Page 1

d es ti no s foz do i g uaçU ( p r)

Texto  Bruna Tiussu Fotografias  Jonne Roriz

Nas Cataratas, com emoção Além dos mirantes que reservam as melhores vistas das famosas quedas d’água, Foz do Iguaçu oferece diversas aventuras para o turista explorar o destino, como rapel, rafting e salto de paraquedas. Basta ser destemido e não perder o fôlego

TOD OS OS ÂN GU LOS

Na página anterior, a panorâmica das Cataratas, todas as cores do tucano e o barco do Macuco Safari rumo aos saltos batizados de Três Mosqueteiros. Nesta página, em sentido horário, um dos mirantes com vista privilegiada das quedas d’água, o rapel realizado com incrível pano de fundo, uma borboleta do Parque das Aves e o quati, figurinha fácil na região

070 | voeaz ul.com.br

voea zul.com.br | 071


d es ti no s foz do i g uaçU ( p r)

P

reso apenas por uma corda, sem apoio algum, e a 55 metros de altura, as pernas tremem e os braços amolecem. A dica é respirar fundo e não olhar para baixo. Concentre-se no horizonte, onde a graça se descortina a uma altura equivalente do desafio: seis quedas d’água do conjunto das Cataratas do Iguaçu despencam rio abaixo com uma força impressionante. Diante de tanta água e de uma energia tão positiva, o efeito calmante é imediato e o corpo volta a ficar sob controle. Aquela beleza monumental, que faz jus ao título de uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo, acompanha toda a descida do rapel que, se antes parecia árdua, agora já se tornou uma das atividades mais memoráveis da visita ao Parque Nacional do Iguaçu. É essa panorâmica natural, formada simplesmente pelas águas

072 | voeaz ul.com.br

O Brasil tem a menor parte das 250 quedas. Porém, o Parque Nacional do Iguaçu conta com os melhores mirantes para avistar as águas caindo do lado hermano

do rio vencendo os desníveis do terreno, que move o turismo em Foz do Iguaçu, no Paraná. Na fronteira entre o Brasil e a Argentina, a cidade divide as cataratas com os vizinhos. Fica com a menor parte das 250 quedas dispostas ao longo de 2,7 quilômetros – o parque tem, porém, os melhores mirantes

para avistar as cachoeiras do lado hermano. O privilégio mantém constante o vai-e-vem de turistas durante todas as estações – no ano passado, 1,5 milhão de pessoas esteve ali, um recorde que colocou o lugar na vice-liderança do ranking nacional dos destinos mais visitados por estrangeiros, atrás apenas do Rio de Janeiro. Com infraestrutura invejável – há restaurantes, vestiários e até um hotel de luxo –, o parque tem investido em atrações cheias de aventuras, que permitem vislumbrar as cataratas de ângulos desafiadores. O rapel é apenas uma delas – mas a que mais faz a adrenalina subir. O passeio mais procurado garante diversão para turistas de todas as idades e qualquer condicionamento físico. No Macuco Safari, os visitantes sobem o Rio Iguaçu até o Cânion das Cataratas a bordo de potentes barcos bimotores. Quando o trio de quedas apelidado de Três Mosqueteiros se

CORES E D ETA LHES

Na página anterior, o pôr do sol de Foz do Iguaçu, pelicanos, no Parque das Aves, e as cataratas, avistadas de longe. Nesta página, acima, as quedas do lado argentino, admiradas pelo turista no rapel; ao lado, aventureiros no rafting; e, abaixo, as águas coloridas pelo arco-íris

voea zul.com.br | 073


d es ti no s foz do i g uaçU ( p r)

NATUREZ A G E NE ROSA

aproxima, o vapor d’água que sobe é suficiente para encharcar todo mundo. A brava embarcação vai além do que parece ser capaz e chega bem pertinho, ali no pé da cascata, onde há água para todos os lados e fica difícil abrir os olhos. A sugestão é esperar o piloto começar a dar ré para apreciar, de baixo para cima, o impressionante véu de noiva em toda a sua imensidão. Na volta, os mais destemidos podem saltar do barco no meio do

Local

As lojas do Parque Nacional do Iguaçu, do Parque das Aves e da Usina de Itaipu são ideais para comprar lembrancinhas

074 | voeaz ul.com.br

Pelúcias Araras, tucanos, quatis e macacos estão espalhados pelas prateleiras. Há vários tamanhos e cores. O pequeno sai por R$35

caminho, em um deck próximo à plataforma do rapel, para embarcarem em um passeio de rafting. Ao deixar as cataratas para trás, os participantes começam a enfrentar as correntezas do Rio Iguaçu e colocam em xeque a força de seus braços. O início do percurso de 4,5 quilômetros é o mais emocionante, com corredeiras intensas capazes de virar o bote na primeira bobeada, principalmente em dias caudalosos. Após dois quilômetros vencidos, há um longo trecho de calmaria, perfeito para nadar, relaxar e recuperar o fôlego. Se tudo isso parecer desafiador demais, o turista pode se contentar

Artesanato Produtos de artistas locais são privilegiados nas vitrines. Esta plaquinha é assinada por Dircéia Braga, nativa de Foz do Iguaçu. R$46

Na página anterior, no alto, o último mirante, que dá acesso à Garganta do Diabo, e o barco do rafting; no centro, a arara em todos os seus detalhes; e, abaixo, um quati, no Parque Nacional do Iguaçu. Nesta página, um flamingo, um pássaro bem à vontade com a presença dos turistas no Parque das Aves, e uma das quedas das Cataratas vista de pertinho

em apreciar as cataratas de longe. Algo muito mais tranquilo, mas igualmente emocionante. O parque dispõe de passarelas que permeiam sua extensa área de mata atlântica e garantem fotos incríveis das quedas – inclusive com os barcos que se aventuram lá embaixo. Entre um clique e outro, vale ficar atento aos quatis, figurinhas fáceis por ali que, apesar de bonitinhos, não perdem a chance de fuçar nas mochilas e sacolas para roubar a comida alheia. No percurso tradicional, a Garganta do Diabo se materializa como o grand finale. O cânion de mais de 70 metros de altura abriga

a última e mais famosa das quedas, que pode ser vista de pertinho e não raro ganha cores dos arco-íris que se formam ali. Para chegar até lá, é preciso encarar uma travessia que passa pertinho das cascatas e inclui um legítimo banho de cachoeira, etapa essencial do passeio. Depois das cataratas, o Parque das Aves é o que mais merece espaço no roteiro de Foz do Iguaçu, com um conjunto de mais de mil exemplares de 130 espécies distintas – muitas delas foram doadas e outras chegaram ali precisando de cuidados médicos. O centro leva em conta a interatividade com os visitantes, que podem entrar em alguns viveiros e ficar pertinho dos animais. É assim na área onde ficam as araras e em uma outra em que tucanos, gralhas azuis e guarás convivem. A maioria nem se importa com a presença humana: alguns posam para fotos e outros voea zul.com.br | 075


d es ti no s foz do i g uaçU ( p r)

Onde ficar

D UAS G I G A N T ES

Hotel das Cataratas Do grupo Orient Express, é a opção mais luxuosa da cidade e a única dentro do Parque Nacional do Iguaçu.

Ao lado, turistas apreciam a enorme barragem de Itaipu; abaixo, a entrada da usina entre suas unidades geradoras de energia e a área interna aberta aos visitantes; à direita, o bife de chorizo do restaurante Aqva. Na página ao lado, um dos mirantes mais concorridos do Parque Nacional e o salto de paraquedas que dá vista para a hidrelétrica

Rod. BR-469, km 32, Parque Nacional do Iguaçu. T 45 2102 7000 / hoteldascataratas.com.br

Concept Design Hostel Inaugurado há um mês, foge do conceito mochileiro dos hostels tradicionais ao oferecer ambientes com decoração moderna. Há suítes, quartos compartilhados, piscina e até bar. R. Vereador Moacyr Pereira, 337, Vila Yolanda. T 45 3029 3631 / conceptdesignhostel.com

Onde comer Aqva Destaque para as receitas argentinas preparadas com toques contemporâneos – o bife de chorizo é excelente. Av. Córdoba, esquina com Carlos Thays, Centro, Puerto Iguazu. T +54 3757 42 2064

Passeios até gostam de receber carinhos. Além das aves, há vários tipos de répteis – estes, claro, alojados em locais fechados. Destaque para os jacarés-de-papo-amarelo, as jiboias e as sucuris. Belezas naturais à parte, Foz do Iguaçu também é dona de uma gigante arquitetônica que impressiona por seu tamanho e seu potencial. Instalada na outra ponta da cidade, no extremo oposto do Parque Nacional, a Usina Hidrelétrica de Itaipu é a maior produtora de energia do planeta, graças às águas de outro importante rio local, o Paraná. O complexo binacional – metade brasileiro, metade paraguaio – cresceu tanto desde a inauguração de sua primeira unidade geradora, em 1984, que foi eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e ganhou uma fundação destinada a administrar seu potencial turístico. 076 | voeaz ul.com.br

Gastronomia hermana A vizinha Puerto Iguazu conquista os visitantes justamente por ter o que falta a Foz: um centrinho que reúne restaurantes, bares e lojinhas. É comum que turistas prefiram atravessar a fronteira para jantar do lado argentino – hoje em dia até a carteira de habilitação brasileira é válida como documento de identificação. O restaurante Aqva é um dos mais concorridos e serve o típico e delicioso bife de chorizo, enquanto a feirinha que ali funciona diariamente oferece uma seleção de doces de leite, alfajores, queijos e embutidos.

Hoje, visitantes admiram sua barragem de 196 metros de altura a partir do tour panorâmico, feito a bordo de um ônibus. Também podem escolher o circuito especial que, além da parte externa, inclui algumas áreas internas da construção, como a sala onde uma de suas turbinas está em funcionamento. Ou, ainda, têm a chance de apreciar sua grandiosidade de uma escala amplificada, lá do alto.

Basta ter coragem, fôlego e ânimos controlados para encarar um salto duplo de paraquedas, atividade realizada pela Skydive, empresa instalada nas imediações da usina. É de um avião Pilatus, a 10 mil pés de altura – ou 4,5 mil metros – que instrutor e turista partem juntos para o desafio. Na primeira metade do percurso, cumprida em queda livre, a adrenalina é tanta que mal se vê a paisagem. Mas depois que o paraquedas se abre e o coração volta a bater em seu ritmo (quase) normal, a panorâmica cortada pelos rios de Foz, com o reservatório e a barragem de Itaipu em destaque, compõe um lindo visual que conquista espaço na memória. A emoção é garantida. E para quem já encarou o rapel e o rafting é só mais uma pitada de aventura. Viagem feita a convite de Itaipu Binacional e Destino Iguaçu

Parque Nacional do Iguaçu Aberto diariamente, das 9h às 17h. Ingressos: R$25,10 Rod. BR-469, km 17. T 45 3521 4400 / cataratasdoiguacu.com.br

Usina Hidrelétrica de Itaipu Há tour todos os dias, das 8h às 16h. A visita panorâmica custa R$24 e o circuito especial, R$60 Av. Tancredo Neves, 6731. T 0800 645 4645 / itaipu.gov.br

Quem leva Azul Viagens Entre em contato com a central de atendimento para encontrar o pacote ideal. O de três noites, com aéreo, hospedagem e traslados, custa a partir de R$560. Saída no dia 21 de outubro.

Voos Azul A COMPANHIA tem diversos VOOS PARA FOZ DO IGUAÇU – HÁ opções DIRETAS PARTINDO DE CAMPINAS, CURITIBA, PORTO ALEGRE E CUIABÁ voea zul.com.br | 077

Nas Cataratas, com emoção  

Turistic article about Foz do Iguaçu, Brazil, published at Azul Magazine

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you