Issuu on Google+

ESCAVAÇÃO DE TUBULÕES

A fundação ou alicerce serve para apoiar a casa no terreno e depende do tipo de solo do seu terreno. Uma sondagem permite saber qual é a fundação mais indicada e pode ser realizada por firmas especializadas em sondagens de solos. Para terrenos mais estáveis, em que se encontra solo firme até uma profundidade de 60cm, pode-se utilizar a sapata corrida (baldrame) - vala de 40 à 60cm de profundidade imediatamente abaixo de onde serão construídas as paredes. Outra solução é construir uma laje de concreto diretamente sobre o solo, conhecida como radier. Além de apoiar a casa, o radier já funciona como contrapiso e calçada. No entanto o radier só pode ser usado se o terreno todo for homogêneo, tiver o mesmo tipo de solo em toda sua extensão. Se uma parte do terreno for firme e a outra fraca, o radier não pode ser utilizado, pois o lado mais fraco tenderá a rebaixos, enquanto o lado mais firme permanecerá elevado, provocando trincas ou mesmo o comprometimento total da estrutura da casa. Caso o terreno não seja estável, não for encontrado solo firme até a profundidade de 60cm, serão necessárias fundações mais profundas, como o tubulão. A profundidade do tubulão também depende da estabilidade do solo, podendo ser de 1 à 15m. Muitas vezes, preocupados com a estabilidade da casa, os autoconstrutores tendem a escavar tubulões muito mais numerosos e profundos do que seria necessário, desperdiçando tempo e material. Portanto, é interessante conversar com alguém que tenha experiência no assunto antes do início das escavações. Mas a melhor dica é consultar os vizinhos para saber como foram feitas as fundações das casas próximas, verificando se foram bem sucedidas. A fundação utilizada por seu vizinho provavelmente funcionará também para o seu terreno. (Ref. Cartilha - Mãos à Obra). Aqui trataremos em detalhe da escavação de tubulões, por se tratar do tipo mais complicado de fundação para ser escavado, apresentando reduzidas dimensões e comumente grandes profundidades (Figura 01).


Figura 01 INSTRUMENTOS: Boca de lobo, alavanca, tripé e baldes. Para escavar outros tipos de fundação também uma pá, picareta e carrinho de mão serão necessários. PASSO A PASSO: ESCAVAR O tubulão é um tipo de fundação em que se cava no solo um buraco redondo, que futuramente receberá uma armação e será concretado. Os tubulões são normalmente localizados imediatamente abaixo dos futuros pilares que sustentarão a casa. Antes de iniciar a escavação é necessário que o terreno onde a casa será construída seja nivelado (ver processo MOVIMENTAÇÃO DE TERRA). Caso contrário, pode ser necessário fazer uma camada de argamassa para nivelamento (regularização) sobre a fundação pronta, o que pode significar grandes gastos com material. Para iniciar a escavação determina-se o ponto desejado através do gabarito (ver processo LOCAÇÃO DA CASA).

Figura 02


A partir desse ponto traça-se ao seu redor um círculo de aproximadamente 60cm de diâmetro (Figura 02) - um barbante da medida desejada pode ser utilizado, segurando uma ponta no centro do círculo e girando a outra ao seu redor. Por normas de conforto e segurança para o escavador, o tubulão não deve apresentar um diâmetro inferior à 60cm. Então, inicia-se a escavação utilizando a alavanca e a boca de lobo, alternadamente, para soltar e retirar o solo (Figura 03).

Figura 03

Quando o buraco atinge uma certa profundidade, utiliza-se um balde para a retirada da terra. Esse balde é erguido quando cheio por um ajudante, apelidado “puxador”, até a superfície. Posteriormente, desce um balde vazio para o escavador e se desfaz da terra do primeiro balde enquanto o escavador enche o próximo. Nessa etapa, à medida em que o buraco vai atingindo maiores profundidades, é interessante que se conte com a ajuda de um tripé e roldana para puxar o balde (Figura 04).


Figura 04

Pode-se construir um tripé, caso não tenha acesso a um, utilizando três estacas bem compridas de madeira fixadas por um pedaço de ferragem (Figura 05).

Figura 05

Na escavação de tubulões especificamente é muito importante atenção para


não se machucar, uma vez que os pés, um balde e uma boca lobo dividem um espaço muito pequeno. O posicionamento correto dos pés para evitar acidentes é lateralmente ao balde, com um deles inclinado. Pernas juntas, nunca abertas com o balde no meio, e assim se vai rodando dentro do buraco para continuar a escavação (Figura 06).

Figura 06

Para o caso de chuvas é importante tapar a boca do tubulão, ou qualquer outro tipo de fundação, para que a água não transporte novamente a terra para dentro do buraco. O serviço pode ser feito utilizando um pedaço de madeirite, por exemplo, posicionado sobre o buraco, cobrindo suas bordas com terra (Figura 07).

Figura 07

Pode ser útil transportar a terra retirada diretamente para o local onde esta vai permanecer, utilizando o carrinho de mão, para evitar futuros contratempos. Após escavar os tubulões, é necessário escavar uma cinta que os interligue,


fazendo-os trabalhar em conjunto. Essa cinta é basicamente uma vala de 30 à 50cm de profundidade e aproximadamente 25cm de largura. A variação da profundidade se dá de acordo com a distância entre os tubulões: entre dois tubulões mais distantes, a vala é mais profunda, entre tubulões mais próximos, a vala mais rasa. Cava-se então, soltando a terra com uma enxada e retirandoa com uma pá, valas que interliguem todos os tubulões (Figura 08).

Figura 08

Fonte: http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/index.html


escavação