos Rodrigues.

2

re­presentado pela síndica Nanci Farias da Silva.

3. Condomínio Recanto Verde,

pelo síndico Raimundo Leal. 5. Condomínio Rio das Pedras - Edifício Diamante, re­presentado pela síndica Elza Pereira. 6. Condomínio Raimundo Magalhães, re­pre­sentado pela síndico Abelardo Ribeiro. Os ga­nhadores do sorteio com parceria da Tele­ seg Segurança Eletrônica foram:

8 7

7. Condomínio Edifício Atlân­ tida, representado pela síndica Edna Nunes. 8. Empresarial Paralela Shop­ ping, re­presentado pela síndica Kátia Ribeiro. Para fazer a adesão do cartão Cadê o Síndico e participar das próximas promoções basta preen­ cher a ficha de adesão disponível no site www.cadeosindico.com.br e obtenha maiores informações pelo telefone 3242-1084.

26

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


PISCINA

Como manter a água da piscina cristalina Por Antônio Coradinho coradinho@coragua.com.br

É

muito comum receber solicitações de clientes

1 hora por dia, e o recomendado, para realizar a filtração

que reclamam da turbidez da água da piscina,

diária, é de pelo menos 8 horas diárias.

mesmo utilizando produtos recomendados e

equipamentos de qualidade. Porém, a água não fica cris­

3. Areia do filtro

talina se a dosagem do produto não estiver correta e os

Após avaliação, verificou-se que a areia do filtro nunca

equipamentos estiverem mal dimensionados.

tinha sido trocada, apesar do sistema ter mais de 4 anos de

Veja três exemplos de situações de clientes que a água

instalado. Areia saturada ou o pré-filtro da bomba muito

da piscina ficou turva mesmo utilizando produtos e equi­

sujo, diminui bastante o fluxo de água no retorno, o que

pamentos de ótima qualidade.

deixa a água turva. Para evitar essas situações citadas, quando for com­

1. Sistema Subdimensionado

prar um equipamento para a piscina, preste atenção nas

Um clube nos consultou e detectamos que o sistema

especificações, para saber se o equipamento tem potência

de filtração estava subdimensionado, ou seja, no local

para filtrar a área total da piscina. Além disso, a bomba

que deveria ter uma bomba de 7,5 cv para filtração,

da piscina deve ficar ligada, pre­ferencialmente durante a

tinha uma de 2 cv. A norma 10.338 estabelece que a

noite, uma média de 8h, que é o tempo necessário para

recirculação da água tenha que ser realizada em no

manter a água cristalina, quando as condições químicas

máximo 6 horas, e em uma piscina, como a do clube,

são atendidas. Se o cloro estiver entre 1 e 3ppm e o PH

que é de 450 m³, é necessário utilizar uma bomba com

entre 7.2 e 7.6 e a água começar a ficar turva, deve-

capacidade de 75 m³/hora (7,5 cv). Porém, eles utiliza­

se aumentar o número de horas de filtração. E por fim,

vam a bomba de 2 cv, o que ocasionava uma filtração

sempre que a água da piscina começar a perder o brilho,

muito lenta, que levava 22 horas para ser concluída, e

apesar dos parâmetros químicos e de filtração estarem

isso comprometia a qualidade da água.

normais, é indicação de areia saturada ou o pré-filtro da bomba muito sujo, o que diminui bastante o fluxo de água

2. Economia de energia

no retorno. Com um pequeno teste, colocando a mão no

Após avaliação de outro cliente foi descoberto que, por

retorno e verificando o baixo fluxo de água, pode-se deter­

economia de energia, a bomba da piscina só ficava ligada

www.cadeosindico.com.br

minar a origem do problema.

CS

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

27


ELEVADORES

Por Vandilson Alves

É hora de modernizar

A

vação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo (Seciesp). A modernização técnica básica envolve a troca de itens como quadro de comando, sensores de nivelamento, fiação completa (tanto fixa, quanto móvel), botoeiras de cabina e pavimento, caixa de inspeção na cabina e no poço e limites finais. Além desses, existem outros equipamentos impor­

realidade da grande maioria dos edifícios ainda

tantes a serem substituídos para melhorar o desempenho

é batalhar para manter seus elevadores em

dos elevadores. A modernização da cabina, por exemplo,

boas condições de uso, oferecendo segurança a

também ajuda na valorização mas, podem ficar para uma

moradores e funcionários. Elevadores antigos que provocam

28

Vandilson Alves é engenheiro, consultor e perito em transporte vertical. vandilson_alves@yahoo.com.br

segunda etapa desde que sejam bem avaliados.

paralisações constantes, trocas de peças frequentes e alto

Os síndicos precisam acompanhar a manutenção

consumo de energia elétrica são os que necessitam passar

realizada e compreender o que ainda deve ser feito nos

por modernização técnica. O processo consiste em atualizar

elevadores. Entender o funcionamento de um elevador

o elevador tanto na parte elétrica quanto na parte mecânica

realmente não é tarefa das mais simples, até porque, como

e poderá ocorrer de forma total ou progressiva, por etapas.

todo equipamento, os elevadores têm evoluído ao longo

Elevadores modernizados proporcionam diversos

dos tempos. Recentemente, a Associação Brasileira de Nor­

benefícios, como a redução em até 40% na conta de ener­

mas Técnicas (ABNT) publicou a norma NBR 16.042 para

gia elétrica, redução nas despesas com peças, valorização

os elevadores sem casa de máquinas, ou MRL, que existe

imediata do patrimônio, redução no valor do contrato

no mercado desde 1996, e ainda é muito pouco conhecido

de conservação, além de preservar o meio ambiente e

por síndicos.

aumentar a confiabilidade no equipamento, proporcio­

O prazo para que a modernização técnica do elevador

nando uma maior segurança para os usuários. "Depois do

seja programada depende da história do elevador, como

apartamento, o segundo maior bem material do morador

manutenção adequada e estado do equipamento. A melhor

no edifício é o elevador. Sem dúvida ele ajuda muito na

sugestão é que a modernização seja avaliada a cada cinco

hora de comercializar um apartamento", constata Rogério

anos, prazo em que geralmente as normas técnicas são

Meneguello, diretor do Sindicato das Empresas de Conser­

atualizadas.

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

29


TECNOLOGIA

Plantas digitais aceleram o tempo das obras Por Carla Farias

situação, que demanda tempo e cálculos precisos, a Exata - copiadora digital - adquiriu um software que converte as

A

30

plantas antigas em arquivos digitais.

gilidade e segurança são itens fundamen­

Essa conversão chama-se vetorização, um procedi­

tais quando os síndicos resolvem realizar

mento que torna possível projetar, alterar e redesenhar

uma obra no condomínio. O problema é

as plantas antigas sem necessitar executar o recadastra­

quando a planta original está projetada no

mento e o redesenho manual. “Atualmente, iniciar uma

papel e os profissionais de construção civil precisam rede­

obra se baseando em uma planta projetada em papel faz

senhar manualmente e fazer o recadastro. Para evitar esta

com que os engenheiros civis, projetistas, arquitetos e

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ACADEMIA - ORIENTAÇÃO COND.

empreiteiros percam muito tempo e corram o risco de calcular algo errado”, afirmou a engenheira civil, Juliana Biazin.

CLASSIFICADOS

A conversão para o arquivo digital replica todas as informa­ ções contidas na planta original e o arquivo fica disponível para ser utilizado em AutoCAD, um pro­ grama usado pelos profissionais da área, que proporciona a eficácia nos desenhos de projetos arquitetôni­ cos e estruturais, e torna possível analisar os objetos em ângulos diferenciados, com rotações fáceis e sólidas com seus recursos de modelagem dinâmica em 2D, 3D e simulações avançadas, Essa tecnologia auxilia o pro­

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

fissional a acelerar os processos para finalizar a obra. Os recursos do AutoCAD auxiliam o designer quando realiza uma alteração no projeto, pois os desenhos envolvidos são automaticamente atualizados e podem ser compartilhados entre a equipe envolvida. Isto ajuda a fina­ lizar o trabalho mais rapidamente e com maior precisão, e gera uma melhor coordenação dos trabalhos, reduzindo as falhas de comunicação em todas as fases do projeto. De acordo com Jamile Garrido, sócia e administradora da Exata, este procedimento é extremamente importante. “Muitas plantas origi­ nais não estão conservadas e com

ACS Administração de condomínios e Contabilidade.......(71) 3384-6395/3384-6495

o tempo a tendência é piorar. E quando for preciso realizar uma reforma, ou obra, terá muita dificul­ dade para executar o trabalho com segurança. Essa digitalização, agiliza o trabalho dos profissionais e dá segurança aos moradores quando o imóvel estiver passando por uma obra”, afirmou.

CS

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

31


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 32

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ÁGUA - ECONOMIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADM. E ASS. - ILHÉUS E ITABUNA

ÁGUA - PURIFICADORES

ÁGUA - ECONOMIA

ALARMES CARTÃO CADÊ O SÍNDICO

NVS.................................(71) 3353-0430 / 8826-8575

UMA PROMOÇÃO NOVA A CADA EDIÇÃO

Veja anúncio no título de Segurança eletrônica

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

33


ANTENAS

ARQUITETURA E DECORAÇÃO

CHURRASQUEIRA

AMPLAVISÃO...........................................(71) 3357-1515 AMÉLIA ZÁU................................Tel.: (71) 3235-0706 Veja anúncio no título de Segurança escritorio@ameliazau.com.br

CLASSIFICADOS

eletrônica

TICIANA FAHEL.......................Tel.: (71) 3358-8336 arquitetura@ticianafa­hel.com.br

ANTENAS

BOMBAS E MOTORES

ASSESSORIA JURÍDICA

COLETA SELETIVA DE LIXO CAEC................................................................(71) 3293-2737 RENOVE...................(71) 3267-0260 / 9979 - 2504 CONTABILIDADE - AUDITORIA E TREIN. BOMBAS E MOTORES

GRUPO LORDÊLO...............................(71) 3351-6952 Veja anúncio na pág. 12 CONSTRUÇÕES E REFORMAS

ASSESSORIA JURÍDICA

BOMBAS E MOTORES

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 34

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS FR ARQUITETURA.....................................................................

CLASSIFICADOS

(71) 3336-3745/9961-2643/9606-6296.

COMUNICAÇÃO VISUAL

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

35


CONTROLE DE PRAGAS

CURSOS E TREINAMENTOS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

ABC PRAG.....................................................(71)3342-1143

CLASSIFICADOS

Veja anúncios na página 29

CURSOS E TREINAMENTOS UNIPESSOA................(71) 3341-5190/3016-4075 Veja anúncios na página 15 CONTROLE DE PRAGAS

DECORAÇÕES BARBOSA DECORAÇÕES................................................... (71) 3489-2909 / 3347-6022 DISTRIBUIÇÃO DE IMPRESSOS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA CURSOS E TREINAMENTOS

CURSOS E TREINAMENTOS FACULDADE 2 DE JULHO Pós Gestão Condomínios e Curso Síndico

ELEVADORES

Profissional..............................................(71) 3114-3400

ENGELTECH............(71) 3278-4005/0800 284

Veja anúncios na página 11

4005...................................Veja anúncio na página 4

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 36

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


ELEVADORES

EQUIPAMENTOS PARA COND.

CLASSIFICADOS

ELEVADORES - FORRO

ELEVADORES

ELEVADORES

ESQUADRIAS ALUMAR Esquadrias de Alumínio.......................... ................................................................(71) 3356-2152/0116

CARTÃO CADÊ O SÍNDICO

CONFIRA NESSA EDIÇÃO OS GANHADORES DE MAIS UMA PROMOÇÃO FAÇA A ADESÃO NO SITE WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

37


FARDAMENTO

CLASSIFICADOS

EQUIPAMENTOS PARA COND.

GÁS - INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO

GÁS - MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA BRASILGÁS...................................UAC 0800 70 10 124 Veja anúncio na contra-capa IMÓVEIS - COMPRA E VENDA UNIMÓVEIS...............(71) 3358-4775/3452-4308 FECHAMENTO DE VARANDA

REMAX ALPHA EXCLUSIVE.......(71) 3082-2000 INFORMÁTICA - MANUTENÇÃO

EXTINTORES DE INCÊNDIO

CARTÃO CADÊ O SÍNDICO

UMA PROMOÇÃO NOVA A CADA EDIÇÃO Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 38

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

LAVAGEM DE ESTOFADO (A SECO)

CLASSIFICADOS

INFORMÁTICA - REC. DE CARTUCHOS

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

INTERNET CONDOMÍNIO ELETRO E.................................................................3488-7755 Veja anúncio na página 21 INSPEÇÃO PREDIAL

JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

MARCAS E PATENTES

ANUNCIE

3242-1084

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

39


MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

PISCINA

PROJETOS - CONST. E REFORMA FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745 / 9961-2643 / 9606-6296.

CLASSIFICADOS

PURIFICADORES DE ÁGUA

PISCINA CORÁGUA.................(71) 3334-7977 / 3334-3436 Veja página 27 PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA LIMPMASTER.........................................(71) 3018-1572 Veja anúncio no título de Limpeza e Conservação. MÓVEIS PLANEJADOS

PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA PROTEC.........................................................(71) 8154-0358 PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA

RADIOCOMUNICAÇÃO

PARA-RAIOS SITELCO.........................(71) 3312-8698/3252-5000 Veja anúncio página 10

PARQUE INFANTIL

PRODUTOS DE LIMPEZA MOVICLEAN EQUIP. .......................(71) 3313-3464

REGISTRO DE MARCAS

Veja anúncio no título Equipamentos para PROVÍNCIA.................(71) 3016-5574/3481-0325 Veja anúncio no título Marcas e Patentes condomínios

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 40

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

ANUNCIE INFORMAÇÕES

3242-1084 MULTICÂMERAS...........Veja anúncio na pág 03

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

41


SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SALVESEG...........................................(71) 3017-1217

TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA

INTELBRAS........................Veja anúncio na pág 03

SEGURANÇA ELETRÔNICA

TELECOMUNICAÇÃO AMPLAVISÃO...................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título Segurânça eletrônica TRATAMENTO DE PISOS WW BAHIA................(71) 3355-0409/9926-4330 Veja anúncio no título Piso Tratamento e Limpeza

ANUNCIE

3242-1084 Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 42

Revista Cadê o Síndico • março/abril 2013

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

43


Ed42  

Um seguro contra o desemprego

Ed42  

Um seguro contra o desemprego

Advertisement