Page 58

Pa r te I V - Temas G er ai s

U m Mó d u l o d e Al i mentação par a as A t i v i d a d e s Mi l i tar es de Emer gênci a Cap Cav Sandra Amaro - Cmdt CRT/BapSvc/BrigMec

Durante o verão de 2017, Portugal foi assolado por uma terrível vaga de incêndios que causou um número elevado de vítimas humanas, destruiu património, e expôs os nossos cidadãos a situações de enormes e diversificadas carências. O Exército mobilizou todas as suas capacidades para, numa situação de emergência, ajudar a combater incêndios, proteger bens e pessoas e, também, assegurar o apoio logístico ao bem-estar das populações e às diversas entidades envolvidas. Foi neste quadro que a Brigada Mecanizada organizou e projetou módulos de alimentação para Oleiros. Fizemo-lo com base na organização de campanha, que funcionou. Mas cedo identificámos que poderíamos fazer mais e melhor, quer no domínio da organização, quer do seu funcionamento. Desde logo, o modelo de organização, para além do Comando, deverá dispor de equipas de aquisições/reabastecimento, de confeção de alimentação, e uma outra de materiais, de dimensões variáveis, consoante o efetivo a apoiar e o modelo de reabastecimento definido. Vejamos agora a missão de cada uma delas mais em pormenor: O Comando do Módulo, deve estar preparado para, em coordenação com o RAME, constituir-se como equipa avançada com a responsabilidade de restabelecer a missão atribuída ao módulo, clarificando a modalidade de reabastecimento – canal logístico do Exército – autoridades autárquicas – aquisição local – efetivo a apoiar e modalidade de distribuição, apoios locais disponíveis, nomeadamente, infraestruturas, energia elétrica e água potável. Definição da hora de início do apoio, do local exato para operar o módulo e itinerários principal e de alternativa que a ele conduzam. A equipa de reabastecimento tem por missão obter os artigos de todas asclasses necessárias à confeção e

56

distribuição da alimentação confecionada. Consoante a modalidade de reabastecimento definida, está preparada para requisitar, todos os artigos à cadeia de reabastecimento do Exército ou, em alternativa, diligenciar junto das entidades responsáveis pelo reabastecimento o seu fornecimento, podendo identificar-se para o efeito as Autoridades Autárquicas, a Autoridade Nacional de Proteção Civil, ou outras entidades, nomeadamente a Cruz Vermelha, as Misericórdias, ou instituições Particulares de Solidariedade Social. Pode ainda, se necessário, proceder à aquisição de todos ou parte dos artigos necessários à operação dos módulos que, de uma forma simplista poderão incluir, géneros (frescos, congelados, águas para a refeição) os consumíveis de apoio à distribuição (talheres, pratos, cuvetes, guardanapos e outros artigos descartáveis), e ainda os materiais de higienização e limpeza da instalação, equipamentos e dos recursos humanos. A definição, a montante, da modalidade de reabastecimento é indispensável para a definição da missão e constituição desta equipa, que poderá variar na sua dimensão e especialização, incluindo a parte financeira. A equipa de confeção é o cerne do Módulo de Alimentação. A sua missão, para além da confeção, engloba a distribuição e também o armazenamento de todo o stock de artigos da Cl I e VI. O trabalho desta equipa foca-se, numa primeira fase de planeamento, em assegurar as condições para participar na elaboração do plano de ementas estabelecido atentas as capacidades humanas e dos equipamentos disponíveis, e propondo alterações de acordo com possíveis dificuldades na gestão ou reabastecimento de géneros. De acordo com o que lhe vier a ser solicitado deverá estar preparada para operar um local de distribuição, efetuara distribuição descentralizada através de contentores isotérmicos, ou ambas em simultâneo, o que poderá fazer variar o número de efetivos e o tipo de equipamentos a operar. É responsável por operar os materiais mais técnicos, como a cozinha de campanha e equipamentos de frio e, eventualmente linhas de distribuição.

A equipa de materiais tem por missão garantir a montagem, manutenção e limpeza do local onde o Módulo vai operar. A constituição desta equipa permite focar a equipa de confeçãona preparação, confeção e distribuição da alimentação, libertando-a das tarefas de sustentação e segurança do próprio Módulo (manutenção de geradores e tendas, reabastecimento da CL III e limpezas). Na sua constituição é desejável incluir militares de manutenção dos equipamentos principais do Módulo. Definidas as missões das três equipas é agora necessário elencar os recursos materiais principais e humanos para tornar este Módulo exequível. Uma organização tipo poderá ser a seguinte: o Comando (0/1/1), dotado de uma viatura tática ligeira, do tipo Land Rover Defender ou Mitsubishi L200, a equipa de reabastecimento (0/1/1), deverá estar dotada de uma viatura administrativa versátil que permita operações de reabastecimento ou transporte de militares; a equipa de materiais (0/2/4), constituída por duas viaturas táticas pesadas, transporta toda a dotação de materiais necessários à montagem e sustentação do local de operação que compreenderá uma tenda de 4 arcos para apoio da cozinha e depósito de secos, uma tenda de 4 arcos para distribuição, uma tenda de 4 arcos para as guarnições das equipas e uma tenda de 5 arcos para refeitório, eventualmente gerador e torre de iluminação. A equipa de confeção (0/1/6) organizada com três viaturas táticas pesadas com cozinha, dois equipamentos de frio (refrigeração e congelação) e um depósito de água potável para a confeção. A organização tipo deste Módulo de Alimentação é simples e assenta nos pressupostos de que o reabastecimento é garantido pelo canal logístico do Exército e é montado num local onde não existem infraestruturas disponíveis, do tipo cantina escolar, para um período máximo de 72 horas, após o qual é necessária a rendição do pessoal. Estará dotado com1 viatura tática ligeira, de 5 viaturas táticas pesadas e uma viatura administrativa, e é operado por, 5 Sargentos e 11 Praças.A sua operação é, no entanto, de grande

Mecanizada Brigada

EM Ó RI A

“Cooperar em missões da proteção civil” e “colaborar em tarefas relacionadas com a satisfação das necessidades básicas e a melhoria da qualidade de vida das populações” são duas das missões do Exército Português.

1978-2018

FEITOS FARÃO TÃ

OS IGN OD

DE

M

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Advertisement