Issuu on Google+

Quilombo JORNAL

PERDIZES

ANO 3 - Nº 19 / 2010

A IMPORTÂNCIA DA SELEÇÃO FOCANDO A

Fotos: Naur Barbosa

HABILIDADE MATERNA

PERÍMETRO ESCROTAL: Quanto maior mais produção. 8º Leilão

Provado Quilombo...

Está chegando a hora. Anote aí: 24 de julho.

www.quilombo.com.br

GENÉTICA


02

Quilombo JORNAL

G E N É T I C A

Trabalhando para melhorar a HABILIDADE MATERNA O efeito materno está relacionado às diferenças na taxa de ganho do nascimento até o desmame, causadas pelas diferenças no ambiente materno fornecido pelas vacas no período que compreende a gestação e amamentação. Os efeitos maternos são considerados como efeitos ambientais que influenciam a prole e são determinados por fatores genéticos e ambientais. A seleção para habilidade materna exige que se conheça influência da vaca na expressão de características pré-desmama de seus filhos, pois estas serão utilizadas como critérios de seleção.

Caracterização dos efeitos maternos

Observando a formação do genótipo de um indivíduo, tem–se que a contribuição é metade dos genes do pai e da mãe. Entretanto, a contribuição da mãe para o fenótipo do seu filho se dá não apenas pela transmissão de efeitos genéticos, mas também por meio da expressão dos efeitos maternos, ou seja, fenótipo da mãe para habilidade materna. Enquanto, para a cria, a habilidade materna é um efeito ambiental, para a mãe, é um efeito genético herdado dos pais, de maneira que a superioridade genética de uma vaca para habilidade materna é fruto de genes herdados de seus progenitores, pois ambos contribuíram com 50% do seu valor genético.A influência materna é fruto do genótipo da mãe e da ação ambiental que potencializa ou inibe a expressão deste genótipo. Outro aspecto dos efeitos maternos é a expressão destes com uma geração de intervalo entre a expressão da vaca e da prole e com duas gerações de intervalo entre o reprodutor e a filha. Tal fato dificulta o entendimento e mensuração dos efeitos maternos com vistas ao melhoramento genético. Os efeitos genéticos diretos referem-se ao efeito genético envolvido na expressão da característica que está sendo medida (por exemplo, peso ao desmame), que é oriunda do pai e da mãe em partes iguais.Os efeitos maternos genéticos podem ser descritos como o efeito genético relacionado com a expressão da habilidade materna, envolvendo o desenvolvimento pré e pós-parto e aspectos comportamentais, adaptação ao ambiente e de produção de leite.

A habilidade materna está relacionada com a produção de leite e com o cuidado da mãe com a cria. Ao selecionarse para habilidade materna, se deseja identificar vacas que apresentem maior cuidado com a cria e que produzam maior quantidade de leite.Na maior parte das situações, a habilidade materna é medida, de forma indireta, ou seja, a partir do desempenho das crias no período pré-desmame, através do peso ao desmame, do ganho de peso do nascimento ao desmame, etc... Essa prática pode tornar-se uma grande fonte de erros quando não se entende que as medidas de características do período prédesmame contém a expressão do potencial genético do bezerro para ganhar peso e a expressão do potencial genético da vaca para cuidar da cria e produzir leite. Considerando o exposto e as dificuldades de estabelecimento de uma característica que trate exclusivamente da habilidade materna em bovinos, estabeleceu-se como critérios de seleção para habilidade materna, característica de desempenho pré-desmame ou índices de seleção que ponderem estas características. Ao observar as características de desempenho pré-desmame, teremos a expressão de 2 genótipos, o primeiro, do bezerro, chamado efeito genético direto, representando o potencial genético de crescimento do próprio animal e o segundo, da vaca, representando a habilidade materna, chamado de efeito genético materno.O impacto dos efeitos genéticos maternos sobre o peso ao desmame da cria, pode ser negativo ou positivo, pois, a habilidade materna, para o bezerro, é um efeito ambiental que pode inibir ou permitir a expressão total do potencial de crescimento do animal no período prédesmame. Filhos de vacas com habilidade materna superior têm maiores chances de apresentarem desempenho superior até o desmame, desde que tenham potencial genético de crescimento. Dessa forma, se torna impossível desassociar a seleção para habilidade materna da seleção para desempenho pré-desmame. Isto implica que estas características possuam associação genética positiva, ou nula. Contudo encontramse referências a valores negativos para a correlação genética entre os efeitos diretos e maternos em características prédesmame. Um fator complicador é a diferença de uma geração na expressão dos efeitos diretos e maternos, pois o potencial para crescimento pré-desmame de um animal está confundido

com a habilidade materna de sua mãe, e no caso de fêmeas a expressão da sua habilidade materna está vinculada à expressão do potencial de crescimento de sua prole no período pré-desmame. Para a separação adequada dos efeitos genéticos em diretos e maternos e dos efeitos maternos em genético e ambiental, é necessário, um conjunto de dados contendo informações de desempenho no período pré-desmame das mães, o maior número de informações de filhos por vaca, e a maior quantidade de informações a respeito do parentesco das fêmeas em reprodução. Estas informações permitem a diferenciação das matrizes de relacionamentos dos efeitos genéticos diretos, genéticos maternos, permanentes de ambiente materno.

Selecionando a habilidade materna e suas implicações

Em sistemas intensivos de produção de carne em que os animais são abatidos muito precocemente, o peso do animal ao desmame é uma característica de extrema importância, em função da participação relativa desta medida no peso final dos animais. Dessa forma, ao selecionar os reprodutores que gerarão animais que serão submetidos a este sistema é importante considerar os efeitos maternos, que influenciarão diretamente o desempenho pré-desmame e indiretamente no desempenho final dos animais. Nas situações em que o produto de comercialização é o bezerro e que a remuneração é diferenciada em função da qualidade do produto, o ambiente materno apresenta importância relativa elevada, pois está fortemente associado com o desempenho pré-desmame fator determinante na viabilidade e qualidade do bezerro. Nestas situações os critérios de seleção devem conter caracteres relacionados com habilidade materna e desempenho pré-desmame. Em sistemas de produção em que o período pré-desmame é muito inferior ao período pós-desmame os efeitos maternos apresentam pequena influência sobre o peso final, uma vez que o desempenho pós-desmame é fracamente influenciado pelo ambiente materno. Nestas situações entende-se que características relacionadas com desempenho pós-desmame tenham maior ponderação nos índices de seleção, o que diminui a importância dos efeitos maternos. Considerando que a seleção para habilidade materna acarreta aumento do potencial genético para produção de leite. É muito provável que haja incremento das exigências nutricionais das vacas, o que implica no melhoramento das condições de alimentação destes animais, para que estas expressem a totalidade do seu potencial genético.Considerando que o sistema de produção de bezerros de corte no Brasil é predominante realizado em pastagens cultivadas ou nativas, é necessário que o processo de seleção considere esta realidade. Deve-se entender que a seleção para habilidade materna não está relacionada com altos níveis de produção de leite, mas com o suprimento das exigências nutricionais do bezerro e a conseqüente promoção de um ambiente que permita a expressão de todo o potencial genético para crescimento, ou seja, não adianta focar o melhoramento desta característica

Quilombo JORNAL

se não fornecermos um ambiente em que as vacas tenham oportunidade de expressar sua qualidade genética. As especificidades dos efeitos maternos genéticos e ambientais tornam a seleção para habilidade materna uma atividade que necessita de uma estrutura organizacional, que permita a coleta minuciosa das informações de desempenho, dos efeitos ambientais e da genealogia dos indivíduos. Para que a seleção para habilidade materna, baseada em características de desempenho no período pré-desmame, seja eficiente, é necessário a utilização de ferramentas que calculem adequadamente os valores genéticos maternos, bem como, os efeitos ambientais envolvidos na expressão destas características. Para separação adequada dos efeitos maternos herdáveis e não herdáveis e a distinção dos efeitos genéticos diretos e maternos, é necessário que os arquivos de dados contenham informações das características de desempenho pré-desmame medidas nas mães e filhos, seus parentes e respectivas progênies, além do maior número possível de vacas com mais de um filho, vacas que tenham netos e touros com filhas e netas avaliadas, o que permitirá a utilização de dados dos animais aparentados, a partir da estrutura criada pelos laços genéticos existentes entre os parentes, aumentando a precisão das DEPs obtidas. O sucesso da seleção de vacas com maior habilidade materna resulta na escolha de animais com elevado potencial para produção de leite, e possivelmente, mais exigentes quanto ao manejo nutricional e sanitário, portanto temos que nos preocupar com o ambiente em que estamos selecionando nossos animais para que estes não tenham seu desempenho subutilizado ou até mesmo comprometido quando a forma de manejar os animais não são consideradas.

03


04

Quilombo

Quilombo

JORNAL

JORNAL

Seleção para PERÍMETRO ESCROTAL resulta em ganhos de produtividade Baixo desempenho reprodutivo é o principal limitante de eficiência produtiva em rebanhos de bovinos de corte e, por isso, o foco em características reprodutivas nos objetivos de seleção são indispensáveis para a otimização da eficiência econômica do rebanho. O Perímetro Escrotal (PE) vem sendo utilizado como critério de seleção, por ter correlações genéticas favoráveis com características de sêmen, com idade à puberdade em machos e fêmeas. Alguns trabalhos científicos sugeriram que os fatores hormonais responsáveis pelo desenvolvimento testicular inicial nos machos são os mesmos que promovem o desenvolvimento ovariano inicial nas fêmeas. BOURDON e BRINKS (1986) relacionaram as medidas de PE com a fertilidade inerente da fêmea (genes para fertilidade). Vários resultados da literatura, mostram que o PE apresenta alta herdabilidade (em média, 50%). É necessário salientar que a maioria dos estudos no Brasil considera o PE medido aos 18 meses, enquanto em trabalhos estrangeiros a medida geralmente é feita aos 12 meses (o Bos Taurus alcançaria a maturidade sexual antes que o Bos indicus), por isto devemos focar nossa seleção no perímetro escrotal

aos 365 dias, buscando um alto desafio no melhoramento genético do nelore. A facilidade da medida, alta herdabilidade e correlação genética favorável com as características reprodutivas da fêmea aumentam a utilização desta característica em programas de seleção, visando o melhoramento da fertilidade do rebanho. Com relação às fêmeas, há maior dificuldade de se determinarem características facilmente mensuráveis que sejam geneticamente relacionadas com a fertilidade.Algumas características geralmente utilizadas são idade ao primeiro parto (IPP), intervalo de partos (IP), número de dias para o parto (DPP) e duração da gestação (DG). Fazendo o básico para seleção de fertilidade se consegue resultados expressivos de ganho de produtividade. Com uma estação de monta rigorosa, aonde as fêmeas que não conseguem seu objetivo principal, que é ficar gestante, e se preocupando com a utilização de touros que sejam realmente positivos para perímetro escrotal, teremos grandes respostas a ganhos de produtividade. Buscar muitos tipos de características para seleção de fertilidade pode ser um erro de estratégia e reduzir os ganhos genéticos na seleção de seu rebanho.

Convite

s e z i d r e P a d n e z a F o a p m a na Fazend o p C m a C e e d Dia d o prazer em convidá-los pdaerapaorDa iaos pecuaristas conhneacmereenmto. tem m o relacio oportunida e r a a A Tortuga á it r e e r s t s o e r t de sse encon nejo, além a m e d s Perdizes. E e õ taç icas e orien n c é t s a v o n

do a b á S 0 1 0 e2 d o h l zes i u J d r e e P a d 17 d n s 8 h - Faze

A partir da

da manhã é f a c e o ã ç 8h - Recep oas Vindas 9h - B ras: nas palest s o d a d r o corte para e Temas ab d o d a g e jo d o de mane e ã ç a c ifi s n e ad int erdizes na anhos de produtivid – Tortuga P a d n e z a aF eg ssi Desafios d obtenção d sandro de Andrade Do er e Les mplo de e x e Ayrton Bnd m u , o mb ético Quilo e n e g o t n e melhoram ncia e simplicidad te Campo Grande r Sistema de eficiê Gado de Co – a p a r b m Campos – E ilizando o t u e d a Luis Otávio id dutiv hos de pro ilombo n a g r a iz es para otim mento genético Qu mbo/ Perdiz o Estratégias il u Q a d melhora n e Faz s Moreno – 0 in t r a M o ic bo - 24/07/1 m o Freder il u Q o vad o Peso Pro ã il e L ° 8 o s animais d Mostra do rramento e c n e e o ç 00 12h - Almo 67) 9288-88

: Guto ( a ç n e s e r p a onfirme su o C ! ê c o Tra n sm is sã v r o p s o m a r Espe

161

(67) 3320-6

rês Lagoas izes. T o id t n e s e o Grand nda Perd e p z a m a F C > e d m o k da + 12 ar: saind Como cheg o trem, virar à esquer a linha d +/- 23 km n

05


06

Quilombo

Quilombo

JORNAL

JORNAL

PRÉ- CATÁLOGO - 8º LEILÃO PESO PROVADO QU I LO M B O

8º Leilão

24 de julho de 2010

S á b a d o - 1H o2r á r i ohd eoBrr a saí l isa Recinto da Acrissul - Campo Grande - MS 150 Touros Provados Todos com DEPs Positivas Transmissão

(67) 3320-6161

Assessoria e informações:

Catálogo disponível no site: www.quilombo.com.br Apoio:

Patrocínio:

LOTE

NOME

RGN

NASC.

PAI

MÃE

PESO

CE

MGT - TOP MGT

1

DAIMON QUIL

QUI 5669

03/04/2007

HELÍACO DA JAVA

BABALU 18 TE QUIL

697

35

12,71 - 2%

2

DENDI TE QUIL

QUI 5685

01/05/2007

HELÍACO DA JAVA

ALCÂNFORA TE QUIL

823

37

12,65 - 2%

3

DEMOCRATA TE QUIL

QUI 5689

01/05/2007

HELÍACO DA JAVA

BILARA 21 PO DA NI

799

36

10,88 - 5%

4

DESCANTO TE QUIL

QUI 5691

01/05/2007

BITELO DA SS

VEREDA TE DE NAV

755

33

7,10 - 20%

5

DEPÓSITO TE QUIL

QUI 5695

01/05/2007

BITELO DA SS

VEREDA TE DE NAV

855

41

7,10 - 20%

6

DEMARCADOR TE QUIL

QUI 5732

14/05/2007

BITELO DA SS

SADAULA TE POI DO BR

759

36

7,00 - 20%

7

DESENHISTA TE QUIL

QUI 5743

17/05/2007

1646 DA MN

ZANDA DO BJ TE

715

34

11,50 - 4%

8

DESFILE TE QUIL

QUI 5750

20/05/2007

HELÍACO DA JAVA

BILARA 21 PO DA NI

763

36

10,88 - 5%

9

DEZEMBRO TE QUIL

QUI 5760

21/05/2007

BASCO DA SM

VHERA AL PAUL

809

32

3,81 - 40%

10

DIAMANTINO TE QUIL

QUI 5762

21/05/2007

HELÍACO DA JAVA

BILARA 21 PO DA NI

749

36

10,88 - 5%

11

DECORADO TE QUIL

QUI 5769

27/05/2007

HELÍACO DA JAVA

ZANDA DO BJ TE

801

42

13,14 - 2%

12

DECIFRADOR TE QUIL

QUI 5783

01/06/2007

FAJARDO DA GB

BRITÂNICA 1 TE QUIL

743

31

7,47 - 20%

13

DAIQUIRI TE QUIL

QUI 5787

01/06/2007

BASCO DA SM

VHERA AL PAUL

693

34

3,81 - 40%

14

DELATO TE QUIL

QUI 5796

05/06/2007

BASCO DA SM

ABERTA DA SJ

767

33

8,27 - 15%

15

DINNO TE QUIL

QUI 5800

05/06/2007

ÁTMA DE NAV

MENSAGEIRA DA JAVA

761

33

7,79 - 15%

16

DEDUZIDO TE QUIL

QUI 5814

10/06/2007

ÁTMA DE NAV

MENSAGEIRA DA JAVA

773

32

7,79 - 15%

17

DEFRONTE QUIL

QUI 5815

10/06/2007

OTON TE DA QUIL

OMAGRA 1 TE QUILOMBO

755

34

2,32 - 60%

18

DADO TE QUIL

QUI 5817

11/06/2007

ÁTMA DE NAV

BILARA 21 PO DA NI

741

31

5,90 - 25%

19

DECTOR TE QUIL

QUI 5818

11/06/2007

HELÍACO DA JAVA

EXPRESSÃO DE RAÍZES

771

38

11,35 - 4%

20

DATILO TE QUIL

QUI 5819

13/06/2007

HELÍACO DA JAVA

JIA TERRA BOA

785

34

11,79 - 3%

21

DEDICADO TE QUIL

QUI 5820

13/06/2007

HELÍACO DA JAVA

ZANDA DO BJ TE

793

38

13,14 - 2%

22

DEFENSOR TE QUIL

QUI 5821

15/06/2007

BASCO DA SM

BABALU PO DA NI

801

34

7,82 - 15%

23

DEFENIDOR TE QUIL

QUI 5824

16/06/2007

BASCO DA SM

BABALU PO DA NI

775

34

7,82 - 15%

24

DUCTO TE QUIL

QUI 5827

17/06/2007

HELÍACO DA JAVA

JIA TERRA BOA

777

32

11,79 - 3%

25

DATADOR TE QUIL

QUI 5830

18/06/2007

BASCO DA SM

SAMOA 1 QUILOMBO

673

35

8,81 - 10%

26

DECERTO TE QUIL

QUI 5832

20/06/2007

BASCO DA SM

BILARA 21 PO DA NI

697

32

6,73 - 20%

27

DEFLUXO TE QUIL

QUI 5838

23/06/2007

BITELO DA SS

BABALU 9 TE QUILOMBO

721

29

7,95 - 15%

28

DECANO TE QUIL

QUI 5843

25/06/2007

BASCO DA SM

SAMOA 1 QUILOMBO

723

33

8,81 - 10%

29

DOMADOR TE QUIL

QUI 5856

01/07/2007

BASCO DA SM

URCA 2 TE QUILOMBO

751

34

8,94 - 10%

30

DOMINANTE QUIL

QUI 5858

01/07/2007

BASCO DA SM

URCA 2 TE QUILOMBO

633

30

8,94 - 10%

31

DOMEC TE QUIL

QUI 5862

06/07/2007

BITELO DA SS

ABERTA DA SJ

765

32

9,43 - 10%

32

DONO TE QUIL

QUI 5863

07/07/2007

BITELO DA SS

QUASSIA I

709

30

4,30 - 40%

33

DECIDIO TE QUIL

QUI 5872

13/07/2007

LUFO TE DA CARPA

CRISTY DA HRO

719

33

11,61 - 3%

34

DAMASCO TE QUIL

QUI 5883

20/07/2007

BITELO DA SS

ABERTA DA SJ

775

32

9,43 - 10%

(67) 9288 8800

35

DUBLE TE QUIL

QUI 5908

31/07/2007

TARZAN TE DE NAV

BRITÂNICA 1 TE QUIL

819

36

2,74 - 50%

Leiloeira

36

DIOMEDE TE QUIL

QUI 5971

28/08/2007

TROVÃO TE DE NAV

GANA 4 QUILOMBO

851

34

5,69 - 30%

37

DÓLAR TE QUIL

QUI 5976

01/09/2007

HELÍACO DA JAVA

BILARA 21 PO DA NI

763

39

10,88 - 5%

38

DIMITRI TE QUIL

QUI 5988

05/09/2007

BITELO DA SS

SAUDITA TE QUILOMBO

735

34

7,58 - 15%

39

DEODATO TE QUIL

QUI 6017

12/09/2007

FAJARDO DA GB

TRAJA TE QUILOMBO

721

35

7,03 - 20%

40

DESTILADOR DA QUIL

QUI 6091

01/11/2007

TARZAN TE DE NAV

VENIA 3 TE QUILOMBO

621

30

1,20 - 70%

41

DUENDE TE DA QUIL

QUI 6113

04/12/2007

BASCO DA SM

ESTILOSA 1 TE QUIL

700

30

8,63 - 15%

42

EBRIO TE DA QUIL

QUI 6144

06/01/2008

BUGIO TE DA SM

BABALU PO DA NI

643

34

10,53 - 5%

43

ECIDIO TE DA QUIL

QUI 6154

10/01/2008

BUGIO TE DA SM

BABALU PO DA NI

639

34

10,53 - 5%

(67) 3384 9077

44

ECON TE DA QUIL

QUI 6167

17/01/2008

BUGIO TE DA SM

BARRAGEM 6 TE QUIL

705

32

8,64 - 15%

45

EKAN TE DA QUIL

QUI 6172

18/01/2008

BUGIO TE DA SM

SAMOA QUILOMBO

695

35

9,87 - 10%

46

EUCARIOTO TE DA QUIL

QUI 6201

01/02/2008

BASCO DA SM

BILARA 21 PO DA NI

601

34

6,73 - 20%

47

EUBAGEL DA QUIL

QUI 6202

03/02/2008

ÁTMA DE NAV

THALMAS 1 TE QUIL

711

30

4,21 - 40%

48

EUBENTO DA QUIL

QUI 6210

10/02/2008

LUFO TE DA CARPA

HERENA TE DA FAZENDINHA

659

28

12,74 - 2%

49

EUFÔNICO TE DA QUIL

QUI 6211

10/02/2008

BITELO DA SS

MEL DA SANTA NICE

733

27

12,44 - 2%

07


08

Quilombo JORNAL

PR É - C AT Á LO G O - 8 º L E I L Ã O P E S O P R O VA D O Q U I LO M B O LOTE

NOME

RGN

NASC.

PAI

MÃE

PESO

CE

MGT - TOP MGT

50

EVIDENTE TE DA QUIL

QUI 6230

20/02/2008

51

EUSSEN TE DA QUIL

QUI 6252

11/03/2008

BITELO DA SS

JIA TERRA BOA

641

30

8,77 - 10%

BASCO DA SM

SOMBRA 1 TE QUILOMBO

585

26

7,37 - 20%

52

EUTÉRIOS TE DA QUIL

QUI 6258

23/03/2008

BASCO DA SM

SOMBRA 1 TE QUILOMBO

595

26

7,37 - 20%

53

EVANGELHO TE DA QUIL

QUI 6272

21/04/2008

GUINCHO TE DE NAV

MEL DA SANTA NICE

623

24

10,31 - 10%

54

EXEMPLO TE DA QUIL

QUI 6286

05/05/2008

HELÍACO DA JAVA

PAISAGEM TE MATA VELHA

593

26

11,64 - 3%

55

EVENTUAL TE DA QUIL

QUI 6288

05/05/2008

BITELO DA SS

AMIGA 5 SR DA SARA

675

35

8,76 - 10%

56

EXEMPLAR TE DA QUIL

QUI 6297

08/05/2008

BITELO DA SS

BULGÁRIA I PO DA NI

603

32

10,70 - 5%

57

EXPOSITOR TE DA QUIL

QUI 6302

10/05/2008

BITELO DA SS

SOMBRA 1 TE QUILOMBO

593

24

8,53 - 15%

58

EXTENSO TE DA QUIL

QUI 6303

11/05/2008

BITELO DA SS

BULGÁRIA I PO DA NI

575

24

10,70 - 5%

59

EXPEDIENTE DA QUIL

QUI 6311

29/05/2008

TRAVESSO QUILOMBO

617

26

7,15 - 20%

60

EXCESSO DA QUIL

QUI 6313

31/05/2008

SOLON QUILOMBO

BABALU 13 TE QUIL

550

27

0,30 - 70%

61

EXIMIR TE DA QUIL

QUI 6326

10/06/2008

BITELO DA SS

SHAYA TE TERRA BOA

595

21

8,76 - 10%

62

ESTILO TE DA QUIL

QUI 6342

01/07/2008

BASCO DA SM

BABALU 9 TE QUILOMBO

615

26

6,76 - 20%

AVENTURA TE QUILOMBO

63

EVO TE DA QUIL

QUI 6363

1/8/2008

BITELO DA SS

UVA TE QUILOMBO

565

22

7,23 - 20%

64

ENSETE TE DA QUIL

QUI 6364

2/8/2008

BIG BEN DA SN

RAVANNA TE QG ARATAÚ

577

20

6,35 - 25%

65

EXTRATIVO TE DA QUIL

QUI 6367

6/8/2008

BASCO DA SM

MADAME FIV COMAPI

623

23

6,43 - 25%

66

EXTERIOR TE DA QUIL

QUI 6372

14/8/2008

BITELO DA SS

UVA TE QUILOMBO

577

22

7,23 - 20%

67

EDADOR PO QUIL

QUIL 9092

09/10/2006

OTON TE DA QUIL

630/03 DA PERDIZES

745

36

2,23 - 60%

68

EMBARGADOR QUIL

QUIL 9228

02/11/2006

COSTUME DE NAVIRAÍ

4640/02 PO PERDIZES

893

36

10,83 - 5%

69

ENALTECIDO QUIL

QUIL 9702

13/12/2006

VESPER TE QUILOMBO

5685/03 DA PERDIZES

718

30

6,25 - 25%

70

ENFEITIÇADO QUIL

QUIL 9880

30/12/2006

TRAVESSO QUILOMBO

5463/03 DA PERDIZES

813

36

4,36 - 40%

71

ENGANADO QUIL

QUIL 9906

31/12/2006

UM TE QUILOMBO

1340/00 PO PERDIZES

805

38

10,04 - 10%

72

ENGRILHO QUIL

QUIL 9958

08/01/2007

SONTAL TE QUILOMBO

5982/03 DA PERDIZES

859

35

3,19 - 50%

73

ENTARDECIDO QUIL

QUIL 10013

13/01/2007

4562/02 PO PERDIZES

EYLA I DA PET

783

35

11,14 - 4%

74

ENTER QUIL

QUIL 10021

16/01/2007

SONTAL TE QUILOMBO

5496/03 DA PERDIZES

827

35

2,49 - 50%

75

EXAGERADO DA QUIL

QUIL 10762

13/11/2007

97/99 PO PERDIZES

FORTUNA DA N FRONT

619

30

-1,56 - 90%

76

EXAMINE DA QUIL

QUIL 10769

14/11/2007

VULLCAN TE QUIL.

VEREDA 6 TE QUILOMBO

655

33

4,77 - 40%

77

EXCLUSIVO DA QUIL

QUIL 10819

16/11/2007

7322/04 PO PERDIZES

2868/01 PO PERDIZES

731

32

9,66 - 10%

78

FAROFENTO DA QUIL

QUIL 11094

10/12/2007

7308/04 PO PERDIZES

7112/04 PO PERDIZES

701

30

10,94 - 4%

79

FARRANCHO DA QUIL

QUIL 11101

10/12/2007

4030/02 PO PERDIZES

BILHA DA SJ

683

33

-1,51 - 90%

80

FATIGOSO DA QUIL

QUIL 11167

18/12/2007

SOLON QUILOMBO

5685/03 DA PERDIZES

647

32

4,55 - 40%

81

FECHADO DA QUIL

QUIL 11192

20/12/2007

97/99 PO PERDIZES

76/98 DA PERDIZES

785

33

3,65 - 50%

82

FECULENTRO DA QUIL

QUIL 11208

22/12/2007

SONTAL TE QUILOMBO

5840/03 DA PERDIZES

625

30

0,90 - 70%

83

FEIXE DA QUIL

QUIL 11243

26/12/2007

1344/00 PO PERDIZES

396/99 PO PERDIZES

657

31

8,99 - 10%

84

FEL DA QUIL

QUIL 11245

26/12/2007

30/99 PO PERDIZES

3551/01 PO PERDIZES

649

34

8,15 - 15%

85

FENDIDO DA QUIL

QUIL 11261

27/12/2007

1344/00 PO PERDIZES

4142/02 PO PERDIZES

665

31

3,19 - 50%

86

GABAROLA DA QUIL

QUIL 11278

01/01/2008

97/99 PO PERDIZES

4885/02 PO PERDIZES

659

30

6,63 - 20%

87

GAIVÃO DA QUIL

QUIL 11308

02/01/2008

SONTAL TE QUILOMBO

5726/03 DA PERDIZES

781

31

7,50 - 20%

88

GALANTEADOR DA QUIL

QUIL 11328

05/01/2008

30/99 PO PERDIZES

ANGRA SV

649

29

1,70 - 60%

89

GALEÃO DA QUIL

QUIL 11340

07/01/2008

SOLON QUILOMBO

5560/03 DA PERDIZES

643

30

5,40 - 30%

90

GALEAÇO DA QUIL

QUIL 11343

08/01/2008

AQUASO TE QUIL.

CAPITU 1 TE QUILOMBO

711

29

6,43 - 25%

91

GALETO DA QUIL

QUIL 11356

09/01/2008

BAGGIO TE DA QUIL

5957/03 DA PERDIZES

701

30

5,52 - 30%

92

GAMA DA QUIL

QUIL 11411

10/01/2008

TRAVESSO QUILOMBO

CAZUZA DA FRONT

625

30

6,31 - 25%

93

GALHUDO DA QUIL

QUIL 11371

11/01/2008

VITORIANO QUILOMBO

EYLA I DA PET

705

28

7,79 - 15%

94

GALÍFERO DA QUIL

QUIL 11386

15/01/2008

PALADAR QUILOMBO

2505/01 PO PERDIZES

623

28

11,92 - 3%

95

GAUDES DA QUIL

QUIL 11453

21/05/2008

OTON TE DA QUIL

4203/02 PO PERDIZES

581

21

1,92 - 60%

96

GEMIDO DA QUIL

QUIL 11480

09/07/2008

TRAVESSO QUILOMBO

5202/03 DA PERDIZES

575

37

2,67 - 50%

97

GENARCA DA QUIL

QUIL 11492

16/07/2008

SONTAL TE QUILOMBO

SALTADA 1 TE QUIL

573

23

2,61 - 50%

Edição e criação: Art Luz Propaganda | Fotos: Naur Barbosa e Rubens Ferreira | Impressão: Midiograf Gráfica e Editora

Fale conosco (11) 3049-8880 | www.quilombo.com.br Este jornal é impresso em papel reciclado. A Quilombo apóia e pratica o desenvolvimento sustentável.


Jornal Quilombo - 19ª edição