Page 1

DIABETES MELLITUS

Profª MSc. Rhalcia Cristina de Melo Lima


INTRODUÇÃO Glicemia → glicose sanguínea;

A glicose é o carboidrato mais importante para a manutenção energética do organismo; Origem:

Dieta; Gliconeogênese; Glicogenólise. Normalmente

manutenção

de

adequados → mecanismos regulatórios;

teores


GLICEMIA Classificação:

Normoglicemia; Hipoglicemia; Hiperglicemia.

Glicose: Filtração glomerular → reabsorção túbulos renais → teores plasmáticos alcançam de 160 a 180 mgdL → glicosúria; Metabolizada para produção de ATP.


GLICEMIA Após refeição contendo carboidratos → ↑↑↑↑ da glicose circulante: Remoção pelo fígado de 70 % da glicose: Parte é oxidada;

Parte convertida em glicogênio; Excesso → conversão em AG e TG incorporados às VLDL → transportados para os estoques do tecido adiposo. Liberação de insulina pelas células  do pâncreas;


REGULAÇÃO

DA CONCENTRAÇÃO DA GLICOSE SANGUÍNEA


RECEPTORES DE INSULINA


DIABETES MELLITUS  Definição É

um grupo de doenças metabólicas, caracterizado por defeito de secreção e/ou ação da insulina

 Hiperglicemia  Doença

crônica- 6ª causa de morte


DIABETES MELLITUS CLASSIFICAÇÃO 

Tipo 1 – insulino-dependente  Destruição auto-imune das células beta do Pâncreas Tipo 2 – insulino-independente  Resistência periférica à insulina + falência gradual das células beta pancreáticas Outros tipos  Quadro associado a desordens genéticas, infecções, doenças pancreáticas, uso de medicamentos, drogas ou outras doenças endócrinas. Diabetes gestacional  Diagnosticada durante a gestação


DIABETES MELLITUS Geralmente

condicionada

geneticamente, ou desencadeada por vírus/drogas.

Qualquer que seja a causa → 90% das células produtoras de insulina (células

)

do

pâncreas

são

destruídas de modo permanente. ±15% - crianças – 9 a 14 anos

TIPO

1


PATOGÊNESE


PATOGÊNESE


DIABETES MELLITUS

TIPO

2

Nestes casos a lesão primária é desconhecida; ± 80% - qualquer idade - >30 anos Pode ocorrer:

↓ do número de receptores para a insulina; Secreção de insulina com defeito e sem ação metabólica; Alterações pós-receptores (intracelulares);

Está freqüentemente associada à obesidade e/ou à idade


PATOGÊNESE


SINAIS Sinal

Clássico:

GLICOSÚRIA;

Poliúria; Nictúria; Polidipsia;

Polifagia; Perda de peso.

E SINTOMAS HIPERGLICEMIA

e


COMPLICAÇÕES Complicações severas cetoacidose diabética (no DM tipo I)

coma hiperosmolar (no DM tipo II); Complicações:

queixas visuais, cardíacas, circulatórias, digestivas, renais, urinárias, neurológicas, dermatológicas outras.

e

ortopédicas,

entre


DIAGNÓSTICO LABORATORIAL 

Glicemia de jejum- mais recomendado- jejum no mínimo 8h e no máximo 14 horas Teste oral de tolerância a glicose (TOTG) ou curva glicêmica- procedimento de escolha para confirmaçãoJejum e 2 horas. Limites de normalidade : para 2h140 mg/dl , valores maior que 200 mg/dl diabetes

Hemoglobina glicada- acompanhamento e controle da doença- não é recomendada como critério diagnóstico. Uma glicemia colhida ao acaso acima de 200 mg/dl = sintomas é diagnóstico de D.M.


DIAGNÓSTICO LABORATORIAL 

Hemoglobina glicada- acompanhamento e controle da doença- não é recomendada como critério diagnóstico. Uma glicemia colhida ao acaso acima de 200 mg/dl = sintomas é diagnóstico de D.M.


DM: CRITÉRIOS LABORATORIAIS PARA O DIAGNÓSTICO Glicemias (mg/dL)

Categorias

Jejum (8h)

2h após 75g de glicose

Casual

Glicemia Normal

< 100

<140

-

Tolerância à glicose diminuída

> 100 e <126

≥140 e < 200

-

Diabetes Mellitus

≥126 *

≥200

≥200* com sintomas

GJ ALTERADA (Pré-diabetes): > 100 e <126 • § Exceto DMG • * Valores que devem ser confirmados, OMS- 1999 Fonte: Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2009/SBD 3ª edição


DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DO DIABETES 

TOTG - Confirma ou elimina a suspeita de DIABETES. Orientação ao paciente.  Dieta com 150 g de carboidratos - 3 dias .  Não deve estar acamado.  Observar uso de medicamentos.  Jejum 8 a 14 horas  Iniciar o teste pela manhã.  Repouso e não fumar.


DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DO DIABETES 

TOTG- Realização do teste  Dose:(ingerida em 5 minutos)  Adultos- 75g de gl anidra  Crianças-1,75g/Kg de peso.  Tempos de coleta: Zero e 2 horas Resultado  Normal-Valor de 2h menor que 140 mg/dl.  Intolerância à glicose- 2h-140 a 199 mg/dl.  Diabetes -2h maior ou igual a 200 mg/dl.


DIAGNÓSTICO

CLÍNICO

Índices do controle diabético de longo prazo Hemoglobina A1c ou hemoglobina glicada Glicemia média ao longo de 2 meses – precedentes ao teste Frutosamina Albumina glicada – controle da glicose ao longo das 3 semanas antes de sua medida Microalbuminúria Urina de 24 horas – sinal precoce e reversível de lesão renal


Diabetes Mellitus  

Rhalcia Cristina