Page 1

Ano 5 | Edição 51 | Maio 2014 | R$ 6,90

+

Bike Fit Saiba como essa avaliação pode prevenir lesões e aumentar sua performance no ciclismo

Quiropraxia Acabe com as dores na coluna lombar, hérnia de disco e dor ciática, dores de cabeça, problemas nas articulações, etc

Nutrição

No Brain, No Gain. Já parou para pensar que sem cérebro também não há ganho?

futebol

A utilização do 4G durante a Copa é jogada de marketing, diz especialista. Entenda!

REC | 1


2 | REC


REC | 3


4 | REC


REC | 5


6 | REC


REC | 7


Editorial Nós estamos no clima da Copa! Como poderíamos imaginar que o clima de euforia de nossos governantes, quando do anúncio do Brasil, como sede da copa do mundo, desse lugar a uma atmosfera de tensão e de revolta na véspera do evento? Eu mesmo, que acompanho esse torneio de forma apaixonada desde criança, ainda que com minha vaga lembrança dos lances geniais de Zico e Maradona, estou agoniado em ver que a nação ainda não calçou as chuteiras da seleção brasileira até agora, e ouso dizer que não sei se ainda vai calçar, pelo andar dos acontecimentos. Sei que todas as manifestações são legítimas, mas sou totalmente contra. Tivemos 7 anos para ser contra… e só resolvemos ser agora, já com todo dinheiro gasto. Porque não fazem uma manifestação em frente a casa dos deputados exigindo que seja apurado o quanto foi super faturado nos contratos de reformas? Ou porque não param a saída da garagem dos prefeitos e governadores que não investiram o dinheiro reservado para infraestrutura? Não consigo entender isso. Você é a favor das manifestações? Ótimo, tem todo direito. Mas eu estou convencido que sou totalmente contra! Ah, não se assustem com a mudança de cores do nosso Logotipo, ok. Nós estamos no clima da Copa. Rumo ao hexa Brasil!

Expediente Revista REC: Resenha Esporte Clube Diretores: Danilo Galzerano e Igor Voigt Diagramação e Criação: Bruno Cunha Jornalista Responsável: Igor Voigt - MTB 59231/SP Circulação: Limeira- SP Distribuição: condomínios residenciais, clínicas e consultórios, clubes, academias, restaurantes, bares, empresas e bancas. Ano 05, edição 51 Maio/2014.

Igor Voigt

Todo o conteúdo dos anúncios publicitários contidos nesta edição é de responsabilidade dos anunciantes. A REC conta também com especialistas da área da saúde que darão maior embasamento ao contexto geral da revista. Lembramos que especialistas e colaboradores não possuem qualquer vínculo empregatício com a REC. É proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização.

8 | REC

REC Resenha Esporte Clube comercial@revistarec.com.br @revista_rec (19) 3034.6555 www.revistarec.com.br


REC | 9


ES

19

CA

LA

ÇÃO

27

34

42

12

19

34

bike fit Saiba como essa avaliação pode prevenir lesões e aumentar sua performance no ciclismo

Quiropraxia Acabe com dores na coluna lombar, hérnia de disco e dor ciática, dores de cabeça, problemas nas articulações, etc

27

38

vida nova A jovem Nathalia Ramone viu no esporte a única maneira de ter sua saúde e seu amor próprio de volta

Nutrição No Brain, No Gain. Já parou para pensar que sem cérebro também não há ganho?

RECgameinfor No Brasil, mais de 80% dos jogos desenvolvidos são direcionados a smartphones e tablets

16 oss Criamos a coluna “OSS” para mostrar as principais atividades das academias de lutas de Limeira

42

futebol A utilização do 4G durante a Copa é jogada de marketing, diz especialista. Entenda!

10 | REC


11 | REC


O

RECgameinfo

gigante na palma da mão

12 | REC

texto | Patrícia Lima e Daniel Gonzales

No Brasil, mais de 80% dos jogos desenvolvidos são direcionados a smartphones e tablets. O motivo é o baixo valor investido e o rápido retorno, a exemplo do popular Candy Crush Saga, criado pela empresa King

U

m mercado bilionário que não para de crescer! O mundo dos games encanta diferentes gerações há décadas. E, se há jogadores apaixonados, existe também uma demanda cada vez mais exigente e aquecida de profissionais, preparada para criar novidades na indústria tecnológica. Entre as missões dos desenvolvedores de jogos eletrônicos brasileiros estão o domínio de diferentes plataformas e a atualização no mercado mundial e local.


Para se ter uma ideia, um estudo divulgado no último mês, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento, aponta que, mais do que blockbusters milionários - consumidos em sua maioria pelo público masculino - a grande oportunidade de lucro está no “retro game” mobile, baixados em smartphones e tablets, em especial por elas, as mulheres. No país, 81% dos jogos produzidos são voltados à tecnologia da “palma da mão”. Portanto, em meio a tantas empresas jovens, sendo 50% delas com , no máximo, três anos de fundação, quem concentrar suas apostas na busca de capacitação no segmento , terá grandes chances de estar dentro de estatísticas futuras ainda mais otimistas e promissoras.

D

icas para se tornar um “retro-gamer”

Enquanto jogos de última geração são lançados em ritmo acelerado, uma galera cultiva e idolatra games das décadas passadas. “Você não consegue ligar os pontos olhando pra frente; você só consegue ligá-los olhando pra trás”. As sábias palavras de Steve Jobs (1955-2011) se encaixam perfeitamente no conceito “retro-gamer”. Com mais de quarenta anos de idade, a indústria dos videogames já produziu mais máquinas, modas, sucessos e lendas do que somos capazes de lembrar.

2- Saiba que sites não são os únicos lugares onde procurar: É tentador imaginar que as melhores ofertas e oportunidades estão na rede, mas nem sempre isso acontece. Procure também em comunidades de entusiastas ou nas redes sociais, que podem ser até mais amigáveis com novatos do que o competitivo ambiente dos leilões eletrônicos. Nas grandes cidades é possível encontrar grupos de colecionadores, como o MSXRio, que reúne fãs do computador oitentista na capital fluminense. São Paulo também tem um evento similar, o MSX->SP. Outra vantagem da capital paulista são as lojas da região central, que trabalham apenas com jogos antigos. 3- Muito cuidado com bloqueios de região: Diferente do PlayStation 4 e do Xbox One, os consoles antigos são cheios de bloqueios e travas de região, feitas para preservar a distribuição dos games e devido às diferentes

to:

Fo em

ag

Im de et

ern

int

Jogos antigos, cheios de limitações técnicas, muitas vezes surpreendiam pela criatividade dos desenvolvedores e inspiraram produções modernas em diferentes níveis. E, se a indústria chegou ao estágio em que se volta para si em auto referência, é natural que os jogadores façam o mesmo, descobrindo tesouros e fiascos das gerações passadas.

Agora, se vai entrar nessa para colecionar, prepare o bolso e a paciência para encontrar o que procura e pesquisar muito em lojas, comunidades online e sites, atrás do melhor preço. Outra dica são os grupos de colecionadores na sua cidade ou em fóruns e redes sociais.

Seja você um jovem curioso ou veterano nostálgico do mundo dos games, saiba que há inúmeros motivos para se aventurar no universo “retro-gamer”. Porém é preciso estar bem informado, para não se perder, e nem perder dinheiro, nesse novo hobbie. 1- Você quer apenas colecionar ou jogar? Pense bem sobre o que deseja, pois os custos e o trabalho de iniciar uma coleção são bem maiores do que adquirir games novos. Caso o objetivo seja apenas jogar, verifique se versões digitais dos games que procura não resolvem a questão. É possível comprar jogos antigos por download de forma perfeitamente legal, por meio de sites como GoG e Steam (PC), ou diretamente dos catálogos PS One Classics na PSN (PS3, PS Vita), Virtual Console (Nintendo) e Xbox Live (Xbox 360). REC | 13


recgameinfo

Foto: Imagem de internet

configurações técnicas dos televisores. Saiba exatamente as configurações dos aparelhos que adquiriu antes de fechar negócio. Afinal, deve ser frustrante comprar uma cópia japonesa de “Street Fighter vs. X-Men” apenas para descobrir que o seu Sega Saturn europeu é incapaz de rodar o game. Vale também buscar acessórios que ajudem a contornar problemas desse tipo, como adquirir um adaptador, que é bem fácil e barato de se encontrar. 4- Se é raro não quer dizer que é bom: Games, equipamentos ou acessórios raros e antigos não siginificam automaticamente bons negócios. Cartuchos como “E.T.” para Atari 2600 podem ser difíceis de encontrar, justamente por terem encalhado nas lojas na época do lançamento e acabarem enterrados em um deserto no Novo México. Concentre-se nos títulos melhores avaliados. A mesma regra vale para acessórios, fontes e cabos. Uma fonte de energia original de Sega CD pode ser cara e estar quase inutilizada, enquanto uma outra marca, mais nova, vai funcionar melhor, manter seu videogame ligado e custar menos. 01 01

Consoles, cartuchos, acessórios... Enquanto a indústria de jogos de última geração trabalha em ritmo acelerado, os games retrô são idolatrados por jogadores “das antigas” e os herdeiros da nova geração

14 | REC

5- Escolha um tema ao iniciar a sua coleção: Pode-se optar por comprar jogos ou apenas consoles e acessórios de uma determinada fabricante. A ideia aqui é que você concentre suas buscas e gastos em uma plataforma ou franquia específica. Afinal, colecionar jogos antigos é um hobbie e é importante que você se divirta com isso. Boa sorte!


REC | 15


OSS

Alguns podem até torcer o nariz, mas o universo das lutas só aumenta em Limeira, não temos dúvida. Pensando nisso, resolvemos criar a coluna OSS, onde mostraremos as atividades mensais das principais academias da cidade.

Academia Chiu Jin Foi muito bacana a participação dos alunos da academia Chiu Jin, do professor Jairo Figueiredo, no Dia do Desafio. O evento aconteceu no Parque Cidade, e a disputa foi contra Aracaju (SE). “Foram momentos muito especiais, pois, além da aula, foi importante o envolvimento do público praticando conosco o Kung Fu. Nossa equipe Kids fez uma bela apresentação para todos os presentes, ganhando muitos aplausos. Esse aulão fez tanto sucesso que marcaremos um por mês no Parque Cidade para divulgar nossa Equipe e os benefícios da prática da Arte Marcial Chinesa para manutenção da saúde”, completa Jairo.

16 | REC

Fight for Life A equipe da Crispim Team teve brilhante participação no Campeonato Brasileiro de Jiu jitsu, organizado pela CBJJE (Confederação Brasileira de Jiu Jitsu Esportivo). A competição foi disputada em São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera, entre os dias 17 e 20 de maio. Alex de Almeida, Murilo Lopes, Gleison Reis e Cristiane Antero foram campeões em suas categorias. Já os atletas Paulo Saldanha e Luis Fernando ficaram com a prata. Djavam Freitas, atleta infantil, foi bronze. A competição também serviu como seletiva para o Mundial que será realizado em agosto.

Academia Associação Limeira de Taekwondo Aconteceu na vizinha Americana, no último dia 18, o XIII Circuito Pereira de Taekwondo, com participação de academias da região, além de atletas dos estados de Minas Gerais e do Amazonas. A Academia Associação Limeira de Taekwondo, juntamente com crianças e adolescentes atendidos no projeto de Taekwondo, localizado no Centro Comunitário do Jd. Odécio Degan, onde são treinados pelo professor Claudio Vitor, conquistaram a primeira colocação geral, por equipes, no campeonato. Foram 7 medalhas de ouro, 4 de prata e 3 de bronze. Dezesseis atletas participaram da competição.


Hapkido Como um instrumento complementar na capacitação dos profissionais da área de segurança, o Hapkido oferece um treinamento onde os alunos aprendem técnicas de projeções, chutes, torções e imobilizações direcionadas a diversas situações que fazem parte destes profissionais. Durante os treinamentos o aluno desenvolve técnicas de condução do indivíduo infrator em segurança, fazendo a contenção da força agressora, com o uso de força defensiva moderada e legal, ou seja, controlando o indivíduo, agindo assim com prevenção e segurança antes que haja o delito, evitando que o agente de segurança caia no Artigo 126 (lesão corporal), por excesso desta ação.

Sport Fight Center O professor limeirense, Adrien Roberto Domingues, Faixa Preta Terceiro Grau, mais uma vez foi campeão do Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu, organizado pela CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu Jitsu). Adrien competiu na categoria Super Pesado, até 100kg. Essa foi a nona conquista do limeirense, sete só na faixa preta. Ele também havia vencido nas faixas marrom e roxa. A competição que é a mais importante do calendário nacional, disputada só por atletas de ponta do Brasil, foi realizada em Barueri, no início de maio, entre os dias 1 e 4.

Fight Club Maio foi um mês de grandes vitórias para os atletas da academia Fight Club. Sob a batuta do professor Marcos Willian, da Equipe Tozi Fight Club Limeira, seus alunos conquistaram muitas medalhas douradas nos diversos campeonatos que disputaram pelo estado de São Paulo. Destaque para a atleta Renata de Godoy que sagrou-se campeã brasileira, em sua categoria, no Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu da CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu Jitsu). Outro que fez bonito foi Pedro Macedo, campeão da Copa Internacional de Jiu Jitsu, realizada no último dia 18 na capital.

REC | 17


18 | REC


Aparentemente as bicicletas são todas iguais. Mas o que muda de uma bike para outra? As bicicletas de uma maneira geral tendem a ser mais altas e mais curtas ou mais baixas e mais compridas, mas isso não é uma regra. Algumas bikes ainda apresentam geometrias de frente alta e comprida ou baixa e curta. Para saber qual a melhor se encaixa com seu perfil o ideal é que se faça um bike fit, ele aumentará sua performance e reduzirá os riscos de lesões. Confira! REC | 19


Bike Fit,

já ouviu falar? duas rodas

texto e fotos | Igor Voigt

20 | REC

Pode até existir várias opções de fórmulas prontas e tabelas que prometem auxiliar no ajuste da bicicleta ao ciclista, porém a avaliação personalizada de um profissional fitter corresponde a esta demanda, já que cada bicicleta e cada indivíduo são únicos

É

mesmo impressionante o grande número de bicicletas pelas ruas, mas quem vê um ciclista pedalando não imagina o quão importante é a integração e adaptação entre a bicicleta e quem está sobre ela. E para entender como realmente funciona esse trabalho de ajuste entre o homem e a “máquina” conversamos com o fisioterapeuta Igor Marques Gil (38), precursor do Retul bike fit em Limeira e região. “Basicamente, o bike fit é o processo de adequar a bicicleta para o ciclista, de forma a tornar o conjunto bicicleta/ciclista o mais eficiente possível. Ele pode (e deveria) ser feito em qualquer modalidade de bicicleta, por qualquer tipo de ciclista. Desde a bicicleta projetada para as provas de contra-relógio, speed e montain bike, assim como para o ciclista de ‘final de semana’ ao atleta profissional”, explica Igor.


Igor, que também foi pioneiro do método Pilates e do Rolfing na cidade, faz questão de esclarecer que uma boa avaliação através do bike fit é um dos fatores individuais mais importantes para performance e eficiência ideais, prevenção de lesões e conforto sobre a bicicleta. “Um bike fit adequado fornecerá ao ciclista a maneira mais econômica de dispender energia, como também irá prevenir dores comuns no joelho, quadril e lombar, principalmente em ciclistas que estão tentando adaptar seu corpo a uma bicicleta nova ou a que já possuem”. Como pedalar é um movimento repetitivo, imagine uma pessoa que pedala meia hora por dia, 3x por semana, com uma cadência de média de 60 pedaladas por minuto. Serão 5.400 pedaladas por semana ou 21.600 repetições do movimento por mês. Agora, se essa pessoa estiver mal posicionada em sua bicicleta é muito provável que ela desenvolva vários problemas diferentes como dores nos pés, tornozelos, joelhos, quadril, coluna lombar e/ou cervical, dores nos punhos e ombros. Tendinites também ocorrerão, assim como outras disfunções ainda mais sérias. Tentar minimizar ou extinguir qualquer problema do ciclista com sua bike é trabalho para o bike fitter, profissional especializado em bike fit. A verdade é que bike fit é coisa séria e bike fitter é profissão. A escolha de um quadro ideal ou ajuste de posicionamento é o que vai definir se uma pessoa vai ter prazer ou não em utilizar uma bicicleta. Uma bike que ofereça prazer ao ciclista permitirá que ele evolua, por outro lado o desconforto e sofrimento farão com que a pessoa desista de pedalar. Atualmente, muitas pessoas se dizem bike fitter e ajustam bicicletas sem nenhuma fundamentação. Trabalham no achismo e comprometem a saúde física de vários ciclistas. Portanto é bom entender que bike fit é ciência e que para utilizá-la é preciso estudar, se formar em bike fit e saber utilizar esses conhecimentos. O que precisa ser entendido é que cada profissional possui uma formação e cada qual é o melhor naquilo que se propõe. Portanto, se quer comprar o melhor equipamento, consulte seu vendedor para que ele possa orientá-lo sobre tecnologias, funcionamentos, peso, preço, materiais, uso etc.; para ter o melhor funcionamento procure pelo seu mecânico para que lhe informe sobre os melhores ajustes, regulagem e reparos; para ter o melhor posicionamento (e indicação de bike ideal) procure pelo seu bike fitter a fim de obter o ajuste perfeito entre seu corpo e a bike; se possui uma lesão procure seu fisioterapeuta para que possa reabilitá-lo e se deseja treinamento para melhorar sua performance procure pelo seu preparador físico. Quando esses profissionais atuam em conjunto numa equipe multidisciplinar, aí sim o ciclista está bem amparado em todos os sentidos.

P

Retul Muve (simulador de bicicletas)

passo a passo do bike fit 1- Entrevista com o ciclista (anamnese) para identificar os seus objetivos com a prática esportiva, identificar lesões prévias e desconfortos percebidos durante a prática, bem como seu histórico de saúde; 2- Exame físico específico e direcionado da postura e flexibilidades segmentar e global das cadeias musculares; 3- Análise dinâmica computadorizada através do sistema de análise de movimento em ‘3D RETUL’ com as configurações iniciais da bike e suas repercussões sobre o alinhamento do ciclista. 4- Conferência e ajuste dos tacos das sapatilhas de modo a manter o alinhamento adequado dos tornozelos e dos joelhos e para maximizar a transferência de potência dos membros inferiores do ciclista para o pé/pedal; 5- Conferência e ajuste das angulações de joelhos, quadris, tronco e membros superiores e do deslocamento dos joelhos e quadril nos 3 principais pontos do ciclo da pedalada; 6- Ajustes (quando necessários) de angulação, deslocamento ântero-posterior e altura do selim; altura, tamanho e angulação da mesa/avanço; largura e inclinação do guidão; posicionamento das manetes de freio e das alavancas de câmbio; e do tamanho adequado do pedivela; 7- Repetição da análise dinâmica computadorizada realizada anteriormente, porém, agora, com as configurações finais da bike e suas repercussões sobre o alinhamento do ciclista em ambos os lados. REC | 21


duas rodas

S

istema Retül de Bike Fit

De acordo com Igor, que é credenciado pela Retül University, Retül não é um método de bike fit. “Ele é um sistema que consiste de uma ferramenta de última tecnologia para a realização de bike fit. A tecnologia Retül é um sistema de captura de movimento específica para bike fit, desenvolvido para prover ao bike fitter qualificado dados de extrema precisão. O sistema incorpora medidas tridimensionais (3D), capacidade de relatórios imediatos e uma ferramenta de digitalização com especificação milimétrica para fornecer também as medidas da bike, da forma mais precisa no mercado”.

01 01

Ramon Zovico durante o processo de bike fit com o fisioterapeuta e bike fitter Igor Gil

22 | REC

O sistema Retül faz uma leitura dos movimentos do ciclista enquanto ele está em movimento na bicicleta, e leva em conta os 3 planos de movimento (3D). Este tipo de resultado não pode ser precisamente capturado com análise de vídeo 2D, bike fit estático, ou à olho, e elimina a natureza hipotética e a adivinhação do bike fit. Para a captação dos dados ergométricos do ciclista são colocados sensores em 8 pontos anatômicos do corpo: punho, cotovelo, ombro, quadril, joelho, tornozelo, calcanhar e dedos do pé. Enquanto o ciclista pedala com diferentes cargas para o bike fitter poder também analisar o comportamento do corpo com essas diferenças, o sistema capta os da-


REC | 23


duas rodas

dos tridimensionais do posicionamento em pedalada do ciclista. Os dados são coletados bilateralmente, para que possam ser analisados e comparados. Através desses dados o bike fitter realizará os ajustes necessários, sempre considerando ambos os lados, para se obter o posicionamento mais preciso e equilibrado possível. Após definidas todas as mudanças necessárias na bicicleta, através da ferramenta Zin o bike fitter digitalizará essas medidas, gerando então um relatório para que

o ciclista tenha guardada essas medidas no caso de algum ajuste necessário na bicicleta ou mesmo na necessidade de desmontá-la para uma viagem, por exemplo. “Todo esse processo de avaliação do bike fit dura em torno de uma hora e meia, duas horas. A avaliação não gera dor ou desconforto. Normalmente adequamos a bicicleta numa única sessão. Dentro de determinado prazo, caso seja necessário outras modificações, o bike fit é refeito até que se alcance o resultado ideal”, completa o especialista.

Fala, Ramon

Eu ando de bicicleta há mais ou menos dois anos e meio, e agora em junho vou participar da Romaria de Bike até a cidade de Aparecida do Norte. Foi esse um dos motivos que procurei fazer o bike fit, há mais ou menos um mês atrás. Procurei o Igor Gil pois não estava ‘encaixado’ na minha nova bike. O bike fit me ajudou muito para que melhorasse minhas dores e meu desempenho. Nós pensamos que é só comprar uma bike e pedalar, mas não é bem assim. Quando troquei de bike, comecei a sentir dores na lombar e nos ombros devido ao tamanho errado da bicicleta. Logo após a primeira sessão 90% das dores acabaram devido a mudança de posicionamento em cima da bike. Não precisei trocar a bike, isso foi o mais importante. Ajustamos com todas as peças originais, minha antiga bike era um quadro ‘M’ e a minha nova é um quadro ‘G’, e isso dá uma grande diferença. Depois do bike fit mudei até meu estilo de pedalar, me trouxe mais velocidade e resistência para suportar longas distâncias. Recomendo essa avaliação a todos os ciclistas, amadores ou profissionais. Fazer o bike fit sai muito mais em conta do que comprar remédio para dores musculares ou se entupir de suplementos alimentares. Não adianta ter a melhor bike ou a mais cara se você não está na posição certa. O bike fit faz você se encaixar em qualquer bicicleta, eu comprovei isso!

(Ramon Dolfi Zovico (22), Empresário)

24 | REC


REC | 25


26 | REC


“Às vezes chego a conclusão de que eu não escolhi o esporte, o esporte me escolheu. Sou apaixonada por esporte e musculação”. Foi dessa forma que a jovem Nathalia resgatou o amor pela vida, mandou o bullying para escanteio, virou a melhor amiga dos espelhos e enterrou todo um passado de sofrimento. Viva o esporte! REC | 27


“O esporte salvou minha vida!” VIDA NOVA

texto e fotos | Igor Voigt

28 | REC

Essa não é uma frase dita da boca pra fora. Depois de ver a morte bem de pertinho, quando ficou duas semanas internada na UTI, a jovem Nathalia viu no esporte a única maneira de ter sua saúde e seu amor próprio de volta

H

á exato um ano, Nathalia Ramone Teixeira Sá (20) passa grande parte do dia buscando conhecer mais e mais sobre um esporte: a musculação. Mas antes não era assim. O bullying sofrido na escola e a falta de ânimo para realizar qualquer atividade, até mesmo conversar, eram suas companhias em uma rotina solitária dentro da própria casa, onde vivia com a família. Era o estágio já avançado de um problema que muitas pessoas enfrentam, mas poucas conseguem vencer: a depressão. O caminho mais fácil, sem esforço e rápido para se livrar do problema ficou ao seu alcance, mas Nathalia enxergou que os medicamentos não eram os únicos meios para lhe salvar de uma vida triste, e o


01

Nathalia tem 1,65m de altura e quando estava doente chegou a pesar só 39kg

receio de ter um futuro obscuro despertou a jovem para o esporte. E a musculação foi a responsável pela grande transformação da sua vida. A mineira da cidade de Bocaiúva, conta que seu martírio escolar iniciou ainda quando cursava a 4ª série do ensino fundamental. “Me chamavam de Olívia Palito, magrela e sempre fui alvo de risadinhas. As chacotas nunca diminuíam, pelo contrário, sentia vergonha quando tinha que tirar o peso e as medidas nas aulas de Educação Física, conta Nathalia. Aos 12 anos, Nathalia queria acreditar que seu sofrimento seria uma fase e logo passaria, mas a vontade de ficar só e isolada cresceu. Ela praticamente abandonou sua vida social, privando-se de fazer várias coisas que qualquer garota da sua idade faria. “Me excluía do mundo. Era uma garota triste e deprimida. Nunca fui de sair para festas, tinha muita vergonha de usar saias e vestidos Minhas pernas sempre foram muito finas e isso me causava constrangimento. Meu primeiro namorado tive aos 16 anos, e mesmo namorando não me sentia uma garota atraente”. O contato com o mundo já não era mais prioridade, e Nathalia virou prisioneira na sua própria casa. A única ajuda

que ela conseguiu pedir foi à mãe. “Meu pai era bem ausente na minha vida, mas minha mãe e minhas irmãs mais novas acompanhavam meu sofrimento e acabavam sofrendo também. Sentiam pena de mim! Apesar de ajudar em tudo, minha mãe brigava muito comigo todas as vezes em que tocava no assunto do meu corpo. Falava que eu era linda e que não tinha necessidade de tanto sofrimento. Numa das nossas ‘brigas’ ela tirou todos os espelhos da casa para que eu não ficasse me olhando. Ela não aguentava mais me ver chorar por uma coisa que pra ela era banal” lembra Nathalia.

Hoje em dia não sofro mais bullying.

Inclusive isso é muito irônico, já que, as

pessoas que riam de mim antigamente, hoje pedem dicas de treino e alimentação (Nathalia Ramone Teixeira Sá)

01

REC | 29


vida nova

03

02 02, 03

A

“Gosto de treinar todos os exercícios, mas meus preferidos são os abdominais e glúteo”

quase morte

Em abril de 2013 Nathalia ficou bastante doente. Foi diagnosticada com infecção urinária, pelo fato de não beber absolutamente nada de água. “Passava três dias sem sentir sede, e foi aí que comecei a ter muitas dores nas costas, febre alta e tremedeira. Já não conseguia nem me alimentar. Tomei vários remédios por conta

30 | REC

própria e minha saúde piorava a cada dia. Relutei muito, mas depois de três dias fui levada a força para o hospital. Lá passei por vários exames e ficou constatado que também estava com infecção generalizada. Logo fui levada para a UTI e fiquei com muito medo de morrer quando ouvi os médicos dizerem para minha família que meu caso era grave e que corria, sim, risco de morte. Foram duas semanas internada, porém, no final, sobrevivi. Pra falar a verdade nunca gostei de hospital, até porque já fui vítima de várias doenças como pneumonia e dengue”, confessa.


REC | 31


vida nova

O

encontro entre Nathalia e o esporte

Quando deixou o temido hospital Nathalia estava pesando somente 39 kg, fato que fez com que seus problemas com seu visual triplicassem de tamanho. No entanto, após um mês da superação dos problemas de saúde, Nathalia decidiu procurar uma academia de musculação, mas garante que foi uma decisão extremamente difícil. “Sentia vergonha de sair na rua, imagina entrar numa academia. Mas superei esse trauma. Cheguei a conclusão que praticar musculação era a melhor forma de superar o bullying sofrido na escola, melhorar minha saúde e, de certa forma, vencer a mim mesma. Não pedi orientação médica, nem conselho de ninguém. Resolvi procurar um esporte por conta própria. Inclusive, até hoje não tenho o incentivo de ninguém. Toda minha força de vontade vêm das dificuldades que já passei na vida”, desabafa. Nathalia não lembra exatamente o dia que pisou pela primeira vez na academia, mas gosta de celebrar o mês de maio como o renascimento de uma nova mulher. Após um ano de musculação e 15 kg mais forte, ela esbanja saúde e felicidade. “Minha saúde psicológica foi mudando junto com a aparência física. Na minha opinião este mês estou no meu melhor estágio. Meu corpo vêm evoluindo muito, treino após treino. Quando comecei tinha 42 cm de coxa, hoje estou com 51 cm. Parece pouco, mas para quem não tem genética boa e um metabolismo ultra acelerado como o meu, isso é uma grande conquista”, comemora. Se antes até o vestuário deixava Nathalia em total desavença com seu corpo, agora ela faz questão de usar roupas bem justas, daquelas que definem bem sua silhueta. “Agora uso roupas que mostram mais meu corpo. Não vejo problemas nisso, gosto de mostrar meus resultados”. Extremamente empenhada em ser uma atleta profissional de fisiculturismo, Nathalia treina duro todos os dias, pelo menos uma hora. “Confesso que realizo alguns treinos bem insanos, mas sempre muito bem planejado e supervisionado pelo meu professor. Pretendo levar a musculação como meu esporte para vida toda e participar de concursos de fisiculturismo. Além de atleta, pretendo cursar Ciência do Esporte, dar aulas em academia e ajudar as pessoas a se sentirem bem consigo mesma”, planeja. “O esporte salvou minha vida! Pois, de certa forma, eu estava morrendo aos poucos. Às vezes chego a conclusão de que eu não escolhi o esporte, o esporte me escolheu. Sou apaixonada por esporte e musculação”. Foi dessa forma que a jovem Nathalia resgatou o amor pela vida, mandou o bullying para escanteio, virou a melhor amiga dos espelhos e enterrou todo um passado de sofrimento. Viva o esporte! 32 | REC


REC | 33


fisioinforma

Quiropraxia

34 | REC

Desde que o Homo Sapiens conseguiu a proeza de andar ereto, apareceram também as dores de coluna, afetando 80% da população mundial, conheça o tratamento que vem melhorando a qualidade de vida das pessoas e principalmente as dores de coluna

Gregory Buck Fisioterapeuta Desportivo greg.fisioterapia@hotmail.com

A

Quiropraxia é uma profissão na área de saúde que se dedica ao diagnóstico, tratamento e prevenção de problemas do sistema neuro-esquelético, ou seja, ao tratamento de problemas das articulações, músculos, tendões, nervos e outras estruturas, bem como os efeitos destas alterações sobre a saúde em geral. Ela surgiu em 1895 nos Estados Unidos, quando o pesquisador Daniel David Palmer começou a tratar pessoas através de manobras manuais, dando a profissão o seu nome atual. Com as atividades comuns do dia a dia, os movimentos repetitivos e posturas viciosas podem fazer com que as articulações do nosso corpo, principalmente da coluna vertebral, percam seu alinhamento ou movimento normal. Isto é chamado de disfunção articular ou complexo de subluxação vertebral. Com o tempo, estas alterações podem afetar as vértebras, músculos e a função do nervo que passa entre as vértebras, além de poder levar a alterações degenerativas como a osteoartrose, por exemplo.


Foto: Imagem de internet

No Brasil a Quiropraxia começou a se desenvolver em 1992 com a criação da ABQ - Associação Brasileira de Quiropraxia, que é reconhecida e filiada pela Federação Mundial de Quiropraxia (WFC)

Pessoas de todas as idades podem se beneficiar do tratamento com a Quiropraxia, desde recém-nascido até pessoas de idade bastante avançada. O tratamento, entretanto, é adequado a cada paciente com o emprego de técnicas específicas para cada idade. O diagnóstico específico é feito após uma entrevista e exame clínico minucioso, que inclui análise postural, a realização de teste ortopédicos e neurológicos e palpação cuidadosa de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários exames complementares como Raio-X, Tomografia e Ressonância Magnética serão solicitados. Estes dados são fundamentais para o tratamento apropriado.

T

ratamento, prevenção e tempo de recuperação

O tratamento com a quiropraxia é feito com dois objetivos: corrigir e prevenir problemas articulares. Tendo sido feito o diagnóstico, é definido um plano de tratamento apropriado a cada condição. Existem diversas técnicas que foram desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é muito específico e indolor. Com isto, normalmente, observa-se

uma diminuição importante da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular. Técnicas específicas para o tratamento das alterações musculares, como Trigger Points (ou “pontos gatilhos”) podem ser empregadas. A prevenção é uma parte muito importante do tratamento e permanecer em atividade é importante para pessoas com dores e problemas de coluna. Durante o tratamento, serão dadas orientações para exercícios específicos e de reabilitação, assim como instruções para corrigir e manter uma boa postura. O tempo de recuperação depende de vários fatores, como idade, estilo de vida e duração do problema. Outros fatores como tipo de trabalho, dieta, atitude e cooperação também são importantes. O início do tratamento requer visitas mais frequentes que variam de uma a três vezes por semana, nas primeiras semanas, e esta frequência vai se reduzindo a medida que há melhora e regressão do quadro clínico. É comum os tratamentos durarem entre um a três meses. O objetivo é que a recuperação ocorra no menor tempo possível. REC | 35


fisioinforma

Foto: Imagem de internet

Q uais são os riscos? Como todo método terapêutico, os tratamentos realizados pelos quiropraxistas tem indicações e contra-indicações precisas. Quando realizados por profissionais qualificados os riscos são extremamente reduzidos. Ao procurar um quiropraxista certifique-se que ele/ela possua uma formação compatível com os padrões preconizados internacionalmente.

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia? • Dores na coluna lombar; • Hérnia de disco e dor ciática; • Dores no pescoço; • Dores de cabeça; • Dores e tensão muscular; • Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo;

01 01

Nos países onde a quiropraxia é regulamentada como Estados Unidos, Canadá e vários países da Comunidade Européia e da Ásia, ela é integrada aos sistemas nacionais de saúde

36 | REC

• Restrições à movimentações; • DORT/LER.


REC | 37


nutrinforma 38 | REC

Muitos conhecem o famoso No pain, no gain (sem dor, sem ganho). Mas você já parou para pensar que sem cérebro também não há ganho? Então, comece a pensar a respeito...

Dra. Patrícia Milaré Lonardoni

Nutricionista patricia.m​ilare@vivoi​nternetdisc​ada.com.br

G

anhar massa muscular exige disciplina, dedicação, alimentação adequada, sono em dia e fortes treinos. E tudo tem que ser equilibradíssimo. De nada adianta você treinar forte e de forma correta, mas não dormir o suficiente e ainda comer qualquer ‘coisinha’ rápida, só para não ficar de estômago vazio. Há quem pense: “Mas eu tomei suplemento, um lanchinho não fará diferença...”. Pois saiba que fará sim – e muita, pois o suplemento foi criado com o intuito de suplementar, super alimentar, dar mais do que o atleta necessita naquele momento. Vamos parar um pouco e pensar em nossos ancestrais: a dieta deles iniciou-se há 2,6 milhões de anos e era constituída de vegetais e proteína animal – eles iam à caça para se alimentar. Baseado nessa alimentação, nossos ancestrais dominaram o mundo e se multiplicaram


Foto: Imagem de internet

melhor que qualquer outro animal, evoluíram de forma incrível. Pensando mais um pouco na alimentação séculos à frente, nossos avós também tinham alimentação saudável. Muitos comentam que o avô comia banha de porco e morreu com 93 anos – eu acredito nisso, afinal aquela banha de porco, era do animal criado na roça, sem hormônios, antibióticos e outras drogas. Esses e outros animais eram criados livremente, se alimentavam de capim (também sem aditivos químicos), cereais e ‘lavagem’, que é o resto da comida que sobrava – isso é: arroz, feijão, ovo, cascas de legumes, frutas...

com a rapidez que o alimento colocado irá desaparecer. O melhor a fazer é treinar forte sempre, mas alimentar-se o mais natural possível, de alimentos orgânicos.

O que estraga o homem hoje são gêneros alimentícios – muitas ‘coisas’ compradas em supermercados não são consideradas alimentos, mas sim, gêneros alimentícios ou produto alimentício, como é o caso de torradas, requeijão, cream chesse etc. Então, se você quer ganhar saúde, vitalidade e massa muscular, comece a comer comida de verdade, ou seja, frutas, verduras legumes, batata doce, mandioquinha, ovo caipira orgânico, frango caipira orgânico, peixes. Até animais irracionais sabem distinguir comida boa de porcaria, comida nutritiva, alimentos que irão nutri-los de verdade. Quer fazer um teste? Deixe perto do esgoto qualquer porcaria industrializada para ver quanto tempo os ratos demoram para comer. Depois coloque um pouco de feijão ou 1 ovo. Você se surpreenderá

Ômega 3: importante para o ganho de massa muscular e para manter em bons níveis a testosterona. O Ômega 3 é essencial para a memória, a aprendizagem, diminuição de estresse e combate à depressão. Consuma alimentos fontes de Ômega 3, como salmão, atum, linhaça, quinua e chia;

C omece a usar a cabeça Será coincidência que os mesmos nutrientes importantes para o ganho de massa muscular são importantes para uma excelente memória e rapidez de raciocínio? Eu acredito que não. Alguns deles:

Complexo B: relacionada ao metabolismo de energia, para ganhar massa muscular é necessário vitaminas do Complexo B (quer um exemplo: em todo BCAA tem vit. B6), mas para garantir energia no cérebro é necessário Complexo B também. E todas elas são importantes: vits. B1, B2, B3, B4, B5, B6, B7, B9 e B12. Para garanti-las coma: arroz integral, verduras verdes, escuras, feijão, ovos, cereais sem glúten e integrais, oleaginosas, leite de amêndoas, peixes; REC | 39


nutrinforma

Foto: Imagem de internet

Colina: além de facilitar a comunicação entre os neurônios, também conserva a memória e auxilia pessoas que passaram por algum estresse ou sofrem de estresse pós-traumático. Quando o assunto é esporte, a Colina previne a queda no desempenho além de estar envolvida no metabolismo de lipídios. Para consumir alimentos fonte de Colina, coma ovo caipira orgânico com gema e cereais sem glúten e integrais; Serina: suporte total ao sistema nervoso. A Serina melhora memória, previne estresse, aumenta perspicácia mental e intensifica a concentração. A prevenção do estresse ocorre, pois a Serina diminui o cortisol, o que é excelente para atletas e esportistas que sofrem e tem queda da performance causado pelo aumento do cortisol induzido pelo exercício físico. Para garantir Serina no organismo, procure comer arroz integral e ovo caipira orgânico.

01 01

Se quer um corpo bacana, tenha hábitos saudáveis. Troque alimentos industrializados por orgânicos, não tome remédios à toa, tome muita água pura e durma bem

40 | REC

O melhor é garantir o consumo de todos esses nutrientes diariamente. Porém, lembre-se que cada indivíduo é único e, por isso, a quantidade de cada alimento e de cada nutriente é diferente de uma pessoa para outra. Consulte um profissional Nutricionista de sua confiança, Especialista em Nutrição no Esporte para que ele monte um cardápio individualizado para você. Mas uma vez eu repito: use a cabeça! No brain, no gain!


REC | 41


Copa com 4G...

“G” de Galhofa, só se for

tecnologia

texto | Igor Voigt

42 | REC

Nem todos os turistas que virão para o Mundial poderão acessar o 4G. Isso porque a frequência na qual o 4G está disponível aqui não é a mesma usada em muitos países. Enfim, tentaram apresentar o Brasil como um país moderno

M

uito propagada pelos organizadores e as operadoras como o grande diferencial de telecomunicações da Copa do Mundo, a utilização do 4G, (quarta geração de tecnologia de acesso à internet móvel) durante o Mundial é muito mais uma jogada de marketing do que uma possibilidade real, diz o especialista Alan Aparecido Prado, sócio-proprietário da Linkteck Net, maior empresa provedora de internet de Limeira. De acordo com Alan, por mais que seja de fato uma tecnologia moderna e rápida, que aumenta em mais de dez vezes a velocidade do acesso à internet em smartphones


Devido ao atraso nas obras de alguns

estádios, dificilmente os estrangeiros terão

acesso a rede 4G. Não houve tempo

hábil para montagem da infraestrutura

Foto: Im agem de

internet

(Alan Aparecido Prado)

Nossas operadoras sofrem com um grave problema de infraestrutura. Na atual situação poderia ter 10G disponíveis que não teríamos um acesso de qualidade, isso ocorre porque os backbones estão saturados e nem todas as torres de acesso móvel estão interligadas por fibra óptica”, explica Alan.

O que são Backbones?

e tablets, o 4G ainda não é difundido no Brasil – estando disponível em apenas 105 municípios, cobrindo 37,2% da população, contra 3.598 cidades atendidas pelo 3G, o que equivale a 90,8% dos brasileiros. “O 3G revolucionou a telefonia móvel, pois com esta tecnologia tornou-se possível a utilização de internet em qualquer lugar (bom, sabemos que não é bem assim). A principal diferença do 3G para o 4G são as ultravelocidades de navegação, que anteriormente só eram possíveis de ser alcançadas em acessos fixos. Para viabilizar esse aumento de velocidade são utilizadas técnicas de modulação de transmissão via rádio frequência. Os dois padrões que competem pelo mercado de 4G são o WIMAX, com a versão 802.16M, e o LTE Advanced (Long Term Volution)”. Infelizmente é irreal achar que a Copa do Mundo teria potencial para melhorar a tecnologia 4G, já que se trata de uma novidade mundial, e que já se consolidou, de fato, em apenas três países: Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão. “As coisas não são tão fáceis o quanto parece.

Simploriamente explicando, imaginem o backbone como uma rodovia que interliga as cidades. O que acontece quando há congestionamento nestas rodovias? Você é obrigado a reduzir ou parar totalmente seu carro, não é? Então, é exatamente isso que acontece. De nada adianta a cidade estar organizada sendo que o acesso até elas está congestionado. Alan também explica o número de ERBS é outro fator que influencia diretamente nos acessos à internet. “As ERBS são torres das quais nossos dispositivos móveis efetuam a conexão. Só para citar um exemplo, o número de torres existentes no estado de São Paulo inteiro é inferior ao número de torres existentes na cidade do México. Resumindo, não existe infraestrutura suficiente para atender a demanda por aqui”. Outro ponto (não menos importante) que inviabiliza o acesso à tecnologia 4G é o valor dos aparelhos. Na Europa a maioria dos países ainda está em fase de implantação semelhante à nossa. Ainda são poucos aparelhos habilitados e os telefones capazes de operar ainda são caros. “Infelizmente em nosso maravilhoso país tudo é mais caro por conta dos adoráveis impostos que pagamos, portanto dificilmente se encontra aparelhos com preços inferiores a R$2.000,00”, esbraveja Alan.

REC | 43


tecnologia

Foto: Igor Voigt

F

requências totalmente diferentes

Não é exagero nenhum se falar em jogada de marketing. Tem a ver sim. Mesmo nos países desenvolvidos o 4G ainda não é uma regra, e sim a exceção. Então realmente é uma boa oportunidade de marketing para a indústria como um todo. Um lançamento, um momento único para os fabricantes e as operadoras.

01 01

“Além dos aparelhos ainda serem muito caros poucos países utilizam a mesma frequência que o Brasil adota no momento, a de 2,5 GHz”

44 | REC

Será que os torcedores estrangeiros sabem se poderão ou não usar a rede 4G no Brasil, devido às diferenças de bandas (faixas de frequência usadas para transmitir o sinal)? Alan tem certeza que não! Ele explica que americanos e japoneses, por exemplo, certamente não conseguirão usar, e terão que valer-se da rede 3G. Já entre os europeus um mesmo país pode ter operadoras que usam a mesma frequência do Brasil e outras que utilizam bandas diferentes, segundo dados da 4G Americas, instituição que promove o uso da tecnologia no continente. “Devido ao atraso nas obras de alguns estádios como o de São Paulo, por exemplo, dificilmente os estrangeiros terão acesso a rede 4G, pois não houve tempo hábil para montagem da infraestrutura. Se as redes 4G funcionarem perfeitamente, quem estiver com um celular habilitado a essa tecnologia deve se sentir como um passageiro de primeira classe”, brinca o empresário.


REC | 45


46 | REC


REC | 47


48 | REC


REC | 49


50 | REC


REC | 51


52 | REC


RevistaREC_51  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you