Issuu on Google+

RELATÓRIO DE EDIÇÕES ANTERIORES


Eu fico contente da vida em saber que Cachoeira existe no mapa do Brasil. É mesmo uma cidade única, com uma energia que renova a gente, que afaga a vista, que faz bater mais forte o coração. Mas o que me deixa mais contente é saber que nessa cidade tão assim mágica, tão assim bela, tão assim antiga e quase esquecida, algo começa de muito novo e potente, jovens se encontram para ouvir os mais velhos, para aprimorar e inventar formas de continuar o mundo (com o cinema). CachoeiraDoc é um projeto que há de durar muitos e muitos anos, como as antigas igrejas da cidade, como o hotel-convento onde pousei. Mais do que um festival de uma qualidade ímpar na seleção e organização das sessões e debates, mais do que um evento acadêmico, que mobiliza professores, alunos e comunidade, o CachoeiraDoc é um ritual de encontro e

troca, de conversa debaixo da árvore e na beira do rio, de riso frouxo e olhos bem abertos. É novíssimo, pleno de promessa e alegria, movido pelas potências da amizade e da partilha. Salve! ”

Cachoeira é um lugar onde jovens se encontram para ouvir os mais velhos, para aprimorar e inventar formas de continuar o mundo (com o cinema). CachoeiraDoc é um projeto que há de durar muitos e muitos anos. Carla Maia, júri do II CachoeiraDoc e Organizadora do Forumdoc.BH


PĂşblico durante debate com diretores convidados, durante o II CachoeiraDoc


apresentação

o festival

- Acontece desde 2010, anualmente, na cidade histórica de Cachoeira, Bahia; - Tem apoio do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, que assina a co-realização do evento; - Em três edições, cerca de 7.000 pessoas assistiram um total de 118 filmes documentários, dentre eles 104 eram nacionais e 27 baianos; - Foram exibidos filmes de consagrados realizadores internacionais, tais como Agnès Varda, Johan Van der Keuken, Pedro Costa, Nicholas Klotz e Avi Mograbi, Stan Brakhage, Sophie Calle, cujas obras são essenciais ao entendimento da história do documentário mundial. - Tivemos o prazer de conviver e dialogar com experientes documentaristas, como Geraldo Sarno e Vincent Carelli, e com alguns dos mais importantes pesquisadores do gênero no Brasil, como Consuelo Lins, Cesar Migliorin, André Brasil e Eduardo Valente, bem como com realizadores promissores e premiados, a exemplo de Marcelo Pedroso, Henrique Dantas, Ariel Ortega, Flávia Castro, Petra Costa.

25

29

2012

2011

2010

21

Número de convidados entre realizadores participantes das Mostras, Júri, Conferencistas e Oficineiros


ConferĂŞncia de Consuelo Lins, durante o II CachoeiraDoc


apresentação

- O Festival está inserido em um cenário privilegiado que é a cidade de Cachoeira, tombada como patrimônio da humanidade. Por isso, as sessões pelas ruas da cidade já fazem parte da programação do CachoeiraDoc, que também busca levar o cinema para a população local.

- O intercâmbio de ideias que o CachoeiraDoc promove permite que a cidade de Cachoeira e o estado da Bahia conectem-se ao mundo através do cinema. Para incentivar este diálogo, foram realizadas nestes 3 anos, 08 oficinas e 13 mesasredondas/conferências, que ocuparam lugar de destaque na programação. - Nas suas três edições, foram lançados, com a presença de seus autores, publicações que debatem sob diversas abordagens o documentário: Ensaios no real: o documentário brasileiro hoje, organizado por Cezar Migliorin; Quando o cinema vira urbanismo: o documentário como abordagem da cidade, de Silvana Olivieri ;  Autor e autoria no cinema e na televisão, organizado por José Francisco Serafim;  Vídeo nas Aldeias 25 anos: 1986-2011, de Vincent Carelli;  Filmes da África e da Diáspora: objetos de discursos, organizado por Mohamed Bamba e Alessandra Meleiro.  

o festival


Imagem do Filme CuĂ­ca de Santo Amaro, de Joel de Almeida e Josias Pires, exibido no III CachoeiraDoc


mostras competitivas - A Mostra Competitiva Nacional constitui uma seleção que demonstrou, nas três edições do evento, as múltiplas formas através das quais os realizadores brasileiros têm enfrentado os desafios do real, confirmando a intuição fundadora de que há no Brasil um conjunto vigoroso de documentários, que são produzidos anualmente e que precisam circular amplamente. - Ao todo, foram inscritos 605 filmes de todas as regiões do país para seleção da Mostra Competitiva Nacional. Entre os 61 selecionados, 21 eram médias ou longas-metragem e 40 curtas-metragem. - Os vencedores receberam prêmio em dinheiro e troféu produzido por Louco Filho, artesão local. A lista dos selecionados é divulgada em sessão de encerramento e divulgada por meios de comunicação.

2011

curt a

11 ia/lo

nga

07 méd

ia/lo

nga

05 méd

nga méd ia/lo

2012

2011

2010

Inscrições na Mostra Competitiva

2010

curt a

09

165

19

10

curt a

249 191

2012

Filmes exibidos na Mostra Competitiva Nacional


Júri Oficial(Beatriz Furtado, Sérgio Borges e Cyntia Nogueira) do III CachoeiraDoc


O Festival de Documentários de Cachoeira nasce em um novo espaço universitário, e [eu] dialogo muito bem com ele. Fora do eixo das capitais, sente-se na cidade a efervescência que a universidade trouxe. Os estudantes, das escolas públicas locais e da universidade, compõem a parte mais significativa do público do festival, e os alunos de cinema se beneficiam das oficinas com convidados de fora num intensivo intercâmbio com especialistas de várias áreas do audiovisual. O CachoeiraDoc tem ainda mais um atrativo: acontecer numa cidade histórica que merece ser mais conhecida, e numa cidade pequena que aproxima convidados e público local. Mas o que faz mesmo o diferencial do Festival é a qualidade da sua curadoria, é ela que garantirá a afluência cada vez maior de bons trabalhos e a longa vida do Festival. ”

Fora do eixo das capitais, sentese na cidade a efervescência que a universidade trouxe. [...] Mas o que faz mesmo o diferencial do festival é a qualidade da sua curadoria, é ela que garantirá a afluência cada vez maior de bons trabalhos e a longa vida do Festival.

Vincent Carelli, realizador e coordenador do Vídeo nas Aldeias


Público na abertura do I CachoeiraDoc, na Praça da Aclamação


mostras especiais - Em 3 anos de Festival, foram exibidas 06 Mostras Temáticas, com um total de 35 filmes. Destes 14 eram internacionais, muitos deles o CachoeiraDoc traduziu e legendou, ampliando o acesso de documentários estrangeiros no país. - Em 2010, a Mostra Cinema sem Fronteiras reuniu 05 filmes internacionais de longa-metragem da cinematografia mundial contemporânea que abordavam temas relacionados aos fluxos migratórios e diaspóricos globais e suas consequências nas redefinições das fronteiras entre países. No mesmo ano, exibimos a Mostra Clássicos do Cinema do Real: Geraldo Sarno, composta por 03 filmes do diretor. - Em 2011, integraram a programação duas mostras especiais cada uma delas com 07 filmes: a Mostra Agnès Varda homenageou a cineasta franco-belga, precursora da Nouvelle Vague e a Mostra Documentários Experimentaisfoi composta de obras de artistas brasileiros que fazem experimentações da linguagem e de novos métodos de produção cinematográfica. - Em 2012, a Mostra 25 anos de Vídeo nas Aldeias exibiu 09 filmes do projeto pioneiro na formação de cineastas indígenas no Brasil e a Mostra Caros Diários reuniu 04 filmes documentários antológicos em primeira pessoa de consagrados cineastas e artistas nacionais e internacionais.


PĂşblico no encerramento do III CachoeiraDoc, na Beira Rio


E m s u a a i n d a c u r t a e s t ra d a , o CachoeiraDoc já conquistou espaço de destaque na agenda do documentário brasileiro. profundamente engajado no debate estético e político, o festival tem dado contribuições valiosíssimas à reflexão sobre o cinema do real, pautando questões de primeira ordem com grande contribuição de realizadores, pensadores, críticos e público. Pela seriedade e competência com que conduz os temas, pela meticulosidade da curadoria, pelo cuidado com a formação do público e pela excelência no tratamento de questões técnicas ligadas às projeções e logísticas do evento, o Festival tem crescido exponencialmente no respaldo de que goza junto a quem trabalha ou simplesmente gosta de documentário no Brasil - e isso só tende a crescer. ”

O Festival tem crescido exponencialmente no respaldo de que goza junto a quem trabalha ou simplesmente gosta de documentário no Brasil - e isso só tende a crescer.

Marcelo Pedroso é um realizador pernambucano e realizou uma Oficina de Montagem no III CachoeiraDoc


Imagem do Filme Elena, de Petra Costa, exibido no III CachoeiraDoc


desdobramento social e turístico O Cachoeiradoc contribui para a criação de uma cultura e pensamento artístico e crítico na região do Recôncavo Baiano, fomentando a democratização do acesso a bens culturais e educativos, assim como incentivando o turismo na região. Já oficialmente integrado ao calendário cultural da cidade, o CachoeiraDoc é um evento de médio porte que agrega uma opção diferenciada e múltipla ao leque de atrativos de Cachoeira, estimulando a economia local e fomentando o potencial turístico da região. Da mesma maneira, uma programação gratuita e aberta ao público em geral de filmes, ciclo de conferências, debates e atividades culturais, possibilita um momento importante de produção e difusão de conhecimento para uma região que ainda não dispõe de espaços culturais significativos. A programação do evento conta ainda com projeção em praça pública inserindo a arte no cotidiano e na paisagem da cidade. Escolas públicas de Cachoeira, São Felix, além da zona rural são também convidadas a participar do evento, assistindo filmes e participando de oficinas. Geraldo Sarno, em oficina no I CachoeiraDoc


Imagem da Oficina de Webdocumentário, dirigida a jovens de escolas públicas da região, durante o III CachoeiraDoc


desdobramento social e turístico Cachoeira já tem grande potencial para o turismo cultural, e o CachoeiraDoc só veio acrescentar à cidade, trazendo um turista interessado em história, patrimônio, cinema e cultura. O evento possibilita também a troca de conhecimentos e experiências entre pesquisadores, cineastas, artistas, professores e estudantes e o público em geral, vindos da região e de diversos locais do Brasil, o que ajuda também a fortalecer e divulgar o turismo cultural da cidade. O envolvimento e comprometimento da universidade singulariza e densifica este evento. A universidade assume o papel de co-realização, através de aportes financeiro, infra-estrutural, técnico e institucional. Além disso, o evento é pensado, gestado e produzido a partir da universidade e visa ser uma ação que, por um lado, potencializa a capacidade de diálogo da universidade com a sociedade e com a comunidade local e, por outro lado, que instrumentaliza a universidade para que ela desenvolva plenamente sua capacidade de ser um agente privilegiado de formação em cultura.

Geraldo Sarno, em oficina no I CachoeiraDoc


Dona Dalva, doutora honoris causa pela UFRB, entregando prĂŞmio a vencedor da Mostra Competitiva, no II CachoeiraDoc


parcerias O CachoeiraDoc contou, nestes 3 anos com parcerias de diversas instituições: Secretaria de Cultura da Bahia, através do Fundo de Cultura: principal apoiador financeiro do Festival durante as 3 edições; Universidade Federal do Recôncavo da Bahia: co-realizadora do festival, concede apoio financeiro, institucional, logístico, estrutural e acadêmico ao evento;  Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Cachoeira: concede apoio estrutural e logístico, notadamente para as sessões ao ar livre, através de concessão de mobiliário e equipamento para projeção de filmes e shows;  Jornal A Tarde, Revista Muito, TV Educativa da Bahia, Rádio Educadora, Rádio Paraguaçu: apoio de divulgação, através inserções de encartes, spots radiofônicos e chamadas televisivas; Quarta dos Tambores: projeto cultural que fomenta e apoia as manifestações artísticas de matriz africana em Cachoeira que apoia o CachoeiraDoc através da realização de eventos culturais nas praças da cidade; Escolas Públicas Municipais e Estaduais de Cachoeira e entorno: parceria institucional que garante o envolvimento no público escolar nas atividades do festival. CANNE - Centro Audiovisual Norte-Nordeste : apoiou o festival com uma oficina técnica em 2012e já tem interesse em continuar apoioando; Conexão PE: apoio na realização do encerramento do CachoeiraDoc, em 2012, através da edição Bahia do projeto; Cinemateca Francesa: apoio através de cessão de filmes para exibição no Festival; Geraldo Sarno, em oficina no I CachoeiraDoc CPCV - Circuito Popular de Cinema e Vídeo: apoio para ações de itinerância do CachoeiraDoc.


Cineasta indĂ­gena Ashaninka, integrante do projeto VĂ­deo nas Aldeias, homenageado no III CachoeiraDoc


estratégias de comunicação Desde 2010, o CachoeiraDoc tem uma parceria com a TVE e Rádio Educadora para divulgação de vinhetas e spots para divulgação do Festival. No terceiro ano do evento, conseguimos apoio com o Jornal A Tarde, com 3 anúncios (Caderno 2 e revista Muito) e 50.000 encartes com a programação completa do Festival na edição de Domingo - a mais lida - do Jornal. A programação visual do Festival é pensada em conjunto entre os artistas gráficos e coordenação, gerando uma sintonia comunicativa. O site, e-mail e as redes sociais são a principal forma de comunicação entre o público do festival e a produção, que está sempre passando informações necessárias à participação dos interessados. A assessoria de imprensa também tem sua importância, já que tem ajudado o Festival a se destacar nos jornais impressos, blogs, sites, rádios e programas televisivos baianos (Salvador e interior). Carro de som e a rádio poste de Cachoeira também é uma excelente maneira de comunicação com a cidade. O projeto conta ainda com equipe de registro fotográfico e videográfico que integra os estudantes do curso de Cinema e Audiovisual da UFRB, incrementando a formação dos mesmos, através de atividades práticas. Fotos e Vídeos são postados na internet diariamente durante o evento.

Geraldo Sarno, em oficina no I CachoeiraDoc


ias

s

cio

nún

ea

Clip cip pin ais ma tér g prin


A Tarde Online 09/08/2010


Blog Evolução Hip Hop 10/08/2010


Jornal A Tarde Revista Muito 03/10/2010


Jornal Correio da Bahia Vida 03/11/2010


Jornal A Tarde Caderno 2 05/11/2010


Material grรกfico do I CachoeiraDoc


Site A Queima Roupa (Salvador) 28/11/2011


Site Nossa Metr贸pole (Cama莽ari) 07/12/2011


Jornal A Tarde Caderno 2 07/12/2011


Jornal Correio da Bahia Vida 07/12/2011


Jornal A Tarde Revista Muito 04/12/2011


Equipe do III CachoeiraDoc


Ana Rosa Marques, coordena, há três anos, o festival de documentários CachoeiraDoc : 250 filmes inscritos para esta edição Se depender do fôlego dos novos habitantes, Cachoeira vai agregar valor a sua história. «Queremos consolidar a cidade como pólo cinematográfico, formando plateias e atraindo olhares de fora», planeja Ana Rosa Marques, 36, professora do curso de cinema

e criadora, em parceria com a colega Amaranta César, do festival de documentários CachoeiraDoc, que nesta edição já conta com mais de 250 filmes inscritos nas categorias curta, média e longa-metragens. Não bastasse, as turmas de cinema (a primeira vai formar este ano) têm levado a sétima arte às comunidades que vivem distantes da sede. «A resposta das pessoas tem sido maravilhosa. Todos querem assistir aos filmes que apresentamos nas sessões dos cineclubes que os alunos vêm criando em diversas localidades», conta Ana Rosa.

Jornal A Tarde Revista Muito - matéria de capa sobre Cachoeira 11/11/2012


Site da Ancine (Nacional) 23/08/2012


Jornal Correio* Caderno Vida 23/11/2012


Jornal A Tarde Caderno MunicĂ­pios 30/11/2012


Jornal A Tarde AnĂşncio na Revista Muito 25/11/2012


Jornal A Tarde Caderno 2+ 03/12/2012


Site Tribuna da Conquista (Vit贸ria da Conquista) 03/12/2012


Blog Bahia na Rede (artigo de Josias Pires)  10/12/2012


Site Rec么ncavo Online (Rec么ncavo Baiano) 10/12/2012


Correio * Vida 10/12/2012


Correio 24 horas NotĂ­cias (artigo de Nelson Pretto) 22/12/2012


Jornal A Tarde Revista Muito, 05 pรกginas 20/01/2013


www.cachoeiradoc.com.br contato@cachoeiradoc.com.br


CachoeiraDoc - 3 edições