Page 1

O Brasil ficou mais feminino

O

dia 31 de outubro de 2010 marcou a história do Brasil, pois foi eleita a primeira mulher para ocupar o cargo mais alto na hierarquia do país, a candidata Dilma Rousseff (PT) venceu as eleições com 56,5% dos votos. Quem é essa mulher? Vejamos: Filha do engenheiro e poeta búlgaro Pétar Russév (naturalizado brasileiro como Pedro Rousseff) e da professora brasileira Dilma Jane Silva, Dilma Vana Rousseff, nasceu em 14 de dezembro de 1947, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, fez a préescola no Colégio Isabela Hendrix e, a seguir, ingressou em um dos colégios mais tradicionais do Brasil, o Sion, de influência católica, ambos em Belo Horizonte. Aos 16 anos, transferiu-se para uma escola pública, o Colégio Estadual Central (hoje Escola Estadual Governador Milton Campos). Começou, então, a militar como simpatizante na Organização Revolucionária Marxista - Política Operária, conhecida como Polop, organização de esquerda contrária à linha do PCB (Partido Comunista Brasileiro), formada por estudantes simpáticos ao pensamento de Rosa Luxemburgo e Leon Trotski. Mais tarde, em 1967, já cursando a Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Dilma passou a militar no Colina (Comando de Libertação Nacional), organização que defendia a luta armada. Esse comportamento, de passar de um grupo político a outro, era comum nos movimentos de esquerda que atuavam durante o período da ditadura iniciada com o Golpe de 1964.

Veja parte do trecho do pronunciamento da Presidente eleita: Minhas amigas e meus amigos de todo o Brasil, É imensa a minha alegria de estar aqui. Recebi hoje de milhões de brasileiras e brasileiros a missão mais importante de minha vida. Este fato, para além de minha pessoa, é uma demonstração do avanço democrático do nosso país: pela primeira vez uma mulher presidirá o Brasil. Já registro portanto aqui meu primeiro compromisso após a eleição: honrar as mulheres brasileiras, para que este fato, até hoje inédito, se transforme num evento natural. E que ele possa se repetir e se ampliar nas empresas, nas instituições civis, nas entidades representativas de toda nossa sociedade. A igualdade de oportunidades para homens e mulheres é um principio essencial da democracia. Gostaria muito que os pais e mães de meninas olhassem hoje nos olhos delas, e lhes dissessem: SIM, a mulher pode! Minha alegria é ainda maior pelo fato de que a presença de uma mulher na presidência da República se dá pelo caminho sagrado do voto, da decisão democrática do eleitor, do exercício mais elevado da cidadania. Por isso, registro aqui outro compromisso com meu país: • Zelarei, enfim, pela nossa Constituição, dever maior da presidência da República. • Zelaremos pela meritocracia no funcionalismo e pela excelência do serviço público. Zelarei pelo aperfeiçoamento de todos os mecanismos que liberem a capacidade empreendedora de nosso empresariado e de nosso povo. Valorizarei o Micro Empreendedor Individual, para formalizar milhões de negócios individuais ou familiares, ampliarei os limites do Supersimples e construirei modernos mecanismos de aperfeiçoamento econômico, como fez nosso governo na construção civil, no setor elétrico, na lei de recuperação

Revista Encontros - Outubro de 2010 23

de empresas, entre outros. • Trataremos os recursos provenientes de nossas riquezas sempre com pensamento de longo prazo. Por isso trabalharei no Congresso pela aprovação do Fundo Social do Pré-Sal. Por meio dele queremos realizar muitos de nossos objetivos sociais. Agradeço a imprensa brasileira e estrangeira que aqui atua e cada um de seus profissionais pela cobertura do processo eleitoral. Não nego a vocês que, por vezes, algumas das coisas difundidas me deixaram triste. Mas quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinião arriscando a vida; quem, como eu e tantos outros que não estão mais entre nós, dedicamos toda nossa juventude ao direito de expressão, nós somos naturalmente amantes da liberdade. Por isso, não carregarei nenhum ressentimento. Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre ao silencio das ditaduras. As criticas do jornalismo livre ajudam ao pais e são essenciais aos governos democráticos, apontando erros e trazendo o necessário contraditório. Sei que um líder como Lula nunca estará longe de seu povo e de cada um de nós. Baterei muito a sua porta e, tenho certeza, que a encontrarei sempre aberta. Sei que a distância de um cargo nada significa para um homem de tamanha grandeza e generosidade. A tarefa de sucedê-lo é difícil e desafiadora. Mas saberei honrar seu legado. Saberei consolidar e avançar sua obra. Sempre com a convicção de que a Nação Brasileira será exatamente do tamanho daquilo que, juntos, fizermos por ela. Muito obrigada.


CADERNO ELEIÇÕES 2010

Eleições 2010 Conheça a votação que cada candidato obteve em Maricá e no geral. O símbolo * representa os votos obtidos em Maricá.

Presidente 1º Turno DILMA PT - * (24.653) (47.651.434) (46,91%) MARINA SILVA PV - * (16.651) (19.636.359) (19,33%) JOSÉ SERRA PSDB -* (13.523) (33.132.283) (32,61%) PLÍNIO PSOL- * (857) (886.816) (0,87%) EYMAEL PSDC- * (98) (89.350) (0,09%) ZÉ MARIA PSTU- * (48) (84.609) (0,08%) LEVY FIDELIX PRTB – * (37) (57.960) (0,06%) IVAN PINHEIRO PCB - * (32) (39.136) (0,04%) RUI COSTA PIMENTA PCO- * (11) (12.206) (0,01%)

2º Turno DILMA PT - * (31.126) (55.752.092) (56,05%) JOSÉ SERRA PSDB - * (22.790) (43.710.422) (43,95%) Obs: 99,99% das urnas apuradas.

Governador

SERGIO CABRAL PMDB - *(35.559) (5.217.972) (66,08%) GABEIRA PV - * (9.597) (1.632.671) (20,68%) FERNANDO PEREGRINO PR - * (5.786) (853.220) (10,81%) JEFFERSON MOURA PSOL - * (790) (131.980) (1,67%) CYRO GARCIA PSTU - * (199) (48.793) (0,62%) EDUARDO SERRA PCB -* (72) (11.299) (0,14%)

Senador

LINDBERG PT * (29.697) (4.213.749) (28,65%) MARCELO CRIVELLA PRB * (20.868) (3.332.886) (22,66%) JORGE PICCIANI PMDB * (20.111) (3.048.034) (20,73%) CESAR MAIA DEM * (12.941) (1.627.050) (11,06%) WAGUINHO SENADOR PT do B * (6.616) (1.295.946) (8,81%) MILTON TEMER PSOL * (3.193) (536.147) (3,65%) MARCELO CERQUEIRA PPS * (2.129) (391.352) (2,66%) CARLOS DIAS PT do B * (1.029) (180.288) (1,23%) HEITOR PSTU * (234) (33.624) (0,23%) WLADIMIR MUTT PCB * (137) (24.695) (0,17%) CLAITON PSTU * (114) (23.146) (0,16%)

24 Revista Encontros - Outubro de 2010


CADERNO ELEIÇÕES 2010

Deputado Federal 1 - GAROTINHO - PR * (8.699) (694.862) (8,69%) 2 - CHICO ALENCAR - PSOL * (1.374) (240.724) (3,01%) 3 - LEONARDO PICCIANI PMDB - PP * (PSC 641) (165.630) (2,07%) 4 - VITOR PAULO - PRB * (945) (157.580) (1,97%) 5 - EDUARDO CUNHA PMDB PP * (772) (150.616) (1,88%) 6 - ROMÁRIO PSB - PSB * (960) (146.859) (1,84%) 7 - JANDIRA FEGHALI - PC do B * (944) (146.260) (1,83%) 8 - ALEXANDRE CARDOSO - PSB * (179) (142.714) (1,78%) 9 - WASHINGTON REIS - PMDB * (330) (138.811) (1,74%) 10 - ALESSANDRO MOLON - PT * (432) (129.515) (1,62%) 11 - JAIR BOLSONARO - PP * (701) (120.646) (1,51%) 12 - PEDRO PAULO PMDB - PMDB * (906) (105.406) (1,32%) 13 - AROLDE DE OLIVEIRA - DEM * (918) (99.4570 (1,24%) 14 - FILIPE PEREIRA PSC - PSC * (510) (98.280) (1,23%) 15 - HUGO LEAL - PSC * (074) (98.164) (1,23%) 16 - DR ALUIZIO PV * (94) (95.412) (1,19%) 17 - RODRIGO MAIA - DEM * (1.153) (86.162) (1,08%) 18 - LUIZ SERGIO - PT * (190) (85.660) (1,07%) 19 - JULIO LOPES PP – PP * (2.474) (85.358) (1,07%) 20 - OTAVIO LEITE PSDB * (390) (84.452) (1,06%)

21 - STEPAN NERCESSIAN PPS * (545) (84.006) (1,05%) 22 - ANDREIA ZITO PSDB * (420) (82.832) (1,04%) 23 - MARCELO MATOS PDT * (802) (80.862) (1,01%) 24 - SIMAO SESSIM PP * (690) (77.800) (0,97%) 25 - RODRIGO BETHLEM PMDB * (138) (74.312) (0,93%) 26 - SIRKIS PV * (362) (73.185) (0,91%) 27 - ADRIAN PMDB * (180) (72.824) (0,91%) 28 - ALEXANDRE SANTOS PMDB * (2.606) (72.822) (0,91%) 29 - EZEQUIEL PMDB * (359) (72.589) (0,91%) 30 - BENEDITA PT * (243) (71.036) (0,89%) 31 - SERGIO ZVEITER PDT * (775) (65.826) (0,82%) 32 - MIRO TEIXEIRA PDT * (313) (63.119) (0,79%) 33 - GLAUBER PSB * (20)( 57.549) (0,72%) 34 - FRANCISCO FLORIANO PR * (422) (57.018) (0,71%) 35 - EDSON SANTOS PT * (704) (52.123) (0,65%) 36 - BITTAR PT * (126) (51.933) (0,65%) 37 - WALNEY ROCHA PTB * (357) (51.203) (0,64%) 38 - DR ADILSON SOARES PR * (279) (51.011) (0,64%) 39 - ZOINHO PR * (0) (44.355) (0,55%) 40 - FELIPE BORNIER PHS * (24) (44.236) (0,55%) 41 - NEILTON MULIM PR * (533) (41.480) (0,52%) 42 - DR PAULO CESAR PR * (45) (33.856) (0,42%) 43 - LILIAM SA PR * (96) (29.248) (0,37%) 44 - AUREO PRTB PSL * (64) (29.009) (0,36%) 45 - PAULO FEIJO PR * (16) (22.619) (0,28%) 46 - JEAN WYLLYS PSOL * (62) (13.018) (0,16%)

Deputado Estadual 1 - WAGNER MONTES - PDT * (2.657) (528.628) (6,38%) 2 - MARCELO FREIXO - PSOL * (954)(177.253) (2,14%) 3 - SAMUEL MALAFAIA - PR * (471) (134.515) (1,62%) 4 - PAULO MELO - PMDB * (5.118) (121.684) (1,47%) 5 - CLARISSA GAROTINHO PR * (544)(118.863) (1,43%) 6 - ALEXANDRE CORREA PRB * (724) (112.676) (1,36%) 7- PEDRO AUGUSTO - PMDB * (404) (111.407) (1,34%) 8 - RAFAEL PICCIANI - PMDB * (499) (96.034) (1,16%) 9 - DOMINGOS BRAZÃO - PMDB * (123) (91.774) (1,11%) 10 - CIDINHA CAMPOS - PDT * (346) (89.553) (1,08%) 11 - CARLOS MINC - PT * (507) (87.210) (1,05%) 12 - EDSON ALBERTASSI - PMDB * (61) (83.254) (1,00%) 13 - EDINO FONSECA - PR * (563) (77.061) (0,93%) 14 - DIONISIO LINS - PP * (119) (75.707) (0,91%) 15 - CHRISTINO ÁUREO - PMN * (97) (74.336) (0,90%) 16 - PEDRO FERNANDES - PMDB * (74) (69.571) (0,84%)

Revista Encontros - Outubro de 2010 25

17 – LUCINHA - PSDB * (7) (67.035) (0,81%) 18 - ANDREIA DO CHARLINHO - PDT * (16) (62.599 (0,76%) 19 - SABINO - PSC * (102) (62.522) (0,75%) 20 – GRAÇA - PMDB * (312) (61.294) (0,74%) 21 - DICA - PMDB * (39) (59.220) (0,71%) 22 - FLAVIO BOLSONARO - PP * (264) (58.322) (0,70%) 23 - RAFAEL DO GORDO - PSB * (0) (55.831) (0,67%) 24 - ANDRE CORREA - PPS * (73) (55.484) (0,67%) 25 - MARCIO PANISSET - PDT * (287) (55.027) (0,66%) 26 - MARCOS ABRAHAO - PT do B * (203) (52.525) (0,63%) 27 - MARCOS SOARES - PDT * (385) (52.099) (0,63%) 28 - ANDRÉ LAZARONI - PMDB * (0) (49.839) (0,60%) 29 - FABIO SILVA - PR * (278) (47.939) (0,58%) 30 - COMTE - PPS * (591) (45.541) (0,55%) 31 - MARCELO SIMÃO - PSB * (15) (45.046) (0,54%) 32 - ALESSANDRO CALAZANS - PMN * (12) (44.549) (0,54%) 33 - MIGUEL JEOVANI - PR * (95) (44.135) (0,53%) 34 - GUSTAVO TUTUCA - PSB * (7) (44.015) (0,53%) 35 - BERNARDO ROSSI - PMDB * (11) (43.607) (0,53%) 36 - ROGERIO CABRAL - PSB * (24) (43.215) (0,52%) 37 - IRANILDO CAMPOS - PR * (155) (42.398) (0,51%) 38 - CHIQUINHO DA MANGUEIRA - PMDB * (64) (39.740) (0,48%)


CADERNO ELEIÇÕES 2010

39 - ROBERTO DINAMITE - PMDB * (133) (39.730) (0,48%) 40 - MARCIO PACHECO - PSC * (163) (39.537) (0,48%) 41 - PAULO RAMOS - PDT * (178) (39.023) (0,47%) 42 - RODRIGO NEVES - PT * (288) (38.856) (0,47%) 43 - CORONEL JAIRO - PSC * (19) (38.791) (0,47%) 44 - GRACA PEREIRA - DEM * (128) (38.7460 (0,47%) 45 - RICARDO ABRÃO - PDT * (36) (37.742) (0,46%) 46 - GILBERTO PALMARES - PT * (125) (36.519) (0,44%) 47 - MARCUS VINICIUS NESKAU - PTB * (86) (35.508) (0,43%) 48 - ALTINEU CORTES - PR * (450) (35.176) (0,42%) 49 - GERSON BERGHER - PSDB * (15) (35.069) (0,42%) 50 - WAGUINHO SEMPRE JUNTOS - PRTB * (9) (34.820) (0,42%) 51 - ASPASIA - PV * (58) (34.733) (0,42%) 52 - LUIZ PAULO - PSDB * (77) (34.502) (0,42%) 53 - CLAISE MARIA ZITO - PSDB * (19) (33.664) (0,41%) 54 - JOAO PEIXOTO - PSDC * (2) (33.203) (0,40%) 55 - FELIPE PEIXOTO - PDT * (271) (32.855) (0,40%) 56 - SAMUQUINHA - PR * (116) (32.563) (0,39%) 57 - ROBERTO HENRIQUES - PR * (2) (32.369) (0,39%) 58 - SALOMÃO - PT * (35) (31.249) (0,38%) 59 - ZAQUEU - PT * (39) (30.583) (0,37%) 60 - JOSE LUIZ NANCI - PPS * (148) (28.798) (0,35%) 61 - INÊS PANDELÓ - PT * (5) (28.798) (0,35%) 62 - BEBETO TETRA - PDT * (98) (28.328) (0,34%) 63 - LUIZ MARTINS - PDT * (15) (26.002) (0,31%) 64 - MYRIAN RIOS - PDT * (150) (22.169) (0,27%) 65 - GERALDO MOREIRA - PTN * (4) 21.987 (0,27%) 66 - ENFª REJANE - PC do B * (121) (21.033) (0,25%) 67 - THIAGO PAMPOLHA - PRP * (19) (19.329) (0,23%) 68 - XANDRINHO - PV * (3) (16.151) (0,19%) 69 - ROSANGELA GOMES - PRB * (0) (10.586) (0,13%) 70 - JANIRA ROCHA - PSOL * (24) (6.442) (0,08%)

Candidatos de Maricá HÉLCIO ANGELO PSDB * (3.585) (20.112) Obs: Uma manobra política o fará deputado à partir de Janeiro

ZEIDAN PT * (6.654) (22.218)

TUCALO PP * (5.362) (15.847)

CAROLINO PDT * (4.672) (5.834)

DR FELIPE AUNI PR * (2.164) (5.441)

TENENTE ROSA PSC * (573) (2.057)

Dep. Federal PROFESSOR SARAIVA PSOL * (437) (1.204)

WALDECI PV * (138) (541

ANTONIO SILVEIRA DA ROCHA PSB * (88) (325)

ELES AGRADECEM O deputado federal, reeleito, Rodrigo Maia (DEM) veio à Maricá agradecer pelos 1153 votos obtidos no município (foto). A deputada Solange Almeida (foto) não conseguiu se reeleger para a Câmara Federal, mas com certeza deixou aqui em Maricá sua marca, obteve 1.200 votos sem muito alarde. Outro que obteve bons votos no município de Maricá, sem rejeição foi o deputado federal, Edson Santos, reeleito e que agradece os mais de 700 votos da população maricaense. Quem também agradece é o amigo pessoal do candidato, Carlos Oliveira (foto), que chegou a recepcionar o mesmo com um suculento churrasco na sua residência.

Em Maricá foram totalizadas 206 urnas seu eleitorado é 70.304, abstenção de 14.677(18,99%), compareceram 62.627(81,01%), votos em branco 3.689(5,89%), nulos 3.743(5,98%), votos válidos 55.195 (88,13%) – nominais 50.610 (91,69%), legenda 4.585(8,3%).

26 Revista Encontros - Outubro de 2010


CADERNO ELEIÇÕES 2010

O RESULTADO DA ELEIÇÃO EM MARICÁ,POR ELES Hélcio Ângelo O empresário, Hélcio Ângelo, morador de Maricá a mais de sete anos, com residência em São José de Imbassaí, irá assumir a cadeira de deputado Estadual, através de uma manobra política. Como primeiro suplente do PSDB, Hélcio, será considerado o “deputado de Maricá”. Sua votação no município foi de 3.585 votos, e 28.112 em todo o Estado. Hélcio Ângelo (PSDB) foi entrevistado pela Encontros e agradeceu, “primeiramente agradeço a Deus, fui confiado em Maricá e em todo Estado com uma expressiva votação. Quero agora fazer jus a essa confiança mostrando resultado a partir de janeiro quando assumir uma cadeira na Alerj”. Hélcio Ângelo nos passou detalhes de como será o processo de sua possível chegada a Assembléia Legislativa, “tive uma conversa muito importante com o presidente regional do PSDB, Zito, prefeito de Duque de Caxias, e ele me sinalizou que sua esposa, Claise Maria Zito, muito bem eleita por sinal com 33.664 votos, estará assumindo uma secretaria que poderá ser em Duque de Caxias. Assim acontecendo, como estou na suplência, assumo o mandato”, explicou. Ao ser questionado os ganhos de Maricá com seu mandato falou, “sou de muito trabalho, um homem de execução, irei fazer valer a votação obtida em Maricá buscando todos os recursos necessários para esta cidade”. O suplente ainda falou da possibilidade em se tornar uma liderança decisiva na sucessão municipal que se avizinha, “a cidade de Maricá há anos sofre com as ultimas administrações federal, estadual e municipal. Vamos sim, usar da força política para melhorar esse quadro”, concluiu.

Uilton Viana “Desde o início sempre estive preocupado com o numero excessivo de candidatos em Maricá. Acabamos sem eleger ninguém. Isso foi ruim para o município”, disse Uilton Viana (PSB). Quando falou da campanha de Tucalo Dias (PP), a quem ele apoiou, criticou a assessoria do parlamentar. “Faltou uma melhor assessoria para divulgar o que ele fez por Maricá”. Em seguida ressaltou os ganhos conseguidos, “Projeto como o da água para Ponta Negra, Inõa e Itaipuaçu, sabe-se que era de vinte anos atrás, mas não tínhamos quem reivindicasse, pressionasse, e, isso ele (Tucalo) fez. A relação com o governador Cabral e outros setores do governo facilitaram as ações que hoje estaRevista Encontros - Outubro de 2010 27

Entrevistas por Carlos Zuca

mos vendo. Não é uma mera coincidência, ele foi fundamental por estar lá”. Quando avaliou a eleição focando Maricá destacou, “Nessa eleição coisas absurdas aconteceram: desvio de verbas para investir na campanha da primeira dama (Rosangêla Zeidan), isso ficou claro. Observamos funcionários sendo obrigados a participar da campanha, colocar placas em suas casas, além de dez vereadores trabalhando intensamente no apoio desse projeto pessoal. Mas a resposta veio nas urnas e mesmo com todo esse aparato a candidata só conseguiu seis mil votos na cidade”. Uilton também esclareceu o fato de não ter apoiado Anthony Garotinho, “Não estive com o Garotinho, porque ele não veio para uma disputa de Governo. Se viesse estaria, como firmei quando estive com ele. O senhor será candidato em 2012? “a partir de agora precisa existir uma união das oposições. Se isso não acontecer, o prefeito mesmo estando fazendo uma má administração matematicamente será reeleito, o que não será bom pra cidade. Se o grupo optar pelo meu nome, estou disposto, mas para isso defendo uma pesquisa ampla e qualitativa. Não é um momento de vaidades é o futuro de Maricá em jogo”, finalizou Viana.

Felipe Auni O médico presidente do PR em Maricá ficou decepcionado com o processo eleitoral, “achei ridículo, principalmente em Maricá. O povo se vendeu, eu vi, ninguém me contou. Uma verdadeira compra de votos por parte do governo municipal. Nossa intenção é fazer uma verdadeira mudança, com uma política séria e honesta. Foi uma grande decepção”. O desapontamento continua, “foi uma campanha de muito trabalho, tanto aqui em Maricá quanto fora. Até agora não consigo entender o que houve para ter tido uma votação tão baixa. Esperava bem mais que 2.664 votos em Maricá e 5.441 no geral”. Ainda sobre as eleições o médico disse, “da mesma forma que as pessoas se decepcionam com os políticos eu me decepcionei com os eleitores, com as pessoas”. Quando tocou no futuro político falou, “nunca desisti e não será dessa vez. Minha campanha continua e para 2012 estarei na disputa por uma vaga na Câmara ou quem sabe disputando a prefeitura”. Felipe Auni terminou falando da eleição de Anthony Garotinho e de sua ligação com o ex-governador do Rio, “nosso Federal foi o mais votado de Maricá, recebi uma ligação do Garotinho me parabenizando pelo trabalho feito na cidade e dizendo, ‘quero fazer você prefeito de Maricá’. Porém, sei da força do Garotinho no município, mas temos que avaliar bem qualquer posição para a sucessão municipal”.


CADERNO ELEIÇÕES 2010

Ricardo Queiróz “Focando Maricá, o resultado foi uma sinalização do povo. Quero dar exemplos: os votos da Rosangêla Zeidan não foram ideológicos, e sim fisiológicos. Foi um voto forçado, com quem tinha medo de perder o emprego, e muitas outras coisas que envolveram a campanha da primeira dama. No caso do Tucalo Dias foi outro sinal, veja só, ele teve mais de vinte mil votos sendo eleito e agora na tentativa de se reeleger baixa pra quinze mil. O povo não perdoa. O político tem que ser profissional, tem que ser eleito e trabalhar, mostrar serviço, caso contrário não será reconhecido nas urnas”, disse Queiroz (PMDB). O ex-prefeito de Maricá falou da reeleição de Paulo Melo, “ele teve uma votação expressiva em Maricá. Nosso grupo foi fiador da campanha de Paulo Melo e ele terá que corresponder esses votos trabalhando por Maricá, vamos cobrá-lo”. No que tange ao futuro na política esclareceu, “quero deixar claro que não tenho um projeto particular de ser candidato a prefeito. Nós temos um grupo apoiado pelo governador Sergio Cabral (PMDB) e pelo deputado Paulo Melo (PMDB). Não podemos ter vaidades, precisamos de habilidades pra aglomerar o máximo de lideranças e fazer uma oposição conseqüente. A cidade precisa passar por processo de reconstrução, principalmente a instituição Prefeitura”. Ricardo Queiroz terminou parabenizando a Revista, “quero aproveitar para parabenizar a Revista Encontros pela imparcialidade. Foi á única trincheira que restou, um jornalismo sério, sem bandeiras. Um trabalho de ajuda a comunidade de Maricá”.

Carolino Santos “Só quem perdeu foi Maricá em ter feito nenhum deputado. Falei durante a campanha que nosso maior adversário não era o bloco de candidaturas do município, mas os candidatos de fora. Tivemos mais de 800 pretendentes a Alerj que receberam votos em Maricá. Pelo fato de estarmos próximos ao Rio de Janeiro o eleitor desvincula, não pensa especificamente nos candidatos da cidade”, avaliou Carolino Santos. Ao falar de sua campanha pessoal esclareceu, “não tínhamos o poder nas

mãos, não tínhamos gente influente ao nosso lado, foi uma campanha feita do nosso próprio bolso. Saímos bem dessa eleição, principalmente no centro da cidade. Nossa votação foi boa, conseguimos 4.672 votos em Maricá e no total 5.834. Quando o assunto foi a sucessão municipal 2012 enfatizou, “sou candidato a prefeito de Maricá, estarei na campanha sim, e me vejo como favorito pela votação que obtive nessa eleição para deputado”. Ao ser indagado quanto a união das oposições, assim se posicionou, “sou um político que tem espírito de conciliação. Não guardo rancor de adversário. Vejo que o adversário de hoje pode ser o aliado de amanhã. Se for para o bem de Maricá vamos sentar, conversar e quem sabe compor...”, finalizou.

Rosângela Zeidan “Faço uma avaliação super positiva. Conseguimos vitórias expressivas em Itaipuaçu, Inoã e principalmente no centro da cidade. Por ser a primeira vez que me coloco num julgamento popular, foi excelente minha participação”. A primeira dama diz sair fortalecida, “saio do processo eleitoral como uma liderança estadual. Por pouco, mas muito pouco, não chegamos a Alerj para defender de fato os anseios da nossa comunidade”, disse Zeidan. Os 6.654 votos em Maricá num total de 22.218 em todo o Estado tiveram conotação em sua militância, “essa votação representa minha militância. Desde 1980 milito na política, não sou apenas uma primeira dama, tenho um trabalho fora da cidade”. Quando especificou Maricá falou, “deixamos Maricá pra reta final, pros últimos dois meses e na verdade precisávamos de mais tempo. Intensificamos o trabalho em outros municípios e precisávamos ter focado mais a cidade. Mas valeu, agradeço a todos”. Zeidan volta pra prefeitura, “estou assumindo a secretaria de governo e minha prioridade é ajudar a desenvolver o município. Tenho boas relações com o governador Sergio Cabral e isso vai refletir em Maricá, aliás, já estão refletindo, as obras estão em andamento”. Quanto a reeleição de Quaquá foi contundente, “vamos fazer o governo funcionar. Não estamos preocupados com isso agora. Nesse um ano e meio de administração arrumamos a casa. Estamos tocando obras que hoje já são uma realidade, e muito mais vai acontecer. Tenho certeza que reelegeremos nosso prefeito”, finalizou.

28 Revista Encontros - Outubro de 2010


CADERNO ELEIÇÕES 2010

Washington Quáquá “Foi uma pena Maricá não ter feito um deputado, a Zeidan, por exemplo, seria uma grande parceira para nossa administração. Estamos com as obras iniciando no município e como deputada nos ajudaria na busca de novos recursos”. Quaquá enalteceu a eleição de Lindberg Faria para o Senado, além da reeleição do governador Sergio Cabral, “fico feliz pelo Lindberg que nós apoiamos e a permanência do Sergio Cabral. Temos boas relações com o governo e Maricá foi muito beneficiada com as eleições em geral”. Sobre os 6.654 votos obtidos por Zeidan em Maricá, e 22. 218 em todo o Estado, avaliou, “o resultado dela foi muito bom. Foi à primeira vez que se candidatou. Estávamos numa situação desfavorável, o nosso governo só agora está começando com as obras, vimos campanhas milionárias. Criticaram todo tempo nossa administração, um verdadeiro bombardeio, e mesmo assim ela teve a maior votação dentro de Maricá. Mostramos peso. Nossa estratégia era buscar votos fora e conseguimos mais de 16 mil. Gostaria de deixar bem claro, não pedi um voto em Maricá, não bati na porta de ninguém. Pra pedir votos, primeiro quero cumprir minhas metas de campanha. Ou seja, nós não pedimos votos em Maricá e obtivemos mais de 6 mil, na minha opinião foi excelente”. Com relação à sucessão municipal e a postura da oposição diante de seu governo, o chefe do Executivo falou, “para chegar tranquilo no momento da reeleição, preciso continuar trabalhando como estou, tenho a certeza que iremos cumprir nossas metas de campanha. Quanto à oposição, não estou preocupado”. E finalizou “agradeço aos que votaram e também aqueles que não votaram, sou um governante da cidade, e independente de quem votou contra ou a favor da Zeidan, continuarei trabalhando para todos”.

Empresário Miguel Jeovani é eleito deputado estadual Nascido e criado no município de Araruama, o empresário Miguel Jeovani foi eleito deputado estadual com 44.135 votos pelo Partido da República (PR). O quinto mais bem votado no partido, Miguel Jeovani é o primeiro parlamentar eleito com uma votação expressiva em Araruama. A credibilidade e o clamor dos moradores de Araruama e da Região dos Lagos fortaleceram ainda mais a caminhada política de Miguel Jeovani, que durante a campanha reforçou a necessidade de se promover a renovação da política do estado do Rio de Janeiro. “É uma vitória consolidada com a força do povo. Foi uma campanha limpa e transparente. Tanto é que só fomos para as ruas pedir votos no início do processo eleitoral, respeitando inclusive o que determina a Lei. É gratificante esse reconhecimento do povo de Araruama e da Região dos Lagos. Sem atravessadores e jamais carregado por políticos de mandato mostramos que é possível renovar o parlamento estadual. Tivemos sim o apoio do ex-governador Garotinho para assumir esse desafio e com certeza ele é uma das maiores lideranças do nosso Estado”; afirmou o deputado estadual eleito Miguel Jeovani. Candidato a prefeito de Araruama nas eleições de 2008, Miguel Jeovani obteve na época quase 50% dos votos válidos e confirmou agora a sua representação política no município, com 29.537 votos. “Gratidão não prescreve, gratidão não tem preço. A eleição passada foi um aprendizado e o povo deu a resposta agora nas urnas, mostrando a sua insatisfação com o tipo de política que vem sendo feita no interior. Queremos agradecer a população de Araruama e da Região dos Lagos pela confiança. Pode ter certeza que não iremos decepcionar vocês na ALERJ. Agora sou deputado estadual dos 92 municípios do estado do Rio de Janeiro”, disse Jeovani.

Os deputados estaduais Paulo Melo, reeleito, e Tucalo Dias, que não conseguiu a reeleição, foram contactados pela Encontros, porém não enviaram suas avaliações. Fonte - www.bigpop.com.br

Revista Encontros - Outubro de 2010 29


CADERNO ELEIÇÕES 2010

Eleições 2010 – Maricá

Prof. Adilson Pereira

Maquiavel alertava os soberanos da época que tivessem atenção especial com o “povo”, após a conquista das cidades. Tempos difíceis, em que a política se definia pela força militar e pela tirania disfarçada na mão que empunhava a espada, em nome de Deus. Por mais forte que sejam os movimentos políticos, sempre sucumbirão quando confrontados diretamente pelos movimentos sociais: “É mais cara a escravidão que a liberdade de sua pátria”. Maricá vem passando por transformações dolorosas. A cidade sangra diante da ausência de comprometimento de seus atuais e ex-governantes. Tal fato refletiu-se diretamente no resultado significativo das urnas, após as ditas lideranças políticas maricaenses armarem-se das formas mais variadas na tentativa de angariar frutos diante da péssima situação governamental, claramente exposta na marca atingida pela candidata do governo, Rosângela Zeidan, que teve a sexta parte dos votos de seu “marido”. Uma vergonha experimentada diante de vaias estudantis e da enxurrada de críticas, denúncias e descontentamento popular. Seus cabos eleitorais não poderiam deixar de ser os dependentes da boquinha política e dos empregos de cabide da prefeitura. Uma candidatura inexpressiva e insalubre. A derrota veio por mérito. Tucalo, deputado estadual morador de Niterói, com família e negócios em Maricá. Teve o peso da frustrada tentativa de eleger-se prefeito na eleição passada, diante de uma saraivada de denúncias e tendo que enfrentar um duro processo na casa legislativa estadual, onde mostrou habilidade nas negociações e saiu-se bem, mesmo com as mazelas de membros de seu próprio gabinete. Aliou-se ao atual viceprefeito – asfixiado politicamente – e à única e rouca voz de oposição na casa legislativa municipal. A perda do mandato era pule de dez. Paulo Melo, deputado estadual com curral eleitoral em Saquarema. Com a promessa de ser o próximo presidente da Alerj, posicionou-se como a melhor alternativa de eleger o sucessor do executivo municipal, conseguindo o apoio de inúmeras lideranças políticas, todas derrotadas no pleito anterior. Seu apoio foi dez vezes maior que na eleição passada, mas sua votação apenas duplicou. Vale lembrar o reino de Alexandre (o Grande) estilhaçando-se após sua morte. Sede de poder e interesses pessoais levaram o propósito de Alexandre de volta ao pó. Dúvida das ruas: O grupo de Paulo Melo permanecerá unido? Carolino, médico matogrossense, com família na cidade e negócios em Mato Grosso. Valendo-se da votação na eleição de 2008, esqueceu de desconsiderar o número de vereadores presentes em seu palanque anterior e o apoio, tanto da prefeitura, quanto da maior empresa privada do município. Mesmo com o expressivo aumento do número de eleitores, sua votação foi bem menor que sua primeira eleição para

prefeito, quando ainda era uma novidade, mostrando sinais claros de retrocesso político. Hélcio Ângelo... Uma verdadeira incógnita! Tem maior representatividade no Complexo da Maré que em Maricá. Seus votos na cidade ficaram dentro da razoabilidade, considerando a enorme estrutura empreendida: um exército de cabos eleitorais, trabalho gráfico de primeira linha, enorme quantidade de material impresso e, principalmente, a baixíssima rejeição de um desconhecido. Sua liderança é questionável, pois mesmo sendo presidente do PSDB municipal, sequer teve o apoio do vereador do partido. Qual o endereço domiciliar que consta em seu Imposto de Renda? Qual a origem de seus negócios? Fica aqui uma interrogação quanto a suas verdadeiras intenções no município. Surge uma questão fundamental: seus votos foram de aprovação pessoal ou de rejeição aos demais? Nesta saga do “macaco Tião”, o tempo dirá se a falta de referências tornar-se-á uma realidade. Enfim, Felipe Auni, médico, com família em Maricá. Ele mesmo esperava uma performance superior. Um erro estratégico foi diagnosticado: a escolha de seu deputado federal. O ex-governador Garotinho é figura respeitadíssima no município, o que deveria ter sido melhor aproveitado. Outro fator, além da inexperiência, vem da auto-estima elevadíssima, levando a uma frágil sensação de autossuficiência. Vale rever estratégias e elaborar planos de ação mais profissionais e menos familiares. A certeza que assombra a todos é que 25.000 votos, um terço do eleitorado, ficaram entre brancos, nulos e abstenções, numa gigantesca rejeição a todas as propostas apresentadas. Cresce a expectativa de que apareça algo novo, pautado acima de tudo, na credibilidade. Está na hora da sociedade maricaense abandonar a inércia, rever seus conceitos e retomar as rédeas da caótica situação em que nos encontramos, firmando questão em torno de um projeto verdadeiro, evitando os oportunistas de plantão e os movimentos politiqueiros baseados no pragmatismo, na troca de favorecimentos e nos ganhos pessoais. É momento de sepultarmos definitivamente os projetos ultrapassados, os pseudo-líderes e os jovens postulantes que jamais apresentaram algo de prático à municipalidade, retomando a dignidade perdida ao longo do tempo. Os que tiveram a sorte de presenciar o ocorrido no último pleito testemunharão que minha linguagem não é hiperbólica. Mesmo com ideais do século XVIII, a Queda da Bastilha se fez presente em sua plenitude: “Brevemente, as nações esclarecidas colocarão em julgamento aqueles que até aqui tem governado seus destinos. Os governantes fugirão para os desertos, para a companhia dos animais selvagens, que a eles se assemelham, e a natureza recuperará seus direitos”. Parabéns ao povo maricaense por fazer-se ouvir na mais democrática demonstração de insatisfação: O voto.

30 Revista Encontros - Outubro de 2010

Caderno Político 2010 ed 76  

Caderno de eleições 2010 da revista encontros edição 76 de Outubro.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you