Page 1

OBJETO EDIFÍCIO CIDADE

OBJECT

OBJETO EDIFÍCIO CIDADE OBJECT

BUILDING

CITY

Margarida Louro, nasceu em Lisboa em 1970, é casada e mãe de três filhos. Licenciou-se em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa (FA-UTL), em 1993, onde obteve o grau de mestre em Cultura Arquitectónica Contemporânea e Construção da Sociedade Moderna, em julho de 1998. Doutorou-se na Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona da Universidad Politécnica da Cataluña (ETSAB-UPC) em abril de 2005 e desenvolveu atividade de pós-doutoramento nestas duas instituições FA-UTL e ETSAB-UPC entre 2006 e 2010. Desde 1997 que é docente na Faculdade de Arquitetura, sendo membro do Departamento de Projeto de Arquitetura, Urbanismo e Design onde tem lecionado sobretudo disciplinas de projeto de arquitetura. É membro efetivo do Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design (CIAUD) desde julho de 2006, tendo desenvolvido atividade de investigação científica no âmbito da coordenação e colaboração em diversos projetos. Tem publicado vários trabalhos em livros, revistas, atas de comunicações com arbitragem científica e exposições.

P R O P O S TA S PA R A H A B I TA R N U M PLANETA PEQUENO PROPOSALS FOR INHABITING A SMALL PLANET

BUILDING

CITY

The following book reflects the work undertaken within the framework of the research project HOUSES FOR A SMALL PLANET, which has been developing in the Research Centre for Architecture, Urbanism and Design in the Faculty of Architecture at the University of Lisbon (CIAUD-FAULisbon) since 2009. Thus, the primary focus of the framework, which is on the increase of the global population in the last few decades and its accentuated concentration in urban zones to the detriment of rural zones, in particular in underdeveloped contexts, has prompted reflections on the current mindset, in terms of its effectiveness and functionality in the face of this new problem. New approaches of different realities have arisen from this framework, by moving away from the general scope of the research topic initially proposed, to create unique insights into those different studied realities. These approaches have allowed different scales, new paradigms, natures and consciences into a joint debate based on the house: a fundamental element for living and a problem for urban densification, in a comprehensive strategy and as a component for making urban fabric or a city. The reading of applied methodological processes, in its integrated vision of different scales of response, from the object, to the building and to the city acts as the privileged field of presentation and explanation of this publication, in order to frame project methodologies and strategies.

MARGARIDA LOURO

Margarida Louro

O presente livro, reflete o trabalho realizado no âmbito do projeto de investigação CASAS PARA UM PLANETA PEQUENO, em desenvolvimento no Centro de Investigação em Arquitetura Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (CIAUD-FAULisboa) desde 2009. Deste modo, a partir da temática principal de enquadramento sobre o crescimento da população mundial nas últimas décadas, e a sua acentuada concentração em zonas urbanas em detrimento das zonas rurais, em especial nos contextos subdesenvolvidos, impulsionaram-se reflexões sobre qual o estatuto do pensamento atual em termos de eficácia e operatividade perante esta nova problemática. Desta postura resultaram aproximações sobre realidades diversas, onde partindo do âmbito geral que abarca o tema de investigação inicialmente proposto se construíram visões específicas sobre as diferentes realidades estudadas. Estas abordagens permitiram trazer para uma discussão comum diversas escalas, novos paradigmas, naturezas e consciências, tendo como base a casa – elemento fundamental do habitar e a problemática da densificação urbana, numa estratégia alargada e como componente de fazer tecido urbano ou cidade. A leitura dos processos metodológicos aplicados, na sua visão integrada de diversas escalas de resposta, desde o objeto, o edifício e a cidade assumem-se como campo privilegiado de apresentação e explanação no sentido de enquadrar metodologias e estratégias de projeto.

COORDENAÇÃO COORDINATION

Margarida Louro

Margarida Louro was born in Lisbon in 1970, is married and has three children. She graduated in architecture from the Faculty of Architecture at the Technical University of Lisbon (FA-UTL) in 1993. She went on to gain a master’s degree there in Contemporary Architectural Culture and the Construction of a Modern Society, in July 1998; and was awarded a doctorate from the Barcelona School of Architecture at the Polytechnic University of Catalonia (ETSAB-UPC) in April 2005. She carried out post-doctoral work at both institutions, FA-UTL and ETSAB-UPC, between 2006 and 2010. Since 1997, she has been a teacher at the Faculty of Architecture and a member of the Architectural, Urbanism and Design Project Department, where she has mostly taught courses for the architectural program. She has been an effective member of the Research Centre for Architecture, Urbanism and Design (CIAUD) since July 2006 and has developed scientific research activities by coordinating and collaborating on multiple projects. Her work has been published in books, magazines, minutes of communications in scientific arbitration and exhibitions.


ÍNDICE CONTENTS INTRODUÇÃO | INTRODUCTION Margarida Louro

8

ENQUADRAMENTO CRÍTICO | CRITICAL FRAMEWORK OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE | OBJECT, BUILDING, CIT Y Sobre a estratégia de projetar entre escalas . About the strategy of designing between scales Margarida Louro

13

O LUGAR DA CASA | THE PLACE OF THE HOUSE A (re)apropriação do espaço habitacional . The (re)appropriation of the living space Francisco Oliveira

27

HABITAR EM CONFLITO | INHABITING IN CONFLICT Condições mínimas e o direito à habitação . Minimum conditions and the right to housing Ana Vila Real

41

ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS NO BRASIL | PRECARIOUS SETTLEMENTS IN BRAZIL 49 E os desafios para a conquista da moradia digna . And the challenges to achieving worthy housing Angélica Tanus Benatti Alvim, Débora Sanches, Viviane Manzione Rubio

PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO | INTERVENTION PROPOSALS REHABITAR UM PORTO | REINHABITING A PORT CHINA – HONG KONG, PORTO DE ABERDEEN . CHINA – HONG KONG, PORT OF ABERDEEN Diogo Madeira

67

PROJETAR NO INFORMAL | DESIGNING THE INFORMAL BANGLADESH – DHAKA, KARAIL SLUM . BANGLADESH – DHAKA, KARAIL SLUM Rodrigo Sequeira Dias Filipe

91

REGENERAR A CIDADE DESTRUÍDA | REGENERATING A DESTROYED CIT Y HAITI – PORTO PRÍNCIPE . HAITI – PORT-AU-PRINCE André Figueiredo

113


ÍNDICE

CONTENTS | 7

UM PLANETA DE FAVELAS | A PLANET OF FAVELAS BRASIL - RIO DE JANEIRO, ROCINHA . BRAZIL - RIO DE JANEIRO, ROCINHA Sofia do Carmo

133

NOS LIMITES DA MARGEM | ON THE EDGE OF THE WATERFRONT EUA – NOVA IORQUE, BATTERY PARK CIT Y . USA – NEW YORK, BATTERY PARK CIT Y Ana Luísa Silva

153

TRADIÇÃO E IDENTIDADE URBANA | URBAN TRADITION AND IDENTIT Y MÉXICO – OAXACA . MEXICO – OAXACA Catarina Gabriel

171

A URBANIZAÇÃO DA POBREZA | THE URBANIZATION OF POVERT Y TAILÂNDIA – BANGUECOQUE, KHLONG TOEY . THAILAND – BANGKOK, KHLONG TOEY Ana Vila Real

187

HABITAR NO INABITÁVEL | INHABITING THE UNINHABITABLE FILIPINAS – MANILA, CEMITÉRIO DE NAVOTAS . PHILIPPINES – MANILA, NAVOTAS CEMETERY Frédéric Ferreira

207

LUGARES EMERGENTES | EMERGING PLACES ÍNDIA – MUMBAI, DHARAVI . INDIA – MUMBAI, DHARAVI Francisco Rasoilo

227

ENTRE O FORMAL E O INFORMAL | BET WEEN THE FORMAL AND THE INFORMAL ANGOLA – LUANDA, CHABÁ . ANGOLA – LUANDA, CHABÁ Catarina Nóbrega

247

DE EVOLUÍDO A DEVOLUTO | FROM DEVELOPED TO DERELICT PORTUGAL – LISBOA, ROSSIO/PRÇ. FIGUEIRA . PORTUGAL – LISBON, ROSSIO/FIGUEIRA SQ. Francisco Santos

267

CONSIDERAÇÕES FINAIS | FINAL REMARKS Margarida Louro

284

BIBLIOGRAFIA | BIBLIOGRAPHY

291

CRÉDITOS E FONTES DE IMAGENS | IMAGES CREDITS AND SOURCES

294


8 | Margarida Louro

INTRODUÇÃO INTRODUCTION Margarida Louro CIAUD, Faculdade de Arquitetura, Universidade de Lisboa

Os projetos apresentados assumem-se como trabalhos de investigação académica que se corporizaram em projetos finais de mestrado desenvolvidos no âmbito do projeto de investigação CASAS PARA UM PLANETA PEQUENO, coordenado pela autora, no Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (CIAUD-FAULisboa). Este projeto de investigação iniciado em 2009, teve como principal enquadramento o crescimento da população mundial nas últimas décadas, e a sua acentuada concentração em zonas urbanas em detrimento das zonas rurais, em especial nos contextos subdesenvolvidos, impulsionando a reflexão sobre qual o estatuto do pensamento atual em termos de eficácia e operatividade perante esta nova problemática. Esta reflexão assumiu-se assim como ponto de partida sobre a pesquisa em torno desta contingência contemporânea de crescimento e densificação urbana, propondo numa primeira fase o estudo de um contexto particular: os musseques de Luanda, através de uma abordagem crítica que assumiu soluções práticas de intervenção onde se confrontaram diversas escalas e campos de expressão. Deste trabalho resultou a publicação de um livro em dezembro de 2009, com o título Casas para um Planeta Pequeno – Projecto Angola Habitar XXI: Modelos Habitacionais em Territórios de Macro Povoamento Informal (LOURO, Margarida; OLIVEIRA, Francisco (coord.); et al., 2009), coordenado pelos autores e que envolveu

The following texts are academic research projects, which have materialized in final masters´projects, developed within the framework of the HOUSES FOR A SMALL PLANET research project, coordinated by the author, in the Research Centre for Architecture, Urbanism and Design at the Faculty of Architecture at the University of Lisbon (CIAUD-FAULisbon). This research project was initiated in 2009 and its primary focus has been on the increase of the global population in the last few decades and its accentuated concentration in urban zones to the detriment of rural zones. It has focused in particular on underdeveloped contexts, encouraging a reflection on the current mindset, in terms of its effectiveness and functionality, in the face of this new problem. This reflection has acted as a starting point for this contemporary contingency of urban increase and densification, proposing firstly the study of a particular context: the musseques of Luanda, through a critical approach, which has assumed practical intervention solutions, where different scales and areas of expression have been confronted. This work led to the publication of a book in December 2009, with the title Casas para um Planeta Pequeno – Projecto Angola Habitar XXI: Modelos Habitacionais em Territórios de Macro Povoamento Informal (LOURO, Margarida; OLIVEIRA, Francisco (coord.); et al., 2009), coordinated by the authors and which involved other professors and researchers from CIAUD-FAULisbon. The proposal of autonomous and sustainable housing units was formalized in this work


INTRODUÇÃO

outros docentes e investigadores do CIAUDFAULisboa. Neste trabalho formalizou-se a proposta de unidades habitacionais autónomas e sustentáveis, que impondo novas lógicas e estratégias de implementação promovem, a partir de potencialidades locais, soluções de espaço arquitetónico/urbano qualificado e integrado. Neste sentido formalizou-se uma visão crítica sobre as contingências contemporâneas de densificação e saturação populacional criando bases para desenvolvimentos e abordagens posteriores. Em 2010, o projeto de investigação inaugurou assim uma nova fase de pesquisa abrindo campos de reflexão no âmbito dos projetos finais de mestrado que integram atualmente os planos de estudos lecionados na FAULisboa. Desta abordagem resultaram até à data onze trabalhos desenvolvidos sobre diversas realidades, onde partindo do âmbito geral que abarca o tema de investigação proposto se construíram visões específicas sobre as diferentes realidades estudadas. Estas abordagens permitiram trazer para uma discussão comum diversas escalas, novos paradigmas, naturezas e consciências, tendo como base a casa – elemento fundamental do habitar e a problemática da densificação urbana, numa estratégia alargada e como componente de fazer tecido urbano ou cidade. A leitura dos processos metodológicos aplicados, na sua visão integrada de variadas escalas de resposta, desde o objeto, ao edifício e a cidade assume-se como campo privilegiado de apresentação e explanação desta publicação, no sentido de enquadrar metodologias e estratégias de projeto.

INTRODUCTION | 9

and asserted new logic and implementation strategies promoting qualified and integrated architectural/urban solutions of space, based on local potential. In this respect, a critical insight into contemporary contingencies of population density and saturation was formalized, creating foundations for the subsequent developments and approaches. In 2010, the research project thus unveiled a new phase of research, uncovering new schools of thought within the framework of the final masters’ projects which currently integrating the study programmes taught at FAULisbon. Using this approach, eleven projects have been developed on different realities so far which moving away from the general framework of the proposed research topic, have developed unique insights into the different realities studied. These approaches have enabled different scales, new paradigms, natures and consciences to come into a joint debate based on the house: a fundamental element for living and a problem for urban densification, in a comprehensive strategy and as a component for making urban fabric or a city. The reading of applied methodological processes, in its integrated vision of different scales of response, from the object, to the building and to the city acts as the privileged field of presentation and explanation of this publication, in order to frame project methodologies and strategies.


E N Q UA D R A M E N TO C R Í T I C O CRITICAL FRAMEWORK


12 | Margarida Louro

1 A partir da lição: ENTRE ESCALAS sobre o processo criativo: objeto, edifício, cidade, proposta no âmbito das provas de agregação no ramo de Arquitetura na especialidade de Teoria e Prática do Projeto, apresentadas na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa em novembro de 2017.

1 From the lesson: BETWEEN SCALES about the creative process: object, building, city, proposed in aggregation tests in the area of Architecture, specializing in the Theory and Practice of the Project, presented at the Faculty of Architecture of University of Lisbon in November 2017.


OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

OBJECT, BUILDING, CITY | 13

OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

SOBRE A ESTRATÉGIA DE PROJETAR ENTRE ESCALAS OBJECT, BUILDING, CITY About the strategy of designing between scales Margarida Louro CIAUD, Faculdade de Arquitetura, Universidade de Lisboa Projetar entre escalas corporiza em si mesmo a essência e as premissas fundamentais do processo criativo tanto arquitetónico como urbano. Assumese assim como uma estratégia de intervenção, de pensar e conceber o espaço, que na lógica da investigação do projeto Casas para um Planeta Pequeno, articula diferentes capacidades de resposta, exploradas em diversos níveis criativos, que vão do objeto, ao edifício e à cidade.¹

01 Imagem de satélite Satellite image

Designing between scales is the essence and fundamental premise of the creative process, both in an architectural and urban sense. It is an intervention strategy, and a way of thinking about and conceiving space, that in the research logic behind the Houses for a Small Planet project, articulates different response capacities, which are explored at various creative levels, from single object, to the building, and to the city.¹

02 James MCNABB - City Sphere City Sphere

03 Doris Salcedo, 2003 8ª Bienal Internacional de Istambul 8th Istanbul International Biennial


14 | Margarida Louro

Projeto arquitetónico e urbano: um ato criativo

Architectural and urban design: a creative act

Projetar é efetivamente um ato criativo e nesse sentido define-se como uma reação ao mundo envolvente e à realidade, nas suas diversas asserções, que nos rodeia, tanto próxima, como longínqua. No contexto da criação arquitetónica e urbana, essa reação assume-se como uma intenção de reorganização do espaço envolvente, pela resposta e retomando a tríade Vitruviana, a três questões estruturantes e fundamentais: a utilidade – com a adequação a um determinado programa, a beleza – com a resposta a determinados pressupostos estéticos e a durabilidade – com a capacidade de resistência física e construtiva. Deste modo, o sentido de útil assume-se como uma estratégia fundamental, basilar da própria condição e sentido da arquitetura, diretamente ligada a uma dimensão ética, uma espécie de dever estrutural onde o espaço tem de efetivamente servir, um programa uma finalidade... E neste sentido a abordagem de Aristóteles (ARISTÓTELES, Política) é claramente muito explícita: O fim da cidade é, pois, (…) o viver bem e essas coisas são meios para este fim. A cidade é a comunidade de famílias e aldeias numa vida perfeita e suficiente, e esta é, a nosso ver, a vida feliz e boa. Ou seja, esta referência imprime um fim universal tanto na arquitetura como no espaço urbano, que se resume a uma procura de felicidade, onde há um fim universal: ser feliz! E nesta lógica sobressai igualmente a dimensão estética, como um dos pressupostos da arquitetura. A procura da beleza, seguindo a definição Kantiana do que agrada universalmente, sem conceito. Neste sentido, a experiência eleva-se como campo primordial de aferição, uma vez que é na nossa perceção que radica a experiência do Belo. Onde experimentar vai mais além do sentir, do perceber, experimentar é de certa maneira aprender. Neste processo, de experimentação do Belo assumem-se gradações de aproximação,

Designing is, indeed, a creative act, and as such, it can be defined as a reaction to the surrounding world and reality, in its various forms, both near and far. In the context of architectural and urban creation, this reaction takes the form of an attempt to reorganize our surrounding space, by answering and returning to the Vitruvian triad, three structural and fundamental questions: utility, or suitability to a certain program; beauty, or answering certain aesthetic assumptions; and durability, the physical strength of the building. The sense of usefulness therefore becomes a fundamental strategy, underlying the very being and sense of architecture, directly linked to an ethical dimension, a kind of structural duty where space effectively has to serve a program, a purpose... In this sense, Aristotle’s (ARISTÓTELES, Política) approach is very clear: The purpose of a city is, therefore, (...) to live well, and these things are a means to that end. A city is a community of families and villages living an ideal and sufficient life. For us, this is a good and happy life. This reference, therefore, guides both architecture and urban space towards the search for happiness, where there is one universal purpose: to be happy! This logic also highlights the aesthetic dimension as one of the presuppositions of architecture. The pursuit of beauty, following the Kantian definition of what is universally appealing, without a preconception. As experience becomes the leading standard, since our experience of what is beautiful is filtered through our own perception. Since experience goes beyond feeling or perceiving, in a sense it is also a form of learning. According to Raymond Bayer (BAYER, 1956), the process of experiencing beauty has different layers: open experience, sensitive intuition, aesthetic organization of space and time, and intellectual intuition. In a way,


OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

segundo Raymond Bayer (BAYER, 1956) e que se estratificam em: a experiência aberta, a intuição sensível, a organização estética do espaço e do tempo e a intuição intelectual. Fases que de certo modo regem o próprio processo de procura e de pesquisa criativa em que: A experiência aberta é o primeiro estádio da experiência do Belo, é essencialmente uma experiência afetiva: que se relaciona com a emoção. A intuição sensível é a distanciação a partir da experiência aberta, é uma ordenação que vem da possibilidade de interpretação dos estímulos, tem como objetivo uma organização das características particulares dos objetos, é o que dá profundidade à experiência aberta. A organização estética do espaço e do tempo significa a tendência para a humanização do objeto que está perante nós. É a ritmação, a impressão de vitalidade. A intuição intelectual determina-se pela abstração, suportada pela carga simbólica. É a interpretação, a metáfora, o modo de significar pelo símbolo, corresponde à universalização. A transposição de uma ordem sensorial para uma ordem intelectual. No espaço urbano as gradações dessa leitura, mudam, alteram-se ao longo dos tempos e neste sentido a visão de Christine Boyer, é muito expressiva, focando três tipos ou estádios de caracterização: a cidade como obra de arte, a cidade como panorama e a cidade como espetáculo (BOYER, 1994). A cidade como obra de arte é interpretada pela lógica do enquadramento, da construção estabilizada e de certo modo encenada. Tal como definido por Camilo Sitte (SITTE, 1986) esta visão estabelecese pelos princípios artísticos, definidos sobre estruturas e regras de simetrias, alinhamentos, cânones clássicos de apreensão. Estratégias que configuradas sobre um juízo artístico, refletem um contexto mais estável, predefinido e controlado. Neste sentido os monumentos e

OBJECT, BUILDING, CITY | 15

these phases govern the very process of creative research, where: Open experience is the first stage of experiencing beauty; it is essentially an affective experience, related to our emotions. Sensitive intuition is one step removed from open experience, and it is made possible by our ability to interpret stimuli. Its purpose is to organize the specific characteristics of objects; it is what gives depth to open experience. The aesthetic organization of space and time refers to our tendency to humanize the object that lies before us. It is rhythm, the impression of vitality. Intellectual intuition is first determined by abstraction, and supported by symbolism. It is the interpretation, the metaphor, the way of finding meaning in the symbol, which corresponds to universalization. The transposition of a sensory experience into an intellectual one. In urban spaces, the gradations of this reading change and evolve over time. In this regard, Christine Boyer’s vision is very expressive, focusing on three types or stages of characterization: the city as a work of art, the city as a panorama and the city as a spectacle (BOYER, 1994). The city as a work of art is interpreted by the logic of the framing; a stabilized and somewhat staged construction. According to Camilo Sitte (SITTE, 1986), this vision is based on artistic principles, defined by structures and rules of symmetry, alignment, the classical canons of perception. Judged artistically, these strategies reflect a more stable, predefined and controlled context. In this sense, a city’s monuments and emblematic spaces are icons, symbols defined almost in an ornamental style, as if for a museum. The city as panorama is defined by the movement of the machine, the impetuosity of its velocity, and the perception of speed and moment. In this way, and according to Le Corbusier’s visionary strat-


16 | Margarida Louro

espaços emblemáticos da cidade são assumidos como ícones, símbolos definidos numa estratégia museológica quase ornamental até. A cidade como panorama define-se pelo movimento da máquina, a fogosidade da velocidade e da apreensão assente na rapidez e no momento. Deste modo e de acordo com a estratégia visionária de Le Corbusier, estabelece-se numa nova lógica de apreensão do espaço da cidade onde movimento e circulação se elegem como os grandes motes dessa relação com a realidade envolvente. Deste modo a lógica pictorial do enquadramento encenado tradicional, dá lugar a impressões assentes no movimento da nossa deslocação sobre o espaço em rápidos instantes e apreensões. A cidade como espetáculo elege-se pelo estatuto performativo, é a cidade assente na lógica invisível das redes de comunicação, do acontecimento à distância, do imediato e do simulado. Neste sentido elegem-se novas estratégias espácio temporais assentes sobretudo em novos conceitos como o instante, o imediato e o efémero. A simulação refaz um novo estatuto de realidade, diluindo os métodos planificados e as composições predefinidas, numa nova condição invadida pelo deslumbramento dos sentidos e sobretudo da visão assumindo-a como puro espetáculo visual (BOYER, 1994). Estes aspetos resumem a experimentação estética do espaço alargado à condição da cidade como pilar estruturante do processo criativo objetivado na sua finalidade e viabilidade construtiva. Efetivamente a dimensão técnica concretiza a existência da arquitetura. Define-se na sua materialização e na adequação aos processos construtivos subjacentes, que serão intrínsecos à ideia e, portanto, desde logo assumidos como um dado do próprio projeto. Construtividade, que durante o processo criativo responde a três tipos de condicionantes: um que se refere à estabilidade imediata durante a execução, outro referente aos esforços a que estará sujeita e outro à sua durabilidade uma vez construído. Aspetos estes que definem a noção de espacialidade, de

egy, a new logic of understanding is established for cities, where movement and circulation are the great themes of the city’s relationship with its surrounding reality. As such, the pictorial logic of the traditional stage framing gives way to impressions based on our movement across space in brief instants and impressions. The city as spectacle is tied to its performative nature. It is the city based on the invisible logic of communication networks, of events at a distance, and of the immediate and the simulated. In this sense, new space-time strategies are chosen, based especially on what is instant, immediate, and ephemeral. The simulation creates a new type of reality, replacing planned methods and predefined compositions with a new condition that aims to dazzle the senses, especially vision, creating a purely visual spectacle (BOYER, 1994). These aspects sum up the process of experimenting with the aesthetics of space, defining cities as key pillars of the creative process, focused on their purpose and constructive viability. Effectively, architecture is the material expression of the technical dimension. It is defined by its materialization and suitability to the underlying constructive processes, which are intrinsic to the concept and, therefore, assumed to be a natural part of the project. During the creative process, construction faces three types of constraints: one related to the immediate stability during execution; another to the forces it will be subjected to; and another to its durability once it has been built. These aspects define the notion of space, permanence and the transformation of space in time. They introduce the concept of memory and connect it with the imagination. Cities are therefore defined by the logic of construction over time; a kind of palimpsest, which, in the modern city, is constantly being replaced in response to new artefacts and conditions introduced by new technologies and their inherent relationships. This panorama of redefinitions creates new conceptual paradigms, where limits, public space, and private space are chosen in the


OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

permanência e de transformação do espaço no tempo. Introduzindo o conceito da memória e articulando-a com a imaginação. E neste sentido a cidade assume-se pela lógica de construção de tempos, uma espécie de palimpsesto que na cidade atual se refaz constantemente em resposta aos novos artefatos e condições estabelecidas pelas novas tecnologias e inerente relação envolvente. Neste panorama de redefinição estabelecem-se novos paradigmas conceptuais onde limites, espaço público e espaço privado se elegem na construção de uma nova realidade assumida no espaço virtual e na noção de uma nova condição de cidade: a telepólis. O contexto das novas redes de comunicação no espaço urbano imprime novas formas de relação com a realidade, relações mais complexas, intrincadas e interativas, que estabelecem novos conceitos como o instante. Conceito que introduz uma nova dimensão de apreensão que para além da conjugação espaço e tempo traz o fator temporeal. O tempo-real é efetivamente o paradigma do imaginário de um novo modelo de leitura e apreensão do espaço da cidade. Este novo modelo computacional opõe-se ou substitui o modelo tradicional. A leitura em rede da nova condição contemporânea, substitui a leitura da máquina da cidade moderna e os ícones estabilizados da cidade clássica. Neste sentido o modelo clássico de memória é substituído pelo novo modelo computacional. Este modelo assume-se pela compressão do espaço no tempo e distingue-se do clássico pelo facto de não existirem referencias fixas, coordenadas estabilizadas. Efetivamente o modelo tradicional constituía-se por séries, sequências, de experiências, de vivências, numa lógica estabilizada uma espécie de informação armazenada. O novo modelo computacional, assume-se pela fragmentação, assim ao invés da continuidade, assume pontos e fragmentos em vez de linearidades, numa lógica mais dinâmica e sobretudo pulverizada. Assim, a nossa perceção visual assume-se pela recombinação de bits, de

OBJECT, BUILDING, CITY | 17

construction of a new reality within the virtual space and in the notion of a new type of city: the telepolis. The context of the new communication networks in urban spaces creates new forms engaging with reality, which are more complex, intricate, and interactive, establishing new concepts, like the concept of an instant. This concept introduces a new perception dimension that goes beyond the conjugation of space and time, to bring in the real-time factor. Real-time is effectively the paradigm of the imaginary for a new model of reading and perceiving city space. This new computational model opposes or replaces the traditional model. The network reading of the new contemporary condition replaces the reading of the machine that is the modern city and the established icons of the classical city. The classic memory model is thus replaced by the new computational one. This model is obtained by compressing space in time, and it can be distinguished from the classic model by the fact that there are no fixed references or established coordinates. The traditional model effectively consisted of series, sequences, and experiences within an established logic: a form of stored information. Thus, the new computational model is based on fragmentation, the inverse of continuity; using points and fragments instead of linearities. It applies a more dynamic and fragmented logic. Our visual perception therefore relies on recombining the bits, pieces, and selected parts; and then putting them back together and aligning them to a grid or network, replicating computational memory. Unlike the classical art of memory, a computational grid offers no single focus, no clear picture, no plane, but only multiple explorations, spatial interruptions, and fractures (LOURO, 2016).


18 | Margarida Louro

peças, pedaços, selecionados, recombinados, subjacentes a uma grelha, uma matriz ou uma rede - a réplica da memória computacional. Ao contrário da arte clássica da memória, a grelha computacional não oferece nenhum foco singular, nenhuma imagem clara, nenhum plano, mas apenas múltiplas explorações, interrupções espaciais e fraturas (LOURO, 2016). Espaço e espacialidade: vivencial, referencial e global

Space and spatiality: experiential, referential and global

O espaço é o lugar dos fenómenos. Ou seja, do que é percebido, do que aparece à consciência (LALANDE, s.d.). Nesta aferição três estádios ou níveis de apropriação emergem e estabelecem-se em intrínseca relação com a experiência estética: a apreensão, a perceção e a consciencialização do espaço. Podemos considerar três níveis de relação entre escalas diretamente relacionados com a aferição do espaço: a apreensão do espaço

Space is where phenomena happen. In other words, it is the place where what we perceive and what appears in our consciousness exists (LALANDE, n.d.). In this model, three stages or levels of appropriation emerge to form a close relationship with aesthetic experience: impression, perception, and awareness of the space. The three relationship levels can be considered using scales directly related to the measurement of space: our impres-

04 Nendo, 2015 - Mesa de canto Border table

05 Everblock - Parede em Lego Lego wall

06 Trina Merry, 2015 - Lost in Wonder Series Lost in Wonder Series


OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

vivencial – relacionado com a escala próxima do objeto e do corpo; a perceção do espaço referencial – relacionado com o movimento e com a relação com o edificado; e a consciencialização do espaço global – relacionado com a existência no lugar ou território da cidade. Estes três níveis configuram uma lógica de espacialidade, uma espécie de aproximação entre escalas, de relacionamento entre ser, pensamento e consciência. Onde a partir da lógica fenomenológica de apreensão e perceção envolvente se constrói a consciência das ideias e simultaneamente configura-se a capacidade de resposta crítica e criativa, basilar ao processo de projeto arquitetónico e urbano. Assim, espaço (configuração física dos lugares) e espacialidade (experimentação do espaço, ou melhor dizendo do sujeito no espaço), assumem-se em intrínseca relação, simultaneamente ativadores e ativações de estados de consciência sobre a envolvente, a partir das seguintes caracterizações críticas: O espaço vivencial, que se estabelece pelo ser, relaciona-se com a apreensão próxima e desta forma determina-se pela escala envolvente diretamente relacionada com a medida ou escala do nosso próprio corpo. Na arquitetura e no processo criativo determina-se pelo pormenor, pela materialidade e respetiva execução. Pensar entre escalas exige neste pressuposto a lógica do detalhe, da visão da parte que se constitui no todo. Ou seja, a forma como nós próprios configuramos o espaço, integrando-o, fundindonos com ele. Nesta perspetiva a mesa de canto, projetada pelo atelier Nendo, coordenado pelo arquiteto japonês Oki Sato, no âmbito de uma exposição individual levada a cabo na galeria Eye of Gyre, durante a Tokyo Designers Week 2015, é um exemplo muito significativo desta aproximação. Numa expressividade quase gráfica a apreensão deste objeto faz-se no contexto do espaço apenas e quando objetivada com a escala vivenciada desse espaço, ou seja, quando nos projetamos nele e se define uso e corpo nesse mesmo objeto e nesse mesmo espaço.

OBJECT, BUILDING, CITY | 19

sion of living spaces - related to the proximity between object and body; the perception of the reference space - related to movement and the relationship with the building; and an awareness of the global space - related to a location within the city. These three levels constitute a way of thinking about space, a kind of approximation between scales and a relationship between being, thought, and consciousness. Based on the logical phenomenology of overall perception, this is where the consciousness of ideas is formed and, at the same time, the capacity for critical and creative responsiveness is configured. It is a key step in the process of architectural and urban design. Thus, space (the physical configuration of places) and spatiality (experimenting with space, or rather, with the subject in space), are closely related. They are simultaneously activators and activations of states of consciousness about our surroundings, based on the following critical characterizations: Living space, which is defined by our being, is related to the experience of proximity, and as such is determined by the surrounding scale, which is directly related to the measurement or scale of our own body. In architecture and in the creative process, it is determined by the details, materials, and execution. Within this framework, thinking between scales requires logic based on detail, a vision of the part that makes up the whole. In other words, the way we ourselves configure space, integrating it, merging with it. A very good example of this approach is the border table designed by the Nendo studio, led by the Japanese architect, Oki Sato. The desk was unveiled at an individual exhibition in the Eye of Gyre gallery during Tokyo Designers Week 2015. With almost graphic expressivity, this object can be perceived in the context of space only when associated with the nature of the space as a living area; that is, when we imagine ourselves in that space, using the object in that same space.


20 | Margarida Louro

O espaço referencial inter relaciona-se com o espaço edificado, pressupõe já uma dinâmica, uma referenciação à escala do edifício, um intercalar de espaços, de sequências, que determina movimento. Daí a correlação com a perceção (e na relação com a experiência estética com a intuição sensível e organização estética do espaço e do tempo), ou seja, a perceção interrelaciona a parte com o todo próximo, tangível e percorrível. As peças Lego, reinventadas pela Everblock (empresa americana fundada por Arnon Rosan) quando ampliadas em termos de escala e utilizadas como peças construtivas e modulares de paredes e escadas, assumem esse reposicionar de referência, onde a partir de um imaginário pré configurado, restruturamos a dimensão do espaço e aferimos novas referências na sua visualização, correlacionando a parte com o todo. O espaço global, sustém-se numa conscien­ cialização de valor e daí a sua relação com a última gradação da experiência estética, a intuição intelectual e a relação com a noção de lugar, de território, de cidade. Cidade que é o espaço da consciencialização do corpo no mundo e que pressupõem uma noção de juízo e de valor. A série fotográfica, Lost in Wonder Series, constituída por fotografias tiradas em vários lugares icónicos do mundo (muralha da China, Pirâmides de Gizé, Petra na Jordânia, Coliseu de Roma, Stonehenge, Machu Picchu, Ilha da Páscoa e Chichén Itzá) pela artista americana Trina Merry configuraram de modo expressivo esta consideração sobre o espaço global. Efetivamente esta experiência performativa de fotografar corpos pintados e integrados/diluídos na própria paisagem de fundo, reúne em si uma experimentação plástica muito enfática, onde experiência, valor, referência e escala, interagem de forma complexa e integrada. A leitura dos corpos mune-se assim de vários estádios de consciencialização que fundem várias escalas e níveis de juízo crítico e de valor na sua apreensão.

The reference space is linked to the built space. It presupposes a certain dynamic; a reference to the scale of the building; an interspersing of spaces and sequences that evoke movement. Hence the correlation with perception (in relation to the aesthetic experience with sensitive intuition and the aesthetic organization of space and time). In other words, perception relates the part to the tangible whole. Lego pieces, reinvented by Everblock (an American company founded by Arnon Rosan), when expanded in terms of scale and used as constructive and modular pieces of walls and stairs, experience a shift in their frame of reference. From a preconfigured image, we can restructure the dimensions of the space and achieve a new visual reference, relating the part to the whole in a new way. The global space is based on an awareness of value, and hence its relationship to the last stage of aesthetic experience, the intellectual intuition and the relationship with the idea of place, territory, and city. Cities are spaces that create awareness of the body in the world and presuppose an idea of judgement and value. The Lost in Wonder Series consists of photographs taken in various iconic places in the world (the Great Wall of China, the Pyramids of Giza, Petra in Jordan, the Colosseum in Rome, Stonehenge, Machu Picchu, Easter Island and Chichen Itza) by the American artist Trina Merry. It clearly expresses this idea about global space. Effectively, this performative experience of photographing painted and integrated/diluted bodies in the background landscape brings together a very emphatic plastic experiment where experience, value, reference and scale interact in a complex and integrated way. The reading of bodies thus differs from several stages of awareness that combine different scales and levels of critical judgement and value.


OBJETO, EDIFÍCIO, CIDADE

OBJECT, BUILDING, CITY | 21

Espaço vivencial, referencial e global objetivamse assim em três níveis de aferição do espaço envolvente, interligados em sistemas complexos que se estruturam na experimentação e fundamentalmente na projeção do ser corpo no espaço e no território.

Living, referential, and global spaces are thus aimed at three levels of measuring the surrounding space; they are linked in complex systems that are based on experimentation and, fundamentally, on the projection of being a body in a specific space and territory.

As noções de escala: o corpo e o território

Notions of scale: body and territory

Neste sentido a noção de escala emerge, como o que potencia a articulação entre as noções de espaço. É a peça chave na apreensão, perceção e consciencialização e nesse sentido é basilar no processo criativo. Escala, que mais do que a definição técnica de correlacionamento de medidas é o que nos relaciona e correlaciona no espaço. Ou seja, é a nossa relação e a nossa medição do mundo. O sistema referencial, onde o corpo se alicerça como elemento primordial na consciencialização do espaço, do objeto e do território.

In this sense, the notion of scale emerges as something that enhances the articulation between the notions of space. It is a key part of understanding, perception and awareness, and as such, it is fundamental to the creative process. Scale is more than its technical definition, the relationship between measurements; it is what we use to relate to space. It is, in other words, our relationship to the world and how we measure it: the reference system, where the body becomes a primordial element in the awareness of space, the object and territory.

07 Leonardo da Vinci, 1490 O Homem de Vitrúvio Vitruvian man

08 Le Corbusier, 1950 - Modulor Modulor

09 Chrysler Corporation, 1978 - Cyberman Cyberman


UM PLANETA DE FAVELAS BRASIL - RIO DE JANEIRO, ROCINHA

A maior favela da América Latina

A PLANET OF FAVELAS BRAZIL - RIO DE JANEIRO, ROCINHA The largest favela in Latin America Sofia do Carmo A maior favela da América Latina – a Rocinha, assume-se como o campo privilegiado desta investigação. Partindo do enquadramento da proposta sobre o problema da densidade deste território e pela sua topografia difícil, estabeleceu-se uma metodologia urbana que se definiu numa espécie de artificialização do morro, assumindo como génese de crescimento a estrutura viária existente e em especial a Estrada da Gávea. Neste sentido, a metodologia urbana proposta, elege a casa como módulo na configuração da malha edificada, assumindo o terraço, como a peça principal de articulação, e simultaneamente, habitacional, topográfica e urbana. The largest favela in Latin America – Rocinha – is the privileged field of this research. Therefore, following on from a proposal focused on the problem of the density of this territory and its difficult topography, an urban methodology was established that defined itself as a type of artificialization of the hill. It assumed the existing road structure and, in particular, the Gávea Road as the base for its growth. In turn, it defined itself as a construction methodology, which elects the house as a module in the configuration of the constructed network, assuming the terrace, as the main piece of articulation, and simultaneously habitational, topographical and urban connecting piece.


134 | Sofia do Carmo

CONTEXTO DA INTERVENÇÃO O território informal de uma das maiores favelas do Rio de Janeiro, a Rocinha, assumese como campo privilegiado de reflexão, representando, genuinamente, o que é habitar nestes assentamentos informais de grande escala urbana, onde questões como a marginalidade, clandestinidade e violência ganham significativa expressão. O urbanismo da Rocinha aparece deste modo ligado à génese de crescimento da própria cidade do Rio de Janeiro, como zona inicialmente de arrabalde, de origem agrícola, que, conectada por uma estrada principal – a Estrada da Gávea –, vai sendo pouco a pouco ocupada e densificada de forma desestruturada e informal, a par com o crescimento e planeamento da cidade formal. O local ocupado pela Rocinha, com uma área de 865 032 m2, tem uma zona plana onde se situa o seu núcleo central, junto ao Túnel Dois Irmãos, e uma restante área que se desenvolve em terrenos de grande declive, como as encostas do Morro Dois Irmãos e o Morro que se integra na área do Parque Nacional da Tijuca. Desde a sua área mais baixa até à área mais elevada, a Rocinha vence, por si só, um desnível de mais de 450 metros. Consequentemente, a topografia assume-se como elemento principal na caracterização do bairro e, simultaneamente, como elemento estratégico de articulação e resolução do edificado, redefinindo-o na lógica urbana envolvente.

Fotografias do bairro da Rocinha Photographs of Rocinha neighbourhood


UM PLANETA DE FAVELAS - BRASIL, RIO DE JANEIRO

A PLANET OF FAVELAS - BRAZIL, RIO DE JANEIRO | 135


136 | Sofia do Carmo

INTERVENTION CONTEXT The informal territory of one of the largest favelas of Rio de Janeiro, Rocinha, is the favoured field of reflection, as a genuine representation of what it is like to live in these large informal settlements, where issues of marginality, clandestinity and violence are increasingly raised. The urbanization of Rocinha seems to be linked to the growth of the city of Rio de Janeiro itself, as initially an agricultural suburb connected by a main road — the Gávea Road — is gradually becoming occupied and denser in an informal and unstructured way, alongside the growth and planning of the formal city. The site occupied by Rocinha, with an area of 865 032 m2, has a flat area where the inner core is situated, alongside the Dois Irmãos Tunnel, and the remainder is built on steep sloping terrain, like the Dois Irmãos Hill and the Hill that forms part of the Tijuca National Park. From its lowest point to its highest point, Rocinha achieves, has a gradient of over 450 metres. Consequently, the topography plays the main role in the characterization of the neighbourhood and also an essential role in the articulation and resolution of the buildings, redefining it in the surrounding urban logic.

Fotografia e imagem aérea com delimitação do bairro Photograph and aerial showing neighbourhood boundary


UM PLANETA DE FAVELAS - BRASIL, RIO DE JANEIRO

A PLANET OF FAVELAS - BRAZIL, RIO DE JANEIRO | 137


138 | Sofia do Carmo

MODELO URBANO

URBAN MODEL

A estratégia urbana desenvolveu-se a partir do tecido urbano existente, que se foi definindo, ao longo do tempo, por fases, construindo-se de acordo com as necessidades de ocupação das famílias. Assim, a própria estratégia, foi pensada de forma a ser implantada por fases, procurando preservar e recuperar este meio sociocultural, como um organismo que se vai expandindo e organizando no morro da Rocinha, facilitando a sua adaptação e integração. Após visita e estudo do local, foi possível balizar uma primeira área de intervenção, que seria a base, o ponto de partida desta estratégia, uma espécie de ponto zero, a partir do qual se expandiria e inseriria sobre o morro. Procurando seguir a lógica construtiva da comunidade, a área escolhida foi a área adjacente à Estrada da Gávea, o principal eixo viário da favela e o local da sua génese, a partir do qual nasceu e se edificou toda a atual comunidade. Foram selecionadas três zonas tipo sobre as quais se aplicaram três modelos urbanos. Estes modelos têm dimensões de, aproximadamente, 100x150 metros, nos quais se conjugaram as diversas tipologias habitacionais, adequadas aos três tipos de eixos viários propostos, que adquirem diferentes perfis consoante o nível de urbanidade pretendido. A aplicação destes modelos à Rocinha, procura ser um processo de melhoramento gradual das habitações existentes, uma espécie de revalorização faseada que integra partes, memórias, preexistências, e não um processo de demolição integral sem critérios seletivos.

The urban strategy developed from the logic of the existing urban fabric, which has been defined, over time, by phases, built according to the occupational necessities of the families. Therefore, the appropriate strategy was thought out, to be implemented in phases, which try to preserve and recover this socio-cultural environment, as a wide-spreading and organized system in the Rocinha slum, facilitating its adaptation and integration. After visiting and studying the site, it was possible to mark out the first area of intervention, which would be the base, the starting point of this strategy, a kind of zero point that would be expanded and implemented in the slum. In an attempt to follow the constructive logic of the community, the chosen area was adjacent to the Gávea Road, the favela’s main road and the place where it was conceived, from which the entire existing community was born and built on. Consequently, three standard zones were selected to which three urban models were applied. These models have dimensions of, approximately, 100x150 metres, in which multiple housing types were combined which suited the three types of proposed roads. These acquire different profiles depending on the level of urbanism required. The application of these models to Rocinha, aims to be a process of gradual improvement of the existing housing, a type of staged revaluation which integrating parts, memories, pre-existences and not a process of complete demolition without any selected criteria.

Planta do bairro da Rocinha com marcação da estrada da Gávea e zonas de intervenção

Plan of the Rocinha neighbourhood with the Gávea road and interventions areas marked


UM PLANETA DE FAVELAS - BRASIL, RIO DE JANEIRO

A PLANET OF FAVELAS - BRAZIL, RIO DE JANEIRO | 139

ZONA 3

ZONA 2 ZONA 1

ESTRADA DA GÁVEA


+

+

=

=

ZONA 1

Plantas e esquemas da estratégia de intervenção urbana


+

=

ZONA 2

ZONA 3

Plans and schemes of the urban intervention strategy


TRADIÇÃO E IDENTIDADE

TRADIÇÃO E IDENTIDADE - MÉXICO, OAXACA

URBAN TRADITION AND IDENTITY - MEXICO, OAXACA | 171

MÉXICO - OAXACA

Valorização do lugar na construção de um novo paradigma urbano URBAN TRADITION AND IDENTITY MEXICO - OAXACA Valorization of place in the construction of a new urban paradigm Catarina Gabriel Contrariando a atual tendência para a homogeneização e tipificação das cidades, esta investigação estabelece uma reflexão sobre a valorização do lugar na construção de um novo paradigma urbano para a cidade de Oaxaca, no México. Deste modo, partindo deste enquadramento define-se uma metodologia urbana que se assume no espirito do lugar e no enquadramento das preexistências que de certo modo ditam uma metodologia do edificado, uma espécie de ser no espaço, onde módulo, casa e cidade se fundem numa lógica de projeto integrado. Uma definição que a partir da eleição do módulo construtivo do adobe de terra, resolve várias escalas de projeto, desde a cidade, ao bairro e à casa. Contrary to the current trend of homogenizing and typifying cities, this research provides an analysis of the local versus global, in the construction of a new urban paradigm for the city of Oaxaca in Mexico. With this background in mind, an urban methodology is defined which assumes the spirit of the place and the framing of previous existences, which to some extent dictates a building methodology, a sort of being in the space, where module, house and city are fused into an integrated project logic. It is a definition that, after choosing a constructive module from adobe, resolves various scales of the project, from the city, to the neighbourhood and to the house.


172 | Catarina Gabriel

CONTEXTO DA INTERVENÇÃO

INTERVENTION CONTEXT

Partindo da problemática do crescimento urbano desordenado que teve lugar ao longo de todo o século XX em vários contextos do mundo, apresenta-se uma reflexão a propósito da construção da identidade da cidade de Oaxaca, no México. Contornando a globalização atual das cidades contemporâneas, procuram-se estabelecer vínculos com traços da própria cultura, resgatando soluções tradicionais como ponto de partida para a construção de novos caminhos em termos de crescimento urbano. Apesar da cidade apresentar atualmente algumas zonas descaracterizadas, Oaxaca possui, em todo o seu território e em vários momentos históricos, referências incontornáveis como são os casos das zonas arqueológicas de Yagul, Mitla e Monte Albán e do modelo urbano da cidade espanhola. Em Oaxaca coabitam 16 grupos étnico linguísticos que têm tradições e costumes diferentes entre si, fruto da diversidade natural do espaço e do isolamento entre as comunidades devido à acentuada topografia. Neste sentido estabelece-se referência às calendas, desfiles que se fazem nas ruas de Oaxaca que assinalam ocasiões festivas, nos quais se apresentam trajes e danças das várias proveniências do estado de Oaxaca, acompanhados de uma banda de músicos (imagem anterior). A área de intervenção, corresponde ao bairro localizado na encosta do Cerro do Fortim, ou Tanilaonayaa Laoni, que em zapoteco significa cerro da bela vista por estar orientado a sul em frente ao Monte Albán. Corresponde a uma área da cidade que se caracteriza pelo seu acentuado declive, o que dificulta a acessibilidade ao bairro e condiciona a mobilidade dos seus habitantes.

Starting with the issue of uncontrolled urban growth, which took place throughout the 20th century in various parts of the world, an analysis is presented apropos the construction of identity in the city of Oaxaca in Mexico. Bypassing the current globalization of contemporary cities, it seeks to establish links with features of the culture, reviving traditional solutions, as a starting point for the construction of new paths, in terms of urban growth. In spite of the city currently displaying some featureless zones, Oaxaca possessed throughout its territory and in various historical moments, such as the archaeological sites of Yagul, Mitla and Monte Albán and the urban model of the Spanish city. In Oaxaca, 16 ethno-linguistic groups, who have different traditions and customs, live together. This is a result of the natural diversity of the space and the isolation between communities, due to the steep topography, in this sense reference is made to the calendas, processions which take place in the streets of Oaxaca which signal festive occasions, in which costumes and dances are presented from various provinces in the state of Oaxaca, accompanied by groups of musicians (previous image). The area of intervention is a neighbourhood located on the slopes of the Fortin Hill or Tanilaonayaa Laoni, which in Zapotec means the hill with a beautiful view, because of its southerly location in front of Mount Albán. It is an area of the city characterized by its steep slope, which makes access to the neighbourhood difficult and restricts the mobility of its inhabitants. The topography of this zone effectively does not allow for the expansion and repetition of the urban plan of the historical centre. This occurs

Plano da cidade de Oaxaca, Antonio de Zabalkansky, 1848 Fotografia da zona arqueológica de Yagul Fotografia da zona arqueológica de Monte Albán Fotografia da zona arqueológica de Mitla

Plan of the city of Oaxaca, Antonio de Zabalkansky, 1848 Photograph of the archaeological zone of Yagul Photograph of the archaeological zone of Monte Albán Photograph of the archaeological zone of Mitla


TRADIÇÃO E IDENTIDADE - MÉXICO, OAXACA

URBAN TRADITION AND IDENTITY - MEXICO, OAXACA | 173


174 | Catarina Gabriel

Efetivamente a topografia desta zona não permitiu a expansão e repetição do plano urbano do centro histórico como aconteceu noutras zonas de menores acidentes topográficos na cidade. Assim, a ocupação desta encosta deu-se de forma mais espontânea, agarrada aos acidentes do terreno que dificultam também o acesso à água, devido à falta de bombagem, sendo este um dos problemas mais graves de infraestruturação desta área. Tendo em conta esta análise propõe-se requalificar esta zona de costura, tornando-a mais acessível, infraestruturada e sobretudo resgatando traços da sua tradição e identidade.

5

1 6

4 8

2

1 2 3 4 5 5 7 8

-

in other zones in the city with less topographical irregularities. Thus, the occupancy of this hillside arises in a more spontaneous form and clings to the irregularities of the terrain. This also makes access to water difficult, due to lack of pumping, which is one of the most serious problems of the area’s infrastructure. In view of this analysis the proposal is to requalify this seam zone, making it more accessible, providing more infrastructures and, above all, recovering traces of its tradition and identity.

Cañada Costa Istmo Mixteca Papaloápam Sierra Norte Sierrasur Valles Centrales

3 7

Zona de estudo


TRADIÇÃO E IDENTIDADE - MÉXICO, OAXACA

Mapa das regiões do Estado de Oaxaca no México Área Metropolitana de Oaxaca de Juárez Fotografia da zona de intervenção sobre o vale central de Oaxaca

URBAN TRADITION AND IDENTITY - MEXICO, OAXACA | 175

Map of the regions of the State of Oaxaca in Mexico Metropolitan Area of Oaxaca de Juárez Photograph of the intervention zone in the central valley of Oaxaca


A URBANIZAÇÃO DA POBREZA

A URBANIZAÇÃO DA POBREZA - TAILÂNDIA, BANGUECOQUE

THE URBANIZATION OF POVERTY - THAILAND, BANGKOK | 187

TAILÂNDIA - BANGUECOQUE, KHLONG TOEY

Entre a cidade desejada e a cidade habitada

THE URBANIZATION OF POVERTY THAILAND - BANGKOK, KHLONG TOEY Between the desired and the inhabited city Ana Vila Real

Esta investigação assume como ponto de partida a reconversão do porto de Banguecoque, face às intenções de transformação e modernização da Tailândia nos últimos anos, articulando vontades entre a cidade desejada e a cidade habitada. Deste modo, e elegendo Khlong Toey, como uma das comunidades portuárias que está atualmente ameaçada de expropriação, a estratégia urbana operou-se no sentido de perseguir esses pressupostos, apresentando propostas de requalificação integrada e sustentável. Assim, através da reconversão dos contentores de carga existentes constrói-se uma proposta que reúne consensos e dissensos, macro e micro, local e global, articulando novas urbanidades e condições de ser cidade. This research starts by looking at the conversion of Bangkok’s port and addresses the intentions to transform and modernise Thailand, in the last few years, by discussing the aspirations of the desired and the inhabited city. With this in mind, and by choosing Khlong Toey, as one of the port communities currently threatened by expropriation, an urban strategy has been undertaken that aims to pursue these preconditions, by presenting proposals for an integrated and sustainable redevelopment. With this in mind, a proposal has been drawn up uniting macro and micro, and local and global agreements and oppositions, for the conversion of cargo containers. In doing so, new urban realities and city conditions have been discussed.


188 | Ana Vila Real

CONTEXTO DA INTERVENÇÃO Atualmente a Tailândia tem mais de 68 milhões de habitantes, sendo que 65% da população é rural e 35% urbana. Nos últimos 20 anos, a Tailândia foi-se transformando num país moderno com grandes áreas de extensões urbanas que substituíram os terrenos agrícolas por estruturas edificadas em grande parte desestruturada e informal. Efetivamente o grande fluxo migratório de populações rurais para os centros urbanos na procura de melhores condições de vida não correspondeu a uma concertada oferta de habitação infraestruturada pelo que as comunidades urbanas informais se multiplicaram sem qualquer planeamento. Neste contexto, Khlong Toey, no sul da Banguecoque, é uma dessas comunidades onde vivem cerca de 80 000 pessoas numa área de 1,5 km2 de terra nas margens do rio Chao Phraya. Como em muitos assentamentos informais, Khlong Toey formou-se, desde 1939, devido a uma grande procura de trabalho portuário e é hoje o maior assentamento informal de Banguecoque, composto por 26 sub comunidades que trabalhavam para o porto. Atualmente este assentamento informal está a enfrentar ameaças de despejo por parte do dono das terras onde se insere (o Port Authority of Thailand - PAT), que espera deslocar os moradores para outros lugares e desenvolver toda esta área no sentido de estimular a economia e voltar a reenquadrar a atratividade do lugar. Repensar uma estratégia de coexistência destas vontades, tendo como base a zona de Khlong Toey assumiu-se como a principal estratégia e procura deste projeto de intervenção.

Fotografias do Porto de Banguecoque: vistas gerais e ambientes urbanos Photographs of the Port: general views and urban environments


A URBANIZAÇÃO DA POBREZA - TAILÂNDIA, BANGUECOQUE

THE URBANIZATION OF POVERTY - THAILAND, BANGKOK | 189


196 | Ana Vila Real

MODELO HABITACIONAL

HOUSING MODEL

Assim, é proposto um modelo habitacional sustentado na unidade modular do contentor de carga selecionado, tendo em conta dois fatores principais a eficácia do mesmo em temos construtivos e o facto de existir em abundância no porto, sendo assim um material acessível. Efetivamente sendo o contentor um elemento estandardizado, permite a sua fácil construção, adaptação e modulação no território minimizando os custos na utilização de materiais e sistemas construtivos. Em primeiro lugar, porque o contentor por si só é a estrutura de sustentação da casa, que normalmente é o aspeto que encarece a obra. Em segundo lugar porque não requer mão de obra especializada para a construção das habitações, sendo que só será necessário o apoio por parte de técnicos numa primeira abordagem em termos de implantação e construção de fundações. Outro aspeto na otimização de custos relacionase com o facto da área de intervenção pertencer e estar rodeada pelo porto sendo que este participará na estratégia de desenvolvimento da proposta, fornecendo os contentores para as habitações, tornando-se assim ainda mais barata a sua utilização, pois estão próximo da área de destino e o seu transporte não encarece o custo final. Nesta lógica os módulos de contentor de carga organizam a malha urbana e definem o tecido de cidade. Para a criação das várias tipologias, reorganiza-se o elemento contentor de forma a criar mais espaço de habitação, sobre a qual se definem três tipologias habitacionais formadas por um, dois e três contentores. Devido às condições climáticas desta zona serem extremas, com épocas de chuvas muito intensas que originam cheias aonde a água por vezes sobe aos 1,5 metros de altura, todas as habitações se encontram

Thus, a housing module based on the module unit of a cargo container is proposed. It has been selected because it takes into account two key factors: its efficiency in constructive terms and the fact it exists in abundance in the port and therefore, is an accessible material. Indeed, as the container is a standard element, it can easily be constructed, adapted and modulated in the territory, which minimizes the costs of materials and the construction process. First of all, it does this because the container is the house’s sole supporting structure, which is normally the part that increases the cost of the work. Secondly, it does not require a skilled workforce in order to construct the houses, as technical support will only be required in the first part, for the installation and construction of foundations. Another factor in the optimization of costs is the fact that the area of intervention belongs to and is surrounded by the port. Therefore, the port plays a part in the development strategy of the proposal, by providing the containers for the housing. In doing so, their usage is made even more cost effective, since they are close to the target area and their transportation will not increase the final cost. In this logic, the container modules set out the urban grid and define the fabric of the city. In order to create various housing types, the container element has been reorganized in a way that creates more living space. In doing so, three housing types have been defined, which are formed of one, two or three containers. This height is proportionate to the placement of the container, which serves as a base for the raised floor of the houses and creates a space, which can provide new uses or future temporary extensions to the housing, in accordance with the intentions and needs of each

Esquema da lógica construtiva do módulo habitacional (adaptação do contentor existente)

Diagram of the constructive logic of the housing module (adaptation of the existing container)


A URBANIZAÇÃO DA POBREZA - TAILÂNDIA, BANGUECOQUE

THE URBANIZATION OF POVERTY - THAILAND, BANGKOK | 197


198 | Ana Vila Real

elevadas do solo. Esta altura é proporcionada pela colocação de um contentor que serve de embasamento ao piso elevado das habitações ao mesmo tempo que promove um espaço que pode também proporcionar novos usos ou futuras ampliações temporárias das habitações de acordo com a intenção e necessidade de cada morador. Os acessos verticais serão feitos através de escadas em perfis metálicos. Complementarmente os materiais necessários para acabamento serão sustentados no uso do bambu, material de fácil manuseamento e abundante no território.

TIPOLOGIA T1

resident. The vertical entrances will be accessed by metallic stairs. In addition, the required finishing materials will be based on the use of bamboo, which is a common material and easily handled due to its abundance in this territory.

TIPOLOGIA T2


A URBANIZAÇÃO DA POBREZA - TAILÂNDIA, BANGUECOQUE

Simulações tridimensionais dos modelos habitacionais

THE URBANIZATION OF POVERTY - THAILAND, BANGKOK | 199

Three-dimensional simulations of housing models

TIPOLOGIA T3

Objecto Edifício Cidade  

Este livro reflecte o trabalho no âmbito do projecto de investigação “Casas para um Planeta Pequeno”. O seu conteúdo em torno da temática...

Objecto Edifício Cidade  

Este livro reflecte o trabalho no âmbito do projecto de investigação “Casas para um Planeta Pequeno”. O seu conteúdo em torno da temática...

Advertisement