Page 1


( ÍNDICE )

4 5 6 8 10 13 16 22 24 26 28 31 36

Editorial Colaboradores Crônicas e Contos O Natal sem crianças Educação e Formação O Natal no imaginário infantil Desconstruindo a Arte Filmes natalinos: furada ou boa pedida? Mitologia O menino, o Natal e a deusa Tecno+ Adeus aparelho velho, feliz aparelho novo Embates e Debates Um cenário natalino Fazendo Direito O direito de Natal Imagem e Ação Feliz igual! MP2 A síndrome do Natal Saúde e Beleza Que nota você dá para sua auto-estima? Com Água na Boca Natal delicioso


( EXPEDIENTE ) Diretora de redação Tereza Machado Redatora-chefe Fernanda Machado Diretor de arte Chris Lopo Editores Chris Lopo, Fernanda Machado e Tereza Machado Projeto gráfico Bonsucesso Comunicação Diagramação Chris Lopo Jornalista responsável Thiago Lucas Imagens não creditadas Jupiter Images Projeto inicial Antônio Poeta Anunciantes anunciantes@revistadinamica.com O conteúdo das matérias assinadas, anúncios e informes publicitários é de responsabilidade dos autores. Site www.revistadinamica.com Contato contato@revistadinamica.com Próxima edição 01 de janeiro de 2009

4 Revista Dinâmica

( EDITORIAL ) Amigos Leitores Temos o prazer de lhe entregar a última edição do ano de 2008: é uma edição especial com tema sobre o Natal. Nestes últimos dias do ano em curso, desejamos que todos tenham conseguido realizar seus sonhos, projetos e desejos. Que a noite de Natal traga a paz sonhada por todos, que possamos esperar sinais de melhoras na educação, na saúde e na segurança. O Natal é uma época propícia para um bom exame de consciência, além de podermos analisar onde acertamos e erramos. É a hora do perdão, esquecer as mágoas. Como diz o ditado popular: “Para brincar de roda, tem que dar as mãos!” É preciso que nos demos as mãos, mesmo que de forma simbólica, para que possamos partir para a construção de um mundo melhor, mais justo, menos preconceituoso. Esta é a última edição de 2008, a oitava. Toda a equipe da Revista Dinâmica deseja a seus leitores muita saúde, paz e segurança. Que 2009 venha repleto de boas novas. Assim seja! Tereza Machado


( COLABORADORES ) Chris Lopo

Liz Motta

(chris@revistadinamica.com) Gaúcho. Trabalha com web design desde 1997. Hoje é, além de web designer, designer gráfico, ilustrador e tenta emplacar sua banda de rock.

(lizmotta@revistadinamica.com) Baiana e historiadora. Especialista em políticas públicas, produz artigos sobre violência contra a mulher.

Fernanda Machado

Mario Nitsche

(fernanda@revistadinamica.com) Carioca. Cientista da computação e apaixonada por design. Trabalha em sua própria empresa de comunicação.

(marionitsche@revistadinamica.com) Curitibano, dentista por profissão, filósofo por opção. Publicou o livro Descanso do Homem em novembro de 2005.

Kiko Mourão

Priscila Leal

(kikomourao@revistadinamica.com) Mineiro de Belo Horizonte. Estudante de direito. Além de fazer estágio na área também trabalha com sua maior paixão: a música.

(priscila@revistadinamica.com) Carioca. Atriz e estudante de danças. Apaixonada pelo estudo da filosofia, da anatomia humana e de tudo que constitua o ser humano e suas possibilidades de expressão.

Liana Dantas

Tereza Machado

(liana@revistadinamica.com) Carioca. Estudante de jornalismo. Começou cursando Letras e hoje pensa na possibilidade de vender cosméticos.

(tereza@revistadinamica.com) Cearense. Professora universitária, psicopedagoga e consultora educacional.

Revista Dinâmica 5


( CRÔNICAS E CONTOS )

O Natal sem crianças Como é que Papai Noel não se esquece de ninguém? Seja rico, ou seja, pobre o Velhinho sempre vem

Liz Motta

E

stamos entrando em Dezembro, final do ano chegando, expectativas renovadas, viagens marcadas, encontros e reencontros, presentes, dívidas contraídas, casa pintada, construção acabada. Dezembro é o mês gordo, o mês do 13º salário (para quem tem), mês da execução dos planos que fizemos durante o ano inteiro. Em dezembro, fazemos um balanço de quanto emagrecemos, ou engordamos; Dezembro é o mês das luzes de Natal, da solidariedade, da fartura e do amor. Lembro-me da representação que este período tinha na minha infância. No tempo que antecedia o Natal era uma neura só, dois meses antes eu e todas as crianças que conhecia fazíamos nossa 6 Revista Dinâmica

mea culpa, ficávamos boazinhas, boazinhas. Tomávamos banho sem que ninguém mandasse, fazíamos nossas camas ao acordar, tomávamos todos os copos de leite que aparecessem na nossa frente e, sem reclamar, engolíamos as colheradas da famigerada Emulsão de Scott, para crescermos fortes e saudáveis – bom, pelo menos era isso que nos diziam quando nos obrigavam a provar aquele líquido viscoso de cheiro nauseabundo. Tudo isso e muito mais fazíamos sem reclamar, em prol da tão esperada visita do Papai Noel e seus presentes. Papai Noel é uma figura mítica européia inspirada em São Nicolau Taumaturgo que viveu no século IV d.C. e que chegou ao Brasil com os colonizadores portugueses. De barbas brancas este ancião povoou o imaginário de várias gerações e que ainda, vez ou outra, ainda

respira em algumas cabecinhas. No meu tempo, Papai Noel era uma espécie de juiz das traquinagens infantis; ele é quem julgava quem era merecedor ou não dos seus tão sonhados presentes. Criança que foi mal na escola durante o ano não ganhava presente de Papai Noel – graças a Deus Einstein era judeu. Daí, tanta celeuma na véspera do Natal: ou você era um anjo de candura e ganhava tudo que tinha pedido em sua infindável listinha (na verdade, era apenas um presente, aquele do topo da lista, o mais desejável, the best. Não se cogitava ganhar mais que um) ou simplesmente você caía em desgraça e no dia seguinte a passagem do Bom Velhinho, você ficava meio que envergonhado, querendo tirar uma lasquinha nos brinquedos


( Crônicas e Contos )

dos amiguinhos bonzinhos, mas no final tudo acabava em festa; mesmo porque ninguém deixava de ganhar, o máximo que acontecia era não receber o tão sonhado presente – indicando que no próximo ano, a criança deveria se dedicar mais aos estudos e tomar banho na hora certa. Mesmo assim o Natal era a época do ano que eu mais gostava, mesmo com toda a “tensão” que antecedia sua chegada. A minha casa se enchia de brilho das bolas e enfeites na árvore, do papel que envolvia os presentes, do sorriso da minha mãe quando cozinhava os acepipes da deliciosa ceia natalina. Inclusive, lá em casa, um bolo era especialmente feito para Papai Noel. Diziam minhas irmãs que era para ele lanchar quando viesse me trazer os presentes. Na manhã seguinte, ao acordar, via sempre um pratinho sujo e um copo com resto de refrigerante sobre a mesa; isso

indicava que o Bom Velhinho me visitou. Tristeza foi saber, alguns anos depois, que quem lanchava era uma das minhas seis irmãs para dar veracidade ao cenário. Na verdade, não sou saudosista, nem estas linhas são um ímpeto de melancolia tardia dos meus tempos impúberes; tenho mesmo é mania de comparar e, longe de qualquer anacronismo, me dou o direito de confrontar comportamentos e analisar o quanto nossa sociedade se distanciou do espírito natalino. Basta uma visão panorâmica, do ano que finda, para sentirmos uma profunda tristeza por todas as crianças que não passarão o Natal com suas famílias. Nem este e nem outro qualquer, ou aquelas que nasceram adultas, pois a vida não lhes deu o direito de ser infantis e, portanto, não desejam uma visita do Bom Velhinho porque simplesmente este, não faz parte dos seus

imaginários carregados de lembranças tortas do que é ser criança. O balanço provisório do ano que finda é uma estatística cruel dos assassinatos de crianças e adolescentes, muitas vezes acompanhados de violação sexual, espancamentos, cárcere privado, escravidão. Fico pensando em Isabela Nardoni, o que será que ela pediria a Papai Noel? E, o que Rachel Genofre e Alessandra Betim encontrariam em seus sapatinhos na manhã de Natal? Eloá Pimentel não terá a oportunidade de participar do amigo secreto com as amigas. Será que Leandro da Silva, na altura dos seus onze anos de idade, teria pedido um celular novo ou uma roupa “maneira”? Nunca saberemos. Na casa de Pethrus Orosco o Natal será de silêncio e dor. Temo que, nos próximos Natais, Papai Noel fique desempregado.

Revista Dinâmica 7


( EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO )

O Natal no imaginário infantil O mito do Papai Noel no imaginário das crianças de hoje: qual a melhor hora de se contar a verdade?

Só o Natal continua o mesmo, independente de raça, credo, nacionalidade. O Natal ainda é a festa que comemora o aniversário de Jesus Cristo.

Há algumas décadas se discutia se era correto deixar as crianças acreditarem no mito do Papai Noel. Muitos pais, em nome de uma “verdade”, já diziam para seus pequeninos que Papai Noel não existia, que eram os próprios pais que compravam os presentes, dessa forma era mais fácil explicar o porquê de crianças mais pobres não conseguirem ganhar aquilo que pediram e crianças de classe alta ganharem além do que poderiam imaginar.

Como educadora, não posso deixar passar esta oportunidade de comentar sobre o efeito da fantasia de Papai Noel para as crianças.

Gosto de olhar o “lixo” natalino, observar como os pais “enxergam” seus filhos e de que forma valorizam seus pedidos. Dá para perce-

Tereza Machado

H

á uma grande diferença em analisar o Natal pela ótica do adulto ou da criança. Há mais diferença ainda quando se conversa com pessoas de gerações passadas.

8 Revista Dinâmica

ber a grande desigualdade financeira entre as pessoas. Sobre isso não tenho muito que dizer ou fazer, pois a verdade é que existe uma estrutura capitalista que ameaça ruir, o mundo todo encontra-se em suspense. As esperanças voltam-se para o recém-eleito presidente dos EUA, Barack Obama, que já anunciou a sua equipe econômica. A maior potência do mundo está em crise e precisa tomar uma direção segura o mais rápido possível. A crise está aí, batendo na porta. Alguns são céticos, não acreditam que a crise vá causar forte impacto no Brasil, outros já estão apavorados, cortando todos os gastos


( Educação e Formação )

possíveis e vendo tudo cinza.

tudo aquilo que gostariam.

Ouvindo a rádio FM, escutei um analista econômico, que não gravei o nome, dizendo que a crise não é a marolinha que o governo brasileiro faz parecer, mas que não chega a ser um tsunami, como alguns analistas querem fazer crer.

Existe uma fase de desenvolvimento da criança onde ela vive imersa na fantasia. Do ponto de vista emocional, nada há de mal que os pais alimentem essa fase, uma vez que a realidade da criança é a própria fantasia. Aos poucos, com o passar dos anos, vai amadurecendo e percebendo que Papai Noel é uma figura de Natal e que não existe, na verdade.

Esse ano, os pais terão que ter muito cuidado com qualquer gasto extra nas festas natalinas, devem lembrar que logo a seguir virá a famosa lista de material escolar que consome uma boa fatia do orçamento doméstico, principalmente se tiver mais de um filho em idade escolar. Volto ao foco da simbologia que existe em torno da figura do Papai Noel e a possibilidade que as crianças vêem em poder ganhar dele

Certamente que todos gostariam de saber qual a idade certa para revelar à criança este segredo natalino. Acredito que depende muito da criança, dos valores familiares e das próprias relações da mesma com outras. Perder a inocência dos primeiros anos de vida deve ser algo a ser

considerado pelos pais. Existe uma hora certa para tudo, mas a hora de dizer que o “Papai Noel não existe” pertence à criança. Ela dará as dicas de que está “desconfiando” que algo não está se encaixando na verdade. É um passo em direção ao amadurecimento natural, o momento que ela junta os pedacinhos dessa história e conclui por ela própria: “Ora, Papai Noel não existe, é o meu pai mesmo!” Aproveito esta edição especial de Natal para desejar ao prezado leitor um Feliz Natal e um Ano Novo com muita saúde, paz, segurança, amor e prosperidade. Até 2009! Que o Ano Novo venha reforçar nossas esperanças em dias melhores.

Revista Dinâmica 9


( DESCONSTRUINDO A ARTE )

Filmes natalinos: furada ou boa pedida? Se você pensou que filmes natalinos seguem a mesma linha, esqueça!

É

Chris Lopo e Fernanda Machado

comum encontrar filmes com temas natalinos e com Papai Noel como protagonista em locadoras de DVDs ou jogados em prateleiras de lojas, pegando poeira. No entanto, se olharmos mais atentamente à lista

10 Revista Dinâmica

de filmes que se utilizam desta temática, é possível encontrar boas fontes de entretenimento.

Bruce Willis, lançado em 1988, possui uma ligação com esta época do ano!

É o caso dos filmes que se utilizam do Natal apenas como base para suas histórias, mas que vão muito além de um simples conto natalino para crianças. Para se ter uma idéia, até o filme “Duro de Matar”, com

Nós, da coluna “Desconstruindo a Arte”, selecionamos 6 filmes para fazer deste Natal uma comemoração mais divertida:


( Desconstruindo a Arte )

Gremlins Lançado em: 1984 Duração: 106 min. Produção: Estados Unidos O que uma busca desenfreada por um presente de Natal não faz! Um Mogwai (que foi apelidado de Gizmo) chegou à casa dos Peltzer por intermédio de Rand, que resolveu comprar algo diferente, em Chinatown, para seu filho, Billy. Um bichinho fofinho, peludinho e carismático não pode fazer mal, certo? Errado, muito errado. Ao ser molhado ou alimentado após a meia-noite, o bicho ganha proporções catastróficas. Ele se multiplica em diversos Gremilins, que aterrorizam a cidade. É um filme de 1984, mas que ainda possui fãs no mundo todo.

O Estranho Mundo de Jack Lançado em: 1993 Duração: 76 min. Produção: Estados Unidos “O Estranho Mundo de Jack” é um filme sem precedentes na carreira de Tim Burton. Uma animação em stop-motion (técnica de animação que se utiliza de objetos inanimados), este filme conta uma fábula natalina: a história de Jack Skellington, que vive na cidade de Halloween. Cansado das mesmas festas das bruxas de todos os anos, Jack acaba conhecendo o Portal do Natal, que mostra um pouco do espírito natalino. Papai Noel, então, é sequestrado pelos cidadãos da cidade, para que eles possam criar sua própria comemoração natalina. Destaque para a maravilhosa trilha sonora, composta por Danny Elfman.

Milagre na Rua 34 Lançado em: 1994 Duração: 114 min. Produção: Estados Unidos Essa refilmagem do clássico ‘’De Ilusão Também se Vive”, de 1947, traz um Papai Noel em uma loja de departamento e Susan, uma menina que, há algum tempo, não acredita nesse mito. No entanto, ao encontrar esse Papai Noel em particular, Susan volta a ter algo em que acreditar, apesar de seus pais não gostarem da história. A princípio, é considerado um filme para crianças, mas existem lições que podem amolecer corações de muitos adultos por aí. Revista Dinâmica 11


O Grinch Lançado em: 2000 Duração: 105 min. Produção: Estados Unidos O clássico de Dr. Seuss, “Como o Grinch Roubou o Natal”, de 1957, inspirou desenhos animados deste louco personagem verde. Em 2000, o Grinch virou filme, com Jim Carrey fazendo o papel principal. A criatura verde, que odeia Natal, resolve bolar um plano para que uma pacata cidade seja impedida de comemorar esta data tão tradicional. Para isso, Grinch rouba tudo relacionado ao Natal das casas dos cidadãos. Para quem gosta do humor escrachado de Jim Carrey, é uma boa pedida.

Um Duende em Nova York Lançado em: 2003 Duração: 95 min. Produção: Estados Unidos Will Ferrell faz o papel principal neste filme de 2003: o duende Buddy que, na verdade é um humano, e trabalha com Papai Noel na fabricação dos brinquedos que são distribuídos às crianças de todo mundo, na noite de Natal. Com suas trapalhadas, Buddy faz uma confusão enorme na fábrica, às vesperas da grande entrega.

No Natal a Gente se Encontra Lançado em: 2007 Duração: 117 min. Produção: Estados Unidos Este filme é ótimo para quem gosta de romances água com açúcar. Lançado em 2007, “No Natal a Gente se Encontra”, com narração de Queen Latifah, conta a história de uma menina que faz um pedido especial a um Papai Noel de shopping: que ele arranje um novo marido para sua mãe, que está divorciada. 12 Revista Dinâmica

( Desconstruindo a Arte )


( MITOLOGIA )

O menino, o Natal e a deusa Garoto decide, com bom senso, o presente de Natal Entre aulas, estudo, vida na casa e brincadeiras com os primos e Mário Nitsche primas e o relacionamento com os pais, recebeu um bilhete numa m menino comum se não caligrafia feminina e elegante. fosse pelo modo mais “Hoje a noite tem festa na casa da sonhador-intelectual. sua tia. Saia para o jardim e vamos Meio quieto. Simpático, olhava conversar embaixo da pitangueira. a vida com olhos ávidos para Tenho uma proposta”. aprender alguma coisa... qualquer coisa. Era o tempo que antecedia o Perdeu o bilhete, mas achou fasNatal de um ano qualquer desses cinante a possibilidade. Preparouque sempre há. Por isso além da se em segredo para o encontro e curiosidade ele tinha o desejo de depois esqueceu de tudo. ter um presente... Aquele presente. Um sonho! Um trem elétrico com Todos se reuniram na casa da tia vagões de carga e passageiros... que ele gostava muito. Conversa, Túneis, pontes e viadutos. Sonhava sons, ruídos e a atmosfera cresceu com ele correndo pelos trilhos e em intimidade e alegria. Num escreveu ao Papai Noel pedindo-o. momento ele simplesmente saiu Pôs detalhes! O trem apitava denpara o longo quintal no escuro da tro dele saindo dos seus sonhos. noite quente de verão. Silêncio e Esperava a noite do Natal. mistério da noite. Sua alma e corpo

U

estavam num estado de prontidão, de expectativa viva. Logo ele a viu embaixo da Pitangueira e ficou extasiado. Não tinha medo. Ela era lindíssima e brilhava levemente contra as sombras. - Oi cara – disse a moça alegremente. Abraçou-o e deu lhe um beijo na testa. - Oi. Quem é você? - Sou Demeter, uma deusa. Meu pai foi Cronus e a mainha, Rhea. Sei quem você é! Conheço os seus pais. - Não conheço os seus! - Não se preocupe com isso. Não esquente a cabeça. O bom é que eu os conheço! - Existem deusas? Revista Dinâmica 13


( Mitologia )

- Se tô aqui existo, cara. - O que você quer comigo? - Fazer uma proposta. Quer ouvila? - Quero sim. Existem outros deuses? O garoto estava atônito e desconfiado. - Claro que existem. Muitos. Mas são uns sacos. Vivem encarrapitados numa torre alta e nem esquentam com os seres humanos! Vocês aqui embaixo. Eles, só nos papos amenos, festas, fofocas, teologias e brigas... duro de agüentar. Mas – ela arregalou os bonitos olhos – eu e um amigo, o Dionísio, decidimos apoiar e ficar junto com vocês os humanos. Vocês são legais! - Não acho que somos legais nada. Mas se você acha o problema é seu. - Hummm... Disse a deusa olhando os olhos do garoto. - Ajudamos, participamos. Você gosta de pipoca? - Gosto. - Eu sou a inventora da pipoca, cara! - Tá brincando... - Não. Falo sério Eu Ajudei vocês, no passado a plantarem grãos, os colherem, fazerem pão. Viu? Sua pipoca veio daí. Meu amigo Dionísio ensinou a plantar uvas e fazer vinho. Isso foi depois. Adoro um vinhozinho bom. Ele riu gostosamente. 14 Revista Dinâmica

- Acho que você é louca, mas é legal! Bacana! - Obrigada. É, somos meio loucos mesmo. Um bom deus tem muito de loucura. Imagine, ajudar homens e mulheres mortais... É duro, cara. - Todos gostam de ser ajudados? - No começo... sim. Depois criam religiões, cultos e se esquecem da gente e do que fizemos. Falaram mais um pouco numa atmosfera mágica na ilha formada no meio da noite no fundo de um jardim antes assustador. Riram muito. O garoto perguntou: - O que é que você quer me oferecer? - Quero te propor um pacto. Veja que pacto é coisa séria. - Diga. - Você escreveu uma carta ao Papai Noel pedindo um trem elétrico com todo o equipamento! - Isso. - Para começar quero te dizer que o Papai Noel não existe! Invenção barata. - Acho que sei disso. Mas os adultos pensam que somos burros e para manter a relação precisamos fingir, inclusive, que acreditamos até na cegonha. Imagine que babaquice. Demeter riu muito e gostosamente. - Estamos progredindo garoto.

Seu pai está pensando em te dar o presente. Mas ele não pode. Muito caro. Ele vai emprestar o dinheiro de um banco. Sabe como é... juros sobre juros. No futuro vai pesar. Agora o pacto. Se espontaneamente você decidir por um trem comum, o brinquedo vai estimular sua criatividade e esculpir aos poucos os seus sonhos para realidades! E no futuro vou te dar um presente pessoal, algo em você mesmo, no seu caráter, corpo e alma: a luz de ver, intuir, ouvir e entender melhor as pessoas e a vida. Depende de você. Mas vai precisar abrir mão do seu desejo do momento; uma decisão sua e espontânea como falei. Se algo não sair como você quer não adiantará me culpar! - Meu pai sempre diz que tudo é culpa de Deus. - Que chato isso! Todos desculpam sua burrice e falta de habilidade em viver e decidir, culpando a gente ou alguma outra coisa. Vida de um deus é difícil. Ai, um dia eu desisto e vou para o Olimpo não fazer nada a não ser política e inventar


( Mitologia )

religiões...

Feito e assinado o pacto.

- Preciso decidir isso hoje?

Soube em algum lugar dentro dele mesmo que um dia teria um trem inteiro para ir mais à frente dos seus sonhos, à medida que eles viravam coisas do dia. Sabia que, por enquanto, logo teria um trenzinho de brinquedo...

- Claro que não. Nem precisa decidir. Se o fizer, me avise. Escreva um bilhete e solte-o em algum lugar. Eu recebo. - Tudo bem. Olha, meu tio está me chamando. Vou indo. - Vá. Gosto de você. Deu mais um beijo na testa do garoto que correu para casa. Depois de uns dias o garotão resolveu por um trenzinho normal. Escreveu para o Papai Noel via seu pai. A noite rabiscou mais um bilhete para Demeter – “quero um trem comum agora e o seu presente depois” - e aproveitando o vento, jogou-o pela janela. Sentiu que ela o recebeu.

Um bom começo. Uma noite passeando com seu pai pelo centro e olhando as luzes do Natal, na direção oposta, no outro lado, viu uma mulher muito bonita que vinha vindo. Chamava atenção pela postura. Cabelos loiros, esbelta e caminhava como uma dança num dia de sol. Ela, propositadamente, atravessou o calçadão vindo na direção deles. Passou e sorriu para o garoto. Ele sabia que era ela. Ele disse:

- Oi - disse ela sorrindo e continuou. O Pai apertou levemente a mão dele com uma expressão de orgulho. - Filho você mexeu com a moça? - Não pai. Eu disse oi. Ela é uma deusa. O pai virou rapidamente para trás – certificando se primeiro para ver se ninguém estava olhando para ele. - Tem razão, filho... tem razão... ela é um deusa!

- Oi deusa! Revista Dinâmica 15


( TECNO+ )

Adeus aparelho velho, feliz aparelho novo Com muito ou com pouco dinheiro, podemos trocar aquele telefone celular velho, adquirido ano passado, por um novinho em folha

Chris Lopo

Q

uando eu era pequeno, o espírito do Natal ainda residia nas famílias. Todo final de ano juntávamos todos os parentes e alguns amigos para comemorar o natal. Meu tio se vestia de Papai Noel, eu ia dormir umas 10 horas e acordava meia-noite pra

{

receber os presentes que ele trazia do Pólo Norte. Lembro claramente da noite em que ganhei minha bicicleta modelo Cross. Era o sonho de toda criança na época. Mas os tempos mudam, e como! Então, deixando de lado essa

nostalgia toda, aqui vão algumas dicas de aparelhos eletrônicos que farão toda a diferença na sua vida e mostrarão o por quê daquele aparelho antiquado que você comprou ou ganhou ano passado não servir mais.

No campo da diversão, como não poderia deixar de falar, temos os famosos e polêmicos videogames. Nos anos 80, a hegemonia da Atari deu lugar à inesquecível disputa Nintendo versus Sega. Nos anos 90, vimos a Sony, gigante no mundo dos aparelhos de TV e de som, tomar esse mercado de assalto. Nesta primeira década dos anos 2000, estamos vendo a entrada da Microsoft nas salas e nos quartos das crianças, mesmo daquelas que já cresceram. Hoje a briga fica entre Nintendo, Sony e Microsoft. Vamos às diferenças:

16 Revista Dinâmica


( Tecno+ )

Jogos Nintendo Wii Este é um dos vídeogames mais comentados na mídia por introduzir um novo meio de se jogar videogame. Em 1995, a gigante japonesa tentou, sem sucesso, emplacar o Virtual Boy. Dispensando a TV, este videogame vinha com uns óculos gigantes que possuiam, no lugar de suas lentes, pequenos displays que reproduziam apenas as cores preto, azul e vermelho. Todos os jogos eram limitadíssimos, apesar do poder do processador de 32 bits, e isso fez com que a primeira tentativa de revolução da Nintendo fosse um total fracasso. Com o Nintendo Wii, finalmente a empresa conseguiu o que queria: revolucionou a maneira das pessoas jogarem videogames. Se você é uma pessoa daquelas fanáticas por gráficos alucinantes, explosões mirabolantes e inimigos sanguinários, é melhor pular para a próxima dica. Com um controle sensível ao movimento, jogos como Wii Tennis, que vêm junto com a compilação Wii Sports, não precisam de botões. Não é mais necessário apertar para cima, para baixo e B para fazer aquele saque radical. Apenas levantar e baixar o controle basta, simulando ligeiramente o jogo nas quadras de verdade.

O Wii fit não lembra nem um pouco os videogames tradicionais.

O público alvo do Nintendo Wii é aquele pessoal que não quer perder horas para passar de uma fase ultra-complexa. Lógico que existem jogos mais “tradicionais”, como o recém lançado Call of Duty: World at War, onde você passeia por diversas situações durante a Segunda Guerra Mundial e tem que explodir desde tanques de guerra a prédios inimigos. Se você quer diversão para a família inteira, essa é a escolha. Para as pessoas preocupadas com aqueles pesinhos a mais, existe o Wii Fit. Ele se parece com uma balança, funciona sem fio, e vem com jogos divertidíssimos, como puzzles onde você controla, sempre com movimentos do corpo inteiro, o movimento de uma plataforma que possui um buraco e as bolas devem passar sobre este buraco, um jogo de cabeçadas, em que você tem que dar cabeçadas na direção que a bola vem, e simuladores de Yoga e exercícios físicos. Qualquer pessoa se diverte com este videogame, inclusive aquela tia que nunca tocou num joystick a vida toda. Revista Dinâmica 17


Jogos ( Tecno+ )

Playstation 3

Na década de 90, a Sony apresentou um protótipo de CD-Rom para o Super Famicon (aqui ele foi lançado como Super Nintendo). Ela queria aumentar o poder do console da Nintendo, que já era o melhor videogame disponível no mercado, o primeiro a possuir 16 mil cores e processador de som de 16 bit, mesma qualidade dos CDs. Foram divulgadas algumas imagens de como seria o Super Famicon conectado ao CD-Rom da Sony, mas o lançamento nunca ocorreu. Então, a gigante dos eletrônicos resolveu lançar seu videogame por conta, surgindo então o Playstation 1. Com gráficos semelhantes ao Super Famicon, mas com uma mídia de armazenamento com maior capacidade, 650 MB por CD contra 32 MB do cartucho utilizado pelo console da Nintendo, a Sony ganhou uma legião de fãs e adoradores dos jogos mais compridos, permitindo também que as desenvolvedoras de jogos incluíssem filmes para apresentar a história. Foi uma felicidade para o pessoal que curtia jogos tipo RPG, onde se passavam dias e dias desvendando mistérios e elevando seus poderes. Agora eram apresentadas animações gráficas ao começar e terminar um jogo ou simplesmente passar de fase. O Playstation 3 veio com a missão 18 Revista Dinâmica

de ser o console mais poderoso desta geração. Se o Playstation 2 tinha poder para controlar mísseis, imagine o novo console, com um poder de processamento algumas milhares de vezes superior ao seu antecessor. Seus gráficos beiram o realismo, possui HD interno para armazenamento de jogos e uma resolução de 1080p. Seus jogos são armazenado em discos do tipo Blu-Ray, que tem espaço superior a dez discos de DVD. Se compararmos o preço do videogame com os tocadores de Blu-Ray disponíveis no mercado, o aparelho sai mais barato e ainda, de brinde, pode rodar jogos de última geração. Entre seus principais títulos está LittleBig Planet, jogo estilo plataforma onde até quatro jogadores podem controlar seus pequenos personagens em fases pra lá de engraçadas. O objetivo é simplesmente levar todos os personagens até a linha de chegada escalando bolas de futebol, andando de skate, usando jetpacks e ajudando seus amigos menos habilidosos a escalar uma parede. É um jogo onde a cooperação é fundamental para o sucesso da equipe.

LittleBig Planet é exclusividade do Playstation 3


( Tecno+ )

Xbox 360 Em 2001 a Microsoft, gigante do mundo dos computadores com seu sistema operacional Windows e sua suíte de aplicativos Office, resolveu entrar na batalha dos consoles com o Xbox. Seu primeiro aparelho concorria diretamente com o Playstation 2, com alguma vantagem. Com o Xbox 360 a briga continua, disputando o mercado de jogadores assíduos e sedentos por imagens sensacionais. Apesar de utilizar DVD como midia, não deixa a desejar. Esta semana foi lançada a nova versão da rede XBOX Live, onde usuários do console podem baixar vários jogos exclusivos para o videogame. Os saudosistas encontram na Live o caminho ideal para aqueles jogos que faziam a festa no início da década de 90, como Contra 3, Street Fighter II e Bionic Commando. Este último também recebeu uma cirurgia plástica radical, chamada de Bionic Commando Rearmed. As fases são as mesmas do jogo original, lançado há 20 anos, mas os cenários foram todos refeitos com elementos 3D e efeitos desta nova geração de consoles.

Lançado originalmente na década de 80, Bioni Commando Rearmed ganhou uma cirurgia plástica completa este ano.

Apesar do lançamento simultâneo de Gears of War para Xbox 360 e computadores com Windows, Gears of War 2 é exclusividade do console. Segundo Cliff Bleszinski, que trabalha na equipe de desenvolvimento do jogo, a continuação não sairá para PC devido ao alto índice de pirataria. Todos os consoles, incluindo o Nintendo Wii e o Playstation 3, saem de fábrica com uma proteção contra jogos piratas. Lógico que existem meios de burlar este bloqueio, mas esta ação acaba anulando a garantia do aparelho. Um videogame desbloqueado não pode ser trocado em caso de qualquer falha. Isso faz com que o número de jogos piratas nos países de primeiro mundo sejam muito inferiores aos países em desenvolvimento, como o Brasil. Lá fora o preço de um jogo pode custar até cinco vezes menos o preço do mesmo lançamento aqui. Devido à política de impostos abusivas praticadas pelo nosso governo, as empresas de jogos não investem no nosso mercado porque poucas pessoas possuem R$ 250 para pagar por um lançamento, sendo que o mesmo jogo pode sair por R$ 30 nos camelôs de qualquer cidade.

Gears of War II não será lançado para computador devido à pirataria.

Revista Dinâmica 19


Celular Este ano ganhei de aniversário um celular da Nokia, modelo XpressMusic 5220. Confesso que, apesar de ser fotógrafo e lidar diariamente com tecnologia, nunca vi vantagem em se ter um celular com câmera digital. Eu acabava pensando “se for pra tirar uma foto, que seja com qualidade máxima de uma câmera digital boa”, até que comecei a ver todos os recursos que este aparelho oferece, cujo preço fica em torno dos R$ 500,00. Em primeiro lugar vem a resolução da câmera, de 2 megapixels. O grande pulo do gato foi a parceria fechada entre a Nokia e o site de fotos Flickr. Agora é possível, através de pouquíssimos menus, publicar uma foto diretamente no site incluindo título e descrição. Esta opção não está restrita ao XpressMusic 5220, mas em todos os aparelhos novos da fabricante.

Em segundo lugar vem a diversão. Vem de fábrica os jogos Guitar Rock Tour, uma espécie de Tap Tap Revenge (destaque desta coluna na edição 7), mas sem os efeitos e com som midi, City Bloxx, onde você tem que empilhar prédios, Rally 3D, jogo de corrida com gráficos semelhantes aos do Playstation 1, e uma coleção de jogos de demonstração com os títulos Tom Clancy’s Splinter Cell, Ultimate Street Football e Naval Battle: Mission Commander. Como um bom viciado em games, fui atrás de mais jogos e obtive muito sucesso. Agora posso jogar em qualquer lugar Call of Duty: 20 Revista Dinâmica

( Tecno+ )

World at War, Far Cry 2, Castle of Magic e Prince of Persia Zero. No site da desenvolvedora de jogos para celular Gameloft você encontra muitos outros títulos a preços médios de U$ 5. Nada comparado com os preços praticados em terras tupiniquins. Outro grande aplicativo disponível para o aparelho é o Nokia Mapas. Com o auxílio de um computador conectado à internet você consegue baixar o mapa do Brasil inteiro para consultar a hora que quiser, incluindo com localização via GPS. Ele traça todo o caminho até o seu destino rapidamente. Apesar do mapa ter quase 100MB de tamanho, baixados de grátis através de um software que a Nokia disponibiliza em seu site, ainda falta muito para o programa ser perfeito. Fui traçar a rota Rio de Janeiro/RJ – Porto Alegre/RS e, pra minha surpresa, só existem Porto Alegre do Tocantins e Porto Alegre do Norte, que fica em Mato Grosso. Estou anciosamente esperando uma atualização do mapa para eu saber como voltar para a minha terra natal de carro. Para os serviços online você conta com o navegador Opera Mini, Intellisync, uma rede que promete armazenar qualquer tipo de informação, Sensor, para troca de arquivos com outros celures que também possuam a tecnologia Bluetooth, Relógio Mundial e Widsets, um gerenciador de widgets ou, pra quem não sabe o que significa, pequenos aplicativos que prometem facilitar sua vida, como previsão do tempo, horóscopo, notícias, leitor de e-mail e até a enciclopédia livre Wikipedia. Falando assim dá até vontade de deixar o iPhone de lado, não dá?


( Tecno+ )

DVD Você sabe o motivo de a imagem do seu DVD não ficar totalmente nítida na sua televisão nova? Mesmo com aqueles cabos HDMI e Video Componente, a imagem continua apresentando pequenos chuviscos ou fantasmas. Isso acontece porque a resolução de um filme em DVD é quase metade da resolução da sua televisão. Dependendo do filme eu prefiro ver em TV numa televisão de tubo do que numa LCD pelo simples fato de que a baixa resolução das televisões antigas escondem as imperfeições das compactações dos filmes. Reza a lenda que Ratatouille (Disney/Pixar, 2007) foi o primeiro filme a ter qualidade total nos novos aparelhos de vídeo apresentando, inclusive, as cenas originais renderizadas nos computadores da Disney, sem qualquer tipo de compactação. Agora que a guerra entre Blu-Ray e HD-DVD já está quase esquecida, podemos investir tranquilamente no disquinho azul sem o medo de que não existam mais lançamentos pro ano seguinte. Ao ver um filme em HD numa televisão LCD o nível de detalhes é impressionante. Aquela cantora que você achava perfeita naquele show tem um bigodinho? Pois é... Tem! E você nunca percebeu porque a resolução do seu aparelho de vídeo não era suficiente. Você foi enganado este tempo todo! Com a chegada da televisão digital até as produtoras de novelas mudaram seu modo de trabalho e estão deixando de lado pequenos truques que enganavam qualquer pessoa, mesmo as com maior poder de percepção. Para entender um pouco mais: os aparelhos de DVD mais populares

possuem a resolução máxima de 480p, com 480 linhas horizontais. Como os novos aparelhos de TV possuem a resolução de 1080p, ou seja, 1080 linhas, a baixa de qualidade se dá de maneira drástica. Pegue, por exemplo, o filme A Espera de um Milagre (The Green Mile, 1999, EUA), drama com Tom Hanks e Michael Clarke-Duncan, que mostra a história de uma pessoa com poderes especiais que é julgada erroneamente pela morte de duas garotinhas. Nas cenas com pouca luz é possível perceber claramente a quantidade de pontos que variam entre o preto e o cinza, lembrando vagamente uma televisão fora do ar. Isso sedá porque o aparelho de televisão precisa ficar “inventando” linhas para preencher e melhorar a qualidade do vídeo. Em um filme armazenado em discos de Blu-Ray isso não acontece, pois ele entrega o sinal já em 1080p. E a gente ainda pensa que não vai precisar comprar nada no próximo natal. Ô ilusão!

Vídeo

Revista Dinâmica 21


( EMBATES E DEBATES )

Um cenário natalino

Tudo está perfeito, em seu devido lugar, exceto por um pequeno detalhe

Liz Motta

A

festa natalina se aproxima e com ela toda a euforia que antecede os preparativos para a noite em família. Muitos planejam a noite de Natal com vários meses de antecedência, fazem e refazem a lista de presentes, procuram as liquidações de fim de estação para comprar as lembrancinhas por preços mais em conta. Geralmente em novembro, a árvore e os enfeites saem da caixa que os guardou durante todo o ano e após uma meticulosa avaliação são descartados ou aproveitados para a decoração da casa. Em novembro planeja-se o cardápio que será servido à mesa: invariavelmente um belo peru assado é o carro chefe da ceia à meia-noite, acompanhado dos mais diversos

22 Revista Dinâmica

e deliciosos acepipes. Ainda neste mês prepara-se o sorteio para o amigo secreto, dinâmica de confraternização comumente utilizada nas festas de fim ano; o amigo secreto é realizado antes da ceia de Natal, num clima amistoso e fraterno entre todos os presentes. No Natal existe uma preocupação premente em várias famílias, o desejo de reunir e apaziguar aqueles membros que por algum motivo estão distantes ou com a relação estremecida. Aproveita-se o espírito natalino para fomentar a paz entre todos, sucumbir às diferenças e perdoar todas as divergências. O objetivo desta festa é exatamente a confraternização através do perdão e da solidariedade. É como se tudo pudesse ser resolvido num passe de mágica, apenas com a intervenção Divina ao som de “Gingo Bell, Gingo Bell”.

O maior combustível do Natal são as crianças. Todas elas. Natal é sinônimo de criança, sem elas qual graça teria uma árvore sem bolas e enfeites, sem os tão sonhados presentes preenchendo sua base por completo? Mais ainda, as crianças representam a alegria e o Menino Jesus – ícone desta festa. Jesus na manjedoura rodeado por seus pais, os três Reis Magos e vários animais iluminados por uma enorme estrela que anuncia Sua chegada; assim está representada a Sagrada Família em vários presépios mundo afora. A imagem de Jesus Menino, tão puro e cheio de amor representa, no centro do presépio, a união e o amor incondicional entre todos os integrantes da família. Na tão planejada noite, tudo está de acordo com o esperado: a mesa lindamente posta com um


( Embates e Debates )

apetitoso peru no centro, taças de cristal, talheres reluzentes, uma bela árvore com luzinhas piscando preenche a metade da sala e aos seus pés vários embrulhos de cores e tamanhos variados enchem os olhos de quem chega para os festejos. As melhores roupas são vestidas e a melhor toalha de mesa é retirada do baú para dar um ar de notoriedade ao evento. Tudo está perfeito, em seu devido lugar, exceto por um pequeno detalhe: nessa festa, em alguma família, mamãe não estará presente. Nem nessa, nem nas próximas.

Mamãe foi vítima de femicídio. Mamãe tinha 30 anos e uma longa vida pela frente se não fosse o ciúme corrosivo do se companheiro. Um ciúme tão cruel que não respeito seus direitos humanos e, após alguns anos de tortura física e mental, foi assassinada em nome da legítima defesa da honra e das convenções machistas.

natalino são famílias desfalcadas, crianças órfãs, a dor, a saudade, tudo misturado ao cheiro da rabanada e da tristeza por perdermos mais uma mulher para a violência de Gênero. Feliz Natal!

Em algum lugar do mundo, este cenário se repetirá. Somente no Brasil, em 2008, mais de trezentas mulheres foram assassinadas por seus companheiros ou ex-companheiros. O saldo deste cenário

“Tudo está perfeito, em seu devido lugar, exceto por um pequeno detalhe: nessa festa, em alguma família, mamãe não estará presente.”

Revista Dinâmica 23


( FAZENDO DIREITO )

O Direito de Natal Pequenas sugestões para evitar grandes complicações natalinas

Kiko Mourão

É

chegada a época do Natal. Época de festas, de alegria, de presentes, de gargalhadas e de fartura. Mas, uma pergunta: É assim para todos? As desigualdades sociais se tornam ainda mais gritantes nesta época do ano. Enquanto algumas crianças pedem ao papai Noel um notebook, um celular de última geração, uma moto elétrica, outras pedem um prato de comida, um emprego para os pais, enfim. E mais, é nessa época que ocorre o maior número de reclamações contra lojas, fábricas, produtos e serviços. Ainda é importante ressaltar que os acidentes e as infrações de trânsito aumentam devido ao consume em maior escala das bebidas alcoólicas. Trataremos de cada um desses pontos separadamente. Primeiramente as desigualdades de Natal. Ora, se a lei prevê tratamento igual para todos, por que o papai Noel é tão diferente assim? Talvez por que o Estado não saiba investir corretamente os recursos para promover a diminuição da desigualdade social. Relacionar o Direito e o 24 Revista Dinâmica

Natal consiste em deixar um apelo para que o papai Noel mais abastado contribua com o papai Noel menos favorecido. Todos os anos as agências dos correios recebem milhares de cartas de crianças carentes com pedidos ao papai Noel. Qualquer um que tiver interesse pode comparecer a uma agência dos correios e pegar uma dessas cartas para dar um Natal mais feliz a essas crianças. Outro ponto importante que merece destaque na relação do Natal com o Direito são as relações comerciais. Não se pode deixar confundir pela correria de fim de ano. Sempre que possível, é bom fazer as compras com antecedência, pois alguns produtos podem conter vícios que, mesmo que possam ser reparados posteriormente, causarão profundo constrangimento. Até mesmo por que, nos dias que contornam o 25 de Dezembro, é praticamente impossível trocar qualquer tipo de mercadoria. Também é importante ficar atento ao aumento da violência. Nem todos os que estão na rua pretendem conseguir dinheiro da mesma forma que a maioria. Com o alvoroço

das compras, do décimo terceiro salário e da oportunidade de quitar débitos os bandidos aumentam suas atividades. Quanto à mistura do álcool e da direção é importante frisar que se em outras épocas do ano ela já é perigosa, se torna ainda pior no Natal. Muitas pessoas viajam nessa época para passar o Natal com as famílias, outras tantas passam o Natal na casa de amigos. E não se pode negar que é impossível deixar de beber pelo menos um vinho durante as comemorações. Até aí não há problemas. Mas, e na hora de voltar para casa? Um acidente é algo terrível em qualquer época do ano, mas em pleno Natal é mais triste ainda. É importante pensar


( Fazendo Direito )

que acontecimentos negativos podem causar marcas que serão lembradas cada vez que se comemorar o Natal. E quem viaja com a família cumprindo a lei, sem ingerir bebidas alcoólicas? Essas pessoas podem se envolver em acidentes provocados por motoristas alcoolizados e, por mais injusto que seja, podem ter suas vidas ceifadas. E se a parte humana não chamou a atenção de alguns motoristas é

bom lembrar que essa prática pode causar a perda da carteira nacional de habilitação, multa pesada e até prisão. Aos que tiverem seus direitos feridos em qualquer aspecto nessa época do ano, fica a sugestão de agir o mais rápido possível. Há uma célebre frase no Direito que diz: “O direito não socorre aos que dormem”. Então, se o seu papai

Noel te causou qualquer tipo de dano vá em busca de seus direitos. E se todos são iguais de direitos perante a lei, são também iguais de deveres, e isso inclui o papai Noel. Todas as sugestões ficam reforçadas para os que forem aproveitar as festas de ano novo também. Um feliz Natal a todos. Boas festas e um próspero 2009!

“Aos que tiverem seus direitos feridos em qualquer aspecto nessa época do ano, fica a sugestão de agir o mais rápido possível.”

Revista Dinâmica 25


( IMAGEM E AÇÃO )

Feliz igual!

A programação de Natal muda a embalagem, mas não muda o “presente” Liana Dantas

O

s especiais de fim de ano são como a noite de Natal para as crianças na hora de abrir os presentes: é um par de meias daqui, um brinquedo bacaninha de lá, um brinquedo mais ou menos ali e, claro, três cuecas de cores diferentes para o menino e três calcinhas com estampa de coração para a menina. O bom dos especiais é que acabou o ano e não vemos as mesmas caras de sempre, ou seja, metade da programação chata se foi. O ruim é que inventam novos programas chatos com figurinos cafonas e lições piegas de vida.

26 Revista Dinâmica

“Já é Natal na Leader Magazine”, aponta na tela o que não tem mais jeito: é cenário com muito vermelho, com muita neve – “a cara do Brasil”, teu avô passando mal da pressão alta, teu pai tentando abrir a porta de casa – porque ele saiu de manhã para comprar a batata para salada de maionese, encontrou os colegas e só chegou as 18h. Aquela apresentadora que passou o ano todo fora do ar, que deu tudo errado na vida dela e, quando estava por um fio marcando uma entrevista no Superpop para esclarecer sua tragédia, é escalada para te desejar um ótimo Natal e que todos seus sonhos se realizem. Se os delas não se realizaram, é de se imaginar o tamanho da mágoa que ela deseja para os sonhos dos

espectadores! O que acontece em nossas casas sempre reflete na televisão. “A falsidade Natalina” é um vírus perigosíssimo e somos estimulados a sermos infectados. Em todas as emissoras tem um Aedes Egypit da falsidade zoniando a cabeça do espectador com idéias de “perdão a todo custo”, bondade sem limites, tudo porque Jesus nasceu. Repassando uma responsabilidade enorme para JC. E o que acontece? O espectador, que está mais de olho nas ofertas do Guanabara versus Mundial (supermercados do Rio de Janeiro), para incrementar a farofa deste ano com ingredientes diversos e competir com a vizinha da frente, acaba aderindo a


( Imagem e Ação )

idéia por osmose e mecanicamente liga para a prima que mora em Nilópolis, que está brigada desde o último barraco num evento de família recente, convidando-a para o jantar de Natal. Não por bondade, nem perdão, mas para esfregar na cara da prima sua ceia divina e completa! A pauta anunciada sobre receitas é a hora dedicada às “celebridades brasileiras” ensinarem a fazer rabanada! É rabanada de pão, sem pão, com leite condensado, sem leite condensado, com Cola-cola, com Guaraná, Mineirinho, Redbull, Gatorade, com banana, com jaca, com alicate, com chave de fenda, com papel pardo, papel celofane, com carne seca, com camarão, com mouse, cabo usb e por que não com Iphone e Blackberry?!? São tantas versões da rabanada, que não servem para nada. Que falta faz a Ofélia! Era sempre a mesma coisa com muita classe, simpatia e com direito a errar. Não dá para espetacularizar rabanadas. Ofélia vive!

sarem mal e assim, no dia seguinte, soltarem a matéria de como se recuperar da noite de Natal em todos os setores. Já imagino o Celso Russomano processando o dono do mercado por vender panetone com contrabando da Colômbia, Dráuzio Varela indicando quantos quilômetros percorrer para que a ceia evapore de sua alma e Dr. Hollywood operando clientes que comeram o panetone com contrabando e não correram os quilômetros sugeridos, não eliminando o panetone “temperado”.

E dá-lhe filmes da história de Jesus Cristo e famílias, casais e afins que se reconciliam no dia 25, a cantora Simome com a canção habitué “So, this is Christmas” em português e Roberto Carlos com mullet de aplique da Fizpan no seu especial musical. Nesse ritmo das luzezinhas pisca-pisca com defeito e com cara da Tia Wanda que te traz todo o ano sempre, num embrulho diferente, um mesmo par de meia, a programação Natalina se aproxima para nos distrair da fome, enquanto o pernil não vem.

Em seguida vem os médicos ensinando como se deve comer a rabanada, qual é a quantidade, que não devem ser passadas no açúcar refinado, que não devem fritar, que deve assar numa temperatura do sol nascente dos Andes e a o sol expoente da Nova Zelândia, que não devem ser comidas antes de beber cinco mil litros de xenical sabor broto de alfafa, colocar a mordaça de folha-de-flandres similar a da escrava Anastácia e de dar três pulinhos em frente à geladeira, imaginando estar vazia! Acredito que sejam essas pautas que fazem as pessoas comerem ainda mais e pasRevista Dinâmica 27


( MP2 )

A síndrome do Natal Baseando-se no tradicionalismo de fim-de-ano, artistas criam discos natalinos nem sempre criativos

O

Fernanda Machado e Liana Dantas

Natal é uma época comemorada tradicionalmente em quase todo o mundo, o que não é novidade. Essa tradição acabou por ser inserida também nos lançamentos de discos no final do ano. Sim, é comum a vendagem de discos natalinos, gravados por grandes artistas. Isso acontece basicamente desde que o LP virou um item indispensável para amantes de música. Com Elvis Presley, Beatles eFrank Sinatra lançando discos desta natureza como novidade no mercado fonográfico, portas se abriram para este tipo de trabalho. Hoje em dia, tanto artistas alternativos, como Surfjan Stevens e The Knife e artistas pop, como Mariah Carey e

28 Revista Dinâmica

Christina Aguilera, já lançaram discos inteiros ou músicas com temas natalinos. E, claro, toda diva que se preze, deve regravar pelo menos uma música tradicional de Natal em sua carreira. Está praticamente no contrato! No entanto, a tradição da qual o Natal se acomete pode significar uma comemoração sem novidades, que busca repetir as mesmas etapas de preparação todos os anos. Infelizmente, essa característica também pode ser vista nos discos comemorativos desta época do ano. Até artistas brasileiros entraram nessa onda. A contribuição mais notória, mas não necessariamente louvável, é a de Simone, que gravou músicas tradicionais de Natal, como Jingle Bells e Noite Feliz,

e canções que vão desde John Lennon a Roberto Carlos falando sobre Jesus. Se não bastasse o fato de o Natal ter virado uma data para comemoração do consumismo, perdendo sua essência, artistas diversos ainda criam versões cada vez piores de canções de Natal, num intuito de ver sua conta no banco crescer. Mas hoje em dia, quem ainda compra discos natalinos? Se você faz parte desse grupo, conheça um pouco mais sobre os discos natalinos dos artistas citados nessa matéria, com lançamentos dos anos 1990 até os anos 2000, com um bônus. No entanto, se você não faz parte desse grupo, leia assim mesmo e divirta-se!


( MP2 )

Songs for Christmas Artista: Surfjan Stevens Lançado em: 2006 Gravadora: Asthmatic Kitty Estilo: Alternativo Overdose natalina de bom gosto! “Songs for Christmas” é um box set lançado em 2006, que contém 5 discos recheados de músicas tradicionais de Natal. Na verdade, este é um projeto antigo na vida de Surfjan Stevens, que costumava gravar discos de Natal para seus amigos e familiares. Todas essas gravações acabaram neste box set, dando aos fãs e apreciadores de música a oportunidade de ouvir canções natalinas com uma roupagem única, no estilo Surfjan Stevens de ser.

Christmas Reindeer Artista: The Knife Lançado em: 2006 Gravadora: Rabid Records Estilo: Alternativo The Knife fez uma música de Natal? Não se espante. O “techno gelado” do duo transformou a música “Reindeer”, presente em seu primeiro disco, The Knife, de 2001, em uma canção especialmente natalina (e esquisita), o que significa implantar barulhos de sinos, por exemplo. A música, lançada em 2006, está disponível na Internet para download. Quer dar uma renovada em sua trilha sonora natalina? Coloque “Christmas Reindeer” para tocar durante as comemorações.

Merry Christmas Artista: Mariah Carey Lançado em: 1994 Gravadora: Sony Estilo: Pop Mariah Carey vestida de “mamãe-noel moderna”, em um ambiente coberto de neve? Só pode ser a capa do seu disco natalino! “Merry Christmas”, de 1994, segue a linha tradicional dos discos natalinos, mas consegue surpreender (mesmo com a capaclichê). Cantando músicas sobre Jesus, espírito de Natal e até romance de fim-de-ano em uma roupagem Motown, Mariah consegue, inesperadamente, evitar que seu alcance vocal se intrometa em algumas passagens do disco. Revista Dinâmica 29


My Kind of Christmas Artista: Christina Aguilera Lançado em: 2000 Gravadora: Sony Estilo: Pop Em pouco tempo de carreira, Christina Aguilera montou-se no clichê de diva: seus discos são geralmente dançantes, com algumas baladas. E, é claro, não podemos esquecer de seu disco de Natal, “My kind of Christmas”. Seguindo a fórmula “canções tradicionais com roupagem pop”, Christina não consegue criar nada além de um disco tipicamente natalino. Suas peripécias vocais podem ser conferidas em canções como “Have Yourself a Merry Little Christmas”. É apenas mais do mesmo.

25 de Dezembro Artista: Simone Lançado em: 1995 Gravadora: PolyGram Estilo: MPB “25 de dezembro” quebrou um tabu: cantores brasileiros não tinham o costume de lançar discos com músicas de Natal no fimde-ano. Vendendo mais de um milhão de cópias, o disco deu a Simone o título de “estrela da MPB” e fez com que o disco virasse arroz de festa nas comemorações de Natal. Com músicas de artistas famosos, como John Lennon (na sofrível versão tupiniquim de “Happy Xmas – War is Over”) e Roberto Carlos (Pensamentos, Jesus Cristo) entre músicas tradicionais, como Jingle Bells, o disco natalino de Simone pode ter sido um sucesso de público e até de crítica, mas fica difícil escutar um disco que mostra o mesmo tradicionalismo visto em comemorações natalinas.

Faixa-bônus: A Christmas Duel Artistas: The Hives e Cyndi Lauper Lançado em: 2008 Distribuição: The Orchard Estilo: Pop/Rock A banda The Hives e a cantor Cyndi Lauper gravaram juntos uma música para este Natal. “A Christmas Duel”, disponível para download gratuito desde o dia 28 de novembro, começou a ser vendida hoje no formato single para os ingleses. Essa música com certeza fará parte do Natal de muitos fãs este ano. 30 Revista Dinâmica

( MP2 )


( SAÚDE E BELEZA )

Que nota você dá para sua auto-estima?

O que você tem feito por você? Seus hábitos podem ser seu fastspa! Priscila Leal

O

fim do ano chegou e as festas se aproximam. Natal, Ano Novo, você pisca e Boom! Já é Carnaval! O ano de 2008 foi corrido e sabemos que 2009 não será diferente. Os Físicos já questionam se o dia ainda possui realmente 24 horas. Nós e a natureza estaríamos literalmente mais velozes e a medida de tempo teria diminuído? Indagações à parte, o fato é que tendemos a acelerar mais e mais. Se de repente vemos um tempinho vago na agenda, logo pensamos: “O que posso encaixar nesse horá-

rio? Aquele curso que eu sempre quis fazer? Ou agora finalmente terei tempo para organizar a casa? Talvez seja melhor me dedicar mais aos meus filhos?”. Dificilmente vem à cabeça: “Agora poderei fazer nada”. Ok, sei que fazer nada por muito tempo também é cansativo. O ser humano é dinâmico por natureza e é maravilhoso que sejamos tão produtivos. No entanto, eu lhe pergunto: O que você tem feito por você? Não pelos seus filhos, pelo trabalho, pela casa, pelo mundo, nem mesmo pelo seu intelecto. O que você tem feito pelo seu corpo e pelo seu bem estar? E por favor, não responda que o seu bem estar é quando

todos a sua volta estão bem. Não vamos escapar pela tangente, combinado? Afinal, quem pode merecer mais o seu valioso tempo senão... Você? Minha proposta esse mês é trazer pequenas sugestões que possam fazer parte do seu dia-a-dia sem que você gaste rios de dinheiro e tão pouco perca um dia inteiro no salão de beleza. Verdadeiramente, o que proponho são mudanças de pensamento e, portanto, de hábitos. Se tivermos incorporado o hábito do cuidar-se como escovar os dentes ou verificar os emails, não sobrará espaço para a sensação de que estamos nos deixando para depois. Revista Dinâmica 31


Alimentação

( Saúde e Beleza )

1. Procure não deixar intervalos maiores que três horas sem se alimentar. Dessa maneira, você evita comer a primeira coisa que aparecer na sua frente para matar a fome e ajuda a acelerar seu metabolismo. Não concentre os alimentos em poucas refeições. Eles devem ser distribuídos nas cinco ou seis refeições diárias: café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e/ou ceia. 2. Faça a última refeição pelo menos duas horas antes de dormir. Assim quando for se deitar o principal processo digestivo já terá acontecido e seu sono terá mais qualidade. 3. Coma devagar, mastigando bem. Isso facilita a digestão e permite que você tenha tempo para distinguir se já está saciada e satisfeita. 4. Tome líquido 30 minutos antes ou depois das refeições. A bebida dilata as paredes do estômago, iludindo sua fome e causando a aparência de abdome com “estômago alto”. 5. Beba no mínimo dois litros de água por dia. Para quem não gosta de água, vale abusar de sucos ou saborizar a água com rodelas de frutas, como limão, maçã, laranja e etc.

Pele 1. Não utilize sabonete mais de duas vezes ao dia, pois em excesso, acaba por ressecar e retirar a proteção natural da pele. Isso vale tanto para o corpo como para o rosto. 2. Use sabonete neutro ou apropriado para a higiene genital. Evite os sabonetes comuns e os que contêm cremes hidratantes, eles não combinam com a extrema sensibilidade e o favorecimento natural de bactérias da região. 3. O melhor momento para o hidrante é logo após o banho, com a pele ainda úmida. E não se esqueça dos pés. 4. Jamais durma sem retirar a maquiagem. Ela só favorecerá o entupimento dos poros gerando acne e cravos. 32 Revista Dinâmica


( Saúde e Beleza )

Cabelo

1. Quem quer ter um cabelo bonito tem que abrir mão da água quente, não há outra saída. O calor abre as cutículas do cabelo, o que causa o aspecto de fios eletrificados. Uma boa opção é lavar o cabelo com água morna para ajudar a ação do xampu e do condicionador e enxaguar o condicionador com água fria para fechar a cutícula do cabelo. 2. O condicionador deve ficar longe da raiz para não aumentar a oleosidade da região, o que pode ocasionar caspa e descamação. 3. Para que o condicionador penetre mais, quando entrar no banho, lave o cabelo antes de se ensaboar. Assim ele fica agindo enquanto você cuida da pele. 4. Condicionador não é leave-in (creme sem enxágüe)! Por isso, retire-o por completo para que o cabelo não fique pesado. O truque: tire a cabeça debaixo do chuveiro e passe a mão nos fios, se a mão deslizar facilmente, enxágüe mais. O ponto é quando você consegue sentir a textura dos fios. 5. Se você faz escova, escolha produtos termoativos. Eles hidratam a partir da ação do calor, o que facilita o deslizar da escova. 6. Cuidado com o uso dos produtos sem enxágüe. Excesso de produto é igual a cabelo pesado e grudento. 7. Para potencializar a hidratação em casa, na hora de passar o creme, separe os cabelos em mechas e massageie cada mecha com movimentos de cima para baixo.

Revista Dinâmica 33


Bem Estar

( Saúde e Beleza )

1. Use batom, assessórios (brincos, anéis e etc.) mesmo em casa. A sua roupa de ficar em casa seria rasgada ou furada se o namorado novo estivesse presente? Não se arrume para os outros em primeiro lugar. Faça-o principalmente para você. Isso será importante para que você se sinta sempre cuidada e lembrada. Sua auto-estima agradece! 2. Use um creme hidratante ou óleo de banho todos os dias por todos os cantinhos do corpo após o banho. Isso faz com que você toque e conheça cada vez mais o seu corpo. Seu pós-banho pode ser uma oportunidade de se apreciar todos os dias! 3. Escolha as roupas que vai usar, combine cores, tecidos e modelos. Não use a primeira que estiver em sua frente. Não serve qualquer coisa porque você não é qualquer coisa! Você sempre possui escolhas! 4. Não se culpe quando tiver algum comportamento que não deseja. Perdoe-se e procure aprender com a experiência para não repeti-la. Responsabilizar-se e culpar-se são atitudes bem diferentes. Quando você toma a responsabilidade para si, assume, portanto, se torna consciente de si. E a consciência é o primeiro passo para a mudança. Culpar-se, xingar-se só a mantém parada diante do problema e ainda abaixa sua auto-estima. 5. Você pode fazer uma lista das coisas que gosta em você (suas qualidades) e colocar em algum lugar visível. Sempre que se sentir mal, com a auto-estima abalada, leia a listinha e retome a autoconfiança. O mesmo vale para fotos; espalhar porta-retratos com fotos suas nas quais você se ache bonita pode ser um elevador de astral, além de deixar a casa mais bonita e incrementada. 6. O contrário nem pensar! Está fora de cogitação colocar uma foto feia e com quilinhos a mais na porta da geladeira para impedi-la de comer. Tenha suas qualidades e seu amor-próprio como estímulo e não seus defeitos, eles só vão desencorajar você. 7. Não confie cegamente na opinião alheia a seu respeito. Tenha autocrítica e verifique se é verdade e o que você concorda. É freqüente pessoas com autoconfiança rebaixada pensarem o pior de si, sem ser verdade. Aprenda a ouvir e a sorrir para os elogios! Analise o elogio e veja o que há de verdadeiro nele. As outras pessoas têm mais facilidade em perceber um aspecto negativo que não notamos em nós; da mesma forma, podem ter a mesma facilidade para elucidar algo maravilhoso e desconhecido.

34 Revista Dinâmica


( Saúde e Beleza )

Mudar hábitos requer policiamento e prática! Você cuida de si mesma um pouquinho, porém todos os dias. Assim como os exercícios físicos, de nada adianta um dia de

completa dedicação se não houver continuidade. Como dedicação absoluta a si mesma infelizmente é apenas para madames, caminhemos a passos curtos, porém

incansáveis. O importante é não parar nunca! Que sejam toques especiais para as noites de 24 e 31 de dezembro e também para os outros 363 dias do ano.

“Longa vida às mulheres lindas de morrer, mas mulherão é quem mata um leão por dia.” - Martha Medeiros

Revista Dinâmica 35


( COM ÁGUA NA BOCA )

Natal delicioso

Conheça receitas fáceis de fazer para suas ceias de Natal e Ano-Novo ficarem maravilhosas

A

Fernanda Machado e Tereza Machado

s festas de final de ano (Natal e Ano Novo) são o ponto alto da última edição da Revista Dinâmica de 2008. A coluna “Com água na Boca” não poderia deixar de dar a sua contribuição nesta época de festas, onde cada pessoa renova suas esperanças em um mundo melhor. Na passagem do Ano Novo, juntamente com todas as simpatias para

36 Revista Dinâmica

chamar a sorte (como vestir branco, usar algo amarelo para chamar o “ouro”, usar uma peça nova junto de outra antiga), daremos receitas que também estão no folclore popular. Tudo isso vem sendo feito pelas pessoas na expectativa de atrair um bom astral para o ano que se inicia. Na farta mesa de Natal, há os pratos tradicionais, mas alguns têm sua presença marcada à mesa pelo simples fato de “garantir” a fartura do Ano Novo. A seguir, algumas dicas de receitas para realçar sua mesa natalina ou,

quem sabe, ser responsável pela boa sorte do Ano Novo. As colunistas enviam votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo, com um conselho básico: evite excessos, tanto na comida como na bebida e dando uma força à campanha do Governo: “Se beber, não dirija. Se dirigir, não beba!” Com estes cuidados, temos a certeza que suas festas de final de ano serão perfeitas!


( Com Água na Boca )

Arroz com lentilha (garantem que dá sorte na passagem do Ano-Novo) Ingredientes

Modo de preparo

1 xícara de chá de arroz 1 dente de alho picado 1/2 xícara de chá de lentilhas 1/2 cebola média picada 2 colheres de sopa de óleo 2 cebolas em rodelas 3 colheres de sopa de azeite 3 xícaras de chá de água quente 4 colheres de sopa de cebolinhas cortadas Sal a gosto

Lave o arroz e a lentilha, reservando os dois para mais tarde. Em uma panela, coloque a cebola, o óleo e o alho, refogando-os e juntando o arroz e a lentilha logo depois. Adicione a água e o sal e deixe cozinhar até secar a água. Em uma frigideira, coloque o azeite e a cebola em rodelas, para fritar. Coloque o arroz cozido em um refratário. Coloque a cebola frita em rodelas e a cebolinha por cima, para enfeitar. Sirva logo em seguida.

Bacalhau delicioso (rende muito, experimente!) Ingredientes

Modo de preparo

1/2 kg de bacalhau (colocar de molho e desfiar) 1 kg + 2 batatas, para o purê 1 colher de sopa de margarina culinária 2 colheres de sopa de farinha de trigo 1 vidro pequeno de leite de côco 2 ovos 1 copo de requeijão Queijão parmesão Molho (quantidades a gosto)

Foto do recheio

Forre um pirex com o purê de batata. Coloque o bacalhau refogado no molho e acrescente o requeijão, cobrindo-o por completo. Bata os ovos inteiros e coloque por cima do requeijão. Com um garfo, fure as camadas para que os ovos penetrem. Polvilhe queijo parmesão generosamente por cima. Leve ao forno até dourar.

Azeite, alho, pimentão, cebola, cheiro verde e azeitona Revista Dinâmica 37


Bonsucesso Comunicação: “nós inventamos o pingo no “S”” Ou você acha que só o “i” e o “j” tinham pingo? Então você acha que já sabe tudo? Lógico que não! E nós também! Mas fazemos de tudo para ir além. Tudo com liberdade e criatividade. Então, basicamente temos: 1.

2.

3. O pingo no “S”

Nossa missão Levar sua marca a um novo patamar, através de estudos e utilização de diferentes meios, como a criação de web sites, desenvolvimento de identidade visual, material gráfico e audiovisual, facilitando o processo de comunicação entre empresa e cliente. Além disso, fazer parcerias com empresas que não tenham um setor de criação formado, mas que queiram atrair clientes em potencial e produzir trabalhos na área de design e publicidade. Nossos serviços Trabalhamos com mídia impressa, criação de peças gráficas para revistas, outdoors, comunicação visual e diagramação. Fora do papel trabalhamos com criação de sites dinâmicos, hotsites e conteúdo multimídia. E, finalmente, criamos conteúdo audiovisual, que vai desde peças publicitárias para TV até produção de documentários e vídeos musicais.

...E você achando que a vida era difícil.

+55 21 2425-2843 | contato@bscomunicacao.com.br | www.bscomunicacao.com.br

Revista Dinâmica | Edição 08 (Especial de Natal)  

Revista brasileira de variedades.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you