Page 1

Feito para todas as classes

Neide Uriarte

Confira os destaques sociais desta semana em fotos exclusivas | Pág. 10

Itajaí, 18 de Setembro de 2015 | Ano XX | N° 759

Entrevista

Coordenador do Observatório Social de Itajaí fala de crime organizado | Pág. 8

Calor fora de época impulsiona vendas de roupas e calçados primavera/verão Enquanto isso, itens de inverno precisaram ser liquidados para não encalhar nas prateleiras das lojas | Pág. 6 Economia

Pulando fora

Cadastramento para o Selo Social 2016 já começou Pág. 6

Política

Denúncias contra Arruda são do tempo de auditor Pág. 3

Nova sede da OAB Advogados da região contam com prédio de 6 mil m² | Pág. 16

Volnei e Thiago Morastoni deixam o PT e ingressam no PMDB sem a bênção do diretório municipal, mas como apostas para 2016 | Pág. 4


Opinião

2

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Editorial

Espaço do leitor

Você faz parte dessa causa

Como usar a inteligência emocional para liderar?

E

is que mais uma semana começou com prisões em Itajaí. As ações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) novamente tiveram a cidade como alvo e despertaram a população para a continuação de uma operação que investiga fraudes envolvendo emissão de alvarás. A Justiça está atuando. Caberá a ela avaliar cada caso e condenar ou absolver os envolvidos, independente do que se fale contra ou em favor dos suspeitos. Um trabalho que esperamos que seja isento de interferências políticas e que acreditamos que será. De nossa parte resta a indignação. Indignação essa que pode refletir em atitudes. Na entrevista desta semana o coordenador do Observatório Social de Itajaí, Jonas Tadeu Nunes, lembra que cabe à população fiscalizar o poder

Tá na rede Jornal dos Bairros

público sempre. Seja por meio de participação em audiências públicas, cobrando soluções, ou propriamente investigando. Hoje essa, infelizmente, é uma tarefa cumprida por poucos e deveria ser de todos. Para defender seus direitos como cidadão é importante conhecelos e denunciar quando há suspeita de irregularidades. O poder público deve prestar contas à sociedade, que deve cobrar esses esclarecimentos sempre. No Observatório Social é possível ser voluntário para auxiliar a averiguar contratos, por exemplo. Uma forma idônea e eficaz de verificar se o dinheiro do contribuinte está sendo aplicado onde é devido. Acompanhe a entrevista das páginas 8 e 9 desta edição e saiba como é simples e necessário contribuir com a transparência.

O

atual momento do país provoca uma sensação geral de insegurança em relação à vida profissional. Para um líder, isso não é diferente, pois ele também está sob pressão e ainda precisa “segurar as pontas”. Este é o momento para os gestores usarem a inteligência emocional para incentivar e motivar ainda mais a equipe. As americanas Coca-Cola e Hallmark são exemplos reais de êxito obtido a partir do fortalecimento dessa competência. Elas tiveram, respectivamente, 15% e 25% de melhora na produtividade depois de terem recebido treinamento focado em inteligência emocional. Para manter-se firme um líder precisa estar com a equipe em harmonia e motivada, senão, não há entregas. É preciso ter cuidado para não perder o controle e ameaçar os colaboradores, mesmo que indiretamente.

João Marcelo Furlan Fundador e CEO da Enora Leaders

www.jornaldosbairros.tv

@jornalbairros

Ameaça gera conflito e conflito, desmotivação e isso pode contaminar todo o time. Deixo quatro estratégias de inteligência emocional a serem aplicadas no dia a dia com a equipe para liderar com sabedoria em tempos de instabilidade. Veja: fazer ressignificação, é preciso fazer com que as pessoas pensem positivamente e não se desmotivem pensando em possíveis cortes, por exemplo; quando for expressar um ponto de vista, dar sugestões ou até mesmo uma crítica, peça “licença” ao colaborador, isso certamente estabelecerá uma relação de confiança entre vocês; faça perguntas abertas, que não limitem as respostas do time em “sim” ou “não”, o líder tem que ser mais próximo nessa fase instável, precisa ouvir mais e ser realmente um coach; por fim, trate seu time como cliente e dê o devido valor a ele, a equipa sem engajamento não tem como apresentar mais.

Imagem da semana Nelson Robledo

Richard Dienstmann “Está na hora de acabar com o crime organizado político! Parabéns GAECO!” Sobre a prisão do vereador de Itajaí Afonso Arruda e mais três pessoas

Claudio Rizzih “Obrigado pessoal do Jornal dos Bairros de Itajaí pela matéria linda que saiu ontem [dia 11] sobre mim e meu trabalho. Adorei!” Sobre a matéria da Déte Pexera publicada na edição 758 do Jornal dos Bairros

Cristina Freitas “Eu sou sua fã! Já compartilhei várias vezes, é mostrei para meus parentes em São Paulo, Rio de janeiro e Inglaterra.” Também sobre a personagem Déte Pexera, criada pelo Rizzih

Clique espetacular de Nelson Robledo, fotógrafo da prefeitura de Itajaí. A imagem foi usada para ilustrar o início das atividades da Semana da Água, a partir deste sábado

Expediente Diretor: Carlos Bittencourt | direcao@bteditora.com.br Colaboradores: Neide Uriarte, Alexandre Balbino e Mariana Leone Edição: Marjorie Basso | jornalismo@bteditora.com.br Diagramação: Solange Alves solange@bteditora.com.br O Jornal do Bairros é uma publicação da empresa Letras Editora Ltda. (ME), com sede na Rua Anita Garibaldi, 425 Centro – Itajaí –SC. Telefone: (47) 3344.8600 Site: www.jornaldosbairros.tv

Departamento Comercial: (47) 3344.8600 Circulação: Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes e região. Fale conosco: Sugestão de temas, opiniões ou dúvidas: direcao@bteditora.com.br | jornalismo@jornaldosbairros.tv

O Jornal dos Bairros não se responsabiliza pelos artigos assinados pelos seus colaboradores ou de matérias oriundas de assessorias de imprensa de órgãos oficiais ou empresas particulares.

Jornal filiado à Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina Rua Adolfo Melo, 38, Sala 901, Centro, Florianópolis, CEP 88.015-090 Fone (48) 3029.7001 e-mail: adjorisc@adjorisc.com.br


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Política

Mariana Leone cancercomalegria@hotmail.com Cancercomalegria facebook.com/cancercomalegria

A importância do sorriso

V

ocê já viu ou ouviu falar de alguém que se machucou , ou perdeu um ente querido e ficou dando muitas gargalhadas no momento que sofria ou sentia dor? Sim, podem acreditar, isso é verídico! Especialistas afirmam que a atitude do riso faz todo sentido, a cada sorriso, o cérebro é induzido a produzir e liberar mais endorfina, que é diretamente relacionado às sensações de prazer e bem-estar, além de ser um potente analgésico natural. Comprova-se inclusive que o sorriso melhora o sistema imunológico, colabora para aumentar a produção e a atividade das células NK (do inglês, natural killers), responsáveis por destruir vírus e até tumores presentes no organismo. O sorriso é tão importante que vem sendo utilizado como recurso de humanização nos cuidados de pacientes hospitalizados ou com doenças crônicas, podendo ser um ótimo recurso terapêutico, por alterar o estado emocional do ser humano, tornando-o mais fortalecido para enfrentar situações psicologicamente difíceis, deixando-o mais emocionalmente equilibrado, alegre e feliz. Não é a toa que já existem os clubes do riso, como o projeto Terapeutas da Alegria, que alegram os pacientes da nossa região e os Doutores da Alegria, ambos formados por profissionais do riso, que conseguem aumentar a expectativa de vida de doentes nos hospitais em estado terminal. O sorriso representa a alegria e a alegria é um dos frutos do nosso espírito e representa a expressão da nossa alma. Sorrir é ingerir diariamente doses de uma medicação natural, que age como uma vacina no nosso sistema imunológico, combatendo inúmeras doenças, físicas e emocionais, bem como é de fundamental importância nas relações sociais, pois faz reduzir as tensões do dia a dia. Controla o estresse, evita a depressão, melhora a qualidade do sono, normaliza a pressão arterial, auxilia na digestão e ainda favorece a beleza deixando a pele mais jovem, aumenta o vigor sexual, melhora o sistema respiratório e a circulação do sangue pelas diversas partes do corpo. Estudos sobre o comportamento humano relatam que ter sempre um sorriso estampado no rosto nos proporciona uma visão mais otimista da vida. Mais chances de sermos saudáveis e vivermos melhor, pois sorrir está diretamente aliado ao bom humor. Uma pessoa bem humorada sofre menos com os problemas que ocorrem ao longo da vida, simplesmente por ter uma maneira diferente de encará-los. Um lindo sorriso espalha mais felicidade que todas as riquezas do mundo, vem do hábito de olhar para as coisas com esperança e de esperar sempre o melhor com mais positividade. É também importante destacar, que as pessoas sorridentes e alegres, normalmente são mais requisitadas e bem sucedidas, em virtude de ter uma aura, um semblante mais iluminado e contagiante, pois estão sempre transmitindo amor e vivem constantemente rodeadas de amigos e familiares. Isso porque as pessoas sentem prazer de estar em sua companhia. Deus não nos criou para sermos tristes e carrancudos. O sorriso puro vindo do nosso interior é um enfeite maravilhoso do nosso ser. Você prefere uma pessoa rabugenta, que só reclama, ou alguém sorridente com um ar mais leve que sempre vê o lado bom das coisas? Temos que aprender a sorrir mais, sorrir com a pureza e a ingenuidade de uma criança, um sorriso, transforma dor em alegria. Se você não é sorridente coloque em prática a partir de agora, opte por essa nova maneira de viver a vida, passe a gargalhar, ao invés de reclamar e brevemente sentirá a verdadeira plenitude da felicidade. Pratique esta magia de ser feliz, sorria mesmo quando achar que tudo está perdido, faça este teste de rir e sorrir para a vida, essa atitude mudará a sua vida. Viva melhor sorrindo... Viva eternamente feliz...Viva a magia do sorriso!•

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

3

Suspeitas sobre vereador são da época em que ele era auditor fiscal Prisões desta semana são resultado de operação que investiga fraudes na emissão de alvarás para instalação de empresas

O

vereador Nabor Afonso Arruda Coelho (PMDB), preso na segunda-feira em continuidade à operação Dupla Face deflagrada em agosto pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), continua detido em Itajaí. A assessoria parlamentar do vereador informou que Arruda foi preso sob suspeita de crimes praticados quando era auditor fiscal no município. A investigação não tem relação com o trabalho desenvolvido pelo parlamentar na Câmara de Vereadores.

O advogado Claudinei Fernandes, que faz a defesa de Afonso Arruda, não quis se pronunciar. Claudinei informou que ainda estuda o caso. O parlamentar e mais três pessoas foram presas nesta semana. Entre elas o irmão de Arruda, Tito Arruda, e Sérgio Ardigó, que já havia sido preso na primeira etapa da operação. Fernandes informou que não atua mais no caso de Tito e Ardigó. A reportagem tentou contato com os defensores de ambos, mas não os localizou. A operação Dupla Face é fruto de investigações realizadas desde janeiro de 2015 e visa a apuração de crimes de corrupção

passiva e ativa, concussão, advocacia administrativa e associação criminosa. A operação recebeu esse nome em razão das suspeitas de pessoas envolvidas nos crimes investigados criarem dificuldades a empresas e particulares requerentes de alvarás e licenças do poder público municipal e vender facilidades para a resolução dos problemas criados por eles mesmos. •

Conferência Municipal dos Direitos da Mulher discute políticas públicas para moradoras de Itajaí

A

Secretaria de Educação recebe a II Conferência Municipal dos Direitos da Mulher de Itajaí, na terça-feira, dia 23 de setembro. O momento será para discussão sobre políticas públicas para mulheres itajaienses, além de promover o conhecimento e difundir informações sobre o tema. O evento terá início na quarta-feira, às 13h, com a palestra “Mais direitos, participação e poder para as mulheres”, ministrada pela professora Ana Cláudia Delfini C. de Oliveira. Em seguida os participan-

tes serão apresentados às propostas feitas durante reuniões em bairros das cidades. Todos poderão participar da votação. A eleição para delegados e delegados da Conferência Estadual será feita na mesma ocasião. As discussões levantarão estratégias de fortalecimento das políticas públicas para moradoras de Itajaí. O evento acontece no auditório Professor Doutor Luiz Carlos de Carvalho, anexo à Secretaria de Educação, na rua Abraão João Francisco, 3855, no bairro Ressacada.•


Política

4

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Aclamados de um lado e repudiados de outro, Morastonis ingressam no PMDB Após 36 anos de PT, ex-deputado Volnei Morastoni pode ser candidato a prefeito de Itajaí pela nova sigla

O

ingresso da família Morastoni no PMDB causou euforia no cenário político catarinense nesta semana. Na segunda-feira, 14, o ex-deputado Volnei Morastoni assinou a filiação com a sigla, em Florianópolis. Filho dele, o vereador Thiago Morastoni também manifestou sua migração apesar de não ter saído oficialmente do PT. Para o diretório estadual, a filiação traz uma nova abertura e reconhecimento do PMDB para as eleições municipais de 2016, em Itajaí. Dirigentes municipais, por outro lado, dizem que as filiações lhes foram empurradas goela abaixo. O fato é que a novidade remexeu a política municipal e aumentou as intenções do PMDB em lançar candidatura própria em 2016. As conversas para a filiação entre o partido e os parlamentares eram antigas. O primeiro alvo do PMDB foi o ex-deputado estadual Volnei Morastoni. Depois o filho do ex-deputado, o vereador Thiago Morastoni também foi fisgado. A amizade entre Volnei Morastoni e o ex-governador de Santa Catarina Luiz Henrique da Silveira, que morreu em maio deste ano, foi determinante para a mudança de sigla. Presidente interino do diretório estadual do PMDB, o deputado Valdir Cobalchini lembra que foi Luiz Henrique quem

iniciou a conversa de filiação. Sob a bênção do ex-governador, Volnei e Thiago Morastoni assinaram a filiação na última segunda-feira em Florianópolis. _ Tivemos ex-governadores, deputados federais e outras autoridades. A filiação com o PMDB causou uma forte repercussão. O partido reconhece essa dimensão e acreditamos que a vinda dos dois seja positiva para o PMDB _ disse Colbalchini. Após mais de 30 anos de história no Partido dos Trabalhadores, pelo qual foi prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni chega ao PMDB com moral alta. Segundo Colbalchini, o ex-deputado surge na “condição de pré-candidato á prefeitura, mas nada está decidido ainda”. A meta da sigla é lançar 250 candidaturas em todo o Estado no ano que vem: _ Não abrimos mão de que Itajaí terá candidato, mas o diretório municipal tem liberdade para decidir, sem interferências diretas do estadual. Se de fato não haverá interferência ao que tudo indica os Morasto-

ni terão de transpor barreiras dentro do próprio partido. Isso porque a filiação foi aclamada em esfera estadual, mas para os peemedebistas do município trouxe descontentamento.

Às escondidas

Presidente interino do PMDB de Itajaí, Omar Bernardino Rebello diz que a decisão de trazer o ex-deputado para o partido foi do diretório estadual. Nenhuma conversa foi feita com as lideranças municipais para dúvidas sobre a filiação do parlamentar. _ Nós [diretório municipal] não fomos questionados ou avisados, nem tivemos participação nessa escolha. Foi um esquema do estadual. Vai levar tempo para o PMDB de Itajaí digerir essa decisão. Segundo Rebello, a estratégia do diretório estadual é conseguir mais votos com a vinda dos dois petistas para o PMDB. Ambos representam novas lideranças no município e oxigenam a corrida pela prefeitura. No entanto, o descontentamento no diretório municipal

Vai levar tempo para o PMDB de Itajaí digerir essa decisão

com a filiação dos petistas pode causar conflitos no PMDB. Rebello lembra que os conflitos começaram quando Volnei exercia o mandato como prefeito de Itajaí: _ Essas coisas ficam marcadas para nós. Tivemos confusões entre as lideranças porque o Volnei sempre esteve com o PT. O nosso medo são as saídas de membros do PMDB por conta dessa filiação. A aliança do PMDB com o prefeito Jandir Bellini (PP) deve continuar mesmo após a filiação de Volnei. De acordo com o presidente interino, o diretório continuará apoiando o governo de Jandir. _ Esse diretório manda até o dia 22 de outubro deste ano e vamos manter todos os nossos acordos com o prefeito _ enfatizou. Para Omar Rebello, a filiação dos Morastoni é uma estratégia para se criar uma nova ala dentro do PMDB, com a finalidade de que os novos membros assumam o diretório e ninguém da executiva municipal estaria feliz com isso. Cobalchini, por sua vez, nega as afirmações do diretório municipal. Segundo o presidente estadual, houve participação de lideranças municipais e um consenso de todas as alianças do PMDB em Santa Catarina. _ A filiação dos dois políticos era um


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

desejo de muitos peemebedisats de Itajaí, que nos estimularam para a filiação. Cabe a nós construirmos um clima de harmonia entre eles.

“Chego para somar”

Política

com o PT por meio de entrevistas e nas redes sociais. Em carta mais recente, publicou que o partido passa por um “grande desgaste, fruto de desvios éticos e morais de alguns dirigentes partidários, envolvidos em conhecidos escândalos de corrupção”. Também disse estar sofrendo perseguição dentro do partido e que tem visto portas se fechando. Assim ingressou com um pedido de desfiliação. Apesar de ter acertado com o PMDB na mesma ocasião em que seu pai, o vereador não oficializou a filiação. Questões jurídicas devem ser acertadas nos próximos dias para garantir que o vereador não perca o mandato. Não há, contudo, garantias de que isso ocorra. O Partido dos Trabalhadores pode entrar na Justiça para impedir a continuidade dos trabalhos de Thiago Morastoni na câmara.

Recebi reiterados convites do ex-governador Luiz Henrique da Silveira para ingressar no PMDB

Os ex-petistas chegam ao novo partido com mente aberta, ao menos no discurso. Para Volnei Morastoni, esse é o momento de contribuir, repensar e colaborar com a organização da sigla em Itajaí. A prioridade é a preparação de lideranças para as eleições municipais, no próximo ano: _ Eu e meu filho chegamos para somar e não para roubar o lugar de alguém. Vamos construir uma frente e um novo projeto de governo para Itajaí. Volnei foi vereador, deputado estadual e prefeito de Itajaí. A experiência política é uma das vertentes que o levou ao PMDB. A filiação representa um novo recomeço à sigla na cidade, com novas experiências e desafios. Para o ex-deputado, o partido Sem deve dialogar com outros políticos inte- ressentimentos A saída de Volnei Morastoni e filiação ressados em renovar os projetos para o ao PMDB era decisão aguardada pelo dimunicípio. As divergências políticas de Volnei com retório municipal do PT. Para o presidente as lideranças do PMDB municipal são ou- do PT em Itajaí, Manoel Jesus da Conceitros desafios. Os conflitos devem ser ul- ção, o Maneca, o abandono de Volnei na trapassados com ética, lealdade, respeito vida política dentro do PT é lamentável, mas não foi uma surpresa para lideranças: e cooperativismo, segundo ele: _ Não quebra o nosso parti_ Existe uma parcela significado, mas é triste. Ele construiu tiva do PMDB local que dá boas uma história com o PT em vindas para mim e para o ThiaNão Itajaí e no Estado. Foi prefeito go. Recebi reiterados convites do quebra e deputado pelo partido, mas ex-governador Luiz Henrique da ele tomou uma decisão e nós Silveira para ingressar no PMDB. o nosso respeitamos. Foram as tratativas que ele fez na Maneca lembra que Volnei última semana de vida que me fipartido, e Thiago Morastoni tinham o zeram tomar essa decisão de vez. mas é partido nas mãos e nega qualA sensação de Volnei é de dequer tipo de persseguição. ver cumprido. A saída do PT, triste Nas eleições internas do disegundo o político, ocorreu de retório elegeram grande parte forma pacífica e sem ameaças dos membros. partidárias. No novo caminho, _ Eles tinham o partido para eles _ diso parlamentar espera manter a relação de respeito com os petistas. Foram 36 anos se. Maneca também acredita que a coligade militância no PT e, para Volnei, cumções de Volnei Morastoni com o PMDB é pridos com lealdade. uma tática do parlamentar para criar uma disputa interna com as lideranças da sigla. Permanência insustentável _ Se ele quiser fazer isso, é bom que faça Cumprindo seu primeiro mandato como vereador, tendo sido candidatado dentro do PMDB. Enquanto isso, nós fapela primeira vez, Thiago Morastoni já zemos o nosso trabalho de construir um havia anunciado seu descontentamento PT para Itajaí com quem quer fazer.•

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

5

Alexandre Balbino balbinoitajai@gmail.com (47)3241.6338 facebook.com/aschmitbalbino

Combate às drogas

N

este sábado, dia 19, estaremos com representantes do Exército Brasileiro realizando uma palestra para os adolescentes e jovens do Instituto Poly, que fica na rua Jose Luiz Marcelino, 1.400, na Murta em Itajaí. A palestra abordará dois assuntos, drogas e como ingressar nas Forças Armadas. Relativo ao primeiro assunto, devemos apresentar para estes adolescentes e jovens os malefícios que a droga causa na vida das pessoas. No primeiro momento pode parecer tudo mil maravilhas, a sensação inicial pode ser boa, porém o prejuízo que trará em longo prazo é sem igual, por isso é tudo ilusão. Em uma definição mais simples pode-se dizer que as drogas são substâncias consumidas em sua forma natural ou não, cujo efeito consiste na mudança do funcionamento do organismo e, na maioria dos casos, aptamente prejudiciais. Como elas produzem essa alteração no funcionamento do organismo, no sistema nervoso, algumas podem trazer efeitos que aparentemente causam essa sensação agradável, porém todas as substâncias que alteram o funcionamento do organismo são prejudiciais e trazem grandes riscos à saúde dos usuários. Trata-se de um tema de grande evidência na sociedade e com toda certeza vem acompanhada por muitas preocupações para os pais e familiares. Já é de conhecimento geral que o envolvimento de jovens com as drogas está acontecendo cada vez mais cedo e a consequência disso é um efeito tipo cascata que afeta diretamente toda a sociedade. Vejam só, o adolescente e o jovem diminuem consideravelmente a sua produtividade nos estudos, até deixar a escola de vez. Isso acaba comprometendo seu futuro. Com o tempo de uso e a influência dos amigos ele pode ficar mais agressivo com os familiares, algumas vezes furtando dentro de casa, depois em outros lugares para sustentar o vício. Em casos mais graves pode começar a praticar outros crimes, podendo ser presos no futuro, sofrerem represálias de traficantes ou até mesmo mortos. O álcool, uma droga lícita, não deixa de causar muitos prejuízos, podendo até mesmo ser responsável por grandes tragédias envolvendo adolescentes. Vale lembrar que as drogas lícitas têm a venda proibida para menores de idade, contudo, tal proibição infelizmente não inibe o seu uso por um número cada vez maior de jovens e adolescentes. As drogas lícitas (aquelas cujo uso é liberado) ou as ilícitas (aquelas que não ilegais) não trazem qualquer benefício aos jovens, portanto, faz-se necessário que a sociedade em geral, incluindo familiares e amigos se unam com o objetivo de conscientizar esses jovens das consequências que as drogas trazem para suas vidas. Existem muitas ações de prevenção ao uso de drogas pelos adolescentes. Entretanto, nada é mais significativo do que as famílias, escolas, entidades afins, sociedade em geral, reconhecer os fatores de proteção existentes na comunidade, no meio da família, na escola, pois estes certamente aumentam a resistência das pessoas aos riscos. Em relação ao segundo assunto (como ingressar nas Forças Armadas), não lhe parece algo meio fora de moda? Os meninos nem se preocupam mais em fazer 18 anos e terem que se apresentar para o serviço militar obrigatório, pois sabem que dificilmente serão chamados para cumpri-lo. O interessante é reforçar que é possível ingressar no Exército, Marinha ou Aeronáutica e seguir carreira nos níveis escolares fundamental, médio ou superior e em diversas áreas de atuação, como medicina, comunicação e engenharia, entre outras. Claro que cada uma dessas Forças Armadas possui peculiaridades no processo de seleção. Se você quiser participar e levar seu filho para conhecer, basta ligar para o Instituto Poly, pois as vagas são limitadas (47 3341-0200 ou 2104-5788). Quero aproveitar e mandar um forte abraço a todos os moradores do bairro Santa Regina e dizer que estamos juntos com a SKD Judô na escola Diva Vieira, aulas nas terças e sextas-feiras das 17h às 19h, mais informações no local. Fiquem com Deus.


6 WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Economia

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Dias de calor em pleno inverno transformam as vitrines em Itajaí Houve queda nas vendas de produtos de inverno e comerciantes tiveram que investir em promoções, mas também houve acréscimo antecipado no segmento verão

O

Foto: Divulgação

grande número de dias quentes durante o inverno refletiu no consumo de vestuário. A Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina (Fecomércio SC) divulgou que o mercado de roupas e calçados registrou uma redução de 35,5% no volume de vendas de peças de inverno, entre julho e agosto deste ano. Em Itajaí, essa queda vez os comerciantes inovarem para não sofrerem com as perdas.

De acordo com o presidente da câmara dos Dirigentes Lojistas de Itajaí (CDL), Hamilton Sedrez, muitos investiram em promoções, anteciparam liquidações e aumentaram os prazos de parcelamentos. Tudo para não sair no prejuízo. Segundo ele, nesses momentos os lojistas precisam agir rápido e Itajaí segue essa tendência. Claro que a redução de vendas de artigos de inverno também significa queda no faturamento, visto que são quase que primordialmente artigos mais caros, conforme Sedrez. Mas se por um lado o lojista sofreu, por outro antecipou as coleções primavera/ verão para não deixar o consumidor na

Coleções primavera/verão já aparecem mescladas com peças de inverno

Feapi inaugura laboratório de costura A Fundação de Educação Profissional e Administração Pública de Itajaí (FEAPI) inaugurou o laboratório de costura com 10 máquinas novas e seminovas que irão Foto: Victor Schneider / Divulgação

auxiliar a turma nas aulas práticas do curso básico de costura industrial e modelagem durante três meses. As máquinas, que antes estavam em outro espaço cedido para a Feapi, foram restauradas para compor o laboratório. Com isso, as alunas irão trabalhar em dupla desenvolvendo a capacidade de trabalho em equipe. Há mais de vinte anos trabalhando na área, a professora Vera Regina de Souza já teve sua própria confecção e hoje é dona de um atelier. Ex-aluna da Faepi, ela irá ministrar o curso pela primeira vez: _ Espero que as alunas se interessem pelo curso e que seja o que elas estão esperando. Minha esperança é que permaneçam até o final. Com carga horária de 102 horas, o objetivo do curso é ensinar as técnicas básicas de costura e modelagem, bem como, ajudar a desenvolver conhecimentos e as habilidades das alunas. A Faepi já atendeu mais de 15 mil pessoas, entre jovens e adultos, participando dos seus cursos. Desse total, 97% dos alunos conseguiram entrar no mercado de trabalho.•

mão. Segundo a Fecomércio houve aumento de 64,8% nas vendas de vestuário verão. _ Com esse calor inesperado, os lojistas precisaram desenvolver estratégias para que as vendas não caíssem. Como estamos em uma região litorânea, é comum a venda de artigos de verão o ano todo, sendo assim, as lojas estavam preparadas para oferecer produtos que atendessem a demanda _ explica o gerente de marketing do Itajaí Shopping, Alessandro Assunção Segundo a gerente de loja Juliane Fink, uma alternativa foi adaptar peças da coleção de verão com outras de inverno. Assim, vestidos com blazers e outras combinações podem ser vistas na vitrine. Mas mesmo diante do calor fora de época e da crise econômica, o consumidor itajaiense tem garantido o giro da economia. No primeiro semestre deste ano, a loja de calçados Studio Z manteve um crescimento entre 18% e 38% se comparado aos mesmos meses no ano anterior. Para Hamilton Sedrez isso se explica pela cultura do consumidor de Itajaí, que continua comprando, diferente de outras cidades onde há uma cultura de poupança. Segundo ele, esse consumo constante também reflete um positivismo em relação à situação econômica de modo geral. _ Vivemos, é claro, uma crise política. Mas em termos de economia não temos do que reclamar visto que o comércio é o primeiro segmento a sentir as perdas. Tanto que projetamos crescimento para as vendas de fim de ano e início do ano que vem _ garante.•

Cadastramento para o Selo Social 2016 já está aberto no site da prefeitura As empresas interessadas em pleitar a certificação no Programa Selo Social, edição 2015/2016 já podem se cadastrar no site de Itajaí. O sistema foi aberto em agosto e segue recebendo o cadastro de investimento social até fevereiro de 2016. Para cadastrar os projetos sociais realizados em 2015, as empresas devem entrar no site selosocial.itajai.sc.gov.br. As empresas anteriormente cadastradas estão automaticamente inscritas para este ano, mas ainda devem cadastrar as ações sociais de 2015. Tanto as novas empresas, quanto as anteriormente cadastras devem apresentar as certidões negativas de débito da União, FGTS, Estadual e Municipal. Os documentos podem ser encaminhados para a Secretaria de Relações Institucionais e Temáticas, pessoalmente, no 2º andar do bloco norte da prefeitura de Itajaí, ou pelo email serit@itajai.sc.gov.br. A certificação de empresas no Pro-

grama Municipal Selo Social consiste em um documento que reconhece as empresas como socialmente responsáveis. O programa se baseia na avaliação dos investimentos promovidos pelas empresas de acordo com os Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2000.• Foto: Divulgação


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Economia

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

7


Entrevista

8

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Somente com participação popular é possível ter governos melhores, acredita Jonas Tadeu Nunes Entrevista Jonas Tadeu Nunes “A indignação é importante, mas a atitude é fundamental”. Com esse lema, o Observatório Social de Itajaí se mantém há sete anos como entidade não governamental que visa promover a transparência. Desse modo, vem atuando em ações de fiscalização de recursos públicos e construção da cidadania. Uma batalha diária contra a falta de informação, o desinteresse e até contra a corrupção. Não foram uma, nem duas, mas várias as ações do observatório que resultaram em ações civis públicas junto ao Ministério Público. Figura importante na organização, Jonas Tadeu Nunes é o coordenador executivo há cinco anos. Formado em Direito, sabe de cor as principais ações do observatório e garante: em breve pode haver novo caso de improbidade administrativa surgindo por aí. Com o embasamento de quem estuda e investiga antes de acusar, Nunes fala das recentes operações que ocasionaram a prisão de agentes públicos em Itajaí e sobre o que entende como a derrocada municipal.

No começo, o partido vinha da população e vivia perto da população. Com o tempo, eles foram se afastando

Foto: Jornal dos Bairros

Jornal dos Bairros – O Observatório Social contribuiu com as duas operações (Parada Obrigatória e Dupla Face) do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) deflagradas recentemente em Itajaí? Jonas Tadeu Nunes – O trabalho do Observatório Social são ações de monitoramento, de educação e de cidadania. Nesses cinco anos, nós colocamos 63 inquéritos civis públicos no Ministério Público (MP). É bastante coisa. É uma base de um inquérito por mês. Nós não sabemos exatamente o que o Gaeco utilizou de informações dos nossos levantamentos. São processos montados, completos e documentados do que podemos coletar. Não é uma acusação, é um levantamento da situação. Nós, inclusive, conversamos com o Gaeco para o Observatório entrar nisso, mas não responderam. Eles estão mais fechados pela segurança, porque envolve Polícia Civil, MP. A sociedade civil poderia e deveria participar, seria um ganho ao Gaeco. Fazemos esse trabalho de levantamento e acompanhamento porque passa muita informação por aqui. Poderíamos ajudar. Jornal dos Bairros – Essas operações

terem sido deflagradas em Itajaí de algum modo favorece para a construção da cidadania e da democracia? Jonas Tadeu Nunes – É um bom sinal, desde quando surgiu a operação da Petrobras. É um sinal de que a democracia está avançando, de que a sociedade não topa mais esse tipo de comportamento, queremos as coisas certas, dentro da lei. Pagamos tudo, inclusive a conta, e esperamos que o nosso dinheiro seja bem aplicado. Quando vimos algum desvio dá uma tristeza porque o dinheiro é jogado fora – e é bastante dinheiro. A democracia está avançando e a sociedade está vindo com uma nova consciência. Isso é muito bom. Vai demorar, é só o começo, mas está indo. Jornal dos Bairros – Em agosto, o prefeito de Itajaí, Jandir Bellini, anunciou cortes nas despesas da prefeitura. Com relação à questão orçamentária do município, como o senhor avalia essa decisão? Jonas Tadeu Nunes – O Observatório tem uma vice-presidência específica para monitoramento da execução do orçamento. Enquanto esse orçamento anda durante o mês, o nosso grupo de

contabilistas [Sindicato dos Contabilistas de Itajaí] acompanha a execução desse orçamento. Temos notado que realmente a arrecadação caiu, principalmente neste último mês. O município precisa fazer alguma coisa. Cortar só os subsídios do prefeito é pouco, porque o salário dele é fixado em lei, ele ganha R$ 26 mil no máximo. Só que tem outras categorias, como os procuradores, que ganham cerca de R$ 50 mil por mês, o que está acima da categoria, e alegam que não são ligados ao salário do Executivo, mas sim ao Poder Judiciário de Brasília. Salários desse tamanho não interessam para a sociedade, bem como não interessa pagar por um trabalho que sabemos que não é aquilo tudo. É uma manobra que deveria acabar. Estamos com um procurador preso, imagina a vergo-

nha que é isso para o município e para nós. O nosso procurador, o chefe, preso, entre vereadores e secretários. É uma tristeza, mas também compensa nosso trabalho sabendo que isso está avançando. Estamos tirando essa gente fora. Se não ajuda, sai fora. Esse é o sentimento geral da sociedade. Jornal dos Bairros – A população pode intervir para a aplicação correta dos recursos públicos? De que forma? Jonas Tadeu Nunes – O sonho de qualquer democracia no mundo é de que a sociedade participe do governo. Dê sugestão, peça informação, participe, analise, cuide, monitore, fiscalize. A nossa democracia no Brasil é muito curta. Nossa experiência é pequena. É difícil ter uma expectativa de que o povo vai participar, é demorado. É uma questão de educação e falta educação para a cidadania. Nosso trabalho no Observatório Social é voluntário. Qualquer pessoa pode ajudar. O voluntário pode fazer um trabalho de análise, uma estatística, acompanhar uma obra, bater uma foto, ler um contrato. Existem muitas formas, mas não existe consciência das pessoas. Adotamos uma frase de “a indignação é importante, mas a atitude é fundamental”. As pessoas reclamam, mas ficam de braços cruzados. Não adianta nada. Não adianta manifestar contra um governo, o que resolve é arregaçar a manga e fazer. O corrupto continua igual. Jornal dos Bairros – O Poder Legislativo vive um momento de distanciamento com a população. A prisão de um vereador agrava ainda mais a situação? Essa confiança pode ser reestabelecida ou nunca existiu? Jonas Tadeu Nunes – O problema todo está nos partidos políticos. No começo, o partido vinha da população e vivia perto da população. Com o tempo, eles foram se afastando. Isso não é só no Brasil. Hoje, os partidos políticos estão distantes e não querem saber da população, são estruturas sociologicamente mortas. Não representam nada, ninguém, mas só um grupo pequeno dos que participam, que tem interesse em um cargo, em um salário, mas não representam a população. O Legislativo é muito partido, está muito longe da população. Não adianta dizer que a Câmara de Vereadores é a casa do povo. O povo não vai lá e nem gosta daquilo. Essa distância dos vereadores dos interesses da população é muito grande. Lembro uma briga que fizemos para não aumentarem o número de vereadores. Eram 12 e foram para 21. Na época, o Observatório Social propôs uma diminuição para nove. Nove bons fazem

90% das pessoas nunca colocou o pé dentro da prefeitura. É um lugar isolado. O crime organizado tomou conta desses espaços


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Entrevista WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

um bom trabalho. Não adianta 21 ruins que não fazem nada. Naquela época, os vereadores votaram contra o povo. Fizemos um abaixo-assinado com 10 mil assinaturas e ninguém queria mais vereadores, só os partidos. Empurraram e aumentaram para 21. Hoje existe proposta dentro da câmara para reduzir o número de vereadores. A metade dos vereadores não consegue falar, o tempo da sessão, pelo regulamento, é uma hora e meia. Se todos falarem cinco minutos, não dá tempo para todo mundo. Só alguns falam, boa parte fica de braço cruzado, balançando a cabeça. Não precisamos de um Legislativo assim. O Legislativo é um grande poder, tem que ter uma legitimidade boa. A maior representação da democracia está no Legislativo, não no Executivo. Jornal dos Bairros – O Poder Executivo também vive esse distanciamento. De algum modo a fiscalização do Observatório Social aproxima a população da gestão pública? Jonas Tadeu Nunes – O maior objetivo do Observatório Social é educar as pessoas para a cidadania fiscal. É em cima do dinheiro. “Cadê o meu dinheiro?”, “por que compraram isso ou aquilo?”. É uma fiscalização de todas as contas públicas, do Porto de Itajaí, da Câmara de Vereadores. Acompanhamos com essa ideia de fazer as pessoas se aproximarem mais. A prefeitura é um lugar fechado. Ninguém vai até a prefeitura, só vai quando deve um imposto, uma multa ou quer reclamar. A população não entra na prefeitura, 90% das pessoas nunca colocou o pé dentro da prefeitura. É um lugar isolado. O crime organizado tomou conta desses espaços. A nossa tentativa é que a população _ tanto no Legislativo [audiências públicas e sessões parlamentares] quanto na prefeitura, quando se fala em fazer uma marina em Itajaí, por exemplo _ participe. Se tivéssemos um orçamento participativo, poderíamos fazer o povo participar, mas não se faz isso. Essa alienação política é bem característica do Brasil. Estamos preparando uma escola de educação política. Queremos educar as crianças, os adolescentes, as pessoas para esse lado, para participarem. Tem tanta coisa para dizer, para perguntar. Porque a prefeitura faz as obras sem perguntar, fazem ciclovias, mas não chamam a população para saber se nós gostamos, se a largura está boa, se não querem mais sinalização. Sem isso, o povo não vem. Isso é uma luta do Observatório Social. Jornal dos Bairros – E o povo quer saber o que está sendo gasto e o que está sendo feito. Por que é necessária a transparência da organização? Por que é tão difícil trazer a público o que é público? Jonas Tadeu Nunes – Parece tão fácil, mas é uma briga. Os processos públicos são públicos, então só tem uma finalidade: mostrar para todos. Digitaliza a licitação e coloca na internet para qualquer um ver. Não, fica escondido, na gaveta. Quando uma pessoa esconde, os outros

desconfiam. A política perde a credibilidade do povo porque não é transparente. Quem é transparente conquista a confiança de outra pessoa. A pessoa apoia, ajuda. É generalizado: as pessoas não gostam dos políticos e se manifestam contra. O que falta é a transparência e esse é o melhor remédio contra a corrupção. Se tudo fosse transparente nós estaríamos no paraíso. Questionamos uma questão das pizzas recentemente. A Secretaria de Saúde estava servindo pizza na hora do almoço porque a empresa que ganhou a licitação chama-se “A Italianinha Pizzaria”, de Brusque. Tem uns 10 empenhos de R$ 30 mil, R$ 25 mil, todo o mês uma despesa grande. Perguntaram para nós por que estavam servindo pizza e nós perguntamos para a secretaria. De acordo com a lei de acesso à informação, eles têm 20 dias para responder. Passaram os 20 e não responderam. Passaram mais 10 da prorrogação e não responderam. Nós fomos à imprensa e contamos a história, aí o pessoal da secretaria ficou bravo. Nós fizemos um pedido formal, em cima da lei, não responderam. Eles falaram que não receberam. Nós tínhamos um documento protocolado e mandamos uma cópia para eles. Em uma semana eles responderam, explicando que não era pizza, que era lanche. Isso por falta de transparência. [Como combater isso?] Temos três causas: educar as pessoas para o combate à corrupção, educar para a transparência e educar para a cidadania fiscal. Fizemos oficinas de cidadania com os adolescentes, rodas de conversa, temos uma revista para crianças. Isso tudo para ensinar a combater a corrupção, para ser transparente. Na parte do monitoramento, nós exigimos. Fazemos pedidos de esclarecimento, vistas de processos e forçamos a mostrar as coisas. O poder público não gera documento secreto, nenhum órgão público. Todos os documentos gerados são públicos, mas existe a cultura do segredo. Nós trabalhos pela cultura do acesso. Tudo é público, o salário é público. No momento em que o governo perceber a importância da transparência, ganhará muitos pontos e a confiança da população. Não adianta colocar milhões de números em um documento. Tem que mostrar o que foi feito e quanto custou, qual empresa ganhou a licitação. As pessoas olham e confiam no governo. A cidadania só avança com transparência. A transparência é principal e combate a corrupção, gera confiança da população. Arrecadamos muito, temos a maior arrecadação do Estado. E nós nos perguntamos “onde está o meu dinheiro?”. Jornal dos Bairros – Qual o panorama político que Itajaí vive atualmente? Jonas Tadeu Nunes – É uma desgraça, uma tristeza. O governo está terminando este mandato em uma decadência total. Suspenderam o desfile cívico, o horário de trabalho da prefeitura pela manhã para economizar R$ 2 milhões. Mas nós arrecadamos R$ 2 bilhões. O que são R$ 2 milhões nessa conta? É menos serviço para a população. Ele

de biogás. Foi instalada essa usina em cima do aterro sanitário, que é um bem público, e tudo que está lá dentro é um bem público. Essa usina se instalou sem licença do Executivo e do Legislativo e está explorando o biogás, transformando em eletricidade e vendendo os créditos de carbono que são gerados. Essa é uma grande luta. Outra grande causa é a questão da coleta de lixo. A fórmula não é boa. Pagamos a coleta de lixo por metro quadrado do imóvel. Você paga uma fortuna só porque tem um espaço grande, mas nem gera tanto lixo. Pedimos para acertar essa fórmula e beneficiar a população. Precisamos rever a planilha do lixo, tem muito erro, muitas coisas a serem modificadas. Também devemos modificar a planilha do transporte público. O Observatório Social se meteu nessa conversa e cada um tomou um lado. Reclamamos disso e acabou em uma redução mínima. Lutamos pela merenda escolar porque Itajaí está no meio do furação nessa questão de terceirização desse serviço. É uma máfia da merenda escolar e Itajaí está ligada. O contrato da merenda escolar era de R$ 18 milhões e baixou para R$ 14 milhões, porque a Secretaria de Educação errou na conta de refeições por dia. De 42 mil refeições, baixou para 30 mil e eles justificaram que erraram no número. Mas como erram uma conta dessa? Foram feitos dois reajustes nesse contrato e hoje o município paga um valor e não serve 30 mil refeições. São coisas grandes e lutamos em cima desses casos. Estamos com sete anos de funcionamento e está deixando a fase de simples entidade, porque tem personalidade jurídica, estatuto, e estamos chegando à fase de instituição social. O Observatório Social é considerado um projeto necessário dentro da sociedade, é conhecido e reconhecido. Temos reconhecimento da Câmara de Vereadores. À medida que o tempo passa, o Observatório Social fica mais reconhecido e se transforma em instituição necessária. •

Só alguns falam, boa parte fica de braço cruzado, balançando a cabeça. Não precisamos de um Legislativo assim. O Legislativo é um grande poder, tem que ter uma legitimidade boa [governo] se encolheu, se escondeu. O momento político é ruim. Você tem um procurador e um vereador preso. Isso para a democracia é um balde de água fria. Se as pessoas não acreditavam na política, imagina olhando esse panorama. E são pessoas conhecidas pela comunidade. É uma tristeza. Ao mesmo tempo, sentimos que é um avanço. Ainda bem que isso está feito e que existe o Gaeco, o MP, com um belíssimo trabalho. As polícias Civil e Militar devem se unir com esses órgãos para fazer uma limpeza. A pessoa afastada do cargo não poderia nem pensar em voltar, tem que ficar fora do poder público. A Lei da Ficha Limpa vale por oito anos e depois a pessoa volta. E volta com tudo. Jornal dos Bairros – Em quais causas o Observatório Social atua hoje? Qual o balanço de operações este ano? Jonas Tadeu Nunes – Daqueles 63 inquéritos civis públicos, seis se transformaram em ações civis públicas. As pessoas envolvidas estão com os bens indisponibilizados, esperando a solução da causa. Não lembro exatamente os processos porque são muitos. Mas tem a questão das sinaleiras da avenida Sete de Setembro que foram retiradas. Tem um processo grande rodando, vai dar improbidade administrativa. Na Secretaria de Educação havia uma empresa que não tinha CPNJ e ganhou duas licitações, são coisas assim. A Câmara de Vereadores tinha comprado uma moto e super valorizou o veículo. Hoje, o Observatório Social trabalha em cima dessa usina

9


Social

10

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Neide Uriarte

Recém casados

Quem anda irradiando felicidade por onde passa é o casal Bruna Luiza Moraes e Luiz Henrique Machado. Os pombinhos trocaram alianças em cerimônia na Paróquia São João Batista, em Itajaí, em agosto e agora curtem o período pós-lua de mel. Os amigos que estiveram presentes nessa celebração tão especial desejam felicidades ao casal.

Aniversário de Odemar Muller O empresário itajaiense Odemar Muller completou 78 anos de vida no último dia 7. Infelizmente ele encontra-se hospitalizado, no Hospital do Coração em Balneário Camboriú. Pedimos a Deus pela saúde do amigo Milinha, que ele consiga se restabelecer o mais breve possível. Um abraço ao aniversariante, sua esposa Ana Maria, os filhos, genro, noras, netos e bisneta.


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Social WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

neidefestas@matrix.com.br (47)9977.2390 Neide Pasold Uriarte

Defesa de tese de doutorado No dia 11 deste mês a professora universitária Mônica Zewe Uriarte defendeu sua tese de doutorado sobre o projeto Pibid na Univali. Após apresentação e avaliação, ela recebeu aprovação da banca examinadora e pôde comemorar a conquista junto aos familiares e amigos. Foi uma grande etapa em sua vida profissional, para a qual ela se dedicou ao máximo. Parabéns à Doutora Mônica!

nte Feijoada benecofimce ércio exterior

de A câmara setorial (ACII) presarial de ItajaÍ da Associação Em a edição sábado, 19, mais um ste ne á er ov om pr eias. ente Aportando Id da feijoada benefic ra a oço será doada pa A renda deste alm na junto Teresa, que funcio Associação Madre Konder ernidade Marieta ao Hospital e Mat custam R$ misetas-convites Bornhausen. As ca urante eça às 11h no resta 30 e o evento com Praia Brava. Águas da Brava, na

Aniversário de João Carlos Pizzatto Neto O garotão João Carlos Pizzatto Neto comemora 9 anos de vida nesta sexta-feira, dia 18 de setembro. Parabéns, João! Feliz aniversário! Que você tenha sempre muita saúde, alegrias, paz e amor. Abraços e beijos especiais para você, que é um menino que vale ouro.

11


Social

12 WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Neide Uriarte Turma do Bugio

No último sábado, dia 12, os associados da Turma do Bugio, que possuem sítios no Rio do Meio, zona rural de Itajaí, participaram de uma festa de confraternização no sítio do Ademar e família. Além dos associados, marcaram presença muitos convidados. O tempo colaborou e apesar do frio, a participação foi maciça. Contou com grande buffet de feijoada, carne de porco, saladas, torresmo, linguiça, etc... Parabéns aos cozinheiros, que mais uma vez capricharam no preparo de todos os pratos. A criançada brincou, subiu em árvores, montou em ovelhas, brincou com os cachorros e fez até piquenique. O sítio do Ademar e família é um paraíso, bem cuidado e conservado. Boa música sertaneja animou o encontro e combinou com a ocasião. À tarde foi servida a mesa com cucas diversas, uma delícia!

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Social WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

neidefestas@matrix.com.br (47)9977.2390 Neide Pasold Uriarte

13


14 WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Neide Uriarte

Social

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015


Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

Social

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

neidefestas@matrix.com.br (47)9977.2390 Neide Pasold Uriarte

15


Geral

16

Ano XX - edição 759 - 18 de setembro de 2015

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

OAB de Itajaí inaugura sua nova sede, a maior de todo o Brasil Além de escritório para profissionais, estrutura abrigará restaurante, agência bancária e consultórios médicos Fotos: Divulgação

C

om o título de maior do país, a nova sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção Itajaí foi inaugurada na semana passada. O espaço deve servir como modelo para sedes em todo o país. O novo local, futuramente, vai garantir uma renda extra à OAB, com agência bancária, restaurante e consultórios médicos. Para a presidência da OAB Itajaí, a sede é uma meta alcançada para todos os filiados.

Após 20 anos de reinvindicação, a nova sede da OAB foi inaugurada na avenida Abraão João Francisco, no bairro Ressacada, em Itajaí. A estrutura é considerada um

espaço da cidadania, concluída após três anos de obras. O prédio foi entregue, mas ainda não está em funcionamento e precisa ser mobiliado. A previsão é de que a sede funcione a partir de janeiro de 2016. O terreno possui 6 mil m² e espaço para estacionamento, salão de festas, central de inclusão digital, além de serviços de agência bancária e um restaurante. Para o presidente da subseção Itajaí, João Paulo Tavares Bastos Gama, a novidade dos espaços virtuais, instalados na nova sede, é a que gera mais orgulho para a presidência: _ É um espaço, principalmente, para os

novos advogados. Sabemos que o início da carreira é complicado. Montar um escritório é difícil. Oferecemos uma boa estrutura para esses advogados atenderem os clientes. As salas virtuais, segundo Gama, são também um espaço para os advogados que estão reformando o escritório e não tem um endereço para atender. Todos os profissionais filiados à OAB podem usar o serviço, mesmo que não sejam de Itajaí, com horário agendado. A justificativa para a sede da subseção Itajaí ser a maior do país envolve a geração

de renda. Antes, a ordem conseguia um extra com o trabalho de fotocópia dentro da subseção. A tecnologia dos processos judiciais eletrônicos excluiu o lucro: _ Vamos explorar uma agência bancária, restaurante, consultório odontológico e médico. A nossa intenção é ter um local de prestação de serviços para a advocacia. A subseção Itajaí é a mais antiga do Estado. De acordo com o presidente, o número de filiados pedia uma nova sede. O objetivo é implantar um modelo sustentável de geração de receita e proporcionar um espaço digno de trabalho.•

João Paulo Tavares Bastos Gama, Jandir Bellini, Sonia Maria Mazzetto Moroso Terres, Tullo Cavallazzi Filho, Paulo Marcondes Brincas, Marcus Antônio Luiz da Silva, Marco Antônio Cachel, Ronaldo Silva, Luiz Mario Bratti, Diego Eduardo Bernardi

Jornal dos Bairros - 18 Setembro 2015  

Jornal dos Bairros - 18 Setembro 2015