Page 49

Par te I I I - Mei os O per aci onai s

Re f u e l o n t h e Move - do Pl aneamento à Execuçã o Asp Adm M Liliana Rodrigues - Cmdt PelReabTransp/CRT/BApSvc

Introdução A força decisiva do Exército (a BrigMec) necessita de grandes quantidades de combustível em tempo útil para sustentar a sua capacidade para o combate, e desta forma o REFUEL ON THE MOVE (ROM), como propósito doutrinário, amplia o tempo das forças terrestres no cumprimento da missão ao movimentar viaturas de transporte de combustível para a zona tática a fim de proceder ao abastecimento flexível de viaturas e outros equipamentos (geradores/cozinhas/arcas), de forma eficiente, rápida e segura. O Planeamento O ROM é uma missão que é atribuída ao Pelotão de Combustíveis do BApSvc sendo executada com a montagem de uma ou várias linhas de reabastecimento Classe III, tendo em conta o número de viaturas a abastecer. Recebida a missão de efetuar um ROM há que considerar os fatores de decisão militar: restabelecer a missão atribuída, conhecer a ameaça na missão a desempenhar, avaliar o terreno, verificar e avaliar os meios disponíveis, o tempo disponível para o cumprimento da missão e as considerações de âmbito civil. O restabelecimento da missão é fundamental para que de uma forma simples, clara e concisa se transmita aos militares o objetivo pretendido.

A avaliação do terreno é essencial, pois está diretamente relacionada com o tempo disponível e a ameaça, além de que é um ponto sensível de planeamento. O conhecimento do inimigo/ ameaça influencia o estudo do terreno na escolha do itinerário de reabastecimento e na escolha do terreno mais apropriado para a operação (ROM). Na montagem da linha de abastecimento para o ROM, é necessário realizar um estudo cuidado de forma a certificar que nas linhas de reabastecimento existe espaço suficiente para a manobra de viaturas e abastecimento de combustível, garantida a adequada dispersão. Fazendo a identificação do tempo disponível, o número, a tipologia de viaturas a abastecer e a quantidade de combustível necessária, estão reunidas as condições para a escolha dos meios adequados ao cumprimento da missão. Considerando o Ambiente Operacional, avaliar as considerações de natureza civil pode revelar-se extremamente importante na medida em que podemos tirar proveito das mesmas a nosso favor. A Companhia de Reabastecimento e Transporte tem como meios de transporte de combustível as viaturas táticas M49 com capacidade de transporte de 4.500 litros e os atrelados de transporte

de combustível M969 com capacidade de transporte de 18.000 litros. O Abastecimento A primeira preocupação é a elaboração do esquema de abastecimento, identificar o local para colocar as viaturas de transporte de combustível e verificar se o espaço de manobra é suficiente para a entrada e saída de viaturas em segurança. Escolhido o local, inicia-se a preparação da linha de abastecimento: posicionamento das viaturas, colocação de extintores junto às mangueiras de abastecimento, sinalização dos locais de abastecimento e colocação de bacias de retenção para aproveitar desperdícios de combustível, mantendo assim sempre presente as considerações ambientais, evitando a absorção de gasóleo pelos solos e evitando a contaminação dos mesmos. Reunidas as condições de segurança, inicia-se a preparação de um reabastecimento. Na montagem de uma linha de abastecimento, é necessário colocar uma ou mais viaturas de transporte de combustível (consoante a missão atribuída), sendo estas o M49 ou o M969, e de dois militares para cada uma das viaturas, sendo um o operador (aquele que efetua o abastecimento) e o outro o condutor. Para coordenar a entrada e saída da posição de viaturas no abastecimento, um militar fica entre as duas

Fig. 1 - Refuel On the Move, com duas linhas de abastecimento

Atoleiros

Nº32 - abril 2018

47

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Atoleiros Nº 32  

Revista Militar da Brigada Mecanizada

Advertisement