Page 1

1

Maio 2016 Faxina sustentável / Por que pintar é importante para as crianças? / Especial EcoLápis / Conto de fadas para todos /

FABER CASTELL CORES sustentabilidade, cultura & educação


2


Editorial

Direção: Danielle Albuquerque Thais Bugelli

Quer saber mais sobre nossa história? Passada de pai para filho, a Faber-Castell nasceu na pequena cidade de Stein, na Alemanha, com um pequeno marceneiro chamado Kasper Faber que produzia lápis por conta própria. Logo, a produção se tornou maior e, em 1837, já na quarta geração da família Faber, a fábrica possuia uma grande produção de lápis com uma separação de gênero entre os trabahadores: os homens cuidavam do processamento da argila, enquanto as mulheres poliam e embalavam os lápis para transporte. A A.W. Faber cresceu, e se tornou a primeira empresa de origem alemã na fabricação de lápis a abrir uma filia em Nova Iorque, em 1849. Anos depois, já possuiam filiais em Londres e Paris. Em 1861, comemorando seu centésimo aniversário, a empresa A.W. Faber tinha 250 funcionários, um terreno de extração de grafite na Sibéria, e uma fábrica de réguas de cálculo e lousas escolares, e em 1872 abriu sua fábrica de borrachas. Após sua morte, e a morte de seu filho e netos, a viúva Ottilie e suas três netas cuidaram da empresa com a ajuda de alguns funcionários. A neta mais velha de Lothar e Ottilie casou em 1898 com o Conde Alexander zu Castell-Rüdenhausen que logo faria parte da diretoria da empresa. Com a morte da viúva Ottilie,

o Conde assumiu o controle da empresa dando um ar de modernidade ao criar a linha de lápis verde “Castell 9000” com logotipo de dois cavaleiros duelando. Com a união dos dois, a empresa que passou a ser chamda de A.W. Faber-Castell. Em 1903, o casal Ottilie e Alexander aprovaram a construção de uma segunda casa que refletissem o nome da família “Castell”, o castelo da família foi construído com enormes cômodos com ascendência feudal. Em 1908, um novo produto de sucesso foi lançado: O Polychromos, com 60 cores foi considerado por muitos artistas um produto de alta qualidade, e permanece na liderança até hoje. O cuidado com o meio ambiente veio ganhando espaço, e projetos sustentáveis começaram a fazer parte do pensamento corporativo da empresa. Com uma floresta para produção dos lápis na região de Prata em Minas Gerais, e ações que envolvam a participação da sociedade, a Faber-Castell é a empresa que mais usa de recursos naturais na produção de seus produtos. Seja bem-vindo ao nosso mundo, Ass. Faber-Castell

3


pág. 6 Limpeza no armário Faxina sustentável

pág. 8 Projetos Por que pintar é importante na infância? pág. 10 Vitrine Produtos da Faber-Castell

6

8 4

10


รndice

pรกg. 14 Especial Ecolรกpis A linha mais famosa da Faber-Castell pรกg 18. Projetos II Conto de fadas para todos

14

18 5


6


Limpeza no armário

Faxina sustentável Escolas e empresas participam da campanha em prol da reciclagem e da conscienização da sustentabilidade

Todo ano, lápis e borrachas usados pela metade são jogados fora ou deixados de lado para desuso, afinal, ano novo, material escolar novo. Pensando nesse material escolar desperdiçado, a Faber-Castell, em parceria com a empresa de reciclagem TerraCycle, promovem desde 2013 a campanha “Faxina dos amários” na qual é recolhido o material escolar em desuso para ser processado e transformado em um objeto que poderá ter uma nova utilidade tanto na escola como no ambiente corporativo. Em um ranking divulgado pela TerraCycle, a FaberCastell está em segundo lugar na competição, em primeiro lugar está o time do Banco Itaú. A participação de grandes empresas na ação só mostram que a competição saudável ajuda a conscientizar a sociedade da importância de participar de projetos sustentáveis, e que a educação sustentável deve ser ensinada desde cedo. É esse um dos principais motivos da Faber-Castell investir em sustentabiliade. A ação engloba todo o país e os produtos recolhidos servem de matéria-prima para lixeiras, notebooks, entre outros. O material volta para a sociedade. O time

que tiver coletado a maior quantidade de material para reciclagem receberá como um dos prêmios uma quantia em dinheiro que pode ser usada para doação em ONGs. Cada 12 gramas correspondem a R$ 0,02 centavos e dois pontos no placar do time. Mesmo após o período da ação, o programa de recolhimento de material escolar continua valendo. As escolas inscritas se tornam pontos para que os estudantes e comerciantes da região que queiram participar possam deixar o material que juntaram, além de muitos que pais descartam o material escolar usado do ano passado para comprar material novo para seus filhos. No ano de 2015, a campanha recolheu 107.673 itens. É importante ressaltar que qualquer item de qualquer marca é permitida na ação. Para se inscrever, é necessário entrar no site da Brigada de Instrumentos de Escrita da Faber-Castel, o programa de coleta e reciclagem de materiais de escrita com objetivo de fornecer uma destinação correta ao mateiral escolar.

7


Por que pintar é importante na infância? A pintura e o desenho são tão importantes quanto brincar na infância, mas por que?

8


Projetos

Os lápis fazem parte de uma importante fase no desenvolvimento infantil. São eles que estão lá quando as crianças dão seus primeiros passos, quando dão suas primeiras palavras, quando expressam pela primeira vez o que estão pensando e quando querem mostrar, também pela primeira vez, como o mundo a sua volta é através de seus braços e pernas pequeninos. É através do papel e lápis que as crianças desenvolvem seu lado criativo desde cedo, e isso não pode ser deixado de lado pelos pais. O pintar e o desenhar para a criança possuem funções muito diferentes daquelas para os adultos. Para estes, o pintar é muitas vezes um hobbie ou um trabalho, é uma atividade que possui uma finalidade em si; já para as crianças, a história é outra: o desenho livre (não pontilhados ou desenhos já prontos para colorir) tem a função de contar uma história, uma história do que está se passando na sua cabeça ou algo que ela quer mostrar. Esse é o jeito das crianças narrarem uma história, com rabiscos, cores e desenhos. Essa é a principal de elas desenvolverem sua criatividade e se tornarem adultos com pensamento próprio, com alma de artista e até mesmo mais sociável. O que está ligado também ao desenvolvimento da coordenação motora da criança, a organização dos pensamentos, o raciocínio, a percepção, agilidade e o desenvolvimento do lado intelectual.

Além de todos esses benefícios, os movimentos que a criança com os braços e mãos ao pintar, são essenciais para ir preparando o corpo para as próximas etapas do aprendizado, como escrever. Especialistas dizem que escrever nada mais é do que desenhar símbolos que juntos formam uma palavra que possui significado de acordo com as línguas e sociedades. E a partir desse ponto que a criança começa a entender esses símbolos e, a partir dos desenhos, aprende a escrever. Ou seja, as crianças que aprendem desde cedo a importância de soltar sua imaginação através do desenho, aprendem a escrever muito mais rápido, e de praxe, evitam problemas com a caligrafia. O papel dos pais (principalmente na fase pré-escolar) é importante para que haja esse estímulo entre a criança e a imaginação, principalmente em uma era digital, mas os professores são as figura mais importante que as crianças possuem nessa época. São eles que devem estimular os pequenos a soltar tudo o que querem, a pintar com o máximo de cores possível e narrar o máximo de histórias que conseguirem. O professor é uma referência para toda criança na primeira fase do aprendizado (0 a 6 anos), é importante que ele ressalte as qualidades das crianças e as faça cada vez mais expressarem seu lado intelectual. É diversão e aprendizado em um mesmo lápis.

para as crianças, a história é outra: o desenho livre (não pontilhados ou desenhos já prontos para colorir) tem a função de contar uma história, uma história do que está se passando na sua cabeça ou algo que ela quer mostrar. 9


Conheça os prodoutos que a Faber-Castell traz para você! 1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

1. Marcador Multiuso Permanente 2. Marca texto grifpen 3. Esferográfica Trilux 4. Esferográfica Grip Retrátil 5. Xtreme Colors 6. Caneta tinteiro Tamitio 7. Apontador com depósito Mini Grip 8. Borracha FC Max 9. Ecolápis Grafite Max Neon 10. Ecolápis Grafite Max Azul 11. Ecolápis Grafite Grip 12. Lapiseira Grip Matic Metal 10


Vitrine

13

14

15

16 17

18

19

20

21

13. Minha Casinha de Bonecas 14. Ateliê 2go 15. Ateliê 2go + brindes 16. Ecogiz de Cera Bicolor 17. Ecolápis de Cor Jumbo 24 unidades 18. Oficina das Cores 19. Cartela Mix Gelato 20. Cartela Gelato Tons Amarelos 21. Cartela Gelato Tons Vermelhos 11


22

23

25

24

26

27

22. EcoLápis de cor efeitos especiais 23. Esporte Mock Up Virtual 24. Ecolápis de cor aquarelável 24 cores 25. Canetinha ponta vai e vem 24 cores 26. EcoLápis de cor aquarelável 48 cores 27. EcoLápis de cor 60 cores fechado 12


28

29

30

28. EcoLรกpis de cor aquarelรกvel 48 cores 29. EcoLรกpis de cor 60 cores aberto 30. Lรกpis de cor Polychomos estojo metรกlico 13


Ciclo do EcoLรกpis: por onde tudo comeรงa

14


Especial EcoLápis

A história da Faber-Castell começou em 1761 com a própria fabricação do lápis. xxxx anos depois, esse continua sendo o principal produto da marca, que vem investindo e aprimorando as técnicas para produção desse e de outros produtos. Desde os anos 1980, a Faber-Castell possui uma área de 9.6 mil hectares na região de Prata (MG) - 1 hectare produz cerca de 3.500.000 lápis - , na qual uma parte de 3.1 mil hectares são consideradas áreas de preservação permanentes, o restante, 6.5 mil, é a área de plantação da matéria-prima da produção dos famosos EcoLápis, o pinus caribaea. Logo, 100% dos lápis produzidos no país são feitos a partir de madeira reflorestada e certificada pelo FSC® (Forest Stewardship Council), principal órgão internacional de manejo florestal sustentável. É importante ressaltar que essa área de plantio foi iniciada em terras impróprias para a produção agrícola.

A partir da criação dessa área, foram feitas melhorias para aumentar a produção de lápis, mas reduzir o impacto na natureza. Em 1996, foram iniciadas pesquisas para reduzir o ciclo da produção e, como consequência, melhorar o desenvolvimento florestal. Por ano, são produzidos 1,9 bilhão de EcoLápis, sendo que o ciclo leva 25 anos para ser completado, ou seja, as madeiras usadas hoje foram plantadas no final dos anos 1980. Diante desse cenário, a Faber-Castell é considerada uma empresa “carbono neutro”, ou seja, suas florestas no Brasil consomem 900 toneladas de carbono, o que significa elas retêm consideravelmente mais CO2 do que a empresa emite em todo o mundo, contribuindo assim para a proteção climática mundial. Mas e ai? Ficou curioso para saber como funciona a produção do EcoLápis? Não se preocupe, a gente te mostra!

Processo de fabricação da linha EcoLápis, Faber-Castell Confira passo a passo na página a seguir.

15


Conheรงa o ciclo do Ec a Faber-Castell cuida

16


coLรกpis e saiba como a do futuro do planeta

17


Conto de fadas para todos ClĂĄssicos infantis sĂŁo readaptados em fomatos acessĂ­ves para jovens portadores de deficiencia visual e auditiva

18


Projeto II

A Fundação Dorina Nowill para cegos, uma instituição sem fins lucrativos criada há mais de 70 anos com a missão de inclur deficientes visuais e auditivos na sociedade, em parceria com a Faber-Castell, que se preocupa com a responsabilidade social, lançou em meados de 2015 o projeto Coleção Clássicos Infantis Acessíveis, livros em braille e com fotos ampliadas e com relevo nas imagens, e cores vibrantes. Títulos como Branca de Neve, Robin Hood, Cinderela e Peter Pan fazem parte da coleção que teve 3 mil unidade de kits produzidos. O kit era composto por um exemplar de cada livro e um CD com a leitura da história em versão com e sem audiodescrição – recurso que descreve minuciosamente cenas e expressões faciais para quem não pode ver - compunham um kit que foi distribuido em 2.500 bibliotecas, escolas públicas e instituições que atuam com o público com deficiência visual em todo o Brasil. Também é possível encontrar a coleção a venda no site da Fundação Dorina e no Dona Dorina Outlet. A literatura inclusiva ainda precisa de muitos avanços. São poucas as escolas com profissionais capacitados

para dar o surporte necessário para que crianças e jovens possam conviver e aprender juntos com outras, sem precisar serem transferidas para escolas especializadas em educação para deficientes. Com a literatura inclusiva, as crianças podem interagir junto a leitura e aprender a respeitar limitações do outro. Segundo a Coordenadora na Fundação Dorina Nowill, Regina Oliveira, o objeitvo principal da coleção é que as crianças cegas possam ler junto com seus familiares, amigos e professores. Para a Elaine Mandando, a gerente de Comunicação da Faber-Castell, o projeto permite estender o compromisso institucional com o incentivo ao imaginário, autoconheimento, e uma melhor percepção do mundo. O projeto foi viabilizado pelo Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), e foi realizado para comemorar os 69 anos da Fundação, que além de distribuição de livros também oferece serviços especializados para portadores de deficiência e suas famílias em áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade.

19


Revista Cores  

Cores é uma revista laboratorial customizada, cujo a proposta de cliente foi a Faber-Castell.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you