Issuu on Google+

2

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

3

EDITORIAL

Gestão com qualificação

N

esta edição queremos chamar a sua atenção para a necessidade de buscar sempre por novas informações para melhorar o desempenho das suas funções, e ter a confiança que é um profissional completo. Nossa matéria principal mostra todos os detalhes do I Congresso NorteNordeste de Gestão de Condomínios, que acontecerá em Salvador, para profissionais de condomínios terem a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos e até mesmo, compartilhá-los com colegas da mesma área de todo o país. Os organizadores se preocuparam em formatar uma grade com conteúdo atrativo e palestrantes especialistas. Falaremos, também, sobre a garantia das construtoras após a entrega dos condomínios, e como agir em caso de incidentes causados pelo uso de fogos de artifícios nas áreas dos condomínios. A matéria de sustentabilidade dará oportunidade para moradores aprenderem a produzir objetos de decoração com produtos que seriam descartados no lixo, e a de manutenção, irá alertálo para os pro­b lemas causados por infil­t rações, como preveni-las e combatê-las. Tenha uma ótima leitura.

SUMÁRIO VALORES DE REFERÊNCIA Índices com novos valores não homologados................................

PERFIL João Anacleto, síndico do Máximo Clube Residence...................

GESTÃO

10

SUSTENTABILIDADE

15

Materiais descartados podem virar artigo de decoração......

LEGISLAÇÃO Prazo de garantia para imóveis novos..........................

PREVENÇÃO O perigo dos fogos de artifício........................................................

SAÚDE AMBIENTAL Garantia do serviço de controle de pragas................................

Animal morto na piscina, o que fazer?.........................................

Editora

4

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

7

Conta de água fica mais barata........................................................

PISCINA

Carla Farias

6

CLASSIFICADOS.................................

21

24 26 29

30

www.cadeosindico.com.br

JUL/AGO 2013 • EDIÇÃO 44 COLUNAS

DÚVIDAS JURÍDICAS Drª Kátia Gerlin Comarella responde

8

AUDITORIA CONTÁBIL Indícios de desvios de recursos

12

GESTÃO DE PESSOAS A responsabilidade social e as organizações

14

SR. SÍNDICO

16

Rateio da taxa condominial

DIA A DIA DO SÍNDICO Animais de estimação em apartamentos O EDIÇÃ

RE

ELEVADORES

Porque contratar uma empresa especializada?

www.cadeosindico.com.br

22 28

CAPA

18

Profissionais renomados auxiliam a qualificação da sua gestão EXPEDIENTE Gerência Executiva Antônio Castro Gerência Comercial Lucas Castro Comercial Gardênia Burgos Vera Lucia Barbosa Gerência de Marketing Rafael Castro

Editora Responsável e textos Carla Farias (DRT 3843-BA) Projeto Gráfico e Diagramação Adrien Tournillon Colaboradores Antônio Coradinho Danilo Roriz Nelson Uzeda

Cadê o Síndico é uma revista de publicação bimestral da Editora União Salvador Ltda. Periodicidade - Bimestral Tiragem - 8.000 exemplares (24.000 leitores em média) Rua Portugal, 17, Edf. Regente Feijó - sala 511- CEP: 40015-000 Comércio - Salvador/BA - Tel.: (71) 3491-0710/3242-1084 revista@cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

5

VALORES DE REFERÊNCIA

01 – CONTRIBUIÇÃO DO INSS

04 – REGISTRO DE CONDOMÍNIO

Tabela a ser aplicada, para recolhimento a partir de 01.01.2011. SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$)

ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS

Até R$ 1.247,70

8%

De R$ 1.247,71 até R$ 2.079,50

9%

De R$ 2.079,51 até R$ 4.159,00

11%

Pagamento até o dia 20 do mês subseqüente ao de competência. Não havendo expediente bancário antecipa para o 1º dia útil anterior.

02 – GRPS (INSS) 20% sobre a folha, como parcela do condomínio. 2% sobre a folha, como contribuição de acidente de trabalho.

Passos necessários na regularização do condomínio 1. Registro do condomínio no cartório de imóveis, juntamente com a convenção. 2. Elaboração da convenção, com assinatura de proprietários de no mínimo 2/3 das frações ideais do condomínio. 3. Inscrição das escrituras definitivas das unidades no Cartório de Registro de Imóveis. 4. Expedição do habite-se (pela construtora/ incorporadora). 5. Solicitar o desmembramento do IPTU por unidade. 6. Convocação da primeira assembleia para eleição de síndico e conselho consultivo. 7. Inscrição do condomínio no CNPJ, que torna automática a inscrição no INSS (esta é necessária para o condomínio ser empregador). OBS: CNPJ: É o cadastro de pessoa jurídica. O condomínio precisa desse registro porque, apesar de não pagar imposto de renda (associação sem fins lucrativos), vai reter imposto de renda dos funcionários na fonte.

4,5% sobre a folha, como contribuição de terceiros (SESC, SENAI, etc...) Salário Família: Até R$ 646,55 = R$ 33,16. De R$ 646,55 a R$ 971,78 = R$ 23,36.

05 – PISO SALARIAL

(VÁLIDO ATÉ 31.12.2013)

Data base: janeiro de cada ano

Valores não homologados

Administrador........................................... R$ 1.052,00

03 - OBRIGAÇÕES

Zelador....................................................... R$

855,00

Recolhimento do INSS, até o dia 20 do mês subsequente.

Porteiro ou agente de portaria, arrumadeira e recepcionista.................. R$ Folguista, manobrista, jardineiro e piscineiro................................................. R$ Aux. administrativo, aux. de serviços gerais, serventes e boy............................. R$

Recolhimento do FGTS, 8% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 7 do mês seguinte.

Ascensorista, vigia, garagista, controlador de veículos........................... R$ 765,00

Admissão/Demissão (CAGED) – Comunicar ao Ministério do Trabalho, até o dia 05 do mês subsequente.

Recolhimento do Pis, 1% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 24 do mês subsequente. Recolhimento do ISS, (Sobre serviços prestados) pagamento no dia 5 do mês subsequente.

6

Supervisor................................................. R$ 1.052,00

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

855,00 765,00 740,00

ADICIONAL NOTURNO: 25% HORAS EXTRAS: 100% VALE ALIMENTAÇÃO: COND. RESIDENCIAL.....R$ 195,00 COND. COMERCIAL...... R$ 205,00 Valores não homologados

www.cadeosindico.com.br

PERFIL

Homem de coragem Mesmo aposentado, o fuzileiro naval encara mais um desafio e assume a gestão de um condomínio com 456 apartamentos

C

tem 3 torres e 456 apartamentos, achei necessário e importante montar essa composição e agir com mais eficiência”, afirmou. Anacleto sempre se identificou com as atividades que trabalham o corpo e a mente. “Na época em que servia à Marinha eu sempre me candidatava a participar dos

om a mesma audácia dos tempos do cargo

exercícios nas florestas ou nos matos. Gostava de montar

de oficial da Marinha do Brasil, João

acampamento com minha companhia e planejar desen-

Anacleto dos Santos Filho, fuzileiro naval

volvimento na região simulando uma situação de combate

aposentado, se candidatou há um ano para

terrestre, tipo ataque e defesa. Eu também gostava dos

assumir a administração do Máximo Clube Residence,

momentos de descontração, pois rea­lizávamos muitas

localizado no bairro Cabula.

brincadeiras que promoviam a interação da tropa que

Ao participar da assembleia em que seria definido o síndico do novo condomínio que surgia, e detectar que

estava sob o meu comando”, informou. Mesmo após servir à Marinha do Brasil por 30 anos

os voluntários para assumir o cargo,

e passar por experiências incríveis, o

não teriam disponibilidade de tempo

aposentado admite que a função de

para cumprir com as responsabi-

síndico é árdua, difícil e complicada,

lidades, Anacleto, como é conhecido,

mas, também declara o prazer de pro-

aproveitou suas características de

jetar ações e vê-las acontecendo com

militar e a disponibilidade de tempo

participação maciça de moradores.

fornecida pela aposentadoria para

“Realizamos eventos para proporcionar

usufruir da sua primeira experiência

o esporte, cultura e lazer, e envolver

como síndico. Com uma adesão de

todos os moradores. Conseguimos

90%, ele foi escolhido, e afirmou que

comemorar o natal realizando uma

estava pronto fazer uma gestão em

semana de atividades, com caminhada,

parceria com todos os moradores.

café da manhã, chegada do Papai Noel,

O militar realizou ações de efeito

apresentação de coral, de grupo de

visando a grande estrutura do con-

dança, exibição de grupo de capoeira e

domínio. “Montei a comissão e as subcomissões de voluntários dentro de suas especialidades para me ajudar

Anacleto: agir com eficiência com ajuda de voluntários

de karatê. Rea­lizamos a festa chamada Os Embalos do Máximo à Noite; além da tradicional de fim de ano; e tudo

a tomar decisões. Temos muitas áreas a serem dominadas,

isso, com uma participação representativa de moradores

contábil, jurídica, administrativa, e como o condomínio

mesmo com pouco tempo de habitação”, finalizou.

www.cadeosindico.com.br

CS

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

7

DÚVIDAS JURÍDICAS

Por Kátia Gerlin Comarella

Dra. Kátia Gerlin Comarella responde

Dra Katia Gerlin Comarella, titular do escritório KGC Advogados Associados, é especialista em direito condominial, há cerca de 19 anos atuando na cidade do Salvador, tendo estendido a sua especialidade também no estado do Espírito Santo, na cidade de Vitória e Vila Velha, onde também atua, com ampliação ao seu escritório Horta & Gerlin Ltda, dando seguimento aos seus trabalhos. drkatiagerlin@hotmail.com, Tel.: 71 3345-2727 / 3240-8639.

mentos Normativos do Condomínio, e como se trata de um caso relevante e específico, é prudente que seja apreciado e deliberado pela assembleia. Não há previsão legal quanto à questão de regulamento de piscina na Lei de condomínio. 3. Qual o procedimento em caso de erro na ata?

1. Estava devendo as taxas do condomínio, sou pro-

A ata não deve ser rasurada de forma nenhuma, no

prietário, fiz um acordo com o condomínio e parcelei o

entanto em caso de erro, pode ser usada a expressão “em

meu débito, estou pagando em dia o parcelamento e a

tempo” quando já estiver finalizada a ata, a exemplo: na

taxa mensal. Pergunto: estando eu em dia com o parce­

10ª linha onde se lê “escolheram representantes” leia-se

lamento e com a taxa mensal do condomínio, posso me

“escolheram os representantes”. Ainda, se na redação

candidatar a síndico?

da ata for relatado os fatos de forma obscura, ou não

Para se candidatar não há obstáculos, mas quem elege

corresponder exatamente como o condômino pensou

o síndico é a assembleia, elegendo o candidato com esta

ou solicitou para consignar em ata, basta retificar na

pendência, não há nada errado na eleição. Quem está

hora da leitura e aprovação da referida ata e acrescen-

pagando o débito não é considerado inadimplente.

tar no final todas as retificações e considerações que se fizerem necessárias.

2. O regimento do meu condomínio diz: A piscina

8

é de uso comum a todos os moradores do condomínio,

4. Quando o assaltante entra no condomínio, e

é permitido a cada condômino levar no máximo dois

assalta os moradores, qual a responsabilidade do con-

pa­r entes que estejam hospedados em seu aparta-

domínio em ressarcir os condôminos do prejuízo?

mento. Um condômino quer saber, se é permitido que

Na ausência de previsão, o pretendido ressarcimento

a babá dos seus filhos use a piscina em traje de banho

pelos condôminos ou inquilinos é descabido, consoante

com as crianças?

ditado pela legislação de regência e corroborado pelos

Este tipo de procedimento é regulado pela Convenção

enfrentamentos do assunto no âmbito dos nossos tribunais.

e o Regime Interno, caso não tenha definição nos Instru-

Nessa linha de raciocínio, o Superior Tribunal de Justiça

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

expressamente menciona que ”não há responsabilidade do condomínio se este não assumiu expressamente

Espaço do

Síndico profissional

em sua convenção a obrigação de indenizar os danos sofridos pelos condôminos, decorrentes de atos ilícitos ocorridos nas áreas comuns do prédio” (STJ, 4ª Turma, REsp 268669, Rel. Min. Aldir Passarinho Junior, DJU 01.10.2001). Aliás, idêntica tendência jurisprudencial é visuali­zada também nas demais turmas deste tribunal. 5. As atas das assembleias precisam ser registradas? A princípio se entende que ape­ nas as atas das Assembleias em que tenham sido discutidos assuntos de relevância tais como: todas as de caráter ordinárias - aprovação de contas e eleição do corpo diretivo e, ainda, aquelas extraordinárias que tenham aprovado elevação de despesas e atos administrativos que possam gerar discussões, mesmo judiciais, têm o seu registro indispensável. Por cautela e para se evitar controvérsias, recomenda-se o registro de todas. 6. Na convenção de condomínio, os juros poderão ser aumentados para compensar a redução de uma multa moratória para 2%? É possível usar a taxa SELIC? Sim, estatui o artigo 1336, parágrafo 1º do Código Civil, o condômino que não pagar a sua contribuição ficará sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de um por cento ao mês e multa de até 2% sobre o débito. Por este artigo entende-se que se não estiver convencionado, ou seja, inserido na convenção, serão co­brados os juros estabelecidos em lei. Quanto ao índice a ser aplicado, deverá constar na convenção. www.cadeosindico.com.br

CS julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

9

GESTÃO

Conta de água fica mais barata Condomínios com consumo acima de 30 metros cúbicos contarão com o benefício

re­presentarem um gasto significativo nos condomínios que não contam com medição individualizada, e independente de descontos, e redução de valores é importante economizar, preservar o meio ambiente, e reduzir os gastos nos condomínios. "Vazamentos nas unidades

Por Carla Farias

N

deiros vilões no consumo de água. Há de se as contas de água com

ter um controle diário sobre estes aspectos,

consumo acima de

e conscientização de moradores, cola­

30 metros cúbi-

boradores e gestores, não só

cos não será

na economia financeira, mas

mais cobrado o Imposto sobre

também no respeito ao meio

Circulação de Mercadorias e

ambiente. Existem empresas

Serviços (ICMS). Os administradores de condomínios com este consumo acreditam que a medida terá impacto significativo nas despesas de

particulares que prestam serviços de gestão de água, e através da tecnologia, auxi­ liam os condomínios à reduzirem o consumo. Num dos

condomínio, uma vez que os gastos com água, só perdem

condomínios que sou síndica, detectei um consumo muito

para os custos com pessoal.

alto para o número de condôminos, contratei o serviço de

Com a isenção do ICMS muitos condomínios poderão

uma destas empresas, implantei o sistema, e já estamos

aproveitar o que sobra do dinheiro para investir em

alcançando a redução satisfatória”, disse Eunice Ribeiro,

ou­t ras áreas que estão necessitando, ou até mesmo,

síndica profissional em Salvador.

reduzir a taxa mensal cobrada aos moradores. "Será

No dia 14 de maio foi publicado no Diário Oficial

preciso ava­liar o impacto desta redução de imposto nas

a Lei Estadual nº 12.811, que altera a Lei Estadual

contas, para determinar se realmente teremos condições

nº7.014, de 04 de dezembro de 1996, que instituiu a

de reduzir as taxas, pois além do consumo das unidades,

cobrança do ICMS nas contas de água na Bahia. No dia

temos o consumo da área comum", informou Eunice

10 de maio, o Supremo Tribunal Federal (STF) proferiu

Ribeiro, síndica profissional.

decisão contrária à cobrança do ICMS na conta do ser-

Alguns fatores influenciam para as contas de água

10

indivi­duais, e nas áreas comuns são verda-

Revista Cadê o Síndico ��� julho/agosto 2013

viço de abastecimento de água potável.

CS

www.cadeosindico.com.br

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

11

AUDITORIA CONTÁBIL

Por Michele Lordêlo

Contadora, empresária contábil, coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Unime L.F/Ba, especialista em contabilidade para empresas e condomínios, doutora em educação e membro da comissão mulher contabilista do Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia. m_lordelo@yahoo.com.br, Tel.: (71) 3022-7022.

Indícios de desvios de recursos nas contas condominiais como objeto de auditoria

P

ara todos que acompanham nossa coluna

internos específicos que devem ser realizados pela con­

na Revista Cadê o Síndico, destinamos esta

tabilidade ou administradora.

edição especialmente para abordar um tema

Torna-se cada vez mais complexo representar um con-

recorrente na contratação de nosso trabalho de Audi­

domínio e assinar pelo mesmo, sem que a prestação de

toria Revisional ou Preventiva sobre indícios de des­vios

contas seja elaborada, principalmente, na troca de gestão.

de recursos nas contas condominiais, tema que será

Para isto, a contratação de auditoria torna-se o principal

debatido no 1º Congresso Norte-Nordeste de Gestão

instrumento de respaldo para o novo síndico ou adminis-

Condominial, a ser realizado nos dias 29 e 30 de

trador assumir as contas condominiais.

novembro de 2013.

12

Seja para a auditoria preventiva que é realizada todos

Com o crescimento da movimentação bancária do

os meses ou na auditoria revisional (auditoria de levanta-

condomínio, do pagamento da folha dos colaboradores

mento de períodos específicos), contar com o apoio de uma

(por contratação própria) ou da administradora do con-

empresa especializada em auditoria, totalmente imparcial à

domínio (terceirizada) e dos gastos em geral, a nova

gestão do condomínio é fundamental neste processo.

gestão se vê incomodada, insegura, em assumir o con-

A economia gerada na contratação da auditoria evita

domínio que apresenta indícios de desvios de recursos

que novos desvios sejam praticados nas gestões futuras

na conta-corrente, no fundo fixo (caixa), na aquisição do

através da implantação de protocolos procedimentais de

imobilizado do condomínio desde sua implantação, no

controle interno, com base nas especificações de não-con-

controle da inadimplência devido à ausência de controles

formidades descritas no parecer de auditoria.

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

CS

www.cadeosindico.com.br

Informe Publicitário

Seu condomínio na Internet Nos tempos modernos o uso de internet é indispensável. A internet é uma forma de compartilhar e buscar informações. Mas como vemos isso em relação à condomínios?

D

entro de um condomínio temos vários tipos de pessoas com funções diferentes: têm os moradores, os síndicos, os funcionários, o administrador e os visitantes. Todos eles tem interesses e necessidades diferenciadas. Um morador quer informações sobre assuntos relacionados ao condomínio, os funcionários precisam administrar as horas que traba­ lham, quem entra no condomínio e entrar em contato com os moradores. O síndico tem a tarefa de administrar e resolver problemas do condomínio e por isso precisa de um meio de prestar um bom atendimento aos condôminos. A internet é o meio de beneficiar todos.

Nossa proposta é disponibilizar uma solução tecnológica que facilita o atendimento de todas estas demandas e muitas outras! O sistema Smart Condomínio é um site na internet, que possui como base um sistema de gestão que permite fazer o gerenciamento do site, administração de cadastros, chamadas e gestão financeira. Enfim, uma solução completa, de fácil aprendizado e utilização intuitiva. A homepage do site disponibiliza de forma controlada, informações destinadas aos visitantes que querem conhecer o condomínio. Navegando por uma área pública da homepage, o visitante pode obter informações gerais, como o endereço, mapa de localização, informações sobre lotes e casas à venda, dados de contato, entre outros. Todo morador tem login e senha que possibilita acessar uma área restrita, que permite acesso às informações sigi­ losas, elaborar discussões num fórum, votar sobre assuntos de assembleias e reuniões de condomínio, baixar documen­

www.cadeosindico.com.br

tos como atas e balancetes, ver detalhes de prestadores de serviços disponíveis em várias categorias, ver a agenda com eventos, entrar em contato com o síndico e muito mais. No sistema de gestão, o síndico pode gerenciar o conteúdo do site para alterar menus, conteúdo, fotos, vídeos e áudios. Também há a possibilidade de tratar chamadas do atendi­ mento referentes a solicitações e pendências de serviços. Todo assunto recebe um número de protocolo, que pode ser usado para fácil pesquisa. Ademais, todo o histórico das chamadas é armazenado, tornando possível futuras consultas. O sistema de gestão oferece a possibilidade de fazer a administração financeira completa do condomínio, cadas­ trando recebimentos e pagamentos, geração automática de boletos de cobrança e balancetes com todas as informações necessárias e imediatamente disponíveis para consulta.

Principais vantagens • Disponibilizar informações de uma forma centralizada; • Melhorar a comunicação entre moradores e a participação sobre assuntos do condomínio; • Centralizar e profissionalizar o atendimento de moradores usando o “sistema de chamadas”; • Realizar assembleia virtual, que permite aos moradores expressar opinião, sem precisar sair de casa; • Gerir e efetuar a administração financeira e segunda via de boletos integrado no sistema, além de relatórios gerenciais; • Ofertar um ambiente onde os moradores possam postar anúncios gratuitamente (como venda de veículos, locação de casa, dentre outros); • Permitir a veiculação de dados como achados e perdidos, prestadores de serviços com coparticipação dos moradores; • Dispor de cadastro de moradores e fornecedores com a ferramenta newsletter para envio em massa de informações e circulares. Para uma demonstração sem compromisso entre em con­ tato ou acesse: www.smartcondominio.com

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

13

GESTÃO DE PESSOAS

Por Cristiane Araujo Professora do MBA em Gestão de Pessoas da Unipessoa

A Responsabilidade Social e as Organizações

A

partir da década de 80, verifica-se um forte

regulares da empresa, saúde e segurança dos funcionários e

movimento de internacionalização das econo-

qualidade do ambiente de trabalho;

mias capitalistas que se convencionou chamar de

• Gestão social externa – refere-se ao ônus das externali-

globalização. Um dos traços marcantes deste processo é a cres-

dades negativas ao meio ambiente (poluição, uso de recursos

cente movimentação de empresas nacionais e multinacionais.

naturais, etc.), à sociedade (demissões, comunidade ao redor

Empresas, empresários e governos conscientes dos ris-

da empresa) e aos seus consumidores (segurança e qualidade

cos envolvidos na adoção indiscriminada de uma nova lógica

dos produtos e serviços);

econômica globalizante buscam caminhos para atenuar seus

• Gestão social cidadã – abrange questões de bem estar

efeitos e diminuir seus riscos. NETO & FROES (2001) salien-

social. A empresa insere-se socialmente na comunidade, pro-

tam que a saída para este impasse está no desenvolvimento de

move o desenvolvimento social e atua no campo da cidadania,

uma nova lógica, denominada de racionalidade social, tendo

mediante ações de filantropia e implementação de projetos

como características: as empresas como principais agentes;

sociais. Neste estágio a empresa desenvolve ações sociais que

foco na comunidade; ênfase na prática da solidariedade;

extrapolam o âmbito da comunidade local e que se estendem

desenvolvimento da comunidade a partir das ações sociais

à sociedade como um todo.

empresariais; e a empresa como um investidor social.

Através da descrição desses estágios é possível perceber

A operacionalização da lógica da racionalidade social

a amplitude das ações internas e externas que as organiza-

ocorre através do exercício da responsabilidade social, sendo

ções devem desenvolver para serem consideradas socialmente

considerada como um processo dinâmico a ser conduzido

responsáveis. GARAY (2001) salienta que as organizações, ao

com vigilância permanente, de forma inovadora e dotado de

agirem desta forma, adicionam às suas competências básicas

mecanismos inovadores e de sustentabilidade. Segundo NETO

um comportamento ético e político, através da participação

& FROES (2001), existem três estágios de responsabilidade

junto ao estado e da sociedade civil organizada, das decisões

corporativa:

e ações relativas à construção de formas de melhor enfrentar

• Gestão social interna – tem como foco as atividades

os problemas sociais que hoje atingem a todos.

CS

Bibliografia: NETO, Francisco Paulo de Melo; FROES, César: Gestão da Responsabilidade Social Corporativa: O caso Brasileiro: Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001. GARAY, Ângela Beatriz Scheffer. Voluntariado empresarial: modismo ou elemento estratégico. Anais do XXV ENANPAD, Campinas/SP, 2001.

14

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

SUSTENTABILIDADE

Arte retirada do lixo! Materiais descartados podem ser reaproveitados e virar artigo de decoração

Por Carla Farias

P

clagem”, informou o artesão João Telmo. A dica para não errar na hora de transformar o mate-

apel, plástico, metal, vidro e criatividade.

rial que seria descartado é evitar exageros e ser criativo.

Estes são os itens básicos para quem toma

Deve-se tomar cuidado para os objetos não se destacarem

a iniciativa de reciclar e gerar produtos

muito e terminar deixando os ambientes sobrecarregados,

surpreendentes.

para isso, existe a personalização, com

É possível transformar o visual

o auxílio de novas pinturas e trocas de

de áreas do condomínio com

tecidos. Entretanto, também é interes-

materiais que seriam, simples-

sante deixar o material reaproveitado

mente, jogados no lixo.

em estado bruto.

CS

Os materiais recicláveis podem ser transformados em objetos decorativos e até

Curso para condomínios

mesmo móveis com um custo

A empresa Arts Pets capacita pes-

muito baixo. “As peças de

soas a reaproveitarem as garrafas

material reciclado estão

PETs, fazendo mobiliários, utilidades,

ganhando espaço nas decorações. É vantajoso finan-

brinquedos, bijuterias, vassouras e flores.

ceiramente, pois é possível transformar ambientes sem

• Oficina de 2 horas para aprender a construir cadeira,

realizar muitos gastos e com as técnicas artesanais,

globo e bomboniere. Mínimo de 20 alunos. Custo de R$5,00

é possível produzir peças com um bom acabamento”,

e um quilo de alimento não perecível por aluno. A empresa

disse a design de interiores Cristiane Façanha.

leva todo o material.

O reaproveitamento do que seria lixo representa

• Capacitação de 40 horas aula para aprender a pro-

diversas vantagens, como a preservação do meio ambi-

duzir móveis, bijuterias, luminárias e brinquedos. Custo de

ente, a redução dos custos com coleta e o aumento da

R$6,00 por aluno. Material utilizado: Garrafas pet, tesoura

vida útil dos aterros sanitários. “Quando você separa

e estilete.

resíduos recicláveis, colabora com a qualidade de

Para contratar o curso que é realizado nos con-

vida da cidade e gera emprego e renda. Nós tentamos

domínios ligue para 3461-7118/9276-5802 ou envie

eli­m inar dejetos plásticos descartados todos os dias

e-mail para artspets@yahoo.com.br.

nas ruas, e utilizamos como matéria prima para reci­

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

15

SR. SÍNDICO

Por Ionara Ribeiro

Dra. Ionara Ribeiro é advogada titular do escritório Ionara Ribeiro Advogados, especializada em Condomínios Edilícios e Incorporações Imobiliárias. ionararibeiro@ionararibeiro.adv.br, Tel.: 71 3797-6277 / 3011-5801.

Rateio da taxa condominial

U

ma recente decisão do STJ tem motivado os

O TJMG e o STJ constataram que apesar do § 1º do artigo

condomínios a realizarem alteração na sua con-

12 da Lei nº 4.591/64 e o inciso I, do art. 1.336 do Código

venção, no que diz respeito à forma de rateio da

Civil dispor a forma de rateio de despesas pela fração ideal, o

taxa condominial, que em sua grande maioria optam pela

fato destes artigos estipularem “salvo disposição em contrário

fração ideal, cobrando um valor bem maior para as unidades

na convenção”, confirma que critério de rateio pela fração ideal

cobertura e um valor menor para as unidades tipo.

deve ser evitado em determinados casos, para não afrontar os

No julgamento do Recurso Especial 1104352MG

artigos 884 e 2035 do Código Civil. O legislador estabeleceu

- 2008/0256572-9, o STJ fundamenta sua decisão argu-

essa exceção para que fosse dada a liberdade da assembleia

mentando que a taxa condominial se constitui num rateio de

geral adotar outro critério que fosse justo, que buscasse cobrar

despesas para custear os serviços que são oferecidos pelo

de cada unidade o que realmente utiliza e se beneficia dos

condomínio e que são utilizados por todos os moradores, inde-

serviços que são prestados nas áreas comuns.

pendente do tamanho de sua unidade autônoma.

mesmo que os apartamentos tipo, pois as despesas que

mou a decisão unânime dos desembargadores do Tribunal de

geram o rateio decorrem do uso das áreas comuns (elevador,

Justiça de Minas Gerais, manteve a condenação do condomínio

energia elétrica, piscina, empregados, manutenção, etc).

anulando a forma de rateio por fração ideal, determinando a

No caso dos condomínios que não possuem água e

forma de rateio igualitária entre os apartamentos e compeliu o

gás individualizados, se justifica a cobrança diferenciada

condomínio a devolver os valores que foram cobrados a mais

da taxa condominial, pois há um consumo maior por parte

à unidade cobertura.

das unidades cobertura, pois a grande maioria delas possui

A decisão confirmou que o uso da fração ideal acar-

16

Os apartamentos maiores, normalmente, gastam o

O ministro Marco Buzzi, relator do processo que confir-

piscina, churrasqueira, etc.

reta enriquecimento ilícito dos proprietários das unidades

Desse modo, considera-se mais sensato o rateio iguali-

menores quando estes pagam menos por serviços que são

tário. A cobrança maior de qualquer taxa somente se justifica

utilizados igualmente por todas as unidades, indepen-

sobre a despesa e somente se esta efetivamente for gerada

dentemente do tamanho.

em excesso por determinada unidade.

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

CS

www.cadeosindico.com.br

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

17

CAPA

1º Congresso de Gestão de Condomínios em Salvador Profissionais renomados irão passar instruções para gestões mais transparentes e ativas

Por Carla Farias

papel de forma a contribuir com o desempenho do outro. Traremos ainda uma visão do que existe de mais moderno

U

18

em termos de gestão participativa onde condôminos e a

m gestor de condomínio para ser eficiente

equipe diretiva atuam em perfeita simbiose”, informou o

e inovador, precisa se capacitar e acom-

advogado especialista em direito imobiliário em São Paulo,

panhar as transformações na sociedade.

Alexandre Marques, que irá participar do congresso com

São muitos itens a serem cumpridos roti-

informações sobre sustentabilidade, otimização de recur-

neiramente, entre atividades operacionais e gerenciais,

sos financeiros e de pessoal, cobrança de devedores e

que envolvem questões jurídicas, administrativas, soci-

formas de coibir os atrasos.

ais e financeiras. Com o intuito de proporcionar mais

Este é o primeiro evento especializado em gestão de

conhecimento e promover a atualização dos síndicos,

condomínios que irá acontecer em Salvador e as infor-

administradores e gestores, a DiMagnavita Produções e

mações serão transmitidas de forma que todos se sintam

Eventos, o Clube dos Seguradores da Bahia e a Revista

interessados, atraídos e habilitados a aplicarem no outro

Cadê o Síndico, irão realizar nos dias 29 e 30 de novem-

dia em seus condomínios. “Um congresso desse porte será

bro deste ano o 1º Congresso Norte-Nordeste de Gestão de

uma grande oportunidade para que os interessados pos-

Condomínios, no Hotel Pestana, em Salvador, Bahia.

sam se atualizar. Nesse evento, serão discutidos assuntos

Profissionais e especialistas de todo o país irão

relevantes e necessários para a prática da gestão de con-

discutir diversos temas que envolvem a gestão de con-

domínio, rotina dos profissionais que tornam o convívio

domínios, esclarecendo dúvidas, e proporcionando dicas

em ambientes mais agradáveis, além de apresentar o que

para me­lhorar o desempenho do trabalho. “Esperamos

existe de mais atual em termos de produtos e serviços”,

contribuir, ainda que minimamente com os síndicos, con-

disse Nelson Uzêda, um dos promotores do evento.

selheiros, condôminos e administradores, trazendo uma

“Já possuíamos interesse em participar de um evento

visão ampla e sistêmica de uma gestão eficaz e respal-

que disseminasse informação, conteúdo e conhecimento

dada pela participação necessária de cada um na vida em

para auxiliar a gestão de síndicos e administradores. Além

condomínio. O síndico, subsíndico, conselheiros e admi-

de incentivar a participação dos condôminos no ambiente

nistradores têm funções distintas e específicas previstas

condominial. Vale destacar também, que nesse Congresso

em lei e na convenção e, cada um deve desempenhar seu

será possível estreitar os relacionamentos entres os cli-

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

Confira a programação 29/11 (sexta) - Cursos Pré-congre sso Curso 1 – Assessoria Jurídica (das 8h30 às 12h30) - Coordenação: Dra. Rosemar Smera (BA) 08h30 – Responsabilidade Civil do Condomínio e do Síndico – Dr. Már cio Rachkorsky (SP) 10h – Coffee break/Visita à EXPOCO ND 10h30 – Conflitos em Condomín io – Soluções Jurídicas – Dr. Alexandr e Macedo Marques (SP) Curso 2 – Manutenção e Seguranç a

Condominial (das 14h às 18h30) Carmem Suely Vieira (BA) – (Máq uinas, Bombas, Elétrica, Tubulações, Limpeza Tanques, Poço s Artesianos, Elevadores, Piscina, Academia, etc) 15h – Isolamento Acústico – Arq. Débora Miranda Barretto Pereira (BA) 15h30 – Combate a Incêndio 16h – Coffee break/Visita EXPOCO ND - exclusiva para os participantes do congresso mediante uso do crachá 16h30 – Segurança Condominial – Dr. Nino Meireles (BA) - (Tecnolo gias, Vigilância, Segurança, Câmeras, Posição Portarias, Trein amento Colaboradores, Ações de Emergência, etc) 14h – Manutenção Predial – Arq.

Curso 3 – Gestão Condominial (das 8h30

08h30 – Gestão de Conflitos - Prof a.

às 12h30 e das 14h às 18h15)

Cristiane Araújo (BA) 09h20 – Relações Trabalhistas – Dra. Ionara Ribeiro (BA) 10h05 – Coffee break/Visita EXP OCOND 10h30 – Contabilidade – Dr. Ary Cabral (BA)

11h30 – Auditoria Preventiva – Dra. Michele Lordêlo (BA) 12h30 – Intervalo de Almoço (livre )/Visita EXPOCOND 14h – Síndico Profissional – Econ . José Carlos Galante 14h40 – Seguro – Prof. Nelson Uzed a - Discussão 15h20 – Construção e Reformas – Arq. Fernanda Freitas e Arq. Rena ta Riccó 16h – Coffee break/Visita EXPOCO ND 16h30 – Aspectos Sociais: Moderad ora – Dra. Rosemar Smera (BA) - Sustentabilidade e Qualidade de Vida – Profa. Selma Magnavita (BA) - Boas Práticas no Controle de Prag as – Dra. Adriana Cavalcanti (BA) - Geração de Eletricidade Solar – Adm. Marco Nowak (BA)

Dia 30/11 (sábado) - Congresso 08h30 – Abertura do Congresso edo Marques (SP) de Condomínio – Dr. Alexandre Mac 09h – Conferência Magna: Gestão

OCOND 10h – Coffee break e Visita à EXP Smera (BA) Advogados: ência – Moderadora: Dra. Rosemar 10h30 – Mesa Redonda: Inadimpl Carlos Comarela (BA), Síndico: Econ. José Dra. Ionara Ribeiro (BA) e Dra. Kátia Cabral (BA) Galante (BA), Administrador: Ary rdo Gandarela (BA) 11h30 – Motivação – Prof. Edua e)/ Visita EXPOCOND 12h15 – Intervalo de Almoço (Livr Lordêlo (BA) Gestão Financeira – Dra. Michele 14h – Auditoria como Controle de a e Leonardo Dias (BA) a de Água – Adm. Francisco Mot 14h45 – Medição Individualizad utenção – Eng°Vandilson Alves (BA) 15h30 – Elevadores: Gestão de Man EXPOCOND 16h15 – Coffee Break e Visita à a de Gás - Eng°Guilherme Aires 16h45 – Medição Individualizad Márcio Rachkorsky (SP) ento: Condômino Antissocial – Dr. 17h30 – Conferência de Encerram www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

19

CAPA entes e os prestadores de serviço, através da presença de

sionais da área. Os temas irão abranger todas as demandas

nossos parceiros, que acreditam e apostam no sucesso

da gestão condominial como responsabilidade civil do con-

desse evento, assim como nós”, disse Castro, sócio-diretor

domínio e do síndico, conflitos em condomínios - soluções

da Revista Cadê o Síndico.

jurídicas, manutenção predial (máquinas, bombas, elétrica,

Na programação do congresso haverá espaço para

tubulações, limpeza de tanques, elevadores, piscinas, poços

realização de simpósio satélite, cujo assunto não consta na

artesianos), isolamento acústico, prevenção e combate a

grade da programação científica do congresso. As empre-

incêndio, segurança condominial (vigilância, segurança,

sas interessadas em promover um simpósio satélite para

câmeras, posição de portarias, tecnologias e treinamento),

melhor expor seus produtos ou serviços, poderão sugerir

relações trabalhistas e outros, proferidas e discutidas por

um tema e após aprovação da comissão organizadora, será

profissionais capacitados, de renome no mercado entre

inserido na programação do evento.

engenheiros, arquitetos, advogados, gestores e etc.

As inscrições contam com descontos regressivos até

O site do congresso contém todas as informações impor-

o dia 15 de novembro, ou seja, quanto mais cedo realizá-

tantes, inclusive sobre como realizar a inscrição, acesse

la, maior será a porcentagem de abatimento. “Já garanti

www.dimagnavitaeventos.com.br/condominio/site/ ou

a minha vaga no evento e aproveitei o desconto das pri-

através do (71) 3358-2318 / 3354-4543.

meiras inscrições. Sou arquiteto, e tenho interesse em conhecer mais sobre o assunto, pois pretendo trabalhar em vistorias e perícias e acredito que esse congresso me ajudará bastante”, disse Luiz Vinicius Britto.

20

Conheça os Palestrantes Adriana Cavalcanti, Alexandre Marques, Carmem Suely Vieira, Cristiane Araújo, Débora Barretto, Eduardo

De acordo com Diana Magnavita, da empresa orga-

Gandarela, Guilherme Aires, Ionara Ribeiro, José Carlos

nizadora DiMagnavita Produções e Eventos, o congresso

Galante, Kátia Comarela, Márcio Rachkorsky (Sp), Marco

é destinado para gestores, síndicos, condôminos, zela-

Nowak, Michele Lordêlo, Nelson Uzeda, Nino Meire-

dores, assessores jurídico, administradores, associações de

les, Renata Riccó, Rosemar Smera, Selma Magnavita e

bairros, funcionários de condomínio, estudantes e profis-

Vandilson Alves.

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

CS

www.cadeosindico.com.br

LEGISLAÇÃO

Quando a responsabilidade é da construtora? Código de Defesa do Consumidor estabelece prazo de garantia após entrega do imóvel Por Carla Farias

Q

uso ou falta de conservação e/ou manutenção. E mesmo passado os cinco anos de garantia da obra, o condomínio pode entrar na justiça para pedir reparo ou indenização quando o empreendimento apresentar proble­mas estruturais”, disse. O comprador ao identificar algum defeito no imóvel, deve comunicar a construtora para que seja feita uma inspeção técnica e a depender do resultado, iniciar o procedimento de

uem adquire um imóvel não espera ter

reparo. “Comprei meu apartamento na planta, e decidi reali-

que lidar com problemas estruturais

zar algumas alterações ainda na construção. Contratei uma

desenvolvidos por erros na construção.

arquiteta que desenvolveu um projeto, e entregou na constru-

No entanto, assim como outros bens,

tora. O projeto foi autorizado, paguei os custos da modificação,

condomínios também têm garantias, que exigem das

ficou tudo correto e recebi as chaves do apartamento. Porém,

construtoras e incorporadoras um período de cobertura

quando fui realizar as instalações de ar-condicionado, TV a

para defeitos no imóvel.

cabo, telefone e internet, percebei que os cabos não passavam

De acordo com a advogada, Ionara Ribeiro, a lei do con-

ou não existiam. Levei a reclamação para a construtora e tive

sumidor exige que construtoras e incorporadoras forneçam

que esperar por 5 meses para receber a visita de um técnico

um período de garantia de 90 dias para possíveis defeitos

e enfim, resolver o meu problema. Agora, apareceu um novo,

aparentes, de fácil constatação, e de cinco anos com rela-

minhas portas estão inchando, já entrei em contato, e, até

ção à solidez e segurança da edificação. “Isso significa que,

hoje, não vieram fazer a inspeção, estou no aguardo”, este foi

mesmo depois do imóvel pronto e da chave entregue ao comprador, a construtora tem o dever de arcar com defeitos que

o relato do industriário José Jorge Cerqueira, morador do Condomínio Moradas dos Príncipes. Pesquisas apontam que o mau uso e a manutenção

não foram

incorreta das edificações são responsáveis por cerca de

causados

10% das falhas e defeitos dos imóveis. “Determinar o

por mau

responsável por grandes falhas ou pequenos defeitos não é muito simples, exige uma assessoria técnica para a constatação de que o problema não foi causado pela falta de manutenção, ou uso ina­ dequado. Alguns problemas podem ser evitados através da leitura do manual do proprietário, que contém as informações para fazer bom uso do imóvel, como orientações e dicas de uso do empreendimento”, afirmou Robson Almeida, engenheiro civil. Os prazos de garantia variam de empresa para empresa, se o problema for detectado em áreas de uso comum, o síndico deve se encarregar de comunicar o problema à construtora.

www.cadeosindico.com.br

CS

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

21

DIA A DIA DO SÍNDICO

Por Rosemar Smera

Dra. Rosemar Smera é especialista em direito condominial e sócia da empresa Adcon Administração de Condomínios. Tel.: 71 3272-1354

Animais de estimação em apartamentos

U

m dos problemas mais comuns em con­domínios é a existência de animais de estimação em

de animais, devem ter compreensão e respeitá-los.

apartamentos. O assunto é muito discutido em

Os donos dos animais, por sua vez, devem observar

assembleias, mas caso a convenção do condomínio proíba

que raças de animais se adaptam melhor à convivência

a existência de animais em apartamentos, estará violando

em apartamentos, a higiene, a vacinação do animal, man-

o direito de propriedade do condômino, amparado pelo

ter o animal em coleiras e guias quando estiverem em

artigo 5, da Constituição Federal.

áreas comuns, coletar e limpar dejetos das necessidades

O regimento interno, entretanto, poderá prever regras e normas de boa convivência para a permanência de animais de estimação nos apartamentos, que devem ser seguidas pelos condôminos.

fisiológicas e respeitar a lei do silêncio. E lembre-se, o vizinho não é obrigado a gostar de animais. Portanto, é permitida a existência de animais em apartamentos, desde que estes não ofereçam riscos à

É necessário obervar que a lei

segurança de terceiros, não perturbem o sossego, nem

assegura o direito do condômino de

sujem as áreas pertinentes ao condomínio. Se isso

usar e fruir de sua unidade autônoma,

ocorrer, o Direito de Propriedade dos

mas devem ser seguidas normas de

demais condôminos fica ameaçado e

boa vi­zinhança, para não causar dano ou incômodo aos demais moradores. Estas regras podem estabelecer locais

será cabível uma ação judicial. Para se viver em coletividade devemos ter normas de bom senso

de acesso dos animais, como uso exclusivo do

e razoabilidade. A existência de

elevador de serviço, o horário de silêncio a

um animal em con­domínio pode e

ser respeitado, a exigência de apresenta-

deve ser um laço de harmonia na

ção de carteira de vacinação do animal

vi­zinhança e não mais um pro­blema

quando solicitado, etc.

22

O síndico e demais moradores, mesmo que não gostem

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

para a comunidade.

CS

www.cadeosindico.com.br

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

23

PREVENÇÃO

Fogos de artifício Uma tradição das festas comemorativas de São João representa perigo em muitos locais Por Carla Farias

crianças soltá-los sozinhas. "Em caso de queimaduras deve-se resfriar o local com água a temperatura ambiente

E

dura e posteriormente encaminhar aos cuidados médicos",

baiana tem o costume de acender fogueiras e

informou o médico Daniel Gomes.

soltar fogos de artifícios para comemorar os

Em se tratando de prevenção contra incêndios, a

festejos que marcam o período. É claro que as

síndica profissional Eunice Ribeiro dá dicas interessantes:

chamas da fogueira, e a beleza das luzes dos fogos fazem

"Uma vez síndico, devemos estar atentos à todas as

com que a festividade seja ainda mais interessante, mas o

obrigações. Com relação a incêndio eu passo as seguintes

risco que muitos correm com a introdução desses diverti-

instruções: as escadas de emergência devem permanecer

mentos podem acarretar em muitas consequências.

sempre livres; as luminárias de emergência sempre fun-

"Neste período, é importante orientar os moradores

cionando; os extintores deverão ser sempre recarregados

sobre o uso de fogos nos condomínios, e verificar a neces-

no prazo de validade; as portas corta fogo devem estar

sidade de um plano de emergência, rotas de fuga em caso

em perfeito estado de uso, e sempre fechadas; Brigada de

de sinistro, manutenção dos equipamentos portáteis de

Incêndio deve ser formada e treinada para orientar fun-

combate a incêndio e treinamento com moradores e fun-

cionários e os condôminos à evacuar o prédio e prestar

cionários para prevenir contra qualquer tipo de acidente

os primeiros socorros. Além de testar a central de alarme

com fogos, e incêndio", disse a Capitã do Corpo de Bom-

e realizar simulação".

beiros Ana Souza.

24

(água da torneira), não colocar produto sobre a queima­

ntre os meses de junho e julho, a população

De acordo com o artigo 21 do Decreto nº 12.163 de

Para os que não deixam de soltar os fogos de artifícios,

07 de junho de 2010, fica proibido soltar bombas, fogos

é importante verificar as classes e recomendações de uti-

de artifício ou pirotécnico nas portas, janelas, terraços

lização expostas nas embalagens dos fogos e não deixar

dando para via pública.

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

CS

www.cadeosindico.com.br

CS

www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

25

SAÚDE AMBIENTAL

Garantia do serviço de controle de pragas Após contratação, o monitoramento deve ser periódico

quando surgiu foi amplamente utilizado

Por Danilo Roriz

como “salvação da lavoura” e “aniquilador de

A

centenas de milhares de vidas como o moso contratar

quito causador da malária, levando o sintetizador

um serviço

do inseticida ao Prêmio Nobel no fim dos anos 40.

de controle de baratas, ratos, cupins,

etc, o síndico deve esquecer a

O fato é que em sessenta anos a ciência evoluiu e comprovou os estragos causados pelo DDT e seus similares a saúde e ao meio ambi-

ideia criada no passado de que

ente, levando os laboratórios a pesquisarem

inseticidas e raticidas possuem

produtos cada vez mais seguros, bio-

eficácia longa, exterminando as

degradáveis e de baixo impacto

pragas e mantendo o ambiente

ambiental. Tal mudança impôs

protegido por meses. Essa ideia

uma mudança radical no modo

errônea e ainda presente nos

de se controlar as pragas,

tempos de hoje, advêm da era

onde a prevenção, o conhe-

em que um produto altamente

cimento da espécie infestante

resistente no ambiente e tam-

e o monitoramento cons­

bém pode­rosamente maléfico

tante, assumiram o lugar da

a saúde, persistia nos locais

aplicação do DDT, a chamada

onde era pulverizado por meses

“dedetização”, termo equivocada-

ou até anos. Tratava-se do temível DDT (Dicloro-Difenil-Tricloroetano). que

26

pragas” que na época ceifavam anualmente

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

mente utilizado até hoje, visto que, ele foi proibido há mais de 25 anos. A dedetização do passado cedeu

www.cadeosindico.com.br

lugar ao conceito mundial de Controle Integrado de Pragas (CIP), onde medidas

Espaço

Controle de pragas

preventivas, corretivas, a aplicação de técnicas modernas e produtos cada vez mais seguros, formam os pilares do serviço. Para isso, é indispensável uma boa inspeção técnica com profissionais capacitados e monitoramentos freqüentes para garantia de um ambiente livre de insetos e ratos. A ANVISA em sua resolução RDC 52 de 2009, define o Controle de Pragas Urbanas como conjunto de ações com periodicidade mi­­ nimamente mensal. Portanto, na hora de contratar este serviço o sín­d ico deve estar atento aos prazos de garantia oferecidos e exigir a obri­ gatoriedade de visitas de manutenção, solicitando da prestadora que a mesma explicite na proposta tais condições. Vale lembrar que o gestor deve exigir também que a empresa possua alvará sanitário vigente, inscrição em algum órgão de classe como CREA, Conselho de Veterinária, de Química, ou outros, tenha licença ambiental e possua um responsável técnico atuante com formação superior na área, para dirimir dúvidas e a se apresentar quando soli­citado.

CS

Danilo Roriz (Médico Veterinário CRMV BA 2262) - Consultor de empresas de controle de pragas urbanas, Sócio da Solaris Ambiental. Tel. (71) 9127-9516 / danilo. roriz@solarisambiental.com.br www.cadeosindico.com.br

Para se tornar anuciante no segmento de controle de pragas e saúde ambiental da revista Cadê o Síndico basta estar afiliado a ABCPrag

Síndicos e administradores, ao contratarem uma empresa de controle de pragas, verifique se tem: • Alvará da vigilância sanitária atualizado •Se está enquadrada na resolução RDC 52 de 22 de outubro de 2009 • Se é filiada à ABCPrag Rua Artur de Azevedo Machado, 1252, Ed. Yasmin, sala 201 Costa Azul - CEP: 41770-790 - Salvador/BA atendimento@abcprag.com.br - Tel.: (71) 3013-8788 / telefax: 3013-8777 (atendimento de 8 às 12 horas) março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

27

ELEVADORES

REEDIÇÃO

Por Vandilson Alves

Vandilson Alves é engenheiro, consultor e perito em transporte vertical. vandilson_alves@yahoo.com.br

Por que contratar uma consultoria especializada?

M

Vazamento de óleo na máquina de tração

esmo conscien­tes de que os ele­vadores são equi­

Nesta situação, a vida útil da máquina de tração fica bastante reduzida

pamentos de segurança e que transportam vidas, a maioria dos síndicos desconhece seu estado geral.

Em alguns casos, sentem-se seguros quanto à conservação dos mesmos ao pagarem valores altíssimos de mensalidade. Assim, recomendamos aos condomínios a contratação de consultoria especializada, com o objetivo de orientar, inspecionar e testar os equipamentos, a fim de assegurar que os elevadores estão sendo montados ou conservados de acordo com a boa técnica de engenharia e com as normas técnicas

Distância mínima entre molas e contrapeso Se o contrapeso encostar na mola, a máquina de tração poderá não ter força suficiente para nivelar o e­ levador no último andar. As consequências são sérias avarias ao equipamento.

Fusível adaptado através de fio-ponte (JUMPER)

vigentes. A consultoria deve ser acionada, especialmente nos casos abaixo:

Esta inadequada adaptação, através de fio de amperagem desconhecida, po­derá trazer uma pane elétrica ao quadro de comando com prejuízos ao seu funcionamento.

1. Elevadores que apresentam paralisações constantes; 2. Apresentação de orçamentos adicionais, cujos valores são demasiadamente altos; 3. Existência de evidências de que os serviços de manutenção não estão sendo realizados a­dequadamente;

Cabina do elevador sem tapavista (avental)

4. Alto índice de reclamação dos usuários; 5. Em caso de substituição ou modernização dos elevadores por iniciativa do condomínio. Segue ao lado, alguns exem­plos de irregularidades encontradas no dia a dia, identificadas por inspeção técnica de consultoria, que geram muitas surpresas e perplexidade aos síndicos.

28

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

A função do avental é impedir que o passageiro, ao tentar sair da cabina após uma pane, caia no poço do elevador.

CS

www.cadeosindico.com.br

PISCINA

Apareceu um animal morto na piscina, o que eu faço? Por Antônio Coradinho

Os problemas estruturais, como trincas e rachadu-

coradinho@coragua.com.br

ras podem ocorrer, porque quando a piscina está cheia e principalmente em piscinas abaixo do nível do solo

É

muito comum, aparecer animais mortos nas

(enterradas), a água forma uma pressão nas paredes

piscinas, como sapos, ratos e cobras, prin-

internas e o solo em volta forma uma contra pressão.

cipalmente em lugares de muita vege­tação

Ela vazia deixa de existir a pressão interna e a contrapre-

em volta. A primeira reação do responsável é

ssão do solo, força a parede externa, podendo causar as

esvaziar a piscina para evitar con-

trincas ou rachaduras.

taminação, e encher novamente

As piscinas de fibra de vidro

com água nova. Esta atitude além

são as mais críticas em situações

de desnecessária e onerosa pode

como esta, e nunca deverão ser

causar certos problemas estru­

esvaziadas abruptamente. Como

turais à piscina.

as paredes são muito finas,

A água da rede pública, que

existe um frágil equilíbrio entre

provêm de rios e barragens,

a pressão interna e externa nas

antes de ser tratada, já teve

paredes.

todo o tipo de contaminante. O tratamento elimina estes

Certa vez, recebi no final Piscinas de fibra nunca devem ser esvaziadas

contaminantes. Com a água da

da tarde, ligação de um síndico de um condomínio, informando

piscina acontece a mesma coisa. Havendo um animal

que tinha um rato morto na piscina, que era de fibra de

morto ou qualquer outro tipo de contaminação orgânica,

vidro, e qual seriam os procedimentos. Indiquei a super-

o animal deve ser retirado e ser aplicado uma superdosa-

cloração, mas por pressão dos moradores, o síndico

gem de cloro de 15g/m³.

resolveu por conta própria esvaziar a piscina. No outro

Nesta concentração o cloro elimina qualquer contaminação, restabelecendo a condição segura e livre

dia quando cheguei, a piscina estava rachada no fundo, de uma ponta a outra, prejuízo total.

de contaminantes orgânicos. Mas, a piscina só pode

As piscinas de alvenaria também apresentam esta

ser libe­r ada para uso quando a concentração de cloro

situação em menor grau, porque as paredes são mais

baixar para menos de 3 ppm, o que pode levar um ou

resistentes do que as de fibra. Nas piscinas de concreto

mais dias, o que evita a contaminação química, quando

este tipo de ocorrência é muito raro, mas possível de

o cloro está acima de 3ppm.

acontecer.

www.cadeosindico.com.br

CS

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

29

MANUTENÇÃO

Por onde a água vem?

Contratar um especialista é a melhor opção ao detectar os primeiros sinais de infiltração

E

ACADEMIA - EQUIP. DE GINÁSTICA

ACADEMIA - ORIENTAÇÃO COND.

m períodos de chuvas intensas, as infiltrações surgem com mais frequência, e se não forem combatidas com agilidade, podem comprometer a estrutura dos imóveis e gerar pro­blemas aos moradores. Especialistas e técnicos

afirmam que a falta de impermeabilização na construção ou reforma é o principal causador do problema. Fissura, mofo, manchas e bolhas nas pinturas são os indícios de que está ocorrendo uma infiltração, porém a origem do problema, nem sempre é identificada, o que pode acarretar perdas materiais e retrabalho. “Já tive casos, em que não identificamos a origem da infiltração e tivemos que refazer a obra. Ás vezes, a água percorre por dentro da estrutura, o que dificulta encontrar a procedência do problema. Tive um caso, que o cano furou no 6º pavimento e a água só infiltrava no 2º. Tivemos que quebrar várias paredes para encontrá-lo. Além disso, os próprios moradores podem furar algum cano e esse vazamento só aparecer depois de anos, pois quando se fura o cano, até mesmo um parafuso pode vedar até começar a corrosão. Outros casos comuns, são as piscinas, já tive uma

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

obra que estava pronta, e tivemos que refazer, por não detectar a origem do vazamento”, afirmou a engenheira civil Juliana Biazin. As infiltrações podem ser evitadas através de um procedimento simples realizado durante a construção ou reforma, a impermeabilização. “Geralmente as infiltrações são causadas pela falta de impermeabilização nas obras combinada com a água da chuva, umidade, falhas nas tubulações e rejuntes. Quando aparecem os sinais de infiltração, é preciso um especia­lista vistoriar o local para identificar a melhor forma de tratamento. Quando o projeto de impermeabilização é implantado junto ao projeto da obra e consequentemente executado ao logo da construção, o custo do serviço é de aproximadamente 3% em relação ao porte da obra, caso contrário, para realizar a correção o custo pode ser muito maior, chegando à 30%”, disse Fabiane Oliveira, técnica em edificações, e membro do departamento técnico da empresa Vedacit. É importante realizar a manutenção predial, e evitar vários problemas, dentre eles, infiltração, estrutura e pintura, o acúmulo da falta de manutenção torna-se mais caro na hora da execução do serviço.

30

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

CS

www.cadeosindico.com.br

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ACS Administração de condomínios e Contabilidade.......(71) 3384-6395/3384-6495

ANUNCIE ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

INFORMAÇÕES

3242-1084

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

31

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ANUNCIE INFORMAÇÕES

3242-1084 Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 32

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

ADM. E ASS. - ILHÉUS E ITABUNA

ÁGUA - PURIFICADORES

ANTENAS AMPLAVISÃO...........................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título de Segurança

CLASSIFICADOS

eletrônica ANTENAS

ÁGUA - ECONOMIA

ASSESSORIA JURÍDICA

AUTOMÓVEL - COMPRA E VENDA

ASSESSORIA JURÍDICA

ALARMES NVS.................................(71) 3353-0430 / 8826-8575 Veja anúncio no título de Segurança eletrônica.

ACESSE O FACEBOOK

Cadê o Síndico Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

33

ARQUITETURA E DECORAÇÃO

BOMBAS E MOTORES

COLETA SELETIVA DE LIXO

AMÉLIA ZÁU................................Tel.: (71) 3235-0706 ELETRONACE...........................................(71) 3313-7919 CAEC................................................................(71) 3293-2737 escritorio@ameliazau.com.br

CLASSIFICADOS

ARQUITETURA E DECORAÇÃO

Veja anúncio no título Instalações Elétricas

BOMBAS E MOTORES

RENOVE...................(71) 3267-0260 / 9979 - 2504 COMUNICAÇÃO VISUAL

TICIANA FAHEL.......................Tel.: (71) 3358-8336 arquitetura@ticianafa­hel.com.br BOMBAS E MOTORES

BOMBAS E MOTORES

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

BOMBAS E MOTORES

CHURRASQUEIRA

ACESSE O FACEBOOK

Cadê o Síndico Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 34

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745/9961-2643/9606-6296. CONTABILIDADE - AUDITORIA E TREIN. GRUPO LORDÊLO...............................(71) 3351-6952 Veja anúncio na pág. 12. CONTROLE DE PRAGAS ABC PRAG.....................................................(71)3342-1143 Veja anúncios na página 27.

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

35

CLASSIFICADOS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONTROLE DE PRAGAS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

DISTRIBUIÇÃO DE IMPRESSOS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

ELEVADORES

SWAT CONTROLE DE PRAGAS URBANAS........ ............................................(71) 3289-1498 / 8712-6563 Veja anúncios na página 26.

CLASSIFICADOS

CURSOS E TREINAMENTOS

CURSOS E TREINAMENTOS FACULDADE 2 DE JULHO Pós Gestão Condomínios e Curso Síndico Profissional..............................................(71) 3114-3400 Veja anúncios na página 11. CURSOS E TREINAMENTOS UNIPESSOA................(71) 3341-5190/3016-4075

ENGELTECH............(71) 3278-4005/0800 284 4005...................................Veja anúncio na página 4

Veja anúncios na página 15. ELEVADORES

DECORAÇÕES BARBOSA DECORAÇÕES................................................... (71) 3489-2909 / 3347-6022. DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

ACESSE O FACEBOOK

Cadê o Síndico Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 36

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

ELEVADORES

EQUIPAMENTOS PARA COND.

CLASSIFICADOS

ELEVADORES

ELEVADORES

ELEVADORES - FORRO

ENTULHO

ESQUADRIAS ALUMAR Esquadrias de Alumínio..........................

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

................................................................(71) 3356-2152/0116

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

37

FARDAMENTO

CLASSIFICADOS

EQUIPAMENTOS PARA COND.

GÁS - INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO

GÁS - MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA BRASILGÁS...................................UAC 0800 70 10 124 Veja anúncio na contra-capa IMÓVEIS - COMPRA E VENDA UNIMÓVEIS...............(71) 3358-4775/3452-4308 REMAX ALPHA EXCLUSIVE.......(71) 3082-2000 INFORMÁTICA - MANUTENÇÃO FECHAMENTO DE VARANDA

EXTINTORES DE INCÊNDIO

INTERNET CONDOMÍNIO ELETRO E.................................................................3488-7755 SMART PC..................................................(71) 3418-8265 Veja anúncios na página 38. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

LIMPEZA DE CAIXAS D'AGUA CONDOMÍNIOCENTER......................................................... 3335-2029 / 9178-9950 / 8805-2657.

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 38

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

MARCAS E PATENTES

CLASSIFICADOS

INFORMÁTICA - REC. DE CARTUCHOS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

LAVAGEM DE ESTOFADO (A SECO)

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

MÓVEIS PLANEJADOS

PARQUE INFANTIL

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

39

PARARRAIOS

RADIOCOMUNICAÇÃO

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SITELCO.........................(71) 3312-8698/3252-5000 Veja anúncio página 10.

CLASSIFICADOS

PISCINA CORÁGUA.................(71) 3334-7977 / 3334-3436 Veja página 29

PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA PROTEC.........................................................(71) 8154-0358 PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA REGISTRO DE MARCAS PROVÍNCIA.................(71) 3016-5574/3481-0325 Veja anúncio no título Marcas e Patentes

SEGURANÇA ELETRÔNICA SEGURANÇA ELETRÔNICA

PRODUTOS DE LIMPEZA MOVICLEAN EQUIP. .......................(71) 3313-3464 Veja anúncio no título Equipamentos para condomínios PROJETOS - CONST. E REFORMA FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745 / 9961-2643 / 9606-6296.

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 40

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

MULTICÂMERAS...........Veja anúncio na pág 24

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

julho/agosto 2013 • Revista Cadê o Síndico

41

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

TELECOMUNICAÇÃO AMPLAVISÃO...................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título Segurânça eletrônica TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

TRATAMENTO DE PISOS WW BAHIA................(71) 3355-0409/9926-4330 Veja anúncio no título Piso Tratamento e Limpeza

ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 42

Revista Cadê o Síndico • julho/agosto 2013

www.cadeosindico.com.br

www.cadeosindico.com.br

43


Ed44