Page 1

Outubro de 2013 – Ano 3 - nº 12

O futuro das Organizações:

Bianca Vilela fala sobre os benefícios da Ginástica Laboral.

COMPORTAMENTO

Síndrome do Pânico: Crises, sintomas e tratamento.

*******************

ENTREVISTA

*******************

Qual o segredo para se destacar em um mercado tão competitivo?

GIRO NA EMPRESA:

Departamento Técnico: Setor de Orçamentos.


O Direito das Crianças Toda criança no mundo Deve ser bem protegida Contra os rigores do tempo Contra os rigores da vida. Criança tem que ter nome Criança tem que ter lar Ter saúde e não ter fome Ter segurança e estudar. Não é questão de querer Nem questão de concordar Os diretos das crianças Todos tem de respeitar. Tem direito à atenção Direito de não ter medos Direito a livros e a pão Direito de ter brinquedos.

2

12 de O Dia das C Mas criança também tem O direito de sorrir. Correr na beira do mar, Ter lápis de colorir... Ver uma estrela cadente, Filme que tenha robô, Ganhar um lindo presente, Ouvir histórias do avô.


Outubro Crianças Descer do escorregador, Fazer bolha de sabão, Sorvete, se faz calor, Brincar de adivinhação. Morango com chantilly, Ver mágico de cartola, O canto do bem-te-vi, Bola, bola,bola, bola!

Lamber fundo da panela Ser tratada com afeição Ser alegre e tagarela Poder também dizer não! Carrinho, jogos, bonecas, Montar um jogo de armar, Amarelinha, petecas, E uma corda de pular. Ruth Rocha – Escritora paulistana membro do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura).

3


Sumário

CAPA Quais os fatores que definem o sucesso de uma Organização do ramo metalurgico? Pag. 14

A Budai News é a revista interna publicada pela Budai, empresa do segmento metalúrgico no Brasil e fornecedora das mais importantes montadoras automotivas do país. Com tiragem de 1000 exemplares e periodicidade trimestral, é destinada ao público interno da Organização, Clientes e Fornecedores. CONSELHO EDITORIAL: José Antonio Nyari Luis Carlos Nyari Mario Jorge Nyari Luis Carlos Miranda Luciana Dinis

DIAGRAMAÇÃO E REDAÇÃO: Luciana Dinis

FOTOS: Adriano C. de Souza, Beatriz Silva, Bianca Vilela Assessoria de Esportes, Eduardo Colombo, Jaqueline Vieira, Luciana Dinis, Revista Reciclagem Moderna, Sind. Metalurgicos de Osasco e Região (Divulgação).

ENTREVISTA Bianca Vilela da Assessoria de Esportes fala sobre a importância da Ginástica Laboral... pag. 7

COMPORTAMENTO Síndrome do Pânico: O que é, quais as causas, tipos e tratamentos... pag.10

NOVIDADES Equipe Budai é uma das vencedoras do NHCS 4 Rodas 2013. Confira...pag. 22

ESPAÇO VERDE Conheça o processo utilizado pelos holandeses para a reciclagem de veículos...pag.26

ESPAÇO DO COLABORADOR

GIRO NA EMPRESA Departamento Técnico: Setor de Orçamentos. O que ele faz e quem são seus colaboradores... pag. 30

REVISÃO: Luis Carlos Miranda

EDITORA E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Luciana Dinis – MTB 54.368 luciana@budai.ind.br Tel.: (11) 4772-7400 Ramal 176 IMPRESSÃO: Gráfica Union

A Budai News é uma publicação da Budai Indústria Metalúrgica Ltda. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Distribuição exclusiva e gratuita. 4

Especial Cavaquinho: Vinicius Sampaio da Ferramentaria e Milton Luiz (Amaral) da Usinagem... pag. 28

5 EDITORIAL 6 BOAS-VINDAS Aos colaboradores que ingressaram no terceiro trimestre de 2013 16 CORPORATIVO Treinamentos e outros eventos

23 NOVIDADES Ginástica Laboral chega à Budai para melhorar a qualidade de vida dos colaboradores. 25 ESPAÇO SAUDE Hipertensão por Bianca Vilela 33 CULTURA E LAZER Dicas de Língua Portuguesa e duas sugestões de lazer


Editorial Chegamos à 12ª edição com muitas novidades e anunciamos as boas novas com a chegada da Ginástica Laboral à Budai e o prêmio como um dos vencedores do evento NHCS 4 Rodas da Honda. Criamos duas seções especiais, o Espaço Verde e o Espaço Saúde. Na primeira, o Depto. de Meio Ambiente trará dicas de sustentabilidade começando com a reciclagem de veículos. Na segunda, Bianca Vilela trará dicas de alimentação, atividades físicas, bem estar e saúde. Aproveitando sua participação, a entrevistamos sobre a importância da atividade física para a qualidade de vida. Começamos a edição dando boas-vindas aos novos colaboradores do 3º trimestre do ano e no decorrer dela, temos matérias interessantes. Uma sobre a Síndrome do Pânico, um transtorno psicológico que precisa de tratamento através de terapias e remédios para ajudar na cura do paciente. A outra destaca os pontos chaves para o sucesso de uma Organização através da gestão eficiente, análise e gerenciamento de desperdícios. Nesta edição escolhemos o Setor de Orçamentos do Depto. Técnico para a seção “Giro na Empresa” e destacamos alguns treinamentos internos e eventos em que a Budai marcou presença. Fizemos um “Especial Cavaquinho” com o Vinicius Sampaio da Estamparia e Milton Luiz da Usinagem que espalham simpatia e samba no pé por onde passam. E para não perder o costume, na seção “Cultura e Lazer”, dicas de Língua Portuguesa e uma matéria bem bacana apresentando o Metal Clube e o Metal Camp, empreendimentos do Sindicato para os filiados aproveitarem momentos agradáveis com os familiares. Enfim, a edição está recheada de novidades esperando você começar a sua leitura. Seja bemvindo!

Luciana Dinis

5


Boas-Vindas

SEJAM BEM-VINDOS!

A

presentamos e damos as boas-vindas aos colaboradores que ingressaram no 3º trimestre de 2013 através do Depto. de RH – Gestão por Competência. Jovem Cidadão: Fiscal Larissa dos S. Ferreira

Métodos e Processos Natália Fagundes Silva Recepção Evelyn Bezerra Barros Joyce Silva Santos

Comercial: Aline da Silva Gregório

Administrativo: Recepção Marcela Pires Costa Fiscal Caroline da Silva Carrilho Faturamento Roberto Junio Valadão

6

Departamento Técnico: Jonathan M. Nascimento Qualidade: Bianca Cristina de Brito

Setor de Ferramentaria: Jefferson da S. Marques Almir Aurino T. da Silva José Lucivando M. de Andrade Jefferson F. da Rocha Silvio Ferreira da Silva Daniel Domingos Dias Thiago A. Fernandes Setor de Estamparia: Rafael Donizeti Pereira Gerson Moura da Penha Manoel Augusto da Silva Francislei Santos Basilio Setor de Expedição: André Luis Barbosa dos Santos Setor de Manutenção: Antonio Silva Lima


G

BIANCA VILELA

raduada em Educação Física pela Unesp, com Pós Graduação, Especialização e Mestrado em Fisiologia do Exercício pela Unifesp/Escola Paulista de Medicina, Bianca Vilela, a convite da Diretoria começou o projeto de Ginástica Laboral (GL) na Budai. Atuante há mais de quinze anos na área com projetos voltados ao bem estar e saúde, tem vasta experiência, já publicou dezenas de artigos e seu foco concentra-se em assessoria esportiva e qualidade de vida. Atualmente escreve para as revistas Women’s Health (Saúde da Mulher, em português), Boa Forma, Elle, Claudia, Maxima, Nova, Uma, Capricho e Viver Saúde, todas da Editora Abril, e presta consultoria a emissoras de televisão como Bandeirantes, Discovery, SBT, Record e Rede TV. Além destes, contam com os serviços da empresa de Bianca Vilela – Petrobrás, Bardahl, Tegma Logística, Luft Logística, dentre outras. Em se tratando dos programas aplicados nas Organizações, todos são desenvolvidos de forma customizada e de acordo com o perfil de atuação para suprir as necessidades dos colaboradores e chegar ao resultado planejado. Sua equipe conta com profissionais qualificados que trabalham de acordo com as exigências e programas elaborados para manter a qualidade e cuidar da saúde de seus clientes. Em entrevista à Budai News, falou um pouco mais sobre o projeto. Confira.

Entrevista

7


Entrevista Budai News - O que é Ginástica Laboral e onde surgiu? Bianca Vilela - A Ginástica Laboral (GL) é um programa de qualidade de vida, realizado durante o expediente de trabalho por profissionais específicos da área de Educação Física e da Saúde, voltado aos funcionários e colaboradores da empresa. O Exercício físico durante o expediente tem a importante tarefa de prevenção das doenças ocupacionais, além de combater o sedentarismo. Existem relatos sobre o início da prática em 1925 na Polônia, apenas como uma ginástica de pausa para os operários da indústria de base. No Japão, esta atividade era realizada pelos funcionários dos Correios por volta de 1928, já com uma proposta diferente e mais elaborada, porém, somente após a Segunda Guerra Mundial esta atividade se espalhou por todo país.

8

impedir vícios posturais do ambiente de trabalho e para isso são utilizados exercícios físicos que trabalham as musculaturas pouco solicitadas e relaxam aquelas que trabalham em demasia. Esta pausa objetiva a prevenção da fadiga, de acodo com as características do ambiente de trabalho. 3) Período Relaxante: Realizado no fim do expediente. Os exercícios de alongamento para os músculos mais exigidos durante o trabalho e movimentos de relaxamento são os mais indicados para o sucesso deste período. Promove intenso bem estar, de forma a minimizar o cansaço cotidiano e preparar o indivíduo para que no dia seguinte, ele esteja bem disposto a encarar nova jornada.

BN - Como tem sido a procura das Organizações quando o assunto é qualidade de vida dos colaboradores? Sabemos que grandes empresas nacionais e multinacionais têm investido nisso, mas, e as pequenas e médias empresas, também tem se preocupado? BV - Sim, com toda certeza! As grandes empresas e multinacionais, até mesmo por uma questão orçamentária e também por terem unidades fora do país, em locais conhecidos como "primeiro mundo" foram as pioneiras. Entretanto, como os resultados são extremamente benéficos, empresas pequenas e médias também aos poucos vêm aderindo ao projeto.

BN - Como ela pode ser classificada e aplicada? BV - A classificação mais comum prevê a prática da GL em três momentos: 1) Período Preparatório: Realizado no início do expediente, após o funcionário ter feito o rápido ritual de entrada, fazendo com que o trabalhador desperte, além de tornar o ambiente descontraído. A GL preparatória visa o aquecimento, a preparação da musculatura e das articulações, o que previne acidentes, distensões musculares e doenças ocupacionais. 2) Período Compensatório ou de Pausa: Realizado no meio do expediente. É realizado para BN - Junto com a GL, você

trouxe um projeto voltado à qualidade de vida. O que é este projeto, qual a sua finalidade e expectativas? BV - Na verdade foi implantado na Budai algo maior, denominado Programa de Educação Postural, no qual conta com a importante ferramenta, a Ginástica Laboral. Além disso, teremos avaliação física e postural, blitz ergonômica para correção de vícios posturais em situações cotidianas de trabalho e confecção de manuais ilustrativos posturais. Quer dizer, contaremos com diversas opções para a finalidade de melhorar a qualidade de vida de todos.

BN - Sabemos que a GL proporciona saúde e bem estar, mas que ainda há falta de informação sobre todos os seus benefícios. Abrir a mente das pessoas é um desafio. Como você quebra esses tabus em relação a isso? BV - O apoio de todos, ou seja, dos colaboradores e dos gestores é fundamental para o sucesso do programa. A Organização Mundial de Saúde preconiza que com 30 minutos por dia de atividade física, o indivíduo deixa de ser sedentário. Através da GL (Ginástica Laboral) conseguimos a metade disso, fica fácil completar os outros quinze através das simples tarefas do dia a dia (como, por exemplo, andar de bicicleta, caminhada, subir escadas). Além disso, as aulas proporcionam fortalecimento e alongamento das musculaturas mais solicitadas e desta forma reduzimos consideravelmente as chances de desenvolver doenças


osteomusculares. Temos que acreditar e valorizar um projeto deste porte, afinal os benefícios são facilmente observados e todos tem muito a ganhar!

BN - As LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) depois de diagnosticados por médicos precisam de tratamento específico para a total recuperação? Fale um pouco sobre cada um deles, por favor. BV - Sim, é fundamental que haja o diagnóstico médico e que o indivíduo realize o tratamento de forma correta. De forma geral o tratamento mais comum é a fisioterapia, a qual desenvolverá o processo de remoção da dor (analgesia) e da inflamação. Esta situação é sem dúvida, importante, contudo o que fará com que este indivíduo não mais tenha lesões recorrentes é um programa físico de alongamento e fortalecimento muscular. Músculos mais fortes e mais flexíveis apresentam me

nos tendência de se lesionar, daí a grande importância da GL.

BN - Para aquelas pessoas que não praticam nenhuma atividade física, este processo de mudanças pode ser um pouco mais lento. Em quanto tempo, após o início do programa, este público começa a perceber a melhoria na saúde, postura, diminuição das dores no corpo, dentre outros? BV - Dentro de 30 dias, maior disposição, melhor flexibilidade e principalmente bem estar, são os primeiros sinais. Com aproximadamente 90 dias, aumento no nível de força muscular e até mesmo redução de gordura corporal começam a ser observados. BN - Como são elaborados os exercícios para os portadores de necessidades especiais? Eles são aplicados separadamente ou junto com os outros colaboradores? Há um profissional disponível para orientá -los?

BV - Os professores estão preparados para situações especiais, nossas aulas utilizam o método de inclusão, de forma que todos participam em conjunto. Temos, por exemplo, alguns colaboradores com redução auditiva, durante a aula os professores demonstram o exercício proposto e sempre que necessário realizam as correções e auxílio individual. Pessoas com menor habilidade motora, devido à amputações, realizam a atividade sempre de acordo com sua capacidade, respeitando seus limites. BN - Como você sentiu a aceitação dos colaboradores da Budai? BV - A aceitação foi excelente, tanto dos colaboradores de forma geral como também dos gestores. Estamos muito felizes com a receptividade!

9


Comportamento

"De repente os olhos embaçaram, eu fiquei tonto, não conseguia respirar, me sentia fora da realidade, comecei a ficar com pavor daquele estado, eu não sabia aonde ia parar, nem o que estava acontecendo..."

“Quando começa eu já espero o pior, “aquilo” é muito maior do que eu, o caos toma conta de mim, é como uma tempestade que passa e deixa vários estragos e eu me sinto arrasada. Eu sempre fico com muito medo de que aquilo ocorra de novo...” “...Era uma coisa que parecia sem fim, as pernas tremiam, eu não conseguia engolir, o coração batendo forte, eu estava ficando cada vez mais ansiosa, o corpo estava incontrolável, eu comecei a transpirar, foi horrível...”

“Depois da primeira vez eu comecei a temer que acontecesse de novo, cada coisa diferente que eu sentia e eu já esperava... ficava com medo, não conseguia mais me concentrar em nada... deixei de sair de casa, eu não conseguia nem ir trabalhar.” Depoimentos de portadores de Síndrome do Pânico para o site Psicoterapia.psc.

10

(http://www.psicoterapia.psc.br)


A

A Síndrome do Pânico

Síndrome do Pânico é um transtorno de ansiedade extrema em que a vítima sente como se houvesse alguma coisa errada com seu corpo devido a sensações de medo de que algo inesperado e sem controle possa acontecer. Os exames clínicos não apresentam nenhum problema, pois se trata de um estado psicológico. Nos períodos de intensa ansiedade, as crises são fortes, ocasionando um grau elevado de sofrimento e sentimento de impotência. Nas crises, o corpo reage como se estivesse frente a uma situação de extremo perigo, pois no pânico, o “perigo” vem de dentro da vítima e não em volta dela.

O tempo da crise varia de pessoa para pessoa e todas dão início com uma reação de ansiedade que aumenta gradativamente ocasionando o medo, pois o organismo reage a estímulos que geram sensação de desespero. Durante as crises quatro tipos de pensamentos catastróficos invadem a mente das vítimas: sensação de perda de controle e de desmaio e sensação de que está enlouquecendo e que vai morrer. Diferente das fobias em que os medos são específicos de alguma coisa, no pânico, a vítima teme o que ocorre com o seu próprio corpo acreditando que as suas reações são perigosas. O apoio da família é extremamente importante para o

tratamento. Entender quais os sintomas do transtorno, quais as causas e as maneira de ajudar, facilita na recuperação e convívio com a vítima que precisa ser compreendida. Os familiares precisam obter informações em grupos de auto-ajuda, livros, internet e/ou especialistas e incentivar atividades, mesmo as mais simples como a ida à escola ou trabalho para que a pessoa não mude totalmente sua rotina e adquira a chamada “esquiva fóbica” - quando não sai de casa nem para ir à rua. Em casos de depressão e pânico é errado apoiar que a vítima fique em casa de repouso, esta rotina colaborará com o medo de sair em público para evitar novas crises. Os portadores de Síndrome do Pânico têm mais chances de ficarem desempregados ou produzir menos no trabalho, como também manter relações pessoais, pelo fato de as pessoas não compreenderem a gravidade do

transtorno. SINTOMAS Os sintomas aparecerem de uma hora para outra e desencadeiam uma primeira crise. Após esta, ocorre por semana, de duas a quatro crises que vão e voltam. A primeira pode acontecer geralmente entre 15 e 20 anos de idade ou após os 30 anos, sem motivo aparente. Em um período de um a cinco anos a pessoa que era tranqüila torna-se tensa por viver na expectativa da próxima crise. Segundo estudiosos, 60% dos pacientes apresentam quadros de depressão e pelo menos 12% tentam o suicídio. O ataque começa de uma hora para outra e na maioria das vezes atinge seu ápice em dez minutos. Em questão de 30 segundos uma pessoa que estava se sentido perfeitamente bem é tomada por sintomas como boca seca, taquicardia, mal estar, tremores, falta de ar, sensação de

11


Comportamento

sufocamento e sensação de que algo trágico como a morte, está prestes a acontecer. Nos casos considerados mais graves, os pacientes não conseguem sair de casa sozinhos e a maioria desenvolve algum tipo de limitação. Durante um ataque pelo menos quatro dos sintomas seguintes se manifestam: palpitações ou ritmo cardíaco acelerado, dor no peito ou desconforto, formigamento ou dormência das mãos, pés ou rosto, tontura ou desmaios, tremores, náusea ou desconforto abdominal, embaçamento da visão, dificuldade de engolir, sudorese, calafrios e ondas de calor, sensação de estar fora da realidade, medo de perder o controle ou de uma tragédia iminente e os já citados anteriormente.

12

oriundo do não tratamento do pânico. É uma ansiedade gerada por estar em situações ou locais que dificultam a vítima de escapar ou de obter ajuda facilmente, caso tenha uma crise de pânico, dando a sensação de estar presa numa armadilha. Isso pode ocorrer no meio da multidão, no trânsito, no shopping ou metrô. No pânico com Agorafobia, as vítimas preferem estar acompanhas por alguém de confiança que faça -as sentir-se menos vulnerávelis a uma nova crise. Só em lembrar de um ataque anterior, a vítima tem medo de novos ataques, levando-a evitar locais ou situações que acreditam que o ocasionarão. Este comportamento diminui suas relações pessoais e interfere na qualidade de vida, pois eles não sabem quando a próxima ocorrerá e em que cenário eles estarão.

1) Como reações fisiológicas (alterações na pressão sanguínea, nos batimentos cardíacos, piloereção (efeito que deixa os pêlos “arrepiados” para a pele não perder calor) suor, hiperventilação, outros); 2) Como reações afetivas (sentimentos de apreensão, ansiedade, desespero, desamparo, outros); 3) Como reações cognitivas (preocupação, pensamentos catastróficos, ruminações, outros). Estas pessoas são vítimas de suas próprias sensações corporais, pois seus corpos são tidos por elas, como a principal ameaça.

CAUSAS A ansiedade é um estado emocional normal, mas a ansiedade patológica passa a causar sofrimento e prejuízo ao desempenho da vítima. As causas são desconhecidas e a genética pode ser um fator determinante, embora As crises de pânico estão A sensação de medo/an- em geral, ela apareça sem que associadas em crises com e sem Agorafobia, um quadro fóbico siedade ocorre em três níveis: haja históricos familiares. A


síndrome é mais comum em mulheres, mas atinge também uma porcentagem masculina, em escala inferior.

Qualquer um pode ter uma crise de pânico. Pesquisas mostram que eventos decorrentes nos dois últimos anos de uma pessoa podem causar um sentimento de desamparo e vulnerabilidade, desencadeando uma crise. Nestes eventos estão inclusos, um estresse muito alto, emoções fortes (separações dolorosas), doença, morte de alguém muito próximo, crises existenciais, vivências ou situações traumáticas (ficam registradas num circuito específico da “memória emocional” da pessoa) ou até mesmo, mudanças muito significativas. Ter uma criação por pais ansiosos também desencadeiam crises.

O MEDO DO MEDO Os portadores associam várias sensações e reações do corpo com uma crise de pânico, e assustados com elas, acabam iniciando uma nova crise. É um medo do medo de ter uma nova crise que gera uma nova crise. Quase todas as situações que acontecem na vida de um portador da Síndrome do Pânico ao invés de ser visto com alegria, raiva, entusiasmo (sentimentos comuns no dia a dia das pessoas) é visto na realidade, com ansiedade. Estas interpretações equivocadas de suas reações e sentimentos trazem a sensação que a qualquer momento terão um ataque cardíaco, que vão desmaiar ou morrer.

TRATAMENTO Nas primeiras crises muitos buscam atendimento no pronto socorro porque os ataques são iguais a ataques cardíacos, com os mesmos sintomas, mas após passarem pelos médicos nada consta em exames realizados, nada de errado fisicamente.

início, empolga alguns pacientes que acreditando estarem curados param o tratamento sem imaginar que a “doença” voltará em quatro a seis semanas.

Os médicos também aconselham exercícios regularmente, dormir e se alimentar bem e reduzir a cafeína, estimulantes e No tratamento, os médicos alguns remédios para gripe. hoje adotam a técnica de combinar medicamentos com a terapia Na terapia cognitiva-comcognitivo-comportamental (TCC) portamental os pacientes aprenpara obter melhores resultados dem a superar o sentimento e evitar tanto sofrimento. Antiga- de impotência ocasionado pelo mente o tratamento era feito so- pânico, compreendem os senmente com terapia submetendo timentos e experiências que os pacientes a participar de um desencadeiam as crises (ter inprograma comportamental ba- fluência em seus estados interseado na exposição às todas as nos), começam a entender o seu situações que lhe causasse o pâ- corpo e perder o medo das reanico, ou seja, tinham que habitu- ções dele, aprendem a reconhear-se ao estresse de maneira gra- cer e substituir os pensamendual e progressivamente até que tos ruins, a gerenciar o estresse ocorresse a dessensibilização. e relaxar quando os sintomas Agora os pacientes aceitam com aparecerem e desenvolver o “eu mais facilidade o tratamento que observa” para saber diferencom antidepressivos, chama- ciar todas as reações do corpo. dos de inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRSs), medicação obrigatória para quem tem depressão oriunda do pânico. Para ter o resultado garantido o tratamento precisa ser mantido por no mínimo 6 meses, embora o ideal seja um ano. Um a cada três pacientes desistem logo no início, pois os efeitos colaterais surgem no primeiro dia e as crises pioram nas primeiras 48 horas. A melhora que começa a aparecer somente duas ou três semanas após o

Fontes: Drauzio Varella http://drauziovarella.com.br/letras/s/sindrome-do-panico/ Psicoterapia.psc. (http://www.psicoterapia.psc.br)

13


Capa

O Sucesso Org

Como crescer e passar à frente em um mercado tão competitivo?

U

ma pergunta feita por profissionais e executivos diante de um mercado mega competitivo e uma concorrência tão esmagadora. Atingir o sucesso não é tão fácil quanto parece, e por não estarem preparadas para encarar esta globalização, empresas abrem falência.

14

Para crescer e manter-se, as Organizações tem se preocupado com fatores como integração, sinergia, tecnologia, recursos

humanos, motivação, qualidade de vida e gestão eficiente.

Aplicar conceitos é a peça chave para o sucesso e numa linha de produção vários fatores precisam ser levados em conta, como, por exemplo, o monitoramento e controle das atividades para gerenciar os desperdícios através de indicadores do desempenho dos processos. Cada etapa de um processo tem a sua importância

e pular alguma delas é sinal de problemas que resultarão em custos, gerando erros que precisarão ser corrigidos. O foco é atender as necessidades dos clientes para atingir a excelência - desenvolver, acompanhar e aplicar as melhorias nos processos. Para que tudo corra bem, o primeiro passo é ter bons gestores – aqueles que compreendem os objetivos e metas da empresa e que estejam atualizados com


ganizacional as exigências do mercado, que sejam facilitadores e que busquem continuamente a melhoria do processo. Este perfil ideal de liderança está sendo cada vez mais exigido pelas Organizações, pois são profissionais com este porte que conseguem ter a noção exata do que a Organização precisa para manter-se competitiva.

Análise e Gerenciamento de Desperdícios Na indústria, por exemplo, desperdiça-se toneladas de materiais por ano. É preciso uma análise e gerenciamento para evitar que isso ocorra, pois não agrega valor e gera perdas de tempo, recursos e custos.

Há dois tipos de desperdícios, os visíveis e os ocultos. Os ocultos tem características peculiares pela dificuldade de serem identificados, pois como o próprio nome diz, estão escondidos nos processos ocasionando a Ineficácia e a Ineficiência. Podemos classificar como desperdícios ocultos os tempos perdidos trabalhando que ocorre quando um equipamento, uma máquina ou um processo está trabalhando abaixo do tempo do ciclo planejado, porém, não é percebido. Já os visíveis, são aqueles que identificamos no momento em que ele ocorre como, por exemplo, a parada de um equipamento, máquina ou processo durante a produção, retrabalhos, refugos de produção, dentre outros.

Os desperdícios ocultos ou visíveis, se não forem identificados e eliminados em tempo hábil, comprometerão em curto prazo e por longo tempo a competitividade, com reflexos negativos na saúde financeira na empresa. Portanto, somente através de um gerenciamento efetivo da Eficácia e Eficiência é possível manter e melhorar continuamente o desempenho dos Processos, garantindo assim a sobrevivência e crescimento contínuo da Organização. Dentre tantas formas de gerenciar e eliminar desperdícios, citaremos duas que tem contribuído para o crescimento industrial, a Produção Enxuta e a Manutenção Preventiva, duas ações que podem agregar muitos benefícios. Manutenção Preventiva

É a responsável por reduzir ou impedir que falhas ocorram nos equipamentos, o tipo de manutenção mais importante num ambiente industrial que necessita de profissionais especializados para manter tudo em perfeito estado próximo às condições que saiu da fábrica. Deveria ser o tipo de manutenção prioritária por gestores e chefes que se preocupam com o andamento e resultados da produção, embora ainda haja carência desta visão. Geralmente optam pela manutenção corretiva, aquela realizada após a falha ou defeito no equipamento. O que precisa ser descoberto pe-

las grandes Organizações é que a manutenção preventiva é capaz de diminuir os custos e aumentar o lucro, pois com ela não há custos adicionais. Ela prolonga a vida útil e evita as conseqüências oriundas das falhas. Produção Enxuta

Na produção enxuta, termo de origem ligada ao sistema de Produção Toyota (surgiu no Japão após a Segunda Guerra Mundial, momento em que a indústria japonesa sofria com a baixa produtividade na linha de produção e como primeira medida de melhoria diminuiu o índice de desperdício), produz-se somente o necessário (quantidade certa), no tempo certo de produção (nem mais e nem menos tempo) e com qualidade assegurada. São consideradas ferramentas de produção enxuta: Poka Yoke (prevenção de erros no processo de fabricação), Melhoria Contínua, TPM (Máquina eficiente com manutenção preventiva), Fluxo de peça única, 3S/5S - limpeza e organização na estação de trabalho, Mapeamento de fluxo de valor (processos enxutos), outros. Para crescer é preciso uma visão a longo prazo, caso contrário, os prezuijos podem ser imensos. Texto do Gerente de Qualidade / Métodos e Processos, Sr. Luis Carlos Miranda.

15


Corporativo

Segurança: Transporte de Vítimas

A

conteceu em 27 de Julho, sábado, o treinamento aplicado e coordenado pelo Departamento de Saúde e Segurança no Trabalho da Budai, ministrado pelo Bombeiro do Trabalho, o Sr. Adriano C. de Souza. Com carga horária de 3h, o treinamento recebeu 12 colaboradores da equipe de brigadistas que foram divididos em dois turnos, o primeiro das 08h às 11h, o outro das 16h às 19h. O treinamento teve como objetivo, ensinar os brigadistas a identificar as situações de emergência que requerem

16

a retirada rápida da vítima, indicar as regras e mostrar como executar corretamente as técnicas de movimentação e transporte utilizando pranchas longas. Sempre demonstrando a maneira correta de execução de cada ação para o resgate. Dentre o conteúdo abordado foi falado sobre as regras gerais para abordagem e movimentação das vítimas e realizada demonstrações e práticas das técnicas de rolamento em Monobloco com três socorristas (Rolamento 90°), Levantamento em Monobloco com

Quatro Socorristas (Elevação a Cavaleira), Rolamento em Monobloco com Vítima em Decúbito Ventral (Rolamento 180°) e Chave de “ RAUTECK” (Procedimentos Operacionais Padrão).

Participaram os colaboradores: Milton Luiz Rodrigues, Rafael Santos da Silva, Valmir dos Santos Ribeiro, Jefferson Diego de Souza, Ricardo José Pereira, Fábio Alves Tavares, Renato Fernandes de Souza, WIillians Roberto da Cruz, Fábio Souza Caboclo, Renato Pereira da Silva, Alessandro de Abreu e Adriano Rodrigues dos Santos.


Métodos e Processos: Treinamento Anti Mistura

A

conteceu nos dias 26, 27 e 30 de agosto no Auditório Jorge Nyari, o treinamento Anti Mistura direcionado aos setores de Recebimento, Estamparia, Usinagem, Pintura e Expedição da Budai. Ministrado pelo colaborador Ocian Cavalcante do Setor de Métodos e Processos, foi aplicado para os três turnos e trouxe técnicas utilizadas para evitar a mistura de produtos similares na linha de produção, dentre eles, peças de perfis semelhantes (sendo do mesmo cliente ou não), por numerações semelhantes ou por simetria oposta (peças direita e esquerda). O treinamento também foi aplicado aos colaboradores da Nylog e Nyaço.

Também foi falado sobre o índice de não conformidades por motivos de mistura (internas e externas), sobre os impactos causados por elas (incluindo custos, atraso na entrega e perda de novos negócios) e também sobre os locais com potencial para ocorrer este tipo de problema. Além disso, foi falado sobre as ações para evitar a mistura como Gestão Visual, Padronização de Cores no leiaute da Estamparia, Estoque organizado, Peças Similares armazenadas para endereçamentos diferentes com caixas identificadas, dentre outras.

17


Corporativo

A 18

NHCS 2 Rodas: New Honda Circle Supplier 2013

conteceu nos dias 23, 24 e 25 de julho no Auditório da Honda Morumbi, a edição do NHCS - New Honda Circle Supplier 2013. O evento da Moto Honda tem a finalidade de fazer a interação entre fornecedores do Grupo Honda e a integração entre os setores das próprias empresas participantes. A proposta do NHCS é que as empresas identifiquem problemas ou oportunidades de melhorias em seus processos, analisem a situação, façam um estudo das causas desse problema e apresentem soluções relacionadas à qualidade, segurança, entrega, custos ou meio ambiente.

As apresentações foram definidas por sorteio, porém, a distribuição dos grupos foi determinada com base nos finalistas da edição de 2012 como “cabeças chaves” de cada dia e segmento. A Budai estava dentre os três, junto com a NSK e a MTR Topura (NHK).

Os colaboradores Carlos Oliveira e Douglas Ramos (ambos de Métodos e Processos), Carlos Clovis (Melhoria de Processos), Douglas Leite (Custos) e Reginaldo Lima e Leandro Felicíssimo (ambos da Pintura) formam o Grupo “Protege” e representaram a Budai na

manhã do dia 25. Esteve presente para auxiliar o grupo o Gerente de Métodos e Processos / Qualidade, o Sr. Luis Carlos Miranda. O grupo esteve sob a orientação do Sr. Renato Ikai do Grupo Honda e o tema apresentado foi voltado para a melhoria do custo do processo da Pintura a Pó Eletrostática.


Métodos e Processos: Treinamento de PSP

A

conteceu durante o mês de agosto no Auditório Jorge Nyari, o Treinamento de PSP – Processo de Soluções de Problemas ministrado pelo Gerente de Métodos e Processos / Qualidade, o Sr. Luis Carlos Miranda. Com 12 horas de duração que foram divididas em três dias para cada turma, o treinamento apontou os problemas que ocorrem nas Organizações e quais são os processos usados para solucioná-los tanto na linha de produção, quanto administrativamente em relação à documentação. Dentre o conteúdo, foi abordado sobre Eficácia e Eficiência, Ações Corretivas e Preventivas, Melhoria Contínua, Indicadores de Processo, Preenchimento da OF (Ordem de Fabricação), PRD (Sistema de Produtividade), Calculo de Desempenho dos Setores, Calculo de Carga Máquina, Calculo de Custos, SET-UP, Produção Enxuta, Ferramentas e Técnicas (Brainstorming, GUT, 5 Por quês, Diagrama de Causa e Efeito, 5W 3H), PDCA, Formulários Budai (Relatório de não conformidade, Relatório de aviso de lote -de contenção / Lote Corrigido, Relatório de Solicitação de Ação Corretiva / Ação Preventiva), dentre outros. No último dia o Sr. Miranda dividiu as turmas em grupos e solicitou que cada um escolha um tema, apresente um problema e traga as soluções. Os trabalhos serão apresentados em data a ser confirmada e todas

as equipes deverão mostrar os seus projetos em apresentações de 20 minutos que serão avaliados por profissionais da área.

que apresentarem os trabalhos provando que entenderam o conteúdo do treinamento e que trabalharão em prol das mudanças para garantir a melhoria e Receberão o certificado do qualidade dos serviços da Budai. curso, somente os colaboradores


Corporativo

Treinamento: Auditoria Escalonada

A

conteceu em 03 de setembro nas dependências da Budai, o treinamento de Auditoria Escalonada para os colaboradores da Estamparia e Solda. Ministrado pelo colaborador Carlos Alberto de Oliveira do Departamento de Métodos e Processos, o treinamento teve como principal objetivo qualificar os participantes para a realização da auditoria escalonada, preparando-os para que possam atender os requisitos dos clientes. A auditoria escalonada nada mais é que assegurar a aplicação e a execução consistente de padrões, melhorando o “feito

A

Futebol: Budai x G-KTB

conteceu na manhã de 21 de setembro em Campo Limpo Paulista, São Paulo, a partida de futebol da Budai x G-KTB. Num clima completamente descontraído, as duas equipes jogaram e se divertiram nos gramados da empresa Prensa Jundiaí e provaram mais uma vez que a amizade e o respeito são os principais lances de eventos como este.

20

com qualidade” e aumentando O treinamento aconteceu a conscientização do operador/ em dois horários, das 8h às 9h e líder pela interação de processo das 15h às 16h para turmas difeque passa por vários cargos da rentes. hierarquia de uma empresa.

A Budai venceu sua concorrente num placar de 10 x 0. Alguns colaboradores foram assistir ao jogo para prestigiar seus amigos e torcer. Difícil mesmo foi escolher o artilheiro da partida, já que vários jogadores marcaram gols. Parabéns a todos os atletas !


Workshop: TQM da Honda

A

conteceu em 26 de setembro no Auditório Jorge Nyari, o Workshop da Honda ministrado pelos Srs. Armando Ferreira Filho (Ger. HDA Anhanguera) e Alexandre Santos Mazur (Analista HDA Anhanguera), que abordaram sobre o TQM (Total Quality Management), em outras palavras, Gerenciamento da Qualidade Total.

da Filosofia Honda, Fundamentos do TQM, Papel e Responsabilidade com Foco no Cliente, Definição e Processo de Gerenciamento de Diretriz por Iniciativa Própria, Ciclo DST – PDCA, Estudo de Caso, dentre outros. Participaram alguns colaboradores representando os

departamentos de Expedição, Comercial, Compras, Produção, RH, Meio Ambiente, Métodos e Processos, Qualidade, Depto. Técnico, Manutenção, Recebimento, Estamparia, Usinagem, Ferramentaria, Pintura, PCP, TI, Custos e Saúde e Segurança do Trabalho.

O treinamento teve como objetivo falar sobre a aplicação das técnicas e ferramentas da qualidade para o gerenciamento dos indicadores de Processo. Com três horas de duração, foi aplicado para duas turmas, uma das 8h30 às 11h30, a outra das 13h30 às 16h30. Dentre o conteúdo abordado, foi explicado o significado da Qualidade no TQM e como ela deve ser aplicada, sobre Política de Gestão, Missão, Visão e Cultura da Honda, Conceitos

21


Novidades

NHCS 4 Rodas:

BUDAI entre as campeãs de 2013

A

conteceu em 28 de agosto no Hotel Vitória em Campinas, SP, a grande final do NHCS 2013. A Budai chegou a final com mais 11 finalistas dentre as 56 equipes participantes que se apresentaram na primeira fase da competição realizada em julho, nas dependências da Honda Morumbi.

A Budai que participa do evento desde sua 1ª edição, quebrou o tabu e ficou entres os três melhores trabalhos.

22

A proposta do NHCS é que as empresas identifiquem problemas ou oportunidades de

melhorias em seus processos, Educacional de Trânsito Honda analisem a situação, façam um para conhecer suas dependêcias. estudo das causas e apresentem Estiveram presentes para soluções. apoiar o grupo e prestigiar o O Grupo “As Aparências En- evento, o Gerente de Métodos e ganam” formado pelos colabora- Processos, Sr. Luis Carlos Mirandores Ocian Cavalcante e Douglas da, o Coordenador de Analises Ramos (ambos de Métodos e Pro- de Dados de Processos o Sr. Luiz cessos), Rafael Brito (Expedição), Eduardo Colombo de Azevedo Rodrigo Pereira (Estamparia), Marques e o Gerente Geral, Sr. Walter Moraes (TI) e Charles Ivan Prestes de Farias. Ramos (Depto. Técnico) escoA conquista da premialheram como tema a mistura de produtos similares na produção, ção no NHCS 4 Rodas da Honda, manuseio e expedição e apre- mostra que toda equipe que trasentou as soluções para evitar balha com comprometimento, o problema. Além do troféu, o pode alcançar os objetivos e megrupo recebeu como premiação tas, basta se dedicar. Parabéns a uma visita ao CETH – Centro Budai pela conquista!


C

Ginástica Laboral

no próprio ambiente de trabalho não alteram ou prejudicam o desenvolvimento das atividades. Para o pessoal da área administrativa que passa a maior parte do tempo na mesma posição, os problemas de postura, tendinites e circulação acontecem com mais facilidade. Na linha de produção, na fábrica, os movimentos repetitivos e que exigem força, também desencadeiam problemas de saúde se não cuidados adequadamente e preparado a musculatura para as atividades serem executadas. Os exercícios são de baixa intensiAs sessões que acontecem dade para não provocar cansaço

om iniciativa da Diretoria da Budai deu início na segunda semana de agosto, o Projeto de Ginástica Laboral aplicado pela empresa Bianca Vilela – Assessoria de Esportes. Com o objetivo de proporcionar qualidade de vida preservando a saúde e bem estar dos colaboradores, o projeto visa evitar lesões por esforços repetitivos e doenças ocupacionais. As sessões de 15 minutos acontecem três vezes por semana e destina-se a todos os colaboradores e turnos da Organização.

físico excessivo, são específicos para cada tipo de função e aplicados por educadores físicos que garantem a qualidade de todos os movimentos e observam a evolução de cada colaborador. Os exercícios trazem diversos benefícios à saúde, através deles alivia-se o stress, trabalhase melhor a postura, diminui o sedentarismo e todas as tensões adquiridas no exercício das funções, além de prevenir lesões e doenças por traumas cumulativos, como as LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). São trabalhados o alongamento, a respiração, o controle corporal e postural, além de melhorar a circulação sanguínea e a oxigenação dos músculos. A Ginástica Laboral tem ganhado espaço nas grandes Organizações do mundo inteiro que se preocupam com o bem estar de seus funcionários e que zelam por sua saúde.


Novidades


Hipertensão sanguínea sofrem a influência pessoal e ambiental.

O

coração é uma bomba eficiente que, por minuto, bate de 60 a 80 vezes e impulsiona de 5 a 6 litros de sangue para todo o corpo. A pressão arterial é a força com a qual o coração bombeia o sangue através dos vasos sanguíneos. Esta força é determinada entre o volume de sangue que sai do coração e a resistência que ele encontra para circular no corpo. Ela pode sofrer modificações pela variação do volume de sangue ou viscosidade (espessura) dele, da frequência cardíaca (batimentos cardíacos por minuto) e da elasticidade dos vasos. Os estímulos hormonais e nervosos que regulam a resistência Classificação da pressão arterial

Ótima

Normal

A Hipertensão Arterial referese a valores acima de 140 x 90 mmHg (milímetros de mercúrio)ou simplesmente 14 x 9, como conhecemos. Porém, para ter certeza de que o caso é realmente diagnosticado como hipertensão, a medida deve ser aferida com repouso de pelo menos quinze minutos e confirmada em três vezes consecutivas e em várias visitas médicas. Elevações ocasionais da pressão podem ocorrer com exercícios físicos, nervosismo, preocupações, drogas, alimentos,

fumo, excesso de álcool e café.

Infelizmente aqui no Brasil 10 a 15% da população é hipertensa e a maioria das pessoas desconhece que são portadoras de hipertensão. O achado de hipertensão arterial é elevado nos obesos (20 a 40%), diabéticos (30 a 60%) e idosos (30 a 50%) e geralmente, estes indivíduos não apresentam sintomas. Em alguns casos, fraqueza, dor de cabeça, problemas oftalmológicos, falta de ar ou tontura. Por não ter cura, pode provocar problemas bastante sérios como doenças cardiovasculares (infarto), perda de visão, perda de função dos rins, derrame, acidente vascular cerebral.

Dicas de Prevenção Avaliação regular da pressão arterial Visita periódica ao médico Avaliação do estado clínico geral do paciente Detecção inicial da doença Atenção ao peso corporal Avaliação regular do indicador de colesterol Diminuição do consumo de sal Prática regular de exercício Eliminação do tabagismo.

Pressão arterial sistólica (mmHg)

< 120

< 130

e

e

Pressão arterial diastólica(mmHg)

< 80

< 85

Limítrofe

130 a 139

ou

85 a 89

Estágio 2

160 a 179

ou

100 a 109

Estágio 1 Estágio 3

Hipertensão sistólica isolada

Espaço Saúde

140 a 159 > - 180

> 140

Fonte: V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

ou

ou

e

90 a 99 > - 110

< 90

25


Espaço Verde

Como se faz a reciclagem de veículos?

H

á onze anos, o Brasil possui o maior índice de reciclagem de latas de alumínio, mas quando o assunto é reciclagem de automóveis, estamos em marcha lenta. Há pelo menos quatro propostas no país para reciclar os Veículos que estão em Fim de Vida (VFV) rodando pelas ruas ou sucateados nos pátios dos Detrans estaduais. A principal dificuldade no Brasil é que existem vários setores (legalizados ou não) en-

26

volvidos na discussão, como: siderúrgicas, comerciantes de sucatas, montadoras, autopeças, desmanches, agências de automóveis, concessionárias, transportadoras, entre outros. Nos países da Europa, porém, a reciclagem de VFV foi estimulada após a publicação da diretiva européia de numero 53, aprovada no ano 2000. Desde então, cada um dos países membros da União Europeia (UE), criou leis para implementar a diretiva. Nela, o conceito de reciclagem está


presente, por exemplo, na fase de desenvolvimento do veículo, em que cada peça é projetada visando o seu futuro desmonte; ou na fase de produção das peças automotivas, na qual se prioriza o uso de matérias-primas secundárias (recicladas). A reciclagem de veículos é comandada por uma empresa privada, a Auto Recycling Nederland (ARN), que é gerenciada pela própria indústria como o apoio do Ministério do Meio Ambiente Holandês. O sistema funciona da seguinte forma: o primeiro proprietário do veículo tem de pagar uma taxa no momento da compra do carro novo. Essa taxa é repassada aos demais proprietários que adquirem o veículo. Por isso, até chegar ao ultimo proprietário há um grande interesse de que essas taxas sejam pagas. O programa

é acompanhado por uma forte fiscalização do governo, no estado de manutenção dos carros. Em parceria com a indústria automotiva, o governo holandês prevê prêmios de até 750 mil euros para o proprietário que quiser trocar o seu veículo por outro novo. É importante destacar que boa parte dos componentes dos veículos produzidos é reciclada e volta para o processo produtivo. Porém, como os carros são triturados, uma pequena parcela do processo não possui aplicação na indústria. É o chamado shredder waste, que é incinerado ou enviado para aterros controlados. Acompanhe o processo no infográfico abaixo: Fonte: Texto e imagens cedidos pela revista Reciclagem Moderna, edição 28.

27


Espaço do Colaborador

C

Milton Luiz Rodrigues

onhecido pelos amigos como Amaral, esse sambista solteiro de 32 anos, sempre gostou de se reunir com amigos para tocar, cantar e alegrar. Participou da formação de alguns grupos de samba e pagode e nessa trajetória tocou em diversas casas de shows como Caipirão, Expo Oeste, Sampa Hall, Armazem da Vila, Carioca Club, dentre outros, quando foi convidado a tocar em outros grupos, bandas e escolas de samba como Rosas de Ouro. Hoje não faz parte de nenhum grupo, mas continua tocando com os amigos. Com o Grupo Interrogação teve a oportunidade de gravar o álbum “Hoje é Dia de Samba” com oito faixas. Além do cavaquinho, faz backing vocal, toca violão e percussão geral como surdo, pandeiro, cuíca, tantan e bateria. Entre tantas canções, Milton citou duas que em sua opinião retratam a realidade e que considera, motivadoras e objetivas: Fé em Deus (Diogo Nogueira) e Pai (Revelação). O samba o leva para um momento de êxtase: “O samba significa algo em que muda todo o foco, ele agrega descontração, prazer por tocar e traz muita

alegria, pois nos tira da rotina e dos problemas. Ele transforma qualquer situação em momentos de bem estar e paz interior.” Além de tocar, gosta de jogar bola, ir ao cinema e à praia, mas seu segundo maior hobbie é executar projetos e modificações em sistemas de sons automotivos de diversos tipos e modelos de veículos na garagem de sua casa. Ele que está na Budai há 14 anos, sempre trabalhou na Usinagem. Hoje é líder e coordena um grupo visando e assegurando as metas de produção, direciona atividades dentro do padrão de qualidade, elabora cronograma de acordo com as prioridades por clientes, realiza auditorias semanais de todos os processos do setor por colaborador, dentre outras atividades e gosta de sua equipe: “Quero parabenizar minha equipe pelo desempenho e agradecer

ao Sr. Zenon pela oportunidade.” E deixa uma mensagem aos colegas: “Jamais devemos desmotivar com os obstáculos que nos deparamos, e sim usá-los como incentivo para alcançarmos os objetivos e metas que traçamos. Muitas vezes um “não” de hoje, nos prepara e deixa-nos mais sábios para o “sim” de amanhã, pois quando houver vontade de lutar, haverá esperança de vencer.”

ial c e p s E o h n i u avaq

C 28


Vinicius Sampaio Coelho toca banjo, violão, repique, tantan, rebolo, pandeiro e surdo e embora diz que não canta tão bem, sempre arrisca um samba ou outro nos microfones.

Cresceu no mundo do samba e quando ainda pequeno, foi integrante do grupo “Os Kativos” que gravou o álbum demo “Prazer de Sambar” com 10 faixas em estúdio.

“Aí rapaziada, adoro todos vocês. Agradeço a Deus por ter amigos legais e que gostam tanto de mim. Neste momento repito a frase do meu amigo Alerrandro que todos já conhecem: “...Mais feio que o Jacaré”. Aquele abraço a todos.” Vinicius trabalha na Budai há 5 anos e começou no setor de Estamparia. Atualmente através de processo seletivo interno, está em treinamento para a função de Meio Oficial Fresador e ingressou no setor de Ferramentaria.

Atualmente não faz parte de

É

o nome deste músico de nenhum grupo, mas continua 23 anos, morador de Jan- reunindo-se com amigos para dira desde que nasceu. tocar em bares e nas escolas de samba “Camisa Verde”, “Rosas Vinicius tem como hobbie de Ouro” e “Vai vai”. tocar entre amigos e transmitir a emoção que só o samba sabe Em se tratando dos amiproporcionar. Casado com Mi- gos, deixou uma mensagem e riam há 7 anos é papai da Beatriz ressaltou a frase de um deles de 4 aninhos e é apaixonado por que já faz parte do seu dia-a-dia: sua família, esta que é seu porto seguro e que o motiva a correr atrás de seus objetivos todos os dias.

Falando um pouco de sua vida fora dos portões da Budai, além de dominar o cavaquinho, Vinicius

29


Giro na Empresa

Departamento Técnico

O

Departamento Técnico é responsável por definir e estabelecer as etapas e desenvolvimento do processo de fabricação do produto, bem como determinar os passos necessários para satisfazer as necessidades e expectativas dos clientes. Conta com equipes de Engenheiros, Técnicos Mecânicos e Projetistas que estão distribu-

Sergio Pappalardo Gerente Técnico Industrial Entrou na Budai em dezembro de 2012 e dentre suas atividades, faz a gestão do Setor de Orçamentos (análises para determinar os valores de investimentos e preços dos produtos), é responsável pela área de Projetos de Ferramentas (define conceito, simula operações de corte e conformação, projeta, de-

senha e acompanha a execução de todas as partes de uma ferramenta, identifica e implanta melhorias), faz a gestão do Setor de Desenvolvimento e Acompanhamento de Ferramentarias Externas (follow-up), responsável pelo Setor de Documentação Técnica e Gestão de Projetos junto aos clientes (APQP) e é responsável pela área de Ferramentaria (com operações em máquinas convencionais e CNC (usinagem e corte a fio), de montagem e de ajustes após simulações de produção – (“try-out”).

Edna Ventura Secretária da Gerência Técnica

30

ídos nos setores de Engenharia, Orçamento, Projetos, APQP, Ferramentaria e Análise de Dados de Processo para desenvolver processos baseados nos requisitos e especificações técnicas dos clientes, Meio Ambiente e requisitos legais e subscritos, aplicando os conceitos de engenharia de forma a atender o detalhamento das especificações.

Ele que é graduado em Engenharia, no decorrer de sua carreira atuou como supervisor nas áreas de projetos, ferramentaria, qualidade, manutenção e produção, gerenciou departamentos de Engenharia e Qualidade, prestou serviço como gerente industrial em empresa própria, dentre outras funções e atividades. Foi o primeiro fresador de ferramentaria formado no SENAI pela GENERAL MOTORS DO BRASIL (SCS/SP), onde também se formou em projetos de ferramentas.

Está na BUDAI desde maio de 2013 e lhe são atribuídas diversas atividades, dentre elas auxiliar o agendamento e organização dos preparativos para as reuniões de gerência, desenvolver funções administrativas tais como: atualizar normas técnicas, distribuir os desenhos bem como as atualizações e documentações relacionados aos processos de cada projeto (os quais são protocolados aos colaboradores), assim como manter o contato com os clientes.


SETOR DE ORÇAMENTOS

Sabemos que o Departamento Técnico da Budai é formado por alguns setores e nas próximas edições apresentaremos cada um deles, começando pelo Setor de Orçamentos.

O Setor de Orçamentos é responsável pela elaboração de orçamentos de novos produtos e baseia-se em informações enviadas por clientes e pelo Departamento de Vendas. Além disso, faz orçamentos para modificações e revisões e traz sugestões de materiais e processos alter-

nativos (com base em desenhos, arquivos 3D ou outras formas de informações que seja possível identificar o material, como espessura, forma completa da peça, tipo de acabamento e outros detalhes especificados das normas gerais ou do cliente). Ele também define o processo de fabricação, a estimativa de horas gastas para confeccionar as ferramentas, os dispositivos de solda e de controle e as dimensões dos materiais que serão utilizados. O setor gera desenhos de

componentes para orçamentos em serviços terceirizados como usinagem, tratamento térmico, acabamento superficial, dentre outros. As atividades no geral, são as mesmas para todos eles, que buscam aumentar a participação da Budai junto aos clientes. Agora vamos conhecer quem são os seus colaboradores.

31


Giro na Empresa

EQUIPE DE ORÇAMENTOS Casado com a Sra. Francisca, pai da Paula de 28 anos e do Eduardo de 22. Trabalha na Budai desde Julho de 1992 e iniciou suas atividades como ferramenteiro. Em Junho de 2004 foi convidado a trabalhar no Departamento Téc-

nico com Orçamentos, aonde desenvolve suas atividades até a atualidade.

Casado com a Sra. Sueli, pai do Paulo Vinicius Maurício Oliveira de 16 anos e da Nycoli de 13. Entrou na Budai em Pinho 2007 no setor de UsiAuxiliar Técnico de nagem como Ajudante Desenvolvimento Geral e depois como Calculista de Produção. de Produto Através de recrutamento interno, entrou

para o Departamento Técnico no setor de Orçamentos em Março de 2013.

Francisco Tavares Filho Técnico de Desenvolvimento de Produto

Casado com a Sra. prensista. Em setembro Juliana, pai de duas me- de 2011 ingressou no Leandro Moreira ninas, a Evelin de 11 Depto. Técnico . anos e Mirella de 6. IniGuimarães ciou suas atividades na Budai em Abril de 2001 Auxiliar Técnico de como Ajudante Geral Desenvolvimento de no Setor de Estamparia onde ficou pouco mais Produto de 10 anos, 8 deles como

32

Entrou na Budai em janeiro de 2008 na Roniel Vieira de Ferramentaria como Aprendiz FerramenteiCouto ro através do Senai. Em Auxiliar Técnico de janeiro de 2010 passou Desenvolvimento a Auxiliar de Serviços Gerais e em seguida a de Produto Meio Oficial Ajustador Ferramenteiro. Através

de processo interno em Março de 2013, ingressou no Depto. Técnico. Roniel está noivo e não tem filhos.


Cultura e Lazer

Pleonasmo

A

Língua Portuguesa é repleta de curiosidades e expressões que são utilizadas no cotidiano. Muitas ao serem pronunciadas contradizem as regras gramaticais, motivo de tiração de sarro entre amigos. Uma das formas mais utilizadas nas expressões é o Pleonasmo, uma figura de linguagem muito utilizada, porém, que remete à redundância. Temos alguns tipos de Pleonasmo, embora o mais utilizado seja o Pleonasmo Vicioso, aquele com repetições de alguns termos e ideias e considerado um vício de linguagem. Exemplos: Principal Protagonista – o protagonista já é o personagem principal

Subir para cima – quem sobe só pode subir para cima, correto? Hemorragia de sangue – se é hemorragia... Entrar para dentro – alguém entra para fora?

Sair para fora – Não se pode sair para dentro.

Expressões como estas são ditas diariamente por milhares de pessoas a todo o momento, pois na pressa de expressar-se rapidamente, cometem o pleonasmo. Na frase acima, você consegue identificar o pleonasmo? Vamos lá: “... na pressa de expressarse rapidamente...” . Se está com pressa é lógico que a ação será rápida. São expressões simples como esta, com a presença de duas palavras que dizem a mesma coisa, que interferem na qualidade do discurso, portanto, uma ação desnecessária.

Adiar para depois – se está sendo adiado é óbvio que será para depois.

Pleonasmo Literário: muito utilizado por escritores, autores, compositores, músicos e outros profissionais que trabalham com literatura, com o objetivo proposital de enfatizar uma ação. É também chamado de pleonasmo semântico, estilístico ou de reforço e não é considerado um vício de linguagem.

Descer para baixo – quem consegue descer para cima?

"E rir meu riso e derramar meu pranto." - Vinícius de Morais

Prosseguir adiante – Não se pode prosseguir para trás.

Panorama geral – se é um panorama, subtende-se que é geral.

Encarar de frente – dá para encarar de costas?

Planejar antecipadamente – quem planeja está se antecipando.

Repetir de novo – se repetiu a ação, a fez novamente.

Acabamento final – se é um acabamento, é o final.

Boato falso – Um boato já significa um relato que falta com a verdade.

"Chovia uma triste chuva de resignação." - Manuel Bandeira

"O cadáver de um defunto morto que já faleceu." - Roberto Gómez Bolaños "Eu nasci, há dez mil anos atrás." - Raul Seixas

"Detalhes tão pequenos de nós dois." - Roberto Carlos "Vamos fugir para outro lugar" Gilberto Gil.

33


A

METALCLUBE

lém dos descontos em diversos estabelecimentos no Estado de São Paulo, os associados ao Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, têm o privilégio de usufruir de dois empreendimentos construídos especialmente para a categoria, o Metalclube e o Metalcamp, ambos com fácil acesso, atendimento personalizado, profissionais capacitados e amplo espaço para atividades esportivas e de lazer para investir em qualidade de vida.

F

toboágua, quiosques com churrasqueiras, quadras de grama sintética, lanchonete, salão de beleza e Clínica de Fisioterapia e Estética Clube com tratamentos estéticos e fisioterapêuticos (inclui hidroterapia e reabilitação). Os interessados em praticar qualquer uma das modalidades esportivas ou de dança precisam contatar a administração do clube para obter informações sobre valores e horários disponíveis das atividades. Em todas elas os sócios têm descontos especiais.

METALCAMP

undado em março de 2013, o Metalcamp é o clube de campo do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região que zela principalmente pelo bem estar e tranqüilidade de seus sócios. A estrutura de 74 mil m² em meio a vegetação nativa e contato direto com a natu-

34

Inaugurado como Complexo Aquático em 1985, o Metalclube é o clube do Sindicato que oferece desde sua fundação, um conceito diferenciado de bem estar e recreação. Os seus 23 mil m² permite uma ampla estrutura para a prática de artes marciais e aulas de dança, musculação, alongamento, spinning, ginástica, body systems, natação e hidroginástica, pilates, yoga, futebol, dentre outras atividades. O espaço conta com piscina aquecida e piscina externa com

estrutura é necessário associarse ao Sindicato e ao Metalclube através de pagamento de taxa. É possível incluir familiares, basta seguir o regulamento que está disponível nos locais. Mais uma O clube de campo conta com opção de lazer com qualidade. piscinas adulto e infantil, playground para a diversão dos pequenos, quadra com grama sintética para uma partidinha de futebol, trilha, espaço para alimentação e uma linda cachoeira. Toda esta estrutura já foi entregue e há previsão para construção de chalés, salas de reuniões e outros ambientes. reza é a mais nova opção de lazer idealizada e construída com base na sustentabilidade, respeitando os recursos naturais como água, vegetação e animais da região.

Para usufruir de toda esta


Não é preciso uma data especial para levantarmos a bandeira contra o Tabagismo. Sempre vence o mais forte, e prove que desta vez, você tomou a frente. Acabe com ele antes que ele acabe com você.

35


14 de Agosto Dia de Combate a Poluição Industrial Atitudes simples do cotidiano podem contribuir de forma significativa. A BUDAI faz a sua parte junto ao Sistema de Gestão Ambiental no Combate à Poluição. Faça a sua parte também e escolha o melhor caminho a seguir...

Budai news edição 12 site  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you