Issuu on Google+


Um pesadelo, Samuel acorda agradecendo por tudo aquilo não ter passado de um sonho ruim, quando ele ouve um barulho. Samuel corre em disparada em direção ao quarto de Sara, mas vê que a luz do banheiro estava ligada, ele olha para dentro do lugar e nota que sua irmã estava ali, parada de frente ao espelho. Ela tremia muito. Samuel se aproximou dela, chamando pelo seu nome, mas não obteve resposta, ele se aproximar ainda mais e pode notar algo de estranho no reflexo da irmã. No espelho a face de Sara era refletida, mas no lugar de seus olhos encontrava-se um vazio emersos em trevas, e destes buracos rachaduras eram formadas, como se o rosto da garota estivesse quebrando. O desespero toma conta do rapaz e ele corre em direção à irmã, virando-a para si para ver se tudo que vira era real. Felizmente tal imagem não passara de uma ilusão, mas a paz dura pouco; gotas de sangue começam a escorrer dos olhos da garota que parece estar em uma espécie de transe, porém, o que mais assustava Samuel em tal ocorrido era o fato do caminho que o sangue corria lembrar-lhe rachaduras. De repente Sara empurra o rapaz, o corpo de Samuel é arremessado em direção a parede. Por causa do impacto sua visão


começa a embaçar; a única coisa que ele se lembra antes de ficar inconsciente foi a imagem de Sara se arrastando em sua direção como se fosse um predador atras de sua presa. O rapaz acorda assustado e nota que está na sua cama, ele respira fundo e chega a conclusão que o fato ocorrido no banheiro também fora um sonho. Ele da um sorriso e se levanta se deparando com um bilhete posto na comoda que ficava ao lado de sua cama. Ele abre o bilhete que dizia que seus pais e sua irmã saíram cedo para que Sara fosse a policia depor sobre o desaparecimento. Samuel segue em direção ao banheiro e começa a tirar suas roupas para tomar um banho, mas ao tirar a blusa ele acaba sentindo uma dor incrivelmente forte, intrigado com o fato ele vira suas costas em direção ao espelho e nota o hematoma que tomava conta de toda a sua pele, tal ferida só poderia ser causada por um forte impacto. Os olhos do rapaz se abrem, ele olha para as marcas roxas e tenta afastar as ideias que se formavam em sua mente.


Espelho_4