Issuu on Google+

1

1 APRESENTAÇÃO O objetivo desse manual é facilitar a busca dos alunos no que diz a

estruturação de trabalhos acadêmicos, além de apresentar e explicar as regras para cada parte de um trabalho científico. É tão somente uma ajuda para consulta por parte dos alunos dos cursos de graduação. Qualquer aprofundamento teórico ou prático deverá ser buscado na bibliografia sugerida no final. Quando falamos de um curso de graduação ou superior, estamos nos referindo, indiretamente, a uma Academia de Ciências, já que qualquer Faculdade nada mais é do que o local próprio da busca incessante do saber científico. Neste sentido, fica implícito que um trabalho acadêmico deve apresentar algumas características como os objetivos a que se propõe, a pesquisa e a conclusão. Um trabalho acadêmico não é uma cópia simples e pura de um capítulo de livro ou do conteúdo de uma página da Internet; sua confecção tem importância fundamental na formação do profissional do aluno, pois desenvolve nele a capacidade de síntese e uma visão crítica de fatos e textos. O estilo da redação de documentos técnico-cientificos e acadêmicos apresenta características próprias, diferindo do utilizado em outros tipos de composição, como a literária, a jornalística e a publicitária. Este manual tem o objetivo de auxiliar os docentes e discentes na elaboração e correção de seus trabalhos acadêmicos dentro dos padrões exigidos segundo as Normas da ABNT. 2

2 APRESENTAÇÃO GRÁFICA DE UM TRABALHO ACADÊMICO Um trabalho acadêmico ou científico divide-se em três tipos elementos: pré-

textuais, textuais e pós-textuais.

Elementos Pré-Textuais CAPA: é a proteção externa do trabalho, padronizada pela faculdade – Será OBRIGATÓRIA para o TCC (Encadernação com capa dura e normatizada) e


Opcional para o TRM (Encadernação em espiral com capa mole, primeira capa transparente); FOLHA DE ROSTO: é a folha que apresenta os elementos essenciais à identificação do trabalho é de caráter OBRIGATÓRIO; VERSO DA FOLHA DE ROSTO: ficha catalográfica (Para Dissertações de mestrado e Teses de Doutorado); FOLHA DE APROVAÇÃO: autor, título, aprovado em ... , nome do orientador, banca examinadora. (OBRIGATÓRIO para o TCC); DEDICATÓRIA: a critério do autor, somente para o TCC e de caráter OPCIONAL; AGRADECIMENTO: é interessante que sejam feitos agradecimentos a pessoas e instituições; somente para o TCC e de caráter OPCIONAL; LISTAS: de ilustrações; tabelas; abreviaturas e símbolos (nesta ordem), são de caráter OPCIONAL SUMÁRIO: relação das principais divisões do trabalho na ordem em que aparecem no texto, é de caráter OBRIGATÓRIO;

Elementos Textuais TEXTO: O núcleo do trabalho, deve apresentar as seguintes seções: INTRODUÇÃO: na qual o autor apresenta o propósito e objetivo do trabalho e como se pretende desenvolvê-lo; DESENVOLVIMENTO: é o texto propriamente dito, em que o assunto é apresentado e desenvolvido. Geralmente compreende a parte teórica sobre o assunto, metodologias de pesquisa, os resultados empíricos das pesquisas e a análise desses resultados; CONCLUSÃO: remete-se à introdução e a desenvolvimento e diz se o que foi pretendido foi alcançado, parcial ou totalmente, dando sugestões para trabalhos posteriores.


Elementos Pós-Textuais REFERÊNCIAS: todo material que foi usado para consulta, que tenha sido citado ou recomendado; é de caráter OBRIGATÓRIO; GLOSSÁRIO: lista em ordem alfabética de palavras especiais, pouco conhecidas, obscuras ou de uso restrito; OPCIONAL. APÊNDICES: Elementos opcionais, compostos por anotações do autor, são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e respectivos títulos – Ex. APÊNDICE A - Título; ANEXOS: Elementos opcionais, compostos por anotações, documentos, quadros, tabelas, etc. de autoria de terceiros, são identificadas por letras maiúsculas consecutivas, travessão e respectivos títulos – Ex. ANEXO A - Título; CONTRACAPA - para fins de proteção do trabalho. Convêm ressaltar que: LISTA DE ILUSTRAÇÕES: localiza-se antes do samário, em página própria. Relaciona figuras, tabelas, quadros e gráficos, na ordem em que aparecem no texto, indicando o número, o título e a página onde se encontram (Anexo C). Se houver poucas ilustrações de cada tipo, todas podem ser colocadas em uma página só; LISTA DE SIGLAS, ABREVIATURAS E SÍMBOLOS: também antes do samário, devem ser ordenadas alfabeticamente, seguidas de seus significados. Usar uma nova página para cada lista (NB - 14:01.05.001); RESUMO: é uma apresentação resumida clara e concisa do texto, com que se procura destacar quais são os aspectos de maior interesse e importância. Deve ser redigido de forma impessoal, não excedendo 500 palavras. O resumo deve ressaltar objetivos, Dissertações

de

métodos, resultados e conclusões do Mestrado,

Teses

de

Doutorado

ou

trabalho. (Para

se

pedido

pelo

professor/orientador); ABSTRACT: é a tradução para o inglês do resumo (Para Dissertações de Mestrado, Teses de Doutorado); APÊNDICES: o que não é fundamental ao texto, mas que pode lhe servir de apoio.


NOTAS DE RODAPÉ: dentro do texto, destina-se a prestar esclarecimentos, comprovar uma afirmação ou justificar uma informação que não deve ser incluída no texto. As notas devem limitar-se ao mínimo necessário. As notas de rodapé são colocadas no pé da página, separadas do texto por uma linha de aproximadamente 1/3 da largura útil da página, a partir da margem esquerda. A indicação da remissiva para rodapé deve ser feita com números em expoente, como no exemplo: ...Pesquisas comprovam a crescente presença da mulher no mundo dos negócios². Isso se deve a... No rodapé _______________________ 2

Entre essas pesquisas, destacam-se Anprotec (2003), IBQP (2004), Soares (2000).

2.1

2.1 CAPA O projeto gráfico da Capa de um Trabalho Acadêmico fica a critério da

Instituição de Ensino, mas alguns elementos são obrigatórios na mesma, são eles: 

Instituição e Unidade de ensino

Nome do autor (Se for mais de um autor, omitir os nomes na Capa e apresentá-los na Folha de Rosto)

Título do trabalho

Cidade e ano. (não citar o mês).

2.2

2.2 FOLHA DE ROSTO É a que contem os elementos essenciais à identificação do trabalho. A folha

de rosto deve apresentar na seguinte ordem: 

Nome do(s) autor(es) - Quando for mais de um autor, relacioná-los em ordem alfabética;

Título principal do trabalho;

Subtítulo se houver precedido de (:);


Natureza do trabalho e objetivo do mesmo;

Nome da Instituição e Área de Concentração;

Nome professor Orientador e se houver, Co-Orientador;

Abaixo é possível verificar alguns exemplos.

Local (cidade);

Ano.

ANEXO A 2.3

2.3 FOLHA DE APROVAÇÃO Elemento obrigatório para o TCC, colocado logo após a Folha de Rosto,

constituído pelo nome do autor do trabalho, título do trabalho e subtítulo (se houver), natureza, objetivo, nome da instituição, área de concentração, data da aprovação, nome, titulação e assinatura dos componentes da banca avaliadora. A data e a assinatura dos componentes da banca são colocadas após a apresentação e aprovação do trabalho. ANEXO B 2.4

2.4 DEDICATÓRIA Elemento opcional, colocado após a folha de rosto.

2.5

2.5 AGRADECIMENTO(S) Elemento opcional, colocado após a dedicatória.

2.6

2.6 EPÍGRAFE Elemento opcional, colocado após a folha de agradecimento, pode também

aparecer nas folhas de abertura das seções primárias.


2.7

2.7 LISTAS São elementos opcionais que irão apresentar a relação de ilustrações,

tabelas, abreviaturas e siglas, de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número de página. A exceção acontece para a lista de abreviaturas e siglas pois estas devem aparecer em ordem alfabética e seguida das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. Recomenda-se uma lista para cada caso.

Convêm ressaltar que: LISTA DE ILUSTRAÇÕES: localiza-se antes do sumário, em página própria. Se houver poucos itens de cada tipo, todas as listas podem ser colocadas em uma página só; LISTA DE SIGLAS, ABREVIATURAS E SÍMBOLOS: também antes do samário, devem ser ordenadas alfabeticamente, seguidas de seus significados. Usar uma nova página para cada lista (NB - 14:01.05.001); ANEXO C 2.8

2.8 SUMÁRIO É a numeração das principais divisões, seções e outras partes de um

documento na ordem em que estão no mesmo. Todas as seções de um documento devem ficar claramente indicadas. Devemos lembrar que o sumário não deve ser confundido com índice, resumo ou lista do conteúdo do trabalho. O sumário deve ser apresentado da seguinte maneira: Deve vir apresentado em folha distinta, após a folha de rosto, termo de aprovação, dedicatória, agradecimentos e epígrafe quando existirem. Relação dos títulos dos elementos pré-textuais, que aparecem após o sumário deve vir sem indicativo de numeração. Pode-se usar numeração especial, exemplo: ( i, ii, iii, ....).


A relação dos títulos dos elementos textuais (capítulos, das seções ou das partes) e dos elementos pós-textuais devem ser apresentados com a mesma formatação gráfica adotado no texto. Cada capítulo, seção ou parte deve apresentar os seguintes dados: 

Indicativo numérico quando houver

Título

Número da folha inicial, ligado ao título por uma linha pontilhada.

O espaçamento entre o indicativo numérico e o título deve ser igual para todo o sumário e pode ser adotado um padrão de dois espaços.

O Sumário deve vir todo alinhado à esquerda, sem recuos para os sub-níveis.

ANEXO D

2.9

2.9 NÚCLEO DO TRABALHO O núcleo do trabalho divide-se em seções de acordo com os elementos de

qualquer relatório de cunho científico: introdução, desenvolvimento e conclusão. Contudo, a quantidade e a denominação das referidas seções variam em função da temática, do alcance e do tipo de pesquisa. O essencial é que todos os elementos citados sejam contemplados. 2.9.1 Introdução A introdução deve evidenciar os objetivos do trabalho, a apresentação do assunto, sua problemática e importância, de maneira clara e sucinta, fazendo breve menção a trabalhos anteriores relativos ao tema. Dependendo do tamanho e da complexidade do trabalho ou da orientação do professor que está solicitando o mesmo, a Introdução deve vir em folha distinta.


2.9.2 Desenvolvimento O desenvolvimento é também chamado de corpo do trabalho. É sua parte mais extensa e tem por objetivo discutir e demonstrar o tema abordado na introdução. As partes principais de um trabalho científico ou acadêmico podem ser: 

Revisão de literatura (para teses e dissertações ou se pedido pelo professor/orientador);

Materiais e métodos usados na elaboração do trabalho;

Análise dos resultados ou simplesmente os resultados na qual são apresentados os dados obtidos de forma precisa e clara;

Discussão, que consiste em relacionar as causas e efeitos, indicações de aplicações e as limitações do tema abordado. 2.9.3 Conclusão A conclusão é a síntese do trabalho. É a resposta ao assunto abordado na

introdução e deve, de modo breve e conciso, reafirmar a idéia principal tratada no desenvolvimento, evidenciar a contribuição trazida pela pesquisa e proporcionar indicações para novas pesquisas sobre o assunto. De forma semelhante à introdução, dependendo do tamanho e complexidade do trabalho ou da orientação do professor que o está solicitando, a Conclusão deve vir em folha distinta. 2.9.4 Elementos de Apoio No decorrer do trabalho pode-se fazer uso de vários elementos de apoio, e um dos mais utilizados é a citação, para as quais, temos as seguintes recomendações: Citações – Conceitos ou partes literais de textos extraídos de uma outra fonte para esclarecer, ilustrar ou sustentar o assunto apresentado. Quando a citação não é literal, não é necessário mencionar as páginas da obra citada em que o conceito ou dado citado aparece, como no exemplo:


Segundo WEBER (1981), a burocracia moderna resulta, dentre outras coisas, do processo de racionalização e desencantamento do mundo sob o sistema capitalista. Ao conceito weberiano, autores contemporâneos acrescentam, como característica do sistema burocrático, seu papel disfuncional na medida em que a rigidez normativa pode levar a uma paralisia organizacional e se constituir um fator de dominação (TRAGTEMBERG, 1977; CROZIER, 1981).

As citações podem ser curtas ou longas; diretas ou indiretas. Citação Curta - Até três linhas, entram no alinhamento normal do texto como parte de um parágrafo, entre aspas. Ex. Citação Curta. “Reflexões sóbrias ou corajosas são artigos em extinção nesse rentável mercado de congressos e assemelhados” (AQUINO, 2002, p. 14). Citação Longa - Com mais de três linhas, devem ser destacadas do parágrafo conforme as orientações descritas no item 3.1.6. Ex. Citação Longa. A hipótese de representação de conhecimento contém implicitamente uma metodologia para a construção de sistemas reflexivos, resumidos por Smith em sua hipótese da reflexão: Se um processo inteligente pode ser construído para raciocinar sobre o mundo externo, graças a um processo interpretador e a representações formais adequadas, então também deve ser possível construir um processo que raciocine sobre si mesmo, a partir de um processo interpretador similar e representações formais sobre a estrutura de suas representações e sobre sua operação. (SMITH, 1982, p. 342).

Citações Diretas - Quando a citação for extraída do texto do autor diretamente citado como o exemplo de citação longa. Citações Indiretas - Quando a citação for extraída de um texto de autoria diferente do da citação. Citação a um autor retirada de um livro de outro autor. Em todos os casos, as citações devem ser referenciadas, sendo que há três sistemas aceitos para a referenciação bibliográfica: referências de rodapé; referências no sistema Autor/Data e notas de referências em página separada.


Sendo que apenas um desses sistemas deve ser usado no texto. Recomendamos o sistema Autor/Data por ser mais simples de ser aplicado. Sistema Autor/Data - Neste sistema, após o fechamento da citação, entre parênteses, devem-se apresentar: Sobrenome do autor, ano de publicação da obra e pagina ou paginas onde a citação aparece. Ex. Sistema Autor/Data .... conforme salientado por Freire, "A educação autêntica, repitamos, não se faz de 'A' para 'B' ou de 'A' em 'B', mas de 'A' com 'B', mediatizados pelo mundo" (FREIRE, 1970, p. 98). Alem das citações, podemos usar como apoio ao texto: Notas de rodapé - que são indicações bibliográficas, observações ou aditamentos

ao

texto

feitos

pelo

autor,

tradutor

ou

editor;

Ilustrações - tabelas, quadros e figuras. 2.10 2.10 REFERÊNCIAS Referências são o conjunto padronizado de elementos que permitem a identificação de um documento que foi utilizado no todo ou em parte durante o processo de pesquisa e montagem da investigação. Deve OBRIGATORIAMENTE constar no final de um trabalho acadêmico. Deve ser apresentado em folha distinta, após o texto ou ao glossário, quando houver. Todos os documentos mencionados no texto devem obrigatoriamente constar na lista de referências e deve ser apresentada em ordem alfabética com relação aos autores. Ver exemplo de Referências: 2.11 2.11 GLOSSÁRIO (OPCIONAL) Glossário é a relação, em ordem alfabética, das palavras ou expressões de uso restrito ou de sentido obscuro, acompanhadas de suas respectivas definições, com o objetivo de esclarecer o leitor sobre o significado dos termos empregados no trabalho. Deve aparecer depois do texto e antes das referências.


2.12 2.12 APÊNDICES Matéria suplementar e que seja de autoria própria, que se junta ao texto de um trabalho como esclarecimento ou documentação, embora não constitua parte essencial do trabalho. 2.13 2.13 ANEXOS Matéria suplementar que não seja de autoria própria, que se junta ao texto de um trabalho como esclarecimento ou documentação, embora não constitua parte essencial do trabalho. 3

3 COMPOSIÇÃO TÉCNICA DO TRABALHO - FORMATAÇÃO A composição técnica para digitação de um trabalho acadêmico apresentado

a seguir, está baseada na plataforma MS-Windows 98/2000/Me/XP, utilizando o editor de textos do MS-Office 97/2000/XP. Alguns ajustes serão necessários no software de edição de textos para garantir uma boa apresentação dos trabalhos, portando a padronização de alguns comandos facilitará a editoração. A observação de normas para apresentação facilita a correção de trabalhos e permite a imparcialidade nas verificações de aprendizagem, além de "ser uma obrigação científica". 3.1

3.1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA DIGITAÇÃO A recomendação básica é de criar um procedimento ou um projeto modelo,

sobre o qual se possa trabalhar, para tanto, trabalhar com a ferramenta "Estilo" do MS-Word facilitará o resultado final de edição. 3.1.1 Papel 

O papel a ser utilizado deve ser sulfite branco, tamanho A-4 - 210 mm X 297 mm.


3.1.2 Margens 

Superior: 3,0cm - Inferior: 2,0 cm

Esquerda: 3,0 cm - Direita 2,0 cm

Obs.: As Normas da ABNT estabelecem medidas mínimas e máximas para as margens, sedo que as que foram sugeridas estão dentro da faixa de tolerância admitida pela ABNT. 3.1.3 Caracteres De uma forma geral, os caracteres utilizados na elaboração de um trabalho acadêmico ou científico devem ser de fácil leitura. A ABNT não especifica uma fonte, portanto iremos adotar, como padrão, a fonte Arial. A formatação a seguir será a utilizada na editoração das principais partes do trabalho sendo que, para algumas situações, será modificada conforme apresentado no decorrer deste documento. 3.1.4 Formatação de Fonte para Textos 

Fonte Padrão: Arial

Tamanho da Fonte Padrão: 12

Obs: A partir deste ponto, quando se ler Arial 12, entenda-se a formatação apresentada acima. 3.1.4.1 Formatação de fonte para capa Elementos da Capa: 

Fonte: Arial

Tamanho da Fonte: Opcional (Fica a critério da Instituição, Orientador ou do Aluno)

Elementos da Folha de Rosto 

Fonte: Arial 12

Estilo: Negrito

Efeitos: Todas Maiúsculas


A exceção fica para as Observações que devem ser apresentadas com a fonte Arial no tamanho 10. 3.1.4.2 Formatação de fonte para o sumário, números de página, títulos e subtítulos 

Sumário: Deve-se utilizar Arial 12, independente do tamanho do sumário;

Números de página: Arial 12, disposto no canto superior direito das folhas, sendo que a primeira folha do trabalho não é numerada. (Primeira folha da introdução)

Títulos: Arial 12 com formatação especificada mais adiante.

Textos e subtítulos: Arial 12 com formatação especificada mais adiante.

Notas de rodapé, notas de referência, fontes de tabelas, de ilustrações, gráficas e citações que excederem três linhas: Arial 9. 3.1.3 Parágrafos

Margem de parágrafo usual (Corpo do Texto) 

Recuos à esquerda: 0cm

Espaçamento: antes 0pt e depois 5pt

Especial: Primeira linha por 1,25 cm

Entre linhas: 1,5 linha (A ABNT recomenda espaçamento entre 1,5 linha e Duplo)

Alinhamento: Justificado Para títulos, existe uma formatação própria conforme será apresentado a

seguir. 3.1.4 Estilos de Títulos As Normas da ABNT estabelecem que deve haver um espaçamento de no mínimo uma linha separando o título do parágrafo anterior e do parágrafo seguinte.


A ABNT também informa que deve haver uma diferenciação gráfica entre os níveis de títulos de um trabalho acadêmico, desta forma é possível que se encontrem modelos diferentes para os títulos de seções daqueles que serão apresentados a seguir na medida em que esse é um caso no qual a referida associação deixa margem para interpretações dos autores. Obs: quando os títulos forem numerados, seus textos devem ser iniciados dois toques após a numeração e quando seu tamanho ultrapassar uma linha, as linhas excedentes devem estar alinhadas ao início do texto da primeira. 3.1.4.1 Título 

Fonte: Arial 12 – Negrito – Todas Maiúsculas

Parágrafo: Alinhamento Centralizado

Recuo: esquerdo: 0cm; direito: 0cm.

Espaçamento: antes: 15 pt; depois: 15 pt.

Especial: nenhum

Entre linhas: 1,5 linha

3.1.4.2 Título nível 1 – seção primária 

Fonte: Arial 12; Negrito, Todas maiúsculas

Parágrafo: Alinhamento Esquerdo

Recuo: justificado: 0cm; direito: 0cm

Espaçamento: antes: 15 pt; depois: 15pt

Especial: nenhum

Entre linhas: 1,5 linha

Numeração: X


Ex: 4

3 CARACTERÍSTICAS DO MERCADO BRASILEIRO: UMA REVISÃO TEÓRICO-METODOLÓGICA

3.1.4.3 Título nível 2 (seção secundária) 

Fonte: Arial 12, Maiúsculas

Parágrafo: Alinhamento Esquerdo

Recuo: esquerdo: 0cm; direito: 0cm

Espaçamento: antes: 25pt; depois: 25pt

Especial: nenhum

Entre linhas: 1,5 linha

Numeração: X.X

Ex.: 3.1 PROCESSO DE MONTAGEM 3.1.4.4 Título nível 3 (seção terciária) 

Fonte: Arial 12; Primeira letra de cada palavra em Maiúscula (exceto preposições)

Parágrafo: Alinhamento Esquerdo

Recuo: esquerdo: 0cm; direito: 0cm

Espaçamento: antes: 25 pt; depois: 25pt.

Especial: nenhum

Entre linhas: 1,5 linha

Numeração: X.X.X

Ex: 4.2.2 Valores Agregados


3.1.4.5 Título nível 4 (seção quaternária) 

Fonte: Arial 12; Miúsculas/minúsculas.

Parágrafo: Alinhamento Esquerdo.

Recuo: esquerdo: 0cm; direito: 0cm.

Espaçamento: antes: 25 pt; depois: 25pt.

Especial: nenhum

Entre linhas: 1,5 linha

Numeração: X.X.X.X

Ex. 2.2.1.4 Procedimentos de segurança A partir da seção quaternária, a formatação dos títulos se mantém inalterada. 3.1.5 Citações com Mais de 3 Linhas: 

Fonte: Arial 10

Parágrafo: Alinhamento: justificado.

Recuo: esquerdo: 1,25 cm; direito: 0cm.

Espaçamento: antes: 5 pt; depois: 10 pt.

Especial: nenhum

Entre linhas: simples

Exemplo: A redação de trabalhos técnico-científicos difere de outros tipos de composição, apresentando algumas características próprias quanto à estrutura e estilo. Alguns princípios básicos devem ser observados neste tipo de redação: Objetividade, Clareza, precisão, imparcialidade, coerência, conjugação verbal, números, símbolos e unidades de medida, abreviaturas e siglas. (OLIVEIRA, 2002, p. 245)

3.1.6 Notas de rodapé 

Fonte: Arial 9.

Parágrafo: Alinhamento justificado,


Recuo: esquerdo: 0 cm; direito: 0cm.

Espaçamento: antes: 5 pt; depois: 5 pt.

Especial: nenhum

Entre linhas: simples 3.1.7 Referências

Fonte: Arial 12.

Parágrafo: Alinhamento justificado.

Recuo: esquerdo: 0 cm; direito: 0cm.

Espaçamento: antes: 5 pt; depois: 5pt.

Especial: nenhum

Espaçamento entre linhas é simples e duplos entre as referências.

Com relação à pontuação: •

Usa-se ponto após o nome do autor/autores, após o título, edição e no final da referência;

Os dois pontos são usados antes do subtítulo, antes da editora e depois do termo In.

A virgula é usada após o sobrenome dos autores, após a editora, entre o volume e o número, páginas da revista e após o título da revista.

O ponto e vírgula seguidos de espaço são usados para separar os autores.

O hífen é utilizado entre páginas (ex: 10-15) e, entre datas de fascículos seqüências (ex: 1998-1999).

A barra transversal é usada entre números e datas de fascículos não seqüências. (ex: 7/9, 1979/1981).

Os colchetes são usados para indicar os elementos de referência, que não aparecem na obra referenciada, porém são conhecidos (ex: [1991]);


O parêntese é usado para indicar série, grau (nas monografias de conclusão de curso e especialização, teses e dissertações) e para o título que caracteriza a função e/ou responsabilidade, de forma abreviada. (Coord., Org., Comp.). Ex: BOSI, A. (Org.).

As Reticências são usadas para indicar supressão de títulos. Ex: Anais.

Letras maiúsculas: usam-se maiúsculas ou caixa alta para: Sobrenome do autor; primeira palavra do título quando esta inicia a referência (ex. O

MARUJO);

geográficos

entidades

(quando

coletivas

anteceder

(na

um

entrada

órgão

direta);

nomes

governamental

da

administração: Ex: BRASIL. Ministério da Educação); títulos de eventos (congressos, seminários, etc.). •

Os autores devem ser relacionados por seu sobrenome em letras maiúsculas seguido das inicias de seus nomes;

Quando a obra possuir mais que três autores, relaciona-se o primeiro deles (sobrenome em letras maiúsculas seguido das inicias de seu nome) seguido da expressão et al..

Exemplos de aplicações de Normas para Referências: Obras completas: SOBRENOME DO AUTOR, Iniciais dos prenomes. Título em negrito: subtítulo. Edição (da 2ª em diante). Local: Editora, ano. SCHÜTZ, E. Reengenharia mental: reeducação de hábitos e programação de metas. Florianópolis: Insular, 1997. 104 p.

Dois autores: SÓDERSTEN, B.; GEOFREY, R. International economics . 3. ed. London: MacMillan, 1994. 714 p. Três autores: NORTON, P.; AITKEN, P.; WILTON, R. Peter Norton: a bíblia do programador. Rio de Janeiro: Campos, 1994. 640 p. Mais de três autores:


BRITO, E. V. et. al. Imposto de renda das pessoas físicas: livro prático de consulta diária. 6. ed. São Paulo: Frase Editora, 1996. 288 p. Artigos de Jornais: SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Iniciais dos prenomes. Título do artigo. Título do periódico, local de publicação, número do volume, número do fascículo, página inicial-final do artigo, data. SOBRENOME DO AUTOR do artigo, Iniciais dos prenomes. Título do artigo. Título do jornal, local de publicação, data.

Pareceres: INSTITUIÇÃO RESPONSÁVEL. Parecer, indicação ou resolução nº. e data. Ementa. Redator ou Consultor: nome. Referenciação da publicação. Homepage: AUTOR. Título. Informações complementares (Coordenação, desenvolvida por, apresenta..., quando houver, etc...). Disponível em, <Endereço eletrônico> . Acessado em: <data em que se fez o acesso>.

Exemplos

ETSnet. Toefl on line: Test of english as a foreign language. Disponível em: < http://www.toefl.org >. Acesso em: 19 maio 1998. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Serviço de Referência. Catálogos de Universidades. Apresenta endereços de Universidades nacionais e estrangeiras. Disponível em: < http://www.bu.ufsc.br >. Acesso em: 19 maio 1998. PCD PESQUISA. Normas ABNT. Disponível em, pesquisa.com.br/normas/ >. Acessado em 11 de Outubro de 2002.

<http://www.pcd

Os casos omissos neste trabalho deverão ser verificados junto ao conjunto de normas elaborado pela Universidade Federal do Paraná


5

4 REFERÊNCIAS

ALVES, M. B. M.; ARRUDA, S. M. Como fazer referências: bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos. Disponível em: <http://bu.ufsc.br/framerefer.html>; Acessado em 11 out 2002 NBR 10520: 2002 – Informações e documentação – Citações em documentos – Apresentação. NBR 14724: 2002 – Informações e documentação – Trabalhos acadêmicos – Apresentação. NBR 6023: 2002 – Informação e documentação – Referências – Elaboração. NBR 6024: 1989 – Numeração progressiva das seções de um documento. NBR 6027: 1989 – Sumário. SANTOS, A. R. Metodologia Científica: a construção do conhecimento. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A editora,1999. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas para apresentação de trabalhos. 6. ed. Curitiba: Editora da UFPR, 1996.


ANEXOS


ANEXO A


MARIA JOSÉ DA SILVA

OS SISTEMAS OPERACIONAIS E SEUS RECURSOS: UMA INTRODUÇÃO Trabalho de Graduação apresentado como requisito parcial à obtenção de créditos na disciplina de Introdução a Informática, no curso de Administração de Empresas com ênfase em Informática, das Faculdades SPEI, Campus Centro. Orientador: Prof. Dr. Fulano de Tal

CURITIBA 2003


6

JOSÉ MARIA DA SILVA

PROPOSTA DE GESTÃO PARA A EXCELÊNCIA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial à obtenção de grau de Bacharel em Administração, habilitação em ênfase Gestão Ambiental, das Faculdades SPEI, Campus Água Verde. Orientador: Prof. Fulano de Tal

CURITIBA 2003


ANEXO B


TERMO DE APROVAÇÃO

ASDRÚBAL MALANT CARIOLANDO VIRGULINO PENELOPE MAESTRO john schin sensato

RELATÓRIO DE GESTÃO LA PLAYA INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Trabalho de Conclusão de Curso – TCC aprovado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Administração, habilitação em Informática, do Curso de graduação em Administração, das Faculdades SPEI, pela seguinte Banca Avaliadora:

Professor Orientador: Prof. Hamilton Edson Lopes de Souza, MSc.____________________________________ Banca Avaliadora: Prof. Cláudio Skora, MSc _____________________________________ Prof. Paulo Fernando Cherubin, MSc. _____________________________________


Profª Cláudia Cimarelli Rodrigues, MSc. _____________________________________ Curitiba - 2003


ANEXO C


LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Curvatura do movimento .......................................................................... 7 Figura 2 - Vistas ortogonais...................................................................................... 16 Figura 3 - Correspondência entre movimentos ........................................................ 18 Figura 4 - Representações gráficas ........................................................................ 22 Figura 5 - O cursor tridimensional ............................................................................ 25 Figura 6 - O cursor skitter e os jacks ........................................................................ 32 Figura 7 - Controladores virtuais .............................................................................. 39 Figura 8 - Manipulação direta ................................................................................... 41


LISTA DE TABELAS

Tabela 1 – Tabulação dos dados do questionário pré-processo ............................ 10 Tabela 2 – Relação Peso x Potência x Desempenho dos modelos observados ..... 16 Tabela 3 – Índice de satisfação do Cliente em relação ao conforto ......................... 22 Tabela 4 – Evolução dos Itens Básicos de Conforto ................................................ 25 Tabela 5 – Preços praticados para os modelos de Luxo ......................................... 29 Tabela 6 – Tabela comparativa dos processos passados aos atuais ...................... 35 Tabela 7 - Tabulação dos dados do questionário pós-processo .............................. 39


ANEXO D


SUMÁRIO

1 APRESENTAÇÃO..................................................................................................1 2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO..............................................2 2.1 COMPOSIÇÃO DAS EQUIPES............................................................................3 2.2 DEFINIÇÃO DAS ETAPAS DO TCC (PROJETO)................................................3 2.2.1 Perfil da Empresa...............................................................................................4 2.2.1.1 Descrição da organização...............................................................................4 2.2.1.2 Concorrência e ambiente competitivo.............................................................5 2.2.1.3 Aspectos relevantes........................................................................................5 2.2.1.4 Histórico da busca pela excelência.................................................................6 2.2.1.5 Organograma..................................................................................................6 2.2.2 Levantamento das Práticas de Gestão..............................................................7 2.2.2.1 Liderança........................................................................................................7 2.2.2.2 Estratégias e Planos.......................................................................................7 2.2.2.3 Clientes...........................................................................................................8


2.2.2.4 Sociedade.......................................................................................................8 2.2.2.5 Informações e conhecimento..........................................................................9 2.2.2.6 Pessoas.........................................................................................................10 2.2.2.7 Processos......................................................................................................11 2.2.2.8 Resultados.....................................................................................................12 2.2.3 Proposta de “Sugestões de Práticas de Gestão pela Excelência – SPGE”.....13 2.3 ATUAÇÃO DAS EQUIPES..................................................................................13 2.4 PREVISÃO DE DATAS.......................................................................................14 2.5 ORIENTAÇÕES E CONSULTORIAS.................................................................15 2.5.1 Orientações......................................................................................................16 2.5.2 Consultorias.....................................................................................................18 2.6 NORMALIZAÇÃO DO TRABALHO.....................................................................18 2.6.1 Composição do Trabalho (Relatório de Gestão)..............................................19 2.6.2 Formatação do Trabalho (Relatório de Gestão)...............................................20 3 APRESENTAÇÃO ORAL (BANCAS)..................................................................21


4 SISTEMA DE AVALIAÇÃO..................................................................................22 4.1 NA DISCIPLINA DE “GESTÃO EMPRESARIAL”...............................................24 4.2 NA DISCIPLINA DE “PROJETO EMPRESARIAL”.............................................25 4.3 NA DISCIPLINA DE ESTÁGIO...........................................................................25 4.3.1 Estágio V..........................................................................................................26 4.3.2 Estágio VI.........................................................................................................27 4.4 FREQÜÊNCIA.....................................................................................................28 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................29 ANEXOS.................................................................................................................... 31 ANEXO 1 – Formulário de Determinação de Elegibilidade.......................................32 ANEXO 2 – Modelo da Carta de Formalização com as Empresas...........................33 ANEXO 3 – Modelo do “Código de Ética e do Termo de Autorização e Divulgação do Relatório de Gestão”..................................................................................................34 ANEXO 4 – Modelo de “Sugestão de Práticas de Gestão”........................................35 ANEXO 5 – Modelo de “Ficha de Acompanhamento de Atividades do Projeto”........36


Roteiro elaborado pelos Professores: Kelsei de Abreu Rodrigo Rossi Horochovski Revisão Técnica Dayse Mendes Revisão Ortográfica


Abnt