Page 1

Feito para todas as classes

Itajaí, 11 de maio de 2018 | Ano XXI | N° 862

Idosas do Asilo Dom Bosco comemoram o Dia das Mães

Clube Náutico Almirante Barroso completa 99 anos de fundação PÁGINA 8

Comerciantes comemoram o movimento nas vendas de Dia das Mães PÁGINA 4


2

Política

Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

:: Indefinição no quadro eleitoral A cada dia surgem novos nomes para as cadeiras do Legislativo estadual. Além dos possíveis candidatos que colocaram seus nomes à disposição ainda no final de 2016, início de 2017, após as últimas eleições municipais, muitos outros nomes surgem dia após dia. Muitos, inclusive, improváveis. E para o Congresso e o Senado a coisa não é muito diferente, embora as duas vagas para senadores catarinenses sejam as menos cogitadas. Um nome certo para a disputa é o do ex-governador Raimundo Colombo (PSD). Porém, tem ainda os nomes do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes (PSDB), além de nomes O ex-governador Raimundo Colombo é um provável do MDB, PP e PT. Entre eles, o ex- nome para a disputa ao Senado -governador Esperidião Amim e o deputado Décio Lima.

:: Incógnita

Gelson Merísio é o possível nome do PSD

do senador Paulo Bauer. O jornalista Leonel Camasão é a aposta do PSOL para disputar o governo de SC e o nome mais provável do PSD é do deputado Gelson Merísio, apesar do partido também apoiar o nome de Júlio Garcia. Pelo PT podem surgir nomes como o do desembargador aposentado Lédio Rosa de Andrade

Os nomes para disputar o governo de Santa Catarina também são uma incógnita. Dentro do MDB cogitam-se os nomes do governador Eduardo Pinho Moreira e do deputado federal Mauro Mariani. Outro possível candidato é do DEM. O deputado federal João Paulo Kleinübing saiu do PSD e voltou para o partido na janela de troca partidária, em março. Ele assumiu a presidência da sigla no Estado e se lançou pré-candidato ao governo catarinense. No entanto, é visto também nos bastidores como um bom nome para compor a chapa majoritária como vice em uma eventual aliança. O PP, por sua vez, pode apostar no nome de Esperidião Amim, que já governou Santa Catarina em dois mandatos. Amim ainda busca apoio interno e externo, apesar que o Senado também é uma opção possível para ele. O PR tem como possível nome o deputado federal Jorginho Melo e o PSDB pode apostar no nome

:: Prazos

As definições devem sair apenas em agosto. O prazo para os partidos e coligações realizarem suas convenções para escolherem seus candidatos aos cargos de presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual, é de 20 de julho à 5 de agosto deste ano e, como é de praxe, as convenções geralmente são realizadas nos últimos dias. O dia 15 de agosto é a data limite para os partidos e coligações registrarem os seus candidatos na Justiça Eleitoral.

Expediente Diretor: Carlos Bittencourt | carlos@bteditora.com.br Edição: Joca Baggio Reportagem: Matheus Petter | jornalismo@jornaldosbairros.tv Redação: 3344.8607 Diagramação: Solange Maria Pereira Alves (0005254/SC) solange@bteditora.com.br O Jornal do Bairros é uma publicação da empresa Letras Editora Ltda. (ME), com sede na Rua Anita Garibaldi, 425 Centro – Itajaí –SC. CNPJ: 03.334.705/0001-33 Telefone: (47) 3344.8600 Site: www.jornaldosbairros.tv

Colaboradora: Neide Uriarte

O Jornal dos Bairros não se responsabiliza pelos

Departamento Comercial: (47) 3344.8600

artigos assinados pelos seus colaboradores ou de

Circulação: Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes e região.

matérias oriundas de assessorias de imprensa de

Fale conosco: Sugestão de temas, opiniões ou dúvidas: carlos@bteditora.com.br | jornalismo@jornaldosbairros.tv

órgãos oficiais ou empresas particulares.

Jornal filiado à Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina Rua Adolfo Melo, 38, Sala 901, Centro, Florianópolis, CEP 88.015-090 Fone (48) 3029.7001 e-mail: adjorisc@adjorisc.com.br


Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

Economia WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Empresários cobram liberação de recursos para o aeroporto de Navegantes

3

ECONOMIA :: Cesta básica volta a aumentar em Itajaí

A Infraero havia prometido a liberação de R$ 150 milhões para investimento no aeroporto há mais de um ano e até o momento nenhuma parcela foi repassada

O custo da cesta básica alimentar aumentou 3% em abril, em Itajaí. O cálculo é elaborado pela Universidade do Vale do Itajaí, com base em pesquisa feita nos grandes supermercados da cidade. Em abril, os 13 itens da cesta básica custaram R$ 350,77, ante R$ 340,55, registrados em março. O aumento no custo foi puxado pelo avanço dos preços do tomate (24,09%), manteiga (11,75%), farinha de trigo (6,52%), banana (4,94%), café em pó (2,35%), óleo de soja (2,20%), pão francês (1,45%) e o leite (0,72%). Vale destacar que os itens leite, café, farinha de trigo e pão tiveram a terceira alta consecutiva. Em contrapartida, outros cinco produtos tiveram redução no valor: batata (6,87%), açúcar (1,98%), feijão preto (1,48%), arroz (1,46%) e a carne (1,05%). A batata, o açúcar e o feijão marcaram a terceira queda seguida.

:: Ministério do Trabalho vai fiscalizar cota para portadores de necessidades especiais

R

epresentantes do empresariado de Navegantes e região, e bancada catarinense, travaram uma luta em Brasília para a liberação de R$ 150 milhões para o aeroporto de Navegantes. Os recursos foram objetos de termo de cooperação firmado entre a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o poder público de Navegantes, ainda em janeiro do ano passado. O convênio previa o repasse de R$ 150 milhões para a desapro-

priação da área de mais de 1,09 milhão de metros quadrados, destinada a ampliação da pista de pousos e decolagens. O recurso deveria vir em três parcelas de R$ 40 milhões e uma de R$ 30 milhões e o prazo para conclusão do processo é de cinco anos. O presidente da Associação Empresarial de Navegantes (ACIN), Rinaldo Luiz de Araújo, cobra agilidade no repasse dos recursos, uma vez que fazem parte de um Acordo de Coope-

ração Técnica, assinado em 27 de janeiro de 2017, pelo então ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Lessa. Segundo Araújo, uma nova reunião será marcada em Brasília – com políticos, Infraero e representantes da classe empresarial da região do Vale – para deliberar sobre o tema. Um dossiê com todas as informações relacionadas ao aeroporto e com detalhes das desapropriações também está sendo elaborado para fundamentar as tratativas. 

A partir deste mês, empresas com mais de 100 empregados na região de Itajaí que não cumprem o mínimo de 2% de vagas para portadores de necessidades especiais, previsto em lei federal, receberão a fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Até outubro, quem não estiver regularizado receberá a fiscalização e poderá ser multado. Um levantamento feito pelo Ministério Público do Trabalho, em abril, mostra que das 5,3 mil vagas previstas nas cidades que integram a Associação dos Municípios da Foz do Itajaí-Açu (Amfri), apenas 2,4 mil estão ocupadas, menos da metade. De acordo com a lei federal, que é de 1991, 2% das vagas de trabalho em empresas com mais de 100 empregados precisa ser reservada a pessoas com deficiência. São 42 mil vagas para um universo de 1 milhão de pessoas com necessidades especiais, em Santa Catarina.

:: Petrobras elevará GLP industrial e comercial em 7,1% a partir de terça-feira

A Petrobras elevou em 7,1 % o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) em embalagens acima de 13 kg, para uso industrial e comercial, na última semana. Segundo a empresa, a política de preços para o GLP de uso industrial e comercial, vendido nas refinarias às distribuidoras, tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas, por exemplo.


4

Geral

Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Comerciantes comemoram o movimento nas vendas de Dia das Mães

No domingo (13) é comemorado o Dia das Mães e a busca por presentes é o essencial para agradar aquela que tanto amamos. Neste ano, o comércio de Itajaí comemora o movimento. Embora alguns comerciantes classifiquem como uma movimentação regular, a grande maioria diz que o movimento está bom e que, inclusive, é maior que o do ano passado. Segundo o Câmara de Dirigentes e Lojistas de Itajaí (CDL), outro fator que chama atenção é que embora as lojas façam poucas promoções, o consumidor permanece comprando com um gasto que

oscila entre R$60 e R$100 no comércio local. Por outro lado, segundo a pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), o gasto médio com o presente de Dia das Mães no Estado será de R$ 164,81 por consumidor. E os comerciantes apostam ainda em uma grande procura no final de semana, afinal, o bom brasileiro tem o costume de deixar as coisas para última hora. Comprar após o domingo também é uma opção para quem quer aproveitar as promoções.•

Marcha pela vida marca campanha contra o aborto Pela primeira vez a Igreja Católica se une a evangélicos e espíritas em marcha por bandeira comum Sábado, 12, véspera do dia das mães, um fato inédito e improvável deve mexer com Itajaí: evangélicos, espíritas, católicos e, inclusive, ateus e agnósticos, se unem em prol de uma causa comum: o combate ao aborto. A iniciativa é do Conselho de Pastores Evangélicos de Itajaí (Copevi) e da Renovação Carismática Católica - Forania de Itajaí. O pastor Edson Lapa, presidente do Copevi, denomina a ação como uma defesa à bandeira da vida, enquanto Beto Cunha, líder da Renovação Carismática, diz que acima das ideologias e correntes religiosas, está o dever de defender a vida e a família. Antecedendo o evento, na sexta-feira, 11, acontece uma palestra gratuita no

Ministério Mevam, com a médica Renata Gusson Martins, que aborda o tema: Aborto e cultura da morte: raízes históricas, falsas estatísticas e consequências.

Município renova contrato com Hospital Pequeno Anjo Instituição receberá um total de R$ 13,8 milhões para custeio dos serviços

O

Município de Itajaí, por meio da Secretaria de Saúde, renovou por mais 12 meses o contrato de prestação de serviços com o Hospital Universitário Pequeno Anjo, administrado pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). A renovação foi oficializada na quarta-feira, 09, e garante o repasse anual de R$ 13,84 milhões para custeio dos serviços ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) à população. A instituição atende crianças de zero a 15 anos incompletos de toda a região. Ao todo, 206 funcionários atuam no hospital, sendo que o corpo clínico é composto por 69 médicos de várias especialidades. O local conta ainda com 59 leitos custeados pelo SUS para atendimento e realizou no

ano passado 41,44 mil atendimentos, sendo que 30,88 foram pelo SUS. Nas unidades de internação e na UTI, 2,83 mil pacientes foram atendidos gratuitamente no ano passado pela instituição. Nesses espaços, a oferta de serviços através do SUS representa 75% do total de atendimentos. Além disso, no mesmo período, o número de cirurgias realizadas pelo Sistema Único de Saúde foi de 964. “O contrato com o Hospital Pequeno Anjo venceu e fizemos a renovação, justamente pela importância para atendimento em Itajaí e região. Também ficamos a par das dificuldades financeiras da instituição e estamos buscando uma solução para a situação”, diz o secretário de Saúde de Itajaí, Celso Luiz Dellagiustina.•

Serviço

Palestra “Aborto e cultura da morte: raízes históricas, falsas estatísticas e consequências”, com Renata Gusson Martins. Dia 11 de maio, às 19h30, no Mevam Av. Campos Novos, 1850 - São Vicente, Itajaí - SC. Entrada franca.

Marcha pela Vida

Dia 12 de maio, 8h, concentração em frente à Prefeitura de Itajaí.•

PUBLICAÇÕES LEGAIS E EDITAIS Faça sua cotação.


Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

Geral WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

5

Dia das Mães: Idosas contam suas histórias de vida e participam de café com familiares L André Braga

ourdes Juthel, 74, vive no Asilo Dom Bosco há três anos. Ela foi casada por 16 anos, até que seu marido faleceu, e nunca teve interesse em ter filhos. Só que ao contrário de muitas idosas que, mesmo com filhos e netos, sentem na pele o abandono, principalmente em datas especiais, como o Dia das Mães, ela comemora esse dia com sobrinhos e sobrinhos netos, descendentes de seus irmãos já falecidos. Só que o que a corrói em datas como essa é a saudade da mãe, que perdeu há 22 anos. Eram inseparáveis. “Sinto saudade de tudo, ela era uma pessoa muito boa”, lembra emocionada. Lourdes conta que quando mocinha, ia com a mãe nas matinês do Cine Coral e faziam passeios juntas. Hoje lhe resta rezar diariamente para a mãe e visitar sua sepultura no dia de seu aniversário. Sua memória não falha. Ela conta que viu a Igreja Matriz de Itajaí ser construída e que foi lá que ela fez sua comunhão, aos 12 anos de idade. Lourdes cita o nome de amigos da época em que era nova e que até hoje eles a visitam no asilo, para recordar das boas histórias. Ao contrário de muitos outros idosos institucionalizados, solidão não é uma constante em sua vida. A realidade de Onadir, 80 anos, não é diferente. Ela está no asilo há cerca de dez anos, desde que veio para Itajaí com os filhos a passeio e adoeceu. Com medo de retornar para o Rio de Janeiro com a mãe, com uma saúde delicada, os filhos optaram por interná-la no Asilo Dom Bosco, que após muita procura, pareceu o local ideal para que a Onadir ficasse por um tempo até se recuperar por completo. Quase uma década se passou, sua saúde se restabeleceu e ela permanece na instituição. Com tios e primos em Itajaí, ela conta que não se sente sozinha, ainda mais que têm a companhia dos demais idosos

e também de toda equipe. No entanto, o contato com os filhos é muito pequeno, devido à distância. Diante dessa barreira geográfica, ela e os filhos conversam quase todos os dias, seja por telefone ou pelo computador. Muito culta, está sempre com um livro ao seu lado. Nem mesmo o barulho do dia a dia tira a concentração da idosa. Neste dia das mães ela não terá contato com os filhos. “Eles têm que vir por vontade própria, não tem porque convidar se a pessoa não quer. Eles têm que querer”, diz entre risadas. Quanto aos netos, ainda são pequenos e não perguntam tanto sobre a avó. “Tenho saudades do Rio de Janeiro. Caminhar na praia é uma beleza. Também gosto de frio, mas o frio do Rio, porque o frio de Itajaí é demais”, comenta.

Solidão, dor e saudade

Há quase 80 anos atendendo a comunidade, o Asilo Dom Bosco abriga hoje 84 idosos, sendo 47 mulheres e 37 homens, com idades que vão dos 64 aos 101 anos.

Enquanto muitos idosos têm com quem passar uma data tão especial, como o Dias das Mães, uma grande parcela das internas na instituição não têm essa felicidade. Muitas são pessoas que não veem os filhos e netos há muitos anos, ou que já não têm mais família. Para elas resta a solidariedade e o carinho de voluntários que atuam na instituição e dos funcionários da casa. “Algumas delas não receberão a visita de ninguém. São filhos que alegam que não podem visitar as mães por estarem viajando ou terem problemas de saúde, assim como aqueles idosos que não têm ninguém”, conta a psicóloga Gisele Regina da Cunha. O Asilo Dom Bosco conta atualmente com 84 idosos, sendo 47 mulheres e 37 homens. As idades vão dos 64 aos 101 anos e, do total de vagas, 60 são vagas sociais, mantidas por meio de convênio com a Prefeitura de Itajaí. A permanência dos outros 24 idosos no asilo é custeada pelas famílias. As vagas sociais, segundo a Gisele, são preenchidas por pessoas que têm

algum tipo de fragilidade na família. A psicóloga explica que essas fragilidades podem ser de vínculo – como não ter ninguém, viver na rua, por alguma violência de direito que pode ser física ou psicológica, ou mesmo por questões financeiras – e também por necessidades de cuidados especiais. “Não são todas as pessoas que estão nos asilos que são abandonadas pelas famílias. Têm muitos idosos que estão aqui porque necessitam de cuidados especiais, que as famílias não podem dar. A questão não pode ser generalizada”. Para promover um encontro entre os idosos e familiares, a casa organiza um café no sábado que antecede o Dia das Mães. Gisele conta que essa será uma ocasião em que os internos poderão sentar numa mesa ao lado de seus familiares e tomar um bom café da tarde, assim como

nos tempos em que conviviam em família. Para aqueles que não têm mais contato com os familiares, a instituição está buscando a participação de amigos ou outras pessoas próximas com quem eles mantém laços afetivos. “Estamos buscando resgatar o hábito dos cafés da tarde que eram feitos em família e com isso estreitar vínculos, que são muito importantes. O misto de gerações juntas faz muito bem para o idoso.”

Infraestrutura

O Asilo Dom Bosco tem uma equipe técnica formada por psicólogo, nutricionista, fonoaudiólogo, assistente social, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, médicos, enfermeiras e técnicos de enfermagem. São 79 funcionários ao todo, incluindo equipes de limpeza, cozinha, manutenção.

Matheus Petter Matheus Petter

Lourdes Juthel tem 74 anos e nunca teve filhos. Comemora datas comemorativas, como o Dia das Mães, ao lado de sobrinhos, sobrinhos netos e amigos.

Onadir, 80 anos, justifica a ausência dos filhos no Dia das Mães: “Eles têm que vir por vontade própria, não tem porque convidar se a pessoa não quer. Eles têm que querer.”


6

Geral

Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Festa do Trabalhador Mais de 20 mil pessoas passaram pela festa do trabalhador, promovida pela Força Sindical de Santa Catarina no dia 1º de maio. O evento reuniu diversão, muitos prêmios, alegria e descontração na Vila da Regata, em Itajaí


Social

Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Neide Uriarte

7

neidefestas@matrix.com.br (47)9977.2390 Neide Pasold Uriarte

Dia das Mães

A Coluna “Sociedade em destaque” é dedicada especialmente a todas as Mães, inclusive, para aquelas que não estão mais entre nós. Parabéns, que Deus as abençoe e proteja sempre.

Cantinho da Saudade: Enrico Rosa Hering

Enrico... você partiu, mas é um Anjo que trouxe alegria para todos e continuará presente em nossos corações. Cremos em Jesus e temos a certeza que um dia nos encontraremos. Nossos corações estão tristes e as palavras não acalmam a dor forte que todos sentem no peito. Esta semana, no dia 07, os queridos amigos Greici Rosa Hering e Léo Hering entregaram o Enrico no colo do Pai, para viver junto Dele na Eternidade. Um filho que foi muito aguardado, amado e cuidado. É difícil e inaceitável, ter que se despedir de um filho, mas mesmo na mais profunda dor existe a mensagem de amor e entrega incondicional. O Enrico, mesmo tão novo, deixou a sua marca na passagem pela terra e leva com ele a certeza de ter sido fruto de um amor verdadeiro e que jamais será esquecido. Que Deus segure a mão de seus pais, familiares e amigos. Só Ele para confortá-los!

Festa do Dia de São José Operário

A Igreja da Paz, na Vila Operária realizou a tradicional Festa do Dia de São José Operário, em 1º de maio. O evento contou com homenagens cívicas, apresentações do coral e orquestra do Incart, missa em ação de graças a São José Operário – celebrada pelo Padré Sérgio José de Souza – e um belo almoço de confraternização, com o tradicional e delicioso churrasco da Igreja.


8

Esportes

Ano XXI - edição 862 - 11 de maio de 2018

WWW.JORNALDOSBAIRROS.TV

Clube Almirante Barroso completa 99 anos de fundação

O

Clube Náutico Almirante Barroso completa 99 anos de fundação e comemora com jantar dançante no sábado, 12. O evento está programado para as 20h, na sede social do clube, rua Almirante Barroso, 280, e também homenageia as mães. A história do Barroso teve início em 1919, e tem uma relação íntima com o mar e os rios que abraçam Itajaí. O Clube foi fundado no dia 11 de maio, em reunião no Grande Hotel, em Itajaí, com cerca de 40 sócios. Foi criado para reunir os adeptos da prática do remo na cidade. A fundação do Barroso, como é carinhosamente chamado pelos seu associados, foi decorrente de uma dissidência entre os sócios do Clube Náutico Marcílio Dias. Parte dos sócios não concordava com a eleição da Madrinha dos dois primeiros barcos, chamados “Yara” e “Yarê”. A votação que terminou em empate entre Ma-

rieta de Moro e Virgínia Fontes, acabou pela escolha da primeira candidata e a evasão de quase metade dos sócios, que optaram por criar uma nova sociedade, também voltada ao remo. A pedra fundamental da primeira sede foi lançada exatamente no dia 29 de junho de 1919 e era localizada na Rua Pedro Ferreira. A inauguração aconteceu pouco depois, em 1920, onde os atletas se reuniam para confraternizações e práticas esportivas. A competente equipe de remo ficou no topo dos campeonatos estaduais nos anos de 1920, 1921, 1927 e 1928.

Futebol

O início do futebol profissional foi no ano de 1949, por meio de uma fusão com o time do Lauro Müller, que havia sido campeão estadual em 1931. Com a inauguração do Estádio Camilo Mussi, em 1956, atletas profissionais

e amadores passaram a jogar no Barroso, que já estava com nova sede, na Rua Almirante Barroso, no Centro. O Barroso sagrou-se campeão municipal, em 1959, e vice-campeão estadual, em 1963. Em 1972, o time encerrou as atividades no futebol profissional cumprindo a missão de revelar jogadores como o goleiro Diogo e o lateral esquerda Alvacir, ambos vendidos para o Corinthians, além de jogadores convocados para a seleção catarinense como Nelinho, Elio, Deba, Mima e Godeberto. A partir daí dedicou-se aos campeonatos internos para sócios, que até hoje está entre os mais tradicionais da região.•

Clube Náutico Almirante Barroso surgiu voltado à prática do remo.

Clube Náutico Almirante Barroso, equipe profissional em jogo no seu Estádio Camilo Mussi, anos 60. Da esquerda para a direita (em pé): Edival, Nelinho, Roberto, Picolé, Loca, Zequinha e Moreli. Agachados: Hélio Ramos, Luizinho, Mima, Deba e Godeberto

Jornal dos Bairros - 11 Maio 2018  

Jornal dos Bairros - 11 Maio 2018

Jornal dos Bairros - 11 Maio 2018  

Jornal dos Bairros - 11 Maio 2018

Advertisement