Page 1

CENTRO​ ​UNIVERSITÁRIO​ ​RITTER​ ​DOS​ ​REIS

PROJETO​ ​SOCIAL: OLHOS​ ​DO​ ​AMANHÃ

Bruna​ ​Tesch,​ ​Caroliny​ ​Bitencourt,​ ​Mylena​ ​Scheffer,​ ​Thiago​ ​Merolillo​ ​e​ ​Victória Ketzer

Curso:​ ​Publicidade​ ​e​ ​Propaganda Cadeira:​ ​Projeto​ ​Experimental​ ​Integrador Turma:​ ​2016/2 Orientadora:​ ​Camila​ ​Farina


INTRODUÇÃO

Porto​ ​Alegre,​ ​Agosto​ ​de​ ​2017

O Olhos do Amanhã nasceu de uma necessidade acadêmica, na cadeira de Projeto Experimental Integrador, ministrada pela professora Camila Farina, em 2016/2. A proposta da cadeira era justamente que os alunos pensassem e desenvolvessem um projeto desde sua concepção até a execução e avaliação dos resultados. Este relatório tem como objetivo mostrar como o projeto foi concebido, seu propósito, a execução​ ​dele​ ​e​ ​os​ ​resultados​ ​alcançados.

OLHOS​ ​DO​ ​AMANHÃ:​ ​ARTE​ ​PARA​ ​TRANSFORMAR O desafio então lançado pela professora Camila Farina foi o desenvolvimento e a implementação de um projeto social e cultural em Porto Alegre. Em um primeiro momento, tivemos que criar uma agência experimental, na qual cada integrante assumiu a função de uma das áreas já conhecidas dentro de uma agência. A Brümyca&Co foi a agência criada pelo nosso grupo, com a qual assinamos a organização​ ​do​ ​projeto. Em relação à criação do projeto, a primeira ação foi identificar em que área queríamos atuar e quem queríamos impactar, para depois definir como fazer isso. Chegamos à conclusão de que, se quiséssemos gerar mudança a longo prazo, deveríamos investir na área da educação e cultura, tendo como público as crianças: impactar a presente formação dos pequenos para um amanhã melhor. Foi assim que, chegamos ao coração do projeto: definimos que a arte - como forma de expressão e desenvolvimento, de troca e interação entre o eu interno e o mundo externo,​ ​de​ ​transformação​ ​-​ ​seria​ ​nosso​ ​gatilho. Como a arte se manifesta em diferentes linguagens, escolhemos a poesia e a pintura em técnica aquarela como as ferramentas do projeto. Depois segmentamos melhor o público: com o objetivo de descentralizar os eventos e projetos que recorrentemente acontecem no centro de Porto Alegre, optamos por trabalhar com crianças​ ​de​ ​5​ ​a​ ​12​ ​anos​ ​da​ ​comunidade​ ​do​ ​Sarandi,​ ​na​ ​Zona​ ​Norte​ ​da​ ​capital.


Com​ ​o​ ​Business​ ​Model​ ​Canvas​ ​estruturamos​ ​e​ ​planejamos​ ​como​ ​viabilizar​ ​o​ ​projeto.

Logo​ ​do​ ​projeto​ ​Olhos​ ​do​ ​Amanhã.

Nosso projeto consistiu em duas etapas. Na primeira, promovemos oficinas gratuitas de aquarela e poesia, com a ajuda de instrutores capacitados em cada uma dessas áreas, de patrocinadores e de demais apoiadores e voluntários. Na


segunda etapa, as obras desenvolvidas pelas crianças ganharam vida em uma exposição​ ​itinerante. Para​ ​a​ ​primeira​ ​etapa​ ​acontecer,​ ​foi​ ​preciso​ ​correr​ ​atrás​ ​de​ ​muitas​ ​coisas: ● instrutores​ ​capacitados​ ​para​ ​ministrar​ ​as​ ​oficinas​ ​de​ ​aquarela​ ​e​ ​poesia; ● local​ ​para​ ​a​ ​ação​ ​acontecer; ● fundo financeiro para realizar as oficinas, que envolveram materiais artísticos​ ​e​ ​a​ ​alimentação​ ​dos​ ​participantes; ● contato com as crianças e as famílias do bairro Sarandi para divulgar o projeto; ● fotógrafos​ ​e​ ​voluntários​ ​para​ ​execução​ ​e​ ​registro​ ​da​ ​ação. Unimos forças e, através do boca a boca, conseguimos o local e os profissionais para ministrarem as oficinas. O Coletivo Conceito Arte, localizado em uma praça do Sarandi, disponibilizou o espaço para que a ação acontecesse, além de nos ajudar a conseguir o apoio de três escolas públicas do bairro para divulgar as oficinas às crianças e suas famílias, que receberam bilhetes na agenda escolar. Quanto aos instrutores voluntários, foram eles: Filipe Gomes, artista que faz parte do Coletivo Conceito Arte e é dono da marca Harp Brasil, para ensinar a técnica de pintura em aquarela; e Pedro Matias, professor da língua portuguesa, para ministrar as​ ​oficinas​ ​de​ ​poesia. Já para custear toda a ação, buscamos patrocínio e apoio, tanto de marcas como de voluntários que quisessem apoiar a causa. Através de material de apresentação,

enviado

para

as

marcas,

e

da

página

no

Facebook

(www.facebook.com/olhosdoamanha),​ ​divulgamos​ ​a​ ​necessidade​ ​de​ ​ajuda.


Apenas​ ​um​ ​dos​ ​posts​ ​na​ ​fan​ ​page​ ​em​ ​que​ ​compartilhamos​ ​a​ ​necessidade​ ​de​ ​ajuda.

Em poucos dias, mobilizamos cinco marcas patrocinadoras, mais de trinta apoiadores, além de oito voluntários e quatro fotógrafos para as oficinas acontecerem:​ ​da​ ​compra​ ​de​ ​materiais​ ​ao​ ​registro​ ​do​ ​evento. Mas não parou por aí o trabalho. Na segunda etapa, a realização da exposição itinerante com a obra das crianças, foi preciso pensar nos seguintes pontos: ● local​ ​para​ ​a​ ​exposição,​ ​aberta​ ​ao​ ​público,​ ​acontecer; ● fundo para custear a impressão de materiais gráficos envolvidos na exposição (banner do projeto e decoração do local, por exemplo) e na sua​ ​divulgação; ● divulgação​ ​da​ ​exposição,​ ​em​ ​si. Para este momento conseguimos o apoio do centro multicultural Aldeia e do espaço Studio Z para a realização das exposições. A verba arrecadada na primeira etapa do projeto também foi utilizada para a impressão dos cartazes de divulgação, das poesias e do banner. Para a divulgação da primeira exposição, na Aldeia, distribuímos​ ​cem​ ​lambes​ ​pela​ ​cidade​ ​e​ ​criamos​ ​um​ ​evento​ ​no​ ​Facebook.


Aplicação​ ​dos​ ​cartazes​ ​nas​ ​ruas.

Exposição​ ​na​ ​Aldeia.

Ainda tivemos o prazer de contar com divulgações na Zero Hora e no Diário Gaúcho. Através da coluna “ZH pelas Ruas”, a jornalista Bárbara Müller, divulgou o projeto, contando com as falas da pequena Rafaela, uma das artistas do Sarandi, da sua mãe, Gleise e da Natashe, uma das integrantes do Coletivo Conceito Arte. Ao todo, a matéria atingiu mais de 200 curtidas no Facebook, 20 compartilhamentos e 15​ ​comentários.


Postagem​ ​divulgando​ ​a​ ​matéria​ ​no​ ​site​ ​da​ ​Zero​ ​Hora. (http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2016/11/projeto-social-de-porto-alegre-estimula-crianc as-a-se-expressar-por-meio-da-arte-8557821.html)

Após a estadia na Aldeia, expomos as obras em um evento promovido no Studio Q que envolvia arte, cultura e solidariedade. Lá, as 33 obras ficaram expostas​ ​por​ ​seis​ ​horas.

Exposição​ ​no​ ​Studio​ ​Q.


E​ ​no​ ​começo​ ​deste​ ​ano,​ ​2017,​ ​voltamos​ ​ao​ ​Sarandi​ ​para​ ​devolver​ ​as​ ​obras aos​ ​pequenos​ ​artistas,​ ​para​ ​que​ ​estes​ ​lembrem​ ​o​ ​quão​ ​longe​ ​a​ ​criatividade​ ​deles pode​ ​levar.

RESULTADOS

Certamente todas as nossas expectativas com esse projeto foram superadas, desde o tempo de envolvimento com as oficinas no Sarandi até a repercussão que essa ação geraria. Ao final de 2016, após a última exposição, a ​fan page do projeto marcava 400 curtidas, ultrapassando mais de 3 mil pessoas alcançadas durante todo​ ​o​ ​período. E para finalizar o projeto, elaboramos um vídeo case, com registros de toda essa jornada, para que sirva de inspiração e incentivo à todos que, assim como nós, acreditam​ ​em​ ​um​ ​futuro​ ​melhor.

Assita:​ ​https://www.youtube.com/watch?v=pgl3BeVSJ9E&feature=youtu.be

Relatório Projeto Olhos do Amanhã  

Este é um relatório do projeto social desenvolvido na cadeira de Projeto Experimental Integrador, conforme proposta da professora Camila Far...

Relatório Projeto Olhos do Amanhã  

Este é um relatório do projeto social desenvolvido na cadeira de Projeto Experimental Integrador, conforme proposta da professora Camila Far...

Advertisement